Issuu on Google+

Recortes nº 039 Índice – 24 de Fevereiro de 2011 - Através do porto de Setúbal - Autoeuropa exporta directamente para o Japão - Ponte-cais nº 3 recebeu a primeira aduela - Tráfego ferroviário cresce 56% no Porto de Setúbal - Porto de Setúbal com duas novas linhas - Carga contentorizada cresce 120% no Porto de Setúbal - APSS e CP Carga assinam protocolo de colaboração - Porto de Setúbal lança edição de prémio de Logística - Pesca cresce 10% em Setúbal e Sesimbra - Portos nacionais crescem 16% numa década - Ministro das Obras Públicas visitou Porto de Sines - Porto de Sines cresce 50% nos contentores, 17% nos navios e é líder nas exportações - Presidente da APS na comemoração do Dia Mundial das Alfândegas - Viagem inaugural do MSC Livorno - Embaixador do Brasil visita Sines - Extensão do molhe Norte do porto da Figueira concluída - Porto da Figueira da Foz cresce 12,64% em Janeiro - Fórum do Mar estabelece protocolo com Oceano XXI

1


Transportes em Revista, 22 de Fevereiro de 2011 Através do porto de Setúbal

Autoeuropa exporta directamente para o Japão

O porto de Setúbal viu partir, no passado dia 4 de Fevereiro, o navio ro-ro “Atlas Highway” com a primeira carga de veículos fabricados na Autoeuropa com destino ao porto japonês de Toyohashi, naquele que foi o primeiro embarque directo para o exterior da União Europeia. O navio da K-Line foi fretado pela Volkswagen Logistics, agenciado pela Navigomes e operado pela Navipor. De acordo com a APSS – Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, “tratou-se do carregamento de 382 viaturas do modelo Sharan e 11 do modelo Scirocco, previamente parqueadas no Terminal da Volkswagen Autoeuropa no Porto de Setúbal. Salienta-se que esta é a viagem de introdução do novo modelo Sharan no mercado japonês, estando a chegada prevista para o dia 5 de Março”. De referir que, até à data, os veículos com destino ao Japão, têm sido enviados via Porto de Emden, na Alemanha. por: Pedro Pereira

2


Newsleter APP, 23 de Fevereiro de 2011

Ponte-cais nº 3 recebeu a primeira aduela Prossegue a bom ritmo a empreitada de construção da ponte-cais nº3 no Porto de Sesimbra. No dia 10 de Fevereiro, foi colocada a primeira aduela no leito de água, marco determinante para a continuação da obra. Todas as aduelas, vigas e pré-lajes, foram pré-fabricadas num estaleiro instalado no Porto de Sesimbra. Para além da dimensão e do peso destas peças, com 40 toneladas, merecem destaque os meios de apoio necessários à operação, que contam com uma plataforma flutuante de grandes dimensões, rebocadores, uma grua com capacidade de elevação de 120 toneladas, bem como, o apoio para colocação e posicionamento, realizado por equipas de topografia e mergulhadores, de modo a garantir a precisão da localização com tolerâncias na vertical e horizontal de apenas 5 cm.

3


Oportunidades & Negócios, Fevereiro de 2011 – Pág. 16

4


Oportunidades & Negócios, Fevereiro de 2011 – Pág. 16

5


Oportunidades & Negócios, Fevereiro de 2011 – Pág. 17

6


Oportunidades & Negócios, Fevereiro de 2011 – Pág. 17

7


Oportunidades & Negócios, Fevereiro de 2011 – Pág. 18

8


Oportunidades & Negócios, Fevereiro de 2011 – Pág. 18

9


Newsletter APP, 23 de Fevereiro de 2011

Portos nacionais crescem 16%

numa década O movimento de mercadorias nos principais portos nacionais aumentou 8,7 milhões de toneladas, ou 15,5%, entre 2000 e 2010. No ano passado, de acordo com os dados agora divulgados pelo IPTM, os sete principais portos comerciais do Continente movimentaram 64,97 milhões de toneladas, 7% mais do que em 2009. Porém, comparando com 2007, o melhor ano do sector, o registo de 2010 representa ainda uma quebra de 2,2%. Entre os três maiores portos nacionais Sines é, de longe, o porto que mais cresce desde o início do século, tendo aumentado o movimento de cargas em 27,9%. Leixões fica-se pelos 7,1% e Lisboa não atinge sequer os 3,5%. Sines é também o porto, entre os três maiores, que ficou em 2010 mais perto do seu melhor registo histórico: os 25,1 milhões de toneladas movimentadas representam uma quebra de 6,2% relativamente ao resultado de 2006. No caso de Leixões, os 15,6 milhões de toneladas de 2010 ficam 6,8% abaixo do resultado de 2008. Em Lisboa, a comparação deve ser feita com 2007 e a quebra ascende aos 8,9%, com 12,98 milhões de toneladas no ano findo. Entre os portos mais pequenos, logo, com menos peso no total nacional, os resultados são diferentes para melhor. Desde logo, porque Setúbal, Aveiro e Figueira da Foz registaram em 2010 recordes de movimentação de mercadorias. Comparando com os números de 2000, destacam-se Aveiro e a Figueira da Foz, com crescimentos de 51,9% e de 78,99%, respectivamente. Setúbal avançou no mesmo período 8,43%. Em Viana do Castelo, o forte crescimento experimentado em 2010, relativamente a 2009, deixou o resultado ainda a cerca de metade do caminho do milhão de toneladas movimentado em 2000. 10


Oportunidades & Negócios, Fevereiro de 2011 – Pág. 10

11


Oportunidades & Negócios, Fevereiro de 2011 – Pág. 11

12


Oportunidades & Negócios, Fevereiro de 2011 – Pág. 13

13


Oportunidades & Negócios, Fevereiro de 2011 – Pág. 13

14


Oportunidades & Negócios, Fevereiro de 2011 – Pág. 12

15


Transportes em Revista . Online, 23 de Fevereiro de 2011 Porto da Figueira da Foz Extensão do molhe Norte do porto da Figueira concluída A empreitada relativa ao prolongamento do Molhe Norte do Porto da Figueira da Foz está concluída. A nova acessibilidade foi inaugurada, no dia 21 de Fevereiro, com a presença do ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, António Mendonça. A empreitada teve um valor de 14,6 milhões de euros e incluiu a extensão do molhe em 400 metros, a dragagem de estabelecimento de um canal de navegação com início na nova cabeça do molhe e a instalação de um farolim de sinalização nesse mesmo ponto. O projecto de prolongamento deste molhe aparece integrado num plano mais abrangente que visa a melhoria das acessibilidades do Porto, naquele que será um investimento global de 26,5 milhões de euros. Neste conjunto englobam-se as as dragagens da entrada da barra, dos canais de navegação interiores e bacias de manobras do porto (2,3 milhões de euros), “o prolongamento do Terminal de Granéis Sólidos (investimento de 3,6 milhões de euros), a valorização do Cais Comercial e reformulação do acesso à nova portaria (2,9 milhões de euros), e a reabilitação dos equipamentos afectos ao Cais Comercial (2,1 milhões de euros)”, revela a administração do porto. Na cerimónia de inauguração, António Mendonça afirmou que este conjunto de investimentos «só pode ser interpretado no sentido da prossecução de uma aposta clara de Portugal no seu sistema portuário. Uma aposta alicerçada na dotação dos nossos portos com as condições infra-estruturais, info-estruturais e procedimentais necessárias à melhoria da sua eficiência e competitividade». O ministro revelou ainda que «de forma um pouco injusta, tendemos a salientar e a colocar apenas em evidência os resultados dos portos principais, não dando o devido destaque aos portos secundários», sublinhando que o Porto da Figueira da Foz foi aquele que, em termos relativos, mais cresceu em 2010 (37,3 por cento). Para António Mendonça, este investimento decorre «do reconhecimento do potencial deste porto, mas também da importância que o mesmo tem no quadro do sistema portuário nacional e para o desenvolvimento da região em que se insere», referindo-se desta forma à importância do porto para a maior competitividade das empresas da Figueira da Foz, com destaque para o sector da pasta de papel, e para o crescimento económico que pode advir dessas exportações. por: Andreia Amaral

16


Newsletter APP, 23 de Fevereiro de 2011 MELHOR JANEIRO DE SEMPRE

Porto da Figueira da Foz cresce 12,64% em Janeiro O Porto da Figueira da Foz continua a senda de bons resultados na movimentação de mercadorias. Em Janeiro o crescimento foi de 12,64%, resultante de 126.448,69 toneladas de mercadorias movimentadas, um acréscimo de 14.192,97 toneladas em relação a período homólogo de 2010 e de 47.190,84 toneladas (59,54%) em relação a período homólogo de 2009. É o melhor mês Janeiro de sempre no Porto da Figueira da Foz, suplantando o anterior máximo – Janeiro de 2010, nos já referidos 12,64%. Pela primeira vez na história do Porto da Figueira da Foz registou-se tráfego de Granéis Líquidos com 2.947,18 toneladas. O número de navios que escalaram o porto foi 38, com um total de 104.557 toneladas de arqueação bruta. A arqueação bruta média cresceu 228 toneladas em relação a 2010, passando de 2.523,5 toneladas para 2.751.5. Recorde-se que em 2010 o Porto da Figueira da Foz foi o que mais cresceu no todo nacional, resultados enaltecidos na passada segunda-feira pelo Ministro das Obras Públicas, António Mendonça, aquando da inauguração do prolongamento do Molhe Norte. Em relação a 2009 o aumento na movimentação de mercadorias foi de 438.673,18 ton (37,26%) e em relação a 2008 de 466.065,58 ton (40,43%). FOTOS: PAULO MAGALHÃES/APFF

17


Transportes em Revista . Online, 23 de Fevereiro de 2011

Economia do Mar Fórum do Mar estabelece protocolo com Oceano XXI O Fórum Empresarial da Economia do Mar e a Associação Oceano XXI vão estabelecer um protocolo de cooperação que tem como objectivo promover o desenvolvimento da Economia do Mar, tornando-se, cada uma, associada da outra. Ambas as associações comprometem-se a concertar os seus programas de acção de forma a identificar acções e projectos a desenvolver em cooperação, realizar acções e projectos que venham a ser reconhecidos como estruturantes na área da Economia do Mar e cooperar na valorização e defesa dos interesses da economia nacional na área do mar. por: Carlos Moura

18


Recortes Nº039 de 2011