Page 1

Recortes nº 020 Índice – 28 de Janeiro de 2011 - No porto de Setúbal – Novas linhas em protocolo - Brasil pode criar entreposto em Sines - Tráfego de contentores cresce 50% em Sines - Lídia Sequeira: Integração da JUP com as alfândegas dá competitividade aos portos - Lídia Sequeira na comemoração do Dia Mundial das Alfândegas - Liscont alega inconstitucionalidade mo ‘caso’ do terminal de Alcântara - Mota-Engil tem três pareceres jurídicos favoráveis no caso ‘terminal de Alcântara’ - PROPOSSE pode ajudar a melhorar as capacidades logísticas e de transporte a mais de 8 mil PME’s do Arco Atlântico - Autoeuropa paga mais de dois milhões em prémios a colaboradores - Mais de 97% dos carros fabricados em Portugal vão para o estrangeiro - Exportar é a palavra de ordem para as empresas nacionais - Visitas e medidas para apoiar as exportações - China é a alternativa aos mercados europeus - Compras de Angola a Portugal descem 16% - ‘Não se exporta de um dia para o outro’ - Os três maiores em discurso directo - Logistics Outsourcing realiza-se em Fevereiro - IPTM acaba de lançar concurso para a construção do porto de pesca de Tavira

1


Logística Moderna . Online . Online, 27 de Janeiro de 2011

No porto de Setúbal

Novas linhas e um protocolo O porto de Setúbal tem duas novas linhas, com frequência semanal e partidas às terças, a operar desde Janeiro de 2011, ambas agenciadas pela L. Branco – Navegação e Trânsitos. Destinada a carga ro-ro, a linha da Flota Suardiaz terá a seguinte rotação: Setúbal; Barcelona (Espanha); Casablanca (Marrocos); Sheerness (Reino Unido); Tyne (Reino Unido); Zeebrugge (Bélgica); Vigo (Espanha). Quinzenalmente contará com escalas nos portos de Flushing (Holanda); Las Palmas (Ilhas Canárias-Espanha) e Tenerife (Ilhas Canárias-Espanha). Esta linha destina-se a veículos fabricados na Autoeuropa, bem como a veículos e maquinaria de outros fabricantes. A rota da Seatrade fará as seguintes escalas: portos de Turbo (Colômbia); Santa Marta (Colômbia) e Moin (Costa Rica), seguindo de Setúbal para Tarragona (Espanha) e Génova (Itália). Esta linha transportará principalmente fruta, banana e ananás, mas também pode movimentar carga geral em contentores ou no porão. Também recentemente, no dia 25 de Janeiro, a CP Carga e a Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra assinaram um protocolo de cooperação que visa o desenvolvimento de soluções logísticas de base marítimo-ferroviária, de e para o Porto de Setúbal, potenciando a competitividade do porto a nível ibérico. Segundo o Presidente do Conselho de Administração da CP Carga, Rocha Soares, “a assinatura deste protocolo vai ao encontro do projecto Portugal Logístico e das orientações estratégicas para os sectores ferroviário e marítimo-portuário, permitindo reforçar a competitividade da economia e do papel de Portugal como plataforma logística no espaço europeu e mundial. Potenciar o transporte ferroviário de mercadorias é valorizar o próprio porto, com todas as vantagens económicas e ambientais daí resultantes”.

2


Logística Moderna . Online . Online, 27 de Janeiro de 2011

Para aumentar comércio

Brasil pode criar entreposto em Sines O Brasil poderá vir a criar um entreposto comercial em Sines com o fito de aumentar o comércio de contentores para a Europa. A revelação foi feita pelo embaixador do Brasil em Portugal, Mário Vilalva, que visitou o porto de Sines, na semana passada. "Estamos interessados em ver a possibilidade de aumentar o comércio de contentores com Portugal, com vista ao mercado interno, mas também com vista a outros territórios dentro da Europa", referiu Mário Vilalva à agência Lusa. O embaixador esteve reunido com o presidente da AICEP, Basílio Horta, e com membros da administração do porto de Sines, para conhecer a Zona Industrial e Logística e a infra-estrutura portuária de Sines. Além disso, Mário Vilalva demonstrou interesse na construção da nova ferrovia entre Sines e Espanha. "Se há uma ideia de se fazer uma ferrovia nova, o Brasil também pode participar na construção desta nova ferrovia, que obviamente diminuiria muitos dias de entrega de produtos, não só no mercado português, como também por toda a Espanha”. Assim, a parceria entre os dois países poderá passar pelo aumento das trocas comerciais. "Podemos colaborar incrementando o nosso fluxo de comércio, de investimento", referiu o embaixador do Brasil.

3


Diário Económico, 28 de Janeiro de 2011 – Pág. 39

4


Cargo News, 27 de Janeiro de 2011

Lídia Sequeira: Integração da JUP com as alfândegas dá competitividade aos portos Com a Janela Única Portuária e a sua integração eletrónica com as alfândegas, os portos ficaram mais competitivos e atrativos, defendeu Lídia Sequeira por ocasião do Dia Mundial das Alfândegas. A iniciativa decorreu hoje em Lisboa, acompanhando a celebração da Organização Mundial das Alfandegas, que elegeu o tema “Conhecimento, catalisador para uma Alfândega de excelência” para o evento deste ano. Na sua intervenção, Lídia Sequeira começou por abordar os desafios que se colocam com crescimento do comércio global, tanto para os portos como para as autoridades aduaneiras, nomeadamente no que respeita à necessidade de existirem céleres procedimentos de despacho e eficazes controlos das operações. A JUP teve o mérito de possibilitar que os actos declarativos passassem a ser realizados de uma só vez e por um único canal eletrónico, prestando-se assim um serviço mais cómodo e muito mais célere aos operadores, com a consequente recolha e tratamento da informação para, através das técnicas de análise de risco, serem efectuados controlos selectivos mais eficazes, refereiu a presidente do porto de Sines. Mais adiante aludiu à importância do Fórum para a Simplificação de Procedimentos no Porto de Sines, no qual têm assento os representantes de todas as entidades e agentes económicos que actuam no porto e que tem como objectivo a definição das melhores práticas procedimentais e a resolução dos estrangulamentos que neste domínio forem identificados, apresentando o CUP – Cartão Único Portuário como exemplo dessa estreita colaboração. Por fim, e por ser fundamental o envolvimento activo das autoridades aduaneiras, Lídia Sequeira lançou o desafio de desenvolver a interoperabilidade da JUP com o transporte terrestre, nomeadamente o ferroviário, por ser o mais sustentável, integrando os fluxos de informação até aos destinos finais das mercadorias, salvaguardando todos os requisitos de controlo, segurança e confidencialidade da informação criando-se assim a Janela Única Logística.

5


Transportes & Negócios, 27 de Janeiro de 2011

Liscont alega inconstitucionalidade no “caso” do terminal de Alcântara A Liscont prepara-se para invocar a inconstitucionalidade da revogação do decreto-lei que permitiu a prorrogação da concessão do terminal de contentores de Alcântara. [+]

6


Cargo News, 27 de Janeiro de 2011

Mota-Engil tem três pareceres jurídicos favoráveis no caso "terminal de Alcântara" Três professores de Direito julgam inconstitucional a revogação da concessão do terminal de contentores de Alcântara até 2042 – de Freitas do Amaral, Gomes Canotilho e Nuno Piçarra, avança o Diário Económico. De acordo com a avaliação dos três peritos, a revogação por parte da Assembleia da República do Decreto-lei que prolongou o contrato do terminal de contentores de Alcântara com a concessionária do grupo Mota-Engil é uma medida inconstitucional . Os pareceres dos três prestigiados juristas serão anexados à argumentação que a Liscont irá apresentar até amanhã, dia 28, junto do Tribunal Arbitral nomeado para solucionar este diferendo, que teve início após o chumbo pela Assembleia da República, já na atual legislatura, do contrato de prorrogação da concessão da Liscont até 2042. O referido contrato de prorrogação foi assinado entre a APL e a Liscont, seguindo directivas da tutela do Ministério das Obras Públicas, então chefiado por Mário Lino, e previa, como contrapartida, um conjunto de obras a serem executadas pela MotaEngil, de que a Liscont é subsidiária. Ana Paula Vitorino, antiga secretária de Estado dos Transportes, era então a responsável directa do Governo pelo sector portuário.

7


Newsletter APP, 27 de Janeiro de 2011 PRESIDENTE DA AUTORIDADE PORTUÁRIA DE GIJON:

PROPOSSE pode ajudar a melhorar as capacidades logísticas e de transporte a mais de 8 mil PME’s do Arco Atlântico O presidente da Autoridade Portuária de Gijón (APG), Fernando Menéndez Rexach, considera que o mercado potencial de tráfego de mercadorias para o Short Sea Shipping na área de influência do projecto PROPOSSE ronda os 12 milhões de toneladas. Tal facto permitirá melhorar as capacidades logísticas e de transporte para mais de 8.000 PME´s no Arco Atlântico. Rexach falava no decorrer de uma sessão de trabalho do PROPOSSE que se realizou a 25 de Janeiro, em Gijón, e na qual participou o Porto de Aveiro. O PROPOSSE - Promote Ports, SSS & SME Cooperation é um projecto europeu de cooperação entre os portos de Aveiro, de Gijón, Le Havre, Poole e Cork, as associações representativas de PME´S, Associação Industrial do Distrito de Aveiro e a Câmara de Comércio de Oviedo, e um organismo inglês de I&D, Marine South East, para a promoção do Short Sea Shipping (SSS) junto das PME`S fixadas nos respectivos hinterlands. Tem como principal objectivo favorecer a importação e exportação através do Transporte Marítimo de Curta Distância, fundamentalmente na área das pequenas e médias empresas que se deparam, por questões administrativas e logísticas, com maiores dificuldades para se internacionalizarem. Propõe-se melhorar a acessibilidade das PME’s aos mercados externos através de serviços logísticos adaptados às suas necessidades, tanto terrestres como marítimos. Os sectores da madeira, pedra, metais, produtos químicos, alimentos e peças de automóveis são os mais propensos a utilizar este tipo de transporte. Fernando Menéndez Rexach ressaltou a importância dos trabalhos que têm vindo a ser desenvolvidos no âmbito do PROPOSSE, de molde a que as pequenas e médias empresas venham a ser as principais beneficiárias dos novos serviços, colocando ao seu alcance as vantagens do transporte marítimo tradicionalmente reservadas aos grandes transportadores. Uma das principais conclusões da intensa e profícua jornada de trabalho salienta a necessidade de ratificar a intermodalidade como um sistema de transportes que favorece a geração de oportunidades de negócio para todos os agentes da cadeia logística, independentemente da sua dimensão.

8


Diário Económico, 28 de Janeiro de 2011 – Pág. 34

9


Diário Económico, 28 de Janeiro de 2011 – Pág. 35

10


Jornal de Notícias – Supl. Negócios, 28 de Janeiro de 2011 – Pág. 4

11


Jornal de Notícias – Supl. Negócios, 28 de Janeiro de 2011 – Pág. 5

12


Jornal de Notícias – Supl. Negócios, 28 de Janeiro de 2011 – Pág. 6

13


Jornal de Notícias – Supl. Negócios, 28 de Janeiro de 2011 – Pág. 8

14


Jornal de Notícias – Supl. Negócios, 28 de Janeiro de 2011 – Pág. 10

15


Jornal de Notícias – Supl. Negócios, 28 de Janeiro de 2011 – Pág. 14

16


Logística Moderna . Online, 27 de Janeiro de 2011 Gerir a Crise – Antecipar a Retoma

Logistics Outsourcing realiza-se em Fevereiro “Gerir a Crise – Antecipar a Retoma” é o tema da edição 2011 do Logistics Outsourcing. A conferência realiza-se em Lisboa no próximo dia 24 de Fevereiro, numa organização da revista Logística Moderna. Richard Wilding, professor na Universidade de Cranfield, irá marcar a abertura do evento numa conferência internacional sobre “Os desafios da Supply Chain”. O evento contará também com diversos painéis dedicados ao estado do outsourcing logístico em diferentes sectores de actividade. Para estas sessões está confirmada a participação de Nuno Dias, logistics director da Gestiretalho; Alexandra Castro, directora de planeamento e logística da Nanium Portugal; Pedro Paiva, logistics manager da Salsa Jeans; e João Pereira de Almeida, director de logística da EDP Valor. Está também confirmada a presença de Marco Soares, responsável de operações da Sunviauto; Pedro Lima, head of supply chain do grupo Espírito Santo Saúde; e de Sandra Augusto, area manager logistic da Volkswagen Autoeuropa. Os participantes poderão ainda assistir à apresentação do “Ranking e Atlas Operadores Logísticos” por Ana Gomes e Sílvia Vicente, em representação da Cushman & Wakefield, bem como à apresentação, por Bruno Cardoso da Silva, da Capgemini, do estudo internacional “The State of Logistics Outsourcing in 2010”. Os interessados em obter mais informações ou em participar no Logistics Oustourcing poderão enviar um e-mail ou consultar o site da Logística Moderna.

17


Newsletter APP, 28 de Janeiro de 2011

IPTM acaba de lançar concurso para a construção do porto de pesca de Tavira O Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos (IPTM) já lançou o concurso público para a empreitada de construção do porto de pesca de Tavira. O concurso foi publicado esta quarta-feira em Diário da República. A construção ronda os dez milhões de euros. Para a autarquia tavirense, trata-se de “uma obra prioritária na estratégia do município de concretizar a vontade de virar a cidade para o rio e para o mar”. O prazo de execução da nova infraestrutura é de três anos. O novo Porto de Pesca ficará localizado na margem direita do Rio Gilão, junto ao Mercado Municipal e à Ponte dos Descobrimentos, e ocupará uma área de 4,8 hectares. Terá capacidade para 72 embarcações, de 12 a 18 metros, e para mais 10 pequenas embarcações. A estrutura contempla ainda estaleiro, armazéns para os utensílios dos pescadores, armazéns para comerciantes, lota, edifício administrativo, rampa varadouro e posto de abastecimento de combustíveis. No âmbito desta empreitada está ainda prevista a dragagem do Rio Gilão, a alteração da via de acesso às Quatro-Águas e um cais para actividades marítimo-turísticas e carreiras fluviais regulares entre Tavira e a Ilha de Tavira.

18

Recortes Nº020 de 2011  

No porto de Setúbal – Novas linhas - Brasil pode criar entreposto em Sines - Tráfego de contentores cresce 50% em Sines - Integração da JUP...