Issuu on Google+

Recortes nº 013 Índice – 19 de Janeiro de 2011 - Aveiro – Socarpor com armazém dedicado a derivados para a alimentação animal - Transporte de contentores vai manter dinâmica nos próximos três anos - Novas regras para infractores - ‘O Mar no Século XXI’ apresentado no Casino da Figueira

1


Cargo News, 19 de Janeiro de 2011

Aveiro: Socarpor com armazém dedicado a derivados para a alimentação animal A Socarpor, empresa portuária de Aveiro que integra a Sograin, está em fase final de renovação de um armazém de que tem a concessão no terminal sul (foto), esperando obter por estes dias as devidas autorizações por parte das autoridades sanitárias para começar a utilizá-lo. Este armazém, com uma área de 4.000 metros quadrados e uma capacidade de cerca de 4.000 toneladas, destina-se a albergar granéis para a alimentação animal, do tipo rações e farinhas, que pelas suas caraterísticas não são passíveis de armazenagem vertical nos silos da Sograin, que pertence à Socarpor. Também referente à Socarpor é a notícia relativa ao transporte de bobines de ferro por via ferroviária entre Aveiro e Madrid, que decorreu sem qualquer tipo de incidentes. Ferreira Jorge, que dirige a Socarpor, referiu à CARGO que a expetativa do importador – uma firma espanhola, com instalações também em Portugal – é a de fazer três comboios por mês. O produto provém de Inglaterra, e é descarregado em Aveiro pela Socarpor. Parte dele segue para a fábrica portuguesa, e o restante é dirigido para as proximidades da capital do país vizinho, em serviço efetuado pela CP Carga.

2


Cargo News, 18 de Janeiro de 2011

Transporte de contentores vai manter dinâmica nos próximos três anos Analistas chineses estimam que o setor de transporte de contentores irá "manter a sua recuperação e dinâmica de desenvolvimento" ao longo dos próximos três anos. Num relatório recente divulgado pelo grupo SWS Research, baseado na China, os analistas citam uma série de razões principais que apoiam o seu otimismo sobre a indústria de transporte de contentores. "O mercado poderá estar a viver algum ceticismo, considerando pouco provável uma forte recuperação e desenvolvimento em 2011, à luz da fraca procura de finais do ano passado nos mercados internacionais, como a Europa e os EUA. Nós, porém, acreditamos que a procura no mercado internacional não é necessariamente tão fraca como muitos pensam. Mas importante é o desempenho dos segmentos de mercado com altos graus de concentração, e face aos dados de procura de que dispomos, ela será forte em 2011", diz o relatório. Os fatores que contribuem para as perspetivas positivas para a indústria incluem uma crença por parte dos analistas de que os preços racionais e de gestão de capacidade praticados pelas linhas de transporte em resposta à recessão irão manter-se e, em última instância, manter o setor em estado de recuperação daqui para frente. Por outro lado, os analistas da SWS apontam que 98% dos navios que deveriam ser entregues em 2010 o foram efetivamente, o que significa que não haverá surpresas para o mercado em 2011, em termos de aumento de capacidade. Além disso, a procura de transporte nos principais mercados consumidores no exterior, argumentam eles, não será tão fraca como o que alguns poderiam esperar. Segundo o relatório, os níveis de atendimento, neste ano, da Feira de Cantão foram animadores, e o nível de preços de compras cresceu 15% ano a ano, o que, diz o relatório, é "o melhor sinal de uma recuperação sustentada". Os números desta importante mostra chinesa revelam que mais de 400.000 pessoas em mais de 420 países e regiões participaram na feira deste ano, representando um aumento de 14% em relação ao ano passado.

3


Newsletter APP, 18 de Janeiro de 2011

ACIDENTES MARÍTIMOS

Novas regras para embarcações e

multas para infractores O Diário da República publica hoje, 18 de Janeiro de 2010, novas regras das embarcações portuguesas relativamente aos meios de salvação e à segurança dos passageiros, com coimas aplicadas aos infractores, que podem ir até aos 3500 euros. As alterações, que entram em vigor no Domingo e têm como objectivo "reforçar a segurança a bordo das embarcações, através da adopção de medidas urgentes que possibilitem a redução, a muito curto prazo, do número de acidentes no mar", refere o despacho. "Em especial, analisados os acidentes que têm vindo a registar-se no país, constata-se que grande parte dos mesmos ocorreu em embarcações da pesca", adianta o decretolei hoje publicado. Uma das causas "geradoras" do número significativo dos acidentes mortais verificados nesta actividade deve-se à "insuficiente preparação dos trabalhadores do mar na área da prevenção e segurança e a inadequada utilização de equipamentos de segurança e de meios de salvação". Nesse sentido, refere o diploma, é necessário criar e desenvolver uma cultura de prevenção e segurança entre os trabalhadores da pesca, extensível também a outro tipo de embarcações (de comércio de carga, de passageiros e rebocadores), capaz de fazer diminuir a ocorrência de acidentes no mar. FONTE: LUSA/DIÁRIO DE NOTÍCIA

4


Newsletter APP, 18 de Janeiro de 2011

DIA 29 DE JANEIRO

O Mar no Século XXI» apresentado no Casino Figueira A 29 de Janeiro de 2011, pelas 17:00, vai ser apresentado no Casino Figueira, o livro "O Mar no Século XXI", da autoria do Cte. Armando José Dias Correia. A organização do evento é da responsabilidade do Instituto Superior de Ciências da Informação e da Administração (ISCIA). “O Mar no Século XXI”, de autoria do Cte. Armando Dias Correia, actual Comandante do NRP Bérrio e docente do ISCIA, foi lançado nas JORNADAS DO MAR, que decorreram na Escola Naval, de 8 a 12 de Novembro . Trata-se de edição da FEDRAVE – Fundação para o Estudo e Desenvolvimento da Região de Aveiro para o DETMAR – Departamento de Tecnologias do Mar do ISCIA. “O Mar no Século XXI” procura salientar o valor actual do mar em diversas perspectivas, nomeadamente quanto às características físicas, aos recursos vivos, aos recursos vegetais, às potencialidades energéticas, aos recursos minerais, à importância para a ciência, ao contributo para a estabilidade ambiental da Terra, ao peso na economia e ao impacto na geopolítica e na geoestratégia. Aborda, também, a relevância do mar para os Estados Unidos, NATO, Europa e Portugal. No final, apresenta uma análise prospectiva dos desafios marítimos que Portugal e o mundo irão enfrentar nas próximas décadas. O livro é distribuído em todo o País pela Editora Prefácio, de Lisboa.

5


Recortes Nº 013 de 2011