Issuu on Google+

Recorte nº 222 Índice – 18 de Novembro de 2010 • Para o Brasil – Setúbal com o maior carregamento de cimento • Porto de Setúbal consolida utilização da ferrovia • Portos de Setúbal e Emden assinaram protocolo de cooperação • Até Agosto - Setúbal cresceu mais de um milhão de toneladas • Autoeuropa produz mais • Autoeuropa prevê fechar o ano com a melhor produção desde 2003 • Autoeuropa cria fundo de pensões para os seus 3.600 trabalhadores • Quinta fábrica da Secil vai exportar para o Mediterrâneo • Novo regime de inspecção de navios entra em vigor a 1 de Janeiro • Teixeira dos Santos: Acordo sobre a alta velocidade será respeitado

1


PÚBLICO.Online – Carga & Transportes – 13 de Novembro de 2010

Para o Brasil

Setúbal com o maior car regamento de cimento 13.11.10 - 11:17 Por Paulo Vilarinho O porto de Setúbal realizou as operações portuárias de recepção e carga de 28.000 toneladas de cimento, o maior embarque do género alguma vez realizado em Portugal. O cimento proveniente da fábrica da CIMPOR, em Alhandra, chegou ao porto sadino em três comboios diários da CP Carga e foi carregado no navio «Clipper Faith». Este tem 181 metros de comprimento, foi agenciado pela SeteShipping e fretado pela CIMPOR especialmente para esta carga destinada ao Brasil. O navio efectuou as operações de carga no terminal da Tersado, durante a primeira semana de Novembro.

2


Transportes em Revista – Setembro de 2010 – Pág. 12

3


Transportes em Revista – Setembro de 2010 – Pág. 8

4


Transportes em Revista – Setembro de 2010 – Pág. 6

5


Correio da Manhã – 18 de Novembro de 2010 – Pág. 25

6


Diário Económico – 18 de Novembro de 2010 – Pág. 30 7


8


Jornal de Negócios – 18 de Novembro de 2010 – Pág. 10

9


Diário Económico – 18 de Novembro de 2010 – Pág. 32

10


Cargo News – 17 de Novembro de 2010

Novo regime de inspeção de navios entra em vigor a 1 de janeiro O dia 1 janeiro 2011 ficará marcado no mapa europeu como o do início de uma nova era a nível do Port State Control, com a entrada em vigor do novo regime de inspeção de navios (NIR). Concretamente, a partir do primeiro dia do novo ano passa a estar em vigor um mecanismo cujo grande objetivo é recompensar os navios que façam das boas práticas a regra, e penalizar os que agem em sentido comtrário. Esta estratégia faz parte do terceiro pacote de segurança marítima adoptado pelo Parlamento Europeu em março 2009. A legislação, plasmada na diretiva 2009/16/EC, e incorporada nas legislações nacionais até 17 junho 2009, aplica-se a todos os Estados-membros da União Europeia, mais Noruega e Islândia. O texto do memorando foi revisto por forma a permitir que o mesmo regime seja aplicado por todos os membros integrantes do MOU de Paris. O regime existente de Porto State Control permite a cada Estado-membro a liberdade da seleção dos navios sujeitos a inspeção. Tal critério origina situações em que alguns navios são inspecionados sem razão aparente, enquanto outros escapam através da malha. Com a nova regra, todos os Estados-membros da UE comprometem-se a inspecionar ciclicamente todos os navios que visitam os portos e as áreas de ancoragem das regiões integrantes do MOU de Paris. 11


A agência de segurança marítima europeia (EMSA), representando a Comissão Europeia, joga o papel do líder do grupo de trabalho dentro do MOU de Paris responsável pelo desenvolvimento do NIR.

Cargo News – 16 de Novembro de 2010

Teixeira dos Santos: Acordo sobre a alta velocidade será respeitado O acordo com o PSD referente à alta velocidade “vai ser respeitado”. A garantia foi dada hoje pelo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, durante o debate do Orçamento do Estado na especialidade. Teixeira dos Santos respondia à deputada do CDS-PP, Assunção Cristas, que o tinha confrontado com as declarações do ministro das Obras Públicas, na passada segunda-feira, quando garantiu que as obras do troço PoceirãoCaia arrancarão no início de 2011. O acordo com o PSD para a viabilização do Orçamento do Estado prevê que os grandes investimentos públicos como a alta velocidade sejam reavaliados por uma comissão independente num prazo de seis meses. “Esse acordo vai ser respeitado”, disse Teixeira dos Santos, acrescentando apenas que a incidência orçamental da alta velocidade em 2011 poderá ser – a ter alguma – de 76 milhões de euros.

12


Recortes 222 18-11-2010