Issuu on Google+

Recorte nº 162 Índice – 23 de Agosto de 2010 • Porto de Setúbal – Crescimento da ferrovia na ligação à área de influência terrestre • Utilização da ferrovia cresce no porto de Setúbal • Crsce el trafico ferroviário del Puerto de Setúbal • Jardins infantis a merecer mais cuidado • TCL cresce 7% até Julho • Estilha em Leixões: Comunidade portuária exorta à concentração na solução e não no problema • Estradas já pesam 78% nos encargos das parcerias públicas • Concessões dos portos geram 62 milhões em rendas • Grupo Portucel Soporcel apresentado como caso de sucesso na Expo Shangai • Portinho da Arrábida - Mais de uma centena de embarcações manifestaram- se contra restrições do POPNA • Proibir pesca faz disparar predadores • Manifestação contra restrições à náutica supera expectativas • 250 barcos protestaram na Arrábida • Náutica de recreio na Arrábida exige revisão do plano de ordenamento do parque natural • Arrábida sim. Este POPNA não! • ‘Cemitério’ de antigas e históricas embarcações do Sado

1


O Setubalense – 20 de Agosto de 2010 – Pág. 7

2


Público – Carga & Transportes – 23 de Agosto de 2010

Primeiro semestre de 2010

Utilização da ferrovia cresce no porto de Setúbal 23.08.10 - 12:01 Por Paulo Vilarinho DR

Rodovia continua a ser a principal porta do porto de Setúbal

No primeiro semestre de 2010, confirmou-se a tendência - já registada no ano anterior - para o aumento da utilização da ferrovia na ligação do porto de Setúbal ao seu ‘hinterland’, muito embora a rodovia continue a ser preferencialmente usada no fluxo de entrada e saída de mercadorias nos terminais portuários. Na repartição por modos de transporte, a ferrovia já representa 22% do volume total de mercadorias que entram ou saem dos terminais portuários de Setúbal via terrestre (face aos 12% do período homólogo de 2009), por contraposição à descida verificada no modo rodoviário, que passou de uma quota de 74% para 68%. Este crescimento resulta em inúmeros benefícios, não só em termos de eficiência e rapidez na ligação entre os modos marítimo e terrestre, mas também, no que respeita ao alargamento do ‘hinterland’ e à protecção do ambiente, pois representa uma solução mais equilibrada, traduzindo-se numa redução nas emissões de dióxido 3


de carbono e do tráfego rodoviário, com a consequente diminuição dos congestionamentos e acidentes nas estradas. A tendência de aumento da utilização da ferrovia resulta do esforço, tanto dos concessionários como da administração portuária, em melhorar e incentivar as ligações terrestres aos terminais comerciais do porto de Setúbal, privilegiando as ligações ferroviárias directas. Ao mesmo tempo, as ligações rodoviárias directas ao porto também têm vindo a ser melhoradas, sendo exemplo disso a ligação da autoestrada A2 à península da Mitrena, actualmente em curso.

Diário del Puuerto – 23 de Agosto de 2010

Crece el tráfico ferroviario del Puerto de Setúbal El Puerto de Setúbal ha anunciado que en el primer semestre de 2010 se confirma la tendencia ya registrada en el año anterior en el uso del ferrocarril que une el Puerto de Setúbal con su hinterland, aunque la vía preferentemente usada en el flujo de entrada y salida de mercancías son las terminales portuarias. La distribución por modos de transporte supone que el ferrocarril ya representa el 22% del volumen total de las mercancías que 4


entran o salen de las terminales portuarias por la tierra (en 2009 en el mismo periodo este tráfico tenía el 12% de volumen) mientras que el tráfico terrestre ha pasado del 74% de cuota al 68%. Esta tendencia es el resultado del esfuerzo, tanto de los distribuidores como de la administración del puerto, por mejorar y fomentar los vínculos terrestres a las terminales del Puerto de Setúbal, privilegiando las conexiones ferroviarias directas. Sin embargo, también las conexiones terrestres directas han sido mejoradas. Un ejemplo: la conexión a la autopista A2 entre la Península y Mitrena, actualmente en curso.

O Setubalense – 20 de Agosto de 2010 – Pág. 7

5


Cargo News – 20 de Agosto de 2010

TCL cresce 7% até julho Nos primeiros sete meses do ano, o Terminal de Contentores de Leixões (TCL) movimentou 274.815 teu, o que representa um crescimento de 7% relativamente ao mesmo período de 2009. Em número de contentores, o crescimento percentual alcançado foi de 5%, com 173.146 contentores movimentados entre Janeiro e Julho. 6


Em Julho, precisamente, o TCL movimentou 42.331 teu, correspondentes a 26.573 contentores. Este resultado mensal é o melhor do ano corrente, em termos absolutos. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o resultado de agora representa apenas mais 1% em contentores e 3% em teu. Julho é tradicionalmente um mês de intensa actividade no TCL.

Cargo News – 20 de Agosto de 2010

Estilha em Leixões: Comunidade portuária exorta à concentração na solução e não no problema A Comunidade Portuária do Porto de Leixões (CPPL) convida, em comunicado, “a comunidade cívica a concentrar-se mais na solução e menos no problema de modo a continuarem a resolver-se os impactos negativos da descarga da estilha”. Congregando várias organizações representativas de “agentes económicos diversos, cuja actividade recebe impacto muito positivo da existência deste porto e do seu bom desempenho”, a CPPL debruça-se no referido comunicado sobre o facto do porto de Leixões ser “nestes últimos dias (…) objecto de notícia na imprensa 7


devido à descarga de estilha”. Pugnando por uma inserção de qualidade da movimentação das cargas no porto de Leixões na malha urbana envolvente do porto, sempre respeitando os melhores procedimentos ambientais, a CPPL salienta o facto do presidente da estrutura ter apresentado “um conjunto de medidas para resolver os problemas da descarga da estilha que merecem o nosso acordo”. A CPPL alude à “desconfiança de um grupo de cidadãos sobre as explicações” dadas pela APDL e sobre a implementação da solução para o problema, desconfiança essa de que tomou conhecimento pela Imprensa, e a que a mais recente alusão terá sido a de Guilherme Pinto, presidente da autarquia, de que neste espaço demos conta. Salientando que o porto é “uma infra-estrutura fundamental para o desenvolvimento da economia nacional com relevante destaque para a economia da Região Norte, por aqui passando 25% do comércio externo português”, a CPPL recorda que “a Autoridade Portuária investiu milhões de euros na construção de um acesso rodoviário ao porto, exclusivo, de modo a retirar da malha urbana de Matosinhos milhares de camiões”. Discorda, por tal facto, de “posições públicas que não concedem ao diálogo o espaço que as circunstâncias exigem”.

Diário Económico – 23 de Agosto de 2010 – Pág. 24

8


Diário Económico – 23 de Agosto de 2010 – Pág. 25

9


O Setubalense – 23 de Agosto de 2010 – Pág. 5 10


11


O Setubalense – 23 de Agosto de 2010 – Pág. 7

12


Diário de Notícias – 23 de Agosto de 2010 – Pág. 19

13


Jornal de Notícias – 23 de Agosto de 2010 – Pág. 16

14


Correio da Manhã – 23 de Agosto de 2010 – Pág. 21

15


PÚBLICO – 23 de Agosto de 2010 – Pág. 23

16


i – 23 de Agosto de 2010 – Pág. 8 e 9

17


O Setubalense – 23 de Agosto de 2010 – Pág. 6

18


19


Recortes 162 23-08-2010