Page 1

Newsletter dos Portos de SetĂşbal e Sesimbra NÂş 14 - Abril de 2007 - Trimestral


FICHA TÉCNICA Newsletter dos Portos de Setúbal e Sesimbra Número 14 – Abril de 2007 Propriedade: APSS - Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA Morada: Praça da República - 2904-508 Setúbal Tel.: (+351) 265 542 000 - Fax: (+351) 265 230 992 Email: geral@portodesetubal.pt www.portodesetubal.pt Directora: Fátima Évora Edição: Departamento de Marketing e Documentação Coordenação gráfica: Paulo Simões Fotografia: Nuno Lobo Paulo Redacção: Maria João Bacalhau, Jorge Santos, João Gonçalves Colaboradores convidados: Joana Coelho, Ferreira da Silva Concepção Gráfica: N design_integrado Impressão: Armazém de Papéis do Sado, Lda. ISSN: 1645-913X Depósito Legal: 202330/03 Tiragem: 1.200 exemplares Periodicidade: Trimestral Distribuição: Gratuita


EDITORIAL

É motivo de grande satisfação o Porto de Setúbal ter batido o recorde absoluto de movimentação de mercadorias em Março

No que concerne a melhorias nas infra-estruturas existentes,

de 2007, com um crescimento de 45 por cento em relação a igual

em Setúbal, vão ser reparadas as balizas de sinalização no Canal

período no ano transacto, atingindo um movimento total de

da Barra e vai ser reordenado o lado nascente da Doca de Recreio

813.779 toneladas.

das Fontaínhas e será efectuada uma limpeza do fundo, o que irá permitir a acostagem de 135 embarcações em adequadas condições.

De igual modo, o primeiro trimestre de 2007 registou um crescimento de 14 por cento no movimento do porto, somando

Em Sesimbra, a construção de um muro cais e de uma

1.866.432 toneladas em valor acumulado. Estes números permitem

rampa de alagem, no Porto de Recreio, melhorou as condições

antever um bom desempenho no presente ano, a que não são

oferecidas aos utentes.

alheias as políticas comerciais da APSS, SA e das empresas que operam no porto.

Também a inauguração das instalações de Apoio ao Trem Naval de Combate à Poluição constituiu um marco importante no Porto de Setúbal no que diz respeito à segurança marítima e ao ambiente, dotando o porto com uma infra-estrutura moderna e que irá, ainda, permitir melhorar os serviços portuários de reboque, antecipando-se o previsto crescimento do tráfego de navios no futuro. Nesta cerimónia, honrou-nos com a sua presença, a Senhora Secretária de Estado dos Transportes que reforçou a confiança

O Presidente, Engº Carlos Gouveia Lopes

depositada no futuro do Porto de Setúbal. Igualmente merece destaque, a realização de um Workshop sobre logística Roll-on Roll-off no Porto de Setúbal, no qual foram debatidas questões prementes em torno do desenvolvimento das cadeias logísticas Ro-Ro e da futura concessão do Terminal Ro-Ro a lançar durante o ano de 2008. Neste âmbito, cumpre-nos realçar o facto de a Autoeuropa ter anunciado novos investimentos e o aumento da produção, o que faz prever um incremento das exportações deste importante parceiro do Porto de Setúbal no sector Roll-on Roll-off. Relativamente à continuação da execucão do Plano Estratégico, foram lançados três estudos que visam dotar o porto de ferramentas para o seu progresso e que incidem sobre o transporte combinado e a integração do Porto de Setúbal na Cadeia Logística Ibérica, a melhoria dos acessos marítimos e o desenvolvimento da náutica de recreio.

03


NOTÍCIAS

Porto de Setúbal inaugurou instalações de apoio ao Trem Naval de Combate à Poluição e Reboques

porto, no ano em que foi instalada em Portugal a Agência de Segurança Marítima Europeia. Estamos prontos para responder aos mais elevados requisitos”. O engenheiro Carlos Gouveia Lopes salientou ainda que “foi do encontro destas duas características, que são a realidade do Porto de Setúbal, crescimento e ambiente, que resultou a necessidade da construção desta infra-estrutura, que está ao nível das melhores da Península Ibérica”.

A APSS - Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA inaugurou, com a presença da Secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino, as instalações de apoio ao Trem Naval de Combate à Poluição e Reboques, no Porto de Setúbal, localizado em Santa Catarina. Por seu turno a Secretária de Estado dos Transportes fez notar que A obra agora inaugurada consistiu na construção de um terrapleno, com 24.500 m2, onde foram implantados dois hangares com 3.000 m2 de área coberta. Foram também construídos uma ponte cais com 824 m, dividida em dois braços, um cais de serviço e uma doca interior, com um passadiço flutuante, uma rampa de varadouro e um guincho para colocação de material de segurança no plano de água.

“com esta infra-estrutura o Porto de Setúbal aumenta significativamente as suas condições de segurança, concentrando os meios existentes de combate à poluição e incêndios e, por esta via, ganha maior operacionalidade e prontidão de resposta a situações de emergência. Esta infra-estrutura permitirá, também, a melhoria da qualidade dos serviços portuários de reboque, condição essencial para assegurar o aumento de tráfego de navios esperados nos próximos anos para o Porto de Setúbal, tal como

A infra-estrutura, que corresponde a um investimento de cerca de sete milhões de euros, podendo acomodar quase três

o Governo definiu nas Orientações Estratégicas para o Sector Marítimo-Portuário, apresentadas em 15 de Dezembro passado”.

dezenas de embarcações de reboque e diversas outras embarcações de serviço das autoridades portuárias, que de forma coordenada e organizada poderão responder a qualquer pedido de apoio a manobras de navios no porto ou fora deste e a qualquer situação de perigo, de emergência ou de combate à poluição nas

Para a engenheira Ana Paula Vitorino “o Porto de Setúbal tem uma importância crescente, que foi objecto de grandes investimentos em infra-estruturas nos últimos anos, sendo por isso tempo de aproveitar as suas potencialidades, apostando no desenvolvimento da sua vocação para carga geral contentorizada,

águas.

usando prioritariamente Transporte Marítimo de Curta Distância”. Segundo o presidente do Conselho de Administração da APSS “trata-se de um grande passo na segurança marítima do

Falando da ambição do Governo, a Secretária de Estado dos Transportes fez questão de salientar que “o Porto de Setúbal

04


NOTÍCIAS

teve um crescimento de mais de vinte por cento dos seus resultados líquidos em 2006 face a 2005, fruto, sobretudo, de um crescimento dos proveitos de exploração portuária de mais de quinze por cento”. E terminou destacando que “o nosso objectivo é claro: Queremos ser a Porta Atlântica da Europa!”

Workshop “Porto de Setúbal, Logística Roll-on Roll-off” Porto de Setúbal com potencial para servir o Hinterland Ibérico

A APSS, Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, S.A., realizou, no dia 17 de Abril de 2007, um Workshop sobre o tema “Porto de Setúbal, Logística Rollon Roll-off”, que teve como objectivo reflectir sobre a situação actual e as questões que se colocam ao futuro desenvolvimento das cadeias logísticas Ro-Ro, que passam

o caminho a seguir dentro do cenário da concessão Ro-Ro, em

pelo porto de Setúbal.

preparação, e atribuiu grande importância a este fórum que, referiu, ser “Um contributo para a reflexão sobre o futuro desta carga”.

Nas palavras de Boas Vindas aos participantes, o Senhor Presidente da APSS, SA, Engº Carlos Gouveia Lopes, afirmou que

No encontro participaram diversas entidades ligadas ao

“O Ro-Ro tem um papel fundamental na criação de valor no Porto

sector: Autoeuropa, Api Capital, Mitsubishi Motors de Portugal,

de Setúbal (...) Gera emprego em toda a região, está ligado à

CP Carga, e, ainda, importadores, armadores, agentes, operadores

produção automóvel e toda a sua movimentação, com um peso

portuários e transportadores.

muito significativo”. Os trabalhos dividiram-se Em relação ao futuro e tomando por referência

em dois painéis, no primeiro,

o Plano Estratégico da APSS, SA, apontou a solução Ibérica (ligação

sobre

até Madrid) e a criação de serviços de valor acrescentado, como

Hinterland”, intervieram o

“Logística

no

Engº António de Oliveira (Volkswagen Logistics), sobre o tema “Logística Industrial”, a Engª Susana Lage (CP), que abordou

a

“Logística

Terrestre”, e o Engº Rosa Pereira (Navigomes), acerca das

“Bipolaridades

Logísticas”. No segundo painel, sobre “Logística

Portuária”,

participou o Dr. António Andrade (Tersado), a respeito da “Logística no Terminal Portuário”, e o Dr. Vitor Caldeirinha

(APSS),

05


NOTÍCIAS

Porto de Setúbal recebe Prémio Ambiental Green Award Port pelo 4.º ano consecutivo O Porto de Setúbal foi distinguido pelo quarto ano consecutivo com o prémio Ambiental Green Award Port, entregue pelos representantes da Green Award Foundation, criada pelo porto de Roterdão e pelo Governo Holandês em 1994. Esta atribuição vem premiar os esforços que a APSS Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA tem vindo a realizar no Porto de Setúbal, na área do ambiente desde há vários anos, contribuindo para a protecção do estuário do Sado, que é membro do Clube das Mais Belas Baías do Mundo e conhecido internacionalmente como Baía dos Golfinhos. Para além do plano de relativamente à “Concessão Especializada do Terminal Roll-on Roll-

monitorização ambiental que

off do porto de Setúbal”, em preparação e a lançar durante o

acompanha as variáveis

primeiro semestre de 2008.

ambientais do estuário do Sado há vários anos, dos

No final de cada um dos painéis, as sessões de debate

estudos sobre as aves e a

abordaram diversas questões sobre o sector, entre as quais, o

fauna que utilizam o estuário

grande potencial do porto de Setúbal para servir o hinterland ibérico

e de várias outras acções no

e a necessidade de acrescentar mais valor às cargas Ro-Ro, no

domínio da protecção do

interior dos terminais portuários, como forma de reduzir os custos

ambiente,

na cadeia logística e “amarrar” os clientes ao porto.

a

APSS

-

Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA tem vindo também a premiar os navios com melhores práticas ambientais

A apresentação final, a cargo do Prof. Crespo de Carvalho

que escalam o Porto de Setúbal, através da atribuição de descontos

(InOut Global/ISCTE) discorreu sobre “O Papel Ibérico do Porto de

nas taxas portuárias, dando assim o seu contributo para a protecção

Setúbal”.

do ambiente marinho.

O Prof. Crespo de Carvalho, referindo-se às potencialidades do porto e ao seu hinterland, afirmou: “Setúbal tem as condições ideais para ser o buffer marítimo-portuário a sul, não há outra hipótese, é uma constatação que vai dar os seus frutos”, salientou, ainda, ser possível colocar o porto de Setúbal na agenda política e nessa linha, referiu: “Temos potencialmente um hinterland que vai até Madrid se trabalharmos comercialmente o porto, com um mercado de 6 milhões de pessoas e que representa 20% da economia espanhola”

Porto de Setúbal bate recorde de movimento O Porto de Setúbal bateu o recorde absoluto de movimentação de mercadorias em Março de 2007, com um movimento total de 813.779 toneladas, correspondente a um crescimento de 45 por cento em relação a igual período do ano anterior. No primeiro trimestre, o Porto de Setúbal movimentou 1.866.432 toneladas, em valor acumulado, com um crescimento de 14 por cento em relação ao primeiro trimestre de 2006.

06


NOTÍCIAS

O aumento excepcional no movimento portuário deveu-se

economicamente viáveis e

ao crescimento, essencialmente, da madeira de eucalipto, clínquer,

que permitam a consolidação

adubos, produtos metalúrgicos, carvão e coque.

dos produtos portuários no hinterland ibérico, o custo

Os principais crescimentos registaram-se nos terminais

deste projecto ronda os 100

SAPEC, 79 por cento, Multiusos Zona 1, 6 por cento e SAPEC

000 euros.

Líquidos, 30 por cento. Este aumento faz antever um bom

A melhoria dos acessos ao

desempenho em 2007, revelando a crescente aposta das empresas

Porto

de

Setúbal,

no porto de Setúbal e o dinamismo da política comercial que a

nomeadamente garantir a

APSS - Administração dos Portos de Setúbal, SA tem vindo a

entrada ou saída de navios até

desenvolver em conjunto com os concessionários dos terminais

12 metros de calado sem restrições de marés, é essencial para o

portuários.

cumprimento da aposta ibérica avançada no Plano Estratégico e visa avaliar, além da caracterização do tráfego potencial, as

Plano Estratégico avança com lançamento de três estudos

viabilidades técnicas, económicas, financeiras e ambientais inerentes à prossecução deste objectivo, que deverá ser acompanhado e participado pela comunidade portuária. Os custos desta acção são de 49 000 euros.

A APSS lançou recentemente três estudos dando continuidade à execução do Plano Estratégico do Porto de Setúbal.

No que concerne ao Desenvolvimento da Náutica de Recreio, a necessidade da realização do estudo resultou da evidência de

As acções incidem sobre o “Desenvolvimento do Transporte

insuficiências da capacidade das infra-estruturas existentes, e das

Combinado e de Integração da Oferta Intermodal do Porto de

que estão em projecto para o porto, em dar resposta à crescente

Setúbal na Cadeia Logística Ibérica”, a “Melhoria dos Acessos

procura no segmento, que é potencialmente gerador de benefícios

Marítimos ao Porto de Setúbal” e o “Desenvolvimento da Náutica

para a região em termos económicos e de criação de emprego.

de Recreio no Porto de setúbal”. Tomando em consideração que a construção de O estudo sobre o transporte combinado entre Setúbal e

equipamentos desta natureza se torna onerosa e não dispensa a

Madrid tem em vista avaliar a futura promoção do transporte

criação de áreas adjacentes, os trabalhos destinam-se a analisar as

combinado, na vertente rodo-ferroviária entre as duas cidades,

possíveis alternativas existentes no Estuário do Sado tendo em

assim como as ligações às plataformas logísticas do sul de Portugal.

conta ainda as variáveis económicas, financeiras, jurídicas e ambientais, com abertura a eventuais investidores na náutica de

O objectivo final é garantir a participação do Porto de

recreio no Porto de Setúbal. A verba investida é de 30 000 euros.

Setúbal, numa acção concertada dos parceiros: APSS, Sadoport, Tersado, Sapec e CP nas cadeias logísticas até Madrid, com soluções

Cotas de Mercado em valor - 2006 Quota de Mercado (em volume)

Quota de Mercado (em valor)

Outros Portos Nacionais (3%)

Outros Portos Nacionais

Porto de Setúbal

Porto de Aveiro

5%

Porto de Aveiro

Porto de Lisboa

10%

13%

6%

Porto de Setúbal 19,01%

19% 19,05%

41% Porto de Sines

22% Porto de Sines

Porto Douro e Leixões

24% 19,05%

Porto de Lisboa

Porto Douro e Leixões

* Quota de Mercado segundo A Regra de Antuérpia, (que atribui uma ponderação de 47 à carga geral frutos frescos, 31 à carga geral roll-on roll-off, 16 à carga geral produtos florestais, 7 à carga geral contentorizada, 4 aos granéis sólidos (cereais) e 1 aos graneis líquidos (crude). Foi considerada uma ponderação de 20 na carga geral fraccionada por dificuldade de recolha de dados detalhados por tipo de carga em todos os portos. Os graneis sólidos e líquidos foram ponderados com os valores dos cereais e do crude, para permitir o cálculo. Refira-se que a regra de Antuérpia é uma versão mais recente da Regra de Bremen para a determinação do valor das cargas movimentadas nos portos.

07


OPINIÃO

contribuíram fortemente para o inverter da situação, passaram a estar nas preocupações diárias dos responsáveis pelas actividades marítimas. No primeiro caso quando a energia propulsora, por via dos hidrocarbonetos, quase substituiu totalmente o carvão na primeira metade do século XX. No segundo caso quando os navios, após o choque petrolífero resultante dos acontecimentos do Canal de Suez na outra segunda metade do século, quase duplicaram de tamanho de um dia para o outro. O porto de Setúbal, que se desenvolveu no estuário do Sado não podia escapar àquela evolução e o seu enorme desenvolvimento trouxe, para dentro dele, as consequências desse progresso; as operações com os navios acresceram, aos decisores administrativos, maiores responsabilidades pela preservação da qualidade ambiental do meio marinho onde essas operações se desenrolam. Nós próprios fomos testemunha dessa evolução.

O ESTUÁRIO DO SADO, PATRIMÓNIO NATURAL Durante séculos protegeram-se os homens da agressividade dos mares. Figuras como o “Mar Tenebroso”, o “Cabo das Tormentas” a “Boca do Inferno”, etc. constituíram os imensos fantasmas que justificavam essa agressividade e a sempre necessária protecção dos marinheiros ou de todos daqueles que sofriam as investidas dos oceanos. Os desastres no mar eram vistos como um sofrimento dos marinheiros. As primeiras leis marítimas (Convenções e outras) tiveram por objectivo a protecção e o apoio aos marinheiros e muito em particular aos náufragos. Com a motorização da navegação, e muito em especial o recente gigantismo dos navios, o papel inverteu-se; passaram os homens a ser os agressores dos mares. Os responsáveis pela vida marinha e do meio ambiente onde aquela se insere, dia após dia, lançaram-se na procura de medidas que os protegessem dessa agressividade. Nos últimos anos têm sido emitidas mais Convenções e outros normativos destinados à protecção dos mares do que os destinados à protecção dos marinheiros. Chegámos mesmo ao um ponto de se prenderem náufragos à chegada a terra – por crimes contra o oceano em vez de se acarinharem. Na realidade, a motorização e o gigantismo dos navios que

08

Conhecemos o estuário do Sado nos anos 40 em pleno período da última guerra mundial. A família escolhera para veraneio, nesses anos conturbados, a praia de Albarquel – à época habitávamos em Évora – acessível desde Setúbal pela então torcícola estrada da Comenda. Tróia estava ainda pouco acessível e era um deserto. As areias eram branquíssimas e por vezes quando chegávamos fazíamos nelas as primeiras pegadas. Os golfinhos vinham saltar quase junto do forte. O ar da serra e das quintas que a rodeavam misturava-se com o iodo marítimo. O porto de Setúbal estava então quase reduzido às actividades pesqueiras. O comércio marítimo, por imposição das actividades beligerantes, estava igualmente reduzido às necessidades de sobrevivência da população portuguesa. A frota mercante portuguesa era na sua totalidade constituída por navios a vapor. Este tipo de propulsão dominava quase toda a frota mundial. As movimentações dos hidrocarbonetos que o mercado começava a requerer, faziam-se por via de carregamentos de tambores em navios de carga geral. A poluição era palavra então desconhecida. Mas se bem que o porto de Setúbal se tenha desenvolvido praticamente na margem norte do Sado, a Reserva Natural do Estuário do Sado,


OPINIÃO

a Reserva Botânica das Dunas de Tróia, a Paisagem Protegida do

Formação e preparação de responsáveis pela aplicação desses

Sudoeste Alentejano e da Costa Vicentina acabaram por ficar sujeitas

planos;

às consequências da navegação que o frequenta num crescente de ano para ano.

Exercícios frequentes;

As plataformas logísticas e industriais que nele se

Instituição de fundos indemnizatórios suficientes;

construíram recentemente levaram a que mais e maiores navios – com consequente maior número de cargas incluídas em todas

Finalmente a cooperação conjunta de vários Estados, partes duma

as classificações IMDGC e de maior volume de bancas (fuel) –

dada região marítima, nas acções acima previstas.

sulquem nas suas águas ou por elas passem próximo e os tornem, obviamente, em potencial perigo agressor, caso advenha um incidente no meio marinho.

Do acidente havido com o “Aragon” tomaram as autoridades portuguesas as lições que levaram a ter em atenção muitas daquelas medidas propostas, nomeadamente no Acordo de Lisboa –

Os grandes incidentes de poluição marinha já nos mostraram

infelizmente ainda não em vigor que no seu Anexo prevê a instalação

que, quando um navio é o seu motivo de causa, nos encontramos

em Portugal dum vasto “stock” de equipamento de combate à

sempre, quer se queira quer não, face a um grave desastre ambiental.

poluição pronto a ser rapidamente deslocado para um local, por ela atingido, na área do Atlântico Nordeste que aquele tratado cobre

A maior parte dos grandes e graves incidentes de poluição

das partes contratantes; Portugal , França, Espanha, Marrocos e

marinha deram-se em águas portuárias ou costeiras. Os casos

UE. Na reunião que o determinou fora o estuário do Sado o local

mundiais de maior gravidade ambiental foram os do “Torrey Canyon”

proposto para o referido “stock” tendo em vista a sua localização

em Sorlingues-GB, a 18 Março 1967, do “Amoco Cadiz” em Brest,

atlântica, a importância ambiental, o desenvolvimento portuário e

FR, a 16 Março 1978, do “Haven” em Genova-ITAL., a 11 de Abr.

o crescimento turístico esperado na sua margem sul.

1978 e do “Esso Valdez” , Puerto Valdez, EU em 1989 – Em Portugal são de registo os desastres do “Jacob Mearsk” (Leixões/28 Dez.

Localização que as próprias Autoridades Marítimas

1975) “Marão” (Sines/14 Julho 1989) e “Aragon” (Porto Santo,

escolheram para o apoio necessário ao Plano Mar-Limpo, nas suas

Out. 1989).

instalações de Tróia o que certamente acresce a responsabilidade da Autoridade Portuária responsável pela segurança da navegação

Estes acidentes, apesar de havidos com petroleiros, levaram

no Sado.

os governantes a tirar lições de modo a evitá-los ou reduzi-los, não só neste tipo de navios como em todos os outros tipos, procurando-

Porque o estuário do Sado é um ambiente a preservar, e

se minimizar as suas consequências por via de acções que a seguir

que para preservar é indispensável desenvolver material e

registamos:

humanamente as necessidades de planeamento e gestão, as

Construção de navios mais robustos – casco duplo ou similar

Autoridades responsáveis

- que evitem ou reduzam os derrames;

devem ser as melhores conhecedoras dos problemas,

Acompanhamento e controlo dos navios com cargas perigosas;

das necessidades e anseios conjuntos. E assim associar

Patrulhamento, Inspecções e VTSs;

todos os esforços para que o azul das suas águas límpidas

Melhoria da qualificação

continue a inspirar pintores,

das tripulações;

como o mestre Lima de Freitas, um dos filhos de Setúbal, nos deixou em muitas das suas

Obrigatoriedade

de

maravilhosas telas imorredouras.

planos de contingência locais e nacionais – Meios

Joaquim Ferreira da Silva

e

Capitão da Marinha Mercante Ex- Secretário-Geral do CILPAN Presidente da Fundation TECNOSUB Membro Secção Transp. Soc. Geografia de Lisboa

equipamentos

necessários;

09


OPINIÃO

Desenvolvimento de Novos Projectos Joana Moreirinhas Estima Coelho (*) (*) Chefe de Divisão do Planeamento Estratégico da APSS, SA. Licenciada em Economia na UCP, Pós-graduada em Gestão do Transporte Marítimo e Gestão Portuária no ISEG e Master em Gestão Portuária na Universidade da Catalunha de Barcelona.

1. O Quadro de Referência Estratégico Nacional O QREN é um instrumento de programação dos fundos estruturais da União Europeia para o período entre 2007 e 2013, que incidirá sobre três prioridades estratégicas: a qualificação dos recursos humanos, a competitividade e a valorização do território. Encontra-se estruturado em Programas Operacionais (PO) Nacionais Temáticos, Regionais e de Cooperação Territorial. Este deverá ser o último pacote de ajudas comunitárias de que o País beneficiará com o objectivo de financiar o seu desenvolvimento estrutural e a sua competitividade, pelo que é imperiosa a análise das oportunidades existentes para o porto de Setúbal, tendo em conta a experiência obtida nos anteriores Quadros Comunitários de Apoio (QCA). 2. Em retrospectiva O QCA I (1989-1993) incidiu, sobretudo, em investimentos em infra-estruturas rodoviárias, que geraram uma melhoria significativa da mobilidade de pessoas e cargas, sendo que o investimento nos portos representou apenas 0,4% do investimento total realizado em acessibilidades e transportes (contra 61,4% na rodovia). No QCA II (1994-1999), os investimentos realizados no sector portuário foram apoiados pelo FEDER e o Fundo de Coesão, no âmbito da Medida “Melhoria da Eficácia Económica dos Portos”, e representaram 3,7% do investimento total programado. No porto de Setúbal assistiu-se, nesse período, ao desenvolvimento de grandes projectos cujo investimento total ascendeu a cerca de 57 M€, co-financiados em 43% pela UE, e alguns deles complementados com fundos nacionais. Em infra-estruturas e acessos (49 M€): construção do Terminal Ford/Volkswagen, do Centro de Despacho Rápido de Navios, do Cais Ro-ro e de Contentores e diversas beneficiações no Terminal das Fontainhas (hoje integram a Zona 1

10

concessionada), melhoria do acesso rodoviário ao porto e dragagens dos canais da Barra e Norte; em comunicação e segurança (3,8 M€): construção/implementação do Centro de Controlo do Tráfego Marítimo VTS, do Plano de Emergência Interno e do Sistema Integrado de Informação e Gestão Portuária, na frente ribeirinha e ordenamento (3,9 M€): reconversão da doca de comércio das Fontainhas e recuperação das áreas envolventes, PORSET-Plano de Ordenamento Ribeirinho de Setúbal e Plano Director dos Portos de Setúbal e Sesimbra. No QCA III (2000-2006), através do PO de Acessibilidades e Transportes, foram co-financiados – em 50%- cinco projectos da APSS, cujo investimento total ascendeu a 37 M€: a construção do Terminal Multiusos (Zona 2), instalações de Apoio ao Trem Naval de Combate à Poluição e Reboques, Plano de Monitorização Ambiental, Estudos técnicos e ambientais dos Projectos de Expansão do Terminal Ro-ro e de Recuperação Ambiental Terminal Eurominas. No âmbito da Pesca (Programa MARIS e MARE), foi apoiada a construção do quebra-mar na Doca dos Pescadores em Setúbal e das Instalações de Apoio à Pesca em Sesimbra. 3. Impactos dos QCAs Com a entrada em vigor dos QCAs, o investimento público (doravante IP) em infra-estruturas de transporte seguiu uma tendência crescente. O impacto desses investimentos no desempenho económico do País foram analisados num estudo, cujas conclusões sugerem importantes efeitos mais pronunciados nos portos: - Estimou-se que o IP de 1€ induz, no longo prazo, um aumento do investimento privado de cerca de 84,40€; - Por cada milhão de euros de IP são criados 4.800 novos postos de trabalho; - O IP de 1€ exerce efeitos no produto de 107,1€. Os seus autores concluíram que o IP tem sido um instrumento poderoso para promover o crescimento económico em Portugal e a convergência para os padrões europeus, justificando a estratégia de investimento em infra-estruturas de transporte preconizada por sucessivos governos. 4. O QREN – que oportunidades? No QCA III, os grandes investimentos em infraestruturas portuárias ficaram praticamente realizados; em simultâneo, a actividade de movimentação de mercadorias encontra-se basicamente concessionada a empresas privadas.


OPINIÃO

Contudo, é reconhecido que se mantêm alguns constrangimentos que influenciam a competitividade dos portos, como as ligações rodoviárias e ferroviárias aos terminais, e outros que obrigam a esforços de investimento (sem retorno financeiro), em matéria de segurança, protecção e monitorização ambiental. Esta ideia é reforçada nas Orientações Estratégicas para o Sector Marítimo-Portuário, que considera que, tendo presentes os objectivos de maior eficiência económica e de crescente auto-sustentação económica e financeira dos portos, a lógica do investimento público se deverá concentrar em áreas que representem estrangulamentos e que reforcem a especialização portuária, dirigindo-se para a construção de infra-estruturas, apenas quando estas não sejam atractivas para os privados, devendo ser explorado o modelo PPP. Os projectos a candidatar ainda deverão assegurar a sustentabilidade económica e financeira futuras, e a cobertura dos encargos de exploração e manutenção. O PO Temático Valorização Territorial assume como prioridades as intervenções de natureza infra-estrutural no domínio dos transportes, logística e ambiente, e será cofinanciado pelo FEDER e Fundo de Coesão. Serão privilegiados os investimentos que visem a concretização do Projecto Prioritário Europeu Auto-estradas do Mar e das principais plataformas inscritas no Plano Portugal Logístico. As acções de protecção e valorização ambiental, em particular de zonas estuarinas, poderão igualmente ser beneficiadas, salientando-se os “projectos de recuperação de áreas contaminadas, com elevado passivo ambiental como consequência da actividade industrial do passado”, com dimensão, quer em termos de área, quer em termos de sensibilidade dos ecossistemas afectados. Neste PO, serão, igualmente, apoiados projectos potenciadores do tráfego de mercadorias, em particular o do corredor ferroviário para mercadorias Sines/Badajoz, que ligará o sistema portuário Lisboa–Setúbal–Sines a Espanha e, através desta, ao centro da Europa. Para além de se enquadrarem nestas medidas, os projectos propostos pela APSS deverão estar de acordo com as Orientações Estratégicas para o Sector Marítimo-Portuário, designadamente quanto a investimentos públicos a realizar: - Reforço da sua posição no segmento de carga geral, reafirmando a liderança nacional na carga Ro-Ro; - Desenvolvimento da carga geral contentorizada, com recurso ao TMCD; - Reforço na movimentação de granéis sólidos; - Afirmação na ligação às plataformas logísticas do Poceirão e de Elvas/Caia.

acessibilidades, sejam complementados pela REFER e pela Estradas de Portugal, a que acrescerão investimentos privados. Nas acções a desenvolver, referidas no documento, destacamse ainda o Projecto da Melhoria das Acessibilidades Marítimas e de Recuperação da Eurominas. Do PO Regional de Lisboa, co-financiado pelo FEDER, destacam-se duas acções estruturantes: no âmbito do “Ordenamento e Valorização do Estuário do Sado”, as que visem promover a eficiência e a sustentabilidade ambientais, designadamente projectos de “reforço da capacidade de monitorização, vigilância e prevenção ambientais”; no âmbito da “Requalificação do Arco Ribeirinho”, as intervenções de regeneração urbana. No que se refere ao PO de Cooperação Territorial Europeia importa sublinhar que, dentro do PO Espaço Atlântico, as prioridades temáticas serão as “questões marítimas e a segurança marítima”, apoiando-se iniciativas conjuntas de intercâmbio de experiências, de preparação de investimentos materiais, com financiamento assegurado noutros programas, e a realização de pequenas infra-estruturas e equipamentos. No âmbito do Plano Estratégico Nacional para a Pesca, apoiam-se investimentos que visem: - Modernizar os portos de pesca, com meios de atracação, rampas, cais e pontões flutuantes, meios de descarga e de reparação de embarcações, redes viárias e de estacionamento, sistemas de segurança, de abastecimento de água, energia e combustível, - Melhorar as condições estruturais e higio-sanitárias de apoio à venda e comercialização de pescado, - Minimizar os impactes ambientais nos portos de pesca, através de parques de recolha selectiva de resíduos sólidos, etc. Tendo por objectivo assegurar o desenvolvimento sustentado das zonas costeiras dependentes da pesca, serão apoiados projectos que visem assegurar a sustentabilidade dessas comunidades, não só através da modernização de infra-estruturas de pesca, mas também os que promovam o turismo, protecção do ambiente e património histórico e natural. Fontes: Proposta de Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), 16 de Janeiro de 2007. “Investimento Público em Infra-Estruturas de Transporte e o Desempenho Económico em Portugal”, de Marvão Pereira (The College of William and Mary) e Jorge M. Andraz (Universidade do Algarve), Conferência do Banco de Portugal, 24 e 25 de Maio de 2002. “Formulação de Políticas Públicas no horizonte 2013 relativas ao tema Acessibilidades e Transportes, DGDR, Relatório Final, Novembro de 2005. MOPTC, Versão para consulta, Dezembro de 2006.

Prevê-se que, para além do auxílio comunitário, os investimentos no porto de Setúbal, nomeadamente em

11


SESIMBRA

Porto de Sesimbra melhora oferta na náutica de recreio A APSS – Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA realizou melhoramentos no Porto de Recreio de Sesimbra com a intervenção designada por “Modernização das infra-estruturas marítimas no Porto de Sesimbra”, que constou da construção de um muro cais e de uma rampa de alagem. Tratam-se de infra-estruturas para uso público e que visam colmatar um anseio dos utentes no Porto de Sesimbra na vertente da náutica de recreio sendo, doravante, possível a movimentação de embarcações de fibra e madeira até 5 metros e semi-rígidas até 7 metros. O muro cais possui um comprimento de 27,56 metros e de largura 5 metros, enquanto a rampa de alagem tem a mesma largura e o comprimento de 44 metros. Para ambos os equipamentos foram garantidos fundos de -2,50 m ZH e cotas de coroamento de 5,00 m ZH. As obras foram complementadas com a instalação de escadas de acesso, cabeços de amarração e pavimentação. A empreitada foi adjudicada à SETH, SA e foi executada em 8 meses, com um custo de € 358 mil euros.

12


BREVES

Navio construído para transportar A380 escalou Porto de Setúbal

Porto de Setúbal terá novo cais para as lanchas de pilotagem

O navio “Ville de Bordeux”,

que

foi

especialmente desenhado

A APSS - Administração

para transportar o airbus A380,

dos Portos de Setúbal e

escalou a Zona 1 do Terminal Multiusos do Porto de Setúbal, onde movimentou veículos. Refira-se que o airbus

Sesimbra, SA celebrou com a Alvenobra – Sociedade de Construções, Lda, um contrato para a execução da empreitada de “Construção de Cais de Apoio às Lanchas de Pilotagem, no Porto de Setúbal”.

A380 operou pela primeira vez em 27 de Abril de 2005, possui capacidade para 555 a 800 passageiros e é o maior avião do Mundo. O “Ville de Bordeux”, que tem 154 metros de comprimento, 24 m de largura, seis metros de calado e uma velocidade de cruzeiro de 21 nós (39 km/h), foi desenvolvido por Deltamarin e construído nos estaleiros de Najing, na China, em 2004. Numa só viagem pode transportar as secções anterior e posterior do airbus, desde Hamburgo, as duas asas, de Gales, a carnagem central, de Cádiz e o corpo central, de Nantes. Quando não transporta peças do airbus A380, o navio pode deslocar 150 camiões ou quinhentos veículos, o que lhe dá maisvalias, ao nível da velocidade e do tipo de carga, que o aproximam das características dos navios que poderão vir a efectuar o transporte marítimo de curta distância nas auto-estradas marítimas, dentro da Europa. A infra-estrutura irá proporcionar melhorias na actividade de pilotagem e assim criar condições para uma ainda maior operacionalidade dos serviços prestados pelo Porto de Setúbal. A obra, consiste na execução de fundações em estrutura metálica e betão armado; execução e montagem de estrutura metálica que constitui o cais; fornecimento e instalação de apetrechos do cais e execução de rede de iluminação da infra-estrutura. O contrato que está estimado em cerca de 73 mil euros, foi assinado pelos senhores Engº. Carlos Gouveia Lopes e Dr. Francisco Gonçalves, respectivamente presidente e vogal do Conselho de Administração da APSS SA, e pelo senhor Jorge Manuel Andrade Rodrigues Teixeira, gerente da Alvenobra – Sociedade de Construções, Lda.

13


BREVES

Porto de Setúbal assinala Dia Mundial da Água

Autoeuropa anuncia aumento de produção

O Dia Mundial da Água, foi assinalado, a 26 de Março, no Porto de Setúbal, por uma iniciativa da AFLOPS – Associação de

A Volkswagen, pela voz de

Produtores Florestais, em parceria com a empresa Vertigem Azul,

Reinhard Jung, responsável

que está a desenvolver um projecto de cariz internacional que tem

pela produção e logística da

como objectivo promover o turismo associado a regiões com

marca alemã, anunciou ao

recursos de água de valor relevante para a conservação da natureza. Este projecto, denominado “Watertour”, prevê, numa das suas intervenções, a instalação de painéis informativos sobre a protecção de golfinhos. A colocação desta sinalética, dirigida à população e às empresas de actividades náuticas, tem como objectivo informar e sensibilizar o público para a necessidade de proteger a comunidade de golfinhos residente no estuário do Sado, daí que a sua localização tenha sido estrategicamente seleccionada.

Governo português que irá investir, nos próximos cinco anos, quinhentos milhões de euros na fábrica da Autoeuropa. Segundo aquele responsável da Volkswagen, na base do anúncio daquela decisão “estiveram o bom desempenho em termos de custos da Autoeuropa e, simultaneamente, o cumprimento das elevadas exigências de qualidade”. De acordo com alguns órgãos de Comunicação Social, para Manuel Pinho, ministro da Indústria, é previsível que a produção da unidade de Palmela duplique até 2010, e com a recepção de novos modelos automóveis, permitindo o aumento das exportações pelo Porto de Setúbal e gerando emprego.

Comemorações do 10 de Junho A cidade de Setúbal foi escolhida para acolher as comemorações do 10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades, tendo o Porto de Setúbal sido associado ao honroso acontecimento, desfilando a parada militar na Avenida Jaime Rebelo/Praça da República, em área de jurisdição portuária.

Materializando este objectivo foi descerrada, junto à Doca de Recreio das Fontainhas, uma placa informativa, pelos presidentes da

AFLOPS

e

APSS

Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA, respectivamente, José Miguel Lupi Caetano e Carlos Gouveia Lopes, Governadora Civil, Teresa Almeida e vereador

da

Câmara

Municipal, André Martins.

14


BREVES

Dada a solenidade do evento a APSS – Administração dos

de Recreio das Fontainhas através dum sistema inovador elástico

Portos de Setúbal e Sesimbra, SA, decidiu levar a cabo obras de

de amarração, para 135 embarcações, fixado ao fundo por poitas.

recuperação da imagem exterior do edifício do Cais 3, contiguo à avenida onde se irá realizar a parada militar, e onde terão lugar as comemorações.

Antes de dar início ao processo de colocação do sistema de amarração, procedeu-se à limpeza do fundo da doca - que ficará a -3,5 m (ZH) - resultante das conclusões obtidas após a filmagem

Porto de Setúbal melhora edifício do mercado de segunda venda de peixe

onde foram detectadas diversas embarcações, cabos, correntes e outros detritos. Com estas obras serão melhoradas as condições operacionais da doca, bem como de ordenamento, de segurança e disciplina na utilização pelos utentes

A APSS - Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA vai proceder a obras de melhoria e reabilitação do edifício do mercado de segunda venda de pescado de Setúbal, com o objectivo de melhorar as condições de higiene, salubridade e de funcionamento As obras incluem trabalhos de substituição da cobertura existente passando a abranger todo o pátio interior, que será infra-

Reabilitação e nova sinalização marítima

estruturado com pontos de água e iluminação eléctrica e o chão e o pavimento revestido de forma compatível com a actividade ali desenvolvida.

A APSS – Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA vai proceder à reparação das balizas de sinalização no Canal da Barra, com vista a melhorar as condições de acesso marítimo ao

Os portões serão substituídos e todo o edifício beneficiará

Porto de Setúbal

de pintura com o objectivo de melhorar o seu aspecto estético. A operação consiste na substituição de todos os elementos

Porto de Setúbal reordena lado nascente da Doca de Recreio das Fontainhas

metálicos, defensas, escadas de acesso e sinalização eléctrica, bem como a sinalização do afloramento rochoso conhecido por Arflor, submerso na zona compreendida entre a Praia de Albarquel e a Ribeira da Comenda.

A APSS - Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA está a proceder ao reordenamento do lado nascente da Doca

15


BREVES

APSS apoia eventos na área dos transportes e logística

A conferêrencia foi organizada pela Logistel e teve como objectivo reflectir sobre os desafios presentes e futuros que se colocam aos Portos e Transporte Marítimo.

A APSS – Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA continua a apoiar a realização de actividades sob a temática dos transportes e logística ao patrocinar dois eventos.

O Sr. Presidente da APSS-Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA, Engº Carlos Gouveia Lopes, presidiu à sétima sessão do evento, subordinada ao tema “Situação presente e prospectiva, a 10 anos, do Porto de La Valleta (Malta)”.

No dia 15 de Março, realizou-se na cidade do Porto o “9º Ciclo de Seminários do TRANSPORTES & NEGÓCIOS”, tendo como

APSS recebe estudantes

tema “Alargar os Horizontes”, que foi dedicado ao Transporte Marítimo.

No âmbito do Projecto Escolas, a APSS – Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA recebeu no passado dia 14

A Camâra Municipal de Vendas Novas agendou a “FILDA

de Março um grupo de estudantes do 2º ano do curso de

2007” para o período de 17 a 20 de Maio, a qual tem como mote

Comunicação Social da Escola Superior de Educação, no âmbito

“À Descoberta de Novos Horizontes” e o objectivo de promover

do estágio curricular visando obter uma perspectiva profissional

a indústria, logística e transportes.

da área que estudam.

APSS participou na Conferência Internacional “Transporte Marítimo, Portos e a Globalização das Economias”

No dia 23 de Abril a APSS, SA recebeu um grupo de 20 alunos do 4º ano/1ºCiclo da Escola da Azeda, no auditório do edifício sede onde assistiram a uma projecção de um vídeo explicativo da actividade portuária, seguindo-se uma visita aos diversos terminais do porto de Setúbal, onde puderam observar de perto o funcionamento do mesmo.

De 12 a 14 de Março, decorreu em Lisboa, a Conferência Internacional “Transporte Marítimo, Portos e a Globalização das Economias”.

Prémio de Logística do Porto de Setúbal A APSS-Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, S.A. e a ESCE-Escola Superior de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Setúbal instituem o Prémio de Logística do Porto de Setúbal destinado a distinguir alunos, ou grupos, finalistas das licenciaturas, pós graduações e mestrados, no âmbito nacional, com o objectivo de premiar o melhor trabalho académico em Logística Marítimo Portuária desenvolvido sobre temas relacionados com a região e o porto de Setúbal. O regulamento pode ser consultado em www.portodesetubal.pt.

16


Valores Acumulados a Março

ESTATÍSTICAS

Movimento de Navios Unidade : Número Tipos de Navio Carga Geral Transp. Especiais Graneis líquidos Graneleiros Contentores Outros Total

Mar. 05 199 113 47 18 1 1 379

Mar. 06 197 103 43 25 0 0 368

Mar. 07 214 90 34 25 3 0 366

Var.06/05 -1,0% -8,8% -8,5% 38,9% -100,0% -100,0% -2,9%

Var.07/06 8,6% -12,6% -20,9% 0,0% 100,0% 0,0% -0,5%

Movimento de Mercadorias Mercadorias por modo de Mercadorias por modo de acondicionamento Mercadorias por modo de acondicionamento Graneis líquidos acondicionamento Graneis líquidos Graneis sólidos Graneis líquidos sólidos Carga geral Graneis sólidos Carga geral Carga fraccionada Carga geral Carga fraccionada Carga contentorizada fraccionada Carga contentorizada Carga ro-ro Carga contentorizada ro-ro Total Carga ro-ro Total Total

Unidade : Mil Tons Mar. 05 569 738 451 315 42 94 1.758

Mar. 06 368 841 431 330 22 79 1.641

61.807 2.794 4.349

Mercadorias carregadas Cimento Clinquer Conc. de cobre Pasta de Madeira P.Metalúrgicos Ro-Ro Adubos P. Agrícolas Pedras Ornamentais Outros Total

Mercadorias descarregadas P.Metalúrgicos Carvão e Coque Fuelóleo Clinquer Adubos Gasóleo e Gasolina P. Agrícolas Madeiras Ro-Ro Ácidos Cimento Frutas Outros Total

Carga unitizada Veículos Contentores TEU’s

Mar. 07 293 1.002 571 471 25 75 1.866

Var.06/05 -35,4% 13,9% -4,2% 4,7% -47,5% -15,2% -6,7%

53.511 1.441 2.721

45.563 1.544 2.779

-13,4% -48,4% -37,4%

Mar. 05 175 173 102 68 10 51 10 16 1 23 630

Mar. 06 260 197 75 54 21 39 5 7 4 10 672

Mar. 07 295 159 113 53 42 36 20 14 6 27 766

Var.06/05 48,1% 13,4% -26,3% -19,9% 119,4% -23,4% -54,1% -56,5% 283,5% -55,7% 6,7%

Mar. 05 198 99 431 0 119 74 27 0 42 46 22 19 51 1.128

Mar. 06 181 139 235 0 76 89 88 0 40 29 53 18 21 969

Mar. 07 198 160 155 142 93 90 69 66 39 35 22 11 20 1.100

Var.06/05 -8,5% 40,3% -45,5% 0,0% -35,7% 19,8% 229,1% 0,0% -5,3% -37,9% 146,6% -8,5% -58,9% -14,1%

Var.07/06 -20,4% 19,1% 32,4% 42,7% 16,3% -5,7% 13,8%

Unidade : Número -14,9% 7,1% 2,1%

Unidade : Mil Tons Var.07/06 13,8% -19,1% 50,4% -2,5% 102,2% -7,5% 323,2% 96,8% 55,2% 163,0% 14,0%

Unidade : Mil Tons Var.07/06 9,3% 15,2% -34,3% 100,0% 21,7% 1,6% -21,2% 100,0% -3,9% 20,8% -58,5% -34,8% -2,8% 13,6%

Fonte: APSS, SA (DELOG)

17


CP da APSS

XVIII Aniversário da CPPSS A CPPSS comemorou, no dia 20 de Abril, o seu XVIII aniversário com a realização do tradicional jantar e espectáculo, este ano no restaurante Albarquel, em Setúbal. O evento, que contou com a presença do Senhor Presidente do Conselho de Administração da APSS, SA, Engº Carlos Gouveia Lopes, teve a adesão de cem associados que assistiram à actuação da cantora brasileira Celi, de um grupo de danças sevilhanas e do Hiper Cómico “Tony”. Após o espectáculo e, ainda antes da chegada do dia 21, tomaram posse os novos membros dos Corpos Sociais para o biénio 2007-2008.

Passeio carnavalesco de 2007 No dia 20 de Fevereiro, a Casa do Pessoal dos Portos de Setúbal e Sesimbra realizou um passeio a Torres Vedras, tendo como objectivo proporcionar aos sócios, familiares e amigos, a

Carnaval na cidade de Torres Vedras que, este ano, teve como tema: Povos de todo o Mundo.

oportunidade de assistirem ao famoso desfile do Carnaval que se intitula como “o mais português de Portugal”.

Torneio de snooker

A comitiva partiu bem cedo de Setúbal para, primeiro, visitar

No dia 1 de Março de 2007 realizou-se o Torneio de Snooker

a bonita vila de Óbidos, rumando de seguida para a cidade de

da Casa do Pessoal da APSS, SA, o qual teve lugar na sala Ora

Peniche para um almoço.

Bolas em Setúbal. Concorreram dez associados e o torneio foi disputado no sistema de eliminação à melhor de três partidas.

A iniciativa teve a adesão de cerca de cinquenta participantes que se juntaram aos milhares de foliões presentes nos festejos do

Disputaram a final o Joaquim Gomes e o Jorge Borda d’Água, tendo o último vencido por 2–1. De salientar o facto de terem sido três excelentes jogos, equilibrados e muito bem disputados.

Ida ao Teatro Politeama A CPPSS continua a proporcionar aos seus associados, familiares e amigos, momentos de lazer e cultura. Cerca de cinquenta pessoas assistiram, dia 9 de Março, no Teatro Politeama, ao musical “Música no Coração” de Filipe La Féria. Esta iniciativa inseriu-se no cumprimento do plano de actividades aprovado para o ano de 2007 pela CPPSS e foi um êxito. Todos ficaram encantados com o espectáculo.

Torneio interno de pesca de mar As actividades da Casa do Pessoal não param, dia 31 de Março decorreu o 1º Torneio de Pesca de Mar de 2007, quinze associados participaram neste torneio que decorreu, entre as 5h30 18


CP da APSS

e as 17h00, num ambiente de convívio e divertimento a bordo da

e Juntas Portuárias, pelo apoio às organizações sociais e

embarcação “Emília”.

desportivas da CPPSS.

A quantidade de pescado não foi grande, mas foi rica na variedade dos espécimes, merecendo destaque um sargo veado

3 - À OSMOP, pelo apoio dispensado para a organização da Festa de Natal.

com 1050 gramas, entre besugos, sarguetas e bicas. A Assembleia terminou com a eleição dos novos corpos A classificação final do evento foi a seguinte:

gerentes da CPPSS para o biénio 2007-2008.

1º Joaquim Gomes - 4,700 kg 2º Helder Rodrigues - 4,400 kg 3º Sixto Ferreira - 3,800 kg Maior exemplar: Miguel Batista - 1,050kg (sargo veado)

Assembleia geral da CPPSS No dia 29 de Março, pelas 17h30, realizou-se a 1ª Assembleia Geral-Ordinária de 2007 da Casa do Pessoal dos Portos de Setúbal e Sesimbra na Sala de Reuniões do edifício Sede da APSS, SA, na qual foi aprovado o Relatório e Contas de 2006 apresentado pela Direcção bem como o Parecer do Conselho Fiscal. Foram igualmente aprovados os seguintes votos de

Foram eleitos para a Assembleia Geral os associados: Engº Pedro Ponte, Presidente; Drª Paula Fidalgo, Vice-Presidente e Drª Lúcia Teixeira, Secretária. Para a Direcção: Engº Paulo Aldeia, Presidente; Manuel Caparica, Vice-Presidente; Fernando Borda d’Água, Tesoureiro; Lília Morais, Secretária;e, Amândio Borges, João Gonçalves, José Neto, Maria João Cabrito e Henrique Caracol, Vogais. Finalmente, para o Conselho Fiscal: Júlio Crespo, Presidente; Isabel Cebolinho, Vice-Presidente e Vânia Mendes, Relatora.

Passeio da Páscoa

agradecimento: No dia 6 de Abril, cerca de trinta associados, familiares e 1 - Ao Conselho de Administração da APSS, SA, pelas

amigos participaram no “Passeio da Páscoa” em mais uma

comparticipações financeiras concedidas, bem como, ao apoio

organização da CPPSS.

e colaboração prestados para a organização das actividades programadas pela CPPSS.

De forma bastante animada, o grupo passou a manhã a percorrer toda a costa do Estoril, seguindo-se um almoço na Praia

2 - Ao Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Administrações

das Maças. Durante a tarde, os convivas visitaram o novo Casino de Lisboa no, Parque das Nações.

19


Newsletter_n14  

Newsletter dos Portos de Setúbal e Sesimbra Nº 14 - Abril de 2007 - Trimestral

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you