Issuu on Google+

Newsletter dos Portos de SetĂşbal e Sesimbra NÂş 12 - Outubro de 2006 - Trimestral


FICHA TÉCNICA Newsletter dos Portos de Setúbal e Sesimbra Número 12 – Outubro de 2006 Propriedade: APSS - Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA Morada: Praça da República - 2904-508 Setúbal Tel.: (+351) 265 542 000 - Fax: (+351) 265 230 992 Email: geral@portodesetubal.pt www.portodesetubal.pt Directora: Fátima Évora Edição: Departamento de Marketing e Documentação Coordenação gráfica: Paulo Simões Fotografia: Nuno Lobo Paulo Redacção: Maria João Bacalhau, Jorge Santos, Fátima Évora Colaboradores convidados: Ernesto Carneiro, Luís Tadeu Concepção Gráfica: N design_integrado Impressão: Armazém de Papéis do Sado, Lda. ISSN: 1645-913X Depósito Legal: 202330/03 Tiragem: 1.200 exemplares Periodicidade: Trimestral Distribuição: Gratuita


EDITORIAL

É com satisfação que anunciamos a conclusão do projecto “Relocalização do trem naval de combate à poluição e reboques”.

uma rampa de alagem de embarcações de recreio, um muro cais, com um posto de acostagem, e um terrapleno.

Trata-se de uma infra-estrutura que representou um investimento de 6,6 milhões de euros e, estamos certos, irá permitir a prestação de serviços portuários com níveis de segurança e qualidade mais elevados.

Por outro lado, a relocalização destas embarcações na zona nascente do porto – na zona dos terminais da SAPEC - irá permitir a libertação de espaços junto à zona ribeirinha da cidade e a sua futura reabilitação para outros usos.

A obra consistiu na construção de infra-estruturas próprias para a acostagem e acolhimento das embarcações de combate à poluição e incêndios, bem como das embarcações que prestam o serviço de reboques no Porto de Setúbal.

Entre outros projectos, estamos também muito empenhados na preparação do I Seminário – Plataformas Logísticas Ibéricas, a

O Presidente, Engº Carlos Gouveia Lopes

realizar no próximo dia 15 de Novembro, que assumimos como uma oportunidade para a troca de pontos de vista sobre a integração dos portos nos sistemas logísticos e de transporte da Península Ibérica.

O carácter ibérico do evento é visível no programa do seminário, que se distribui por um dia de trabalho, dividido em três partes, nas quais um conjunto seleccionado de oradores portugueses e espanhóis desenvolve temas de grande actualidade, que englobam a Plataforma Logística e Portuária de Setúbal (PL7), a Plataforma Logística de Poceirão (PLP) e as Plataformas Logísticas de Badajoz / Elvas e Madrid

No que se refere ao Porto de Sesimbra, prevê-se que o estudo de diagnóstico e propostas de ordenamento que temos em curso entre na fase de definição do cenário de desenvolvimento do porto, a ser apresentado e discutido com a comunidade local, até final de 2006

Também neste porto, ficou recentemente concluída a construção de uma nova infra-estrutura que visa quer o aumento da sua capacidade, quer o melhoramento da segurança da navegação turística e de recreio. A intervenção incluiu a criação de

03


NOTÍCIAS

Concluído projecto de relocalização do trem naval O projecto “Relocalização do trem naval de combate à poluição e reboques”, que representou um investimento de cerca de 6,6 milhões de euros, ficou concluído durante o mês de Outubro. A infra-estrutura irá permitir a prestação de serviços portuários com níveis de segurança e qualidade mais elevados.

estruturas próprias para a acostagem e acolhimento das embarcações de combate à poluição e incêndios, bem como das embarcações que prestam o serviço de reboques no Porto de Setúbal. A intervenção localiza-se junto à Estrada Nacional 10.4, em zona próxima aos terminais da SAPEC, e ocupa uma frente marginal com cerca de 600 metros de extensão, repartida entre duas zonas: a. Zona destinada ao trem naval de combate à poluição e incêndios (300 m), que compreende uma doca interior de O projecto insere-se no plano de modernização e expansão

forma rectangular com cerca de 12.600 m2, servida por

do Porto de Setúbal que a APSS tem em desenvolvimento, tendo

terraplenos. No interior da doca foi criada uma rampa

em vista a reorganização e dinamização das actividades económicas

varadouro, com 15 metros de largura de pé, que permitirá

que dele dependem e, por outro lado, a melhoria da segurança e

colocar a seco as embarcações semi-rígidas, um guincho

qualidade dos serviços portuários. A intervenção visou os seguintes

para colocação de material no plano de água e um passadiço

objectivos:

flutuante com 170 metros de extensão, destinado ao apoio

- Maior operacionalidade e um rápido acesso aos locais

a pequenas embarcações;

de intervenção daqueles serviços;

b. Zona destinada aos rebocadores (300 m), que inclui uma

- Ordenamento das áreas portuárias e criação de um local

ponte cais em forma de “T” com duplo travessão, preparada

específico de apoio aos serviços de emergência e reboque;

para o estacionamento e amarração dos rebocadores, e

- Concentração dos meios existentes de combate à poluição

um cais com 70 metros de

e incêndios, actualmente dispersos, numa zona com infra-

comprimento e fundos de

estruturas adequadas;

-6,00 (ZH), bem como 3

- Maior operacionalidade e capacidade de resposta a

hangares industriais com

situações de emergência e consequente melhoria da

cerca de 600 m2 cada,

segurança do porto.

destinados às empresas que actualmente operam no porto

A empreitada foi realizada pela CPTP – Companhia Portuguesa de Trabalhos Portuários e Construção, SA e decorreu ao longo de catorze meses. Esta consistiu na construção de infra-

04

nesta vertente.


NOTÍCIAS

A relocalização destas embarcações

na

zona

nascente do porto irá permitir a libertação de espaços junto à zona ribeirinha da cidade e a sua futura reabilitação para outros usos.

Terminal Multiusos do Porto de Setúbal com mais uma grua O Terminal Multiusos do Porto de Setúbal - Zona 1 dispõe de uma nova grua, marca Liebherr LHM 1200, com capacidade para movimentar até noventa toneladas. do terminal. Associado à flexibilidade resulta uma maior A grua, que pesa 350 toneladas, foi transportada no navio

produtividade, porque faz ciclos mais rápidos, com mais carga e

"Tramper" e descarregada com duas gruas do próprio navio, as

tem possibilidade de operar navios de maior dimensão .

quais têm capacidade de elevação de 550 toneladas. Esta operação de descarrega de uma grua, completamente montada e com este

O Terminal Multiusos – Zona 1 aumentou este ano, até

peso, directamente do navio para o cais, onde ficou operacional,

Agosto, em vinte e cinco por cento, o volume de cargas e em cerca

é classificada pelos técnicos como muito invulgar.

de dezoito por cento o número de automóveis movimentados.

Este investimento, realizado pela Tersado, concessionária

O aumento de carga movimentada neste terminal durante

do terminal, monta a mais de um milhão de euros e tem como

o corrente ano, bem como as perspectivas quanto ao sucesso de

principal vantagem uma maior flexibilidade, pois trata-se de uma

novos contratos, referentes a novos tráfegos, terão levado o

grua sobre rodas que movimenta a mercadoria para qualquer ponto

concessionário a decidir pela aquisição desta grua.

05


NOTÍCIAS

APSS prepara I Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas Com o objectivo de reflectir sobre as oportunidades criadas pela Rede Nacional de Plataformas Logísticas, designadamente daquelas que permitirão melhorar a oferta dos serviços de transporte e logística na região de Setúbal, a APSS, SA está a preparar o I Seminário – Plataformas Logísticas Ibéricas, a realizar no próximo dia 15 de Novembro, no auditório do Novotel, em Setúbal.

O público alvo é constituído por administradores e quadros dirigentes de empresas e entidades públicas do sector dos transportes, dos portos e da logística, bem como alunos e professores destas áreas temáticas. A organização do evento conta com a colaboração da Cargo Edições, que também acumula funções de media partner para o estabelecimento das pontes necessárias com os órgãos de comunicação social. A inscrição no seminário é gratuita e pode ser efectuada através de contacto directo com a APSS ou do preenchimento de O programa do seminário desenvolve-se em três partes: na primeira parte são abordadas as Plataforma Logística e Portuária de Setúbal (PL7); a segunda sugere uma reflexão sobre a Plataforma Logística de Poceirão (PLP); a terceira tem o enfoque nas Plataformas Logísticas de Badajoz / Elvas e Madrid O âmbito ibérico que se pretende conferir ao evento é visível pela participação de diversos oradores espanhóis, como é o caso dos representantes da Puertos del Estado, da Dragados SPL, da Associação Madrid Plataforma Logística e da Universidade da Extremadura.

Do

lado

português, irão participar a CP, a Câmara Municipal de Elvas, a Mota Engil, a In Out Global, o ISCTE, o ISEG, a API Parques, a Sapec Bay e a Sadoport.

06

impresso electrónico disponível no site www.portodesetubal.pt.


NOTÍCIAS

Programa 09.00h – Recepção dos participantes 09.30h – Início dos trabalhos 09.30h – Boas vindas | Carlos Gouveia Lopes, presidente da APSS | Maria das Dores Meira, presidente da C.M. de Setúbal Parte I – Plataforma Logística e Portuária de Setúbal (PL7) | moderador, Luís Filipe Duarte, Revista Cargo 09.45h – O papel dos parques logísticos locais | Philoméne Dias, API – Agência Portuguesa para o Investimento 10.00h – Plataforma logística – relações a montante | Luís Cruz, Sapec Bay 10.15h – Plataforma logística – relações a jusante | António Roxo, Sadoport 10.30h – Debate 11.00h – coffe-break Parte II - Plataforma Logística de Poceirão (PLP) | moderador, Jorge Fiel, Jornal Expresso 11.15h – O interesse socio-económico da PLP | Vitor Damas, Mota Engil 11.30h – A importância da PLP na logística ibérica | Eurico Brilhante Dias, InoutGlobal 11.45h – A liberalização ferroviária e a intermodalidade | Felipe Mendana Navarro, Dragados SPL 12.00h – A Área Metropolitana de Lisboa na logística ibérica | Augusto Felício, ISEG 12.15h – Debate 12.45h – Almoço Parte III - Plataformas Logísticas de Badajoz / Elvas e Madrid | moderador, Miguel Rollán, Revista Comercio Exterior 14.30h – A Plataforma transfronteiriça Elvas / Badajoz | Nuno Mocinha, C.M. de Elvas 14.45h – Eurocidade Elvas-Badajoz e Plataforma ibérica| Luis de la Macorra, Universidad de Extremadura 15.00h – A logística portuária da Catalunha case study | Manuel Gómez Martin, Puertos del Estado 15.15h – Debate 15.45h – coffe-break 16.00h – Apresentação das plataformas logísticas de Madrid | José Andrés Piedra, Associação Madrid Plataforma Logística 16.15h – Os portos (Setúbal) na cadeia logística | Alfredo Duro, Dragados SPL 16.30h – A intermodalidade ferro-rodoviária na ligação a Madrid | Francisco Cardoso dos Reis, CP 16.45h – Porto de Setúbal: uma ponte para Madrid | José Crespo de Carvalho, ISCTE 17.00h – Debate 17.30h – Encerramento | Teresa Almeida, Governadora Civil de Setúbal

07


OPINIÃO

No segundo caso, apresentando-se Portugal num extremo geográfico da Península Ibérica verifica-se a necessidade de uma maior articulação logística com Espanha acompanhada com o reforço da nossa posição na fachada Atlântica. Neste sentido, Portugal, enquanto pequena economia aberta ao exterior necessita de desenvolver os factores endógenos de sustentação da competitividade. A logística, as acessibilidades, os transportes, a agilização dos serviços portuários e as condições de suporte associadas são vectores fundamentais de sustentação do desenvolvimento e de atenuação das ameaças referidas.

De forma a responder aos desafios identificados e aos constrangimentos reconhecidos pela maioria dos actores do sector relativamente ao sistema marítimo portuário nacional, na “Estratégia Marítimo-Portuária para Portugal” , foi configurada uma visão de desenvolvimento para o Sistema Marítimo-Portuário nacional,

As auto-estradas do mar e a competitividade portuária e logística

propondo que este se desenvolva como um: “…elemento fundamental da atracção de investimento e

Luís António Tadeu*

fixação de novas actividades, contribuindo

Enquadramento

plataformas

O desenvolvimento tecnológico, os desafios da globalização para os serviços, impuseram, como factor chave para a

logística, nalgumas economias desenvolvidas tem sido verificado, com clareza: - Uma relação directa entre o desenvolvimento económico e os índices de acessibilidade; - Uma correlação forte entre infra-estruturas logísticas e competitividade; - Uma nova geografia económica onde a acessibilidade e o suporte logístico condicionam a fixação de novas actividades; - Portugal, sendo um país geograficamente periférico na Europa, enfrenta a ameaça de acentuar essa situação (particularmente após o alargamento da UE), não só em relação à Europa, mas também em relação à Península Ibérica. No primeiro caso, verifica-se a necessidade de competir com: Recursos mais qualificados; Salários mais baixos; Maior proximidade dos pólos de consumo.

08

valor

Em 2006 foi apresentado

competitividade de uma região ou país, a existência de eficientes e logística. No que respeita às infra-estruturas de transportes e

de

o de

acrescentado em Portugal”.

e a mudança para uma economia predominantemente orientada

infra-estruturas de telecomunicações, de informação, de transportes

para

estabelecimento

pelo Governo Português o plano Portugal Logístico que propõe também uma profunda mudança em todo o sistema logístico contribuindo para a constituição de um novo cluster de actividade, através do estabelecimento de uma rede de plataformas logísticas, sendo que uma parte destas plataformas são nodos de proximidade e articulação com os portos nacionais. Em ambos os projectos (Portugal Logístico e Estratégia Marítimo-Portuaria) existe um elemento alavancador fundamental: a integração de Portugal nas auto-estradas do mar. O conceito de auto-estradas do mar As auto-estradas do mar enquanto conceito englobam um conjunto de objectivos fundamentais, dos quais deverão ser destacados: - A promoção da transferência modal do modo rodoviário para o modo marítimo, procurando de igual forma que o crescimento


OPINIÃO

do tráfego inter-comunitário de mercadorias seja absorvido por

sistema marítimo-portuário nacional.

alternativas ao transporte rodoviário; - A promoção da intermodalidade; - O incremento da coesão entre os estados-membros.

Em articulação com o desenvolvimento das auto-estradas do mar, o desenvolvimento de redes/comunidades e plataformas logísticas será um elemento estruturante fundamental para o

O conceito de auto-estradas do mar parte de uma noção de

desenvolvimento portuário e logístico. Este tipo de estruturas

continuidade, em que as componentes marítimas e terrestres são

permitem conferir dimensão competitiva aos sistemas portuários,

complementares e os fluxos de mercadorias se movimentam da

por serem capazes de atrair e fixar operadores e bases de logística

mesma forma que numa auto-estrada terrestre:

e distribuição que gerem tráfego, pela capacidade que têm de

- Sem pontos de fricção que induzam paragens na movimentação ou custos adicionais; - Com procedimentos aduaneiros e documentais simplificados ao mínimo indispensável; - Com o envolvimento tendencial para apenas um actor responsável pelo processo de transporte; - Com uma disponibilidade de serviço quase imediata; - Com elevados níveis de fiabilidade. O sucesso das auto-estradas do mar irá depender da capacidade de, com base no conceito definido, se estruturarem serviços e ofertas globalmente mais competitivos para os utilizadores dos serviços de transporte. Isto significa menores custos e tempos porta-a-porta, e incremento da regularidade e fiabilidade do serviço. E implica também que se adopte uma abordagem global e integrada à cadeia de transporte. A importância das auto-estradas do mar e das plataformas logísticas para Portugal Tanto o desenvolvimento de redes e comunidades logísticas como

projectar redes logísticas e comerciais, pela capacidade de criar

as auto-estradas do mar terão uma importância determinante para

valor acrescentado e pela proximidade ao cliente final do porto.

a estruturação do conceito “Portugal: Plataforma de Serviços de Valor Acrescentado”.

Nesta lógica, o Portugal Logístico e as auto-estradas do mar são programas fundamentais para potenciar o desenvolvimento

As auto-estradas do mar permitirão

estruturar

corredores

logísticos

realmente competitivos que

do sistema portuário e logístico, numa lógica de estabelecimento de plataformas e redes de valor acrescentado. Articulação com o porto de Setúbal

sustentem novas alternativas de ligação entre Portugal e os

Complementarmente às plataformas logísticas e

países da UE, potenciando

empresariais já existentes na envolvente de Setúbal, o

também, e articulando-se

desenvolvimento da plataforma do Poceirão, no âmbito do Portugal

com, serviços “deep sea” que

Logístico, o possível envolvimento do porto nas auto-estradas do

tirem partido da posição geo-

mar e o projecto da alta velocidade ferroviária permitirão criar um

estratégica na fachada

conjunto de novas condições que poderão reforçar a posição

Atlântica.

competitiva do porto de Setúbal e simultaneamente uma regeneração da oferta global de serviços de logística e de transportes.

Em simultâneo, o desenvolvimento das auto-estradas do mar estabelecer-se-á como elemento estruturante para a resolução

(*) Doutor em Engenharia de Sistemas

de um conjunto de problemas estruturais há muito existentes no

Professor Catedrático do Instituto Superior Técnico Presidente do Conselho de Administração da FORDESI

09


OPINIÃO

Trem Naval Abordagem de um projecto integrado e sustentado Engº. Ernesto Carneiro (*)

O porto de Setúbal, tem vindo a transformar-se e a modernizar-

- Concentração dos meios de combate à poluição e incêndios,

se, projectando-se para os desafios do século XXI. O fenómeno da

que se encontravam dispersos, conferindo maior capacidade

globalização, as subsequentes mudanças estruturais verificadas

operacional, e eficiência na resposta a situações de

nas cadeias de transporte, as relações e trocas comerciais e

emergência.

industriais que, de forma vertiginosa, atravessaram o mundo, foram factores que, afectando o “Tempo” e o “Espaço”, exigiram a criação

A construção deste complexo de instalações, visou ainda

de novas áreas quer de produção quer de consumo. Estes efeitos

facultar as condições de estacionamento para rebocadores,

também se têm vindo a verificar no Porto de Setúbal, onde a

cumprindo-se as obrigações contidas no artigo 13º do Dec.-Lei nº

especialização e modernização de terminais, a instalação de áreas

75/2001 de 27 de Fevereiro e do código ISPS. A sua concretização

logísticas e de elevado valor acrescentado, são exemplo claro que

traduziu-se num grande trabalho de equipa que permitiu realizar,

todos podem identificar.

as diferentes etapas da sua implementação.

Estas mudanças caracterizam-se pela transformação do porto

Todos se recordam ainda do estado deplorável e de abandono,

industrial típico, para um porto que se quer ancorado nas exigências,

do espaço onde hoje existe o Trem Naval. A má memória das

desafios e desígnios de modernidade. Traduzem-se numa maior

ruínas dos antigos barracões onde em tempos existiram estaleiros

eficiência, adequabilidade das infra-estruturas e integração em

de construção das embarcações abandonadas e de artefactos sem

cadeias logísticas, organização espacial e funcional das suas áreas,

uso e corroídos pelo tempo.

requalificação das frentes ribeirinhas, na busca de nova identidade entre a cidade e o seu Porto. Fundamentam-se na vontade de

Nesta primeira e simples missão de preparar o terreno houve

assumir um desenvolvimento sustentável, integrando as valências

necessidade de identificar os proprietários das ruínas, de caracterizar

sociais, ambientais e económicas.

os diferentes tipos dos resíduos, avaliar a possibilidade de valorizálos e definir o respectivo destino final.

É nesta perspectiva e enquadramento global que surge a instalação do “Trem naval de combate à poluição e de reboques”,

Nesta intervenção foram removidos cerca de 250 toneladas

cuja construção visou dar resposta e satisfazer os seguintes

de resíduos. Foi então possível efectuar uma prospecção

objectivos:

arquelógica-patrimonial para identificar eventuais valores a salvaguardar.

- Ordenamento das áreas portuárias, através da definição espacial de aptidões, organizando, adaptando e arrumando

Para o efeito a APSS,SA protocolou com o Museu de

as diferentes funções;

Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal, o acompanhamento,

- Requalificação funcional e ambiental das áreas degradadas;

caracterização e seguimento do eventual espólio arqueológico em

10


OPINIÃO

terra e do posto a descoberto pelos trabalhos de dragagem. Apenas

Cais de apoio com 70 metros;

em terra se encontrou material a referenciar, os restos da embarcação

- Construção de pavimentos, arruamentos, redes de energia,

“Fundação de Portugal” com uma “história” muito particular.

iluminação, telemáticas, CCTV, segurança contra-incêndios, gerador de emergência, sistemas de drenagem de efluentes

A par dos levantamentos e outros trabalhos de campo

pluviais e domésticos e mini ETAR;

inerentes à caracterização deste património, desenvolveram-se

- Construção de blocos de instalações industriais, oficinais

acções que mobilizaram vários cidadãos e artistas que recolheram

e hangares de armazenagens.

em imagens fotográficas, elaboração do Plano da embarcação, pinturas e aguarelas, imagens de um tempo sem tempo, para

As necessidades de gestão de projecto, implicaram o

memória futura. O resultado de todo este trabalho traduziu-se na

desenvolvimento de planos específicos, em áreas de conhecimento

exposição na sede da AERSET – Associação Empresarial da Região

próprios, a saber: Plano de segurança da obra PPS; Plano de

de Setúbal, onde todas estas memórias do passado e do presente

acompanhamento ambiental; Plano da qualidade; Plano gestão

ficaram patentes, seguir-se-á a publicação de um livro onde toda

financeira da obra; Plano de gestão de resíduos em estaleiros de

esta intervenção será registada.

construção civil; Plano de SIG.

O resultado desta intervenção demonstrou até que ponto, o

Contudo, têm surgido determinadas críticas à obra. Na nossa

cidadão comum, pode participar enquanto actor nas acções de

opinião são fruto de desconhecimento, genuíno ou propositado.

requalificação de áreas degradadas de forma dinâmica e positiva,

No primeiro dos casos, estas breves linhas, reforçadas com os

com participação activa nas suas transformações. Ou seja,

esclarecimentos adicionais poderão ajudar a desvanecer. No

demonstra-se que na prática o estreitamento do porto com os seus

segundo, a situação é eventualmente mais complexa, mas que o

cidadãos, o seu envolvimento e o seu contributo são extremamente

Tempo, esse grande escultor, seguramente, não deixará de usar

importantes para o enriquecimento do conhecimento do património

a sua marca pedagógica...

colectivo e histórico. Ultrapassados estes escolhos, não temos dúvidas de que a Contudo faltava ainda executar aquilo que agora está à vista

APSS, o porto, a comunidade portuária e a cidade viram o seu

de todos, foi necessário lançar a empreitada de construção civil,

património enriquecido com uma infra-estrutura que honra o seu

para o efeito, realizaram-se internamente vários estudos relacionados

passado, mas acima de tudo satisfaz as necessidades e exigências

com a avaliação dos impactes ambientais do projecto, colher os

do futuro.

contributos dos futuros utilizadores de modo a se definir e enquadrar as necessidades programáticas da intervenção, obter os

Os resultados estão à vista, há obra feita, cuja qualidade e

financiamentos (PIDDAC e FEDER) em complemento dos fundos

características técnicas são evidentes. A obra fez-se dentro dos

próprios da APSS, SA. e por fim seleccionar o empreiteiro.

valores e prazos fixados, não existindo registo de derrapagens financeiras e custos adicionais. Os resultados são visíveis nos

O contrato de empreitada foi celebrado em 2005.06.15, tendo os

seguintes domínios:

trabalhos sido adjudicados à CPTP, pelo valor de 6.588.000 euros. - Ordenamento : o porto está mais arrumado, organizado e Os trabalhos a realizar consistiram basicamente no seguinte:

funcional; - Ambiente: demoliu-se, descontaminou-se, requalificou-se

- Construção de retenções marginais em pedra de

uma área degradada;

enrocamento;

- Modernização e Operacionalidade: melhoraram-se as

- Construção de um terrapleno com aterro hidráulico com

condições de operacionalidade e segurança do serviço. o

área de cerca de 2,9 hectares;

tempo morto na utilização de reboques no canal Sul foi

- Execução de dragagens de aprofundamento às cotas

reduzido para 1/3

de -5.50 e -6.00 metros ao ZH, de modo a permitir o acesso

- Dimensão social e cultural: o contributo, a participação dos

dos reboque às pontes-cais;

cidadãos na requalificação de projectos.

- Construção de uma doca interior com área de serviço 7.600 m2, dotada de passadiços flutuantes, cais acostável, rampa

* Ernesto Carneiro (Engº Civil) Pós-Graduado em Ordenamento do

de alagem com guincho e “pau de carga” de 6 toneladas;

Território e Planeamento Ambiental, Director de Equipamento,

- Construção de ponte-cais com frente acostável de 600

Infra-estruturas e Ambiente da APSS, SA

metros;

11


SESIMBRA

Diagnóstico e propostas de ordenamento Está a ser desenvolvido pela empresa Consulmar um estudo de diagnóstico e propostas de ordenamento do Porto de Sesimbra, que visa melhorar a articulação entre as diversas actividades que aí se concentram: pesca e actividades associadas, náutica de recreio, desportos náuticos, estaleiros, entre outras.

Modernização de infra-estruturas O projecto de modernização das infra-estruturas marítimas do Porto de Sesimbra consistiu na criação de uma rampa de alagem de embarcações de recreio, um muro cais, com um posto de acostagem, e um terrapleno. A obra, que representou um investimento de cerca de 360 mil euros (financiamento PIDDAC e APSS), teve por objectivos o aumento da oferta e o melhoramento da segurança da navegação turística e de recreio. Na 1ª fase do estudo identificaram-se e caracterizaram-se

A nova infra-estrutura, que

as principais dificuldades/constrangimentos existentes no porto,

ficou concluída no final de

não só a nível do funcionamento dessas actividades, mas também

Setembro, localiza-se junto ao

a nível dos acessos ao porto e circulação interior, tendo para isso

edifício do Clube Naval de

sido ouvidos os principais agentes intervenientes no porto e

Sesimbra. A empreitada foi

associações que os representam.

executada pela SETH – Sociedade de Empreitadas e

Na 2ª fase do estudo foi apresentado um Programa de

Trabalhos Hidráulicos, SA e

Necessidades a curto prazo e apontadas alternativas de intervenção,

apresenta as seguintes

sendo que, até final de 2006, deverá estar definido um cenário de

características físicas: rampa

desenvolvimento do porto para ser apresentado e discutido com

de alagem com uma extensão de 44 metros; muro cais com 26

a comunidade local.

metros de comprimento ao nível do coroamento, com fundos de – 2,50 (ZH) em cerca de metade do comprimento do muro; terrapleno com cerca de 1.000 m2 que se estende até à fachada do edifício sede do Clube Naval.

12


BREVES

APSS participou na Feira de Elvas A APSS-Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA, participou na “Expo São Mateus”, certame que se realizou em Elvas, de 20 de Setembro a 1 de Outubro. O presidente da APSS, Engº Carlos Lopes, acompanhou o presidente da Câmara Municipal de Elvas, José Rondão Almeida, numa visita guiada ao stand do Porto de Setúbal. A participação da APSS teve em consideração o carácter estratégico da região de Elvas, a qual abrange o hinterland espanhol, bem como o interesse que reverte para o Porto de Setúbal a anunciada plataforma logística transfronteiriça Elvas/Badajoz.

Primeiros Volkswagen EOS foram para os EUA Navio de grande calado entra no Porto de Setúbal O navio graneleiro “Mastrogiorgis”, com pavilhão do Panamá, entrou no Porto de Setúbal, vindo da China, para descarregar 25.000 toneladas de “coils” (rolos de chapa) na Zona 2 do Terminal Multiusos. O navio, o de maior calado a dar entrada no estuário do Sado desde que são conhecidos registos, foi contruído em 1984, possui 249,5 metros de comprimento, 12 metros de calado e 32,26 metros de boca, sendo agenciado por Afonso H. O’Neill.

A primeira exportação de veículos Volkswagen EOS, fabricados na Autoeuropa, teve lugar no dia 5 de Junho, com destino aos Estados Unidos, através do Porto de Setúbal. O envio foi de cinquenta unidades embarcadas no navio “Australian Highway“, juntamente com 550 EOS e 282 MPV,s (Volkswagen Sharan e SEAT Alhambra) para o mercado europeu. As viaturas vão de Setúbal até ao porto alemão de Emden, onde são separadas por três destinos nos EUA: Davisville, Houston e San Diego e brevemente também para Brunswick e Wilmington.

13


BREVES

Estudantes da EUROYOUTH visitam Porto de Setúbal Oito estudantes do Instituto Náutico, inseridos no Programa Leonardo Da Vinci, da Euroyouth Portugal, acompanhados por dois professores , visitaram no dia 10 de Outubro, o Porto de

Em agenda está a participação no seminário anual do CPC – Conselho Português de Carregadores, que terá lugar a 16 de Novembro, no Centro de Congressos de Lisboa.

APSS melhora sistema de Contabilidade de Gestão

Setúbal, no âmbito do projecto “Porti d’Europa”. É fundamental para o crescimento sustentado das empresas O grupo, foi recebido pelo Director de Equipamento, Infra-

um acompanhamento permanente dos seus desempenhos financeiro

Estruturas e Ambiente, Engº Ernesto Carneiro, e assistiu à projecção

e operacional. Cada vez mais, é necessário que as empresas

de um vídeo explicativo, seguindo-se uma visita ao VTS – Vessel

desenvolvam instrumentos de gestão que lhes permitam medir e

Traffic System, e aos terminais, onde puderam observar a actividade

monitorizar o desempenho e conhecer as fontes geradoras e

desenvolvida nas mais diversas vertentes portuárias.

redutoras de valor. Com a mudança do sistema informático de gestão, já em curso na APSS, SA, a necessidade/oportunidade de implementar um novo sistema de Contabilidade de Gestão tornou-se mais efectiva. Assim, estão já a decorrer os trabalhos de concepção e implementação de um sistema de Contabilidade de Gestão orientado para a criação de informação para a gestão e para a tomada de decisão. Tem como objectivo avaliar o desempenho financeiro dos negócios e actividades da organização, isto é, medir os resultados económicos dos múltiplos segmentos de análise e a forma como são gerados.

APSS apoia seminários do sector A APSS – Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, S.A. apoiou e participou em três iniciativas ligadas ao sector marítimo-portuário. Congresso de Logística da APLOG – Associação Portuguesa de Logística, que teve lugar em 24 e 25 de Outubro, no Centro de Congressos de Lisboa, tendo como tema “A Logística na Cadeia de Valor – Onde está a sua?”. De 27 a 29 do mesmo mês a APSS participou no V Fórum ANTRAN, subordinado ao tema: “Inovação de negócios, estratégias e competências requeridas”, que teve lugar no Funchal.

14


BREVES

II Cruzeiro em Flotilha Henrique Cabeçadas

provisória em Lisboa, durante uma cerimónia presidida por Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia. Durão Barroso, considerou necessário o desenvolvimento

A APSS – Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra,

de uma "política europeia marítima global", com o contributo da

SA apoiou, pelo segundo ano consecutivo, o Cruzeiro em Flotilha

EMSA enquanto organismo destinado a prevenir e combater a

Henrique Cabeçadas, que se realizou de 8 a 10 de Setembro,

poluição marítima, estabelecer a segurança das rotas navais, tratar

integrado no Festival do Sado, sob a organização da Associação

da informação e harmonizar a legislação dos estados-membros em

Portuguesa do Património Marítimo.

matéria de segurança no mar e nos portos.

Melhoramentos no parqueamento de embarcações de recreio em Sesimbra A APSS-Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA, vai melhorar as condições de parqueamento de embarcações de recreio e respectivos atrelados, tendo já definido as intervenções a levar a cabo no terrapleno localizado a nascente da portaria do Porto de Pesca de Sesimbra. A preocupação da APSS passa por dotar aquela infra-estrutura, entre outras coisas, de esgotos pluviais, regularização da base do pavimento e pinturas delimitadoras das áreas de A iniciativa, que teve partida do Porto de Setúbal, visou promover a preservação do património naval da região,

estacionamento, bem como da instalação de vedação em malha elástica plastificada.

homenageando um dos impulsionadores da recuperação e preservação do galeão do sal, Engº Henrique Cabeçadas, na pessoa do seu filho Dr. José Cabeçadas. O cruzeiro teve como participantes o “Hiate de Setúbal”, a enviada da pesca do atum “Astrolábio” de Sesimbra, os galeões do sal “Riquitum” e “Pego do Altar” de Setúbal, bem como alguns veleiros de recreio.

Inaugurada Agência Europeia de Segurança Marítima A Agência Europeia de Segurança Marítima (EMSA) inaugurou a sua sede

15


BREVES

Novas dragagens de manutenção O Porto de Setúbal está a beneficiar de mais uma campanha de dragagens de manutenção aos canais Norte, Sul e da Barra, bem como das bacias de estacionamento e manobra. O Plano de Dragagens foi definido pela APSS-Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA, em 2003 e prolongar-se-á até 2008.

Novo cais de apoio à pilotagem Com o objectivo de criar um pequeno cais destinado ao embarque e desembarque dos pilotos da barra a APSSAdministração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA vai proceder à modernização das infra-estruturas acostáveis. O actual posto de acostagem/trapiche, localizado junto ao topo nascente da doca de recreio do Clube Naval Setubalense, foi construído há cerca de vinte e cinco anos e encontra-se muito degradado.

informação que permitam com versatilidade e fiabilidade, centralizar a informação, tornando-a acessível de forma rápida (em tempo útil) e organizada, racionalizando os custos e facilitando a monitorização e análise dos elementos críticos para a gestão. É com este espírito e com estes objectivos que a APSS, SA

A solução adoptada consistirá numa estrutura metálica, composta por uma fiada frontal de estacas metálicas cilíndricas, fixada ao paramento do cais.

deu já início ao processo de implementação de um novo software de gestão integrado, ou como habitualmente é designado ERP – Enterprise Resource Planning. A solução escolhida foi o MYSAP

APSS melhora sistema de ERP No dia a dia das organizações, cada vez mais exigente, torna-se obrigatória a adopção de ferramentas de gestão de

BUSINESS SUITE e irá arrancar em produtivo em Janeiro de 2007.

Porto de Setúbal prepara Prémio de Logística A APSS – Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA e a ESCE – Escola Superior de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Setúbal vão lançar no próximo mês de Janeiro o «Prémio de Logística Porto de Setúbal», fruto da parceria estabelecida entre ambos. O Prémio surge no âmbito do Plano Estratégico do Porto de

Setúbal,

que

pretende

fomentar

as

relações

universidade/empresa, com o objectivo de promover estudos marítimo-portuários sobre a Região e o Porto de Setúbal, que constituam um alicerce ao desenvolvimento da própria Região. O prémio destina-se a alunos dos últimos anos de qualquer licenciatura, pós-graduação e mestrado de âmbito nacional.

16


Valores acumulados a Setembro

ESTATÍSTICAS

Movimento de Navios Unidade : Número Tipos de Navio Carga Geral Transp. Especiais Graneis líquidos Graneleiros Contentores Outros Total

Set. 04 746 348 112 63 4 6 1.279

Set. 05 597 346 136 56 2 2 1.139

Set. 06 598 338 120 71 7 4 1.138

Var.05/04 -20,0% -0,6% 21,4% -11,1% -50,0% -66,7% -10,9%

Var.06/05 0,2% -2,3% -11,8% 26,8% 250,0% 100,0% -0,1%

Movimento de Mercadorias Mercadorias por modo de Mercadorias por modo de acondicionamento Mercadorias por modo de acondicionamento Graneis líquidos acondicionamento Graneis líquidos Graneis sólidos Graneis líquidos sólidos Carga geral Graneis sólidos Carga geral Carga fraccionada Carga geral Carga fraccionada Carga contentorizada fraccionada Carga contentorizada Carga ro-ro Carga contentorizada ro-ro Total Carga ro-ro Total Total

Unidade : Mil Tons Set. 04 828 2.410 1.668 1.256 134 279 4.906

Set. 05 1.402 2.415 1.260 897 87 276 5.077

Set. 06 871 2.436 1.427 1.076 79 272 4.733

Var.05/04 69,4% 0,2% -24,5% -28,6% -35,1% -0,9% 3,5%

Var.06/05 -37,9% 0,9% 13,3% 20,0% -8,6% -1,6% -6,8%

Carga unitizada Numero Veículos Numero de Contentores Numero de TEU’s

175.626 8.841 14.123

181.245 5.686 9.839

175.261 5.319 10.013

3,2% -35,7% -30,3%

-3,3% -6,5% 1,8%

Mercadorias carregadas Cimento Clinquer Conc. de cobre Pasta de Madeira Ro-Ro P.Metalúrgicos Adubos Pedras Ornamentais P. Agrícolas Outros Total

Set. 04 668 475 298 156 152 40 30 13 12 86 1.930

Set. 05 637 412 315 186 146 42 30 9 18 69 1.863

Set. 06 789 505 254 176 142 53 16 14 9 51 2.008

Var.05/04 -4,6% -13,4% 5,9% 19,1% -3,8% 3,5% -0,1% -31,2% 49,1% -19,7% -3,5%

Mercadorias descarregadas P.Metalúrgicos Fuelóleo Carvão e Coque Gasóleo e Gasolina P. Agrícolas Adubos Cimento Ro-Ro Ácidos Frutas Clinquer Outros Total

Set. 04 696 402 533 272 265 243 82 127 113 63 0 181 2.976

Set. 05 518 1.011 479 232 155 277 133 130 126 67 0 85 3.214

Set. 06 640 449 415 290 200 182 164 129 97 59 38 60 2.723

Var.05/04 -25,5% 151,5% -10,1% -14,6% -41,6% 14,3% 63,1% 2,3% 11,6% 6,5% 0,0% -53,3% 8,0%

Unidade : Mil Tons Var.06/05 24,0% 22,7% -19,5% -5,1% -2,6% 26,4% -48,5% 53,9% -50,8% -26,1% 7,8%

Unidade : Mil Tons Var.06/05 23,5% -55,6% -13,5% 24,9% 29,0% -34,4% 22,7% -0,5% -23,3% -11,5% 100% -28,8% -15,3%

Fonte: APSS, SA (DELOG)

17


CP da APSS

Passeio ao Sul de Espanha Muitos são os quilómetros que os nossos associados têm percorrido nos últimos meses. Depois de terem visitado as cidades de Budapeste, Viena e Bratislava, em 15 de Setembro, aproveitaram o fim-de-semana prolongado, devido ao feriado de Dia do Bocage, e rumaram ao Sul de Espanha, mais precisanmente às praias de Islantilla e Isla Cristina.

A manhã foi aproveitada para um belo banho junto da Soltróia (na margem esquerda do rio), onde se observaram as obras em curso naquela zona de Tróia. O almoço foi servido a bordo e teve como ementa sardinhas e febras assadas.

A viagem foi feita em três mini-bus, com diversas paragens por terras de Portugal e Espanha, onde nos esperavam uns fantásticos apartamentos, situados junto à praia e marginal de Islantilla. Foram três dias de sonho, em ambiente de muita diversão, boa comida e muita alegria, que apenas pecou pelo pouco tempo da estada.

Passeio fluvial no Sado A CPPSS continua a proporcionar agradáveis passeios ao seus associados. Várias dezenas de funcionários e familiares escolheram um agradável domingo para, a bordo do "Emília", desfrutarem das belezas do Rio Sado.

18


CP da APSS

Passeio à Hungria, Austria e Eslováquia Durante uma semana de Agosto muitos foram os trabalhadores da APSS, assim como aposentados e familiares, que se deliciaram com as maravilhas da Europa Central, onde, em Budapeste, Viena e Bratislava, ficaram a conhecer os tesouros do Império Austro-Húngaro. Com estada marcada num excelente hotel em Budapeste, base de todas as deslocações, puderam conhecer durante vários dias esta linda cidade. Bratislava e Viena foram visitadas de autocarro panorâmico, com guia turístico, destacando-se a visita ao Castelo Schoubrum, em Viena, e ao bonito centro histórico de Bratislava. Entretanto,

a

organização não perde tempo, estão já a decorrer os contactos para a visita a

danças de salão.

realizar em 2007 a outros países da Europa Central, dos quais se destaca a Polónia.

As aulas realizam-se todas as sextas-feiras, sob a orientação da nossa colega Carla Ameija, ex-campeã na modalidade. O esforçado grupo de alunos tem vindo a aprender os ritmos do xá-xá-xá e outras danças de salão.

Danças de Salão Na sala polivalente do piso 0 do Edifício Social, no caís das Fontaínhas, gentilmente cedido pelo Conselho de Administração

Próximas Actividades Concurso de Fotografia, dia 4 de Novembro. Noite de Fados, dia 10 de Novembro.

da APSS, tiveram finalmente início as aulas de aprendizagem de

19



Newsletter_n12