Issuu on Google+

rdo

www.taxicultura.com.br

REVISTA

Leitura de Bo

Virada Cultural A cidade se prepara para receber mais de três milhões de pessoas no maior evento de arte e cultura da América Latina

2011 Ilhabela As maravilhas do litoral norte

O arquipélago guarda uma perfeita combinação entre praias, cachoeiras e excelente infraestrutura para o turista

Chocolate sempre é uma festa! Não se culpe: os Maias e Astecas já curtiam uma verdadeira paixão pelo cacau Edição 02


EXPEDIENTE

Diretoria Adilson Souza de Araújo Davi Francisco da Silva Fábio Martucci Fornerón Isabella Basto Poernbacher (editora@portodasletras.com.br) Redação Edição Waldir Martins MTB 19.069 Edição de Arte Flávio Francisco Rodrigues Assistente de Arte Carolina Samora da Graça Projeto Editorial Editora Porto das Letras Reportagem Fernanda Grandino, Carolina Mendes, Miro Gonçalves e Valéria Calixto

Editorial

Colaboradores Fernanda Monteforte, Fernando Lemos, Solange Tinelli e Daniel Ferreira

Virada Cultural 2011 O maior evento de arte e cultura da América Latina

N

o final de semana dos dias 15 e 16 de abril a cidade de São Paulo mais uma vez irá se colocar como o principal polo irradiador de arte e cultura do Brasil – quiçá do mundo – com a realização da sua 7ª Virada Cultural. Serão mais de mil eventos e atrações gratuitas, distribuídos em treze palcos, além de sete pistas de danças e diversos espaços com apresentações itinerantes de artistas de rua. Presentes desde a primeira edição como co-organizadores, a Secretaria de Estado da Cultura e o SESC vão abrir diversos de seus equipamentos para a realização de shows, espetáculos, exposições, workshops e muito mais, para os mais de 3 milhões de pessoas que são esperadas para o principal evento da cidade. Não por acaso, durante o lançamento da programação da virada 2011, realizado na Galeria Olido, o prefeito Gilberto Kassab declarou ser a Virada Cultural da cidade o maior evento de arte e cultura da América Latina. Depois de enfrentar

problemas em edições anteriores, com cenas de violência e vandalismos, além de falhas na segurança e infraestrutura, a edição de 2011 promete ser a maior e mais bem organizada dentre todas as edições já realizadas. Seguindo a proposta de trabalhar pelo fortalecimento da cultura e da arte na cidade, a Táxi Cultura traz para os seus leitores uma agenda com as principais atrações da Virada e deseja que os paulistanos e os visitantes possam desfrutar do melhor que a cidade oferece. Contudo, mais do que uma festa de arte e cultura a Virada 2011 deve primar por ser um evento da cidadania, onde cada cidadão possa assumir o seu papel para garantir a construção de uma cidade melhor para todos. Para além da Virada, o leitor poderá curtir as delícias de Ilhabela, o prazer dos chocolates na sobremesa da Páscoa, como montar uma cozinha com arte e engenho e ainda dar um mergulho no verde - bem no centro da cidade – ao conhecer o Parque da Luz, entre outras novidades.

Fotografia Davi Francisco da Silva Fotografia de Capa Milton Jung - Flickr Revisão Naira Uehara Publicidade Diretor Fábio Martucci Fornerón Assessoria jurídica Paulo Henrique Ribeiro Floriano Comercial Suporte Administrativo Ana Maria S. Araújo Silva Mayara da Silva Dias Assinaturas e mailling (assinatura@portodasletras.com.br) Impressão Wgráfica Tiragem 20.000 exemplares Distribuição Gratuita

TÁXI CULTURA é uma publicação da Editora Porto das Letras Ltda. Redação, publicidade, administração e correspondência: Rua do Bosque, 896, casa 24, CEP 01136-000. Barra Funda, São Paulo (SP). Telefone (11) 3392-1524, Fax (11) 3392-5208. E-mail revistataxi@ portodasletras.com.br. Proibida a reprodução parcial ou total dos textos e das imagens desta publicação, exceto as imagens sob a licença do Creative Commons. As opiniões dos entrevistados publicadas nesta edição não expressam a opinião da revista. Os anúncios veiculados nessa

Boa viagem e boa leitura! Os Editores

revista são de inteira responsabilidade dos anunciantes.


SUMÁRIO |TÁXI CULTURA

06

Onde fica?

20 22 38 44

08

Paulistanos

26 28 40

12

Fique ligado

28 30 42 48

São Paulo tem

32 32

Agenda

São Paulo: um mundo todo

Bandeira Livre

Qualidade de vida

Agenda

Charme e Beleza

Tecnologia

Morar Bem

Trilha urbana

Horizonte vertical

Mundo cão

ESPAÇO LEITOR

Para nós sua participação é fundamental. Para enviar suas críticas, elogios, sugestões ou comentários basta enviar um email para: leitor@taxicultura.com.br Assim que recebermos sua mensagem entraremos em contato para atender a sua solicitação.

4

13

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril

14 16 34 36

Tecnologia

Qualidade de Vida

16 18 36 38 Capa

Bandeira LIvre

Beleza

Morar bem

Mundo&Cia

Capa

Ana Queiroz

Redação

Luto pelo Cine Belas Artes

Nós aqui da Táxi Cultura também lamentamos muito o fechamento do Belas Artes. Justamente por nos dedicarmos a promover as oportunidades de enriquecimento cultural disponíveis em São Paulo, sentimos a perda de forma particular, como você disse, fica um vazio. Continuamos na torcida pelo tombamento e quem sabe pelo surgimento de um novo Belas Artes.

Quando entrei no táxi e encontrei a Revista Táxi Cultura o Cine Belas Artes já tinha dado o último suspiro. Tive o prazer de assistir “A Doce Vida”, de Federico Fellini em suas cadeiras vermelhas por uma última vez no dia 17. Me despedi com pesar de um dos lugares mais queridos de São Paulo, e ainda torço para que o processo de tombamento saia logo. São Paulo tinha algo muito valioso, então sugiro que em próxima edição, a sessão “São Paulo Tem” venha em branco, pelo vazio deixado pelo já saudoso Belas Artes.

Atenciosamente, A redação


16 Virada Cultural

Mais de três milhões de pessoas devem participar da 7ª Virada Cultural, transformando o evento num dos maiores do mundo, com a realização de mil eventos e atrações gratuitas, distribuídos em treze palcos, sete pistas de danças e diversos espaços para apresentações itinerantes de artistas de rua. Acompanhe a agenda.

08 38

26 46 Chocolate é sempre

O prazer do palco: A trajetória e a arte de Ricardo Blat e Cristina Pereira

uma festa

22

28

Ilhabela: As maravilhas do litoral norte

Nunc Na sollicitudin, nisl id cur-não se culpe: bibendum atmunicípio-arquipélago placerat vitae, hora do chocolate Único do Brasil, suspor tempor, lorem dui conultricies et ipsum. Sed non volta dos anos 1440 a.C. as civiliIlhabela combina uma excelente infraOs dois atores retornam à cidade para come- sequat tellus, et placerat mi lectus. Suspendisse zações Maia e Asteca já curtiam uma viverra estrutura turística com 39 praias e mais de morar 40 anos de carreira e brindam os pau- sem sit amet quam. Suspendsit amet augue lacus, vitae verdadeira paixão pelo cacau e seus 300 cachoeiras para quem deseja realizar listanos com um espetáculo inteligente e proisse quamdeliciosos mauris derivados. venenatis ligula. um verdadeiro mergulho na natureza. vocativo atualmente em cartaz no Tucarena.

Valéria Rister

Redação:

Cristina Célia

Redação:

Pouco mais de uma semana depois de ter fechado um pacote de viagem para Maragogi tive a sorte de ver a matéria sobre o lugar na Revista Táxi Cultura. Fiquei ainda mais encantada, as fotos são deslumbrantes e anotei todas as dicas de passeios que apareceram no texto. Fiquei ainda mais animada para a viagem, que será em julho, apesar da sugestão de visitar durante o verão. Tomara que eu tenha sorte e não chova muito, pois não vejo a hora de mergulhar nas galés e esquecer um pouco da correria da cidade.

Maragogi é realmente um paraíso na terra, os roteiros são incríveis e as paisagens estonteantes. Haja retina para capturar todas as belas imagens. Estamos torcendo para que você tenha uma ótima viagem e divirta-se muito. Quanto à chuva, uma simpatia para Santa Clara não faz mal a ninguém, não é mesmo? Quando voltar, compartilhe seus registros conosco e boa viagem!

Presa dentro de um táxi com um trânsito péssimo conheci a Revista Táxi Cultura e, graças a ela, pude resolver o que fazer com meus filhos e sobrinhos no final de semana. Fomos conhecer o Espaço Catavento e depois saborear um lanche de mortadela no Mercado Municipal. Inacreditável o sucesso que o programa fez! Até hoje, quase 15 dias depois, os pequenos ainda comentam a visita ao museu e ao mercado.

Deve ter sido um final de semana delicioso, não é a toa que os meninos continuam comentando. O espaço Catavento é ideal para abrir o apetite tanto intelectual quanto alimentar. E o lanche de mortadela do Mercadão é ideal para combater a fome, o encontro perfeito. Foi um prazer conhecêla, tomara que possamos lhe dar mais ajudas como essas.

Atenciosamente, A redação

Atenciosamente, A redação

Abril | REVISTA TÁXI CULTURA

5


A escultura em bronze de Francisco Antonio Gabriel de Miranda presta uma homenagem ao ideal de libertação de toda América Latina.

ONDE

FICA?

América Latina livre Por Fernanda Grandino

P

roduzida no ano de 1975 pelo escultor e fundidor italiano Carmelo Tabacco, esta escultura é uma cópia em bronze da obra original instalada na cidade de Valmy na França e criada pelo artista venezuelano Lorenzo Gonzales. Feita em homenagem a Francisco Antonio Gabriel de Miranda (1750 - 1816), um dos primeiros idealizadores da independência venezuelana, a obra foi oferecida à cidade de São Paulo pelo governo da Venezuela no ano de 1978. Restaurada em 1988 pela prefeitura paulistana, através de uma parceria com o Banco Unión, a obra passou a fazer parte da paisagem de uma importante avenida da cidade. Sebastián Francisco Antônio Gabriel de Miranda, (Caracas, 28 de março de 1750 — San Fernando, Cádiz, 14 de julho de 1816) executou um malogrado plano de independência das colônias espanholas na América Latina, mas é reconhecido como um precursor dos ideais de Simón Bolívar e Bernardo O’Higgins, assim como de outros combatentes americanos que conseguiram a independência de grande parte da América Latina. Os primeiros 10 leitores que identificarem a localização da foto acima ganharão um par de ingressos para o teatro.

Sua resposta deverá ser enviada para o e-mail:

leitor@taxicultura.com.br

O resultado sairá na próxima edição junto com os nomes dos ganhadores.

Pinacoteca do Estado de São Paulo Localizada na Praça da Luz, nº 2, a Pinacoteca do Estado de São Paulo, com um acervo de quase oito mil peças é o mais antigo museu de arte da cidade de São Paulo e um dos mais representativos de arte brasileira. Entre suas obras se destacam pintores nacionais dos séculos XIX e XX e um expressivo conjunto de obras do modernismo brasileiro.

6

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril

GANHADORES Daniela Braojos

Valéria Rister

Elaine Minuci

Márcia Martins

Ivone M. Barboza

André Guilherme

Vilma Telles

Iris Jacomino

Vinícius Lorenzoni

Fernanda Scagliusi


Abril | REVISTA Tテ々I CULTURA

7


PAULISTANOS

Por Waldir Martins

O prazer

do palco

Dois ilustres paulistanos - Ricardo Blat e Cristina Pereira - retornam à cidade para comemorar 40 anos de carreira artística e brindam os paulistanos com um espetáculo inteligente e provocativo – Pamonha e Panaca – atualmente em cartaz no Tucarena

C

om texto de Rogério Blat e direção de Ernesto Piccolo, o espetáculo é uma comédia inspirada nos antigos atores de circo, e serve como pretexto para que Ricardo e Cristina possam exercer o pleno prazer da interpretação, ao mesmo tempo em que tecem uma bem humorada crítica ao atual modo de vida, baseado na competição e no extremo individualismo.

8

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril

Sentados no despojado e muito criativo cenário montado no palco do Tucarena, um pouco antes de iniciar os trabalhos para o início do espetáculo, a dupla falou com a Revista Táxi Cultura sobre suas origens, a descoberta do teatro e a paixão pela dramaturgia, o trabalho de ator, principais influências, a antiga amizade, e o significado desse retorno aos palcos de São Paulo.


PAULISTANOS

Táxi Cultura: Uma satisfação poder realizar essa entrevista com vocês. Gostaria que contassem um pouco da trajetória e da paixão pela dramaturgia.

Ricardo Blat: Eu morava em Ferraz de Vasconcelos quando ainda era um bosque de eucaliptos; foi lá que descobri o que era riacho, carrinho de rolimã, pipa, entre tantas outras coisas. Estudei em Mogi das Cruzes, terminei o ginásio e fui fazer o clássico porque queria ser professor de Letras; e no clássico tinha um clube de história e o professor fazia vários projetos, reunia o pessoal pra montar peças de teatro, o que me interessava bastante. Chegando a hora de prestar o vestibular, simultaneamente fiz um teste com o Antunes Filho, no SESC Anchieta, e passei. Então cheguei para os meus pais e disse o seguinte: “Acho que não vou mais prestar o vestibular, vou fazer só teatro, tô entrando em uma companhia muito forte em São Paulo, e eu queria a permissão de vocês”. Eles foram unânimes em dizer: “Meu filho, o mundo precisa de tudo, de porteiro, lixeiro, motorista de ônibus, médico, bombeiro, piloto, dentista, enfim, tudo, e também precisa de ator. Se você quer entrar nessa carreira, entre com dignidade e faça dela uma beleza, um caminho lindo na tua vida”. Foi aí que comecei meu trabalho de ator com o Antunes Filho. Depois trabalhei com Madalena Nicol, Celso Nunes, na TV Tupi. Na primeira versão da Ivani Ribeiro, fui para o Rio fazer “Estúpido Cúpido”, depois outras novelas da TV Globo, entre elas “Te contei?”, ”Sem lenço, sem documento”. Viajei pelo Brasil com Glória Menezes fazendo “Navalha da carne” e muitas outras coisas.

Cristina Pereira: Eu queria estudar teatro por ser muito tímida, tinha certeza que não conseguiria começar em um grupo ou coisa assim. Então fiz a EAD (Escola de Artes Dramáticas da USP) e me formei na turma de 70. A turma que eu me formei foi a mesma do Carlos Alberto Sofredini, Valter Franco, Walter Cruz, Acaiabe, Maria Eugênia Domênico, Helena Rocha, João Luiz Oliveira, uma turma bem grande mesmo.

Depois que saí da escola comecei a fazer teatro profissionalmente, a primeira peça que eu ensaiei foi “O casamento do pequeno burguês”, com Luiz Antônio Martinez Correia e direção dos atores era da Miriam Muniz, mas acabou não dando certo. Sou uma aluna e cria da Miriam porque fui sua aluna na escola e fiz os cursos dela. Ela foi minha professora de interpretação junto com o Ademar Guerra em “A Missa leiga”. Em seguida fui para o Teatro Arena e, a partir daí, fiz um espetáculo no Teatro Popular do Sesi chamado “Maroquinhas Fru Fru” e muitos outros espetáculos.

Táxi Cultura: Tem algum espetáculo que tenha marcado de forma definitiva a carreira de vocês?

Ricardo Blat : Eu acho que todos os trabalhos são pontuados de uma significância muito forte cada um, mas trabalhar com Antunes foi uma grande lição. Fiz meu primeiro espetáculo profissional, foi muito bom e com ele realmente entendi o que era o teatro. Nós ensaiávamos de 10 a 12 horas, começando às duas da tarde e ia até a meia noite, e ainda levávamos tarefas pra fazer em casa. Era preciso assumir uma atitude, um comportamento, uma postura artística de opinião. Trabalhar com a Cleide Yáconis também foi um sonho, porque eu sempre admirei o trabalho dela; com a Cacilda foi uma lição de disciplina, do que é o teatro. Trabalhar com Celso Antunes no espetáculo “Equus” foi importantíssimo porque me alavancou devido ao seu grande sucesso em São Paulo. Eu substituí o Everton de Castro e tive a honra de atuar com Paulo Autran em São Paulo, e com Rogério Fróes no Rio. Era um espetáculo realmente muito bonito. Dando uma pulada legal, no início dos anos 90 eu fiz um texto do Caio Fernando Abreu, um conto, uma história de borboletas, mas que era uma peça adulta. Foi um evento lindo, um espetáculo com dinheiro para fazer somente um mês e com a possibilidade de dar continuidade caso fizesse sucesso. Realmente fez sucesso e eu acabei ganhando o prêmio Shell de melhor ator.

O ofício do ator Ser ator é ter opinião sobre o que está acontecendo à sua volta; é contar através da lente do teu olhar o teu ponto de vista, assim é possível fazer várias leituras de uma só obra. Eu faço teatro pra me curar, pra melhorar, pra me lapidar, e é um instrumento muito importante na minha vida, e não só no teatro.

Abril | REVISTA TÁXI CULTURA

9


PAULISTANOS

Cristina Pereira: Eu também parto dessa opinião do Ricardo de que todos os trabalhos têm uma importância muito grande, muito bacana. Gostei muito de ter podido fazer “A Missa Leiga”, que foi fundamental pra mim como uma experiência grande de teatro, do teatro posicionado, que traz alguma coisa para o público no sentido de defender uma ideia; eu gosto muito desse teatro que é quase um teatro político. Eu vim com essa formação quando passei pelo Teatro de Arena, então esse teatro mais engajado sempre me interessou bastante.

O nosso trabalho subentende o envolvimento, o empenho de dormir e acordar com aquilo

Gostei também de um trabalho que eu fiz sozinha chamado “Tam Tam”, dirigida pelo Elias Andreato e texto do Rafael Camargo. Era uma história de exclusão, que várias mulheres eram tidas como loucas pela sociedade, mas que na realidade não eram nada loucas. Também gosto dos trabalhos que eu fiz na Casa da Gávea; “A Tartaruga de Darwin”, que encenei no ano passado, foi muito importante e desafiador pra mim como atriz.

No teatro você tem autonomia de interpretar, você chega ao camarim, o camarim é teu, na frente do espelho a maquiagem é tua, é você quem se concentra e se prepara junto do outro, junto depois com o público. A relação que o ator tem com o teatro, em minha opinião, é muito mais encantadora porque é livre e autônoma. Eu não gosto de trabalhar subjugada por nada, eu não gosto de me submeter, apesar de ser complicado e, às vezes, ser preciso. Mas é complicado, porque a natureza do ator não é submissa.

Táxi Cultura:

Ricardo Blat:

Qual a diferença de fazer teatro, cinema e TV?

Cristina Pereira: Os projetos são mais importantes que os veículos, mas o que mais me encanta no teatro é a autonomia 10

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril

que o ator não tem na televisão, e menos ainda no cinema. Isso é difícil pra nós, atores. O mais importante para um ator é trabalhar envolvido, acho que você tem que estar envolvido em tudo que você faz, então por menor que seja o papel na televisão eu preciso me envolver bastante. O nosso trabalho de ator subentende o envolvimento, o empenho de você dormir e acordar com aquilo, se comprometer e dormir com a bola, como se diz aos jogadores de futebol.

Eu concordo com a Cristina que dentro da televisão você é mais uma peça, dentro de um grande mecanismo, mas, sem dúvida nenhuma, se você tem um bom texto, uma boa dramaturgia e uma boa oportunidade, você consegue um espaço muito bom. A televisão é


PAULISTANOS

o veiculo que atinge populações longínquas, lugares onde não poderíamos chegar por ofício da gente; por isso devo meu respeito à televisão em possibilitar que eu faça o meu trabalho e o ofereça a pessoas que não teriam oportunidade de me ver de outro modo. Acho que ser ator é ter opinião sobre o que está acontecendo à sua volta; é contar através da lente do teu olhar o teu ponto de vista, assim é possível fazer várias leituras de uma só obra. Eu faço teatro pra me curar, pra melhorar, pra me lapidar, e é um instrumento muito importante na minha vida, e não só no teatro. Uma coisa que sempre digo é que eu gosto de fazer teatro como se faz comida na hora; não dá pra fazer teatro como se fosse comida requentada, congelada, rapidinho, como se pegasse do freezer e colocasse no forno e apresentasse ao público, seria um desrespeito ao público que sai de casa e vem, estaciona o carro, pega um ônibus ou metrô para te assistir. Você tem que ter o maior respeito.

Táxi Cultura: Qual a importância de voltar a São Paulo?

Ricardo Blat: Vendo agora e ouvindo a Cristina falar, posso entender porque sou amigo dela a tanto tempo. A Cristina sempre foi uma pessoa que contribuiu na minha vida, para o meu conhecimento e eu nem nunca havia dito

isso a ela. Faço isso agora. Ela sempre veio por um lado muito inteligente e real da vida e muito lúdico também, de uma criatividade incrível, e é por isso que tenho um prazer enorme de estar dividindo o palco com ela no “Pamonha e Panaca” que é um espetáculo que você só pode fazer com um tipo de ator que, como a Cristina Pereira, é uma pessoa disponível, consciente e que se entrega ao trabalho. Desde que a conheço, ela sempre mostrou esse lado, me encantou e me ensinou muito com seu comportamento e atitudes. Ela sempre completou tudo aquilo que eu precisava compreender melhor da vida, como um apoio, uma luz, ao mostrar uma conduta com respeito, integridade e honestidade. Então, a vinda pra São Paulo depois de tanto tempo, poder estar juntos, dar esta entrevista e falar sobre tudo isso é algo muito forte.

Cristina Pereira: Esse encontro depois de tanto tempo, por mais que a gente já tenha trabalhado junto, nunca trabalhamos assim só nós dois, é uma coisa muito especial, porque a gente tem toda essa história, uma vivência de 40 anos. E, de repente, poder se encontrar no palco é algo incrível. Eu via sempre os trabalhos do Ricardo e admiro muito; vi todo a processo dele no “Equus”: foi uma coisa absolutamente fantástica o modo como ele se transformou naquele personagem e como fez aquele trabalho. Hoje, é uma coisa extraordinária estarmos juntos novamente, partilhando desse jogo bem intimamente; esse é o grande lance do trabalho. Abril | REVISTA TÁXI CULTURA

11


fique LIGADO

!

Cultura

Oficinas Culturais abrem as inscrições para cursos e workshops No dia 5 de abril, o Governo de São Paulo abriu as inscrições para a programação das Oficinas Culturais do estado, que acontecerão entre os meses de abril e junho. Ao todo serão oferecidas 21.522 vagas divididas em 628 atividades em todo o estado de São Paulo. Para o Secretário de Estado da Cultura, Andrea Matarazzo, as oficinas integram um dos principais programas de formação cultural do Governo de São Paulo. “Por meio de aulas e cursos gratuitos, o programa oferece conhecimento de qualidade a artistas e agentes culturais”. Um dos destaques da programação é o workshop Paisagem Diagonal: Vídeos e Autorias On e Offline, que acontece na Oficina Cultural Oswald

de Andrade, no Bom Retiro. Ministrada pelo artista multimídia Eduardo Salvino, a atividade abordará a construção de vídeos e sua postagem na rede, atentando para a dimensão crítica e estética desses trabalhos. Criadas em 1986, as Oficinas Culturais oferecem atividades diversificadas com o objetivo de capacitar agentes culturais e formar novos públicos. São 21 Oficinas Culturais em todo o estado, seis delas na capital Bom Retiro, Brás, Barra Funda, Itaquera, Vila Brasilândia e São Miguel Paulista - e 15 no interior do estado. Para saber mais sobre a programação e as datas e inscrições, acesse o site www.oficinasculturais. org.br e clique em Programação abril a junho.

Localizada no bairro do Bom Retiro a Oficina Cultural Oswald de Andrade está com inscrições abertas

Teatro

12 homens e uma sentença Mundialmente conhecido através da adaptação para o cinema de Sidney Lumet, de 1957, o texto de Reginald Rose, em cartaz no Teatro Imprensa, recria com primor o dilema do filme, quando 12 jurados devem decidir o destino de um jovem de 16 anos, acusado de assassinar o próprio pai. Com um elenco de primeira linha, o espetáculo marca a volta aos palcos – depois de

“12 Homens e uma Sentença” Teatro Imprensa Rua Jaceguai, 400 – Bela Vista Tel.: (11) 3241-4203

12

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril

55 anos – de José Renato, um dos fundadores do Teatro de Arena, que revolucionou a dramaturgia brasileira a partir dos anos 50 e 60. Com uma direção que prioriza o valor do texto, Eduardo Tolentino prende a atenção do espectador, que mergulha nos dilemas e revelações, acerca da justiça e relações humanas, que envolvem todos os personagens.

Quinta, sexta e sábado, 21h; domingo, 19h R$ 30 (quinta), R$ 40 (sexta e domingo) e R$ 50 (sábado)


SP

TEM Por Daniel Ferreira

Arte é saúde, saúde é arte!

A única certeza que todos nós temos é de que, um dia, morreremos

A

Daniel Ferreira

Educador e médico, coordena o Grupo do Bem Estar e da Felicidade, que reúne todas as sextas, às 13:30 hs na Galeria Olido. dbmmsferreira@hotmail.com www.twitter.com/grupodobemestar

morte, esta indesejada das gentes, como dizia o médico Guimarães Rosa, contribui para a significação dos valores humanos. E ao refletirmos sobre o fim (ou sobre a transformação), poderemos perceber, mais claramente, aquilo que realmente importa. “A vida é breve, a arte é longa...” contou-nos, certo dia, à sombra dos plátanos da ilha do Kós, na Grécia, aquele considerado o pai da medicina, Hipócrates. Temos pouco tempo para saber quem somos, de onde viemos e para onde vamos. Somos atrapalhados por distrações, compulsões, futilidades e, por vezes, não descobrimos o que queremos fazer, qual a nossa tarefa, no sentido cunhado por Paulo Freire. A busca por estas respostas pode levar a vida toda e, mesmo ao seu cabo, permanece. Afinal, somos inacabados. “Saúde não é ausência de doenças, mas um completo bem estar físico, psíquico, social, econômico e espiritual.” (Organização Mundial de Saúde). As pessoas oscilam, todas, durante suas biografias, pelo espectro formado pelo gradiente saúde/ doença. Algumas vezes mais saudáveis; noutras, mais doentes. Acredito que o completo bem estar possa surgir quando o indivíduo consegue auscultar sua Verdade, Seus Valores e colocá-los a serviço de si mesmo e da humanidade com Integridade, Coerência e AMOR. Assim, quanto menor a distância entre o discurso e as atitudes, maior será o bem estar. “Arte é preciso, porque a vida não basta”, sintetizou Ferreira Gullar, singelamente, a importância da arte para nossas existências ao receber o Prêmio Camões de Literatura. As pessoas são capazes de contemplar e produzir trabalhos únicos, sem obri-

gatoriedade de possuírem alguma utilidade. Qual a função de um quadro? Para que serve a dança? E, no entanto, quanta poesia, quanta satisfação, quanto enlevo na sua geração e em sua fruição. “Todo homem é um artista.” Joseph Beuys exortou a todos e a todas a inserirem a arte na vida cotidiana. Uma insuspeita dona de casa, um simples cozinheiro, um advogado podem, se quiserem, plasmarem atuações apaixonadas, interessadas, entusiasmadas, repletas de fé e de esperança, alinhadas com suas crenças mais íntimas, a serviço do “respeitável público”. Certamente, sentir-se-ão bem, de forma integral. Seus corpos físicos (terra), etéreos (água), anímicos (ar) e espirituais (fogo) estarão mais equilibrados. Pensar, sentir e querer. Ritmo. Pensamento, sentimento e vontade. Quantos têm dificuldade em parar de fumar, em emagrecer? Quantos pensaram em alterar seus relacionamentos? Quem quer mudar de emprego ou de carreira? Somos felizes, aqui e agora? O que nos falta? O que nos escapa? “Nós devemos ser a mudança que queremos ver no mundo.” Gandhi provou que todos nós temos um poder. Para este poder agir, precisamos acreditar, confiar e nos entregar, sem medos, sem receios, sem pudores. Assumindo todos os riscos. Pagando todos os preços. Resistindo a todas as provações e dores. Precisamos construir nossa blindagem para viver e sobreviver neste Holocausto-mundo. “Nossa mais elevada tarefa é a de ajudar as pessoas a caminharem cada vez mais, por si mesmas.” Rudolf Steiner Caminhemos, todos, com engenho e arte para que tenhamos saúde e vida plena e com abundância!

Abril | REVISTA TÁXI CULTURA

13


TECNOLOGIA Por Fernando Lemos

Recarregador para pilhas alcalinas comuns

M

uitas pessoas aderiram às pilhas recarregáveis. São pilhas especiais, custam mais caro mas trazem uma economia razoável ao longo do tempo pois permitem a recarga várias vezes.

Para melhorar este segmento, já está patenteado um projeto europeu que é uma novidade muito útil: um recarregador para pilhas alcalinas comuns. É o WATTS CLEVER. Tem a aparência de carregador comum com uma tecnologia elétrica interessante e diferente. Internamente, traz um microprocessador que controla a carga da pilha e evita que ela sobreaqueça. Com ele, é possível recarregar pilhas alcalinas - que já são mais duradouras que as comuns - por até 20 vezes. Mesmo considerando que cada carga dura menos que a anterior, a economia com pilhas será imensa. Mas somente podem ser recarregadas as pilhas alcalinas e não as pilhas comuns.

EVOMOUSE 152 /408

FLOOLA

Fernando Lemos é estrategista nas áreas de educação e informática e coordena o projeto Tecnologia para Todos www.tecnologiaparatodos.com.br/

U

ma novidade interessante e que está mudando o conceito do mouse que nós conhecíamos até hoje. É o EvoMouse, um novo gadget que está sendo lançado na Europa, e que transforma o mouse em algo totalmente virtual. Ele fica sobre a mesa e tem o formato de um cachorro, cujos olhos são um par de sensores que captam os comandos dados pelos movimentos da mão do usuário, transmitindo-os para o PC; permite, assim, todas as funções de um mouse comun como zoom, duplo clic e outros.

O EvoMouse transforma o mouse em algo totalmente virtual

Existem duas versões do EvoMouse: a versão PET, que é apenas o mouse e a CUBE, que traz também um teclado seguindo o mesmo princípio. O usuário movimenta os dedos na direção da tecla virtual projetada na superfície. Compatíveis também com Black Berry, Symbian e Windows Mobile, em ambos os casos a conexão é feita com o PC via tecnologia BlueTooth. Com uma bateria de até duas horas que você carrega por USB, ele é prático, bonito e diferente.

14

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril

U

ma novidade para quem gosta de música, mas se sente preso ao iTunes. Um software novo chamado FLOOLA pode substituí-lo, e muito bem. Menor, nem sequer precisa ser instalado no seu sistema. Pode ser carregado em um pendrive e assim ser acessado de qualquer computador. Ainda não é compatível com iPhone ou iPod Touch mas roda em ambientes MAC, Linux e Windows. E permite transferir músicas para o iPod ou extrair qualquer música, do seu player. Basta abrir o software e conectar o iPod no seu PC. E ainda permite importar arquivos diretamente da internet. O FLOOLA é gratuito e pode ser baixado em www.floola.com


Abril | REVISTA Tテ々I CULTURA

15


Virada Cultural A maior festa da cidade chega à sua sétima edição com fôlego redobrado. Serão mais de mil atrações distribuídas em treze palcos, sete pistas, além de várias apresentações itinerantes Por Waldir Martins Incorporada pela cidade a Virada Cultural atrai milhões de participantes

A

As mais variadas expressões de arte e cultura desfilam pela cidade

16

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril

presentada no último dia 25 de março pelo prefeito Gilberto Kassab, em coletiva de imprensa realizada na Galeria Olido, a programação da 7ª Virada Cultural mostra a enorme importância que o evento adquiriu na agenda cultural da cidade. Marcada para acontecer nos dias 16 e 17 de abril, com suas tradicionais 24 horas ininterruptas de atrações culturais, a Virada Cultural 2011 promete ser a maior e mais bem organizada de todas as edições já realizadas. Ao todo serão mais de mil atrações gratuitas, distribuídas em treze palcos, sete pistas, além de diversos espaços para apresentações itinerantes, com a participação de artistas de rua. Para o prefeito Gilberto Kassab, o evento já se consolidou no calendário da cidade e extrapolou as fronteiras, atraindo visitantes de diversas regiões do país e também do exterior. “A Virada Cultural se tornou o grande evento cultural da América Latina com a participação de, aproximadamente, três milhões de pessoas. Ela está cada vez mais organizada e estamos muito motivados em mais uma vez obter um recorde, não só de público, mas também de qualidade. Tenho certeza que, assim como nas outras edições, iremos oferecer um excelente evento ao público”, afirmou Kassab.


CAPA Uma programação inovadora e internacional Uma das grandes novidades para este ano será a inclusão do stand-up comedy na programação, demonstrando a força que o chamado humor de cara limpa tem conquistado na cena cultural paulistana. O Viaduto do Chá será o palco que irá receber os 28 comediantes, que apresentarão diferentes esquetes. Entre os convidados estão nomes consagrados como Marcelo Médice, Danilo Gentili, Rafinha Bastos e Robson Nunes. Outra novidade será a inserção de três antigas salas de cinema do Centro para a exibição de clássicos do cinema nacional e internacional e grandes produções do cinema atual. No cine Windsor será realizada uma retrospectiva do cineasta José Mojica Marins – o Zé do Caixão. No cine São José serão exibidos filmes do cinema de catástrofe, como A Guerra dos Mundos (1953), Aeroporto (1970) e Inferno na Torre (1974). No cine Olido a programação privilegiará os grandes musicais, em produções como Cabaret (1972), Hair (1979) e Jesus Cristo Superstar (2000).

Book por ter se apresentado por mais de 16 horas seguidas, promete ser uma atração à parte para os fãs da famosa banda inglesa: tocará absolutamente todas as canções, de todos os discos dos Beatles, respeitando a ordem cronológica de lançamento. Pistas espalhadas entre o Largo São Francisco, Praça da Sé e Praça Princesa Isabel estarão abertas para quem curte música eletrônica. Com presença confirmada de dezenas de DJs, o público poderá apreciar a discotecagem de Roberto Cohen, ou poderá dançar ao som de DJs israelenses (Lish e Sub6), alemães (Protonica e Kaempfer), ou ainda sul-africanos (Rex e Maden on Earth), entre vários outros. Outra atração que irá atestar o espírito de vanguarda e interatividade presentes na Virada 2011 será o grande encontro de bateristas programado para o início da noite de sábado no Vale do Anhangabaú. Sob a coordenação do professor Dino Verdade, centenas de kits de bateria serão montados em pleno Vale, para receberem músicos que irão tocar simultaneamente como uma orquestra. Os interessados em participar devem fazer sua inscrição pelo site da Virada, no endereço http://www.viradacultural.org/.

A Virada é o encontro do cidadão com a cultura

Música, música e música

O stand-up será uma atração especial no Viaduto do Chá

Tendo nos shows musicais as atrações que conquistam um maior número de espectadores, a Virada 2011, em busca de consolidar-se como um evento de ressonância mundial, contará com um número recorde de músicos e bandas internacionais. Subirão nos palcos da cidade bandas como a Skatalites, a cantora e compositora cubana Yusa, a banda do trombonista Fred Wesley, que tocou com James Brown, nos anos 60 e 70, e ainda a banda Steel Pulse, criada em 1975 por jovens descendentes de jamaicanos moradores da Inglaterra, e o bluesman albino Edgar Winter. Entre os nacionais, destaque para Rita Lee - que será responsável pelo show de abertura da Virada no palco da Júlio Prestes às 18h do sábado - Paulinho da Viola, Erasmo Carlos, Marina Lima, Dominguinhos, Renato Teixeira, Genival Lacerda e muitos outros. Novos talentos, como Duani e Thais Gullin também subirão aos palcos para levar ao público os mais diferentes estilos e batidas musicais.

E ainda mais música Formada por músicos brasileiros, a banda Beatles 4Ever, que já teve seu nome incluído no Guiness

Uma festa da diversidade Para a mais tradicional esquina de São Paulo – aquela das avenidas Ipiranga e São João – está programado um desafio do tamanho da cidade: tentar quebrar o recorde mundial de casais de dança de salão. “A Virada é o encontro da população com o centro da cidade, além de encontros inusitados. Ela é uma festa inclusiva onde temos todas as classes sociais e faixas etárias representadas”, considerou Carlos Augusto Calil, secretário municipal de Cultura. O sambista Leandro Lehart será responsável por outra atração que estará em busca de quebrar um recorde de participação popular. Durante a apresentação do seu show de sambas-enredo, o músico promete reunir na plateia, a maior bateria de escola de samba jamais vista, com mais de mil ritmistas. Atrações que estiverem presentes na edição de 2010 e foram muito bem recebidas pelo público, como o espaço dedicado aos cosplayers, aos jogadores de RPG, à parada dos trackers, vikings e suspensão corporal, novamente estarão presentes.

Abril | REVISTA TÁXI CULTURA

17


CAPA A combinação entre cultura e turismo Outra novidade para este ano será o ringue de luta livre. Vindos do México especialmente para o evento, atletas da popular Lucha Libre se apresentarão no Anhangabaú. Entre os nomes confirmados, teremos a participação de Héctor Garza, Hijo del Fantasma, Terrible, Texano, Stuka e Ángel de Oro. Os lutadores brasileiros também participam: Black Star, Sonrisal, Mister Rock, Marcio Boto, Claudia e Pucca são alguns deles. Para o presidente da SPTuris, Caio de Carvalho, a Virada representa ainda aumento do turismo na cidade. “A Virada é sem dúvida um evento que atrai turistas para São Paulo e a cada edição temos superado recordes de público. A Prefeitura tem trabalhado com competência e técnica a questão do negócio e a agenda cultural. A cidade vive atualmente seu melhor momento econômico na área do turismo. A nossa população, inclusive, já percebeu a importância da economia criativa e do incentivo à cultura para fomentar toda a rede econômica local”, ressaltou Caio de Carvalho.

Um evento de inclusão Andrea Matarazzo, secretário estadual da Cultura, que já participou de diversas outras edições como subprefeito da Sé e secretário de Coordenação das Subprefeituras, destacou a inclusão como uma das principais características do evento. “É incrível como a população de São Paulo incorporou a Virada Cultural como evento permanente e crescente. O tom principal desta iniciativa é a diversidade de eventos e todos com muita qualidade. É democratizar a cultura oferecendo qualidade para aqueles que não têm acesso”.

A programação de 2011 apostou em atrações para adultose crianças

18

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril

Diretamente subordinados à Secretaria de Estado da Cultura, os museus do Futebol e da Língua Portuguesa também participarão da Virada Cultural e terão seus horários de funcionamento estendidos. Outro ator fundamental em todas as edições da Virada Cultural, como co-realizador do evento, ao lado da Secretaria Estadual da Cultura, o SESC São Paulo mais uma vez estará presente, disponibilizando seus equipamentos para um grande número de atrações durante todas as 24 horas da Virada. Segundo Danilo Santos Miranda, Diretor do SESC/SP, a Virada Cultural “é o único evento no qual as atividades


CAPA

realizadas nas dependências do SESC são inteiramente grátis”. Nesta edição, as unidades do SESC que estarão abertas ao público serão Pompéia, Consolação, Itaquera, Belenzinho e ainda o Cine Sesc.

Suporte aos participantes Depois de enfrentar alguns problemas em edições anteriores, o trabalho de organização e segurança da virada recebeu um cuidado especial. Este ano, dois mil homens da Polícia Militar, 500 da Guarda Civil Municipal, 700 seguranças particulares e 200 brigadistas ficarão responsáveis para garantir que tudo transcorra dentro da maior tranquilidade. Além disso, três postos médicos fixos, 57 ambulâncias e 20 Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) móveis estarão disponíveis para eventuais emergências.

Com mais de mil atrações que irão acontecer pelos nos palcos, pistas e ruas da cidade, a Virada 2011 promete ser a maior e melhor organizada

Para dar o suporte necessário para mais de três milhões de pessoas, serão montadas praças de alimentação no Vale do Anhangabaú e na Praça Princesa Isabel, e barracas de pastel, tapioca, caldo de cana e porções de salada de fruta estarão distribuídos em outros pontos do evento. Cerca de mil banheiros químicos estarão espalhados e localizados em dez bolsões de serviços sanitários. Para quem vai participar e precisar de informações, 80 totens de sinalização - com dados sobre artistas, locais e horários de cada apresentação estarão colocados em pontos estratégicos, como as saídas do Metrô e locais com alta circulação de pessoas. Segundo o secretário municipal de Serviços, Dráusio Barreto, equipes de plantão com mais de mil funcionários estarão trabalhando para manter a cidade limpa. Na hora da festa, desfrute e curta tudo o que a nossa cidade oferece, mas não se esqueça que praticar cidadania é um elemento fundamental para que a festa seja completa. Contribua e cuide do que é seu!

Abril | REVISTA TÁXI CULTURA

19


AGENDA

Orquestra Experimental de Repertório e Sepultura tocam juntos pela defesa do pau-brasil Pela primeira vez, a Virada Cultural recebe um encontro inusitado para a defesa da causa da preservação do meio ambiente. O encontro entre a música erudita e o rock ‘n roll, que será protagonizado pela banda Sepultura e a Orquestra Experimental de Repertório, corpo artístico do Teatro Municipal de São Paulo, dia 16, no Palco Estação da Luz, à 0h, tem como principal bandeira a preservação do pau-brasil

20

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril

Andre Luiz Bellafronte

Galeria de Prefeitura de Sete Lagoas

Alexandre Cardoso

Virada Cultural

Contemplando a magia secular do circo

Multi-programação infantil

Nessa edição a Virada Cultural apresenta circos para todos os gostos e idades e procura contemplar todas as regiões da cidade. Na Júlio Prestes, a “Cia. Base”, que em 2010 foi agraciada com o prêmio Funarte de Circo, tendo se apresentado em diversas cidades do interior paulista com grande sucesso de crítica e público, apresenta o espetáculo “As Mulheres do Sol e o Balão Mágico” que integra circo, dança, teatro e esportes, mostrando bailarinas superando os limites da gravidade em um balão a 20 metros de altura.

A programação desse ano privilegiou uma série de atrações para o público infantil. Diversa e abrangente, ela conta com circo, teatro, passeios, ilusionismo, contação de histórias, música, dança, oficinas em geral e passeio noturno na Pinacoteca. Um dos pontos altos será o “Viradinha Cultural”, atração que acontecerá no Centro Cultural São Paulo, a partir das 20h do sábado. Lá, os pequenos poderão acampar em barracas. E, espalhados pela cidade, haverá uma série de outras atrações pensadas especialmente para a a criançada.


AGENDA

virada cultural

Palco Barão de Limeira

Palco São João

Palco República

18h00 - Anastácia 20h00 - Eliezer Setton 22h00 - Flavio José 00h00 - Dominguinhos 02h00 - Genival Lacerda 04h00 - Sandro Becker 06h00 - Gaby Amarantos 08h00 - Dona Onete 10h00 - Banda de Pau e Corda 14h00 - Renato Teixeira 16h00 - Falamansa 18h00 - Forroçacana

19h00 - Armando Manzanero (México) 21h00 - Chicha Libre (EUA) 23h00 - Skatalites (Jamaica) 01h00 - Love Trio + U-Roy (EUA - Jamaica) 03h00 - Macaco (Espanha) 05h00 - Marcelo Yuka 07h00 - Dj Dolores y Orquestra Santa Massa 09h00 - Yusa (Cuba) 11h00 - Sossega Leão 13h00 - Ska Cubano (Cuba) 15h00 - Mad Professor (Jamaica) + Marty Dread 17h00 - Steel Pulse (Inglaterra)

18h00 Festa 011 – KL Jay, Edi Rock e Don Pixote 20h00 Taylor McFerrin (EUA) e BNegão 22h00 Fred Wesley and the New JBs (EUA) 00h00 Toni Tornado e Dom Salvador + Abolição 02h00 Dumpstaphunk (EUA) 04h00 Di Melo 06h00 Instrumental Explosion – Incendiary Funk and R&B Instrumentals 1966–1973 08h00 Monarco 10h00 Riachão 12h00 Paulo Miklos e Quinteto em Branco e Preto: Noel 14h00 Leandro Lehart (Maior Bateria do Mundo) 16h00 Mart’nália 18h00 Paulinho da Viola e Orquestra de Cordas de Curitiba

Palco Júlio Prestes

Balão da Julio Prestes

18h00 - Rita Lee 20h00 - Edgar Winter (EUA) 22h00 - Irmandade do Blues & Larry Mccray (EUA) 00h00 - Voodoo Zombies (Chile) 01h30 - Conjuração Satânica – Zé do Caixão 02h00 - The Misfits (EUA) 04h00 - Minikiss (EUA) 06h00 - Texas Hippie Coalition (EUA) 08h00 - P.O.D. (EUA) 10h00 - Tihuana 12h00 - Charlie Brown Jr 14h00 - Plebe Rude 16h00 - Blitz 18h00 - RPM

As Mulheres do Sol e o Balão Mágico – Cia Base | às 17h30, 19h30 e 13h30

Bulevar São João Maratona: a banda Beatles 4ever toca todos os discos dos Beatles na sequência das 18h00 às 16h30

Palco Santa Ifigênia e Palco Cásper Líbero Cultura periférica

Palco XV de Novembro 18h00 - Tiê 20h00 - Thaís Gulin 22h00 - Lucinha Turnbull 00h00 - Cibelle e Cidadão Instigado 02h00 - Denise Assunção 04h00 - Martin e Eduardo 06h00 - Sabonetes 08h00 - Lu Horta 10h00 - Brasileirinhos – Paulo Bira 14h00 - Maria Alcina e Edy Star 16h00 - Daniel Gonzaga 18h00 - Jorge Mautner

Vale do Anhangabaú / Palco Dimensional 18h00 - Encontro de Bateristas / Orquestra de Baterias Dino Verdade Novos talentos

Palco Arouche 19h00 Fernando Mendes 21h00 Elymar Santos 23h00 Ritchie 01h00 Marina Lima 03h00 Bamdamel 05h00 Vinny 07h00 Big Time Orchestra 09h00 Zéu Brito 11h00 A Cor do Som 13h00 Os Incríveis 15h00 Los Straitjackets (EUA) 17h00 Erasmo Carlos

Viaduto do Chá Anhangabaú Comédia Stand-Up 28 comediantes se apresentarão durante toda virada

Palco Líbero Badaró

Arena Anhangabaú

19h00 - Chico Pinheiro 21h00 - Ronnie Cuber (EUA) e Hammond Grooves 23h00 - Brian Auger’s Oblivion Express (Inglaterra) 01h00 - Eumir Deodato 03h00 - Freegideira e Benjamin Taubkin 05h00 - Brown Bird (EUA) 07h00 - Coolbrazz 09h00 - Boris Savoldelli Voice Orchestra (Itália) 11h00 - Jashgawronsky Brothers (Armênia-Itália) 13h00 - Rumpilezz 15h00 - Tohpati Ethnomission (Indonésia) 17h00 - Soft Machine Legacy (Inglaterra)

Luta Livre / World Cosplay Summit: All Stars / Dimensão Nerd / Conjuração Satânica Zé do Caixão / Meditação Teatro Cosplay / Jogando no Quintal

Vale do Anhangabaú / Corredor Dimensional Exposições HQ / Oráculos Fãs Clubes / Desfiles

Pateo do Collegio Pagliacci – ópera ao ar livre: Orquestra Sinfônica Municipal, Coral Lírico, Acrobático Fratelli, Pia Fraus e Visualfarm / Pagliacci / Circo Zanni / Projeção Monumental – Visualfarm / Gigantes de Ar – Pia Fraus/ Paraladibom – Cia Paraladosanjos

Abril | REVISTA TÁXI CULTURA

21


AGENDA

virada cultural

EVENTOS

Palco Estação da Luz

Coreto – Parque da Luz

19h15 Balé da Cidade 21h00 Orquestra de Câmara da USP: Stravinsky – Zappa – Ginastera – Scrutinizer 00h00 Orquestra Experimental de Repertório Convida Sepultura 04h00 Pop Orquestra & Dança FILAFRO 07h40 Jazz Big Band de Santos Homenageia Zé Rodrix 09h30 Orquestra Fervorosa Convida Inezita Barroso 11h30 Banda Sinfônica do Estado de São Paulo 14h00 Balé Stagium 15h20 Cisne Negro Cia de Dança 17h15 Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo 18h00 São Paulo Companhia de Dança e Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo

Big Bands de São Paulo – (projeto Elefantes)

Parque da Luz Caminho Articulado (Espanha) | das 19h00 às 06h00 Piano na Praça –virtuoses tocam os mais diversos estilos ao piano durante toda virada

Pistas de Música eletrônica e apresentação de DJs Largo São Francisco / Praça da Sé / Praça Princesa Isabel Ladeira da Memória / Praça Alfredo Issa / Rua Major Sertório

Rua General Rondon—Dubversão

Lgo. do Paissandú

Dubversão

Discotecagem / Vídeos e Fotos / Suspensão corporal / debate com o público

Galeria Prestes Maia

Rua Marconi / Praça Ramos / Praça do Patriarca/ Ed. Matarazzo Circo e teatro de rua / artistas de rua / mágicos 24h

Maratona de narração de estórias

Viaduto Santa Ifigênia

Cine Windsor - Mojica 24 Horas

Black Box – Cia de Theatro Fase 3 | das 09h00 às 18h00

Black Box – Cia de Theatro Fase 3 | das 09h00 às 18h00

Avenida Ipiranga, 974 por toda a virada – Mostra Zé do Caixão

Cine Dom José - Cine Catástrofe

Cine Olido—Cinema para Cantar e Dançar

Rua Dom José de Barros, 306

Av. São João, 473 – Galeria Olido

Vitrine da Galeria Olido Feira de livros – Karaokê e Sarau literário

Onibus da Dança

Trem da CPTM

Av. Ipiranga X Av. Rio Branco desafio dança de salão: reunir o maior número de casais.

Dança no trem - 01h00 Jam Session no Trem: para ver, sentir e dançar

Áreas de Convivência Matinê Zona de Riso das 21h00 às 23h00, das 12h00 às 15h00 e das 16h00 às 18h00

Praça Darcy Penteado e ruas do centro

Circular do Maracatú Maracatú 24hs

Centro Cultural São Paulo Rua Vergueiro, 1000 - Paraíso, ao Lado do Metrô Vergueiro das 20h00 às 11h00 Viradinha Cultural - Clã-Estúdio das Artes Cômicas 11h30 Concerto Especial na Virada - Antonio Lauro Del Claro (Violoncelo) e Ricardo Ballestero (Piano)

Sesc São Paulo

Espaço Cênico Ademar Guerra

Unidades Interlagos

Sesc Belenzinho

19h00 O Grande Grito – Grupo Luz e Ribalta 21h00 Luis Antonio – Gabriela Grupo Cia Mungunzá de Teatro das 23h00 à 00h00 Especial Cabaré Zona de Riso

Avenida Manuel Alves Soares, 1100 Tema: Fora do Eixo: Sagrado ou Profano? Apresentações de Teatro Música Circo - Dança Artes Plásticas e Visuais Literatura

Rua Padre Adelino, 1.000 Belenzinho Tema: Bem [Além] das Imagens Apresentações de Teatro / Música / Circo / Dança / Multimídia e Internet Artes Plásticas e Visuais / Literatura / Cinema e Vídeo / Infantil

Sala Adoniram Barbosa das 21h00 às 22h40 Gafieira Paulista e Tereza Gama das 23h00 à 01h40 Orquestra Lira Latina 01h00 Opalas – Gerson King Combo e Lady Zu 18h00 Fred Wesley and the New JBs 22

...

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril

Sesc Vila Mariana

Sesc Santo Amaro

Sesc Santana

Rua Pelotas, 141 Apresentações de Teatro Música / Infantil

Avenida Adolfo Pinheiro, 940 Artes Plásticas e Visuais

Avenida Luiz Dumont Villares, 579 Apresentações de Música / Multimídia e Internet / Grafiti / Infantil


AGENDA

virada cultural Sesc São Paulo Sesc Itaquera Avenida Fernando Espírito Santo Alves de Mattos, 1000 Apresentações de Teatro / Música / Circo / Dança / Multimídia e Internet / Cinema e Vídeo / Infantil

Sesc Carmo Rua do Carmo, 147 Apresentações de Música / Literatura

Museu de Arte Sacra de São Paulo Av. Tiradentes, 676 Bom Retiro Entrada Gratuita e Oficina Especial para Crianças | das 10h00 às 18h00

Teatro de Dança Av. Ipiranga, 344 Edificio Itália – Subsolo Festim – Cia Soma/sp + Castanho Sua Cor – Grupo Grial/pe – Cia Soma/sp + Grupo Grial/pe | das 23h30 à 00h40 e das 16h00 às 17h10

Biblioteca de São Paulo Av. Cruzeiro do Sul, 2630 – Parque da Juventude Contação de Histórias

Museu do Futebol Praça Charles Miller, S/nº, Estádio do Pacaembu Visitação e Transporte Gratuitos | das 18h00 às 21h00

Academia Tania Ferreira Rua Síria, 180 – Tatuapé Fórum “estresse e Ansiedade em Bailarinos Amadores e Profissionais” T.f.style Cia de Dança às 20h00

Sesc Ipiranga

Sesc Consolação

Sesc Pompeia

Rua Bom Pastor, 822 Apresentações de Teatro / Música / Circo Dança / Multimídia e Internet / Literatura / Infantil

Rua Dr. Vila Nova, 245 por toda a virada Vira Nordeste Apresentações de Teatro / Música / Dança / Artes Plásticas e Visuais / Cinema e Vídeo / Corpo e Expressão / Saúde e Alimentação /

Rua Clélia, 93 Tema: Virada de Reis e Rainhas Apresentações de Teatro / Música / Circo / Dança / Artes Plásticas e Visuais

Sesc Pinheiros

Cinesesc

Rua Paes Leme, 195 Apresentações de Teatro / Música / Circo / Dança / Multimídia e Internet / Artes Plásticas e Visuais / Literatura / Cinema e Vídeo

Rua Augusta, 2075 Clássicos do cinema mundial

Museu da Casa Brasileira Av. Faria Lima, 2705 - Jardim Paulistano Tango de rua Ensina a Dançar Tango | às 18h00 Música no Museu - Saraus Paulistanos, Saraus Modernistas Curadoria Anna Maria Kiefier | às 11h00 Swiss College Dixie Band e Paulistana Jazz Band (Encerramento da Virada) | às 18h00 Apresentação de Grupos de Tango do Movimento El Arrastre 20h00 Jogando Tango – Vínicius Pereira, Juan Pablo e Ricardo Pesce 20h00 Café Tango – Pedro Assad, Diego Beirão, Alfredo Resende, Gustavo Mazon, Edu Guimarães 20h00 De Puro Guapos

Pinacoteca do Estado Praça da Luz, Nº 2 18h30 Concertando a História – Quarteto 4 Estações 19h30 Serge Gainsburg Les Serges 20h30 Performance – Grupo Dançaberta 21h00 Visita Noturna com Lanterna – Equipe Educativo 21h30 Viagem Pela MPB – Analia e o Grupo da Cozinha 22h00 Visita Noturna com Lanterna – Equipe Educativo 22h30 Samba e Gafieira – Gafieira Camisa Amarela das 11h00 às 16h00 Feirão de Livros 16h00 Coral da Osesp

Teatro Ruth Escobar Rua dos Ingleses, 209, Bela Vista, Sao Paulo Neny Hotel Inn – Cia de Teatro Criando Condições

Teatro Next Rua Rego Freitas 454 2º Festival N.ex.t de Teatro Grotesco – N.ex.t às 21h30

Centro Universitário Maria Antonia Rua Maria Antonia, 294

Centro Universitário Maria Antonia Rua Maria Antonia, 294

Teatro Cultura Inglesa—Pinheiros Rua Dep. Lacerda Franco, 333 A Revolução dos Bichos – Cia Fractal | às 16h00

Sesc Pompeia Rua Clélia, 93 Tema: Virada de Reis e Rainhas Apresentações de Teatro / Música / Circo / Dança / Artes Plásticas e Visuais

Casa das Rosas Av. Paulista, 37 – Bela Vista Bico do Corvo | das 17h00 às 18h00 Nuno Mindelis & Banda | das 19h00 às 21h00 Sarau da Casa | das 22h00 à 00h00 Mallarmídia: Recital Multimídia | à 00h30 André Parisi & Grupo Língua Brasileira | às 02h00 Uma Palavra Puxa Outra – Grupo Balaio de Dois | às 13h00 Furunfunfum no Carnaval | às 14h00 The Invisible Opera Company of Tibet | às 16h00 Antúlio Madureira: Surpreenda os Seus Sentidos! | às 18h00

MIS Avenida Europa, 158 Jd. Europa Exposições / Oficinas em Estúdio/ Música / Workshops

Museu da Língua Portuguesa Praça da Luz, s/nº Entrada Gratuita | das 17h00 à 00h00 e das 10h00 às 18h00

Centro da Cultura Judaica Rua Oscar Freire, 2500, Sumaré Apresentações de Teatro / Gastronomia / Música / Dança

Centro da Cultura Judaica Rua Oscar Freire, 2500, Sumaré Apresentações de Teatro / Gastronomia / Música / Dança Mais detalhes sobre horários e locais da programação no blog da virada: http://noticiasdavirada.wordpress.com/


24

REVISTA Tテ々I CULTURA|Abril


Abril | REVISTA Tテ々I CULTURA

25


SÃO PAULO

UM MUNDO TODO

Por Fernanda Grandino

Chocolate é sempre uma festa!

Na hora do chocolate não se culpe: por volta dos anos 1440 a.C. as civilizações Maia e Asteca já curtiam uma verdadeira paixão pelo cacau e seus deliciosos derivados Não resta a menor dúvida que o chocolate já era tudo de bom. Para se ter uma ideia de como essa paixão era intensa, as sementes de cacau - fruto que dá origem ao produto que chamamos de chocolate - eram utilizadas como moeda de troca nos dois grandes impérios pré-colombianos. Nas terras dominadas pelos astecas, o cultivo do cacaueiro era obrigatório e havia inclusive um imposto a ser pago, justamente com as sementes do fruto.

ocos de galinha eram decorados e distribuídos para crianças e amigos como forma de relembrar a passagem bíblica da ressurreição de Cristo. O ovo representa o renascimento, o surgimento de uma nova vida, a fertilidade e também já era utilizado em rituais pagãos do início da primavera no hemisfério norte. A popularidade do chocolate já era tamanha, que acabou sendo incorporado às comemorações da Páscoa. Foram

produzidas à base de cacau, tanto no dia a dia como

os franceses que tiveram a ideia de colocar chocolate

em rituais e cerimônias especiais. Com a polpa, pro-

no interior dos ovos, depois de terem sido removidas

duziam uma bebida alcoólica fermentada e com as

a clara e a gema.

da com baunilha e pimenta) que, segundo a lenda, possuía propriedades incríveis e restaurava o vigor e a vitalidade.

Novas delícias Seja como for, foi o chocolate quem fez do ovo de Páscoa uma delícia e um ótimo presente para a

Foi com a Revolução Industrial que o chocolate pas-

comemoração dessa data. E quando se trata de choco-

sou a ser produzido da forma que o conhecemos hoje.

late, não faltam alternativas para quem deseja encan-

Com o avanço das máquinas, a extração da manteiga

tar os paladares mais exigentes na hora da sobremesa

do cacau se tornou mais eficaz e com isso o chocolate

no almoço do domingo.

ganhou mais consistência e durabilidade.

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril

Antigamente, durante a celebração da Páscoa, ovos

Entre os maias era comum o consumo de bebidas

sementes produziam uma bebida amarga (tempera-

26

Coelho, ovos e chocolate

Um bom exemplo disso é a delícia criada pela con-

Graças a essas mudanças na produção do choco-

feitaria O Melhor Bolo de Chocolate do Mundo. Guar-

late, o produto ganhou incontáveis variações. Surgiu

dada a sete chaves, a receita do bolo – que fez tanto

o chocolate ao leite, o chocolate amargo, chocolate

sucesso que terminou por emprestar seu nome à con-

branco, crocante, com recheio, com nozes, avelãs e

feitaria que a criou – é de origem portuguesa e não

muitas outras opções. Cada um mais gostoso do que o

leva farinha nem fermento e lembra algo como uma

outro e capaz de conquistar pessoas do mundo inteiro.

mistura de merengue com mousse e calda de choco-

Afinal, quem resiste aos encantos do chocolate?

late Premium. Uma verdadeira perdição.


SÃO PAULO

UM MUNDO TODO

Criatividade é o que não falta na hora de preparar pratos com chocolate

Pode ser degustado em três versões: meio amargo (com 70% de cacau), tradicional doce (com 53%), e Zero Açúcar.

Chocolate também é diversão Outra dica criativa foi desenvolvida pelo chef Sinval Pereira dos Santos, do Restaurante Chácara Santa Cecília. Pensando no público infantil, o Santos teve a ideia de criar a “Casquinha de Chocolate com sorvete”, que fica com a aparência de um ovo cheio de sorvete. Para fazer essa casquinha, são utilizadas algumas bexigas cheias de ar, que são mergulhadas no chocolate ainda morno, e depois colocadas para endurecer no refrigerador. Quando o chocolate fica firme, ele estoura as bexigas, e a casquinha está pronta. Basta colocar o sorvete de sua preferência e decorar como quiser. Essa etapa é considerada fundamental pelo chef, que ressalta a importância da boa apresentação de qualquer prato: “Nosso primeiro contato com o alimento é através do olhar, por isso é preciso

de produzir sua sobremesa do feriado. Para isso criou um bolinho de chocolate, cuja massa é feita de chocolate meio amargo e a cobertura de chocolate ao leite. Segundo Elaine, a mistura desses dois tipos de chocolate resulta em um doce que não é enjoativo e proporciona ao paladar um sabor mais exótico e diferenciado. Na hora de decorar, meio ovinho de páscoa sobre o bolinho simula um ninho, onde são colocadas algumas amêndoas carameladas. Elaine conta que a ideia da montagem do doce apareceu em um sonho: “Para toda data comemorativa eu sempre crio alguma receita e um menu legal voltado para aquele tema. Entro de cabeça nessa criação e, ás vezes, até sonho com isso. É o caso dessa sobremesa da Páscoa: estava dormindo e tive a ideia, quando acordei, coloquei-a em prática e ao experimentar fiquei feliz com o resultado.” Com tanta seretonina no sangue depois desse mundo de chocolate, curta sua felicidade e celebre o novo, a prosperidade e a vida. Ah, bom apetite!

ter sempre o cuidado em transmitir o sabor, de modo que os olhos também possam se deliciar”. Para garantir o equilíbrio dos sabores, o chef Sinval sugere que sejam evitadas misturas muito inusitadas: “O risco de errar é menor. Prefira sempre misturas onde os sabores não se sobreponham, por exemplo, calda de frutas cítricas com chocolate”, ensina.

Sabor na medida certa Responsável pela cozinha do Brie Restô, a chef Eliane Carvalho não abre mão do chocolate na Páscoa. “Na Páscoa tem que ter chocolate, não tem como fugir disso” sentencia. Porém, não basta ser chocolate, para garantir o sucesso na mesa, ela aposta na sofisticação e na inovação na hora Abril | REVISTA TÁXI CULTURA

27


Dona de um receptivo turístico de excelência, Ilhabela permite ao visitante um contato direto com a história da cidade, com suas construções em estilo colonial

Ilhabela é muito procurada por quem deseja um contato direto com a natureza


BANDEIRA

LIVRE

Por Waldir Martins Jurema Oliveira

Ilha Bela As maravilhas do Litoral Norte

Uma das mais belas paisagens da costa brasileira, onde se multiplicam pequenas praias, baías e enseadas, cobertas pela Mata Atlântica, o litoral norte de São Paulo já foi apontado pelo antigo navegador italiano Américo Vespúcio, como o local do mundo que mais se assemelhava à sua ideia de paraíso na terra

E

ra o ano de 1502 e Vespúcio comandava a primeira frota de navios que chegava à região. Mais de 500 anos depois, a expressão do ilustre navegador continua carregada de verdade e para quem quiser comprovar essa afirmação, basta passar um final de semana no município de Ilhabela: um encantador arquipélago formado por diversas ilhas e ilhotas, localizado a 135 quilômetros da capital paulista e a 300 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro. Uma das quinze cidades paulistas classificadas como estâncias balneárias, Ilhabela é o único município - arquipélago do Brasil, cuja principal ilha é São Sebastião - a segunda maior ilha marítima da costa brasileira, superada apenas pela Ilha de Santa Catarina, que abriga a cidade Florianópolis. Além de São Sebastião, fazem parte do arquipélago as ilhas de Búzios, Vitória, dos Pescadores e a ilhota das Cabras - que são habitadas – e ainda as ilhotas Sumítica, Castelhanos, Lagoa, Galhetas, Figueira, Codó, Prainha, Serraria e Enchovas.

Uma geografia favorável Com um relevo jovem, a Ilha de São Sebastião se caracteriza como um dos acidentes geográficos mais elevados e salientes da costa brasileira, tendo no Pico de São Sebastião, com 1.379 metros o seu ponto mais alto. O Morro do Papagaio, com 1.307 metros e o Morro da Serraria, com 1.285 metros, completam a paisagem. Em contraste com esses maciços elevados, a ilha possui 150 km de costa, onde os visitantes podem desfrutar de 39 praias, distribuídas em dois lados bem distintos: a face voltada para o continente tem praias calmas e, além de ser mais urbanizado e populoso, recebe o maior número de visitantes. Muito mais isolada, a face da ilha que fica voltada para o oceano é pouco habitada, com a maioria de seus moradores instalados na Praia de Castelhanos, a única do lado oceânico acessível de carro (embora apenas veículos com tração possam fazer o trajeto até o local).


BANDEIRA

LIVRE

Praias limpas e águas cristalinas são outros características do arquipélago

Principais atrações Como não poderia deixar de ser, as praias são as principais atrações para os turistas que vão a Ilhabela. São opções bem diferentes de praias distribuídas por toda a ilha. As mais famosas são: Curral, Jabaquara, Bonete, Fome, Castelhanos, Armação, Pinto e Feiticeira. Castelhanos e Bonete são as mais procuradas por quem está em busca de aventuras. Por estarem voltadas para o oceano, essas praias têm ondas mais fortes e são os destinos preferidos dos surfistas embora seja de difícil acesso. Nas praias do Bonete e da Fome, por exemplo, só é possível chegar de barco. Importante destacar que o Bonete abriga uma comunidade caiçara que oferece pousadas simples para os turistas que pretendem passar mais de um dia no local. Além das praias, a região conta ainda com mais de trezentas cachoeiras. Em muitas delas, os visitantes podem desfrutar de um belo banho nos bolsões de água e lagos que se formam em suas quedas. As mais conhecidas e procuradas são a cachoeira da Toca, Lage, Três Tombos e Gato.

Trilhas e roteiros Devido ao cuidadoso trabalho de preservação de sua área florestal, que combateu e evitou o crescimento desordenado da cidade, Ilhabela é muito procurada por turistas que buscam um contato mais direto com a natureza, ou têm na prática do turismo de aventura e esportes radicais seus interesses principais. Os apaixonados por essas atividades podem desbravar as trilhas na mata preservada, que levam a mirantes, cachoeiras e piscinas naturais dentro do Parque Estadual de Ilhabela.

30

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril

Alguns exemplos de trilha são a do Pico do Baepi, Água Branca, Cachoeira da Lage, Pancada D’água e Bonete (veja box).

Roteiro Histórico Dona de um receptivo turístico de excelência, Ilhabela permite ao visitante um contato direto com a história da cidade, com suas construções em estilo colonial, ao mesmo tempo em que oferece uma ótima infraestrutura de serviços com hotéis, restaurantes e bares rústicos ou requintados. Entre os principais pontos históricos da cidade merecem destaque a Igreja Matriz de N. Sra. D`Ajuda, construída 1806, com piso de mármore espanhol e o forro da nave pintado a óleo; a antiga Cadeia e Fórum da cidade, construídos em 1911; além dos canhões da artilharia real portuguesa de 1520, 1526 e 1540, expostos próximo ao píer da Vila, e o prédio colonial da Fundação Arte e Cultura, onde são expostos trabalhos de artistas da região.

Mergulho em Ilhabela Aqueles que gostam de mergulhar podem optar por mais de quinze pontos entre ilhas, costões e lajes. O mar claro possibilita boa visibilidade, e uma grande variedade de peixes, tartarugas e, com um pouco de sorte, até golfinhos e baleias podem ser vistos. A região abriga ainda restos de mais de vinte naufrágios que hoje servem de moradia para uma vasta flora e fauna marinha. O náufrago mais famoso é o transatlântico espanhol Príncipe de Astúrias, que deixou o porto de Cadiz, na Espanha, com 500 passageiros a bordo, rumo a Buenos Aires, mas naufragou na Ponta de Piratuba em 3 de março de 1916.


Divulgação

BANDEIRA

LIVRE

Praia do Jabaquara

Outros naufrágios entraram para a história de Ilhabela: o navio vela-vapor Dart do Correio Real Inglês (1884) na Ponta da Sepituba; o vapor inglês Velasques (1908) que bateu contra a Ponta da Sela; o cargueiro Theresina (1919) que afundou a nordeste de Borrifos, onde sua hélice é a principal atração dos mergulhadores; e o cargueiro brasileiro Aymoré (1920), perto da Praia do Curral. Vale lembrar que equipamentos de mergulho, transporte e cursos são oferecidos por operadoras locais.

Gastronomia Verdadeiro paraíso para os apreciadores da boa mesa, a cozinha do arquipélago faz dos peixes e frutos do mar uma excelente alternativa. Além disso, outras opções gastronômicas que incluem a culinária caseira, a japonesa, massas e, claro, os frutos do mar e os quiosquer na areia que oferecem diversos petiscos. Durante os meses de inverno, período de baixa temporada na cidade, a Prefeitura Municipal desenvolve festivais gastronômicos anuais, como o Festival de Música e Gastronomia e o Festival do Camarão, em que restaurantes participantes preparam pratos especiais para o evento por um preço bastante acessível.

Onde ficar Na hora de escolher onde ficar ou onde comer, o visitante pode consultar um serviço disponível no site da prefeitura, com a relação de diferentes opções de hotéis, pousadas, chalés, campings, bares e restaurantes da cidade. Para isso basta entrar no seguinte endereço: http://www.ilhabela.sp.gov.br/

Como Chegar Pela Via Dutra, Rodovia dos Trabalhadores (SP 170) e Rodovia Carvalho Pinto até São José dos Campos, Rodovia dos Tamoios (SP 99) até Caraguatatuba. Seguir rumo a São Sebastião pela Rodovia Rio-Santos (BR 101). Pegar a balsa para atravessar o canal com destino a Ilhabela. Vindo de São Paulo ou Rio de Janeiro pela Rio-Santos, o visitante chega direto a São Sebastião.

Trilhas em Ilhabela

Com uma excelente estrutura a Ilha oferece ao visitante excelentes opções de hospedagem e uma gastronomia rica e variada

Mais informações

http://www.ilhabela.sp.gov.br http://www.ilhabela.com.br/

Pico do Baepi - Com uma duração de quatro horas, a trilha é de difícil acesso e sobe até 1.058 metros. Em dias claros e sem nuvens permite uma visão panorâmica da cadeia de montanhas da Ilha, do Canal de São Sebastião e de boa parte da Serra do Mar. Água Branca – Levam o visitante a cachoeiras e piscinas naturais como o Poço da Pedra, o Poço da Escada e o Poço do Jabuti. Cachoeira da Laje – Partindo da Ponta da Sepituba, em direção a Praia do Bonete, chega-se à Cachoeira

da Laje, onde o curso do rio forma algumas quedas, tobogãs e belíssimas piscinas naturais. Pancada D` Agua – Começa no morro atrás da Praia da Feiticeira e leva à Cachoeira dos Três Tombos, formada por várias quedas que resultam em piscinas naturais e cercada pela mata verde. Bonete – Uma trilha de 13 km a partir da Ponta de Sepituba, com diversos regatos e cachoeiras, subidas e terreno acidentado leva à Praia do Bonete.

Abril | REVISTA TÁXI CULTURA

31


QUALIDADE

DE VIDA

O novo que nos desafia Tenha a ética como o alicerce da mudança

Trabalhe suas oportunidades e tenha confiança na hora de agir Investir no desenvolvimento interno é um elemento prioritário para quem busca autonomia e tranquilidade para enfrentar as turbulências do cotidiano.

Por Fernanda Monteforte

É hora de mudar?

Toda mudança gera transformação, seja ela superficial ou profunda, planejada ou inesperada

Q

Já a oportunidade é um tanto impiedosa. Expressa por Kairos na mitologia grega – um dos filhos de Chronos representado com uma trança na testa e careca na nuca - essa figura nos adverte que a oportunidade só pode ser agarrada quando está vindo, pois, depois que passou, não temos mais como detê-la.

uando escolhemos mudar, aceitamos o desafio de sair de uma área de conforto que será proporcional à extensão da renovação pretendida e a dimensão dada às ideias e conceitos que nos paralisam. Essa experiência pode ser desafiante e prazerosa, ou então, dolorosa e agressiva, dependendo do nosso preparo interno e grau de lucidez.

Assim, é preciso que estejamos atentos para uma melhor percepção das oportunidades e confiantes para agir quando impelidos por uma certeza interna. É fundamental confiar naquilo que plantamos para termos a oportunidade de colher os respectivos frutos e, para tanto, o comportamento ético traz à tona uma libertadora confiança.

Para ampliar a compreensão daquilo que nos motiva a dar os primeiros passos, o autoconhecimento é um elemento essencial para minimizar os riscos de atitudes impulsivas, emocionais ou irracionais e, por outro lado, atenuar o medo que tolhe a ação e prestigia a inércia. Investir no desenvolvimento interno é a mais valorosa ferramenta para assumirmos o timão da nossa vida, ao invés de deixarmos nossa embarcação à deriva, à vontade dos acontecimentos externos e das outras pessoas que seguem seus sonhos e aspirações.

A ética é o alicerce para qualquer mudança sustentável. Não há de se pensar em uma vida proveitosa sem a construção do caráter, requisito essencial para a estabilidade, sucesso e satisfação duradouras.

Prepare a hora de mudar

Fernanda Monteforte é consultora de qualidade de vida e ministra aulas do Método DeRose. fernanda.monteforte@metododerose.org

32

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril

1) 2) 3)

Interiorizar princípios e instituir hábitos são maneiras de construir o caráter; A ética é a base para uma mudança profunda no indivíduo;

Não há como enganar a lei natural e univer- sal de causa e efeito, não há atalhos, nem artifícios; a mudança só é consistente se for de dentro para fora;

4)

O processo de aprimoramento deve ser constante, diário, metabolizável como a própria natureza;

5)

Aprenda a reconhecer seus erros e acertos e também a valorizar as qualidades e virtude das outras pessoas;

A integridade do indivíduo, a autoconfiança e a força do caráter são provenientes da ética; Evite confundir ética com moral; a primeira é mais interna, profunda e atemporal; Criados os alicerces, ouse, arrisque, agarre as oportunidades e invista em seus sonhos pois a vida é transitória.

6) 7) 8)


Abril | REVISTA Tテ々I CULTURA

33


BELEZA

Por Carol Mendes

Cuidados com a pele não é só coisa para mulheres A exposição ao sol pode ser boa, mas sem os cuidados necessários, pode causar danos irreparáveis para sua pele

A exposição excessiva ao sol pode transformar uma simples mancha em um câncer de pele O uso de filtro solar é uma das recomendações para evitar o aparecimento de manchas

Conhecendo o inimigo

Toda atenção e cuidado

As manchas de pele representam um grande tormento para homens e mulheres que, cada vez mais, buscam tratamentos estéticos em busca de uma pele perfeita. De maneira geral, o maior incômodo é estético, mas é importante ficar atento, pois problemas muito mais graves podem ocorrer.

Deve-se ficar atento a sinais como o crescimento rápido da lesão, observar se a mancha possui forma irregular ou assimétrica, duas ou mais cores numa mesma lesão, elevação ou espessamento, sangramento ou alteração da sensibilidade local. Identificado alguns desses sintomas, deve-se rapidamente procurar um dermatologista, pois podem provocar o surgimento do câncer de pele. Existem diversos tratamentos para os diferentes tipos de manchas, sendo os peelings químicos (ácidos) e físicos (lasers) os procedimentos mais usados. O peeling é um tratamento estético, feito por dermatologistas, por meio de ácidos e outros cremes manipulados. Durante o processo ocorre uma destruição da camada superficial, média ou profunda da pele, que sofre uma descamação de suas camadas, eliminando células mortas e dando lugar a uma pele nova, livre de rugas, manchas, acne e outras imperfeições. A formulação do creme dependerá do tipo de pele, profundidade da mancha e outros fatores individuais que são analisados em cada caso. Em algumas ocasiões, recebem corticóides para aumentar a eficiência das fórmulas. Os efeitos colaterais são descamação e pele levemente rosada. Eles devem ser aplicados de preferência à noite. Um modo muito eficaz de evitar o aparecimento das manchas e, assim, os tratamentos caríssimos, é utilizar sempre o filtrro solar e evitar a exposição ao sol entre 10 e 15 horas. São os cuidados que todos devem ter, sejam homens ou mulheres, independentemente da tonalidade da pele. E, nunca tome remédios sem orientação médica, pois isto pode prejudicar ainda mais a sua pele.

O principal inimigo das manchas continua sendo o sol, que pode transformar uma mancha de pequeno grau em um câncer de pele, dependendo do grau de exposição. Para as mulheres um problema adicional é o uso de pílula anticoncepcional que, por causa da ação dos hormônios, pode marcar a maçã do rosto, testa ou buço, provocando os chamados melasmas.

Pintas ou manchas? Um ponto importante é saber diferenciar pintas de manchas, uma vez que a única coisa que elas têm em comum é o foto de serem indesejadas! Os nevos, como também são chamadas as pintas, são malformações benignas de células da pele, portanto, apenas uma alteração da cor da pele. As manchas podem se formar por diferentes causas: alterações da melanina - manchas acastanhadas ou brancas; alterações de bilirrubinas -manchas amareladas ou esverdeadas; alterações da hemoglobina e hemossiderina - manchas avermelhadas, arroxeadas ou acastanhadas; pelo uso de medicamentos como clofazimina - cinza escura; e amiodarona - acinzentadas e azuladas -, ou ainda por corantes utilizados em tatuagens.

34

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril


Abril | REVISTA Tテ々I CULTURA

35


MORAR

BEM Divulgação

Por Solange Tinelli

Porque é na cozinha onde tudo acontece, desde a elaboração de um prato simples ou exótico, até resgatar o sentido mais tradicional de uma região ou de uma família

T

radicionalmente um local de compartilhamento e reuniões informais entre a família e amigos, o projeto de uma cozinha deve

considerar itens que levem em conta a praticidade,

Solange Tinelli é designer de interiores e desenvolve projetos focados em sustentabilidade tinelli.desing@hotmail.com.br

funcionalidade, beleza, elegância e também sofisticação, sempre tendo em vista duas palavras-chave: segurança e personalidade. No caso de desejar estabelecer um clima ainda mais intimista, o projeto pode fazer surgir uma proposta de ambientes integrados, onde cozinha, salas, varandas e espaço gourmet, se completam em estrutura funcional, ainda capaz de remeter à tradicional cozinha, aquela que ficou lá dentro da casa. No mercado encontramos várias opções como cozinhas moduladas, que trabalham com materiais ecologicamente corretos, ferragens de boa qualidade, cubas com triturador de resíduos, torneira com sensor e temporizador, com uma gama enorme de cores e materiais, e capazes de atender bem a necessidade do cliente, porém sempre seguindo um modelo já pré - estabelecido de fabricação.

36

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril

Divulgação

Divulgação

A hora e a vez da cozinha!


MORAR

BEM Divulgação

Projeto Personalizado Quando o projeto é executado sob medida, ele é capaz de mostrar as características de quem mora e utiliza aquele espaço. A dimensão dos armários, gavetas, nichos e aramados internos são exatamente de acordo com os utensílios que serão utilizados e guardados.

Cozinhas mais espaçosas pedem cores mais vibrantes

Em qualquer uma dessas situações - cozinhas moduladas ou sob medida - é de extrema importância e responsabilidade observar a origem do material aplicado, exigindo sempre a utilização de madeiras de origem certificada.

Cozinhas estreitas não significam ambientes atravancados

Divulgação

O projeto pode fazer surgir uma proposta de ambientes integrados, onde cozinha, salas, varandas e espaço gourmet, se completam em estrutura funcional

Uma boa composição de nichos para os eletrodomésticos, uma coifa ou exaustor estrategicamente colocados e ainda a utilização de mesas e cadeiras dobráveis podem ampliar em muito a sensação do espaço disponível. A escolha de cores claras - no piso e revestimento das paredes - e uma decoração sem exageros são outros pontos que também contribuem para que o resultado seja um ambiente prático e agradável.

As cores mais vibrantes e materiais diferenciados devem ser destinados para cozinhas mais espaçosas, onde podemos utilizar um balcão integrando a área de trabalho (fogão/pia/bancada) ou uma ilha para realizar as refeições e também o preparo dos pratos.

Critério e observar os detalhes na hora de escolher A escolha dos materiais exige cuidados e deve ser criteriosa: procure optar por materiais que atendam suas necessidades e preservem o meio ambiente, como os materiais ecossustentáveis. O piso deve ser de fácil manutenção e que não seja escorregadio. Para bancada, pia e área de trabalho, os granitos são muito bem aceitos por ser um material resistente, durável e de bom preço. Já o silestone, marmoglass, limestone e corian, oferecem um primoroso acabamento, resistente e versátil para a modelagem de peças com design mais arrojado e personalizado. O custo é mais elevado, mas o resultado final pode compensar tendo em vista a composição do ambiente e a utilização do espaço. Divulgação

Além disso, uma boa cozinha deve ter um espaço entre geladeira, pia e fogão em forma triangular, que facilita naturalmente a circulação, sem interferir no desempenho de cada um dos equipamentos, independente de suas diferentes funções e temperaturas.

Abril | REVISTA TÁXI CULTURA

37


MUNDO

CÃO&CIA

Por Fernanda Grandino

Não compre um animal: adote!

Campanhas de adoção de animais têm ganhado força, pois contribuem para a qualidade de vida dos bichinhos e dos cidadãos Maiores abandonados Encontrar cães e gatos vagando pelas ruas não é algo incomum em nenhuma cidade do país. Eles vivem em situações precárias, geralmente sem ter comida, água e abrigo. Vivem expostos aos riscos de serem atropelados, vítimas de maus tratos e ainda de contraírem e transmitirem doenças que podem ser bastante graves. Mas como eles chegaram lá? Segundo Gabriela Toledo, fundadora da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público - OSCIP Projeto Esperança Animal PEA, o grande número de animais abandonado se deve à facilidade encontrada na hora de adquirir um. Expostos como mercadorias em vitrines, são adquiridos por impulso, igual à compra de uma blusa ou um item de decoração. Esquecem que o animal tem vida, com necessidades que precisam ser atendidas e cuidados específicos. “A impunidade também é um fator preocupante, pois, as leis qualificam como crime o ato de abandonar um animal, mas dificilmente alguém paga um preço alto se for flagrado”, lamenta Gabriela.

Ter animais rondando pelas cidades acarreta em graves riscos à saúde pública e a eles próprios. Tornam-se focos de doença, podem ser agredidos, se tornar violentos e acabar protagonizando episódios de mordeduras para escapar de maus tratos; então viram os malvados na história.

O animal tem vida e necessidades

Maiores informações: Projeto Esperança Animal www.pea.org.br/sobre.htm Associação Casa da Passagem São Lázaro www.adoteumfocinho.com.br Centro de Zoonoses www.prefeitura.sp.gov.br

38

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril

Adoção e educação

Como resposta a estas questões, diversas entidades de proteção aos animais têm criado programas de doação. A cada dia se torna mais comum encontrar sites de doação como o www.queroumbicho. com.br - e mensagens em redes sociais, como o Orkut e o Facebook, divulgando fotos de animais que foram encontrados e precisam de um lar.

Estabelecer políticas públicas

Muitas clínicas veterinárias recebem animais que são encontrados e também os colocam para a adoção, e o próprio CCZ tem programas de incentivo a adoção, como o Programa de Proteção e Bem-Estar Animal (Probem), e o “Adote um amigo”, em que os animais são vacinados, vermifugados, esterilizados, microchipados, tratados contra pulga e carrapato.

Contudo, o órgão público responsável pelo controle de animais, o Centro de Controle de Zoonose - CCZ, tem suas ações pautadas por uma lei municipal que define a responsabilidade da manutenção de cães e gatos, em condições adequadas de alojamento, alimentação, saúde, higiene e bem-estar, bem como a destinação adequada dos dejetos, como sendo de responsabilidade do proprietário. Para Mônica Ciomo, da Associação Casa da Passagem São Lázaro, isso é um problema grave, uma vez que o poder público se exime da responsabilidade de realizar campanhas de castração e vacinação, o que aumenta o problema. “Só o trabalho desenvolvido pela sociedade civil, em grupos organizados, não resolve a questão”, reclama Mônica.

Ao adotar um animal, mais do que um ato de consumo, você estará colocando em prática o seu senso de cidadania. Mas lembre-se que é preciso refletir sobre a sua real capacidade para cuidar desse seu novo parceiro. Assim você evitará que ele, mais uma vez, seja abandonado. “O animal de rua precisa de tratamento, carinho e paciência”, finaliza Mônica. Faça sua parte. Não é tão difícil.

Para adotar um animal por lá, o processo é bastante simples. Basta levar uma guia para os cães e caixa de transporte para os gatos, além dos seguintes documentos: CPF, RG e comprovante de residência. No ato da adoção, os “responsáveis de primeira viagem” recebem instruções sobre como exercer a posse de forma responsável.


Abril | REVISTA Tテ々I CULTURA

39


TRILHA

URBANA

Por Waldir Martins

Parque Jardim da Luz Inaugurado há quase 216 anos, o Parque Jardim da Luz abre um espaço de vida em uma região que luta para superar um histórico de abandono e degradação

I

O Parque conta com uma estrutura com pista de cooper, mirante, lagos, coretos, e muitos outros espaços destinados ao lazer

Maiores informações:

Rua Ribeiro de Lima, 99 Bom Retiro - (11) 3227-3545

40

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril

naugurado em 1795 como primeiro Horto Botânico da cidade, o Parque da Luz já passou por inúmeras reformas e reconstruções, sempre com o objetivo de oferecer um espaço de lazer e recreação para os paulistanos. No início do século XX, chegou a ser o ponto de encontro da alta sociedade paulistana, que procurava o espaço para realizar seus piqueniques. Contudo, mais recentemente, o espaço conheceu um longo período de abandono e degradação. Tombado pelo CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico), no ano de 1981, como um monumento histórico e paisagístico, o Parque da Luz ainda teve que esperar um longo tempo para que pudesse ter parte do seu vigor original restaurado. Um respiro verde no meio do concreto Um dos maiores atrativos do parque é um aquário subterrâneo descoberto no ano 2000, durante as obras de restauro do parque. Com um projeto incrível, o aquário possui uma passagem subterrânea que permite que os visitantes possam observar os peixes tanto de cima como debaixo d’água. Para povoar o aquário, foram escolhidos treze tipos de peixes que representam a fauna aquática sul americana como lambari, pacu, piau e acará, entre outros. Além de ser um dos aquários mais antigos do país é o único com entrada gratuita. Outra descoberta recente, fruto do manejo da vegetação no Parque, foi um pequeno sítio arqueológico, onde anteriormente existia um prédio de aproximadamente vinte metros de altura e que foi removido no ano de 1901 para dar mais

destaque para a torre da Estação da Luz. No local foram encontrados vestígios dos primeiros encanamentos de água da cidade e ainda fragmentos de louças, vidros e moedas. Vizinhança ilustre Localizado na Avenida Tiradentes, ao lado da Estação da Luz, o parque conta com uma vizinhança culturalmente muito rica, próximo ao Museu da Língua Portuguesa, da Sala São Paulo, do Museu de Arte Sacra, do Arquivo Histórico Municipal e ainda, no próprio Jardim da Luz, da Pinacoteca do Estado. Com uma área atual de 113.400 metros quadrados, o Parque reserva ainda para o visitante uma estrutura com pista de cooper, mirante, ponto de bonde, diversos lagos, um deles em formato de cruz de malta e rodeado por oito belas esculturas que representam as quatro estações do ano, chafariz, casa de chá e casa do administrador (recentemente restauradas), coretos, comedouros para pássaros, playground, espelhos d’água, gruta com cascata, equipamentos de ginástica, além das esculturas permanentes. Um dos pontos turísticos mais visitados na cidade de São Paulo, o Parque recebe em média mil e quinhentas pessoas de segunda e sexta, e três mil aos sábados e domingos. Quer tiver interesse pode agendar trilhas monitoradas e participar de diversas outras como o Bosque de Leitura, Exposição de Sementes e Construtores do Verde. Na pressa de quem passa pelas ruas e avenidas do seu entorno, não é possível imaginar a existência desse espaço tão adorável e surpreendente, quase como se fosse um universo paralelo.

“Um dos pontos turísticos mais visitados no centro de São Paulo, o Parque da Luz é um oásis no meio do concreto”


Abril | REVISTA Tテ々I CULTURA

41


HORIZONTE

VERTICAL

O silêncio é uma espécie de desdobramento de uma linguagem especial: a da intimidade

Crônicas de uma São Paulo que ninguém vê Por Ivan Forneron

SOBRE A NATUREZA DO SILÊNCIO

S

ão muitas as razões do silêncio, ou ainda, os motivos pelos quais o silêncio se instaura. Seja qual for sua razão, você já deve ter se deparado com o lugar indefinível por onde o silêncio se move, um lugar em que habitamos momentânea ou longamente, feito espiral que se vai formando de acordo com as tintas do seu tempo, erguendo e desmontando sua geometria ilimitada. O silêncio é uma espécie de desdobramento de uma linguagem especial, a da intimidade; e a intimidade é o terreno das coisas profundas e inconfessas, como os grandes pesares e as grandes alegrias. Por isso o silêncio pode ser tímido, envergonhado, terno, condescendente, e também corrosivo, desdenhoso e preprarador de fúrias. Mestre em alimentar expectativas e pródigo em criar situações desconfortáveis, o silêncio também é necessário, tem lugares e protocolos. Entre estranhos, por exemplo, é parte da nossa conduta social; já o silêncio que educa a atenção é uma necessidade. Há o silêncio do medo, o silêncio da vergonha, o silêncio da raiva, o silêncio da dúvida etc., e cada um deles constrói uma imagem, afinal o silêncio engendra toda imaginação. De todo modo, há tantos tipos de silêncio quantas forem as suas razões. É por esse motivo que quero me deter brevemente em apenas um tipo específico de silêncio: o silêncio entre aqueles que se conhecem bem. Nesse caso é um silêncio de espelho e de mistério, reflete esconderijos e devassa intimidades. Pessoas muito próximas tendem a silenciar com mais frequência, visto que a sua linguagem alcançou um lugar religioso, quase santificado. Infelizmente essa intimidade silen-

ciada não traz a promessa de calmaria e segurança, dado que o silêncio é o mais fértil terreno para as paranoias, esse tormento calado, especialista em envenenar o silêncio. Quem o toma segue fantasmas, fazendo do silêncio uma criatura teratológica: uma divindade de enormes patas felinas com o mistério de um andar mudo, braços e dedos longos para cavar e enterrar os ruídos, olhos imensos pra intimidar o som, sensores finíssimos no lugar dos cabelos e orelhas enormes em forma de cornucópia pra auscultar qualquer ameaça contra a quietude. Uma divindade com um colar de voltas e mais voltas, repleto de línguas, à guisa de pingentes. Para criar tal monstro, basta que o seu silêncio pingue umas gotas de insegurança e medo, pronto! As ventosas da paranoia já começam a grudar, enroscar até o enforcamento, e só sossega quando você acaba sucumbindo como o mais silencioso dos suicidas. O silêncio entre os íntimos é bebida rara e deleitosa, mas quando é maculado pela paranoia tem o sabor amargo das angústias. Numa socie-dade cada vez mais barulhenta o silêncio é o privilégio que as grandes reflexões exigem. É algo raro, e como coisa rara deve ser cuidado. Deleitoso silêncio a todos!

Deleitoso silêncio a todos!

42

REVISTA TÁXI CULTURA|Abril


Abril | REVISTA Tテ々I CULTURA

43


44

REVISTA Tテ々I CULTURA|Abril


Revista TAXICULTURA 2