Page 1

Edição 89

2017

A Revista do Taxista www.revistataxi.com.br

Hora de reinventar o táxi

MUNDO TÁXI:

Táxi Amarelinho: patrimônio carioca

e mais

No Ponto: 1441 Vila Gumercindo: em busca da clientela


sumário Hora de Reinventar o Táxi

Capa 20

Mundo Táxi Dossiê nada secreto da UBER

06

Táxi Amarelinho: patrimônio carioca

Mundo Táxi Táxi Amarelinho: patrimônio carioca

32

Audiência Pública na CMTT

06

No Ponto

1441 Vila Gumercindo em busca da clientela

Agenda

16 Capa 20 Volante Seguro 26 Guias e Roteiros 28 Manutenção 32 O que vai agitar a metrópole nos próximos meses

Manutenção

Revise os Amortecedores

Hora de Reinventar o Táxi

Quando carros e motos conversam

Arraiá das Festas Juninas

Revise os amortecedores

Guias e Roteiros Arraiá das Festas Juninas

28

12


A revista do Taxista

EXPEDIENTE

Edição 89

Diretoria

Adilson Souza de Araújo Davi Francisco da Silva Fábio Martucci Fornerón (editora@portodasletras.com.br)

Sejamos fortes como as Festas Juninas

Editor Adilson Araújo MTB 19.069

de preparar um Dossiê Nada Secreto da UBER, para mostrar o quanto essa empresa tem feito de coisa errada que, propositalmente, a grande mídia vinha escondendo há muito tempo. E, dentre tantas outras coisas, não vamos nos esquecer que o inverno está chegando, tempo de sermos solidários com quem menos tem e precisa se proteger do frio, mas também tempo de Festas Juninas, outra boa tradição que segue firme e forte, agitando arraiás por todo o Brasil, com música, dança e boa comida. E, para não esquecermos, em julho tem o dia do taxista e desde já a TÁXI! está preparando uma festa, no SEST-SENAT da Rua Tuiuti. Que as Festas Juninas nos inspirem a sermos alegres e festivos, mesmo quando o inverno se faz mais forte.

Edição de Arte Agência Flavour’s Reportagem Arnaldo Rocha, Camila Silva e Cida Nogueira Colaborador Davi Francisco da Silva, Fotografias de Capa Adilson Souza de Araújo Fotografias Davi Francisco da Silva Fotos da Reportagem Capa Divulgação Projeto Gráfico Editora Porto das Letras Revisão Naira Uehara

Publicidade

Diretor Fábio Martucci Fornerón Fone: (11) 3392-1524 publicidade@portodasletras.com.br

Assessoria jurídica

Paulo Henrique Ribeiro Floriano

Comercial

Suporte Administrativo Ana Maria S. Araújo Silva Assinaturas e mailling assinatura@portodasletras.com.br

Boa leitura e boa reflexão. Adilson Araújo Diretor da Revista TÁXI!

Impressão

editora fontana Lucas Yuji

O

clima político-jurídico no Brasil segue fervendo e, infelizmente, a coisa parece estar longe de melhorar. Mas, mesmo com cheiro de pizza no ar, temos algo a comemorar: nunca se viu tanta gente graúda presa. Deputados, senadores, ministros, funcionários públicos de alto escalão e empresários presos. E a fila só faz crescer. Isso é muito triste porque pagamos um preço alto em todos os sentidos, pela economia que patina sem deslanchar; pela demora em serem resolvidos os problemas pontuais de parcelas da população, como é o caso dos taxistas que aguardam pela definição do PL 28/2017, que se encontra no Senado; e pelo desgosto que tudo isso causa a qualquer um que tenha um mínimo de consciência. Enfim, como a vida não para, essa edição da TÁXI! traz, como matéria de capa, ref lexões para pensarmos numa “reinvenção do táxi”, considerando sua história, necessidades e desafios presentes e futuros. Por falar em futuro, em Volante Seguro chega a notícias de um dispositivo eletrônico que está sendo desenvolvido para que carros e motos “conversem” para evitar tanto acidente como se vê por aí. Em Mundo TÁXI, a boa notícia vem do Rio de Janeiro, onde os táxis amarelinhos foram decretados patrimônio cultural carioca, um reconhecimento de sua importância na cena cultural e social da cidade. Ainda em Mundo TÁXI!, apresentamos a iniciativa da ABRACOMTAXI

Redação

Tiragem

20.000 exemplares Distribuição Gratuita edição 89, é uma publicação da Editora Porto das Letras Ltda. Redação, publicidade, administração e correspondência: Rua Jaboatão, 142, CEP 02516-010, Casa Verde, São Paulo (SP). Telefone: (11) 3392-1524. E-mail revistataxi@portodasletras.com.br. Proibida a reprodução parcial ou total dos textos e das imagens desta publicação, exceto as imagens sob a licença do Creative Commons. As opiniões dos entrevistados publicadas nesta edição não expressam a opinião da revista. Os anúncios veiculados nessa revista são de inteira responsabilidade dos anunciantes.


Mundo á tempos a UBER vem recebendo críticas, no Brasil e no mundo, por seus desmandos, mentiras e crimes, contra passageiros e contra a sociedade, pervertendo e enganando o poder público em diversas situações, cobrando preços exorbitantes em situação de calamidade e sendo conivente com ilegalidades de seus colaboradores, por conta de seu modelo de negócio pautado em aumentar o número de motoristas, independentemente de qualquer outro critério, tudo para ver crescer o seu exército de reserva. De agressão física passageiras ao abuso sexual contra mulheres, as notícias foram se avolumando, culminando, noutros países, em movimentos como o “deleta UBER”. Curiosamente (ou, melhor, não por acaso?) a grande imprensa brasileira fez vistas grossas a esse cenário, especialmente quando a UBER despejou dinheiro em suas estratégias de propagando e marketing para entrar nas principais cidades do Brasil. Passada essa fase, e não tendo como tapar o sol com a peneira, a imprensa foi divulgando, aqui e ali, mesmo que aos pouco, um farto material relatando esses problemas. Mas, ainda assim, as matérias desfavoráveis à UBER vão sendo divulgadas no varejo, com grande dif iculdade de atingir o grande público, enquanto que notícias desfavoráveis aos táxis foram veiculadas no atacado. Percebendo esse movimento quando se preparava para visitar os senadores em Brasília, Edmilson Americano, da ABRACOMTAXI e Guarucoop 6

tÁxi! EDIÇÃO 89

Divulgação

ABRACOMTAXI prepara dossiê denunciando armações da UBER

Edmilson Americano

propôs a organização de um dossiê que reunisse todo esse material, resultando numa apostila com 87 páginas. “Nem os senadores e nem a população têm a dimensão da quantidade e tamanho do problema, e mesmo os taxistas têm dificuldade para reunir tanto material”, considera Americano. De fato, segundo Americano, o material, por seu volume e conteúdo, causou surpresa aos senadores. E a expectativa, agora, é que os taxistas possam tê-lo em seus carros para que os passageiros tenham oportunidade de manuseá-lo e indignar-se, tal qual aconteceu com senadores em seus gabinetes. Infelizmente, o custo desse materialdesse material é relativamente alto se produzido individualmente, mas individualmente, mas com valores absolutamente possíveis em uma produção em grande escala (mais de 5.000 exemplares), com cada taxista bancando o custo de seu exemplar e da remessa para seu endereço. Diante disso, a Revista TÁXI! está se colocando para organizar a logística de produção e distr ibuição para todo o país, caso seja

possível atingir esse número mínimo. Se cooperativas, pontos e taxistas individualmente participarem, essa não será uma missão impossível se pensarmos que há, no país, centenas de milhares de taxistas. Se você e seu amigos quiserem participar desse empreitada, entrem em contato com a Revista TÁXI! através do email dossieuber@revistataxi.com.br para obter maiores informações. Divulgação

H

Táxi


Mundo

O

Táxi

Da Redação

Prefeitura do Rio de Janeiro torna táxi patrimônio cultural da cidade e cria aplicativo Taxi.Rio

prefeito Marcelo Crivella assinou, em 29/05, decreto que reconhece o serviço de táxi comum, amarelo e azul, como patrimônio cultural da cidade. A ação serviu de introdução ao lançamento da plataforma de mobilidade Taxi.Rio, dedicada a oferecer uma melhor gestão do serviço de táxis, tanto pela prefeitura quanto por taxistas e cidadãos. Para Crivella, que foi taxista, os aplicativos prejudicaram a categoria, diminuindo seu faturamento à metade, mesmo com mais horas de trabalho.

própria categoria e seus passageiros, com o monitoramento do Centro de Operações Rio. Bons condutores serão prestigiados, por exemplo, com prioridade para operar nos grandes eventos da cidade. O projeto piloto do aplicativo Táxi. Rio, iniciado em 1º de junho, terá 60 dias para testes e para receber funcionalidades, avaliações de desempenho

colaborando com o aperfeiçoamento da plataforma até que ela seja disponibilizada como serviço público. Táxi Amarelinho como patrimônio público e um aplicativo para chamar de seu O termo tombamento é usado para referir bens materiais ou imateriais que tenham valor histórico, cultural,

“Quero que vocês saiam daqui com a certeza de que vocês são nosso patrimônio, e vamos incentivar o uso desse patrimônio. Com a plataforma, agora, podem ser também fiscais da prefeitura”, disse o prefeito aos taxistas presentes no evento. A Taxi.Rio está sendo totalmente desenvolvida pela Empresa Municipal de Informática (IplanRio). É uma plataforma pioneira no Brasil, que oferecerá aprimoramento da gestão do serviço de táxi pela da Secretaria Municipal de Transportes. Enquanto ferramenta de comunicação instantânea, o aplicativo Taxi.Rio integrará taxistas, cidadãos e prefeitura, criando condições mais competitivas aos taxistas, com serviço mais qualificado, controle da frota, previsibilidade do valor da corrida, reajustes automáticos na tabela de tarifas e avaliação de motoristas. Outras metas previstas são a segurança aos cidadãos, com um serviço regulamentado e com valores competitivos com o mercado, que taxistas colaborem como agentes da prefeitura, com informações sobre a cidade e promoção da segurança para a

O prefeito Marcelo Crivella apresenta o Taxi.Rio

e correções. “Esse aplicativo representa um grande salto na gestão do modelo de táxis na cidade. A prefeitura poderá fazer a gestão remota desses taxistas, premiando os bons”, disse o presidente da Iplan-Rio, Fábio Pimentel. Além dos taxistas envolvidos na construção do aplicativo, a prefeitura selecionou outros 150 taxistas, por sorteio, dentre os que se inscreveram como voluntários. Na outra ponta, 300 servidores municipais participam como passageiros,

artístico, arquitetônico ou afetivo reconhecido por decreto. Nesse sentido, parece auspicioso o reconhecimento da importância histórica e cultural do táxi e de sua relevância para a sociedade pela prefeitura carioca. Eventualmente, outras prefeituras podem seguir o exemplo de valorização de táxis e taxistas. E vale destacar que o tombamento, tal qual ocorreu, não implica em perda da propriedade ou direito de transmissão hereditária, garantidos em lei.


De outro lado, só o tempo dirá se a iniciativa foi capaz de preservar o táxi e, principalmente, capaz de protegê-lo da concorrência predatória que vem enfrentando. Diante de tudo isso, muitos taxistas têm dúvidas quanto ao tombamento, à ef iciência e ef icácia do novo aplicativo, havendo, inclusive, quem se preocupe com um movimento que os torne “escravos” de um serviço individual de passageiros privatizado, nas mãos de um aplicativo.

nilha de custos. Precisam, def initiva e urgentemente, de um aplicativo para chamar de seu. Seja como for, o momento atual exige busca de alternativas ao fortalecimento da categoria e, com ou sem tombamento, não podemos nos acomodar: ao contrário, é preciso

seguir trabalhando por melhor formação pessoal e prof issional, pela melhor qualidade dos serviços e pelas melhores condições dos veículos. Acima de tudo, o passageiro precisa saber que pode conf iar em quem o conduz. E disso não podemos abrir mão.

E as dúvidas não são de todo infundadas. Porque, ainda que o prefeito Crivella tenha af irmado categoricamente que o taxista não pagará pelo Taxi.Rio, resta saber se o não pagamento se refere ao desenvolvimento da plataforma ou à operação da mesma pois, caso a operação seja cobrada com valores iguais aos dos aplicativos comerciais/privados hoje no mercado, será apenas oferecer mais do mesmo. Taxistas precisam de um aplicativo que não onere, ainda mais, sua pla-

tÁxi! EDIÇÃO 89

9


Mundo

Táxi

APÓS ADIAMENTOS, AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE O PL 55/2017 ACONTECE NA CÂMARA

A

Divulgação

Audiência Pública do PL 55/2017, de autoria do vereador Adilson Amadeu, aconteceu no dia 19/05/2017, reunindo mais de 1200 taxistas que ocuparam as galerias do plenário da Câmara e o Auditório Freitas Nobre, acompanhando os trabalhos pelo telão. Os taxistas estavam na expectativa de defender suas posições e reivindicações junto ao Secretário municipal de Mobilidade e Transpor tes, Sérgio Avelleda, e de ouvir dele as propostas da administração municipal quanto aos aplicativos. Havia, também, representantes dos aplicativos, mas, excluindo-se cer ta troca de farpas, o clima foi civilizado, ainda que duro em cobranças e acusações mútuas.

Divulgação

Sérgio Avelleda falou das normas que, segundo ele, serão aplicadas ainda em junho, destacando a exigência de uma identidade visual aos carros de aplicativos; cobrança por quilômetros rodados no viário público, inclusive os retroativos, dada a queda da liminar que permitia a UBER circular sem o cumprimento dessa norma, estabelecida pela administração anterior; a exigência de que motoristas demonstrem conhecimento sobre a cidade e direção defensiva; comprovação atualizada

das boas condições de manutenção do veículo; e a proibição do uso de carros licenciados fora do estado de São Paulo, inibindo perda de receita dos impostos. Taxistas argumentaram que essas são apenas algumas das obrigações às quais estão submetidos, mas a maioria parece concordar que esse é, ao menos, um começo para a diminuição da concorrência predatória que assola o segmento. “Nós estamos criando especif icações que não

haviam sido criadas”, frisou Avelleda, acrescentando que “a ideia é permitir ao usuário reconhecer que aquele carro é de aplicativo e está devidamente credenciado, assim como seu motorista”. Ainda que as regras sejam publicadas nesse junho de 2017, pode ser que, posteriormente outras mudanças aconteçam. É que o PL do Vereador Adilson Amadeu ainda não foi votado. “Como vereador, quero ter o meu projeto encaminhado e aí nós deveremos unir o útil ao agradável: se faltar alguma coisa na resolução, meu projeto, com algumas emendas, vai for talecer o que está sendo feito”, obser vou Amadeu. De todo o encontro, a melhor fala coube ao vereador Caio Carneiro: “Mas, af inal, quantos são os motoristas desse aplicativo? Sem esse número, nossa discussão não tem como avançar”. De fato, sem essa resposta, como saber o caminho que trilharemos?

10

tÁxi! EDIÇÃO 89


Divulgação

tÁxi! EDIÇÃO 89

11


No Ponto

Da Redação

Divulgação

Ponto 1441 Vila Gumercindo: trabalhar o ponto para buscar a clientela

Manuel Gomes de Sales

12

tÁxi! EDIÇÃO 89

serviço de informação. Teve quem ligasse de Santo Amaro perguntando como pegar ônibus para tal lugar. O custo nem era alto, mas não funcionou e tiramos”. Sobre a promoção do desconto, afirmou que era inviável, daí o cancelamento. Contudo, Manuel crê que a campanha poderia ser mais bem organizada. “O desconto parecia pesado, mas se tivesse mais corridas não seria problema. Acho que nem demos tempo para o pessoal saber o que estávamos oferecendo”. Para ele, é preciso “trabalhar o ponto”. “Em minha

Divulgação

O

Ponto 1441, na Vila Gumercindo, fica próximo a uma escola, à igreja, a feira livre de sexta e a casas e prédios que formam uma clientela que diminuiu com a chegada dos aplicativos de carros particulares e os sete motoristas do ponto percebem hoje um faturamento 50% menor. Para Severo Ramos Filho, no ponto há muitos, parte dessa situação é a incapacidade e vaidade de dirigentes da categoria, que não se unem em prol dos taxistas. “Infelizmente, o taxista não trabalha mais. No serviço do taxista, tivemos no comando pessoas que jogaram a gente no buraco. Agora é aplicativo, aplicativo, aplicativo. Não trabalha, não ganha dinheiro e não consegue pagar as contas”, resume Severo. Manuel Gomes Sales, há cinco anos no ponto, crê num impacto maior. “Eu diria que caiu uns 55%. À tarde tinha mais corridas. Agora, são 3 ou 4 pelo telefone e, de vez em quando, vem um na maçaneta”. Buscando caminhos Mesmo assim, o pessoal mantém o bom atendimento ao passageiro e segue pensando em como melhorar a situação. Aliás, iniciativas não faltam: já tiveram um 0800 aos clientes e, recentemente, oferecer descontos aos passageiros, mas que já foi suspenso. Severo, a mais tempo no ponto falou sobre o 0800: “Não teve retorno. Virou

opinião, nós que temos ponto devemos trabalhar o ponto, fazer panfletagem, falar com os porteiros, com os zeladores, fazer parcerias. A gente já fez isso no passado. Temos que fazer a diferença. Tentou com o desconto, não deu certo; o 0800 também não. Mas, veja as pizzarias: ainda hoje fazem panfletagem. Senão, como o pessoal vai saber que o cara tá ali? Tem cartão aqui. Vai entregando! Entrega mil, entrega dois mil. Pode não ser imediato, mas o retorno uma hora vem”. Ao final, Manuel fez uma consideração importante sobre o ponto: “Mas tem que ter carro, né? Não adianta entregar cartão e às 5 da tarde não ter carro. É pra pensar, mas creio que dá certo. E, pode ver, estão criando novos pontos, os pontos estão voltando! Na Tupananci; perto do metrô abriu outro; e na frente do Einstein. O pessoal tem que ver que ali tem táxi e talvez nem queira esperar pelo aplicativo. Vão no mais rápido. Agora, se olha para um lado, olha para outro e não tem nada, acabam baixando, porque acham mais cômodo.” Talvez falte um ou outro detalhe para que as ideias vinguem. Torcemos para que isso aconteça logo e admiramos a força e a dedicação do pessoal do 1441.

Severo Ramos Filho


tÁxi! EDIÇÃO 89

13


14

tÁxi! EDIÇÃO 89


tÁxi! EDIÇÃO 89

15


O que vai agitar a metrópole nas próximas semanas

eventos em junho Confira a agenda dos principais eventos da cidade que é tudo de bom! Programe-se para aproveitar o melhor de São Paulo. Para mais informações, acesse o site: visitesaopaulo.com

Uma parceria com o taxista e um serviço a mais para o passageiro

10 de junho CURSO BIOÉTICA E LIMITES JURÍDICOS NO EXERCÍCIO DA MEDICINA Local: Centro de Convenções Rebouças

14 a 17 de junho 29º CBCD - CONGRESSO BRASILEIRO DE CIRURGIA DERMATOLÓGICA Local: Centro de Convenções Frei Caneca

10

sábado

segunda

14 a 17 de junho JP 2017 - JORNADA PAULISTA DE CIRURGIA PLÁSTICA Local: Grand Hyatt São Paulo

14

quarta

quinta

15 a 17 de junho XXXVIII CONGRESSO DA SOCIEDADE DE CARDIOLOGIA DO ESTADO DE SÃO PAULO Local: Transamerica Expo Center

16

domingo

18 18 a 20 de junho SMB 2017 - SALÃO MODA BRASIL Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center

19 a 24 de junho ABF FRANCHISING WEEK Local: Expo Center Norte

tÁxi! EDIÇÃO 89

19 20

terça

14 a 17 de junho SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE MEDICINA INTENSIVA E EMERGÊNCIA Local: WTC Events Center

15 de junho MARCHA PARA JESUS Local: Ponto de Encontro: Metrô Luz

15

sexta

segunda

16

12

12 de junho CURSO BALANÇOS MATERIAIS E DE ENERGIA Local: Conselho Regional de Química - IV Região

16 a 18 de junho ÍNTIMI EXPO 2017 Local: Centro de Eventos PRO MAGNO

18 de junho 21ª PARADA DO ORGULHO LGBT DE SÃO PAULO Local: Avenida Paulista

19 a 21 de junho CONGRESSOS LTR - CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO DO TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL Local: Centro de Convenções Rebouças 20 a 24 de junho FEIMAFE 2017 Local: Expo Center Norte


O que vai agitar a metrópole nas próximas semanas

eventos em junho 21 a 23 de junho SALÃO SÃO PAULO DE TURISMO Local: Centro de Eventos São Luís

21 de junho INTERNAL COMMUNICATIONS SUMMIT Local: Novotel Jaraguá São Paulo Conventions

21 a 24 de junho SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ATUALIZAÇÃO EM OFTALMOLOGIA DA SANTA CASA DE SÃO PAULO Local: Santa Casa de Misericórdia de São Paulo / Associação Brasileira “A Hebraica” de São Paulo

22 e 23 de junho SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE Local: Hospital Israelita Albert Einstein Auditório Moise Safra

22 e 23 de junho XXXI JORNADA DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO PAULO local: Centro de Convenções Rebouças

22 a 24 de junho ATELIÊ ORAL INTERNATIONAL MEETING Local: Palácio das Convenções do Anhembi

quarta

22 de junho ECM MEETING 2017 - VAREJO Local: Tryp São Paulo Paulista Hotel

quinta

22 e 23 de junho VII JORNADA DE INFECÇÕES ORTOPÉDICAS Local: Centro de Convenções Rebouças

sábado

24 de junho a 2 de julho BIG FESTIVAL 2017 Local: Centro Cultural São Paulo

terça

25 e 26 de junho BELEZA DO BEM 2017 Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi

26 a 29 de junho BR WEEK 2017 - BRAZILIAN RETAIL WEEK Local: Hotel Transamérica São Paulo

24

26

28 a 30 de junho XI CURSO DE REVISÃO EM HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA Local: Hospital Israelita Albert Einstein - Unidade Morumbi

29 30

sexta 30 de junho SIMPÓSIO ANUAL DE NUTRIÇÃO CLÍNICA Local: Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia

22 a 25 de junho FEIRA DE NOIVAS E DEBUTANTES DO GRANDE ABC Local: Pavilhão Vera Cruz - São Bernardo do Campo 22 e 23 de junho CONFERÊNCIA & EXPO INTERNACIONAL HDI BRASIL 2017 Local: Sheraton São Paulo WTC Hotel 24 de junho V SIMPÓSIO SOBRE ESQUIZOFRENIA Local: Hospital das Clínicas da FMUSP 25 a 28 de junho EXPO TOYS Local: Centro de Eventos PRO MAGNO 27 a 30 de junho FISPAL TECNOLOGIA Local: São Paulo Expo & Exhibition Convention Center

27 28

quarta

quinta

22

25

domingo

segunda

21

27 a 29 de junho CLEANING PRODUCTS LATIN AMERICA 2017 Local: Renaissance São Paulo Hotel 28 a 30 de junho 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO Local: Centro de Eventos PRO MAGNO 28 a 30 de junho XVII SNDS - SEMINÁRIO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA SUINOCULTURA Local: Tauá Hotel Atibaia 29 de junho IOT BUSINESS FORUM Local: WTC Events Center

tÁxi! EDIÇÃO 89

17


O que vai agitar a metrópole nas próximas semanas

eventos em julho 2 a 6 de julho CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE COMPUTAÇÃO Local: Universidade Presbiteriana Mackenzie

2 a 5 de julho FENIN FASHION 2017 Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi 2 a 5 de julho FRANCAL 2017 Local: Expo Center Norte

domingo

segunda

quarta

3 a 7 de julho IV SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ACESSOS VASCULARES E TERAPIA INFUSIONAL Local: Hospital Israelita Albert Einstein Auditório Moise Safra

6 a 8 de julho 12º CONGRESSO CONSULFARMA Local: Palácio das Convenções do Anhembi

03

5 de julho RD ON THE ROAD - SÃO PAULO Local: Centro de Eventos PRO MAGNO

05 06

quinta

sexta

02

6 a 8 de julho SOBRICE 2017 Local: Centro de Convenções Rebouças

07

7 a 15 de julho SEMANA DE VELA DE ILHABELA Local: Yacht Club de Ilhabela

7 e 8 de julho CONTENT SUMMIT 2017 Local: Faculdade Cásper Líbero

7 a 9 de julho 20º FESTIVAL DO JAPÃO Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center

7 a 16 de julho FEIRA DO CIRCUITO DAS MALHAS Local: Centro de Eventos São Luís

18

tÁxi! EDIÇÃO 89

7 a 14 de julho IUPAC 2017 - WORLD CHEMISTRY CONGRESS E GENERAL ASSEMBLY Local: WTC Events Center


O que vai agitar a metrópole nas próximas semanas

eventos em julho 10 a 14 de julho ANNUAL CONFERENCE OF THE INTERNATIONAL FEDERATION FOR THEATRE RESEARCH Local: USP - Universidade de São Paulo

10 e 11 de julho EXPOPIZZARIA ATACADÃO Local: Palácio das Convenções do Anhembi

10

segunda

terça

11

quarta

12

quinta

sexta

13 a 15 de julho CRITICAL CARE CONFERENCE Local: Centro de Convenções Rebouças

11 a 16 de julho FEIRA MEGA ARTESANAL 2017 Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center

12 a 15 de julho SERIGRAFIA SIGN FUTURETEXTIL 2017 Local: Expo Center Norte

13 14

14 e 15 de julho ENDODEBATE Local: Bourbon Convention Ibirapuera

14 a 16 de julho TATTOO WEEK SP Local: Expo Center Norte

16

domingo

16 de julho LE NOIVAS Local: Espaço Escandinavo

16 a 21 de julho ISHPSSB & ABFHIB 2017 MEETING Local: Instituto de Biociências da USP

Agenda de eventos: O São Paulo Convention & Visitors Bureau é uma Fundação sem fins lucrativos mantida pela iniciativa privada, sua missão é promover, captar, gerar e incrementar eventos que aumentem o fluxo de visitantes a São Paulo. As datas e locais dos eventos podem ser alterados, consulte sempre a agenda de eventos no site do São Paulo Convention & Visitors Bureau: visitesaopaulo.com - atendimento@visitesaopaulo.com

Uma parceria com o taxista e um serviço a mais para o passageiro

tÁxi! EDIÇÃO 89

19


Capa

Matéria de Capa

Por Davi Francisco da Silva e Adilson Souza de Araújo

TÁXI: se reinventar em momentos de crise

Olhar para o passado para projetar o futuro

O

atual cenário do transporte individual de passageiros impõe aos taxistas enormes desafios pela preservação de sua profissão e dignidade profissional, e a diminuição acentuada de sua renda tem provocado perda de qualidade de vida para si e para sua família. Nenhuma categoria profissional aceita a perda de conquistas amealhadas ao longo de décadas e é mais que natural que a categoria se mobiliza, se manifeste e busque preservar direitos e garantias mínimas. Na verdade, a história apresenta vários momentos em que taxistas tiveram que empreender e se reinventar, no Brasil e no mundo. Do uso do gasogênio na Segunda Guerra ao uso ainda alternativo do álcool nos anos 80, passando pela 20

tÁxi! EDIÇÃO 89

crise do petróleo nos anos 70, só para citar alguns exemplo, taxistas viveram e sobreviveram sob dificuldades e trabalho duro. Em dados momentos, a demanda e jornada de trabalho eram tão grandes que eram obrigados a usar em seus carros uma placa de “horário de almoço”. O ganho era reduzido, mesmo com tantas horas trabalhadas e passageiros transportados. O fortalecimento dos pontos de táxi O termo “carro de praça” vem exatamente do lugar onde os carros de aluguel ficavam: as praças, pela estrutura urbana e social de tempos idos, era o lugar ideal para que os táxis esperassem por seus passageiros, tanto pela pequena quantidade de carros existentes e disponíveis a

esse serviço, quanto pelo preço da gasolina. Depois, uma maior mobilidade foi possível pelo relativo barateamento do combustível, até que veio, nos anos 70, a crise mundial do petróleo. Dessa vez, não havia como recorrer ao gasogênio dos anos de guerra, mas os táxis se reorganizaram, criando diversos pontos pela cidade para atender atender os passageiros. A estratégia mostrou-se excelente pois propiciava uma diminuição sensível nos deslocamentos, a fidelização de passageiros e uma melhora na renda. Ainda assim, nesse período, o maior patrimônio do taxista ainda era seu carro, já que esse era um bem caríssimo e o acesso a créditos era muito menor do que o que se vê


hoje. O valor de uma autorização para trabalhar como taxista era muito pequeno, já que o difícil era mesmo ter um carro. A criação de cooperativas com carros maiores, como é o caso da Vermelho e Branco, em São Paulo, se deu numa situação que ilustra bem aquele momento: a cidade de São Paulo queria melhor o serviço de táxis no Aeroporto de Congonhas, mas os carros eram, em sua maioria, fuscas que, pela falta de espaço, rodavam sem o banco dianteiro do passageiro para que malas pudessem ser transportadas. Instigado a criar um serviço diferenciado, alguns taxistas empreendedores se atreveram e assumiram os riscos de comprar carros maiores e mais caros, com bons porta-malas e conforto aos passageiros. A constituição das frotas de táxis surgiu, também, pela coragem de pessoas que correram grandes riscos, após a publicação da lei dos táxis da cidade de São Paulo: uma pessoa só podia estabelecer uma frota se tivesse um número mínimo de carro que, ao final de um ano, deveria ser aumentado, um risco imenso. Mudança do patrimônio: sai o mento do sistema, com segurança e carro, entra o passageiro controle por parte das autoridades. A estratégia dos pontos se mostrou Com o tempo e a tecnologia andanmuito interessante, mas o dinamismo da cidade apontou para uma nova do cada vez mais rápido, o modelo foi necessidade, sendo criadas as Rádio sendo adaptado, e aplicativos eletrôTáxis que, guardadas as proporções, nicos (APP), com recursos de geoloeram os aplicativos móveis, só que calização foram sendo incorporados, analógicos, disponíveis à época. abrindo uma nova página nessa hisCom o amadurecimento do modelo tória. composto por pontos de táxis, frotas e rádio táxis, aconteceu uma nova A perda do patrimônio: saem os grande mudança para o segmento. Se taxistas, entram os aplicativos anteriormente o carro era o principal O crescimento e o maior acesso à patrimônio do taxista, seu maior patrimônio passou a ser o passageiro, internet trouxeram mudanças avastratado como cliente. saladoras e, nessa esteira, os aplicaFrotas renovadas, carros mais espa- tivos de chamada de táxis chegaram çosos, equipados com ar-condiciona- causando frisson entre taxistas pelos do e outros confortos, passaram a des- ganhos que prometiam. filar pela cidade com seus passageiros Inicialmente, a custo zero ou por a bordo. Novas e maiores exigências valores bastante razoáveis, os APPs foram sendo colocadas aos taxistas e seus carros, numa busca por uma re- realizaram a conexão entre taxista e gulação necessária ao bom funciona- passageiros. Passageiros esperando

menos e táxis que não rodavam vazios, de fato os taxistas tiveram um bom rendimento. Mas, sem perceber, foram entregando seu maior patrimônio, os passageiros, para as empresas detentoras dos APPs, especialmente por que abandonaram seus pontos que, vazios, quase que obrigaram os passageiros a baixarem os aplicativos, aceleraram o processo de dependência de passageiros e taxistas por APPs. O trabalho de anos pela fidelização de clientes e mesmo da construção de vínculos afetivos entre passageiros e seus pontos se perdeu em pouquíssimo tempo. A estratégia dos APPs foi pautada em seduzir e aliciar passageiros, uma vez que passaram a concorrer com os próprios taxistas pelos passageiros, ainda que as empresas de APPs não colocassem um carro próprio sequer para rodar. tÁxi! EDIÇÃO 89

21


Novas pressões e concorrência entre aplicativos O próximo passo nesse processo foi o surgimento de novos APPs e uma concorrência por esse mercado tão promissor e que, até ali, estava bastante pulverizado entre muitos trabalhadores que, com seu suor, faziam esforços individuais para se manter na ativa. Os APPs começaram a concorrer entre si, restando apenas uns poucos gigantes com retaguarda de farto investimento, e os micros APPs, destinados a pequenos volumes de passageiros. Na busca por novos nichos, os APPs chegaram aos clientes empresariais, atingindo em cheio Cooperativas e rádio táxis que operaram nesse mercado por muito tempo. Contudo, o maior golpe estava por vir: os APPs de transporte individual em carros particulares, travestidos de APPs de caronas, subverteram e perverteram regras a partir de brechas na legislação e outros artifícios ainda menos éticos, e a UBER foi apenas a primeira a se utilizar desse expediente. Descarte da categoria: cartada final? Os APP de transporte individual de passageiros receberam aportes enormes de grupos de investimento e essa injeção de dinheiro lhes permitiram instituir planos e ações de marketing absolutamente agressivos. Farta publicidade e campanhas promocionais de descontos atraíram muitos e muitos usuários, ao mesmo tempo em que diversas modalidades (pop, X, pool e com descontos) foram sendo difundidas em todos os segmentos sociais da população. O mais curioso é que a estratégia foi tão assertiva que não deixou os taxistas de fora. Ao contrário, eles também foram recrutados para seguir oferecendo um desconto aos passageiros, de modo que isso não resultasse em diminuição dos ganhos dos APPs. No fundo, os APPs vêm orquestran22

tÁxi! EDIÇÃO 89

do, desde sua chegada, o descarte da categoria taxista e isso ficou ainda mais evidente depois da permissiva atuação do estado na questão dos APPs de transporte com carros particulares. Em verdade, as tarifas propostas pelos APPs não são realistas quando se pensa em frotas com boa manutenção, cuidadas e periodicamente renovadas. No médio e longo prazo, são valores impossíveis para que seja mantida a qualidade e a excelência no serviço. Ainda dá tempo de se reinventar O desafio da reinvenção para a categoria taxista é urgente, requer a adoção de ações articuladas. No fundo, o principal e maior desafio é estabelecer um pacto de união e salvação entre tantos profissionais espalhados por todo o país. Estratégias como oferecer desconto podem ser interessantes, mas é preciso que haja real conhecimento de seus custos para não ultrapassar o limite dos mínimos. Como dissemos anteriormente, os APPs oferecem descontos sem cortar seus ganhos, o que facilita as coisas para eles. Por outro lado, se for possível oferecer o desconto diretamente ao passageiro, sem as intermediações de um APPs, a coisa é bem diferente. Para que se tenha clareza da situação, quando um APPs cobra uma taxa fixa de um taxista, de R$ 2,00, ele está garantindo uma cota de 10% da corrida, se imaginarmos um valor médio de R$ 20,00 em cada corrida. Se a isso for somada a comissão do APPs sobre a corrida e comissão a tarifa do cartão de crédito, uma corrida com 30% de desconto ao passageiro, quando realizada via APPs, chega a um corte de 50% no valor da corrida para o taxista. Outra questão importante é o resgate dos pontos e da fidelização dos clientes. Nesse sentido, obviamente não temos a ingenuidade de acreditar que isso será a solução do proble-

ma pois os pontos nunca mais serão como eram, mas essa é apenas uma peça mais na tarefa de reinvenção. Diante de tudo isso, apesar de todas as dificuldades, dificilmente o táxi e os pontos desaparecerão. Na verdade, isso já foi aventado noutros momentos, como quando surgiram as rádio táxis ou quando da chegada dos celulares. Aliás, vale lembrar que o uso de celulares chegou a ser proibido nos pontos, pelo medo de que os clientes fossem “roubados” por aqueles que tinham o equipamento. É verdade que rádios e celulares soam a brincadeira de criança, quando comparados aos APPs, mas é preciso que entendamos que todo problema complexo precisa ser resolvido aos poucos, especialmente quando não se dispõe de recurso financeiros equivalentes ao inimigo. Aliás, é fundamental que a categoria se mobilize para diminuir custos, algo que permitirá poder para, por exemplo, oferecer descontos e, para isso, cooperativas, associações, frotas e sindicatos podem ter papel fundamental. Isso será abordado em próximas edições.


tÁxi! EDIÇÃO 89

23


Caminhar para se divertir, para co outros lugares, outras

Venha para o Clube da Cam 24

tÁxi! EDIÇÃO 89


onhecer ou ver, de forma diferente, s caras, outras tribos.

minhada e bora caminhar! tÁxi! EDIÇÃO 89

25


Escudo de proteção digital: quando motos e carros conversam entre si Nova tecnologia pode contribuir para evitar quase um terço dos acidentes com motocicleta

N

Divulgação

o Brasil, as estatísticas de acidentes com motocicletas são alarmantes. Difícil alguém que trabalhe no trânsito e nunca tenha visto um acidentado, muitos, vítimas fatais. Verdade que nosso trânsito é caótico e poucos motoristas e motociclistas são educados para a direção defensiva, mas, mesmo em países com trânsito mais pacíf ico, o problema existe. Na Alemanha, por exemplo, foram quase 30 mil acidentes de moto em 2016, 600 deles fatais.

“Permitimos que motocicletas e carros conversem entre si, criando um escudo de proteção digital para os motociclistas”, af irma Dirk Hoheisel, membro da direção mundial da Bosch. Conectividade para a redução de acidentes Pesquisa sobre acidentes realizada pela Bosch revelou que a comunicação entre a motocicleta e o carro pode evitar um terço dos acidentes. “Através de sistemas de segurança como o ABS e o controle de estabilidade, a Bosch já tornou a condução do motociclista signif icativamente mais segura. Conectando as motocicletas, o objetivo é elevarmos a segurança para um nível 26

tÁxi! EDIÇÃO 89

superior”, diz Hoheisel. Com o mecanismo, veículos num raio de centenas de metros trocam informações, até dez vezes por segundo, informando o tipo de veículo, velocidade, posição e direção do percurso. Antes de motoristas ou sensores nos veículos detectarem uma motocicleta, a tecnologia informa a situação e permite que motorista e motociclista adotem estratégias de condução defensiva a par tir de sinais sonoros e luminosos, por exemplo, quando a motocicleta f ica no ponto cego do carro, numa ultrapassagem ou mudança de faixa. Troca de informações entre veículos em milissegundos A transmissão dos sinais usa um padrão público chamado WLAN que faz transmissão em

poucos milissegundos entre transmissor e receptor. E usuários podem gerar e transmitir informações impor tantes relacionadas ao tráfego, mesmo se estacionados ou em velocidade reduzida. Para que motociclistas e motoristas distantes recebam a informação necessária, a tecnologia utiliza recursos que encaminham a informação automaticamente de veículo para veículo de modo que os usuários saibam o que está acontecendo e possam antecipar sua ação. Divulgação

E da Alemanha vem uma notícia que pode alterar esse quadro: a Bosch desenvolveu o protótipo de um dispositivo inteligente para evitar situações perigosas entre carros e motos.


tÁxi! EDIÇÃO 89

27


Guias & Roteiros

Da Redação

Festas Juninas: tradição e diversão ao alcance de todos

A

Divulgação

s Festas Juninas comemoram a passagem das estações, pedindo boa safra para o ano. O dia de São João é sua data mais importante, a noite mais longa no ano, mas Santo Antonio e São Pedro também tem muito devotos e fãs. Pelo país, sanfonas, quadrilhas, pipoca, canjica, pau de sebo, balões, quentão e muito mais aquecem as noites frias de inverno. Mas é no nordeste que as Festas Juninas mostram maior vigor, fortalecendo o turismo, a economia local, a religiosidade e as relações afetivas.

No Nordeste,há festas que duram o mês inteiro e são boas pedidas. São Paulo também tem seu encanto, por ser “a maior cidade nordestina do Brasil” ou pela influência caipira, com festas em escolas, paróquias, clubes, praças e ruas. Então, se for viajar ou ficar em Sampa, prestigie a tradição e divirta-se. A seguir, algumas dicas de Festas Juninas do Nordeste e em São Paulo. Vai pro Nordeste? Campina Grande-PB se intitula a “maior festa de São João do mundo”, com um mês de festa. Caruaru-PE, a “Capital do Forró”, quer também ser a maior do mundo, com quadrilhas com até 4 mil pessoas! Aracajú-SE tem o Forró Caju, para quase um milhão de pessoas, enquanto Cidade Junina é como são conhecidas Mossoró (RN) e Teresina (PI). A Bahia, que não é só Carnaval, tem shows e festejos juninos em Salvador e em mais de 100 municípios; e São Luiz-MA tem festas diferentes, com o Festival Bumba-meu-Boi, de 13 de junho, dia de Santo Antônio, ao dia 28

tÁxi! EDIÇÃO 89

Festa de São João. Foto: José Cordeiro/ SPTuris.

30 de junho, dia de São Marçal. E para quem ficar em São Paulo? A Igreja de San Genaro é famosa por sua festa italiana, mas faz bonito também com o Arraiá de San Gennaro que a cada ano atrai mais e mais pessoas para a Mooca. Nesse ano, a festa será nos dias 3, 10, 17 e 24 de junho. Endereço: Rua da Mooca, 950 Festa Junina Igreja Nossa Senhora de Lourdes Em Moema, perto do Aeroporto de Congonhas, a Igreja Nossa Senhora de Lourdes tem uma tradicional quermesse para a alegria de quem a freqüenta.

espaço místico. Para as crianças, brincadeiras tradicionais, oficinas de pipa e de bonecos, jogos de corda, pião e bambolê. Dias 15, 16, 17 e 18 de junho, das 9h às 19h. Endereço: Avenida Francisco Matarazzo, 455 – Barra Funda O São João de Nóis Tudim, no Centro de Tradições Nordestinas (CTN) é uma típica festa nordestina com diversas atividades e acesso gratuito, de 10 a 25 de junho. Endereço: Rua Jacofer, 615 - Bairro do Limão Divulgação

Melhores Festas Juninas do Brasil e de São Paulo

Endereço: Rua João Soares, 13 – Água Rasa A Festa Junina e Quermesse do Santíssimo Sacramento é uma das mais tradicionais da cidade e fica bem perto da 23 de Maio e Parque do Ibirapuera. Endereço: Rua Totoia Em clima de quermesse, o Parque da Água Branca terá músicas e comidas típicas, quadrilhas, artesanato,

Homenagem do São João de Campina Grande aos 100 anos de Luiz Gonzaga. Marinelson Almeida Silva. Flickr.


tÁxi! EDIÇÃO 89

29


Melhor Serviço Informe Publicitário

Estressado? Faça uma massagem

F

Mais do que uma preocupação com a aparência, o cuidado com si mesmo pode proporcionar vários benefícios para a saúde

30

tÁxi! EDIÇÃO 89

Divulgação

oi-se o tempo em que a preocupação com a própria estética e saúde era coisa de mulher. Hoje, bons centros de estética oferecem diversos serviços, pautados não apenas pela preocupação com a aparência física, mas especialmente para a saúde e bem-estar dos clientes. A massagem e o shiatsu fazem parte desta gama de serviços e são indicados para amenizar dores acumuladas no dia a dia, especialmente na região cervical, e também para relaxamento. “A diferença entre a massagem e o shiatsu é que, enquanto na massagem os movimentos são realizados com cremes e deslizamentos, o

3392-1524


linfática também é indicada para aliviar inchaços e reduzir medidas. “Mas ela não reduz índice de gordura e não deve ser feita em pessoas que já tiveram câncer. Tratamentos estéticos também não são indicados para pessoas que sofrem de dores crônicas, pois, em vez de ajudar, as técnicas podem piorar o quadro que exige avaliação clínica”, adverte a esteticista. Fim à acne Outro serviço muito procurado em centros estéticos que promove uma sensação de bem-estar surpreendente é o de limpeza de pele. No caso de taxistas, o procedimento é importante para ajudar no controle e erradicação da acne (espinhas e cravos), e também para remover as impurezas acumuladas no dia a dia. “Mesmo imperceptível, a poluição da nossa cidade traz uma série de substâncias que entram nos poros da pele. Com a limpeza, a pele do cliente fica livre de impurezas e bastante macia”, finaliza Roseli.

3392-1524

Localizado na Rua Jaboatão, nº 142, a clínica Rose Estética firmou parceria com a Revista TÁXI! com preços promocionais. Uma limpeza de pele, que custa R$ 120 reais, terá um desconto de 50% para taxistas. Aproveite! Divulgação

shiatsu é feito apenas com o polegar, que pressiona os pontos de tensão no corpo, a fim de soltar a musculatura. É indicado para quem tem dores lombares, no ombro e em outras regiões que acumulam tensão”, explica a esteticista Roseli Neves Dias, responsável da clínica Rose Estética. Remoção de impurezas Relaxamento corporal, redução de retenção de líquido e ativação da circulação sanguínea. Estes são os principais benefícios da drenagem linfática, técnica de massagem que tem por objetivo estimular o sistema linfático – rede de vasos que movem fluidos pelo corpo. “A técnica é feita com movimentos lentos, que agem como se fossem uma vassourinha no nosso organismo, tirando as impurezas do corpo, hematomas, dores na perna e a retenção de líquido”, continua Roseli. Bastante indicado para taxistas, que passam horas trabalhando na mesma posição e bastante propensos à retenção de líquido, a drenagem

Serviço Rose Estética Rua Jaboatão, 142 - Casa Verde - SP Fone: 11 3392-1524


Revisão dos amortecedores garante corrida segura aos taxistas Componente desgastado ou danificado compromete segurança, conforto e estabilidade do veículo

A revisão é a melhor forma de garantir o bom estado dos itens da suspensão, além de custar até 30% menos do que a manutenção dos componentes. “A inspeção do automóvel é extremamente importante para a segurança no trânsito, evitando uma série de acidentes, além de ser a melhor forma de manter o carro em bom estado”, analisa Juliano Caretta, coordenador de Treinamento Técnico da Monroe, líder mundial no desenvolvimento e fabricação de amortecedores. É fundamental, claro, dirigir com cautela em locais mal pavimentados e, nas lombadas, a dica é con32

tÁxi! EDIÇÃO 89

É recomendável a checagem periodicamente, conforme orientação da montadora, mas o período de substituição pode variar de acordo com as condições de uso de automóvel e das vias em que ele trafega.

Divulgação

Quando desgastado ou danificado, o amortecedor pode comprometer a frenagem do automóvel, exigindo até 2,5 metros a mais de distância no processo, numa velocidade de 80 km/h. Aumentam, ainda, o risco de aquaplanagem e diminuição de estabilidade, causando perda de controle em curvas e em pistas mal pavimentadas. Além disso, testes realizados indicam que um amortecedor com 50% de desgaste pode aumentar em 26% o cansaço do motorista, aumentando consideravelmente o risco de acidentes.

A atenção do motorista, ao notar problemas de dirigibilidade, independente da quilometragem também conta. Ruídos na suspensão, solavancos, balanços excessivos e a falta de contato dos pneus com o solo são alguns sinais de desgaste. E quando houver a necessidade de troca do amortecedor, recomenda-se também a substituição do kit, composto pelo coxim, batente e coifa, pois trabalham em conjunto com o amortecedor.

duzir o carro em linha reta, para que o movimento seja uniforme nos dois lados do veículo. “O costume de passar pela lombada na diagonal – uma roda de cada vez – pode prejudicar os demais as peças”, alerta Caretta. A velocidade também inf luencia na conservação do sistema de suspensão e a velocidade entre 20 km/h e 30 km/h em lombadas de dimensões regulares é a recomendada.

Divulgação

I

tem essencial para a segurança veicular, o amortecedor deve ser checado periodicamente, especialmente para profissionais do volante, como são os taxistas.

A Monroe vem trabalhando no desenvolvimento suspensões inteligentes para atuação independente em cada roda: maior eficácia contra solavancos e buracos.


tÁxi! EDIÇÃO 89

33


Divulgação

34

tÁxi! EDIÇÃO 89


tÁxi! EDIÇÃO 89

35


Revista TÁXI! Ed. 89  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you