Portimão Jornal nº 35 | 21.10.2021

Page 1

Quinta-feira • 21 de outubro 2021 • 1.00€

Bombeiros de Portimão: José Sousa é o novo homem do leme Sucede a Richard Marques e tem já uma ligação de 30 anos aos ‘soldados da paz’. P3

EDUCAÇÃO ‘Sardinhas cheias de lata’ voltam ao Museu P6

Quinzenário • Ano 2 • Nº35 Diretor: Rui Pires Santos

Universidade Sénior é centro de alegria e partilha

CULTURA Cinema francês contemporâneo de regresso P15

POLÍTICA Novo executivo tomou posse para mandato 2021/25 P4

MUDANÇA Relógios atrasam uma hora a 31 de outubro P16

Maria Fernanda Teixeira é a presidente da instituição, sediada na Casa das Artes, um polo de atração que comporta atividades que vão desde a História Contemporânea à dança, música, teatro e línguas. P8-9

Plano de Mobilidade Urbana pronto até março de 2022

BNI Desafio já gerou quase 16 milhões em negócios Grupo existe no concelho desde 2012 e tem ajudado empresários a fazer transações e a superar períodos de maior dificuldade. P10-11

Documento lança as bases para a estratégia a adotar nos próximos anos. Campanha incentiva hábitos cívicos. P16 PUB


P2

Portimão Jornal • 21 OUT 2021 • Nº35

ATUALIDADE Diversas iniciativas marcam data

Concelho dedica semana à igualdade Encontros e apresentação de novos projetos serão destaques da programação que decorre entre 24 e 29 de outubro. CM PORTIMÃO

A

Câmara de Portimão promove, entre 24 e 29 de outubro, uma semana onde temas como a igualdade, a inclusão e a participação estarão na ordem do dia. A iniciativa é organizada no âmbito das comemorações do Dia Municipal para a Igualdade, que se assinala a 24 de outubro, estando previsto o ‘Encontro Igualdade de Género, Boas Práticas’, cujo início está marcado para 10h00 de 26 de outubro no Teatro Municipal de Portimão, bem como o primeiro workshop ‘do Ciclo pela Igualdade - Quem deve ser quem’, dirigido aos colaboradores do município, no dia 25, e a dinamização lúdica do conto ‘As

Inscrições podem ser feitas até dia 27

XXIV Subida Internacional do Rio Arade inicia-se em Portimão A XXIV Subida Internacional do Rio Arade em Canoagem terá lugar a 31 de outubro, podendo as inscrições ser feitas até dia 27, por telefone (282 417 529) ou por email (geral@clubenavaldeportimao.pt). A prova de 12 quilómetros tem uma vertente de turismo e outra de competição para clubes e associações. O ponto de partida será a zona ribeirinha, junto ao Clube Naval, e o de chegada será Silves. A iniciativa é promovida pelo Clube Naval local, em parceria com as Câmaras de Silves, Lagoa e Portimão, contando ainda com o apoio da Federação Portuguesa de Canoagem, da Associação Regional de Canoagem do Algarve e do Instituto Português do Desporto e Juventude.

Cinco quilómetros com mais de 30 obstáculos

‘OCR Police Challenge’ realiza-se na Praia da Rocha

Jardim acolhe mostra 'Estendal pela igualdade' mulheres e os homens’, de Equipo Plantel, dirigido a crianças dos 4 aos 10 anos, no dia 27. Durante essa semana, o Jardim 1º de De-

zembro e o espaço verde junto à Biblioteca Municipal Manuel Teixeira Gomes exibem a mostra de t-shirts ‘Estendal pela Igualdade’.

A Praia da Rocha recebe a última prova do circuito ‘OCR Police Challenge 2021’, no dia 31 de outubro, a partir das 9h00. Esta é uma corrida que se realizará no areal e que terá mais de 30 obstáculos num percurso de cinco quilómetros, onde mais importante do que vencer é a superação individual ou em equipa, justifica a organização. A prova tem duas vertentes, uma mais competitiva, a ‘Elite’, e outra virada para a diversão e para o ‘team building’, a ‘Open’. No evento participam atletas de todo o país, de Espanha, do Brasil, de Angola e da Alemanha, além de dezenas de equipas de clubes e ginásios de todo o Algarve. As inscrições podem ser realizadas online (policechallenge.pt/police-challenge/ocr-police-portimao/). PUB


P3

Portimão Jornal • 21 OUT 2021 • Nº35

ATUALIDADE Evolução na continuidade na liderança dos ‘soldados da paz’

José Sousa sucede a Richard Marques à frente dos Bombeiros É portimonense de gema, foi instrutor e diretor de uma escola de condução e há três décadas que está ligado à corporação do concelho. JORGE EUSÉBIO

Jorge Eusébio

BI

J

Nome: José Sousa Naturalidade: Portimão Idade: 55 anos Família: Casado, tem uma filha Profissões anteriores: Instrutor e diretor de escola de condução Atividade preferida de lazer: Treino físico

osé Sousa é o novo comandante dos Bombeiros Voluntários de Portimão. É um homem da ‘casa’, que começou a sua ‘viagem’ na corporação, há cerca de 30 anos. Ao contrário do que acontece com muitos bombeiros, não foi influenciado para seguir esta vida por qualquer familiar que tivesse sido ‘soldado da paz’. Na base da sua decisão esteve, em boa medida, o facto de ter gostado do serviço militar e de ter aprendido a apreciar valores que aí encontrou como os da disciplina, espírito de missão e camaradagem, que são também elementos centrais num corpo de bombeiros. Quando tinha 25 anos entrou nos Bombeiros de Portimão através da Fanfarra, tendo daí, algum tempo depois, transitado para a atividade operacional. Gostou do que encontrou, ficou, foi subindo na hierarquia e era o nº 2 de Richard Marques aquando da sua nomeação como comandante operacional distrital da Proteção Civil do Algarve, pelo que se tornou a escolha natural para o suceder. Até 2014, o trabalho na corporação era desenvolvido em paralelo com a sua profissão de instrutor e diretor de uma escola de condução em Armação de Pêra. Até que chegou a um ponto em que não era mais possível compatibilizar essas funções e acabou por optar pela vida de bombeiro a tempo inteiro. Situação arriscada Como todos os ‘soldados da paz’, ao longo da sua carreira já passou por muitas missões complicadas e até dramáticas, mas confessa que a que mais o marcou foi o grande incêndio florestal de 2018. Aí viveu um episódio arriscado, quando o fogo se expandiu para a zona do Alferce, impedindo ou limitando fortemente a passagem dos meios. Apesar disso, meteu-se num jipe com um colega e “sem quase ver o caminho, arriscando-nos a encontrar algum poste ou árvores

José Sousa é o novo 'timoneiro' dos Bombeiros Voluntários de Portimão caídas na estrada, lá fomos avançando e acabámos por ser dos primeiros a chegar à povoação e a ajudar pessoas que precisavam de ser socorridas”. A forma como se combate os incêndios evoluiu bastante ao longo do tempo, sendo agora “muito mais profissional e organizada, com um sistema integrado que junta todos os operacionais”. No entanto, rejeita que haja uma excessiva burocracia no sistema de comando no terreno. Acha, por exemplo, injustas as acusações que, por vezes são

não receberam ordens para isso. É certo que “esses operacionais têm uma determinada missão a levar a cabo, mas se passarem por um local e virem uma casa a arder, é evidente que vão lá e dão combate ao fogo”, garante. Mais uma viatura de combate a incêndios José Sousa mostra-se tranquilo em relação ao exercício do cargo de responsável máximo da corporação e não prevê alterações substanciais na forma como é dirigida. Lembra que “estamos habi-

No incêndio florestal de 2018 viveu um episódio arriscado, quando o fogo se expandiu para a zona do Alferce feitas, de que, em certas circunstâncias, os bombeiros não atacam um fogo numa habitação porque

tuados a trabalhar em equipa, temos elementos de comando e bombeiros de grande qualidade,

com boa formação técnica, motivados e uma direção e uma autarquia que nos apoia”, pelo que “vamos continuar a trajetória que tem vindo a ser seguida”. O novo comandante destaca, igualmente, o facto de “estarmos bem apetrechados de equipamento, ainda recentemente foi comprada mais uma ambulância, com as verbas da exploração de um parque de estacionamento na Praia da Rocha”. Ainda assim, o processo de modernização e renovação da frota não está concluído. O próximo passo “é a compra, por parte da Câmara, de um veículo de combate a incêndios florestais, para substituir um outro que já tem 30 anos, o que implica um investimento de 220 mil euros”. Em termos de equipamentos, outra grande prioridade é a compra de uma auto-escada, para suprir as limitações daquela que têm no quartel, sobretudo em termos de altura. Trata-se de um equipamento muito dispendioso, “custa mais de meio milhão de euros”, pelo que

para que seja possível a sua aquisição é necessário apoio financeiro por parte da Câmara e, eventualmente, de fundos nacionais disponíveis para o efeito. Em termos de equipamentos de proteção individual, “temos do melhor que há”, o espaço físico também foi recentemente alvo de uma grande intervenção, que permitiu torná-lo mais funcional e “melhorar as condições do pessoal, em termos de camaratas e balneários”. Quanto a operacionais, a corporação conta com um total de 130, dos quais cerca de meia centena são assalariados e os restantes voluntários. Estão distribuídos por vários setores e atividades, em função das necessidades. No Verão, a principal preocupação passa pela prevenção e combate aos incêndios florestais, mas, ao longo de todo o ano, a maior parte das ocorrências a que os bombeiros respondem (cerca de 60%) tem a ver com situações de emergência pré-hospitalar, muitas das quais resultantes de acidentes rodoviários. Trata-se de um cenário que não deverá ter alterações positivas substanciais nos próximos tempos, uma vez que “este ano temos notado um aumento do número de acidentes”. Outra atividade muito recorrente é terem de se deslocar a apagar pequenos incêndios urbanos resultantes de simples esquecimento de panelas ao lume ou pequenos incidentes do género. O salvamento de animais também está no lote dos trabalhos a que são chamados a efetuar com grande frequência.


P4

Portimão Jornal • 21 OUT 2021 • Nº35

POLÍTICA Cerimónia decorreu no Teatro no dia 11 de outubro

Novos órgãos autárquicos já tomaram posse Isabel Guerreiro foi eleita presidente da Assembleia Municipal, na primeira sessão, com 15 votos a favor. ANA SOFIA VARELA

COMPOSIÇÃO DA CÂMARA MUNICIPAL ⇨ Isilda Gomes (PS) • Pelouros

• Gestão Financeira e Património • Gestão dos Recursos Humanos • Assuntos Jurídicos • Proteção Civil e Segurança • Gestão Administrativa • Desenvolvimento Económico e Turismo • Informação, Comunicação, Marca e Relações-Públicas • Modernização e Sistemas de informação • Segurança da Informação e Proteção de Dados • Gestão do Espaço Rural e Gabinete Técnico Florestal

⇨ Álvaro Bila (PS) • Pelouros

• Relação com as Juntas de Freguesia • Ambiente Urbano e Alterações Climáticas • Contratação pública e compras • Iluminação publica e transição energética • Serviço Médico-veterinário • Fiscalização Municipal e Ocupação da Via Pública • Gestão do Parque de Feiras, Mercados e Feiras tradicionais • Gestão da Manutenção dos Equipamentos Públicos e Logística

⇨ Rui André (PSD.MPT.PPM)

Isilda Gomes avança para um novo mandato de quatro anos Ana Sofia Varela

A

cerimónia pública de tomada de posse dos eleitos para a Câmara e Assembleia Municipais de Portimão para os próximos quatro anos teve lugar, no dia 11 de outubro, no grande auditório do Teatro da cidade, que se encheu de portimonenses. João Vieira, presidente da Assembleia Municipal cessante, deu posse aos elementos que agora compõem esse órgão autárquico, seguindo-se os membros que compõem o executivo camarário. A sessão encerrou com o discurso de Isilda Gomes, militante socialista reeleita para o terceiro e último mandato à frente da autarquia portimonense. Recordou os últimos oito anos e apontou os rumos para os próximos quatro. “Temos um conjunto avultado de projetos e obras em curso ou que, em breve, terão início e serão uma realidade, pelo que deveremos, acima de tudo, arregaçar as mangas”, afirmou. Isilda Gomes quer que Portimão “continue a ser uma cidade que acarinha quem nela vive, acolhe quem a visita e valorize

as pessoas, sendo multifacetada e, cada vez mais, diversificada na oferta turística, com valorização das inovações tecnológicas e incubadora de empresas”, acrescentou. Não faltou a menção à importância do desporto, da inclusão e da solidariedade. “Não escondemos que temos a ambição de Portimão ser uma cidade mais vocacionada para a cultura, que promova o amor aos livros e à leitura, que apoie os artistas locais e a oferta cultural de referência, envolvendo as estruturas, os equipamentos existentes e o associativismo local”, acrescentou ainda. Uma das linhas que assumirá grande destaque nos próximos anos será também a estratégia para a habitação, que terá mais de 60 milhões de euros para construção, quer para venda, quer para arrendamento, onde se inclui também a requalificação do Bairro Pontal. O novo Parque Ambiental do Bom Retiro e o Parque Urbano do Barranco do Rodrigo são outros dos projetos apontados pela autarca, além da requalificação do Jardim Gil Eanes e do Jardim Sárrea Prado, junto à estação ferroviária, e do Auditório

Municipal. Estão ainda previstas a renovação da zona ribeirinha da cidade e da Fortaleza de Santa Catarina. Outra das novidades da noite foi a revelação da criação de um novo pelouro das freguesias, que estabelece uma maior proximidade no poder local. Primeira reunião da Assembleia elegeu Isabel Guerreiro Logo após a tomada de posse, teve lugar a primeira reunião da Assembleia Municipal de Portimão, durante a qual foi eleita a mesa. O PS apresentou a lista A à votação, com Isabel Guerreiro como presidente, Carlos Café como primeiro secretário e Sheila Tomé como segunda secretária. O social-democrata Carlos Gouveia Martins apresentou outra lista, que foi designada como B, onde se apresentava como presidente, com Marta Caetano como primeira secretária e Vítor Couto como segundo secretário. A votação ditou que a presidência fosse entregue à lista apresentada pelos socialistas que obtiveram 15 votos. A lista B teve nove votos e houve ainda seis votos em branco.

⇨ Filipe Vital (PS) • Pelouros

• Obras Públicas • Gestão da manutenção e requalificação do espaço público • Planeamento e Gestão da Mobilidade • Gestão da Rede Viária • Gestão dos Transportes Públicos • Gestão dos Contratos de Concessão de Estacionamento • Gestão e Manutenção da Frota e Oficinas • Gestão dos Fundos Comunitários • Cidades Inteligentes

⇨ Luís Carito (Portimão Mais Feliz) ⇨ Pedro Xavier (Chega) ⇨ Teresa Mendes (PS) • Pelouros

• Educação • Ação social e saúde • Habitação Social e gestão patrimonial dos Bairros Municipais • Cultura • Desporto e Juventude • Movimento Associativo • Relação com o Munícipe e Defesa do Consumidor

⇨ Ana Fazenda (PSD.MPT.PPM) ⇨ João Gambôa (PS) • Pelouros

• Gestão Urbanística | Obras Particulares • Planeamento do Território • Gestão da Informação Geográfica • Regeneração e Reabilitação Urbana • Gestão do Aeródromo Municipal de Portimão • Gestão cemiterial • Estratégia Local da Habitação


PUB


P6

Portimão Jornal • 21 OUT 2021 • Nº35

SOCIEDADE Atividades desenvolvem-se no letivo 2021/2022

‘Sardinhas cheias de lata’ regressam ao Museu Serviço educativo já é uma referência que proporciona aos pequenos participantes uma sensibilização para a arte, a sua diversidade tipológica, cronológica e temática, património cultural e conservação.

A

pandemia da covid-19 forçou uma interrupção nas atividades do serviço educativo do Museu de Portimão, mas com o lento regresso à normalidade, o equipamento cultural já abriu um novo ciclo de ações, que pretendem dar a conhecer aos mais jovens o património cultural, tanto imaterial, como material, do concelho, promovendo, ao mesmo tempo, o envolvimento direto na defesa e preservação das tradições ancestrais. Composto por três técnicos, a missão do serviço educativo decorre dentro e fora das portas do Museu de Portimão, estando programadas visitas das crianças do pré-escolar e do 1º ciclo do ensino básico, das 10h00 às 12h00 e das 14h00 às 16h00. São realizadas tarefas adaptadas às diferentes faixas etárias numa descoberta da história e património. Ao longo deste ano letivo, inserido no programa da oficina educativa, o Museu volta a realizar a já popular atividade ‘Da Sardinha à Lata’, com a qual as crianças ficam a saber como se faz uma lata de conserva. Por sua vez, na ‘Primeira Impressão’, deixam a sua marca, porque em tempos idos, antes de saírem da fábrica, as caixas das

D.R.

latas de conserva eram marcadas e carimbadas com o nome da cidade ou país a que se destinavam. Através deste serviço, são ainda desenvolvidos projetos temáticos destinados a grupos e à comunidade educativa, como é exemplo ‘Um novo recife artificial’ ou ‘Os quadradinhos que pisamos todos os dias!’, que aborda o uso da pedra para pavimentar o chão. Muitas outras ações despertam curiosidade, como ‘Os Sons da Natureza’, ‘À Descoberta da Pré-história’ e ‘Ideias e formas em movimento’. ‘Um Mergulho na História’ e ‘Iniciação à arqueologia’ complementam a oferta.

O Museu vai à escola O arranque do serviço educativo é pautado também pela ida do Museu às escolas, onde, em ambiente de sala de aula, técnicos, professores e alunos dão asas a ‘Um fantoche na ponta dos dedos’, oficina de expressão plástica que procura despertar a criatividade, imaginação e capacidade de criar e contar histórias, ou ‘Uma meia um fantoche’, onde é despertada a curiosidade para explorar este mundo dos fantoches, com diferentes técnicas de construção. ‘O caixeiro-viajante e as memórias antigas’ também podem

Atividades para os mais pequenos regressam ao Museu ser observadas e experimentadas, pois é da sua mala que saem lucernas, candeias, candeeiros, ardósias, máquinas, rolos, películas fotográficas, cassetes, discos e disquetes, moedas (escudos), cartas, postais e telefones e outros

objetos com histórias para contar. Este serviço educativo já é uma referência que proporciona aos pequenos participantes uma sensibilização para a arte, sua diversidade tipológica, cronológica e temática, património cultural e

conservação. A oficina educativa abrange um universo de cerca de seis mil alunos, cujas atividades envolvem diversos níveis de ensino, a pensar na comunidade escolar e na educação para a cidadania.

Projetos estiveram expostas no Museu

Cidade foi capital da arquitetura regional O Museu de Portimão foi palco da primeira edição do Prémio Regional de Arquitetura do Algarve, no dia 4 de outubro. A cerimónia de entrega dos galardões contou com a participação de Isilda Gomes, presidente da Câmara Municipal, e de José Pacheco, vice-presidente da Comissão Coordenação de Desenvolvimento Regional do Algarve. As candidaturas estiveram expostas no átrio principal daquele espaço até 17 de outubro, tendo a iniciativa sido promovida pela Ordem dos Arquitetos Secção Regional do Algarve. Os vencedores foram Luís Pereira Miguel e Filipe Correia, na

categoria ‘Habitação Unifamiliar’, com um projeto de uma casa em Monchique, Mário Martins na categoria ‘Habitação Coletiva’ com o edifício ‘Les Jardins’, em Lagos, e na vertente de ‘Equipamentos e Serviços’, Luís Valente com uma hospedaria em Tavira. Na vertente de ‘Reabilitação e Património’, o vencedor voltou a ser Mário Martins, com o projeto da 'Casa Bonança', em Lagos. O júri atribuiu ainda menções honrosas a Francisco Freitas, a Bruno Oliveira e Marlene Santos, e a Graça Correia e Roberto Ragazzi, pelos projetos que candidataram a este prémio.

FILIPE DA PALMA/CM PORTIMÃO

Primeira edição do Prémio Regional de Arquitetura do Algarve decorreu em Portimão


P7

Portimão Jornal • 21 OUT 2021 • Nº35

SOCIEDADE D.R.

D.R.

Comunidade escolar participou na ação

Alunos da Bemposta removeram chorão-das-praias em Alvor 190 alunos e professores do Agrupamento de Escolas da Bemposta estiveram nas dunas de Alvor, entre 12 e 15 de outubro, numa ação de remoção do chorão-das-praias, no âmbito da Semana de Educação e Iniciativas de Voluntariado Ambiental. A ação, promovida pela Câmara de Portimão e integrada nas iniciativas coordenadas pela Agência Portuguesa do Ambiente – Administração da Região Hidrográfica do Algarve, dirigiu-se às nove turmas do 8º ano daquele agrupamento, que inclui as EB 2,3 D. João II, de Alvor, EB José Sobral, da Mexilhoeira Grande, e EB da Bemposta. Esta é uma prática que e incide na remoção do chorão-das-praias ‘Carpobrotus edulis’, uma planta exótica originária da África do Sul, introduzida em território português para fins ornamentais, tem uma capacidade de propagação e um vigoroso crescimento que impede o desenvolvimento e sobrevivência da vegetação nativa. “Logo após a degradação e destruição direta de habitats, a proliferação de espécies invasoras como esta, é considerada a segunda causa mais importante de perda de biodiversidade”, explica a Câmara de Portimão.

Concerto será na Igreja Matriz

Portimão abre Festival de Órgão do Algarve

Espetáculo tem entrada livre e está agendado para 5 de novembro, mas o evento estende-se ainda a Faro, Boliqueime e Tavira.

A

Igreja Matriz de Portimão foi o cenário escolhido para o concerto inaugural do Festival de Órgão do Algarve, no dia 5 de novembro, às 21 horas. O espetáculo coloca em palco António Esteireiro e o Coral Adágio, estando ainda previstos oito concertos neste ciclo que decorre até 28 de novembro e se estende a Faro, Boliqueime e Tavira. Este é, aliás, o único que decorre em Portimão. António Esteireiro é natural de Lisboa, estudou órgão, música sacra e musicologia, na capital portuguesa, em Regensburg, Munique e Bremen. Além de ser

convidado regular dos principais ciclos de concertos e festivais de órgão nacionais, coordenou vários ciclos de espetáculos como a ‘Integral Messiaen 2008’, na Sé Patriarcal de Lisboa, os Ciclos de Órgão da Basílica dos Mártires e do Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, e também o Ciclo de Órgão da Igreja de Nossa Senhora do Cabo, em Linda-a-Velha. Apresentou-se também a solo em vários festivais europeus, no México e no Brasil. Leciona no Instituto Gregoriano e na Escola Superior de Música de Lisboa as disciplinas de Órgão e Improvisação. Por sua vez, o Grupo Coral Adágio nasceu em Portimão, em

setembro de 1989. Hoje, conta com cerca de 30 elementos e tem como diretor artístico o maestro António Alves Alferes Pereira. O principal objetivo deste grupo tem sido a divulgação da música coral de qualidade, através de um repertório muito variado que inclui peças da Renascença à atualidade, da polifonia sacra aos espirituais negros, passando pela música popular, portuguesa e de outros países. O festival é promovido pela Associação Música XXI, entrando já na 14ª edição. Todos os concertos têm entrada livre e começam às 21 horas, nas Igrejas de Portimão, Faro, Boliqueime e Tavira.

PUB


P8

Portimão Jornal • 21 OUT 2021 • Nº35

CENTRAIS Universidade Sénior reúne cada vez mais reformados, ávidos em melhorar qualidade de vida

Novos saberes, partilhas e amigos na agenda da ‘geração grisalha’ Maria Fernanda Teixeira é a presidente da instituição, sediada na Casa das Artes, um polo de atração que comporta atividades que vão desde a História Contemporânea à dança, música, teatro e línguas. FOTOS: EDUARDO JACINTO

Um grupo de alunos presta atenção às informações da presidente para o novo ano letivo Hélio Nascimento

S

omos um grupo de geração grisalha”. É assim, de modo peculiar, que Maria Fernanda Teixeira identifica a Universidade Sénior de Portimão, que integra o Instituto de Cultura da cidade, com a base sediada na Casa das Artes, um polo de atração para muito boa gente e que comporta mil e uma atividades, qual delas a mais fascinante. “Vimos aqui de segunda a sexta-feira, para partilhar ideias, partilhar a vida, conviver e participar num vasto conjunto de aulas, desenvolvendo ações que tinham ficado de lado, face às nossas carreiras profissionais, e que, agora, são possíveis de levar a cabo. Temos essa vantagem, porque somos todos reformados”, reconhece a presidente, anfitriã do Portimão Jornal numa tarde de alguma conversa e de um incrível registo de como a vida é algo belo e singular. As aulas são de uma diversidade imensa, desde a História da Arte à Contemporânea, à dança, teatro, música com cavaquinhos,

e, para quem quiser aprender, inglês, francês ou espanhol. “A Universidade Sénior existe há quase 30 anos e tem uma frequência aproximada de 120 a 160 alunos. Podiam ser mais, mas não dispomos de instalações para albergar maior quantidade de pessoas e algumas ficam com a inscrição em suspenso,

mais prolongadas” e decorrem sempre nas instalações da Casa das Artes, um polo do Instituto de Cultura de Portimão que também abarca outras valências, nomeadamente na música (o Grupo Coral é um desses exemplos) e nas artes, a cargo da dra. Estela, num total de mais cinco associações para lá da Universidade Sénior.

“A nossa experiência, baseada nos resultados já obtidos, leva-nos a acreditar que vale a pena continuar com este projeto, com o mesmo entusiasmo inicial”

até existirem novas vagas. Com mais espaço, tínhamos de certeza mais alunos”, garante Maria Fernanda. Os professores estão todos em regime de voluntariado. São cerca de 20 e vêm todas as semanas, das 15 horas em diante. “As aulas de teatro e de dança costumam ser

Inspiração para o momento e coragem para fases difíceis O arranque do ano letivo começou com alegria e boa disposição, perante uma assistência numerosa. Maria Fernanda aproveitou para “partilhar algumas notas que reputo de relevantes”, dirigindo-se sobretudo aos novos alunos,

frisando que “a Universidade Sénior é um local de novos conhecimentos, para trocar experiências e partilhar a vida”, e que, “independentemente do grau de ami-

zade, do nível do conhecimento ou da força da relação, todos nos influenciamos mutuamente”. A presidente, de palavra fácil e ótima comunicadora, prossegue: “Nunca somos inócuos. Há sempre quem busque em nós inspiração para o momento, ou forças para o dia, ou, até, coragem para uma fase mais difícil”. A reportagem do Portimão Jornal está rendida às palavras de Maria Fernanda e ao seu entusiasmo. “Numa fase da vida em que temos muito que ensinar, em que as recordações nos fazem sorrir, em que a vida tem um especial encanto do caminho percorrido, a Universidade Sénior quer escrever algumas páginas novas, cheias de novos saberes, partilhas, amigos e muitos sorrisos”. Os objetivos, de resto, são simples e inserem-se no que temos vindo a anunciar. “Queremos incentivar a participação de seniores em atividades culturais, cidadania e lazer, bem como contribuir para a melhoria da qualidade de vida e impulsionar a sua participação cívica e auto-organização, nomeadamente no período pós-reforma”. A propósito, diga-se que todas as pessoas re-

Igualdade de oportunidades para as pessoas mais velhas Se já leu, naturalmente, algumas das linhas desta reportagem, ficou a saber os grandes propósitos de uma Universidade Sénior. Seja como for, e porque há muito mais, em termos gerais, para contar, veja também outra ideia do que é ‘envelhecer’…com qualidade de vida. Assim, a abordagem do envelhecimento ativo e bem-sucedido baseia-se no reconhecimento dos direitos humanos das pessoas mais velhas, e nos princípios de independência, participação, dignidade, assistência e autorrealização. O planeamento estratégico deixa de ter um enfoque baseado nas necessidades e passa a estar baseado nos direitos, o que permite o reconhecimento dos direitos das pessoas mais velhas à igualdade de oportunidades e tratamento de todos os aspetos da vida à medida que envelhecem. Esta abordagem tem dupla importância: do ponto de vista individual é fundamental para uma velhice mais positiva, ativa ou bem-sucedida; por outro lado, do ponto de vista coletivo é do interesse generalizado que a sociedade seja constituída por pessoas saudáveis. Quanto mais saudáveis e ativas forem as pessoas mais velhas, maior a sustentabilidade dos serviços de saúde e de apoio social.


P9

Portimão Jornal • 21 OUT 2021 • Nº35

CENTRAIS formadas se podem inscrever na universidade, independentemente da idade. Maria Fernanda dirige-se depois com “especial carinho e gratidão” aos professores, que, “em

folclore, bem como uma fantástica passagem de modelos – a cargo, sobretudo, das alunas – e uma exibição musical de cavaquinhos pela tuna residente na Casa das Artes fizeram ainda parte da ses-

Maria Fernanda Teixeira foi inspetora da Polícia Judiciária, tem o curso de medicina e é voluntária no Hospital de Portimão. “Tudo o que faço é de coração”, garante regime de voluntariado e de forma tão generosa e disponível, têm transmitido ao nosso instituto os seus conhecimentos e as suas ricas experiências de vida, com as quais permitiram durante estes anos, e certamente continuarão

são de boas vindas, que terminou com um agradável lanche. “Sou uma mulher simples e tudo o que faço é de coração”, releva Maria Fernanda, sem mãos a medir neste início de mais um ano de trabalho e camaradagem,

“Fazemos muitos passeios, culturais e de lazer, e, no fim do ano, há sempre uma excursão grande. Tentamos viajar para um local onde exista uma Universidade Sénior” a permitir, que aconteçam momentos únicos de aprendizagem, relacionamento humano e social que hão de influenciar de maneira positiva a comunidade onde estamos inseridos”. A felicidade como bandeira Leitura de poemas, demonstração de alguns passes de dança e de

sempre assente na valorização do ser humano. “A nossa experiência, baseada nos resultados já obtidos, leva-nos a acreditar que vale a pena continuar com este projeto, com o mesmo entusiasmo inicial, tendo sempre em vista o objetivo que nos move, que é o de sermos felizes e fazermos felizes todos os

que aqui se matriculam”. Os alunos, de resto, são entusiastas e participativos, levantando sempre inúmeras questões. Num vasto lote de reformados (desde licenciados a, por exemplo, empregadas domésticas), são as mulheres que estão em vantagem, porque, como diz Maria Fernanda, parece que os “homens oferecem um bocadinho de resistência”. “Fazemos muitos passeios, culturais e de lazer, e, no fim do ano, há sempre uma excursão grande. Tentamos viajar para um local onde exista uma Universidade Sénior, para promover o intercâmbio, para nos valorizarmos e enriquecer o nosso programa”, destaca a presidente, dando conta de um encontro realizado em Faro, com instituições algarvias, e de um outro promovido pela casa portimonense. Uma mulher dos sete ofícios Maria Fernanda Teixeira é uma mulher exemplar, uma mulher que abraça causas como o amor pelo próximo, o voluntariado e a defesa intrínseca dos mais desfavorecidos. Nasceu em São Tomé e Príncipe e foi inspetora da… Polícia Judiciária! “Nunca trabalhei no Algarve. Estive em Leiria, Coimbra e vim para Portimão há cerca de dez anos”, narra a antiga inspetora, especialista em crimes contra as pessoas, embora “tenha corrido vários departamentos”. Licenciada também em medicina, a presidente da Universidade Sénior tinha “uma atividade a mil”, pelo que, depois da reforma, “não conseguia ficar parada”. Uma vez que o voluntariado sempre foi uma das suas paixões, dirigiu-se,

O programa de educação de adultos com mais sucesso no mundo inteiro A Universidade Sénior de Portimão está inscrita na RUTIS, uma espécie de federação que engloba todos estes projetos. Trata-se da Associação Rede de Universidades da Terceira Idade, uma Instituição Particular de Solidariedade Social e de Utilidade Pública de apoio à comunidade e aos seniores, de âmbito nacional e internacional, criada em 2005 e que tem, atualmente, 305 membros, 45.000 alunos seniores e 5.000 professores voluntários. As Academias e Universidades Seniores (US) funcionam como respostas socioeducativas que visam criar e dinamizar regularmente atividades nas áreas sociais, culturais, do conhecimento, do saber e convívio, prosseguidas por entidades públicas ou privadas, com ou sem fins lucrativos. As US são hoje o programa de educação de adultos com mais sucesso no mundo inteiro, envolvendo milhões de pessoas nos cinco continentes, funcionando em horário laboral, durante a semana, seguindo o calendário escolar (abrem em setembro/outubro, fecham no Natal, Carnaval e Páscoa e encerram no pico do Verão), com disciplinas e atividades de artes, informática, desporto, ciências sociais e humanas e cidadania, entre outras. As disciplinas existentes variam de universidade para universidade, sendo as mais populares a informática, a saúde, história, inglês e cidadania. A idade mínima para frequentar é de 50 anos (embora possa haver exceções, desde que o aluno seja reformado) e o valor médio nacional das mensalidades é de 12 euros.

já em Portimão, ao hospital, oferecendo os seus serviços, que, de pronto, foram aceites. Ainda hoje continua a trabalhar como voluntária na unidade hospitalar da cidade. “Queria também aprofundar o inglês, pelo que me dirigi a estas instalações, para me inscrever. Não havia vaga e tinha de ficar à espera, mas, quando viram a minha ficha, que tinha sido inspetora da PJ, chamaram-me de imediato”, recorda Maria Fernanda. Começou por dar aulas do seu ramo, ensinando estratégias para as pessoas evitarem se-

rem vítimas de crimes, roubos e assaltos. “Foram aulas muito interessantes, de que os alunos gostavam imenso” e que se prolongaram por quatro a cinco anos. “Entretanto, houve eleições e lançaram-me o repto para ser presidente da Universidade Sénior. Hesitei em relação ao convite, de início, mas acabei por aceitar. Desde 2019 que sou presidente. E faço tudo com muito gosto”, garante, apesar de ser um “cargo desgastante”, ao qual, porém, “me dedico a 100 por cento, como foi sempre na minha vida profissional e depois também no hospital”. D.R.

Maria Fernanda teve uma “vida a mil” e hoje continua a abraçar várias causas

Nos espetáculos são sempre os alunos a dar o (bom) exemplo


P10

Portimão Jornal • 21 OUT 2021 • Nº35

ECONOMIA Grupo replica conceito de empresa norte-americana

BNI Desafio já gerou quase 16 milhões de euros de negócio FOTOS: RAFAEL DUARTE

Projeto foi implementado em Portimão em 2012 e integra empresários de diversos setores de atividade. Rafael Duarte

U

tilizamos a filosofia do agricultor que semeia para colher e não a do caçador que vai sempre à procura da empresa para tirar o máximo de proveito”. A analogia serve de primeira explicação para o que é o Grupo BNI Desafio, que já originou quase 16 milhões de euros em negócios desde 2012. Chegou a Portimão em fevereiro desse ano, mas o conceito da empresa norte-americana ‘Business Network International’ (BNI), já existe há 36 anos. A ideia resume-se em duas palavras: ‘Givers Gain’, que em português significa ‘Ganhar Contribuindo’. E foi isso que este grupo de empresários replicou neste concelho algarvio. “Damos oportunidade aos membros de passarem negócios de referência aos parceiros sem nada em troca”, explica Luís Maximiano, vice-presidente do grupo. Quer isto dizer que um empresário, assim que encontre ou se depare com uma oportunidade de negócio em determinada atividade, pode encaminhá-la para outro membro do grupo que seja especializado nessa área. “Ou seja, nós abrimos as portas e depois só depende deles para que se firme o negócio. Aí, o membro beneficiado sentir-se-á na obrigação de ajudar” quem já o auxiliou antes, refere Luís Maximiano. Fica por isso entendido que, para um grupo com estes ideais funcionar, é necessário ter um leque variado de setores e muita confiança. “Queremos empresários credíveis no grupo” “O BNI é o maior líder do mundo em referenciação de negócios, enquanto a segunda e terceira juntas não chegam a um quarto da quota de mercado. É a única organização que a nível mundial cresce

João Tavares e Luís Maximiano são os responsáveis pelo Grupo Desafio em Portimão todos os anos”, adianta João Tavares, presidente do grupo Desafio. E qual é o segredo para este sucesso? “O grau de cumplicidade entre os empresários, que é conseguido através de uma série de regras e de cultura própria do BNI”. Todas as quintas-feiras, às 7h00, os elementos reúnem-se online. Nesses encontros, todos se dão a conhecer e apresentam os seus projetos. “Queremos em-

teressado em se juntar a nós vai a uma das nossas reuniões e, se gostar, candidata-se. Cada grupo tem uma comissão de membros” que avalia se a pessoa tem as condições adequadas para ingressar, pois “não queremos correr o risco de chamar alguém que manche o nosso bom nome. Se for aceite, o novo empresário paga uma joia e é acompanhado durante oito semanas para que as bases da or-

“O BNI salvou muitas empresas. Tivemos um impacto direto na economia de Portimão e, para nós, é um orgulho ajudar muitas pessoas a manter negócios de pé” presários credíveis, porque só assim garantimos o seu crescimento”, afirma Luís Maximiano. É por esta razão que a entrada no BNI implica o convite de alguém que já pertença ao grupo. “Um empresário que esteja in-

ganização sejam transmitidas. Recebe formações grátis e tem que pagar a quota anual”, explica João Tavares. O presidente do BNI Desafio exemplifica: “Nós somos promotores. Promovemos os serviços

dos nossos colegas. Por isso, esta iniciativa assenta na confiança, porque nos conhecemos todos muito bem e, quando houver alguma conversa na rua, é mais fácil para mim referenciar” um colega. O que trouxe a pandemia Agora são 16 membros, mas chegaram a ser 52. Se, por um lado, a pandemia não veio ajudar, por outro gerou algumas vantagens. “Como as reuniões passaram a ser online, assistimos a encontros em Londres, Nova Iorque ou Singapura. Estes contactos podem originar parcerias que dão dinheiro amanhã”, aponta João Tavares, que destaca essa globalização do ‘Business Network International’. “O BNI tem uma plataforma que permite manter o contacto com mais de 200 mil empresários em todo o mundo. Se eu estiver na Índia e quiser procurar um mecânico em Portimão, porque vou lá passar férias, acedo à aplicação e consigo saber se há um grupo BNI. Isso permite negócios intercontinentais com empresários, que só têm em comum” o facto de pertencerem a esta rede.

E, numa altura em que a pandemia obrigou muitos negócios a fechar, houve quem conseguisse sobreviver. “O BNI salvou muitas empresas. Tivemos um impacto direto na economia de Portimão e, para nós, é um orgulho ajudar muitas pessoas a manter negócios de pé”, reforça Orlando Caixeirinho, diretor executivo do BNI Algarve, que tem um impacto de oito milhões de euros na região, e que tem seis grupos. O empreendedor aproveita ainda para contar

ESPECIALIDADES EM ABERTO Estas são as especialidades que o Grupo BNI Desafio está à procura de juntar na lista de membros Empresa de Limpezas Dentistas Gestão de Condomínios Fisioterapeutas Veterinários Decoradora de Interiores


P11

Portimão Jornal • 21 OUT 2021 • Nº35

ECONOMIA D.R.

ao Portimão Jornal como chegou ao sul do país. “Fui convidado a integrar o BNI. Gostei do que vi, mas não podia assumir o compromisso de ir todas as semanas às reuniões. Foi então que me sugeriram a criação de um grupo para mim. Abri um em Castelo Branco. Como correu muito bem, deram-me a oportunidade de liderar o BNI no Algarve”. Orlando assume, por isso, que este conceito lhe mudou a vida, mais não fosse porque agora também lidera o BNI Chile. João Tavares, presidente do Grupo Desafio, recorda como tomou contacto com este conceito. “Estava a levantar dinheiro às 18h30 do dia 30 de novembro de 2011. Estavámos em plena crise financeira e ligaram-me a perguntar se estava interessado em ter mais clientes. Disse que sim. Então convidaram-me a estar, no dia seguinte, no Hotel Júpiter, às 6h30. Assisti à reunião e entrei no grupo. Fui o 12º membro e retribui o convite do meu amigo, convidando outros”. E foi de forma parecida que Luís Maximiano começou a sua história no BNI. “Fui convidado por um amigo na mesma altura

Divulgação de oportunidades da incubadora

StartUp participou em iniciativa europeia BNI foca-se no conceito de entreajuda que o João. Tinha muito trabalho e, na altura, recusei. No entanto, passado um mês, recebi outro convite e decidi analisar o projeto. Fiquei impressionado com a dinâmica e a forma como os empresários lidavam entre si. Vi muita cumplicidade. Quem está a pensar entrar pode ir até a duas reuniões antes de decidir. Eu, na primeira, juntei-me ao grupo”. Foi em abril de 2012 e, hoje, faz um balanço positivo. “Era um empresário em nome individual e,

graças ao BNI, cheguei a ter cinco colaboradores. Posso dizer que 80% da faturação foi graças a este grupo”. João Tavares também faz um balanço positivo da passagem do Grupo Desafio por Portimão, que já gerou quase 16 milhões de euros desde que foi lançado, em 2012. “Queremos que as pessoas percebam que há uma organização séria e credível no concelho que ajuda os negócios de cada um a crescer”, destaca.

A adesão da StartUp Portimão à ‘Startup Europe Week 2021’, considerado o maior evento regional de empreendedorismo e movimento popular no mundo, levou a que a incubadora sediada no concelho promovesse, no dia 11 de outubro, uma atividade de divulgação das oportunidades e ferramentas disponíveis, destinadas à criação e desenvolvimento de negócios. Na apresentação participaram João Gambôa, vereador da Câmara, e Vanessa Batista, responsável pelos Territórios Criativos. ‘Mergulha no empreendedorismo em Portimão’ foi o painel que teve como oradores Fernando Horta (IAPMEI - Centro de Apoio Empresarial do Sul/Algarve), Juan Correia (diretor nacional da ANJE Algarve, empresário e professor universitário) e Luís Silva (Tecnologias Imaginadas). A ‘Startup Europe Week’ visa ajudar os empreendedores a prosperar, tendo uma crescente projeção devido a uma série de eventos focados no ecossistema local. Está em mais de 300 cidades e cinco países e conta com mais de 250 coorganizadores. PUB


P12

RAIO-X A foto

Portimão Jornal • 21 OUT 2021 • Nº35

ANA SOFIA VARELA

JOSÉ SOUSA A sua ligação de três décadas aos Bombeiros Voluntários de Portimão, o trabalho desenvolvido e a competência revelada fizeram com que fosse a escolha natural para substituir o comandante Richard Marques, que subiu a responsável distrital da Proteção Civil.

FILIPE SANTOS O nadador Filipe Santos esteve em grande destaque no Campeonato da Europa para atletas com Síndrome de Down, ao arrecadar quatro medalhas de ouro, uma de prata e duas de bronze.

OBRAS NA V5 • Arrancaram, por fim, as obras de repavimentação da V5, entre a rotunda da Cruz da Parteira e o entroncamento com a Estrada Municipal 531, na Penina. Esta é uma intervenção que há muito tempo era reclamada pelos automobilistas que a utilizam, uma vez que o seu piso se encontra em péssimo estado de conservação.

A frase

“A Universidade Sénior existe há quase 30 anos e tem uma frequência de 120 a 160 alunos. Podiam ser mais, mas não dispomos de instalações para albergar maior quantidade de pessoas”. Maria Fernanda FICHA TÉCNICA DIRETOR Rui Pires Santos • REDAÇÃO Ana Sofia Varela, Hélio Nascimento, Jorge Eusébio e Rafael Duarte DESIGN E PAGINAÇÃO Vanessa Correia • FOTOGRAFIA Eduardo Jacinto e Kátia Viola DEPART. COMERCIAL Hélder Marques, 914 935 351 • PROPRIEDADE E EDITOR PressRoma, Edição de Publicações Periódicas, Unip. Lda., Rua Dr. João António Silva Vieira, Lote 3, 3º Dto, 8400-417 Lagoa CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Rui Pires Santos • DETENTOR DO CAPITAL 100% Rui Pires Santos NIF 508 134 595 • Nº REGISTO ERC 127433 • DEPÓSITO LEGAL Nº 470747/20 • SEDE DE REDAÇÃO Rua Dr. João António Silva Vieira, Lote 3, 3º Dto., 8400-417 Lagoa • EMAIL portimaojornal@gmail.com • TELEFONE 282 381 546 | 967 823 648 • IMPRESSÃO LUSOIBÉRIA, Av. da República, nº 6, 1.º Esq. 1050-191 Lisboa • TIRAGEM 3.750 exemplares PERIODICIDADE Quinzenal • ESTATUTO EDITORIAL: https://algarvevivo.pt/sobre-nos/

PREÇO DOS COMBUSTÍVEIS Qualquer dia, o simples e banal ato de ir a um posto de abastecimento encher o depósito do carro para seguir para o emprego passa a ser um luxo só ao alcance de milionários. Os preços não param de subir, independentemente de, nos mercados internacionais, o valor do barril de petróleo estar em alta ou em baixa.

FARMÁCIAS COM SERVIÇO NOTURNO OUTUBRO 21 Arade • 22 Rio • 23 Central • 24 Pedra Mourinha • 25 Moderna 26 Carvalho • 27 Rosa Nunes • 28 Amparo • 29 Arade • 30 Rio • 31 Central NOVEMBRO 1 Pedra Mourinha • 2 Moderna • 3 Carvalho


PUB

PUB


P14

Portimão Jornal • 21 OUT 2021 • Nº35

OPINIÃO

A nudez forte da verdade trabalho é digno de um qualquer país não do terceiro mundo, mas dos cús de Judas.

Pedro Manuel Pereira Historiador Nuvens negras se adensam no horizonte próximo da vivência colectiva em Portugal. Desemprego, falta de habitação condigna, carências alimentares e de assistência hospitalar, médica e medicamentosa atempadas, continuam a atingir largas centenas de milhar de portugueses.

Nos tempos presentes e dos que se avizinham, no mundo laboral só os mais dotados e tecnicamente capacitados, os superespecializados sobreviverão. A contrapartida será um exército de desempregados, legiões de desocupados, clientela fácil das manobras demagógicas de qualquer partido político, que em qualquer momento poderão tornar-se incontroláveis com consequências imprevisíveis. Face a este cenário, incapazes de resolver o

Vivemos a nível mundial uma fase de transição de paradigma civilizacional, marcada por uma revolução tecnológica em curso cujo saldo, estamos em crer, poderá vir a ser positivo no futuro, mas no entretanto e até então, muita água vai correr debaixo das pontes e muita gente vai ser espezinhada pelo caminho. Passados quarenta e sete anos do término da ditadura, as fórmulas toscas e caceteiras de controlo e repressão do antigo regime deram lugar a outras de objectivos semelhantes. Estas, recorrendo a sofisticados meios tecnológicos e informáticos, têm vindo insidiosamente a instalar-se no nosso quotidiano, travestidas com a manta da conspurcada palavra “democracia”, que vem servindo para justificar todos os actos de prepotência e repressão por banda dos governos à temporada. Sinais dos tempos que atravessamos, manifestam-se na insegurança de quem trabalha nas empresas privadas e/ou ao serviço do Estado. Contratos a prazo tornam precário o ganha-pão, sobretudo daqueles que não são da cor política das chefias. Compondo o cenário, refira-se que o actual código de

Delegação Regional do Algarve

A DECO INFORMA… Na sequência de uma denúncia apresentada pelo BEUC, a DECO e outras dez organizações de consumidores, em julho de 2020, que visava infrações generalizadas aos direitos dos passageiros, e de investigações que se seguiram da Comissão Europeia e da Rede de Cooperação entre as Autoridades Nacionais responsáveis pela aplicação da legislação de defesa dos consumidores, hoje 16 companhias aéreas com sede na UE, entre as quais, a TAP, a Ryanair, e a Easyjet, entre outras, comprometeram-se a melhorar as suas políticas de cancelamento, a reembolsar atempadamente os passageiros e a reembolsar os passageiros a quem tinham sido impostos ‘vouchers’ não utilizados. As companhias aéreas também se comprometeram a ser mais transparentes para com os consumidores sobre os seus direi-

Entretanto, à laia de paliativo e tentando controlar uma situação que a breve trecho se poderá tornar explosiva, o governo trata de manter à rédea curta os grandes órgãos de comunicação social através de financiamentos descarados, fazendo deles “a voz do dono”. No caso dos canais televisivos, que de entre todos os meios de informação são os que conseguem ter maior impacto (des)informativo, são aqueles onde o controlo do aparelho governativo se faz sentir de forma mais evidente, com os resultados escandalosos

A mais rica matéria-prima existe. É ela a massa cinzenta. Há que aproveitá-la, incentivar e dar oportunidade aos jovens que todos os anos em fornadas saem das universidades insolúvel, ou seja, criar postos de trabalho onde eles não existem, o poder terá a breve trecho como quebra-cabeças, gerir a crescente horda de desempregados.

conhecidos manifestados a nível da censura (não oficial) com a (des)informação dos telejornais e dos seus intervalos sincronizada à hora e ao minuto entre todos os canais.

A mais rica matéria-prima existe. É ela a massa cinzenta. Há que aproveitá-la, incentivar e dar oportunidade aos jovens que todos os anos em fornadas saem das universidades e unidades de ensino especializado, de criarem grupos de trabalho a fim de proporem eles mesmos, soluções alternativas face ao panorama laboral, ou seja, de criarem o seu próprio emprego. Há que lhes fornecer as ferramentas e não a obra acabada.

Salva-se por enquanto alguma rádio, não a oficial, é claro, que na sua maior parte constitui um espinho incómodo cravado nas mentes obscurantistas e tortuosas dos beatos controleiros de um certo tipo de valores bafientos e passadistas, nos quais se estribam a fim de propalarem a sua “ideologia” sem atentarem, porque lhes é incómodo, aos ventos de mudança que sopram de todos os quadrantes que fazem mover as novas gerações, as gerações do futuro (porque elas por si já

são o futuro) que tanto os assusta, que cada vez mais se afastam da politiquice bacoca e dos partidos que não têm querido ou sabido dar resposta aos problemas dos jovens. Na realidade, os partidos políticos normalmente e por sistema só dos jovens se lembram em vésperas de campanhas eleitorais, aliciando-os com falsas promessas. Vive-se (revive-se) o espírito da denúncia, da sobrevivência e da subserviência porque a mentalidade pidesca não foi erradicada só porque houve um golpe de estado militar em 25 de Abril de 1974. Não tenhamos ilusões, é que para ser pide não bastava ser funcionário de um aparelho repressivo. Ser pide era (e é) acima de tudo um estado de alma, uma filosofia de vida, um extremoso amor, diríamos antes, um amor militante à estupidez, à ignorância, à delação, à pulhice, à sacanagem, à traição, para além de qualquer credo político ou religioso. Sob o aspecto económico, o quadro também não é o mais animador. Por detrás da insegurança no emprego podemos vislumbrar o capitalismo saloio nacional, retrógrado e caceteiro. Entretanto, em Portugal, aparentemente a maioria do povo vive mansamente. Chegada a noite, entre uma garfada a jantar e um olho na televisão, o povo deleita-se com as peripécias do futebol, das aventuras e desventuras dos enredos das telenovelas, das cavalices de um banqueiro em fuga, dos dramas passionais com facadas e tiros, mais os negócios da “imigração” à martelada e os concursos televisivos acéfalos, entre outras miudezas. Depois, adormece tranquilamente, com a sensação de que o mundo se encontra rendido aos seus pés.

CONSULTÓRIO DO CONSUMIDOR / DECO

É verdade que 16 companhias aéreas se comprometeram a melhorar as suas políticas de cancelamento e reembolso? tos, e a informar proactivamente os consumidores que tinham visto ser-lhes impostos vales de viagem (com exceção da Wizzair e da Iberia que recusaram) sobre o seu direito a um reembolso se assim o desejarem. Os compromissos agora assumidos pelas companhias seguem-se às denúncias apresentadas por um conjunto de organizações de consumidores, denunciando violações dos direitos dos passageiros e um conjunto de práticas comerciais desleais promovidas por algumas companhias aéreas durante a pandemia.

Em Portugal, a DECO denunciou à Autoridade Nacional de Aviação Civil as práticas de algumas companhias aéreas, que induziam em erro os passageiros quanto aos seus direitos, em particular quanto ao reembolso. No seguimento dessas diligências, veio a verificar-se um conjunto de melhorias na informação prestada aos consumidores nos canais digitais das transportadoras visadas, no entanto, as infrações aos direitos dos passageiros não foram, tanto quanto é do conhecimento público, sancionadas e, em alguns casos, persistem até hoje. Apesar destas notícias, alguns consumi-

dores continuam à espera do reembolso e alguns passageiros receberam vales de viagem que não desejavam e não utilizaram, vendo, só agora formalmente reconhecido o direito ao reembolso. Se este é o seu caso, contacte a transportadora. Em caso de dúvida ou se necessitar do apoio da DECO, contacte-nos por email para o endereço deco@deco.pt ou através da nossa linha de WhatsApp (+351) 966 449 110.


P15

Portimão Jornal • 21 OUT 2021 • Nº35

ÚLTIMAS D.R.

Sessões gratuitas na última quinta-feira de cada mês

Cinema francês regressa ao Museu Alliance Française do Algarve e o Grupo dos Amigos do Museu de Portimão promovem a iniciativa até junho do próximo ano. D.R.

O

Museu de Portimão mostra, de novo, o que de melhor produzem os realizadores gauleses, com a terceira edição do ‘Filme Francês do Mês’, a partir de dia 28 de outubro. As sessões são gratuitas e têm lugar na última quinta-feira de cada mês, sempre às 21h00, no auditório deste equipamento cultural. A iniciativa é promovida em conjunto pela Alliance Française do Algarve e o Grupo dos Amigos do Museu de Portimão (GAMP) e pretende divulgar junto do público os grandes êxitos cinematográficos na língua de Molière, além de atrair os residentes e turistas de nacionalidade francesa a conhecer a história e património regionais. A primeira película deste novo ciclo intitula-se ‘Damien veut changer le Monde’, foi realizada por Xavier de Choudens, em 2018, e será exibida a 28 de outubro, às 21h00. Esta comédia, com a duração de 1h39 minutos, aborda a vida de Damien e da sua irmã, que tiveram uma infância feliz, embalados pela defesa de causas que caracterizavam o quotidiano dos pais, embora o militantismo se tenha extinguido com a morte da mãe. Duas décadas mais tarde, quando Damien trabalha como educador numa escola primária, a iminente expulsão de um dos seus alunos convence a sua família e amigos a acompanhá-lo num

Homenagem a quem faz 100 anos em 2021

No âmbito da celebração do Dia do Idoso, a 1 de outubro, a Câmara Municipal de Portimão quer homenagear, este mês, os idosos que fazem cem anos, tal como já aconteceu em 2019. A autarquia realizou alguns contactos com as instituições de apoio à terceira idade no concelho e encontrou dez residentes que já alcançaram esta meta. Ainda assim, apela à população que, caso conheçam alguns idosos que celebrem um século de idade, entre em contacto com os serviços, por telefone (282 470 787/731 ou 969 757 882) ou por email (saude.cidadania@cm-portimao.pt) para que possam ser distinguidos. Será necessário indicar o nome da pessoa, data de nascimento e o contacto de um familiar. D.R.

Primeiro filme deste ciclo é ‘Damien veut changer le Monde’ novo combate. Os filmes serão exibidos na versão original, com legendas em português, estando o seguinte ‘Hippocrate’, de Thomas Lilti, agendado para 25 de novembro, para 27 de janeiro ‘Énorme’, de Sophie Letourneur, para 24 de fevereiro ‘Marche ou Crève’, de Tatiana-Margaux Bonhomme, para 31 de março ‘De Gaulle’, de Gabriel Le Bomin, para 28 de abril ‘Les Éblouis’, de Sarah Suco, para 26 de maio ‘Tout ce qu’il me reste de la révolution’, de Judith Davis, e 30 de junho ‘Un beau voyou’, de Lucas Bernard. A Alliance Française do Al-

garve, cuja sede se localiza em Faro, é uma associação de direito privado cujo objeto é a divulgação da língua e da cultura francesa. Em março de 2018, a entidade decidiu alargar a presença ao Barlavento e estabeleceu um protocolo com o GAMP, visando estreitar os laços culturais com o tecido associativo local, graças aos quais o ciclo ‘Filme Francês do Mês’ começou a ter lugar em Portimão. No mesmo âmbito a entidade promove aulas de português para francófonos residentes no concelho, através de uma parceria estabelecida com a Junta de Freguesia local.

30€ ano

Receba o Jornal confortavelmente em sua casa. Envie email para portimaojornal@gmail.com Dados a indicar: nome, data de nascimento, morada e número de contribuinte.

ADAP e fotógrafo Carlos Filipe são parceiros

EMARP lança campanha para deposição de dejetos caninos A Empresa Municipal de Águas e Resíduos de Portimão (EMARP) lançou uma nova campanha que pretende sensibilizar a população. Para esta iniciativa estabeleceu uma parceria com a Associação de Defesa dos Animais de Portimão e com Carlos Filipe Photography, para ajudar a angariar donos responsáveis para animais de companhia, alertando, ao mesmo tempo, para a necessidade da correta deposição dos dejetos caninos. "A sério? Vais deixar o meu cocó no chão?" é uma das frases que integra a campanha, que tem como interlocutores os caninos. As mensagens são direcionadas aos donos para que sejam incentivados a recolher os dejetos dos seus animais, não sujando a cidade que é de todos, explica a EMARP. PUB

PUB

Assine o Portimão Jornal

Câmara procura ‘jovens’ centenários

Cuidamos do seu automóvel Revisões - Diagnósticos ⋅ Ar condicionado Tratamento de Faróis Virgilio Bicho ⋅ Mecânica Geral +351 966 218 711 ⋅ virgilio.bicho@gmail.com Urb. da Passagem, Lt.11, 8400-612 Parchal

PUB


A FECHAR

Quinta-feira • 21 outubro 2021

D.R.

Campanha de sensibilização para segurança rodoviária

Câmara e Portipark querem incentivar mobilidade Plano Urbano será um documento estratégico e operacional, deverá estar concluído durante o primeiro trimestre de 2022. JORGE EUSÉBIO

Mensagens pretendem que a população adote novos hábitos

A

Câmara de Portimão e a Portipark estão a levar a cabo uma campanha conjunta de sensibilização. Intitulada ‘Siga_Portimão Acessível – Mobilidade Mais Fácil e Segura’, assume a segurança rodoviária e o respeito entre condutores e peões como elementos primordiais para uma cidade segura. A iniciativa apresenta um conjunto de mensagens e hábitos que devem integrar o quotidiano dos cidadãos para permitir mais mobilidade, incentivando a utilização do ‘Vai e Vem’ e de modos suaves, como as bicicletas. Um dos temas relacionados com a mobilidade é o estacio-

namento, “que desempenha um papel relevante na qualidade ambiental e permite induzir comportamentos mais sustentáveis”, tendo, por isso, sido “implementada uma política que visa melhorar a acessibilidade e gerir o espaço urbano de uma forma mais eficiente”, explica a Empresa Municipal de Águas e de Resíduos de Portimão (EMARP). Segundo a entidade, as medidas que têm vindo a ser colocadas em prática passam por assegurar as opções de ordenamento e acesso à mobilidade, contrariando um estacionamento sem rotatividade, que gera pressão nas zonas de maior congestionamento e reduz

a acessibilidade para peões, ciclistas, utilizadores de transportes públicos e condutores. “A política de estacionamento e a força de fiscalização têm o objetivo de eliminar a paragem de veículos de forma irregular e abusiva na via pública, fomentando boas condições de circulação e devolvendo a fruição dos passeios aos peões. Apenas através da utilização de estacionamento de curta duração, na proximidade das áreas comerciais e de serviços, é possível fomentar uma maior circulação de pessoas”, justifica ainda a EMARP. Acrecenta ainda que, os residentes dispõem de 60 minutos diários de estacionamento não pago, podendo registar-se junto da Portipark, na Rua José António Marques ou através de um formulário online (portipark. pt/residentes/beneficio-de-residente-60-minutos-gratis/). Esta questão é uma das que integra o Plano de Mobilidade Urbana Sustentável, documento que, segundo adianta a EMARP, deverá estar concluído até março de 2022. Será um instrumento que articulará as diferentes plataformas de deslocação e modos de transporte. A intenção é criar condições para reduzir a utilização do transporte individual, optando por meios mais sustentáveis.

Relógios atrasam uma hora a 31 de outubro Com a entrada em vigor do horário de Inverno, em Portugal, no próximo dia 31 de outubro, quando os relógios marcarem as duas horas, os ponteiros devem atrasar 60 minutos para a uma hora. Este horário estará em vigor até 27 de março de 2022.

GARRA organiza primeira Maratona BTT ‘Cidade de Portimão’ O Grupo de Amigos Rodas do Rio Arade (GARRA) promove a primeira edição da maratona BTT ‘Cidade de Portimão’, no dia 24 de outubro, a partir das 9h00, no Complexo Desportivo da Mexilhoeira Grande. Esta é uma prova do calendário oficial que contará para o Campeonato do Algarve de XCM 2021 e que integra uma prova aberta de BTT-XCM na distância de 75 quilómetros, para atletas federados, e uma competição aberta de BTT-XCM com 40 quilómetros de ‘Ciclismo para Todos’. O evento conta com a parceria da Federação Portuguesa de Ciclismo e a Associação de Ciclismo do Algarve.

Novo projeto 'Club Makumba' apresenta-se no Teatro Municipal O mais recente projeto musical, 'Club Makumba', atua no Teatro Municipal de Portimão, no dia 30 de outubro, às 21h00. Este grupo teve origem na parceria criada entre Tó Trips (Dead Combo, Lulu Blind, entre outros) e João Doce (Wraygunn), a que se juntaram Gonçalo Prazeres e Gonçalo Leonardo. Autocaracterizam-se como um projeto de “exercício livre, espontâneo, experimental e tribalista, que abre a janela para uma viagem pelas sonoridades do Mediterrâneo e pela África imaginada, para uma música sem preconceitos e sem fronteiras”. As entradas custam dez euros e podem ser adquiridas na plataforma online bol e na bilheteira do Teatro. PUB


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.