__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

Quinta-feira • 6 de maio 2021 • 1.00€

PESSOAS

João Antunes recorda as lutas que o comércio travou na cidade P10-11

Quinzenário • Ano 1 • Nº23 Diretor: Rui Pires Santos

André Rochato um dos rostos do futsal do Portimonense É uma das referências do clube e tem estado presente desde o início da ascensão da equipa. O atleta conta algumas das dificuldades em conciliar treinos com a enfermagem. P8-9

664 mil euros recuperam antiga Junta de Alvor Obra pretende converter o espaço num multifunções dedicado à atividade cultural. Parte da verba virá de fundos comunitários, assumindo a Câmara o restante investimento. P16

SOCIEDADE Corrida Fotográfica quer mostrar olhares de esperança P3

SAÚDE Trabalhadores da Delta dão materiais a associações P4

POLÍTICA Assembleia Municipal debate concessão do 'Vai e Vem' P5

AMBIENTE Seis praias ganham Bandeira Azul nesta época balnear P16

CULTURA

Portimão está a vacinar 1000 pessoas por dia Concelho é o único do Algarve a inocular pessoas a partir dos 60 anos. Próxima avaliação do Governo, hoje, deverá autorizar a reabertura da economia e da sociedade. P3

'Entrelaçados' com espetáculos em julho P15 PUB


P2

Portimão Jornal • 06 MAI 2021 • Nº23

ATUALIDADE CM PORTIMÃO

D.R.

Open Day em sessões online

Escola de Hotelaria e Turismo de Portimão apresentou oferta formativa

Inscrições abertas até 14 de junho

Corrida Fotográfica desafia a olhar a esperança Iniciativa assinala o 13º aniversário do Museu e terá quatro temas centrais que se baseiam, sobretudo, em sentimentos.

A

21ª Corrida Fotográfica terá como mote a esperança, um assunto que está ligado à atual situação que a sociedade vive com a pandemia da covid-19. Aliás, o facto de estar em curso um plano de desconfinamento e não ser previsível a forma como a pandemia evoluirá, levou a que a organização tenha decidido adaptar o formato não presencial da edição anterior, cumprindo as regras de distanciamento necessárias. O objetivo será, porém, o mesmo. Os concorrentes serão desafiados a mostrar um olhar atento e criativo, próximo da realidade social e humana que está a ser vivida pela sociedade. “Dado que não será exigida a presença individual e circunscrita ao território do município de Portimão, poderão participar fotógrafos de qualquer ponto do país, através de uma inscrição ele-

trónica gratuita e posterior envio das imagens dos quatro temas propostos, em formato JPEG, por via online”, esclarece a Câmara Municipal. O tema central é a esperança, havendo quatro tópicos a fotografar. O primeiro é ‘Finalmente Aqui’, o segundo é ‘Saudades deste Momento’, seguindo-se ‘Vejo Cores, Muitas Cores’ e, por fim, ‘Felicidade é Isto’. Cada participante deverá apresentar três fotografias originais de cada tema, num total de 12, que devem ser gravadas em formato JPEG. Os interessados podem consultar o regulamento desta iniciativa online (https://cutt.ly/ IbgevjQ) e inscrever-se até 14 de junho, tendo sido estabelecida como data limite para o envio das fotografias as 24h00 de 28 de junho. A inscrição pode ser feita de forma eletrónica (https://cutt. ly/1bgq80S) ou na receção do

Museu de Portimão, às terças-feiras entre as 14h30 e as 18h00, e das quartas-feiras a domingo, das 10h00 às 18h00. Este evento leva também ao cumprimento das “indicações da Unesco e do Conselho Internacional de Museus (ICOM), no sentido da recolha de testemunhos para memória futura, neste caso fotográficos, representativos do impacto da atual pandemia no quotidiano das diferentes comunidades e na esperança de um regresso a uma vivência mais normal”, justifica ainda a autarquia. A Corrida Fotográfica assinala também o 13º aniversário do Museu de Portimão, inaugurado no dia 17 de maio de 2008. Tem como media partner o Sul Informação e conta com o apoio da Ocean Revival, do CLCC, da Etic Algarve, do Restinga, do Anana – Hospitality Concepts e do Grupo de Amigos do Museu de Portimão.

A Escola de Hotelaria e Turismo de Portimão promoveu um Open Day, a 29 de abril, que resultou de uma parceria da rede de estabelecimentos do Turismo de Portugal com a revista Fórum Estudante, onde dinamizou sessões online dirigidas a jovens a partir dos 15 anos, pais e orientadores vocacionais. A Escola organizou assim ações onde deu a conhecer a oferta formativa, como os cursos de dupla-certificação, de equivalência ao 12º ano de escolaridade e a qualificação profissional, que se inicia no próximo ano letivo 2021/2022. Já no que toca a outras iniciativas, nas redes sociais da Escola de Hotelaria, foram ainda realizadas sessões de esclarecimento de dúvidas, dois workshops e apresentados testemunhos de ex-alunos.

Bens foram entregues à instituição

Catraia recebeu donativos de roupa e brinquedos A Casa de Acolhimento ‘A Catraia’ recebeu dois donativos no dia 30 de abril, que têm como objetivo contribuir para o bem-estar das crianças e jovens institucionalizados. Uma das ofertas foi entregue pela loja de brinquedos Mektoys, sediada na Rua Diogo Tomé. O outro donativo teve como base uma recolha de roupa, calçado e outros bens, numa iniciativa da Associação de Direito do Algarve e dos Rotary Clube de Albufeira, Rotary Clube de Portimão e Rotary Clube de Mafra. D.R.

Newsletter será digital e impressa

Junta de Alvor lançou revista informativa A Junta de Freguesia de Alvor lançou na semana passada uma nova revista informativa que terá edição trimestral e que concretiza a estratégia de comunicação da autarquia. Além de uma nova imagem gráfica e um novo site, esta newsletter era para ter sido concretizada em 2020, mas foi adiada devido à pandemia da covid-19. Segundo a Junta de Freguesia, a revista será editada a cada três meses, em formato online, podendo os interessados inscrever-se para recebê-la também por email (https://www.freguesiadealvor.pt/home), ainda que tenha em paralelo uma distribuição impressa.


P3

Portimão Jornal • 06 MAI 2021 • Nº23

ATUALIDADE Quem ainda não foi contactado deve ligar para a ‘Proteção 24’

Portimão é o único concelho a vacinar maiores de 60 anos Centro Municipal está a administrar uma média de mil doses por dia, tendo recebido um reforço da vacina por ser um dos municípios que, até há uma semana, tinha uma forte incidência de casos positivos. CM PORTIMÃO

Ana Sofia Varela

O

concelho de Portimão é, neste momento, o único do Algarve que está a vacinar maiores de 60 anos contra a covid-19, tendo recebido um reforço das doses previstas devido ao elevado índice de casos positivos acumulados em 14 dias. Nos restantes, as doses estão a ser administradas a maiores de 65 anos. Por esta razão, a autarquia lança o apelo a todos os residentes com mais de 60 anos para que liguem para a linha ‘Proteção 24’ (808 282 112) caso não tenham sido ainda contactados para ser vacinados. O reforço está relacionado com o facto de nas últimas avaliações do Governo, Portimão ter sido travado no avanço para as seguintes fases de calendário, tendo inclusive sido obrigado a recuar para a primeira etapa, que tinha estado em vigor entre 15 de março e 5 de abril. Ou seja, após a abertura das esplanadas e de algum comércio, bem como alguns equipamentos culturais, a 5 de abril, o concelho teve de voltar ao início, à etapa de 15 de março. Na maioria das avaliações, Portimão esteve acima dos 240 casos por cada cem mil habitantes. Os números acumulados ficaram a dever-se a surtos na construção, que alastraram à comunidade escolar, tendo chegado a estar em isolamento profilático mais de 700 pessoas por contactos com casos positivos. Quando o Governo decretou o recuo, Isilda Gomes, presidente da Câmara Municipal, convocou uma conferência de imprensa, onde criticou essa decisão, pois o vírus não estava disseminado na comunidade, tendo reclamado diversas exigências, com efeitos imediatos, para ajudar a combater a covid-19. É que o concelho estava entre os quatro no paíscom maior taxa de incidência cumulativa em 14 dias. A verdade é que uma das exigências foi a abertura imediata do Centro Municipal de Vacinação, instalado no Pavilhão Gimnodesportivo de Portimão, que estava

Até ao final desta fase de vacinação, Centro Municipal terá administrado 10 mil doses pronto desde 1 de março. Abriu portas no dia 26 de abril, tendo contado com a visita do secretário de Estado da Saúde Diogo Serras Lopes. Com a descida acentuada de casos positivos, na última avaliação, a 29 de Abril, os residentes em Portimão esperavam alguma margem para o avanço do desconfinamento. No entanto António Costa, primeiro-ministro, anunciou que o município ficaria na mesma fase em que estava, a primeira, e que a próxima avaliação seria esta quinta-feira, 6 de maio. Portimão a horas de avançar para a reabertura Ainda que possa surgir algum imprevisto, o desconfinamento total deve avançar se esta quinta-feira, 6 de maio, Portimão se encontrar abaixo dos 120 casos por cem mil habitantes. À data do fecho desta edição, no dia 4 de abril, o concelho registava 46 casos acumulados em 14 dias, dos quais apenas 30 estavam ativos. Precisa, ao momento da avaliação pelo Governo de ter menos de 67 casos acumulados, pois este é o número que representa os 120 por cem mil habitantes. É muito provável,

com este baixo nível de novos casos, que Portimão abra portas, por fim, esta sexta-feira, dia 7 de maio, passando a igualar o resto do país. Isilda Gomes tinha pedido uma reunião de urgência com António Costa, no dia 30 de abril, onde mostrou a evolução e a tendência decrescente dos números, apelando a um aliviar das medidas restritivas. O governante foi irredutível, mas assegurou um reforço da vacinação no concelho, por este ter sido um dos que estava em pior situação no país, durante diversas avaliações quinzenais. Outra das garantias foi que hoje, caso o concelho estivesse abaixo do limite mínimo de risco, desconfinava para a fase em vigor na maioria do país. Mil pessoas vacinadas por dia Ao que o Portimão Jornal apurou, o Centro Municipal de Vacinação está a administrar as doses da vacina contra a covid-19 a uma média de mil pessoas por dia. Começou com uma média de 300, mas com o reforço que foi anunciado no final da semana passada, conseguiu já esta semana aumentar e estender a idade a maiores de 60 anos.

O grande objetivo é a inoculação da maioria das pessoas, sobretudo, em idades mais suscetíveis. À data do fecho desta edição, na terça-feira, dia 4, o Centro de Vacinação já tinha administrado 4924 vacinas, desde que começou

a funcionar. A previsão é de que toda a população maior de 60 anos seja inoculada até amanhã, 7 de maio. Por isso, quem ainda não tiver sido chamado, deve contactar a linha ‘Proteção 24’.

Estruturas políticas locais marcam posição A questão do travão no desconfinamento levou a diversas posições políticas. Se por um lado a Comissão Política do PSD de Portimão assume que partilha as preocupações da presidente da Câmara Municipal Isilda Gomes em relação aos portimonenses que veem os seus negócios parados e às graves penalizações económicas, mostrando-se disponível para trabalhar com o PS, por outro, o CDS crítica as alegadas manobras pré-eleitorais. Acusam a autarca de anunciar medidas que já tinham sido divulgadas antes. “Apesar de saber e não poder ignorar que da conveniente audiência de dia 30 de abril nada de palpável iria resultar, a doutora Isilda Gomes não se coibiu de anunciar importantes ‘conquistas’, que estranhamente – ou talvez não! – ou já estavam adquiridas ou não se aplicam exclusivamente a Portimão”, resumem. Já a concelhia do Chega afirma que “Portimão não merece esta perseguição do desgoverno central socialista e muito menos, a completa irresponsabilidade política da gestão autárquica socialista concelhia”, responsabilizando a autarca e questionando qual a resposta dada pelo Governo ao caderno de encargos e que posições vai tomar a presidente.


P4

Portimão Jornal • 06 MAI 2021 • Nº23

SOCIEDADE ACES Barlavento e Associação Elos de Esperança foram os escolhidos

Delta oferece equipamentos de saúde a entidades do concelho JOÃO FIGUEIRAS

Cadeiras de rodas, andarilhos, medidores de tensão e termómetros foram alguns dos bens doados às duas instituições pelos trabalhadores da empresa. Ana Sofia Varela

O

s trabalhadores da Delta Cafés, através deste grupo empresarial, ofereceram diversos equipamentos de saúde à Associação Elos de Esperança, que exerce voluntariado na unidade local do Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) e ao Agrupamento de Centros de Saúde do Barlavento, naquele que é um gesto solidário repetido ao longo dos anos. Assim, no dia 16 de abril, a Elos de Esperança, que apoia os utentes do CHUA, recebeu cadeiras de rodas e andarilhos. Na cerimónia participaram Fernanda Teixeira, presidente da Associação, Luís Batalau, também da Elos de Esperança, Ana Castro, presidente do Conselho de Administração do CHUA, e Eduardo Catarino, diretor do Departamento Comercial do Barlavento Algarvio, acompanhado por Carlos Reis, do mesmo Departamento do Sotavento. Estes responsáveis da Delta representaram os diversos colaboradores do grupo que, todos os anos, se juntam e reúnem uma verba que depois é entregue a Rui

Nabeiro para apoiar associações no país. “É um esforço natural que todos os trabalhadores fazem, valor que é entregue ao nosso patrão Rui Nabeiro que, por sua vez, delega a oferta a instituições deste país. Já lá vão uns anos que o faz e muito bem”, explicou Eduardo Catarino. Em 2021, a entrega contemplou três instituições do país, duas delas sediadas em Portimão e uma na freguesia de Rabo de Peixe, nos Açores. “Espero que todos estes materiais sejam úteis, sendo certo que podem contar connosco como sempre tem sido até aqui. Rui Nabeiro é uma pessoa sempre disponível para colaborar com estas instituições”, assegurou ainda o responsável do Departamento no Barlavento. Ainda neste âmbito, Fernanda Teixeira, da Elos de Esperança, agradeceu o apoio do grupo. “Tem sido um parceiro que tem ajudado a levar os nossos sonhos avante”, sobretudo no que diz respeito à ‘hora da partilha’, ou seja a distribuição das bolachas e do café aos utentes do CHUA. “Nem imagina o bem que a oferta de um café pela manhã faz. De facto, te-

Desfibrilhador foi entregue ao Centro de Saúde de Monchique mos tido sempre apoio do grupo Nabeiro quando o pedimos”, sublinhou Fernanda Teixeira. Também Ana Castro, presidente do Conselho de Administração do CHUA, destacou a importância da Delta como parceira, sobretudo “nas alturas mais difíceis vividas durante a pandemia”. “A equipa e o hospital não têm palavras para vos agradecer o vosso enorme coração, algo que caracteriza o grupo que repre-

sentam. Aproveito para deixar um cumprimento especial ao comendador Rui Nabeiro que estará sempre num lugar muito especial”, acrescentou Ana Castro. Na semana seguinte, no dia 23 de abril, foi a vez do Agrupamento de Centros de Saúde do Barlavento receber medidores de tensão, termómetros e outros equipamentos, bem como um desfibrilhador. Este DAE foi disponibilizado à unidade de Mon-

chique, que não tinha nenhum, enquanto as restantes ofertas foram distribuídas pelos centros de Messines, Aljezur e Vila do Bispo. Nesta sessão, no Centro de Saúde de Portimão, participaram Leonor Bota, diretora executiva do ACES Barlavento, bem como Eduardo Catarino e Gonçalo Parente, administrativo na empresa, bem como diversos responsáveis por diferentes serviços do Agrupamento de Saúde. D.R.

Apoios sociais para rendas e medicamentos

Câmara continua a divulgar auxílios O programa ‘Portimão dá-lhe a mão’, promovido pela Câmara Municipal, continua a apoiar quem tem dificuldades em tempo de pandemia. Assim, os interessados em receber apoios para a renda de casa podem recorrer ao subsídio. Segundo a autarquia foi possível a redução imediata, de cinco para dois anos, do tempo mínimo de residência no concelho, um dos critérios previstos no regulamento. O subsídio passa também a ser atribuído sem existência de processo de necessidade habi-

tacional, desde que verificada emergência. A renovação passa ainda a automática, incluindo os que perfaçam o prazo máximo dos três anos. Já no caso dos medicamentos são atribuídos apoios a cem por cento para a sua aquisição. Em ambas as situações, os interessados podem candidatar-se através do contacto com a Divisão de Habitação e Desenvolvimento Social e Saúde da Câmara de Portimão por telefone (282470830 ou 282470859) ou por email (accao.social@cm-portimao.pt).

Campanha decorreu em abril

Intermarché promoveu ação para animais abandonados O Intermarché, insígnia alimentar do grupo ‘Os Mosqueteiros’, angariou mais de 25 mil refeições para animais, através de uma campanha junto dos seus clientes, utilizando ainda a plataforma ‘Amiga-me’, que alerta para a adoção de animais no país. Durante a iniciativa realizada entre 8 e 21 de abril foram adotados 37 animais. Esta decorreu em todas as lojas do grupo, em que os clientes compravam vales alimentares para serem entregues a 23 associa-

ções em ração. Foram doadas 25334 refeições. A ação incentivou a adoção de 37 animais em diversos pontos do país, que ganharam uma família e uma nova casa. A plataforma ‘Amiga-me’, que ainda está disponível no site do Intermarché, reuniu um conjunto de entidades em todo o país e incentivou os portugueses a contribuir para ajudar estes animais, ao mesmo tempo que sensibilizou para a importância desta causa, divulgou o grupo em nota de imprensa.


P5

Portimão Jornal • 06 MAI 2021 • Nº23

POLÍTICA

Serviço irá custar cerca de 950 mil euros anuais à autarquia

Assembleia discute novo modelo de concessão do 'Vai e Vem' CM PORTIMÃO

A proposta da Câmara, que os deputados municipais vão analisar e votar, é que o contrato a firmar seja de sete anos. Jorge Eusébio

A

Câmara vai lançar concurso de concessão do 'Vai e Vem'

Assembleia Municipal de Portimão vai, esta sexta-feira, 7 de maio, analisar e votar a proposta de abertura de um concurso internacional para a concessão do transporte rodoviário de passageiros 'Vai e Vem' do município. A proposta base constante no caderno de encargos indica que o serviço passará a custar 950 mil euros à Câmara de Portimão, um valor um pouco inferior ao atual, que é de um milhão. A forma de pagamento passa a ser diferente da que existe nesta altura. O sistema atual implica que a autarquia avance inicial-

mente com uma verba superior, mas que posteriormente receba a que resulta da venda de bilhetes. De acordo com a nova proposta, a Câmara passará a pagar os referidos 950 mil euros, não havendo qualquer acerto, pois a receita da bilheteira passa a ficar para a empresa que vencer o concurso. Ao que apurámos, outra das alterações em relação ao contrato que está em vigor prende-se com a obrigatoriedade da empresa ir renovando a frota. O prazo da concessão será de sete anos. As linhas manter-se-ão, no essencial, como estão agora, embora com alguns acertos. A que liga o Largo do Dique à Praia da Rocha será estendida até

Alvor e contará com mais carreiras. Sobretudo no Verão, o serviço funcionará até mais tarde para que quem trabalha no turismo tenha transporte público disponível ao sair do último turno. Nesta sessão, que é realizada através de videoconferência, vai também ser analisada a proposta da autarquia não aceitar, este ano, a transferência de competências no domínio social. Outro ponto da ordem de trabalhos é a discussão e votação da desafetação de uma parcela de terreno pertencente ao domínio público municipal para o domínio privado municipal, para posterior negócio com o Instituto do Emprego e Formação Profissional. PUB

21ª Corrida

Fotográfica de Portimão

INSCRIÇÕES ATÉ 14 JUNHO


P6

Portimão Jornal • 06 MAI 2021 • Nº23

RAIO-X A foto

ANA SOFIA VARELA

Política em Off

As conversas, os rumores e as tricas da política portimonense que não são notícia

Homens em risco no PS

A TRALHA • A Câmara vai adquirir a antiga loja na Rua Júdice Biker, ao lado da Casa Manuel Teixeira Gomes. O objetivo da compra é alargar aquele espaço cultural dedicado ao mais ilustre filho da terra. O imóvel está classificado como de interesse público e é um dos três artigos do edificado original onde nasceu o antigo Presidente da República.

A frase

Temos de pensar sempre na vitória e entrar para poder vencer, por mais difícil que seja. Vamos dar tudo o que temos e o que não temos.” André Rochato

LUÍS COSTA

CENTRO DE VACINAÇÃO

POLO DE PORTIMÃO DA UALG

O campeão paralímpico Luís Costa participa entre 6 e 9 de maio, na Taça do Mundo de Paraciclismo, em Ostende (Bélgica), integrando a Seleção Nacional. É mais um importante teste para o representante de Portimão, que, a cerca de um mês do Campeonato do Mundo (a realizar em Cascais), tem assim oportunidade de ‘experimentar’ um contexto competitivo de alto nível, com total foco nos Jogos Paralímpicos.

O novo espaço é o único no Algarve que está a vacinar pessoas com mais de 60 anos. Em pouco mais de duas semanas administrou quase 10 mil vacinas. Está a dar um contributo importante para que a inoculação no concelho avance o mais rapidamente possível e abranja o maior número de pessoas.

A secção Autónoma da Associação Académica da Universidade do Algarve (AAUAlg) denuncia a existência de um conjunto de problemas neste polo que tardam em ser resolvidos. Essa circunstância poderá levar à realização de uma greve naquele estabelecimento de ensino superior.

As mulheres estão a tomar conta do PS em Portimão. Se o partido ganhar as próximas eleições, três das cinco presidências autárquicas serão ocupadas por elementos do outrora designado ‘sexo fraco’: Isilda Gomes na Câmara, Isabel Guerreiro na Assembleia Municipal e Maria da Luz na Junta de Portimão. Ao que apurámos, esta situação já começa a provocar desconforto e apreensão em militantes com ambições, que receiam ficar a marcar passo na política local por serem homens. Alguns, que até agora nunca tinham dado para esse peditório, de repente até se tornaram ferozes defensores da lei da paridade. Inclusivamente, e a exemplo do que fez, recentemente, Isilda Gomes, pensam pedir uma reunião com caráter de urgência a António Costa, para o convencerem a ‘endurecer’ esta lei porque de outra forma ainda correm o risco da extinção política em Portimão.

É para isto que o fomos buscar? Também no PSD nem tudo são rosas. Militantes que sempre defenderam que o candidato devia ser Rui André começam, agora, a torcer o nariz à sua candidatura à presidência da Câmara. Mas, atenção, continuam convencidos que o homem é uma boa aposta. E que tem ideias e um perfil vencedor. O que se passa é que acalentavam a secreta esperança de que o atual edil de Monchique trouxesse consigo umas garrafinhas de medronho e uns bons presuntos da sua terra para tornar menos intragáveis as reuniões políticas. O problema é que já se realizaram alguns encontros para definir a campanha e até agora nada de bons petiscos serranos. Alguns já murmuram, contrariados, que “se era para isto que o fomos buscar, se calhar mais valia termos ficado com o Luís Carito”.


PUB


P8

Portimão Jornal • 06 MAI 2021 • Nº23

ENTREVISTA

André Rochato é um dos símbolos do futsal e quer acrescentar mais capítulos ao álbum de ouro

“É um orgulho fazer parte da história do Portimonense”

Em vésperas do arranque do ‘playoff’ do título, o pivot, que é enfermeiro de profissão e anda na linha da frente, sabe que o Sporting raramente perde, mas a esperança alvinegra nunca morre. FOTOS: D.R.

tudo, como já disse, pelo trajeto que fizemos. A época correu bem, já se sabe, mas acha que podia ter sido melhor? É verdade. Podia mesmo ser ainda melhor, mas houve alguns jogos que não correram tão bem, por exemplo com o Azeméis aqui em casa, mais um ou outro que devíamos ter pontuado, enfim, não foi como desejávamos, já que o sexto lugar esteve à nossa mercê. A ideia era fugir ao Sporting e ao Benfica, que estão num outro patamar, e até chegámos a depender só de nós, mas não conseguimos. No entanto, queremos fazer história até ao fim.

André Rochato é elemento chave de um projeto que conduziu o clube ao mais alto nível do futsal

Hélio Nascimento

A

ndré Rochato é uma das referências do futsal do Portimonense e uma figura grada no clube e até na cidade. Faz parte da caminhada de sucesso da equipa, desde o primeiro momento, e, como filho da terra, confessa sentir um orgulho indescritível no percurso que conduziu o grupo de Pedro Moreira ao ‘playoff’ de atribuição do título nacio-

nal, que vai começar no próximo fim de semana, 8 e 9 de maio. O adversário é o Sporting, as dificuldades são imensas, mas o enfermeiro de profissão, que trabalha na Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital de Portimão, está pronto para todas as lutas. Em entrevista ao Portimão Jornal, conta histórias, enumera proezas e refere, também, as vicissitudes de um trajeto que fica para a história.

OS QUARTOS DE FINAL O Portimonense recebe o Sporting, este sábado, 8 de maio, às 19 horas, num dos jogos dos quartos de final do ‘playoff’ do título. Esta fase disputa-se à melhor de três, ou seja, uma equipa que chegue à vantagem de duas vitórias segue imediatamente para as meias-finais, também à melhor de três. Apenas a final será decidida à melhor de cinco jogos e a equipa que vença três vezes é então declarada campeã nacional. O CALENDÁRIO DOS ‘QUARTOS’ Portimonense-Sporting  Braga-Benfica  Viseu 2001-Fundão  Modicus-Leões de Porto Salvo 

A equipa do Portimonense vai disputar o ‘playoff’ do título de campeão de futsal, depois de se classificar entre as oito melhores da Liga Placard. É um momento histórico? Claro que sim! É algo de novo e uma proeza da equipa, que, a partir de determinado momento, pensou sempre que podia atingir esta qualificação, que também é prestigiante para a cidade. Tentámos evitar apanhar Benfica e Sporting na fase final, vencemos certos jogos, mas perdemos alguns que eram decisivos. Ficámos no oitavo lugar, o que não deixa de ser um marco histórico e estamos todos muito orgulhosos deste trajeto. Uma vez que esta é apenas a segunda temporada na liga principal, pensava que era possível atingir esta fase? A época passada foi atípica, perdemos os primeiros seis jogos e o nosso objetivo centrou-se logo em alcançar a manutenção. Mas fomos sempre melhorando. Para esta temporada a equipa refor-

çou-se bem, o objetivo passava igualmente por garantir a permanência, mas o certo é que o percurso foi muito bom e as expetati-

A equipa atravessou um ‘pico’ excelente, com muitas vitórias, mas depois baixou de rendimento. Porquê? Sabíamos que todos os jogos são muito disputados e todas as equipas precisam de pontos, seja para fugir à descida ou para ter acesso ao ‘playoff’ do título. O Portimonense não fugiu à regra e conseguiu o seu objetivo maior, mas, reconheço, houve alturas menos boas, más atuações em certos jo-

“O Sporting é uma equipa de outro nível, brilha na Champions e tem um rico palmarés internacional. Impossível não é, mas é muito difícil. Basta dizer que nunca perdeu” vas ficaram mais altas. Só então é que acreditámos que era possível chegar ao ‘playoff’. Qual é o segredo deste sucesso? É o trabalho. E o apontar ao sucesso. O míster Pedro Moreira e toda a estrutura do futsal do Portimonense não se pouparam a esforços, acho que correspondemos, e, por isso, este acaba por ser um prémio merecido, sobre-

gos. São contingências do futsal. Algumas decisões e alguns pormenores acabaram por nos penalizar, mas entrámos sempre para fazer o jogo pelo jogo, sem receio dos adversários mais fortes e sempre com nível competitivo. Vem aí o Sporting, já se sabe. É o pior adversário que podia calhar? O Sporting é uma equipa de outro nível, participa e brilha na


P9

Portimão Jornal • 06 MAI 2021 • Nº23

ENTREVISTA Champions e tem um rico palmarés internacional (nota: na altura da entrevista, o conjunto de Alvalade acabara de se qualificar para a final da Champions, ante o Barcelona, uma proeza de enaltecer e que volta a colocar o futsal português no mais alto nível…

mos sempre com a força deles, que nos ajudam a dar a volta a um jogo que eventualmente esteja a correr menos bem. Perdemos poucas vezes em casa em virtude desse enorme apoio, que, insisto, é fundamental. Tivemos de nos habituar a jogar sem público, mas

“Os nossos adeptos têm um papel fundamental, são o sexto jogador e contamos sempre com a força deles, que nos ajudam a dar a volta a um jogo que eventualmente esteja a correr menos bem” mundial). O Sporting e o Benfica são de outro campeonato e raramente perdem. Nós empatámos em Portimão com o Benfica num jogo memorável. Agora, temos de pensar sempre na vitória e entrar para poder vencer, por mais difícil que seja. Vamos dar tudo o que temos e o que não temos. Mas é impossível derrotar os leões? Impossível não é. É muito difícil, claro, e basta dizer que eles nunca perderam… o pior que têm é o registo de empates. Vamos com esperança e vontade de trabalhar muito, sempre com sinais positivos no nosso pensamento. Sabendo que o futsal do Portimonense tem adeptos fiéis e fervorosos, que puxam imenso pela equipa e vibram como poucos, como foi jogar sem público nas bancadas? De facto, sempre jogámos com público a apoiar-nos. Esta foi e é uma situação nova, que nos penaliza em particular.  Os nossos adeptos têm um papel fundamental, são o sexto jogador e conta-

espero que para a próxima época as bancadas voltem a ter gente, pelo menos com 50 por cento da lotação dos pavilhões. A ausência de público deve-se à pandemia e a tudo o que ela envolve, e, por falar nisso, o André é enfermeiro e anda na linha da frente… São tempos diferentes e de todo atípicos. Sendo enfermeiro, é extremamente cansativo, até porque se trabalha por turnos e às vezes temos de fazer horas-extra. A nível pessoal é óbvio que prejudica, temos menos tempo e chegamos a casa cansados e esgotados.  No Hospital de Portimão trabalha-se bastante. Desejo que tudo melhore, que as pessoas respeitem as normas e continuem a cumprir o que é pedido pela Direção-Geral da Saúde (DGS), para que, realmente, possamos aos poucos voltar ao mais normal possível das nossas vidas. Nunca teve medo ou viveu em sobressalto, com tantos casos e preocupações de vária ordem à sua volta?

A paixão pela bola na vida do agora pivot André Rochato tem 30 anos e desde muito jovem que começou a ter paixão pela bola. Mas não foi sempre pela de futsal. Ainda não tinha dez anos e já andava pelos relvados do futebol de 11, tendo passado pelas escolinhas e restantes escalões de formação de clubes como o Portimonense, Lagoa, Estombarenses e Silves, até se decidir pelo futsal. O pivot da equipa de Pedro Moreira está nos alvinegros desde o arranque em força da secção, e, esta época, soma 29 jogos e sete golos. Peça importante no espírito do grupo e elemento de qualidade dentro da ‘quadra’, André Alexandre Rochato é aposta certa para a próxima época, na qual, aliás, os alvinegros devem manter a espinha dorsal, para além, claro, de alguns reforços a assegurar. Nos últimos dias, por sinal, renovaram Gutta, Deivão, Miranda, Júnior e Wendell.

Há um ano e picos tive receio, é verdade. A minha mulher estava grávida e nessa altura havia milhares de casos pelo mundo fora. E nós estávamos também atolados de problemas, com imensos infetados, mas, vá lá, conseguimos controlar a situação. Este ano piorou, foi muito mau, mas o que importa, agora, é estarmos conscientes de que temos de continuar a respeitar as normas da DGS. Ainda não sabemos ao certo como é que isto tudo vai evoluir. Permanece na chamada linha da frente? Sim, estou na Unidade de Cuidados Intensivos e lido diariamente com casos de covid. É o meu trabalho. Por ter a profissão de enfermeiro, nem sempre consegue treinar com os seus companheiros. É uma contrariedade? É negativo, porque todos os meus colegas são profissionais, treinam de manhã e à tarde e descansam à noite. O meu caso é diferente. Quando trabalho de noite, faço muitas vezes uma direta e sigo do hospital para o treino. É o que sucede. Temos turnos de 12 horas, não é fácil, até porque a preparação no futsal é exigente e nem sempre consigo estar a cem por cento. Às vezes durmo pouco e vou jogar. Naturalmente, isso afeta o seu rendimento… A vida é assim. Os colegas têm alguma vantagem, mas a equipa é e tem de ser profissional. Faço parte do grupo, tenho certamente qualidade para isso, esforço-me muito, e, embora este não seja o meu melhor ano, acho que vou ajudando a equipa à mesma. Sendo de Portimão, tem um sentimento especial por tudo o que envolve o futsal do clube e as suas proezas? Claro que sim. Quando começámos o projeto, nos Montes de Alvor, nem sonhávamos em poder atingir este patamar cinco ou seis anos depois. Evoluímos época a época, mostrámos qualidade, na II Divisão estivemos várias vezes na fase da subida e, por mais incrível que seja, fomos falhando essa meta… até que acabámos por subir! É um orgulho enorme fazer parte da história do Portimonense e representar este emblema. Há cinco ou seis anos, repito, não sonhava com isto. Esta caminhada foi muito dura? Se foi! Muito dura a valer. Os adeptos sabem isso, mas muita gente não faz ideia do nosso trabalho contínuo e persistente e do

Espírito de equipa é forte e está sempre presente

Rochato em ação num jogo contra o Sporting que é morrer na praia. E depois levantar de novo, sem baixar o moral. Por isso é que somos os guerreiros do Algarve e temos estado ao mais alto nível no futsal português. Grande orgulho!

rão e em maratonas da modalidade. É então que surge o convite do Pedro Moreira. Perguntou-me se estava interessado, se queria jogar no Portimonense… e o resto do percurso é o que sabemos.

Também jogou futebol, mas acabou por escolher o futsal. Qual a razão? Joguei futebol de 11 e não foi assim tão fácil, mas tudo sucedeu após me ter lesionado num joelho,

O André tem agora 30 anos, como vislumbra os passos imediatos da sua carreira? Para já, penso continuar a jogar. Enquanto for possível manter esta vida pessoal e profissional,

“Muita gente não faz ideia do nosso trabalho contínuo e persistente e do que é morrer na praia. E depois levantar de novo, sem baixar o moral. Por isso é que somos os guerreiros” numa altura em que equacionava entrar na universidade. Ou não. Acabei por ser operado e iniciei o curso de enfermagem. Todavia, não deixei o desporto e ia praticando futsal, com uma equipa do meu bairro, do Bairro do Pontal, participando em torneios de Ve-

acho que sim, que tenho condições para fazer o que tanto gosto. A minha filha tem oito meses, as exigências são maiores, mas acredito que vou conseguir, pelos menos nos tempos mais próximos, manter-me a um alto nível no futsal.


P10

Portimão Jornal • 06 MAI 2021 • Nº23

PESSOAS De Benguela para Portimão com paragem por Viseu

As ‘guerras’ antigas do comércio contadas por João Antunes Dirigente da Associação Comercial de Portimão ao longo de sete anos recorda algumas das ‘lutas’ levadas a cabo na altura, como a da alteração dos horários de funcionamento das lojas. FOTOS: JORGE EUSÉBIO

menta João Antunes, “já não foi no meu tempo que veio o dinheiro para implementar o que tínhamos idealizado”.

Nos anos em que foi dirigente associativo, João Antunes lutou pela modernização do comércio local

Jorge Eusébio

O

comércio de Portimão já foi forte e pujante, mas ao longo das últimas décadas tem vindo a perder força, clientes e faturação. Nesta altura é a pandemia a principal responsável pelas enormes dores de cabeça dos empresários locais, mas a tendência de declínio começou muitos anos antes da covid-19 entrar nas vidas de todos. João Antunes, que esteve cerca de sete anos na direção da, entretanto, extinta Associação Comercial de Portimão (ACP) – quatro como presidente e três como número dois da equipa dirigente – diz que os problemas a sério “começaram com a instalação das grandes superfícies no concelho”. A novidade, os preços mais baixos e a facilidade de estacionamento cativaram, de imediato, os clientes, que começaram a ganhar

novos hábitos, transferindo-se do centro de Portimão para as novas catedrais do consumo. No tempo em que esteve na ACP tentou lutar para inverter tal situação. Uma das ferramentas a que procurou agarrar-se foi ao programa de modernização comercial, o Urbcom. Tratava-se de um instrumento que tinha neces-

sa que teve sobre o assunto com o então presidente da autarquia, o malogrado Nuno Mergulhão, esteve longe de corresponder às suas expectativas. O autarca parecia estar com pressa, não lhe deu tempo para explicar detalhadamente o que ali o levava, pelo que acabou por sair da reunião “desiludido e convencido de que

Uma das batalhas travadas foi o da mudança do horário dos estabelecimentos, pois “fazia sentido que, sobretudo no Verão, as lojas mantivessem as suas portas abertas até mais tarde” sariamente de envolver a associação, os comerciantes e a Câmara. Contudo, a primeira conver-

o projeto não iria avançar”. Uns dias mais tarde, contou o episódio a outros empresários

com quem costumava almoçar semanalmente. Um deles era David Cristina, que, na altura, exercia as funções de presidente da Assembleia Geral da Associação Comercial de Portimão e que era grande amigo de Nuno Mergulhão. Depois do repasto dirigiu-se à sede da associação, onde João Antunes lhe mostrou o projeto e o elucidou sobre todos os aspectos do mesmo. Mais tarde, o presidente da ACP foi convocado para nova reunião com Nuno Mergulhão que, então, “já teve uma atitude completamente diferente, disse-me que no nosso primeiro encontro não tinha entendido bem o alcance do projeto, mas que depois de David Cristina ter falado com ele percebia o que estava em causa e queria colaborar”. A partir daí desenvolveram uma série de contactos, reuniões e até encontros fora do âmbito institucional, tendo “acabado por ficar amigo dele”. Contudo, la-

A polémica da Alameda da Praça da República Uma das decisões tomadas por Nuno Mergulhão foi a requalificação da Alameda da Praça da República, que implicou a demolição do antigo mercado. Antes de avançar com o processo, o autarca pediu que a associação se pronunciasse sobre a ideia. João Antunes entendeu que não devia ser a direção a dar a sua posição, pois este era um tema que devia envolver a generalidade dos seus associados. Resolveu, então, promover uma sessão pública sobre a matéria, na Biblioteca de Portimão, e colocou as funcionárias da ACP a recolher assinaturas dos comerciantes que eram a favor ou contra a ideia. O resultado não deixou margem para dúvidas: “cerca de mil apoiaram o projeto e apenas pouco mais de uma dúzia de empresários manifestaram o seu desacordo”. Outra das batalhas então travadas foi o da mudança do horário de abertura e fecho dos estabelecimentos. Sendo Portimão um concelho de grande vocação turística, “fazia sentido que, sobretudo no Verão, os comerciantes mantivessem as suas lojas abertas até mais tarde”. Depois de intenso debate e na sequência de uma reunião ocorrida na sede da ACP, foi decidido implementar novos horários, mas, lamenta, “na prática, poucos comerciantes aderiram, por uma questão de hábito ou por outras razões, e os poucos que avançaram, pouco tempo depois acabaram por fazer marcha-atrás”. A ‘ameaça’ da ACRAL Constituída em 1976, a Associação Comercial de Portimão atravessou diversas fases e enfrentou muitos desafios. Um deles foi a tentativa de ver o ‘seu território’ invadido por outras associações, em especial, a Associação do Comércio e Serviços da Região do


P11

Portimão Jornal • 06 MAI 2021 • Nº23

PESSOAS Algarve (ACRAL). João Antunes chegou a ter algumas reuniões com dirigentes dessa entidade para preparar posições e iniciativas conjuntas, mas diz ter ficado convencido de que, para além de terem ideias diferentes sobre alguns dos temas de maior interesse para o setor, o que efetivamente a ACRAL queria era “entrar em força em Portimão e fazer acordos com a Câmara, de forma a dar a volta à difícil situação financeira em que se encontrava, tudo isto em prejuízo da ACP e dos comerciantes locais”. Daí que, anos mais tarde, já depois de ter deixado de ser dirigente reagiu com grande veemência à notícia de que havia intenção por parte de dirigentes das duas entidades de formarem uma ‘super-associação’, envolvendo ACRAL e ACP. No entanto, frisa, não era adepto do ‘orgulhosamente sós’ e lembra que passou muito tempo em reuniões com elementos de outras associações não só do Algarve como do resto do país, de forma a tentar, em conjunto, encontrar formas de apoio ao comércio local. Para além de matérias diretamente relacionadas com o setor, João Antunes também se envolveu noutras batalhas mais abrangentes, como a do traçado da auto-estrada para o Algarve. O objetivo, que foi conseguido, era o de “impedir que fosse construída, como alguns pretendiam, através da Serra do Caldeirão e terminasse numa zona situada mais perto de Loulé e Faro”. Graças às iniciativas tomadas por diversas associações e pela sociedade civil, foi possível convencer o Governo a optar pelo “corredor natural, o que melhor serve os interesses da região no seu todo e, em especial, os do Barlavento”. Impedido de votar por apoiar Humberto Delgado Apesar do entusiasmo que coloca em todos os temas que digam res-

peito a Portimão, João Antunes não é natural deste concelho. Nasceu há 85 anos, em Sobrainho dos Gaios, uma pequena povoação situada perto de Proença a Nova, no distrito de Castelo Branco. No entanto, logo aos 15 anos de idade partiu para Angola, tendo-se fixado em Benguela, onde o pai instalou uma empresa de pesca. Foi nessa terra longínqua que “estudei, aprendi a ser homem, criei boas amizades e constitui família”. De uma forma geral, foi “uma vida feliz”, recorda. Ao longo de 24 anos assistiu a um enorme desenvolvimento daquela cidade, graças à instalação e desenvolvimento de grandes indústrias, originalmente ligadas à pesca, mas que aos poucos arrastaram muitas outras áreas. Começou a trabalhar enquanto ainda tirava o curso comercial num colégio privado, primeiro no negócio da família e depois noutras empresas, uma das quais a Companhia Geral de Angola. Mais tarde fixou-se na Cardoso & Companhia, que à atividade da pesca juntava a do fabrico de farinha e óleo. Tratava-se de uma empresa de grande dimensão que “tinha capacidade para tratar várias toneladas de peixe fresco por hora”. João Antunes diz que a população da cidade era “muito dinâmica e empreendedora”. Quando chegou “havia apenas quatro telefones, as ruas não eram asfaltadas, não existia ensino público, mas graças à dinâmica das pessoas, em poucas décadas tudo isso mudou e Benguela criou todas as infraestruturas que uma grande cidade deve ter, incluindo um aeroporto, cuja construção foi, numa primeira fase, financiada pela própria população”. Até a nível político havia uma abertura pouco comum. Em 1958 criou-se um grande entusiasmo à volta da candidatura de Humberto Delgado à Presidência da República. João Antunes também se envolveu nesse movimento, o que teve como consequência que PUB

O antigo dirigente associativo lamenta que a ACP tenha fechado portas “não me deixassem inscrever nos cadernos eleitorais, o que me impediu de votar”. O governador ordenou que as urnas fossem transportadas para o seu palácio onde seriam abertas no dia seguinte. Desconfiada, a população não deixou, os votos foram contados no local e “deram a vitória, por larga margem, ao General Sem Medo”. Incêndio na loja João Antunes saiu de Benguela oito dias antes de ser declarada a independência de Angola. A mulher, que estava grávida, tinha vindo para Portugal uns meses antes. Diz não ter sido perseguido nem ter tido problemas graves, aquando da guerra pela Independência, pois na zona “os conflitos eram mais entre a UNITA e o MPLA”. Os dois movimentos estavam instalados em locais diferentes da cidade e, por vezes, as balas que dirigiram uns aos outros passavam bem perto da sua casa. De regresso a Portugal, inicialmente instalou-se em Viseu,

onde já estavam a mulher, Maria Gabriela (Gaby), e os filhos. Com pouco dinheiro nos bolsos, houve que rapidamente encontrar trabalho. A esposa começou a dar explicações de inglês e “eu arranjei emprego numa empresa de materiais para a construção civil”. Mas, habituado a outro clima, confessa que “não aguentava o frio, estava desejoso de viver noutra terra mais quente” e quando surgiu a hipótese de vir trabalhar para Portimão não pensou duas vezes, até porque era uma cidade que lhe fazia lembrar Benguela. Mágoa pelo fim da ACP Desenvolveu a sua atividade profissional em várias empresas antes de instalar o seu próprio gabinete de contabilidade, primeiro na Rua da Hortinha e depois na Rua Direita. Mais tarde, a família ficou com uma loja situada na Praça Visconde Bívar, onde passou a vender, numa primeira fase, artigos de artesanato e, posteriormente, malas e acessórios que tinham grande aceitação sobretudo entre os tu-

ristas alemães, norte-americanos e canadianos. O sucesso levou a que adquirissem uma segunda loja, esta na Rua Direita, que foi considerada por uma revista de turismo americana como “a melhor do género em Portugal”. Mas nem tudo foram ‘rosas’, pois aquele espaço foi destruído por um incêndio, em 2001, situação que levou a que João Antunes acabasse por se demitir da Associação Comercial de Portimão, de forma a ter mais tempo para recuperar do revés. Hoje, já afastado das lides profissionais, o antigo dirigente não esconde a mágoa pela evolução que a ACP teve na fase final, que acabaria com a sua extinção, em 2013. No ano passado obteve autorização do proprietário da antiga sede para aí se deslocar e ficou desolado com o estado em que se encontra. Ainda conseguiu recuperar alguns documentos que entregou ao Museu de Portimão para que, pelo menos uma parte da memória não se perca. PUB


P12

Portimão Jornal • 06 MAI 2021 • Nº23

DESPORTO

Portimonense: cenário é positivo, mas ainda é cedo para sorrir

Equipa alvinegra está mais perto da permanência

Depois dos irmãos dinamarqueses Rasmussen

Avançado Wilinton Aponza reforça equipa dos sub-23

Paulo Sérgio mantém a prudência e dá conta do pouco de tempo de descanso entre jogos, o que tem penalizado a equipa.

A pensar já na próxima época desportiva, o Portimonense contratou mais um reforço para a equipa de sub-23, de nome Wilinton Aponza, um colombiano de 21 anos, que recebeu as boas-vindas por parte do presidente do conselho de administração da SAD, Rodiney Sampaio. Trata-se de um ponta de lança que deu nas vistas ao serviço das formações do América de Cali (Colômbia) e do Berço Sport Clube, equipa que milita na série B do Campeonato de Portugal. Estava já referenciado pelo scouting dos alvinegros e assinou contrato válido até junho de 2025. Já em Portimão, Aponza visitou as instalações da sua nova casa, deixando bastantes elogios às excelentes condições que vai ter para trabalhar. Antes dele, recorde-se, foram contratados os irmãos dinamarqueses Oliver e Dodi Rasmussen, também para os sub-23.

PORTIMONENSE SAD

Hélio Nascimento

PUB

U

m empate em Faro (1-1, com golo de Aylton) e um outro no Portimão Estádio, frente ao Rio Ave (0-0), colocaram o Portimonense no 10º lugar da Liga NOS, com 34 pontos, os mesmos do Belenenses, quando faltam apenas quatro jornadas para o final do campeonato. As escassas diferenças pontuais entre as equipas posicionadas na metade inferior da tabela aconselham a mil cuidados, tal como o treinador Paulo Sérgio e todo o seu grupo têm repetido, mas não deixa de ser verdade que o grande objetivo de garantir a permanência está cada vez mais perto. Até à ronda 34, os alvinegros vão defrontar Belenenses (hoje, quando o Portimão Jornal chegar às mãos dos leitores), Moreirense, Boavista e Braga.   Já depois da partida com os vilacondenses, Paulo Sérgio fez questão de salientar que nas últimas quatro jornadas tem sido o Portimonense a equipa com menos tempo de descanso entre jogos. “Contra  o Benfica tivemos menos um dia do que o adversário para recuperar, depois, com o Farense, foram menos dois dias de descanso, tal como sucedeu agora, frente ao Rio Ave. E a se-

EDITAL

2ª Sessão Ordinária de 2021 7 de maio de 2021 João Carlos Branco Vieira, Presidente da Assembleia Municipal de Portimão, faz saber que nos termos do disposto no nº 1 do art.º 27º e da alínea b) do nº 1 do art.º 30º da Lei nº 75/2013 de 12 de setembro, e alínea b) do nº 1 do Artigo 22º do Regimento da Assembleia Municipal de Portimão, que no próximo dia 7 de maio de 2021 (sexta-feira) pelas 20:00 horas se realizará através de videoconferência, a 2ª Sessão Ordinária de 2021 da Assembleia Municipal, com a seguinte Ordem de Trabalhos:

Anderson conduz a bola, procurando ultrapassar a defesa vilacondense guir, com o Belenenses, temos menos um dia de intervalo entre jogos”, lamentou o treinador.   “A nossa equipa tem muitos jovens e, como tal, precisamos de trabalhar no campo, mas, nesta fase, só há tempo para recuperar. Em quase todo o campeonato, o intervalo de um jogo para o outro era de dez dias ou quase, ou seja, um pouco de melhor critério não fazia mal nenhum”, disse o técnico, que também comentou o interesse de emblemas nacionais e estrangeiros no ponta de lança

Beto, que tem sido o grande destaque da equipa e já leva 11 golos. “Sentimos muito orgulho pelo facto de os nossos jogadores serem seguidos, mas isso não pode interferir no foco que é preciso manter até ao final da época. O Beto tem uma cabeça boa e não se deixa deslumbrar assim à toa. Importa, como eu lhe tenho dito, que todos os dias se lembre como chegou aqui, porque ninguém joga sozinho e é preciso valorizar o trabalho de todos. Mas o Beto é um menino humilde”.

Britânico continua a dominar a Fórmula 1   

Lewis Hamilton bisa no Autódromo Não há volta a dar: Lewis Hamilton continua a ‘mandar’ na Fórmula 1, e, domingo passado, 2 de maio, venceu o Grande Prémio de Portugal, pela segunda consecutiva no Autódromo Internacional do Algarve, nesta que foi a terceira prova do Mundial de 2021. O britânico corre atrás do  8º título da carreira e ganhou pela 97ª vez no campeonato, aumentando para oito os  pontos de vantagem  sobre Max Verstappen – que foi segundo em Portimão

– na classificação de pilotos (69 para 61).  A corrida ‘aqueceu’ logo de início, com a entrada do ‘safety car’ à segunda volta, em virtude de um incidente entre os Alfa Romeo do finlandês Kimi Raikkonen e do italiano António Giovinazzi, que deixou a asa dianteira do carro de Kimi totalmente destruída. Hamilton, de 36 anos, pilotando um Mercedes, liderou 34 das 66 voltas no circuito algarvio. Arrancou da segunda posição da

grelha de partida e na volta 20 assumiu o comando, mantendo-o até à bandeira de xadrez. Max Verstappen (Red Bull-Honda), Valtteri Bottas (Mercedes) e Sérgio Pérez (Red Bull-Honda) ficaram nos lugares imediatos. Se Hamilton lidera o Mundial de Pilotos, como já se disse, seguido por Verstappen, no Mundial de Construtores é a Mercedes que vai na frente, com 101 pontos, com a Red Bull (83) e a McLaren (53) na perseguição.

1. PERÍODO DE INTERVENÇÃO DOS CIDADÃOSi 2. PERÍODO ANTES DA ORDEM DO DIA 3. APRECIAÇÃO DA INFORMAÇÃO ESCRITA APRESENTADA PELA PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE PORTIMÃO nos termos do artigo 25º nº. 2, alínea c) da Lei 75/13 de 12 de Setembro. 4. PERÍODO DA ORDEM DO DIA 4-a) Discussão e votação da proposta de celebração de contrato de concessão do "serviço de transporte rodoviário de passageiros no Município de Portimão", de acordo com as condições gerais constantes das peças procedimentais anexas à proposta e autorização da despesa plurianual inerente ao mesmo contrato, de acordo com a calendarização e valores propostos - Deliberação de Câmara nº 288/21. 4-b) Discussão e votação da proposta de não assumir, no ano de 2021, a transferência de competências para o Município de Portimão, no domínio da ação social, previstas no decreto-Lei nº 55/2020 de 12 de agosto, nos termos da informação nº 35/DHDSS/LC/2021, datada de 17/03/2021, prestada pela Unidade de Ação Social da Divisão de Habitação, Desenvolvimento Social e Saúde - Deliberação de Câmara nº 230/21 4-c) Discussão e votação da proposta de desafetação de uma parcela de terreno com a área de 1.376,50 m2, pertencente ao domínio público municipal para o domínio privado municipal, do alvará de loteamento 3/2004, sito na Abicada, freguesia de Portimão, para posterior negócio jurídico a favor do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) - Deliberação de Câmara nº 231/21. 4-d) Discussão e votação da proposta de autorização da despesa plurianual (2021 a 2025) para atribuição do montante de 70.303,00€ (setenta mil, trezentos e três euros), anualmente, durante o quinquénio de 2021 a 2025 à Universidade do Algarve - Deliberação de Câmara nº 291/21. 4-e) Discussão e votação da proposta apresentada pela Sra. Presidente da Câmara, Isilda Varges Gomes, referente a composição do júri de recrutamento para cargos dirigentes - procedimentos concursais para provimento de 7 cargos de chefes de divisão - cargos de direção intermédia de 2.º grau - Deliberação de Câmara nº 238/21 4-f) Discussão e votação da proposta, para eleição de um representante da Junta de freguesia, em representação das freguesias do Município, para integrar o Conselho Municipal de Saúde 4-g) Discussão e votação da proposta para eleição de um representante da Junta de freguesia, em representação das freguesias do Município, para integrar o Conselho Consultivo da Equipa para a Igualdade na Vida Local do Município de Portimão Portimão, 23 de abril de 2021. O Presidente da Assembleia Municipal de Portimão (João Carlos Branco Vieira) i Informação COVID-19 - Por razões de segurança e de saúde pública, a sessão se realizará por videoconferência. Os Munícipes poderão participar na sessão, no período de intervenção dos cidadãos, colocando as suas questões antecipadamente através de email dirigido ao Presidente da Assembleia Municipal, para amp@ cm-portimao.pt até às 17:00 do dia 7 maio (sexta-feira). A sessão será gravada e a gravação publicada no site do Município, com o link: https://www.cm-portimao.pt/ menus/autarquia/assembleia-municipal

Portimão Jornal | Edição Nº 23 - 06.05.2021


PUB


P14

Portimão Jornal • 06 MAI 2021 • Nº23

OPINIÃO

O Primeiro-Ministro e os seus nabos Pedro Manuel Pereira Historiador De fato de alpaca cinzento-escuro, de corte irrepreensível, assinado por um famoso estilista europeu, o senhor primeiro-ministro empurrou as largas portas de vidro do enorme edifício de linhas arrojadas e estilo indefinido, pintado de cor-de-rosa e verde-alface, da autoria de um famoso arquitecto. Acelerou célere o seu passo elástico, na direcção do elevador que mais parecia um autocarro de transportes urbanos em hora de ponta, apinhado de gente sem um esgar no rosto, vestidos de cor cinzentona ou azul cueca, tal como ele, o querido líder. Até lá, pelo caminho, foi distribuindo e retribuindo bons-dias secos, mas corteses à esquerda e à direita, para trás e para a frente, deixando à sua passagem um rasto impregnado de um odor forte, ligeiramente adocicado, a Paco Rabane. Enquanto o ascensor subia rápido e silen-

Delegação Regional do Algarve

A DECO INFORMA… Quando nos comprometemos com alguém próximo, seja familiar ou amigo, para sermos fiadores num processo de crédito, à habitação ou outro, poderemos não estar totalmente cientes dos compromissos e encargos que tal decisão acarreta.

ciosamente até ao piso onde se situava o seu gabinete, aproveitou, para ao tacto com a mão direita confirmar da perpendicularidade e alinhamento da sua gravata de seda Pierre Cardin de cor azul cueca, sob uma camisa Givenchy imaculadamente branca – à moda – como a dos empregados de mesa dos restaurantes, de punhos dobrados seguros com botões de cristal, ajeitando com a mão esquerda de encontro a si, a pasta de pele de crocodilo e fechos dourados, para não incomodar uma secretária empertigada que se encontrava ao seu lado, de saia e casaco cinzentos, com a lapela direita adornada por um enorme e fulgurante broche aparentando uma rosa estilizada. Sobressaíam do opulento peito arfante da senhora dentro de um generoso decote, imensos folhos brancos, tantos que mais parecia uma couve-flor antes de entrar na panela.

de lata, onde vegetavam centenas de milhar de potenciais votantes na sua pessoa.

Penetrou no seu amplo gabinete climatizado, alcatifado quase até aos artelhos, de paredes revestidas por madeira exótica e amplas vidraças a partir de onde relançou o seu olhar faiscando omnipotência, por cima dos mastodontes de betão das redondezas, a partir dos quais, num horizonte a perder de vista vislumbrava uma miríade de barracas de tábuas cobertas de chapas

Em seguida, disputou durante largo tempo, afanosamente, com a língua de fora balouçando de uma ponta à outra da boca, um jogo de estratégia on-line do seu computador portátil e deu uma vista de olhos pelos títulos dos periódicos matinais que a sua subalterna submissa, diligentemente lhe havia trazido.

O senhor Ministro assolapou os quartos traseiros, recostando-se na poltrona de coiro e debitou de rajada umas quantas cartas para um gravador portátil. Pelo telefone interno intimou com voz de comando de sargento lateiro para a sua secretária lhe trazer café e bolachas, que beberricou e mordiscou displicentemente. Chupou dos dedos, dando estalidos com a língua o resto do açúcar das bolachas, desfolhou enfastiado uns dossiers com matéria para despacho, que se encontravam pousados numa ponta da secretária, colocando-os na outra ponta da mesa sem mais delongas sacudindo as mãos.

Entrementes, o seu telemóvel que se encontrava a decorar a mesa de reuniões fez pi-pi, pi-pi, pi-pi, lembrando-lhe o despertador que era meio-dia, hora do seu almoço. Pontual e metódico, o senhor Ministro desimpediu parte da secretária atravancadas com duas folhas A4 em branco e um jornal desportivo datado da véspera, colocou no espaço desimpedido a sua mala de pele de crocodilo de onde tirou o único conteúdo desta: um molho de nabos. Sem os descascar, pôs-se tranquilamente a degluti-los incluindo a rama, até entrar na fase da ruminação com que levou algum tempo. Era graças aos nabos, que tragava diariamente, essa iguaria em abundância na sociedade do seu país em geral, no seu partido e no conjunto dos fanáticos apoiantes dele em particular, antes até de ser secretário-geral do seu partido, que mais tarde havia ascendido ao lugar de primeiro-ministro do País-das-Maravilhas. *Artigo escrito sem a aplicação do novo acordo ortográfico

CONSULTÓRIO DO CONSUMIDOR / DECO

Quais as consequências de ser fiador? pagamento do montante em dívida, podendo ver-se envolvido num processo demorado e desgastante, quer a nível psicológico, quer a nível monetário.

No momento em que o fiador assina o contrato, aceitando esse papel, assume uma obrigação que o prenderá até o contrato se extinguir.

Conhece o benefício da excussão prévia? A lei consagra esse benefício da excussão prévia que estipula o seguinte: aquando da celebração do contrato estabelece-se que o fiador não será chamado a pagar a dívida até que todos os bens em nome do principal devedor sejam vendidos ou penhorados.

Assume, pois, uma obrigação creditícia. Ou seja, caso o principal devedor não cumpra com o pagamento da mensalidade associada ao crédito, será o fiador o responsável pelo

Infelizmente, a maioria dos contratos não apresenta esta cláusula. Logo, será sempre o fiador o responsável pelo pagamento em caso de falha por parte do devedor. PUB

AULAS PARTICULARES DE

MÚSICA em PORTIMÃO

É possível recuar na decisão e desistir de ser fiador? Muitos fiadores querem deixar de o ser, mas regra geral, só poderão desvincular-se, se o credor e o devedor estiverem de acordo. Mas é pouco provável que o credor aceite a redução de garantias. O final destes casos é quase sempre dramático, restando ao fiador pagar a dívida, claro que fica com o direito do credor sobre o devedor e pode exigir a este o cumprimento da obrigação. Mas, na prática, se o devedor não conseguiu pagar a dívida ao credor, muito dificilmente a conseguirá pagar ao fiador, a menos que a sua situação financeira sofra uma alteração significativa.

Antes de assumir este compromisso, leia e informe-se bem do que significa e implica ser fiador. Ao mínimo sinal de incumprimento por parte do devedor, recorra aos meios legais de modo a acautelar-se. Seja consciente e esclarecido connosco. GASDECO | Contactos: 213 710 238 / 223 391 961 gas@deco.pt ou gas.norte@deco.pt É também possível agendar atendimento via skype. Siga-nos nas páginas de Facebook, Twitter, Instagram e Linkedin.

PUB

PUB Peixe fresco Fruta e legumes Mercearia

GUITARRA - PIANO - ACORDEÃO Também com opção online

PARA TODAS AS IDADES Prof. LUÍS FONSECA - 938859761 luisfonseca@sapo.pt

Tlm.: 961 363 501 Portimão loja 1 | R. Infante D. Henrique • loja 4 | Avenida 25 Abril Parchal /Coviran - loja 5 Lagoa loja 2 - junto à igreja • loja 3 - R. António Pinto Pateiro Armazém lote 3 - Zona Industrial


P15

Portimão Jornal • 06 MAI 2021 • Nº23

ÚLTIMAS

D.R.

Festival também passa por Lagos e Armação de Pêra

‘Entrelaçados’ apresenta ‘Inverno’ no Teatro Municipal

Mostra na Emarp até dia 28

‘Mecânica da Água e do Tempo’ exposta em fotos

O evento terá espetáculos de dança contemporânea, workshops, performances, mostras de vídeo-dança e uma exposição. D.R.

A

Associação Cultural Dancenema promove a quinta edição do festival ‘Entrelaçados’, até 28 de agosto, em Portimão, Lagos e Armação de Pêra. A abertura oficial decorreu no sábado, 1 de maio, na Casa Manuel Teixeira Gomes, com a transmissão em ‘streaming’ nas redes sociais da inauguração da exposição de fotografia ‘Algarve, Dança e Arte’, à qual se seguiu uma apresentação de dança contemporânea. Para o concelho estão previstas diversas iniciativas, como as performance de dança ‘Inverno’, que a Companhia de Dança de Almada apresentará no Teatro Municipal de Portimão, a 17 de julho, ‘Me, Viola and I’, de Nastasja Stefanic, no auditório do Museu de Portimão, a 13 de julho. No dia seguinte, no mesmo equipamento cultural, terá ainda lugar uma mostra de vídeo-dança. Ainda a 27 de agosto, o Jardim 1º de Dezembro acolhe uma sessão de Lígia Soares. No programa nos outros concelhos, decorrem ainda espetáculos de Miguel Ramalho, a 22 de maio, de Lígia Soares, a 26 de agosto, ambos em Lagos, e da Companhia Dancenema, no dia 18 de julho, em Armação de Pêra. À semelhança das edições anteriores do ‘Entrelaçados’ serão promovidos workshops, cujo objetivo é a criação de público para os espetáculos, familiarizando-os com a linha de trabalho e método coreográfico do autor, lecionados pelos coreógrafos das peças apresentadas. Em Portimão, decorrem, neste âmbito, três workshops. ‘Movement’, por Tiago Martins, no dia 30 de maio, no Pavilhão Des-

A exposição de fotografias ‘Mecânica da Água e do Tempo’ estará patente na Emarp até dia 28 de maio e pode ser visitada nos dias úteis entre as 8h30 e as 17h30. A ideia de fotografar a unidade industrial da Água de Monchique surgiu quando Pedro Queiroga, autor deste trabalho, procurou um tema de dimensão, diversificado em complexidade visual e com movimento.

Iniciativa é pioneira e apoia a saúde na região

Autarquias algarvias ajudam a financiar curso de medicina

Diversos espetáculos decorrem na cidade em julho portivo da Boavista, ‘3C (Criação, Composição e Clichês)’, por Maurícia Barreira Neves, de 15 a 17 de julho, na sala de ensaios do Teatro Municipal, e ‘O sono do espetador’, por Lígia Soares, no dia 28 de agosto na Casa das Artes. Da programação deste festival produzido pela Associação Cultural Dancenema, com sede em Portimão, faz ainda parte uma componente de formação avançada para bailarinos semiprofissionais e profissionais, com dois ‘cursos’, ambos com 25 horas, na Escola de Dança de Lagos, de 17 a 21 de maio, por Roberto Olivan, e de 25 a 28 de maio, lecionado por Hélder Seabra. Nesta edição está também de volta o 'Café-Performance', que terá lugar no dia 24 de agosto, a partir das 20h00, no restaurante Pote Cheio em Portimão, e que alia o prazer da gastronomia ao

assistir a um espetáculo de música e dança ao vivo. “Para fazer face às limitações da situação em que vivemos e que limita a apresentação das atividades culturais ao vivo, alguns espetáculos serão disponibilizados ao público através da plataforma Ticketline”, explica ainda a organização. Haverá também uma programação própria para o público escolar do concelho de Portimão, disponibilizada online, e da qual faz parte o espetáculo ‘A Loja dos Bonecos’, gravado no Teatro Municipal. Os interessados podem consultar a programação completa, informações sobre as inscrições em workshops e sobre a forma de obter bilhetes através do site da associação (www.dancenema. com) ou na página de Facebook do Festival.

FICHA TÉCNICA • DIRETOR Rui Pires Santos • REDAÇÃO Ana Sofia Varela, Hélio Nascimento e Jorge Eusébio DESIGN E PAGINAÇÃO Vanessa Correia • FOTOGRAFIA Eduardo Jacinto e Kátia Viola • DEPART. COMERCIAL Hélder Marques, 914 935 351 • PROPRIEDADE E EDITOR PressRoma, Edição de Publicações Periódicas, Unip. Lda., Rua Dr. João António Silva Vieira, Lote 3, 3º Dto, 8400-417 Lagoa • CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Rui Pires Santos • DETENTOR DO CAPITAL 100% Rui Pires Santos • NIF 508 134 595 • Nº REGISTO ERC 127433 DEPÓSITO LEGAL Nº 470747/20 • SEDE DE REDAÇÃO Rua Dr. João António Silva Vieira, Lote 3, 3º Dto., 8400-417 Lagoa • EMAIL portimaojornal@gmail.com • TELEFONE 282 381 546 | 967 823 648 • IMPRESSÃO LUSOIBÉRIA, Av. da República, nº 6, 1.º Esq. 1050-191 Lisboa TIRAGEM 3.500 exemplares • PERIODICIDADE Quinzenal ESTATUTO EDITORIAL: https://algarvevivo.pt/sobre-nos/

Os municípios do Algarve vão patrocinar com uma verba de 600 mil euros o alargamento do número de vagas do curso de medicina. O contrato que formaliza esta decisão de reforçar o ensino nesta área na Universidade do Algarve, através do ciclo de estudos do mestrado integrado, será assinado pela AMAL, onde se inclui a Câmara Municipal de Portimão, e pela Universidade do Algarve, a Associação para o Desenvolvimento do Centro Académico de Investigação e Formação Biomédica do Algarve (AD-ABC) e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. O acordo terminará a 31 de dezembro de 2025 e prevê que, a cada ano letivo, o número de inscrições no mestrado aumente de forma progressiva, sendo que, no quinto e último ano, não pode haver menos de 96 alunos. Apesar desta medida ser da responsabilidade da administração central, os autarcas uniram esforços, como um ‘sinal de boa vontade’. Entendem que o aumento da oferta formativa, sobretudo nesta área, contribuirá para um bem público do qual toda a região beneficiará.

Espaço pode ser alugado por empreendedores

Concelho tem primeiro co-working de cozinhas ‘Dark Kitchens’, ‘Cloud Kitchens’, ‘Ghost Kitchens’ são estrangeirismos que designam um conceito simples. Ou seja, um restaurante, que não tem sala e que apenas confeciona para fora, seja através de ‘take away’, seja em ‘delivery’. Agora, em Portimão já existe um espaço para aluguer temporário, onde um “empreendedor poderá testar o seu conceito de restaurante, nessas instalações, sem a necessidade de investimento inicial em espaço e equipamentos, nem em fornecedores com fidelização”, explica o fundador do Link-a-Ring. O processo passa por o empreendedor propor uma ideia de restaurante, alugar um espaço na cozinha, receber toda a solução de ‘take away’ e ‘delivery’ e, estará pronto a vender, numa janela temporal de menos de um mês, explica Pedro Esteves, co-fundador da iTi Poke. Este projeto abre a oportunidade de um empreendedor experimentar conceitos gastronómicos de forma acessível, com pouco risco envolvido.

FARMÁCIAS COM SERVIÇO NOTURNO MAIO 6 Arade • 7 Rio • 8 Central • 9 Pedra Mourinha 10 Moderna • 11 Carvalho • 12 Rosa Nunes • 13 Amparo • 14 Arade 15 Rio • 16 Central • 17 Pedra Mourinha • 18 Moderna • 19 Carvalho


A FECHAR

Quinta-feira • 6 maio 2021

D.R.

Investimento previsto de 664 mil euros

Antiga Junta de Freguesia de Alvor vai ser recuperada O interior do imóvel será requalificado e, uma vez concluída a empreitada, ficará disponível para receber eventos culturais. JORGE EUSÉBIO

Jorge Eusébio

europeu em duplo minitrampolim O ginasta sénior do clube desportivo Algarvegym Portimão conquistou o segundo lugar do pódio nos Campeonatos da Europa, que decorreram em Sochi, no fim de semana, 2 e 3 de maio. Tiago Romão sagrou-se vice-campeão de duplo minitrampolim, no dia 2 de maio, tendo ficado apenas a uma décima do primeiro lugar. O clube levou ainda a esta competição os dois juniores Sérgio Aniceto e Rafael Nobre, tendo o último ginasta sido um dos elementos da equipa masculina que conseguiu a prata em duplo minitrampolim.

A

Câmara de Portimão lançou um concurso que visa a reabilitação e restauro do antigo edifício da Junta de Freguesia de Alvor, situado na Rua Marquês de Pombal, bem no centro da vila. Para que isso seja possível vai ser realizado um investimento de 664 mil euros, sendo parte da verba (cerca de 100 mil) financiada por fundos comunitários. Tendo em conta que o processo concursal foi iniciado em abril, que vão decorrer vários meses até que seja conhecida a proposta vencedora e que, a partir da data da adjudicação, a empresa responsável pela obra terá 180 dias para a concluir, não será ainda este ano que o edifício ganhará nova vida. A intervenção vai implicar a recuperação de todo o interior – incluindo o da zona da biblioteca – e respetivas infraestruturas. Este é um trabalho delicado, uma vez que a autarquia pretende manter as decorações existentes em algumas das paredes (que vão ser reforçadas) e do teto do imóvel. A presidente da Câmara, Isilda Gomes, diz que uma vez concluída a obra, o imóvel “será convertido num espaço multifunções dedicado à área cultural”.

Tiago Romão sagra-se vice-campeão

Portimão tem seis praias com Bandeira Azul A Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) anunciou, no dia 29 de abril, que o concelho de Portimão, na próxima época balnear, terá seis praias com este galardão, acrescido também da Marina. Alvor Nascente – Três Irmãos, Alvor Poente, Rocha, Três Castelos e Vau são as praias distinguidas. Ainda neste rol, a Marina de Portimão recebeu um duplo reconhecimento, quer pela infraestrutura de porto de recreio, quer no areal, situado junto ao molhe. No total, no Algarve são 87 praias costeiras e quatro marinas do Algarve a hastear a Bandeira Azul em 2021.

Festival de Piano encerra A autarquia lançou concurso para restauro do imóvel

este mês com três concertos

Aí passarão, portanto, a ser realizadas exposições, apresentação de livros e outros eventos. Esta empreitada vem dar seguimento a uma outra que se desenvolveu há já algum tempo, de substituição do telhado, que se encontrava em avançado estado de degradação e que já não prote-

A V edição do Festival Internacional de Piano do Algarve promove os três últimos concertos deste ano, encerrando a 29 de maio. Assim, serão transmitidos nas páginas de Facebook de Portimão (www.facebook.com/portimaomunicipio) e do Teatro Municipal (www.facebook.com/TEMPOportimao) os concertos com António Rosado e Nelissa Fontoura, este domingo, dia 9, seguindo-se Vasco Dantas, no dia 21, e Raúl Costa com a Banda Sinfónica Portuguesa, no dia 29 de maio. Todos os espetáculos decorrem no Teatro e iniciam-se às 21h00.

gia o interior da chuva. Também o espaço exterior situado nas traseiras do imóvel, o Páteo do Palácio Abreu, já foi devidamente requalificado, tendo o resultado da intervenção sido apresentado no ano passado, integrado no programa comemorativo do Dia de Portugal.

PUB

CENTRO DE JARDINAGEM Garden Center Parchal - Lagoa Construção e Manutenção de Jardins Garden Maintenance & Landscaping

282 094 787 +351 916 846 990 paulo@pgs-gardens.com www.pgs-gardens.com

Profile for Portimão Jornal

Portimão Jornal nº 23 | 06.05.2021  

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded