__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

Quinta-feira • 22 abril 2021 • 1.00€

25 de Abril assinalado com iniciativas online Curta metragem de realizador local é um dos destaques. P3

Quinzenário • Ano 1 • Nº22 Diretor: Rui Pires Santos

ECONOMIA Autarquia destina mais um milhão para empresas P16

PINTURA Novo mural dá cor à principal entrada da cidade P15

Isilda Gomes revoltada com ‘injustiça’ e ‘castigo’ Autarquia realizou testagem massiva que mostrou que o vírus não está a originar surtos na comunidade. Houve apenas 12 positivos em mais de quatro mil rastreios efetuados. Presidente não compreende imposição de recuo no desconfinamento e exige mais rapidez na vacinaçao. P4-5

Escola 'Playsurf' atrai mais jovens para a modalidade

FUTSAL Portimonense está no 'play off' para campeão nacional P12

SORTEIOS Ação ‘Valorizar o Comércio Local’ está suspensa P3

Obras do Parque Urbano do Mercado avançam em duas fases Intervenção garante mais de 130 lugares para veículos, um novo anfiteatro ao ar livre, espaços verdes e preservação das cantarias da Quinta dos Morais. P16

Recuo no desconfinamento atrasou o regresso às aulas. Praticantes anseiam por voltar a 'apanhar' ondas. P8-9

Maria da Luz é candidata à Junta de Portimão pelo PS P10 PUB


PUB


P3

Portimão Jornal • 22 ABR 2021 • Nº22

ATUALIDADE

As iniciativas podem ser seguidas através das redes sociais

Comemorações do 25 de Abril em versão anti-covid A Câmara de Portimão assinala a passagem de mais um aniversário do 'Dia da Liberdade' com um programa que, face às restrições que afetam o concelho, poderá apenas ser acompanhado nas redes sociais da autarquia. ANA SOFIA VARELA

Sessão solene contará com intervenção dos respresentantes dos partidos políticos Jorge Eusébio

Amante do mundo audiovisual, decidiu dar largas à imaginação e criatividade, escrevendo e produzindo esta curta-metragem, gravada em Portimão, para a qual contou com a colaboração de jovens do concelho.  No mesmo dia, às 21h30, começa o Concerto Comemorativo do 25 de Abril de 1974 'Liberdades', pela Orquestra de Jazz do Algarve.  O espetáculo é composto por interpretações, em tons de jazz, de temas de vários autores, como Zeca Afonso, Paulo de Carvalho, Manuel Freire, Bob Dylan, John Lennon ou Bob Marley, entre muitos outros, sob o mote da 'Liberdade', ou das várias liberdades.

A

partir das 18h00 de sábado, 24 de abril, poderá ser vista no Facebook do município a curta-metragem 'Desaparecido', de Jake Barroso, que conta a história de Diego e de um grupo de amigos, retratando as suas vidas sociais no contexto do bairro onde moram. Diego, pai solteiro e trabalhador, um dia depara-se com o desaparecimento do filho, desencadeando um conjunto de ações de pânico e frustração que podem terminar mal. Esta é a primeira parte da história, que terá continuidade brevemente, realizada pelo jovem portimonense Jake Barroso.

Para dar forma a toda esta fusão, foram escolhidas duas vozes nacionais - Ana Laíns e Ana 'Cherry' Caldeira, em duetos que marcarão o espetáculo, que poderá ser visto nas páginas no Facebook do Teatro Municipal de Portimão e do município. Poesia vai pautar Dia da Liberdade No domingo, 25 de abril, o programa arranca às 9h00, com o hastear das bandeiras e interpretação do hino nacional por Joana Rato, acompanhada na guitarra portuguesa por Ricardo Martins e na viola de fado por Nuno Martins. A sessão solene poderá ser vista nas redes sociais a partir

das 11h00, com a intervenção dos representantes dos partidos políticos com assento na Assembleia Municipal, bem como do presidente deste órgão municipal, João Vieira, e da presidente da Câmara, Isilda Gomes. Ao longo de todo o dia, as páginas no Facebook da Biblioteca Municipal Manuel Teixeira Gomes e do município de Portimão apresentarão 25 poemas declamados por alunos do Agrupamento de Escolas da Bemposta, tendo por denominador comum a luta pela liberdade e contra as injustiças sociais, o despotismo e toda e qualquer forma de opressão e ditadura. Ainda nesta data, a partir das 17h00, o Facebook da Biblioteca Municipal Manuel Teixeira Gomes exibirá o pequeno filme 'Biblioflash', com apresentação de obras literárias alusivas à Revolução dos Cravos e dirigidas ao publico infantojuvenil. Intervenção artístico-comunitária Da programação também constam duas intervenções artísticas em espaço público, uma em parte do muro exterior do Cemitério de Portimão e outra no paredão das Cardosas, junto ao viaduto, com o objetivo de requalificar pontos estratégicos da cidade, tornando-os mais apelativos e inclusivos. Ambos os muraisserão da autoria de artistas plásticos reconhecidos, Gonçalo MAR e Kruella D’Enfer.

Fotos inspiradas na Revolução dos Cravos Entre esta quinta-feira e domingo, realiza-se a 'Caminhada Liberdade 2021', um convite ao passeio higiénico individual, de acordo com as orientações da Direção-Geral da Saúde, durante o qual os participantes são desafiados a captar ‘selfies’ junto de monumentos históricos ou peças escultóricas alusivas ao 25 de Abril que se encontrem nas proximidades. Também poderão captar imagens originais e criativas alusivas ao tema, para partilha nas redes sociais do município de Portimão (Facebook e/ou Instagram). Por fim, às 19h00 de segunda-feira, 26 de abril, começa a assembleia digital 'Os Jovens e a Política', que visa aproximar os adolescentes aos decisores políticos. Na iniciativa participam as três associações de estudantes das Escolas Secundárias de Portimão, as duas associações académicas do Ensino Superior,  o  Núcleo de Estudantes de Direito do ISMAT, assim como  todas as juventudes partidárias ativas no concelho. As propostas a debater serão inseridas na plataforma Mypolis. A imagem oficial da evocação do 25 de Abril tem este ano por base uma fotografia de Francisco Manuel das Neves Martins, vencedor do primeiro prémio da Corrida Fotográfica de Portimão 2020, adaptada para este fim com autorização do autor. D.R.

Iniciativa online a 22 de abril

‘Revitalizar Portimão’ é tema da quarta E-Teia d’Ideias A associação promove, esta quinta-feira, 22 de abril, às 21 horas, a quarta E-Teia d‘Ideias deste ano, sob o tema ‘Revitalizar Portimão, perspetivas para o centro da cidade’. A ação conta com a participação de Álvaro Bila, presidente da Junta de Freguesia de Portimão, José Elias Pinto, da Associação Portimo-

nense do Comércio e Serviços, Ana Caetano, representante da ‘Downtown’, e Susana Leonor, do Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes. A conversa será moderada por Elisabete Rodrigues, diretora do Sul Informação, sendo o evento transmitido no Facebook e youtube da Teia d’Impulsos.

Adiamento de sorteio

Autarquia suspendeu iniciativa ‘Valorizar o Comércio Local’ A medida ‘Valorizar o Comércio Local’ está suspensa até que seja anunciada uma nova data para que seja retomada, informou a Câmara Municipal. A atual situação pandémica no concelho, que leva a um recuo na fase de desconfinamento, levou a que a autarquia tivesse de adiar as datas dos sorteios que estavam agenda-

dos para 21 e 28 de abril. Os vencedores que ainda não levantaram os prémios ou quem tem cupões sorteados pode fazê-lo às quartas-feiras, entre as 10h00 e as 13h00 e as 14h00 e as 18h00 no Balcão Único situado na Rua do Comércio. O levantamento pode ser efetuado até dia 31 de maio.


P4

Portimão Jornal • 22 ABR 2021 • Nº22

SOCIEDADE Portimão volta à primeira fase e à venda ao postigo

Isilda Gomes não aceita recuo no desconfinamento

Testagem massiva da autarquia mostrou que os casos positivos não estão disseminados na comunidade. Tendência da propagação está em crescimento nas escolas, que continuam abertas. Presidente da Câmara fala em “injustiça”, “castigo” e em “decisão incompreensível”. ANA SOFIA VARELA

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Na conferência a presidente ataca a ARS por a vacinação não estar a ser feita no novo centro instalado no Pavilhão Gimnodesportivo

Ana Sofia Varela

M

enos de 24 horas depois de ser conhecida a decisão do Governo em obrigar Portimão a recuar no plano de desconfinamento, Isilda Gomes, presidente da Câmara Municipal, convocou uma conferência de imprensa para explicar factos e mostrar indignação no

Palavras como “castigo”, “injustiça”, “incompreensível” e “inaceitável” foram as que se destacaram no duro discurso da autarca, que marca a revolta contra as decisões do Governo. Foi, aliás, uma comunicação baseada em factos e em números, conhecidos naquela data. A presidente da autarquia começou por fazer um ponto de situação

"O castigo que é imposto a Portimão e aos portimonenses é injusto, incompreensível e inaceitável. Considero uma enorme falta de respeito" retrocesso. A avaliação foi conhecida no dia 15 de abril ao final da tarde, apanhando todos de surpresa, e a conferência foi marcada para a tarde do dia seguinte.

em relação aos casos de covid-19 no concelho. Eram, assim, 129 casos ativos, com uma incidência cumulativa a 14 dias de 185 pessoas infetadas. Até àquele dia es-

tavam 757 pessoas em isolamento profilático, das quais 50 por cento relacionadas com casos nos estabelecimentos escolares. Havia 22 turmas, de todos os agrupamentos, em casa nos 14 dias anteriores. "Nem mais um teste" Apesar de nas ‘ruas’ correr a ideia de que a testagem que a Câmara Municipal efetuou tinha feito subir o número de casos, a presidente da Câmara não aceita este argumento e desmonta-o através de dados concretos. “O Serviço Nacional de Saúde e os privados testaram com PCR 4046 pessoas no concelho. Já a testagem rápida em massa (em colaboração com o ABC no drive-thru do Portimão Arena) foi efetuada a 4187 pessoas”. Do total de 185 positivos acumulados 14 dias, que serviram de referência para a avaliação, apenas 12 foram encontrados com essa testagem rápida. Para que não restem dúvidas, a autarca é mais concisa. “Esta testagem massiva e aleatória foi

de 4187 pessoas e apareceram apenas 12 casos positivos. Fizemos esta testagem para provar que não havia disseminação na comunidade. Os atuais surtos estão bem identificados e localizados. Portanto, que fique bem claro que a estratégia de testagem massiva rápida não é responsável pelo aumento do número de casos em Portimão. Não é!”, afirmou com assertividade. Apesar de ter provado a fraca incidência do vírus na sociedade, o Governo não ouviu, nem tomou esta realidade em consideração. É por esta razão

que “a Câmara não fará nem mais um teste”, afirma. Aliás, para especificar a revolta, Isilda Gomes refere que os surtos na construção civil estão em decréscimo acentuado, enquanto os existentes na comunidade escolar estão com tendência de crescimento. “Imagine-se que é isso que vai continuar aberto e a funcionar. Os locais onde não há transmissão de vírus, como é o caso das esplanadas e do comércio, vão fechar, as escolas vão manter-se abertas que é exatamente o local onde nós agora temos a positividade. Dos novos casos positivos, 25 por cento estão na comunidade escolar e isto implicou que 50 por cento dos novos casos registados nos últimos 14 dias estejam nos agregados familiares ligados a esta comunidade”, assegurou ainda. “Face a isto, o castigo que é imposto a Portimão e aos portimonenses é injusto, incompreensível e inaceitável. Considero uma enorme falta de respeito para com os empresários e todos aqueles que lutam no seu dia a dia para fazer face às dificuldades, que são muitas”, criticou a autarca. Acrescentou ainda que se não fosse a ajuda que a Câmara Municipal tem dado, já tendo gasto sete milhões de euros em diversos mecanismos de apoio e de resposta no combate à covid-19, “as pessoas ainda estariam a passar muito pior”, argumentou. Na opinião da autarca, que diz ter recebido imensas mensagens de revolta dos seus munícipes, é injusto também para com os portimonenses que cumpriram as re-

Caso de Almeirim Durante a conferência de imprensa, Isilda Gomes revelou que há municípios no centro do país com um quinto da população, quando comparado com Portimão, mas que já tem tantas vacinadas administradas como o concelho algarvio. Ao que o Portimão Jornal apurou, este é o caso de Almeirim que na sua rede social oficial divulgou que tem 5356 vacinas administradas, entre a primeira e segunda dose.


P5

Portimão Jornal • 22 ABR 2021 • Nº22

SOCIEDADE gras e fizeram o que lhes era pedido. “Não percebem esta decisão que Lisboa teve para com Portimão”, diz. E aponta que foram várias as iniciativas que a autarquia teve para ajudar a que o SNS não caísse, como é o caso do Hospital de Campanha, que serviu para acolher pessoas de todo o país. “Se me perguntassem se estava à espera de regredir, digo sinceramente que não e que fiquei em choque. Esperava era que nos mantivéssemos no mesmo patamar em que estávamos”, confessa. No entanto, já que Portimão é obrigado a dar um passo atrás, Isilda Gomes exige um conjunto de medidas que há muito deveriam ter sido implementadas para evitar este cenário. Centro de Vacinação pronto e ARS tarda em abrir A apresentação do caderno de encargos e a concretização ou não

centro, em vez de termos os professores a ser vacinados nas escolas e de estarem a ser solicitadas ambulâncias para estarem nesses estabelecimentos... e remeto-me ao silêncio… em condições ainda piores”, revelou. Aliás, já na edição passada, o Portimão Jornal mostrou o espaço e as condições que este centro tem. Na maioria dos concelhos a criação destes espaços foi um pedido da ARS às Câmaras Municipais para garantir a eficiência na vacinação. A autarca vai mais longe e afirma que os portimonenses já assumiram muitos sacrifícios e tiveram, na maioria, um papel ativo no combate à pandemia. “Chegou a altura de o Governo assumir as responsabilidades, não deixando à sorte de indicadores injustos a decisão sobre quem avança e quem recua. Os portimonenses merecem respeito tal como os

“Se me perguntassem se estava à espera de regredir, digo sinceramente que não e que fiquei em choque” das ações pelo Governo poderá trazer consequências políticas que a autarca ainda vai ponderar. No entanto, há algo que Isilda Gomes não entende e lança fortes críticas a quem está na mesma estrutura política socialista. “O Centro Municipal de Vacinação está pronto desde 3 de março. E o presidente da Administração Regional do Algarve [Paulo Morgado] teima em não abrir. Tenho visto muitas vezes o primeiro-ministro António Costa e a ministra da Saúde Marta Temido a visitar Centros de Vacinação no país. Era altura de os dois virem visitar o nosso centro e dizer aos portimonenses, porque é que têm de recuar. Talvez assim, o presidente da ARS abrisse o

algarvios”, atacou ainda. É que os atrasos na vacinação da população, numa região turística que contribuía antes com quatro por cento do Produto Interno Bruto (PIB) não é aceitável, na opinião de Isilda Gomes e de outros autarcas algarvios. “Vou esperar que o Governo decida muito rapidamente avançar com a vacinação em Portimão, já que somos os que estamos pior e, no Algarve, se queremos ter turistas e que a nossa economia melhore”, concluiu. Decisões que afetam vidas Isilda Gomes até reconhece que o primeiro-ministro tem de olhar para o país como um todo, que não terá acesso a toda a informaPUB

AULAS PARTICULARES DE

MÚSICA em PORTIMÃO

ção e que tem de tomar decisões difíceis, baseado nos conselhos que recebe dos especialistas, em que as opiniões que, muitas vezes, não são consensuais. “No entanto, essas decisões afetam muitas pessoas e têm de ser ponderadas. Aqui, nós entendemos que esta medida é injusta e inaceitável. Não aceito e sinto-me revoltada como os portimonenses devem estar. Ainda ontem recebi uma mensagem de um empresário que me disse que tinha mandado os funcionários regressarem ao trabalho, fez a limpeza do espaço, colocou tudo e agora tem de voltar a enviar os trabalhadores para casa. Não se pode tratar as pessoas desta forma”, contesta. Consequências políticas Apesar de não ter avançado qual poderia ser a decisão a tomar em breve, Isilda Gomes assegura que saberá retirar da ação ou inação do Governo “as devidas ilações” e agir em conformidade. Não especificou o que estará em jogo. “O que quero é que o Governo cumpra e tenho confiança que o fará. Aquilo que farei ou deixarei de fazer, a seu tempo será comunicado”, assegurou sem mais pormenores. A decisão tanto pode recair em diversas vertentes, sobretudo a nível da estrutura interna no Partido Socialista (PS). A decisão agora tida mostra falta de solidariedade para com o concelho que preside. A autarca, além de militante do PS, integra o secretariado nacional desta estrutura política e é vice-presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses. Feedback do Governo Até à data da avaliação, a 15 de abril, Isilda Gomes apenas se reuniu com António Costa em videoconferência, em conjunto com outros autarcas responsáveis por outros concelhos na mesma situação que Portimão. “Expliquei estes dados todos ao primeiro-ministro, que o vírus não está disseminado na comunidade, mas que está focado na

O que implica este retrocesso? O facto de Portimão ter passado de novo à primeira fase do plano de desconfinamento, que esteve em vigor entre 15 de março e 4 de abril, leva ao encerramento de esplanadas e pequeno comércio, impedindo a abertura de novos espaços. Assim, na segunda-feira, o Museu voltou a fechar, assim como monumentos e galerias de arte, as modalidades de baixo risco e a atividade física ao ar livre até quatro pessoas voltou a ser impedida. As lojas passaram de novo para o atendimento ao postigo e as esplanadas fecharam. Neste recuo apenas são exceção as escolas, ensino secundário e superior, que retomaram as aulas presenciais, não tendo também encerrado nenhum dos ciclos que tinha aberto a 15 de março e a 5 de abril.

Exigências ao Governo ⇨ Reforço efetivo da fiscalização, com o aumento de operacionais nas forças e serviços de segurança, da Autoridade para as Condições de Trabalho e da Autoridade da Segurança Alimentar e Económica; ⇨ Priorização no reforço à vacinação com a entrada em funcionamento, imediata, do Centro Municipal de Vacinação, pronto desde 3 de março; ⇨ Apoios extraordinários para os setores económicos penalizados, como a restauração e o pequeno comércio; ⇨ Obrigatoriedade do uso de máscara na rua; ⇨ Reforço dos profissionais de saúde para acompanhamento dos casos positivos que não o são por não terem médico de família. ⇨ Acrescentar a variável do número de testes realizados nos indicadores de decisão de desconfinamento nos concelhos, valorizando a baixa taxa de positividade sempre que esta se verifique.

construção civil e nas escolas. O que me disse é que seria aplicada a medida instituída”, resumiu. Ainda assim, a autarca não esperava o retrocesso no calendário. Cenário de incerteza Uma das questões que se levanta é qual será o futuro de Portimão a nível do desconfinamento e quais os critérios que estão subjacentes na próxima avaliação. A única garantia que Isilda Gomes tem foi-lhe dada por Marta Temido, ministra da Saúde, e é apenas de carácter temporal. Algo que não é uma novidade, pois António Costa, na sua comunicação ao país, na apresentação do calendário em março, já tinha afirmado que as avaliações seriam quinzenais. “Daqui a duas semanas, pro-

vavelmente já estaremos noutro patamar, mas não sei exatamente como será. Continuamos com esta indefinição de nos mantermos nesta fase ou passarmos ao seguinte”, afirmou a autarca. Portimão teve duas avaliações negativas seguidas, a 1 e a 15 de abril, o que levou a este recuo, pois tinha mais de 133 casos acumulados em 14 dias. Se tivesse baixado para o nível amarelo (67 casos acumulados) na segunda avaliação, na semana passada, ter-se-ia mantido na fase em que estava, como aconteceu com Albufeira. Há agora vários cenários que podem estar em cima da mesa, consoante os números que forem conhecidos a 29 de abril, mas o Governo não explicou quais são.

PUB

PUB Peixe fresco Fruta e legumes Mercearia

GUITARRA - PIANO - ACORDEÃO Também com opção online

PARA TODAS AS IDADES Prof. LUÍS FONSECA - 938859761 luisfonseca@sapo.pt

Tlm.: 961 363 501 Portimão loja 1 | R. Infante D. Henrique • loja 4 | Avenida 25 Abril Parchal /Coviran - loja 5 Lagoa loja 2 - junto à igreja • loja 3 - R. António Pinto Pateiro Armazém lote 3 - Zona Industrial


P6

Portimão Jornal • 22 ABR 2021 • Nº22

SOCIEDADE Casal, filho e sobrinha têm problemas de saúde

Família em risco de ter de ir viver para a rua Residem há vários anos numa habitação da qual deverão ter de sair, pois a proprietária decidiu não renovar o contrato de arrendamento. JORGE EUSÉBIO

Jorge Eusébio

U

m casal com três filhos e uma sobrinha a seu cargo corre o risco de, a muito curto prazo, ficar sem espaço onde morar. Trata-se de uma situação ainda mais grave pelo facto de quatro dos elementos do agregado familiar terem problemas complicados de saúde. Vivem há cerca de nove anos numa casa alugada, situada na zona de Vale França, em Portimão, mas foram notificados pela proprietária do imóvel de que não pretende renovar o contrato de arrendamento. O processo está em tribunal e, a qualquer momento, receia Maria do Céu Fernandes, “podemos ser obrigados a abandonar a casa e a ficar na rua, pois não temos para onde ir morar”. Isto porque há poucas casas para arrendamento na zona e “os proprietários das que estão no mercado pedem dois ou três meses adiantados e, em alguns casos, até fiador, o que faz com que fi-

é técnico de ar condicionado, sofre de um problema de saúde que o impede de exercer a sua atividade. Maria do Céu trabalhou num lar, mas teve de optar por se tornar a tempo inteiro cuidadora de um filho que é autista, sofre de epilepsia e tem graves problemas de mobilidade, só podendo deslocar-se em cadeira de rodas. Também a sobrinha que faz parte do agregado familiar precisa de cuidados e atenção especial, pois padece de um atraso mental. A somar a tudo isto há o facto de, diz Maria do Céu, “me ter aparecido uma doença de coração rara, estou à espera de cirurgia e não sei como vou ficar”. Casal tem batido a várias portas É nestas circunstâncias extremamente complicadas que, agora, se deparam com a possibilidade de terem de abandonar a habitação, cuja renda, garante Rui Fernandes, “está em dia, mas a proprietária, por razões que desconhecemos, pretende ter a casa de volta”. O documento que formaliza

O processo está em tribunal e, a qualquer momento, receia Maria do Céu Fernandes, “podemos ser obrigados a abandonar a casa e a ficar na rua” quem fora do nosso alcance, pois os recursos que temos são muito limitados”. O marido, Rui Fernandes, que

essa decisão chegou-lhes a meio de janeiro e deveria ter efeitos a partir do passado dia 31 de março. O processo acabou por ir pa-

O casal receia que, a curto prazo, a família não tenha onde morar rar a tribunal, mas “a qualquer altura pode chegar a decisão de termos de abandonar a casa e não temos alternativa”. Para obter ajuda no sentido de resolver o problema “temos batido a muitas portas, entre as quais, a Câmara, a Junta e a Segurança Social”, mas até agora sem resultados concretos. Uma possibilidade que se colocou foi a de ocuparem uma habitação da Câmara, na zona do Bairro Pontal, mas que “estava em muito mau estado e não tinha condições para receber toda a família”. Muitos pedidos de habitação Contactada pelo Portimão Jornal,

a presidente da autarquia, Isilda Gomes, diz que a criação de habitação para arrendamento, a preços que a generalidade da população possa pagar é “uma das nossas grandes prioridades e temos em desenvolvimento vários projetos nesse sentido”. Contudo, os pedidos que chegam são muitos e a autarca admite que, para já, não há possibilidade de resolver todas as situações com a rapidez e nas condições que seriam ideais. No caso concreto desta família, diz ter conhecimento de que tem vindo a ser acompanhada pelos serviços sociais da Câmara. A autarca confirma que “efe-

tivamente lhes foi proposta uma habitação na zona do Bairro Pontal, que não foi aceite”. Admite que o imóvel “precisa de obras, mas nós comprometemo-nos a fazê-las”. Isilda Gomes refere que, para além da disponibilização de habitação quando isso é possível, outra das medidas disponíveis a qualquer cidadão – e portanto, também a esta família - é o recurso ao “subsídio de apoio ao arrendamento”. Por esta via, a autarquia paga uma parte da renda a quem reúna um determinado conjunto de condições, nomeadamente terem baixos rendimentos.

Medida de apoio continua disponível

Munícipes em dificuldades podem candidatar-se ao Cartão Solidário A Câmara Municipal de Portimão volta a divulgar a medida de apoio social que está disponível para os residentes no concelho que passam dificuldades económicas. O Cartão Solidário é uma medida de auxílio extraordinário di-

recionado para as famílias vulneráveis que permite a aquisição de géneros alimentares, através da emissão de vales solidários, que podem ser descontados num conjunto de estabelecimentos locais parceiros da iniciativa.

Os interessados em requerer esta ajuda podem contactar o balcão de atendimento da Divisão de Habitação e Desenvolvimento Social e Saúde da Câmara Municipal de Portimão através de telefone (282470830 ou 282470859) ou

por correio eletrónico (accao.social@cm-portimao.pt). O site do município tem também toda a informação sobre esta ferramenta de apoio no seu site (https://www.cm-portimao.pt/ coronavirus/fundo-de-emergen-

cia-social/cartao-solidario). É o caso dos destinatários, dos requisitos para aceder a este mecanismo, dos estabelecimentos aderentes e da duração do apoio, explica a Câmara Municipal de Portimão.


PUB


P8

Portimão Jornal • 22 ABR 2021 • Nº22

CENTRAIS

Número de alunos continua a crescer, embora seja uma minoria que segue, depois, a via competitiva

Prioridade é incutir nos jovens o gosto pela prática do surf  O regresso às ondas vai voltar a verificar-se “com toda a força e entusiasmo”, garante Bruno Freitas, o responsável da 'Playsurf', uma das escolas sediadas na zona da Marina de Portimão.

FOTOS: EDUARDO JACINTO

Hélio Nascimento

A

paixonante, divertido e viciante são alguns dos adjetivos com que o surf é habitualmente catalogado por quem tem uma ligação forte com a modalidade, seja através do lazer, da competição ou do ensino. Quem trata a prancha ‘por tu’, convenhamos, desfaz-se em elogios para a prática de um “desporto ao ar livre, em contacto com a natureza, o qual, além dos proveitos físicos, aumenta o bem-estar psicológico”, como faz questão de salientar Bruno Freitas, o nosso ‘cicerone’ nesta incursão a um mundo cada vez com mais adeptos. “A ideia de avançar com a criação de uma escola nasceu na medida em que faço surf há mais de 30 anos – comecei a praticar, curiosamente, porque tinha muitas alergias e a minha mãe levou-me. Além disso, sempre estive ligado ao desporto. E a minha vida é a água”, revela Bruno Freitas, o responsável pela 'Playsurf', na Praia da Rocha, uma espécie de tubo de ensaio para aqueles que, depois, no Iate Clube da Marina de Portimão, desejem seguir a competição. A prioridade, porém, é a de incutir aos jovens, muitos deles miúdos de tenra idade, o gosto pelo surf, até porque, entre as

Bruno Freitas nas instalações da 'Playsurf', pronto para dar a conhecer as muitas virtudes da modalidade xão, mas também é um entusiasta de polo aquático e de natação. “O nosso objetivo é aumentar  o número de praticantes e fazer evoluir a modalidade. Queremos ter bons surfistas, trabalhando com miúdos da zona e de todo Algarve, que acompanhamos, e aos quais pretendemos transmitir o

“O nosso objetivo é aumentar o número de praticantes e fazer evoluir a modalidade. Queremos ter bons surfistas, trabalhando com miúdos da zona e de todo Algarve”  dezenas de alunos, apenas uma minoria acaba por optar pela via competitiva. Bruno Freitas, 44 anos, natural de Portimão e licenciado em Educação Física, é o responsável pela Piscinas Municipais de Lagoa. O surf é a sua primeira pai-

gosto pelo surf”, sejam mais ou menos jovens, já que a idade dos alunos “vai dos 6 aos 60 anos”. Portugueses, estrangeiros e muitos turistas O professor ainda hoje pratica surf, na classe masters, represen-

tando o já citado Iate Clube, depois de ter sido federado de polo aquático na Portinado. “Deixei o polo porque abri a escola. Decididamente, optei pelo surf”, explica, adiantando então alguns pormenores sobre a 'Playsurf', que tem nesta altura mais de 80 alunos, sete monitores e ensina a prática do surf, bodyboard e paddle, embora neste último caso se trate “mais de passeios”. As aulas são regulares e diárias, embora a maior afluência seja, naturalmente, aos fins de semana. A Praia da Rocha é o local de ação, se bem que “as viagens para a Costa Vicentina são frequentes”, já que as praias desta zona têm outro tipo de ‘oferta’ no que concerne às desejadas ondas. “Temos mais alunos portugueses, mas também bastantes estrangeiros, que nos procuram pelo gosto e paixão, uns, e porque querem uma experiência nova, outros. Muitos vêm de propósito para cá fazer surf, naquilo que eu considero ser uma grande aposta para a cidade ir desenvolvendo. Alguns deslocam-se mesmo para aprender, mas há quem passe cá semanas, em tu-

rismo, só para fazer surf”, garante Bruno Freitas, devidamente identificado com a atividade. E quando não há ondas? “Como temos pranchas grandes, conseguimos sempre dar aulas, mas temos as tais viagens para a Costa Vicentina, onde as ondas são certas. Mesmo com poucas ondas conseguimos surfar”, argumenta o responsável. No Verão, prossegue, “temos

o projeto Férias Desportivas, todas as manhãs, para os miúdos dos 6 aos 12 anos, com diversas atividades para além do surf”, caso dos insufláveis na água e do paddle, o que cativa ‘clientes’ habituais de vários países, para lá dos nacionais. Chegam de Lisboa, Porto, Alentejo e também, por exemplo, de Inglaterra e Suécia, o que faz aumentar o número de alunos.

“Quem experimenta fica viciado” O surf tem crescido e continua a crescer, na opinião de Bruno Freitas, por uma série de razões muito específicas, que vão desde o seu ‘palco’ tão peculiar à adrenalina sentida e vivida em cima da prancha. “Em primeiro lugar, a atividade é ao ar livre, em contacto com a natureza e com o mar. Depois, quem experimenta sente paixão e fica viciado. Nas outras modalidades também treinas para te divertir e/ou para competir, mas aqui, no caso do surf, acrescentas mais o bem-estar físico e psicológico e ainda competes contra as ondas. E tudo isto sempre com muita adrenalina”, enfatiza o professor, em defesa da sua paixão. De facto, a imagem de muitos jovens de prancha na mão, em especial nos locais onde a praia dita leis, é cada vez mais uma constante do nosso dia a dia, sinal de que o surf, mais do que um desporto da moda, é um desporto que há muitos e muitos anos está… na moda! 


P9

Portimão Jornal • 22 ABR 2021 • Nº22

CENTRAIS Os grandes exemplos de Kikas e Joana Schenker

Antes de entrarem no mar, os jovens alunos exercitam-se e aquecem os músculos

As proezas de Frederico Morais, que já alcançou os mínimos para Portugal estar presente nos Jogos Olímpicos, e de Joana Schenker, campeã europeia e mundial de bodyboard, têm contribuído para despertar e aumentar o interesse por estas modalidades, reconhece Bruno Freitas, sublinhando, logo a seguir, que qualquer das disciplinas vale também pelo “divertimento e evolução que vais sentindo ao dominar a prancha e enfrentar as ondas”. Kikas, como é conhecido Frederico Morais, assegurou uma vaga para Tóquio, e, em princípio, tudo indica que será ele a preenchê-la. Mas Portugal pode levar mais representantes aos Jogos Olímpicos, tudo dependendo da prestação dos surfistas lusos no Mundial, a disputar brevemente, em El Salvador (de finais de maio a princípios de junho). Em aberto estão três vagas, uma para a variante masculina e duas para a feminina. Joana, por sua vez, nasceu na Pedralva, perto de Sagres, no concelho de Vila do Bispo, e é filha de pais alemães, que se haviam fixado na região. Começou muito nova a praticar bodyboard, em especial na zona da sua vila natal, e, desde que entrou em competição, não mais parou de conquistar títulos. Em 2017, fez história ao tornar-se a primeira portuguesa a sagrar-se campeã mundial de bodyboard, assumindo, paralelamente, uma posição de destaque na vida do país, uma vez que tem dado a cara em projetos sociais e ambientais que vem ajudando a desenvolver, relacionados com a preservação do oceano e das praias, tendo, para o efeito, já visitado mais de meia centena de escolas em todo o Algarve. São exemplos como estes – e há muitos mais portugueses medalhados em grandes provas dos circuitos europeu e mundial – que contribuem para aumentar o gosto pelas modalidades em causa.

tirem durante alguns dias ou uma semana. É malta de todas as idades, incluindo adultos, e portugueses, que fazem gosto em ir para as ondas”.

A 'luta' contra as ondas é um desafio apaixonante em que a prancha é o principal aliado Boa coabitação com as outras escolas A 'Playsurf', já deu para perceber, tem forte ligação e o apoio do Iate Clube da Marina de Portimão,  uma instituição sem fins lucrativos que tem por objetivo a promoção cultural, desportiva e recreativa, desenvolvendo e estimulando o gosto pelos desportos náuticos, de recreio e competição. Há outras parcerias, da própria Marina, da Villa Surf. E há, também, outras escolas com

e do 'Portimão Surf Clube'. “Coabitamos bem, trabalhamos bem, não há problemas. Acho que está bom para todos, embora o espaço físico seja limitado, porque a praia não estica”, graceja Bruno Freitas. “Durante a pandemia estivemos fechados, mas depois voltámos com toda a força e vontade (nota: a reportagem foi efetuada antes da marcha-atrás no desconfinamento). A saúde está sempre em primeiro lugar, pelo que parámos totalmente. Os miúdos, se-

“Temos mais alunos portugueses, mas também bastantes estrangeiros, que nos procuram pelo gosto e paixão, uns, e porque querem uma experiência nova, outros. Muitos vêm de propósito” idêntica finalidade, na zona da Praia da Rocha, casos da 'Future'

dentos de surf, regressaram com toda a força, como já disse. Sendo

ao ar livre, a tendência é para este entusiasmo crescer nos próximos tempos”, mal haja de novo autorização, diz o professor, que tem uma filha, de 11 anos, igualmente adepta da modalidade, e que aproveita esta abordagem ‘familiar’ para falar da irmã, Joana Freitas, “o meu braço direito, que também foi atleta e é monitora”, tal como Maisa Trindade, que assiste à conversa e foi das primeiras alunas da escola. A 'Playsurf' está sediada na Estrada da Marina, por baixo, diga-se assim, da Fortaleza de Santa Catarina, em instalações do Iate Clube, que tem a gestão do espaço. Como empresa, beneficiou do Fundo de Apoio Empresarial, especialmente criado para o período de pandemia. Em termos de receitas, e para além das mensalidades, existe material (pranchas e fatos) para alugar e aulas individuais, tipo avulso. “Conseguimos mais receitas no Verão, com estas aulas, devido à presença dos turistas, sobretudo estrangeiros, que nos procuram muito, para se diver-

Alguma expressão em termos competitivos Bruno Freitas repetiu várias vezes

destaca o responsável, aludindo ainda ao apoio dado pelo município em sede de provas e torneios. “Aqueles atletas são de cá, embora dois estejam agora a estudar em Lisboa. E acredito que temos uma nova fornada de miúdos para mais altos voos. Mas em primeiro lugar, como já disse, queremos

“Os nossos atletas representam e são filiados pelo Iate Clube. Consoante as suas performances, podem ser apurados para os Campeonatos Nacionais. E temos formado bons surfistas” durante a reportagem que o principal objetivo da escola é desenvolver e incentivar o gosto pelo surf. Todavia, a competição não está posta de lado, até porque é uma consequência também lógica desta prática desportiva. “Os nossos atletas representam e são filiados pelo Iate Clube. Consoante as suas performances, podem ser apurados para os Campeonatos Nacionais. E temos formado bons surfistas, casos do Francisco Duarte, Martim Magalhães, Kathy Cardoso, Diogo Pereira – foi campeão nacional a nível escolar – e Isaac Felizardo”,

formar pessoas e ajudar os jovens nesse sentido, o que acho que estamos a conseguir fazer”, opina, revelando uma curiosidade – tem sido sempre assim desde os primeiros passos… dados em Alvor. “Sim, foi aí que começámos, com o apoio da Associação Cultural e Recreativa Alvorense (ACRA). Em 2009 é que viemos para a Marina de Portimão”. E até hoje tem sido um ‘mar’ de boas sensações, inclusive porque não há registo de incidentes, “apenas uma ou outra lesão, mas nada de grave, coisas pequenas que são próprias das atividades físicas”.


P10

Portimão Jornal • 22 ABR 2021 • Nº22

POLÍTICA Maria da Luz é a candidata do PS à Junta de Portimão

João Vasconcelos avança pelo Bloco “contra o pântano e a corrupção” Os principais partidos políticos têm as escolhas feitas quanto aos nomes que vão apresentar à presidência da Câmara. O PS vai mais adiantado e também já sabe com quem conta na luta pelas juntas de freguesia. ANA SOFIA VARELA

cial e de negócios dos CTT. Nesta altura, para além de um representante no executivo municipal, o Bloco de Esquerda conta com três eleitos na Assembleia Municipal, outros tantos na Assembleia de Freguesia de Portimão, um na da Mexilhoeira Grande e outro na de Alvor.

João Vasconcelos volta a ser o candidato do Bloco de Esquerda à presidência da Câmara Jorge Eusébio

O

Bloco de Esquerda vai voltar a apostar em João Vasconcelos como candidato à presidência da Câmara de Portimão. Este professor de História foi eleito vereador em Portimão nas eleições autárquicas de 2013 e reeleito quatro anos mais tarde. É, também, desde 2015, deputado na Assembleia da República. Nas últimas eleições locais, a lista por si encabeçada obteve 1886 votos e agora diz que o ob-

jetivo é “reforçar essa votação”, de forma a que o Bloco fique em melhores condições para contribuir para “devolver a dignidade e a qualidade de vida aos portimonenses”. João Vasconcelos acrescenta que o BE se apresenta como “alternativa política, socialista e popular em Portimão, onde desenvolverá um combate implacável contra o pântano e a corrupção, contra o populismo extremista e as manobras políticas de direita, encapotadas umas, às claras outras”. PUB

Mas, acusa, “a principal responsabilidade do marasmo, da indiferença, do clientelismo, dos atentados ambientais, do brutal endividamento municipal que continua a infernizar a vida de milhares de portimonenses e de centenas de empresas reside na gestão sem rumo e ao sabor dos interesses dos vários executivos do PS, ao longo de 45 anos, ininterruptamente”. Para a Assembleia Municipal, o Bloco recandidata o atual chefe de bancada naquele órgão, Pedro Mota, de 49 anos, técnico comer-

Nuno Cordas é o candidato da CDU Nuno Cordas é o candidato da Coligação Democrática Unitária (CDU) à presidência da Câmara de Portimão. O candidato é técnico superior de Diagnóstico e Terapêutica – Farmácia, tem 39 anos de idade e é árbitro jubilado pela Associação de Futebol do Algarve, mantendo-se, atualmente, em atividade como observador da Federação Portuguesa de Futebol. É também microempresário no setor dos transportes e turismo e membro da Comissão Concelhia de Portimão do PCP. Foi mandatário da candidatura de João Ferreira ao Parlamento Europeu, pelo concelho de Portimão e é autor de um livro de poesia. Como nº1 da CDU da lista para a Assembleia Municipal avança Lurdes Melo, de 58 anos, advogada e atual membro daquele órgão autárquico. Em comunicado, aquela coligação assume que um dos seus principais objetivos autárquicos “é a recuperação de um vereador no executivo municipal, capaz

de levar a voz dos trabalhadores e das populações àquele órgão num concelho marcado por profundas desigualdades, pela falta de investimento municipal, por negócios e opções que ao longo dos anos arruinaram as finanças do município, pela ausência de valorização dos trabalhadores da autarquia e dos serviços públicos”. Militantes do CDS aprovam Luís Carito O CDS-PP de Portimão realizou, no passado sábado, uma Assembleia de Militantes, no decorrer da qual foi aprovado o nome de Luís Carito como candidato à presidência da Câmara. A comissão política local ficou mandatada para desenvolver contactos com outros partidos, no sentido de tentar avançar com uma coligação eleitoral nas próximas eleições autárquicas. Maria da Luz é a candidata do PS à Junta de Portimão A atual tesoureira da Junta de Freguesia de Portimão, e militante histórica do PS em Portimão, Maria da Luz Nunes, vai ser a candidata daquele partido à presidência daquela autarquia. A decisão foi tomada em reunião do Secretariado de Portimão do partido no passado sábado. Recorde-se que o atual presidente da Junta de Portimão, Álvaro Bila, vai entrar na lista para a Câmara, na segunda posição, logo a seguir a Isilda Gomes. PUB


P11

Portimão Jornal • 22 ABR 2021 • Nº22

A foto

JORGE EUSÉBIO

Política em Off

RAIO-X

As conversas, os rumores e as tricas da política portimonense que não são notícia

Deus no Céu e Bila na Junta A informação de que Álvaro Bila vai em segundo lugar na lista do PS para a Câmara caiu que nem uma bomba no concelho. Os mais surpreendidos e inconformados foram os funcionários da Junta, que não o querem perder. Consta que quando viram a notícia no Portimão Jornal muitos foram pedir-lhe, a chorar, que não os abandonasse.

OBRAS NA ANTIGA LOTA • Estão a desenvolver-se, aparentemente em bom ritmo, as obras de remodelação do edifício da antiga lota de Portimão. No decorrer dos trabalhos foram encontrados alguns vestígios do passado, nomeadamente uma placa que indica que ali também funcionou a central elétrica da cidade.

Como o apelo parece não ter resultado, aqui deixamos uma solução alternativa: elaborem uma daquelas petições que estão na moda, a exigir à Assembleia da República que faça uma lei que o impeça de ir para a Câmara. De certeza absoluta que iam recolher muitas assinaturas, sobretudo entre a malta dos partidos da oposição.

A frase

O Governo enviou a Bruxelas o Programa de Estabilidade 2021-2025, que descreve as intenções de investimentos em infraestruturas. Folheando-o, verifica-se a ausência de menção ao novo Hospital Central do Algarve.” Cristóvão Norte

ISILDA GOMES

PORTIMONENSE

OPOSIÇÃO

A presidente da Câmara de Portimão qualificou como “um castigo injusto, revoltante e inaceitável” a decisão do Governo de levar o seu concelho a fazer marcha-atrás no processo de desconfinamento. A autarca não poupou nas críticas a membros do seu próprio partido e fez exigências a António Costa, deixando desde já o aviso de que retirará as devidas ilações caso as mesmas não sejam satisfeitas.

O futebol vai na terceira vitória seguida e está pertíssimo de carimbar mais uma vez a permanência entre os ‘grandes’, enquanto o futsal, num registo inédito, confirmou já o apuramento para o ‘play off’ de atribuição do título de campeão. Um aplauso, portanto, para o emblema mais representativo da cidade e do concelho, sinónimo de que o Portimonense está bem... e recomenda-se!

O passo atrás que Portimão tem de fazer, em termos de processo de desconfinamento, parece ter passado ao lado dos partidos da oposição. A medida, que prejudica muitos cidadãos e empresas locais, não mereceu, pelo menos até ao fecho desta edição, da parte dessas forças políticas, qualquer tomada de posição sobre o assunto.

I have a dream O PSD e o CDS de Portimão tiveram um sonho: apresentar Luís Carito como seu candidato à presidência da Câmara. Depois de ultrapassar a surpresa inicial, o PS destacou uma pessoa para passar a pente fino todas as intervenções que os dirigentes daqueles partidos têm produzido, quer nas sessões da Câmara e Assembleia, quer em comentários no Facebook. O objetivo era coligir todas as acusações que, ao longo de anos a fio, fizeram à gestão do PS, em especial a que, liderada por Manuel da Luz, tinha Luís Carito como nº2 e responsável pelas finanças. O trabalho revelou-se tão intenso e exigente que o militante socialista destacado rapidamente apanhou um esgotamento e teve de ser substituído por uma equipa composta por dezenas de pessoas. Ao que apurámos, nesta fase já foram recolhidos milhares de comentários de pessoal do PSD e CDS a garantir que Luís Carito e Companhia levaram a Câmara à falência ou perto disso. O PS está agora a avançar com o trabalho de organização do material para, na campanha eleitoral, editar um livro em para aí uns 10 volumes sobre o que diz serem as contradições da oposição.


P12

Portimão Jornal • 22 ABR 2021 • Nº22

DESPORTO

Portimonense bate Famalicão e continua em maré alta

Terceira vitória consecutiva deixa permanência a um passo 

O avançado Beto voltou a ser determinante, obtendo o golo do triunfo à beira do intervalo. Hélio Nascimento

A

equipa de futebol do Portimonense deu mais um passo deveras importante para assegurar a permanência na Liga NOS, triunfando em Famalicão, por 1-0, com golo de Beto, naquela que foi a terceira vitória consecutiva, coroando o melhor momento da época. Desde a temporada de 2018/19 que os alvinegros não venciam três vezes seguidas. O avançado Beto foi mais uma vez o grande destaque da equipa, marcando o décimo golo, o quarto nos últimos três jogos. Os pupilos de Paulo Sérgio, que hoje, ao fim da tarde (19h00), recebem o Benfica, subiram ao 9º lugar, com 32 pontos. “A equipa está mais adulta e sabe melhor o que fazer em campo. Somos menos ingénuos em vários aspetos. Neste jogo, por

exemplo, o Famalicão teve mais bola, mas as grandes ocasiões foram nossas e podíamos ter resolvido mais cedo. Fizemos um trabalho muito competente”, vincou Paulo Sérgio, enfatizando o rendimento da equipa nesta segunda volta do campeonato. “Na situação em que nos encontrávamos, tínhamos que arrepiar caminho. É o que estamos a conseguir, fruto de muito trabalho, sobretudo porque nenhuma das vitórias caiu do céu. Os adversários são fortes e têm qualidade”, prosseguiu, exprimindo o seu contentamento e deixando ainda algumas palavras para uma “estratégia bem montada”, onde o japonês Koki Anzai foi uma espécie de ‘joker’, surgindo mais adiantado no terreno. Aliás, a conclusão vitoriosa de Beto no único golo da partida teve, precisamente, a colaboração do internacional nipónico.

Dez golos no total da época e o quarto nos últimos três jogos: Beto está de pé quente!

Queda e problemas mecânicos num “dia desapontante”  

Pela primeira vez na história dos alvinegros

Miguel Oliveira terminou corrida “por respeito aos fãs portugueses”

Futsal já confirmou presença no 'play off' da luta pelo título  D.R.

Hélio Nascimento Miguel Oliveira não conseguiu repetir a façanha do ano passado, quando venceu o Grande Prémio de Portugal de MotoGP no Autódromo do Algarve. Desta feita, tal como o próprio reconheceu, foi um “dia muito desapontante”. O piloto de Almada sofreu uma queda, que o atirou para o 16º e último lugar, terminando a prova "por respeito à equipa e aos portugueses”, como salientou. Os adeptos, mais uma vez, foram incansáveis no apoio, promovendo diversas iniciativas na zona do Autódromo e em outros locais do concelho de Portimão durante o passado fim de semana. Miguel Oliveira saiu da décima posição da grelha e não teve “um arranque muito bom”, sentindo dificuldades de vária ordem.

PORTIMONENSE SAD

Uma vitória e uma derrota nas duas últimas jornadas serviram para o futsal do Portimonense carimbar a presença entre os oito emblemas que vão disputar o 'play off' da atribuição do título de campeão nacional. A fase regular termina no próximo fim de semana, com os pupilos de Pedro Moreira a receberem o Fundão, mas o escalonamento das melhores oito equipas do campeonato está feito, com a presença de Benfica, Sporting, Fundão, Leões de Porto Salvo, Modicus, Braga e Viseu 2001, para além, claro, dos alvinegros. Trata-se de um registo de enorme significado e que ilustra bem o trabalho da secção, já que esta, recorde-se, é apenas a segunda temporada do Portimonense entre a elite do futsal português.

Formação sofre na pele as limitações do momento

Associação de Futebol do Algarve “Sentia o pneu dianteiro a mexer-se muito nas travagens e isso tornou ainda mais difícil ultrapassar”, explicou o piloto da KTM, que viria a cair quando a frente da sua RC16 escorregou na curva 14. “Peguei na mota e continuei até ao fim por respeito à equipa, aos telespetadores e aos fãs por-

tugueses. Não era este o espetáculo que eu queria dar. Temos de ultrapassar isto e concentrarmo-nos no futuro”, concluiu Miguel Oliveira, que terminou a uma volta do vencedor, o francês Fabio Quartararo (Yamaha) e desceu ao 18º lugar do campeonato, com quatro pontos.

tenta promover "oferta desportiva" Na corrente época, por motivos de saúde pública, não foi autorizada a realização de provas de futebol e de futsal ao nível dos escalões etários de formação, pelo que, neste momento, a Associação de Futebol do Algarve está em contacto com autarquias e várias entidades no sentido de obter algumas soluções, nomeadamente a realização de uma “oferta desportiva nos vários escalões, que se caracterizará pela inexistência de títulos, e de jogos a serem realizados no âmbito do mesmo concelho, ou concelhos limítrofes sempre que tal se justificar”.


P13

Portimão Jornal • 22 ABR 2021 • Nº22

Paul Ítico Licenciado em ciência política pela universidade da vida Adoro o cheiro do alcatrão quente pela manhã! Também não desgosto da fragância que emana dos muros pintados de fresco ou o odor florar proveniente das operações de cosmética que resultam dos retoques de última hora dados aos jardins, mas é o cheiro a alcatrão quente pela manhã que, indubitavelmente, assinala que estamos à porta de novas eleições autárquicas! É também nesta altura que abre a época da caça para as listas de candidaturas, o que, em termos futebolísticos, equivale à pré-época que serve de aperitivo para o verdadeiro campeonato: a caça ao voto! E, neste particular, importa realçar que a coisa não tem corrido muito bem para os caçadores. Efetivamente, se em 2013 apenas 42,39% dos portimonenses votaram nas autárquicas, em 2017, esse número recuou para 41,16%, o que denota alguma falta de pontaria. Torna-se por isso imperioso sensibilizar os quase 60% de eleitores para que, nas próximas eleições, deixem a postura comodista con-

Manual de Ciência Política Capítulo I – Introdução finada e exerçam o seu direito fundamental ao sufrágio, até porque, aqui para nós, as eleições este ano prometem! É verdade que as constantes teias, enredos, armadilhas e opacidade produzidas pela atividade partidária constituem um contracetivo altamente eficaz ao nascimento da veia política no cidadão comum, todavia, a abstenção não pode ser o caminho fácil sob pena de qualquer dia estarmos numa situação em que seremos obrigados a eleger um único candidato imposto à força por quem usa armas. Até porque, se pensarmos bem, o que nos é pedido nestas eleições é que nos desloquemos às mesas de voto e façamos apenas três cruzes. Não é pedir muito, pois não? No euromilhões temos que fazer sete cruzes e ainda pagamos por isso. Eu, por exemplo, tenho muitos anos de escárnio e maldizer relativamente a alguns dos nossos eleitos locais, mas se é para falar mal, quando chega a altura, sou eu que escolho! Era o que faltava deixar que outros o fizessem por mim! Além disso, e para arrumar de vez com a questão, para que se perceba

a importância do ato em si, basta dizer que as autárquicas são tão importantes, mas tão importantes, que se realizam de quatro em quatro anos como os Jogos Olímpicos ou o Campeonato do Mundo de futebol! Nas próximas eleições autárquicas – que eu aposto que se realizarão no próximo dia 26 de setembro – iremos escolher o presidente da câmara e seis vereadores; 21 deputados municipais; nove membros para a Assembleia de Freguesia da Mexilhoeira Grande, ou 13 para Alvor, ou 21 para a Assembleia de Freguesia de Portimão, consoante a nossa freguesia. Quer isto dizer que, se se apresentarem a eleições sete listas, entre titulares e suplentes, teremos no mínimo 672 candidatos e candidatas aos diversos órgãos

OPINIÃO

das autarquias locais, o que significa que, em cada 100 portimonenses, 1,4 será candidato a qualquer coisa nas próximas eleições. Por isso, caso o estimado leitor pertença a esta reduzidíssima casta de convidados para fazer parte das elites políticas portimonenses, o meu conselho é que diga logo que sim porque a concorrência é feroz e, muitas vezes, o tradicional “vou pensar” pode ser a diferença entre ser o feliz contemplado com o 28º na lista da Assembleia Municipal – ou ficar apeado! No próximo número, ou quando esta publicação não tiver mais nada de interesse para publicar, explicarei os porquês. Até lá agarre o lugar com unhas e dentes!

“O que nos é pedido é que nos desloquemos às mesas de voto e façamos apenas três cruzes. Não é pedir muito? No euromilhões temos que fazer sete cruzes e ainda pagamos por isso” PUB


P14

Portimão Jornal • 22 ABR 2021 • Nº22

OPINIÃO

O Controlo e Domesticação da Opinião Pública “espectador da acção”, de simples votantes em actos eleitorais.

Para os teóricos do controlo das massas, a manipulação consciente e inteligente dos hábitos e opiniões organizadas das massas constituem importantes componentes das sociedades ditas democráticas. Por tal forma, as minorias informadas para atingirem os seus objectivos, devem fazer uso contínuo e sistemático da propaganda.

as modalidades de democracia, fazendo emergir, aquilo que as elites liberais denominam eufemisticamente de “crise da democracia”, que sucede quando as populações relativamente apáticas ou passivas, esporadicamente em momentos históricos complexos se organizam e tentam penetrar na esfera política em defesa dos seus interesses, “lesando” os interesses da “ordem” e da “estabilidade” da classe dominante.

Uma vez que compreendem os processos mentais e os padrões sociais das massas, podem manejar com relativa facilidade a

Neste âmbito, a minoria informada assume-se como uma “classe especializada”, responsável pelo estabelecimento de polí-

Se o leitor reparar, este tipo de actuação é aparentado com a “boa e velha doutrina leninista”. A similaridade entre a teoria democrática progressiva (neoliberal) e o marxismo-leninismo é notável.

de resto, actualmente em crise. Pedro Manuel Pereira Historiador

“Aqueles que pretendem entender o passado e moldar o futuro devem prestar muita atenção não apenas às suas práticas, mas também à estrutura doutrinária que as sustenta”. Noam Chomsky Há mais de 260 anos, David Hume, ao abordar a problemática da obediência civil, chegou à conclusão que o governo de uma nação se baseia no controlo da opinião pública, princípio que abarca todos os governos, as ditaduras civis, as ditaduras militares, os nepotismos e até, as democracias.

“Existem doutrinas concebidas para impor o novo “espírito” da “democracia” segundo os moldes neoliberais, esta, de resto, actualmente em crise”

Assim, na prática, de acordo com a gestão das democracias ocidentais, a população pode ser “espectadora”, mas não “participante”, salvo quando de longe em longe coloca o voto na urna no acto eleitoral. Ou seja, na ocasional escolha de líderes partidários, porque onde se definem os verdadeiros rumos da política, é no campo económico, área de onde a população em geral deve de ser excluída.

opinião pública, dado que a referida sociedade consentiu em aceitar a propaganda sem sentido crítico e muito menos se manifestar, por desinformada que está.

Desta forma, existem doutrinas concebidas para impor o novo “espírito” da “democracia” segundo os moldes neoliberais, esta,

A importância do controlo da opinião pública define-se claramente à medida que a sociedade organizada consegue ampliar

ticas de governo do Estado, das autarquias e pela “formação de uma sólida opinião pública”, pelo que, deve encontrar-se distanciada da interferência do público em geral, este, formado por pessoas “ignorantes e intrometidas, alheias ao processo”, em que o povo deve ser “colocado no seu devido lugar”, “aprender” a sua função, ou seja, a de

Nas sociedades com regras democráticas mais amplas, nas quais, por força da lei e dos costumes não se deve pode/deve recorrer à força, os administradores políticos fazem uso de sofisticadas técnicas de controlo, amplamente baseadas na propaganda.

O quadro sumário aqui referido é vulgar numa sociedade dominada e gerida pelos interesses das grandes fortunas e das multinacionais, que gastam quantias astronómicas em marketing. Os exemplos do que acima referimos, nas ditas democracias ocidentais, saltam aos olhos de qualquer cidadão mais atento. Atente-se ao que se passa no Portugal de hoje. Um flagrante e paradigmático exemplo. *Artigo escrito sem a aplicação do novo acordo ortográfico

CONSULTÓRIO DO CONSUMIDOR / DECO

Delegação Regional do Algarve

A pandemia levou a aumentos das faturas de energia. Posso melhorar a eficiência energética da minha casa com o Gabinete de Aconselhamento de Energia da DECO?

A DECO INFORMA… No primeiro trimestre de 2021 os pedidos de ajuda recebidos na DECO sobre a faturação de energia aumentaram 61%, face ao mesmo período de 2020. Este ano o Inverno foi muito frio e as necessidades de consumo de energia foram superiores devido às medidas de confinamento. Só em janeiro, o consumo doméstico de eletricidade aumentou 31% face ao mesmo mês de 2020 (dados da DGEG). Na DECO recebemos denúncias de famílias que receberam faturas de eletricidade de 200 euros para um mês de consumo, quando o valor médio que costumavam pagar seria de 80 euros, o que se deve sobretudo à utilização de soluções de aquecimento que, não sendo os mais eficientes, gastam muita

energia. Lembramos também que o Governo lançou um apoio extraordinário sobre a fatura de eletricidade, que teve por base uma redução de 10% da tarifa, o que, apesar de ser meritório, é um apoio diminuto face ao aumento de consumo verificado. A DECO quer apoiar os consumidores a gerir os seus consumos de energia, tendo criado para tal o Gabinete de Aconselhamento de Energia (GAE) que está ao dispor de todos os consumidores. O GAE tem uma equipa com 35 técnicos preparados para informar e ajudar os portugueses a melhorar a eficiência energética da

sua casa, a gerir os seus consumos, a compreender o funcionamento do mercado de energia, bem como a recorrer a mecanismos

“Só em janeiro, o consumo doméstico de eletricidade aumentou 31% face ao mesmo mês de 2020”

de apoio em situação de pobreza energética. Para agendar uma consulta com o Gabinete de Aconselhamento de Energia da DECO, uma atividade do projeto Soluções para Combater a Pobreza Energética (STEP) financiado pelo programa H2020 da EU, contacte através de telefone (289 863  103 ou energia@deco.pt). No âmbito do projeto STEP, disponibilizamos nas redes sociais e no canal de youtube da DECO quatro vídeos com dicas simples sobre como se pode consumir energia de forma mais eficiente.


P15

Portimão Jornal • 22 ABR 2021 • Nº22

ÚLTIMAS

D.R.

Muro do Cemitério e viaduto das Cardosas ganham novas cores

Gonçalo MAR pinta novo mural com projeto ‘Fresque dos Vizinhos’

Investimento de 500 mil euros

Água de Monchique abre armazém no concelho

Intervenções artísticas pretendem valorizar pontos estratégicos da cidade, como já aconteceu no Jardim das Águas Vivas. D.R.

A Sociedade da Água de Monchique investiu meio milhão de euros no reforço das plataformas logísticas, com a construção de um armazém semi-automático, em Portimão, para apoio às operações de abastecimento em Portugal. A nova infraestrutura, que estará pronta a funcionar em maio, tem quatro mil metros quadrados e quatro cais de carga e descarga. Este é o terceiro armazém logístico da empresa, sediada no concelho vizinho. “A capacidade alcançada com este armazém, permitirá à empresa um incremento de movimentos de carga na ordem dos 35 por cento”, refere Vítor Hugo Gonçalves, CEO da Sociedade.

Renovações automáticas se não houver alterações

Ministério da Educação divulga datas para matrículas O Ministério da Educação divulgou esta semana as datas e os critérios das matrículas para o ano letivo 2021/2022, informações já publicadas em Diário da República. Assim, haverá renovação automática das matrículas, nos anos de escolaridade em que haja continuidade de ciclos (2º, 3º, 4º, 6º, 8º, 9º e 11º). A exceção será se o aluno tiver de ser transferido de estabelecimento de ensino, se o encarregado de educação se alterar, bem como se houver mudanças de curso, de percurso formativo ou necessidade de escolher disciplinas. A tutela lançou também o calendário para as matrículas que devem ser realizadas através do portal, para os restantes anos de escolaridade. Assim, a educação pré-escolar e o 1º ano do ensino básico podem efetuar as matrículas até 14 de maio. Entre os dias 10 e 16 de junho decorrem as matrículas para os 2º, 3º, 4º, 5º, 6º e 7º anos, do ensino básico. Entre o dia 18 e o dia 30 de junho é o prazo para as inscrições nos 8º e 9º anos do ensino básico e para o ensino secundário.

Gonçalo MAR e Kruella D'Enfer serão os autores das pinturas

O

projeto ‘Fresque dos Vizinhos’, a decorrer entre 24 e 29 de abril, consiste numa intervenção artística por Gonçalo MAR. O artista plástico pintará uma parte do muro exterior do Cemitério de Portimão, situado no gaveto da Rua de Olivença com a Rua Mouzinho de Albuquerque. A ação está integrada no Programa de Apoio à Iniciativa Jovem, e decorre entre 24 e 29 de abril. O artista plástico já colaborou com a Câmara Municipal de Portimão quando, no ano passado, pintou um mural que existe no Jardim das Águas Vivas, junto ao

Auditório. Gonçalo MAR, nascido em 1974, tem uma vasta experiência no grafitti e especializou-se neste género de projetos, propondo-se recorrer a elementos característicos da cidade, emprestando-lhes um cunho muito peculiar, inspirado na banda desenhada e na animação. Esta intervenção artística é realizada depois de um grupo de jovens portimonenses ter apresentado, em 2020, uma proposta de que fossem criadas estas iniciativas. Ainda neste âmbito, a artista Kruella  D’Enfer  pintará, entre esta quinta-feira, dia 22 e 27

de abril, o paredão das Cardosas, junto ao viaduto, com o objetivo de requalificar uma das principais entradas da cidade, tornando-a mais apelativa e inclusiva. Conceituada a nível nacional e internacional, a ilustradora portuguesa, nascida em 1988, promete aproveitar os elementos naturais que existem na secção do muro para, de alguma forma, lhes dar continuidade nas figuras e formas oníricas que tão caracterizam o seu estilo artístico. As duas ações são promovidas pela Câmara Municipal em parceria com o Laboratório de Atividades Criativas (LAC).

FICHA TÉCNICA • DIRETOR Rui Pires Santos • REDAÇÃO Ana Sofia Varela, Hélio Nascimento e Jorge Eusébio DESIGN E PAGINAÇÃO Vanessa Correia • FOTOGRAFIA Eduardo Jacinto e Kátia Viola • DEPART. COMERCIAL Hélder Marques, 914 935 351 • PROPRIEDADE E EDITOR PressRoma, Edição de Publicações Periódicas, Unip. Lda., Rua Dr. João António Silva Vieira, Lote 3, 3º Dto, 8400-417 Lagoa • CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Rui Pires Santos • DETENTOR DO CAPITAL 100% Rui Pires Santos • NIF 508 134 595 • Nº REGISTO ERC 127433 DEPÓSITO LEGAL Nº 470747/20 • SEDE DE REDAÇÃO Rua Dr. João António Silva Vieira, Lote 3, 3º Dto., 8400-417 Lagoa • EMAIL portimaojornal@gmail.com • TELEFONE 282 381 546 | 967 823 648 • IMPRESSÃO LUSOIBÉRIA, Av. da República, nº 6, 1.º Esq. 1050-191 Lisboa TIRAGEM 3.500 exemplares • PERIODICIDADE Quinzenal ESTATUTO EDITORIAL: https://algarvevivo.pt/sobre-nos/

Mês da Prevenção dos Maus-tratos na Infância

IJKA associou-se à celebração para sensibilizar população A Internacional Japan Karate Associação – Portugal juntou-se à comemoração do Mês da Prevenção dos Maus-tratos na Infância, em abril, com a colocação de um laço azul em diversos pontos da sede, situada na Mexilhoeira Grande. A associação é detentora da Bandeira da Ética, é reconhecida pelas boas práticas e ‘fair play’, tendo aderido a esta iniciativa da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Portimão para ajudar a sensibilizar a população. “A relevância desta divulgação junto da nossa comunidade e dos nossos locais de prática merece a atenção de todos nós”, porque lança o alerta para esta problemática.

FARMÁCIAS COM SERVIÇO NOTURNO ABRIL 22 Central • 23 Pedra Mourinha • 24 Moderna • 25 Carvalho 26 Rosa Nunes • 27 Amparo • 28 Arade • 29 Rio • 30 Central MAIO 1 Pedra Mourinha • 2 Moderna • 3 Carvalho • 4 Rosa Nunes • 5 Amparo


A FECHAR

Quinta-feira • 22 abril 2021

ANA SOFIA VARELA

Estacionamento com 130 lugares será primeira intervenção

Parque Urbano do Mercado terá anfiteatro ao ar livre Comunidade de etnia cigana será realojada, de forma temporária, no Vale da Arrancada. ANA SOFIA VARELA

Câmara abre nova fase de candidatura a apoio empresarial A Câmara Municipal de Portimão abriu, no dia 19, a segunda fase de candidaturas ao Fundo de Apoio Empresarial, destinado a empresários e trabalhadores independentes. A autarquia destina assim mais um milhão de euros a fundo perdido para auxiliar o comércio, numa altura em que a pandemia continua a não dar ‘tréguas’ à economia. Os interessados podem candidatar-se até 30 de abril. Esta nova fase do Fundo Empresarial, criado com verbas da Câmara, pretende ser uma ‘lufada’ para apoiar as tesourarias dos negócios locais, com sede ou domicilio fiscal no concelho e que tenham sofrido quedas abruptas da faturação devido à covid-19. A informação está disponível online (https://tinyurl.com/FAE-PTM).

DUAL Portimão e Projeto 20 divulgam formações para jovens Primeira fase ficará concretizada em quatro meses Ana Sofia Varela

A

Câmara Municipal de Portimão já começou as obras para a construção do Parque Urbano do Mercado, junto à Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes. A intervenção será dividida em duas fases e pretende requalificar o terreno escampado, criando uma zona verde e de lazer, mas também um parque para viaturas ordenado. Segundo a autarquia, a primeira fase, que está agora em desenvolvimento, tem como prazo de execução 120 dias, custa 352 mil euros e centra-se na requalificação e ampliação dos estacio-

namentos existentes entre o estabelecimento escolar e o Mercado Municipal da Avenida São João de Deus. Terá capacidade para 130 veículos, estando previstos mais lugares paa a segunda fase. Ainda nesta primeira empreitada será criado um espaço de estar, uma pequena praceta com árvores e bancos de jardim, nas traseiras dos edifícios existentes. A segunda fase, cujo concurso público esteve a decorrer, implicará a demolição das barracas onde vive a comunidade de etnia cigana e o seu realojamento temporário, a construção do espaço verde e de lazer na zona norte da propriedade, onde se inclui um pequeno anfiteatro ao ar livre, a

recuperação de uma nora algarvia e a exposição das cantarias manuelinas da antiga Quinta dos Morais. Ao que o Portimão Jornal apurou, a comunidade residente nessas barracas junto à Rua dos Bombeiros Voluntários, será realojada de forma temporária num terreno no Vale da Arrancada, que já tem infraestruturas e todas as bases necessárias para receber pequenas casas modulares. Viverão nesse local até que a autarquia encontre uma solução definitiva. Essas casas servirão, sempre que for necessário, de alojamentos temporários enquanto não se dá o realojamento de outros elementos da comunidade existente no concelho.

A DUAL Portimão, em parceria com o Projeto 20 CLDS4G Lagoa, da ADR Quinta de São Pedro, dinamizará no dia 26 de abril, às 10 horas, uma sessão online de acesso livre para divulgação da oferta formativa dirigida a jovens dos 15 aos 25 anos, com o 9º ano concluído. Os interessados podem inscrever-se online (https://forms.gle/agAUcjHcMGCfXNeKA). Serão apresentados os cursos de aprendizagem que a DUAL inicia no próximo ano letivo, que têm a duração de três anos e que dão equivalência ao 12º ano de escolaridade e a certificado de qualificação profissional.

João Rosa e Mário Laginha em ‘streaming’ no Festival de Piano A V edição do Festival Internacional de Piano do Algarve tem agendados dois concertos até ao final de abril, no Teatro Municipal de Portimão. O primeiro é já esta sexta-feira, dia 23, a partir das 21 horas, com João Rosa. O concerto a solo será transmitido nas páginas do Facebook de Portimão e do Teatro. Na semana seguinte, a 30 de abril, também a partir das 21 horas, será a vez de subir ao palco Mário Laginha & Friends, espetáculo que terá também transmissão em ‘streaming’. PUB

CENTRO DE JARDINAGEM Garden Center Parchal - Lagoa Construção e Manutenção de Jardins Garden Maintenance & Landscaping

282 094 787 +351 916 846 990 paulo@pgs-gardens.com www.pgs-gardens.com

Profile for Portimão Jornal

Portimão Jornal nº 22 | 22.04.2021  

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded