__MAIN_TEXT__

Page 1

Quinta-feira • 17 dezembro 2020 • 1.00€

Uma ementa de Natal para os portimonenses Sugestão da Escola de Hotelaria e Turismo P2-3

Quinzenário • Ano 1 • Nº14 Diretor: Rui Pires Santos

Orçamento aposta em obras e apoio social Apoios às famílias, associações e instituições de solidariedade que estão em vigor serão estendidos. Avança fundo de um milhão de euros para ajudar as empresas e muitas obras saem do papel. P8-9

Bloco Esquerdo “Devia ser mais ambicioso. Deixará muita gente e micro e pequenas empresas para trás”

Karaté abre novos horizontes IJKA está sediado em Portimão e estende a sua atividade a vários locais e até a concelhos limítrofes. Tem praticantes de todas as idades, alguns deles em cadeira de rodas. P12-13

Servir Portimão "O município tem de assumir-se como agente efetivo de apoio às empresas e famílias"

PSD " O Orçamento é um exercício previsional que não corresponde às necessidades do concelho"

SOCIEDADE Prémios para jovens e projetos de voluntariado marcam Dia da Cidade P7

Pedro Pereira “Fundamentado em hipotéticas receitas e despesas sem chama nem fulgor”

Votos de Boas Festas

Fábrica de Janelas e Portas PVC e ALUMÍNIO Área de Exposição 200m2

SOLIDARIEDADE Junta de Freguesia de Portimão está a entregar cabazes de Natal P16

Centro Industrial Vale da Arrancada, Lt.49 Coca Maravilhas - Portimão Tel.: 282 475 065 Email: geral@silvestre-e-sousa.pt

PUB


P2

Portimão Jornal • 17 DEZ 2020 • Nº14

NATAL SugestĂŁo elaborada por alunos e professores em exclusivo para os nossos leitores

Ementa de Natal pelas mĂŁos da Escola de Hotelaria e Turismo FOTOS: ANA SOFIA VARELA

Comunidade escolar juntou-se tambÊm para fazer compotas e bolachas que serão doadas a instituiçþes do concelho. Hå ainda a decorrer uma angariação de bens alimentares, roupas e brinquedos. Ana Sofia Varela

O

Portimão Jornal desafiou os futuros profissionais do setor a elaborar uma refeição inspirada na quadra natalícia, para quatro pessoas, que os leitores possam confecionar em casa. A proposta de entrada, prato principal e sobremesa com bebida a acompanhar, foi idealizada por docentes e alunos da escola, tendo contado com a parceria do Mercado Municipal de Portimão que disponibilizou os ingredientes necessårios. A apresentação Ê digna dos restaurantes de luxo e demonstra a qualidade exigida no que sai daquela cozinha, todos os dias, uma casa que ao longo dos anos tem dado cartas na formação dos alunos e que tem levado a que muitos consigam dar um salto na carreira profissional. Este Ê apenas um dos desafios da quadra natalícia, a par de outras açþes que este estabelecimento de ensino, do Turismo de Portugal, tem vindo a realizar. À semelhança de anos anteriores, a Escola de Hotelaria e Turismo de Portimão estå a recolher bens alimentares, roupas e brinquedos usados para entregar a instituiçþes do concelho. Este ano, Ê tambÊm promovida uma nova atividade na comu-

Turma que elaborou os cocktails de Natal

Refeição foi confecionada por alunos e docentes

nidade escolar que alia a solidariedade, a reciclagem e o combate ao desperdĂ­cio alimentar. Assim, estĂŁo a ser confecionadas compotas de frutas, que serĂŁo doadas nos prĂłximos dias, a instituiçþes de solidariedade do concelho de PortimĂŁo. Parte dos ingredientes utilizados eram frutas que estavam em ‘stock’ na escola, que se nĂŁo fossem utilizadas poderiam estragar-se e outras foram cedidas de propĂłsito para este efeito. Esta foi uma forma solidĂĄria de reforçar a importância de estratĂŠgias para evitar qualquer tipo de desperdĂ­cio. NĂŁo sĂł o alimentar, mas tambĂŠm o de materiais, isto porque a compota foi distribuĂ­da por dezenas de frascos de vidro, reciclados, cedidos por alunos, docentes e funcionĂĄrios da escola. Os alunos fizeram tambĂŠm bolachas que foram oferecidas em conjunto com as compotas. Para jĂĄ, com o Natal Ă porta aplicaram todo o profissionalismo para elaborar uma ementa que promete aquecer a mesa de que se aventurar a replicar estas receitas. Folhado de queijo de cabra como entrada, seguida do tradicional peru com os sabores da castanha e dos cogumelos, finalizando com os sonhos de abĂłbora como sobremesa.

PUB

PUB

PUB Peixe fresco Fruta e legumes Mercearia

 

   

          Â? Â?Â?Â?Â?Â?     ­Â?Â?Â?Â? 

Tlm.: 961 363 501 Portimão loja 1 | R.Infante D.Henrique • loja 4 | Avenida 25 Abril Parchal /Coviran - loja 5 Lagoa loja 2 - junto à igreja • loja 3 - R. António Pinto Pateiro ArmazÊm lote 3 - Zona Industrial


P3

Portimão Jornal • 17 DEZ 2020 • Nº14

NATAL

APERITIVO Christmas Story

Receitas para a quadra natalícia ENTRADA Estaladiço de queijo de cabra com maçã e beterraba Ingredientes: • 240 gr de queijo de cabra partido em pedaços pequenos • 4 unidades de folhas de massa brick • 2 maçãs médias descascadas e cortadas em cubos pequenos • 10 gr de mel • 10 gr de manteiga • Meia alface iceberg • 1 beterraba cozida e cortada aos cubos • Vinagre balsâmico qb

Preparação: Numa frigideira colocar a maçã, a manteiga e saltear. Juntar o mel e o queijo de cabra e depois reservar. Enrolar este preparado numa folha de massa brick e levar ao forno 5 minutos a 160º. Saltear a beterraba em azeite e temperar com sal e pimenta. No prato, colocar o estaladiço de queijo de cabra, as folhas de alface iceberg, a beterraba salteada e uns pingos de vinagre balsâmico.

PRATO PRINCIPAL Perna de peru com alho e ervas Ingredientes: • 1 perna de peru sem osso • Meia colher de sopa de pimenta preta moída • 4 dentes de alho picados • 2 colheres de sopa de pimentão doce • 3 colheres de sopa de banha de porco • 10 gr de tomilho fresco picado • 10 gr de salsa picada • Raspas de um limão • Meia colher de sopa de gengibre em pó • 1 colher de sopa de mostarda • 3 colheres de sopa de azeite Puré de Castanha • 1 kg de castanha sem pele • 2 paus de tomilho • 150 gr de bacon cortado em cubinhos • 300 gr de cebola picada • 2 dentes de alho picado • Sal e pimenta qb • 100 gr de manteiga sem sal • 100 ml de vinho branco • 4 paus de tomilho (retirar as folhas e picar) Cogumelos cremosos • 400 gr de cogumelos laminados • 150 ml de natas • 150 gr de cebola picada • 2 dentes de alho picado • Sal e pimenta qb • Meia colher de sopa de pimentão doce • 80 gr de manteiga

Ingredientes: • 5 cl de whisky Monkey Shoulder • 1 cl de xarope de cacau negro • 1 cl de amarguinha • 2 cl de sumo de limão • 1 clara de ovo

Preparação: Fazer ‘dry shake’ com a clara de ovo até emulsionar, adicionar os restantes ingredientes e bater vigorosamente no shaker, com gelo. Verter para a caneca e polvilhar com canela. Harmonizar com frutos secos.

APERITIVO Dream Lab Christmas Cocktail Ingredientes: • 3 cl de gin de medronho Arbun • 2 cl de xarope de abóbora caseiro • 1 cl de licor de bolota caseiro • 5 cl de sumo de toranja • 1 ‘bar spoon’ de lecitina de soja Preparação: Misturar todos os ingredientes no ‘shaker’ com gelo, vigorosamente, e verter para os tubos de ensaio. Harmonizar com sonhos de abóbora.

Preparação: 1 - Juntar todos os ingredientes e fazer uma pasta. Barrar a toda a perna com esta pasta e, com um fio norte, atá-la bem em forma de rolo. Num tabuleiro colocar duas cenouras, uma cebola, um alho francês cortado grosseiramente para servir de cama à perna do peru. Colocar 150 ml de vinho branco e levar ao forno pré-aquecido a 170º durante 1h20min. 2 - Numa panela colocar dois paus de tomilho inteiro, as castanhas, um pouco de sal e cobrir com água. Deixar cozinhar entre 20 min a 30min, até as castanhas estarem completamente cozidas. Reservar. Numa frigideira, fritar o bacon com a manteiga, juntar o alho, o tomilho picado e a cebola. Juntar as castanhas e colocar o vinho branco, deixando cozinhar 5 min. Se necessário adicionar um pouco de água quente. Colocar a mistura num processador de alimentos e triturar até obter um puré homogéneo. 3 - Numa frigideira, colocar a manteiga, o alho e a cebola e refogar. Juntar os cogumelos e fritar. Quando estiverem meio secos, colocar as natas e, em lume brando, cozinhar 2 min. Retificar os temperos e servir, com o peru assado e o puré de castanha.

SOBREMESA Sonhos Natalícios Ingredientes: • 250 gr de água • 125 gr de óleo ou de manteiga • 200 gr de farinha • 5 ovos • 2 gr de sal • 200 gr de açúcar • 15 gr de canela em pó • Óleo para fritar

Preparação: Num tacho colocar a água, o óleo ou a manteiga e o sal. Levar a lume médio até ferver. Adicionar a farinha toda de uma só vez e, com a ajuda de uma colher de pau, mexer muito bem até homogeneizar e formar uma bola que descola do fundo do tacho. Colocar o preparado numa taça e deixar arrefecer. Adicionar os ovos um a um, mexendo sempre entre cada adição. A massa deverá ficar cremosa com a consistência de pomada. De seguida, fritar em óleo bem quente até cada sonho duplicar o volume e ficar leve e fofo. Enxugar o excesso de óleo em papel de cozinha e terminar os sonhos, passando por açúcar previamente misturado com canela em pó.


P4

Portimão Jornal • 17 DEZ 2020 • Nº14

SOCIEDADE Eleições realizam-se no dia 26 de dezembro

Mário de Freitas recandidata-se a provedor da Misericórdia de Alvor O combate à pandemia continuará a ser uma preocupação nos próximos tempos. A criação de condições de sustentabilidade, para que a instituição continue a desenvolver a sua missão, é outro dos desafios. JORGE EUSÉBIO

Mário de Freitas candidata-se a novo mandato Jorge Eusébio

O

atual provedor da Santa Casa da Misericórdia de Alvor (SCMA), Mário de Freitas, resolveu recandidatar-se a um novo mandato, nas eleições que terão lugar no próximo dia 26 de dezembro. A mudança de opinião em relação à que anteriormente tinha revelado é justificada por, “na sequência de contactos mantidos com funcionários, amigos e população da freguesia, ter recebido apoio unânime para continuar”. Mário de Freitas confessa

sentir “um enorme orgulho ter sido rogado pelos funcionários e demais personalidades para este alto cargo”, circunstância que o fez desistir “do almejado ‘lugar de conforto’ que julgava, finalmente, estar próximo e que tanto ambicionava”. Na sua decisão também pesou o facto de considerar que é fundamental “manter a situação da SCMA, depois de quatro árduos anos na gestão bem como, naturalmente, o de estar plenamente consciente da importância que a instituição tem para o concelho e, em especial, para a freguesia de

Alvor”. Se for reeleito, um dos seus objetivos é manter e reforçar as condições para que “a Misericórdia continue a ser uma entidade certificadora da qualidade e serviços que presta”, dessa forma ganhando “maior credibilidade pública e reconhecimento dos organismos que a tutelam, bem como de todos os pares da União das Misericórdias Portuguesas”.

promete manter “a postura límpida demonstrada na gestão de anteriores cargos que ocupei e ocupo com seriedade, honestidade, humildade e inexcedível entrega”. Basicamente, “o programa que contingentemente possa apresentar sou eu próprio cheio de qualidades e defeitos, mas com uma certeza: servir sem ser servido. Eu nunca perdi… ou venço ou aprendo”.

Combate à pandemia e sustentabilidade Ao mesmo tempo, “teremos que ser, também, um referencial de grande exigência, transparência e decência aliás, factos que me têm arrolado ao longo de cerca de 35 anos, dedicados à solidariedade bem como à diversidade de cargos que ocupei na sociedade portimonense nesse mesmo período”, refere o provedor. Naturalmente que, pelo menos ao longo dos próximos meses, um dos desafios essenciais será o de continuar a fazer face aos problemas e dificuldades colocados pelo “inimigo invisível e cobarde que é a pandemia”. Outro objetivo será trabalhar para “garantir a sustentabilidade da instituição”. O planeamento foi traçado ao longo deste mandato, mas para que seja uma realidade, lamenta, “falta-nos o apoio da(s) tutela(s)”. Mário de Freitas quer, também, “trazer os mais jovens para o seio desta instituição, para que possam ser o garante dos seus utentes no futuro”. Aos irmãos da Misericórdia

Instituição leva a cabo ações de higienização das instalações No âmbito das medidas de prevenção e combate à pandemia da covid-19, a Misericórdia de Alvor que tem realizado ações de termonebulização do ambiente das suas instalações. Trata-se de um processo, que

Divulgar comércio local e informação útil

Aplicação da Freguesia de Portimão está a ser atualizada A Junta de Freguesia de Portimão está a atualizar a sua aplicação para ‘smartphones’, que divulga o comércio local e que dá a conhecer alguns dos pontos de interesse da cidade. A ‘app’ estará disponível para a plataforma Android e IOS e in-

tegrará informações como o horário do Vai e Vem, o tempo de espera das urgências da Unidade de Portimão do Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA), farmácias de serviço, multibancos, serviços públicos, meteorologia, eventos e notícias.

Para já, os comerciantes, operadores turísticos e prestadores de serviço podem inscrever-se para a divulgação nesta aplicação através de um formulário online (http://www.jf-portimao.pt/infreguesiaportimao/ inscrever/).

é utilizado, por exemplo, pelo Exército Português na desinfeção das ambulâncias do INEM e em alguns hospitais e instituições do norte do país. Estas ações de higienização foram levadas a cabo nos dias 20 de novembro e 7 de dezembro, na Creche ‘Rainha Santa’ em Alvor e no ‘Centro de Dia’ e ‘Centro de Convívio’ dos Montes de Alvor. O processo voltará a ser repetido no dia 8 de janeiro, sendo, no final, emitido um certificado de desinfeção. Mário de Freitas diz que estas e diversas outras iniciativas que têm sido tomadas são essenciais para “garantir a máxima proteção possível às crianças, idosos e colaboradores que frequentam as nossas instalações”. PUB


PUB


P6

Portimão Jornal • 17 DEZ 2020 • Nº14

SOCIEDADE Entrega do ‘Bodo de Natal’ às famílias carenciadas

Árvore ‘planta’ esperança na zona ribeirinha Distribuição de cabazes será realizada nos Montes de Alvor e na vila, na sexta-feira, dia 18.

A

Junta de Freguesia de Alvor organizou duas iniciativas que marcarão a quadra natalícia naquela localidade. Uma delas decorrerá amanhã, 18 de dezembro, no espaço do antigo mercado dos Montes de Alvor, de manhã, e no edifício da Junta, à tarde, e traduzir-se-á na entrega do ‘Bodo de Natal’ às famílias com mais necessidades. Segundo Ivo Carvalho, presidente da autarquia local, “face à atual situação pandémica”, foram reforçados os cabazes, de 120 para 160, numa iniciativa que conta com o apoio do Intermarché de Alvor. A outra atividade foi a coloca-

ção de uma Árvore da Esperança na Zona Ribeirinha, onde qualquer pessoa que por lá passe pode deixar um desejo de Natal com uma fita pendurada na estrutura ou algum objeto emblemático. No local são disponibilizadas fitas de várias cores para serem retiradas e colocadas para que qualquer pessoa possa pedir um desejo. “Queremos que esta árvore, a Árvore da Esperança, seja um pouco de todos nós e traduza um sentimento de esperança no momento peculiar que atravessamos”, defende o responsável da autarquia que contou com a colaboração de instituições locais para realizar esta ação.

Árvore foi colocada no dia 5 de dezembro

Conjunto de 160 imagens

‘Platibandas do Algarve’ estão compiladas em livro ANA SOFIA VARELA

Mais de uma centena e meia de imagens de platibandas algarvias foram compiladas no livro publicado agora pela editora Argumentum. A obra tem fotografia de Filipe da Palma, que tem vindo a reunir um extenso acervo fotográfico destes elementos do património nas últimas décadas, e textos de Miguel Reimão Costa, coordenador científico, José Eduardo Horta Correia, historiador, Alexandre Tojal, historiador, e Pedro Prista, antropólogo. O livro ‘Platibandas do Algarve’ evidencia, assim, aquele que é um dos testemunhos do gosto de criar formas e da perícia de construir do povo algarvio. A publicação de 144 páginas conta ainda com prefácio de Guilherme d’Oliveira Martins e com o apoio das Câmaras Municipais de Albufeira, Castro Marim, Loulé, Olhão, Portimão, Tavira, Vila do Bispo, bem como da Direção Regional de Cultura do Algarve. PUB


P7

Portimão Jornal • 17 DEZ 2020 • Nº14

SOCIEDADE Comemorações decorreram em ambiente online

Apoios económicos e prémios nos 96 anos de elevação a cidade Galardões para projetos do voluntariado e para a juventude empreendedora foram os destaques das celebrações. CM PORTIMÃO

Isilda Gomes discursou no salão nobre e o video foi divulgado online Ana Sofia Varela

A

s novas medidas de apoio ao comércio local deram o mote para Isilda Gomes, presidente da Câmara Municipal de Portimão, falar aos cidadãos durante a sessão solene do 96º aniversário da elevação a cidade, no dia 11 de dezembro. A autarca fez um balanço da gestão camarária de um ano afetado pela nova realidade de uma pandemia causada pela covid-19, que levou a que a população e entidades tivessem de enfrentar duras dificuldades. Isilda Gomes realçou ainda “o espírito de sacrifício protagonizado nos últimos nove meses pelos portimonenses,  em particular o tecido empresarial, a comunidade escolar e o movimento associativo, sustentados pelas autoridades locais nas áreas da saúde, ação social, proteção civil e segurança”. “Vamos prolongar todas as medidas de apoio às famílias, empresas e terceiro setor previstas no programa ‘Portimão dá-lhe a mão’, até ao final do primeiro semestre de 2021, e isentar este mês até ao Dia de Reis, o estacionamento tarifado na zona do comércio local”, revelou, antes de assegurar que a autarquia vai distribuir, esta semana, 'vouchers' de 15 euros às crianças do pré-escolar ao 2º ciclo, "para que possam comprar presentes no comércio local".

Outro dos destaques do programa do feriado municipal foi também a entrega do prémio ‘Iniciativa Jovem’, galardão criado para estimular o empreendedorismo dos jovens portimonenses. O projeto, com um investimento de sete mil euros, foi lançado em julho, numa parceria entre a Câmara Municipal, a Dypall Network e a MyPolis. Foram eleitas 14 das 29 propostas apresentadas a título individual ou por grupos informais, com idades entre os 13 e os 35 anos, que quiseram contribuir para transformar o território, acedendo a pequenos financiamentos destinados ao planeamento e implementação das ideias. Cada uma das propostas eleitas receberá cerca de 500 euros para passar as sugestões do papel para o terreno. Pintura de sargetas para sensibilizar para a poluição, colocação de cinzeiros, reflorestação, cobertura de betão com cascalho fotoluminescente para cobrir buracos ou pedras de calçada, instalação de um bebedouro e de contentores para máscaras descartáveis são apenas algumas das sugestões vencedoras. Estas propostas devem ser colocadas em prática no início de 2021. Por ocasião do Dia da Cidade, e a par desta iniciativa, a Câmara premiou com ‘vouchers’ os 15 primeiros classificados no ‘ranking’ da plataforma MyPolis, pela participação mais ativa e empenhada no debate e votação das

propostas, entre um total de 192 participantes. A autarquia portimonense distinguiu ainda, no âmbito no feriado municipal, dois projetos com o Prémio Municipal do Voluntariado, galardão criado em dezembro de 2018 para promover ideias que melhorem a qualidade de vida de crianças, jovens, idosos, cidadãos portadores de deficiência ou outras pessoas em situação vulnerável. Nesta segunda edição, o júri atribuiu o prémio, na categoria coletiva, ao projeto ‘Nutrição Entérica’, apresentado pela Cáritas Paroquial Nossa Senhora da Conceição – Matriz de Portimão, ao passo que na categoria singular venceu o projeto ‘D´Ar_t’”, proposto por Vanessa Cândido Guimarães. De entre as dez candidaturas admitidas, o júri decidiu ainda atribuir uma menção honrosa na categoria coletiva, ao projeto ‘As Lavadeiras de Portimão’, apresentado pelo MAPS. Os premiados receberam 6500 euros cada um e foram distinguidos numa cerimónia no dia 7 de dezembro, no salão nobre da autarquia. Com o ‘Nutrição Entérica’, a Cáritas pretende apoiar as pessoas com necessidade de nutrição artificial por perda da via oral, requerendo fórmulas comerciais para nutrição entérica. O objetivo é adquirir produtos de fórmulas de dieta industrial com composi-

ção completa padronizada, hiperenergética ou hiperproteica, de dieta suplementar e de modificação da consistência da dieta, com o intuito de apoiar famílias que têm parcos recursos financeiros e que não conseguem comprá-los de forma mais acessível. O projeto será trabalhado em articulação com o Serviço de Gastrenterologia da Unidade de Portimão do Centro Hospitalar Universitário do Algarve, que detetará pacientes nesta situação e os encaminhará para a Cáritas, que servirá de facilitadora/mediadora neste processo. Já o ‘D’Ar_te’ envolve teatro, dança, música, voz, expressão corporal e comunicação, visando promover um ensino mais divertido, estimulador e desafiante. Para o efeito, serão recolhi-

das ideias e encontradas soluções com os mais jovens, com vista a incentivá-los para que contribuam para criar um mundo mais ativo no âmbito da solidariedade, ao mesmo tempo que lhes será incutido o dever cívico. Portimão distinguido pelos Municípios Amigos do Desporto A Câmara Municipal de Portimão foi ainda galardoada com dois prémios nacionais. Este reconhecimento de boas práticas na área da gestão desportiva do programa Municípios Amigos do Desporto (MAD) 2020 resulta de candidaturas a concursos promovidos pela plataforma online Cidade Social nas áreas da ‘Presença Digital’ e ‘Intervenção Covid-19’, devendo as placas ser entregues em sessões oficiais, a realizar em breve. PUB


P8

Portimão Jornal • 17 DEZ 2020 • Nº14

CENTRAIS Fundo de Apoio às Empresas Locais vai ter um milhão de euros

As obras que a Câmara de Portimão quer fazer em 2021 A autarquia portimonense deverá conseguir, este ano, um ‘lucro’ de 25 milhões de euros, que serão incorporados no próximo Orçamento. CM PORTIMÃO

Jorge Eusébio

A

Câmara de Portimão vai contar, no próximo ano, com um Orçamento de 67 milhões de euros. A proposta já foi aprovada pelo executivo municipal e é analisada e votada pelos deputados municipais, esta sexta-feira, dia 18 de dezembro. No entanto, o valor real que a autarquia terá ao seu dispor será bastante superior, uma vez que deverá transitar deste ano para o próximo uma verba de cerca de 25 milhões de euros, a qual será posteriormente incluída no Orçamento, o que ‘atira’ o total disponível para cerca de 92 milhões. A presidente da Câmara, Isilda Gomes, diz que um dos grandes objetivos definidos é continuar a dar respostas aos problemas colocados pela pandemia da covid-19. Até agora, pelas suas contas, entre apoios e compra de equipamentos, já foram gastos 5 milhões de euros. Para o próximo ano, diz a autarca, “vamos continuar a investir nesta vertente, estando o valor exato dependente da evolução da pandemia”.  Para ajudar as famílias e as empresas a ultrapassarem a atual situação, a autarquia convenceu o Fundo de Apoio Municipal a deixá-la baixar as taxas e impostos municipais, o que terá como consequência que nos seus cofres vão entrar menos 1,4 milhões de euros em relação ao que era habitual. Um milhão de euros para apoiar as empresas Os apoios às famílias, associações e instituições de apoio social que estão em vigor serão estendidos, pelo menos, até ao final do primeiro semestre de 2021 e, nas próximas semanas, avançará um novo programa direcionado para o tecido empresarial do concelho.  O elemento principal desse programa é um Fundo de Apoio às Empresas Locais, ao qual poderão candidatar-se as que tenham tido uma faturação não superior a 150 mil euros em 2019 e também os profissionais independentes que obtiveram uma receita máxima de 60 mil euros. Em ambos os

A Câmara prevê avançar com muitas obras ao longo do próximo ano casos, só têm direito a este apoio unitário de dois mil euros se, em 2020, tiverem registado quebras superiores a 40 por cento. A autarquia também vai investir em ‘vouchers’ que serão entregues a quem fizer compras de, no mínimo, dez euros, no comércio local. Serão, de igual forma, contempladas com vales de compra, de 15 euros cada, para usar nas lojas do concelho, as crianças que frequentam os graus de ensino desde o pré-escolar ao 6º ano. Para além destes apoios, a Câmara disponibilizará uma ajuda extra à restauração. No seu site será instalada uma aplicação através da qual oferece aos restaurantes que se inscreverem a possibilidade de transporte gratuito de refeições para a casa dos seus clientes. Esse transporte, diz a autarca, deverá ser feito não diretamente pelos serviços autárquicos, mas por viaturas externas, “essencialmente por táxis, com os quais iremos fazer parcerias”. As principais obras Uma outra prioridade assumida por Isilda Gomes para 2021 “é o desenvolvimento e a concretização de obras importantes para o

concelho”. Entre elas constam a aposta na habitação social, para o que “adquirimos, por 1,5 milhões de euros, 15 lotes de terreno, na zona de Vale Lagar, onde serão construídos 189 fogos”.  Ao longo do ano, o Parque da Juventude deverá ser alvo de uma empreitada de remodelação, cujo concurso já foi lançado. Para esta intervenção está inscrita no Orçamento uma verba de 1,1 milhões de euros. O há muito desejado projeto de recuperação da antiga Lota de Portimão também é suposto sair do papel nos próximos meses. O investimento previsto para dar nova vida a este imóvel de grande significado para a cidade é de 1,2 milhões de euros. Por sua vez, o antigo edifício do Instituto de Socorros a Náufragos, situado em Alvor, sofrerá uma requalificação com o objetivo de o transformar num espaço museológico, havendo, para o efeito, no documento, uma dotação de 250 mil euros. Outra intervenção prevista para esta vila é a remodelação da Casa Mortuária, que deverá custar 400 mil euros. No que diz respeito a estabe-

lecimentos escolares, a obra de maior dimensão que está prevista é a de requalificação da Escola EB 2,3 Prof. José Buísel. Trata-se de uma empreitada de quase 3 milhões de euros, que já deveria estar concluída, mas que se atrasou devido ao facto de não terem surgido empresas interessadas aquando do lançamento do primeiro concurso. Ao longo do ano deverão, igualmente, ser substituídas as coberturas de amianto das escolas Manuel Teixeira Gomes, Júdice Fialho e D. João II, graças a um investimento global de 450 mil euros. Novo parque de estacionamento junto ao Mercado Na zona situada entre o Mercado Municipal e a Escola Manuel Teixeira Gomes vai nascer um parque urbano, o que implica a saída do local da comunidade que aí se encontra instalada. Este projeto vai desenvolver-se em duas fases, sendo a primeira a criação, numa parte do espaço, de um parque de estacionamento automóvel, para o qual foi colocada no Orçamento uma verba de 450 mil euros. O atual cemitério sofrerá uma ampliação da capacidade, com

a construção de ossários e catacumbas num terreno adjacente, recentemente adquirido pela autarquia. Quanto ao tão ansiado novo cemitério, no documento está inscrita uma dotação global de 3,2 milhões de euros, mas a distribuir por três anos, o que significa que vai ainda demorar algum tempo até que seja uma realidade. Outra intervenção que implica grande investimento é a reabilitação da zona envolvente à Igreja Matriz, que custará 1,2 milhões de euros.  Também se prevê que o ano de 2021 seja o de arranque das obras da esquadra da PSP, que serão pagas pelo Governo, mas lançadas pela Câmara. Trata-se de uma empreitada de quase 2 milhões de euros. Quanto a vias de comunicação, o documento destina 1,5 milhões de euros para pavimentações diversas na freguesia de Portimão e 350 mil na de Alvor.  Há ainda dotações financeiras para a pavimentação da Estrada da Esteveira, na Mexilhoeira Grande (530 mil euros), para a requalificação da rotunda da V2 (500 mil) e para reparações e beneficiação da V6 (100 mil).


P9

Portimão Jornal • 17 DEZ 2020 • Nº14

CENTRAIS A oposição e o orçamento*

João Vasconcelos

José Pedro Caçorino

Manuel Henrique Valente

Pedro Manuel Pereira

Vereador do Bloco de Esquerda

Vereador do Servir Portimão

Vereador do PSD

Deputado Municipal Independente

Bloco de Esquerda votou

Município deve

Pálido exercício

Proposta da Câmara

contra o Orçamento

assumir-se como

que não corresponde

Municipal de Portimão

Municipal e GOP para 2021

agente de apoio

às necessidades

para 2021 sem chama

a famílias e empresas

do concelho

nem fulgor

O contexto económico e social em que o Orçamento e as Grandes Opções do Plano são discutidos e aprovados está inevitavelmente ligado e forçosamente dependente dos tremendos impactos negativos, a nível económico e social, decorrentes da pandemia. Se a nível sanitário as últimas notícias são otimistas, sendo expectável que a partir do início do ano possa iniciar-se o processo de vacinação, já nos domínios económico e social o problema deverá ter efeitos mais nefastos e prolongados no tempo. Será quase certo que tenhamos no nosso país e no nosso concelho uma profunda crise económica e social, com uma pandemia de desemprego, insolvências e carências profundas do ponto de vista social e humanitário. Desta forma, consideramos que este não pode ser visto nem encarado como mais um orçamento, que se limite a prever receitas e despesas municipais, devendo antes e sim ser um documento que sinalize, de forma clara e vincada, as prioridades de apoio económico e social às famílias e às empresas do concelho. O Município de Portimão neste momento tem que assumir-se como um agente de apoio efetivo às empresas e às famílias do concelho, promovendo o pagamento de apoios e concedendo isenções e benefícios nas situações em que os mesmos sejam justificados, que permitam às mesmas aguentar o embate mais severo desta crise e fazendo com que ninguém fique para trás por falta de apoio.

O PSD de Portimão votou a proposta de Orçamento para 2021 apresentada pelo PS entendendo que se trata de um pálido exercício previsional que não corresponde às necessidades efetivas do Município, com preocupante aumento da despesa corrente. Para o Vereador Manuel Valente “poderiam ir mais longe tendo em conta o excedente orçamental relativo a 2019, nomeadamente na baixa percentual do IMI e aplicação de uma derrama reduzida favorecendo alguns setores económicos mais castigados pela covid-19.” Este eleito do PSD considerou ainda que, “não prejudicando os investimentos a realizar em áreas prioritárias, dados os excedentes orçamentais verificados nos anos anteriores, deveria o executivo como opção política optar por fazer reembolsos antecipados ao FAM para libertar mais cedo o município da dívida que tanto onera os portimonenses e espartilha as opções políticas ao dispor do executivo.”  Reforça o PSD que havia apresentado propostas na área da Saúde, Tecido Económico, Comércio Local e Habitação que não foram incluídos.

O Orçamento da CMP para 2021, a apresentar na 5ª Assembleia Municipal Ordinária no próximo dia 18 deste mês, é fundamentado em hipotéticas receitas e previsíveis despesas correntes, sem chama nem fulgor, ou seja, sem novidades. Trata-se de um elencar de rubricas, sem aparentemente ter em linha de conta o previsível e exponencial aumento de falências de pequenas e médias empresas, o encerramento forçado de largas dezenas de estabelecimentos comerciais, com a consequente subida do número de desempregados, o aumento de famílias recorrentes a ‘bancos’ alimentares e mais. Assim, rubricas fundamentais como sejam as de apoio ao pequeno e médio comércio e restauração, as de apoio e promoção à habitação social e habitações a custos controlados, não surgem explicitamente contempladas, antes, neste último aspecto, são referidas de forma pouco clara. Nem tão pouco rubricas com medidas de reforço extraordinárias de apoio social às famílias em situações com graves carências são descriminadas. Por tudo isto, este é um Orçamento que não serve o tecido produtivo do Concelho nem os portimonenses.

O Bloco de Esquerda considera que o Orçamento Municipal devia ser mais ambicioso para o próximo ano, tendo em conta que estamos a viver uma grave crise social e económica e que se vai agravar no concelho de Portimão. Este Orçamento, apesar de algumas medidas positivas, vai deixar muita gente e micro e pequenas empresas para trás. Depois de várias décadas em que os Executivos PS têm ignorado as várias carências habitacionais, finalmente há um avanço nesta área, mas ainda tímido. O reforço dos apoios sociais fica muito aquém do necessário e vamos ver a miséria crescer no concelho. Embora o município goze de algum desafogo financeiro e mesmo ao abrigo do FAM a redução dos impostos municipais, como o IMI e o IRS variável é muito pouco expressiva. Também não tem qualquer sentido taxar com a derrama os pequenos negócios, que deviam ficar isentos. Trata-se de um Orçamento fictício, pois há um desconhecimento absoluto onde vão ser aplicados 30 milhões de euros, que é o saldo transitado para 2021. É evidente que temos as eleições autárquicas à porta e um ‘saco azul’ desta envergadura irá assentar que nem uma luva para empreender ações e obras de cariz eleitoralista, o que o Bloco de Esquerda não pode aceitar. O investimento em parques e áreas verdes também é muito escasso, ou inexistente. Um outro fator negativo é a baixa execução das GOP na área social, o que não se compreende numa altura de grave crise e com tendência a se agravar. Estas são as principais razões do voto contra o Orçamento para 2021, por parte do BE.

PUB

* Até ao fecho desta edição, na terça-feira, 15 de dezembro, apesar de solicitadas, não foram enviadas as posições sobre o Orçamento por parte da CDU e da deputada municipal independente Cristina Velha.

PUB


P10

Portimão Jornal • 17 DEZ 2020 • Nº14

RAIO-X

A foto

PUB D.R.

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE ALVOR

CONVOCATÓRIA Na qualidade de Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Alvor e ao abrigo da alínea a) do art. 22º do Compromisso da citada Instituição, tenho a honra de convocar V Exa. para, na qualidade de irmão, desta Santa Casa, estar presente na reunião ordinária da Assembleia Geral, que terá lugar no dia 26 de Dezembro de 2020, pelas 14:30 horas, no Salão Paroquial (junto à Igreja Matriz), para dar cumprimento à seguinte ordem de trabalhos: 1- Apresentação da lista ou listas concorrentes ao acto eleitoral para o quadriénio 2021/2024. 2- Constituição da Mesa Eleitoral. 3- Eleição dos Corpos Sociais da Santa Casa da Misericórdia de Alvor para o citado quadriénio. 4- O citado acto eleitoral decorrerá das 15:00 horas às 18:30 horas. Após o encerramento do acto eleitoral, proceder-se-á à contagem dos votos e será proclamada a lista vencedora. Se à hora marcada para início dos trabalhos não se verificar “quórum regulamentar”, os trabalhos iniciar-se-ão trinta minutos mais tarde com qualquer número de presenças, conforme dispõe o nº1 do artº24 do Compromisso, considerando-se válidas todas as decisões tomadas. JUNTAS • As Juntas de Freguesia de Portimão e de Alvor vão distribuir cabazes de Natal aos agregados familiares mais carenciados do concelho. Desta forma, tentam contribuir para que, mesmo com a covid a espreitar e a debaterem-se com dificuldades económicas, todos os portimonenses possam continuar a sentir o espírito da quadra, pelo menos na noite de Natal.

A frase

Presença na Assembleia Geral 1. Tendo em conta a situação pandémica COVID19 e para que haja o distanciamento necessário e para que não formem filas para a votação, solicitamos que confirmem a vossa presença até dia 23.12.2020; 2. É obrigatório o uso de máscara. Com os melhores cumprimentos,

Depois de quatro árduos anos na gestão, é fundamental manter a situação da Misericórdia de Alvor, instituição de grande importância para a freguesia e o concelho”. Mário de Freitas

Alvor, 10 de Dezembro de 2020 O Presidente Monsenhor Joaquim Cupertino Portimão Jornal | Edição Nº 14 - 17.12.2020

O Portimão Jornal deseja a todos os seus leitores

Festas Felizes CÂMARA DE PORTIMÃO

KARATÉ ADAPTADO

ASSEMBLEIA MUNICIPAL

A autarquia vai destinar um milhão de euros do seu Orçamento para o apoio às empresas do concelho. Trata-se de uma iniciativa que tem como objetivo ajudar os empresários locais a manter de pé os seus negócios, evitando, assim, o agravamento do desemprego no concelho, que já é bastante preocupante.

O projeto tem 17 anos e continua a crescer, indiferente às vicissitudes do momento, sinal de que a aposta de António Silvestre e Rui Caipira, os rostos do Internacional Japan Karaté Associação de Portugal, justifica os maiores elogios, sobretudo por abarcar realidades tão distintas como o karaté adaptado - para deficientes cognitivos e motores - e o karaté dito tradicional. Sediado em Portugal, o clube espalha a sua atividade por vários locais e tem alunos a rondar os 70 anos.

Não foi fácil a marcação daquela que é, provavelmente, a Assembleia Municipal mais importante do ano, a desta sexta-feira, onde se vai analisar e votar o Orçamento de 2021. Depois de ter estado marcada para a hora habitual (21h00), a Mesa da Assembleia resolveu mudá-la para as 18h00, alegando a necessidade de cumprir as regras de recolhimento definidas para a contenção da covid-19. A discussão com os líderes de bancada durou quase um dia inteiro, com alguns a ameaçarem não marcar presença.

FICHA TÉCNICA • DIRETOR Rui Pires Santos • REDAÇÃO Ana Sofia Varela, Hélio Nascimento e Jorge Eusébio • DESIGN E PAGINAÇÃO Vanessa Correia FOTOGRAFIA Eduardo Jacinto e Kátia Viola • DEPART. COMERCIAL Hélder Marques, 914 935 351 • PROPRIEDADE E EDITOR PressRoma, Edição de Publicações Periódicas, Unip. Lda., Rua Dr. João António Silva Vieira, Lote 3, 3º Dto, 8400-417 Lagoa • CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Rui Pires Santos DETENTOR DO CAPITAL 100% Rui Pires Santos • NIF 508 134 595 Nº REGISTO ERC 127433 • DEPÓSITO LEGAL Nº 470747/20 SEDE DE REDAÇÃO Rua Dr. João António Silva Vieira, Lote 3, 3º Dto., 8400-417 Lagoa EMAIL portimaojornal@gmail.com • TELEFONE 282 381 546 | 967 823 648 • IMPRESSÃO LUSOIBÉRIA, Av. da República, nº 6, 1.º Esq. 1050-191 Lisboa • TIRAGEM 3.500 exemplares • PERIODICIDADE Quinzenal ESTATUTO EDITORIAL: https://algarvevivo.pt/sobre-nos/


PUB

PORTIMÃO DÁ A MÃO À ECONOMIA LOCAL! Valorizar o Comércio Local Apoiar as Famílias Portimonenses

(Oferta e Sorteio de Vouchers para Compras no Comércio Local)

Criar um Fundo de Apoio Empresarial

(Apoios Financeiros a Fundo Perdido)

#PTMàMESA

(Plataforma Municipal de Entrega de Comida ao Domicílio) CONSULTE

www.cm-portimao.pt


P12

Portimão Jornal • 17 DEZ 2020 • Nº14

DESPORTO

Aposta de Rui Caipira e António Silvestre dá novo alento aos deficientes motores e cognitivos

Karaté em cadeira de rodas promove índices de autoestima Sediado em Portimão, o IJKA estende a sua atividade a vários locais e até a concelhos limítrofes e abarca, também, o karaté ‘tradicional’, praticado por crianças e “menos jovens com quase 70 anos”. FOTOS: EDUARDO JACINTO

Hélio Nascimento

J

á imaginou um deficiente motor a praticar karaté? E de cadeira de rodas? Não duvide, pois é mesmo possível, inclusive em Portimão, onde ‘mora’ Rui Caipira, o pioneiro e grande responsável pela introdução do karaté adaptado no nosso país. Surgiu em 2003, já há 17 anos, depois de António Silvestre e Caipira, ao conhecerem esta ‘faceta’ da modalidade, criada, naturalmente, por um mestre japonês, terem ficado entusiasmados com a possibilidade de arrancar com o karaté adaptado a deficientes motores, em cadeira de rodas. O sensei (o equivalente a mestre, termo comumente utilizado nas artes marciais) Caipira frequentou várias formações, no estrangeiro, e transportou para Portugal todo este conhecimento. "Não é nada fácil, uma vez que se trata de um mundo difícil de entrar, porque as pessoas, devido às dificuldades de locomoção, são bastante fechadas”, explica António Silvestre, desde há muito tempo ligado ao associativismo e agora também impulsionador do karaté adaptado, na qualidade de presidente do IJKA (Internacional Japan Karaté Associação de Portugal). “Tanto batalhámos que conseguimos levar por diante as nossas pretensões. Hoje temos aulas com

António Silvestre e Rui Caipira ladeiam um grupo de karatecas preparados para mais um treino sas novidades de um mundo para muitos certamente desconhecido. Caipira, que está ligado à modalidade há mais de 40 anos, além de ter sido pioneiro da vertente em cadeira de rodas em Portugal, também desenvolveu o karaté adaptado para pessoas com deficiência cognitiva. E tem vários alunos. “O que pretendemos? Preencher as lacunas de oferta despor-

Rui Caipira é o diretor técnico do IJKA e foi o responsável pela introdução do karaté adaptado no nosso país. António Silvestre é o presidente e faz dupla com o sensei há mais de 30 anos regularidade, demonstrando e fazendo jus ao lema que o karaté é para todos”, prossegue Silvestre, com a anuência de Rui Caipira, ambos em conversa com o Portimão Jornal, revelando as imen-

tiva para melhorar a qualidade de vida destas pessoas e fazer subir os seus índices de autoestima. Muito boa gente até pergunta se isto é possível… já demonstrámos que é. Os próprios alunos ficam

com um brilho nos olhos, num sinal de felicidade que nos é transmitido em toda a sua plenitude. Eles percebem que também o conseguem fazer e nem imaginavam”, garante António Silvestre, de 59 anos, natural de Monchique e com residência em Portimão.   Outra ‘batalha’ ganha A ‘batalha’ travada pelos dois homens estendeu-se igualmente às conversações com a Federação Nacional de Karaté Portugal. E, mais uma vez, saíram ‘vitoriosos’, de tal maneira que, desde há dois anos, a entidade máxima da modalidade reconheceu esta especialidade nos campeonatos oficiais, existindo uma prova para cadeirantes, como chamam aos atletas em cadeiras de rodas, e outra para quem é portador de deficiência cognitiva. Genericamente, está bom de ver, trata-se de karaté adaptado, mas são realidades diferentes. Na cognitiva, por exemplo, há graus diversos, “um ponto onde ainda trabalhamos com a Federação, no sentido de, algures no futuro, conseguirmos que haja escalões, como em outras modalidades,

consoante as deficiências”.   Rui Caipira, um alentejano de 57 anos há muito radicado em Portimão, fala então das “diversas fases de implementação destas variantes, bastante rigorosas e com muitas barreiras”. A recompensa do enorme esforço, já deu para perceber, levou agora a colher frutos, inclusive na área da competição. “Temos apoio do Município,

do Instituto Português do Desporto e Juventude, da própria Federação e ainda da Junta de Freguesia de Portimão”, narra o sensei, que faz ‘dupla’ com Silvestre há mais de 30 anos. “Estamos sempre em sintonia, dirigindo o nosso trabalho em prol de uma sociedade mais justa”.   Uma modalidade para todos O IJKA nasce em 2005, na se-

Um “dojo lindo” na Mexilhoeira Uma antiga escola na Mexilhoeira Grande ‘virou’ recentemente local de prática de karaté. Face à enorme ocupação do Pavilhão Municipal de Portimão, que alberga treinos e competições de várias modalidades e clubes, Rui Caipira e António Silvestre tentaram junto da Câmara a cedência de um espaço que pudessem aproveitar “com alguma autonomia” para dar aulas. Ou melhor, para dar mais aulas, já que estas, como se conta na peça principal, estão espalhadas por diversos locais, incluindo o Pavilhão Municipal. “A Câmara chegou à conclusão que era um bom projeto e cedeu-nos o espaço da antiga escola, que é pequeno, mas serve as nossas intenções, sobretudo agora, devido às restrições impostas pela covid. Fizemos um dojo (local de treino das artes marciais) com todas as caraterísticas do dojo tradicional japonês e está lindo”, destacam António Silvestre e Rui Caipira.


P13

Portimão Jornal • 17 DEZ 2020 • Nº14

DESPORTO ‘100 idade’ reforça oferta para os mais velhos Entre as muitas iniciativas dos últimos anos, o IJKA apostou também no ‘karate 100 idade’, reforçando a ideia de que a modalidade “é para todos” e minimizando a pouca oferta para quem tem mais de 50 anos e quer praticar desporto. “Muitas pessoas fazem caminhadas e pouco mais porque não têm outras opções. Visto que o karaté pode ser praticado toda a vida, falámos com a Junta de Freguesia e conseguimos mais uma sala, onde, uma vez por semana, os mais velhos têm as suas aulas”. O projeto teve enorme aceitação e o entusiasmo dos ‘seniores’ é uma realidade constante. A aulas são dadas por António Silvestre, que é 1º dan, para libertar Rui Caipira, assoberbado com trabalho suficiente. “A orientação técnica é dele, obviamente”, conta o presidente. “Os treinos têm a suavidade necessária para corresponder ao estado físico dos praticantes, que se sentem cada vez melhor com o seu próprio corpo e têm melhor qualidade de vida”. Acrescente-se que Rui Caipira, o diretor técnico, tem instrutores por si supervisionados que dão as aulas nos diferentes locais em que o IJKA tem atividade. O karaté adaptado, no entanto, só é praticado em Portimão. 

quência da expansão que o karaté tradicional começava a ter no Algarve. Note-se que Rui Caipira dava já aulas em Silves, Parchal, Monchique e Alcantarilha, e, sendo António Silvestre um homem ligado ao associativismo, “chegámos à conclusão, face a esta realidade, que os pequenos clubes não tinham mais força nem organização para crescer”. Foi então que “decidimos criar o clube, englobando as diversas escolas onde o sensei dá aulas, que são todas associadas”. No total contabilizam-se oito escolas, sete no Algarve mais uma em Gondomar, onde Rui Caipira se desloca ocasionalmente. “Os alunos de Gondomar vêm cá uma vez por ano, para participar no estágio de Verão, em que o objetivo é reunir atletas de todos os locais e dar treinos conjuntos”, quase sempre com a presença de um mestre internacional, especialmente convidado para o efeito, que apresenta aulas com algumas diferenças e habitualmente deveras curiosas. A média de inscrições supera a centena de karatecas, alguns dos quais recebem, durante o evento, as novas graduações. Este ano,

face a todos os condicionalismos por demais conhecidos, o estágio de Verão não se realizou. A propósito destas vertentes da modalidade, vem a terreiro assinalar, como, aliás, se depreende do descrito, que o IJKA é um clube que engloba “todos os karatés”, nomeadamente o tradicional e o adaptado. “Na minha carreira sempre provei que o karaté é para todos. Fui impulsionador do infantil, para crianças, mostrando à comunidade que não há barreira de idades, ensinando também os idosos, e, agora, temos nova prova, com a introdução do adaptado”, assinala Rui Caipira.    Um trabalho social Vários espaços da cidade, incluindo algumas escolas e o Pavilhão Municipal, são os locais em que Rui Caipira e o IJKA espalham a sua atividade, que estendem, inclusive, a concelhos limítrofes. O karaté adaptado conta com 20 alunos, entre particulares e pertencentes a entidades, que treinam uma ou duas vezes por semana. O universo do karaté geral chega aos 120 praticantes, desde crianças a “menos jovens com quase 70 anos”, sendo que a ade-

são é positiva nos escalões etários mais baixos.    “Nos dois últimos anos temos obtido bons resultados nas cadeiras de rodas, ocupando todos os lugares do pódio, e, nos atletas com deficiência cognitiva, tivemos um quarto lugar na época passada”, dá conta o mestre, atual 7º dan, um cinturão de tremendo respeito. “Ensinar deficientes é um bocado complicado, naturalmente. Todos os dias estamos também a aprender, porque, repare, os deficientes motores podem mexer um braço melhor do que o outro, podem ter mais sensibilidade numa determinada zona do corpo ou não, enfim, é preciso adaptar os movimentos às caraterísticas deles. Os cognitivos, por sua vez, são muito sensíveis, tímidos e carenciados”, precisa Rui Caipira.   “Tudo isto requer trabalho… e tudo isto é um trabalho social, ninguém ganha dinheiro, temos é os tais apoios. Os deficientes, por norma, não têm possibilidades financeiras, daí que o apoio seja fundamental”. Na circunstância, as aulas são gratuitas, as instalações cedidas, mas os equipamentos, dos kimonos aos fatos de treino, mais as inscrições para as competições, são um esforço financeiro do IJKA. “É uma luta, mas não esmorecemos. Cada vez estamos mais motivados para esta prática desportiva e saudável. Se andamos há 17 anos a remar contra a maré, não é agora que desistimos, sobretudo porque temos algum reconhecimento e ajudas. No ano passado, por exemplo, o Instituto Português do Desporto e Juventude entregou-nos a Bandeira da Ética, um motivo de orgulho e de mais responsabilidade” regozijam-se, com Silvestre a sublinhar que, na altura, Rui Caipira foi distinguido com um “cartão de boas práticas, que premeia o fair play”.  À despedida, fica a visão de dois amigos que fazem do karaté uma escola de vida: “A importância da competição é relativa. Entendemos que o nosso trabalho é social”.   

Rui Caipira e António Silvestre, os responsáveis pelo projeto

Destreza e aplicação mesmo em cadeira de rodas

Os estágios de Verão são sempre muito concorridos PUB


P14

Portimão Jornal • 17 DEZ 2020 • Nº14

OPINIÃO

O neoliberalismo no seu esplendor

Pedro Manuel Pereira Historiador Não existe solução económica e social para a atual conjuntura, enquanto não houver uma justa distribuição da riqueza e de transparência, lealdade e honestidade nas relações entre os cidadãos e os sectores produtivos, e estes e o Estado. Enquanto existirem grupos de indivíduos denominados no seu conjunto de governo, que não exercem com saber e competência a regulação das relações entre as partes sociais. Ao invés de governar, de uma forma geral, os sucessivos governos desde há décadas a esta parte, cometem, em muitas situações e contextos verdadeiras tropelias contra o povo, frequentemente numa versão mais sombria da que o governo seu antecessor. Tem esta gente presente como uma das suas máximas: - «O acto de governar não é mais do que uma forma de não perder o controlo da população». Não é isso que queremos. Não é de gente dessa que o país necessita. Portugal é, nos tempos sombrios e incertos que vivemos, um país em pré-falên-

cia económica e social e a União Europeia vive uma periclitante pré implosão. Neste contexto, é inegável que os corruptos e os criminosos, encontram menos humilhações e mais benefícios nas suas actividades ilícitas do que exercendo actividades honestas aos preços atuais do mercado laboral, por isso, pululam cada vez mais em cada esquina, facilitada que têm a sua atividade, através da livre circulação entre fronteiras não obstante a crise sanitária e económica. Decorrentes deste facto, a insegurança, o medo e a perda são realidades do quotidiano. Vive-se em estado de ansiedade e de medo. Por outro lado, as hordas de desempregados, quer os das estatísticas oficiais, quer os que não se encontram inscritos nas estatísticas - e que serão outros tantos - estão a criar legiões crescentes de revoltados, verdadeiras bombas relógio a detonar quando menos se espera, porque não há descompressão como em todos os tempos aconteceu neste país, dado os cíclicos êxodos emigratórios, enquanto que os que tem ocupação laboral remunerada vêm todos os dias aumentar a carga fiscal sobre o fruto da sua atividade. Talvez pela primeira vez na História de Portugal desde a Expansão Ultramarina, a fuga dos portugueses para outras paragens em busca por melhor for-

ma de vida estancou, uma vez que o impedimento se chama de “pandemia”. Face a este sucinto cenário, o sentimento de injustiça social, de ira e de revolta aumenta a cada dia que passa de forma exponencial. O rastilho foi o vírus chinês. A história de Portugal é feita de colonizações, de migrações, de emigrações, de guerras, de guerrilhas, de exílios e da destruição do enraizamento e do orgulho pátrio. É a história desta soma que faz de nós – quase - estrangeiros em Portugal e portugueses no estrangeiro. Fomos obliterados na nossa língua pelo ensino abastardado e sinistro, cozinhado por alguns governos de má memória, pelos big brothers e outro lixo televisivo, pela pornografia de massas, por incontáveis políticos com as suas gestões venais. Acresce o trabalho incaracterístico, desumano e o controlo levado a cabo pelo poder do Estado que ensina, disciplina e regista todos os movimentos dos cidadãos através dos meios informáticos de que dispõe, para que nada mais reste senão a cidadania portuguesa (em que medida?) impressa num cartão do cidadão com chip eletrónico, reduzindo-o a um mero número descartável. O trabalho de desumanização social foi encetado em Portugal há pouco mais de um século, com o surto da industrialização

que pelo seu processo evolutivo desenraizou as pessoas dos seus lugares ancestrais, rompendo-se dessa forma as relações de familiaridade e de vizinhanças de bairro, de aldeia, das ligações aos lugares, de ocupação laboral, de parentesco, das formas de fazer, de falar e do falar. Estamos na reta final. Vivemos a incongruência de uma sociedade de trabalhadores sem trabalho. A evidência da ruína económica e social que vivemos e que sentimos arrepia-nos só pela ideia antecipada do que aí vem. Uma só alternativa encontrou a comissão liquidatária para fazer face ao apocalipse em marcha: - Decrescer; consumir e produzir menos, transformando os cidadãos em náufragos que esbracejando tentam sobreviver num mar encrespado. Procura-se – por desespero - regressar às velhas fórmulas de economia doméstica dos nossos pais, dos nossos avós, à idade de ouro da pequena burguesia dos tempos salazarentos: - «No poupar é que está o ganho», máxima apologética de eleição do ditador. Para quem ainda não reparou, atente que se encontra em marcha um movimento de desmantelamento do atual modelo civilizacional. Eis o neoliberalismo no seu esplendor.

PUB

Que a magia do Natal se revele em todos os dias do ano que se inicia! Desejamos a todos os nossos Clientes e Amigos um Feliz Natal e que o ano de 2021seja repleto de saúde, paz, alegria e sucesso!

www.abracadabra.pt

Avenida São João de Deus, lote 1, loja 1 8500-508 Portimão | 282 070 772 Junto ao Mercado Municipal de Portimão


P15

Portimão Jornal • 17 DEZ 2020 • Nº14

ÚLTIMAS

D.R.

Algarvios entre os contemplados com o apoio

Federação dá 145 mil euros à formação do Portimonense PORTIMONENSE

O montante faz parte de um 'bolo' superior a quatro milhões.

Árvore de Natal ilumina Hospital Uma Árvore de Natal foi colocada na entrada exterior da Unidade de Portimão do Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) durante a quadra natalícia. A inauguração decorreu no dia 4 de dezembro numa cerimónia onde participaram Ana Castro, presidente do Conselho de Administração do CHUA, Mariana Santos, enfermeira-diretora do CHUA, e Isilda Gomes, presidente da Câmara Municipal de Portimão.

O

Portimonense e o Farense vão receber cerca de 145 mil euros, cada um, para aplicar exclusivamente no futebol de formação, no âmbito do fundo de solidariedade da UEFA, de acordo com a informação veiculada pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que, no total, vai distribuir 4,187 milhões de euros pelos 29 clubes, 13 da I Liga e 16 da II Liga, que não participaram nas competições europeias, ou seja, a esmagadora maioria dos

Estrutura foi inaugurada a 4 de dezembro

Associação lança ‘Campanha Natal Universal’

Angariação de bens alimentares em Alvor emblemas do futebol português. Os 145 mil euros, sublinhe-se, são exclusivamente destinados a investimentos no futebol de formação, como 'exige' o organismo federativo, que, na circunstância,

recorda que este montante se junta aos mais de um milhão de euros disponibilizados para os clubes da II Liga, pela interrupção da competição em 2019/20 devido à pandemia.

A Associação Cultural e Recreativa Alvorense 1º de Dezembro está a promover a ‘Campanha Natal Universal’. Com esta ação, a entidade pretende angariar géneros alimentares, produtos de higiene pessoal e artigos para a casa para que sejam depois distribuídos às famílias que mais necessitam. A associação apela à ajuda da população para, num contexto de pandemia, proporcionar a estes agregados mais carenciados um Natal especial. PUB


A FECHAR

Quinta-feira • 17 dezembro 2020

D.R.

Média de infeções tem vindo a baixar

Concelho mais perto de sair da lista de risco Próxima avaliação será a 18 de dezembro e, se o número de casos continuar a decrescer, o município fica sem restrições. D.R.

Este ano não haverá o tradicional fogo de artifício Ana Sofia Varela

O

s números de pessoas infetadas com covid-19 em Portimão têm vindo a baixar ao longo das últimas duas semanas e, assim, se se mantiver a situação atual, o concelho poderá deixar de ter restrições a muito

curto prazo. Até à data do fecho desta edição, na terça-feira, 15 de dezembro, havia registo de 139 casos acumulados nos 14 dias anteriores. A avaliação do Governo será esta sexta-feira, 18 de dezembro, e basta descer para 132 casos acumulados, para o concelho passar

a ser de risco moderado. Isto porque, o equivalente aos 240 casos por cem mil habitantes é de 133 pessoas infetadas com covid-19 em duas semanas. Aliás, o município chegou a estar muito próximo de entrar no risco ‘muito elevado’, na avaliação anterior, registando cerca de 260 casos, mas desde essa altura tem vindo a descer de forma considerável. A nível nacional, apesar de já ter sido avançado que no Natal haveria exceções e que seria permitida a circulação entre concelhos, António Costa, primeiro-ministro, afirmou também que, caso a situação no país se agravasse, não teria problemas em voltar a apertar as restrições. Para já, foi dito ainda que não haveria festas de fim de ano e que a circulação entre municípios estará proibida entre as 00h00 de 31 de dezembro e as 5h00 de dia 4 de janeiro de 2021.

Junta de Portimão promove iniciativa

Entrega de cabazes de Natal a carenciados A Junta de Freguesia de Portimão está a entregar, desde segunda-feira, 7 de dezembro, cabazes de Natal a cerca de 600 agregados familiares carenciados da

freguesia. Este ano, por razões de segurança e saúde pública, devido à covid-19, a autarquia local distribuiu os cabazes nas suas instalações às famílias que

estavam inscritas desde o mês passado. A iniciativa visa minorar as dificuldades financeiras de muitas pessoas, sentidas, sobretudo, na quadra natalícia.

GoGospel atua em Concerto de Natal O projeto musical GoGospel, que se tem apresentado em vários palcos do país, atuará este sábado, 19 de dezembro, às 10h30, no Teatro Municipal de Portimão. O Concerto de Natal, mistura gospel, pop e as melodias tradicionais da quadra festiva, num espetáculo com uma hora e para maiores de 16 anos. As entradas custam dez euros, estão à venda online (tempo.bol.pt) e a lotação é limitada de acordo com as normas da Direção-Geral da Saúde.

Portimonense defronta Braga no dia 27 A equipa de futsal do Portimonense vai disputar a meia-final da Taça de Portugal referente à temporada 2019/2020 – interrompida desde março devido à pandemia de covid-19 – em 27 de dezembro, frente ao Sporting de Braga, em Matosinhos. A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) informou que, nesse dia, realizam-se os dois jogos das meias-finais, no Centro de Congressos e Desportos de Matosinhos, o já citado Sporting de Braga-Portimonense (17h00) e o Leões de Porto Salvo-Sporting (20h00). A final da Taça de Portugal da época anterior, entre os vencedores daqueles dois encontros, ficou agendada para 29 de dezembro, às 21h15, no mesmo pavilhão. Na ‘final a oito’, que em março juntou oito equipas em Matosinhos e foi suspensa antes das meias-finais, o Portimonense averbou um triunfo sobre o Eléctrico de Ponte de Sor, por 7-3, passando à fase seguinte, que agora vai ser concluída.

Candidaturas ao Linking UP abertas O Linking UP é um Programa de Inovação Aberta no setor do Turismo, cujas candidaturas estão abertas até dia 20 de dezembro, estando limitadas a 12 vagas para ‘startups’ e empresas. O programa contará com diversas masterclasses e sessões dinamizadas pelas entidades promotoras. É promovido pelos Territórios Criativos e pelo Turismo de Portugal, em parceria com ISEG Lisboa, a IDC e a Gastão Cunha Ferreira.

Portimão Jornal regressa a 14 de janeiro Nesta época festiva, a nossa redação do Portimão Jornal fará uma pausa e só voltará a publicar a edição impressa a 14 de janeiro. Retomamos nessa altura a nossa periodicidade normal. Aproveitamos ainda a ocasião para desejar Boas Festas aos nossos leitores e agradecemos a confiança depositada na nossa equipa. PUB

CENTRO DE JARDINAGEM Garden Center Parchal - Lagoa Construção e Manutenção de Jardins Garden Maintenance & Landscaping

Deseja aos seus clientes umas Festas Felizes 282 094 787 +351 916 846 990 paulo@pgs-gardens.com www.pgs-gardens.com

Profile for Portimão Jornal

Portimão Jornal nº 14 | 17.12.2020  

Portimão Jornal nº 14 | 17.12.2020  

Advertisement