Page 1

1

Jornal de Ideias da Filosofia com Crianças, Adolescentes e Jovens

Ano XXI - N. 71  •  1º Trimestre - 2013  •  Florianópolis/SC  •  www.portalser.net

Educar é transformar-se, admirar-se C

aminhamos para os 25 anos oportunizando que escolas, professores, alunos e pais participem, junto ao Centro de Filosofia Educação para o Pensar, à Editora Sophos e ao Sistema de Ensino Reflexivo – S.E.R., de um projeto de educação reflexiva em todos os segmentos escolares.

Vamos construir juntos, cada vez mais, uma Filosofia Viva, uma Educação Reflexiva.

Pág. 3 Entrevista: Celso Vasconcellos “Educar é transformar-se, admirar-se”

Págs. 8 a 12 Filosofia viva! Transformando pessoas e escolas w w w . p o r t a l s e r. n e t


2

Entrevista

Editorial

É

gratificante organizar, planejar e participar das comemorações do jubileu (25 anos) de realizações do Centro de Filosofia e da Editora Sophos. Uma caminhada histórica feita por muitas pessoas e por muitas escolas em todo País. No tempo preparatório, a importância de fazer com que essa história continue viva na memória das pessoas, pois assim é possível projetar o futuro. No momento de recordar a história construída, a importância de ter presente a evolução dos ideais filosóficos e educacionais defendidos desde o início, em julho de 1989. Em primeiro plano o sonho de quem iniciou o Centro de Filosofia como instituição de pesquisa e formação: a Filosofia como disciplina sendo feita com as crianças (desde a

Significativos relatos de atividades e reflexões em todos os jornais Corujinhas são socializados (são 21 anos de publicações). Também é importante a constante presença do Centro e da Editora Sophos junto às escolas e aos professores, por meio das assessorias filosóficas e pedagógicas e dos projetos e ações. Neste ano e em 2014 teremos resultados para apresentar e projetar os próximos 25 anos de nossa existência.

Ed. Infantil) e em todas as etapas escolares. Num momento de maturidade e realizações junto aos educadores e às escolas: a certeza e defesa de uma Educação para o Pensar indo além da disciplina e do professor de Filosofia. Que nas escolas, a partir das vivências humanas e no currículo, haja professores e alunos reflexivos, pensadores críticos e criativos. Nos últimos anos, com a sistematização do Programa filosófico-pedagógico “Educar para o Pensar: Filosofia com crianças, adolescentes e jovens”: a defesa de uma escola reflexiva (espaço privilegiado do diálogo) desencadeando uma educação para e com sensibilidade.

Ler e refletir sobre o que queremos e fazemos é uma forma de conhecer cada vez mais o que temos, somos e queremos. Também são significati-

vas as reflexões oportunizadas pelo Prof. Celso Vasconcelos na entrevista (a versão completa está na nova seção – Conversa com Educadores, que se encontra nos sites do Centro e da Editora). É nosso desejo proporcionar boas leituras, reflexões e socializações para ampliar as boas ações. Queremos que você realize, a partir do que socializamos, uma educação reflexiva, e faça parte das nossas instituições. Venha construir conosco a sua e a nossa história.

Educar é transformar-se, admirar-se Prof. Celso Vasconcellos por ele mesmo: Entendo que o que justifica minha presença nesse jornal é o fato de eu ser um ser humano, que é filósofo e é professor. Sendo que esse ser é naquele sentido dialético: “Sou, Ainda Não Sou e Posso Vir a Ser Mais”, tanto como ser humano, como filósofo e como professor. A quase totalidade de minha formação deu-se em escolas públicas. Fiz técnico em eletrônica (pois queria ser “cientista”; na época, não tinha a menor noção de que um professor também poderia ser cientista...), dois anos e meio de engenharia eletrônica, achei que ia ser padre, fui para o seminário, fiquei um brevíssimo tempo, saí, fui fazer Filosofia, depois Pedagogia, mestrado em História e Filosofia da Educação e doutorado em Educação.

Prof. Dr. Silvio Wonsovicz Presidente do Centro de Filosofia, Editora Sophos e S.E.R.

Expediente

Espaço para registros e participações dos amigos da Filosofia O Corujinha é um Jornal de Ideias do Programa filosófico-pedagógico “Educar para o Pensar: Filosofia com Crianças, Adolescentes e Jovens”. Todas as matérias, ideias e opiniões aqui expressas são de responsabilidade das pessoas que contribuíram para este informativo. Querendo reproduzir partes, favor citar a fonte.

Endereço do S.E.R. para correspondência: Rua Cristovão Nunes Pires, 161 CEP 88.010-120 Centro - Florianópolis/SC (48) 3025-2909 / 3222-8826

Tenho a disciplina de Filosofia como um centro de conhecimento do saber humano de forma racional, isto é, um pensar dinâmico de uma sociedade que não pensa e pouco age diante das dificuldades. Sou professor há dez anos e busco conhecimentos pela Filosofia. Enfim, podemos ter como base de busca o Jornal Corujinha, isto é, conhecimento e discussão entre profissionais da educação para um país e pessoas melhores. Portanto o Corujinha sempre será a base de um conhecimento do saber na sociedade hoje.

Revisão: Rodrigo Brasil

w w w . p o r t a l s e r. n e t

Profª. Liane Marisa Almeida

Os meus agradecimentos ao Centro de Filosofia, que hoje é referência nacional no processo de desenvolvimento do “S.E.R”. Possibilita aos educadores construir, em sala de aula, uma cidadania pautada por valores morais e éticos, em parceria com e por esse Brasil afora.

Às vezes fico me perguntando: o que ensinar sobre a filosofia se o que querem que eu ensine não tem novidades? Mas com vocês recebo uma carga de ânimo onde o improvável se torna provável com uma boa prática pedagógica. Quero colocar-me exclusivamente em parceria com o material do S.E.R. - Sistema de Ensino Reflexivo. Que minhas forças e objetivos sejam superiores ao desafio de fazer algo significativo para a humanidade.

Profª. Maria Sonia Araujo

Prof. David Ribeiro

Prof. Ademir L. dos Santos

secretaria@portalser.net www.portalser.net

Projeto gráfico e diagramação: A. Cezar Boamorte cezar@portalser.net

Eu sou professora de Filosofia da EJA na Escola Estadual de Educação Básica Raul Pilla, em Cidreira/RS. Gostei muito do Jornal Corujinha, principalmente para a Aula Inaugural e como subsídio para reflexões filosóficas. O jornal propõe o estudo da filosofia por meio de leitura de atividades investigativas que orientam e organizam o estudo da filosofia.

A escola na qual atuo, o Centro Educacional Nossa Senhora Auxiliadora, já desenvolve, há mais ou menos 20 anos, a Educação para o Pensar e adotamos coleções da Editora Sophos. Por isso não poderia deixar de apresentar a apreciação sobre a nova edição do livro da Coleção Filosofia o Início de uma Mudança. Considero que o livro tornou-se mais atrativo quanto ao novo formato, as mudanças em sua estrutura só somaram ao trabalho tão importante que já desenvolvemos junto aos adolescentes. Ao acrescentar o capítulo “Hoje a importância vital de uma educação ética”, considerei pertinente, pois antes de iniciar o estudo do livro, discutia com os alunos sobre a importância da ética para a vida em sociedade. Profª. Maria de F. Coelho

Eu não estou em sala de aula, gosto de ler com minha filha o jornal, a partir dos assuntos conversamos bastante.

Vejo que ela tem suas próprias ideias a respeito de política, economia e educação, relatos em relação às pessoas. O jornal Corujinha é um “pé de conversa”. Continuem com esse trabalho, é muito bom! Sirlandia França

Trabalhamos em 2012 no Col. Madalena Sofia (Curitiba/ PR) com a Coleção Filosofia, o Início de uma Mudança no Ensino Fundamental 2. Tivemos ótimos resultados, principalmente com as turmas de 6º e 7º anos, onde as aulas de Filosofia se tornaram uma das preferidas pelos alunos. Inclusive com a turma do 8º ano na consolidação e revitalização do nosso Grêmio Estudantil. Em reunião com o gestor professor Claudio, decidimos formalizar o convite para que realizemos o Projeto Filósofo na Escola e demais projetos apresentados neste ano pelo Centro de Filosofia. Profª Camila Roberto

Sou casado, pai de três filhos maravilhosos (desculpem a corujice), vovô do Rafael, este enorme presente de Deus, e esperando mais um netinho para junho e uma netinha para agosto, se Deus quiser. Muito do que sou devo certamente, antes de tudo, à minha família, mas também aos mestres que tive. Correndo o enorme risco de ser injusto, agradeço aqui a todos eles. Corujinha: Que "paixão" motivou você para se tornar educador? Essa é uma pergunta bastante importante e delicada. Tenho que mexer um pouco em minhas memórias, sobretudo na memória afetiva. Penso que, a rigor, o fato desencadeador foi uma experiência que tive, em 1973, a partir do convite que um amigo fez, na época em que cursava a Escola Técnica Industrial Lauro Gomes, em São Bernardo do Campo/SP. Era uma escola incrível, de tempo integral; tínhamos mais de vinte organizações de alunos, desde estação de rádio, clube de física, até corrida de carrinho de rolimã. Uma das atividades era a comunidade de jovens. Eu estava no terceiro ano de eletrônica, e o amigo Wilson Rocha Filho convidou-me para dar umas aulas de reforço, na Vila Carioca, em São Paulo, numa igreja muito simples tocada por umas irmãzi-

nhas missionárias. Ali, encontreime com alunos, de escola pública, que estavam com dificuldade em Matemática. Fui mais pela amizade, pois não sabia bem o que ia significar aquilo. Mas lembro-me que aquela experiência me marcou, porque senti um prazer, uma alegria muito especial, ao ver que, com aquele pouco conhecimento que eu tinha, afinal era um aluno de terceiro ano de uma escola técnica, pude ajudar aquelas crianças, aqueles jovens. Creio que essa foi uma experiência fundadora dessa minha paixão, desse meu desejo de ser professor. Corujinha: A escola é um local privilegiado para o desenvolvimento da sensibilidade humana? Vejo que realmente uma das grandes tarefas que temos na educação é o desenvolvimento da sensibilidade. Tenho insistido muito

nessa questão, do papel do olhar. Que é um ponto, por exemplo, que Rubem Alves já vem trabalhando há muitos anos. Trata-se dessa necessidade de uma mudança de olhar por parte do professor em relação aos alunos e, através dessa mudança de olhar, conseguir ajudar também os alunos a mudarem seus olhares. Porque, para mim, há uma questão básica: conseguirmos apreender, preservar, aquele olhar da criança, aquela sensibilidade da criança que não foi ainda formatada, que não foi ainda estampada, que não foi ainda domesticada, que não foi ainda imbecilizada. A criança tem muito essa sensibilidade, esse olhar marcado por um brilho, marcado pela confiança, marcado pela curiosidade, pelo carinho, pela pureza, pela alegria, pelo lúdico, pela ingenuidade. É preciso que aprendamos, reaprendamos esse olhar. E, em alguns casos, não só nós adultos, mas também algumas crianças, que já perderam esse olhar, em função do seu processo equivocado de socialização, de (des)educação. E

sores, seus pais, seus educadores, aos adultos com os quais convivem, no sentido de que esses adultos não percam aquela atitude básica da filosofia que é o espanto, aquela capacidade de estranhamento, aquela curiosidade, aquela disposição epistemofílica, aquele desejo, aquela motivação, enfim, aquela busca do saber, aquela consciência da incompletude, como nos diria Paulo Freire (é claro que tudo isso na linguagem da criança). Creio que a grande contribuição que as crianças podem nos dar é ajudar-nos a manter, a não perder esse espanto, essa atitude básica da filosofia, que é esse não conformismo. A disposição de perguntar sempre: Por quê? Para quê? Como? Onde? Enfim, essas relações, todas essas perguntas que, de um modo geral, as crianças têm, mas que depois são sufocadas. Sabemos que é um jogo muito pesado porque os adultos, a meu ver, no fundo, morrem de medo dessa atitude. Porque quando os adultos começam a se integrar, no

“Enquanto crianças, enquanto jovens que participam da comunidade de aprendizagem, desses projetos todos, quero dizer que, apesar de tudo, não abram mão de sua forma básica de ser. A humanidade precisa muito resgatar esse elemento que trazem.”

ajudá-las a crescer, a desenvolverse, mantendo essa sensibilidade, mantendo esse olhar, ou um mínimo desse olhar, digamos assim, considerando todos os fatores que condicionam a ação humana ao longo da vida. Não perder um certo grau de ingenuidade, a capacidade de confiar no outro, essa meiguice no olhar e, sobretudo, uma boa dose de curiosidade, do desejo de saber. Estas são marcas fundamentais de uma sensibilidade que está se perdendo na sociedade. A sociedade está muito embrutecida e imbecilizada... Corujinha: O que dizer aos alunos (Ed. Infantil ao EM) que estão aprendendo a filosofar em suas escolas em todo o País? Eu diria: que eles possam ajudar aos adultos, seus profes-

pior sentido, no sistema, essas interrogações incomodam demais. Para uma pessoa que está se vendendo ao sistema, que abriu mão dos seus sonhos, abriu mão das suas relações, abriu mão dos seus projetos, dos seus valores, em nome de se dar bem, de ser uma pessoa de sucesso nesse sistema, é muito dolorido ouvir, sentir (sim, pois a criança pode não dizer uma palavra, mas seu olhar é implacável...) questionamentos nesse nível de um toquinho de gente. Mexe profundamente com a opção que fez e que muitas vezes não quer tomar consciência. Então, a raiva que tem, o seu ódio inconsciente

com esta situação volta-se contra a criança. É assustador! Precisa silenciar a infância que interroga... Enquanto crianças, enquanto jovens que participam da comunidade de aprendizagem, desses projetos todos, quero dizer que, apesar de tudo, não abram mão de sua forma básica de ser. A humanidade precisa muito resgatar esse elemento que trazem. Embora, em alguns casos, possam se manifestar num nível elementar, a raiz de tudo está aí. Que possamos fazer aquele percurso preconizado por Paulo Freire: passar da curiosidade ingênua à curiosidade epistemológica. Todavia, se não há essa curiosidade ingênua, não haverá a curiosidade crítica. Não é possível fazer essa transposição, essa superação para a curiosidade epistemológica. Neste percurso, os adultos têm um papel muito importante, enquanto mediadores, portadores da cultura. Nosso papel histórico-cultural é fundamental, desde que consigamos fazer, de fato, o encontro entre o olhar ingênuo, mas profundamente inquietador, que é o olhar de espanto da criança, e os elementos da cultura. Para isso, contudo, é preciso que a criança se mantenha enquanto tal, com essa capacidade de questionar, de interrogar, enfim, manter o espanto! Corujinha: Como educador e intelectual orgânico, deixe uma mensagem aos nossos leitores na caminhada dos 25 anos. Bem, a minha mensagem é de total apoio a vocês. Se não me falha a memória, creio que conheço o professor Silvio há mais de 20 anos. E tenho visto, ao longo destes anos, ora mais de perto, ora mais de longe, de acordo com as dinâmicas de vidas, todo o esforço, toda a dedicação, toda a seriedade desse grupo, no sentido de buscar mediações, a produção de materiais, de orientações didáticas curriculares, para favorecer esse processo todo que também defendemos. Então, a minha palavra é de muito carinho, de muito apoio a todo esse projeto. Desejar, pelo menos, mais 25 anos com este trabalho. Que o Centro de Filosofia Educação para o Pensar possa se ampliar, que mais e mais as pessoas possam conhecer e compreender a sua proposta filosófica e pedagógica. Que este trabalho possa ser cada vez mais conhecido, difundido e implantado nas escolas brasileiras.

LEIA em www.portalser.net e www.editorasophos.com.br “Conversa com Educadores” a entrevista completa do Prof. Celso Vasconcellos. w w w . p o r t a l s e r. n e t

3


Educação Reflexiva em Escolas

Educação Reflexiva em Escolas

4

Formação Continuada Col. Salesiano Paralela – Salvador/BA Col. Machado de Assis – Joinville/SC

Col. Notre Dame – Passo Fundo/RS ITECNE – Cascavel/PR

Col. Novo Ello – Salvador/BA Col. Menino Jesus – Passo Fundo/RS

Colégios do Oeste do Paraná ampliam discussões e projetos

Col. Intentus – Toledo/PR Rede Divina Providência – Florianópolis/SC

Quando escolas e professores buscam transformar a sala de aula em Comunidades de Aprendizagem Investigativa, quando educadores percebem a importância de leitura, estudo, reflexões e discussões, surge a necessidade e a importância da Formação Continuada. Na Semana Pedagógica de 2013, preparatória ao início das aulas, vários colégios abriram espaços para os trabalhos de entendimento e aprofundamento teórico e prático no Programa filosófico-pedagógico que defendemos há duas décadas e meia. Vamos conferir: Todos os educadores em uma Educação Reflexiva Col. Salesiano Paralela – Salvador/BA

No final da Semana Pedagógica, no mês de janeiro (30), aconteceu no Col. Salesiano da Paralela, em Salvador, com a presença do autor e presidente do Centro de Filosofia, Prof. Silvio Wonsovicz, a palestra e o início dos trabalhos filosóficos com os educadores. Participaram todos os professores, coordenações e direção. O objetivo do envolvimento de todos, conforme abertura feita pelo Diretor Pe. Raimundo: “Buscamos e queremos que todos ensinem os conteúdos de maneira reflexiva e filosófica, estabelecendo com o Centro de Filosofia uma parceria sólida. Esta é a garantia de caminharmos seguros neste e nos próximos anos por uma aprendi-

zagem filosófica e reflexiva com todos os professores e alunos”. Na parte da manhã, ocorreu a palestra, com sinalizações do que será realizado, e no início da tarde a primeira assessoria aos professores da disciplina de filosofia que adotam com seus alunos a Coleção Novo Espaço Filosófico Criativo do 1º ao 9º ano. Depoimento: “Os educadores necessitam desenvolver uma Educação Reflexiva capaz de realizar diálogos filosóficos que valorizem a relação entre as disciplinas. Que os nossos alunos se tornem pessoas com espírito humanista, capazes de ver os que estão ao seu redor. Enxerguem a partir dos seus conhecimentos e assim tenham vontade de mudar a realidade em que vivem”. – Profª. Kyria P. Cu-nha – 3º ano fundamental.

Colégio retorna utilizando nossos livros e nosso Programa Filosófico Col. Machado de Assis – Joinville/SC Dias 4 e 5 de fevereiro, na Semana Pedagógica, ocorreu a retomada da Formação Continuada dos professores, visto que há anos atrás, com a Filosofia, buscaram-se outros caminhos. Ao retornar em todo o Ensino Fundamental, todos os professores discutiram e aprofundaram os conhecimentos e as ações presentes no Programa Educação para o Pensar, em seu viés reflexivo, emancipatório, conscientizador, com perspectivas e desafios. Todo o trabalho foi coordenado pelo assessor filosófico Prof. Luciano.

Depoimento: “Em nossa proposta, apresentamos a escola humanizada e humanizadora, a educação como caminho de realização e transformação do ser humano em pessoa humanizada, consciente, reconhecido em suas dimensões, produtor de conhecimento e de transformação. Com o Programa Educação para o Pensar do Centro de Filosofia e Editora Sophos, tenho absoluta certeza de que a grande maioria dos professores estarão dando muito de si para que a proposta reflexiva possa dar certo. Acredito que temos que acompanhar,

fazer junto e vigiar para que as ideias e reflexões nesta capacitação entrem de fato no cotidiano da escola, dos professores e alunos. A semente foi bem plantada, agora vamos cuidar para que germine e dê bons frutos. Agradeço ao Centro de Filosofia, ao professor Luciano, e contem conosco para o bom uso do material didáticofilosófico”. Diretora Sandra Calegari.

Sempre presente e vibrando com a Filosofia Florianópolis/SC

Com alegria e gratidão, queremos agradecer pela colaboração, parceria e presença valiosa em nossa Semana Pedagógica de 2013, no dia 4 de fevereiro, na Sede da Mantenedora. O evento oportunizou aos colaboradores da SDP crescimento, socialização de saberes para inovar, renovar e refletir suas práticas educativas e fortalecer seus valores enquanto pessoa e educador de nossas instituições educativas. Agradecemos sua generosa contribuição e rogamos a Deus que envie suas mais ricas bençãos. Irmã Rita Fambomel. w w w . p o r t a l s e r. n e t

Col. Intentus – Toledo/PR ITECNE – Cascavel/PR No dia 30 de janeiro, o assessor do Centro de Filosofia, prof. Luciano, esteve no oeste do Paraná, onde aconteceram encontros com escolas parceiras. No Colégio ITECNE, juntamente com o prof. Ederson, de filosofia, e a coordenadora Francieli, foram anunciadas as novas ações do Centro de Filosofia e a retomada da parceria, com a apresentação dos cadernos de subsídios para auxiliar os professores, distribuição de senhas para acesso e espaço para propor projetos a serem realizados na escola. Dia 31 de janeiro, o prof. Luciano esteve na Escola Intentus de Toledo. Escola pioneira da educação reflexiva com o Centro de Filosofia na região. Foi realizado um encontro com 15 professores da

educação infantil e fundamental I e a participação da Diretora Doracildes e coordenadora Gislaine. Nesta formação, o foco de discussão foi uma escola reflexiva, com professores reflexivos, educadores de alunos reflexivos, ligados a propostas, projetos e perspectivas para o ano letivo oferecidos pelo Centro de Filosofia.

A Rede de Educação Notre Dame caminha junto Col. Notre Dame e Col. Menino Jesus – Passo Fundo/RS No dia 08 de fevereiro aconteceu a Formação dos professores do Fundamental I dos Colégios Notre Dame e Menino Jesus, de Passo Fundo. O assessor filosófico e pedagógico Prof. Luciano Tartari coordenou a formação, onde 36 professores participaram ativamente do encontro. Foi possível discutir a retomada da parceria com o Centro de Filosofia, bem como refletir com os professores sobre os caminhos do ensino reflexivo, tendo a disciplina de filosofia como eixo norteador. Depoimento: Iniciamos novamente as atividades junto com o Centro de Filosofia, frisando a importância da Educação para o Pensar em todas as áreas do conhecimento. Reconhecendo que a filosofia é muito mais que um intercâmbio entre as disciplinas, ela permite aprofundar o conhecimento sobre o humano e também possibilita a articulação necessária ao desenvolvimento do pensamento complexo. - Daniela Dal´maso e Cristina Moller - Coordenação Fund. I.

Depoimento: “Para lidar com a complexidade do mundo atual e com a multiplicidade de informações, é vital que as pessoas (professores e alunos) fortaleçam a capacidade de pensar. Pensar bem diante dos desafios éticos, tecnológicos, econômicos, políticos e científicos propostos pelo mundo contemporâneo.” Doracildes e Gislaine.

Há anos compromissos com a Formação Continuada Col. Novo Ello – Salvador/BA O espaço que se constrói para receber os alunos é também o espaço para a Formação Continuada dos educadores. Por isso, no dia 31 de janeiro, durante a Semana Pedagógica, aconteceu mais uma manhã de estudos teóricos e práticos junto com o assessor Prof. Silvio. Estavam presentes todos os professores da Ed. Infantil ao Ensino Fundamental II, coordenações e direção. No Col. Novo Ello, conforme afirma o Diretor Prof. Marcos, “nossos professores, junto com seus alunos, são os construtores de um novo saber, que pela Filosofia, desde a Ed. Infantil até o Fundamental II, oportuniza os alicerces de uma nova sociedade”. Nota-se em toda estrutura física do colégio, bem como na coordenação dos professores em suas disciplinas, uma preocupação filosófica com o saber.

Depoimento: : “Para que se tenha uma boa convivência no ambiente escolar ou na comunidade, é necessário seguir regras, pois através delas aprendemos a trabalhar em grupo (ouvindo opiniões e críticas). Nós, como educadores, devemos proporcionar aos alunos momentos de concentração, deixando-os à vontade para pensar e expor suas opiniões. A palavra convence e o exemplo arrasta”. Profª. Patrícia Azevedo e Celane Oliveira.

Centro de Filosofia oferece Formação na modalidade EaD Florianópolis – SC. Os cursos de Educação a Distância são voltados para a formação contínua de professores que ministram a disciplina de Filosofia nos níveis Infantil, Fundamental e Médio. Neste semestre, oferecemos três cursos, cada um objetivando a preparação para o trabalho pedagógico e filosófico em sala de aula: Curso - Construindo as bases do pensar reflexivo com crianças, adolescentes e jovens. Curso - Os desafios de conhecer, agir e ser – do 6º ao 9º ano. Curso - Estratégias para a construção do conhecimento na prática reflexiva do Ensino Médio. A carga horária de cada curso é de 80 horas e o CENFEP emite certificado de participação ao final do aprendizado. O período de duração de cada curso é de dois meses (abril e maio/2013). Todo o material didático utilizado é disponibilizado ao estudante no ambiente virtual do curso em que estiver inscrito. O acesso à sala de aula virtual de cada curso é obtido por meio de senha enviada após a inscrição online e a efetivação do pagamento do curso. Mais informações em http://www.centrofilos.org.br/ead_2013/

w w w . p o r t a l s e r. n e t

5


Assessoria Filosófica Pedagógica

Assessoria Filosófica Pedagógica

6

7

Projetos e ações que transformam escolas e alunos Com uma equipe de assessoria filosófica-pedagógica, o Centro de Filosofia, a Editora Sophos e o Sistema de Ensino Reflexivo – S.E.R. elaboram planos de ações para que cada vez mais as atividades reflexivas sejam efetivas. Com isso, oferece às escolas de todo País uma educação mais reflexiva, empenhando-se para que as ações (= projetos) tenham qualidade, agilidade e sempre potencializem a partilha de saberes. Projeto “Formação Continuada e a Distância – EaD do SER” – Esta ação do Centro de Filosofia e do Sistema de Ensino Relexivo visa a oferecer cursos na modalidade ensino a distância, semipresencial e presencial, com temas sobre o Programa Educar para o Pensar. São cursos abertos duas vezes ao ano (1º e 2º semestre – EaD online) para todos os interessados. Cursos monitorados por tutores capacitados, que acompanham os professores em sua busca de aprofundamento teórico e melhor desempenho na prática de sala de aula. São cursos direcionados à pesquisa e compreensão da proposta filosófica e pedagógica do Programa, em vista de uma educação reflexiva. Escolas parceiras que adotam os livros e o programa podem fazer a formação de todos os seus professores na modalidade “in company”, que envolve parte presencial e parte online da formação.

Projeto Exposição “Corujas Itinerantes: refletindo sobre Símbolos e Sinais” – Visa a resgatar a

discussão sobre os símbolos e sinais, e principalmente a relação dos símbolos na filosofia. Aborda a importância histórica, cultural, social dos símbolos e sinais, fazendo ligação com toda a problemática que envolve uma educação reflexiva. Essa discussão peculiar tem intenção de envolver os professores das diversas disciplinas, alunos e pais, para que possam construir um espaço de aprendizagem criativo, crítico e criterioso.

Projeto “Filósofo na escola” – Quer levar o professor assessor (filósofo) a participar das aulas junto com os professores de filosofia e de outras disciplinas, e assim ampliar a reflexão e o debate em torno do fortalecimento da Comunidade de Aprendizagem Investigativa.

O dia D... Projeto “O dia D... Reflexões filosóficas” – Este projeto abrange o envio de artigos eletrônicos a cada quinta-feira. A socialização das reflexões acontece para mais de 25.000 cadastrados em nosso banco de dados, via e-mail. Professores escrevem artigos (convidaremos os professores de sua escola para escreverem) sobre os mais variados assuntos e a partir da relevância são publicados virtualmente. Todos os artigos ficam disponibilizados no blog http:// boletimodiad.blogspot.com.br/ e a partir da relevância em outras mídias do Centro de Filosofia, da Editora Sophos e do Sistema de Ensino Relexivo.

Projeto “Filosofar é só começar” – No decorrer das duas décadas e meia de existência, sempre houve ações filosóficas e pedagógicas junto à educação pública (municipal e estadual). Esse projeto visa a subsidiar e assessorar professores de filosofia e das séries iniciais que montam projetos reflexivos, e assim contribuir para a melhoria da qualidade do ensino público e o aumento da autoestima dos educadores e educandos. Funciona como incentivo para que escolas públicas organizem projetos reflexivos, e após análise e aprovação pela Equipe de Assessores, esses estabelecimentos são indicados para receber da Editora Sophos os livros para os alunos, e a seguir o Centro de Filosofia acompanha e organiza as assessorias.

Projeto “Assessoria Filosófico-Pedagógica” – A equipe de filósofos está sempre atuante e à disposição dos professores. O diferencial desta presença, em comparação com outras propostas, é que a escola conta com momentos de visitas e encontros direcionados especialmente aos professores. São momentos ricos, que servem para trocas de experiências, momentos de tirar dúvidas, retomada na proposta do Programa Educar para o Pensar.

Projeto “Jornal Corujinha” – O “Corujinha: Jornal de ideias da Filoso-

fia com crianças, adolescentes e jovens” existe há duas décadas. É o veículo oficial de comunicação escrita do Centro de Filosofia, da Editora Sophos e do Sistema de Ensino Reflexivo. Visa a compartilhar experiências vividas nas escolas por professores dos mais diversos níveis de ensino e áreas de conhecimento. O Corujinha é publicado ao final de cada trimestre, e as escolas que trabalham com nosso Programa e nossos livros filosóficos e didáticos são convidadas a enviar notícias.

Projeto “Troféu Amigos da Filosofia” – Um troféu é uma demonstração do reconhecimento dos feitos pela comunidade, um prêmio que valoriza os esforços, a coragem e a dedicação por uma causa. Estamos vivendo um tempo de redescoberta da importância do pensamento filosófico na vida cotidiana. O Centro de Filosofia Educação para o Pensar, a Editora Sophos e o Sistema de Ensino Relexivo defendem um ensino reflexivo-filosófico em todos os segmentos escolares. Na história de nossa existência (data da fundação – 18/07/1989) junto aos professores, às famílias, aos alunos e colégios de todo país, sempre defendemos a importância de ensinar e aprender a filosofar. Foi pensando nisso que instituímos o prêmio “Amigos da Filosofia”. Um troféu entregue todos os anos aos educadores e às instituições que têm ações em favor de um ensino filosófico, que apresentem e executem projetos significativos em prol de um ensino da filosofia e de uma educação reflexiva.

Projeto “Escrevendo a história a várias mãos”: [parte I – 1989 a 1994]

Projeto “Educadores reflexivos escrevem sobre sua história – PhiloS” – Com

intenção explícita de motivar os professores a escreverem sobre suas práticas, pesquisas e reflexões, e assim ampliar as reflexões filosóficas e pedagógicas. É a motivação para que todos os educadores registrem suas práticas pedagógicas e filosóficas, busquem embasamentos teóricos e pesquisem outras visões sobre o assunto. Isto com a intenção de estimular a produção acadêmica e a elaboração de textos científicos. O Centro de Filosofia, a Editora e o Sistema de Ensino Relexivo lançam semestralmente a Revista Brasileira de Filosofia Fundamental – PhiloS. Uma revista online onde professores são convidados a escrever artigos e socializá-los.

Projeto “Café com Ideias” – Tem a intenção de despertar nos estudantes, junto com seus professores, o interesse pela pesquisa, investigação, argumentação e discussão. A razão é o objeto de estudo da filosofia, e por isso permite que o “fazer filosofia” nunca se esgote, mas seja fonte de conhecimento incomensurável e inesgotável.

AÇÕES EM SUA ESCOLA: Com a sua escola, que faz a opção de utilizar nossas Coleções e nosso Programa junto aos alunos, queremos realizar os projetos acima descritos. Propomos que, após a análise dos projetos e de suas particularidades, possamos escolher as melhores ações e verificar os melhores momentos para agendarmos a realização da Assessoria e a organização das ações coletivas.

O Centro de Filosofia Educação para o pensar é composto por pessoas que têm sua história e que construíram em conjunto a história dessa estrutura que está chegando aos 25 anos. Conforme Eduardo Galeano, jornalista e escritor uruguaio – “Quando está realmente viva, a memória não contempla a história, mas convida a fazê-la”. Nesta perspectiva se escreve e faz a história do Centro de Filosofia. Começa com um relato dos seis primeiros anos de atividades, e nos próximos jornais desse ano (junho, setembro e outubro) completa-se a história dos preparativos para o Jubileu.

Primeiros seis anos: 1989 – 1994 1989 – Em 18 de julho data oficial da criação do Centro de Filosofia.

– Durante o 2º semestre, cursos de formação de professores em Florianópolis.

1990 – Realização do 1º Encontro Estadual de alunos e professores de Filosofia [Florianópolis/SC].

– No ano cursos de formação e assessoria aos professores em Santa Catarina.

1991 – Realização do 2º Encontro Estadual de alunos e professores de Filosofia [Curitibanos/SC]. – Cursos de formação e assessoria aos professores em Santa Catarina e Paraná.

w w w . p o r t a l s e r. n e t

1992 – Realização do 3º Encontro Estadual de alunos e professores de Filosofia [Tubarão/SC].

– Lançamento do Jornal de Ideias da Filosofia com Crianças, Adolescentes e Jovens – CORUJINHA. – Cursos de formação e assessoria aos professores em Santa Catarina, Paraná e abertura de escolas no Rio Grande do Sul.

1993 – Lançamento da Revista Brasileira de Filosofia Fundamental – PhiloS.

– Vários cursos de formação e assessoria aos professores em Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

1994 – Realização, em Florianópolis, do Iº Encontro Nacional de Educação para o Pensar (palestrantes: Prof. Mathew Lipman [EUA], Ann M. Sharp

[EUA], Eugenio Echeverría [México]). – Ampliação dos cursos de formação e assessoria aos professores em Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

w w w . p o r t a l s e r. n e t


Filosofando nas Escolas

Filosofando nas Escolas

8

9

Crianças brincam, fazem relações ... são filósofas Educação Infantil

As crianças na Ed. Infantil e nos primeiros anos escolares questionam e investigam sempre. Estão querendo saber de tudo e entender o que e como tudo acontece. Por isso, elas têm algo em comum com os filósofos, estão e são inquietas, curiosas, questionando tudo, e, muitas vezes, é só o questionamento que importa.

Tecendo a manhã Um galo sozinho não tece uma manhã: ele precisará sempre de outros galos. De um que apanhe esse grito que ele e o lance a outro; de um outro galo que apanhe o grito de um galo antes e o lance a outro; e de outros galos que com muitos outros galos se cruzem os fios de sol de seus gritos de galo, para que a manhã, desde uma teia tênue, se vá tecendo, entre todos os galos.

se entretendendo para todos, no toldo (a manhã) que plana livre de armação. A manhã, toldo de um tecido tão aéreo que, tecido, se eleva por si: luz balão.

Sejamos companheiros nessa viagem, viajemos juntos, em longa, atenta e saborosa conversação filosófica. Que em nosso diálogo possamos tecer um amanhã luminoso já desde a Educação Infantil e por todo processo escolar.

(MELO NETO, João C. de. A educação pela pedra. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1966.)

E se encorpando em tela, entre todos, se erguendo tenda, onde entrem todos,

Soltar os pensamentos ... Filosofar desde a Ed. Infantil É fundamental que junto com as intenções e as teorias tenhamos caminhos para trilhar. Ajudar as crianças e educadores a soltar os pensamentos. Fazer uma filosofia viva e transformadora, tendo referenciais e caminhos que estão sendo trilhados em escolas públicas e particulares do nosso país. Em 2001, foi lançado o livro de filosofia para a Educação Infantil chamado O Meu Quintal. Uma novela filosófica na qual os protagonistas são o galo e a coruja, levando em consideração que a coruja era de Minerva, aquela que só levanta voo quando cai o entardecer. E lemos em Hegel que é preciso pôr ao lado da coruja de Minerva o canto do galo que, de madrugada, olhando para frente, para o futuro, anuncia o dia que está por vir. Ele exprime o que deve ser, o ideal que ainda não se concretizou, mas que estamos antecipando. Em 2007, essa novela filosófica foi reescrita e passou a ser utilizada com os alunos da alfabetização (1º ano). Nesta nova edição, além da coruja e do galo, foram acrescentadas duas outras aves, o beija-flor e o quero-quero. Ambas representando um modo de fazer filosofia viva (beija-flor como filósofo latino-americano e o quero-quero como filósofo sul brasileiro). No jornal do 2º trimestre, traremos as comparações entre os símbolos (aves) e o fazer filosofia (crianças, filósofos).

Ensino Fundamental I

As crianças são naturalmente “questionadoras e investigadoras”, admirando-se (no sentido aristotélico do filosofar) com o mundo em que começam a existir. Motivadas por uma fome de compreender todas as coisas, fazem uma imensidade de perguntas, pois há uma disposição para aprender e compreender, e aí surge o primeiro filosofar, pois tudo é novidade, e é preciso falar sobre isso.

Filosofando com crianças a partir dos 3 anos “Ser filósofo é amar o saber e viver, desde a mais tenra idade, em busca da verdade”. Com esta afirmação, a autora Maria das Neves motivou-se para a concretização do livro “Filosofando com Fadas e Bruxas: com crianças a partir dos 3 anos”. Com seus alunos e em sintonia com as famílias, iniciou um projeto de filosofar vivo num colégio em Florianópolis/SC. Em 2005, esse projeto transformou-se no livro da Ed. Infantil, na Coleção Filosofia o Início de uma Mudança. Em suma, a construção do pensamento filosófico está na possibilidade de direcionarmos o sentido e o significado do cotidiano das crianças, partindo do imaginário infantil, de tal maneira que estas sejam coautoras das respostas aos seus questionamentos sobre o mundo. Conforme a profª Maria das Neves: “minha expectativa é apresentar aos professores de crianças pequenas uma proposta que busque na filosofia, no lúdico, nas brincadeiras, uma forma de trabalhar com prazer o Cuidar e o Educar na Ed. Infantil, sem a pretensão de oferecer uma receita ou dar um direcionamento pedagógico”. Ela defende que não se ensina Filosofia, mas que deve o educador como mediador, nos diferentes espaços educativos formais e informais, criar condições para o filosofar e assim alcançar o objetivo de filosofar na e com a infância.

Conforme a Profª. Simone Dias Haverroth, do 5º ano da E.E.F. Santa Terezinha, sobre suas aulas de filosofia: “Começou com um diálogo com os alunos acerca de uma coleção de corujas, pois sempre gostou de colecioná-las. Um dia, conheceu alguém que também gostava de colecionar corujas, e acabaram se transformando em grandes amigos. O tempo passou, e depois de algum tempo descobriram que esta amizade havia se transformado num grande amor, então resolveram se casar. E, com isso, juntar as coleções de corujas”. A história, que encantou as crianças, serviu de fio condutor para o início do tema: corujas e, automaticamente, Filosofia. Assim, deu-se a primeira aula de filosofia, com a apresentação do símbolo e o significado da palavra filosofia e a solicitação de uma pesquisa sobre as corujas.

Col. Intentus – Toleto/PR.

Com este conhecimento, uma mascote foi introduzida na turma: uma corujinha de pelúcia Sofia, que passou a fazer parte das aulas de filosofia e visitar as casas das crianças. A cada dia, uma criança levava a coruja para dormir em sua casa. Conforme afirmação da Simone: “as aulas de filosofia só fazem sentindo se forem concretizadas por diálogos reflexivos. Assim, para que acontecessem momentos dialógicos, algumas regras deveriam ser criadas e entendidas pelas crianças. Outras reflexões estão sendo realizadas em torno do “eu” e da conquista de um mundo melhor, ou seja, como contribuir para a construção de um mundo melhor. Além das regras de convivência, o que faz eu ser eu, e o que acontece nas aulas de filosofia.

Filosofia na educação tem o papel importante de contribuir na aprendizagem, na formação intelectual, ética e social, possibilitando competências que não se esgotam na habilidade intelectual, mas que, a partir de uma formação geral, possibilitam uma ação do educando, em seu universo social, a partir de uma postura crítica diante do quadro ideológico que muitas vezes sufoca o próprio pensamento. Para lidar com a complexidade do mundo atual e com a multiplicidade de informações, é vital que as pessoas (alunos) fortaleçam a capacidade de pensar. Diante dos desafios éticos, tecnológicos, econômicos, políticos e

científicos, propostos pelo mundo contemporâneo, há que se seguir buscando, na humanidade, aquilo que a caracteriza como tal. Sem dúvida, a Filosofia pode contribuir para a construção de um projeto educacional sério, responsável e consequente. Como o Centro de Filosofia vem sendo nosso parceiro, estamos realizando na Escola o Projeto Corujas Itinerantes: refletindo símbolos e sinais. Está fantástico, cada turma realizando a sua aula inaugural com pesquisas, colóquios, dinâmicas, oficinas com sucata, mosaicos, interdisciplinarmente e com reflexão sobre os Valores Humanos. Houve até caça ao tesouro, onde as pistas eram os valores Hu-

manos que, vivenciados, levavam ao “tesouro” (baú com coruja). Como um dos significados da coruja é a sabedoria, a aula inaugural foi refletir sobre qual a importância que terá o pensar na aula de filosofia e consequentemente em todas as outras disciplinas. Chegaram à conclusão de que a vivência dos Valores Humanos requer uma prática do pensar, começando com o lema da Escola: “ENSINANDO A APRENDER, ENSINANDO A VIVER”. Doracildes, Gislaine, Ligia, Sirlene, Carolina, Dilvania e Milene.

Olhos no céu e pés no chão Colégio Notre Dame – Passo Fundo/RS. Enfileirados, direcionando seus olhares curiosos para o telhado do Colégio Notre Dame e segurando em suas pequeninas mãos balões coloridos, os estudantes de 2º Ano do Ensino Fundamental I vibraram com a surpresa que marcou a aula inaugural de filosofia do segmento. Lá do alto, o símbolo do estudo milenar – que reflete sobre questões relacionadas à existência, ao conhecimento, à verdade, aos valores morais e estéticos, à mente e à linguagem –, a coruja, acenava e interagia com os educandos, sinalizando que, além de fomentar o pensamento filosófico, as aulas serão para lá de atrativas. Ao deixar as alturas e ir ao encontro dos estudantes, reunidos no pátio da instituição de ensino, a coruja trouxe também malas re-

w w w . p o r t a l s e r. n e t

Corujas Itinerantes

E assim começou a aula de Filosofia E.E.F. Santa Terezinha – Tijucas/SC.

Tecendo a manhã Um convite a cada educa- forma transformando a si mesmo dor, desde a educação infantil, e e a sociedade; toda a estrutura escolar para fazer • Ter um olhar crítico e sigfilosofia. É importante então que nificativo em relação aos textos cada educador possa: didáticos. • Aprender novamente a olhar; Bom também é lembrar • Deixar de lado, romper que a Filosofia não é uma viagem com visões cegas, esvaziadas e que se faz sozinho, pelo contrário, cristalizadas de significados; ela é espaço do diálogo de muitas vozes, de muitos olhares, de tan• Perceber que a sua fortos que percorrem seus caminhos, mação não pode ser vista somente entrelaçando os saberes e ousancomo sinônimo de um professor do transcender o já sabido, o já conteudista; vivido, construindo nova morada • Entender que a aprendi- para o homem novo. Veja o que zagem dos alunos se faz na cons- nos diz o poeta João Cabral em trução de conhecimentos, desta seu poema:

Transformação... Crianças filosofando...

pletas de livros. Eram exemplares da obra didática que irá guiar as experiências filosóficas neste ano letivo: “Aprender a Filosofar com os Colegas”, de autoria de Silvio Wonsovicz e Sandra Magalhães Albertino. Contudo, nem só os estudantes matriculados neste segmento tiveram um primeiro contato lúdico e diferenciado com o livro didático da disciplina. A obra “Vamos Filosofar?”, escrita pelos mesmo autores, foi encontrada pelos estudantes de 1º Ano do Ensino Fundamental I somente após uma busca, guiada por pistas deixadas em diversos ambientes da instituição de ensino por dois amigos ainda desconhecidos. Após visitar o parque infantil, a cantina, a recepção e o ginásio de esportes, as

crianças encontraram o Filos e a Sofia, os mascotes do seu estudo e os guardiães do livro. “Atividades como esta despertam o interesse para os estudos que vão se seguir e criam a expectativa de que o pensar filosófico pode ser atrativo e prazeroso. Por isso, para cada segmento, uma aula inaugural, adequada à sua faixa etária, foi planejada”, justifica a coordenadora pedagógica do Ensino Fundamental I do Colégio Notre Dame, Daniela Dal’Maso. Veja mais em - http:// passofundo.notredame.org.br/noticias/aulas-inauguraisde-filosofia/ w w w . p o r t a l s e r. n e t


Filosofando nas Escolas

Filosofando nas Escolas

10

11

Adolescentes construindo um pensar consequente Ensino Fundamental II

Um ensino filosófico no currículo precisa ser dialógico e dinâmico junto aos outros conteúdos. É preciso levar em conta os procedimentos metodológicos adequados, os instrumentos e a visão de avaliação, condizentes com as aprendizagens filosóficas das crianças e dos ADOLESCENTES. Col. Carrossel – Itabuna/BA

Col. Imaculada Conceição – Barbacena/MG

Os alunos dos 7º anos começaram o ano tirando as teias de aranha do pensamento! Para começar a pensar ‘Lógica + mente”, eles quebraram a cabeça tentando desvendar alguns mistérios. Apresentado o problema, os alunos tentaram solucioná-lo através de perguntas que foram respondidas apenas com SIM ou NÃO. Precisaram, então, associar as informações e organizar as ideias para levantar hipóteses e chegar a uma solução. Foi e continua sendo um exercício para o cérebro e uma grande diversão, pois alguns mistérios ainda não foram desvendados. E você, seria capaz?

Alunos do 7 º ano da Escola Carrossel, de Itabuna, interagindo com a onda da rede social Facebook, realizaram projeto de Filosofia a partir do trabalho feito em sala de aula sobre sorites, do livro Pensando Logica + mente. Depois da fundamentação teórica, eles usaram o recurso do Face para cutucar e compartilhar com os colegas a formação de inúmeros sorites. O recorde foi batido, com mais de 1074 acessos. A professora Alane Dias acompanhava o trabalho via web, curtindo cada um dos sorites que cumprissem os critérios de avaliação. Confiram no link o dinamismo, a criatividade e o empenho dos alunos: http://www.facebook.com/alane.dias/posts/283121091778547

Desde a alfabetização, na mais tenra idade, as crianças já lidam com questões de fundo. É um engano considerar que o filosofar é uma atividade abstrata superior, própria somente do pensamento adulto, quando se é capaz de manusear os termos técnicos difundidos pelos grandes pensadores. A Educação para o filosofar é uma educação para o pensar bem, e pensar bem é poder compreender as questões de fundo que se escondem nos feitiços da linguagem, aproveitando suas rachaduras, para perscrutar em suas profundezas os significados mais cheios de amplidão, suscetíveis de compreensão vasta, capazes de aquietar as indagações mais profundas, que podem ser formuladas com o que chamamos “questões de fundo”. Alunos do 4º ano do Fundamental I até o 9º ano iniciaram com bastante empenho as propostas escolares no ano de 2013. Nesse período inicial, já com o objetivo de fortalecer os conteúdos abordados através do livro didático (NEFC), foram desenvolvidas diversas atividades, entre elas: discussões, rodas de conversa, análise de vídeos e filmes, pesquisas e encenações. Um ganho significativo da disciplina de Filosofia são as relações interdisciplinares, que visam a ampliar a capacidade de conhecimento e fortalecer a proposta pedagógica do colégio. Através desse investimento teórico e humano, temos a certeza da contribuição para uma sociedade mais ética e com ações voltadas para o bem comum. Prof. Marcos Rogério Soares

Col. Universitário – Londrina/PR.

Diante da cena: Quarto de hotel, janela aberta, vidro quebrado, chão molhado, casal morto. O que aconteceu?

Aula Inaugural: “Refletir para Transformar” Col. Santa Teresa – São Luís/MA sobre comportamento e respeito. Foi neste viés que a Orientadora Pedagógica do Colégio Santa Teresa (São Luís – MA), Fernanda Couto, e o Professor de Filosofia Thiago Araújo

w w w . p o r t a l s e r. n e t

A importância da Educação para o Pensar

Educação para o Pensar é o caminho da aprendizagem investigativa

Um homem entra em um bar e pede um copo d’água. O garçom lhe aponta uma arma. O homem agradece e sai satisfeito. Por quê?

É de imensa necessidade a discussão de temas como a universalidade dos valores morais, principalmente quando estes contribuem diretamente para a boa convivência entre humanos. Em período de adaptação, após um mês do início das aulas, fez-se uma reflexão

Abrir espaços para uma educação filosófica com as crianças, adolescentes e jovens é, acima de tudo, buscar um novo posicionamento diante da realidade social, ou seja, sair do senso comum e ir para a consciência crítica. Isso não está somente a cargo do ensino da Filosofia, não será ela somente que possibilitará ao aluno as mudanças de atitudes perante o mundo, que o fará agir como sujeito de sua história. Porém, é da sua essência e do seu fazer alcançar tais finalidades, quando é aprendida e vivenciada na escola, junto às demais disciplinas. Col. Salesiano N.S.Auxiliadora – Campinas/SP

Cutuque no SORITES

Sim ou Não... Levantando hipóteses

Fazer um filosofar vivo com os alunos

criaram uma aula pra as turmas de 8º ano do Ensino Fundamental II, buscando refletir sobre o Bullying, discutindo desde o real significado de tal atitude até suas consequências. O ponto norteador da discussão marcada para o dia 22 de fevereiro foi um pequeno documentário sobre o caso Casey Heynes, em que um estudante australiano causou espanto na internet depois da publicação de um vídeo no qual reagiu com violência após ser

agredido diversas vezes por outro adolescente. Após assistir ao vídeo, professor e alunos discutiram sobre o episódio e a repercussão do fato. As colocações mostraram que os alunos acreditam que, apesar das imensas diferenças étnico-sociais, precisamos manter e defender posturas éticas que favoreçam o respeito e a tolerância. “O valor moral é indispensável para a integração dos indivíduos, e para que eu possa me relacionar bem eu preciso respeitar o outro, seu espaço e suas limitações”, comentou um dos alunos. “Promover discussões sobre esses temas é fundamen-

tal para que os alunos possam se colocar no lugar do outro e avaliar situações semelhantes ou outras mais simples que enfrentamos no dia a dia. Além de que quando trabalhamos as diferenças fortalecemos no aluno o orgulho de ser único e a importância de ter características e pensamentos próprios”, completa Fernanda Couto.

No norte do Paraná, fazendo filosofia com alunos e professores, encontra-se o Col. Universitário de Londrina dentre os pioneiros que, junto ao Centro de Filosofia, acreditam que com e pela Filosofia é possível mudar a educação e a relação entre as pessoas. Trabalhar a disciplina “Educação para o Pensar” no Colégio Universitário é auxiliar os alunos no processo de construção de conhecimentos sobre o mundo e sobre eles mesmos. É, antes de tudo, refletir sobre as coisas, as ideias, os fatos, as situações e os comportamentos de nosso cotidiano, não os aceitando, assim como defende

Marilena Chauí, como óbvios e evidentes, e sim buscando compreendê-los através da investigação. Entendemos que a construção desse olhar investigativo é fornecer aos alunos a ferramenta da curiosidade, ferramenta esta tão necessária à formação de um pensamento crítico. Entendendo este pensamento crítico como a capacidade questionadora e deliberativa, que problematiza, examina e avalia as razões, os fundamentos e as crenças. Não se trata apenas de ensinar conceitos, mas sim de estimular o desenvolvimento do pensamento reflexivo e do raciocínio

lógico e crítico. Através de dinâmicas reflexivas, o aluno é chamado a trabalhar as dimensões do corpo e da criatividade, aplicando valores no próprio pensar. Considerando a dimensão da emoção, daquilo que se aprecia, se considera importante, valoroso, tal como o exemplo de uma obra de arte ou a atenção dada às relações humanas. Por criatividade, entendemos a capacidade de inovar, buscar soluções, de ser pluralista, aplicando critérios na busca de juízos que transcendem a si mesmos e enfatizando a variedade e a diferença. Filosofar não é apenas

aprender a pensar, mas também a ouvir e a respeitar a opinião do outro, compreendendo a filosofia como inerente à vida, e contemplando o mundo com admiração e respeito. Nosso propósito não é criar conclusões, mas abrir portas, gerir oportunidades, dar início a um processo, experimentar a vida através de atitudes filosóficas. Professoras: Edilaine Rizzuto Cruz e Juliana Lima Arruda

Filosofar, dialogar, refletir Col. Catarinense – Florianópolis/SC

2013! Iniciou-se a caminhada filosófica no Ensino Fundamental II no Col. Catarinense, em parceria com o Centro de Filosofia e Editora Sophos. Com apenas duas semanas de aulas, as expectativas se confirmaram, conforme depoimento unânime dos professores: “é de grande valia o projeto, o material didático, e a recepção dos alunos foi muito boa”.

Como o projeto e a disciplina são novos nas turmas de 6º ao 9º ano, foi realizada uma introdução geral e motivação em todas as turmas, para em seguida seguir com o conteúdo sugerido para cada série na coleção Novo Espaço Filosófico Criativo. Inicialmente, uma discussão e investigação da ideia e do conceito de Filosofia, partindo dos termos Philos: Sabedoria, Diálogo, Reflexão, e Sophia: Amizade. Em seguida, com o pensamento

de Leonardo Boff, foi feita uma grande reflexão, iniciando os diálogos filosóficos: “Todo ponto de vista é a vista de um ponto. (...) a compreensão é sempre uma interpretação. (...) Cada um compreende e interpreta a partir do mundo que habita.” Em seguida, associado a este pensamento, trabalhamos a questão do “OLHAR”, recolhendo algumas imagens da internet que continham características de ilusão

de ótica. Os alunos perceberam como pode acontecer o diálogo filosófico em sala de aula: • respeitando o ponto de vista do outro; • mudando o seu ponto de vista quando necessário; • tendo presente que ideias e opiniões dependem do contexto no qual estão inseridas ou foram ditas; • percebendo que, apesar de muitas vezes olharmos todos a mesma realidade, nem sempre vemos os

mesmos aspectos ou detalhes dessa realidade; • tomando consciência de que, juntos, através do diálogo, nossos olhares e pontos de vista se completam ou descobrem novos conhecimentos. Foi assim que essa experiência aconteceu, e esperamos que dessa forma entusiasmada continue a mais nova COMUNIDADE DE APRENDIZAGEM INVESTIGATIVA do Colégio Catarinense. Prof. Osnildo - Pedro Baesso w w w . p o r t a l s e r. n e t


Quanto mais a gente se conhece, melhor o nosso

12

13

Relacionamento!

Educadores!

Aguardem nova edição digital com Laboratório de FILOSOFIA Coleção filosófica digital Ao completar 25 anos de existência, o lançamento de nova edição da Coleção Filosofia Fundamental. Lembrando que foi essa a nossa primeira coleção, lançada em 1989, no Auditório da Assembleia Legislativa. Coleção composta por “novelas filosóficas” do 1º ao 9º ano.

Disponibilizamos assessorias, suporte e apoio para suas aulas. Venham fazer parte da grande comunidade filosófica do Centro de Filosofia, da Editora Sophos e do S.E.R.! Vejam alguns benefícios de estabelecermos um relacionamento mais próximo com vocês e suas escolas, quando optam por nosso Programa e nossos materiais didáticos: • Livros Didáticos Integrados – Elaborados num centro de pesquisas e estudos com assessores especializados e links de conteúdos com o Portal SER, o Portal da Filosofia e nossos outros sites. • Ações Filosóficas e Educacionais – Seminários, palestras, cursos presenciais, Ensino a Distância - EaD do S.E.R., troféu Amigos da Filosofia, Projetos FilosóficoPedagógicos. • Assessorias Filosófica e Pedagógica – Uma equipe de educadores e filósofos prestando assessoria online e presencial aos professores das disciplinas e ao corpo docente das escolas em todo o país. • Suporte Tecnológico – Um portal de filosofia – www. portalser.net com recursos e conteúdos, boletins semanais, reuniões virtuais, atendimentos online e sites que complementam os trabalhos de reflexão dos professores e em sala de aula. O grande presente na preparação dos 25 anos – Nova Edição DIGITAL da Coleção Filosofia Fundamental, com a disponibilização do LABORATÓRIO FILOSÓFICO. Aguardem!

PARA SABER MAIS:

• Editora Sophos • www.editorasophos.com.br Rua Cristóvão Nunes Pires, 161 – Centro – CEP 88010-120 – Florianópolis/SC Fone (48) 3222 8826 – 3025 2909 vendas@editorasophos.com.br – vendas@portalser.net w w w . p o r t a l s e r. n e t

► Isso e muito mais estamos preparando para você, educador, que busca uma Educação para o Pensar, uma educação reflexiva em todos os segmentos escolares. ► Completamos 24 anos de trabalhos em prol de um ensino filosófico nas escolas do nosso País. Muito mais queremos fazer e estamos programando muitas atividades. ► Contamos com você! Pois você pode contar sempre conosco.

Caso ainda não esteja cadastrado em nosso PROGRAMA DE RELACIONAMENTO Faça agora mesmo w w w . p o r t a l s e r. n e t


14

15

Assessoria Filosófica Pedagógica atuante Centro de Filosofia e Ed.Sophos – Florianópolis/SC

I

niciar as comemorações dos 25 anos com certezas e sinalizações para vislumbrar caminhos percorridos. Assim a equipe de assessores filosófico-pedagógicos, composta por professores de filosofia e educadores comprometidos com uma escola reflexiva, está à disposição de escolas e professores que trabalham com o Programa e as Coleções. Segue a programação do 1º semestre em cada região:

REGIÃO NORDESTE – Prof. Silvio Wonsovicz – silvio@portalser.net Fevereiro:

- Formação Continuada aos professores dos Colégios Salesiano e Novo Ello Salvador/BA.

Março:

- 19 a 24 – Visita às escolas e organização do Projeto Corujas Itinerantes – Fortaleza/CE.

Abril:

- Realização do Projeto Corujas Itinerantes – Ceará - Maranhão Piauí e Bahia. - Visita às escolas e assessorias em São Luis/MA. - Agendamento das visitas às escolas de Rio Grande do Norte e Paraíba.

REGIÃO SUL – Prof. Luciano Tartari Neto – tartari@portalser.net REGIÃO NORTE e CENTRO-OESTE – Prof. Luiz Carlos Kons – luiz@portalser.net Fevereiro:

- Jornal Corujinha: Escolha e contatos com colégios de Campo Grande para na 2ª quinzena de fevereiro fazer envio de matérias para jornal do 1º trimestre – final de março. - Planejamento dos trabalhos de 2013 e atualização das Fichas SER. - Assessoria às escolas da Região Norte e Centro Oeste e Minas Gerais.

Março:

- Planejamento dos trabalhos de 2013 e atualização das Fichas SER. - Agendamento das visitas às escolas de Minas Gerais. - Assessoria às escolas da Região Norte e Centro Oeste e Minas Gerais.

Abril:

- Agendamento e Visita às escolas de MG para formação de professores e assessoria ao trabalho realizado e visando novos clientes. - Envio do Corujinha para todas as escolas de campo Grande e para as escolas do SESI - MS (Colégios clientes e os que desejo no futuro). - Assessoria às escolas da Região Norte e Centro Oeste e Minas Gerais.

Maio:

Janeiro:

30 - Reunião na Secretaria Municipal de Educação - Cascavel/PR. 30 - Encontro com professores do ITECNE de Cascavel/PR. 31 - Formação de professores do Colégio Alfa Intentus de Toledo/PR. 31 - Encontro com educadores do Colégio La Salle de Toledo/PR.

Fevereiro:

04 e 5 – Formação dos professores - Colégio Machado de Assis/ Joinville. 07 – Reunião na Secretaria Municipal de Educação de Passo Fundo/RS. 08 – Formação dos professores - Colégios Notre Dame e Menino Jesus de Passo Fundo/RS. 14 a 28 – Assessorias e agendamentos via email e telefone.

Março:

04 a 08 – Visita às escolas de São José/SC. 11 a 15 - Visita a escolas de Florianópolis/SC. 18 a 22 – Visita a Escolas do Norte do Paraná (Londrina, Cornélio, Apucarana, Maringá...).

Abril:

01 – Início do Projeto Corujas Itinerantes em SC. 02 – Na Rede Municipal de Educação em Tijucas/SC, início de quatro projetos (EaD do SER, Assessorias, Filósofo na Escola e Corujas Itinerantes). 08 a 12 – Assessorias e vistas às escolas da Grande Porto Alegre e região de Caxias do Sul. 15 a 19 – Assessoria e acompanhamento das escolas.

- Jornal Corujinha: Contatos com colégios e professores para na 2ª quinzena de maio enviar matérias para jornal do 2º trimestre. - Visita às escolas de Campo Grande/MS, Formação e Assessorias. - Realização do Projeto Corujas Itinerantes com as Escolas de Campo Grande e Rede SESI/MS. - Visita às escolas do SESI/MS para Formação e Assessoria. - Agendamento e visita às escolas de Goiânia para formação, assessoria.

Maio:

Junho:

Junho:

- Assessoria às escolas da Região Norte e Centro Oeste e Minas Gerais. - Envio do Corujinha 2º trimestre.

06 a 10 – Visitas às escolas da região norte de Santa Catarina. - Jornal Corujinha: Contatos com colégios e professores para na 2ª quinzena de maio enviar matérias para jornal do 2º trimestre. 13 a 16 – Acompanhamento das escolas da região e assessoria. 20 a 24 – Visita a escolas do sul e oeste de Santa Catarina. – Início do Projeto Corujas Itinerantes no Rio Grande do Sul (Passo Fundo/RS). 27 a 29 – Acompanhamento das escolas da região e assessoria. 03 a 28 – Trabalhos no Centro de Filosofia e Acompanhamentos da Rede La Salle na região Sul (análise dos livros didáticoreflexivos). - Envio do Corujinha 2º trimestre.

REGIÃO SUDESTE – Prof. Geverson Godoy – godoy@portalser.net Janeiro:

- Revisão dos Roteiros pedagógicos 2013 da Coleção Filosofia Fundamental. - Envio do Roteiro pedagógico personalizado para as escolas parceiras. - Atendimento aos professores - Roteiros Pedagógicos 2013.

Fevereiro:

- Propagação do boletim O dia D. - Reenvio do Roteiro pedagógico personalizado para as escolas que adotam as coleções. - Atendimento aos professores inscritos no site dos Roteiros Pedagógicos 2013.

Março:

- Contato com escolas que participarão do projeto Corujas Iti-nerantes. - Criação no Linkedin do grupo “Corujas Itinerantes”. - Organização de conteúdos na página do facebook – “Corujas Iti-nerantes”. - Organização didática das atividades do 2º ao 5º ano no Projeto Corujas Itinerantes. - Assessoria aos professores que adotam o programa e livros didáticos. - Divulgação do Curso EaD do S.E.R.

Abril:

- Início do projeto Corujas Itinerantes. - Assessoria e acompanhamento das escolas. - 15 a 19 - Visita às escolas que adotam o programa na região de Campinas e que participam do Projeto Corujas Itinerantes. - 22 a 26 - Assessoria e formação às escolas da Região de Ribeirão Preto/SP.

- Agendamento das visitas às escolas de Pernambuco, Alagoas e Sergipe. - Jornal Corujinha: Contatos com colégios e professores para na 2ª quinzena de maio enviar matérias para jornal do 2º trimestre.

Junho:

- Formação e assessoria para professores de Fortaleza / São Luís e Teresina. - Encerramento do Projeto Corujas Itinerantes. - Envio do Corujinha 2º trimestre.

Janeiro:

- No Colégio CENCE de Taguatinga - Apresentação do Centro e do Programa. Prática em sala de aula - como trabalhar com o Material. - No Colégio IBAN o IIº Encontro - Práticas em sala de aula: Professores planejam em grupo as aulas e se socializam.

Fevereiro:

- Atendendo Colégios que solicitavam livros e Roteiros de Planejamento. - Colégio CENCE de Taguatinga - Reunião com os Pais - Apresentação do Centro e da proposta Educar para o Pensar. - Colégio CENCE Taguatinga - IIIº Encontro Práticas em sala de Aula: Como trabalhar com o material. - Solicitação de matéria para o Corujinha para todos os Colégios. - Organizando um grupo para o EAD semipresencial no DF.

Março:

- Repassando link dos roteiros pedagógicos e conferindo e repondo os cadernos do Professor. - Atualização das Fichas SER e divulgação do projeto Corujas Itinerantes. - Atualização da página NUFEP-DF no Facebook. - Visita a Escola Classe 312 Norte – Projeto “Filosofar é só começar”.

Abril:

- Oficinas em sala de aula do col. CENCE: “Pais convivendo melhor”. - Práticas em sala de aula com professores do Col.D.Pedro II - 6º ano. - EAD semi presencial. - Início do Projeto Exposição “Corujas Itinerantes: refletindo sobre Símbolos e Sinais”.

Maio:

- 6 a 17 - Assessoria e formação às escolas da Grande São Paulo. - Jornal Corujinha: Contatos com colégios e professores para na 2ª quinzena de maio enviar matérias para jornal do 2º trimestre. - 20 a 31 - Visita às escolas do Rio de Janeiro, acompanhamento do Projeto Corujas Itinerantes, formação e assessoria.

- Práticas em sala de aula com professores do Col. D. Pedro II 6º ano. - EAD semipresencial. - Práticas em sala de Aula com prof. do JK Junior - (Gama, Asa Norte). - Projeto Exposição “Corujas Itinerantes: refletindo sobre Símbolos e Sinais”.

Junho:

Junho:

Maio:

- Encerramento do Projeto Corujas Itinerantes no Rio de Janeiro. - Assessoria aos professores de filosofia e escolas que adotam o programa. - Envio do Corujinha 2º trimestre.

w w w . p o r t a l s e r. n e t

Maio:

Distrito Federal – Profª. Lia Anhesim Bazzo - lia@ liapapelaria.com.br

- Lançamento da Gincana de 1º ao 5º ano entre Colégios da rede. Maior coleção de corujas. Apuração em Agosto na volta às aulas. - Encerramento do Projeto “Corujas Itinerantes” no Distrito Federal - balanços, encaminhamentos... - Projeto Café com ideias. - Formação continuada do 1º ano Fund. I ao Ensino Médio. w w w . p o r t a l s e r. n e t


16

Como participar? Editora Sophos presente nas escolas Florianópolis – SC.

Existem diferenças entre os materiais didáticos para o ensino da filosofia encontrados no mercado e o que temos apresentado durante duas décadas e meia. A Editora não busca somente disponibilizar o material didático, mas tem a preocupação com todo o processo, para que a aprendizagem realmente aconteça (aluno, professor, família). A Editora tem como objetivo primeiro o aluno e o professor, e acredita que mais importante do que o livro é a forma como este é utilizado (dentro de uma metodologia e com objetivos reflexivos). Assim é possível que sua escola SEJA REFLEXIVA:

Coleção Novo Espaço Filosófi co

Criativo

Coleção Filosofia Fundamental

ança

ma Mud u e d io íc In o : a fi o s o il Coleção F

PARA SABER MAIS:

Editora Sophos www.editorasophos.com.br End.: Rua Cristóvão Nunes Pires, 161 Centro – CEP 88010-120 – Florianópolis/SC Fone (48) 3222 8826 – 3025 2909 vendas@editorasophos.com.br – vendas@portalser.net w w w . p o r t a l s e r. n e t

Profile for Admin Sistema de Ensino Reflexivo

Jornal Corujinha 71  

Jornal Corujinha 71

Jornal Corujinha 71  

Jornal Corujinha 71

Profile for portalser
Advertisement