Issuu on Google+

Jornal de Ideias da Filosofia com Crianças, Adolescentes e Jovens Ano XIX - N. 68  •  2º Trimestre - 2011  •  Florianópolis/SC  •  www.portalser.net

“Ações ampliam transformações” Região Norte

Região Nordeste 13º Seminário – Itabuna/BA

28º Seminário – Manaus/AM

15º Seminário – Salvador/BA 29º Seminário – Belém/PA

16º Seminário – Salvador/BA Especial – Lauro de Freitas/BA

Região Centro-Oeste 20º Seminário – Campo Grande/MS

25º Seminário – Fortaleza/CE

21º Seminário – Cuiabá/MT

26º Seminário – São Luís/MA

23º Seminário – Distrito Federal/DF

27º Seminário – Teresina/PI

Região Sul 1º Seminário – Florianópolis/SC 2º Seminário – Tubarão/SC 3º Seminário – Blumenau/SC

C

18º Seminário – Joinville/SC

om equipes de educadores

24º Seminário – São José/SC

preparados e o envolvimento de

Especial – Chapecó/SC Especial – Tubarão/SC

milhares de professores e escolas pelo país, alcançamos com SUCESSO a marca de 40 Seminários Regionais e a ampliação das escolas reflexivas por todo País.

8º Seminário – Maringá/PR 9º Seminário – Londrina/PR 12º Seminário – Curitiba/PR

Especial – Guaíba/RS

Pioneirismo no Ensino da Filosofia Prof. Círio – Secretário Municipal de São José (SC) Página 3

Região Sudeste 4º Seminário – Sul Fluminense/RJ 5º Seminário – Rio de Janeiro/RJ Especial – Rio de Janeiro/RJ Especial Rede SESI – Volta Redonda/RJ Especial Rede SESI – Macaé/RJ Especial Rede SESI – São Gonçalo/RJ Especial Rede SESI – Tijuca/RJ 6º Seminário – São Paulo/SP (capital) 7º Seminário – São Paulo/SP (capital) 10º Seminário – Campinas/SP 11º Seminário – Ribeirão Preto/SP 19º Seminário – São Paulo/SP (capital) 22º Seminário – São Paulo/SP (capital) Especial – Guarulhos/SP

17º Seminário – Porto Alegre/RS

Páginas 6 e 7

Entrevista

Especial – Camaçari/BA

14º Seminário – Vitória/ES

Ações que geram transformações

Materiais didáticos para ações transformadoras

Práxis filosóficas nas escolas

Editora Sophos presente nas escolas

Páginas 8, 9, 10 e 11

Página 12


Editorial

2

As ações ampliam as transformações Q

uando pessoas que acredi-

rio... São 40 (quarenta) seminá-

de estarmos no caminho certo,

Por isso, neste Jornal, te-

tam no que fazem se dispõem

rios pensados, organizados e rea-

junto com escolas, professores

mos a intenção de possibilitar

a multiplicar conhecimentos pa-

lizados com sucesso em seis me-

e parceiros que defendem uma

que aprendamos todos com o

ra dividir sabedorias, surgem as

ses (início em 1/04 e concluídos

Educação Reflexiva, que está

relato do que acontece em algu-

ações que ampliam as transfor-

em 30/09).

transformando a vida de pesso-

mas Redes de Educação que es-

as e instituições.

tão na vanguarda de um ensino

mações (ampliando os conceitos e

Resultados destes seminá-

fazendo as ligações entre o Coruji-

rios pelo país? Muito positivos.

Krishnamur-

reflexivo. Com as reportagens

nha do 1º trimestre e este).

Estamos cada vez mais próximos

ti, numa entrevista há alguns

e notícias sobre o ensino refle-

O

pensador

Estimados leitores, em pri-

das escolas e dos professores que

anos, traçou uma diferença en-

xivo e filosófico realizado por

meiro lugar, um destaque espe-

desenvolvem o ensino filosófico

tre educar e acumular informa-

todo país, retratadas de forma

cial nesta edição aos Seminá-

reflexivo com nosso Programa e

ções. Disse ele: “as escolas exis-

sintética, apresentamos uma

rios Regionais. Cada um pode

nossos livros (assessoria, apre-

tem principalmente para conse-

amostra de que ações levam a

imaginar todos os envolvimen-

sentação de lançamentos, socia-

guir uma transformação profun-

transformações, tanto indivi-

tos necessários: a logística pen-

lização de ações e reflexões filo-

da nos seres humanos, e a res-

duais como coletivas.

sada desde o planejamento até a

sóficas, projetos). Visitamos mi-

ponsabilidade do educador é tre-

Boas leituras e conte conos-

organização, realização e o pós-

lhares de outras escolas e profes-

menda. Há muita diferença en-

co, já esperando que em 2012 a

seminário; a busca de parceiros

sores em cada local, mostrando

tre aprender e acumular conhe-

prática educativa desenvolvi-

(colégios e instituições) que so-

a importância do que temos e o

cimentos. Aprender eleva a inte-

da por você e sua escola estejam

nham e realizam transforma-

que queremos: “que mais educa-

ligência, acumular conhecimen-

junto conosco, transformando

ções; a preparação das palestras

dores e escolas estejam conosco,

tos apenas embota a mente e não

em realidade o conteúdo deste

e oficinas; o cuidado para com o

na linha de frente da Educação

pode solucionar nossos proble-

jornal – “As Ações ampliam as

antes e o depois de cada seminá-

Reflexiva”. Fica a constatação

mas espirituais”.

Transformações”.

Prof. Dr. Silvio Wonsovicz Presidente do S.E.R. (Centro de Filosofia e Editora Sophos)

Opinião dos leitores

Expediente

Espaço para registros e participações dos amigos do S.E.R.

O Corujinha é um Jornal de Ideias do Programa filosófico-pedagógico “Educar para o Pensar: Filosofia com Crianças, Adolescentes e Jovens”. Todas as matérias, ideias e opiniões aqui expressas são de responsabilidade das pessoas que contribuíram para este informativo. Querendo reproduzir partes, favor citar a fonte.

Percebo que o jornal Coruji-

dade, competência na divulgação

cilita o surgimento de ideias e per-

nha é mais do que um jornal de

e multiplicação dos conhecimen-

mite a visualização de outras reali-

ideias da Filosofia com crianças,

tos. Nossa gratidão.

dades. Uma educação com maturi-

adolescentes e jovens. Ele é a prática de que para o verdadeiro conhecimento não existe início nem na esta travessia, esta busca constante pelo SER – que se diz humano, mas esquece de sua verdadeira humanidade – algo instigante to e que continue com a qualidade que nossos jovens realmente precisam para fazer do mundo um lugar cada vez melhor para se viver. Prof. Marlon José de Mello Ipatinga - MG

Rua Cristovão Nunes Pires, 161 CEP 88.010-120 Centro - Florianópolis/SC (48) 3025-2909 / 3222-8826 secretaria@portalser.net www.portalser.net

Quero agradecer  a toda equi-

Revisão: Rodrigo Brasil

w w w. p o r t a l s e r . n e t

Colégio São Francisco - COC. Foi

ceber o Corujinha em minha residência e manter-me informa-

tá colaborando com uma institui-

plorar, investigar e procurar signi-

ção de peso, como me parece ser o

ficados, filosofando.

S.E.R.. Foi a melhor coisa da ca-

Elizabeti Rosa da Silva Tubarão - SC

pacitação este ano. Prof. Leonardo Vieira Caldas Escola SESI Volta Redonda - RJ

da sobre o SER. Sou aluna de Pe-

Através de pesquisa na inter-

dagogia na Universidade Estácio

net conheci o S.E.R., desde então

de Sá - Campus Jacarepaguá/RJ,

utilizo como referência ao prepa-

Dentre as imensas riquezas

e adorei participar do Seminário

rar minhas aulas. Sou professo-

que possuem os materiais da Cole-

Regional que ocorreu no início de

ra do Ensino Médio na rede públi-

ção Filosofia O Início de uma Mu-

maio. Com o Corujinha, vou man-

ca estadual e já adquiri alguns li-

dança, que utilizo para o trabalho

ter-me informada sobre todos

vros da Editora Sophos, bem co-

com  a Filosofia no Ensino Fun-

os eventos, ler as matérias – as

mo tive acesso aos Roteiros Filo-

damental II, destaco as histórias

quais acho de grande valia para

sófico-Pedagógicos. Em relação a

apresentadas como instrumentos

o conhecimento, aprendizagem, e

multiplicar e ampliar os conhe-

propiciadores de reflexões. Ana-

constantes informações.

cimentos, tive a oportunidade de

lisamos com os educandos do 8º

cursar o EaD do S.E.R. nos Cur-

ano a história do folclore da Eu-

sos 1 e 2, os quais foram de muito

ropa Oriental (cf. WONSOVICZ,

importância no aperfeiçoamen-

2006, p. 68-69) sobre os três conse-

to da minha formação.

lhos dados pelo rouxinol ao caça-

Nádia Cristina S. de O. Alves Rio de Janeiro - RJ

cação da matéria sobre o evento “Café Filosófico”, realizado pelo

dade desafia o aluno a indagar, ex-

Fiquei muito honrada em re-

pe do Jornal Corujinha pela publi-

com imensa satisfação que rece-

Projeto gráfico e diagramação: Studio S • Diagramação e Arte Visual (48) 3025-3070

fim, apenas travessia. O jornal tor-

e motivador. Parabéns pelo proje-

Endereço do S.E.R. para correspondência:

Profª.Rosi Vieira Passos - MG

A filosofia é uma necessidade urgente nos  currículos  das esco-

bemos  o jornal e, para nossa sur-

las, sejam elas públicas ou particu-

presa, nos deparamos com a maté-

lares. Nós, educadores do Séc. XXI,

ria publicada, e na íntegra. Nossos

não podemos dispensar a pertinên-

alunos vibraram, juntamente com

cia da Filosofia em sala de aula e

os professores, diretores e pais.

deixar de reconhecer sua impor-

Parabenizamos também a equi-

Profª Ana Cristina Carrieiro da Silva E.E. Profª Maria Antonietta Garnero La Fortezza Hortolândia - SP

dor: “Nunca se arrependa daquilo que perdeu; pare de desejar aquilo que não se pode alcançar e, por fim,

não acredite naquilo que lhe soar

Eu que fico agradecido. Fiz três

falso”. Foi excelente a reflexão fei-

anos de filosofia na UFRJ, achei a

ta por toda nossa Comunidade de

tância no ensino de todas as disci-

palestra de ALTO nível. É o que

Aprendizagem Investigativa.

pe, pelo conteúdo e demais assun-

plinas. Os saberes são intercomu-

está faltando nas escolas, e fi-

tos abordados com responsabili-

nicantes, e a reflexão filosófica fa-

co grato de saber que o SESI es-

Prof. Denílson Col. Passionista N.S.Menina Curitiba - PR


Entrevista

Foto: Arquivo do S.E.R.

3

Pioneirismo no Ensino da Filosofia Natural de Rio Fortuna, município do Sul Catarinense, filho de agricultores, exerceu a função de padre de 1991 até 2008. Círio é licenciado em Filosofia, bacharel em Teologia e mestre em Agroecossistema pela UFSC. Atuou como professor da rede pública estadual de ensino durante vários anos e também no Ministério da Pesca, nos anos de 2006 a 2010. Foi candidato a prefeito no município de São José, nas eleições de 2004 e 2008. De setembro a novembro de 2009, na qualidade de suplente, assumiu uma cadeira de Deputado Estadual na Assembleia Legislativa. Desde janeiro de 2011, exerce a função de Secretário Municipal de Educação de São José/SC.

Corujinha: A SME de São José/

Prof. Círio Vandresen - Te-

de de refletir filosoficamente sobre

SC é pioneira na implantação e

mos um total de vinte e quatro

si mesmo, o outro e a comunidade?

efetivação do ensino de Filosofia,

(24) Unidades de Ensino que con-

Prof. Círio Vandresen - Atu-

com aprovação no Conselho Muni-

tam semanalmente com a presen-

almente podemos dizer que todos

cipal de Educação e trabalhos efe-

ça de um professor de Filosofia.

os segmentos desta Secretaria

tivos realizados em toda Rede nos

O que é muito importante, tendo

partilham da iniciativa, enquan-

sorados pelo Centro de Filosofia

Prof. Círio Vandresen - Te-

últimos 16 anos. Como o Secretá-

em vista que a disciplina de Filo-

to uma política pública de educa-

Educação para o Pensar) nos se-

mos diversos programas e ações,

rio Círio define atualmente o ensi-

sofia, como uma política pública

ção reflexiva. Como? Com a par-

guintes segmentos:

uns que já estão sendo imple-

no reflexivo na Rede?

educacional implementada nes-

ticipação dos diversos setores no

Prof. Círio Vandresen - O

ta Secretaria, permite a um gran-

curso de formação continuada

ensino reflexivo é uma das condi-

de contingente de crianças e ado-

“Café com Ideias”. Este curso se

ções fundamentais para que pos-

lescentes, bem como aos gestores,

constitui num momento reflexivo

Prof. Círio Vandresen Secretário Municipal de Educação – São José – SC

- No Ensino Fundamental anos iniciais até os anos finais; - Na Educação de jovens e adultos - em todas as fases.

mentados na rede, e outros que serão em breve. Posso citar a merenda orgânica, o óleo limpo, as hortas escolares, bem como a

samos chegar a uma sociedade

inauguração de novos Centros de

mais crítica, criativa e compro-

Educação Infantil.

metida com as questões sociais de cunho emancipatório, desde os mais pequenos e abrangendo todos os segmentos de ensino. Corujinha: Prof. Círio, você tem uma formação humanista e filosófica muito forte e consistente. Qual é sua visão de escola como transformadora da realidade humana e social? Prof. Círio Vandresen - Vejo a escola como um espaço público que pode garantir à comu-

...devo dizer que temos a disciplina de Filosofia na estrutura curricular, e que está garantida por esta Secretaria, com a aprovação do Conselho Municipal de Educação. Ministramos uma aula semanal (com conteúdos sistemáticos e assessorados pelo Centro de Filosofia Educação para o Pensar) nos seguintes segmentos: - No Ensino Fundamental - anos iniciais até os anos finais; - Na Educação de jovens e adultos - em todas as fases. Isto soma um total de 9.448 (nove mil, quatrocentos e quarenta e oito) alunos inseridos no processo de um ensino filosófico e reflexivo na Rede de São José.

Corujinha:

Prof. Círio, deixe

uma mensagem para que educadores e educandos de todo País, e principalmente de São José, o conheçam um pouco mais. Prof. Círio Vandresen - Faço aqui uma breve metáfora de uma publicação da minha dissertação de Mestrado - “A vida sem saber não tem sabor”. Não devemos entender o conhecimento como algo desvinculado da vida, pois ele será algo sem sabor e não poderá ser reco-

nidade local pensar de modo re-

nhecido como conhecimento, ha-

flexivo o conhecimento científico, às vezes tão desvinculado do

pais, amigos e responsáveis pe-

sobre as questões educacionais

Isto soma um total de 9.448

ja vista que não transforma, pois

mundo real. Como a escola é um

la educação, um olhar transfor-

(teoria e prática) que perpassam

(nove mil, quatrocentos e quaren-

não está encarnado na história do

referencial da comunidade, ela é

mador da Comunidade, do Muni-

a nossa realidade educacional.

ta e oito) alunos inseridos no pro-

individuo e da comunidade.

um instrumento de democracia e

cípio e do País. Um olhar e agir

Respondendo de modo mais

participação solidária.

com criticidade, para assim con-

objetivo à pergunta, devo dizer

cesso de um ensino filosófico e reflexivo na Rede de São José.

Meu desejo como educador e Secretário de Educação é de que todos os envolvidos nos proces-

tribuir, sempre mais, com a for-

que temos a disciplina de Filoso-

Corujinha: Quantas são as es-

mação de uma consciência cida-

fia na estrutura curricular, e que

Corujinha: O senhor tem acompa-

sos de ensino e aprendizagem

colas da Rede Municipal de Edu-

dã emancipada e emancipatória.

está garantida por esta Secreta-

nhado todos os trabalhos da SME

possam entender a vida como um

ria, com a aprovação do Conselho

e implementado ações atuais e fu-

“espaço oficina” para ensaiar os

cação que têm filosofia na grade curricular, com uma aula sema-

Corujinha: Quais os segmentos es-

Municipal de Educação. Minis-

turas para que a Educação seja o

seus conhecimentos e, assim, po-

nal e professores concursados e

colares da Rede e qual a quantida-

tramos uma aula semanal (com

ponto de transformação. Diga para

der socializá-los na comunidade

contratados?

de de alunos que têm oportunida-

conteúdos sistemáticos e asses-

os leitores que ações já são visíveis?

que se transforma. w w w. p o r t a l s e r . n e t


Ampliando Ações

4

Redes de Educação com ensino de Filosofia

Educadores em sintonia com a Educação para o Pensar

Formação continuada

Secretaria Municipal de Educação, Salto/SP

Vários colégios Salesianos com Formação: Iniciamos em agosto uma formação continuada (EaD do S.E.R – semi-presencial – Curso 3) com professores de quatro colégios Salesianos (Col. Auxiliadora, de Campo Grande/MS; Col. Auxiliadora, de Lins/SP; Col. N.S. da Vitória, de Vitoria/ES; e Liceu Auxiliadora, de Campinas/SP). Serão 76 horas online e quatro horas presenciais com educadores que trabalham nosso Programa e nossos livros com seus alunos do ensino fundamental e médio. Formam os quatro colégios, com a mesma finalidade, uma Comunidade de Aprendizagem Investigativa interestadual.

O

Os embuenses já filosofam s alunos da Rede Munici-

Para garantir a coesão das re-

pal da Estância turística de

flexões, as ações e transforma-

Salto desenvolvem, desde o ano

ções, além do acompanhamento

de 2009, o trabalho com a Edu-

sistemático do trabalho nas es-

cação para o Pensar, subsidia-

Secretaria Municipal de Educação, Embu das Artes/SP

A

cidade de Embu das Artes

gem, aliando-se aos recur-

já iniciou sua caminhada

sos tecnológicos, seja tam-

colas, desenvolvemos um progra-

rumo a uma Educação Emanci-

bém pensado e construído

dos pelo Centro de Filosofia Edu-

ma de formação continuada. Esse

patória e Reflexiva. Com um sis-

a partir da visão reflexiva

cação para o Pensar, cujo mate-

programa prevê encontros men-

tema educacional voltado para a

da aprendizagem. Modelo

rial didático e apoio pedagógico

sais, em horário de trabalho, com

integração das áreas de conheci-

que configura escola, pro-

estão sendo fundamentais para a

todas as professoras envolvidas

mento entre si e para com as di-

fessores, alunos e comuni-

prática desenvolvida.

no projeto. Durante os encontros,

ferentes referências culturais, o

dade como elementos de

Inicialmente, o projeto foi apli-

são discutidos aspectos dos rotei-

município relaciona-se perfeita-

igual peso na comunidade

cado aos alunos dos 2º e 3º anos do

ros pedagógicos, é feita a sociali-

mente com as mudanças e os de-

aprendente.

ciclo I, nas dez unidades da Rede.

zação das práticas desenvolvidas,

safios de uma sociedade contem-

O material didático-

Devido aos excelentes resultados

e são realizadas oficinas visando

porânea. O que se apresenta evi-

filosófico do S.E.R., que

obtidos, planeja-se que seja aplica-

a oferecer maior clareza e segu-

dente, dada a preocupação em

instruiu e solidificou as

do também aos alunos do ciclo II.

rança às professoras no desenvol-

tornar a escola uma extensão do

nossas experiências es-

vimento dos trabalhos.

O trabalho é desenvolvido pe-

mundo e um local de intercâm-

te ano, será adotado em

las próprias professoras da turma,

É importante ressaltar que o

bio com a sociedade . Para tan-

breve por toda a rede mu-

sempre com uma abordagem in-

sucesso do trabalho deve-se, so-

to, os alunos e professores da re-

nicipal de ensino de Em-

terdisciplinar. Durante as aulas,

bretudo à seriedade e ao alto grau

de contam com recursos da lousa

bu das Artes. Os primei-

as crianças são estimuladas a re-

de comprometimento com que

digital conectada à internet.

ros resultados já apare-

fletir sobre situações do cotidia-

a equipe docente abraçou a pro-

Esse novo modelo de esco-

cem na Escola Municipal

no, embaladas pelas histórias do

posta, não medindo esforços para

la, no qual o jovem aluno é con-

Professor Paulo Freire e

Bocão e sua turma. Novelas filo-

que os bons resultados almejados

siderado parte de uma Comuni-

na Escola Municipal Val-

sóficas da Coleção Filosofia Fun-

se concretizassem.

dade de Aprendizagem Investiga-

delice A. Medeiros Prass,

tiva, exige que o material didáti-

que foram pioneiras na

co, que não deixa de configurar

adoção do material filosó-

um instrumento de aprendiza-

fico do S.E.R..

damental com uma história muito bem articulada com as histórias

Prof. Aparecido Soares de Alcântara Filho Formador na área de Filosofia

de vida dos próprios alunos.

COLEÇÃO FILOSOFIA FUNDAMENTAL ENSINO FUNDAMENTAL 1 – 1º ao 5º ano (11ª Edição)

w w w. p o r t a l s e r . n e t

ENSINO FUNDAMENTAL 2 – 6º ao 9º ano


Ampliando Ações

5

Redes de Educação com ensino de Filosofia

Escolas com Filosofia no Ensino Fundamental Secretaria Municipal de Educação, Campo Mourão/PR

A

O que falam os Educadores?

ção de Campo Mourão, mu-

Curso muito prazeroso, que

dos de Filosofia com nossos alu-

nicípio localizado no Norte do Pa-

direcionou a forma que podemos

nos. Suas explicações foram bem

raná, ciente da importância de

apresentar a Filosofia ao educan-

claras e sanaram muitas das dú-

uma Educação Reflexiva desde os

do, bem como os métodos e meios

vidas que tínhamos. (Tamires)

primeiros anos, realizou no final

que podemos utilizar para traba-

de 2010 e início deste ano várias

lhar em sala. (Maria Luiza)

Rede Municipal de Educa-

Não tinha ideia do que veríamos neste encontro, porém con-

ações para preparar seus profes-

Gostei muito da metodologia,

fesso ter sido surpreendida por

sores. O assessor do Centro de Fi-

dos recursos e da clareza. A capa-

um profissional competente, não

losofia, Prof. Carlos, fez a capa-

citação esclareceu dúvidas e faci-

dono da verdade, mas de muitas

citação dos professores da Rede,

litará nosso trabalho. (Maíra)

experiências, que muito contri-

que começou a trabalhar Filoso-

O trabalho realizado pelo pro-

buíram para minha formação.

fia de 1º ao 5º ano com a coleção

fessor foi de extrema importância

Foi um ótimo encontro. (Vanes-

Novo Espaço Filosófico Criativo.

para desenvolvermos os conteú-

sa Cristina)

Ações que transformam

Alunos sempre filosofam

Secretaria Municipal de Educação, São José/SC

A

educação municipal, através

sentido de socializar esta troca de

nicípio de São José fica no aguar-

de alguns de seus professo-

experiências realizada pelas Co-

do de outras experiências que tam-

res, vem disponibilizar aos demais

munidades de Aprendizagem In-

bém possam nos ajudar a deixar

educadores reflexivos um pouco

vestigativa através do Corujinha.

ainda mais ricas as nossas aulas.

do que fazemos. Disponibilizamos

Com fraternais sentimentos, a

o registro escrito do professor, no

comunidade de educadores do Mu-

Prof. Adão de Souza Coord. da Filosofia na Rede

Tatu do Bem O material utilizado foi

va tocando os vários instrumentos.

mas escolas foi o prof. Adão e

um trabalho desenvolvido

Por exemplo: o Tato toca violão, o

em outras a profª. Marciléia,

pelos músicos Rosamon Ma-

Teto contrabaixo, a Tita teclado, a

aparecia vestido a caráter pa-

tos e Nelson Mattos, com ba-

Tuta segura o vocal, o Toto bateria

ra interagir com as crianças,

se na proposta de educação

e o João “pom porom pom”.

e sorteava alguns alunos para

reflexiva. A estratégia partiu

Durante o trabalho de pintu-

da música intitulada “Tatu

ra em sala, o Tato, que em algu-

responder alternadamente a algumas perguntas, como:

do Bem”, e contou com a participação de algumas crian-

●● Cite três atitudes que me tornam uma pessoa do bem.

ças da C.E.I. Espaço Aberto

●● Onde devo depositar o lixo que eu produzir em casa ou na escola?

de Florianópolis.

●● Cite duas ações que devo ter na sala de aula.

As crianças nas salas pintavam os desenhos da Família do Tato: o Teto, a Tita, o Toto, a Tuta e o João, ao som da música que cada um representa-

Este trabalho procurou: ●● Proporcionar o processo de ensino-aprendizagem. ●● Despertar o raciocínio, a criatividade, a memória, a atenção. ●● Acordar emoções e sentimentos.

Secretaria Municipal de Educação, Belmonte/SC ssumiu novamente a Secre-

A

fessores, que foram preparados e

taria de Educação de Bel-

contam com a assessoria do Cen-

monte, em julho, o professor  Ro-

tro de Filosofia Educação para o

berto Carlos Dalla Rosa. Belmon-

Pensar. Para o próximo ano, es-

te conta com duas aulas semanais

tão sendo programados cursos de

de Filosofia na grade curricular.

formação continuada para os do-

Conforme o Secretário, mui-

centes e o envolvimento de toda a

tas atividades são realizadas a

Rede em projetos que serão pen-

partir das novelas filosóficas.

sados em conjunto com o S.E.R..

O  prof. Roberto constata que os professores estão cada vez mais preocupados em trabalhar uma Educação Emancipatória, com muita reflexão e criatividade. Os alunos da rede municipal estão filosofando com seus pro-

Atividades extra-classe: São feitas várias atividades, nas quais os alunos com dificuldades de aprendizagem aprendem brincando e sempre em Comunidade de Aprendizagem Investigativa.

Projeto melhor escrita, melhor pensamento O concurso de redação, feito duas vezes ao ano, conta com a participação dos alunos de 1º ao 5º ano. Para incentivar a parti-

COLEÇÃO NOVO ESPAÇO FILOSÓFICO CRIATIVO ENSINO FUNDAMENTAL 1 – 1º ao 5º ano

ENSINO FUNDAMENTAL 2 – 6º ao 9º ano

cipação e a expressão com qualidade, são premiados alunos do 1º ao 3º ano de cada série. O objetivo é estimular o gosto pela leitura e escrita, desenvolver os pensamentos e colocar no papel a capacidade imaginativa de expressar as ideias. Os temas abordados neste ano são Páscoa e o meio ambiente.

Criatividade colocada na criação Com o título de Brasil Colônia, os alunos da Rede Municipal filosofaram com a ajuda dos pais e professores e colaboraram na organização da exposição, assim como na visita e explicação, representando o tema com maquetes criativas. Os melhores trabalhos foram selecionados e colocados em exposição para a comunidade da cidade na Biblioteca Municipal.

w w w. p o r t a l s e r . n e t


Ações e Transformações

6

Ampliações e transform 40 Seminários pelo País

C

om a realização dos 40 Seminários Regionais do Sul ao Nor-

te, do Leste ao Oeste deste pa-

Região Norte 28º Seminário – Manaus/AM

midos nos últimos 22 anos de oferecer formação continuada, assessorias, produção de materiais reflexivos, de estarmos próximos aos professores e alunos. Com várias centenas de educadores participando ativamente, Instituições de Ensino comprometidas e o esta-

Região Centro-Oeste

25º Seminário – Fortaleza/CE

21º Seminário – Cuiabá/MT

26º Seminário – São Luís/MA

23º Seminário – Distrito Federal/DF

27º Seminário – Teresina/PI

Região Sul 1º Seminário – Florianópolis/SC 2º Seminário – Tubarão/SC 3º Seminário – Blumenau/SC 18º Seminário – Joinville/SC 24º Seminário – São José/SC

vez mais fortes, os Seminários

Especial – Tubarão/SC

de Aprendizagem Investiga-

8º Seminário – Maringá/PR 9º Seminário – Londrina/PR 12º Seminário – Curitiba/PR

tiva. Também verifica-se que com as ações ampliam-se as transformações.

Realização e Promoção:

w w w. p o r t a l s e r . n e t

Especial – Camaçari/BA

20º Seminário – Campo Grande/MS

Especial – Chapecó/SC

trução da grande Comunidade

16º Seminário – Salvador/BA Especial – Lauro de Freitas/BA

belecimento de parcerias cada são momentos fortes na cons-

13º Seminário – Itabuna/BA 15º Seminário – Salvador/BA

29º Seminário – Belém/PA

ís, respondemos durante este ano aos compromissos assu-

Região Nordeste

Prof. Silvio Wonsovicz – Florianópolis/SC.

Região Sudeste 4º Seminário – Sul Fluminense/RJ 5º Seminário – Rio de Janeiro/RJ Especial – Rio de Janeiro/RJ Especial Rede SESI – Volta Redonda/RJ Especial Rede SESI – Macaé/RJ Especial Rede SESI – São Gonçalo/RJ Especial Rede SESI – Tijuca/RJ 6º Seminário – São Paulo/SP (capital) 7º Seminário – São Paulo/SP (capital) 10º Seminário – Campinas/SP 11º Seminário – Ribeirão Preto/SP 19º Seminário – São Paulo/SP (capital) 22º Seminário – São Paulo/SP (capital) Especial – Guarulhos/SP

17º Seminário – Porto Alegre/RS Especial – Guaíba/RS

Os seminários são a prova de que o Centro de Filosofia e a Editora Sophos solidificam o Sistema de Ensino Reflexivo (com o lançamento das novas coleções) e fazem o Ensino Reflexivo ser uma realidade em escolas públicas e particulares do nosso País. A participação significativa dos professores e lideranças educacionais, em cada seminário, mostra que estamos no caminho certo. Vamos continuar fazendo seminários, palestras, projetos, formação continuada, assessorias e construção de materiais reflexivos, com muita qualidade e profissionalismo.

14º Seminário – Vitória/ES

Em cada Seminário e nos trabalhos nas regiões, percebo muita gente se comprometendo conosco na construção de uma educação voltada à formação humana, reflexiva, crítica e com esperanças de um mundo melhor. Sementes da reflexão e ação são lançadas pelos seminários regionais e nas visitas aos colégios e educadores. O resultado? Em terra boa e fértil da conscientização, geram os frutos com o doce sabor do comprometimento social, para uma real mudança na educação e com educadores reflexivos. Prof. Luciano Tartari Neto – Florianópolis/SC.

Parcerias que torn


Ações e Transformações

7

mações junto às escolas A palavra dos participantes O Seminário é momento de reflexão sobre a realidade educacional e apresentação da Educação Reflexiva - através do S.E.R. - como caminho para a transformação. Nos seminários, muitos educadores ansiosos por transformar seu espaço profissional. Isso nos faz acreditar que, a partir de cada seminário, muitas pessoas se unirão a nós, sonharão e tornarão realidade “transformar a escola em Comunidade Reflexiva”. Vamos construir essa práxis filosófica e pedagógica na educação de nosso País.

Venho a agradecer a todos os componentes da equipe do S.E.R. pelos momentos agradáveis que tivemos durante o Seminário em Salvador e desejar-lhes uma feliz jornada. Já estamos esperando os próximos.

Acredito que toda aula se torna mais dinâmica quando o aluno reflete sobre o que está aprendendo. Portando, gostei do assunto e achei os conteúdos adequados para qualquer disciplina e série escolar. Profª. Elizabeth S. Cruz – SESI – Macaé/RJ.

Prof. Aloísio Pereira Tavares – Salvador/BA.

Prof. Luiz Carlos Kons – Florianópolis/SC.

Sou professora na Educação Infantil do Colégio Novo Ello. Gostaria de parabenizá-los pela organização e apresentação do 15º Seminário Regional, que aconteceu em 9 de junho, em Salvador/BA. Gostaria de agradecer pela rapidez no envio do e-mail com o certificado e as devidas informações. O Seminário foi riquíssimo, provavelmente o colégio em que trabalho adotará o Sistema Reflexivo que, com certeza, contribuirá para a educação das nossas crianças e adolescentes, visando a uma qualidade reflexiva de ensino. Profª. Rosielle Santos – Salvador/BA.

O Centro de Filosofia e a Editora Sophos são organizações sérias e comprometidas com a educação reflexiva. Profª. Natália dos Santos Machado – Volta Redonda/RJ.

Organização muito boa. O conteúdo apresentado ampliou minha concepção sobre educação reflexiva. Muito válido! Embora minha prática não seja tradicional, minha postura será mais provocativa. Profª. Thaís Freitas – SESI Petrópolis/RJ

Este tipo de evento só vem a oferecer ao professor estímulo adequado para um maior desenvolvimento visando ao aluno. Profª. Liduina Ferreira Schimidlin Guilhon – Cinelândia/RJ.

A divisão em grupo permite a troca de níveis de escolaridade diferentes e realidades diferentes. O material exposto também produziu clareza de ideias e foi muito boa a interação. Os conteúdos foram enriquecedores para a prática de sala de aula – como utilizar nosso material de forma interdisciplinar. Profª. Stela Nogueira – SESI – Itaperuna/RJ.

Conteúdos com excelente fundamentação filosófica, e com ótimas possibilidades de aplicação.

A organização do seminário regional foi muito boa: formação de grupos, material trabalhado e exposição dos participantes. Foram apresentados conteúdos muito interessantes versando sobre a nossa prática em sala de aula. A participação dos professores foi muito interessante, pois houve uma interação entre todos. Após este evento, podemos elaborar aulas que tenham a ver com as práticas reflexivas em sala. Já começamos a fazer, mas podemos intensificar mais. Profª. Ermelinda Vianna – SESI de Nova Iguaçu/RJ

Profª. Cátia de Freitas Dias Afonso – Governador Faria Lima/RJ.

naram possível a realização dos 40 Seminários Regionais:

Cultura /

w w w. p o r t a l s e r . n e t


Ações que geram transformações

8

Práxis filosóficas nas escolas

Projeto Filosofia viva na escola Escola Quintal das Artes, Rio de Janeiro/RJ

A Literatura Infantil e aprendizagem da criança E.E.E. Fundamental Pitangueira, Tunápolis/SC

Tema: Realidade, simbolismo e fantasia no Castelo de Bouganville.

C

om o objetivo de desenvolver

filosofia foi apresentada e desenvolvida com as

A

o simbolismo e a fantasia no Castelo de Bouganville.

crianças da educação infantil durante o ano le-

Além da fada e da bruxa, outras personagens entra-

tivo, a partir da construção de uma história. O pensa-

ram em cena: o rei, a rainha, as princesas, o príncipe,

das, a professora Laíne Lorenski,

mento matriz surgiu a partir do livro de apoio “Filo-

o sapo, a coruja, o galo e as fadas madrinhas.

do terceiro ano da Escola Estadu-

atividades literárias e fazer

uso de metodologias diferencia-

Estes personagens foram apresentados com ri-

al de Ensino Fundamental Pitan-

queza de detalhes no decorrer do processo filosófico,

gueira, no município de Tunápo-

a. todas as bruxas são más?

envolvidos no questionamento sobre o bem e o mal. O

lis (SC), desenvolveu um projeto

b. todas as fadas são boas?

projeto foi enriquecido numa contextualização com

sobre literatura infantil baseado

c. bruxas podem ser boas?

outros mini-projetos desenvolvidos durante o ano,

nas novelas filosóficas.

d. fadas podem ser más?

com a confecção de um mural Castelo e alguns per-

As obras literárias são uma

jar, sonhar com um mundo no

e. todas as pessoas são boas?

sonagens, porque os outros personagens foram vivi-

das melhores ferramentas de

qual tudo o que ela sonha e imagi-

f. todas as pessoas são más?

dos pelas próprias crianças, professoras e pela equi-

trabalho na tarefa de educar e a

na pode se tornar realidade. Para

E neste diálogo filosófico-investigativo fomos

pe técnica, num belo musical apresentado aos fami-

maneira mais simplificada de a

muitas crianças a escola é o úni-

liares, como segue:

criança adquirir maior e melhor

co lugar onde têm oportunidade

vivência, a partir de exemplos

de ouvir histórias, pois a globali-

contidos nas histórias. O conta-

zação e a falta de tempo dos pais

to da criança com os impulsos

acabam sendo um empecilho pa-

emocionais que a história rela-

ra a contação de histórias. Daí a

ta nada mais é do que vivenciar

importância de a escola propi-

exemplos de vida.

ciar aos educandos momentos di-

sofando com fadas e bruxas”, levando a vários questionamentos sobre bondade e maldade, entre eles:

criando uma história significativa sobre a realidade,

As histórias também contri-

versificados de cultura, assim re-

buem com a formação da perso-

presentando maneiras de pensar,

nalidade, através de visualizações

agir e sentir das crianças.

de situações e objetos, podendo as-

No intuito de desenvolver o

sim constituir um passatempo di-

hábito e o prazer da leitura desde

vertido e trazer uma mensagem de

a mais tenra idade, é fundamen-

reflexão para as crianças.

tal oferecer, desde a educação in-

Conforme a professora Lai-

fantil, oportunidades de leituras

ne, é fundamental que a esco-

variadas, não apenas de textos es-

la e as famílias proporcionem

critos, mas estimular a própria

às crianças o acesso ao conheci-

leitura e interpretação do mundo

mento e formem indivíduos crí-

em que a criança está inserida e

ticos, criativos, comprometidos

do qual faz parte como ser social.

consigo mesmos e com a socie-

A professora Laíne conta que

dade, capazes de intervir e mo-

teve acesso às novelas filosóficas

dificar a realidade, auto-motiva-

junto à Secretaria de Educação de

dos e aptos a aprender.

Belmonte (SC), município onde

A criatividade é diretamen-

reside, e que passou então a usá-

te estimulada pelas histórias, as

las como ferramenta fundamen-

quais permitem à criança via-

tal para suas aulas.

COLEÇÃO FILOSOFIA O INÍCIO DE UMA MUDANÇA EDUCAÇÃO INFANTIL

w w w. p o r t a l s e r . n e t

ENSINO MÉDIO – 1º, 2º e 3º ano

ENSINO FUNDAMENTAL 1 – 1º ao 5º ano

ENSINO FUNDAMENTAL 2 – 6º ao 9º ano


Ações que geram transformações

9

Práxis filosóficas nas escolas

As ações ampliam transformações Colégio Santa Rosa, Brasília/DF

I

nicia-se mais um semestre

Uma das atividades que mui-

com “Aqui tem Filosofia”.

to chamou a atenção da turma do

A alegria do reencontro com os

3º Ano foi o texto “ESTRELA DE

Os alunos se interessam mui-

colegas e os professores mar-

PRATA”, que mudou o nome pa-

to pelas aulas de Filosofia, tanto

cou o primeiro dia de aula após

ra “OS CINCO SINOS” e pendu-

práticas quanto teóricas. A ma-

o recesso escolar. Depois de

rou seis sinos na frente da porta.

téria já é esperada pelos alunos,

três semanas de descanso, os

Os alunos refletiram como um er-

uma vez que é normal para eles

alunos do Colégio Santa Rosa

ro pode se reverter em benefício.

trabalhar desta forma na quase

voltaram às aulas a todo vapor,

Ao final da aula, foi lançada a per-

totalidade dos conteúdos, fazen-

na expectativa para o segundo

gunta aos alunos: vale a pena re-

do com que no Espaço Filosófi-

semestre letivo.

acredita que aprendemos tanto de um modo como de outro.

alizar algo e correr o risco de er-

co ocorra uma aprendizagem das

Na primeira aula de Filosofia,

rar? Esta pergunta foi discuti-

atividades propostas.

foram realizadas atividades com

da pelos alunos e eles chegaram

Quando uma aula é dinami-

os alunos do 1º ao 5º Ano do Ensi-

à conclusão de que é importante

zada, evidencia-se sua importân-

no Fundamental I, com aulas prá-

tentar, mesmo errando.

cia e o interesse por parte dos alu-

ticas, teóricas e observações fei-

A análise das respostas dos

nos, sendo que isso certamente os

Deve-se trabalhar para que

tas a partir destas. Foram cons-

alunos possibilitou constatar que

levará a um envolvimento maior,

o aluno construa seus conheci-

truídos os conhecimentos refe-

acertos e erros são importantes

trilhando o caminho da aprendi-

mentos, busque sua promoção,

rentes aos conteúdos previstos.

na vida do ser humano, pois se

zagem investigativa.

através do diálogo, e tenha a

oportunidade de opinar sobre os temas propostos. Irmã Lucidalva Boa Sorte Professora de Filosofia

O que faz eu ser eu? Col. Claretiano, Rio Claro/SP

S

plinar proporcionado pelo tema

tionamento, temos a oportu-

“O que faz eu ser eu?”, presente

nidade de fazer com que nossos

na Unidade 7 do livro de Filoso-

Para finalização desse bloco,

alunos reflitam sobre suas pecu-

fia, do 2º ano. Este mesmo assun-

todo o material coletado foi ex-

liaridades e valorizem-nas, assim

to permeou boa parte dos objeti-

posto no Colégio, dando uma sa-

como com que aprendam a olhar

vos do trabalho de História e Geo-

tisfação muito grande a todos os

para o próximo ressaltando suas

grafia do bimestre em referência.

envolvidos no processo de cons-

qualidades também. Nesse senti-

Com isso, pudemos explorar a

trução dessas atividades, ao ve-

do, o trabalho com o Material da

história de vida dos alunos, atra-

rem, espalhados pela escola, as

Coleção Novo Espaço Filosófico

vés da linha do tempo construí-

suas identidades, histórias de vi-

Criativo, para o 2º ano, encaixa-

da com as famílias. Foi propos-

da e silhuetas.

se perfeitamente na proposta pe-

ta a confecção de um R.G. esco-

Sem dúvida, o trabalho com

dagógica do Colégio Claretiano.

lar (nos moldes de um documento

os temas da Filosofia vem corro-

urgindo desde cedo esse ques-

papel de metro, ficando a silhueta em tamanho natural.

Exemplificando a “costura”

oficial) e, posteriormente, abor-

borar para o melhor desenvolvi-

que realizamos em posse de todas

dando a importância do conheci-

mento intelectual e emocional

essas “linhas”, no 2º bimestre re-

mento do próprio corpo, cada alu-

dos nossos educandos.�

alizamos um trabalho interdisci-

no fez o contorno do mesmo em

COLEÇÃO FILOSOFIA FUNDAMENTAL ENSINO FUNDAMENTAL 1 – 1º ao 5º ano (11ª Edição)

ENSINO FUNDAMENTAL 2 – 6º ao 9º ano

w w w. p o r t a l s e r . n e t


Ações que geram transformações

10

Práxis filosóficas nas escolas

Escola é lugar de viver valores

Contra o bullying

Colégio Candanguinho, Brasília - DF

Col. Equipe Grau, Nova Iguaçu - RJ

P

N

este ano, iniciamos em nos-

terpretações que fazem sobre as

sa escola o estudo sistemáti-

pessoas e o meio que os cercam.

co da Filosofia com crianças, com

A cada dia o “pensar filosófi-

gio Equipe Grau. Sob o coman-

alguns temas bem semelhantes

co” tem se mostrado mais presen-

do da professora Márcia Senna,

aos que já trabalhamos há algum

te em nosso convívio, propician-

alunos do sexto ao oitavo ano,

tempo, no Projeto Vivendo valo-

do aos nossos alunos novas postu-

das unidades Matriz e Centro,

res na escola.

ras diante de situações corriquei-

estão pesquisando e desenvol-

ras; o que para nós é de um valor

vendo atividades sobre o as-

inestimável.

sunto e conscientizando para

O trabalho desenvolvido por nossas professoras, com o apoio

rojeto contra o bullying está movimentando o Colé-

uma escola livre de bullying.

do Centro de Filosofia Educação

Percebemos ainda que nossas

para o Pensar, tem contribuído

crianças estão mais autônomas e

Há murais espalhados por

de forma significativa para a for-

capazes para compreender as dife-

toda a escola e atividades como

mação de nossos alunos, princi-

renças, as disputas e que os confli-

música, poesia e teatro são pro-

palmente quanto à importância

tos podem ser solucionados através

duzidas pelos estudantes, para

e ao papel de cada indivíduo em

do “pensar bem” e “pensar melhor”.

nosso planeta, despertando ain-

Estamos muito felizes com a

da um maior interesse e um olhar

proposta da filosofia em nossa es-

mais atento para o “outro”. De-

cola, que sempre priorizou o “sa-

senvolvemos atividades lúdicas

ber” acerca do que o aluno pensa,

e prazerosas que fazem parte do

sente e faz, tornando-o mais res-

universo infanto-juvenil e priori-

ponsável e solidário. Por isso to-

zam a ética, os valores e o exercí-

dos nós, pais e educadores, preci-

cio da cidadania.

samos estar sempre preparados

A cada momento somos sur-

para oportunizar e ressignificar o

preendidos com questionamentos,

conhecimento, que a cada momen-

reflexões e respostas inusitadas

to se faz mais rápido e dinâmico.

de nossos alunos a respeito das in-

mostrar que é melhor viver em paz, respeitando o próximo. O projeto tem cinco etapas: Primeiro, os alunos aprendem o que é bullying. Depois, são formadas equipes antibullying, cria-se um estatuto, são promovidas palestras e é desenvolvido um projeto político antibullying.

Profªs. Rita e Reinalda - SOE

Como o conhecimento “entra” em nossa cabeça? Col. dos Santos Anjos, Joinville - SC

O

cérebro, sua anatomia e

Já os alunos das 6ª séries es-

função integram os conteú-

tudaram as estruturas cerebrais

dos das aulas de filosofia sobre o

e as funções de cada hemisfério.

processo de aquisição do conhe-

Pesquisaram e aprenderam sobre

cimento das 5ª e 6ª séries, mi-

o funcionamento dos neurônios,

nistradas pela professora Már-

como os pensamentos e emoções

cia M. S. Fagundes. A teoria do

são desenvolvidos na mente.

conhecimento é matéria-prima das aulas de Filosofia.

w w w. p o r t a l s e r . n e t

Munidos de conhecimento teórico, os alunos usaram o lado direi-

As 5ª séries iniciaram os es-

to do cérebro, responsável pela cria-

tudos pesquisando as funções de

tividade, para preparar apresenta-

cada um dos hemisférios do cére-

ções para os colegas, com músicas,

bro e refletiram sobre como se dá

rimas, crânio de plástico, massinha

o controle das emoções e de senti-

de modelar e outros materiais.

mentos como amor, bondade, cari-

Entre as descobertas, a de que

dade, inveja, ciúme e cobiça. Con-

assim como os músculos se adap-

cluíram que é preciso muito exer-

tam ao treinamento físico, o cé-

cício mental para fazer prevalecer

rebro se adapta ao treinamen-

os bons sentimentos. Em cartazes,

to mental. Ou seja, hábitos como

registraram os sentimentos que

alimentação saudável, exercícios

cada um conseguiu identificar em

mentais e prática de exercícios fí-

si e incluíram no trabalho frases

sicos ajudam a manter a saúde,

que apontam caminhos para fazer

não somente do corpo, mas tam-

o bem prevalecer.

bém do cérebro.


Ações que geram transformações

11

Práxis filosóficas nas escolas

Filosofar: conhece-te a ti mesmo Col. Coração de Jesus, Cuiabá/MT

V

ivemos em uma socieda-

acreditarmos que os nossos jo-

de que está em constante

vens, crianças e adolescentes go-

transformação e num contínuo

zam de tal potencialidade para

movimento em busca daquilo que

elaborar uma análise crítica e

melhor agrada às pessoas. Mas

reflexiva acerca da realidade que

quando nos questionamos sobre

os envolve.

nossas atitudes ou ações transfor-

A filosofia, mais do que nun-

madoras, nos deparamos  com in-

ca, é essa ferramenta fundamen-

dagações filosóficas que nos im-

tal de auxílio que provoca, ques-

pulsionam a buscar incessante-

tiona, investiga e estimula um

mente o autoconhecimento.

pensar reflexivo, construindo as-

A tão famosa e ilustre máxi-

sim a comunidade de aprendiza-

ma “conhece-te a ti mesmo” tor-

gem investigativa, onde todos se

na-se cada vez mais necessária

manifestam, apropriando-se da-

nessa tentativa de transforma-

quilo que tem valor inestimável:

ção social. Transformação essa

a liberdade de pensar.

que só pode ser considerada co-

Prof. Ricardo Antônio de Lima

mo condição de possibilidade se

Festival de Vídeo Estudantil e Mostra de Cinema Instituto Estadual de Educação Gomes Jardim, Guaíba/RS

R

categorias de documentários e

dução audiovisual nas esco-

ficção podem ter até 15 minutos e

volução Farroupilha, vem se con-

las e na formação de professores,

a propaganda 1,5 minutos. Podem

solidando também como o berço

a décima edição do Festival de Ví-

ainda inscrever-se trabalhos de

de novos cineastas, pelo fato de

deo Estudantil e Mostra de Cine-

cineastas profissionais com cur-

abrir espaço ao talento de alunos

ma de Guaíba tem inscrições até

tas ou longas metragens. Além

do ensino fundamental e médio

setembro. O evento, que será re-

das mostras estudantis, durante

e estimular os jovens a não ape-

alizado de 20 a 26 de novembro de

a semana do festival haverá es-

nas ver cinema, mas também fa-

2011, abre espaço para produções

paço para mostras de longas, cur-

zer cinema desde cedo, assim co-

de escolas de todo o Brasil nas ca-

tas, palestras e oficinas. Regula-

mo a compreender a linguagem

tegorias de propaganda, ficção e

mento e mais informações no site

audiovisual. Nos últimos anos, o

documentário. Os trabalhos nas

<www.festvideoguaíba.com.br>

Festival tem recebido em média

eferência no Brasil na pro-

Guaíba, a cidade berço da Re-

300 trabalhos de todo o País e até do exterior. Os destaques de cada mostra recebem o troféu Gomezito, alusivo ao herói farroupilha Gomes Jardim, que é patrono do Instituto Estadual de Educanema, e tem no festival uma das

ção, que criou o festival em 2002,

bilita a reflexão. Mesmo que não

e lembra o Cipreste, a árvore sím-

se tornem cineastas, um evento

principais opções de cinema na ci-

bolo de Guaíba e Patrimônio His-

como este é importante na forma-

dade. Além de toda programação

tórico do Estado.

ção da personalidade do aluno e

ser gratuita, as escolas mais dis-

Durante os debates, o diretor

na formação do olhar”, destacou.

tantes e carentes têm transporte

do longa de animação “As aventu-

“Espero que este evento tenha

gratuito oferecido pelo festival.

ras de um aviãzinho vermelho”,

continuidade e que a gente possa

Frederico Pinto, falou sobre seu

voltar muitas outras vezes“, con-

trabalho e a importância do ci-

clui o diretor de animação.

Mais informações: Valmir Michelon michelonfolha@pop.com.br

nema nas escolas. “É importante

Guaíba, com população de

um festival como este, que além

96 mil moradores, há três déca-

Fones: (51) 3055.6264 3480.1328 e 9616.7059

de mostrar curtas e filmes, possi-

das não conta com uma sala de ci-

www.festvideoguaiba.com.br w w w. p o r t a l s e r . n e t


Editora Sophos presente nas escolas Materiais didáticos para ações transformadoras Coleção Filosofia, o Início de uma Mudança Livros do 6º ao 9º ano – 17ª ed ição Já estão à disposição dos colégios e professores a 17ª edição dos livros de 6º ao 9º ano. São publicações totalmente reformuladas, com novo visual gráfico, conteúdos muito mais interdisciplinares, e o incentivo constante para a formação da Comunidade de Aprendizagem Investigativa (C.A.I.), lugar privilegiado para um filosofar vivo, que com as ações levam às transformações.

do S.E.R. Coleções Didático-Reflexivas Os livros do 2º, 7º, 8º e 9º ano

Para o 6º ano:

Questionamento, diálogo, criação, investigação, reflexão e ação!

►► ►► ►► ►► ►►

Os livros novos estão a caminho!

Para o 7º ano:

As equipes de autores estão trabalhando animadamente, e os livros do 6º e 7º ano estarão nas mãos dos professores nas escolas neste semestre, para a avaliação e adoção, e os volumes do 8º e do 9º ano estão sendo desenvolvidos. No primeiro semestre de 2012, teremos as coleções completas.

►► ►► ►► ►► ►►

Para os primeiros anos do fundamental, a Coleção Ensinando e aprendendo para além da caverna conta com o volume de 1º ano, que traz as disciplinas integradas em um único livro, e os volumes do 2º ano trazem livros separados para as disciplinas de História e Geografia, Ciências, Matemática e Português. Para conhecê-los, entre em contato com a Editora Sophos.

Ciências: O planeta Terra. Geografia: Geografia: nosso espaço geográfico. História: Dialogando com a história. Português: Linguagem: conexão com o mundo. Matemática: Despertando com a matemática.

Matemática: Despertando com a matemática. Português: Linguagem: conexão com o mundo. Geografia: Geografias do Brasil. Ciências: Biodiversidade: conhecer para preservar. História: Dialogando com a história: a construção histórica das diferenças.

Para o 1º ano: ►► Ensinando e aprendendo para além da caverna – disciplinas integradas. Para o 2º ano: ►► Ensinando e aprendendo para além da caverna – nas disciplinas de Português, Matemática, Ciências, História e Geografia.

Em 2012, queremos sua escola adotando nossos livros junto aos alunos. Analise nossos livros e coleções, visualize nossos catálogos em www.editorasophos.com.br. Solicite nossa visita ou informações online via e-mail, em nossa página ou pelo telefone (48) 3222 8826.


2012

S.E.R. ĂŠ a resposta!


Ensino Reflexivo? Sua escola não pode ficar fora do momento histórico que vivemos na Educação Brasileira. Nossos alunos são chamados e exigidos, em todos os níveis, a demonstrar que pensam, que agem reflexivamente. Por isso um ensino reflexivo e filosófico em todos os segmentos e, tendo um “fio condutor” interdisciplinar. Analise e adote nossas coleções e Programa filosófico pedagógico.

Vamos fazer da escola um espaço do SER.

COLEÇÃO FILOSOFIA O INÍCIO DE UMA MUDANÇA EDUCAÇÃO INFANTIL

ENSINO MÉDIO – 1º, 2º e 3º ano

ENSINO FUNDAMENTAL 1 – 1º ao 5º ano

edição

ENSINO FUNDAMENTAL 2 – 6º ao 9º ano

COLEÇÃO FILOSOFIA FUNDAMENTAL ENSINO FUNDAMENTAL 1 – 1º ao 5º ano

11ª

edição

ENSINO FUNDAMENTAL 2 – 6º ao 9º ano

17ª

edição


COLEÇÃO NOVO ESPAÇO FILOSÓFICO CRIATIVO ENSINO FUNDAMENTAL 1 – 1º ao 5º ano

edição

ENSINO FUNDAMENTAL 2 – 6º ao 9º ano

Coleções Didáticas do S.E.R. COLEÇÃO ENSINAR E APRENDER PARA ALÉM DA CAVERNA

COLEÇÃO HISTÓRIA REFLEXIVA

COLEÇÃO LINGUAGEM: A ARTE DA REFLEXÃO

COLEÇÃO INVESTIGAÇÃO E REFLEXÃO

COLEÇÃO APRENDENDO CIÊNCIAS

COLEÇÃO SER MATEMÁTICO


=

+

Mais próximos dos professores, das escolas e dos alunos O S.E.R. cria, produz e disponibiliza: estrutura de apoio por meio de assessorias, seminários, projetos, ações integradas, informativos, sites para interação e material didático específico. Com estrutura que torna realidade um Ensino Reflexivo e Filosófico repleto de vida nas escolas. Envolvendo os professores de todas as disciplinas, em busca de uma educação significativa e emancipadora.

ESTRUTURA: ●● ●● ●● ●●

Assessoria (on-line e presencial). Equipe de filósofos e educadores que trabalham na formação continuada com todos os professores. Equipe didático-filosófica para assessorar aos professores e colégios. Autores de renome nas áreas de ensino, com experiência docente em sala de aula.

AÇÕES: ●● ●● ●● ●● ●●

Congressos nacionais de Educação para o Pensar. Cursos de Formação Permanente para os professores (modalidade EaD e presencial). Palestras. Seminários regionais. Encontros de professores e encontro de alunos.

INFORMATIVOS: ●● Jornal trimestral – Corujinha: Jornal de Ideias da Filosofia com Crianças, Adolescentes e Jovens. ●● Boletins eletrônicos semanais de reflexões – O Dia D... Reflexões filosóficas. ●● Revista on-line – Philos: Revista Brasileira de Filosofia no Ensino Fundamental.

PROJETOS: ●● Café com Ideias; Estamos com Você: Professor de Filosofia; Filosofia no Ensino Fundamental; Diálogos Filosóficopedagógicos; Formação permanente; Filosofia na Rede Pública de Ensino; EaD do S.E.R.; Doações de livros para escolas públicas; Sim, Escola Reflexiva? SER é a resposta!; Escrevendo a história com várias mãos; Autor na escola; Corujas itinerantes; Troféu Amigo da Filosofia... SITES: ●● www.portalser.net ●● www.editorasophos.com.br

MATERIAL DIDÁTICO: Criação e elaboração de Coleções filosóficas e didáticas: ●● Coleções para o ensino da Filosofia: Filosofia Fundamental; Filosofia: o Início de uma Mudança; Novo Espaço Filosófico Criativo; Filosofia e Interdisciplinaridade; Paradidáticos Filosóficos. ●● Coleções para pais e educadores: De Educador para Educador; Pais & filhos: companheiros reflexivos; Conhecer para projetar o futuro. ●● Coleções Didáticas Reflexivas: Ensinar e Aprender para além da Caverna (Alfabetização ao 5º ano); Linguagem: a arte da reflexão (6º ao 9º); Geografia: Investigação e Reflexão (6º ao 9º); Aprendendo Ciências (6º ao 9º); História reflexiva (6º ao 9º); Ser Matemático (6º ao 9º).

PARA SABER MAIS SOBRE Sistema de Ensino Reflexivo – S.E.R. • Editora Sophos • Centro de Filosofia www.editorasophos.com.br e www.portalser.net Rua Cristóvão Nunes Pires, 161 – Centro – CEP 88010-120 – Florianópolis – SC Fone/fax (48) 3222 8826 – 3025 2909 vendas@editorasophos.com.br – assessoria@portalser.net


jornal Corujinha 68