Page 1

ANO XV - Nº 56 3º. TRIMESTRE - 2006 FLORIANÓPOLIS/SC

Impresso Especial 68001055/02-DR/SC Editora Sophos

CORREIOS

Jornal de Idéias da Filosofia com Crianças, Adolescentes e Jovens

Filosofia no Ensino Fundamental Movimento Por uma Educação para o Pensar: Filosofia no Ensino Fundamental é o mais novo engajamento educacional

tal, já formam uma frente educacional bem-estruturada e a tendência é que mais instituições façam parte desta empreitada.

sse Movimento surge com objetivo de desencadear uma mobilização popular nacional, através das instituições representativas na educação, dos profissionais da reflexão filosófica nas escolas com mobilizações populares e das estruturas representativas e organizadas. Com ações como abaixo-assinado e outras manifestações, a fim de sensibilizar as autoridades educacionais do nosso País a abrir espaço para uma Educação para o Pensar, pela disciplina Filosofia no Ensino Fundamental. A seguir, alguns passos a serem dados, para que o Movimento obtenha o sucesso desejado: - Divulgar o Movimento Por uma Educação para o Pensar: Filosofia no Ensino Fundamental em todos os meios de comunicação; - Sensibilizar as instituições representativas da educação para que somem esforços em torno da causa, agregando legitimação e participação na luta;

E

- Operacionalizar de forma criativa o movimento utilizando a internet e demais meios para conseguir o máximo de assinaturas em abaixo-assinados e outras formas de mobilização dos educadores e autoridades. - Oportunizar via Congressos Regionais e Nacional 2007 a discussão sobre os conteúdos e metodologia, para que haja um referêncial para os trabalhos com os alunos e professores no

Silvio Wonsovicz apresenta e lança Movimento Nacional que luta pela Filosofia no ensino Fundamental

Entrevista

Alguns parceiros:

José Roberto Garcia e Valdecir da Conceição Veloso

Ensino Fundamental. -Através da criação do site www.filosofiafundamental.com.br, organizar um Fórum de discussões e acompanhamento sobre o Movimento e todos os aspectos da sensibilização desencadeados pelas instituições envolvidas e a sua abrangência. Entidades e Lideranças que apóiam o Movimento Por uma Educação para o Pensar: Filosofia no Ensino Fundamen-

Celebração Prêmio Amigos da Filosofia 2006

Editora Sophos AEC/SC AEC do Brasil Escola de Pais/SC Escola de Pais do Brasil Undime/SC Undime do Brasil SMED - São José/SC Sinepe/PR Sinepe/NPR Sinpro-Londrina/PR Abrades Nufep´s do Brasil Pós-graduação Bagozzi Faculdade Dom Bosco Faculdade Santa Rita Apeoc-Ceará ...

Fundamental Sistema de Ensino Reflexivo - S.E.R.

Mestres em Filosofia se unem e elaboram obra que tanto esperavam, pois a falta de um material que realmente direcionasse suas necessidades era enorme. Fruto de 6 anos de muitos experimentos em sala de aula e outros tantos trabalhos com várias instituições de ensino, o livro Eureka é a mais recente publicação da Editora Sophos.

O mês de Julho foi marcado pelo Congresso Regional que aconteceu em Florianópolis, juntamente com o lançamento do Movimento Por uma Educação para o Pensar: Filosofia no Ensino Fundamental. O jornal Corujinha apresenta os homenageados e aguarda as indicações para o ano que vem.

O rompimento das práticas repetitivas é o que tem que ser trabalhado, na utilização do Sistema de Ensino Reflexivo, oferecido pelo Centro de Filosofia Educação para o Pensar. A reflexão construída processualmente com a formação de professores e o apoio de um material didático alternativo ao que comumente encontra-se no mercado e nas escolas é o que o sistema defende.

(pág. 03)

(pág. 06)

(pág. 14) portaldafilosofia.com.br


Opinião do leitor

EDITORIAL

VITÓRIA! Filosofia no Ensino Médio Com muita alegria e satisfação de dever cumprido, o Centro de Filosofia e todos os que se uniram na luta pela volta da Filosofia e Sociologia ao Ensino Méido, tem o gosto de ver recompensado os esforços. Somando forças com diversas entidades, travamos uma luta política junto as autoridades educacionais e também conscientizando as escolas, simpatizantes, pais e os próprios alunos da importância de uma Educação Reflexiva. Isso faz parte da nossa missão enquanto instituição que há 17 anos realiza atividades, assessorias, formação e produção de materiais didático-filosóficos para todos os segmentos escolares. Queremos presentar todos os amantes da filosofia e todos os professores da disciplina com o novo lançamento do material didático para o Ensino Médio. Apresentamos em primeira mão o livro "EUREKA: Construindo cidadãos reflexivos", autoria dos professores Beto e Valdecir do NUFEP/ Londrina-PR. Livro que atende as necessidades do Ensino Médio e que traz os eixos fundamentais para o entendimento do pensamento filosófico que está sendo exigido em muitos vestibulares e exames pelo país, por isso a entrevista da página 3 é com os autores. Não poderíamos deixar de convidar cada professor, pai e aluno, além dos amigos da Filosofia para agora nos enganjarmos no Movimento Por uma Educação para o Pensar: Filosofia no Ensino Fundamental. Veja mais informações neste jornal e também em breve no endereço www.filosofiafundamental.com.br . Muitas entidades, colégios, instituições, lideranças educacionais estão assinando este movimento. Veja se sua escola e seu professor(a) já está participando. Outra novidade é que o nosso Jornal de Idéias - Corujinha - inicia a partir deste exemplar um caderno de atividades e exercícios filosóficos. Além disso estamos na página 16 colocando parte do novo catálogo dos livros da Editora Sophos e, quem encontrar a Philó estará ganhando a assinatura anual da PhiloS que agora é online. Muitas notícias boas, muitos convites para participar. Venha fazer parte ativa deste Centro que quer estar sempre presente e perto de você e de suas reflexões e ações. Boas Leituras e vamos socializar seus entendimentos e práticas reflexivas no Portal da Filosofia. expediente

2

utubro é um mês duplamente especial. E sabe por quê? Porque é nesse mês que comemoramos duas datas de grande importância: o Dia das Crianças, no dia 12, e o Dia dos Professores, no dia 15. Quer maior motivo para celebrar a Educação? Um, porque as crianças são as pessoinhas pelas quais se sonha e realiza uma boa educação, e outro porque são eles, os educadores, as pessoas que sonham e realizam esse trabalho de educar. Claro, sempre lembrando que as crianças são grandes educadoras e os professores lindas crianças crescidas. Datas comemorativas podem ser encaradas de diferentes maneiras. Uma delas, a mais comumente utilizada pela mídia, é explorando-se a data para fins comerciais, perdendo-se assim a essência do que se celebra. Não é dessa comemoração que estamos falando aqui. Estamos, por outro lado, querendo ressaltar essas datas, indicando que podemos conceber estas comemorações como uma forma de valorizar a tal ponto um acontecimento, fenômeno, pessoa ou profissional, que se instituiu um dia do calendário anual para celebrá-los. É uma grande alegria poder comemorar o Dia das Crianças - esperança de um mundo melhor, pureza desses tempos atribulados em que vivemos! É também uma imensa satisfação celebrar a existência desse grande profissional que é o professor - formador de seres humanos, regador de sonhos que podem se tornar realidades, introdutor do conhecimento para que se construa essa nova realidade. Há esperanças, e a razão dela é a existência de vocês! Parabéns!

O

Danielle Antunes Equipe filosófico-pedagógica do Cenfep

Congresso Regional Educação para o Pensar - RJ

Conhecimento, Arte e Sensibilidade: por uma Educação Humanizadora Centro de Convenções do Barra Shopping recebe a Filosofia ma das atividades desenvolvida pelo Nufep - RJ, em Parceria com o Centro de Filosofia Educação para o Pensar e a Asfoe - Associação Fluminense de Orientadores Educacionais, desde 2002, no momento de sua implantação no Rio de Janeiro, que tornou-se um dos eventos aguardado com ansiedade pelos professores e orientadores educacionais que acreditam no valor da educação que leva à Reflexão, para uma Educação Emancipatória, é o Congresso Regional Educação para o Pensar. Este momento de reflexão e aprofundamento de estudos teóricos e práticas, no Programa de Filosofia comcriançasejovens,seráoferecidonosdias06e07 de outubro, das 8h às 17h, no Centro de Convenções do Barra Shopping, Rio de Janeiro. O tema Conhecimento, Arte e Sensibilidade: por uma Educação Humanizadora reunirá importantes conferencistas como Hamilton Werneck, Júlio César Furtado, Serrano Freire e César Said .

U

O Corujinha é um Jornal de Idéias do Programa filosófico-pedagógico “Educar para o Pensar: Filosofia com Crianças, Adolescentes e Jovens”. Todas as matérias, idéias e opiniões aqui expressas são de responsabilidade das pessoas que contribuíram para este informativo. Querendo reproduzir partes, favor citar a fonte.

portaldafilosofia.com.br

Escolas e Secretarias Municipais de Educação farão Comunicações de práticas numa proposta de Educação para o Pensar, valorizando a ação de Orientadores Educacionais, Professores das séries iniciais e educação infantil e Professores de Filosofia no Ensino Fundamental. As mesas de Comunicações serão mediadas pela presidente da Asfoe, Prof. Drª Miriam Paura Grinspunn e pelo presidente do Centro de Filosofia Educação para o Pensar, Prof. Dr. Silvio Wonsovicz. As atividades serão permeadas por apresentação de música e poesia, contando com a participação especial de Sérgio Marschhausem, Denise Almeida e Taís Alvarenga, cantora, atriz e assistente de produção de Osvaldo Montenegro. Venha ampliar, trocar conhecimentos e participar ativamente da Asfoe e Nufep/RJ. Informações: Tel.: (21) 3414 2814 e-mail: nufep.rj@ globo.com Endereço do CENFEP para corespondências: Rua Cristovão Nunes Pires, 161 - CEP 88.010-120 Centro - Florianópolis/SC - (48) 3322.2917 imprensa@portaldafilosofia.com.br • www.portaldafiosofia.com.br

Diagramação: FERNANDO RIBEIRO - (47) 9904-4969


Entrevista

Filosofia para o Ensino Médio? ssa é a mais recente dupla filosófica que passa a integrar o quadro de autores da Editora Sophos, em Florianópolis, lançando o título Eureka, previsto para a 2ª quinzena de outubro. Os dois são graduados em Filosofia, especialistas em Filosofia Política - UEL - Londrina/PR, mestres em Filosofia (Ética) - Puccamp/SP e docentes atuantes em instituições de ensino médio, superior e pós-graduação. Para marcar o dinamismo dessas personalidades e a necessidade constatada em sala de aula, Valdecir e Beto escreveram uma obra que trata da descoberta eficaz de como refletir filosoficamente com alunos do Ensino Médio.

E

Essa é a primeira obra filosófica da dupla? Contem um pouco sobre essa empreitada. Sim, essa é a nossa primeira obra a ser editada e nos sentimos muito felizes por fazermos parte deste quadro tão seleto de autores. É um trabalho que há 6 anos veio se construindo espontaneamente e agora resolvemos dar o trato que ele deveria ter; editar um livro. A necessidade de um material que nos ajudasse no dia-a-dia da sala de aula sempre foi muito grande e, ao longo desses últimos anos, fomos transformando essa necessidade em uma realidade. Com a bibliografia que usávamos, começamos a elaborar novos formatos de utilização e que se tornaram cada vez mais eficazes, gerando um excelente retorno nas aulas. O título Eureka marca essa descoberta então? Também. É uma entre tantas outras que foram surgindo. Acredito que poder refletir filosoficamente com os alunos, utilizando os seis grandes eixos da Filosofia tenha sido a grande descoberta, juntamente à necessidade que tínhamos de uma obra como esses moldes, é claro. Fale mais sobre esses eixos filosóficos e a aplicação em sala de aula. 1º Mito à Filosofia - instalação da consciência mítica e a transição da filosofia; 2º Epistemológico - estudo sistemático do conheci-

mento humano; 3 º P o l í t i c o - e s t r u t u r a d e p o d e r d a s o c i e d a d e ; 4º Ético - refletir sobre a conduta humana; 5º Estético - percepção humana, as relações entre o belo e o feio; 6º autores contemporâneos. Trabalhar esses eixos, em tempos onde o senso comum e a inversão de valores são os grandes vilões do momento, é um grande desafio? Certamente! Passamos por um momento delicado. Encontrar a verdade é muito complicado, principalmente em filosofia e, ao mesmo tempo, é ela o grande motor disso tudo. A molecada começa a compreender determinados valores, dando atenção às condutas humanas mais corretas e buscam aplicar e repassar esse conhecimento. Como se deu a idéia de complementar a obra, com exercícios objetivos e subjetivos na internet? Pelo fato de nossa necessidade ser extrema, produziu-se muito também e percebemos que o livro poderia chegar a 500 páginas. Isso tornaria a obra um tanto quando carregada e pesada para os alunos do ensino médio, o que poderia causar uma certa repulsa. Então, resolvemos criar essa possibilidade e deixamos o livro mais simpático, trazendo aproximadamente 230 páginas e mais uma senha de acesso ao portaldafilosofia.com.br, onde lá estão disponíveis vários exercícios relacionados à obra e de grande valia no processo educativo.

“É um trabalho que há 6 anos veio se construindo espontaneamente e agora resolvemos dar o trato que ele deveria ter; editar um livro. A necessidade de um material que nos ajudasse no dia-a-dia da sala de aula sempre foi muito grande e, ao longo desses últimos anos, fomos transformando essa necessidade em uma realidade..”

RELAÇÃO DOS NUFEPs - (Núcleos de Filosofia Educação para o Pensar) e seus responsáveis Nosso Programa Educar para o Pensar: Filosofia com Crianças, Adolescentes e Jovens busca oportunizar a todos um estudo reflexivo, crítico e emancipatório. Também lançar-nos para o estudo com mais afinco, dentro da Filosofia e de outras disciplinas, tornar-nos atentos para aprendermos com as crianças e os jovens naquilo que eles têm para nos dizer e, juntos, maravilharmonos, fazermos Filosofia. Uma Filosofia viva, encharcada de vida em todas as dimensões. CONHEÇA mais sobre os núcleos e sobre o Centro no portal da filosofia. Entre em contato com o NUFEP mais próximo de você.

NUFEP/Distrito Federal - DF ............................................... NUFEP/Grande São Luís - MA ............................................ NUFEP/Ceará - CE ............................................................... NUFEP/Sul Fluminense - RJ ................................................ NUFEP/Norte - SC ............................................................... NUFEP/Manaus - AM .......................................................... NUFEP/Mato Grosso do Sul - MS ....................................... NUFEP/Noroeste - RS .......................................................... NUFEP/Grande Rio - RJ ...................................................... NUFEP/Mato Grosso - MT .................................................. NUFEP/Bahia - BA .............................................................. NUFEP/Grande Florianópolis - SC ...................................... NUFEP/Vale do Tijucas - SC ............................................... NUFEP/Região Serrana - RJ ................................................ NUFEP/Região Médio e Alto Uruguai - RS ......................... NUFEP/Grande Natal - RN .................................................. NUFEP/Região Metropolitana Curitiba - PR ....................... NUFEP/Espírito Santo - ES .................................................. NUFEP/Uberaba - MG ......................................................... NUFEP/Piauí - PI ................................................................. NUFEP/Uberlândia - MG ..................................................... NUFEP/Belo Horizonte - MG .............................................. NUFEP/Norte do Paraná - PR .............................................. NUFEP/Curitiba - PR ........................................................... NUFEP/São Paulo - SP ........................................................ NUFEP/Palmas - TO ............................................................

Lia .................................... (61) 8143.0038 ...................... liabazzo@superig.com.br Isabel ................................ (98) 8121.3053 ...................... filocoruja@yahoo.com.br Jayme ................................ (85) 9145.2043 ...................... jaopai@uol.com.br Teresa ............................... (24) 9819.5040 ...................... teresacborges@gmail.com.br Centro ............................... (48) 3322.2917 ...................... centro@centro-filos.org.br Manoel ............................. (92) 8803.9840 ...................... manoeldejesus@yahoo.com.br Centro ............................... (48) 3322.2917 ...................... centro@centro-filos.org.br Centro ............................... (48) 3322.2917 ...................... centro@centro-filos.org.br Ângela .............................. (21) 3414.2814 ...................... nufep.rj@globo.com Sérgio ............................... (65) 6624.8068 ...................... sdecezaro@ig.com.br Holdaque .......................... (73) 9983.3627 ...................... nedicoesitabuna@uol.com.br Centro ............................... (48) 3322.2917 ...................... centro@centro-filos.org.br Piva ................................... (48) 3263.0576 ...................... edgar@unetvale.com.br Márcio .............................. (24) 9811.7177 ...................... marcioe@compuland.com.br Vicente ............................. (55) 3744.3187 ...................... vicentesandeski@brturbo.com.br João .................................. (84) 9953.8687 ...................... pires.joao@uol.com.br Centro ............................... (48) 3322.2917 ...................... centro@centro-filos.org.br Centro ............................... (48) 3322.2917 ...................... piagetassessoria@yahoo.com.br Centro ............................... (48) 3322.2917 ...................... joaomendesbussiness@terra.com.br Eduardo ............................ (86) 9991.2831 ...................... eduardoliva1@hotmail.com Luis Fernando .................. (34) 9997.0919 ...................... luizfermartinelli@yahoo.com.br Valdemar .......................... (31) 3364.2741 ...................... ssvaldemar@yahoo.com.br Valdecir Veloso ................. (43) 9961.8614 ...................... valdecir@sinprolondrina.com.br Centro ............................... (41) 2106.6871 ...................... secretaria@portaldafilosofia.com.br Centro ............................... (48) 3322.2917 ...................... secretaria@portaldafilosofia.com.br Expeditto .......................... (63) 3602.2078 ...................... expeditto@brturbo.com.br

portaldafilosofia.com.br

3


Núcleos

Música e Filosofia

Bia Bedran apresenta canções investigativas Comunidade filosófica do Rio de Janeiro canta e aprende a investigar através da música o dia 19 de agosto, o Nufep/RJ promoveu o Curso Um Dia Bem Diferente, com Bia Bedran - professora, escritora e musicoterapeuta que encanta as salas de aulas com suas canções. Professores e coordenadores das escolas participantes do Núcleo de Filosofia Educação para o Pensar, no Rio de Janeiro, prestigiaram o evento. As diretoras do Planeta Criança, CEC e Miraflores (Barra da Tijuca), Ser e Crescer (Nova Iguaçu), Quintal das Artes (Botafogo) e Recriando (Jacarepaguá) participaram junto com seus professores, ratificando a opção pela linha filosóficopedagógica de incentivar uma cultura do pensamento nos educandos, desde suas primeiras experiências escolares. As canções de Bia Bedran fazem parte das atividades que podem gerar discussões de cunho investigativo nas aulas de filosofia do Programa de Filosofia

N

Bia Bedran contagiando a platéia

Educação para o Pensar. Durante três horas, o curso aconteceu ilustrando situações filosóficas que podem ser aproveitadas no cotidiano escolar, ressaltando a importância de aprender a filosofar desde a educação infantil. As professoras do INSP, Escola Park,

ETERJ, Golfinho Amigo, Rainha dos Corações, CELD e as SME de Cabo Frio e de São João de Meriti foram convidadas a participar da complementação do curso, dia 16 de setembro, sobre a prática da filosofia com crianças, a partir das músicas de Bia Bedran. Nufep-DF - Escola Pública do GDF- GISNO

O Jogo e sua importância no ensino da Filosofia Proposta para aula é de grande utilidade grande importância do jogo é porque ele produz uma ação eficaz, uma vez que consegue mobilizar energias quase impossíveis de se realizar numa aula comum ou tradicional. O jogo supera a sensação de perda porque nele alguém necessariamente tem que perder. Jogos competitivos, além da finalidade didática específica a que se destinam os jogos se prestam a infinitas possibilidades e trabalham ainda o SABER PERDER e o QUERER GANHAR.

A

SABER PERDER,

porque não se ganha sempre. É preciso fazer a aprendizagem da perda e do luto que a envolve, o reconhecimento da superioridade dos lances do ganhador, e de que não somos os donos da verdade o tempo todo. Paradoxalmente, até perdendo aprendemos. Mesmo perdendo o jogo, ainda podemos sair ganhando.

4

QUERER GANHAR.

Neste mundo competitivo em que vivemos é preciso aprender com as perdas ou fracassos. Que lições podemos tirar daí? O que deveríamos ter feito para ter tido performance melhor? Muito importante e saudável é querer ganhar. Aprender a ganhar eticamente é fundamental.

Parecer e depoimento :

Os jogos e alunos portadores de necessidades especiais. Observamos na inclusão destes alunos nas escolas regulares que o jogo mais produtivo era o do tipo cooperativo, pois esses alunos só eram escolhidos para participar de jogos onde o grupo ganhava. Isto porque o conjunto se sobrepunha e não ficava na dependência por exemplo de que alguém com hipotonia muscular ganhasse a corrida. No entanto, devo ressaltar que o Victor, u m d e n o s s o s alunos que t r e i n a v a i n t e n s i v a mente natação, devido a um problema que apresentava, era campeão estadual de natação, disputando com pessoas não portadoras de síndrome de Down. portaldafilosofia.com.br

OBJETIVOS: a) Os diversos tipos de jogo são utilizados na sala de aula com o fim de propor e experimentar novas alternativas de observação e construção de aprendizagem; b) Envolver o aluno na trama lúdica da aprendizagem – papel típico do conhecimento filosófico; c) Facilitar a construção de conhecimentos escolares por meio da interação com o outro e das articulações e energias evidenciadas pelo jogo. Seqüência de atividades básicas para a introdução dos jogos na sala de aula: a) Apresentação; b) Diálogo com o grupo sobre a compreensão e estrutura dos jogos; c) Introdução das regras básicas; d) Realização do jogo em si; e) Discussão dos resultados e utilidade do jogo experimentado, tal como as aprendizagens construídas com o mesmo.


NOTÍCIAS DA REDE

A filosofia na escola

Novos núcleos do Centro de Filosofia Para que professores e escolas possam beneficiar-se de toda estrutura do Centro Centro de Filosofia amplia sua atuação em novas regiões do país que, através de escolas e professores começam a conhecer nosso Programa e implantar nossos materiais didático-filosóficos. Assim estamos iniciando novos NUFEPs (Núcleos de Filosofia Educação para o Pensar), ligados a estrutura e linha filosófico-pedagógica do Centro em

O

Conselheiro Lafaiete/MG, Foz do Iguaçu/ PR e Porto Alegre/RS. A razão da existência do NUFEP é fazer que o Centro, seu Programa, seus materiais didático-filosóficos, seus projetos, sua formação de professores, estejam acontecendo próximo aos colégios, professores e alunos. Queremos apresentar os novos Núcleos que começam a se estruturar e já estão visitando colégios em suas áreas de atuação, chamando professores, planejando eventos. Fazendo assim um verdadeiro trabalho de implantação, assessoria e acompanhamento junto aos colégios e professores. NUFEP/Foz do Iguaçu-PR que está localizado na Kunda Livraria Universitária NUFEP/Porto Alegre-RS que está localizado na Cepal Livraria e Papelaria NUFEP/Conselheiro Lafaiete-MG sob a responsabilidade do Prof. Cristian

Depoimentos revelam a importância dessa atividade Professora Graziela Becker fala sobre aprendizagem investigativa no Centro de Apoio a Terceira Idade - Cati -, em São José, Florianópolis omunidade de aprendizagem investigativa um novo olhar com relação ao ensino da matemática foi o tema apresentado pela educadora. A seguir, estão listados alguns resultados obtidos pelos participantes Muito enriquecedor e construtivo o tema proposto. As experiências da palestrante que foram apresentadas foram muito válidas e proveitosas. (Ariana V. da Rosa).

C

No mundo que estamos devemos parar para pensar é através da filosofia que podemos refletir um pouco no nosso dia-a-dia. Vocês todos estão de parabéns por se dedicar nesta área. (Fernanda Cidral Abilles). Adorei a palestra, a conversa, pois pude aprender um pouco mais sobre a matemática e filosofia. Com certeza irei refletir mais sobre a questão da educa-

ção. Uma nova forma de pensar. Voltarei nas próximas reuniões. (Juliana V. de Andrade) Extremamente competente. Sempre teve uma meta a construir e a segue se orientando por pistas que a levam a atingir, sabe inovar; criativa; criteriosa. Excelente educadora e sempre "sujeito aprendente" em todas as condições. Sinto-me extremamente feliz por ela ter sido uma das minhas orientadoras na Univali, no curso de pedagogia. (Neusa Terezinha Valentim). Excelente e pertinente a preocupação da professora com a interdisciplinaridade que é o que pode mudar alguma coisa dentro da educação. O grupo que presente também foi importante para a realização do encontro, pois houve questionamentos importantíssimos sobre o tema. (Geverson L. Godoy) Apreciei muito as reflexões do pales-

portaldafilosofia.com.br

trante que abre a discussão filosófica para desfragmentar o modo de se fazer da escola hoje. Há necessidade de abrir a nossa mentalidade a fim de ajudar os nossos alunos e a nós mesmos, abrir-se ao novo. (Mara Martins) Muito importante que pessoas, como a professora Graziela, tenham empenho na implantação de uma nova visão de educação e possam partilhar com os outros educadores.(Rita de Cássia Ferreira) Maravilhoso! Descobri que preciso pensar. Estou aqui pensando como avaliar. Só posso dizer que fui estimulada a pensar de forma crítica durante toda a palestra e me encontrei com tantos conflitos que consegui compreender a realidade do ensino na educação atual. Agora abri um caminho para entender o aprender dos meus alunos. (Michele da Silva)

5


Celebração Celebração

Prêmio "Amigos da Filosofia - 2006" Homenageados são os grandes propulsores da educação filosófica or ocasião dos encerramentos das festividades dos 15 anos e dos trabalhos junto com escolas, professores, alunos e suas famílias, o Centro de Filosofia Educação para o Pensar instituiu o Prêmio Amigos da Filosofia em 2005. Esta premiação passou a ser anual e a partir deste prêmio o Centro quer tornar público e reconhecer os trabalhos de professores e instituições em prol de uma educação filosófica e reflexiva nas escolas e universidades de todo o território nacional, junto às crianças, aos adolescentes e aos jovens. Com a finalidade de incentivar, apoiar e divulgar as iniciativas e práticas para melhorar a educação e a qualidade de vida dos alunos e professores através do Ensino Reflexivo, filosófico, este é o objetivo instituído nas duas categorias do prêmio. Juntamente à celebração dos 17 anos do Centro de Filosofia Educação para o Pensar, duran-

P

Ângela Paiva, a primeira homenagem da noite

te o Congresso Regional em Florianópolis, no mês de julho, o Prêmio Amigos da Filosofia também teve seu destaque ao completar sua segunda edição. Seis educadores e seis instituições foram agraciadas e receberam troféus pela melhora do ensino e da educação filosófica nas es-

colas brasileiras. Entre as centenas de professores indicados, através do portaldafilosofia.com.br, três foram os homenageados; Thiago Cristian Barbosa Nunes e Maria da Paz Fonseca e Costa de Conselheiro Lafaiete/ MG e Márcia Senna, do Rio de Janeiro. A diretoria do Centro de Filosofia Educação para o Pensar elegeu mais três pessoas públicas e de grande importância no cenário filosófico, no que diz respeito à obrigatoriedade do ensino de Filosofia e Sociologia, tanto em Santa Catarina como nacionalmente. Para fechar esse grupo de premiados, foram escolhidos Pedro Francisco Uczai, de Santa Catarina, Ângelo Vanhoni, do Paraná e Dr. Ribamar Alves, do Maranhão. "A Filosofia pode ser o instrumento fundamental da cidadania", afirma o ex-prefeito de Chapecó e autor da Lei que obriga o ensino de Filosofia no Ensino Médio Catarinense. O maranhense, Dr. Ribamar, acrescenta: "Sigamos a g o r a p a r a a o b r i g a t o r i e d a d e n o r e s t a n t e d a s séries, porque para o Ensino Médio a conquista foi feita". As instituições mais indicadas no portal, entre Agosto/05 e Abril/06, e que recebe-

Pedro Francisco Uczai, Márcia Senna e Ângela Paiva na premiação

Thiago Cristian Barbosa Nunes o mais novo homenageado

Evaldo Pauli e equipe sendo homenageados com o troféu Amigos da Filosofia

6

portaldafilosofia.com.br

Representante de estabelecido Ângelo Vanhoni recebe prêmio das mãos de João Maria Pires

ram seus troféus são o Colégio Santa Rita (Fasar), de Conselheiro Lafaiete/ MG, colégio Equipe Grau, de Nilópolis/ RJ e o Centro Educacional Ludo, de Castelo/ ES. A diretoria do Centro premiou o Laboratório de Ensino de Filosofia e Sociologia - Lefis e a Biblioteca Superior de Cultura Simpozio (Evaldo Pauli) - Santa Catarina; e o Departamento de Pós-graduação em Educação da Unicamp (Luis Aguiar) Campinas. O momento mais valioso da premiação ficou por conta das palavras proferidas pelo

Thiago Cristian Barbosa Nunes e Dr. Ribamar Alves

primeiro professor de Filosofia da UFSC, filósofo e presidente da Academia Catarinense de Filosofia, Evaldo Pauli. Em seu breve discurso de agradecimento, deixou clara a real necessidade da educação filosófica em todos os níveis e saudou a disciplina que ele aplica diariamente em sua vida profissional e social. "Nesses meus 81 anos de vida, a Filosofia é que me mantém escrevendo e produzindo mais materiais para a prosperidade. As pessoas passam, mas as instituições ficam. Viva a Filosofia!", finaliza Pauli.


5) ENSINO MÉDIO o conhecer o significado etimológico da palavra Filosofia - amizade, amor á sabedoria - pode-se dizer que a essência do filosofar é a reflexão. A palavra reflexão tem vários significados que possuem relação direta com o trabalho filosófico: revelar, mudar de direção, desviando da direção inicial, retomar, retroceder, reconsiderar os dados disponíveis pensar de forma madura, meditar, revisar, analisar, examinar, prestar atenção... Aqui vale, no entanto, uma colocação importante: a Filosofia, além de ser um trabalho de reflexão, também apresenta um conjunto de conhecimentos, formas de ver o mundo, critérios para nortear a ação das pessoas. "Os filósofos exprimem sempre, em cada instante, o pensamento de um grupo social, de classe ou povo a que pertencem ou representam. Eles são os teoristas, os que explicam e interpretam os desejos, as tendên-

A

Filosofia: Um Trabalho de Reflexão cias e as reivindicações desses grupos, classes ou povos. Seu pensamento depende da situação de domínio ou submissão em que se encontra o seu grupo, classe ou povo, em relação a outros povos, grupos ou classes. depende de estar no poder ou em luta pelo poder, em ascensão ou em decadência" (Basbaum apud Luckesi, 1993, p. 25) Trata-se de um corpo de conhecimento constituído a partir de um esforço que o ser humano vem fazendo para compreender o seu mundo e dar-lhe um sentido, um significado compreensivo. Corpo de conhecimentos, em Filosofia, significa um conjunto coerente e organizado de entendimentos sobre a realidade. Conhecimentos estes que expressam o entendimento que se tem do mundo, a partir de desejos, anseios e aspi-

rações (Luckesi, 1993, p. 22). A Filosofia procura pensar e refletir a vida além daquilo que o senso comum percebe num primeiro instante, ou seja, além de sua pura aparência. Exercitando a mente: Sócrates afirmou que "A vida se reflexão não merece ser vivida". Comente essa afirmação. - Pense e escreva sobre a importância do Ensino de Filosofia aprovado como obrigatório no Ensino Médio a partir de 2007 em todas as escolas do Brasil.

Bibliografia: HEERDT, Mauri Luiz. Pensando para viver: alguns caminhos da filosofia. Col. Filosofia o Início de uma Mudança, Ed. Sophos: Florianópolis/SC, 2005, págs. 15, 16 e 33

Filosofando na Fazenda

portaldafilosofia.com.br


SOLIDIFICAÇÃO FILOSÓFICA 2) EDUCAÇÃO INFANTIL ara estudar o pensamento das crianças, para que sejam elas mesmas as verdadeiras protagonistas da aprendizagem é indispensável registrar as conversas, relê-las, compreender seus diferentes pontos de vista e as estratégias que revelam" (Zabalza, 1998, p. 136). Isso significa que é preciso construir com ela atitudes que ensinem um pensar crítico sobre o "estar aí" no mundo onde se situam, desde a mais tenra idade, desenvolvendo assim o "Ser Cidadão". Para tal, torna-se necessário oferecer oportunidades que favoreçam a pesquisa, a busca, o interesse, a curiosidade natural que é inata na criança, tendo presente o que recomenda a Lei nº 9.394/96, em seu 6º capítulo, sobre a Educação Infantil (art.29): "A educação infantil tem como

P

Conversando com o Educador Infantil finalidade o desenvolvimento integral da criança até os 6 anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade" (LDB, 1996, p. 51). Significa que, no período referido, a escola precisa trabalhar ativamente sobre esses aspectos que são determinantes na vida do ser humano. No aspecto intelectual, está implícito um trabalho filosófico bem estruturado, que esteja próximo do mundo concreto, da vida de cada uma destas crianças. "Os sistemas de ensino velarão para que as crianças... recebam conveniente educação em escolas maternais, jardins de infância e instituições equivalentes" (LDB, 1996, p. 53), possibilitando um processo pedagógico que

possa concretamente desenvolver a capacidade de apreender. É importante, nesta faixa etária, que o(a) Educador(a) Infantil tenha como objetivo construir com a criança, além de conhecimentos e habilidades, a formação de atitudes e valores. Exercitando a mente: As nossas brincadeiras Organizar um cartaz onde serão colocadas brincadeiras para os alunos. Este cartaz poderia ter uma classificação de brincadeiras: aquelas com as quais eu me divirto sozinho, aquelas nas quais preciso de participação dos outros, aquelas que preciso construir... (solicitar que os alunos encontrem gravuras de brincadeiras para um cartaz.) Bibliografia: VALENTIM, Neuza Terezinha Pinto; WONSOVICZ, Silvio. O Meu quintal: material do professor. Col. Filosofia o Início de uma Mudança, Ed. Sophos: Florianópolis/SC, 2001, págs. 51 e 57

4) FUNDAMENTAL II

LÓGICA, O QUE É? A velha e suas criadas ma viúva econômica e zelosa tinha duas empregadas. As empregadas da viúva trabalhavam, trabalhavam e trabalhavam. De manhã cedo, tinha de pular da cama, pois sua velha patroa queria que começassem a trabalhar assim que o galo cantasse. As duas detestavam ter de levantar tão cedo, especialmente no inverno, e achavam que, se o galo não acordasse a patroa tão cedo, talvez pudessem dormir mais um pouco. Por isso, pegaram o galo e torceram seu pescoço. Mas não estavam preparadas para as consequências do que fizeram, porque o resultado foi que a patroa, sem o despertador do galo, passou a acordar as criadas ainda mais cedo e punha as duas para trabalhar no meio da noite. Moral: Muita esperteza nem sempre dá certo. Fábulas de Esopo

U

Fundamentação - A frase do poeta Goethe "Nós não verºiamos o sol se nossos olhos não fossem solares" pode levar à reflexão de que, quando fazemos algo, fazemo-lo porque externamos o que temos dentro de nós. Ninguém faz algo que não tenha dentro de si. portaldafilosofia.com.br

Uma história para investiga Nossa mente trabalha com estruturas, que têm uma cadeia enorme de relações dentro de nossa cabeça. Temos talvez poucos dados, mas suas combinações elevam as possibilidades de relações. Podemos comparar as letras do alfabeto da língua portuguesa: 23 letras possibilitam centenas de milhares de combinações e cada uma diferente da outra. Observe só com a letra "a" quantas combinações temos e quantas palavras não repetidas temos. O mesmo fenômeno acontece com o projeto genoma. A grande surpresa dos cientistas do projeto genoma foi que encontraram poucas raízes originárias dos elementos da naturexa na constituição genética do ser humana e uma incalculável relação entre elas. Um desses cientistas, numa entrevista, afirmou que não passavam de mil e poucas raízes originárias. Nossa mente também trabalha com estruturas mais ou menos semelhantes. A lógica é uma atividade mental que Aristóteles tentou decifrar para possibilitar o entendimento, o funcionamento e a apropriação do reto uso da estrutura mental. Muitos tentaram definir a lógica como uma arte, uma

ciência. (…) Muitos au como ciência, pois a ló cias. A psicologia tam como ciência. O que a objeto, que é a estrutur objeto as operações in a lógica seja conceitua prática, exercício, trei mento. (…) A pergunta que Se, pela lógica, chegam mos conhecer a verda bom senso, porém, um consistência ao argum Numa avaliação se pela observação e ju rações mentais: relaç conjunto relacional, p gico. Por isso, muitas as pessoas dizem: "Co é o mesmo que dizer: Então, é ou não impo


3) FUNDAMENTAL I

A Leitura Ler é somente decodificar palavras? ais do que decodificar palavras, ler é talvez, dos atos mentais, o mais rico, pois está diretamente relacionado com a atitude do ser humano diante do mundo. A ação de ler está intimamente relacionada à ação de ver. É bom alertar, que quando aqui se usa o verbo ver, este não é entendido no significado de olhar ou enxergar. Um cego pode também ver, apesar de não poder enxergar. Ver não é uma ação do corpo, mas da mente humana. Podese dizer que o verbo foi inventado para comportar a idéia de imaginar com o corpo todo e não só mentalmente. Por exemplo, quando se diz: Eu vejo um futuro diferente para os injustiçados, ou Eu estou vendo que isso não vai me levar a nada. Quando investigamos a importância do verbo ler, nos deparamos com as possibilidades do verbo ver. Portanto, de forma alguma ler é somente decodificar palavras. Mesmo o corpo, conforme Pierre Weill em O corpo fala, pode ser lido. Assim também as feições, a temperatura, os números, o clima, a linha das mãos, as regras sociais, os símbolos, os gestos, as obras de arte, etc. O reconhecimento e o desenvolvimento de

M

história para investigar ciência. (…) Muitos autores questionam a definição de lógica como ciência, pois a lógica foge aos padrões precisos das ciências. A psicologia também levou muito tempo para se afirmar como ciência. O que a determinou assim foi justamente seu objeto, que é a estrutura mental de conhecer. A lógica tem como objeto as operações intelectuais. Alguns autores propõem que a lógica seja conceituada como arte, pois a arte exige técnica, prática, exercício, treino e método para se aplicar ao conhecimento. (…) A pergunta que se faz agora, diante dessa afirmação, é: Se, pela lógica, chegamos ao conhecimento verdadeiro, podemos conhecer a verdade sem a lógica? A resposta é sim, pelo bom senso, porém, um raciocínio elaborado com lógica dá mais consistência ao argumento. (…) Numa avaliação aritmética, 70% das questões resolvemse pela observação e justaposição dos enunciados. Esters operações mentais: relação, inferência, dedução, indução, num conjunto relacional, podem ser denominadas pensamento lógico. Por isso, muitas vezes, diante da solução de um enigma, as pessoas dizem: "Consegui resolver, porque era lógico!" Isso é o mesmo que dizer: "É evidente. Sem dúvida. Tá na cara!" Então, é ou não importante a lógica?

O que aprendemos logo na escola? novas áreas do conhecimento humano muito colaborou para ampliar o próprio significado do ato da leitura. Numa época em que falamos de Múltiplas Inteligências e de Inteligência Emocional, é fundamental a aprendizagem das leituras de diferentes linguagens. É vasta a bibliografia sobre o assunto, mas o privilégio do contato direto que os professores têm com os alunos, nos ensina o quanto a atitude infantil prossegue a mesma, de geração em geração. Nesta atitude encontramos muitas respostas, pois as crianças se maravilham constantemente na sua releitura das coisas do mundo. Na leitura dos contos, a insistência dos menores em ouvirem ou verem as ilustrações da mesma história inúmeras vezes, nos indica o quanto é essencial fazer um quadro das coisas para poder entendê-las. entender o mundo é uma fome a de ler. Mas, a cada nova leitura, um novo entendimento pode ocorrer. Quando a leitura começa? é somente quando nos alfabetizamos que começamos a ler? Talvez, por causa do tradicionalismo da nossa educação, primeiramente os professores terão que perceber que não começamos a ler na escola. Talvez, para a maioria, a escola tenha sido o local da alfabetização, mas não da aprendizagem da leitura. O professor se convencendo disso, talvez fique mais fácil

valorizar os saberes que o aluno traz consigo. Nós, não podemos desprezar as informações adquiridas e acumuladas por nossos alunos. Precisamos aprender a considerar honestamente o que eles têm a nos dizer. A escola deve dar ao aluno a possibilidade de conhecer as coisas pelo nome , as coisas que ele já tem a capacidade de fazer. Todos os símbolos que a cultura lhe traz, foram criados por outros seres humanos, semelhantes a ele. Portanto, é uma cultura que tem a ver com ele, e por ele pode ser assimilada. Entre esses símbolos criados pela cultura, durante os séculos, está o de maior prestígio social: a escrita e sua leitura.

Exercitando a mente: Lendo Os alunos, em dupla ou trio, deverão sair da sala e ler o que alguma pessoa esteja fazendo: no pátio, na sala dos professores, na secretaria do colégio, na cantina, na rua, etc. Ao retornarem deverão relatar o que eles leram. Bibliografia: WONSOVICZ, Silvio. O Menino e a caboré: material do professor. Col. Filosofia Fundamental, Ed. Sophos: Florianópolis/SC, 1998, págs. 52 - 54 e 56

Construção de idéias interdisciplinares 1. Pergunte aos professores das outras matérias qual é a sequência lógcia dos temas e por que estão assim dispostos. Faça seu comentário sobre a explicação que ele der. 2. Descubra a lógica de alguma invenção ou descoberta, peça ajuda ao professor de Ciências se necessário. Separe os passos e enumere-os. DESAFIO MENTAL - Jogo da velha lógico -Faça o gráfico do jogo da velha. -O número maior que se pode colocar dentro do gráfico é 9. -São dois os jogadores. Em comum acordo, escolham um número que não ultrapasse 81 para alcançar. -Ganhará quem, a partir da terceira jogada, conquistar o número acordado. Chega-se ao número acordado pela soma em diagonal ou paralelo dos números do gráfico. Exemplo: número acordado é 15

portaldafilosofia.com.br


Introdução:

EDUCAÇÃO PARA O PENSAR: a filosofia em nossa vida

O Centro de Filosofia quer com este caderno oportunizar momentos de reflexão e também contribuir com alunos, professores e simpatizantes da filosofia para o aprimoramento da arte de Bem Pensar. A nossa intenção é abrir espaço para que em sala de aula ou mesmo em momentos livres, os simpatizantes do bem e bom pensar possam se exercitar. Estamos abertos a contribuições para os próximos Cadernos Especiais.

1) LER E COMPREENDER ual é o sentido de crianças e jovens se limitarem a receber repasses de informações e aprenderem a reproduzir conhecimentos estáticos e prontos? Por que aprender concepções e verdades absolutas que engessam o processo de ação e reflexão diante do mundo e de sua própria existência? Aqui reside, em grande parte, a problemática do ensino da Filosofia: repasse mecânico de teorias desarticuladas da realidade. Rever o ensinamento de uma Filosofia estritamente conteudista e, por outro lado, adotar uma Filosofia crítica e metodologicamente articulada é um desafio, tendo-se em vista que a partir de uma aprendizagem filosófica, cria-se a possibilidade de desenvolver nas crianças e jovens suas capacidades cognitivas e intelectuais. Como? Por meio de uma vivênciasocial,culturalepolítica,quenadamaisé,doquecontribuirparaoexercíciocrítico,criativoecriteriosodeuma consciência cidadã. Para buscar um ensino de Filosofia que ocupe seu espaço e que seja condizente com o momento histórico, é fundamental que se parta de seu próprio existir e de sua contribuição histórica. Não podemos pensar um programa que contemple toda a história da Filosofia, bem como fica difícil visualizar um ensino filosófico somente com temáticas soltas, sem um eixo, um fio condutor. É fundamental considerar-se a intrínseca pluralidade da Filosofia expressa nas diversas correntes e linhas filosóficas.

Q

Importância da Filosofia no Ensino Como este ensino deve se dar? Partindo destes conceitos e das concepções que os indivíduos apresentam, junto aos conteúdos filosóficos, buscando uma nova visão, via investigação e discussão. Assim, amealham-se subsídios para uma análise teórica e para a compreensão do cotidiano do aluno. O ensino filosófico precisa ser dialógico e dinâmico junto aos outros conteúdos. Um ensino filosófico de qualidade não se limita à interdisciplinaridade dos conteúdos, ou à interação com a realidade, à experiência dos alunos, à definição da linha epistemológica do professor, ou ainda, à estrutura curricular voltada para a história da Filosofia ou temas atuais. É preciso considerar os procedimentos metodológicos adequados, os instrumentos e a visão de avaliação condizentes com a aprendizagem filosófica das crianças, adolescentes e jovens. O ensino filosófico, com as crianças, adolescentes e jovens, portanto, na educação infantil, no ensino fundamental e médio, deve contribuir para a formação de uma consciência crítica, abrir o entendimento para as formas atuais de dominação e opressão que estão presentes em todas as relações sociais da vida, manifestadas por ideologias e convenções. Deve-se aprender

portaldafilosofia.com.br

10

portaldafilosofia.com.br

a pensar, através da Filosofia, fazendo-se uma crítica constante à cultura dominante e às manifestações que nos levam a um pragmatismo reducionista da vida. Para nós, a premissa reside em reconhecer que todos os homens são filósofos, enquanto pensam e agem racionalmente, como dizia Gramsci. É papel essencial da escola, oferecer uma formação que leve ao aprimoramento constante da racionalidade. (continuar leitura em http:// www.portaldafilosofia.com.br/corujinha) - A partir da leitura feita do texto acima, pense e responda individualmente ou em equipe: 1) A filosofia é só ler e receber repasse de idéias e conteúdos? 2) O que podemos entender como Filosofia crítica e metodologicamente articulada? 3) Como conseguir que o ensino da filosofia seja dinâmico junto aos outros conteúdos da escola?

Bibliografia: WONSOVICZ, Silvio. Filosofia? Sim, e para todos!. Vol. Um, Coleção Conhecer para Projetar o Futuro, Ed. Sophos: Florianópolis/SC, 2005, págs. 70 - 72


Evento

Congressos Regionais abrem preparação para o 4º Congresso Nacional A Filosofia vem reunindo educadores na busca de uma Educação para o Pensar esde Julho de 2006, alguns eventos filosóficos começaram a montar a agenda para o 4º Congresso Nacional que será realizado em Brasília, de 17 a 20 de Julho de 2007. A ilha de Santa Catarina, Florianópolis, recebeu o primeiro congresso regional, no mês de Julho de 2006 e, com muito destaque, serviu de base para o anúncio do Movimento Por uma Educação para o Pensar que luta pela implantação definitiva da Filosofia no Ensino Fundamental. “Este Congresso contribuiu em minha vida pessoal pois espero que quando trabalhar em sala de aula e fora dela eu possa usar esses conhecimentos fantásticos aqui aprendidos.”, relata o Prof. Daniel Trapani. No final do mês de Setembro., na cidade de Londrina, no norte pioneiro paranaense, aconteceu o Encontro Regional de Educação para o Pensar que trouxe mais reflexão aos educadores e lan-

D

Educadores atentos às oficinas oferecidas

Grupo de professores a caminho de mais reflexão

çou o livro Eureka, da Editora Sophos, dos autores Valdecir Veloso e João Roberto Garcia. “Fomentar ainda mais a Filosofia no Ensino Médio é uma das nossas grandes metas, buscando uma educação emancipatória e investigativa”, acentua Veloso. Para Outubro, o Centro de Convenções do Barra Shopping reserva espaço para o III Congresso Educação para o Pensar, durante os dias 6 e 7, a partir das 8h30. Den-

tro deste mesmo evento, será realizado o V Encontro de orientadores educacionais das secretarias municipais de educação. “A realização destes encontros e congressos é para que possamos levantar todas as situações filosóficas e termos um Congresso Nacional de acordo com as necessidades e realidades de educadores e educandos em nosso País”, alega Silvio Wonsovicz, palestrante e presidente do Cenfep.

Cursos e palestras oferecidos aos professores e pais Levar a discussão filosófica aos familiares é parte do processo o atual momento que vivemos, onde não temos tempo nem para respirar por conta das nossas atividades e obrigações é urgente encontrarmos espaços para vivermos e nos aperfeiçoarmos. Professores e pais cada vez mais sobrecarregados de atividades e obrigações, as instituições e empresas precisando de profissionais muito mais preparados. “A importância da formação continuada aos professores e pais é fundamental para que possamos estar atentos aos desafios do educar em nossos dias”, afirma o prof. Silvio Wonsovicz, presidente do Centro de Filosofia. Dentro da situação constatada temos os principais seres de nossas vidas e opções, os filhos, os alunos. Perguntas são feitas para todos ouvirem ou em reflexões feitas: Como educar hoje? Que atitude tomar diante das situações que passamos e criamos? Por que as crianças e adolescentes são como são? O que ensinar e por que ensinar? Quais valores são fundamentais para vivermos bem em nossa sociedade?… e tantas outras perguntas.

N

O Centro de Filosofia, juntamente com os seus Núcleos, em diversos lugares do Brasil tem oportunizado momentos de reflexão com palestras, café com idéias, cursos de formação, reuniões. Tendo certeza de que estas ações estão contribuindo para

portaldafilosofia.com.br

um pensar crítico, criativo. Significativa presença de professores, pais e alunos de universidades nos eventos realizados nos meses de julho até setembro e que contaram com a presença de pais e professores. Vale ser registrado:

11


FILOSOFIA EDUCAÇÃO INFANTIL

Centro Educacional Recriando-RJ

Projeto Meio Ambiente Atividade realizada a partir do Paradidático Filosófico "Águas da Vida", na Semana do Meio Ambiente

projeto Meio Ambiente, do Centro Educacional Recriando, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, visa transversalizar e contextualizar informações consistentes dentro de uma perspectiva que favoreça a construção do pensamento democrático reflexivo e conscientização da participação de todos, em prol dos cuidados e preservação da NATUREZA. O eixo principal do projeto versa sobre a EVOLUÇÃO DO HOMEM E AS CONSEQÜÊNCIAS DO PROGRESSO. Cada turma apresenta um bloco temático sobre o assunto, objetivando o favorecimento da apreciação, compreensão e reflexão dos alunos, familiares e visitantes. Cada bloco tem por finalidade apresentar a progressão da construção informativa sempre evidenciando o envolvimento dos seres vivos, (o homem, as plantas e os animais), com os materiais do MEIO AMBIENTE, como: o solo, a água, o ar, a

O

luz e o calor; e a fina sintonia da ocupação do HOMEM e, conseqüentemente, os problemas decorrentes dos impactos ambientais provocados pela exploração nãoracional e, muitas vezes, abusiva, da fauna e da flora, levando à extinção plantas, animais e a própria água. E notória que a grande explosão no avanço científico e tecnológico está vinculado às contribuições de erros e acertos da HUMANIDADE, na sua desmedida ocupação do ambiente.

É pautada nestas informações que não podemos perder de vista a necessidade de formação de VALORES vinculados às VIRTUDES CIDADÃS de nossa comunidade escolar, como por exemplo: conscientizar para o desenvolvimento de hábitos adequados para a saúde, o respeito e a preservação do MEIO AMBIENTE, que utilizamos como instrumento esta exposição de atividades construídas pelos nossos alunos.

A filosofia na escola

Uma nova visão na proposta educacional Este trabalho teve início a partir do diagnóstico da realidade encontrada neste nível escolar bservamos que muitos alunos apresentam comportamentos que, de acordo com a fase do desenvolvimento que ocorre, (pois é um processo natural), percebe-se a necessidade de um trabalho pedagógico mais direcionado às questões essenciais, para o desenvolvimento da criança, tais como: a construção e percepção da identidade, da personalidade, da afetividade, da aceitação das diferenças, da responsabilidade individual e coletiva, da autonomia, dos limites etc.. Tudo isso, em prol de um convívio social, para que, hoje e futuramente possam fazer parte da edificação de uma cultura de paz. A metodologia que está sendo aplicada com este trabalho é a criação de bonecos, onde os mesmos são confeccionados a partir da visão de mundo que os alunos estão percebendo dos fatos ocorridos na sociedade. Estamos obtendo vários resultados que além

O

12

de nos ter direcionado as questões essenciais para o desenvolvimento da prática pedagógica, também aborda a questão de convívio social. Além disso, estamos observando que está sendo um meio de integração entre família x comunidade x escola. Este projeto foi um dos temas principais num Congresso sobre educação realizado na Faculdade Tuiuti do Paraná - em Curitiba e numa Jornada Científica da Faculdade Dr. Leocádio José Correia, também na capital paranaense. Ademais, gostaríamos de salientar que o referido projeto possui o Certificado de Registro pela Fundação Biblioteca Nacional - Ministério da Cultura, onde protege à literalidade deste trabalho. portaldafilosofia.com.br

Estes são os bonecos que utilizamos como metodologia no referido Projeto .

Algumas características: Hiperatividade, Necessidade Especial educativa visual, Necessidade Especial educativa auditiva, Necessidade Especial educativa física, Câncer.........


Colégio Estadual Jayme Silvestre Camargo - Barra Mansa/RJ

A necessidade da formação para professores

Os sonhos ensinam a crescer

Educadores devem ser eternos estudantes

Situado no Vale do Paraíba, região sul fluminense, a instituição inicia nova fase

* Prof. Rudinei B. Augusti

omecei a me indagar sobre a possibilidade do conhecimento e percebi que a experiência do conhecer passa pelo viés da Escola. Quando falo em escola, estou remetendo a responsabilidade direta aos educadores, sejam eles frutos de uma educação retrógrada ou construtivista. A importância de se ter professores (mestres/educadores) bem preparados é de suma importância, uma vez que a sociedade e os avanços científico-tecnológicos dependem exclusivamente da maneira como os indivíduos sociais são direcionados no processo de ensino-aprendizagem. Comecei também a indagar quando o ser humano como um ser de totalidade imparcial começa a conhecer. Muitas são as teorias, mas entre Platão que afirma que o homo sapiens já nasce sabendo e Descartes, que afirma que ele nasce como uma folha em branco a ser escrita durante o período integral de sua vida, restam muitas dúvidas. O fato é de que qualquer criança quando no processo de sua evolução, tende a alcançar o conhecimento do mundo e das coisas que estão ao seu redor. Preocupa-me quando vejo que os produtos do saber científico servem a uma ideologia de capital. Afirmar que o homem aprende/apreende o conhecimento não é um processo natural, remete a pensar que tudo aquilo que construímos no viés do conhecer, sirva para um determinado fim. Cuidado! Essa idéia é muito reducionista. Mas, preciso esclarecer o título: "Sobre a Necessidade de Formação de Professores" nota-se que quando está se falando em professores, não se está necessariamente direcionando-se à educadores. Sim, professores são aqueles que professam o que sabem, o queaprenderam.Educadoressãoaquelesque educam de uma determinada maneira. Penso que aqui entra o lado positivo do professor: "ele é quem dá continuidade ao processo da condição do aprender". Vejo com extrema necessidade a formação de professores no âmbito de que todos nós, sejamos mestres de qualquer área, profissionais habilitados para tal, possamos juntos pensar novas escolhas de atitudes profissionais, amparando-os uns aos outros quando existe a necessidade do crescimento mútuo enquanto desbravadores do campo educacional, por isso, somo assim como somos: preocupados com o saber!

C

om 818 alunos distribuídos no Ensino Fundamental 2ª fase, Ensino Médio, Educação de jovens e adultos e classe especial, funcionando em três turnos, sendo em sua maioria absoluta oriundos de comunidades muito carentes, o colégio aderiu ao material do Centro de Filosofia Educação para o Pensar. Gostaríamos de destacar o sucesso do Projeto: Educação para o Pensar, em nosso Colégio. Iniciamos a articular esta possibilidade em 2005, quando da palestra do Prof. Silvio Wonsovicz, que se dispôs, gentilmente, estar apresentando Professora e alunos botando a mão na massa o trabalho para toda a equipe. Implementamos efetivamente o Projeto a partir do 1º feras da família, comunidade, município, e até semestre deste ano e os resultados não poderi- mesmo a níveis nacionais e internacionais. Paam ser melhores. A satisfação dos alunos com o rabenizamos toda a equipe envolvida na ditrabalho desenvolvido, a participação destes nas vulgação deste Projeto, que é capaz sim, de aulas, a produção de textos e as mais diversas mostrar uma nova perspectiva de Educação. formas de se expressarem e demonstrarem suas Não a Educação voltada para conteúdos e reflexões sobre os temas abordados e tantos provas, mas para aquela EDUCAÇÃO capaz outros apontados por eles próprios. Este cres- de libertar e transformar seres humanos em cimento foi percebido claramente na 2ª edição cidadãos determinantes e atuantes dentro de nosso livro (escrito, ilustrado, criação da da Sociedade. E com certeza, a partir daí, capa) tudo feito por eles, bem como, no desen- teremos então um País mais justo e realvolvimento do Projeto Minha Terra Tem, e que mente preocupado com seu povo. Introduzimos o projeto desde a 5ª série quando comparado a produção de 2005, percebe-se uma distância significativa entre os mes- até o 3º ano do ensino médio, com resultamos. Quer na escrita propriamente dita, quer dos fantásticos, acabando por refletir de forna construção do raciocínio, quer na discussão ma palpável em nosso livro, lançado no últravada com ele próprio ou outros no texto. Além timo dia 16, com textos maravilhosos escride toda uma abordagem percebida nas ques- tos por nossos educandos. A aluna Thaís Félix Miguel Evangelista, da 6a sétões sociais, políticas e econômicas, quer nas esrie, expressa um pouco do seu recente aprendizado. "Para mim a Filosofia é uma coisa que ensina não só para um bom trabalho. A Filosofia ensina a gente na vida,ensina a gente lidar com a vida. Tem a ver com todos, não só com os alunos, mas também com nossa família e toda a sociedade. Faz com que a vida seja melhor e levá-la a sério tanto quanto sua escola suas amigas e sua família. Ensina-nos a batalharmos para conseguir o que queremos e não fugir com medo do que possa acontecer. Criar asas para uma vida nova e nunca desistir da nova vida. O sonho está em jogo nesta aula, e podemos nos libertar para uma vida melhor. A vida nos ensina tudo isso, como os sonhos ensinam a crescer, e sempre andar para frente e nunca voltar. As aulas que mais gostei foram: borboleta, sinais e símbolos".

C

Cartaz criado pelos alunos no Projeto Escola Viva portaldafilosofia.com.br

13


FILOSOFIA EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL

Sistema de Ensino Reflexivo - S.E.R.

A efetivação e seu significado Sistema quer romper com as práticas repetitivas ênix, uma ave mitológica grega, ilustra bem a capacidade de reconstrução do ser humano. Conta-se que ela era um grande pássaro, semelhante a uma águia. Alimentava-se de incenso e raízes perfumadas. Vivia 500 anos e, antes de morrer, construía seu ninho em forma de pira, com cinamomo, nardo e mirra. Deitada nesse ninho perfumado exalava seu último suspiro. Queimado pelo sol, seu corpo transformava-se em cinzas, de onde nascia uma nova ave para viver mais 500 anos. Vivemos em uma época em que a Educação é ou precisa ser a fênix recémnascida, majestosa e assustadora, de olhos bem abertos, de costas para o passado, a nos propor desafios políticos radicais e intrigantes enigmas éticos. A necessidade da superação constante da tradição da violência, da dominação política, da exploração econômica, da destruição do meio ambiente, do histórico enfrentamento cruel entre povos e nações, da barbárie de todas as matizes, do ódio arraigado, das novas e modernas apropriações tecnológicas em detrimento da re-

F

alização da plena condição humana para todos. Estas condições exigem corações e mentes, mãos e palavras sensíveis e ternas para empreender a tarefa de produzir a cultura da paz, da tolerância, da igualdade entre os sexos, povos, nações e religiões. Aprender a viver juntos pela educação e reflexão, congregando todas as disciplinas escolares em todos os segmentos, as ciências redimensionadas para a educação estética de todos aqueles que sabem nutrir esperanças. Este é o objetivo do Sistema de Ensino que buscamos pois entendemos a educação como um processo contínuo de permanente superação e desdobramentos, não temos como negar as práticas reflexivas que são de fato decisivas para as mudanças e para o alcance de novos conceitos e modos de atuação no ensino formal. O Sistema de Ensino Reflexivo quer romper com as práticas repetitivas e sem compromisso com o desenvolvimento da criatividade aplica-

da à resolução de problemas tanto na vida pessoal como no campo profissional das pessoas que estamos formando nos sistemas de educação atuais. Defendemos como proposta pedagógica e projeto educacional, a reflexão construída processualmente com a formação de professores e o apoio de um material didático alternativo ao que comumente encontramos no mercado e nas escolas. A prática da reflexão relaciona-se com as finalidades éticas da vida humana, corresponde ao apelo de indagar os sentidos filosóficos e existenciais de cada pessoa, fato ou coisa em suas relações de produção social da vida e convivência com os demais semelhantes. O processo de discussão, estudos e produção iniciou… A coordenação pedagógica e filosófica do S.E.R realizou no início do mês de agosto reunião com profissionais de diversas disciplinas. No sábado (5/08) aconteceu a primeira reunião de estudos, planejamentos e início da organização dos conteúdos das disciplinas de 1ª e 5ª. séries do ensino fundamental. Contamos com a presença do Prof. Paulo Hentz do Conselho Estadual de Educação de SC que refletiu com todos sobre a legislação educacional, os 9 anos do Ensino Fundamental, a importância da produção dos conteúdos pelos educadores…

Filosofia em Capelinha

Minas Gerais

Livros são entregues a Geralda Maria Vieira Neves, assessora da Secretaria Municipal de Educação e Cultura m Julho de 2006, Professores Emery Oscar Valentim e Esposa Neuza Teresinha Pinto Valentim, estiveram em visita a Belo Horizonte, quando foram convidados a visitar Capelinha, um município brasileiro do estado de Minas Gerais, situada no Vale do Jequitinhonha. Sua população é estimada em torno de 35.000 habitantes; Tem características climáticas bem diferentes do que se observa em outras cidades do vale. Capelinha vem sendo a cidade que mais cresce e se desenvolve naquela região. A história de Capelinha nos remonta ao ano de 1809 quando Manoel Luiz Pêgo, um descendente de portugueses, juntamente com sua família, fugindo de índios Aranãs (Grupo indígena pertencente aos Botocudos) acabou por se estabelecer juntamente com sua família à beira do córrego Areão. Tem no café seu principal suporte para o desenvolvimento econômico. Localizada a mais de 900 metros de altitude é famosa pelo intenso frio no inverno, o que atrai relativo número de turistas em sua principal festa, a do Capelinhense Ausente. Esse ano realizou-se a 20ª edição da referida festa, que reúne, no mês de julho, pessoas que já residiram na referida cidade por conta de seus mais diversificados labores, amigos e visitantes. É hora, como eles dizem,

E

14

Geralda Maria Vieira Neves recebe os livros da Editora Sophos de rever parentes, amigos, relembrar a infância, matar saudades... O casal de professores foi recebido pelo Senhor José Ferreira Oliveira - o "Zezinho" e sua Esposa Maria Salete Silva de Oliveira (na foto), na "Fazenda Paraíso", de propriedade dos anfitriões e tomaram parte nas festividades que se realizaram no Pavilhão de Exposições da Cidade. No evento, tiveram a oportunidade de falar soportaldafilosofia.com.br

bre o "Projeto Pais Filosofam" dentro da Campanha Educativa "Doe livros a Capelinha", ocasião na qual fizeram a doação de exemplares das obras "Meu Quintal", sendo seus autores Professor Sílvio Wonsovicz e Professora Neuza Valentim e "Pais Filosofam... refletindo as relações familiares", no qual a Professora Neuza e o Professor Emery são os autores. Os livros foram entregues à Senhora Geralda Maria Vieira Neves, Assessora da Secretaria Municipal de Educação e Cultura. A foto é registro da entrega dos livros. Dentro das festividades aconteceu a Exposição de Artesanato da Região; a Professora Neuza trouxe como lembrança ao Centro de Filosofia, uma Coruja entalhada em madeira por um dos artesãos de renome da região; a mesma fará parte do acervo do Centro e de agora em diante, é parte do "Projeto Corujas Itinerantes". Foi entregue em mãos, ao Presidente da Entidade - Professor Sílvio Wonsovicz. Mais uma Região do País que se torna ciente da existência do trabalho desenvolvido á partir do Centro de Filosofia Educação para o Pensar de Florianópolis - SC. Professores Emery Oscar Valentim e Neuza Teresinha Pinto Valentim. Jul.2006.


PROJETO P.E.A. PAZ

portaldafilosofia.com.br

15


16

portaldafilosofia.com.br


Corujinha_56  

Mestres em Filoso- fia se unem e ela- boram obra que tanto esperavam, pois a falta de um material que real- mente direcionasse suas necessid...

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you