Issuu on Google+

Europa - Conflitos • Irlanda do Norte (ULSTER) • Conflito entre católicos e protestantes

• Católicos: identidade nacional ligada a resistência religiosa • Protestantes: identificados com a Inglaterra


SĂŠculo XX: Movimentos Nacionalistas 1922: Surge o Estado livre da Irlanda (EIRE)

Irlanda do Norte (Ulster) continua fazendo parte do Reino Unido


Fim dos anos 60: hostilidades se agravam 1969: Governo Brit창nico ocupa militarmente a Ulster;

Dissolvem o parlamento de Belfast


30 de janeiro de 1972 O domingo sangrento • Mais de uma dezena de jovens católicos foram mortos • Aconteceu na cidade de Londonderry


Década de 70 surgem iniciativas visando um acordo de paz • Detida pelo aumento do Terrorismo do IRA: Principal organização católica armada • Ao longo da década, o IRA realiza atentados tanto nas “Irlandas”, como também na Inglaterra • 1976: Assassinato do embaixador inglês em Dublin


A resposta para o radicalismo é... ...na mesma moeda!!!

• A sucessão de atentados praticados pelo IRA, faz com que os protestantes da Força Voluntária do Ulster – Grupo paramilitar – responda com a mesma violência o radicalismo dos católicos


Primeiras tentativas de Paz • 1991: rodada de negociações  partidos do Ulster e do governo de Londres;

• O braço político do IRA – O Sinn Fein – não participou das negociações, distanciando a organização das tentativas de paz;


Abril de 1998: devolução dos poderes suprimidos em 1972, com eleição novamente de uma Assembléia (Parlamento);

Acordo da Sexta Feira Santa

• Aprovado em referendo nas duas Irlandas • Libertação de presos políticos; • Deposição de armas de grupos paramilitares. • Junho de 1998: Eleição da Assembléia no Ulster


1999: Formado um executivo pluralista. O Sinn Fein ocupa dois ministérios • 2002: A violência volta a crescer e em outubro britânicos voltam a administrar a província

• Novembro de 2003: Novas eleições, com maioria da assembléia favorável a continuação da união ao Reino Unido • Ao mesmo tempo, temos um crescimento do Sinn Fein, e o avanço de forças radicais põe em dúvida o futuro dos processos de paz. • Em mais de 30 anos de conflitos, estima-se que morreram cerca de 3600 pessoas, sendo o IRA acusado de 1800 mortes.


Espanha – O país Basco

• Luta por meios pacíficos por 31 de julho de 1959: Surge o grupo armado ETA (Euskadi ta Askatasuna, ou Pátria Basca e Liberdade )

maior autonomia da região.

• Luta contra o regime do ditador Franco (1892-1975)


A luta do grupo busca a independência de Euskal Herria, o que seria o Grande País Basco. A região basca na Europa, tradicionalmente, vai desde a região rio Adour, na França, até a bacia do rio Ebro, na Espanha, incluindo as regiões autônomas espanholas do País Basco e Navarra, assim com a região basca na França, no sudoeste do país vizinho.


1968-1969: O grupo inicia uma luta armada • A primeira ação de maior relevância foi o assassinato do primeiroministro, Almirante Luiz Carrero Blanco em 1973 • O ETA desde então, já matou mais de 30 políticos


Com a constituição de 1978, os Bascos conquistam grande grau de autonomia

• Criam-se partidos que buscam a separação, porém sem pegar em armas;

• Alguns mais radicais continuam com as ações do ETA.


Atentados do ETA • O ano em que mais pessoas foram mortas pelo ETA na Espanha foi o de 1980, com cerca de 96 mortos;

• Com o Comando de Madrid, mataram mais de 90 pessoas ao longo de suas atividades;


Centro Comercial Hipercor de Barcelona - 1987 • Explosão de carro-bomba, técnica preferida do ETA;

• 21 mortos • 45 feridos


Fracassos do ETA • Tentativa de assassinar o chefe de governo José Maria Aznar em Madrid

• Tentativa de assassinar o Rei Juan Carlos em Palma de Mallorca;


No ano 2000, 1 milhão de pessoas saem as ruas de Barcelona

• Para mostrar serviço, o governo Espanhol, prende nos dias seguintes ao protesto mais de 100 “etarras”; • O repudio contra o ETA, cresce muito em toda a Espanha; nas eleições regionais o Batasuna, perde metade de seus deputados no país Basco.


Em agosto de 2002: suspensão por três anos do partido, que tem seus bens confiscados • O grupo separatista figura desde 2001 em listas de organizações terroristas da União Européia e dos Estados Unidos.

• Setembro de 2002: preso um dos dirigentes militares da Organização, Juan Antônio Olarra; • Maio de 2003: Governo anula 1,5 mil candidaturas em eleições regionais e municipais por suspeita de ligações com o ETA.


• O clube Atlético de Bilbao, disputa seus jogos apenas com jogadores de seu próprio país, ou seja só do país Basco; • Não se admitindo jogadores de outros países do mundo e de outras regiões da Espanha.


Mapa da Ex-iugoslรกvia


Conflitos na Antiga Iugoslávia • Bósnia-Herzegovina • Conflito étnico; • Começa em 1992 e envolve Sérvios e Muçulmanos-Croatas;

• Os sérvios praticam a chamada Limpeza étnica, expulsando, chacinando civis ou os prendendo em campos de concentração; • O país pede intervenção externa, mais a princípio, recebe apenas ajudas humanitárias.


1993: Croácia entra na Guerra e reivindica parte da Bósnia. • Com o agravamento dos conflitos a ONU envia uma força de paz;

• Em 1993 os Sérvios dominam 70% do território Bósnio; • 1995: OTAN intervém no conflito e bombardeia posições Sérvias. • Sucessivas derrotas dos Sérvios levam ao fim da guerra em Novembro do mesmo ano.


Acordo de Dayton em dezembro de 1995

• Divide o Estado em duas entidades semi-autônomas

• República Sérvia (49% do território) • Federação da Bósnia Muçulmano-Croata (51% do território)


1996: Surge o tribunal penal internacional para a Ex-Iugoslávia • Com o TPI, vários politicos e militares são acusados/indiciados; • Radovan Karadzic, presidente da República Sérvia é acusado por genocídio a muçulmanos..


Outros também foram condenados • Março de 2000, Tihomir Blaskic é condenado a 45 anos de prisão;

• Janeiro de 2001, a ex-presidente da Rep. Sérvia, Biljana Plavsic, acusada de genocídio se entrega ao TPI; • Do lado Muçulmano-Croata também houveram prisões como a do Comandante Naser Oric em 2003, por crimes de guerra contra os Sérvios.


Guerra em Kosovo (Sérvia e Montenegro) • Tensão provocada pelos separatistas cresce em 1998; • É habitando por 90% de Albaneses • Surgem aqui confrontos entre as forças Sérvias e guerrilheiros do Exército de libertação de Kosovo (ELK)


Com a pressão da OTAN, Slobodan Milosevic determina o cessar-fogo, mas os massacres a Albaneses continuram.

• Março de 1999: OTAN intervém na região, com a Operação Força Aliada (EUA);

• Junho: Milosevic aceita a rendição • Derrota nas urnas: em setembro de 2000 Milosevic é vencido nas urnas por Vojislav Kostunica


Slobodan Milosevic • É acusado pelo TPI por crimes contra a humanidade, cometidos durante a Guerra de Kosovo em 1999; • Junho de 2001: É levado a julgamento em Haia, na Holanda


Geórgia – Conflitos separatistas dos anos 90

• 1990 : Ossétia do Sul, de origem Persa e com maioria Cristã; • Integrar-se a república muçulmana da Ossétia do Norte; • Geórgia inicia no ano seguinte uma ofensiva militar;

• Morrem cerca de 1,4 mil pessoas; • 1992: Russos intervém com uma força de paz.


Geórgia – Conflitos separatistas dos anos 90 • Abkházia: maioria muçulmana até 1930, quando Stalin povoa a região com Georgianos Ortodoxos; • Abcazes tornam-se 17% da população; • 1992: Tentativa de criação de uma rep. Independente dá início ao conflito; • 10 mil morrem e 270 mil Georgianos abandonam a região; • Cessar-fogo alcançado em 1993 com o envio de tropas Russas do CEI, e de uma missão de paz da ONU em 1994.


Armênia X Azerbaidjão • Disputam a região de Nagorno Karabakh; • Embora encravado em território do Azerbaidjão (maioria muçulmanos), 80% de sua população é Armênia e cristã;

• Em 2002, a região se autoproclama idependente, chamando-se de República de Nagorno-Karabakh.


França/Córsega: Um barril de pólvora • Grupos paramilitares armados buscam a independência Córsica da França; • Não há um movimento unido, e sim vários movimentos clandestinos (alguns com apenas 50 militantes armados; • O grupo mais importante é a FLNC • Corsica Viva • Armata Corsa • Cuncolta • ARC • A grande maioria desse grupos surgem da organização das estruturas familiares tradicionais à séculos; • Boa parte dos franceses já aceitam uma independência, evitando maiores problemas, como no Ulster e na Espanha.


Convulsões sociais na França • Causados principalmente pelo preconceito que filhos de imigrantes sofrem no país; • Os nascidos em colônias Francesas também sofrem esse tipo de preconceito; • “marginalização” destes;


CONFLITOS NA EUROPA