Page 1


Presidência Pedro Moreira Salles

Gerência de P Graciete Nasc

Vice-Presidência Pedro Sampaio Malan

Gerência de R Vanderson Be

Conselho de Administração Antonio Matias Cláudio de Moura Castro Cláudio Luiz da Silva Haddad Marcos de Barros Lisboa Ricardo Paes de Barros Thomas Souto Corrêa Netto Tomas Tomislav Antonin Zinner

Coordenação Antonia Silvei

Diretoria Executiva Fernando Marsella Chacon Ruiz Gabriel Amado de Moura Jânio Gomes José Castro Araújo Rudge Leila Cristiane B. B. Melo Luís Antônio Rodrigues Marcelo Luis Orticelli Superintendência Wanda Engel Aduan Gerência de Administração e Finanças Fábio Santiago Gerência de Assuntos Estratégicos Camila Iwasaki

Coordenação Aprendizage Anderson Cor

Coordenação Juliana Irani d

Coordenação Marcus Jaccou

Assessoria de Finanças Gleise Alves S

Assessoria de Jô Ribeiro

Assessoria de Fabiana Muss

Equipe envol desenvolvim Juliana Irani d


Presidência Pedro Moreira Salles

Gerência de Projetos Sociais Graciete Nascimento

Maria Clara Wasserman Priscila Silva Pires

Vice-Presidência Pedro Sampaio Malan

Gerência de Relações Institucionais Vanderson Berbat

Fornecedor MGN Consultoria

Conselho de Administração Antonio Matias Cláudio de Moura Castro Cláudio Luiz da Silva Haddad Marcos de Barros Lisboa Ricardo Paes de Barros Thomas Souto Corrêa Netto Tomas Tomislav Antonin Zinner

Coordenação de Apoio Técnico Antonia Silveira

Diretoria Executiva Fernando Marsella Chacon Ruiz Gabriel Amado de Moura Jânio Gomes José Castro Araújo Rudge Leila Cristiane B. B. Melo Luís Antônio Rodrigues Marcelo Luis Orticelli Superintendência Wanda Engel Aduan Gerência de Administração e Finanças Fábio Santiago Gerência de Assuntos Estratégicos Camila Iwasaki

Coordenação de Gestão de Aprendizagem Anderson Cordova Pena Coordenação de Metodologias Juliana Irani do Amaral Coordenação de Validação Marcus Jaccoud da Costa Assessoria de Administração e Finanças Gleise Alves Silva Assessoria de Comunicação Jô Ribeiro Assessoria de Voluntariado Fabiana Mussato Equipe envolvida no desenvolvimento deste material Juliana Irani do Amaral


Caro Educador,

Este material foi desenvolvido para auxiliar a equipe peda

Jovem, considerada essencial para o êxito das ações do pr

Médio da rede pública seu Estado, em parceria com o prog

A tecnologia do Jovem de Futuro foi concebida pelo Instit

transformando-se em política pública educacional para di fundamenta em metodologias como a do Agente Jovem,

protagonistas, junto à comunidade escolar, do processo d Selecionados pelo perfil de liderança, esses alunos atuam

atividades culturais, esportivas e vinculadas à preservação

determinante para a conquista das metas pactuadas da es

ensino, dos índices de frequência e conclusão do ciclo, e c

Este manual traz um roteiro didático de todas as atividade

orientando o professor formador a preparar e mobilizar os

programa de capacitação é complementado por módulos como acessar o sistema e realizar as atividades on-line.

A adequada aplicação desta metodologia em sua escola c

comprometidos com as questões da comunidade escolar. curso com qualidade.


Caro Educador, Este material foi desenvolvido para auxiliar a equipe pedagógica de sua escola na implementação da metodologia do Agente Jovem, considerada essencial para o êxito das ações do projeto Jovem de Futuro, que foi adotado em instituições de Ensino Médio da rede pública seu Estado, em parceria com o programa Ensino Médio Inovador, do MEC. A tecnologia do Jovem de Futuro foi concebida pelo Instituto Unibanco e validada, após um ciclo de três anos de atividades, transformando-se em política pública educacional para disseminação em larga escala pelos sistemas. Sua aplicação se fundamenta em metodologias como a do Agente Jovem, direcionada para a mobilização de estudantes, de forma a torná-los protagonistas, junto à comunidade escolar, do processo de melhorias proposto pelo programa. Selecionados pelo perfil de liderança, esses alunos atuam como multiplicadores do projeto, promovendo e divulgando atividades culturais, esportivas e vinculadas à preservação do meio ambiente. Essa modalidade de participação é determinante para a conquista das metas pactuadas da escola, especialmente as relacionadas à melhoria da qualidade do ensino, dos índices de frequência e conclusão do ciclo, e contribui para o bom clima coletivo. Este manual traz um roteiro didático de todas as atividades práticas que devem ser desenvolvidas com os estudantes, orientando o professor formador a preparar e mobilizar os Agentes Jovens para que cumpram com seus objetivos. O programa de capacitação é complementado por módulos do curso a distância, também detalhado no material, que indica como acessar o sistema e realizar as atividades on-line. A adequada aplicação desta metodologia em sua escola certamente irá contribuir para formar novas lideranças e jovens comprometidos com as questões da comunidade escolar. E servirá de estímulo para que continuem os estudos e concluam o curso com qualidade.

Wanda Engel Aduan

Superintendente Instituto Unibanco


Programa de Capacitação de Educadores para Formação de Agentes Jovens Manual do Educador - Introdução

- Módulo 4 – Comunicação – Etapa Teórica - Na Prática – 3º Encontro

8

- 3º Encontro – Roteiro de Aplicação - Resumo do 3º Encontro

- Módulo 1 – Conhecendo o ProEMI/PJF - Etapa Teórica

10

- Na Prática – Reunião com os Agentes Jovens

26

- Lista de Tarefas Pré-Reunião

26

- Reunião – Roteiro de Aplicação

27

- Resumo da Reunião

31

- Ação Entre Encontros com os Agentes Jovens

32

- Módulo 2 – Pesquisa – Etapa Teórica

33

- Na Prática – 1º Encontro

46

- Módulo 5 – Mobilização Social – Etapa Teórica - Na Prática – 4º Encontro - 4º Encontro – Roteiro de Aplicação - Resumo do 4º Encontro - Ação Entre Encontros com os Agentes Jovens - Materiais 1º Encontro - Materiais 2º Encontro

- Lista de Tarefas Pré-Encontro (padrão)

46

- 1º Encontro – Roteiro de Aplicação

47

- Resumo do 1º Encontro

63

- Materiais 3º Encontro

- Ação Entre Encontros com os Agentes Jovens

64

- Materiais 4º Encontro

- Módulo 3 – Planejamento – Etapa Teórica

66

- Na Prática – 2º Encontro

76

- 2º Encontro – Roteiro de Aplicação

76

- Resumo do 2º Encontro

81

- Ação Entre Encontros com os Agentes Jovens

6

- Ação Entre Encontros com os Agentes Jovens

Sumário

82

MANUAL DO EDUCADOR

Sumário


8 10 26

- Módulo 4 – Comunicação – Etapa Teórica

83

- Na Prática – 3º Encontro

98

- 3º Encontro – Roteiro de Aplicação

98

- Resumo do 3º Encontro

102

- Ação Entre Encontros com os Agentes Jovens

103

- Módulo 5 – Mobilização Social – Etapa Teórica

104

- Na Prática – 4º Encontro

112

Sumário

para Formação de Agentes Jovens

26 27 31 32

- 4º Encontro – Roteiro de Aplicação

112

- Resumo do 4º Encontro

118

- Ação Entre Encontros com os Agentes Jovens

119

- Materiais 1º Encontro

121

- Materiais 2º Encontro

128

63

- Materiais 3º Encontro

130

64

- Materiais 4º Encontro

142

33 46 46 47

66 76 76 81 82

MANUAL DO EDUCADOR

Sumário

7


Introdução

Dinâmicas dos Encontros

Com o intuito de motivar os jovens e trabalhar os conceito

Professor, você foi escolhido como Educador responsável para formar os Agentes Jovens de sua escola. Por isso, é fundamental que você tenha pleno conhecimento sobre os processos de mobilização, pesquisa, planejamento de ações e comunicação, que fazem parte desta metodologia do Instituto Unibanco.

criada a história de um país fictício, o Evadistão.

Para ajudar-lhe na condução dessa história e estimular a im

usados em quase todos os Encontros, apoiando a aplicaç

Pensando nisso, foi desenvolvido este Programa de Capacitação que conta com Módulos a Distância e apoio de Moderadores

matrizes para serem copiadas e utilizadas nas dinâmicas

Virtuais, ambos disponíveis no Portal Instituto Unibanco, além deste Manual do Educador. Esses materiais visam garantir que

andamento dos Encontros.

você tenha todo o conhecimento e suporte necessário para realizar essa formação da melhor maneira possível.

Lembrando que os Encontros são aplicados, em m meses e costumam ter uma duração aproximada d

O que contém no Manual? O Manual do Educador traz:

Ações Entre Encontros

1

conteúdo dos Módulos a Distância, com alguns temas mais aprofundados,

2

sugestões de como organizar-se para os Encontros com os Agentes Jovens,

3

recomendações de como fazer o acompanhamento dos jovens entre os Encontros,

eles. O ideal é que esses pequenos encontros aconteçam a

4

roteiro de aplicação e dinâmicas para os Encontros,

Neste Manual você encontrará sugestões do que pode ser

5

resumo de cada Encontro,

6

matrizes para reprodução de materiais a serem usados nas dinâmicas e no jogo de tabuleiro.

Para que os alunos não se desmotivem entre os Encontros

é importante que você atue como parceiro desses jovens, c

eles consigam colocar suas ações em prática. Para isso, é pr

Como utilizá-lo? O Manual do Educador deve lhe acompanhar durante os Encontros com os Agentes Jovens, pois além de descrevê-los detalhadamente, também serve de suporte para o conteúdo que será trabalhado, reproduzindo o que foi visto nos Módulos a Distância.

8

Introdução

MANUAL DO EDUCADOR

Lembre-se de que, para qualquer dúvida, você suporte dos Moderadores Virtuais, disponíveis p Instituto Unibanco.

Bom estudo! Introdução


Com o intuito de motivar os jovens e trabalhar os conceitos de mobilização social de maneira lúdica e estimulante, foi

ar os Agentes Jovens de sua escola. Por isso, é fundamental

ação, pesquisa, planejamento de ações e comunicação, que

criada a história de um país fictício, o Evadistão. Para ajudar-lhe na condução dessa história e estimular a imaginação dos jovens, você receberá tabuleiros que serão

Introdução

Dinâmicas dos Encontros

usados em quase todos os Encontros, apoiando a aplicação das dinâmicas. Neste Manual, você também encontrará conta com Módulos a Distância e apoio de Moderadores

matrizes para serem copiadas e utilizadas nas dinâmicas e um roteiro detalhado que lhe auxiliará na organização e

e Manual do Educador. Esses materiais visam garantir que

andamento dos Encontros.

essa formação da melhor maneira possível. Lembrando que os Encontros são aplicados, em média, a cada dois meses e costumam ter uma duração aproximada de 4h.

IMPORTANT E!!!

Ações Entre Encontros

mais aprofundados,

Para que os alunos não se desmotivem entre os Encontros e consigam dar conta das tarefas que devem ser realizadas, é importante que você atue como parceiro desses jovens, criando condições, possibilidades e oportunidades para que

os Agentes Jovens,

eles consigam colocar suas ações em prática. Para isso, é preciso fazer, periodicamente, reuniões e ações pontuais com

jovens entre os Encontros,

eles. O ideal é que esses pequenos encontros aconteçam a cada 15 dias, com duração de 15 minutos a 1 hora. Neste Manual você encontrará sugestões do que pode ser feito.

nas dinâmicas e no jogo de tabuleiro.

os Agentes Jovens, pois além de descrevê-los detalhadamente,

uzindo o que foi visto nos Módulos a Distância.

MANUAL DO EDUCADOR

Lembre-se de que, para qualquer dúvida, você contará com o suporte dos Moderadores Virtuais, disponíveis por meio do Portal Instituto Unibanco.

IMPORTANT E!!!

Bom estudo! Introdução

9


Módulo 1 – Conhecendo o Projeto

3

Neste Módulo, você verá:

Leituras Complementares – sugestões de lei Portal do Instituto Unibanco.

Por ser ministrado a distância, este Programa conta com Unibanco, que têm o papel de:

orientar o Educador, esclarecendo eventuais dú

o que é o Ensino Médio Inovador/Projeto Jovem de Futuro;

prestar auxílio na realização das tarefas;

quem são os Agentes Jovens;

acompanhar o andamento do projeto e das tar

qual seu papel como Educador de Agentes Jovens; qual o contexto da formação dos Agentes Jovens; quais são os envolvidos no processo, seus papéis e responsabilidades;

Todo o conteúdo deste Programa de Capacitaçã

desenvolvido e utilizado com estudantes que p

o que é necessário para implementar o Projeto na escola.

todos os estados da fase de validação do Jovem do Sul e São Paulo).

Muitas das metodologias foram desenvolvidas po

Estrutura do Programa de Capacitação

o Instituto Unibanco na realização dessas forma Futuro em cada estado.

O Programa de Capacitação de Educadores para Formação de Agentes Jovens está estruturado em cinco módulos, sendo que cada um deles é composto pelas seguintes etapas:

Cer tificação 1

Curso a distância – no Portal Instituto Unibanco – www.portalinstitutounibanco.org.br;

2

Manual do Educador – conteúdo dos cinco Módulos para apoio nas discussões presenciais com os jovens, além da descrição das dinâmicas e atividades que podem ser aplicadas na formação dos estudantes;

A participação nesse Programa dá direito a duas certific

Ao finalizar o Módulo Básico (curso a distância e tarefa), o E adiante neste Programa de Capacitação.

10

Módulo 1 Conhecendo o Projeto

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 1 Conhecendo o Projeto


3

Leituras Complementares – sugestões de leituras complementares que podem ser acessadas no Portal do Instituto Unibanco.

Por ser ministrado a distância, este Programa conta com Moderadores Virtuais atuando no Portal do Instituto Unibanco, que têm o papel de: orientar o Educador, esclarecendo eventuais dúvidas;

uturo;

prestar auxílio na realização das tarefas; acompanhar o andamento do projeto e das tarefas.

sponsabilidades;

Todo o conteúdo deste Programa de Capacitação de Educadores (curso a distância e manuais) foi desenvolvido e utilizado com estudantes que participaram das formações de Agentes Jovens em

ola.

todos os estados da fase de validação do Jovem de Futuro (Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo).

Módulo 1 - Conhecendo o Projeto

to

Muitas das metodologias foram desenvolvidas por organizações sociais. Essas organizações apoiaram o Instituto Unibanco na realização dessas formações ao longo dos três anos do ciclo do Jovem de Futuro em cada estado.

ntes Jovens está estruturado em cinco módulos, sendo que

Cer tificação

www.portalinstitutounibanco.org.br;

os para apoio nas discussões presenciais com os e podem ser aplicadas na formação dos estudantes;

A participação nesse Programa dá direito a duas certificações. Ao finalizar o Módulo Básico (curso a distância e tarefa), o Educador receberá a Certificação 1 que lhe permitirá seguir adiante neste Programa de Capacitação.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 1 Conhecendo o Projeto

11


Módulo 1

Módulo 2

Cer tificação 1 Módulo 5 Pré-requisito

Módul Módulo 4

A conclusão deste Módulo é obrigatória para iniciar qualquer um dos seguintes.

Programa Ensino Médio Inova

O Programa Ensino Médio Inovador/Projeto Jovem d

permaneçam na escola, tenham um bom desempenho e

Os demais Módulos podem ser feitos de maneira não-linear sendo que nenhum é pré-requisito para o outro. Porém, para melhor entendimento dos temas do Projeto, recomenda-se fazê-los na ordem. Deste modo, caso um professor precise substituir o

O princípio básico do Projeto é a crença de que a escola públ

Educador titular, recomenda-se que ele faça uma leitura de todos os Módulos anteriores, mesmo que esteja isento de fazer as

O Jovem de Futuro é um projeto de Gestão Escolar para Re

tarefas já cumpridas.

e financeiro para, em um período de 3 anos (duração do En

Para isso, cada escola precisa desenvolver um conju Vale ressaltar que o ideal é que cada escola indique um professor suplente para cada Educador titular

longo deste período.

que participa da formação de Agentes Jovens. Além de fazer a capacitação, o professor suplente deve acompanhar a formação ao longo do ano. Isso significa que, mesmo se ele não estiver presente

As escolas recebem capacitação e assessoria técnica para

em todos os Encontros, deve estar a par de todo o processo.

melhoria de seus resultados. O Jovem de Futuro é, portan

famílias em torno de metas pactuadas para um mesmo ob um bom desempenho e terminem o Ensino Médio. A finalização de cada um deles resulta na Certificação 2, que registrará apenas os Módulos concluídos satisfatoriamente.

12

Módulo 1 Conhecendo o Projeto

MANUAL DO EDUCADOR

Os excelentes resultados que vêm sendo obtidos pelo proj

Módulo 1 Conhecendo o Projeto


Cer tificação 1 Módulo 5

isito

Módulo 2

Módulo 3 Módulo 4

ra iniciar qualquer um dos seguintes.

e/ou

Módulo 3 e/ou

Módulo 4 e/ou

Módulo 5

Programa Ensino Médio Inovador/Projeto Jovem de Futuro O Programa Ensino Médio Inovador/Projeto Jovem de Futuro – ProEMI/PJF - busca garantir que os jovens permaneçam na escola, tenham um bom desempenho e terminem o Ensino Médio.

ue nenhum é pré-requisito para o outro. Porém, para melhor

dem. Deste modo, caso um professor precise substituir o

O princípio básico do Projeto é a crença de que a escola pública tem as condições e o potencial para dar a volta por cima.

Módulo 1 - Conhecendo o Projeto

Cer tificação 2

Módulo 2

s Módulos anteriores, mesmo que esteja isento de fazer as O Jovem de Futuro é um projeto de Gestão Escolar para Resultados que oferece às escolas participantes apoio técnico e financeiro para, em um período de 3 anos (duração do Ensino Médio), melhorar substancialmente seu desempenho. Para isso, cada escola precisa desenvolver um conjunto de ações que envolva a comunidade escolar ao

professor suplente para cada Educador titular

longo deste período.

de fazer a capacitação, o professor suplente

nifica que, mesmo se ele não estiver presente

As escolas recebem capacitação e assessoria técnica para planejar, executar, acompanhar e avaliar uma proposta de

cesso.

melhoria de seus resultados. O Jovem de Futuro é, portanto, uma proposta que visa mobilizar alunos, professores e famílias em torno de metas pactuadas para um mesmo objetivo: garantir que os jovens entrem, permaneçam, tenham um bom desempenho e terminem o Ensino Médio.

ará apenas os Módulos concluídos satisfatoriamente.

MANUAL DO EDUCADOR

Os excelentes resultados que vêm sendo obtidos pelo projeto comprovam sua premissa inicial: se uma escola pública

Módulo 1 Conhecendo o Projeto

13


for desafiada a melhorar seus resultados e tiver as condições técnicas e financeiras para definir suas próprias estratégias de superação, ela responde positivamente a esse desafio.

Agente Jovem

Considerado essencial para o êxito das ações do Jovem de Futuro, o Para a execução do Jovem de Futuro, o Instituto Unibanco conta com o apoio e a parceria das Secretarias Estaduais de

da comunidade escolar.Contribui para a conquista de objetivos pact

Educação e do MEC.

frequência e do clima coletivo, compartilhando desafios e metas est

Metas Pactuadas (Escolas e Estados)

-30%

Metas Pactuadas com os Estados

Diferença entre o IDEB 2011 e o desejável

Os estudantes promovem e divulgam ações relacionadas ao pro

preservação do meio ambiente. Ao desempenharem essas tarefas, serem seguidos pelos colegas.

Por isso, essa formação de Agentes Jovens visa fortalecer o papel mo

No período de 2012 a 2016, diminuir 30% a diferença entre o IDEB de

+25

2011 e o valor considerado desejável (IDEB 6.0).

Proficiência

Metas Pactuadas com as Escolas

atuação participativa e cidadã na comunidade escolar.

Os Agentes Jovens são, preferencialmente, representantes e líderes los.Os candidatos devem ser comunicativos, ter espírito de equipe,

com gestores e professores. Para desempenhar esse papel,participa

+10%

Aumentar em 25 pontos as médias de proficiência da escola e

Aprovação

diminuir em 50% o percentual de alunos no Padrão de Desempenho

contribui para o desenvolvimento pessoal e profissional. Para ser um Agente Jovem, o aluno precisa:

BAIXO na escala SAEB de final de Ensino Médio. Estar cursando o Ensino Médio;

Aumentar em 10% a taxa de aprovação excolar.

Ser representante de sala;

os a proficiência média da escola

O projeto concluiu em 2010 seu primeiro ciclo de validação de três anos em Belo Horizonte e em Porto Alegre e mostrou ter

e Matemática.

resultados positivos e significantes, o que levou o Instituto Unibanco a iniciar um processo de transferência desse projeto para

Ter perfil de mobilização e liderança;

os estados que desejassem utilizar essa tecnologia para melhorar os resultados de seus sistemas de ensino.

Ter interesse em desenvolver ações na escola e

rcentual de alunos no Padrão de

Na fase de validação, o Instituto Unibanco faz a gestão direta do projeto com o apoio das Secretarias. Já na transferência, a

Ser consciente do papel de multiplicador do pro

escala SAEB do Ensino Médio em

Secretaria se encarrega da gestão direta com o apoio do Instituto Unibanco.

Estar disponível para desenvolver as ações prop

Esse curso que você está fazendo faz parte da fase de transferência e tem como objetivo transmitir os conhecimentos e

Ser assíduo nas aulas.

as experiências adquiridas ao longo dos anos de validação do Projeto Jovem de Futuro.

índices globais de ABANDONO

o no final de três anos.

14

Módulo 1 Conhecendo o Projeto

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 1 Conhecendo o Projeto


-30%

stados

Diferença entre o IDEB 2011 e o desejável

Os estudantes promovem e divulgam ações relacionadas ao projeto, além de atividades culturais, esportivas e vinculadas à preservação do meio ambiente. Ao desempenharem essas tarefas,tornam-se agentes de mudança,sendo vistos como exemplos a serem seguidos pelos colegas. Por isso, essa formação de Agentes Jovens visa fortalecer o papel mobilizador e articulador dos alunos nas escolas, além de ampliar a sua

a entre o IDEB de

+25

Proficiência

Escolas

atuação participativa e cidadã na comunidade escolar. Os Agentes Jovens são, preferencialmente, representantes e líderes de turma do Ensino Médio ou eleitos pelos alunos para representálos.Os candidatos devem ser comunicativos, ter espírito de equipe, capacidade de liderança junto ao grupo e um bom relacionamento com gestores e professores. Para desempenhar esse papel,participam de Encontros de capacitação, recebendo uma formação que

+10%

ia da escola e

Aprovação

e Desempenho

contribui para o desenvolvimento pessoal e profissional. Para ser um Agente Jovem, o aluno precisa:

Estar cursando o Ensino Médio; Ser representante de sala;

ês anos em Belo Horizonte e em Porto Alegre e mostrou ter

co a iniciar um processo de transferência desse projeto para

os resultados de seus sistemas de ensino. projeto com o apoio das Secretarias. Já na transferência, a

Unibanco.

Ter perfil de mobilização e liderança; Ter interesse em desenvolver ações na escola e na comunidade; Ser consciente do papel de multiplicador do projeto na escola; Estar disponível para desenvolver as ações propostas pelo projeto;

ência e tem como objetivo transmitir os conhecimentos e

Ser assíduo nas aulas.

Projeto Jovem de Futuro.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 1 Conhecendo o Projeto

15

Melhorado

)

Jovens do EM

frequência e do clima coletivo, compartilhando desafios e metas estabelecidas no planejamento estratégico da instituição.

Aumentar em 25 pontos a pro

em Língua Portuguesa e Matem

Diminuir em 50% o percentua

desempenho BAIXO na escala S Jovens na escola

da comunidade escolar.Contribui para a conquista de objetivos pactuados,como a melhoria da qualidade do ensino,dos índices de

Desempenho dos

Considerado essencial para o êxito das ações do Jovem de Futuro, o Agente Jovem atua como protagonista do processo de mobilização com o apoio e a parceria das Secretarias Estaduais de

Permanência dos

Agente Jovem

Módulo 1 - Conhecendo o Projeto

cas e financeiras para definir suas próprias estratégias de

três anos.

Diminuir em 40% os índices

escolar no Ensino Médio no fin


Objetivo Comum

Objetivos da Formação de Agentes Jovens

Habilidades e Competências

Ao trabalhar com questões como mobilização, com Despertar no jovem a atitude de corresponsabilidade para a promoção de melhorias na educação e no ambiente escolar, criando uma nova relação com a escola a partir do reconhecimento do seu espaço;

ações, os jovens desenvolvem uma série de habilidade

processo de aprendizagem. Ao se reconhecer como Se e se colocar diante dos outros.

Contribuir para o desenvolvimento de habilidades que permitam aos jovens atuarem como agentes transformadores da realidade local, mobilizando mais pessoas da escola para as ações do projeto;

Além disso, ao mapear as diferentes possibilidades

Sensibilizar os jovens para a questão do pertencimento à escola e à comunidade;

por ele, ao mesmo tempo em que fazem um paralelo

entorno, eles passam a criar uma relação de perten História e Geografia.

Promover a integração, a troca de experiências e conhecimentos entre os jovens; O planejamento de ações, por sua vez, faz com que

Instrumentalizar os jovens com ferramentas de mobilização social.

lógica e estruturada. Ao aplicar uma pesquisa, também

permite que os jovens desenvolvam, por exemplo, ca

aferir os dados. Por fim, é preciso aprender a fazer grá

Como se aplica? A escola deve indicar um Educador para coordenar a ação junto aos Agentes Jovens e um ou mais docentes para participar da capacitação a distância do Instituto Unibanco, preparando-os para atuar como Facilitadores das formações dos Agentes Jovens. O Agente Jovem deve ser apresentado à comunidade escolar e ter suas funções amplamente divulgadas, além de contar com apoio do Educador. O estudante participa de Encontros e processos contínuos de capacitação, desenvolvendo habilidades de

Resultados práticos

Mobilização dos alunos em geral e aumento no desempenho dos jovens e no índice de ab

comunicação e para a elaboração de projetos, além do conhecimento prático, durante as mobilizações.

Estímulo para o estudante assumir o papel de Ao assumir o papel de Agentes Jovens, esses alunos tornam-se encarregados de dar apoio a atividades e projetos da escola e mobilizar a comunidade em prol da melhoria do ambiente escolar. Portanto, ter interesse em participar e disponibilidade são fundamentais.

Apoio ao protagonismo, desenvolvendo capa

Transformação do Agente Jovem em um exem

Em suma, eles são muito importantes para fazer a mobilização do projeto, identificar alunos com baixo

Contribuição para o desenvolvimento pes seu currículo.

desempenho e motivá-los a permanecer na escola.

16

Módulo 1 Conhecendo o Projeto

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 1 Conhecendo o Projeto


Ao trabalhar com questões como mobilização, comunicação, mapeamento, pesquisa e planejamento de

ade para a promoção de melhorias na educação ão com a escola a partir do reconhecimento

ações, os jovens desenvolvem uma série de habilidades e competências fundamentais para a sua vida e o seu processo de aprendizagem. Ao se reconhecer como Ser Autônomo, ele é capaz de fazer escolhas, expressar-se e se colocar diante dos outros.

des que permitam aos jovens atuarem como bilizando mais pessoas da escola para as ações

Além disso, ao mapear as diferentes possibilidades de aprendizagem na sua escola e na comunidade do entorno, eles passam a criar uma relação de pertencimento com o espaço e a se corresponsabilizar-se

mento à escola e à comunidade;

por ele, ao mesmo tempo em que fazem um paralelo com matérias que aprendem em sala de aula como História e Geografia.

onhecimentos entre os jovens; O planejamento de ações, por sua vez, faz com que o jovem aprenda a se organizar e a pensar de forma

obilização social.

lógica e estruturada. Ao aplicar uma pesquisa, também é preciso compilar, analisar e publicar os dados, o que permite que os jovens desenvolvam, por exemplo, capacidade de interpretação e usem a Matemática para aferir os dados. Por fim, é preciso aprender a fazer gráficos e a usar diversas ferramentas no computador.

s Agentes Jovens e um ou mais docentes para participar da

ar como Facilitadores das formações dos Agentes Jovens.

suas funções amplamente divulgadas, além de contar com

s contínuos de capacitação, desenvolvendo habilidades de

Resultados práticos

Módulo 1 - Conhecendo o Projeto

Habilidades e Competências

Mobilização dos alunos em geral e aumento do interesse pelos estudos, impactando diretamente no desempenho dos jovens e no índice de abandono escolar;

to prático, durante as mobilizações. Estímulo para o estudante assumir o papel de parceiro estratégico na mobilização de seus colegas;

e encarregados de dar apoio a atividades e projetos da

mbiente escolar. Portanto, ter interesse em participar e

Apoio ao protagonismo, desenvolvendo capacidades de comunicação e liderança; Transformação do Agente Jovem em um exemplo a ser seguido pelos colegas;

lização do projeto, identificar alunos com baixo

MANUAL DO EDUCADOR

Contribuição para o desenvolvimento pessoal e profissional do aluno, além de enriquecer seu currículo.

Módulo 1 Conhecendo o Projeto

17


Qual a impor tância dos Educadores para o Projeto? O Educador selecionado para assumir a formação dos Agentes Jovens é essencial para o sucesso do Projeto em sua escola, pois é uma referência para os alunos!

Atuar como multiplicador do projeto na esco

Levar o conhecimento do que aprenderam p

Ele deve atuar como mediador e facilitador do processo de aprendizagem, orientando os jovens sobre possíveis caminhos para

ações para a escola, junto com a sua turma.

efetivar suas ações. Por isso, a importância de que você tenha pleno conhecimento acerca dos projetos realizados e as metodologias do Instituto Unibanco,

Educadores de Agentes Jovens

já que é você quem irá formar esses jovens para que possam atuar na escola. Não há limite do número de professores que podem participar deste Programa de Capacitação, mas cada escola deve garantir que pelo menos um professor por turno realize e acompanhe as atividades de cada um dos cinco módulos. Dessa forma, se a escola

Ser referência da formação de Agentes J para a coordenação;

tem três turnos, três professores devem fazer a capacitação a distância, estando aptos a aplicarem a formação. Mas de nada adianta os professores aplicarem as formações isoladamente em cada turno e criarem estratégias de mobilização dentro

Estar disponível para realizar as formações co assim como acompanhar e orientar as ações

da escola que sejam diferentes umas das outras. É preciso que todos falem a mesma língua e que esses Educadores tenham tempo para se encontrar e alinhar as estratégias. Além disso, é importante ressaltar que o envolvimento de todos os demais professores é um elemento fundamental, pois sem o apoio deles os Educadores não conseguem dar conta, sozinhos, do movimento dos jovens. Por isso, é importante que eles comprem essa ideia e abram espaço para discutir questões sobre a escola.

Ter disponibilidade para fazer os cinco módu

Coordenação

Agentes Jovens

Participar e se envolver com o Projeto, abrin educadores e dos jovens;

Desenvolver ações na escola e na comunidade; Realizar as atividades propostas pelo projeto;

18

Fazer a interface entre os alunos e a Coorden

Ter boa circulação na escola e na comunidad

Principais responsabilidades dos envolvidos

Módulo 1 Conhecendo o Projeto

Ser multiplicador do projeto na escola com Coordenação, principalmente nas instâncias p e reuniões de conselho escolar;

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 1 Conhecendo o Projeto


vens é essencial para o sucesso do Projeto em sua escola,

Atuar como multiplicador do projeto na escola; Levar o conhecimento do que aprenderam para a sua sala de aula e pensar em estratégias e

zagem, orientando os jovens sobre possíveis caminhos para

os projetos realizados e as metodologias do Instituto Unibanco,

ações para a escola, junto com a sua turma.

Educadores de Agentes Jovens

scola.

rograma de Capacitação, mas cada escola deve garantir que

des de cada um dos cinco módulos. Dessa forma, se a escola

Ser referência da formação de Agentes Jovens na escola, tanto para os alunos quanto para a coordenação;

estando aptos a aplicarem a formação.

nte em cada turno e criarem estratégias de mobilização dentro

ucadores tenham tempo para se encontrar

demais professores é um elemento fundamental, pois sem

do movimento dos jovens. Por isso, é importante que eles escola.

Estar disponível para realizar as formações com os jovens (planejamento, execução e avaliação), assim como acompanhar e orientar as ações e atividades propostas pelos alunos; Ser multiplicador do projeto na escola com os alunos, com os outros professores e com a Coordenação, principalmente nas instâncias participativas, como grêmios, reuniões pedagógicas e reuniões de conselho escolar;

Módulo 1 - Conhecendo o Projeto

Projeto?

Fazer a interface entre os alunos e a Coordenação da escola; Ter disponibilidade para fazer os cinco módulos obrigatórios deste Programa de Capacitação; Ter boa circulação na escola e na comunidade do entorno.

Coordenação Participar e se envolver com o Projeto, abrindo os caminhos e facilitando a atuação dos educadores e dos jovens;

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 1 Conhecendo o Projeto

19


Legitimar as ações dos Agentes Jovens na escola e estimular a participação dos demais alunos, uma vez

Secretaria de Educação e Supervisore

Aprovar e acompanhar o projeto na escola;

que as ações beneficiam a todos;

Fazer visitas técnicas periódicas.

Criar condições estruturais para que as formações aconteçam e para que os jovens possam desenvolver suas ações, liberando salas de aula, salas multiuso e de informática, assim como equipamentos (projetor, máquinas fotográficas, filmadoras, entre outros) e lanches, quando necessário;

Temas

Abrir espaço para que os Educadores divulguem e pensem o projeto com os outros professores nas reuniões

Os temas que serão trabalhados ao longo do Ensino Médio

pedagógicas.

Pesquisa – Módulo 2 - A ideia é mostra

Grupo Gestor Escolar

descobre a real demanda da escola, é que

resultado de uma necessidade e fazer senti

Diagnosticar a situação em que se encontra a escola, tanto com relação às condições de trabalho –

Por isso, os Educadores aprenderão a aplicar métodos de p

pedagógicas, administrativas e operacionais - quanto com relação à infraestrutura e equipamentos, que

para ampliar o olhar em relação ao que existe de recurso

influenciam, direta ou indiretamente, na qualidade da educação oferecida aos alunos.

apresentar os resultados obtidos.

Planejamento – Módulo 3 - Após o levan

Demais Professores

fazer algo com elas, para que não sejam ap

Ajudar o Educador de Agentes Jovens na realização dos Encontros com os alunos;

Essa é a hora de “colocar a mão na massa” e transformar os d Apoiar os alunos na concretização das suas ações;

com a qualidade do ensino e estimulem a permanência do

Abrir espaço, sempre que possível, durante suas aulas, para que os Agentes Jovens divulguem suas ideias e mobilizem mais alunos;

Comunicação – Módulo 4 - Levantadas as d

Estimular que os alunos desenvolvam ações relacionadas à permanência dos alunos na escola e à melhoria da qualidade do ensino.

20

Módulo 1 Conhecendo o Projeto

MANUAL DO EDUCADOR

para todo o ambiente escolar o que está sen Módulo 4, onde serão apresentadas diversas

Módulo 1 Conhecendo o Projeto


Aprovar e acompanhar o projeto na escola; Fazer visitas técnicas periódicas.

nteçam e para que os jovens possam desenvolver suas

mática, assim como equipamentos (projetor, máquinas

necessário;

Temas

sem o projeto com os outros professores nas reuniões

Os temas que serão trabalhados ao longo do Ensino Médio Inovador/Projeto Jovem de Futuro são: Pesquisa – Módulo 2 - A ideia é mostrar que, somente a partir do momento em que se descobre a real demanda da escola, é que se pode propor ações. Essas ações precisam ser resultado de uma necessidade e fazer sentido para quem a recebe.

ola, tanto com relação às condições de trabalho –

Por isso, os Educadores aprenderão a aplicar métodos de pesquisa para levantar informações, a fazer um mapeamento

o com relação à infraestrutura e equipamentos, que

para ampliar o olhar em relação ao que existe de recursos na escola e na comunidade e a usar a comunicação para

educação oferecida aos alunos.

apresentar os resultados obtidos.

Módulo 1 - Conhecendo o Projeto

mular a participação dos demais alunos, uma vez

Secretaria de Educação e Supervisores SSEs

Planejamento – Módulo 3 - Após o levantamento das informações, é preciso analisá-las e fazer algo com elas, para que não sejam apenas um monte de dados.

os Encontros com os alunos; Essa é a hora de “colocar a mão na massa” e transformar os desejos e necessidades em ações concretas que contribuam com a qualidade do ensino e estimulem a permanência dos jovens na escola.

para que os Agentes Jovens divulguem suas Comunicação – Módulo 4 - Levantadas as demandas e planejadas as ações, é preciso comunicar

nadas à permanência dos alunos na escola e

MANUAL DO EDUCADOR

para todo o ambiente escolar o que está sendo feito. Por isso, esse será o principal conteúdo do Módulo 4, onde serão apresentadas diversas possibilidades e ferramentas de comunicação.

Módulo 1 Conhecendo o Projeto

21


Afinal, os demais alunos só poderão ajudar e se envolver nos projetos dos Agentes Jovens se conhecerem as ações. Mobilização – Módulo 5 – Este módulo abordará estratégias de mobilização mostrando algumas possibilidades de como os Agentes Jovens podem engajar mais alunos em prol dos seus projetos.

Aconteceu de verdade!

Pesquisa

Módulo 2 Levantamento de dados por meio de pesquisa e mapeamento do

Esses temas possibilitaram, em escolas onde o Projeto já foi desenvolvido, que os jovens desenvolvessem ações

entorno da escola.

Planejamento Módulo 3

Planejamento de ações para atuar sobre as necessidades identificadas nas pesquisas.

simples e de efeito, como “adotar” um colega que está prestes a abandonar os estudos e acompanhá-lo dia a dia, e construir jogos com os professores de todas as matérias como forma de tornar as aulas mais atraentes.

Produtos:

Há muitas possibilidades de ações a serem criadas e implementadas. Com o auxílio desses temas e a criatividade

Produtos:

- Análise de Dados;

dos jovens, você verá que é possível mudar a realidade.

- Pesquisa;

- Realização das Ações;

- Mapeamento.

- Comunicação dos resultados da pesquisa.

É importante que os conteúdos dos Encontros sejam aplicados na mesma ordem que os conteúdos dos Módulos, pois, como você acabou de ver, há uma lógica que deve ser seguida:

Lembre-se de sempre retomar com os jovens os princi início ao próximo. Conteúdo do Módulo Básico (base para toda Formação)

Após concluir cada Módulo a distância e fazer a leit

aplicar o respectivo conteúdo em um Encontro com

Conteúdo Módulo Pesquisa = base para o 1º Encontro Conteúdo do Módulo Planejamento = base para o 2º Encontro

Mas o que é um Encontro?

Conteúdo do Módulo Comunicação = base para o 3º Encontro

Resumidamente, é um Encontro entre o Educador respon 4h, em que são conduzidas atividades do Módulo estudad

Conteúdo do Módulo Mobilização = base para o 4º Encontro

22

Módulo 1 Conhecendo o Projeto

Vale ressaltar que os Encontros não são uma extensão da chamem a atenção dos jovens.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 1 Conhecendo o Projeto


estratégias de mobilização mostrando algumas

engajar mais alunos em prol dos seus projetos.

Pesquisa

Módulo 2 Levantamento de dados por meio de pesquisa e mapeamento do

desenvolvido, que os jovens desenvolvessem ações

entorno da escola.

s a abandonar os estudos e acompanhá-lo dia a dia, e

Planejamento

Comunicação

Planejamento de

Criação e atualização

ações para atuar

de veículos de

sobre as necessidades

comunicação para

identificadas nas

mobilizar a comunidade

pesquisas.

escolar.

Módulo 3

Módulo 4

Mobilização Módulo 5

Mobilização da comunidade escolar.

forma de tornar as aulas mais atraentes. Produtos:

entadas. Com o auxílio desses temas e a criatividade

Produtos:

- Análise de Dados;

Produtos:

Produtos:

- Pesquisa;

- Realização das Ações;

- Comunicação para

- Feira;

- Mapeamento.

- Comunicação dos

mobilizar.

- Plano de vida.

resultados da pesquisa.

os na mesma ordem que os conteúdos dos Módulos, seguida:

Lembre-se de sempre retomar com os jovens os principais conceitos vistos no Encontro anterior, antes de dar

Módulo 1 - Conhecendo o Projeto

os dos Agentes Jovens se conhecerem as ações.

início ao próximo.

ção)

Após concluir cada Módulo a distância e fazer a leitura deste Manual, o Educador deverá estar apto para aplicar o respectivo conteúdo em um Encontro com os jovens.

ro

º Encontro

Mas o que é um Encontro?

º Encontro

Resumidamente, é um Encontro entre o Educador responsável e os Agentes Jovens da escola, com duração média de 4h, em que são conduzidas atividades do Módulo estudado, com o objetivo de gerar um produto final.

Encontro

Vale ressaltar que os Encontros não são uma extensão da sala de aula e devem ser leves, práticos e lúdicos para que chamem a atenção dos jovens.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 1 Conhecendo o Projeto

23


Esses momentos devem se transformar em um espaço onde os alunos sintam abertura para falar o que pensam da escola. 1

Incentivar a turma a ser um grupo coeso e unido;

2

Auxiliar o grupo a determinar seus objetivos e a utiliz

3

Ajudar a turma a colaborar com os objetivos básicos

4

Comparecer e participar das reuniões e eventos para

Quanto aos Encontros, cada escola deve escolher se fará um único com os alunos de todos os turnos ou se acontecerão Encontros específicos de cada turno. Se for a segunda opção, é importante que não virem projetos

5

Exercer uma liderança positiva;

paralelos dentro da escola.

6

Solicitar a intervenção da direção da escola quando t

Eles devem se sentir donos do processo e não apenas meros ouvintes. Esse é um momento em que todos têm voz e a opinião de cada um tem o mesmo peso que o de qualquer outra pessoa, inclusive dos educadores. A abertura que deve ocorrer entre os jovens e você, Educador, durante os Encontros, é fundamental para que os alunos se motivem e atuem como Agentes Jovens dentro da escola.

SAIBA MAIS

Se o Agente Jovem é um representante de turma, o que fazer se sua escola não possui esses representantes?

Os representantes de turma devem ser eleitos pelo

Uma sugestão é que os Educadores, junto com a direção da escola, organizem uma eleição

sociais dos estudantes na vida escolar.

sua turma e têm o papel de serem mediadores de s

superados pela escola de forma ordeira e equilibrada,

Eles podem ainda organizar atividades culturais, sócio

para que os alunos escolham seu representante. É importante reforçar que o representante deve ser legitimado pelos colegas, não devendo ser escolhido porque é o melhor aluno da

A partir da atuação das organizações estudantis n

sala, nem sendo indicado pelo professor ou pela direção.

discente no Conselho Escolar e no Conselho de Clas de cada escola.

Mas qual é o papel do representante? O Conselho de Representantes de Turmas tem a finalidade de organizar lideranças estudantis, em defesa dos interesses dos alunos em sintonia com a missão da escola e seus objetivos comuns.

Como é feita a seleção de represen

Os representantes devem ser eleitos de uma fo

da classe, por meio de voto secreto, que os esc O representante de turma é um elo entre a turma e a comunidade escolar. É o porta-voz da turma, isto é, o elemento que transmite as sugestões, reivindicações e problemas do grupo. Incentiva a turma a

Para escolher um representante, é preciso levar em co

participar de eventos, solenidades, visitas, mobilizações etc. Além dessas tarefas, o representante deve:

Responsabilidade - pessoa capaz de cumprir os com que deve fazer pontual e organizado;

24

Módulo 1 Conhecendo o Projeto

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 1 Conhecendo o Projeto


1

Incentivar a turma a ser um grupo coeso e unido;

es. Esse é um momento em que todos têm voz e a opinião de dos educadores.

2

Auxiliar o grupo a determinar seus objetivos e a utilizar os meios adequados para atingi-los;

os Encontros, é fundamental para que os alunos se motivem

3

Ajudar a turma a colaborar com os objetivos básicos e projetos da escola;

4

Comparecer e participar das reuniões e eventos para os quais for convocado;

5

Exercer uma liderança positiva;

6

Solicitar a intervenção da direção da escola quando tiver que resolver assuntos específicos da sua turma.

um único com os alunos de todos os turnos ou se egunda opção, é importante que não virem projetos

um representante de e sua escola não possui ? junto com a direção da escola, organizem uma eleição

Os representantes de turma devem ser eleitos pelos seus pares, ou seja, pelos outros estudantes de sua turma e têm o papel de serem mediadores de situações e desafios que precisam ser resolvidos e superados pela escola de forma ordeira e equilibrada, em benefício de todos. Eles podem ainda organizar atividades culturais, sócio-educativas e desportivas que aprimorem práticas sociais dos estudantes na vida escolar.

presentante. É importante reforçar que o representante

não devendo ser escolhido porque é o melhor aluno da

A partir da atuação das organizações estudantis na escola pode-se garantir a representatividade

essor ou pela direção.

discente no Conselho Escolar e no Conselho de Classe, conforme deve estar disposto no Regimento

Módulo 1 - Conhecendo o Projeto

sintam abertura para falar o que pensam da escola.

de cada escola.

entante?

a finalidade de organizar lideranças estudantis, em

m a missão da escola e seus objetivos comuns.

Como é feita a seleção de representantes de turma: Os representantes devem ser eleitos de uma forma democrática, sendo eleitos pelos estudantes da classe, por meio de voto secreto, que os escolhem em função de suas habilidades.

a e a comunidade escolar. É o porta-voz da turma, isto

ndicações e problemas do grupo. Incentiva a turma a

Para escolher um representante, é preciso levar em consideração os seguintes aspectos:

ações etc. Além dessas tarefas, o representante deve: Responsabilidade - pessoa capaz de cumprir os compromissos, de inspirar confiança, de levar a sério o que deve fazer pontual e organizado;

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 1 Conhecendo o Projeto

25


Pelo menos 10 dias antes Iniciativa Iniciativa--saber sabertomar tomardecisão, decisão,ser serrealizador, realizador,saber saberimprimir imprimirdinamismo dinamismoao aogrupo. grupo;

Checar com a Coordenação da escola qual o local r Espírito respeitar as asideias ideiasdos dosoutros, outros,estimular estimularasasideias ideiasdodo grupo, sentir-se igual Espíritodemocrático democrático -- saber acolher, respeitar grupo, sentir-se igual em emdireitos direitoseedeveres. deveres;

Divulgar para os Agentes Jovens o local e o horário

Espírito Espíritode deequipe. equipe;

Preparar lista de presença com a relação do contatos (e-mail e telefone).

Participativo Participativoeeenvolvido envolvidocom comaaescola. escola; Disponibilidade Disponibilidade--ter tertempo tempoeedisposição disposiçãopara paraoogrupo grupoeepara paracom comos oscompromissos compromissosde deum umrepresentante. representante; Facilidade Facilidadede decomunicação comunicaçãoeede derelacionamento. relacionamento.

Pelo menos 5 dias antes

Fazer a confirmação de presença dos jovens, reforç

Na prática - Reunião com Agentes Jovens Organizando a reunião de convocação dos Agentes Jovens Como tarefa desse Módulo 1, conforme curso a distância, você listou o nome de todos os representantes de turma para enviar

Reunião – Roteiro de aplicação Objetivo Geral

Nesta reunião reunião os osjovens jovensentend enten

objetivos, além de assumirem o objetivos, além de assumirem o

ao Moderador Virtual. Agora, precisa organizar uma reunião com esses jovens para explicar-lhes sobre o Ensino Médio Inovador/Projeto Jovem de Futuro e qual o papel deles como Agentes Jovens.

Lista de Tarefas Pré-Reunião

Objetivo Específico

Convocar os representantes de

Reunião passo a passo

Pelo menos 20 dias antes

Preparação

Solicitar um local para realizar a reunião com os Agentes Jovens.

Chegar à escola pelo menos 30min antes do início da reuni

26

Na prática - Reunião com Agentes Jovens

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática - Reunião com Agentes Jovens


rdinamismo dinamismoao aogrupo. grupo; Checar com a Coordenação da escola qual o local reservado para a realização da reunião;

outros,estimular estimularasasideias ideiasdodo grupo, sentir-se igual outros, grupo, sentir-se igual Divulgar para os Agentes Jovens o local e o horário; Preparar lista de presença com a relação dos Agentes Jovens e espaço para os respectivos contatos (e-mail e telefone).

a com ra comos oscompromissos compromissosde deum umrepresentante. representante;

Pelo menos 5 dias antes Fazer a confirmação de presença dos jovens, reforçando o horário e o local.

entes Jovens

gentes Jovens

u o nome de todos os representantes de turma para enviar

ar-lhes sobre o Ensino Médio Inovador/Projeto Jovem de

Reunião – Roteiro de aplicação Objetivo Geral Objetivo Específico

Nesta reunião é oéProEMI/PJF e quais são ossão seus reunião os osjovens jovensentenderão entenderãoo que o que o ProEMI/PJF e quais os seus objetivos, além de assumirem o compromisso de serem Agentes Jovens. objetivos, além de assumirem o compromisso de serem Agentes Jovens.

Convocar os representantes de turma para tornarem-se Agentes Jovens.

Na prática - Reunião com Agentes Jovens

Pelo menos 10 dias antes

Reunião passo a passo Preparação

ens.

Chegar à escola pelo menos 30min antes do início da reunião. Ir até a sala onde ela será realizada.

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática - Reunião com Agentes Jovens

27


Distribua as cadeiras, preferencialmente, em formato de meia lua de maneira que a visão do quadro-negro fique acessível a todos os alunos. Confirme se há giz e apagador ou qualquer outro material que seja necessário.

Duração estimada: 5 minutos por jovem.

Receba cada jovem que chegar cumprimentando-o. Aproveite e já assinale a presença dele na lista de presença que você

Em círculo, preferencialmente em pé, estipular exemplo, sentido horário). Cada jovem deve dar Após isso, completar com “Eu gosto de” e, apena demais precisarão adivinhar o que o colega está

preparou com antecedência.

LEMBRE-SE Lembre-se de de que, que, como como esta esta não não éé uma uma aula, aula, oo clima clima precisa precisa ser ser de de descontração. descontração. Lembre-se

Evite ficar ficar sentado sentado na na mesa mesa do do professor professor ee integre-se integre-se ao ao círculo círculo de de cadeiras cadeiras com com os os jovens. jovens. Evite

Após a dinâmica, explique a eles como funciona o Ensino

Agentes Jovens e a existência dos Encontros. Use o conte como base para essas informações.

Porém, lembre-se de que, para os jovens, não é necessário en Você pode, inclusive, utilizar um aparelho de som para música ambiente ou recepcionar os jovens oferecendo balas e afins. Use

fundamentais, de maneira clara e objetiva, de modo que eles ente

sua criatividade para surpreendê-los.

Em seguida, faça uma dinâmica para estimular o espírito de

Início Embora quase todos os jovens já se conheçam, muitos só se veem e não sabem nem o nome do colega. Por isso, é bacana aplicar

Dinâmica de

uma dinâmica quebra-gelo e que ainda ajude os alunos a se apresentarem. Sugerimos a brincadeira abaixo. Caso você conheça outra de sua preferência que tenha o mesmo objetivo, pode substituí-la:

Escrav

Dinâmica de apresentação

Materiais necessários: caixas de fósforos (uma por disponível que faça barulho e não quebre.

Eu sou... e gosto de...

Temas trabalhados: liderança, trabalho em equip

Objetivo: despertar nos jovens o espírito de equip

Materiais necessários: nenhum. Temas trabalhados: desinibição, integração com os demais participantes.

Junte todo o grupo de alunos e peça que sentem n de Escravos de Jó. A maioria deles deve conhecer, m

Objetivo: fazer com que os alunos se conheçam e se integrem.

28

Na prática - Reunião com Agentes Jovens

Duração estimada: 20 minutos.

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática - Reunião com Agentes Jovens


material que seja necessário.

á assinale a presença dele na lista de presença que você

SE

a, oo clima clima precisa precisa ser ser de de descontração. descontração. a,

re-se re-se ao ao círculo círculo de de cadeiras cadeiras com com os os jovens. jovens.

Duração estimada: 5 minutos por jovem. Em círculo, preferencialmente em pé, estipular uma ordem para a apresentação dos alunos (por exemplo, sentido horário). Cada jovem deve dar um passo à frente e falar “Eu sou” seguido do nome. Após isso, completar com “Eu gosto de” e, apenas com gestos, representar o que gostam de fazer. Os demais precisarão adivinhar o que o colega está gesticulando.

Após a dinâmica, explique a eles como funciona o Ensino Médio Inovador/Projeto Jovem de Futuro, qual o papel dos Agentes Jovens e a existência dos Encontros. Use o conteúdo do Módulo 1 do curso a distância e deste Manual como base para essas informações. Porém, lembre-se de que, para os jovens, não é necessário entrar em tantos detalhes. Repasse a eles apenas as informações

ente ou recepcionar os jovens oferecendo balas e afins. Use

fundamentais, de maneira clara e objetiva, de modo que eles entendam o projeto do qual estão participando. Em seguida, faça uma dinâmica para estimular o espírito de equipe e finalizar a reunião com animação.

não sabem nem o nome do colega. Por isso, é bacana aplicar

Dinâmica de Encerramento

ntarem.

eferência que tenha o mesmo objetivo, pode substituí-la:

Escravos de Jó

resentação

Materiais necessários: caixas de fósforos (uma por aluno) ou canetas ou um pé de tênis. Qualquer material disponível que faça barulho e não quebre.

sto de...

Temas trabalhados: liderança, trabalho em equipe, sinergia, comunicação e cooperação.

Na prática - Reunião com Agentes Jovens

de maneira que a visão do quadro-negro fique acessível a

Objetivo: despertar nos jovens o espírito de equipe.

demais participantes.

Duração estimada: 20 minutos. Junte todo o grupo de alunos e peça que sentem no chão, em círculo. Pergunte se conhecem a brincadeira de Escravos de Jó. A maioria deles deve conhecer, mas, mesmo assim, relembre-a.

integrem.

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática - Reunião com Agentes Jovens

29


Lembre-os de que você estará sempre à disposição Os alunos deverão passar o objeto escolhido, no sentido horário, para o colega ao lado, sempre o batendo no chão para fazer barulho e marcar o ritmo da música.

Resumo da Reunião

“Escravos de Jó, jogavam caxangá. Tira, põe, deixa ficar.

I - Introdução

Guerreiros com guerreiros fazem zigue zigue zá (2x)” – Cantiga popular

1

Dê boas vindas aos Agen

2

Passe para eles eles aalista listade de do nome, série e turma. nome, série e turma.

3

Proponha quetodos todosse seap a Proponha que explique-lhes a dinâmica dinâmica Quebra-Gelo.

1

Diga-lhes que que eles eles foram foram Diga-lhes

2

Frise que outros jovens Frise jovensdd do Ensino Ensino Médio Médio Inovado Inovad do

3

Fale sobre sobreo papel o papel de Fale de Ag responsabilidades. responsabilidades.

4

Avise que ooProjeto Avise Projetoéécom com aa cada dois meses, além alémdd preciso dedicação dedicação ee disp disp preciso grande aprendizado aprendizado que que grande

5

Abra Abra espaço espaço para para que que os os

1

Faça aa dinâmica dinâmicados dosEscr Esc equipe de agora em dian

2

Finalize a reunião dizend dizend com eles e já passe a dat eles e já passe a data da

Obs: em algumas regiões do país, podemos ter variações na letra. Não há problemas de trocar a versão, pois a dinâmica segue sendo a mesma. Portanto: Escravos de Jó (passa objeto) jogavam caxangá (passa objeto) Tira (levanta objeto), põe (larga objeto no chão), deixa ficar (aponta para o objeto). Guerreiros com guerreiros fazem (passa objeto) zigue-zigue (vai e vem com o objeto) zá (passa objeto). Faça um “ensaio” com os jovens antes de iniciar. Em seguida, explique que eles deverão repetir a música quatro vezes, conforme abaixo:

11 - Apresentando o Projeto

Cantar e passar os objetos em velocidade normal. Cantar e passar os objetos em velocidade acelerada. Murmurar a melodia da música e passar os objetos em velocidade normal. Em silêncio, passar os objetos em velocidade normal.

A dinâmica deve render boas risadas aos jovens, porém, é importante que você finalize-a reforçando que, a partir de agora, eles passarão a trabalhar em equipe e precisarão comunicar-se claramente e manter a sinergia.

30

Na prática - Reunião com Agentes Jovens

MANUAL DO EDUCADOR

11I - Finalização Na prática - Reunião com Agentes Jovens


horário, para o colega ao lado, sempre o batendo

Resumo da Reunião

I - Introdução

antiga popular

1

Dê boas vindas aos Agentes Jovens.

2

Passe para eles contatos aoao lado eles aalista listade depresença presençaeepeça peçaque quecoloquem coloquemseus seus contatos lado do do nome, série e turma. nome, série e turma.

3

Proponha quetodos todosse seapresentem apresenteme eseseconheçam conheçam melhor. seguida, Proponha que melhor. EmEm seguida, explique-lhes a explique-lhes a dinâmica Quebra-Gelo. dinâmica Quebra-Gelo.

1

Diga-lhes que que eles eles foram foram convocados convocados para para uma uma importante importante missão. missão. Diga-lhes

2

Frise que outros jovens estão participando Frise jovensde dediversas diversaspartes partesdo doBrasil Brasiltambém também estão participando do Ensino Ensino Médio Médio Inovador/Projeto Inovador/Projeto Jovem Jovem de de Futuro Futuro ee explique explique oo Projeto. Projeto. do

3

Fale sobre sobreo papel o papel de Agentes Jovens, que irão assumir e quais suas Fale de Agentes Jovens que irão assumir e quais suas responsabilidades. responsabilidades.

4

Avise que ooProjeto por 4 Encontros queque ocorrem aproximadamente Avise Projetoéécomposto composto por 4 Encontros ocorrem aproximadamente será aa cada dois meses, além alémde depequenas pequenasreuniões reuniõesquinzenais. quinzenais.Deixe Deixeclaro claroque que será preciso dedicação dedicação ee disponibilidade disponibilidadeextraclasse, extraclasse,mas masque queos osjovens jovensterão terãoum um preciso grande aprendizado aprendizado que que pode pode valer valer até até para para oo enriquecimento enriquecimento do do currículo. currículo. grande

5

Abra Abra espaço espaço para para que que os os jovens jovens tirem tirem suas suas dúvidas. dúvidas.

1

Faça aa dinâmica dinâmicados dosEscravos Escravosde deJóJóe fale e fale importância do trabalho da da importância do trabalho em em equipe de agora em diante.

2

Finalize a reunião dizendo dizendo ooquanto quantoestá estáfeliz felizpor porparticipar participardeste desteprojeto projetocom com eles e já passe a data da próxima reunião. eles e já passe a data da próxima reunião.

es na letra. Não há problemas de trocar a versão,

bjeto)

ar (aponta para o objeto).

igue (vai e vem com o objeto) zá (passa objeto).

uida, explique que eles deverão repetir a música

11 - Apresentando o Projeto

l.

ada.

os em velocidade normal.

Na prática - Reunião com Agentes Jovens

Lembre-os de que você estará sempre à disposição para tirar dúvidas e já marque a próxima reunião.

mal.

e que você finalize-a reforçando que, a partir de agora, eles

nte e manter a sinergia.

MANUAL DO EDUCADOR

11I - Finalização Na prática - Reunião com Agentes Jovens

31


Ações entre Encontros com os Agentes Jovens

Módulo 2 - Pesquisa Neste Módulo você aprenderá:

Após a reunião em que todos os representantes de turma foram convocados e apresentados à proposta dos Agentes Jovens, é interessante que eles mantenham a motivação para a realização do 1º Encontro. Por isso, sugerimos que, nesse meio tempo, eles possam ter acesso a exemplos de ações que foram desenvolvidas por Agentes Jovens nos anos anteriores, quando o projeto ainda estava na fase de validação. Você pode copiar e distribuir ou enviar por e-mail alguns exemplos de casos reais encontrados nas Leituras Complementares como “Aconteceu de Verdade” e “Deu certo”. Outra coisa importante é que eles tenham a tarefa de apresentar a proposta para todos da sua turma, destacando que, em breve, precisarão da ajuda de todos.

O que é Mobilização Social;

O papel dos Agentes Jovens como mobilizadores d Comunicação como ferramenta de mobilização; Métodos e Técnicas de Pesquisa.

No Módulo Básico, vimos que os Agentes Jovens têm pap

alunos para que, juntos, atinjam dois objetivos comuns: m

Educador,

Mas você já se questionou sobre o que estamos falando

Aproveite este início de projeto para registrar todo o processo, os acer tos e os erros cometidos

Qual é o conceito que deve nos guiar quando falamos

criando uma espécie de “diário de bordo”. Utilize vídeos, fotos e documentos para registrar cada passo do projeto.

Bernardo Toro, um

“Mobilização social é co

dos principais filósofos e

comum, sob uma inte

educadores da atualidade,

TORO, José Bernardo; W

definiu que:

modo de construir a dem

Em outras palavras: A mobilização ocorre quando um grupo de pessoas se une realizar ações que atinjam as metas acordadas por todos.

32

Na prática - Reunião com Agentes Jovens

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 2 - Pesquisa


Módulo 2 - Pesquisa Neste Módulo você aprenderá:

a foram convocados e apresentados à proposta dos otivação para a realização do 1º Encontro.

sam ter acesso a exemplos de ações que foram uando o projeto ainda estava na fase de validação. s exemplos de casos reais encontrados nas Leituras erto”. apresentar a proposta para todos da sua turma,

O que é Mobilização Social; O papel dos Agentes Jovens como mobilizadores da comunidade escolar; Comunicação como ferramenta de mobilização; Métodos e Técnicas de Pesquisa.

Módulo 2 - Pesquisa

s Agentes Jovens

No Módulo Básico, vimos que os Agentes Jovens têm papel mobilizador na comunidade escolar, convocando outros alunos para que, juntos, atinjam dois objetivos comuns: melhoria da qualidade do ensino e a permanência na escola. Mas você já se questionou sobre o que estamos falando quando nos referimos a essa movimentação dos jovens?

o processo, os acer tos e os erros cometidos

Qual é o conceito que deve nos guiar quando falamos em mobilização social?

eos, fotos e documentos para registrar cada Bernardo Toro, um

“Mobilização social é convocar vontades para atuar na busca de um propósito

dos principais filósofos e

comum, sob uma interpretação e um sentido também compartilhados.” –

educadores da atualidade,

TORO, José Bernardo; Werneck, Nisia Duarte Furquim – Mobilização Social: um

definiu que:

modo de construir a democracia e a participação. Brasil: UNICEF, 1996.

Em outras palavras: A mobilização ocorre quando um grupo de pessoas se une e age com um objetivo comum, buscando, no seu cotidiano, realizar ações que atinjam as metas acordadas por todos.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 2 - Pesquisa

33


Lição 2

Objetivo Comum

Ações Cotidianas

Como vimos na lição anterior, para atuarem como mobiliza comunicadores. Mas você sabe o porquê disso?

Afinal, qual a importância da comunicação no processo

Já sabemos que os Agentes Jovens detêm a informação e a capa

iniciar um processo de mobilização se os outros alunos não conh Porém, participar ou não de um processo de mobilização social é um ato de escolha.

Eles precisam se identificar com as ideias e, para isso, só

Por isso, as pessoas são convocadas, tendo liberdade de aceitar ou não a convocação.

É aí que entra a comunicação como ferramenta Essa decisão depende essencialmente das pessoas se verem como capazes de provocar e construir mudanças.

movimento que está sendo gerado.

Comunicação, no processo de mobilização social, não pode

IMPORTANT E!!!

Educador, perceba que, nesse momento, seu papel é fundamental, pois, no caso dos Agentes Jovens, cabe a você fazer essa convocação,

A comunicação, em primeira instância, serve para compart

motivando-os a assumirem esse papel mobilizador na escola.

A coletivização da informação proporciona a clareza d É justamente nessa fase que os Agentes Jovens precisam compreender que são capazes de

está sendo feito por outros.

transformar sua realidade e que têm possibilidades de liderar a comunidade escolar.

Dessa forma, não basta fazer um jornal mural, um cartaz o Educador, note que o momento da Convocação dos Agentes Jovens, feito por você, é tão importante que dele depende uma série de ações.

estão fazendo ações de mobilização pela escola. É preciso q

Se para mobilizar é preciso que a informação cir Ao aceitarem a sua convocação para fazerem parte do processo de mobilização escolar, os Agentes Jovens precisam entender como usar algumas ferramentas importantes para pôr em prática seu potencial mobilizador.

diferença entre divulgação e coletivização das in

A diferença está no compromisso com os resultad

É aí que entra a comunicação, que irá permear todas as etapas desse processo!

34

Módulo 2 - Pesquisa

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 2 - Pesquisa


Objetivo Comum

anas

Como vimos na lição anterior, para atuarem como mobilizadores, os Agentes Jovens precisam, acima de tudo, ser comunicadores. Mas você sabe o porquê disso? Afinal, qual a importância da comunicação no processo de mobilização? Já sabemos que os Agentes Jovens detêm a informação e a capacidade de liderar os outros colegas. Porém, de nada adianta iniciar um processo de mobilização se os outros alunos não conhecerem a proposta, não verem sentido nela e não a legitimarem.

m ato de escolha.

Eles precisam se identificar com as ideias e, para isso, só há uma forma: comunicar.

não a convocação.

Módulo 2 - Pesquisa

Lição 2

É aí que entra a comunicação como ferramenta de mobilização. Ela tem o papel de dar apoio ao

mo capazes de provocar e construir mudanças.

movimento que está sendo gerado.

Comunicação, no processo de mobilização social, não pode ser confundida apenas com propaganda ou divulgação.

nesse momento, seu papel é fundamental,

s Jovens, cabe a você fazer essa convocação,

A comunicação, em primeira instância, serve para compartilhar discursos, visões e informações.

em esse papel mobilizador na escola. A coletivização da informação proporciona a clareza de que aquilo que cada um faz no seu campo de atuação

am compreender que são capazes de

está sendo feito por outros.

e liderar a comunidade escolar. Dessa forma, não basta fazer um jornal mural, um cartaz ou uma vinheta de rádio divulgando que os Agentes Jovens

Agentes Jovens, feito por você, é tão

estão fazendo ações de mobilização pela escola. É preciso que os jovens se apropriem das informações.

Se para mobilizar é preciso que a informação circule entre o maior número de pessoas, qual seria a

mobilização escolar, os Agentes Jovens precisam entender

eu potencial mobilizador.

diferença entre divulgação e coletivização das informações? A diferença está no compromisso com os resultados.

e processo!

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 2 - Pesquisa

35


Esse passo a passo segue a lógica proposta por Bernar por dois momentos: Na divulgação, o resultado esperado é a circulação da informação. No caso da coletivização, o foco está no compartilhamento da informação (não simplesmente na sua circulação) e o resultado desejado é que as pessoas formem opiniões próprias, disponham-se a agir e ajam. Elas devem sentir-se donas da informação, repassando-as, utilizando-as e se tornando, elas próprias, fontes de novas informações.

1o Momento 2 o Momento

Despertar o desejo e a consciê

Transformar esse desejo e essa na própria ação.

*TORO, José Bernardo; Werneck, Nisia Duarte Furquim – Mobilização Soc

Durante o Projeto, os Agentes Jovens precisam ter informações claras sobre os objetivos da mobilização, os problemas que devem resolver, as prioridades em cada momento e ações que querem desenvolver.

Nesse 1o momento de mobilização, é p

Para isso, eles precisam seguir 3 passos:

dar informações para que as pessoas tomem conhe

1 Passo o

Entender como devem convocar os estudantes de toda a escola para que participem do processo de mobilização.

transformar dados, experiências e estatísticas em i

problemas fazendo um diagnóstico que aponte as d

passar da consciência de necessidade de mudança p

individual de despertar para uma perspectiva coleti

2o Passo

Identificar os problemas que devem ser solucionados.

Para mobilizar, é preciso compar tilhar informa

3o Passo

Apresentar as propostas de atuação que devem ser transformadas em ação.

Lição 3

Todo esse processo é apoiado pela comunicação. 36

Módulo 2 - Pesquisa

deve ser melhorado. E aí que entra a etapa d

Feita a convocação dos Agentes Jovens, eles precisam inicia

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 2 - Pesquisa


por dois momentos:

nformação.

ento da informação (não simplesmente na sua

m opiniões próprias, disponham-se a agir e ajam.

, utilizando-as e se tornando, elas próprias, fontes

1o Momento 2 o Momento

Despertar o desejo e a consciência da necessidade de uma atitude ou mudança.

Transformar esse desejo e essa consciência em disposição para a ação e, em seguida, na própria ação.

*TORO, José Bernardo; Werneck, Nisia Duarte Furquim – Mobilização Social: um modo de construir a democracia e a participação. Brasil: UNICEF, 1996.

aras sobre os objetivos da mobilização, os problemas que

em desenvolver.

Nesse 1o momento de mobilização, é preciso:

Módulo 2 - Pesquisa

Esse passo a passo segue a lógica proposta por Bernardo Toro*, na qual o processo de mobilização passa

dar informações para que as pessoas tomem conhecimento da situação que precisa ser trabalhada.

udantes de toda a escola para que

transformar dados, experiências e estatísticas em informação pública. Para isso é preciso vinculá-las aos problemas fazendo um diagnóstico que aponte as dificuldades, mas sinalize com esperanças e alternativas. passar da consciência de necessidade de mudança para a disposição de agir, isto é, sair de uma experiência individual de despertar para uma perspectiva coletiva, de ação.

olucionados.

Para mobilizar, é preciso compar tilhar informações e, principalmente, saber o que exatamente

devem ser transformadas em ação.

deve ser melhorado. E aí que entra a etapa de Pesquisa.

Lição 3

cação.

Feita a convocação dos Agentes Jovens, eles precisam iniciar suas tarefas.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 2 - Pesquisa

37


Para isso, é preciso que, primeiro, eles descubram qual é a situação atual da escola, a fim de proporem melhorias.

Desse modo, a pesquisa é o meio mais indicado para a obtenção de dados reais, pois só assim será possível conhecermos como está a nossa escola e quais são os problemas apresentados.

Vamos nos aprofundar um pouco ma A – Definição do que pesquisar:

Em primeiro lugar, é preciso saber o que será pesquisado A pesquisa ajuda a legitimar a mobilização feita pelos Agentes Jovens, já que representa o pensamento de uma série de pessoas e não somente o de um grupo de representantes de sala.

Para definir o objeto da pesquisa, busque respostas

Há dois tipos de pesquisa a serem feitas pelos Agentes Jovens: a Pesquisa

Interna e o Mapeamento da Comunidade. Vamos conhecê-las:

O que queremos saber? O que já sabemos sobre o assunto?

Que tipo de dúvidas pretendemos esclarecer co

1- Pesquisa Interna

Que hipóteses (suposições) temos sobre o assun

Ao realizar a pesquisa interna, os jovens deverão passar pelas seguintes etapas: A

Definição do que pesquisar;

B

Identificação da população e da amostra;

C

Elaboração do questionário;

D

Aplicação da pesquisa;

E

Tabulação dos dados;

F

Análise e interpretação dos dados;

G

Apresentação e divulgação dos resultados.

Pessoas diferentes têm opiniões distintas? Quais são os vários aspectos do problema?

B – Identificação da população e amostra:

O segundo passo é definir qual será a população pesqu Você sabe qual a diferença entre elas?

População é a totalidade de indivíduos escolhidos de ac característica em comum. Ex.: estudantes do Ensino Médio

38

Módulo 2 - Pesquisa

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 2 - Pesquisa


enção de dados reais, pois só assim será os problemas apresentados.

Vamos nos aprofundar um pouco mais sobre cada uma delas? A – Definição do que pesquisar: Em primeiro lugar, é preciso saber o que será pesquisado.

Jovens, já que representa o pensamento de uma série de Para definir o objeto da pesquisa, busque respostas para perguntas como:

s pelos Agentes Jovens: a Pesquisa

amos conhecê-las:

O que queremos saber? O que já sabemos sobre o assunto?

Módulo 2 - Pesquisa

atual da escola, a fim de proporem melhorias.

Que tipo de dúvidas pretendemos esclarecer com a realização dessa pesquisa? Que hipóteses (suposições) temos sobre o assunto?

pelas seguintes etapas:

Pessoas diferentes têm opiniões distintas? Quais são os vários aspectos do problema?

B – Identificação da população e amostra: O segundo passo é definir qual será a população pesquisada e a amostra. Você sabe qual a diferença entre elas? População é a totalidade de indivíduos escolhidos de acordo com o objetivo da pesquisa e que possuem alguma característica em comum. Ex.: estudantes do Ensino Médio

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 2 - Pesquisa

39


Amostra é uma parte da população capaz de representá-la como um todo, contemplando todos os diferentes tipos de indivíduos que fazem parte da população.

T ipos de perguntas

Definir que tipo de perguntas será usada é muito importan

quer obter em relação a um assunto específico. Por isso, perg

IMPORTANT E!!!

Tão fundamental quanto o tamanho de uma amostra é a sua

e, perguntas fechadas, em pesquisas quantitativas.

representatividade.

É preciso medir os prós e contras de acordo com a necessid Afinal, elas devem ser grandes o suficiente para atender aos

requisitos de confiabilidade, mas não a ponto de inviabilizar o trabalho de campo em termos de custo e tempo. É muito importante preocupar-se com a distribuição da amostra que deve ser a mais variada possível, contemplando jovens de todas as séries.

Exemplo de pergunta aberta:

Na sua opinião, como as aulas poderiam Resposta: ........

Exemplo de pergunta fechada:

Você gosta da forma como as aulas sã

C – Elaboração do questionário: Objetivo da pesquisa, população e amostra definidos, chegou o momento de elaborar o questionário.

(

) sim

(

) não

D - Aplicação da pesquisa: Pontos importantes a serem lembrados:

Com a pesquisa pronta, é hora de pensar na sua aplicação. E As perguntas do questionário devem ser curtas, claras e objetivas, focando o assunto.

é fundamental para definir os resultados.

É importante usar as palavras que fazem parte do cotidiano dos entrevistados. Definir se serão perguntas fechadas (quando o questionário já traz as alternativas a serem respondidas) ou abertas (quando o entrevistado pode dar respostas não previstas).

Para fazer a aplicação da pesquisa, é preciso identificar: como ela será aplicada (formato), quando (dia),

40

Módulo 2 - Pesquisa

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 2 - Pesquisa


T ipos de perguntas Definir que tipo de perguntas será usada é muito importante, pois se deve levar em consideração qual resposta que se quer obter em relação a um assunto específico. Por isso, perguntas abertas são usadas mais em pesquisas qualitativas

anto o tamanho de uma amostra é a sua

e, perguntas fechadas, em pesquisas quantitativas. É preciso medir os prós e contras de acordo com a necessidade.

ser grandes o suficiente para atender aos inviabilizar o trabalho de campo em termos

ção da amostra que deve ser a mais variada

Exemplo de pergunta aberta:

Na sua opinião, como as aulas poderiam ser mais interessantes? Resposta: ........

Módulo 2 - Pesquisa

mo um todo, contemplando todos os diferentes tipos de

Exemplo de pergunta fechada:

Você gosta da forma como as aulas são dadas?

mento de elaborar o questionário.

(

) sim

(

) não

D - Aplicação da pesquisa: Com a pesquisa pronta, é hora de pensar na sua aplicação. Esse detalhe pode até parecer menos importante, porém ele

laras e objetivas, focando o assunto.

é fundamental para definir os resultados.

cotidiano dos entrevistados.

uestionário já traz as alternativas a serem pode dar respostas não previstas).

MANUAL DO EDUCADOR

Para fazer a aplicação da pesquisa, é preciso identificar: como ela será aplicada (formato),

em que momento (cenário atual),

quando (dia),

se será anônima ou não.

Módulo 2 - Pesquisa

41


Além desta Pesquisa Interna, há o mapeamento da com comunidade conhece a escola e como ela pode contribuir É necessário ter atenção, pois todos esses fatores podem interferir nos resultados.

AT ENÇÃO

Imagina aplicar uma pesquisa sobre a infraestrutura das salas de aula logo após ter acontecido uma briga e algumas carteiras terem sido quebradas?

2- Mapeamento da comunidade

O Mapeamento da comunidade é um processo de investiga que geralmente tem muito a contribuir com a escola, mas nã educativos que existem naquele espaço, promovendo a sine organizações e comércios por meio de parcerias.

Não seria o cenário real das salas e aquele momento poderia interferir nos resultados da pesquisa. Por isso, é importante que os jovens estejam cientes de que o cenário em que a pesquisa é aplicada interfere nos resultados obtidos. Em relação ao formato, a pesquisa pode ser aplicada de diversas maneiras, de acordo com a característica do público-alvo e com a forma como se quer apresentar os resultados. São inúmeras as opções, mas as mais utilizadas nas escolas que realizaram essa experiência anteriormente foram:

Pesquisas impressas Questionários que o próprio entrevistado preenche ou o entrevistador pergunta e preenche imediatamente.

Por esse motivo, o mapeamento da comunidade é uma impo da comunidade na qual está inserida.

Afinal, os alunos moram, trabalham e circulam pela comunid pelo processo educativo.

Essa condução do processo de mobilização, além de legitim possibilidade de conhecer melhor a própria escola. Já os aluno e de se aproximar de algo que nem sempre é visível no dia a d

Para dar início ao mapeamento, os jovens deverão pensar esses indivíduos /organizações no mapa desenhado por e

A maior preocupação aqui é com a ampliação do olhar e n

Enquetes Perguntas feitas oralmente, em que as pessoas falam com o entrevistador que, muitas vezes, usa um gravador ou um roteiro com alguns pontos norteadores.

Mapa dos Visíveis

As etapas de tabulação (E), análise e interpretação dos dados (F) e apresentação e divulgação dos resultados (G) serão abordados no Módulo 3 para o 2º Encontro.

42

Módulo 2 - Pesquisa

Ex.: museu, teatro e b

Novo olhar para pos

Mapa dos Invisíveis

MANUAL DO EDUCADOR

Recursos facilmente p

Módulo 2 - Pesquisa

Ex.: praça abandonad

transforma em conta


comunidade conhece a escola e como ela pode contribuir para torná-la cada vez melhor.

AT ENÇÃO

a logo após ter acontecido uma briga e algumas carteiras

2- Mapeamento da comunidade O Mapeamento da comunidade é um processo de investigação que visa levantar dados sobre a comunidade do entorno, que geralmente tem muito a contribuir com a escola, mas não sabe como. O objetivo é identificar os recursos e potenciais educativos que existem naquele espaço, promovendo a sinergia entre a escola, os moradores do bairro ou até mesmo as organizações e comércios por meio de parcerias.

a interferir nos resultados da pesquisa. Por isso,

o em que a pesquisa é aplicada interfere nos

Por esse motivo, o mapeamento da comunidade é uma importante ferramenta de mobilização que visa aproximar a escola da comunidade na qual está inserida.

neiras, de acordo com a característica do público-alvo e

Afinal, os alunos moram, trabalham e circulam pela comunidade e, por isso, é fundamental que ela se sinta corresponsável pelo processo educativo.

zaram essa experiência anteriormente foram:

Essa condução do processo de mobilização, além de legitimar a comunidade, faz com que ela veja no mapeamento a possibilidade de conhecer melhor a própria escola. Já os alunos, por sua vez, terão a oportunidade de conhecer seu território e de se aproximar de algo que nem sempre é visível no dia a dia.

dor pergunta e preenche imediatamente.

Para dar início ao mapeamento, os jovens deverão pensar sobre potenciais não percebidos na comunidade e apontar esses indivíduos /organizações no mapa desenhado por eles.

Módulo 2 - Pesquisa

res podem

Além desta Pesquisa Interna, há o mapeamento da comunidade, que tem como objetivo descobrir o quanto a

A maior preocupação aqui é com a ampliação do olhar e não com a geografia. Por isso, há dois tipos de mapas:

vistador que, muitas vezes, usa um gravador ou um roteiro

Mapa dos Visíveis

s dados (F) e apresentação e divulgação dos

Encontro.

Ex.: museu, teatro e biblioteca.

Novo olhar para possibilidades pedagógicas inusitadas.

Mapa dos Invisíveis

MANUAL DO EDUCADOR

Recursos facilmente percebidos como educativos.

Módulo 2 - Pesquisa

Ex.: praça abandonada que pode ser recuperada, aposentado que se transforma em contador de histórias etc.

43


Porém, antes de sair fazendo perguntas para a comunidade, é importante criar um mapa com todos os recursos existentes no local. Ele pode ser desenhado numa cartolina e não precisa conter todas as ruas daquele território. A ideia é fazer com que os jovens se lembrem de tudo o que é visível e mais próximo do seu dia a dia, além do que é invisível e pouco percebido no cotidiano.

Após o levantamento das possibilidades da comunida

exemplo, colocar um ponto amarelo demarcando a cas contador de história. Em seguida, fazer uma legenda

Nota para o Educador de Agentes Jovens

Perceba que todo o processo de pesquisa é bastante

a língua portuguesa, ao escreverem os questioná

a geografia, quando estabelecem os limites geog

Exemplos de mapeamentos da comunidade feito por Agentes Jovens.

a matemática ao trabalharem com porcentagem tabuladas, processo que será feito na análise de da

noções de informática, aprendendo a mexer em p ou fazer a tabulação Um exercício bacana é propor que os estudantes: 1

Fechem os olhos e lembrem-se de tudo e todos que encontram no caminho entre suas casas e a escola. Aqui vale pensar em tudo: no pipoqueiro, no tio da papelaria, entre outros.

Ao finalizar esse processo de pesquisa e mapeam 2

3

Em seguida, fazer uma lista com todos os lugares e pessoas levantados no exercício anterior, pois eles serão “mapeados”, isto é, abordados pelos alunos para que se descubra como esses “potenciais educativos” podem contribuir com a escola.

de dados do material obtido, a divulgação das inf

constatações em ações! Todas essas etapas serão e

Montar um questionário com o que se quer descobrir. Exemplo: você conhece a escola? Como você acredita que poderia contribuir com ela?

Ir para a rua e começar a gerar a aproximação com as organizações, comércio, pessoas interessantes, entre outros.

44

Módulo 2 - Pesquisa

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 2 - Pesquisa


todas as ruas daquele território.

vel e mais próximo do seu dia a dia, além do que é invisível

Após o levantamento das possibilidades da comunidade, os jovens devem localizá-las no mapa. Por exemplo, colocar um ponto amarelo demarcando a casa do senhor aposentado que se ofereceu a ser contador de história. Em seguida, fazer uma legenda para este e os demais pontos marcados no mapa..

Nota para o Educador de Agentes Jovens

Perceba que todo o processo de pesquisa é bastante rico e multidisciplinar, visto que os jovens trabalham: a língua portuguesa, ao escreverem os questionários,

Módulo 2 - Pesquisa

ortante criar um mapa com todos os recursos existentes no

a geografia, quando estabelecem os limites geográficos durante o mapeamento no entorno da escola,

de feito por Agentes Jovens.

a matemática ao trabalharem com porcentagem e com a produção de gráficos com as informações tabuladas, processo que será feito na análise de dados, noções de informática, aprendendo a mexer em programas de computador para montar os questionários ou fazer a tabulação

ue encontram no caminho entre suas casas e a o tio da papelaria, entre outros. Ao finalizar esse processo de pesquisa e mapeamento, os Agentes Jovens deverão fazer a análise

pessoas levantados no exercício anterior, pois os para que se descubra como esses “potenciais

de dados do material obtido, a divulgação das informações e o mais desafiador: transformar essas constatações em ações! Todas essas etapas serão estudadas no Módulo 3.

brir. Exemplo: você conhece a escola? Como você

rganizações, comércio, pessoas interessantes,

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 2 - Pesquisa

45


Na prática – 1 Encontro

1o Encontro – Roteiro de aplicação

o

Após a conclusão do curso a distância e da leitura da parte conceitual deste Manual, você já está apto a aplicar o Encontro com

Neste 1º Encontro, os Agente

os Agentes Jovens.

e serão convidados a embar

Objetivo Geral

Serão trabalhados conceito meio de dinâmicas lúdicas.

Organizando o Encontro

Interna e o Mapeamento da

Lista de Tarefas Pré-Encontro – Padrão para todos os Encontros Não deixe para a última hora a organização do Encontro. As etapas abaixo lhe ajudarão a se organizar.

Objetivo específico

Pelo menos 20 dias antes

Os jovens precisam sair d

pergunta: “por que os joven

deverão entender como faz

Encontro passo a passo

Solicitar um local para realizar o Encontro com os Agentes Jovens. Até 15 dias antes

Preparação

Checar com a Coordenação da escola qual o local reservado para a realização do Encontro; Divulgar para os Agentes Jovens o local e o horário.

Chegar à escola, pelo menos, 30 min antes do início do Enco

Distribua as cadeiras em formato de meia lua de maneira qu Confirme se há giz e apagador ou qualquer outro material q

Até 10 dias antes

Receba cada jovem cumprimentando-os, preferencialmente as presenças deles na lista de chamada que você preparou

Preparar os materiais necessários para as dinâmicas; Tirar eventuais dúvidas com o Moderador Virtual. Até 5 dias antes

Lembre-se de que, como esta não é uma precisa ser de descontração.

Fazer a confirmação de presença dos jovens, reforçando o horário e o local. Sugestão: enviar e-mail, torpedo telefônico, bilhetes e também falar pessoalmente com cada aluno. A Coordenação também pode colocar um cartaz no jornal mural ou anunciar na rádio da escola. Enfim, utilize sua criatividade para encontrar meios eficientes de comunicação com os jovens.

Início

No horário marcado (dar 10 minutos de tolerância) inicie o

46

Na prática – 1o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática – 1o Encontro


Neste 1º Encontro, os Agentes Jovens serão apresentados ao país fictício do Evadistão

al deste Manual, você já está apto a aplicar o Encontro com

e serão convidados a embarcar nessa viagem, como cidadãos evadistaneses.

Objetivo Geral

Serão trabalhados conceitos de mobilização social, comunicação e pesquisa, por meio de dinâmicas lúdicas. Por fim, os jovens devem sair aptos a aplicar a Pesquisa Interna e o Mapeamento da Comunidade.

Encontros

As etapas abaixo lhe ajudarão a se organizar.

Objetivo específico

Os jovens precisam sair deste Encontro com a missão de responder à seguinte pergunta: “por que os jovens da nossa escola abandonam os estudos?”. Para isso eles deverão entender como fazer a pesquisa interna e o mapeamento da comunidade.

Encontro passo a passo

ntes Jovens.

Na prática – 1o Encontro

1o Encontro – Roteiro de aplicação

Preparação

rvado para a realização do Encontro;

Chegar à escola, pelo menos, 30 min antes do início do Encontro. Ir até a sala onde ele será realizado. Distribua as cadeiras em formato de meia lua de maneira que a visão do quadro-negro fique acessível a todos os alunos. Confirme se há giz e apagador ou qualquer outro material que seja necessário. Receba cada jovem cumprimentando-os, preferencialmente, pelo nome, agora que já os conhece. Aproveite e já assinale as presenças deles na lista de chamada que você preparou com antecedência.

Lembre-se de que, como esta não é uma aula, o clima precisa ser de descontração.

do o horário e o local.

também falar pessoalmente com cada aluno. A mural ou anunciar na rádio da escola. Enfim, utilize nicação com os jovens.

IMPORTANT E!!!

Início No horário marcado (dar 10 minutos de tolerância) inicie o Encontro dando boas-vindas aos jovens.

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática – 1o Encontro

47


Relembre rapidamente o que é o Programa Ensino Médio Inovador/Projeto Jovem de Futuro e qual o papel de cada um deles como Agente Jovem. Aproveite este momento e reforce com eles o compromisso com o projeto e com a responsabilidade que assumiram. Programa Ensino Médio Inovador/Projeto Jovem de Futuro: O Programa Ensino Médio Inovador/Projeto Jovem de Futuro – ProEMI/PJF - busca garantir que os jovens permaneçam na escola, tenham um bom desempenho e terminem o Ensino Médio.

Definir que tipo de perguntas que serão usadas n consideração qual resposta que se quer obter em abertas são usadas mais em pesquisas qualitativa

O Mapeamento da comunidade visa levantar dados so a contribuir com a escola. O objetivo é identificar os rec promovendo a sinergia entre a escola, os moradores do de parcerias.

Para fazer a aplicação da pesquisa, é preciso identificar: momento (cenário atual), se será anônima ou não.

Papel dos Agentes Jovens: Dar apoio a atividades e projetos da escola e mobilizar a comunidade em prol da melhoria do ambiente escolar. Portanto, ter interesse em participar e disponibilidade são fundamentais. Protagonistas do processo de mobilização da comunidade escolar e, por isso, precisam estar conscientes desse papel. Importantes para multiplicar o Programa Ensino Médio Inovador/Projeto Jovem de Futuro, identificar alunos com baixo desempenho e motivá-los a permanecer na escola.

Educador, neste Encontro, é fundam missão de responder

Por que os jovens da nossa e

Neste Encontro, além de apresentar a história do país fictício, você trabalhará com os jovens o conceito de mobilização

Viagem ao Evadistão

social. Portanto, use como base os conceitos teóricos trabalhados no Módulo 2 - Pesquisa do curso a distância.

Divida os jovens em grupos de modo que cada três grupos fique co

A mobilização ocorre quando um grupo de pessoas se une e age com um objetivo comum, buscando, no seu cotidiano, realizar ações que atinjam as metas acordadas por todos. A comunicação é uma ferramenta de mobilização. Ela tem o papel de dar apoio ao movimento que está sendo gerado. A pesquisa ajuda a legitimar a mobilização feita pelos Agentes Jovens, já que representa o pensamento de uma série de pessoas e não somente o de um grupo de representantes de sala.

Avise aos jovens que, a partir de agora, eles irão viajar para um embarcar na história.

DICA

Ao introduzir a história do Evadistão, us

o mais emocionante e envolvente poss

Esse momento é fundamental para que os jovens “com

Encontro. Mesmo assim, caso não se sinta seguro, a sugestã

48

Na prática – 1o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática – 1o Encontro


o:

turo – ProEMI/PJF - busca garantir que os jovens minem o Ensino Médio.

Definir que tipo de perguntas que serão usadas na pesquisa é muito importante, pois se deve levar em consideração qual resposta que se quer obter em relação a um assunto específico. Por isso, perguntas abertas são usadas mais em pesquisas qualitativas; e perguntas fechadas, e pesquisas quantitativas. O Mapeamento da comunidade visa levantar dados sobre a comunidade do entorno, que geralmente tem muito a contribuir com a escola. O objetivo é identificar os recursos e potenciais educativos que existem naquele espaço, promovendo a sinergia entre a escola, os moradores do bairro ou até mesmo as organizações e comércios por meio de parcerias. Para fazer a aplicação da pesquisa, é preciso identificar: como ela será aplicada (formato), quando (dia), em que momento (cenário atual), se será anônima ou não.

ar a comunidade em prol da melhoria do ambiente ade são fundamentais.

dade escolar e, por isso, precisam estar conscientes

dio Inovador/Projeto Jovem de Futuro, identificar r na escola.

abalhará com os jovens o conceito de mobilização

Educador, neste Encontro, é fundamental que os alunos saiam com a missão de responder à seguinte pergunta: Por que os jovens da nossa escola abandonam os estudos? Viagem ao Evadistão

no Módulo 2 - Pesquisa do curso a distância.

Divida os jovens em grupos de modo que cada três grupos fique com um tabuleiro. Procure formar grupos de três a cinco participantes.

ne e age com um objetivo comum, buscando, no seu por todos.

Avise aos jovens que, a partir de agora, eles irão viajar para um local bem distante e, por isso, deverão soltar a imaginação para

a tem o papel de dar apoio ao movimento que está

Agentes Jovens, já que representa o pensamento de epresentantes de sala.

Na prática – 1o Encontro

vador/Projeto Jovem de Futuro e qual o papel de cada orce com eles o compromisso com o projeto e com a

embarcar na história.

DICA

Ao introduzir a história do Evadistão, use sua entonação vocal e interpretação para torná-la o mais emocionante e envolvente possível.

Esse momento é fundamental para que os jovens “comprem” o enredo. Por isso, estude o texto em casa antes do Encontro. Mesmo assim, caso não se sinta seguro, a sugestão é compartilhar o texto com eles, numa roda de leitura.

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática – 1o Encontro

49


Texto Introdutório – Apresentação do Evadistão

Tabu

Jogo da M

Essa história e todos os nomes citados nela, seja de países, continentes ou pessoas, são fictícios. A história que se passa no Evadistão, embora inspirada em fatos históricos da humanidade, não corresponde a nenhuma ideologia política, sendo meramente ilustrativa. Lembre-se de que a real luta dos jovens é contra o abandono escolar.

Materiais necessários: Tabuleiro, moedas e mate Temas trabalhados: Mobilização Social.

Prepare-se, pois, agora, vocês se tornarão cidadãos do Evadistão, país localizado no

Objetivo: Trazer exemplos aos jovens de ações d

Continente Médio, cuja capital se chama Abandonatesh. Duração estimada: 50 minutos Governado por Evad II, conhecido como o Grande Líder, o Evadistão é considerado uma república não democrática há muitas décadas, desde que Evad I, pai do atual

A quantidade ideal de jovens por tabuleiro é d

Presidente, assumiu o poder nos anos 60. Desde então, a família Evad não convocou

de acordo com a quantidade de alunos particip

mais eleições populares e, consequentemente, nunca mais deixou o governo.

grupos, sendo que cada grupo será representad

peça que os grupos utilizem qualquer objeto com

Porém, nem todos estão “por fora” dessa realidade. No país, há um grupo de jovens com potencial mobilizador, que percebem que as coisas não vão

O Jogo da Mobilização acontece no circuito ext

muito bem por ali.

posicionar na casa de PARTIDA. Definida qual s

movimentar após o grupo jogar a moeda: semp

Diga aos alunos que eles representam esses jovens e que, por isso,

sair coroa anda-se duas casas. Para dinamizar o jo

eles podem criar um nome para o grupo e um grito de guerra. Dê

como dado (possibilitando somas de 2, 3 ou 4 cas

alguns minutos para que os jovens se organizem e apresentem o grito de guerra.

O jogo é autoexplicativo, porém é interessante q

Em seguida, pergunte aos alunos se eles sabem por que esses

jovens conhecerão um pouco mais sobre o que e

jovens do Evadistão são capazes de mobilizar e se sabem o que

feito para mobilizar a população, além das dificul

significa mobilização.

Explique que algumas casas do jogo somam pon Inicie, então, o Jogo da Mobilização do tabuleiro.

50

Na prática – 1o Encontro

apenas atribuirão pontos caso o grupo consiga re

Evad 11

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática – 1o Encontro


Tabuleiro Jogo da Mobilização

íses, continentes ou pessoas, são fictícios.

a em fatos históricos da humanidade, não

ramente ilustrativa. Lembre-se de que a real luta

Materiais necessários: Tabuleiro, moedas e materiais como borrachas e tampas de canetas. Temas trabalhados: Mobilização Social.

aís localizado no

Objetivo: Trazer exemplos aos jovens de ações de mobilização. Duração estimada: 50 minutos

o é considerado

d I, pai do atual

A quantidade ideal de jovens por tabuleiro é de 9 a 15, porém esse número pode ser adaptado

ad não convocou

de acordo com a quantidade de alunos participantes. Em cada tabuleiro deverá ser formado três

ou o governo.

Na prática – 1o Encontro

distão

grupos, sendo que cada grupo será representado por um peão no jogo da mobilização. Para isso, peça que os grupos utilizem qualquer objeto como uma tampa de caneta ou borracha.

m grupo de

as não vão

O Jogo da Mobilização acontece no circuito exterior de casas do tabuleiro e os peões devem se posicionar na casa de PARTIDA. Definida qual será a ordem de jogada, os peões só poderão se movimentar após o grupo jogar a moeda: sempre que sair cara, anda-se uma casa, e sempre que

so,

sair coroa anda-se duas casas. Para dinamizar o jogo, podem ser usadas 2 moedas simultaneamente,

como dado (possibilitando somas de 2, 3 ou 4 casas). O jogo é autoexplicativo, porém é interessante que você ressalte que, ao longo de suas jogadas, os jovens conhecerão um pouco mais sobre o que está acontecendo no Evadistão e o que está sendo feito para mobilizar a população, além das dificuldades que permeiam esse processo. Explique que algumas casas do jogo somam pontos, enquanto outras subtraem. Já algumas casas apenas atribuirão pontos caso o grupo consiga realizar o desafio proposto.

Evad 11

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática – 1o Encontro

51


Fale sobre a importância de se ter um “objetivo comum”. Ex Cada grupo deverá ler em voz alta a instrução escrita na sua casa e manter o seu saldo de pontos atualizado a cada jogada. Ganha o jogo o grupo que somar mais pontos e, em caso de empate, aquele que deu a volta no tabuleiro primeiro. Veja se algum grupo tem dúvidas quanto às regras do jogo e oriente-os a iniciar a partida. Circule para orientar, tirar dúvidas e atuar como “juiz” em caso de desacordo dos jovens quanto à realização ou não de um desafio.

comum, dificilmente chega a qualquer lugar. Um mobilizado

se elas não compartilharem um mesmo norte, não chegarã

qualquer organização humana, de um time de futebol a um grupo não tem clareza do seu objetivo, não o atingirá. Pondere que o jogo procura mostrar que, nesta viagem ao

estão tentando mobilizar a população para derrubar o tirano seja valorizada naquele país.

Por isso, é fundamental que você leia todas as casas do jogo quando estiver se preparando para o Encontro para não ser pego de surpresa por dúvidas dos jovens. Repare que a última casa do tabuleiro é um desafio pelo qual todos os grupos devem passar simultaneamente. Isso significa que, quando qualquer um dos peões alcançar esta casa, o jogo deve ser parado, as instruções lidas para todos os participantes e, em seguida, todos devem tentar resolver o desafio. Note que as instruções dessa casa não mencionam o tempo máximo para a conclusão do desafio. Você quem determina o tempo que será dado e avalia se algum grupo conseguiu chegar à resposta corretamente (a solução é apresentada na página 54).

Explore alguns exemplos que o jogo proporcionou so

A comunicação (cartaz, jornal, internet etc.) é uma

O uso de informações como pesquisas e estatístic

Buscar exemplos de liderança e formas de motivaç

Pontue que a tarefa de um mobilizador não é fácil. Convo Quando você encerrar o jogo, é interessante que você coloque a seguinte definição no quadro:

se engajar. Outras têm preconceitos em relação àqueles q

dificuldade de entender o objetivo das ações de mobilização

pessoas que fazem a mobilização perdem o ânimo e podem

“Mobilizar é convocar vontades em torno de um objetivo comum”.

O fato é que mobilizar exige, acima de tudo, capacidade e pensar de forma criativa.

Faça uma breve discussão com os jovens sobre o que eles entendem por “convocar vontades” e qual é a importância de se ter um “objetivo comum”. Questione os jovens se eles acham que “convocar vontades” envolve algum tipo de obrigatoriedade ou coerção. Explique que esse é um ato voluntário, tanto por parte de quem convoca quanto por parte de quem é mobilizado.

52

Na prática – 1o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR

Capacidade de se comunicar, trabalhar em são algumas das competências que serão t Valorize esta experiência como uma oportun

Na prática – 1o Encontro


a na sua casa e manter o seu saldo de pontos

que somar mais pontos e, em caso de empate,

comum, dificilmente chega a qualquer lugar. Um mobilizador pode até ser bem sucedido em convocar pessoas, porém se elas não compartilharem um mesmo norte, não chegarão ao destino que era pretendido. Diga que isso vale para qualquer organização humana, de um time de futebol a um grupo de jovens que querem mudar uma realidade. Se o grupo não tem clareza do seu objetivo, não o atingirá.

do jogo e oriente-os a iniciar a partida. Circule em caso de desacordo dos jovens quanto à

Pondere que o jogo procura mostrar que, nesta viagem ao Evadistão, todos os jovens tornam-se parte de grupos que estão tentando mobilizar a população para derrubar o tirano Evad II, restaurar a democracia e fazer com que a educação seja valorizada naquele país.

asas do jogo quando estiver se preparando

or dúvidas dos jovens.

esafio pelo qual todos os grupos devem ando qualquer um dos peões alcançar esta para todos os participantes e, em seguida,

Explore alguns exemplos que o jogo proporcionou sobre formas e ferramentas de mobilização: A comunicação (cartaz, jornal, internet etc.) é uma ferramenta importante.

Na prática – 1o Encontro

Fale sobre a importância de se ter um “objetivo comum”. Explique que se um grupo de pessoas não tem um objetivo

O uso de informações como pesquisas e estatísticas permite que se dê foco nas ações de mobilização.

o tempo máximo para a conclusão do desafio. a se algum grupo conseguiu chegar à resposta 4).

Buscar exemplos de liderança e formas de motivação também ajuda muito no processo de mobilização.

Pontue que a tarefa de um mobilizador não é fácil. Convocar vontades é difícil. Algumas pessoas têm preguiça de

guinte definição no quadro:

se engajar. Outras têm preconceitos em relação àqueles que tomam a frente para mobilizar. Finalmente outras têm dificuldade de entender o objetivo das ações de mobilização. Em resumo, o jogo também mostrou situações em que as pessoas que fazem a mobilização perdem o ânimo e podem colocar tudo a perder.

torno de um objetivo comum”.

O fato é que mobilizar exige, acima de tudo, capacidade de se comunicar, trabalhar em equipe, ter persistência e pensar de forma criativa.

m por “convocar vontades” e qual é a importância de se ter

ve algum tipo de obrigatoriedade ou coerção. Explique que

por parte de quem é mobilizado.

MANUAL DO EDUCADOR

Capacidade de se comunicar, trabalhar em equipe, ter persistência e pensar de forma criativa são algumas das competências que serão trabalhadas nos Agentes Jovens ao longo do ano. Valorize esta experiência como uma oportunidade de melhorar o currículo dos jovens.

Na prática – 1o Encontro

53


É importante que os jovens entendam que, antes de planeja

AT ENÇÃO

Conhecer a realidade para poder entender o problem comum e entender o que realmente é significativo.

Provavelmente, muitos terão dificuldade em resolver o último desafio do jogo, que testa a habilidade dos Agentes Jovens de pensar de forma criativa ou “fora da caixa”.

Buscar recursos para investir nos potenciais latentes m

Pergunte aos jovens quantos pensaram que o desenho dos nove pontos representava

A dinâmica que se sucede tem como objetivo exercitar nos

um quadrado ou uma “caixa”. Veja quanto se restringiram a traçar linhas apenas dentro

sobre potenciais latentes sejam internos ou dos arredores.

da “caixa”. Explique que o nosso cérebro nos impõe alguns limites que não existem na

Tabu

realidade. Ser Agente Jovem e mobilizar pessoas, tanto no Evadistão quanto na realidade da sua escola, vai exigir que eles pensem “fora da caixa”. Desenhe os 9 pontos no quadro e mostre a solução do desafio.

Jogo do ma Materiais necessários: Tabuleiros

Temas trabalhados: Noções geográficas e de criatividade, perspicácia.

Desafio final (todos fazem ao mesmo tempo):

Objetivo: Trabalhar com os jovens os conceitos d

Cada grupo deve unir todas os pontos com apenas 4 linhas retas,

Duração estimada: 40 minutos

sem tirar o lápis do papel!

Você irá propor que os jovens, divididos nos mes analisem três estudos de caso por tabuleiro (a deste Manual).

Voltar com o lápis sobre uma linha já traçada é considerado uma 2ª linha. 50 pontos e fim de jogo

Eles deverão avaliar as informações, procurar e importantes. Depois, deverão estudar o mapa do contidos nele e nos países vizinhos.

Finalize dizendo que eles representam os jovens mobilizadores do Evadistão e, dessa forma, está em suas mãos iniciar o processo de mudança neste país, superando a tirania de Evad II e trazendo a democracia e liberdade a todo povo evadistanês.

54

Na prática – 1o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR

Utilizando a criatividade, cada grupo deverá prop explorando os potenciais do Evadistão e dos país

Na prática – 1o Encontro


ÃO

Conhecer a realidade para poder entender o problema e buscar solucionar as causas. É preciso fugir do senso comum e entender o que realmente é significativo.

m resolver o último desafio do jogo, que

ensar de forma criativa ou “fora da caixa”.

Buscar recursos para investir nos potenciais latentes mais acessíveis para ajudar no esforço de mobilização.

o desenho dos nove pontos representava

A dinâmica que se sucede tem como objetivo exercitar nos jovens o estudo de informações e um olhar diferenciado

restringiram a traçar linhas apenas dentro

sobre potenciais latentes sejam internos ou dos arredores.

impõe alguns limites que não existem na

Tabuleiro

as, tanto no Evadistão quanto na realidade

a da caixa”. Desenhe os 9 pontos no quadro

Jogo do mapeamento

Na prática – 1o Encontro

É importante que os jovens entendam que, antes de planejar ações de mobilização e executá-las, é preciso:

Materiais necessários: Tabuleiros Temas trabalhados: Noções geográficas e de relação entre os países, trabalho em equipe, criatividade, perspicácia. Objetivo: Trabalhar com os jovens os conceitos de pesquisa e mapeamento da comunidade. Duração estimada: 40 minutos Você irá propor que os jovens, divididos nos mesmos grupos que jogaram o Jogo da Mobilização, analisem três estudos de caso por tabuleiro (as matrizes com os estudos de caso estão no final deste Manual). Eles deverão avaliar as informações, procurar entendê-las e apontar quais são os pontos mais importantes. Depois, deverão estudar o mapa do Evadistão (localizado no tabuleiro) os símbolos contidos nele e nos países vizinhos.

vadistão e, dessa forma, está em suas mãos iniciar o processo

democracia e liberdade a todo povo evadistanês.

MANUAL DO EDUCADOR

Utilizando a criatividade, cada grupo deverá propor o que faria para mudar a realidade do seu país, explorando os potenciais do Evadistão e dos países vizinhos.

Na prática – 1o Encontro

55


Eles devem imaginar que estas seriam suas ações

prioritárias, caso consigam tirar Evad II do poder.

Circule entre os grupos para ajudá-los a montar sua estratégia. Em princípio você pode aceitar qualquer ideia dos jovens. Não se prenda muito pela questão de viabilidade.

Descober ta do movimento

A Agência de Investigação do Governo descobriu o movim estava acontecendo. Furioso, ele decide fechar o cerco.

Para conseguirem seguir com as ideias de mudanças, os jove a mensagem seja compreendida por Evad II e seu exército. A

Dinâmica de c

É claro que o esperado é que os jovens enxerguem elementos que estão no mapa e procurem usá-los. Dessa forma, veja que o Estudo de Caso 1 pode se valer da construção de hidrelétricas junto aos rios do Evadistão, assim como parcerias de fornecimento de energia de países vizinhos. No Estudo de Caso 2, espera-se que os jovens sugiram parcerias com a rede hoteleira dos países vizinhos, além da conexão com a infraestrutura de transporte desses países. Já no Estudo de Caso 3, tanto a busca de importações de países vizinhos quanto à conexão das regiões produtoras do Norte com o Sul por meio de transporte de alimentos são esperados. Quando todos os grupos tiverem planejado suas ações, peça a eles que leiam seus casos e as soluções encontradas.

Materiais necessários: Cópia do cartão de instr Folha de Códigos, vários papéis cortados em peque

Faça comentários e promova debates entre os alunos sempre que pertinente.

Temas trabalhados: Comunicação verbal, não ve

Conclua essa atividade observando que, como Agentes Jovens de suas escolas eles deverão pesquisar o fenômeno do abandono escolar. Essa pesquisa servirá de base para que planejem ações posteriormente. Além de uma pesquisa junto a alunos da escola, eles deverão mapear a vizinhança para destacar na comunidade escolar potenciais de aprendizagem visíveis e invisíveis. Eles poderão, inclusive, estabelecer parcerias com a comunidade a fim de combater o abandono.

Objetivo: Mostrar aos jovens os diversos tipos iniciar e conduzir um processo de mobilização.

Voltando para o cenário do Evadistão, relembre aos jovens que agora que eles têm ações definidas, para mobilizar os demais cidadãos, é preciso comunicar. Porém, no caso dos cidadãos evadistaneses, a comunicação é controlada pelo governo. Dessa forma, o obstáculo deles é ainda maior, pois não podem contar com os meios tradicionais de comunicação de massa.

Educador, agora é o momento de mostrar aos jovens a

impor tância da comunicação como ferramenta de mobilização.

56

Mensagem

Na prática – 1o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR

Duração estimada: 50 minutos

Todos os alunos formarão um grande grupo, que dinâmica, eles precisarão atingir 50 pontos. Essa p de passar a mensagem secreta para todos os cidad eles precisarão superar as 3 etapas de comunic tempo, conforme descrito abaixo: Pontuação mensagem Se, ao final, a mensagem estiver:

exatamente igual à original - ganha 20 pontos

Na prática – 1o Encontro


rar Evad II do poder.

gia. Em princípio você pode aceitar qualquer ideia dos

Descober ta do movimento A Agência de Investigação do Governo descobriu o movimento iniciado pelos jovens e informou Evad II sobre o que estava acontecendo. Furioso, ele decide fechar o cerco. Para conseguirem seguir com as ideias de mudanças, os jovens precisarão criar uma maneira de se comunicar sem que a mensagem seja compreendida por Evad II e seu exército. A única saída será criar mensagens secretas.

Dinâmica de comunicação:

s que estão no mapa e procurem usá-los. Dessa forma, e hidrelétricas junto aos rios do Evadistão, assim como o Estudo de Caso 2, espera-se que os jovens sugiram nexão com a infraestrutura de transporte desses países. íses vizinhos quanto à conexão das regiões produtoras esperados.

a eles que leiam seus casos e as soluções encontradas.

Mensagem secreta

Materiais necessários: Cópia do cartão de instruções para o Aluno A, cópias das frases, cópias da Folha de Códigos, vários papéis cortados em pequenos quadrados ou retângulos, canetas, cronômetro.

Na prática – 1o Encontro

s seriam suas ações

Temas trabalhados: Comunicação verbal, não verbal e escrita.

que pertinente.

ns de suas escolas eles deverão pesquisar o fenômeno planejem ações posteriormente. Além de uma pesquisa para destacar na comunidade escolar potenciais de belecer parcerias com a comunidade a fim de combater

ora que eles têm ações definidas, para mobilizar os demais istaneses, a comunicação é controlada pelo governo. Dessa m os meios tradicionais de comunicação de massa.

de mostrar aos jovens a

o ferramenta de mobilização.

MANUAL DO EDUCADOR

Objetivo: Mostrar aos jovens os diversos tipos de comunicação e como ela é fundamental para iniciar e conduzir um processo de mobilização. Duração estimada: 50 minutos Todos os alunos formarão um grande grupo, que começará a atividade com 30 pontos. Ao final da dinâmica, eles precisarão atingir 50 pontos. Essa pontuação significa que eles cumpriram o objetivo de passar a mensagem secreta para todos os cidadãos evadistaneses. Porém, para atingir esse placar, eles precisarão superar as 3 etapas de comunicação e contabilizar pontos de mensagem e de tempo, conforme descrito abaixo: Pontuação mensagem Se, ao final, a mensagem estiver: exatamente igual à original - ganha 20 pontos.

Na prática – 1o Encontro

57


correta, mesmo com algumas palavras diferentes – ganha 10 pontos. muito diferente - perde 20 pontos.

Grupo 1

O primeiro grupo, formado por 5 alunos, dev que cada letra representa a posição de um a

Pontuação tempo Se os alunos cumprirem a tarefa em até: 20 minutos – ganha 20 pontos. 30 minutos – ganha 10 pontos.

C

40 minutos – não pontua. 50 minutos – perde 10 pontos.

Cada aluno de cada fileira receberá um pap Apenas o aluno A saberá qual o objetivo d formar uma mensagem secreta. Frases e ca alunos você encontra nas matrizes, ao final

55 minutos – perde 20 pontos. 60 minutos – perde 30 pontos. Inicie a dinâmica dividindo os alunos em 3 grupos (Grupo 1, 2 e 3, respectivamente). Informe a eles sobre as regras de pontuação e diga que, para conquistar os pontos

Os demais alunos apenas saberão as regr comunicações com a fila da frente ou a de proibidos de se olhar ou de conversar entr

necessários e atingir os objetivos, cada grupo deverá cumprir sua parte da melhor maneira possível, já que ela interferirá no resultado final do grande grupo. Cientes do objetivo geral de pontuação e do trabalho em equipe, explique a tarefa de cada um dos grupos (1, 2 e 3). Deixe claro que as tarefas são sequenciais e somente a boa execução da tarefa do Grupo 1 tornará viável a execução do Grupo 2 e assim, sucessivamente.

58

Na prática – 1o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR

Para fazer a troca de mensagens, eles só po levantando o dedo sempre que necessitar aluno com quem querem falar (esse detalh composta por 3 alunos).

Ao final do processo, o aluno A deverá mon repassá-la ao Grupo 2, conforme descrito n

Na prática – 1o Encontro


Grupo 1 O primeiro grupo, formado por 5 alunos, deverá ser distribuído conforme a figura abaixo, sendo que cada letra representa a posição de um aluno.

A B C D E

Na prática – 1o Encontro

es – ganha 10 pontos.

Cada aluno de cada fileira receberá um papel com uma frase escrita sem saber o que significa. Apenas o aluno A saberá qual o objetivo do jogo, que é juntar a 3ª palavra de cada frase para formar uma mensagem secreta. Frases e cartão com instruções do jogo para distribuir aos alunos você encontra nas matrizes, ao final do manual.

upos (Grupo 1, 2 e 3, respectivamente). e diga que, para conquistar os pontos

Os demais alunos apenas saberão as regras do jogo que são: só são permitidas as comunicações com a fila da frente ou a de trás, por meio de bilhetes, sendo que estão proibidos de se olhar ou de conversar entre si.

o deverá cumprir sua parte da melhor

ltado final do grande grupo. trabalho em equipe, explique a tarefa aro que as tarefas são sequenciais e 1 tornará viável a execução do Grupo

MANUAL DO EDUCADOR

Para fazer a troca de mensagens, eles só poderão se comunicar com você, Educador, levantando o dedo sempre que necessitar passar o bilhete, o qual deverá constar o nome do aluno com quem querem falar (esse detalhe é fundamental especialmente para a 3ª fileira, composta por 3 alunos). Ao final do processo, o aluno A deverá montar uma mensagem com as palavras recebidas e repassá-la ao Grupo 2, conforme descrito na sequência.

Na prática – 1o Encontro

59


Faça a contagem de pontos com os alunos e veja s

Grupo 2 Com o Grupo 2 posicionado em fila, o aluno A, do Grupo 1, passará a mensagem secreta ao 1º aluno da fila do Grupo 2, que deverá repassá-la seguindo a tradicional dinâmica do telefone sem fio. Desta forma, o aluno que recebeu a mensagem do Grupo 1 deverá cochichá-la no ouvido do colega ao lado. A mensagem só pode ser passada uma vez, sem repetição, até chegar ao último aluno da fila, que deverá escrever em um papel o que entendeu. Este último aluno deverá transformar a mensagem em códigos, seguindo a Folha de Códigos que terá em mãos em matrizes, ao final do Manual.

Grupo 3

Estimule uma reflexão sobre os motivos que acarretar Explore as dificuldades do processo de comunicação de expressão oral e de forma não-verbal como foi sim

Observação: Educador, essa dinâmica, da maneira em q ser executada. Caso seu grupo de Agentes Jovens seja m compõem o Grupo 1,podem também fazer o telefone sem a mensagem secreta.

Caso sobre algum tempo no Encontro e você julgar interes Evadistão. Ela é interessante, pois ajuda a fortalecer a identid servir como uma espécie de caderno de registros das ações

Dinâm

Com a mensagem codificada, o aluno do Grupo 2 deverá repassar a mensagem ao Grupo 3, que também terá uma Folha de Códigos para viabilizar a interpretação da mensagem.

Passapor te d

O Grupo 3 designará um aluno que irá interagir com o representante do Grupo 2, enquanto o restante do Grupo 3 tenta descobrir o que está sendo dito, consultando a Folha de Códigos. Detalhe: Enquanto passa os códigos, o aluno do Grupo 2 precisa criar uma conversa com o aluno do Grupo 3 que estará interagindo com ele, pois há câmeras do exército de Evad II espalhadas pelas ruas.

Temas trabalhados: Trabalho em equipe e criativ

Ao final, o Grupo 3 deverá dizer, em voz alta, para todos os alunos, qual mensagem recebeu.

Objetivo: Fortalecer a identificação dos jovens co

Finalização da dinâmica

Duração estimada: 50 minutos

O aluno A do Grupo 1, que formou a mensagem secreta, deve mostrar o papel em que anotou a mensagem e checar se a versão final está correta.

60

Materiais necessários: papel, cola, tesoura, cane qualquer material que possa ser usado pelos joven

Na prática – 1o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR

Diga que, para serem cidadãos evadistaneses, garantam sua cidadania. Além disso, nesse passapo escrevendo os pontos que acharam mais interessa

Na prática – 1o Encontro


, do Grupo 1, passará a mensagem secreta assá-la seguindo a tradicional dinâmica do

do Grupo 1 deverá cochichá-la no ouvido do uma vez, sem repetição, até chegar ao último que entendeu. em códigos, seguindo a Folha de Códigos que

Estimule uma reflexão sobre os motivos que acarretaram aquele resultado e o que poderia ser melhorado. Explore as dificuldades do processo de comunicação quando feito exclusivamente por escrito, por meio de expressão oral e de forma não-verbal como foi simulado nas três fases da dinâmica. Observação: Educador, essa dinâmica, da maneira em que foi descrita, necessita de, pelo menos 10 alunos para ser executada. Caso seu grupo de Agentes Jovens seja menor, você pode adaptá-la. Por exemplo, os alunos que compõem o Grupo 1,podem também fazer o telefone sem fio do Grupo 2,afinal,apenas um aluno do Grupo 1 saberá a mensagem secreta.

Caso sobre algum tempo no Encontro e você julgar interessante, aplique a dinâmica de confecção do passaporte do Evadistão. Ela é interessante, pois ajuda a fortalecer a identidade dos jovens com o país. Além disso, o passaporte pode servir como uma espécie de caderno de registros das ações de cada aluno.

Dinâmica

deverá repassar a mensagem ao Grupo 3, que a interpretação da mensagem.

Passapor te do Evadistão

com o representante do Grupo 2, enquanto o ndo dito, consultando a Folha de Códigos.

rupo 2 precisa criar uma conversa com o aluno há câmeras do exército de Evad II espalhadas

Na prática – 1o Encontro

Faça a contagem de pontos com os alunos e veja se eles conseguiram atingir seu objetivo.

Materiais necessários: papel, cola, tesoura, canetas esferográficas, revistas velhas; enfim, todo e qualquer material que possa ser usado pelos jovens para a construção do passaporte do Evadistão. Temas trabalhados: Trabalho em equipe e criatividade.

odos os alunos, qual mensagem recebeu.

Objetivo: Fortalecer a identificação dos jovens com o país fictício do Evadistão. Duração estimada: 50 minutos

ecreta, deve mostrar o papel em que anotou a

MANUAL DO EDUCADOR

Diga que, para serem cidadãos evadistaneses, eles precisarão de passaportes individuais que garantam sua cidadania. Além disso, nesse passaporte, eles poderão fazer os registros dos Encontros, escrevendo os pontos que acharam mais interessantes, ideias para as ações, entre outros.

Na prática – 1o Encontro

61


Sugerimos que ele seja feito com base numa folha A4 dobrada ao meio. Embora o passaporte seja individual e cada um possa criar o seu, o ideal é fazer uma “chuva de ideias” com os jovens para decidir coletivamente qual será a bandeira do país, a cor do passaporte e as informações que precisam constar nele. Seria bacana levar aos jovens modelos de passaportes para que eles possam usar como referência. Essas referências podem ser encontradas na Internet.

Montem um questionário em conjunto, definam o tamanho final desse processo.

Também oriente os Agentes Jovens sobre o processo de ma

Em primeiro lugar, defina uma região. Por exemplo, um raio extensão deve ser ponderada de acordo com a localização d

Feito isso, os Agentes Jovens deverão percorrer a região det de aprendizagem e parcerias, que tornariam a escola mais

Caso você opte por fazer esta dinâmica, recolha os passaportes ao final do Encontro e leve-os sempre no Encontro seguinte. Dessa maneira, evitam-se esquecimentos por parte dos jovens. Agora que você finalizou todas as atividades do 1º Encontro, está na hora de fazer a relação com a viagem ao Evadistão e a realidade de sua escola. Explique que, assim como no país fictício do Evadistão, a partir de hoje, eles assumem uma grande responsabilidade na vida real, afinal, um Agente Jovem é agente de mobilização que trabalha em prol da melhoria do ambiente escolar, dá apoio a atividades e projetos da escola.

estão visíveis quanto as invisíveis.

Um exemplo de um visível seria o de uma empresa qu palestra. E de um invisível seria uma praça em que se música, por exemplo.

Pactuadas as ações que devem ser feitas para o próximo Enc de alinhamento com o grupo. Assim você conseguirá orient

Resumo do 1o Encontro

Se no Evadistão os jovens têm o papel de mobilizar a sociedade para acabar com a tirania de Evad II, na vida real, os Agentes Jovens têm o objetivo de mobilizar a comunidade escolar para mostrar que estudar vale a pena e que os alunos devem concluir o Ensino Médio. Para que possam atingir esse objetivo, uma das ferramentas mais poderosas ao seu alcance é a comunicação. É por meio deste recurso que os Agentes Jovens conscientizarão a comunidade escolar.

I - Introdução

1

Dê boas-vindas aos Agent

2

Relembre o motivo que re reunião de Agentes Joven

O que é o Ensino Médi Só que para isso, os Agentes Jovens precisam primeiro entender como o fenômeno do abandono escolar acontece na sua escola. Você vai orientá-los em um processo de pesquisa que tem como principal objetivo responder a seguinte pergunta:

Por que os jovens da nossa escola abandonam os estudos? Você poderá definir junto com eles que tipo de pesquisa vocês realizarão. Pode ser uma pesquisa de caráter qualitativo (com perguntas abertas), ou de caráter quantitativo (com perguntas fechadas). Na Biblioteca do Portal do Instituto Unibanco há modelos de questionários com perguntas abertas e fechadas.

62

Na prática – 1o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR

Papel e responsabilida

11 - Conhecendo o Evadistão

Na prática – 1o Encontro

1

Divida os alunos em grupo fictício – Evadistão - fazend

2

Inicie o Jogo de Tabuleiro


m possa criar o seu, o ideal é fazer uma “chuva de e qual será a bandeira do país, a cor do passaporte

Montem um questionário em conjunto, definam o tamanho da amostra, o procedimento de coleta de dados e o prazo final desse processo. Também oriente os Agentes Jovens sobre o processo de mapeamento. Em primeiro lugar, defina uma região. Por exemplo, um raio de 3 quadras em torno da escola. Muito cuidado, pois essa extensão deve ser ponderada de acordo com a localização da escola, evitando expor os jovens a riscos.

portes para que eles possam usar como referência. rnet.

Feito isso, os Agentes Jovens deverão percorrer a região determinada para o mapeamento a procura de oportunidades de aprendizagem e parcerias, que tornariam a escola mais atraente. O objetivo é mapear tanto aquelas coisas que

rtes ao final do Encontro e leve-os sempre no Encontro dos jovens.

estão visíveis quanto as invisíveis.

stá na hora de fazer a relação com a viagem ao Evadistão

Um exemplo de um visível seria o de uma empresa que é vizinha da escola e aceita grupos para visitação e palestra. E de um invisível seria uma praça em que se reúnem pessoas para cultivar questões culturais como música, por exemplo.

tir de hoje, eles assumem uma grande responsabilidade

Pactuadas as ações que devem ser feitas para o próximo Encontro, aproveite e sugira uma data para uma breve reunião de alinhamento com o grupo. Assim você conseguirá orientá-los e motivá-los para seguirem com as ações.

ação que trabalha em prol da melhoria do ambiente

Resumo do 1o Encontro

ade para acabar com a tirania de Evad II, na vida real, os escolar para mostrar que estudar vale a pena e que os

mais poderosas ao seu alcance é a comunicação. É por comunidade escolar.

Na prática – 1o Encontro

ha A4 dobrada ao meio.

I - Introdução

1

Dê boas-vindas aos Agentes Jovens.

2

Relembre o motivo que reúne todos ali, repassando pontos importantes vistos na reunião de Agentes Jovens, como: O que é o Ensino Médio Inovador/Projeto Jovem de Futuro;

nder como o fenômeno do abandono escolar acontece esquisa que tem como principal objetivo responder a

andonam os estudos?

s realizarão. Pode ser uma pesquisa de caráter qualitativo erguntas fechadas). Na Biblioteca do Portal do Instituto as e fechadas.

MANUAL DO EDUCADOR

Papel e responsabilidades dos Agentes Jovens.

11 - Conhecendo o Evadistão

Na prática – 1o Encontro

1

Divida os alunos em grupos e distribua os tabuleiros. Em seguida, apresente o país fictício – Evadistão - fazendo a leitura do texto.

2

Inicie o Jogo de Tabuleiro – Jogo da Mobilização.

63


3

O próximo passo é o Jogo de Tabuleiro – Mapeamento.

4

Siga com o texto do Evadistão e proponha a Dinâmica de Comunicação – Mensagem Secreta

5

Faça o fechamento relacionando a realidade do Evadistão, de acordo com o que foi visto no jogo de tabuleiro e na dinâmica do Evadistão, com a realidade dos jovens na escola e as próximas ações do grupo.

1

III – Conhecendo

O que é cada um desses itens;

a realidade da escola

Explicação sobre Pesquisa Interna e Mapeamento da Comunidade.

Diferença dos tipos de pesquisa (quantitativa e qualitativa). 2

Início da estruturação de uma estratégia de pesquisa.

3

Agende a próxima reunião com os jovens.

perguntas que devem constar no questionário. Caso reunião, o grupo deve se encontrar uma segunda vez.

Dessas pequenas reuniões iniciais, o grupo deve decid a aplicação das pesquisas. Para isso, é importante que Grupo Gestor Escolar e todos aqueles que puderem pesquisa em todos os meios de comunicação que esti entre outros.

Para otimizar a aplicação da pesquisa, a sugestão é um grupo aplica a pesquisa interna na escola e o o entorno. Vale convidar outros alunos para que eles a maior a quantidade de informações levantadas.

Com os questionários respondidos, é interessante que como foi a pesquisa e o mapeamento. Mesmo ainda noção de como os alunos e a comunidade receberam questões foram levantadas.

Os questionários devem ser organizados para que para guardá-los.

Ações entre Encontros com os Agentes Jovens

A forma como as informações devem ser tabuladas e discutidas com os jovens no 2º Encontro. Porém, cas antes do próximo Encontro, você pode lhes dar algum informação contida nesse Manual.

Após o primeiro Encontro é fundamental que os Agentes Jovens não se desmobilizem. Por isso, é importante que vocês se reúnam constantemente, garantindo, assim, que as ações sejam realizadas. A reunião que acontece logo após o 1º Encontro deve ser feita para definir como se dará a pesquisa interna na escola e o mapeamento de potenciais educativos na comunidade. É nesse momento que o grupo deve decidir o que quer identificar, como e quando, além de estruturar estratégias de como abordar os outros alunos e a comunidade. O ideal é que o grupo também discuta sobre quais são as

64

Na prática – 1o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática – 1o Encontro


mica de Comunicação – Mensagem Secreta

do Evadistão, de acordo com o que foi visto ão, com a realidade dos jovens na escola e as

erna e Mapeamento da Comunidade.

ens;

squisa (quantitativa e qualitativa).

a estratégia de pesquisa.

m os jovens.

perguntas que devem constar no questionário. Caso não seja possível tratar de todos estes temas nessa reunião, o grupo deve se encontrar uma segunda vez. Dessas pequenas reuniões iniciais, o grupo deve decidir como conseguirá ajuda da comunidade escolar para a aplicação das pesquisas. Para isso, é importante que acessem o Grêmio Estudantil, a associação de pais, o Grupo Gestor Escolar e todos aqueles que puderem ajudar. Além disso, precisam divulgar a realização da pesquisa em todos os meios de comunicação que estiverem disponíveis na escola, como jornal mural, rádio, entre outros. Para otimizar a aplicação da pesquisa, a sugestão é que o grupo de Agentes Jovens divida-se em dois: um grupo aplica a pesquisa interna na escola e o outro dá conta do mapeamento na comunidade do entorno. Vale convidar outros alunos para que eles ajudem os Agentes Jovens. Afinal, quanto mais ajuda, maior a quantidade de informações levantadas. Com os questionários respondidos, é interessante que os dois grupos se reúnam e troquem impressões de como foi a pesquisa e o mapeamento. Mesmo ainda sem ter tabulado os resultados, já é possível ter uma noção de como os alunos e a comunidade receberam a ideia de responder a um questionário e que tipo de questões foram levantadas.

Na prática – 1o Encontro

eamento.

Os questionários devem ser organizados para que as informações não se percam. Eleja uma pessoa para guardá-los.

os Agentes Jovens

A forma como as informações devem ser tabuladas e analisadas serão abordadas no Módulo 3 para serem discutidas com os jovens no 2º Encontro. Porém, caso os Agentes Jovens queiram avançar nessa questão antes do próximo Encontro, você pode lhes dar algumas orientações de como realizar essa etapa seguindo a informação contida nesse Manual.

gentes Jovens não se desmobilizem. Por isso, é antindo, assim, que as ações sejam realizadas.

ve ser feita para definir como se dará a pesquisa ucativos na comunidade. É nesse momento que quando, além de estruturar estratégias de como que o grupo também discuta sobre quais são as

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática – 1o Encontro

65


Módulo 3 – Planejamento

É a partir daí que entra a análise de dados. Você sabe o que

*Caso você seja um professor substituto e tenha iniciado a Capacitação neste Módulo, sugerimos que leia todos

É por meio dessa análise que é possível transformar uma séri

os anteriores para melhor assimilação do conteúdo. De certa forma, é como se os resultados obtidos durante a

Neste Módulo você aprenderá:

acessível a todos os interessados. Este é um momento de grande descoberta dos jovens, que podem fazer para transformá-la.

Como a análise de dados transforma a pesquisa em informação; No Módulo em que falamos de Pesquisa, vimos que a escolha

A importância da transparência na comunicação;

enfoque que daremos, seja ele qualitativo ou quantitativo.

Como elaborar uma Proposta de Ação;

Portanto, enfoques diferentes necessitam de formas distintas d

As diretrizes temáticas levantadas no Fórum Nacional de Agentes Jovens.

No Módulo anterior, entendemos o conceito de mobilização social, a importância da pesquisa para coleta de dados e como a comunicação é uma ferramenta mobilizadora para trabalharmos esses temas com os jovens no 1º Encontro.

Qualitativo:

perguntas abertas

Ex.: Na sua opinião, como as a Resposta: ........

Ao final desse Encontro, os Agentes Jovens receberam a tarefa de realizar uma pesquisa interna e o mapeamento da comunidade para descobrir quais são os problemas da escola. Agora, para o próximo Encontro, eles já terão reunido diversos dados para apresentar a você. É aí que deve surgir a dúvida: Agora que o grupo tem os dados em mãos, o que fazer com eles?

Quantitativo:

A resposta é organizá-los em tabelas e gráficos, fazendo o que chamamos de tabulação!

perguntas fechadas

A tabulação geralmente é feita de forma manual ou no computador, utilizando planilhas.

66

Módulo 3 – Planejamento

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 3 – Planejamento

Ex.: Você gosta da forma como ( ) sim ( ) não


pacitação neste Módulo, sugerimos que leia todos

É por meio dessa análise que é possível transformar uma série de dados brutos em informação. De certa forma, é como se os resultados obtidos durante a pesquisa fossem traduzidos e transformados em conteúdo acessível a todos os interessados. Este é um momento de grande descoberta dos jovens, que conseguem visualizar a real situação da escola e o que eles podem fazer para transformá-la.

ão; No Módulo em que falamos de Pesquisa, vimos que a escolha dos tipos de perguntas usadas nos questionários determina o enfoque que daremos, seja ele qualitativo ou quantitativo. Portanto, enfoques diferentes necessitam de formas distintas de análise de dados.

ntes Jovens.

a importância da pesquisa para coleta de dados e como a

temas com os jovens no 1º Encontro.

Qualitativo:

perguntas abertas

Módulo 3 – Planejamento

É a partir daí que entra a análise de dados. Você sabe o que é isso?

Ex.: Na sua opinião, como as aulas poderiam ser mais interessantes? Resposta: ........

r uma pesquisa interna e o mapeamento da comunidade para

ra apresentar a você. É aí que deve surgir a dúvida:

Quantitativo:

mamos de tabulação!

perguntas fechadas

Ex.: Você gosta da forma como as aulas são dadas? ( ) sim ( ) não

lizando planilhas.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 3 – Planejamento

67

Após o levantamento das possibilidades da

colocar um ponto amarelo demarcando a ca

história. Em seguida, fazer uma legenda pa


Veja a diferença entre as etapas de análise de dados qualitativos e quantitativos:

A análise de dados quantitativa é bem simples de

para cada pergunta deve ser transformada em porce

Imagine se numa pesquisa aplicada em uma amo

Dados Qualitativos 1

15 par ticipantes responderam A;

Descrever a amostra populacional. Ex.: como é composto o grupo, citando faixa etária, sexo, entre outros.

2

Neste caso, a interpretação dos dados deverá ser Em relação à 1ª pergunta, 35% dos participantes

30% que acreditam ser B. Além disso, 20% atribu

Organizar os comentários/respostas em categorias similares. Ex.: preocupações, sugestões, pontos fortes e fracos, etc.

3

Identificar padrões, tendências, relações bem como associações de causa e efeito.

Já os dados qualitativos requerem uma análise mais de seguir, como fazer essa análise!

Ler as respostas de todos os entrevis

Ia Etapa

Dados Quantitativos 1

Organizar os dados, dando uma ordem lógica a eles colocando todos os elementos da amostra e as variáveis em estudo numa tabela.

2

Classificar as respostas dos entrevista

2a Etapa

Ex.: discriminar idade e sexo de cada participante em uma planilha.

Ex.: Primeiro as respostas da pergunta

Resposta entrevistado 1:

Agrupar e resumir os dados, transformando as informações em porcentagens.

“...acho que os aluno

necessidade de trab Classificação:

Problemas Financeir

68

Módulo 3 – Planejamento

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 3 – Planejamento


A análise de dados quantitativa é bem simples de ser feita, pois as respostas dos participantes para cada pergunta deve ser transformada em porcentagem. Imagine se numa pesquisa aplicada em uma amostra de 100 pessoas na escola:

15 par ticipantes responderam A;

tária, sexo, entre outros.

30, B;

20, C;

35, D.

Neste caso, a interpretação dos dados deverá ser feita por porcentagem (%), como abaixo: Em relação à 1ª pergunta, 35% dos participantes elegeram D como fator principal, seguido por 30% que acreditam ser B. Além disso, 20% atribuíram a C e, 15%, a A.

orias similares.

racos, etc.

como associações de causa e efeito.

Módulo 3 – Planejamento

e quantitativos:

Já os dados qualitativos requerem uma análise mais detalhada, visto que não são objetivos. Acompanhe, a seguir, como fazer essa análise!

Ler as respostas de todos os entrevistados, pergunta por pergunta.

Ia Etapa

eles colocando todos os elementos da

Classificar as respostas dos entrevistados de acordo com o tema, conforme exemplo abaixo.

2a Etapa

e em uma planilha.

Ex.: Primeiro as respostas da pergunta 1 de todos, depois as respostas da 2 e, assim por diante.

Resposta entrevistado 1:

nformações em porcentagens.

“...acho que os alunos abandonam a escola devido à necessidade de trabalhar para ajudar a família...” Classificação: Problemas Financeiros

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 3 – Planejamento

Classificação: Família

69


Todo bom jornalista sabe que precisa responder a algumas da maneira mais assertiva possível ao seu público.

Resposta entrevistado 2:

Por isso, para que os Agentes Jovens também obtenham re

“...penso que a principal causa da evasão escolar é

respondam as perguntas abaixo:

a atual situação econômica dos lares...” Classificação: Problemas Financeiros

Classificação: Família

Quem precisa da informação? O que precisa ser informado?

Uma vez feita a categorização das respostas e analisada a frequência com que as categorias aparecem, escrever parágrafos de interpretação de dados para cada pergunta.

Quem passará a informação?

Com que frequência (periodicidade) será transm Como (canal/veículo) será transmitida?

Exemplo:

3a Etapa

“Alguns entrevistados apontaram fatores financeiros como os

Se for em meio físico (cartaz, faixa, panfleto etc.)

Em muitos casos o abandono por motivos financeiros tem re-

Em relação à apresentação dos resultados da pesquisa, exis

principais motivos da evasão escolar.

lação com a família e sua situação econômica.”

Os dados quantitativos ficam bem visíveis quando organiza

Dados analisados, já temos informações concretas sobre a situação da escola!

Já os qualitativos, podem trazer, na íntegra, algumas respos

Agora, o próximo passo é entender qual a melhor maneira de divulgar estes resultados para a comunidade escolar e como elaborar a Proposta de Ação.

Muitas escolas já possuem veículos de comunicação pró

formas de apresentar os resultados utilizando essas míd

Lição 3

Lembre-se de fotografar ou guardar exemplares d

Com o diagnóstico da situação da escola em mãos, é preciso comunicá-lo ao restante da comunidade escolar.

será necessário no próximo Módulo.

ferramentas utilizadas para a divulgação, pois este

Mas você sabe como planejar a comunicação para que ela seja eficaz?

70

Módulo 3 – Planejamento

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 3 – Planejamento


da maneira mais assertiva possível ao seu público. Por isso, para que os Agentes Jovens também obtenham resultado nesta comunicação, é necessário que reflitam e

causa da evasão escolar é

respondam as perguntas abaixo:

onômica dos lares...”

nanceiros

Classificação: Família

Quem precisa da informação? O que precisa ser informado?

s respostas e analisada a frequência com que parágrafos de interpretação de dados para

Quem passará a informação? Com que frequência (periodicidade) será transmitida? Como (canal/veículo) será transmitida?

taram fatores financeiros como os

Módulo 3 – Planejamento

Todo bom jornalista sabe que precisa responder a algumas perguntas básicas para conseguir passar as informações

Se for em meio físico (cartaz, faixa, panfleto etc.), em que local será disponibilizado?

ão escolar.

ono por motivos financeiros tem re-

Em relação à apresentação dos resultados da pesquisa, existem várias maneiras de fazê-la.

situação econômica.”

Os dados quantitativos ficam bem visíveis quando organizados sob forma de tabelas e gráficos.

ções concretas sobre a situação da escola!

Já os qualitativos, podem trazer, na íntegra, algumas respostas dos participantes.

qual a melhor maneira de divulgar estes resultamo elaborar a Proposta de Ação.

Muitas escolas já possuem veículos de comunicação próprios. Estimule os Agentes Jovens a pensarem em formas de apresentar os resultados utilizando essas mídias escolares.

Lembre-se de fotografar ou guardar exemplares dessas ferramentas utilizadas para a divulgação, pois este material

nicá-lo ao restante da comunidade escolar.

será necessário no próximo Módulo.

az?

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 3 – Planejamento

IMPORTANT E 71


Tão importante quanto a forma de apresentação e de divulgação da pesquisa é a transparência com a qual ela será comunicada. A transparência é caracterizada pela confiança, segurança, franqueza, sustentabilidade, pelo diálogo aberto e por “jogar limpo”. As pessoas precisam sentir que as informações são confiáveis, pois só assim elas se sentirão seguras para se envolver no processo de mobilização. Por isso, todos os dados que aparecerem na pesquisa precisam ser apresentados de uma forma transparente, mesmo que os resultados não tenham saído do jeito esperado. A transparência precisa estar presente em toda a comunicação durante o processo de mobilização, seja nas decisões, nas ações ou nos resultados.

É comum que os jovens tenham uma dificuldade inicial em

muitas as ideias e sugestões que aparecem a partir dos resu

Você, Educador de Agentes Jovens, tem a impor ta

estejam conectadas aos objetivos do Ensino Médio In

dos jovens na escola e a mel

DICA

Para não se perder em meio ao pr

motivo pelo qual os Agentes Jove

Os Agentes Jovens podem usar como norte para planejar su Fórum Nacional de Agentes Jovens.

Uma comunicação transparente garante a sustentabilidade da ação. Com os dados transformados em informação pública, é hora de planejar uma ação concreta: a Proposta de Ação. Todas as respostas obtidas com a pesquisa ajudarão os Agentes Jovens a ter clareza sobre o que os demais alunos, professores e a comunidade escolar em geral esperam da escola e como eles acreditam que ela poderia melhorar.

Em 2010, foi realizado esse fórum que resultou na construçã ensino público do país.

Foram cerca de 390 jovens e 98 professores que, juntos, elab identificados por meio das pesquisas feitas pelos alunos em

Esse é o 2º momento da Mobilização, como vimos no Módulo 2, em que se passa da consciência de necessidade de mudança para a disposição de agir.

Utilizar esses 20 temas levantados no fórum como elem processo de elaboração da proposta, inclusive porque e Os 20 temas são:

AT ENÇÃO

Para que uma ação tome corpo, no entanto, é preciso organizar-se, manter o foco!

Módulo 3 – Planejamento

Acesso/falta de vagas/p

Drogas;

Transporte;

Gravidez;

Bullying;

Lembre-se de que, nesse momento, a sua presença é muito importante, pois um projeto juvenil bem-sucedido só é possível quando os adultos também participam, criando as condições sociais, políticas e econômicas para isso.

72

Situação do noturno;

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 3 – Planejamento


É comum que os jovens tenham uma dificuldade inicial em focar suas ações nos objetivos do ProEMI/PJF, pois são muitas as ideias e sugestões que aparecem a partir dos resultados das pesquisas.

anqueza, sustentabilidade, pelo diálogo aberto e por

pois só assim elas se sentirão seguras para se envolver

Você, Educador de Agentes Jovens, tem a impor tante função de garantir que as ações propostas estejam conectadas aos objetivos do Ensino Médio Inovador/Projeto Jovem de Futuro de permanência dos jovens na escola e a melhoria do seu desempenho.

m ser apresentados de uma forma transparente, mesmo

o durante o processo de mobilização, seja nas decisões,

DICA

Para não se perder em meio ao processo de mobilização, resgate constantemente o motivo pelo qual os Agentes Jovens estão reunidos.

Os Agentes Jovens podem usar como norte para planejar suas ações os temas e as diretrizes elaborados durante o 1º Fórum Nacional de Agentes Jovens.

a ação.

de planejar uma ação concreta: a Proposta de Ação.

tes Jovens a ter clareza sobre o que os demais alunos, ola e como eles acreditam que ela poderia melhorar.

Módulo 3 – Planejamento

ção da pesquisa é a transparência com a qual ela será

Em 2010, foi realizado esse fórum que resultou na construção de 114 Diretrizes com sugestões para a melhoria do ensino público do país. Foram cerca de 390 jovens e 98 professores que, juntos, elaboraram essas diretrizes a partir de 20 temas principais, identificados por meio das pesquisas feitas pelos alunos em suas escolas.

Módulo 2, em que se passa da consciência

r.

Utilizar esses 20 temas levantados no fórum como elemento norteador das ações pode ajudar bastante no processo de elaboração da proposta, inclusive porque eles costumam ser muito recorrentes. Os 20 temas são:

ntanto, é preciso se organizar-se, manter o foco!

Situação do noturno;

Acesso/falta de vagas/permanência;

Relação com a comunidade;

Drogas;

Transporte;

Questões familiares;

Gravidez;

Bullying;

Alimentação;

sua presença é muito importante, pois um

ossível quando os adultos também participam,

s e econômicas para isso.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 3 – Planejamento

73


Público-alvo? Infraestrutura;

Saúde e acessibilidade;

Desinteresse;

Estrutura do Ensino Fundamental;

Condições de trabalho do professor;

Qualidade de ensino;

Trabalho para a conquista da autonomia do jovem;

Falta de integração dos projetos na escola;

Trabalho para complementar a renda familiar;

Convocação ao Exército.

Organização da escola;

Alunos do Ensino Médio.

Quando? Toda Sexta-Feira, na hora do intervalo.

Onde? Pátio da escola.

Para elaborar uma Proposta de Ação é preciso, com base nos dados obtidos, pensar em ações respondendo às perguntas abaixo.

Quanto custará?

O que será feito?

Rádio: R$800,00 para compra dos equipamento Tornar o intervalo mais interessante para evitar que os alunos saiam da escola todas as Sextas-Feiras antes que as aulas terminem (a pesquisa realizada apontou que Sexta-Feira é o dia que menos tem alunos na escola, pois eles acreditam que há coisas mais interessantes para se fazer nesse dia do que estudar).

Lanche: Nenhum custo para a escola, já que cad

Jogos: Nenhum custo já que será feito em conjunto

Como?

Mas fique atento, pois, para que a proposta seja aceita por tod Montar uma programação de jogos educativos; A Proposta de Ação deve: Oferecer um lanche comunitário todas as Sextas, de forma que cada semana uma classe traga o lanche; Construir uma rádio na escola com programação de música e de notícias de interesse dos alunos.

74

Módulo 3 – Planejamento

MANUAL DO EDUCADOR

ser clara, realista e estimulante,

Módulo 3 – Planejamento

respeitar os limi atuação de cada


Módulo 3 – Planejamento

Público-alvo? Saúde e acessibilidade;

Alunos do Ensino Médio.

Estrutura do Ensino Fundamental; Qualidade de ensino; Falta de integração dos projetos na escola;

Quando? Toda Sexta-Feira, na hora do intervalo.

Convocação ao Exército.

Onde? Pátio da escola.

ados obtidos, pensar em ações respondendo às

Quanto custará? Rádio: R$800,00 para compra dos equipamentos;

nos saiam da escola todas as Sextas-Feiras antes que ta-Feira é o dia que menos tem alunos na escola, pois zer nesse dia do que estudar).

Lanche: Nenhum custo para a escola, já que cada aluno trará lanche da sua casa; Jogos: Nenhum custo já que será feito em conjunto com os alunos com os materiais já disponíveis na escola.

Mas fique atento, pois, para que a proposta seja aceita por toda a comunidade escolar, ela deve cumprir alguns requisitos:

A Proposta de Ação deve:

orma que cada semana uma classe traga o lanche;

de música e de notícias de interesse dos alunos.

MANUAL DO EDUCADOR

ser clara, realista e estimulante,

Módulo 3 – Planejamento

respeitar os limites de atuação de cada um,

não ser percebida como cobrança.

75


Após o planejamento, é preciso pensar em como executar a Proposta. Tenha em mente que, quanto mais pessoas envolvidas numa ação, maior é a possibilidade dela dar certo. No entanto, para que se garanta que a ação seja efetiva é preciso acompanhá-la de perto e fazer todos os ajustes necessários,

Objetivo

Especifico

Nesse Encontro, os alunos dever abandonam os estudos e iniciar

pois é muito comum ter que fazer adequações no meio do caminho.

Encontro passo a passo As ações devem ser apresentadas ao Grupo Gestor, principalmente se tiver algum custo que a escola precise arcar. Quanto mais alinhado com a Gestão Escolar, maior a possibilidade das ações serem legitimadas. Este trabalho é bastante complexo e os jovens precisarão de sua ajuda para chegar a uma Proposta de Ação adequada.

Preparação

IMPORTANT E

Seguir preparação padrão da página 47. Início

No horário marcado (dar 10 min de tolerância) inicie o Enc

No último Encontro, os jovens saíram incumbidos da tarefa comunidade. Neste 2º Encontro, eles devem trazer esses m

Na prática – 2o Encontro Veja como organizar o Encontro na página 46.

Como vimos, há casos em que os jovens poderão se

2o Encontro – Roteiro de aplicação

entre Encontros. Se for a situação do seu grupo, apro

importância desta etapa no processo. Caso não tenh

No 2º Encontro, os Agentes Jovens entrarão em contato com a Análise de Dados iniciando a interpretação dos resultados da pesquisa realizada por eles.

Objetivo Geral

76

Na prática – 2o Encontro

O tema comunicação será abordado pelo viés da transparência e credibilidade, quando os jovens serão desafiados a re-escrever as notícias publicadas no jornal oficial do Evadistão. Por fim, conhecerão as 20 Diretrizes Temáticas que lhes ajudarão a nortear o desenvolvimento da Proposta de Ação, onde transformarão as informações obtidas em ações.

MANUAL DO EDUCADOR

Educador, neste Encontro, é fun com a missão de respond

Quais as ações que iremos situação d Na prática – 2o Encontro


maior é a possibilidade dela dar certo.

companhá-la de perto e fazer todos os ajustes necessários,

Objetivo

Especifico

Nesse Encontro, os alunos deverão entender por que os jovens da sua escola abandonam os estudos e iniciar o planejamento de ações para mudar essa realidade.

o.

cise maior a

ão de sua

Encontro passo a passo Preparação

IMPORTANT E

Seguir preparação padrão da página 47. Início No horário marcado (dar 10 min de tolerância) inicie o Encontro dando boas-vindas aos jovens.

Na prática – 2o Encontro

sta.

No último Encontro, os jovens saíram incumbidos da tarefa de fazer uma pesquisa interna e o mapeamento da comunidade. Neste 2º Encontro, eles devem trazer esses materiais para serem analisados.

Como vimos, há casos em que os jovens poderão se adiantar e a análise poderá ser iniciada na reunião entre Encontros. Se for a situação do seu grupo, aproveite o Encontro para finalizar a análise e reforçar a importância desta etapa no processo. Caso não tenha iniciado, siga o roteiro abaixo.

rarão em contato com a Análise de Dados iniciando uisa realizada por eles.

pelo viés da transparência e credibilidade, re-escrever as notícias publicadas no jornal rão as 20 Diretrizes Temáticas que lhes o da Proposta de Ação, onde transformarão as

MANUAL DO EDUCADOR

Educador, neste Encontro, é fundamental que os alunos saiam com a missão de responder à seguinte pergunta: Quais as ações que iremos promover para rever ter a situação da escola? Na prática – 2o Encontro

77


Relembre os jovens que, para iniciar o processo de mobilização, eles precisam conhecer a realidade para poder entender o

Relembre-os de que, no último Encontro, eles viram que

problema e buscar soluções. Por isso, reuniram uma série de dados durante a pesquisa. Agora, o próximo passo é entender o que

que Evad tem dificultado as ações ao máximo, principal

eles significam transformando-os em informação acessível a todos.

mobilizadora.

Mas como seráá que é a comunicação no país, já que Evad p

Isso eles vão conseguir fazendo a Análise de Dados.

Dinâmica de C

Dependendo do tipo de pesquisa aplicada (quantitativa ou qualitativa), você deverá explicar como a respectiva análise de dados é feita.

Lendo pelas

Lembrando que, após a tabulação dos resultados da pesquisa: Quantitativa – Perguntas Fechadas - dados devem ser transformados em porcentagem;

Materiais necessários: cópias do Jornal do Evadi Qualitativa – Perguntas Abertas – respostas devem ser categorizadas.

Temas trabalhados: Percepção, redação, trabalho Feito isso, divida-os em grupos, distribuindo partes das pesquisas entre eles e inicie a análise com os alunos. Assim, eles vão tirando dúvidas e fazem a parte inicial do processo, a mais difícil, com a sua orientação.

Objetivo: Fazer com que os jovens percebam que preciso privilegiar a maneira mais transparente. Duração Estimada: 1h

Terminado esse processo, combine com eles que a análise deverá ser finalizada para o próximo encontro e que você irá auxiliá-los nas reuniões entre Encontros.

Viagem ao Evadistão

Texto Introdutório – Como será que está a situação no Evadistão?

Distribua as cópias do Jornal do Evadistão para ca Peça para que algum aluno voluntário leia em voz pra estimular a reflexão dos jovens:

O que acharam das notícias e da forma com

O que vocês acham da ordem de importân

Vocês acham que as notícias foram imparci Essa história e todos os nomes citados nela, seja de países, continentes ou pessoas, são fictícios. A história que se passa no Evadistão, embora inspirada em fatos históricos da humanidade, não corresponde a nenhuma ideologia política, sendo meramente ilustrativa. Lembre-se de que a real luta dos jovens é contra o abandono escolar.

78

Na prática – 2o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR

Caso você tenha disponível em sua cidade, aprove jornais reais, focando nas capas, para que eles perc usar, pelo menos, uns 3 tipos: popular, econômico mudar a abordagem de uma notícia. Porém, a tran pessoas precisam sentir que as informações são co

Na prática – 2o Encontro


Relembre-os de que, no último Encontro, eles viram que grupos de jovens têm feito mobilizações no país e

urante a pesquisa. Agora, o próximo passo é entender o que

que Evad tem dificultado as ações ao máximo, principalmente a comunicação, que é uma grande ferramenta mobilizadora. Mas como seráá que é a comunicação no país, já que Evad possui o controle sobre tudo?

Dinâmica de Comunicação

cê deverá explicar como a respectiva análise de dados é feita.

Lendo pelas entrelinhas

esquisa:

er transformados em porcentagem; Materiais necessários: cópias do Jornal do Evadistão e exemplos de capas de jornais.

ser categorizadas. Temas trabalhados: Percepção, redação, trabalho em equipe.

ntre eles e inicie a análise com os alunos. Assim, eles vão

m a sua orientação.

Na prática – 2o Encontro

es precisam conhecer a realidade para poder entender o

Objetivo: Fazer com que os jovens percebam que existem várias formas de se noticiar um fato e é preciso privilegiar a maneira mais transparente. Duração Estimada: 1h

er finalizada para o próximo encontro e que você irá

situação no Evadistão?

Distribua as cópias do Jornal do Evadistão para cada grupo já formado. Peça para que algum aluno voluntário leia em voz alta as notícias. Depois, faça algumas perguntas pra estimular a reflexão dos jovens: O que acharam das notícias e da forma como elas foram escritas? O que vocês acham da ordem de importância que foi dada aos temas? Vocês acham que as notícias foram imparciais ou parciais?*

continentes ou pessoas, são fictícios.

m fatos históricos da humanidade, não

ente ilustrativa. Lembre-se de que a real luta

MANUAL DO EDUCADOR

Caso você tenha disponível em sua cidade, aproveite este momento e mostre a eles exemplos de jornais reais, focando nas capas, para que eles percebam como cada um trata a notícia. O ideal é usar, pelo menos, uns 3 tipos: popular, econômico e padrão. Mostre a eles que o tipo de jornal pode mudar a abordagem de uma notícia. Porém, a transparência dos fatos deve sempre existir, pois as pessoas precisam sentir que as informações são confiáveis.

Na prática – 2o Encontro

79


Além disso, quando eles tiverem as informações concretas s Proponha que os jovens re-escrevam as notícias da maneira como eles acham que seria o mais

planejar o que será feito, iniciando a elaboração da Propost

adequado, de acordo com a realidade e o ponto de vista deles. Porém, cada grupo deverá fazer isso de forma diferente uma da outra:

Diga que para desenvolver a proposta é preciso pesquisa e pensem em ações que possam soluc

um grupo fará uma versão para telejornal; outro grupo fará uma versão para rádio;

O que será feito?

o terceiro grupo deverá fazer de conta que é uma equipe infiltrada no jornal oficial do Evadistão - o Primeira Hora - e deverá tentar re-escrever as notícias de maneira disfarçada. Para isso, podem criar qualquer seção do jornal (Esportes, previsão do tempo, cruzadinhas etc) e tentar passar as informações.

Como?

Incentive os jovens a soltar a imaginação a explorar ao máximo os recursos disponíveis no local do Encontro. Ao final da apresentação de cada grupo, eles devem eleger o que consideram que melhor retratou os fatos.

Público-alvo? Quando? Onde? Quanto custará?

* Imparcialidade é o ato de não emitir uma opinião própria diante de um fato. É como um juiz de futebol que precisa apitar a

Aproveite e exercite com os jovens o desenvolvimento da P

partida sem torcer para nenhum time em campo. Parcialidade seria o oposto disso, quando assumimos uma posição.

pensando em soluções com base nas perguntas acima.

Conclua a atividade, dizendo que assim como os jovens do Evadistão precisam mobilizar o povo, eles precisam fazer o mesmo com a comunidade e o primeiro passo é comunicar. Por isso, eles terão a tarefa de divulgar para a escola os resultados da pesquisa. Embora eles ainda não tenham estudado os veículos de comunicação, você pode indicar-lhes que representem as informações em gráficos e coloquem as melhores respostas (no caso da qualitativa) na íntegra, em cartazes.

Alinhe com os jovens que, para o próximo Encontro, eles já

Proposta de Ação. Já combine uma data para uma breve reu desenvolvimento das tarefas.

Resumo do 2o Encontro

Para ajudá-los, diga que outros Agentes Jovens já se reuniram e discutiram sobre os problemas das suas escolas, definindo 20 temas principais. Em seguida, apresente os temas aos jovens (págs. 73 e 74) e provoque uma discussão, questionando se eles acham que algum daqueles problemas também existe na escola. Diga que eles podem usar esses temas como norte, pois, provavelmente, muitos serão parecidos e até mesmo se repetirão.

80

Na prática – 2o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR

I - Introdução

Na prática – 2o Encontro

1

Dê boas-vindas aos Agente

2

Diga para os jovens que, apó fazer a análise de dados, trans


neira como eles acham que seria o mais

planejar o que será feito, iniciando a elaboração da Proposta de Ação.

a deles. uma da outra:

Diga que para desenvolver a proposta é preciso que eles peguem cada problema levantado na pesquisa e pensem em ações que possam solucioná-los, respondendo às perguntas abaixo: O que será feito?

a equipe infiltrada no jornal oficial do screver as notícias de maneira disfarçada. Esportes, previsão do tempo, cruzadinhas

Como? Público-alvo? Quando?

ao máximo os recursos disponíveis no

ger o que consideram que melhor retratou

Onde? Quanto custará?

um fato. É como um juiz de futebol que precisa apitar a

Aproveite e exercite com os jovens o desenvolvimento da Proposta de Ação, elegendo com eles um desses temas e

oposto disso, quando assumimos uma posição.

pensando em soluções com base nas perguntas acima.

o precisam mobilizar o povo, eles precisam fazer o mesmo

ão a tarefa de divulgar para a escola os resultados da

municação, você pode indicar-lhes que representem as da qualitativa) na íntegra, em cartazes.

Na prática – 2o Encontro

Além disso, quando eles tiverem as informações concretas sobre os problemas da escola, já é possível começar a

Alinhe com os jovens que, para o próximo Encontro, eles já deverão ter finalizado a análise de dados e definido a Proposta de Ação. Já combine uma data para uma breve reunião de alinhamento com o grupo para auxiliá-los no desenvolvimento das tarefas.

Resumo do 2o Encontro

utiram sobre os problemas das suas escolas, definindo 20

3 e 74) e provoque uma discussão, questionando se eles

ga que eles podem usar esses temas como norte, pois,

MANUAL DO EDUCADOR

I - Introdução

Na prática – 2o Encontro

1

Dê boas-vindas aos Agentes Jovens.

2

Diga para os jovens que, após eles terem finalizado a pesquisa, chegou o momento de fazer a análise de dados, transformando tudo o que eles coletaram em informações.

81


3

II – Viagem

ao Evadistão

III – Proposta de Ação

Explique como eles devem analisar os dados, de acordo com o tipo de pesquisa feito: qualitativo ou quantitativo.

A sugestão é que os Agentes Jovens dividamda pesquisa interna e o outro do mapeament

Divida os alunos em grupos e inicie a análise com eles, para que entendam como ela deve ser feita.

Com os dados tabulados, os Agentes Jovens d ações eles acreditam que serão mais efetivas

1

Retome a viagem ao Evadistão com o texto para o 2º Encontro. Em seguida, inicie a dinâmica Lendo pelas Entrelinhas.

2

Faça o fechamento da dinâmica e transporte os jovens para a realidade da escola.

Determinadas as ações, que devem ser escolh é preciso comunicar o Grupo Gestor e pedir s importante não escolher mais ações do que s com uma pequena ação, mas colocar foco ne conseguir realizar nenhuma direito.

Após a definição da ação, ela deve ser colocad de Agentes Jovens envolva-se no Planejamen 1

Apresente os 20 Temas do Fórum Nacional de Agentes Jovens, contextualizandoos. É importante que eles saibam que outros jovens levantaram esses temas por meio das pesquisas.

2

Explique como deve ser feita a Proposta de Ação que eles terão que elaborar após a conclusão da análise de dados.

3

Módulo 4 – Comunicação

*Caso você seja um professor substituto e tenha iniciad

todos os anteriores para melhor assimilação do conteúd

Neste Módulo, você aprenderá:

Agende a próxima reunião.

Ações entre Encontros com os Agentes Jovens

Como definir a ferramenta de comunicação m

Os tipos de ferramentas de comunicação ma Após o 2º Encontro é importante que você e os Agentes Jovens voltem a se encontrar em pequenas reuniões, a cada 15 dias. A primeira coisa a ser feita é reunir todos os dados tanto da pesquisa interna quanto do mapeamento, e tabulá-los conforme explicado no encontro.

Os pontos positivos e negativos de cada uma

Como vimos anteriormente, a comunicação é, por si só, um

convocar pessoas em torno de um objetivo comum quand

de mobilização precisa ser comunicado para todos os envo

82

Na prática – 2o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 4 - Comunicação


A sugestão é que os Agentes Jovens dividam-se em dois grupos, sendo que um fará a tabulação da pesquisa interna e o outro do mapeamento.

e a análise com eles, para que entendam como ela deve

Com os dados tabulados, os Agentes Jovens devem conversar sobre os resultados e discutir quais ações eles acreditam que serão mais efetivas para responder às necessidades dos alunos.

com o texto para o 2º Encontro. Em seguida, inicie a s.

Determinadas as ações, que devem ser escolhidas em conjunto por todos os Agentes Jovens, é preciso comunicar o Grupo Gestor e pedir sua ajuda para que a ação seja desenvolvida. É importante não escolher mais ações do que se têm condições de dar conta. É melhor começar com uma pequena ação, mas colocar foco nela, do que fazer várias coisas ao mesmo tempo e não conseguir realizar nenhuma direito.

transporte os jovens para a realidade da escola. Após a definição da ação, ela deve ser colocada em prática e, para isso, é preciso que todo o grupo de Agentes Jovens envolva-se no Planejamento e defina quem serão os responsáveis.

m Nacional de Agentes Jovens, contextualizandobam que outros jovens levantaram esses temas

a Proposta de Ação que eles terão que elaborar de dados.

Módulo 4 – Comunicação

Módulo 4 - Comunicação

alisar os dados, de acordo com o tipo de pesquisa feito:

*Caso você seja um professor substituto e tenha iniciado a Capacitação neste Módulo, sugerimos que leia todos os anteriores para melhor assimilação do conteúdo.

Neste Módulo, você aprenderá:

os Agentes Jovens

Como definir a ferramenta de comunicação mais adequada para cada caso; Os tipos de ferramentas de comunicação mais utilizadas pelos Agentes Jovens;

entes Jovens voltem a se encontrar em pequenas

to da pesquisa interna quanto do mapeamento, e

Os pontos positivos e negativos de cada uma delas.

Como vimos anteriormente, a comunicação é, por si só, uma ferramenta de mobilização, já que somente é possível convocar pessoas em torno de um objetivo comum quando criamos um canal com elas. Por isso, qualquer processo de mobilização precisa ser comunicado para todos os envolvidos.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 4 - Comunicação

83


São muitas as ferramentas de comunicação que podem ser usadas e cada uma delas funciona melhor em um determinado

Imagine se os alunos têm a intenção de se comunicar com

momento, para um determinado público. Avaliar qual é a ferramenta que responde melhor àquilo que se quer comunicar é

muito mais efeito do que um fanzine ou um jornal mural.

primordial. Mas antes de nos aprofundarmos nesse tema, devemos reforçar a importância de termos um olhar ampliado no que diz respeito à comunicação.

Por outro lado, se essa mesma carta fosse entregue para os

linguagem de uma rádio, de um fanzine ou de um jornal m Muitas vezes, tendemos a achar que só conseguimos comunicar por meio de uma rádio, um jornal ou um blog.

A mensagem, personagem principal deste processo, precisa No entanto, é preciso ficarmos atentos a outras formas de se comunicar, que vão desde uma conversa com uma pessoa, até o envolvimento com instâncias participativas como grêmios estudantis e reuniões de professores.

O local onde esta mensagem será veiculada também é imp

Inclusive essas instâncias são importantíssimas para ajudar os Agentes Jovens a divulgarem suas ações, pois por serem grupos

Afinal, do que adiantaria um mural localizado em um lugar

conhecidos na escola, possuem grande possibilidade de difundir a informação.

Como definir qual é a melhor ferramenta de comunicação a ser utilizada?

Para saber se a mensagem está compreensível, pe conhece o assunto ler o que será comunicado ant

São 5 os aspectos que é preciso ter em conta. São eles: Público-alvo;

O Momento em que a informação será transmitida também

Mensagem;

Por exemplo, para que uma rádio seja bem-sucedida, ela pr

Local;

intervalo ou a hora da saída.

Momento em que a informação será transmitida;

Além disso, é preciso pensar no Alcance da mensagem, isto

Alcance.

comunicação tem uma capacidade de alcance e isso deve s

Em primeiro lugar, é preciso pensar no público-alvo.

É fundamental que se avalie o potencial de mobilização de

Afinal, saber quem irá receber a mensagem e qual o seu perfil é um ponto

Lembre-se de que o cuidado em redigir uma mensagem pr

crucial no processo de comunicação. 84

Módulo 4 - Comunicação

Até mesmo uma vírgula fora do lugar pode mudar complet

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 4 - Comunicação


Imagine se os alunos têm a intenção de se comunicar com a direção da escola? Uma carta ou uma conversa terá

a que responde melhor àquilo que se quer comunicar é

muito mais efeito do que um fanzine ou um jornal mural.

reforçar a importância de termos um olhar ampliado no Por outro lado, se essa mesma carta fosse entregue para os alunos, não teríamos o mesmo resultado, já que a linguagem de uma rádio, de um fanzine ou de um jornal mural são mais atrativos para este público.

r meio de uma rádio, um jornal ou um blog. A mensagem, personagem principal deste processo, precisa ser atrativas ao público-alvo, clara e objetiva.

icar, que vão desde uma conversa com uma pessoa, até o

is e reuniões de professores.

O local onde esta mensagem será veiculada também é importante.

tes Jovens a divulgarem suas ações, pois por serem grupos

Afinal, do que adiantaria um mural localizado em um lugar não muito visível e de pouca circulação?

nformação.

e comunicação a ser utilizada?

Para saber se a mensagem está compreensível, peça para alguém que não conhece o assunto ler o que será comunicado antes da sua publicação.

DICA

Módulo 4 - Comunicação

e cada uma delas funciona melhor em um determinado

s: O Momento em que a informação será transmitida também precisa ser planejado. Por exemplo, para que uma rádio seja bem-sucedida, ela precisa funcionar em momentos estratégicos como o intervalo ou a hora da saída. Além disso, é preciso pensar no Alcance da mensagem, isto é, o número de pessoas que se quer atingir. Cada meio de comunicação tem uma capacidade de alcance e isso deve ser levado em consideração na hora de escolhê-lo. É fundamental que se avalie o potencial de mobilização de cada ferramenta.

m e qual o seu perfil é um ponto

Lembre-se de que o cuidado em redigir uma mensagem precisa ser redobrado. Até mesmo uma vírgula fora do lugar pode mudar completamente o sentido da mensagem.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 4 - Comunicação

85


Duvida? Veja o exemplo abaixo:

“Isso, só ele resolve”. - Aqui temos uma pessoa muito eficiente.

“Isso só, ele resolve”. - Já nesta frase, nem tanto.

Pontos positivos: É atrativo e pode ser personalizado;

Exemplo retirado da Campanha de 100 anos da ABI – Associação Brasileira de Imprensa.

Pode ser feito ao vivo, garantindo a rapidez da inf Mas afinal, que ferramenta escolher diante de tantas opções? Qual é a mais adequada para o tipo de informação que se quer passar?

Possui uma linguagem ágil e direta; Tem grande alcance.

Para comunicar de maneira eficaz, é preciso escolher o veículo certo para que seja possível atingir o público-alvo com o maior alcance possível.

Pontos negativos:

Mas qual seria o melhor veículo para cada caso?

Para ter uma rádio mais estruturada, é preciso inv

Rádio

A mensagem não é física, de forma que se a pesso perdendo a informação comunicada.

A rádio é um dos meios de comunicação mais antigos e práticos que existe. Ela tem potencial para divulgar assuntos importantes da escola, considerando o seu grande alcance. Também é bastante propício para promover debates entre os alunos, a diretoria e a comunidade escolar. A linguagem da rádio é ágil e direta e há a possibilidade de fazê-la com a cara da escola, criando programas curtos e divertidos para atrair os ouvintes.

Um programa de rádio pode conter dive Vinheta

A vinheta em uma programação radiofônica serve para ide

Geralmente tem a duração entre 10 a 30 segundos, e tem c

Lembre-se de que a linguagem radiofônica é auditiva. Por isso, os sons devem ser explorados ao máximo como, por exemplo, usar o som TOC-TOC para representar alguém batendo em uma porta em vez de narrar a ação. A música também tem um importante papel, funcionando como trilha sonora e criando um “clima” especial para a programação.

86

Módulo 4 - Comunicação

repetida facilmente pelas pessoas.

IMPORTANT E

Spot e Jingle

O spot é uma peça publicitária onde sua mensagem transm

uma mensagem comercial ou institucional. Já o jingle traba mensagem.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 4 - Comunicação


Pontos positivos: É atrativo e pode ser personalizado;

asileira de Imprensa. Pode ser feito ao vivo, garantindo a rapidez da informação;

é a mais adequada para o tipo de informação que

Possui uma linguagem ágil e direta; Tem grande alcance.

o para que seja possível atingir o público-alvo com Pontos negativos: Para ter uma rádio mais estruturada, é preciso investir algum recurso; A mensagem não é física, de forma que se a pessoa não ouvi-la, não poderá consultá-la depois, perdendo a informação comunicada.

Módulo 4 - Comunicação

“Isso só, ele resolve”. - Já nesta frase, nem tanto.

e existe.

nsiderando o seu grande alcance. Também é

a e a comunidade escolar.

com a cara da escola, criando programas curtos e

mo, por m batendo

ndo como amação.

Um programa de rádio pode conter diversos elementos. Conheça alguns deles: Vinheta

A vinheta em uma programação radiofônica serve para identificar um programa, uma emissora ou um locutor. Geralmente tem a duração entre 10 a 30 segundos, e tem como proposta uma música fácil de decorar e que seja repetida facilmente pelas pessoas.

IMPORTANT E

Spot e Jingle

O spot é uma peça publicitária onde sua mensagem transmite, por meio da fala de um locutor ou uma dramatização, uma mensagem comercial ou institucional. Já o jingle trabalha de forma artística, onde a própria música é a mensagem.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 4 - Comunicação

87


Notícia

Um fato que seja relevante a um grupo ou a uma comunidade pode ser transformado em notícia. Para articular esse fato que foi transformado em notícia, os jornalistas criaram uma regra chamada “LEAD”. Para escrever um “LEAD” é necessário

2

É importante escolher uma sala da escola (pode ser seja possível instalar os equipamentos e fazer os pro procurar alguém que entenda da parte técnica e aju

responder seis perguntas: 1. “O quê” - o fato ocorrido, 2. “Quem” - o personagem envolvido, 3. “Onde” - o local do fato, 4. “Quando” - o momento do fato, 5. “Por quê” - a causa do fato e 6. “Como” - o modo como o fato ocorreu. Para toda notícia produzida é importante realizar uma investigação, para saber se realmente as informações são verdadeiras.

Usando o computador

Durante a pesquisa, é preciso procurar fontes seguras, isso quer dizer, pessoas que realmente possam ajudar na investigação.

O Audacity é um programa de edição de áudio em so É importante lembrar que a internet é fundamental para fazer qualquer tipo de busca. Mas, na hora de fazer uma pesquisa na

nem pagar para utilizá-lo. Com ele, mexer no som é b

internet, é preciso procurar sites confiáveis, pois a rede está cheia de informações falsas. Além disso, é essencial dizer de onde as informações vieram, dando os devidos créditos.

Ele é multipista, isto é, você pode colocar vários sons

Entrevista e Enquete

Por exemplo, você pode gravar vários depoimentos s

do outro como se tivesse feito de uma só vez. E, quan

A entrevista representa uma das fontes mais importantes para a transmissão de alguma informação. Normalmente, a

não agradou. Nele é possível importar músicas, mistu

entrevista é realizada com algum especialista da área. Por exemplo, se a matéria for sobre educação, é bem legal entrevistar uma professora, diretora etc.

O programa já na versão em português pode ser bai

Já a enquete permite que diversas pessoas opinem sobre determinado assunto, pois ela tem o objetivo de trazer para a programação a opinião da população e não apenas a de um especialista da área. As perguntas deverão ser realizadas para pessoas diversas, como estudantes, donas de casa, comerciantes etc.

Internet

A internet é um meio que oferece várias possibilidades de u

veicular uma rádio, para divulgar um vídeo ou criar uma com

Como montar uma rádio

Um dos pontos fortes da Internet é que tudo o que é produ informações se perderem.

Fonte: Projeto Kinema e Revista Viração

1

Em primeiro lugar, é preciso comprar os equipamentos: um amplificador, uma pequena mesa de som e um aparelho de CD (esses itens podem ser substituídos por um computador e pelo programa Audacity). É preciso também de microfones, caixas de sons e fios para a instalação do estúdio.

Ela também é excelente para distribuir informações pois perm

Por outro lado, exige que todas as pessoas tenham acesso a

Essa é uma das restrições que impedem a utilização da Inte

88

Módulo 4 - Comunicação

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 4 - Comunicação


hamada “LEAD”. Para escrever um “LEAD” é necessário

2

É importante escolher uma sala da escola (pode ser pequena) para ser o estúdio ou algum outro lugar onde seja possível instalar os equipamentos e fazer os programas tranquilamente. Para a instalação, é interessante procurar alguém que entenda da parte técnica e ajude na montagem.

ersonagem envolvido, 3. “Onde” - o local do fato, 4.

mo” - o modo como o fato ocorreu.

, para saber se realmente as informações são verdadeiras.

Usando o computador

er, pessoas que realmente possam ajudar na investigação. O Audacity é um programa de edição de áudio em software livre, portanto, não é preciso comprá-lo e

quer tipo de busca. Mas, na hora de fazer uma pesquisa na

nem pagar para utilizá-lo. Com ele, mexer no som é bem simples.

e informações falsas. Além disso, é essencial dizer de onde Ele é multipista, isto é, você pode colocar vários sons ao mesmo tempo e juntá-los. Por exemplo, você pode gravar vários depoimentos sobre um assunto separados e depois colar um atrás

Módulo 4 - Comunicação

e ser transformado em notícia. Para articular esse fato

do outro como se tivesse feito de uma só vez. E, quando estiver pronto, basta remover apenas o som que

nsmissão de alguma informação. Normalmente, a

não agradou. Nele é possível importar músicas, misturar faixas, colocar efeitos, editar e gravar áudio.

se a matéria for sobre educação, é bem legal entrevistar O programa já na versão em português pode ser baixado no site: http://audacity.sourceforge.net

ado assunto, pois ela tem o objetivo de trazer para a

alista da área. As perguntas deverão ser realizadas para

.

Internet

A internet é um meio que oferece várias possibilidades de uso. Por exemplo, pode ser utilizada para produzir um blog, veicular uma rádio, para divulgar um vídeo ou criar uma comunidade em redes sociais. Um dos pontos fortes da Internet é que tudo o que é produzido fica registrado, diminuindo os riscos de as informações se perderem.

amplificador, uma pequena mesa de som e r um computador e pelo programa Audacity). É instalação do estúdio.

Ela também é excelente para distribuir informações pois permite que elas ultrapassem os limites da comunidade escolar. Por outro lado, exige que todas as pessoas tenham acesso a um computador conectado, o que nem sempre é possível. Essa é uma das restrições que impedem a utilização da Internet como meio de comunicação único.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 4 - Comunicação

89


Pontos negativos:

Pontos positivos:

Tem alcance limitado.

É barata; É “viral”, ou seja, dissemina-se com muita facilidade;

Para construir uma car ta, é preciso:

Leva a informação para fora da escola; Evita que a informação perca-se, criando um registro.

Ser conciso e objetivo;

Pontos negativos: Não são todas as pessoas que têm acesso a um computador com internet, limitando, assim, seu alcance.

Que as frases sejam curtas e diretas; Que ela tenha no máximo uma página;

Car ta

Que a letra seja legível;

A carta, um dos mais antigos meios de comunicação, traz consigo um tom de formalidade. Por exemplo, a carta ajuda a fazer um primeiro contato com um parceiro da comunidade para que ele conheça a escola.

Que ela tenha um visual atraente, porém sem ex Que o texto comece com alguma referência a Senhor etc.);

Atualmente, a carta tradicional, em papel, vem sendo substituída pelo correio eletrônico. No entanto, há situações em que a carta ainda tem mais efeito que um e-mail, principalmente em se tratando do quesito formalidade.

Que o texto explique um pouco sobre quem e estudantes da Escola X que tem trabalhado pa está inserida);

Pontos positivos:

Que o texto diga qual é a proposta (Ex. Pretendemo melhor o entorno da escola e saber como a comun ser de diferentes formas: seja ceder um espaço para aula junto com o professor ou simplesmente se un

É formal; É personalizada; É fácil de produzir.

90

Módulo 4 - Comunicação

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 4 - Comunicação


Tem alcance limitado.

dade;

Para construir uma car ta, é preciso:

egistro. Ser conciso e objetivo;

m computador com internet, limitando,

Que as frases sejam curtas e diretas; Que ela tenha no máximo uma página;

Módulo 4 - Comunicação

Pontos negativos:

Que a letra seja legível;

m tom de formalidade.

ceiro da comunidade para que ele conheça a escola.

Que ela tenha um visual atraente, porém sem exageros. É fundamental que ela transmita seriedade; Que o texto comece com alguma referência a quem vai ler a carta (Ex. Caros moradores, Prezado Senhor etc.);

elo correio eletrônico. No entanto, há situações em que a

atando do quesito formalidade.

Que o texto explique um pouco sobre quem está escrevendo a carta (Ex. Somos um grupo de estudantes da Escola X que tem trabalhado para a melhoria da escola e da comunidade na qual está inserida); Que o texto diga qual é a proposta (Ex. Pretendemos fazer um mapeamento na comunidade para conhecer melhor o entorno da escola e saber como a comunidade pode contribuir conosco. Essa contribuição pode ser de diferentes formas: seja ceder um espaço para alguma atividade, dar uma palestra, desenvolver uma aula junto com o professor ou simplesmente se unir à escola);

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 4 - Comunicação

91


Veja, abaixo, um passo a passo para a produç Que o texto diga o que se espera da pessoa que está recebendo a carta (Ex. A comunidade pode participar de duas formas: se unir ao grupo de pesquisa que fará os levantamentos ou ficar disponível para responder às perguntas).

Fonte: Associação Cidade Escola Aprendiz e Revista ArumeEx – aula

1

O primeiro passo é definir o que será dito. As p discutido, portanto, divulgar os projetos e as aç

Liberdade é a melhor palavra que podemos utilizar para exprimir o conceito de fanzine.

2

Os textos precisam ser claros e abordar o que s

O nome é resultado da junção das sílabas de duas palavras em inglês, criando o significado de “revista dos fãs”.

3

É interessante que se faça um rascunho do Fan trabalhados são importantes para chamar a ate A4 dobrado ao meio. Mas pode-se brincar com lembrando que formas diferentes sempre dão

4

A criatividade deve ser usada! Os textos podem importante é ficar legível e interessante. No com diferentes, recortar e colar pequenos textos. As também pode ser feita diretamente no compu

5

Os nomes de todos que ajudaram e participara número da publicação, assim todos podem col

6

Uma versão de teste deve ser impressa para re tenha que ser corrigido. É sempre bom outras p olhada no que está escrito.

7

As copiadoras são ótimas para produzir Fanzin contabilizado na hora de começar a planejar o porém, caso se consiga recursos, é possível usa

8

A distribuição deve ser feita para todos na esco muito bem se a entrega for feita em mãos.

Fanzine

Por isso, é uma publicação amadora, de pequena tiragem. No Fanzine, os alunos podem utilizar toda a sua criatividade, tanto na escolha do formato, dos textos, das imagens e o que mais quiser e tiver vontade de dizer.

Pontos positivos: Facilidade de circulação, chegando às mãos de todos os alunos rapidamente; Permite que vários alunos contribuam com suas habilidades; É informal, com o jeito e a linguagem do público-alvo. Pontos negativos: Gera gastos com impressão; A distribuição precisa ser pensada estrategicamente para que o fanzine tenha o efeito desejado.

92

Módulo 4 - Comunicação

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 4 - Comunicação


ndo a carta (Ex. A comunidade pode participar de duas tos ou ficar disponível para responder às perguntas).

Fonte: Associação Cidade Escola Aprendiz e Revista ArumeEx – aula sobre fanzines

1

O primeiro passo é definir o que será dito. As pessoas precisam se interessar pelo assunto que será discutido, portanto, divulgar os projetos e as ações que acontecem na escola é sempre interessante.

conceito de fanzine.

2

Os textos precisam ser claros e abordar o que se quer divulgar na escola.

ês, criando o significado de “revista dos fãs”.

3

É interessante que se faça um rascunho do Fanzine. A diagramação, ilustrações, figuras e textos bem trabalhados são importantes para chamar a atenção dos leitores. O formato mais fácil de montar é o A4 dobrado ao meio. Mas pode-se brincar com os formatos e fazer em forma de estrela, redondo etc., lembrando que formas diferentes sempre dão mais trabalho para serem produzidas.

4

A criatividade deve ser usada! Os textos podem ser escritos no computador ou na mão mesmo. O importante é ficar legível e interessante. No computador, dá para brincar com as fontes, usar tamanhos diferentes, recortar e colar pequenos textos. Assim, o Fanzine vai ficar bem divertido. A diagramação também pode ser feita diretamente no computador.

5

Os nomes de todos que ajudaram e participaram da edição do Fanzine devem aparecer, bem como o número da publicação, assim todos podem colecionar os Zines que forem produzidos pelo grupo.

6

Uma versão de teste deve ser impressa para revisão, averiguando se não há nenhum errinho ou algo que tenha que ser corrigido. É sempre bom outras pessoas que não participaram da produção darem uma olhada no que está escrito.

7

As copiadoras são ótimas para produzir Fanzines. Mas, lembre que isso tem um custo e que deve ser contabilizado na hora de começar a planejar o Zine. As cópias são a forma mais barata de reprodução, porém, caso se consiga recursos, é possível usar uma gráfica ou imprimir.

8

A distribuição deve ser feita para todos na escola, na comunidade, para os pais e amigos. Ela funciona muito bem se a entrega for feita em mãos.

a escolha do formato, dos textos, das imagens e o que mais

os alunos rapidamente;

dades;

ara que o fanzine tenha o efeito desejado.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 4 - Comunicação

Módulo 4 - Comunicação

Veja, abaixo, um passo a passo para a produção de um fanzine:

93


Car taz Uma cartolina, algumas canetinhas, tesoura e cola: com poucos materiais é possível criar um cartaz, um dos meios de comunicação

Pontos positivos:

mais fáceis de se produzir.

Fácil e barato de produzir;

O cartaz serve para divulgar informações pontuais, como convocar os alunos para algum evento. Um exemplo é um cartaz

Pode-se, em determinados momentos, montar um evasão, qualidade do ensino etc.

produzido para chamar os alunos para a prova do Enem. Nesse caso, ele traria informações básicas como o dia, o lugar e o horário. Também é eficiente para divulgar campanhas criadas pela escola e para divulgar os gráficos da pesquisa realizada pelos alunos.

Pontos negativos:

Precisa de atualização constante. Muitas vezes, os atualizados, fazendo com que as pessoas não pre Pontos positivos: Barato;

Para construir o Jornal mural, é preciso:

Fácil de produzir. Pontos negativos:

1

Reunir todos os tipos de materiais possíveis co colorido, entre outros. Quanto mais bonito, col atenção das pessoas.

2

Escolher um lugar de grande circulação para c espaços de convivência, quadras, etc. Atenção as pessoas têm de acessá-lo.

3

Produzir o jornal com letras grandes que cham nível dos olhos para que as pessoas possam le

Se não for atrativo, não chama a atenção; Precisa ser colocado em lugares estratégicos para que não passe despercebido.

Jornal mural O Jornal mural é um veículo de comunicação dinâmico que possibilita a divulgação imediata das informações. É uma ótima alternativa para substituir o tradicional quadro de avisos, muitas vezes abandonado nas escolas. O mais interessante do Jornal mural é que todos os alunos podem participar da sua construção, usando a sua habilidade.

Passo a passo para fazer um Jornal

Uma dica é sempre deixar um espaço em branco no jornal mural para que qualquer pessoa possa escrever sobre os temas

Antes de chegar aos leitores, cada edição do jornal mural pr

Fonte: Apostila “projeto Jornal Mural nas Escolas - 2009” - Revista Viração

tratados. Essa é uma forma de torná-lo ainda mais colaborativo.

94

Módulo 4 - Comunicação

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 4 - Comunicação


Pontos positivos: Fácil e barato de produzir;

alunos para algum evento. Um exemplo é um cartaz

Pode-se, em determinados momentos, montar um jornal mural totalmente dedicado a um só tema: evasão, qualidade do ensino etc.

e traria informações básicas como o dia, o lugar e o horário.

a divulgar os gráficos da pesquisa realizada pelos alunos.

Pontos negativos: Precisa de atualização constante. Muitas vezes, os Jornais-Murais ficam muito tempo sem serem atualizados, fazendo com que as pessoas não prestem mais atenção.

Para construir o Jornal mural, é preciso:

e não passe despercebido.

ita a divulgação imediata das informações.

os, muitas vezes abandonado nas escolas.

1

Reunir todos os tipos de materiais possíveis como cartolinas, papel crepom, papéis coloridos, durex colorido, entre outros. Quanto mais bonito, colorido e chamativo o Jornal mural for, mais chamará a atenção das pessoas.

2

Escolher um lugar de grande circulação para colocar o jornal. O mais indicado são os corredores, espaços de convivência, quadras, etc. Atenção: o lugar é importantíssimo, pois é a única forma que as pessoas têm de acessá-lo.

3

Produzir o jornal com letras grandes que chamem atenção. O jornal também deve ser colocado no nível dos olhos para que as pessoas possam ler as notícias.

participar da sua construção, usando a sua habilidade.

Passo a passo para fazer um Jornal mural

ara que qualquer pessoa possa escrever sobre os temas

Antes de chegar aos leitores, cada edição do jornal mural precisa passar por diversas etapas de produção:

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 4 - Comunicação

ais é possível criar um cartaz, um dos meios de comunicação

Fonte: Apostila “projeto Jornal Mural nas Escolas - 2009” - Revista Viração

Módulo 4 - Comunicação

95


1. Reunião de pauta:

8. Divulgação:

O primeiro passo para criar uma edição do jornal é a reunião de pauta, na qual todos os alunos envolvidos devem sugerir

Agora é só distribuir os jornais pela escola para que todos p

temas e ideias que possam ser publicadas e que posteriormente deverão ser apuradas. Esse é o momento em que todos devem dar suas opiniões e sugestões.

2. Apuração: Depois da reunião de pauta, é hora dos repórteres partirem para a apuração: fazer entrevistas, pesquisar notícias, usar a internet, conversar com especialistas. Vale tudo para conseguir mais informações e se aprofundar no assunto da matéria. Essa parte é muito importante para o jornal, afinal um bom texto, além de bem escrito, precisa ter credibilidade.

3. Produção de fotos: Também é interessante conseguir fotos e imagens dos entrevistados e dos fatos que serão divulgados. Lembre-se de que para

Car tazes e jornais murais têm algumas

Portanto, veja alguns pontos que precisam ser obser

Reúna todos os tipos de materiais como cartolin bonitas e coloridas forem as peças, mais chamarã

Escolha um lugar de grande circulação para colo espaços de convivência, quadra etc. Lembre-se d os cartazes ou o jornal mural é passando por ele

divulgar essas fotos é preciso que se peça autorização a quem aparece nelas.

Produza as peças com letras grandes, bem legíve olhos para que as pessoas possam ler o conteúd

4. Layout: Enquanto isso, os alunos precisam ir pensando no produto final. Um grupo pode ficar responsável pela diagramação, pensando em como ficarão distribuídas as matérias dentro do espaço do jornal mural.

Tome cuidado com a quantidade de informaçõe material, mais assertiva a comunicação.

5. Edição: Quando todos os participantes reunirem o material produzido, chega o momento de analisar tudo o que foi feito e descobrir aqueles pequenos detalhes que devem ser mudados. Os repórteres entrevistaram todos que precisavam? As informações estão corretas ou falta algo? Um grupo pode ficar responsável por fazer a edição dos textos e supervisionar essas tarefas.

6. Revisão: Finalmente, após todas as mudanças e correções feitas nas matérias pelos editores, os textos ainda devem passar por alguém capaz de fazer uma leitura apurada, que irá procurar erros de ortografia e de digitação.

Conversa

Há uma ferramenta de comunicação que usamos diariamen

Muito mais do que um papo jogado fora, a conversa é um in comuniquem-se simultaneamente, pensando juntos sobre

Esse meio de comunicação costuma funcionar muito bem q

7. Fechamento: São os últimos momentos antes do lançamento da edição é normalmente quando ocorre a maior correria. Os últimos retoques devem ser dados nas matérias enquanto os diagramadores terminam de organizar o layout e a

E como a procura por parceria nada mais é do que uma negoc

parte gráfica do projeto.

96

Módulo 4 - Comunicação

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 4 - Comunicação


uta, na qual todos os alunos envolvidos devem sugerir

verão ser apuradas. Esse é o momento em que todos

apuração: fazer entrevistas, pesquisar notícias, usar a

s informações e se aprofundar no assunto da matéria. Essa

Agora é só distribuir os jornais pela escola para que todos possam ler!

Car tazes e jornais murais têm algumas características em comum. Portanto, veja alguns pontos que precisam ser observados em ambos os veículos:

de bem escrito, precisa ter credibilidade.

Reúna todos os tipos de materiais como cartolinas, papéis coloridos, entre outros. Quanto mais bonitas e coloridas forem as peças, mais chamarão a atenção das pessoas.

os e dos fatos que serão divulgados. Lembre-se de que para

Escolha um lugar de grande circulação para colocar as peças. O mais indicado são corredores, espaços de convivência, quadra etc. Lembre-se de que a única forma que as pessoas têm de acessar os cartazes ou o jornal mural é passando por eles.

ece nelas. Produza as peças com letras grandes, bem legíveis. Além disso, elas devem ser colocadas no nível dos olhos para que as pessoas possam ler o conteúdo com mais facilidade.

m grupo pode ficar responsável pela diagramação,

ço do jornal mural.

ga o momento de analisar tudo o que foi feito e descobrir entrevistaram todos que precisavam? As informações

azer a edição dos textos e supervisionar essas tarefas.

s pelos editores, os textos ainda devem passar por alguém

rafia e de digitação.

Módulo 4 - Comunicação

8. Divulgação:

Tome cuidado com a quantidade de informações e detalhes em cada peça. Quanto mais enxuto o material, mais assertiva a comunicação.

Conversa Há uma ferramenta de comunicação que usamos diariamente, mas que costumamos esquecê-la: a conversa. Muito mais do que um papo jogado fora, a conversa é um instrumento que possibilita que emissor e receptor comuniquem-se simultaneamente, pensando juntos sobre soluções para as questões que surgirem. Esse meio de comunicação costuma funcionar muito bem quando o objetivo é estabelecer parcerias.

ormalmente quando ocorre a maior correria. Os

diagramadores terminam de organizar o layout e a

MANUAL DO EDUCADOR

E como a procura por parceria nada mais é do que uma negociação, a conversa é uma das ferramentas mais indicadas.

Módulo 4 - Comunicação

97


Pontos positivos:

Objetivo

É pessoal;

Especifico

Não tem custo;

Os jovens deverão sair com u comunicação para internet e

Encontro passo a passo

Possibilita uma troca de opiniões direta entre os dois lados. Pontos negativos:

Preparação

Tem alcance restrito;

Seguir preparação padrão da página 47.

É preciso saber ouvir e respeitar o outro, o que nem sempre estamos preparados para fazer; Início

Não há registro do que foi combinado.

No horário marcado (dar 10 min de tolerância) inicie o Enco Relembre rapidamente o conteúdo visto no Encontro anter São muitos os veículos de comunicação que podem ser utilizados e é preciso analisar qual o objetivo que se quer atingir antes de definir qual ferramenta usar. Uma boa dica é observar como os alunos se comunicam entre si, com os professores, com o Grupo Gestor e com a comunidade escolar.

Na prática – 3o Encontro 3o Encontro - Roteiro de Aplicação

98

Módulo 4 - Comunicação

Os jovens precisam exercitar um olhar ampliado sobre o que que podem ser utilizadas. É preciso, apenas, saber adequar

Educador, neste Encontro, é fu com a missão de respon

Veja como organizar o Encontro na página 46.

Objetivo Geral

Esse 3º Encontro tem foco no planejamento das comunicaçõ Ação está sendo colocada em prática, é preciso divulgação

Neste Encontro, os jovens vão se deparar com diversas dificuldades de comunicação no Evadistão e terão que solucioná-las. Desta forma, será introduzido o tema de planejamento das comunicações dos Agentes Jovens.

MANUAL DO EDUCADOR

Como faremos para comunica feitas e, assim, mobilizar o

Para trabalhar esse tema, você promoverá um animado jog

Na prática – 3o Encontro


Especifico

Os jovens deverão sair com um planejamento de um veículo de comunicação para internet e de outro impresso ou para rádio ou TV.

Encontro passo a passo

s lados.

Preparação Seguir preparação padrão da página 47.

sempre estamos preparados para fazer; Início No horário marcado (dar 10 min de tolerância) inicie o Encontro dando boas-vindas aos jovens. Relembre rapidamente o conteúdo visto no Encontro anterior.

ser utilizados e é preciso analisar qual o amenta usar.

am entre si, com os professores, com o Grupo

Na prática – 3o Encontro

Objetivo

Esse 3º Encontro tem foco no planejamento das comunicações como ferramenta de mobilização. Agora que a Proposta de Ação está sendo colocada em prática, é preciso divulgação para convocar a comunidade escolar para a mobilização. Os jovens precisam exercitar um olhar ampliado sobre o que é comunicação e perceber que existem muitas ferramentas que podem ser utilizadas. É preciso, apenas, saber adequar o potencial de cada uma aos seus objetivos e público-alvo.

Educador, neste Encontro, é fundamental que os alunos saiam com a missão de responder à seguinte pergunta:

o se deparar com diversas dificuldades de terão que solucioná-las. Desta forma, será introduzido comunicações dos Agentes Jovens.

MANUAL DO EDUCADOR

Como faremos para comunicar as ações que estão sendo feitas e, assim, mobilizar o maior número de pessoas? Para trabalhar esse tema, você promoverá um animado jogo de tomada de decisões utilizando o tabuleiro.

Na prática – 3o Encontro

99


Viagem ao Evadistão

de ação que o grupo terá. Este material você enc estiver utilizando mais de um tabuleiro defina q Portanto, não se esqueça de fazer cópias das situ

Texto Introdutório – A batalha da Comunicação Essa história e todos os nomes citados nela, seja de países, continentes ou pessoas, são fictícios.

Para iniciar, cada grupo deverá partir de um qua localizados na parte interna do tabuleiro.

A história que se passa no Evadistão, embora inspirada em fatos históricos da humanidade, não corresponde a nenhuma ideologia política, sendo meramente ilustrativa. Lembre-se de que a real luta dos jovens é contra o abandono escolar.

Evad II não está para brincadeira e qualquer tipo de comunicação dos jovens mobilizadores está sendo cortada pelo tirano. Começa uma grande batalha pela comunicação. Quem será que irá ganhar?

TABULEIRO

O jogo é bastante simples: com os grupos posic a jogada. A partir daí, você deve ler o texto do re situação em que se encontram e dar-lhes as opç eles serão direcionados para outro quadrante.

Após um grupo jogar, passe para outro e, assim, Ganha quem chegar ao quadrante 20, sendo ass todos os quadrantes somam ou subtraem ponto deverá ser o que mais somou em audiência.

Aproveite e explique aos jovens que quanto m pessoas foram tocadas com aquela mensage costuma disputar os pontos de audiência dos

Batalha da Comunicação Materiais necessários: Tabuleiros

Ao finalizar o jogo, que poderá ter um desfecho favorável o eles acham que chegaram a esses resultados. As perguntas

Temas trabalhados: Estratégias de comunicação. Objetivo: Trabalhar com os jovens o conhecimento sobre pontos fortes e fracos das ferramentas de comunicação e estratégias de como comunicar para mobilizar.

- Eles fariam algo diferente do que os jovens - A que eles creditam o sucesso ou fracasso

Duração estimada: 30min

Após os jovens darem suas opiniões, faça um fechamento d Pegue um tabuleiro e separe os alunos em 3 grupos. Caso você tenha mais de 15 alunos, você pode usar mais tabuleiros, de modo que os grupos tenham em média 3 a 5 pessoas. Você será o moderador desse jogo, lendo as situações de cada casa e dando as possibilidades

conseguiram fazer o protesto, pois tiveram o cuidado de ati

não se restringindo apenas aos de fácil acesso como a Inter

Você também pode apresentar histórias reais de pessoas qu

Algumas estão disponíveis, sob forma de Leituras Complem

100

Na prática – 3o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática – 3o Encontro


ses, continentes ou pessoas, são fictícios.

Para iniciar, cada grupo deverá partir de um quadrante (respectivamente dos quadrantes 1, 2 e 3) localizados na parte interna do tabuleiro.

em fatos históricos da humanidade, não

amente ilustrativa. Lembre-se de que a real luta

dos jovens mobilizadores está sendo cortada pelo tirano.

á ganhar?

EIRO

O jogo é bastante simples: com os grupos posicionados nos quadrantes, decide-se quem iniciará a jogada. A partir daí, você deve ler o texto do respectivo quadrante do grupo, informando-lhes a situação em que se encontram e dar-lhes as opções de ação. Ao optar por uma ou outra situação, eles serão direcionados para outro quadrante. Após um grupo jogar, passe para outro e, assim, sucessivamente, até chegarem ao final do jogo. Ganha quem chegar ao quadrante 20, sendo assim bem-sucedido no protesto. Note que quase todos os quadrantes somam ou subtraem pontos de Audiência. O grupo que chegar à casa 20 deverá ser o que mais somou em audiência.

Na prática – 3o Encontro

ação

de ação que o grupo terá. Este material você encontra nas matrizes, ao final do Manual. Se você estiver utilizando mais de um tabuleiro defina qual aluno será o moderador dos demais tabuleiros. Portanto, não se esqueça de fazer cópias das situações para entregar a esses jovens.

Aproveite e explique aos jovens que quanto mais pontos de audiência, significa que mais pessoas foram tocadas com aquela mensagem. Faça uma analogia com a televisão que costuma disputar os pontos de audiência dos telespectadores.

municação

Ao finalizar o jogo, que poderá ter um desfecho favorável ou não para alguns grupos, analise com os jovens porque eles acham que chegaram a esses resultados. As perguntas abaixo podem lhe ajudar a provocar a discussão:

sobre pontos fortes e fracos das ferramentas para mobilizar.

- Eles fariam algo diferente do que os jovens do Evadistão fizeram? Por quê? - A que eles creditam o sucesso ou fracasso da ação? Por quê? Após os jovens darem suas opiniões, faça um fechamento dizendo que os grupos que obtiveram a vitória

s. Caso você tenha mais de 15 alunos, você pode m em média 3 a 5 pessoas.

es de cada casa e dando as possibilidades

conseguiram fazer o protesto, pois tiveram o cuidado de ativar lideranças e utilizaram diversos meios de comunicação, não se restringindo apenas aos de fácil acesso como a Internet. A cada dificuldade, a estratégia era reavaliada. Você também pode apresentar histórias reais de pessoas que tiveram que superar barreiras para se comunicar. Algumas estão disponíveis, sob forma de Leituras Complementares, no portal.

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática – 3o Encontro

101


A partir dessa discussão, iniciem a montagem de uma estratégia de comunicação em Internet e outro veículo (rádio, panfleto,

1

cartaz, fanzine, jornal mural etc) para a divulgação das ações e mobilização da comunidade. Nesse momento, é importante que

pontos positivos e ne

você apresente a eles, caso ainda não tenham sido usadas, as ferramentas de comunicação vistas no Módulo 4. Para auxiliá-lo, faça cópias das tabelas Diagnóstico e Planejamento de Veículos de Comunicação, localizadas no final do Manual, distribua entre os grupos e vá montando a estratégia com eles.

comunicação das açõ

III – Plano de Comunicação

comunidade escolar. 2

Oriente os jovens no

Ao final do Encontro, os Agentes Jovens devem ter uma estratégia definida para esses dois tipos de veículos e deverão colocá-

divulgação das ações

la em prática. Agende a próxima reunião com o grupo para acompanhar o andamento das ações.

impresso/áudio/vídeo

Resumo do 3o Encontro

I - Introdução

II – Viagem

ao Evadistão

102

Estimule a reflexão do

Na prática – 3o Encontro

Ações entre Encontros com

1

Dê boas-vindas aos Agentes Jovens.

2

Retome com eles o resultado da análise de dados e da proposta de ação desenvolvida.

3

Lembre-os de que para mobilizar para essas ações, é preciso comunicar o que está acontecendo.

1

Transporte-os novamente ao Evadistão, distribuindo os tabuleiros entre os grupos.

2

Inicie o jogo de tabuleiro. Nesse momento, é muito importante trabalhar o clima de suspense entre os jovens. Afinal, é um momento decisivo de confronto com Evad II.

3

Faça o fechamento da dinâmica, relacionando as situações vividas no Evadistão com a realidade dos jovens.

MANUAL DO EDUCADOR

Ao voltar do 3º Encontro, a primeira coisa que de como as ações estão caminhando, se tem havido momento de fazer os ajustes necessários e incor enquete na escola, perguntando a todos o que e muito rapidamente na hora do intervalo com um

É ainda muito importante que a ação que está s por todo o ambiente escolar, por isso, deve-se ex existem na escola e descobrir se elas estão send já existe, trazendo foco para cada um desses veí novos, é necessário entender qual é a demanda um instrumento que com o tempo acaba não su

Na prática – 3o Encontro


1

ilização da comunidade. Nesse momento, é importante que

pontos positivos e negativos, de modo que eles possam planejar a

mentas de comunicação vistas no Módulo 4.

de Veículos de Comunicação, localizadas no final do

eles.

Estimule a reflexão dos jovens sobre os veículos de comunicação, seus comunicação das ações da maneira mais adequada para a realidade da

III – Plano de Comunicação

comunidade escolar. 2

Oriente os jovens no desenvolvimento de estratégias de comunicação para

definida para esses dois tipos de veículos e deverão colocá-

divulgação das ações em dois veículos: Internet e algum outro que seja

anhar o andamento das ações.

impresso/áudio/vídeo.

Ações entre Encontros com os Agentes Jovens

Na prática – 3o Encontro

comunicação em Internet e outro veículo (rádio, panfleto,

ovens. análise de dados e da proposta de ação desenvolvida.

ilizar para essas ações, é preciso comunicar o

vadistão, distribuindo os tabuleiros entre os grupos.

e momento, é muito importante trabalhar o clima de al, é um momento decisivo de confronto com Evad II.

elacionando as situações vividas no Evadistão com a

MANUAL DO EDUCADOR

Ao voltar do 3º Encontro, a primeira coisa que deve ser feita é reunir todo o grupo para descobrir como as ações estão caminhando, se tem havido retornos positivos e/ou negativos. Esse é o momento de fazer os ajustes necessários e incorporá-los ao dia a dia. Uma dica é fazer uma pequena enquete na escola, perguntando a todos o que eles estão achando das ações. Isso pode ser feito muito rapidamente na hora do intervalo com uma prancheta na mão ou um gravador. É ainda muito importante que a ação que está sendo realizada torne-se cada vez mais conhecida por todo o ambiente escolar, por isso, deve-se explorar todas as ferramentas de comunicação que existem na escola e descobrir se elas estão sendo eficientes ou não. O ideal é sempre otimizar o que já existe, trazendo foco para cada um desses veículos. Caso perceba-se a importância de criar veículos novos, é necessário entender qual é a demanda por esse veículo para que ele não seja apenas mais um instrumento que com o tempo acaba não surtindo efeito.

Na prática – 3o Encontro

103


Módulo 5 – Mobilização Social

Vale lembrar que ser um líder ou um liderado nã

um é melhor que o outro. São apenas papéis dife

*Caso você seja um professor substituto e tenha iniciado a Capacitação neste Módulo, sugerimos que leia

pessoas com habilidades e perfis distintos.

todos os anteriores para melhor assimilação do conteúdo.

Neste Módulo, você aprenderá:

Mas quem são as pessoas considera

Os líderes são aqueles que criam e direcionam a mudança Conceitos de liderança e motivação;

dessa visão do futuro e engajam as pessoas comunicando

O que é comunicação persuasiva;

Eles engajam os liderados por meio da sua visão de futuro

Objetivos da Feira do Futuro e Plano de Vida.

autoestima e a autoconfiança das pessoas que os seguem,

Até aqui os Agentes Jovens já passaram pelo processo de pesquisar a realidade da escola, de desenvolver uma proposta de

Não é por acaso que os Agentes Jovens são importantes li

ação e de comunicar o que foi feito.

que vão trazer a visão de futuro e comunicar suas expecta de um objetivo comum.

Mas tudo isso só foi possível por causa da mobilização gerada em torno de cada uma dessas etapas. Para que esses processos mobilizadores sejam aceitos por todos, é preciso que existam dois fatores essenciais:

Capacidade de liderança + Motivação

Você sabe como eles atuam em conjunto? No Módulo 2, vimos que a mobilização ocorre quando um grupo de pessoas se une e age com um objetivo comum buscando realizar ações que atinjam as metas acordadas por todos.

Portanto, os líderes têm a capacidade de influenc

No entanto, não adianta ter líderes e liderados se não houv

Motivação é o resultado da interação do indivíduo com

que ocorre é que ela pode variar de pessoas para pesso

Dessa forma, podemos dizer que motivação é o processo r

esforços de uma pessoa para o alcance de uma determina

Mas para que isso aconteça, é preciso que essa ideia seja “vendida” por uma pessoa ou um grupo (líderes) e,

Cabe aos líderes perceber qual liderado está mais motivad

consequentemente, seja “comprada” por outro grupo (liderados).

104

Módulo 5 – Mobilização Social

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 5 – Mobilização Social


um é melhor que o outro. São apenas papéis diferentes para

acitação neste Módulo, sugerimos que leia

pessoas com habilidades e perfis distintos.

IMPORTANT E

Mas quem são as pessoas consideradas Líderes? Os líderes são aqueles que criam e direcionam a mudança. Eles estabelecem direções através do desenvolvimento dessa visão do futuro e engajam as pessoas comunicando-as dessa visão e inspirando-as a superar os obstáculos.

Eles engajam os liderados por meio da sua visão de futuro, inspirando-os a superar obstáculos. Assim, despertam a autoestima e a autoconfiança das pessoas que os seguem, tornando-se, para elas, um exemplo de comportamento.

r a realidade da escola, de desenvolver uma proposta de

Não é por acaso que os Agentes Jovens são importantes lideranças no processo de mobilização da escola. São eles que vão trazer a visão de futuro e comunicar suas expectativas para que a comunidade escolar possa sair em busca de um objetivo comum.

Módulo 5 – Mobilização Social

Vale lembrar que ser um líder ou um liderado não significa que

torno de cada uma dessas etapas.

preciso que existam dois fatores essenciais:

ança + Motivação

atuam em conjunto?

e pessoas se une e age com um objetivo comum

.

Portanto, os líderes têm a capacidade de influenciar um grupo em direção aos objetivos comuns.

No entanto, não adianta ter líderes e liderados se não houver, entre eles, motivação. Motivação é o resultado da interação do indivíduo com uma situação. Por isso, todos podem ter motivação. O que ocorre é que ela pode variar de pessoas para pessoa, dependendo da situação.

Dessa forma, podemos dizer que motivação é o processo responsável pela intensidade, direção e persistência dos esforços de uma pessoa para o alcance de uma determinada meta.

” por uma pessoa ou um grupo (líderes) e, Cabe aos líderes perceber qual liderado está mais motivado para realizar uma ou outra ação.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 5 – Mobilização Social

105


Lição 2

José Herbert de Souza – 1935 a 1997

A história da humanidade está repleta de grandes líderes que possuíam um forte poder de mobilização em torno de causas sociais,

O mineiro José Herbert de Souza, conhecido como Betinho, f

mas alguns se destacaram pelo grande alcance das transformações que propuseram. Vamos conhecer um pouco das histórias de

mecanismos que até hoje ajudam a construir um Brasil melho

Ghandi, Mandela e Betinho!

o IBASE - Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econôm

Mahatma Ghandi – 1869 a 1948

A Ação da Cidadania Contra a Fome, a Miséria e pela Vida

Mahatma Ghandi foi o maior porta-voz que a Índia teve até hoje.

Sociólogo e ativista de causas sociais, nunca deixou abater-se frequentes transfusões sanguíneas, adquiriu o vírus HIV, que

Devotou a sua vida à causa da Independência da Índia e foi extremamente importante no processo político e religioso de seu povo. Um verdadeiro líder político e espiritual que soube utilizar toda a tradição da Índia para re-erguer o orgulho de sua gente, abalado pela dominação britânica.

De origens tão diferentes, o que estes

Ghandi, Mandela e José Herbert de Souza, cada um com sua Gandhi centrou sua luta em demonstrar a superioridade moral dos hindus sobre seus dominadores britânicos defendendo a

do povo e organizar todos seus anseios em movimentos soci

não-violência e a persistência pela verdade.

Eles resgataram a autoestima e a confiança da população qu agora, isso nada mais é que mobilização!

Nelson Mandela - 1918

Para ter tantos seguidores, esses líderes se valiam de uma com

Foi numa África do Sul, dominada pelo Apartheid, regime que negava direitos políticos, sociais e econômicos aos negros, mestiços e indianos, que nasceu Nelson Mandela.

A palavra persuadir vem do latim Persuadere, que significa ac

O então estudante de Direito tornou-se o principal representante do movimento anti-apartheid, sendo considerado pelo povo um

Já o termo convencer é derivado da palavra vencer. A pessoa

guerreiro em luta pela liberdade. Porém, o governo o considerava um terrorista e, por isso, passou quase três décadas na cadeia.

agir, ou não, de acordo com as ideias de quem lhe convenceu

Já em liberdade, em 1993, Nelson Mandela recebeu o Prêmio Nobel da Paz e tornou-se presidente da África do Sul de 1994 a 1999.

Por outro lado, quem foi persuadido acaba fazendo o que lhe A persuasão é capaz de fazer agir.

106

Módulo 5 – Mobilização Social

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 5 – Mobilização Social


m um forte poder de mobilização em torno de causas sociais,

O mineiro José Herbert de Souza, conhecido como Betinho, foi um pilar na criação e no desenvolvimento de diversos

ue propuseram. Vamos conhecer um pouco das histórias de

mecanismos que até hoje ajudam a construir um Brasil melhor como: o IBASE - Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas; A Ação da Cidadania Contra a Fome, a Miséria e pela Vida. Sociólogo e ativista de causas sociais, nunca deixou abater-se pela doença que herdou da mãe, a hemofilia. Por causa das frequentes transfusões sanguíneas, adquiriu o vírus HIV, que o motivou a criar a Associação Interdisciplinar de AIDS.

mente importante no processo político e religioso de seu povo.

ição da Índia para re-erguer o orgulho de sua gente, abalado

De origens tão diferentes, o que estes homens têm em comum? Ghandi, Mandela e José Herbert de Souza, cada um com sua causa e à sua maneira, conseguiram traduzir as necessidades

ndus sobre seus dominadores britânicos defendendo a

do povo e organizar todos seus anseios em movimentos sociais.

Módulo 5 – Mobilização Social

José Herbert de Souza – 1935 a 1997

Eles resgataram a autoestima e a confiança da população que se uniu em torno de um objetivo comum. E como vimos até agora, isso nada mais é que mobilização! Para ter tantos seguidores, esses líderes se valiam de uma comunicação altamente persuasiva.

direitos políticos, sociais e econômicos aos negros, mestiços e A palavra persuadir vem do latim Persuadere, que significa aconselhar ou “levar a uma opinião”.

movimento anti-apartheid, sendo considerado pelo povo um

Já o termo convencer é derivado da palavra vencer. A pessoa convencida foi “vencida” por uma argumentação e pode

terrorista e, por isso, passou quase três décadas na cadeia.

agir, ou não, de acordo com as ideias de quem lhe convenceu.

a Paz e tornou-se presidente da África do Sul de 1994 a 1999.

Por outro lado, quem foi persuadido acaba fazendo o que lhe foi pedido de livre e espontânea vontade. A persuasão é capaz de fazer agir.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 5 – Mobilização Social

107


Ela apela para a vontade e para as emoções das pessoas, enquanto que o convencimento mexe com a inteligência e com a razão.

A feira funciona como um resgate da trajetória dos Agentes Jo

Pense no problema do abandono escolar. Você sabe que as estatísticas mostram que cada ano de estudo tem impacto positivo no

durante o ano como os resultados da pesquisa, o mapeament

aumento da renda de um profissional. Poderíamos utilizar esses números para “convencer” uma pessoa de que estudar vale a pena,

das ações realizadas.

apelando para a lógica. Ou poderíamos usar essa informação de forma mais “persuasiva“, apelando para a emoção, mostrando que a pessoa, ao abandonar a escola, tem dificuldades para conseguir um bom emprego e salário e, dessa forma, terá mais dificuldades em

Para isso, deverá ser utilizado um espaço central e de grande c

realizar alguns de seus sonhos.

pessoas possa participar da feira.

Veja algumas dicas que podem ajudar na construção de uma comunicação persuasiva. A feira não finaliza o processo de mobilização, que é Prefi ra tempos verbais no presente. Prefi ra tempos verbais no presente.

Apenas mostra o que tem sido realizado.

Substitua “queria” “quero” Ex.:Ex.: Substitua “queria” porpor “quero” . .

Ela é uma espécie de prestação de contas para aqueles que palavras geram incertezas e dúvidas. NãoNão useuse palavras queque geram incertezas e dúvidas.

agentes mobilizadores da escola.

de “acho” “acredito” Ex.:Ex.: EmEm vezvez de “acho” , use, use “acredito” . .

Sugestões para montagem da Feira d

Evite expressões soem como “enrolação” , como o gerundismo. Evite expressões queque soem como “enrolação” , como o gerundismo. “Vou estar mostrando” nunca! Conjugue o verbo adequadamente: mostrarei” Ex.:Ex.: “Vou estar lhe lhe mostrando” nunca! Conjugue o verbo adequadamente: “lhe“lhe mostrarei” . .

Lembrando que, como já vimos nos módulos anteriores, não basta escolher a ferramenta mais adequada e comunicar de forma

Os estandes da feira podem ser organizados jun toalhas brancas ou até mesmo coloridas (desde e deixá-lo mais “limpo”.

persuasiva: é preciso tornar a comunicação um hábito constante. É importantíssimo expor as pesquisas, as ações, os resultados obtidos e tudo o que tem sido feito em torno daquele objetivo.

Cada estande pode ter um tema como, por exem tema tenha sido tratado.

Lição 3

Apresente uma linha do tempo que mostre de o chegaram. O ideal seria que essa linha do tempo ações realizadas em cada um deles.

Uma das últimas tarefas dos Agentes Jovens é a organização da Feira do Futuro!

Exemplo: aplicação da pesquisa em Abril; 1ª ação pa

Nela, eles podem expor para toda a comunidade escolar os principais elementos que fizeram parte da mobilização.

108

Módulo 5 – Mobilização Social

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 5 – Mobilização Social


A feira funciona como um resgate da trajetória dos Agentes Jovens e deverá expor todo o material produzido pelo grupo

mostram que cada ano de estudo tem impacto positivo no

durante o ano como os resultados da pesquisa, o mapeamento da comunidade, as peças de comunicação utilizadas e fotos

os para “convencer” uma pessoa de que estudar vale a pena,

das ações realizadas.

mais “persuasiva“, apelando para a emoção, mostrando que a

m emprego e salário e, dessa forma, terá mais dificuldades em

Para isso, deverá ser utilizado um espaço central e de grande circulação na escola para que o maior número possível de pessoas possa participar da feira.

ação persuasiva. A feira não finaliza o processo de mobilização, que é constante. Apenas mostra o que tem sido realizado.

IMPORTANT E

Ela é uma espécie de prestação de contas para aqueles que confiaram nos Agentes Jovens e acreditaram neles como agentes mobilizadores da escola.

Sugestões para montagem da Feira do Futuro

Módulo 5 – Mobilização Social

o convencimento mexe com a inteligência e com a razão.

undismo. dismo.

quadamente: mostrarei” damente:“lhe“lhe mostrarei” . .

olher a ferramenta mais adequada e comunicar de forma

Os estandes da feira podem ser organizados juntando de duas a três carteiras e cobrindo-as com toalhas brancas ou até mesmo coloridas (desde que lisas). Essa técnica ajuda a padronizar o visual e deixá-lo mais “limpo”.

tudo o que tem sido feito em torno daquele objetivo.

Cada estande pode ter um tema como, por exemplo, “Estande do Combate ao Bullying” caso esse tema tenha sido tratado. Apresente uma linha do tempo que mostre de onde os Agentes Jovens partiram e até onde eles chegaram. O ideal seria que essa linha do tempo tivesse todos os meses do ano e as principais ações realizadas em cada um deles.

o Futuro!

Exemplo: aplicação da pesquisa em Abril; 1ª ação para combater ao abandono escolar em Junho.

lementos que fizeram parte da mobilização.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 5 – Mobilização Social

109


A feira pode contar com diversos recursos, como vídeos que mostram as principais ações realizadas, entrevistas com pessoas da comunidade dizendo que tipo de escola elas gostariam de ter, imagens do antes e depois, entre outros. Geralmente, recursos audiovisuais causam bastante impacto. Cartazes com os resultados das pesquisas (podem ser aqueles já utilizados anteriormente) também ajudam a dar consistência à feira e a justificar as ações realizadas. Mas lembre-se: os cartazes têm que ser legíveis, com letras grandes. Os materiais de comunicação produzidos ao longo do projeto (cartazes, jornal mural, fanzines, blogs etc) podem ser expostos. Outra ideia é fazer intervenções lúdicas, como um jogo ou uma peça de teatro, que tenham como objetivo provocar alguma sensação nos outros alunos. A feira não precisa acontecer em um único dia, possibilitando que mais pessoas possam visitá-la. Os Agentes Jovens podem conversar com os professores da escola, propondo que eles cedam alguns minutos de suas aulas, levando as respectivas turmas a conhecerem a feira.

Nela, cada parte da árvore representa:

Raízes: valores pessoais, habilidades, coisas e pes objetivos;

Galhos: caminhos que levam à realização dos son

Frutos: os jovens adicionam, na copa da árvore, q neles seus sonhos.

Na explicação sobre a realização do Encontro, você ve contexto do Evadistão.

Estamos chegando ao fim da formação dos Agentes Jovens É hora de fechar este ciclo de Agentes Jovens alimentando

A Feira do Futuro ajuda os jovens a visualizarem todo o trabalho que desenvolveram ao longo do ano.

ao longo do projeto.

Aproveite a oportunidade e promova uma reflexão sobre tudo o que eles construíram com base em muito

Agora, eles sabem que são capazes de liderar e iniciar um p

planejamento e trabalho.

Aproveite e reforce, com os Planos de Vida, que eles devem A ideia é, com isso, prepará-los para um segundo momento que é o da construção de seus Planos de Vida!

próprio futuro.

Após terem pensado num plano para a escola, é hora de cada Agente Jovem pensar no seu próprio plano de vida. Esse é um momento de autoconhecimento muito importante em que os jovens poderão entender melhor quais suas habilidades e como eles podem utilizá-las em sua vida pessoal e até mesmo na escola. Esse plano pode ser feito a partir de uma metodologia chamada Árvore dos Sonhos, que provoca a reflexão sobre a importância de cada indivíduo ter objetivos, sonhos, projetos e procurar concretizá-los.

110

Módulo 5 – Mobilização Social

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 5 – Mobilização Social


er aqueles já utilizados anteriormente) também ões realizadas. Mas lembre-se: os cartazes têm

do projeto (cartazes, jornal mural, fanzines, ntervenções lúdicas, como um jogo ou uma r alguma sensação nos outros alunos.

sibilitando que mais pessoas possam visitá-la. Os es da escola, propondo que eles cedam alguns as a conhecerem a feira.

Nela, cada parte da árvore representa: Raízes: valores pessoais, habilidades, coisas e pessoas que ajudam os jovens a irem em busca de seus objetivos; Galhos: caminhos que levam à realização dos sonhos; Frutos: os jovens adicionam, na copa da árvore, quantos frutos forem necessários para colocarem neles seus sonhos. Na explicação sobre a realização do Encontro, você verá como essa metodologia será aplicada no contexto do Evadistão.

Estamos chegando ao fim da formação dos Agentes Jovens com a realização do 4º e último Encontro! É hora de fechar este ciclo de Agentes Jovens alimentando nos participantes a semente de mudança que foi plantada

ue desenvolveram ao longo do ano.

ao longo do projeto.

ue eles construíram com base em muito

Agora, eles sabem que são capazes de liderar e iniciar um processo de transformação na comunidade.

Módulo 5 – Mobilização Social

deos que mostram as principais ações realizadas, ue tipo de escola elas gostariam de ter, imagens os audiovisuais causam bastante impacto.

Aproveite e reforce, com os Planos de Vida, que eles devem usar esse aprendizado adquirido para planejar seu

o da construção de seus Planos de Vida!

próprio futuro.

nte Jovem pensar no seu próprio plano de vida.

que os jovens poderão entender melhor quais suas

é mesmo na escola.

rvore dos Sonhos, que provoca a reflexão sobre a

ocurar concretizá-los.

MANUAL DO EDUCADOR

Módulo 5 – Mobilização Social

111


Na prática – 4 Encontro

Diga que, em vários momentos da história da humanidade,

4 Encontro – Roteiro de aplicação

Os Agentes Jovens, dentro de sua comunidade escolar, já de

o

problemas sociais. Muitos deles não ficaram parados diante

Veja como organizar o Encontro na página 46. o

Objetivo Geral

realidade do abandono escolar.

Neste Encontro, os jovens deverão agir em conjunto para derrubar Evad II. Com isso, eles poderão mudar o nome do país Evadistão, agora reconquistado. Os grandes heróis desta batalha servirão de inspiração para a árvore dos sonhos dos jovens, que serão incumbidos da tarefa de organizar a Feira do Futuro.

Procure sintetizar o conceito de líder que foi explorado no M conceito abaixo no quadro.

Os líderes têm a capacidade de influenciar um gr

Objetivo

Específico

Construção de planos de vida e planejamento da Feira do Futuro.

Educador, neste Encontro, é saiam com a missão de res

Encontro passo a passo

De que maneira irei a

Preparação Seguir preparação padrão da página 46.

Na sequência, apresente os três mobilizadores sociais que f

Início

Gandhi e Herbert de Souza (Betinho).

No horário marcado (dar 10 min de tolerância) inicie o Encontro dando boas-vindas aos jovens.

Você também pode apresentar alguma outra pessoa que vo Relembre rapidamente o conteúdo visto no Encontro anterior e, em seguida, aborde o tema liderança.

Quando você terminar de apresentar os líderes, diga aos jov Utilize exemplos de ações que os Agentes Jovens já tenham realizado para mostrar que eles estão assumindo um importante

algumas lideranças locais.

papel de liderança dentro da escola.

112

Na prática – 4o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática – 4o Encontro


problemas sociais. Muitos deles não ficaram parados diante da situação, liderando o processo de mudança.

Os Agentes Jovens, dentro de sua comunidade escolar, já desempenham papel de liderança similar, tentando mudar a realidade do abandono escolar.

r em conjunto para derrubar Evad II. Com isso, vadistão, agora reconquistado. Os grandes ação para a árvore dos sonhos dos jovens, que zar a Feira do Futuro.

Procure sintetizar o conceito de líder que foi explorado no Módulo 5 do curso a distância. Se possível, escreva o conceito abaixo no quadro.

Os líderes têm a capacidade de influenciar um grupo em direção aos objetivos comuns.

ejamento da Feira do Futuro.

Na prática – 4o Encontro

Diga que, em vários momentos da história da humanidade, homens e mulheres se viram confrontados com

Educador, neste Encontro, é fundamental que os alunos saiam com a missão de responder à seguinte pergunta:

Preparação Seguir preparação padrão da página XXX. Início

No horário marcado (dar 10 min de tolerância) inicie

Relembre rapidamente o conteúdo visto no Encontr

Esse 3º Encontro tem foco no planejamento das comu

Ação está sendo colocada em prática, é preciso divul

Os jovens precisam exercitar um olhar ampliado sobr

que podem ser utilizadas. É preciso, apenas, saber ad

Para trabalhar esse tema, você promoverá um anima

A feira pode contar com diversos recursos, como vídeos que

De que maneira irei alcançar o meu sonho?

pessoas da comunidade dizendo que tipo de escola elas gos

Geralmente, recursos audiovisuais causam bastante impacto

- Cartazes com os resultados das pesquisas (podem ser aque

dar consistência à feira e a justificar as ações realizadas. Mas l

Na sequência, apresente os três mobilizadores sociais que foram destacados no curso: Nelson Mandela, Mahatma

grandes.

Gandhi e Herbert de Souza (Betinho).

- Os materiais de comunicação produzidos ao longo do proje

expostos. Outra ideia é fazer intervenções lúdicas, como um j

ndo boas-vindas aos jovens.

provocar alguma sensação nos outros alunos.

Você também pode apresentar alguma outra pessoa que você considere exemplar.

- A feira não precisa acontecer em um único dia, possibilitand

m seguida, aborde o tema liderança.

podem conversar com os professores da escola, propondo qu

Quando você terminar de apresentar os líderes, diga aos jovens que vocês voltarão ao Evadistão, agora para conhecer

do para mostrar que eles estão assumindo um importante

respectivas turmas a conhecerem a feira.

algumas lideranças locais.

A Feira do Futuro ajuda os jovens a visualizarem todo o traba

Aproveite a oportunidade e promova uma reflexão, sobre tud

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática – 4o Encontro

113


Viagem ao Evadistão

Temas trabalhados: Conhecimento de personalid

Texto Introdutório – Democracia volta ao Evadistão

Tempo estimado: 40 minutos

Essa história e todos os nomes citados nela, seja de países, continentes ou pessoas, são fictícios. A história que se passa no Evadistão, embora inspirada em fatos históricos da humanidade, não corresponde a nenhuma ideologia política, sendo meramente ilustrativa. Lembre-se de que a real luta dos jovens é contra o abandono escolar.

Vocês achavam que o Evadistão não tinha heróis? Assim como aconteceu na história da humanidade em diversos países, sempre que um povo encontra-se em uma situação de opressão, cedo ou tarde, surgem mobilizadores que lideram importantes processos de mudança. Vocês já passaram por várias situações no Evadistão. Viram que é preciso aliar seus esforços com outras lideranças, pois só assim derrubarão Evad II. Vocês conhecerão agora três pessoas que estão liderando importantes processos de mobilização no Evadistão. Seus nomes são Omar, Said e Adilah. No jogo que acontecerá a seguir, sua missão é reunir o seu grupo de mobilização para ajudar algum desses líderes. Finalmente, o povo mobiliza-se e por meio de lideranças sociais trava uma grande batalha com Evad. Quem será que vencerá?

Tabuleiro Grandes Heróis do Evadistão Materiais necessários: cópias das fichas dos grandes heróis do Evadistão, folhas de jornal, papel, canetas e material para fazer as bandeiras.

114

Na prática – 4o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR

Distribua os tabuleiros e peça que os jovens formem atribuir aleatoriamente um herói. Forneça a ficha co Explique que caberá a cada grupo passar por três d consigam passar pelos seus desafios Evad II será de grupo falhar, Evad II conseguirá escapar mais uma v

1a Fase: Peça aos jovens que coloquem uma peça no tabule Todos devem começar na linha dos desafios de “cri Uma vez que todos os grupos estejam posicionado têm cinco minutos para realizar a tarefa com sucess Said quer que toda a multidão que estiver em seu f está com Said terá que criar um grito de guerra par Omar está preocupado em criar uma identidade pa Omar terá que criar uma bandeira para o movimen Adilah quer ter uma frase que, além de disseminar o pessoas. Portanto, o grupo que está com ela deverá publicitário para o movimento.

Quando o tempo se encerrar, peça a cada grupo qu o grupo se você pode considerar a primeira fase de

2a Fase: Passe, então para a segunda fase de desafios. Os jov desafios de “ação”. Explique que o nível de dificulda minutos para realizar o desafio.

O grupo que está com Said deverá ajudá-lo, pois um teve que cancelar. Cabe ao grupo escolher uma mú que ser necessariamente contra Evad II. O grupo que está com Omar tem que ajudá-lo a co conseguir mais de 100 assinaturas diferentes. Você a coleta, porém coloque um número desafiador, qu pode se dividir para buscar assinaturas dentro e for

Na prática – 4o Encontro


vadistão

Tempo estimado: 40 minutos

ontinentes ou pessoas, são fictícios. atos históricos da humanidade, não te ilustrativa. Lembre-se de que a real luta

ses, sempre que um povo encontra-se em uma situação de antes processos de mudança.

eciso aliar seus esforços com outras lideranças, pois só

ntes processos de mobilização no Evadistão. Seus nomes

e mobilização para ajudar algum desses líderes.

va uma grande batalha com Evad. Quem será que vencerá?

o Evadistão

eróis do Evadistão, folhas de jornal, papel,

MANUAL DO EDUCADOR

Distribua os tabuleiros e peça que os jovens formem três grupos em cada um. Para cada grupo você deve atribuir aleatoriamente um herói. Forneça a ficha com a descrição e a árvore de cada herói. Explique que caberá a cada grupo passar por três desafios para ajudar o seu líder. Caso os três grupos consigam passar pelos seus desafios Evad II será derrotado e a democracia voltará ao Evadistão. Se um grupo falhar, Evad II conseguirá escapar mais uma vez. 1a Fase: Peça aos jovens que coloquem uma peça no tabuleiro na área do jogo dos Grandes Heróis do Evadistão. Todos devem começar na linha dos desafios de “criação”. Uma vez que todos os grupos estejam posicionados, explique que para o primeiro desafio todos os grupos têm cinco minutos para realizar a tarefa com sucesso e apresentá-la aos demais. Said quer que toda a multidão que estiver em seu festival clame pela saída de Evad II do poder. O grupo que está com Said terá que criar um grito de guerra para o movimento de oposição a Evad II. Omar está preocupado em criar uma identidade para poder mobilizar as pessoas. O grupo que está com Omar terá que criar uma bandeira para o movimento. Adilah quer ter uma frase que, além de disseminar os ideais do movimento, fique marcada na memória das pessoas. Portanto, o grupo que está com ela deverá criar um lema ou algo que se assemelhe a um “slogan” publicitário para o movimento.

Na prática – 4o Encontro

Temas trabalhados: Conhecimento de personalidades importantes da humanidade, planos de vida.

Quando o tempo se encerrar, peça a cada grupo que apresente as suas criações para os demais. Avalie com o grupo se você pode considerar a primeira fase de desafios vencida. 2a Fase: Passe, então para a segunda fase de desafios. Os jovens devem posicionar suas peças na segunda linha, nos desafios de “ação”. Explique que o nível de dificuldade vai aumentando em cada fase. Dessa vez eles têm 10 minutos para realizar o desafio. O grupo que está com Said deverá ajudá-lo, pois uma das bandas que estava confirmada para o seu festival teve que cancelar. Cabe ao grupo escolher uma música que conheçam e criar uma paródia. A paródia tem que ser necessariamente contra Evad II. O grupo que está com Omar tem que ajudá-lo a colher assinaturas em um abaixo-assinado. O desafio é conseguir mais de 100 assinaturas diferentes. Você pode diminuir esse número caso julgue impossível fazer a coleta, porém coloque um número desafiador, que os obrigue a sair da sala para coletar. Para isso o grupo pode se dividir para buscar assinaturas dentro e fora da sala.

Na prática – 4o Encontro

115


O grupo que está com Adilah deve auxiliá-la em uma manifestação. Durante o protesto, algumas pessoas se feriram durante um tumulto. Cabe ao grupo transportar os feridos de um lado para o outro da sala. Na verdade, o grupo deve transportar com segurança todos os seus integrantes, de um lado para o outro da sala, sem que eles toquem os pés no chão. Apenas dois integrantes podem fazer o transporte de “feridos”. 3a Fase: Chegamos à terceira fase do jogo. Agora o desafio é o mesmo para todos os grupos.

derrubar Evad. Pergunte como isso se aplica à realid eles reflitam sobre a importância do seu trabalho c de trabalhar se estiverem sozinhos.

Finalizado o jogo de tabuleiro, inicie a dinâmica da construç

Explique que Evad II não suportará se todos se unirem contra ele. Chegou a hora de fazer um ataque aéreo ao governo. Comente que os jovens podem não acreditar, mas que cada grupo vai receber um tapete voador. Com este tapete, ele poderão jogar panfletos sobre toda a cidade a fim de ganhar de vez o apoio de toda a população. Dê uma folha de jornal para cada grupo. Explique que esta folha de jornal é o tapete voador e que todos do grupo deverão subir nele. Depois que todos os grupos embarcaram nos seus tapetes, explique que só há um problema. Como o pessoal não tem tanta prática com tapetes voadores, todos subiram com os tapetes virados no lado errado. Porém os tapetes já estão voando e não é possível descer para colocá-los no lado correto. Cada grupo deverá virar o seu durante o voo. Diga exatamente a seguinte frase: “a tarefa dos grupos é trabalhar em equipe para conseguir mudar o lado do tapete voador em pleno voo, sem deixar nenhum integrante cair”. Explique que é proibido pisar em qualquer pedaço do chão que não tenha o jornal. Tente dispor os grupos a cerca de um metro de distância um do outro. Dê início ao jogo. Provavelmente os jovens entenderão que estão competindo entre si. Somente depois de algumas tentativas eles se darão conta que para virar o tapete em pleno voo terão que utilizar os tapetes dos outros grupos. A solução desse desafio é que os integrantes do tapete A passem para o tapete B e C, por exemplo, virem o seu tapete e depois recebam integrantes de outros tapetes até que todos os tapetes sejam virados. É impossível virar o tapete sem a ajuda do grupo ao lado. Quando eles chegarem a esta conclusão e conseguirem virar todos os tapetes, parabenize-os e comemore, pois com a conclusão dessa tarefa eles acabaram de derrubar o governo Evad II. Faça uma reflexão sobre liderança e trabalho em equipe. Mostre que só assim eles conseguiram

116

Na prática – 4o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR

Dinâm

Árvore do

Materiais necessários: cópias da Árvore dos Sonh Temas trabalhados: Planos de vida. Tempo estimado: 50 minutos

Pergunte aos jovens se eles repararam que cada Árvore dos Sonhos.

Explique que aquela árvore é uma maneira de rep

As raízes da árvore representam aquelas coisas ma nossos sonhos. Fazem parte das raízes nossos valo apoio, nossas habilidades, conhecimentos e atitud

O caule representa os caminhos ou principais estr realizar os seus sonhos.

Finalmente, os frutos são os sonhos ou objetivos q

Na prática – 4o Encontro


o para todos os grupos.

derrubar Evad. Pergunte como isso se aplica à realidade deles como Agentes Jovens. Espera-se que eles reflitam sobre a importância do seu trabalho como lideranças da escola e sobre as dificuldades de trabalhar se estiverem sozinhos.

Finalizado o jogo de tabuleiro, inicie a dinâmica da construção da Árvore dos Sonhos dos Agentes Jovens.

ntra ele. Chegou a hora de fazer um ataque

grupo vai receber um tapete voador. Com a fim de ganhar de vez o apoio de toda a que esta folha de jornal é o tapete voador os grupos embarcaram nos seus tapetes, anta prática com tapetes voadores, todos etes já estão voando e não é possível descer u durante o voo. Diga exatamente a seguinte nseguir mudar o lado do tapete voador em que é proibido pisar em qualquer pedaço do

Dinâmica Árvore dos Sonhos

Na prática – 4o Encontro

stação. Durante o protesto, algumas pessoas s feridos de um lado para o outro da sala. Na eus integrantes, de um lado para o outro da rantes podem fazer o transporte de “feridos”.

Educador, neste Encontro, é f com a missão de resp

Materiais necessários: cópias da Árvore dos Sonhos dos heróis do Evadistão. Temas trabalhados: Planos de vida. Tempo estimado: 50 minutos

do outro. Dê início ao jogo.

entre si. Somente depois de algumas no voo terão que utilizar os tapetes dos outros

sem para o tapete B e C, por exemplo, virem até que todos os tapetes sejam virados. É

todos os tapetes, parabenize-os e comemore, r o governo Evad II.

tre que só assim eles conseguiram

MANUAL DO EDUCADOR

Como faremos para comun feitas e, assim, mobilizar

Pergunte aos jovens se eles repararam que cada um dos heróis do Evadistão possui uma Árvore dos Sonhos. Explique que aquela árvore é uma maneira de representar resumidamente um plano de vida. As raízes da árvore representam aquelas coisas mais fundamentais que possuímos para realizar nossos sonhos. Fazem parte das raízes nossos valores, as pessoas que formam nosso círculo de apoio, nossas habilidades, conhecimentos e atitudes. O caule representa os caminhos ou principais estratégias que a pessoa acredita que a levará a realizar os seus sonhos. Finalmente, os frutos são os sonhos ou objetivos que a pessoa deseja atingir.

Na prática – 4o Encontro

117


Diga aos alunos que as Árvores dos Sonhos dos heróis do Evadistão possuem frutos que já foram colhidos ou que eles ainda esperam colher. Distribua uma folha de planejamento da árvore dos sonhos. Você encontra uma matriz ao final deste Manual. Peça a cada jovem que preencha a sua árvore de forma sincera e individual. Eles devem pensar nas raízes, no caule e nos frutos.

II – Viagem

ao Evadistão

1

Divida os jovens em três gru

2

Peça que apresentem os p Conquista do Evadistão. Ne estão no duelo final com E

3

Finalizado o duelo, diga ao tirano Evad II, eles podem e

1

Explique aos jovens com exemplos as árvores dos construa a sua.

2

Reforce o poder transform ocorreram até aqui.

3

Proponha a criação da Fe para que os jovens iniciem melhor maneira de organ

4

Agende a próxima reuniã

É interessante que a experiência como Agente Jovem seja levada em consideração, pois isso pode ter despertado habilidades que os jovens nem sabiam que tinham. Ou então, que ao longo deste ano suas ideias a respeito de carreira e formação tenham mudado. Dê cerca de 20 minutos para que todos criem as suas árvores. Ao final, promova um debate sobre a dificuldade de planejar e pensar no futuro. Peça a alguns alunos para apresentar as suas árvores, ou então promova uma breve exposição. Para tal você pode levar corda e pregadores de varal e fazer um varal de árvores para que todos circulem e leiam.

Após terem feito seus planos de vida, proponha que os jovens pensem em criar a Feira do Futuro, expondo para toda a comunidade escolar a trajetória de mobilização e mudança que eles iniciaram. Isso é muito importante não só para reconhecer o trabalho do grupo de Agentes Jovens como também para inspirar a escola.

III – Árvores dos Sonhos e Feira do Futuro

Sugestões de como montar a Feira estão nas páginas 109 e 110 deste Manual.

Resumo do 4o Encontro

I - Introdução

118

Na prática – 4o Encontro

Ações entre Encontros com

1

Dê boas-vindas aos Agentes Jovens.

2

Repasse com eles as ações que estão sendo feitas e a estruturação da comunicação.

o que vão expor, como, quando e onde. O Grupo

3

Apresente o conceito de liderança e fale sobre os 3 Grandes Mobilizadores da

envolvidos, pois quanto mais alinhada estiver a

humanidade que estão no Módulo 5: Mahatma Ghandi, Nelson Mandela e Betinho.

toda a comunidade escolar tenha contato com

Após o último Encontro, os jovens devem se reu

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática – 4o Encontro


onhos. Você encontra uma matriz ao final

ma sincera e individual. Eles devem pensar

II – Viagem

ao Evadistão

1

Divida os jovens em três grupos e dê um personagem Heróis do Evadistão para cada grupo.

2

Peça que apresentem os personagens que estão representando e inicie o jogo da Conquista do Evadistão. Nesse momento, estimule a empolgação dos jovens, pois eles estão no duelo final com Evad II.

3

Finalizado o duelo, diga aos jovens que, como eles saíram vitoriosos e derrubaram o tirano Evad II, eles podem escolher outro nome para o país, simbolizando essa nova era.

1

Explique aos jovens como funciona a construção da Árvore dos Sonhos e use como exemplos as árvores dos heróis do Evadistão. Em seguida, peça que cada aluno construa a sua.

2

Reforce o poder transformador de cada um deles e relembre os principais fatos que ocorreram até aqui.

3

Proponha a criação da Feira do Futuro, explicando o seu objetivo e abrindo espaço para que os jovens iniciem a organização da mesma. Lembre de orientá-los quanto a melhor maneira de organizar a feira.

4

Agende a próxima reunião.

seja levada em consideração, pois isso pode m que tinham. Ou então, que ao longo deste am mudado.

árvores. Ao final, promova um debate sobre guns alunos para apresentar as suas árvores, ê pode levar corda e pregadores de varal e eiam.

III – Árvores

em em criar a Feira do Futuro, expondo para toda a s iniciaram.

e Feira do

o de Agentes Jovens como também para inspirar a escola.

dos Sonhos Futuro

te Manual.

Na prática – 4o Encontro

s do Evadistão possuem frutos que já foram

Ações entre Encontros com os Agentes Jovens

ens. Após o último Encontro, os jovens devem se reunir para planejar a Feira. Para isso, precisam definir

stão sendo feitas e a estruturação da comunicação.

o que vão expor, como, quando e onde. O Grupo Gestor e a Coordenação da escola devem ser

a e fale sobre os 3 Grandes Mobilizadores da

envolvidos, pois quanto mais alinhada estiver a proposta entre todos, maior a possibilidade de que

lo 5: Mahatma Ghandi, Nelson Mandela e Betinho.

toda a comunidade escolar tenha contato com o que foi realizado.

MANUAL DO EDUCADOR

Na prática – 4o Encontro

119


O passo seguinte é preparar todos os materiais que serão expostos, lembrando que quanto mais chamativos e interessantes os estandes, mais as pessoas terão interesse em conhecê-los. Após a realização da feira, um novo ciclo se inicia. É importante que esse processo de mobilização não pare de ser feito na escola.

MAT ERIAIS

Enco

120

Na prática – 4o Encontro

MANUAL DO EDUCADOR


serão expostos, lembrando que quanto mais soas terão interesse em conhecê-los.

importante que esse processo de mobilização

MAT ERIAIS

1 o r t n o c n E

MANUAL DO EDUCADOR


Frases para serem distribuídas aos alunos do Grup A frase a ser formada é:

Dinâmica Mensagem Secreta Grupo 1 - Car tão de regras para aluno A

Fora, Evad! Nós queremos liberda

“Nenhum lugar fora de nossas fro

pronun

Atenção! Você tem a importante missão de formar uma mensagem secreta e repassá-la aos demais grupos. Para isso, você precisa descobrir qual a 3ª palavra da frase de cada um dos seus colegas que estão sentados nas fileiras de trás. Quando descobrir as palavras deles, junte-as com a 3ª palavra da frase que você recebeu e veja o texto que se forma.

“Grande Líder Evad II, é com imen

da nossa nação”, manchete d

“Assim como nós, os evadistanese do par tido

Quando tiver desvendado a mensagem, escreva-a num papel e entregue-a ao moderador. Só então o moderador lhe avisará para levantar e passar a mensagem ao líder do Grupo 2 por telefone sem fio.

“É que queremos ver o povo evad

Mas muito cuidado para repassá-la sem erros, pois você só terá a oportunidade de falar a mensagem uma vez.

assistem na televisão”, declarou o

Preparado para o desafio?

“Dizia Evad: liberdade é coisa d

precisam disso” – Texto ret


Frases para serem distribuídas aos alunos do Grupo 1 (inclusive aluno A que receberá as instruções): A frase a ser formada é:

em Secreta

ras para aluno A

Fora, Evad! Nós queremos liberdade! “Nenhum lugar fora de nossas fronteiras é tão próspero”, disse Evad II em pronunciado à nação.

o!

eta e repassá-la aos demais grupos.

cada um dos seus colegas que estão sentados

as com a 3ª palavra da frase que você recebeu e veja

“Grande Líder Evad II, é com imensa honra que lhe temos como governante da nossa nação”, manchete do jornal evadistanês, Primeira Hora.

“Assim como nós, os evadistaneses amam a família Evad”, declarou o chefe do par tido político de Evad II.

entregue-a ao moderador.

sagem ao líder do Grupo 2 por telefone sem fio.

“É que queremos ver o povo evadistanês feliz. Por isso, controlamos o que

a oportunidade de falar a mensagem uma vez.

assistem na televisão”, declarou o Ministro das Comunicações do Evadistão.

o desafio?

“Dizia Evad: liberdade é coisa de bicho selvagem. Seres Humanos não precisam disso” – Texto retirado da Enciclopédia Evadistanesa.


Dinâmica Mensagem Secreta Grupo 2 e 3 - Folha de Códigos

Estudos de Caso para Jogo do Mapea

Estudo de Caso 1 - APAGÃO

O Evadistão tem um problema crônico de energia devido ao governo de Evad II em tecnologia e educação. A Aperto de mão normal

N Cruzar os braços

B Abraçar o colega

O Apertar nariz do colega

C Imitar bailarina

P Reboladinha

Os governos de Evad I e II foram marcados pela política de de ser uma maneira do povo se libertar da sua tirania.

Em consequência desse cenário, o Evadistão não produziu muit

D Mostrar a língua

Q Imita galinha

E Bate bunda com bunda

R Dancinha funk (mãos no joelho)

F Cumprimento com punho fechado

S Barrigada no colega

De posse das informações acima, analise com o seu grupo o

G Embalar um bebê no colo

T Abra os braços, formando um T

O que você acha que seria possível fazer para transformar a

H Dá dois pulinhos

U Bate cotovelo com o do colega

I Reverência japonesa

V Mergulhadinha do Claudinho e Buchecha

J Coraçãozinho com as mãos (S2)

X Faça um 4 com as pernas

K Pular num pé só

Y Dê uma gargalhada

L Tocar nos ombros do colega

Z Imite o Michael Jackson

M Pega nas orelhas do colega

tecnológico na exploração do carvão, principal fonte de energia

maioria das pessoas consiga empregos melhores, sendo assim o

Pense nos potenciais que o Evadistão possui internamente

Escreva a proposta do seu grupo no espaço abaixo e prepar


gem Secreta

lha de Códigos

Estudos de Caso para Jogo do Mapeamento (Tabuleiro)

Estudo de Caso 1 - APAGÃO O Evadistão tem um problema crônico de energia devido ao baixo desenvolvimento econômico e ao ínfimo investimento do governo de Evad II em tecnologia e educação.

N Cruzar os braços

O Apertar nariz do colega

Os governos de Evad I e II foram marcados pela política de desestímulo aos estudos, pois eles acreditavam que a educação poderia ser uma maneira do povo se libertar da sua tirania.

P Reboladinha

Q Imita galinha

R Dancinha funk (mãos no joelho)

Em consequência desse cenário, o Evadistão não produziu muitos cientistas e o país praticamente não registrou nenhum avanço tecnológico na exploração do carvão, principal fonte de energia do país. Além disso, a baixa escolaridade da população não permite que a maioria das pessoas consiga empregos melhores, sendo assim obrigadas a se arriscar nas minas, trabalhando em situações precárias.

S Barrigada no colega

De posse das informações acima, analise com o seu grupo o mapa do Evadistão.

T Abra os braços, formando um T

O que você acha que seria possível fazer para transformar a realidade do país?

U Bate cotovelo com o do colega

Pense nos potenciais que o Evadistão possui internamente e que tipo de parceria é possível fazer com países vizinhos.

V Mergulhadinha do Claudinho e Buchecha

X Faça um 4 com as pernas

Y Dê uma gargalhada

Z Imite o Michael Jackson

Escreva a proposta do seu grupo no espaço abaixo e prepare-se para apresentá-la aos demais.


Estudo de Caso 2 – MALAS PRONTAS!

Estudo de Caso 3 – PRATO CHEIO

A última pesquisa divulgada pela renomada revista de turismo, “Marinheiro de Primeira Viagem”, colocou o Evadistão no topo

O Evadistão é um país de contrastes. A região Norte possu

da lista dos países que as pessoas não gostariam de visitar.

poucas áreas cultiváveis, só há produção de milho. Não é a de farelo de milho e a espiga de milho ensopada.

Incrivelmente, este 1º lugar foi festejado por Evad II. Afinal, quanto menos turistas visitarem o país, menos o mundo conhece a situação do Evadistão e menor é a pressão dos organismos internacionais como a Organização dos Países Unidos (OPU).

Na verdade, antigamente, quando o sistema de transporte

produzidas no Norte chegavam à mesa de todos os cidad Os líderes da oposição lamentam, pois, segundo eles, explorar o turismo do belo litoral evadistanês seria uma ótima forma de gerar renda para milhares de famílias. Eles reconhecem, no entanto, que não há infraestrutura de hospedagem nem de

Nutricionistas do sistema de saúde do Evadistão têm enco

transporte para atender os turistas da região.

precisa ser feito.

De posse das informações acima, analise com o seu grupo o mapa do Evadistão.

De posse das informações acima, analise com o seu grupo

O que você acha que seria possível fazer para transformar a realidade do país?

O que você acha que seria possível fazer para transform

Pense nos potenciais que o Evadistão possui internamente e que tipo de parceria é possível fazer com países vizinhos.

Pense nos potenciais que o Evadistão possui internamente

Escreva a proposta do seu grupo no espaço abaixo e prepare-se para apresentá-la aos demais.

Escreva a proposta do seu grupo no espaço abaixo e p


nheiro de Primeira Viagem”, colocou o Evadistão no topo

Estudo de Caso 3 – PRATO CHEIO O Evadistão é um país de contrastes. A região Norte possui terras planas e muito férteis, enquanto a Sul é acidentada e, nas poucas áreas cultiváveis, só há produção de milho. Não é a toa que os pratos típicos do país são a gelatina de milho, o mingau de farelo de milho e a espiga de milho ensopada.

enos turistas visitarem o país, menos o mundo conhece a

onais como a Organização dos Países Unidos (OPU).

Na verdade, antigamente, quando o sistema de transportes do país era melhor, as variedades de legumes, frutas e hortaliças produzidas no Norte chegavam à mesa de todos os cidadãos e o cardápio típico evadistanês era bem mais variado.

mo do belo litoral evadistanês seria uma ótima forma

o, que não há infraestrutura de hospedagem nem de

Nutricionistas do sistema de saúde do Evadistão têm encontrado muitas pessoas com deficiências nutricionais graves. Algo precisa ser feito.

o Evadistão.

De posse das informações acima, analise com o seu grupo o mapa do Evadistão.

de do país?

O que você acha que seria possível fazer para transformar a realidade do país?

de parceria é possível fazer com países vizinhos.

Pense nos potenciais que o Evadistão possui internamente e que tipo de parceria é possível fazer com países vizinhos.

para apresentá-la aos demais.

Escreva a proposta do seu grupo no espaço abaixo e prepare-se para apresentá-la aos demais.


República do Evadistão – Março 2012

Primei O jornal do

MAT ERIAIS

2 o r t n o c n E

Presidente Evad II ac homenagem do povo no aniversário O povo evadistanês aclamou o Presidente Evad II no dia do seu aniversário, durante desfile militar e civil ocorrido na capital, Abandonatesh. Evad II emocionou-se com o carinho do povo que, mesmo com a chuva que caía na capital, foi às ruas homenagear seu Grande Líder. “O povo evadistânes sabe que meu governo ze

todos aqueles que creem nele!”, declarou o Gra

que o ovacionou ao final do seu tão esperado d

O desfile reuniu uma multidão de 5 mil pesso avenida da capital.


tro 2

República do Evadistão – Março 2012

Primeira Hora O jornal do povo evadistanês

Presidente Evad II acompanha a Ordem mantida homenagem do povo no dia do seu no Evadistão aniversário O povo evadistanês aclamou o Presidente Evad II no dia do seu aniversário, durante desfile militar e civil ocorrido na capital, Abandonatesh. Evad II emocionou-se com o carinho do povo que, mesmo com a chuva que caía na capital, foi às ruas homenagear seu Grande Líder. “O povo evadistânes sabe que meu governo zela pelo Evadistão e por todos aqueles que creem nele!”, declarou o Grande Líder à população, que o ovacionou ao final do seu tão esperado discurso. O desfile reuniu uma multidão de 5 mil pessoas na Evad I, principal avenida da capital.

Nos últimos dias, pequenos atos isolados de vândalos assustaram a população do nosso país. Felizmente, graças à rápida atuação do governo evadistanês, a paz e a tranquilidade foram restabelecidas. “O povo de bem do Evadistão não deve preocupar-se com esta ação de vândalos, pois o governo está aqui para protegêlos”, declarou o Grande Líder, Evad II.


Tabuleiro Batalh

Texto M

Atenção: Leia os textos com calma e pausadam bom andamento desta atividade.

O seu grupo criou um perfil numa rede so

MAT ERIAIS

3 o r t n o c n E

II tomou conhecimento da sua iniciativa e

1

todos os servidores do país.

O que seu grupo faz?

Tenta se conectar a internet por meio de u

cria um blog para divulgar as suas ideias (v

O seu grupo especializou-se em gravar víd

Os vídeos são postados em um canal no m

milhares de visualizações. Evad II tomou c

2

o acesso a este portal em todos os servido

O que seu grupo faz?

Tenta se conectar a internet por meio de u

cria um portal de notícias do Evadistão na


tro 3

Tabuleiro Batalha da Comunicação Texto Moderador

Atenção: Leia os textos com calma e pausadamente. Sua pronúncia e interpretação são fundamentais para o bom andamento desta atividade.

O seu grupo criou um perfil numa rede social e já tem milhares de seguidores de todo o mundo. Evad II tomou conhecimento da sua iniciativa e criou um decreto proibindo o acesso a esta rede social em

1

todos os servidores do país.

O que seu grupo faz? Tenta se conectar a internet por meio de um servidor baseado em um país vizinho (vá para a casa 4) ou cria um blog para divulgar as suas ideias (vá para a casa 5).

O seu grupo especializou-se em gravar vídeos mostrando a repressão sofrida pelo povo do Evadistão. Os vídeos são postados em um canal no maior portal de vídeos da internet e sempre registram milhares de visualizações. Evad II tomou conhecimento da sua iniciativa e criou um decreto proibindo

2

o acesso a este portal em todos os servidores do país.

O que seu grupo faz? Tenta se conectar a internet por meio de um servidor baseado em um país vizinho (vá para a casa 4) ou cria um portal de notícias do Evadistão na internet para divulgar as suas ideias (vá para a casa 5).


Boa opção! Abandonar aquilo que você es

uma audiência consolidada, mas permitiu

da internet. Ganhe 10 pontos de audiênc

O seu grupo mantém um microblog (aquele serviço que permite a postagem de textos curtos,

Sua atuação está inspirando outros grupo

geralmente com menos de 200 caracteres). Por várias vezes as críticas ao governo Evad II, iniciadas com as suas postagens, tornaram-se os tópicos mais comentados do dia em todo

3

mundo. O tirano tomou conhecimento da sua iniciativa e criou um decreto proibindo o acesso ao microblog em todos os servidores do país.

5

é que o Ministro das Comunicações de Eva

interditar todos os provedores de acesso a

E agora?

O que seu grupo faz?

Seu grupo começa a utilizar internet com

Tenta se conectar a internet por meio de um servidor baseado em um país vizinho (vá para a

Seu grupo faz um protesto em praça públ

Seu grupo começa a mobilizar lideranças po

casa 4) ou começa a enviar e-mails em massa para divulgar as suas ideias (vá para a casa 5).

As mensagens de celular são caras no Evad

lideranças que estão colaborando nessa ta

4

Parabéns! Seu grupo não abriu mão da audiência que já havia conquistado e buscou outra

pontos de audiência.

maneira de manter suas comunicações ativas. Ganhe 15 pontos de audiência.

A verdadeira onda de mensagens de celul

Seu plano funcionou bem durante alguns dias, porém Evad II descobriu que algumas pessoas

pensem que Evad II e seu serviço secreto fi

estavam utilizando provedores de países vizinhos para acessar a internet. Furioso, mandou

de telefonia é estatal, o tirano rapidament

cortar a conexão da rede evadistanesa com o resto do mundo. Agora o país possui apenas uma rede interna.

O que seu grupo quer fazer?

6

identificado como inimigo do Estado. Já n do país.

O que vocês fazem?

Quer criar um novo meio de mobilização do povo do Evadistão na internet (vá para a casa 5) ou

Um protesto em praça pública (vá para a c

quer começar a mobilizar lideranças por meio de mensagens de celular (vá para a casa 6).

Promovem uma reunião secreta para organiza

Espalham cartazes e panfletos para sensib

Criam um fanzine com mensagens de opo


Boa opção! Abandonar aquilo que você estava fazendo e partir para uma nova alternativa lhe custou uma audiência consolidada, mas permitiu que seu grupo continuasse mobilizando as pessoas por meio da internet. Ganhe 10 pontos de audiência.

ço que permite a postagem de textos curtos,

Sua atuação está inspirando outros grupos a utilizar a rede como meio de mobilização. O problema

árias vezes as críticas ao governo Evad II,

tópicos mais comentados do dia em todo

ciativa e criou um decreto proibindo o acesso

5

é que o Ministro das Comunicações de Evad II notou esse movimento crescente e mandou o exército interditar todos os provedores de acesso a internet do país.

E agora? Seu grupo começa a utilizar internet com sinal via satélite (vá para a casa 7). Seu grupo começa a mobilizar lideranças por meio de mensagens de celular (vá para a casa 6). Seu grupo faz um protesto em praça pública ( vá para a casa 8).

vidor baseado em um país vizinho (vá para a

a divulgar as suas ideias (vá para a casa 5).

As mensagens de celular são caras no Evadistão, porém vocês conseguiram reunir um grupo de jovens lideranças que estão colaborando nessa tarefa. Cada um contribui com algumas mensagens. Ganhe 10 que já havia conquistado e buscou outra

pontos de audiência.

nhe 15 pontos de audiência.

A verdadeira onda de mensagens de celular está tomando conta do país como um vírus. Mas não

orém Evad II descobriu que algumas pessoas

pensem que Evad II e seu serviço secreto ficariam alheios a este movimento! Como a única empresa

s para acessar a internet. Furioso, mandou

de telefonia é estatal, o tirano rapidamente bloqueou os celulares evadistaneses. Seu grupo foi

to do mundo.

do Evadistão na internet (vá para a casa 5) ou

mensagens de celular (vá para a casa 6).

6

identificado como inimigo do Estado. Já não há mais como recuar. Vocês são procurados pelo exército do país.

O que vocês fazem? Um protesto em praça pública (vá para a casa 8). Promovem uma reunião secreta para organizar o movimento com outras lideranças (vá para a casa 9). Espalham cartazes e panfletos para sensibilizar a população (vá para a casa 10). Criam um fanzine com mensagens de oposição ao regime (vá para a casa 11).


Seu grupo conseguiu se conectar à internet via satélite. O problema é que, com toda a internet

grupo para organizar um grande pro

do país fora do ar, vocês só conseguem se comunicar com internautas de outros países. Com isso,

todo o resto da população para dar

embora o apoio internacional para tirar Evad II do poder cresça, seu grupo não consegue mobilizar

7

o seu próprio povo. Ganhe apenas 5 pontos de audiência.

Seu grupo deve decidir:

O que vocês fazem?

Para utilizar cartazes e panfletos, vá

Para utilizar carros de som, vá para a Um protesto em praça pública (vá para a casa 8). Promovem uma reunião secreta para organizar o movimento com outras lideranças (vá para a casa 9). Espalham cartazes e panfletos para sensibilizar a população (vá para a casa 10). Criam um fanzine com mensagens de oposição ao regime (vá para a casa 11).

Seu grupo espalhou cartazes e panfl

existe apoio popular à causa, o povo Vocês promoveram um protesto em praça pública. Como vocês não mobilizaram outras lideranças e não tinham mais a internet como meio de chamar o restante da população, o resultado foi desastroso. Alguns dos simpatizantes do seu grupo foram presos pelo exército e mostrados na televisão como arruaceiros, fazendo com que o seu movimento fosse desacreditado. Perca 10

10

9

O que seu grupo faz? Promove uma reunião secreta para

pontos de audiência.

8

Parece que falta apoio de líderes.

Cria um fanzine com mensagens de

O que fazer? Se quiserem promover uma reunião secreta para organizar o movimento com outras lideranças, devem ir para a casa 9.

Seu grupo produziu e distribuiu um

Se quiserem espalhar cartazes e panfletos para sensibilizar a população, devem ir para a casa 10.

seja muito bem escrito e atraente, o al

Se quiserem criar um fanzine com mensagens de oposição ao regime, devem ir para a casa 11.

Parece que falta apoio de líderes à c

Seu grupo conseguiu convocar líderes de vários segmentos da sociedade evadistanesa para uma reunião secreta no auditório de uma escola abandonada por falta de alunos. Ganhe 20 pontos. Com a participação de todos, ficou decidido que cada liderança iria mobilizar o seu respectivo

11

O que seu grupo faz?

Promove uma reunião secreta para o

Utiliza carros de som para propagar


atélite. O problema é que, com toda a internet

grupo para organizar um grande protesto em praça pública. Falta decidir como mobilizar

nicar com internautas de outros países. Com isso,

todo o resto da população para dar apoio ao movimento.

o poder cresça, seu grupo não consegue mobilizar

Seu grupo deve decidir:

audiência.

Para utilizar cartazes e panfletos, vá para a casa 12. Para utilizar carros de som, vá para a casa 13.

ovimento com outras lideranças (vá para a casa 9).

população (vá para a casa 10).

o regime (vá para a casa 11).

a. Como vocês não mobilizaram outras lideranças

mar o restante da população, o resultado foi

po foram presos pelo exército e mostrados na

eu movimento fosse desacreditado. Perca 10

Seu grupo espalhou cartazes e panfletos para mobilizar a população. Embora vocês saibam que existe apoio popular à causa, o povo não tem iniciativa para sair às ruas. Ganhe 5 pontos.

10

Parece que falta apoio de líderes.

O que seu grupo faz? Promove uma reunião secreta para organizar o movimento com outras lideranças (casa 9). Cria um fanzine com mensagens de oposição ao regime (casa 11).

organizar o movimento com outras lideranças, Seu grupo produziu e distribuiu um fanzine chamado ”Acorda Evadistão”. Embora o material

nsibilizar a população, devem ir para a casa 10.

seja muito bem escrito e atraente, o alcance da publicação ainda ficou limitado. Ganhe 5 pontos.

oposição ao regime, devem ir para a casa 11.

Parece que falta apoio de líderes à causa.

segmentos da sociedade evadistanesa para uma

donada por falta de alunos. Ganhe 20 pontos.

cada liderança iria mobilizar o seu respectivo

11

O que seu grupo faz? Promove uma reunião secreta para organizar o movimento com outras lideranças (casa 9). Utiliza carros de som para propagar sua mensagem (casa 13).


12

Alguns dias antes do marcado para o protesto, Abandonatesh acordou coberta de cartazes e panfletos convocando a população. Com o suporte dos líderes de vários segmentos, seu grupo e os demais organizadores do evento tinham certeza de que a praça seria tomada por milhares de pessoas. Ganhe 15 pontos de audiência.

Faltou decidir como vocês divulgariam a data e horário da manifestação.

Tragédia! Seu grupo não foi inteligente

15

Vocês podem usar carros de som dias antes da manifestação (vá para a casa 13) ou vocês podem utilizar a estação de rádio que faz oposição a Evad II (vá para a casa 14).

ameaças de Evad II. Os poucos manifes

pessoas estão com medo de se manife

os pontos de audiência que já tinha c

No dia da manifestação pequenos grup

encabeçado por um carro de som que c

grupo pode constatar que a mobilizaçã

13

Seu grupo conseguiu alguns carros de som para divulgar o dia e o horário do protesto. O problema é que, antes de conseguir circular por toda a cidade, alguns desses carros foram interceptados pelo exército, sendo que alguns motoristas foram presos. Como os carros de som já estavam divulgando o dia e horário do protesto com antecedência, Evad II antecipou-se e declarou feriado nacional e toque de recolher. Dessa forma, as ruas estariam vazias. Isso foi um duro golpe no seu movimento de mobilização. Perca 15 pontos de audiência. Se o seu grupo quer utilizar a rádio que faz oposição a Evad II para retomar a mobilização da população, vá para a casa 14.

audiência.

16

Mas a batalha ainda não havia sido ven para dispersar a multidão.

Agora é hora de tomar uma decisã

Seu grupo pode liderar a resistência e ata

para a casa 18) ou se oferecer para negoc

Se seu grupo quer insistir com o protesto no dia que havia sido originalmente marcado, vá para a casa 15.

No dia da manifestação, pequenos grup

pessoas que batiam nas portas e cham

Um dos integrantes do seu grupo teve uma ótima ideia: divulgar o dia da manifestação somente na véspera utilizando a rádio. Ganhe 30 pontos de audiência. A grande penetração da rádio fortaleceu a mobilização popular.

14

Como vocês pretendem garantir que a população não tenha medo de sair de suas casas no dia da manifestação?

pode constatar que a mobilização popu

Mas a batalha ainda não havia sido ven

17

para dispersar a multidão.

Agora é hora de tomar uma decisã

Se vocês quiserem utilizar carros de som, devem optar pela casa 16.

Seu grupo pode liderar a resistência e ata

Se quiserem se dividir para bater nas portas e interfones e convocar as pessoas diretamente, devem ir para a casa 17.

para a casa 18) ou se oferecer para negoc


onatesh acordou coberta de cartazes e panfletos e vários segmentos, seu grupo e os demais ça seria tomada por milhares de pessoas.

orário da manifestação.

Tragédia! Seu grupo não foi inteligente, manteve o protesto mesmo sem apoio popular e com as

15

stação (vá para a casa 13) ou vocês podem utilizar a asa 14).

ameaças de Evad II. Os poucos manifestantes foram duramente reprimidos pelo exército e, agora, as pessoas estão com medo de se manifestar. Volte à casa 8 e recomece sua mobilização. Perde todos os pontos de audiência que já tinha conseguido.

No dia da manifestação pequenos grupos saíram de vários pontos da cidade. Cada grupo era encabeçado por um carro de som que chamava a população para as ruas. Ao chegar à praça, seu grupo pode constatar que a mobilização popular tinha sido um sucesso. Ganhe 50 pontos de

vulgar o dia e o horário do protesto. O problema , alguns desses carros foram interceptados pelo . Como os carros de som já estavam divulgando o antecipou-se e declarou feriado nacional e toque de oi um duro golpe no seu movimento de mobilização.

audiência.

16

a Evad II para retomar a mobilização da população, vá

Mas a batalha ainda não havia sido vencida. A tropa de choque de Evad II estava posicionada e pronta para dispersar a multidão.

Agora é hora de tomar uma decisão. Seu grupo pode liderar a resistência e atacar a tropa com pedaços de pau, pedras e coquetéis molotov (vá para a casa 18) ou se oferecer para negociar com o comandante da tropa (vá para a casa 19).

ia sido originalmente marcado, vá para a casa 15.

No dia da manifestação, pequenos grupos saíram de vários pontos da cidade. Cada grupo tinha pessoas que batiam nas portas e chamavam a população para as ruas. Ao chegar na praça, seu grupo

divulgar o dia da manifestação somente na véspera

pode constatar que a mobilização popular tinha sido um sucesso. Ganhe 50 pontos de audiência. Mas a batalha ainda não havia sido vencida. A tropa de choque de Evad II estava posicionada e pronta

o popular.

não tenha medo de sair de suas casas no dia

17

para dispersar a multidão.

Agora é hora de tomar uma decisão.

pela casa 16.

Seu grupo pode liderar a resistência e atacar a tropa com pedaços de pau, pedras e coquetéis molotov (vá

onvocar as pessoas diretamente, devem ir para a casa 17.

para a casa 18) ou se oferecer para negociar com o comandante da tropa (vá para a casa 19).


18

Péssima escolha! Ao atirar a primeira pedra, o grupo provocou a reação imediata da tropa de choque. Bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo começaram a dispersar a multidão. A manifestação foi um duro golpe ao governo de Evad II, mas a mobilização perdeu apoio popular no momento em que decidiu usar a violência. Perca 60 pontos de audiência. Volte para a casa 9 e recomece o planejamento.

DIAGNÓST ICO

Discuta com os Agentes Jovens sobre os projetos que a es

as ações que os próprios jovens estão desenvolvendo. List do projeto ou ação.

PROJETO ou AÇÃO Seu grupo assumiu a liderança e pediu uma audiência com o comandante da tropa de choque. Depois de alguns momentos de tensão, vocês receberam a resposta de que o comandante queria conversar. Para a sua surpresa, o comandante disse que era simpático ao movimento para tirar Evad II do poder. Ele disse que alguns setores do exército compartilhavam dessa mesma visão. O comandante lhes garantiu que se a manifestação

19

continuasse pacífica ele passaria por cima das ordens de Evad II e não usaria a força para dispersar a população. Ganhe 50 pontos de audiência.

Cabe ao seu grupo retornar à manifestação e decidir o que fazer: Caso seu grupo não confie na palavra do comandante, pode liderar a população e atacar a tropa com pedaços de pau, pedras e coquetéis molotov (vá para a casa 18) ou pode confiar no comandante e garantir que a manifestação se restrinja a gritar palavras de ordem e demonstrar suas faixas e cartazes (vá para a casa 20).

20

Parabéns! Ganhe 100 pontos de audiência. Embora Evad II tenha tentado de tudo para enfraquecer a mobilização iniciada pelo seu grupo, bloqueando todo tipo de comunicação, milhares de pessoas foram às ruas de forma pacífica e mostraram para o mundo que Evad II não é o “Grande Líder” que diz ser. Novos tempos podem estar surgindo para o povo do Evadistão. Cada vez mais pessoas apóiam o seu movimento, porém o desafio é fazer com que as ideias de liberdade sejam abraçadas por mais lideranças. Certamente seu grupo terá papel importante nesse processo.

Aguarde o desenrolar dessa história no próximo Encontro!


provocou a reação imediata da tropa de choque. am a dispersar a multidão. A manifestação foi um perdeu apoio popular no momento em que decidiu

om o comandante da tropa de choque. Depois de

a de que o comandante queria conversar. Para a sua

mento para tirar Evad II do poder. Ele disse que alguns

O comandante lhes garantiu que se a manifestação

Evad II e não usaria a força para dispersar a população.

dir o que fazer:

ode liderar a população e atacar a tropa com pedaços

u pode confiar no comandante e garantir que a

monstrar suas faixas e cartazes (vá para a casa 20).

a mobilização iniciada pelo seu grupo, bloqueando s ruas de forma pacífica e mostraram para o mundo mpos podem estar surgindo para o povo do Evadistão. m o desafio é fazer com que as ideias de liberdade rupo terá papel importante nesse processo.

Encontro!

DIAGNÓST ICO

Discuta com os Agentes Jovens sobre os projetos que a escola já promove e que auxiliam na permanência dos alunos e sobre as ações que os próprios jovens estão desenvolvendo. Liste cada uma delas na tabela abaixo e descreva qual é o público-alvo do projeto ou ação.

PROJETO ou AÇÃO

PÚBLICO-ALVO


PLANEJAMENTO DE VEÍCULO DE COMUNICAÇÃO

PLANEJAMENTO DE VEÍCULO DE COM

Meio: Internet

Meio: Áudio/Vídeo/Impresso

Descrição do veículo:

Descrição do veículo:

Com que frequência será atualizado?

Com que frequência será atualizado?

Quem será responsável por atualizá-lo?

Quem será responsável por atualizá-lo?

Planeje a seguir a primeira pauta do seu veículo. Seu grupo deverá divulgar as iniciativas listadas no diagnóstico. Seja

Planeje a seguir a primeira pauta do seu veículo. Seu g

criativo e direcione a mensagem para o público-alvo de cada iniciativa:

diagnóstico. Seja criativo e direcione a mensagem para

INICIAT IVA

MENSAGEM (conteúdo, formato, estrutura e fonte)

INICIAT IVA

MENSAGE


ÇÃO

PLANEJAMENTO DE VEÍCULO DE COMUNICAÇÃO Meio: Áudio/Vídeo/Impresso Descrição do veículo:

Com que frequência será atualizado? Quem será responsável por atualizá-lo?

rá divulgar as iniciativas listadas no diagnóstico. Seja

Planeje a seguir a primeira pauta do seu veículo. Seu grupo deverá divulgar as iniciativas listadas no

iativa:

diagnóstico. Seja criativo e direcione a mensagem para o público-alvo de cada iniciativa:

teúdo, formato, estrutura e fonte)

INICIAT IVA

MENSAGEM (conteúdo, formato, estrutura e fonte)


er Omar Nass

De origem humilde, Omar sempre estudou em es

públicas do Evadistão. Filho de um carteiro e de u

MAT ERIAIS

4 o r t n o c n E

dona de casa, foi o único dos sete irmãos a conclu

estudos. Para pagar a faculdade de Direito, trabalh como garçom e motorista de táxi. Mesmo vivendo toda a sua vida sob o regime ditatorial de Evad II, Omar nunca se conformou com a situação do país, criando movimentos de mobilização que iniciaram em sua universidade e, pouco tempo depois, ganharam as ruas do Evadistão. Uma de suas ações mais marcantes foi

criação de um escritório de advocacia que atendia gratuitamente aos cidadãos de Abandonatesh. Omar Nasser foi um dos principais líderes na luta contra a tirania dos Evad, tornando-se um herói deste país.


tro 4

er Omar Nass De origem humilde, Omar sempre estudou em escolas públicas do Evadistão. Filho de um carteiro e de uma dona de casa, foi o único dos sete irmãos a concluir os estudos. Para pagar a faculdade de Direito, trabalhou como garçom e motorista de táxi. Mesmo vivendo toda a sua vida sob o regime ditatorial de Evad II, Omar nunca se conformou com a situação do país, criando movimentos de mobilização que iniciaram em sua universidade e, pouco tempo depois, ganharam as ruas do Evadistão. Uma de suas ações mais marcantes foi a criação de um escritório de advocacia que atendia gratuitamente aos cidadãos de Abandonatesh. Omar Nasser foi um dos principais líderes na luta contra a tirania dos Evad, tornando-se um herói deste país.


Árvore dos Sonhos do Omar.

if Adilah Shar

Ajudar àqueles que necessitam. Faculdade de direito.

Desde que nasceu, Adilah ouve a história de

seu pai morreu logo que Evad assumiu o po

Dar confor to para seus pais.

Segundo dizem, era assim que o presidente

calava a voz de seus opositores. Adilah vive

numa pequena casa em Abandonatesh com sua irmã gêmea, Samira, e com sua mãe, Zoraide, uma cozinheira.

Idealista, Adilah criou, com seus colegas de

Trabalho voluntário.

Estudar muito.

Ler muitos livros.

aula, um grupo para discutir os problemas do Evadistão. A partir deste movimento, qu

se expandiu para além dos muros da escola

a jovem foi uma grande líder na luta a favor

da democracia no país. Foi ela quem criou o

perfil “Evadistão Livre” numa importante rede social, atraindo olhares do mundo todo.

Amigos. Bom poder de argumentação.

Honra.

Família.

Falar bem em público.

Hoje, na faculdade de Comunicação, é considerada uma heroína evadistanesa.


if Adilah Shar Faculdade de direito.

Desde que nasceu, Adilah ouve a história de que seu pai morreu logo que Evad assumiu o poder. Segundo dizem, era assim que o presidente calava a voz de seus opositores. Adilah vive numa pequena casa em Abandonatesh com sua irmã gêmea, Samira, e com sua mãe, Zoraide, uma cozinheira.

Idealista, Adilah criou, com seus colegas de

Trabalho voluntário.

aula, um grupo para discutir os problemas do Evadistão. A partir deste movimento, que se expandiu para além dos muros da escola, a jovem foi uma grande líder na luta a favor da democracia no país. Foi ela quem criou o perfil “Evadistão Livre” numa importante rede social, atraindo olhares do mundo todo.

onra.

Família.

Falar bem em público.

Hoje, na faculdade de Comunicação, é considerada uma heroína evadistanesa.


Árvore dos Sonhos da Adilah.

Said Toueg

Ter dois filhos em um país livre. Ser jornalista e escritora. Escrever um livro.

Filho mais novo do professor e filósofo Sa

Toueg, Said herdou do pai o interesse pel

direito humanos e pelas artes. Foi pensan

aliar essas duas paixões transformando-a

elemento de oposição a Evad, que Said cr

O festival reuniu artistas locais e

Preparou-se para

entrar na universidade.

pesquisar na internet.

Curso de informática.

Falar outra língua para poder

“Festival da Liberdade”.

internacionais, sendo transmitido para o mundo todo, ao vivo, pela Internet,

reprimindo a reação de Evad. A repercuss mundial foi tamanha que o Conselho Mundial da OPU reuniu-se para pedir explicações a Evad II sobre seu governo.

Said tornou-se um grande produtor

Namorado. Boa redação.

Liberdade.

Criatividade.

Saber trabalhar em equipe.

de shows internacionais e um herói do Evadistão.


Said Toueg Ser jornalista e escritora.

Filho mais novo do professor e filósofo Samir Toueg, Said herdou do pai o interesse pelos direito humanos e pelas artes. Foi pensando em aliar essas duas paixões transformando-as em elemento de oposição a Evad, que Said criou o “Festival da Liberdade”.

Preparou-se para

entrar na universidade.

O festival reuniu artistas locais e

erdade.

internacionais, sendo transmitido para o mundo todo, ao vivo, pela Internet, reprimindo a reação de Evad. A repercussão mundial foi tamanha que o Conselho Mundial da OPU reuniu-se para pedir explicações a Evad II sobre seu governo.

Said tornou-se um grande produtor

Criatividade.

Saber trabalhar em equipe.

de shows internacionais e um herói do Evadistão.


Árvore dos sonhos de

Árvore dos Sonhos do Said. Fazer faculdade de arquitetura. Ter uma empresa de eventos. Viajar pelo mundo.

Cumpre a palavra.

Fazer curso técnico.

Fazer estágios para aprender.

Procurar ter acesso à cultura. Gosta de assumir riscos calculados.

Muitos amigos. Seu pai.

Bom de relacionamentos.


Ă rvore dos sonhos de

Ter uma empresa de eventos.

Fazer curso tĂŠcnico.

tos amigos. Seu pai.

Bom de relacionamentos.


Declaração de Par ticipação no ProEMI/PJF

Declaramos que ___________________________ atuou como Agente Jovem na escola ________________________ par ticipante do Programa Ensino Médio Inovador/Projeto Jovem de Futuro, realizando atividades de pesquisa, análise

de dados, planejamento de ações, comunicação e mobilização. ___________________________ Local e data

___________________________ Wanda Engel Aduan Superintendente Instituto Unibanco

Evad II

Presidente do Evadistão


Matriz para Árvore dos Sonhos dos Agentes Jovens Layout de Certificado Certificado de Participação no ProEMI/PJF

Certificamos que _______________ atuou como Agent

Par ticipação MI/PJF

Médio Inovador/Projeto Jovem de Futuro, realizando at comunicação e mobilização.

----------------------------------------------------------

____________ atuou como

____________________ Local e data

_______________ par ticipante

vador/Projeto Jovem de

s de pesquisa, análise

comunicação e mobilização.

___________________________ Wanda Engel Aduan Superintendente Instituto Unibanco

Evad II

Presidente do Evadistão


Agente Jovem  

Agente Jovem

Advertisement