Issuu on Google+

Show

Drinks

Demônios da Garoa em Cotia. Pág. 7

Capriche na bebida para acompanhar o ovo de Páscoa. Pág. 13

Os Croods ra da

vida fo Desenho fala de história. Pág. 7 caverna na pré-

.com.br 22 DE MARçO DE 2013

ANO XXIII Nº 1577

diVulgação

diVulgação

Empréstimo: Valor refere-se à financiamento do BNDES ao Projeto Tietê da Sabesp. Pág. 3

Rio totalmente poluído, mal cheiroso e com espumas tóxicas corta a cidade de Pirapora do Bom Jesus, uma das que devem ser beneficiadas caso o projeto siga o planejamento do Governo do Estado para a Região Metropolitana

O Bulevar Central, marco de Barueri, representa um dos principais pontos de expansão demográfica e comercial da cidade

Tietê vai receber R$ 1,35 bi

para despoluição A Sabesp assinou na última sexta-feira, 15, financiamento com o BNDES (Banco Nacional de

Desenvolvimento Econômico e Social), no valor de R$ 1,35 bilhão, para investimentos no Projeto

Menino de Ouro | Pág. 15

Secretário vai apresentar reality show no SBT

Tietê. Ele está atualmente em sua terceira etapa, iniciada em 2011 e é o maior programa de saneamento

FaBio Cerati

ambiental do Brasil. Os resultados devem influenciar na despoluição do rio na Região Metropolitana.

Passeio | Pág. 4

Pedalada da Hora vai sortear bicicletas A edição deste ano da“Pedalada da Hora”, organizada pela Secretaria de Recursos Naturais e Meio Ambiente de Barueri, terá o sorteio de bicicletas doadas por empresas parceiras da ação.

O apresentador e ex-jogador Paulo Sérgio, secretário de Esportes de Barueri, comandará o reality show Menino de Ouro, que pretende revelar um novo craque do futebol brasileiro.

Aniversário | Pág. 9

Barueri cresce à olhos vistos e precisa buscar igualdade social Desde que nasceu, como uma singela aldeia indígena fundada pelo padre jesuíta José de Anchieta, pertencente ao município e comarca de Santana de Parnaíba, e percorrendo os passos de crescimento que a levaram a ser emancipada,

em 1949, Barueri conquistou, ao longo dos anos, um lugar de respeito entre os pólos de desenvolvimento no país. Porém, depois do boom de crescimento, o maior desafio hoje para a cidade é administrar democraticamente os recursos entre os bairros.

osasco na fInal da superlIga

CBV

O Osasco está na final da Superliga feminina de vôlei 12/13. Atual campeão, ele enfrenta seu tradicional adversário, o Unilever, do Rio de Janeiro. O jogo acontece em 7 de abril no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. Pág. 15

diVulgação

Secretaria da Fazenda | Pág. 4

Posto em Jandira é fechado por adulterar combustível A Secretaria da Fazenda de São Paulo, por meio da operação De Olho na Bomba, cassou a inscrição estadual do posto de combustíveis Posto de Serviços Nova Cap Ltda., localizado na avenida Fernando Pessoa, no Centro da cidade de Jandira, por

desconformidade do combustível coletado com as especificações estabelecidas pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). As amostras recolhidas indicaram teor de 63% de álcool misturado à gasolina, sendo que 20% é o máximo permitido pela ANP.

São Pedro, faça parar de chover...

O articulista Vitor Sapienza fala das recorrentes chuvas e da responsabilidade que o pouco respeito ao meio ambiente tem em grandes catástrofes naturais. Pág. 2

Imposto de renda em tablets e celurares A Receita Federal estuda permitir o preenchimento da Declaração do Imposto de Renda por meio de smartphones e tablets. O projeto ainda não tem data para entrar em vigor e só será viabilizado se o aplicativo para esse fim atender a uma série de requisitos de segurança. Pág. 6

Giro Político

diVulgação

O colunista Gerson Pedro fala sobre as discussões que permearam a sessão ordinária da Câmara Municipal nesta semana em torno dos serviços de transporte público prestados pela Benfica. Pág. 5


2

SEXTA-fEirA, 22 DE mArço DE 2013

JNOTÍCIAS

Opinião

Sexta-feira, 22

Sol, alternando com pancadas de chuva e trovoadas

Min.

19º

Máx.

29º

Sábado, 23

Tempo nublado, com chuvas isoladas ao longo do dia

Min.

19º

Máx.

26º

Domingo, 24

Sol, alternando com pancadas de chuva e trovoadas

Min.

18º

Máx.

23º

Artigos, frAses e imAgens mArcAntes

Somos uma

Editorial

Barueri faz aniversário Em 26 de março, a terçaferia da semana que vem, a cidade de Barueri completa 64 anos de emancipação político-administrativa. Para saber o reflexo das conquistas dessa tão expoente cidade, fomos perguntar a seus ilustres moradores o que imaginavam para a ela nos próximos 5 ou 50 anos. Frente ao progresso, o desejo da maioria foi repousar ao lado de um canto de paz. Um ref lexo do que buscam moradores de metrópoles que tendem a crescer, deixando o status de pacata cidade de interior muito para trás.

Mas nem sempre o desenvolvimento precisa ser acompanhado de caos. Por isso, o que os moradores pedem, para os próximos 50 anos, é que se priorize a utilização de recursos na prestação de serviços públicos ligados à preservação da qualidade de vida. E fora isso, eles querem que o poder público olhe com responsabilidade e comprometimento aos recursos naturais e espaços físicos para grandes edificações, cada vez mais escassos no cenário urbano barueriense. Fernanda Nascimento e equipe JNotícias

cidade promissora, desenvolvimentista e rica, mas o maior problema de sua população é a desigualdade social. José Macedo Oliveira, morador de Barueri e leitor do JNotícias.

Eu ajudei a formar essa cultura e me orgulho de me dedicar muitas e tantas vezes com desejo e vontade de vê-la emancipada em educação e cultura Antonia Laforgia, jornalista e escritora de Barueri.

Minha Barueri Nossa cidade Querida cidade Barueri me enche De orgulho e felicidade Há muitos anos Acolhendo nossa gente Que vivendo alegremente Busca sempre união Presente em todos os momentos Atenta a todos os movimentos E conhece os sentimentos De nossa multidão Parabéns, Barueri! Continue crescendo Para que a flor vermelha Continue florescendo. Rafael Felix Antonio é aluno da 8ª série da Emef Padre Elidio Mantovani

Artigo

“São Pedro, atenda nosso pedido: faça parar de chover” Vitor Sapienza

Um dia o poeta cantou: “é pau, é pedra, é o fim do caminho. São as águas de março fechando o verão” e, mesmo depois de tantos anos, essa música continua atual. Afinal, estamos em março e as chuvas torrenciais têm se tornado uma constante na vida de todos nós. Não vivemos em regiões amazônicas, em que, segundo a crença popular, é possível marcar os compromissos antes e depois das chuvas. Acho que estamos

quase lá. Não sei se o dito popular se confirma, mas, com certeza, pode nos levar a refletir. Todo este preâmbulo foi para chegar em dois pontos cruciais para a sobrevivência em sociedade: a educação e o respeito com o meio ambiente, afinal é nesse período, o tão esperado verão, que, além de ‘pegarmos uma praia’, nos deparamos com uma situação desoladora, as enchentes e seus efeitos. É neste período que um trecho de música me vem a cabeça. Não foi composta por um gênio e não esteve na parada de sucesso da rádio e da televisão, mas, com certeza, fez parte da infância de muitas

Publicação semanal da Movimento Empresa Jornalística e Editora Ltda. Redação e Departamento Comercial Av. D. Pedro II, 125 - 2º piso - CEP: 06401-060 Barueri - SP - PABX 4198-5888

crianças. Lembro de minhas filhas brincando de roda e terminando com a frase: “limpa aí seu porcalhão”. Sim, o governo, em todas as esferas de poder, deve fazer a sua parte. Construir piscinões que comportem a grande quantidade de água mandada por ‘São Pedro’ é uma das iniciativas possíveis. A limpeza das bocas de lobo e dos bueiros é algo que não pode falhar. Não adianta, simplesmente, culpar as autoridades pelas enchentes. Precisamos fazer uma análise fria, seca e, muitas vezes, dura. Será que nós, como cidadãos estamos fazendo a nossa parte? Pois é, toquei num ponto

doído, simples, mas de incomparável importância para continuarmos discutindo esse assunto. Sim, como pessoas, devemos fazer a nossa parte para evitarmos o pior, o caos, as temíveis enchentes. Calma! Não se apavore. Não pretendo fazer mutirões de limpeza das ruas e muito menos dos rios, embora concorde com a necessidade de produzirmos campanhas que visem conscientizar a população quanto à educação ambiental. Não faz muito tempo que ancorei a campanha: “Tietê, rio que te quero VIVO!”, que pretendia levar para as escolas as informações sobre ecologia.

Circulação: Barueri - Carapicuiba - Itapevi - Jandira - Osasco - Santana de Parnaíba Diretor: Inedir Concórdia Jornalista responsável: Fernanda Nascimento Paginação: Fernando Gomes Departamento Comercial: 11 4198-5888

Se cada um fizer a sua parte, poderemos resolver, ou pelo menos amenizar, os efeitos das enchentes. Pode parecer ‘careta’ tratar desse assunto, mas, na minha opinião, é de suma importância. Não jogue sacos de lixo e móveis em nossas praças. Caso o lixeiro, ou a empresa que recolhe os recicláveis, não passe antes da chuva começar, nós veremos esse lixo boiando em nossas ruas e, consequentemente, atrapalhando o escoamento da água. Não devemos pensar nas grandes montanhas de lixo. Um simples papel de bala pode ser o culpado pelos alagamentos. Sim. Muitos leitores

devem estar me questionando. Como? Pense na sua cidade, no seu bairro. Admitindo que na sua cidade morem 50 mil pessoas e que cada uma jogue apenas um papel de bala no chão. Você consegue imaginar o montante que isso gera? “Quem sabe, faz a história, não espera acontecer”...... Faça a sua parte. Aconteça! Vitor Sapienza é deputado estadual (PPS), presidente da Comissão de Ciência, Tecnologia e Informação, ex-presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, economista e agente fiscal de rendas aposentado. Acesse: www.vitorsapienza.com.br

*As opiniões e conceitos emitidos pelos artigos assinados por colaboradores e/ou colunistas não refletem necessariamente a opinião do JNotícias.


B

DIVULGAÇÃO PM

SEXTA-FEIRA, 22 DE MARÇO DE 2013

JNOTÍCIAS

Cidades

Agentes contra a dengue

A Prefeitura de Barueri, abriu inscrições para contratação temporária de 36 inspetores sanitários para trabalhar como agentes da dengue. As inscrições devem ser feitas até esta sexta, 22, das 9h às 15h, na sede da Secretaria de Saúde. O salário será de R$ 1.065,00, mais gratificação de escolaridade e a seleção será feita através de prova escrita e análise de currículos.

O COTIDIANO DAS CIDADES DA REGIÃO OESTE A GENTE CONTA AQUI

Empréstimo do Governo

Tietê receberá R$ 1,35 bi de investimentos em despoluição A Sabesp assinou na última sexta-feira, 15, financiamento com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), no valor de R$ 1,35 bilhão, para investimentos no Projeto Tietê. Participaram do evento o governador Geraldo Alckmin, o secretário de Saneamento e Recursos Hídricos, Edson Giriboni, a diretora-presidente da Sabesp, Dilma Pena, e o presidente do banco, Luciano Coutinho. “Esses recursos do BNDES vêm em boa hora, completando o total do financiamento. O investimento vai elevar a coleta e o tratamento de esgoto na capital e em mais 27 cidades da Grande São Paulo e ajudar a despoluir os principais rios e córregos da Região Metropolitana, como o Pinheiros, o Tamanduateí e, principalmente, o Tietê, que recebe a água de todos os demais”, afirmou o governador. O Projeto Tietê está em sua terceira etapa, iniciada em 2011. É o maior programa de saneamento ambiental do Brasil. Além desses recursos do BNDES, conta com empréstimo do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e contrapartidas da Sabesp, num total de R$ 3,9 bilhões. Nesta fase, ele deve vai

tão em implantação 580 km de grandes tubulações (coletorestronco e interceptores), que reúnem os esgotos dos bairros e os enviam para tratamento. Além disso, estão sendo feitas 200 mil ligações domiciliares.

DIVULGAÇÃO

Receita veio em forma de empréstimo do BNDES ao Projeto Tietê, da Sabesp

Estação de tratamento Barueri

Tietê corre morto entre as marginais de São Paulo

empregar mais de 19 mil pessoas. São mais de 500 obras, da calçada dos moradores às maiores estações de tratamen-

to da América Latina. São 1.250 km de redes coletoras, tubos na rua que recolhem o esgoto das casas. Também es-

3

Parte essencial do sistema, três estações de tratamento estão sendo ampliadas, inclusive a maior da América Latina, a ETE Barueri. Hoje ela trata 9.500 litros de esgoto por segundo e passará a despoluir até 16 mil L/s. Outras nove ETEs de menor porte também estão sendo construídas. Ao fim da terceira etapa do Projeto Tietê, o índice de coleta de efluentes irá de 84% para 87%. O tratamento subirá de 70% para 84%. Mais 1,5 milhão de moradores da Grande São Paulo passarão a contar com coleta e 3 milhões terão o esgoto tratado. Além dos R$ 3,9 bilhões do Projeto Tietê, a Sabesp executa outros investimentos em coleta e tratamento de esgoto na Grande SP. Entre eles estão o programa Córrego Limpo, que já despoluiu 137 cursos d’água na capital; o Pró-Billings, em andamento em São Bernardo do Campo, com benefícios para a represa; e o programa Vida Nova/ Mananciais, que instala a rede que coleta e envia o esgoto para tratamento em áreas de preservação, como o entorno da Guarapiranga, da Billings, das nascentes do Tietê e dos rios Cotia e Juqueri.

Cidades e bairros com obras do Projeto Tietê na região: Barueri: Cajamar: Carapicuíba: Cotia: Itapevi: Jandira: Osasco: Pirapora do Bom Jesus: Santana de Parnaíba:

Centro, Jardim Itaquiti, Jardim Maria Cristina, Jardim Santa Monica e Vila Iracema Jordanésia, Santa Terezinha e Vila Nova Jardim Felipe, Jardim Santa Tereza, Nova Aldeinha, Vila Cruzeiro, Vila Silvânia e Vila Sul-Americana Granja Viana, Jardim Caiapiá e Jardim Japão Amador Bueno, Estância São Francisco, Jardim Bela Vista, Jardim da Rainha e Jardim Santa Rita Centro e Vila Santa Rosa Bandeiras, Bela Vista, Centro, Cidade das Flores, Jardim Roberto, Padroeira, Recanto das Rosas, Santo Antônio, Vila Militar, Vila Quitaúna e Vila São José Centro, Itaquara Parque, Jardim Bom Jesus e Parque Paiol

Centro e Núcleo São Pedro

Simpósio

Corpo de bombeiros estuda expansão de serviços à cidades desassistidas Em seu 11º aniversário, o 18º grupamento do Corpo de Bombeiros, localizado em Barueri, reunirá autoridades, profissionais do ramo e empresas públicas e privadas no Simpósio de Expansão dos Serviços de Bombeiros e de Segurança Contra Incêndio. O evento acontece no Museu da Bíblia, na Vila Porto, e vai abordar os principais aspectos para a implantação dos serviços de bombeiros nos municípios que ainda não dispõe de grupamentos locais, analisar incêndios ocorridos em locais de reunião de público em âmbito nacional e internacional e estudar maneiras eficientes de divulgação da legislação de segurança contra incêndio do Estado de São Paulo, além de prestar esclarecimentos para a regularização de edificações. O Museu fica na avenida Pastor Sebastião Davino dos Reis, 672, na Vila Porto.

Transporte Público

Famílias carentes vão receber cestas básicas mensalmente em Barueri

Linha T253 ganha mais ônibus no trecho entre avenida Zélia e Centro

Ampliação aconteceu de acordo com um trabalho de reavaliação

tituída pelo prefeito da cidade, Gil Arantes, e, assim como a

implantação do serviço ininterrupto na Farmácia Municipal

e a ampliação dos horários de atendimento no Ganha Tempo, integra o rol de compromissos firmados durante a campanha eleitoral. Segundo a prefeitura, o objetivo é aprimorar os critérios que, gradativamente, devem proporcionar a ampliação no sistema de distribuição mensal e contribuir para a melhoria na qualidade de vida de famílias que vivem em estado de vulnerabilidade social em Barueri. Os cadastros de famílias carentes são feitos diretamente na Secretaria de Promoção Social – avenida 26 de Março, 1.159, Jardim São Pedro. Mais informações: 4199-2800.

Negócios

A Prefeitura de Barueri convida os empresários e comerciantes da cidade a participarem de um ciclo de reuniões especiais, que será realizado mensalmente pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho. O objetivo do encontro é aproximar a classe empresarial do poder público, para que juntos possam criar condições que incrementem os negócios e incentivar o desenvolvimento da cidade. Durante a reunião, os empreendedores terão a oportunidade de colocar em pauta

LUIZ VICENTE

Prefeitura quer aproximar empresários do poder público

Primeiro encontro com empresários aconteceu dia 6 de março

sugestões de políticas públicas que colaborem para o fortalecimento das empresas na cidade, apontando os problemas e dificuldades encontrados no dia a dia de suas atividades. O encontro inaugural aconteceu no dia 6 de março, no Hotel Lummina, e contou com a presença do secretário Mário Lopes e de representantes de empresas e entidades. O próximo encontro acontecerá no dia 17 de abril. Os empresários interessados devem entrar em contato pelo telefone: 4161-7777.

A Coordenadoria de Transpor te, órgão da Secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana responsável pelo planejamento, integração e gerenciamento dos serviços de transportes coletivos em Barueri, informa que, a p a r tir de quin ta -feira, 21, a linha municipal T253, que sai do Jardim do Líbano com destino ao Parque Imperial, terá um acréscimo de ônibus coletivos no itinerário entre a avenida Zélia e o Centro. Para mais informações ligue gratuitamente na Coordenadoria de Transporte no telefone 0800-771-0130.

FLÁVIO COSTA

As famílias carentes de Barueri regularmente cadastradas na Secretaria de Promoção Social e que recebiam cestas básicas a cada dois ou três meses passarão a receber o benefício mensalmente, segundo informações divulgadas pela prefeitura do município. A medida aconteceu mediante um trabalho de reavaliação de cadastro social que, de janeiro a março deste ano, identificou 4.419 famílias atendidas em 2012 pelo programa Bolsa Família, do Governo Federal, que recebiam cestas básicas em períodos maiores do que suas necessidades demandavam. A entrega mensal foi ins-

VALDIR GALINDO

Benefício

Evento

Cidades da região participam da Feira Brasileira de Brinquedos Empresas das cidades de Arujá, Barueri, Cajamar, Carapicuíba, Cotia, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba e Taboão da Serra representam a Região Metropolitana de São Paulo na edição comemorativa de 30 anos da ABRIN – Feira Brasileira de Brinquedos, que acontece entre os dias 23 e 26 de abril, em São Paulo, representada por onze fabricantes do município. Principal evento do setor na América Latina e o terceiro maior no mundo, a feira gera negócios que representam cerca de um terço do faturamento do setor, que deve fechar 2012 na casa dos R$ 4 bilhões.


4

SEXTA-fEirA, 22 DE mArço DE 2013

JNOTÍCIAS

Cidades

De Olho

Fazenda fecha posto de combustíveis em Jandira Amostras coletadas indicaram 63% de álcool misturado à gasolina comum

A Secretaria da Fazenda de São Paulo, por meio da operação De Olho na Bomba, cassou a inscrição estadual do posto de combustíveis Posto de Serviços Nova Cap Ltda., localizado na avenida Fernando Pessoa, no Centro da cidade de Jandira, por desconformidade do combustível coletado com as especificações estabelecidas pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). As amostras recolhidas pela equipe da Delegacia Regional Tributária de Osasco (DRT-14) indicaram teor de 63% de álcool misturado à gasolina, sendo que 20% é o máximo permitido pela ANP. Em todo o Estado de São Paulo já foram cassadas as ins-

crições estaduais de 1028 postos, desde o início da operação, em 2005. O Fisco paulista tem autoridade para cassar a eficácia da inscrição estadual desses estabelecimentos com a finalidade de coibir a comercialização de combustível adulterado e a sonegação de impostos. Esta permissão está amparada na lei 11.929, de 12 de abril de 2005, regulamentada pelas Portarias CAT 28, 32, 61 e 74/05. A fiscalização consiste em aferir bombas, conferir os dados cadastrais do estabelecimento e coletar amostras do combustível comercializado, que são encaminhadas à Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) para análise.

Estão sujeitos à fiscalização postos de combustíveis, distribuidoras e transportadoras. No caso de infração, os postos são impedidos de funcionar e têm lacrados os tanques que contenham combustíveis, além de suas respectivas bombas de abastecimento. De acordo com a lei, os sócios (pessoas físicas ou jurídicas) do estabelecimento ficam impedidos de exercer o mesmo ramo de atividade pelo prazo de cinco anos, contados da data de cassação. A legislação estadual prevê a cassação da inscrição estadual de postos, distribuidoras e transportadores flagrados com combustível fora das especificações, além de multas

da Secretaria da Fazenda, por sonegação fiscal, e do Procon, por lesão ao Código de Defesa do Consumidor, e abertura de inquérito policial, no qual os proprietários respondem a processos civis e criminais. A lista completa de postos de combustíveis cassados pode ser consultada no site da Secretaria da Fazenda (www.fazenda. sp.gov.br). Basta acessar a opção "Consulta de postos cassados". Para denunciar posto suspeito de comercializar combustível adulterado, o contribuinte pode ligar para a Ouvidoria da Secretaria nos telefones (11) 3243-3676 e (11) 3243-3683 ou enviar um e-mail para ouvidoria@fazenda.sp.gov.br.

Saiba que 20% é o teor máximo 1.028 postos Para denunciar

Meio Ambiente

Munícipes devem se engajar na Hora do Planeta

disso, as fichas de inscrição estão disponíveis no Ganha Tempo, até esta sexta-feira, 22 de março. Elas deverão ser entregues preenchidas no dia

do evento. O sorteio será no final da Pedalada, no estacionamento Ginásio de Esportes José Corrêa.

Segurança

Marcio Koch

Canil de Santana realiza treinamento de faro de entorpecentes com cães da GMC

posto suspeito de comercializar combustível adulterado, o contribuinte pode ligar para a Ouvidoria da Secretaria nos telefones (11) 3243-3676 e (11) 3243-3683 ou enviar um e-mail para ouvidoria@fazenda.sp.gov.br.

Drama da Paixão 2013 de Santana de Parnaíba inova e será transmitido no Centro Histórico Silvio Barletta

Divulgação Prefeitura

Hora do Planeta

A Pedalada faz parte do movimento “Hora do Planeta”, que tem a adesão de Barueri pelo quarto ano consecutivo. A Hora do Planeta é um ato simbólico, promovido no mundo todo pela WWF – maior rede independente de conservação da natureza – no qual governos, empresas e a população demonstram a preocupação com as mudanças climáticas e a degradação ambiental. No mundo todo, a partir das 20h as luzes serão apagadas por 60 minutos. Em Barueri, a Prefeitura apagará as luzes dos principais monumentos e das secretarias.

já tiveram suas inscrições estaduais cassadas desde o início da operação De Olho na Bomba, em 2005.

Espetáculo

“Pedalada da Hora” em Barueri terá sorteio de bicicletas A edição deste ano da “Pedalada da Hora”, organizada pela Secretaria de Recursos Naturais e Meio Ambiente de Barueri, terá o sorteio de bicicletas doadas por duas empresas parceiras – Bradesco e Muzzicycles. A Pedalada da Hora é um passeio ciclístico pelo centro da cidade, em terreno plano, saindo do estacionamento do ginásio poliesportivo José Corrêa, em direção à Arena Barueri, retornando ao local de destino. As inscrições podem ser feitas antecipadamente pelo site da Prefeitura de Barueri. Além

de álcool que pode ser misturado à gasolina, segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo)

Telão exibirá encenação ao vivo no Centro Histórico

Nos dias 28, 29 e 30 de março às 20h30, acontece a tradicional encenação do Drama da Paixão da cidade de Santana de Parnaíba. Considerada a segunda maior montagem teatral que interpreta o nascimento, morte e ressurreição de Cristo do Brasil, a versão deste ano, que deve durar cerca de 2h30, promete surpreender mais uma vez ao público que vier assistir. O espetáculo acontecerá às margens do Rio Tietê, na Barragem Edgard de Souza, que fica no km 40 da

Estrada dos Romeiros. Umas das grandes novidades desse ano é o telão de LED que será montado na Praça Quatorze de Novembro, no Centro Histórico da cidade. O intuito é fazer com que aquele morador que não possa se locomover até as margens da barragem, também possa ter o privilégio de assistir a encenação, que será transmitida em tempo real, preservando todas as emoções do momento da apresentação.

Incentivo

Cães devem ajudar na identificação de portadores de entorpecentes ou esconderijos de drogas

No último sábado, 16, e domingo, 17, a Secretaria Municipal de Segurança Pública de Santana de Parnaíba por meio de funcionários do Canil realizaram o curso de treinamento de guias de cães farejadores de entorpecentes.

O curso aconteceu no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Guardas (CFAG), teve a duração de 16 horas e contou com a participação das corporações das cidades vizinhas de Cajamar e Itapevi. Quem ministrou o curso duran-

te os dois dias de treinamento a convite da GMC de Santana de Parnaíba foi o instrutor Gilson Ferreira Alves. É importante ressaltar que o empenho desses funcionários já tem surgido efeito, pois no final do mês passado o cão Vanto do

canil da GMC ajudou na busca e apreensão de entorpecentes. Apreensão que começou no bairro da Fazendinha, por meio de um adolescente que traficava no local, e foi flagrado por Guardas Municipais da cidade.

Professores e alunos da Fieb são premiados pela OBFEP 2012 O resultado da Olimpíada Brasileira de Física nas Escolas Públicas (OBFEP) 2012 acabou de sair e mais uma vez as escolas mantidas pela Fundação Instituto de Educação de Barueri (FIEB) contabilizam ótimos

resultados. Quatro professores e 24 alunos foram premiados. O resultado foi divulgado no dia 15 de março de 2013. Os alunos da FIEB trouxeram, ao todo, 11 medalhas de ouro, seis de prata e sete de bronze.


divulgação

SEXTA-fEirA, 22 DE mArço DE 2013

JNOTÍCIAS

Política

5

Parlamentares discutem o aborto

O relator da proposta de reforma do Código Penal, senador Pedro Taques (PDTMT), comentou na quinta-feira, 21, o apoio anunciado pelo Conselho Federal de Medicina à permissão de que a mulher faça aborto até a décima segunda semana de gestação. “Nós temos que receber essa sugestão com todo o respeito, mas quem tem autonomia para debater o assunto é o Congresso Nacional”, disse o senador.

bastidores e atualidades da política na região

Para 2014

Os partidos políticos que possuem uma base consolidada na região já iniciam reuniões visando fortalecê-la e até aumentá-la para as eleições de 2014. No caso de Barueri, partidos como o PTB, presidido por Chico Vilela, que também está à frente do Legislativo Municipal, realizaram campanhas como a de filiação partidária, que deve continuar até setembro, e foi realizada no Parlamento 26 de março da Câmara de Barueri. Durante o encontro, foram pautados assuntos de cunho administrativo e partidário, reunindo nomes como o do viceprefeito de Barueri Dr. Jaques Munhoz (PTB), o 1º Suplente de vereador Zé Nilson (PTB), o vereador Carlinhos do Açougue (DEM), o vereador Dr. Junior Munhoz (PRP) e outras lideranças políticas locais.

PSDB em Parnaíba

No último domingo, 17, das 9h ao meio-dia na Câmara Municipal de Santana de Parnaíba aconteceu a convenção para a escolha da nova chapa executiva do diretório munici-

pal do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira), que contou com a participação dos filiados, coligados, militantes e simpatizantes do partido tucano. Entre os principais representantes do PSDB de Santana de Parnaíba estavam o Presidente da Câmara, Elvis Cezar; o Prefeito Cezar; o Vice-Prefeito Boreli; a Presidente do PSDB Mulher de Santana de Parnaíba, Rosália Dantas; a Secretária de Cultura e Turismo, Fátima Muro; o Administrador Regional Alphaville/Tamboré, Carlos Alberto Marini; a Diretora Presidente da Caixa de Previdência, Maria de Fátima Pereira; os vereadores Marcos O Tonho, Amâncio Neto e Nilson Cadeirante que é do PDT, mas que está na base aliada do Governo Municipal do PSDB. Ao término da votação ficou definida a nova composição da executiva: Oswaldo Boreli como Presidente; Antônio da Rocha Marmo Cezar, Vice-Presidente; Elvis Leonardo Cezar, como Secretário Geral; Waldemar Vieira ficou com o cargo de Tesou-

ivan nunEs

Partidos querem aumentar base visando eleições

Presidente da Câmara e do PTB de Barueri, Chico Vilela coordenou campanha de filiação visando eleições

reiro; Amâncio Neto e Fábio Mendonça, como 1º e 2º vogal respectivamente, e Marcos O Tonho como Líder do PSDB na bancada.

Tucanos de Osasco

Já em Osasco, o PSDB também realizou sua convenção municipal no domingo, 17, para

O vereador Silvio Macedo (PPS) apresentou na terçafeira, 19, moção de louvor ao Papa Francisco, nomeado recentemente para o posto mais alto da Igreja Católica. Ao defender a aprovação de sua propositura, o parlamentar ressaltou o perfil de simplicidade do jesuíta, que ocupava o cargo de arcebispo de Buenos Aires, na Argentina, seu país de origem. A moção foi aprovada por unanimidade e bastante elogiada pelos vereadores, que também destacaram a humildade do pontífice.

Bidu quer agência bancária no Jardim Belval

O vereador Bidu (PSDB) apresentou um requerimento na sessão de terça-feira, 19, solicitando que a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) seja oficiada para que estude a viabilidade de instalar uma agência bancária na região do Jardim Belval. Bidu afirmou que a reivindicação partiu de moradores do bairro e adjacências.

Kaskata quer Centro de Oncologia em Barueri

O vereador Kaskata (PSB) apresentou na terça-feira, 19, uma indicação ao Poder Executivo solicitando um estudo de viabilidade para a implantação de um Centro de Oncologia em Barueri. De acordo com o vereador, os pacientes com câncer precisam, atualmente, procurar o serviço oncológico em municípios vizinhos, tornando o tratamento de quimioterapia e radioterapia ainda mais penosos.

Toninho Furlan reivindica CEP para conjunto habitacional

O vereador Toninho Furlan (PMDB) apresentou na sessão de terça-feira, 19, uma indicação ao Poder Executivo solicitando providências dos Correios para a criação de um CEP (Código de Endereçamento Postal) para o Conjunto Habitacional do Jardim dos Altos, em Barueri. De acordo com Toninho Furlan, a reivindicação também partiu dos próprios moradores.

Atrasos e superlotações

Vereadores discutem o transporte público em Barueri

Parlamentares se reuniram com secretário e com representantes da Benfica para propor melhorias Atentos aos anseios da população, os vereadores de Barueri têm realizado importantes discussões para melhorar a qualidade do serviço de transporte público na cidade.

Na manhã de sexta-feira, 15, o presidente da Comissão de Transportes, vereador Robertinho (PR), junto com os colegas Bau (PRB) e Dr. Junior Munhoz (PRP), foram

saram pelas sete mesas receptoras. Foram eleitos os titulares e suplentes, conforme determina o calendário do partido para todo o estado de São Paulo.

Giro Político

Por dentro da sessão Silvio Macedo presta homenagem ao Papa Francisco

eleger os dirigentes partidários nas sete zonas eleitorais da cidade e seus delegados para o diretório municipal. Ao longo de quatro horas, 1526 votantes pas-

recebidos pelo secretário de Transporte e Mobilidade Urbana, João Amâncio, para uma reunião com os representantes da empresa Benfica, concessionária do transporte público

municipal. Uma prévia desta reunião já havia sido realizada na quarta-feira, 13, na Câmara Municipal, na presença de 10 parlamentares. O ponto detectado como principal responsável por atrasos e superlotações dos ônibus em Barueri foram os congestionamentos. Dentre as ações propostas, estão a criação de corredores exclusivos de ônibus nas principais vias da cidade (funcionando apenas em horários de pico) e a criação de linhas incentivando a utilização dos outros terminais da cidade, evitando a centralização do transbordo de passageiros na estação Barueri da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). A implantação de Zona Azul na região Central e a criação de bolsões de estacionamento também foram levantadas durante o encontro, com o objetivo de melhorar a fluidez na região. “Temos que trabalhar em conjunto. O Poder Legislativo, o Poder Executivo e a iniciativa privada, sempre pensando em melhorar o transporte público na nossa cidade”, comentou Robertinho.

gerson Pedro é Jornalista e administrador Público Email: maboose@uol.com.br

O assunto é a superlotação

O neo-vereador Saulo Góes adentrou na última terça feira com uma indicação no sentido de que se fiscalizem os ônibus da Benfica que circulam superlotados em especial nos horários de pico.

Aí o caos se instituiu

Bastou citar a empresa para suscitar uma série de discussões, bate-bocas, ataques ardentes e defesas mais ardentes ainda. O vereador Kaskata caiu de pau de forma impiedosa e para o neo edil, não é justo que exista apenas uma empresa prestando tal tipo de serviço, blá, blá, blá, etecetera e coisa e tal. Hummmmmm.

Contra a violência

Ao conseguir falar, Toninho respondeu dizendo que cooperativas de transportes coletivos trazem violência, referindo-se ao vereador Carlinhos do Açougue que defendeu um sistema de transportes alternativos. “É um transporte ineficiente, existem corridas desleais para pegar passageiros colocando em risco vidas humanas” , opinou.

Sobrou bordoadas contra a Benfica

Minha nossa! A sessão que corria plácida ficou tensa, com os “nobres colegas” se digladiando verbalmente, resmungando impropérios, interrompendo as falas de seus pares, a ponto do vereador presidente Chico Vilela ameaçar acabar com a sessão devido às atitudes da plêiade de insurrectos.

Mas há os que defendem Mas se meus considerados e contumazes leitores pensam que tudo foi bordoada, se enganaram, pois segundo o decano vereador Tarzan, a empresa não tem nada de ruim. “Tenho medo que ela vá embora e venha alguma outra empresa pior”. O ínclito Tarzan (o rei do Jangal hi, hi, hi) confessou que deve muito à empresa, no que foi corroborado pelo presidente Chico Vilela, que lembrou que a Benfica já prestou muito serviço à cidade e não é das piores.

Mais defesas apaixonadas

O vereador Jânio o Imperador do Imperial, disse que sempre vai defender a Benfica que foi a única empresa de ônibus a entrar no Jardim Mutinga na época em que sequer existia asfalto. “Naquela época não tinha um vereador da oposição para tirar fotos, e agora vem jogar pedras na vidraça”. Concluiu. Chiii.

Bombeirinho ficou brabo O ínclito vereador bombeirinho, que na hora da brabeza esqueceu-se de apagar os incêndios, ficou furibundo com o neo-

vereador Kaskata, lembrando inclusive não ter nenhuma espécie de procuração da empresa Benfica para defendê-la. Durante o entrevero verbal o presidente Chico Vilela, mais uma vez lembrou que se a indisciplina continuasse ele iria encerrar a sessão.

Mentiroso, mentiroso!

Mas nem a intervenção do presidente amainou os ímpetos verbais do vereador Bombeirinho que bradava ao neovereador Kaskata que ele era mentiroso. “Tem vereador mentiroso que diz que tem motorista que inclina os ônibus. É mentira, os veículos tem tacógrafos as velocidades são controladas."

Trocou seis por meia dúzia?

Um pouco tempo depois de ter falado um montão e de ter discutido aos altos brados com o seu neo-colega edil, o vereador Bombeirinho resolveu baixar o tom do bate-boca e, solicitando um aparte, tentou corrigir as fortes palavras ditas anteriormente a seu colega e remendou dizendo:“O vereador Kaskata não é mentiroso, apenas faltou com a verdade”. Humm.

Chame o padre Quevedo

O bate-fundo cameral atingiu tão importantes proporções que o vereador Fabião, ao assomar à tribuna sugeriu que se chamasse o Padre Quevedo para espantar os “maus espíritos” que estavam rondando o local sobre a Benfica disse ainda não saber se a mesma presta ou não bons serviços. Hummmmm.

Já que o assunto era ônibus

A vereadora Maria Evangelista, competente representante do universo feminino no Parlamento 26 de Março, com muita perspicácia observou a necessidade da criação de uma linha circular de ônibus passando pelo hospital municipal, coisa que há tempos se faz necessária, porém nada acontece. Ela prometeu envidar esforços juntamente com seus nobres colegas para que isso venha a se concretizar o mais rapidamente possível. Aí sim, não é amados leitores?

Mais respeito colegas

O vereador Celso Calegare, também estreante nas lides legislativas, deu uma “dura” ao criticar o nível do espetáculo apresentado indagando o que o povo de Barueri estaria ganhando com aquilo, lembrou que cada vereador estava “puxando” para o lado pessoal. Em resumo, disse ele, ofensas ao público, aos munícipes e até mesmo a eles próprios não condiziam com o papel que representam e concluiu pedindo que os “nobres colegas” se respeitassem mais. Hiiiiiiii!


6

SEXTA-fEirA, 22 DE mArço DE 2013

JNOTÍCIAS

Cidades 2 divulgação

O que acOntece nO estadO, nO país e nO mundO

Leão

Receita estuda liberar preenchimento da declaração do IR em smartphones e tablets A Receita Federal estuda permitir o preenchimento da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) por meio de smartphones e tablets. O projeto ainda não tem data para entrar em vigor, segundo a coordenadora de Sistemas da Receita, Maria Rita de Abreu, e só será viabilizado se o aplicativo para esse fim atender a uma série de requisitos de segurança. O preenchimento da declaração por meio de dispositivos móveis faz parte do trabalho de

modernização da Receita, que inclui, entre outros pontos, a declaração pré-preenchida em 2014, também em estudo. Na última sexta-feira, foram anunciadas novas funcionalidades para o aplicativo Pessoa Física, disponível para dispositivos móveis com sistemas Android (Google) e iOS (Apple). No primeiro caso, as atualizações já foram feitas e, no segundo, devem ser liberadas nos próximos dias. Um das novidades é que o programa passou a permitir,

após cadastramento prévio no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC), consultar e imprimir o Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) para o pagamento na rede bancária de cotas do Imposto de Renda Pessoa Física desde 2006. Outra novidade do aplicativo é a simulação do cálculo do IRPF mensal e anual. O usuário informa os valores, como rendimento e deduções, e o aplicativo calcula o imposto devido. No cálculo anual, o supervisor nacional do Imposto de Renda,

Joaquim Adir, informou que o aplicativo identifica a melhor forma de tributação aplicável no caso das deduções legais e no caso do desconto padrão (simplificado). Foi introduzida ainda na nova versão do aplicativo a possibilidade de se criar um histórico das últimas consultas de CPFs e de restituições do Imposto de Renda, além de um teste de conhecimento com questões sobre o assunto e uma versão de bolso do Perguntão da Declaração de 2013.

Números

Mais de 3 milhões de contribuintes já entregaram a declaração de imposto de renda A Receita Federal recebeu 3.013.324 de declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física 2013 até a tarde da segunda-feira, 18. O órgão lembra que o contribuinte que quiser doar

a um dos fundos de ajuda à criança e ao adolescente inscritos na Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, e repassados à RFB, poderá fazê-lo até 30 de abril próximo, com direito ao aba-

timento de 3% do total no IR ainda na Declaração atual. Já quem tem imposto a pagar e optar pelo débito automático da quota única ou a partir da primeira quota, deve enviar a declaração até

31 de março. A expectativa é que as Declarações de Ajuste Anual do Imposto de Renda Pessoa Física este ano superem 26 milhões, um recorde em relação aos anos anteriores.

Resoluções

O Banco Central divulgou na segunda-feira, 18, no Diário Oficial da União, os detalhes das três resoluções aprovadas na última sexta-feira, no Dia Mundial dos Direitos do Consumidor, para aumentar a transparência das informações na contratação de serviços bancários, de operações de crédito e de câmbio. O objetivo é facilitar a comparação entre as tarifas cobradas por cada instituição financeira. As regras começam a valer a partir de 1º de julho deste ano. Pela medida, os bancos serão obrigados a criar três novos pacotes padronizados de tarifas para contas de depósito. Os pacotes terão que oferecer um número igual de serviços bancários – fornecimento de cheques, número de saques, extratos e transferências por DOC e TED, entre outros. Assim, o cliente poderá comparar

divulgação

Novas regras de serviços bancários começam a valer em julho

Resoluções visam estimular concorrência entre as instituições

o preço cobrado pela instituição financeira, o que aumentará a concorrência, segundo o BC (Banco Central). O banco também terá que deixar claro as condições do pacote que o cliente pretende contratar e as diferenças entre

a opção escolhida e os demais. O cliente, no entanto, não será obrigado a aderir a um dos pacotes e, se quiser, pode optar por pagar separadamente por serviços avulsos. A regra deve constar do contrato de abertura da conta.

Nas operações de crédito, o banco deve informar o Custo Efetivo Total (CET), valor total da dívida mais juros, encargos e despesas, antes da contratação do crédito ou do arrendamento financeiro. O CET é o valor total que será pago e inclui, além do montante e dos juros, outras despesas incluídas no empréstimo, como tarifas cobradas pela instituição financeira. O cálculo do CET também deve ser inserido nos contratos, identificando o valor de cada despesa e o porcentual relativo ao valor total. Para operações de câmbio, deve ser informado o Valor Efetivo Total (VET), que corresponde ao valor da taxa de câmbio, os tributos incidentes, como o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), e a tarifa cobrada. Para essas operações, as regras já estão em vigência.

IRPF em números 3.013.324 26 milhões 2014

é o número de declarações recebidas pela Receita Federal até segunda-feira, 18 é total de declarações esperado pelo órgão para a entrega em 2013 é o ano em que pretende-se implementar aplicativos em tablets e celulares para preenchimento e entrega do IRPF

Petróleo

Valor do combustível deve ficar estável A presidenta da Petrobras, Graça Foster, disse na terça, 19. que a Petrobras vai manter a política de médio e longo prazos para reajustar preços de combustíveis. A estratégia evita repassar ao mercado doméstico as oscilações de curto prazo no preço do petróleo no mercado internacional. Ela admitiu, entretanto, que persiste a defasagem de preços, apesar dos últimos aumentos. Segundo Graça Foster, os quatro reajustes no preço do diesel, que somaram 21,9%, e os dois da gasolina, que somaram 14,9%, nos últimos meses, ainda não foram suficientes para superar a defasagem em relação aos preços internacionais.

Abastecimento

Apenas 67% dos municípios brasileiros controlam qualidade da água Em todo o país, apenas 67% das cidades dispõem de mecanismos para fiscalizar e avaliar a qualidade do abastecimento de água, informou nesta terçafeira, 19, o diretor do Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador do Ministério da Saúde, Guilherme Franco Netto. Segundo ele, a meta é levar o serviço a 70% dos municípios neste ano. Até 2015, a taxa deve chegar a 75% das cidades do país.


sexta-feira, 22 de março de 2013

Notícias 2

pré-históri

7

d'Os crOOd

cA

s

depois que sua caverna é destru ída por um terrem ninguém menos oto, Crug, dublad do que Nicolas Ca o por ninguém m ge, se vê obrigad toda sua família, ais o a enfrentar o 'm em busca de algu undo lá de fora' m outro lugar se haviam saído da com guro pra viver. o toca e, essa aven problema é que tura por um univ que conheçam um eles nunca erso totalmente nômade com pe de sconhecido vai fa ns am en to s zer com modernos, dubl encanta todo o cl ado por ryan re ã, principalmente ynolds, que a filha mais velh a do patriarca.

*Brasil

*crianças

imagens: divulgação

A AventurA

JNOTÍCIAS

Amigos de infância num assalto improvável

Cultura Por Natureza traz Demônios da Garoa até Cotia Ação gratuita integrará shows e apresentações infantis no Shopping Granja Vianna

*cinema

De 23 de março a 14 de abril, o Shopping Granja Vianna realiza mais uma edição do projeto Cultura Por Natureza. A ação contará com shows gratuitos de Demônios da Garoa, Guilherme Arantes, Ed Motta e Jorge Aragão. As apresentações serão realizadas sempre aos sábados, às 17h. Para o público infantil, o shopping traz apresentações gratuitas de artistas renomados: Ciência em Show, Broadway Delivery, Cia Truks e Cláudio Mágico. Essas atrações serão realizadas aos domingos, às 16h, e proporcionarão aos clientes momentos especiais em família.

Invasão a Casa Branca invadida

A Casa Branca foi m o por ter roristas, que mantê idos Un os presidente dos Estad ser de preso. Sua única chance nning salvo é através de Mike Ba ante egr int exum (Gerard Butler), que l cia en da segurança presid por ing caiu em desgraça. Bann Branca acaso ficou preso na Casa o único durante a invasão, sendo cional na a contato da seguranç ma é dentro do local. O proble ico, os que, devido ao seu histór a nã o int eg ran tes da seg ura nç ssoa pe a a acreditam que ele sej sem e, certa para esta tarefa. Só qu apostar outra opção, precisam pri-la. que ele seja capaz de cum

Shows

Neste sábado, 23, às 17h, os Demônios da Garoa abrem a temporada do Cultura por Natureza e apresentam seus maiores sucessos, como Trem das Onzes, Saudosa Maloca, Tiro ao Álvaro, Iracema e Samba do Arnesto.

*nave Mãe

*show

A comédia brasileira "Vai que dá Certo", que tem Bruno Mazzeo, Danton Mello, Fabio Porchat, Felipe Abib, Gregório Duvivier, Lúcio Mauro Filho e Natália Lage no elenco, conta a história de cinco amigos de infância que, ao se reencontrarem, fazem um balanço de suas vidas e chegam à conclusão de que seu futuro é muito diferente ao que foi sonhado na adolescência. Numa empreitada maluca, eles decidem que a solução para todos os seus problemas é assaltar uma transportadora de valores para que, uma vez ricos, iniciem a recuperação pelo tempo perdido.

Apresentações infantis

Já no domingo, 24, às 16h, as crianças terão a oportunidade de conferir truques de mágica exclusivos, que serão apresentadas pela primeira vez no shopping pelo renomado Cláudio Mágico.

Viagem espacial no Catavento

O Catavento Cultural e Educacional, espaço de ciência e tecnologia da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, comemora quatro anos neste mês de março, e quem ganha presente é o público. Para comemorar seu aniversário, o espaço interativo lança mais uma atração imperdível: a instalação “Aventura no Sistema Solar”, na qual os visitantes embarcam numa nave espacial, rumo ao espaço. Por 45 minutos, vividos intensamente, os visitantes (24 em cada viagem), se transformam em astronautas e têm a oportunidade de conhecer de perto alguns planetas do sistema solar e de se aventurarem por diversas missões, solucionadas pelo trabalho em equipe. As missões são realizadas por meio de jogos interativos que exigem concentração e raciocínio rápido, de forma que, ao mesmo tempo em

que se divertem, os visitantes aprendem mais sobre o universo e seus astros. Realista, a instalação impressiona por sua semelhança com uma nave espacial de verdade. Tanto o roteiro quanto a estrutura tecnológica da Nave Espacial do Catavento foram criados pelo Laboratório de Sistemas Integráveis (LSITEC) da Universidade de São Paulo (USP), em parceria com o Catavento. As “viagens espaciais” são realizadas apenas em grupos, de terça-feira a sexta-feira, e deverão ser previamente agendadas com o setor de visitação do Catavento. Excepcionalmente, nos dias 23 e 24 de março, serão realizadas duas sessões no período da manhã e duas no período da tarde. Para estas, serão distribuídas senhas na bilheteria e os visitantes serão guiados pelos monitores até a Nave Espacial.


8

SEXTA-fEirA, 22 DE MArÇO DE 2013

JNOTÍCIAS


SEXTA-fEirA, 22 DE mArço DE 2013

JNOTÍCIAS

9

Aniversário Progresso

Barueri completa 64 anos como gigante em crescimento na região Cidade foi emancipada em 1949. Antes foi aldeia e pertenceu à Santana de Parnaíba

A cidade em números Tem uma população É a terceira cidade

divulgação

É o 6º PIB Tem o menor índice É a 5ª cidade

de 240.656 habitantes, de acordo com o Censo 2010.

no Brasil com melhor administração financeira, e a segunda do Estado de São Paulo, de acordo com o Índice Firjan de Gestão Fiscal. (Produto Interno Bruto) de SP e o 16º do Brasil- R$ 27.752.428.000- segundo o IBGE (2010). de mortalidade infantil da Região Metropolitana de São Paulo: 8 por mil nascidos vivos, segundo a Fundação Seade (2011). mais desenvolvida no país em educação, saúde e emprego e renda segundo o IFDM (Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal).

Saúde

Pesquisa aponta necessidades dos moradores

Alphaville é um dos pólos de desenvolvimento econômicos que ajudaram, e muito, a elevar o status de modernização da cidade

A cidade de Barueri completa em 26 de março, próxima terçafeira, 64 anos de emancipação político administrativa. Desde que

nasceu, como uma singela aldeia indígena fundada pelo padre jesuíta José de Anchieta, pertencente ao município e comarca de Santa-

na de Parnaíba, e percorrendo os passos de crescimento que a levaram a ser emancipada, em 1949, Barueri conquistou, ao longo dos

Investimentos

O que a população espera para o futuro de Barueri?

O progresso conquistado por Barueri em diversas áreas do desenvolvimento urbano traz consigo a complexidade em se administrar uma cidade em pleno crescimento, que precisa lidar com a explosão demográfica, compartilhamento de serviços, trânsito, desigualdade social e até o esgotamento de recursos naturais diante da marcha da industrialização tocada pelo mundo afora. A cada vez que a cidade se destacou em alguma área, como por exemplo na expansão de seus pólos industrial e comercial, ela teve de lidar com agregados como novos investidores e mão de obra que ajudaram a formar uma população flutuante diária que utiliza vias locais, transportes públicos, serviços municipais de saúde, educação, e por fim acaba até elegendo a cidade como opção para se instalar definitivamente. Uma das principais preocupações da população nesse aspecto, se refere ao trânsito provocado pelos veículos que circulam diariamente pelos bairros de Alphaville, Tamboré, e também pelas regiões que crescem no entorno de empresas e grandes centros de comércio. "Espero que para os pró-

ximos anos façamos um planejamento estratégico visando a melhoria do trânsito, já que com a expansão imobiliária que a cidade vem enfrentando com a chegada de muitos empreendimentos residenciais e comerciais, a expectativa é que o trânsito, que já se encontra caótico nos horários de pico, principalmente na região central e de Alphaville, passe a se tornar cada vez mais insuportável, tirando de vez o sossego e a qualidade de vida da cidade", expressa o morador Leandro Souza. Outros porém, que vivem aqui desde o início desta expansão, destacam o modo como Barueri se transformou numa referência no estado e no país, e apontam que gostariam que o mesmo pioneirismo em termos de progresso se estendesse em torno dos desígnios da arte consciente. "Conheci Barueri em 1972 e minha opinião foi horrível. Em 1973 me mudei para cá e, passados anos não tão distantes, dá-nos este progresso vultoso de grandeza majestosa. Claro que falta muita coisa para ser chamada de metrópole, mas já podemos

chamá-la de cidade. Cidade de Barueri que hoje nos dá orgulho de aqui estar e ser uma história de vida, amor e dedicação. Eu ajudei a formar essa cultura e me orgulho de me dedicar muitas e tantas vezes com desejo e vontade de vê-la emancipada em educação e cultura", declara a jornalista e escritora Antonia Laforgia. Por fim, há munícipes preocupados de que a alta renda de uma minoria concentrada nas áreas nobres da cidade seja conquistada às custas da exclusão dos mais carentes do processo de emancipação social.

"Para quem, como eu, vem acompanhando o desenvolvimento de Barueri há anos não tenham dúvidas, somos uma cidade promissora, desenvolvimentista e rica.O maior problema de sua população é a desigualdade social. Por exemplo um morador do bairro dos altos tem uma renda média de R$ 858,75 e um morador do Tamboré I bairro mais rico tem renda média de R$ 14.256,49", compara José Macedo Oliveira. Todos eles responderam à pergunta: O que você espera para Barueri daqui a 5 ou 50 anos?, feita pelo JNotícias em seu perfil na internet a todos os participantes da rede social.

anos, um lugar de respeito entre os pólos de desenvolvimento no país, e lidera índices progressistas em toda região metropolitana.

Seguindo a tendência nacional, 25,5% da população de Barueri aponta na Pesquisa Regional de Mercado (PRM), realizada pelo Instituto MAS, que a saúde é a área que precisa de mais investimentos na cidade. Para Marcos Agostinho, sociólogo e coordenador da PRM, a questão da saúde em Barueri é uma situação diferenciada. “O atendimento de saúde no município é referência na região, com isso, segundo dados da atual adiministração, mais de 50% dos atendimentos realizados no Pronto Socorro Central são de moradores de cidades vizinhas. Isso sobrecarrega o sistema de saúde”, apontou Marcos.

Ainda segundo ele, a solução, para o caso específico de Barueri, é investir mais na qualidade e na quantidade de unidades nos bairros para que a população recorra ao PS Central com menos frequência. Os moradores elegeram como segunda maior área com necessidade de investimentos a segurança, com 17,2% das indicações, seguida de 9% para o transporte público, com destaque para alto valor da tarifa, falta de ônibus e demora da passagem de um carro a outro nas paradas localizadas em Barueri. Também aparecem no ranking a habitação, com 4,1%, empatada com problemas de enchentes/alagamentos.


10

SEXTA-fEirA, 22 DE mArço DE 2013

JNOTĂ?CIAS

Classificados

pArA ANuNCIAr lIgue:

11 4198-5888

opçþes e oportunidades de negócios estão aqui

oportunidades de negĂłcios

VENDE-SE TERRENO EM CONDOMINIO FECHADO. 555M2 15X37 (11) 98536-0530 / 4161- 4811.

1º - à REA INDusTRIAl EM ITApEvI, 146.000M², R$90,00M².ZupI 2 2º - à REA REsIDENCIAl CENTRO DE ITApEvI R$ 350,00M² - 40.000M²

VENDE - SE

3º - à REA INDusTRIAl EM ITApEvI. ZupI1- 4.500M² R$700.000,00 4º - vENDE – sE 1 CAsA 6 CôMODOs TERRENO C/ 300M², vIlA BOA vIsTA R$320.000,00. 5º - vENDE – sE 1 CAsA 8 CôMODOs, TERRENO C/ 137M²- pARquE DOs CAMARgOs – R$220.000,00

SR. BERNARDO TEl: 4141.3512 - 9 7687.7709 / DR. FRANCiSCO TEl: 9 8541.9769 - CRECi: 72851

uMA CAsA, 2 COMODOs E BANHEIRO sEM ACABAMENTO COM TODOs Os MElHORAMENTOs A 5 MINuTOs DO TREM vAlOR R$ 30.000,00

edital 1ÂŞ ASSEMBLÉIA GERAL ORDINĂ RIA EDITAL DE CONVOCAĂ‡ĂƒO A COOPERAUB – Cooperativa dos Motoristas de Transportes AutĂ´nomos de Barueri convoca os seus associados em condiçþes de votar, para comparecerem Ă  ASSEMBLÉIA GERAL ORDINĂ RIA, que farĂĄ realizar-se na ACERB – Associação Cultural, Esportiva e Recreativa de Barueri (Clube dos Japoneses), situado na Rua AntĂĄrtico, n. Âş 22 – Jardim Reginalice – Barueri – SP, no dia 04 de abril de 2013 (quinta-feira), Ă s 18:00 horas em primeira convocação, com 2/3 (dois terços) dos seus associados; em segunda convocação Ă s 18:30 horas, com metade mais um dos seus associados, ou em terceira convocação Ă s 19:00 horas com o mĂ­nimo de 10 associados, para tratar do seguinte ORDEM DO DIA a) Prestação de conta do ĂłrgĂŁo de administração, compreendendo Balanço Geral do exercĂ­cio de 2012, das Contas de Sobras e Perdas; b) Destinação das sobras apuradas do exercĂ­cio (ou rateio das perdas); c) Outros assuntos de interesse da sociedade; Barueri, 06 de março de 2013. JOSÉ MARIA DE MORAES - PRESIDENTE

– ACEITA-sE CARRO Ou MOTO COMO pARTE DO pAgAMENTO lOCAl: AMADOR BuENO – ITApEvI. FONE:

MinistĂŠrio da PrevidĂŞncia Social

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

95030-2203 FONE: 97316-2481 GERĂŠNCIA EXECUTIVA OSASCO/SP

CONTRATA-SE CONsulTĂłRIO ODONTOlĂłgICO EM AlpHAvIllE, ADMITE AuXIlIAR COM EXpERIĂŞNCIA E CuRsO DE AsB. ENvIAR Cv COM FOTO E pRETENsĂŁO sAlARIAl pARA: AlpHAsMIlE@uOl.COM.BR

A C r A m SuA em

20 mIl exem

pl AreS

Seu canal direto com a informação pArA ANuNCIAr lIgue:

EDITAL DE CONVOCAĂ‡ĂƒO Considerando a devolução pelos Correios da carta de exigĂŞncia encaminhada pelo INSS ao endereço constante do Cadastro do Sistema Ăšnico de BenefĂ­cios, GHYLGRDQmRORFDOL]DomRGREHQHÂżFLiULRHHPFXPSULPHQWRDRGLVSRVWRQRDUW GD/HLGHIDFXOWDPRVDRVLQWHUHVVDGRVDEDL[RUHODFLRQDGRVR SUD]RGHGLDVDFRQWDUGDGDWDGDSXEOLFDomRGHVWHHGLWDOSDUDFRPSDUHFHU QD$JrQFLDGD3UHYLGrQFLD6RFLDO%DUXHULQD$Y0XQLFLSDO-G6LOYHLUD %DUXHUL 63 GDV K jV K VHWRU GH 5(&85626 GH EHQHItFLRV PXQLGRV GRV GRFXPHQWRV5*H&3) $QD 3DXOD 6RDUHV 37  'HUPLYDO 6LOYD 2OLYHLUD 37  (OFLR %ULVROD GH $OPHLGD 37  (VPHUDOGD5DLPRQD37-RmR%DWLVWD$OYHVGH$]HYHGR 37  -RHO 5LFDUGR GH$UUXGD 37  -RVH &DUORV GD 6LOYD 37  -RVH 2VYDOGR &DPSRV 37 -RVH5REHUWR0HLVWHU0XVVQLFK37  -XYHQDO *HRYDQH /LPD 37  /XFDV GH %DUURV 37  /XFLDQD 6DOHV 5RGULJXHV 37  0DULD +HOHQD 7HL[HLUD 37  0DULD 1LO]D 9DVFRQFHORV GD 6LOYD370LOWRQ$OWHD%DVLOLR37 3DPHOD)HUUHLUDGD6LOYD*ULJROHWWR37=HOLD1DVFLPHQWR GD6LOYD37

Abandono de emprego Sra. DENFER PAULINA DE OLIVEIRA CARVALHO– CTPS 0064204 sÊrie 00271 SP RG 427589356SP - Esgotados, sem sucesso, nossos recursos de tentativa de vossa localização no endereço informado, informamos assim que caracterizou-se o abandono de emprego. Empresa: FIDELITY PROCESSADORA E SERVIÇOS S.A

gratiFica-se coM r$ 500,00 CĂ‚MERA MARCA sAMsuNg, COR vERMElHA, pERDIDA NA EsCOlA AlCINO, NO DIA DO pREFEITO NO sEu BAIRRO. FaVor coMunicar peLo teL: 98571-6476/ 4199-8028 Marcia

11 4198-5888

guia de Serviços auto moto esCola Central

Carta para motorista | registro de Carta troCa de Categoria | 2ÂŞ via de Carta

rua Campos salles, 513 - Centro - Barueri - sP tel: 4198-8826 (em frente ao supermercado barbosa)

solano imóveis End.: Av. Pres. Washington Luiz, 13, Jd. Silveira, Barueri, SP; Creci. J: 18265 site: www.solanoimoveis.net.br VeNDA Jandira- Casa tÊrrea 03 dormitórios, sendo 01 suíte, sala com piso laminado, cozinha, banheiro, årea de serviço, quintal com churrasqueira e forno a lenha, e garagem para 02 carros. Ótimo acabamento. r$ 280.000,00 – Aceita financiamento Apto na estrada Velha de itapevi Barueri – entrega em julho/13 02 dormitórios, sala, cozinha, banheiro, årea de serviço e 01 vaga de garagem. 30 mil de entrada e financ. de 114 mil . Apto - Jandira 02 dorm, sendo 01 suíte com closet, sala, cozinha planejada, banheiro, årea de serviço com armårios, e garagem para 01 auto. r$ 220.000,00 – Docts p/ financiamento

terreno –new Ville 270m² de terreno com suave aclive. Condomínio fechado com piscinas, churrasqueira, salão de festas, quadra poliesportiva, etc. r$ 130.000,00

lOCAçãO Centro de Jandira Casa comercial com 10 salas, 05 banheiros, estacionamento amplo. Excelente para escola, clínica, etc. Apto - Centro de Barueri 02 dorm, sala, cozinha, banheiro, årea de serviço e 01 vaga de garagem. r$ 1.200,00 – incluso condomínio.

Apto - Jandira 03 dorm., sala, cozinha, wc, lavanderia, 01 vaga de garagem. r$ 160.000,00 – Docts. p/ financiamento

Sala comercial no Bethaville – Barueri Com aproximadamente 40m², com banheiro e vaga na garagem. PrÊdio novíssimo. o melhor preço. r$ 1.500,00 – incluso condomínio.

Jd. Audir - Barueri Casa: 01 suíte, dorm. , sala, cozinha, lavabo, garagem. 02 cômodos nos fundos. r$ 230.000,00. Jd. Paulista - Barueri 03 dorm, sendo 01 suíte, copa, cozinha, sala, lavabo, banheiro, årea de serviço e garagem para 02 autos.r$ 350.000,00 – financia.

linda casa no Pq. Viana – Barueri 02 dormitórios, sendo 01 suíte måster, com closet e hidromassagem, sala, cozinha, banheiro, årea de serviço, garagem coberta para 02 autos com portão automåtico, salão de festas grande com churrasqueira e banheiro. r$ 2.000,00

4194-1555 Jd. Paulista – Barueri Casas novas com 01 dorm, sala, cozinha, banheiro, årea de serv, e 01 vagas de garagem. r$ 900,00 Pq. Dos Camargos - Barueri 01 dormitório, sala, cozinha, banheiro, årea de serviço e 01 vaga de garagem. imóvel não independente. r$ 800,00 Apto – Centro de Jandira 02 dormitórios com guarda-roupas, sala, cozinha com armårios, banheiro, lavanderia e garagem para 01 auto. Excelente acabamento. r$ 1.500,00 – incluso condomínio. Apto – Vila Boa Vista 02 dormitórios, sala com sacada, cozinha, 02 banheiros, årea de serviço e garagem para 01 auto. Excelente localização. r$ 1.500,00 – incluso condomínio. OPOrtuniDADe – lOCAçãO Ou VenDA Excelente prÊdio comercial, no centro de Barueri, composto por 03 pisos, garagem para 04 autos, salas amplas com banheiro, cozinha, årea de serviço, terraço com churrasqueira. Acabamento de primeira. r$ 3.500,00 – locação r$ 700.000,00 - venda


SEXTA-fEirA, 22 DE mArço DE 2013

JNOTÍCIAS

11

TELEFÔNICA DATA S.A. CNPJ nº 04.027.547/0001-31 - Companhia Fechada RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores acionistas: Cumprindo às disposições legais e estatutárias, submetemos a apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras relativas aos exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011 e o Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras relativo ao exercício findo em 31 de dezembro de 2012. Finalmente, a administração da Telefônica Data S.A. agradece aos acionistas, clientes e instituições financeiras pelo apoio e confiança depositados, em especial aos funcionários, pela dedicação e esforços empreendidos. BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais) ATIVO ATIVO CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa Contas a receber, líquidas Tributos a recuperar Estoques Outros ativos ATIVO NÃO CIRCULANTE Aplicações financeiras em garantia Tributos a recuperar Depósitos e bloqueios judiciais Outros ativos Imobilizado, líquido Intangível, líquido TOTAL DO ATIVO

Nota _________ 31.12.12 ______ 358.299 _________ 4 60.920 5 133.807 6 155.213 4.842 8 3.517 140.763 _________ 213 6 5.591 7 22.472 8 1.685 9 104.181 10 6.621 _________ 499.062 _________ _________

31.12.11 _________ 337.038 _________ 58.868 126.952 145.252 5.966 126.668 _________ 245 4.056 11.764 1.108 102.527 6.968 _________ 463.706 _________ _________

PASSIVO E PATRIMÕNIO LÍQUIDO

Nota _________ 31.12.12 ______ 174.536 _________

PASSIVO CIRCULANTE

31.12.11 _________ 235.242 _________

Pessoal, encargos e benefícios sociais Fornecedores Impostos, taxas e contribuições Outras obrigações PASSIVO NÃO CIRCULANTE

11 12 13 15

5.153 108.823 6.578 53.982 19.191 _________

5.620 123.583 9.328 96.711 33.766 _________

Provisões Outras obrigações PATRIMÔNIO LÍQUIDO

14 15 16

16.880 2.311 305.335 _________

14.058 19.708 194.698 _________

Capital social Reservas de capital Prejuízos acumulados TOTAL DO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

1.046.825 836.825 1.137 1.137 (742.627) _________ (643.264) _________ 499.062 _________ 463.706 _________ _________ ________

As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO - EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais) Reservas de capital ____________________ Capital Doações e subvenções social para investimentos ___________ ____________________ Saldos em 31 de dezembro de 2010 722.825 1.137 Aumento de capital conforme AGE de 27/12/2011 114.000 Outros resultados abrangentes - planos de benefícios pós-emprego Prejuízo do exercício _______________________________Saldos em 31 de dezembro de 2011 836.825 1.137 Aumento de capital conforme AGE de 10/12/2012 210.000 Outros resultados abrangentes - planos de benefícios pós-emprego Prejuízo do exercício _______________________________Saldos em 31 de dezembro de 2012 1.046.825 1.137 ___________ ____________________ As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras.

Prejuízos acumulados ____________ (517.540) 168 (125.892) ____________ (643.264) (764) (98.599) ____________ (742.627) ____________

Total do patrimônio líquido _________________ 206.422 114.000 168 (125.892) _________________ 194.698 210.000 (764) (98.599) _________________ 305.335 _________________

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS - EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais) 1. A COMPANHIA E SUAS OPERAÇÕES A Telefônica Data S. A. (Companhia ou TData), tem sua sede à Av. Tamboré Nºs 341/371, foi constituída em 3 de agosto de 2000, sob forma de Sociedade Anônima de capital fechado, como subsidiária integral da Telefônica Brasil S.A. Com a prévia autorização da Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL), nos termos da Lei n° 9.472 de 16/07/97, a Companhia iniciou suas atividades operacionais em 1º de dezembro de 2000, sendo que, até o início de suas operações, os serviços foram prestados pela Telefônica Brasil S.A. A Companhia tem por objeto: • prestação e exploração de serviços de telecomunicações, bem como a elaboração, implantação e instalação de projetos relacionados; • exploração de soluções empresariais integradas e consultoria em telecomunicações e atividades relacionadas; • prestação de serviços de assistência técnica e manutenção de equipamentos e redes de telecomunicações, consultoria em soluções de telecomunicações e elaboração, implantação e instalação de projetos relacionados a telecomunicações; • comercialização e locação de equipamentos, produtos e serviços de telecomunicações, de valor adicionado ou qualquer outros a eles relacionados, prestados ou fornecido por terceiros; • provimento de infraestrutura de telecomunicações para terceiros; e • gestão e/ou desenvolvimento das atividades necessárias ou úteis à execução desses serviços nos termos da legislação vigente. 2. BASE DE ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS As demonstrações financeiras da Companhia para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011 são apresentadas em milhares de reais (exceto quando mencionado de outra forma) e foram preparadas no pressuposto da continuidade normal dos negócios da Companhia. As demonstrações financeiras foram elaboradas e estão sendo apresentadas de acordo com os pronunciamentos, interpretações e orientações do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) e normas da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), observando as diretrizes contábeis emanadas da legislação societária (Lei nº 6.404/76) que incluem os novos dispositivos introduzidos, alterados e revogados pelas Leis nº 11.638, de 28 de dezembro de 2007 e nº 11.941, de 27 de maio de 2009. A Companhia adotou todas as normas, revisões de normas e interpretações emitidas pelo CPC que estavam em vigor em 31 de dezembro de 2012. A autorização para conclusão da preparação destas demonstrações financeiras ocorreu na reunião de Diretoria realizada em 21 de fevereiro de 2013. 3. RESUMO DAS PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS a) Caixa e equivalentes de caixa São mantidos com a finalidade de atender a compromissos de caixa de curto prazo, e não para investimento ou outros fins. Incluem caixa, saldos positivos em conta movimento e aplicações financeiras resgatáveis no prazo de até 90 dias das datas das contratações e com risco insignificante de mudança de seu valor de mercado (nota 4). b) Contas a receber, líquidas Estão avaliadas pelo valor dos serviços prestados de acordo com as condições contratadas, líquido da provisão para redução ao valor recuperável. Estão inclusos os serviços já faturados e os ainda não faturados na data do balanço. A provisão para redução ao valor recuperável é constituída em montante suficiente para cobrir eventuais perdas e considera principalmente a inadimplência esperada (nota 5). c) Estoques Estão demonstrados pelo custo médio de aquisição, líquidos de ajuste ao valor de realização. Compreende os materiais destinados a consumo, manutenção ou revenda. O valor realizável líquido corresponde ao preço de venda no curso normal dos negócios, deduzidos os custos estimados de conclusão e os custos estimados para realização da venda. d) Despesas antecipadas Estão demonstradas pelos valores efetivamente desembolsados relativos a serviços contratados e ainda não incorridos. As despesas antecipadas são apropriadas ao resultado à medida que os serviços relacionados são prestados e os benefícios econômicos são auferidos. e) Imobilizado, líquido É demonstrado pelo custo de aquisição e/ou construção, deduzido da depreciação e de provisão para a redução ao valor recuperável acumulada, se aplicável. Os custos do ativo são capitalizados até o momento em que esteja nas condições previstas para sua entrada em operação. Os gastos subsequentes à entrada do ativo em operação são reconhecidos imediatamente no resultado, respeitando-se o regime de competência. Gastos que representem melhorias no ativo (aumento da capacidade instalada ou da vida útil) são capitalizados. Os custos estimados a incorrer na desmontagem de equipamentos são capitalizados em contrapartida à provisão para desimobilização de ativos e depreciados ao longo da vida útil dos equipamentos, que não é superior ao prazo de locação. Um item do imobilizado é baixado quando vendido ou quando nenhum benefício econômico futuro for esperado do seu uso ou venda. Eventual ganho ou perda resultante de baixa do ativo (calculado como sendo a diferença entre o valor líquido da venda e o valor residual do ativo) são reconhecidos no resultado do exercício em que o ativo for baixado. A depreciação é calculada de forma linear ao longo da vida útil do ativo, as taxas que levam em consideração a vida útil estimada dos bens suportada por estudos técnicos. O valor residual e vida útil dos ativos e os métodos de depreciação são revistos anualmente, e ajustados de forma prospectiva, quando for o caso (nota 9). f) Intangível, líquido É demonstrado pelo custo de aquisição e/ou formação deduzido, da amortização e da provisão para a redução ao valor recuperável acumulada, se aplicáveis. Inclui os direitos de uso de software adquiridos de terceiros, que possuem vida útil definida. Estes ativos são amortizados ao longo da vida útil econômica pelo método linear e avaliados em relação à perda por redução ao valor recuperável sempre que houver indícios de perda de valor econômico do ativo. O período e o método de amortização para um ativo intangível com vida útil definida são revisados anualmente. Mudanças na vida útil estimada ou no consumo esperado dos benefícios econômicos futuros desses ativos são contabilizadas por meio de mudanças no período ou no método de amortização, conforme o caso, sendo tratadas como mudanças de estimativas contábeis (nota 10). Ganhos e perdas resultantes da baixa de um ativo intangível são mensurados como diferença entre o valor líquido obtido na venda e o valor contábil do ativo e são reconhecidos na demonstração do resultado no exercício em que o ativo for baixado. g) Arrendamento mercantil Os contratos que contém cláusulas de uso de ativos específicos e direitos a utilização do ativo são avaliados para identificar o tratamento contábil a ser aplicado sob a perspectiva de arrendamento mercantil. Arrendamentos mercantis financeiros, nos quais a Companhia obtém os riscos e benefícios relativos à propriedade do item arrendado, são capitalizados no início do arrendamento pelo valor justo do bem arrendado ou, se inferior, pelo valor presente dos pagamentos mínimos do arrendamento mercantil. Sobre os custos são acrescidos, quando aplicável, os custos iniciais diretos incorridos na transação. Os pagamentos do arrendamento mercantil financeiro são alocados a encargos financeiros e redução de passivo de arrendamento de forma a obter taxa de juros constantes sobre o saldo remanescente do passivo. Os montantes registrados no ativo imobilizado são depreciados pelo menor prazo entre a vida útil econômica estimada dos bens e a duração prevista do contrato de arrendamento. Os juros implícitos no passivo reconhecido são apropriados no resultado de acordo com a duração do contrato pelo método da taxa efetiva de juros. Os contratos em que o arrendador conserva parte significativa dos riscos e benefícios são considerados como arrendamento mercantil operacional, sendo seus efeitos reconhecidos no resultado do exercício ao longo do prazo contratual. Os contratos de arrendamento mercantil financeiro que a Companhia possuía foram encerrados durante o exercício social de 2011. h) Análise de recuperabilidade dos ativos Nos termos do CPC1(R1), a Companhia revisa, quando as circunstâncias lhes indicarem, o valor contábil líquido dos ativos com o objetivo de avaliar eventos ou mudanças nas circunstâncias econômicas, operacionais ou tecnológicas que possam indicar deterioração ou perda de seu valor recuperável. Sendo tais evidências identificadas e sendo o valor contábil líquido superior ao valor recuperável, é constituída provisão para desvalorização ajustando o valor contábil líquido ao valor recuperável. O valor recuperável é definido como sendo o maior entre o valor em uso e o valor líquido de venda.

Na estimativa do valor em uso do ativo, os fluxos de caixa futuros estimados são descontados ao seu valor presente, utilizando uma taxa de desconto com base na taxa do custo de capital “The Capital Asset Pricing Model” (CAPM) (Modelo de Precificação de Ativos) antes dos impostos, que reflete o custo médio ponderado de capital e os riscos específicos do ativo. O valor líquido de venda é determinado, sempre que possível, com base em contrato de venda firme em uma transação em bases comutativas, entre partes conhecedoras e interessadas, ajustado por despesas atribuíveis à venda do ativo, ou, quando não há contrato de venda firme, com base no preço de mercado de um mercado ativo, ou no preço da transação mais recente com ativos semelhantes. As perdas em operações continuadas, incluindo a desvalorização de estoques, são reconhecidas na demonstração dos resultados em contas de despesas compatíveis com a função dos ativos. Para os ativos, excluindo o ágio, é efetuada uma avaliação em cada data de encerramento de exercício para identificar se há alguma indicação de que as perdas do valor recuperável anteriormente reconhecidas podem já não existir ou possam ter diminuído. Uma perda do valor recuperável anteriormente reconhecida é revertida apenas se tiver ocorrido uma mudança nos pressupostos utilizados para determinar o valor recuperável do ativo, desde quando a última perda do valor recuperável foi reconhecida. A reversão é limitada para que o valor contábil do ativo não exceda o seu valor recuperável, nem o valor contábil que teria sido determinado, líquido de depreciação, se nenhuma perda do valor recuperável tivesse sido reconhecida no ativo em exercícios anteriores. Essa reversão é reconhecida na demonstração dos resultados. O teste de recuperação dos ativos imobilizados e intangíveis da Companhia não resultou na necessidade de reconhecimento de perdas para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011, visto que o valor estimado de mercado excede o seu valor líquido contábil na data de avaliação. i) Instrumentos Financeiros Os ativos e passivos financeiros são classificados e valorados em cada categoria da seguinte forma. Ativos financeiros Método de valoração _________________________________________________ ___________________ Ativos financeiros mensurados ao valor justo por meio do resultado (caixa e equivalentes de caixa) Valor justo Recebíveis Custo amortizado Passivos financeiros _________________________________________________ Passivos financeiros não mensurados ao valor justo Custo amortizado Os ativos e passivos financeiros existentes no balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2012 e 2011 estão apresentados nas categorias acima na nota 27. Os ativos e passivos financeiros devem inicialmente ser valorados pelo seu valor justo. O critério para determinar o valor justo dos ativos e passivos financeiros segue: (i) o preço cotado em um mercado ativo ou, na ausência deste (ii) a utilização de técnicas de avaliação que permitam estimar o valor justo na data da transação levando-se em consideração o valor que seria negociado entre partes independentes, conhecedoras da transação e com interesse em realizá-la. A mensuração posterior de ativos e passivos financeiros segue o método do valor justo ou do custo amortizado, conforme a categoria. O custo amortizado corresponde: (i) ao valor reconhecido inicialmente para o ativo ou passivo financeiro; e (ii) menos as amortizações de principal; e (iii) mais/menos juros acumulados pelo método da taxa de juros efetiva. Recebíveis: são ativos financeiros não derivativos, com pagamentos fixos ou determináveis, não cotados em um mercado ativo. Após a mensuração inicial, esses ativos financeiros são contabilizados ao custo amortizado, utilizando o método de juros efetivos (taxa de juros efetiva), menos perda por redução ao valor recuperável, se e quando aplicável. O custo amortizado é calculado levando em consideração qualquer desconto ou prêmio na aquisição e taxas ou custos incorridos. A amortização do método de juros efetivos é incluída na linha de receita financeira na demonstração de resultado. Os efeitos da mensuração posterior dos ativos e passivos financeiros são alocados diretamente ao resultado do exercício. Ativos e passivos de longo prazo com características de instrumentos financeiros são registrados inicialmente pelo seu valor presente. j) Provisões Geral As provisões são reconhecidas quando a Companhia tem uma obrigação presente como resultado de um acontecimento passado, onde é provável que uma saída de recursos envolvendo benefícios econômicos seja necessária para liquidar a obrigação e uma estimativa razoável possa ser efetuada do montante dessa obrigação. As provisões são atualizadas até a data do balanço pelo montante provável da perda, observada a natureza de cada contingência (nota 14). As provisões para demandas judiciais estão apresentadas pelo seu montante bruto, sem considerar os correspondentes depósitos judiciais e são classificadas como cíveis, trabalhistas, tributárias e regulatórias. Os depósitos judiciais estão classificados como ativo, dado que não existem as condições requeridas para apresentá-los líquidos com a provisão. Provisões para demandas judiciais A Companhia é parte em demandas administrativas e judiciais de natureza tributária, tendo sido constituída provisão contábil em relação às demandas cuja probabilidade de perda foi classificada como provável. As provisões para demandas judiciais e administrativas são determinadas com base nas opiniões da Administração da Companhia e de seus consultores jurídicos (nota 14). Provisão para desimobilização de ativos Referem-se aos custos a serem incorridos pela necessidade de ter que devolver aos proprietários os sites nas mesmas condições em que se encontravam quando da assinatura do contrato inicial de locação. k) Planos de benefícios pós emprego A Companhia patrocina individualmente planos de aposentadoria para empregados ativos e aposentados, bem como plano multipatrocinado de assistência médica para ex empregados. As contribuições são determinadas em bases atuariais e são registradas pelo regime de competência. Os planos de benefícios são avaliados atuarialmente ao final de cada exercício, a fim de verificar se as taxas de contribuição estão sendo suficientes para formar a reserva necessária para ambos os compromissos atuais e futuros. Os passivos atuariais de planos com características de benefício definido foram calculados adotando-se o método de crédito unitário projetado. Os ganhos e perdas atuariais são reconhecidos de forma imediata no patrimônio líquido (em outros resultados abrangentes) (nota 24). Para os planos com características de contribuições definidas, a obrigação é limitada ao pagamento das contribuições, as quais são reconhecidas no resultado nos respectivos períodos de competência. O ativo ou passivo de plano de benefício definido a ser reconhecido nas demonstrações financeiras corresponde ao valor presente da obrigação pelo benefício definido (utilizando uma taxa de desconto com base em títulos de longo prazo do Governo Federal - NTNs), deduzido dos custos de serviços passados ainda não reconhecidos e do valor justo dos ativos do plano que serão usados para liquidar as obrigações. Os ativos do plano são ativos mantidos por uma entidade fechada de previdência complementar. Os ativos do plano não estão disponíveis aos credores da Companhia e não podem ser pagos diretamente a Companhia. O valor justo se baseia em informações sobre preço de mercado e, no caso de títulos cotados, no preço de compra publicado. O valor de qualquer ativo de beneficio definido reconhecido é limitado à soma de qualquer custo de serviço passado ainda não reconhecido e ao valor presente de qualquer benefício econômico disponível na forma de redução nas contribuições patronais futuras do plano. l) Participação dos empregados nos resultados A Companhia tem obrigações decorrentes dos contratos de trabalhos com seus empregados, reconhecendo estas provisões durante o exercício. São registradas provisões para reconhecer a despesa referente à participação dos empregados nos resultados. Estas provisões são calculadas com base em metas qualitativas e quantitativas definidas pela Administração e contabilizadas em contas específicas de acordo com a função nos grupos de Custos dos Serviços Prestados, Despesas com Comercialização e Despesas Gerais e Administrativas. m) Outros ativos e passivos Um ativo é reconhecido no balanço quando for provável que seus benefícios econômicos futuros serão gerados em favor da Companhia e seu custo puder ser mensurado com segurança. Um passivo é reconhecido no balanço quando a Companhia possui uma obrigação legal ou constituída como resultado de um evento passado, sendo provável que um recurso econômico seja requerido para liquidá-lo. Os ativos e passivos são classificados como circulantes quando é provável que sua realização ou liquidação ocorra nos próximos doze meses. Caso contrário, são demonstrados como não circulantes.

DEMONSTRAÇÕES DOS RESULTADOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais) Nota _________ 2012 _________ 2011 ______ RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 17 452.708 441.264 Custo dos serviços prestados e mercadorias vendidas 18 (535.860) _________ (554.687) _________ PREJUÍZO BRUTO (83.152) (113.423) RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS (21.917) _________ (17.343) _________ Despesas com comercialização 19 (7.589) (6.265) Despesas gerais e administrativas 20 (10.196) (13.978) Outras receitas (despesas) operacionais líquidas 21 (4.132) _________ 2.900 _________ PREJUÍZO ANTES DAS RECEITAS (DESPESAS) FINANCEIRAS (105.069) (130.766) Resultado financeiro, líquido 22 6.626 _________ 4.874 _________ PREJUÍZO ANTES DOS TRIBUTOS (98.443) (125.892) Imposto de renda e contribuição social 23 (156) __________________ PREJUÍZO DO EXERCÍCIO (98.599) _________ (125.892) _________ As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. DEMONSTRAÇÕES DOS RESULTADOS ABRANGENTES EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais) 2012 _________ 2011 _________ Prejuízo do exercício (98.599) (125.892) Ganhos (Perdas) atuariais não realizados e efeito da limitação de ativos dos planos superávitarios (764) _________ 168 _________ Ganho (Perdas) líquido reconhecidos no Patrimônio Líquido (764) _________ 168 _________ Resultado abrangente do exercício (99.363) _________ (125.724) _________ As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais) Caixa gerado pelas atividades operacionais 2012 _________ 2011 _________ Prejuízo antes dos tributos (98.443) (125.892) Itens que não afetam o caixa: Despesas (receitas) que não representam movimentação no caixa 40.879 _________ 68.143 _________ Depreciações e amortizações 44.132 48.648 Variações monetárias (74) (122) Ganho na baixa de bens (390) (92) Provisões para redução ao valor recuperável das contas a receber 3.949 2.419 Provisões (reversões) de fornecedores (7.808) 15.307 Baixas e reversões de provisões para redução ao valor recuperável dos estoques, líquidas (3) 80 Planos de benefícios pós emprego (797) (77) Provisões para demandas judiciais e administrativas 1.870 1.782 Provisões para desimobilização de ativos 198 (Aumento) redução no ativo operacional: (34.684) _________ (52.614) _________ Contas a receber de clientes líquidos (10.804) (33.582) Outros ativos circulantes (12.351) (25.115) Outros ativos não circulantes (11.529) 6.083 Aumento (redução) no passivo operacional: 54.234 _________ 48.672 _________ Pessoal, encargos e benefícios sociais (467) 1.724 Fornecedores e contas a pagar (25.537) (6.357) Impostos, taxas e contribuições (2.906) 595 Outros passivos circulantes 84.856 51.973 Outros passivos não circulantes (1.712) _________ 737 _________ Total do caixa utilizado pelas atividades operacionais _________ (38.014) _________ (61.691) Caixa utilizado pelas atividades de investimentos Aquisições de imobilizado e intangível (25.911) (48.727) Caixa recebido na venda de ativo imobilizado 7 _________ 786 _________ Total do caixa utilizado pelas atividades de investimento_________ (25.904) _________ (47.941) Caixa gerado pelas atividades de financiamento Aumento de capital 65.970 _________ 114.000 _________ 65.970 _________ 114.000 Total do caixa gerado pelas atividades de financiamento_________ Aumento (redução) no caixa e equivalente de caixa 2.052 _________ 4.368 _________ Caixa e equivalentes no início do exercício 58.868 54.500 Caixa e equivalentes no final do exercício 60.920 _________ 58.868 _________ Variação do caixa e equivalentes de caixa no exercício _________ 2.052 _________ 4.368 Transações que não envolvem caixa e equivalentes de caixa Aumento de capital com conversão da dívida junto ao controlador 144.030 As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. n) Reconhecimento das receitas As receitas correspondem, substancialmente, ao valor das contraprestações recebidas ou recebíveis decorrentes da prestação de serviços e de vendas de mercadorias e estão sendo apresentadas líquidas dos tributos, descontos e devoluções (no caso de venda de mercadorias), incidentes sobre as mesmas. O resultado das operações é apurado em conformidade com o regime contábil de competência de exercício. A receita é reconhecida quando o valor da mesma pode ser mensurado de maneira confiável, é provável que benefícios econômicos futuros sejam transferidos à Companhia, os custos incorridos na transação possam ser mensurados, os riscos e benefícios foram substancialmente transferidos ao comprador e quando critérios específicos forem satisfeitos para cada uma das atividades da Companhia. As receitas compreendem basicamente os serviços de telecomunicações de voz, dados, serviços adicionados que são ofertados aos clientes através de pacote de tráfego com valor fixo (mensalidade) ou de acordo com o consumo de tráfego realizado pelos clientes e vendas de mercadorias. As receitas correspondentes à prestação de serviços são contabilizadas pelo regime de competência com base nos valores contratados. A receita não faturada entre a data do último faturamento até a data do balanço é apurada e reconhecida no mês em que o serviço é prestado. As receitas de serviços estão sujeitas basicamente aos seguintes tributos indiretos: ICMS, PIS, COFINS e ISS. o) Saldos e transações em moeda estrangeira Os ativos e passivos monetários denominados em moeda estrangeira são convertidos para a moeda funcional (o Real) usando-se a taxa de câmbio (Ptax) na data da transação e convertidos subsequentemente usando a Ptax na data das demonstrações financeiras que, em 31 de dezembro de 2012, eram: US$ 1,00 = R$ 2,0435 e €1,00 = R$ 2,693946 e em 31 de dezembro de 2011 eram: US$ 1,00 = R$ 1,8758 e €1,00 = R$ 2,427098. Os ganhos e perdas resultantes da conversão desses ativos e passivos verificados entre a taxa de câmbio vigente na data da transação e os encerramentos dos exercícios são reconhecidos na demonstração do resultado. p) Impostos, taxas e contribuições A seguir, relacionamos as legendas relativas aos impostos, taxas e contribuições descritas nestas demonstrações financeiras: COFINS: Contribuição para Financiamento da Seguridade Social - Tributo Federal; CSLL: Contribuição Social sobre o Lucro Líquido - Tributo Federal; FISTEL: Fundo de Fiscalização das Telecomunicações; FUNTTEL: Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações; FUST: Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações; ICMS: Imposto sobre Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação - Tributo Estadual; IRRF: Imposto de Renda Retido na Fonte - Tributo Federal; IRPJ: Imposto de Renda de Pessoa Jurídica - Tributo Federal; ISS: Imposto sobre Serviço Prestado - Tributo Municipal; PIS: Programa de Integração Social - Tributo Federal; Tributos correntes A despesa com imposto de renda e contribuição social contempla somente os efeitos de impostos correntes. O valor contábil dos ativos e passivos referentes ao imposto corrente do ultimo exercício e dos anos anteriores representa o montante que se estima recuperar ou pagar às autoridades tributárias. As alíquotas fiscais e a legislação tributária utilizadas no cálculo dos mencionados montantes são as que estão vigorando na data do balanço. No balanço patrimonial os tributos correntes são apresentados líquidos dos valores recolhidos por antecipação ao longo do exercício. Tributos diferidos Os créditos tributários decorrentes de diferenças temporárias e prejuízos fiscais somente são reconhecidos com base na expectativa de geração de lucros tributáveis futuros, suportadas por estudos e projeções. No encerramento das demonstrações financeiras, estes créditos não foram reconhecidos, pois atualmente não há expectativa de realização futura. Tributos sobre vendas As receitas de prestações de serviços estão sujeitas à tributação pelo ICMS às alíquotas vigentes em cada Estado e à tributação pelo PIS e COFINS na modalidade cumulativa para as receitas auferidas com serviços de telecomunicações, às alíquotas de 0,65% e 3,00% respectivamente. As demais receitas auferidas pela Companhia, incluindo as receitas relacionadas à revenda de mercadorias, na modalidade não cumulativa, são tributadas às alíquotas de 1,65% e 7,60% para o PIS e a COFINS, respectivamente, e pelo ICMS às alíquotas vigentes em cada Estado. As antecipações ou valores passíveis de compensação são demonstrados no ativo circulante ou não circulante, de acordo com a previsão de sua realização. q) Ajuste a valor presente de ativos e passivos Os ativos e passivos monetários circulantes e não circulantes, quando o efeito é considerado relevante em relação às demonstrações financeiras tomadas em conjunto, são ajustados pelo seu valor presente. O ajuste a valor presente é calculado levando em consideração os fluxos de caixa contratuais e a taxa de juros explícita, e em certos casos implícita, dos respectivos ativos e passivos. Dessa forma, os juros embutidos nas receitas, as despesas e os custos associados a esses ativos e passivos são descontados com o intuito de reconhecê-los em conformidade com o regime de competência. Posteriormente, esses juros são realocados nas linhas de despesas e receitas financeiras na demonstração do resultado por meio da utilização do método da taxa efetiva de juros em relação aos fluxos de caixa contratuais. As taxas de juros implícitas aplicadas foram determinadas com base em premissas e são consideradas estimativas contábeis. Com base nas análises efetuadas e na melhor estimativa, a Companhia concluiu que o ajuste a valor presente dos ativos e passivos monetários circulantes é irrelevante em relação às demonstrações financeiras tomadas em conjunto e, dessa forma, não registrou nenhum ajuste. A Companhia utilizou as taxas de WACC (Weighted Average Cost of Capital) e do CDI (certificado de depósitos interbancários) como base para os cálculos dos ajustes a valor presente, aplicados conforme os itens de ativos e passivos. r) Julgamentos, estimativas e premissas contábeis significativas A preparação das demonstrações financeiras da Companhia requer que a Administração faça julgamentos e estimativas e adote premissas que afetam os valores apresentados de receitas, despesas, ativos e passivos, bem como as divulgações de passivos continua


12

SEXTA-fEirA, 22 DE mArço DE 2013

J NOTÍCIAS

continuação

TELEFÔNICA DATA S.A. CNPJ nº 04.027.547/0001-31 - Companhia Fechada NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS - EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais) contingentes, na data base das demonstrações financeiras. Contudo, a incerteza relativa a essas premissas e estimativas pode levar a resultados que requeiram um ajuste significativo ao valor contábil do ativo ou passivo afetado em períodos futuros. As principais premissas relativas a fontes de incerteza nas estimativas futuras e outras importantes fontes de incerteza em estimativas na data do balanço, envolvendo risco significativo de causar um ajuste significativo no valor contábil dos ativos e passivos no próximo exercício financeiro, são descritas a seguir: Perda por redução ao valor recuperável de ativos não financeiros Uma perda por redução ao valor recuperável existe quando o valor contábil de um ativo ou unidade geradora de caixa excede o seu valor recuperável, o qual é o maior entre o valor justo menos custos de venda e o valor em uso. O cálculo do valor justo menos custos de vendas é baseado em informações disponíveis de transações de venda de ativos similares ou preços de mercado menos custos adicionais para descartar o ativo. O cálculo do valor em uso é baseado no modelo de fluxo de caixa descontado. O valor recuperável é sensível à taxa de desconto utilizada no método de fluxo de caixa descontado, bem como aos recebimentos de caixa futuros esperados e à taxa de crescimento utilizada para fins de extrapolação. Tributos Existem incertezas com relação à interpretação de regulamentos tributários complexos e ao valor e época de resultados tributáveis futuros. A Companhia constitui provisões, com base em estimativas cabíveis, para eventuais consequências de auditorias por parte das autoridades fiscais das respectivas jurisdições em que opera. O valor dessas provisões baseia-se em vários fatores, como experiência de auditorias fiscais anteriores e interpretações divergentes dos regulamentos tributários pela entidade tributável e pela autoridade fiscal responsável. Essas diferenças de interpretação podem surgir numa ampla variedade de assuntos, dependendo das condições vigentes no respectivo domicílio da Companhia. Planos de benefícios pós emprego O custo de planos de aposentadoria com benefícios definidos e de outros benefícios de assistência médica pós emprego e o valor presente da obrigação de aposentadoria são determinados utilizando métodos de avaliação atuarial. A avaliação atuarial envolve o uso de premissas sobre as taxas de desconto, taxas de retorno de ativos esperadas, aumentos salariais futuros, taxas de mortalidade e aumentos futuros de benefícios de aposentadorias e pensões. A obrigação de benefício definido é altamente sensível a mudanças nessas premissas. Todas as premissas são revisadas anualmente. A taxa de mortalidade se baseia em tábuas de mortalidade disponíveis no país. Aumentos futuros de salários e de benefícios de aposentadoria e de pensão se baseiam nas taxas de inflação futuras esperadas para o país. Para mais detalhes sobre as premissas utilizadas, vide nota 24. Provisões para demandas judiciais: As provisões são reconhecidas quando a Companhia tem uma obrigação presente como consequência de um evento passado, cuja liquidação requer uma saída de recursos que é considerada provável e que pode ser estimada com confiabilidade. Essa obrigação pode ser legal ou tácita, derivada de, entre outros fatores, regulamentações, contratos, práticas habituais ou compromissos públicos que criam perante terceiros uma expectativa válida de que a Companhia assumirá determinadas responsabilidades. A determinação do montante da provisão está baseada na melhor estimativa do desembolso que será necessário para liquidar a obrigação correspondente, tomando em consideração toda a informação disponível na data de encerramento, incluída a opinião de peritos independentes, como consultores jurídicos. Ativo imobilizado e intangível O tratamento contábil do investimento em ativo imobilizado e intangível inclui a realização de estimativas para determinar o período de vida útil para efeitos de sua depreciação. A determinação das vidas úteis requer estimativas em relação à evolução tecnológica esperada e aos usos alternativos dos ativos. As hipóteses relacionadas ao aspecto e seu desenvolvimento futuro implicam em um grau significativo de análise, na medida em que o momento e a natureza das futuras mudanças tecnológicas são de difícil previsão. Quando uma desvalorização é identificada no valor do ativo imobilizado, é registrado um ajuste do valor na demonstração do resultado do período. A determinação da necessidade de registrar uma perda por desvalorização implica na realização de estimativas que incluem, entre outras, a análise das causas da possível desvalorização bem como o momento e o montante esperado da mesma. São também considerados fatores como a obsolescência tecnológica, a suspensão de determinados serviços e outras mudanças nas circunstâncias que demonstram a necessidade de registrar uma possível desvalorização. s) Receitas e despesas financeiras Representam juros e variações monetárias e cambiais decorrentes de aplicações financeiras, ajustes ao valor presente de transações que geram ativos e passivos monetários e outras operações financeiras. São reconhecidas pelo regime de competência quando ganhas ou incorridas pela Companhia (nota 22). t) Demonstração dos fluxos de caixa As demonstrações de fluxos de caixa foram elaboradas conforme o CPC 03 Demonstrações dos Fluxos de Caixa e refletem as modificações no caixa que ocorreram nos exercícios apresentados utilizando o método indireto. 4. CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 31.12.12 _________ 31.12.11 _________ Caixa e Bancos 8.818 3.479 Aplicações financeiras 52.102 _________ 55.389 _________ Total 60.920 _________ 58.868 _________ As aplicações financeiras de curto prazo correspondem basicamente a CDB, baseados na variação da taxa dos Certificados de Depósitos Interbancários (CDI) com liquidez imediata e são mantidas junto a instituições financeiras de primeira linha. 5. CONTAS A RECEBER, LÍQUIDAS 31.12.12 _________ 31.12.11 _________ Valores faturados 144.886 127.572 Valores a faturar 14.457 _________ 21.296 _________ Contas a receber brutas 159.343 148.868 (-) Provisão para redução ao valor recuperável (25.536) _________ (21.916) _________ Total 133.807 _________ 126.952 _________ A seguir apresentamos análise dos valores a receber líquidos da provisão para redução ao valor recuperável, por idade de vencimento (aging list): 31.12.12 _________ 31.12.11 _________ A vencer 76.179 96.526 Contas vencidas - 1 a 30 dias 16.859 14.758 Contas vencidas - 31 a 60 dias 6.220 1.979 Contas vencidas - 61 a 90 dias 6.076 1.958 Contas vencidas - 91 a 120 dias 4.431 445 Contas vencidas - mais de 120 dias 24.042 _________ 11.286 _________ Total 133.807 _________ 126.952 _________ As movimentações da provisão para redução ao valor recuperável, são como segue: Saldo em 31.12.10 (19.784) _________ Complemento de provisão (nota 19) (2.419) Baixas 287 _________ Saldo em 31.12.11 (21.916) Complemento de provisão (nota 19) (3.949) Baixas 329 _________ Saldo em 31.12.12 (25.536) _________ 6. TRIBUTOS A RECUPERAR 31.12.12 _________ 31.12.11 _________ Contribuição social e imposto de renda antecipados 7.029 9.748 ICMS a recuperar 135.232 118.524 PIS e COFINS a recuperar 6.550 8.991 Imposto de renda e contribuições retidos na fonte 10.833 11.312 Outros a recuperar 1.160 _________ 733 _________ Total 160.804 _________ 149.308 _________ Circulante 155.213 145.252 Não circulante 5.591 4.056 7. DEPÓSITOS E BLOQUEIOS JUDICIAIS Depósitos judiciais _______________________________ Bloqueios Tributários ______ Cíveis ___________ Trabalhistas _________ judiciais _______ Total __________ Saldos em 31.12.10 6.138 687 1.336 1.392 9.553 Adições 1.779 38 532 2.349 Baixas/Reversões (1.044) (1.044) Atualização monetária__________ 658 ______ 72 ___________ 176 _________- _______ 906 Saldos em 31.12.11 8.575 797 2.044 348 11.764 Adições 5.135 75 3.774 973 9.957 Baixas/Reversões (36) (238) (274) Atualização monetária 802 54 169 1.025 Transferências 149 _________ (149) _________________- ______- ___________ Saldos em 31.12.12 __________ 14.512 ______ 926 ___________ 6.100 _________ 934 _______ 22.472 Em 31 de dezembro de 2012, a Companhia mantinha diversos depósitos judiciais tributários, perfazendo o montante de R$ 14.512 (R$ 8.575 em 31 de dezembro de 2011). Na nota 14, apresentamos maiores detalhes sobre os assuntos que originaram estes depósitos. Segue uma breve descrição dos principais depósitos judiciais tributários: • Contribuição à Empresa Brasil de Comunicação (EBC) O Sindicato das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil) ingressou com mandado de segurança para discutir a Contribuição ao Fomento da Radiodifusão Pública à EBC, criada pela Lei nº 11.652/08. A Companhia como associada ao sindicato, efetuou depósitos judiciais dos valores relativos à referida contribuição. Em 31 de dezembro de 2012 e 2011, o saldo dos depósitos judiciais totalizava R$ 42. • Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (FUST) A Companhia ingressou com mandado de segurança com o objetivo de ter declarado seu direito de: (i) não inclusão das despesas de interconexão (ITX) e de Exploração Industrial de Linha Dedicada (EILD) na base de cálculo do FUST nas operadoras fixas e (ii) não inclusão das receitas de interconexão (ITX) e EILD na base de cálculo do FUST nas operadoras móveis, conforme disposição da Súmula nº 7, de 15 de dezembro de 2005, por estar em desacordo com as disposições contidas no parágrafo único do art. 6° da Lei n.° 9.998, de 17 de agosto de 2000. Em 31 de dezembro de 2012, o saldo dos depósitos judiciais totalizava R$ 11.072 (R$ 8.527 em 31 de dezembro de 2011). • Outros impostos, taxas e contribuições A Companhia tem discussões judiciais que envolvem os seguintes objetos: (i) débitos referentes a compensações de pagamento a menor de Cofins não homologadas pela Receita Federal do Brasil; e (ii) contribuição previdenciária referente a retenção pelos prestadores de serviço de saúde. Em 31 de dezembro de 2012, o saldo dos depósitos judiciais totalizava R$ 3.398 (R$ 6 em 31 de dezembro de 2011). 8. OUTROS ATIVOS 31.12.12 _________ 31.12.11 _________ Adiantamentos a empregados 1.002 1.117 Despesas antecipadas (*) 2.662 1.579 Créditos com partes relacionadas (nota 25) 643 727 Superávit de plano de benefícios pós emprego (nota 24) 377 738 Outros ativos 518 _________ 2.913 _________ Total 5.202 _________ 7.074 _________ Circulante 3.517 5.966 Não circulante 1.685 1.108 (*) Refere-se principalmente a contratos de manutenção de software e seguros.

9. IMOBILIZADO, LÍQUIDO a) Composição

31.12.12 31.12.11 _____________________________________________ _____________________________________________ Depreciação Imobilizado Depreciação Imobilizado Custo ______________ acumulada ______________ líquido ______________ Custo ______________ acumulada ______________ líquido ______________ Equipamentos e meios de transmissão 653 (354) 299 546 (308) 238 Infraestrutura 73.428 (67.890) 5.538 73.428 (62.349) 11.079 Equipamentos de comutação 6.193 (6.181) 12 6.196 (6.181) 15 Equipamentos terminais/modens 198.943 (135.534) 63.409 161.213 (107.773) 53.440 Provisão para perdas (*) (806) (806) (3.928) (3.928) Outros ativos imobilizados 61.801 (38.327) 23.474 59.853 (37.274) 22.579 Bens e instalações em andamento 12.255 ______________- ______________ 12.255 ______________ 19.104 ______________- ______________ 19.104 ______________ Total 352.467 ______________ (248.286) ______________ 104.181 ______________ 316.412 ______________ (213.885) ______________ 102.527 ______________ (*) A Companhia reconheceu provisão para possível obsolescência de materiais utilizados para manutenção do imobilizado fundamentada nos patamares de uso histórico e expectativa de utilização futura. b) Movimentação Equipamentos e Equipamentos Equipamentos Provisão Outros ativos Imobilizado meios de transmissão _____________ Infraestrutura _____________ de comutação ________________ terminais/modens ___________ para perdas ____________ imobilizados em andamento _______ Total ____________________ _____________ Saldos em 31.12.10 279 18.810 17 53.450 (3.367) 14.270 21.950 105.409 Adições 941 32.048 (561) 13.353 (2.846) 42.935 Baixas líquidas (131) (2) (133) Depreciação (*) (41) _____________ (8.672) _____________ (2) ________________ (31.927) ___________- ____________ (5.042) _____________- _______ (45.684) ____________________ Saldos em 31.12.11 238 11.079 15 53.440 (3.928) 22.579 19.104 102.527 Adições 38.485 7.874 (4.003) 42.356 Baixas líquidas 3.122 (2.739) 383 Depreciação (*) (46) (5.541) (3) (28.516) (6.979) - (41.085) Transferências 107 _____________- _____________- ________________- ___________- ____________- _____________ (107) ___________________________ Saldos em 31.12.12 299 _____________ 5.538 _____________ 12 ________________ 63.409 ___________ (806) ____________ 23.474 _____________ 12.255 _______ 104.181 ____________________ (*) As adições dos custos e despesas de depreciação estão apresentadas nas notas 18, 19 e 20. c) Taxas de depreciação Nos exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011, os ativos imobilizados foram depreciados de forma linear à taxa anual, como segue: Equipamentos e meios de transmissão 5,00 a 10,00 Infraestrutura 4,00 a 12,50 Equipamentos de comutação 10,00 Equipamentos terminais/modens 10,00 a 66,67 Outros ativos imobilizados 10,00 a 20,00 10. INTANGÍVEL, LÍQUIDO a) Composição 31.12.12 31.12.11 _____________________________________________ _____________________________________________ Amortização Intangível Amortização Intangível Custo ______________ acumulada ______________ líquido ______________ Custo ______________ acumulada ______________ líquido ______________ Direito de uso de software 35.460 ______________ (28.839) ______________ 6.621 ______________ 32.760 ______________ (25.792) ______________ 6.968 ______________ Total 35.460 ______________ (28.839) ______________ 6.621 ______________ 32.760 ______________ (25.792) ______________ 6.968 ______________ b) Movimentação

Direito de uso de software _____________ Saldos em 31.12.10 7.992 Adições 1.979 Baixas líquidas (39) Amortização (*) (2.964) _____________ Saldos em 31.12.11 6.968 Adições 2.700 Amortização (*) (3.047) _____________ Saldos em 31.12.12 6.621 _____________ (*) As adições dos custos e despesas de amortização estão apresentadas nas notas 18, 19 e 20. c) Taxas de amortização Nos exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011, os direitos de uso de software foram amortizados de forma linear à taxa anual de 20%. 11. PESSOAL, ENCARGOS E BENEFÍCIOS SOCIAIS 31.12.12 _________ 31.12.11 _________ Salários a pagar 790 886 Encargos sociais 1.979 2.053 Benefícios sociais 43 45 Participação de empregados nos resultados 2.341 _________ 2.636 _________ Total 5.153 _________ 5.620 _________ 12. FORNECEDORES 31.12.12 _________ 31.12.11 _________ Fornecedores com partes relacionadas (nota 25) 17.152 7.434 Fornecedores diversos 91.671 _________ 116.149 _________ Total 108.823 _________ 123.583 _________ 13. IMPOSTOS, TAXAS E CONTRIBUIÇÕES 31.12.12 _________ 31.12.11 _________ ICMS 1.249 3.649 PIS e COFINS 4.012 4.766 FUNTTEL 97 Outros impostos, taxas e contribuições 1.317 _________ 816 _________ Total 6.578 _________ 9.328 _________ 14. PROVISÕES E CONTINGÊNCIAS A Companhia responde por processos administrativos e judiciais de natureza tributária perante diferentes tribunais. A Administração da Companhia baseada na opinião de seus assessores legais constituiu provisão para aquelas causas cujo desfecho desfavorável é considerado provável. O quadro a seguir demonstra a composição da provisão e a movimentação ocorrida nos exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011: Natureza Provisão para __________ desimobilização Tributárias ______________ de ativos ______ Total __________ Saldos em 31.12.10 no passivo não circulante 7.443 3.851 11.294 Ingressos 1.782 1.782 Atualização monetária 784 198 982 Saldos em 31.12.11 no passivo __________ ______________ ______ não circulante 10.009 4.049 14.058 Ingressos 1.870 1.870 Atualização monetária 952 952 __________ ______________- ______ Saldos em 31.12.12 no passivo não circulante 12.831 ______________ 4.049 ______ 16.880 __________ Provisões e Contingências Tributárias Grau de Risco 2012 _________ 2011 ______________________________________________ _________ Provável 12.831 10.009 Possível 157.752 _________ 103.339 _________ Total 170.583 _________ 113.348 _________ a) Provisões Em 31 de dezembro de 2012, a Companhia mantinha discussões administrativas e judiciais relativas à (i) não inclusão das despesas de interconexão (ITX) e EILD na base de cálculo do FUST; e (ii) Contribuição para Fomento da Radiodifusão Pública (EBC). Em 31 de dezembro de 2012, os montantes provisionados totalizavam R$ 12.831 (R$ 10.009 em 31 de dezembro de 2011). b) Contingências Tributos Federais Em 31 de dezembro de 2012, a Companhia mantinha diversas ações administrativas e judiciais em âmbito federal, as quais aguardam julgamentos nas mais variadas instâncias. Em 31 de dezembro de 2012, os montantes envolvidos totalizavam R$ 8.821 (R$ 9.244 em 31 de dezembro de 2011). Dentre as ações, destacam-se: (i) contribuições previdenciárias sobre valores não recolhidos a título de contribuição patronal; (ii) multa pelo não cumprimento de obrigações acessórias previdenciárias; (iii) IRRF/CIDE sobre a remessa de valores ao exterior relativos a serviços técnicos e de assistência administrativa e semelhantes, bem como royalties e; (iv) manifestações de inconformidade decorrentes de não homologação de Pedidos de Compensações formulados pela Companhia. No entendimento da Administração e de seus consultores jurídicos, são possíveis as chances de perda nesses processos. Tributos Estaduais Em 31 de dezembro de 2012, a Companhia mantinha diversas ações administrativas e judiciais em âmbito estadual, relacionadas ao ICMS, as quais aguardam julgamento nas mais variadas instâncias. Em 31 de dezembro de 2012, os montantes envolvidos totalizavam R$ 77.444 (R$ 24.571 em 31 de dezembro de 2011). Dentre as ações, destacam-se: (i) prestações de serviços acessórios e locação de bens móveis; (ii) serviços não medidos; (iii) serviços de telecomunicações não tributados pelo ICMS; e (iv) creditamento indevido relativo à obtenção de bens destinados ao ativo fixo. No entendimento da Administração e de seus consultores jurídicos, são possíveis as chances de perda nesses processos. Tributos Municipais Em 31 de dezembro de 2012, a Companhia mantinha diversas ações administrativas e judiciais em âmbito municipal, as quais aguardam julgamentos nas mais variadas instâncias. Em 31 de dezembro de 2012, os montantes envolvidos totalizavam R$ 1.220 (R$ 1.227 em 31 de dezembro de 2011). Dentre as ações, destacam-se: ISS sobre prestação de serviços contínuos, provisões, estornos e notas fiscais canceladas. No entendimento da Administração e de seus consultores jurídicos, são possíveis as chances de perda nesses processos. ANATEL FUST - Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações Mandados de Segurança impetrados para reconhecimento do direito de não inclusão das despesas de interconexão e EILD na base de cálculo do FUST, conforme disposição da Súmula nº 7, de 15 de dezembro de 2005, por estar em desacordo com as disposições contidas no parágrafo único do art. 6° da Lei n.° 9.998/00, os quais aguardam julgamento de 2ª instância judicial. Diversas notificações de lançamento de débito lavradas pela ANATEL em âmbito administrativo para constituição do crédito tributário relativo à interconexão, EILD e demais receitas que não são oriundas da prestação de serviços de telecomunicação. Em 31 de dezembro de 2012, os montantes envolvidos totalizavam R$ 53.113 (R$ 51.084 em 31 de dezembro de 2011). No entendimento da Administração e de seus consultores jurídicos, são possíveis as chances de êxito nesses processos. FUNTTEL - Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações Em 31 de dezembro de 2012, a Companhia mantinha ação administrativa que versa sobre a cobrança da contribuição de Intervenção no Domínio Econômico destinado ao FUNTTEL, no montante de R$ 17.154 (R$ 17.213 em 31 de dezembro de 2011). No entendimento da Administração e de seus consultores jurídicos, são possíveis as chances de êxito nesses processos. 15. OUTRAS OBRIGAÇÕES 31.12.12 _________ 31.12.11 _________ Valores a restituir a assinantes 1.002 707 Retenções de terceiros 1.030 1.214 Obrigações com partes relacionadas (nota 25) 48.793 109.679 Receitas diferidas 4.865 3.814 Outras obrigações 603 _________ 1.005 _________ Total 56.293 _________ 116.419 _________ Circulante 53.982 96.711 Não circulante 2.311 19.708 16. PATRIMÔNIO LÍQUIDO a. Capital Social Em Assembleia Geral Extraordinária, realizada em 10 de dezembro de 2012, foi aprovado o aumento do capital social no montante de R$ 210.000, mediante a emissão

de 216.494.846 novas ações ordinárias, sem valor nominal. Desta forma, o capital social integralizado passou de R$ 836.825 em 31 de dezembro de 2011 para R$ 1.046.825 em 31 de dezembro de 2012, representado por 1.078.320.516 ações ordinárias, sem valor nominal (861.825.670 ações em 31 de dezembro de 2011). Os acionistas poderão deliberar em Assembleia Geral específica sobre a criação de ações preferenciais nominativas sem direito a voto até o limite de dois terços das ações emitidas com as preferências e vantagens que lhes forem atribuídas na emissão, observando o disposto no artigo 253 da Lei n° 6.404/76. b. Doações e subvenções para investimentos Representa os valores de doações de ativos para expansão da planta de serviços de telecomunicações realizadas pelos assinantes até 2007. A partir de 2008, essas doações passam a ser tratadas como receita diferida no passivo. Em 31 de dezembro de 2012 e 2011 o saldo era de R$ 1.137. 17. RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 2012 _________ 2011 _________ Receita operacional bruta 608.717 598.813 Descontos e devoluções (45.071) (45.357) Tributos (110.938) _________ (112.192) _________ Receita operacional líquida 452.708 _________ 441.264 _________ 18. CUSTOS DOS SERVIÇOS PRESTADOS E MERCADORIAS VENDIDAS 2012 _________ 2011 _________ Interconexão e uso de rede (302.636) (330.571) Depreciação e amortização (43.013) (47.967) Serviços de terceiros (137.174) (122.439) Aluguéis, seguros e condomínios (3.896) (4.223) Pessoal (28.101) (21.987) Outros insumos (4.775) _________ (5.026) _________ Custo dos serviços prestados (519.595) (532.213) Custo das mercadorias vendidas (16.265) _________ (22.474) _________ Total (535.860) _________ (554.687) _________ 19. DESPESAS COM COMERCIALIZAÇÃO Serviços de terceiros Provisão para redução ao valor recuperável das contas a receber (nota 5) Outros insumos Total

2012 _________ 2011 _________ (2.693) (1.633) (3.949) (2.419) (947) _________ (2.213) _________ (7.589) _________ (6.265) _________

20. DESPESAS GERAIS E ADMINISTRATIVAS 2012 _________ 2011 _________ (6.246) (8.253) (1.050) (2.861) (1.119) (681) (1.781) _________ (2.183) _________ (10.196) _________ (13.978) _________ 21. OUTRAS RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS, LÍQUIDAS 2012 _________ 2011 _________ Ganho na alienação e reversão de perdas em ativos 390 92 Despesas recuperadas 682 6.279 Pagamentos e provisão para demandas judiciais e administrativas, líquidas (3.534) (1.248) Outras receitas operacionais, líquidas (1.670) _________ (2.223) _________ Total (4.132) _________ 2.900 _________ Serviços de terceiros Pessoal Depreciação e amortização Outros insumos Total

22. RESULTADO FINANCEIRO, LÍQUIDO Receitas financeiras: Juros de aplicações financeiras Juros ativos Variações monetárias/cambiais ativas Outras receitas financeiras Total Despesas financeiras: Juros passivos Variações monetárias/cambiais passivas Outras despesas financeiras Total Total

2012 _________

2011 _________

4.187 521 2.741 2.189 _________ 9.638

3.208 320 2.727 114 _________ 6.369

(975) (827) (344) (543) (1.693) _________ (125) _________ (3.012) _________ (1.495) _________ 6.626 _________ 4.874 _________

23. IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL A Companhia provisiona, quando aplicável, as parcelas para imposto de renda e contribuição social sobre o lucro mensalmente obedecendo ao regime de competência, recolhendo os tributos por estimativa com base em balancete de suspensão ou redução. As parcelas dos tributos calculadas sobre o lucro até o mês das demonstrações financeiras são registradas no passivo ou no ativo, conforme o caso. Conciliação da despesa tributária com a alíquota padrão: O quadro a seguir é uma reconciliação da despesa tributária apresentada no resultado e o valor calculado pela aplicação da alíquota tributária nominal de 34% (25% de imposto de renda e 9% de contribuição social sobre o lucro) em 31 de dezembro de 2012 e 2011: 2012 _________ 2011 _________ Prejuízo antes dos tributos (98.443) (125.892) Débito tributário pela alíquota oficial combinada (34%) 33.471 42.803 (Adições) exclusões permanentes: Diferenças temporárias não reconhecidas (33.460) (41.328) Outras (adições) exclusões (11) (1.475) Outros ajustes de IRPJ e CSLL (156) __________________ Débito tributário (156) __________________ Os créditos fiscais, que correspondem a R$ 33.460 e R$ 41.328 em 31 de dezembro de 2012 e 2011, respectivamente, referentes a prejuízos fiscais e adições temporárias, não foram reconhecidos pela Companhia, conforme descrito na nota 3, tendo em vista as incertezas nesses momentos quanto a capacidade de gerar resultados tributários futuros suficientes que assegurem a realização desses créditos. A Administração prepara estudos periódicos para concluir sobre o registro deste ativo. 24. PLANO DE BENEFÍCIOS PÓS EMPREGO A Companhia patrocina individualmente um plano híbrido, o Plano de Benefícios Visão Telefônica Empresas. O plano é viabilizado através de contribuições feitas pelo participante e pela patrocinadora, creditadas em contas individuais. A Companhia é responsável pelo custeio de todas as despesas administrativas e de manutenção do plano, inclusive pelos riscos de morte e invalidez dos participantes. As contribuições da Companhia ao plano Visão Telefônica Empresas são iguais às dos participantes, variando de 2% a 9% do salário de participação, em função do percentual escolhido pelo participante. A avaliação atuarial do plano foi efetuada em dezembro de 2012 e 2011, com base no cadastro dos participantes de 31 de agosto de 2012 e de 31 de agosto de 2011 projetado para 31 de dezembro de 2012 e de 2011, respectivamente, tendo sido adotado o método do crédito unitário projetado e os ganhos e perdas atuariais gerados em cada exercício são reconhecidos de forma imediata no patrimônio liquido (em outros resultados abrangentes). a. Conciliação dos ativos e passivos 31.12.12 _________ 31.12.11 _________ Total do passivo atuarial 732 670 Valor justo dos ativos 1.272 _________ 7.292 _________ Passivo (ativo) líquido (540) (6.622) Limitador dos ativos 163 _________ 5.884 _________ Ativo líquido reconhecido no balanço 377 _________ 738 _________ b. Total de despesa reconhecida na demonstração de resultado 31.12.12 _________ 31.12.11 _________ Custo do serviço corrente 132 81 Custo dos juros 59 55 Rendimento esperado dos ativos do plano (900) _________ (125) _________ Total (709) _________ 11 _________ c. Valores em outros resultados abrangentes 31.12.12 _________ 31.12.11 _________ Perdas (ganhos) atuariais reconhecidos imediatamente 6.879 307 Efeito limitador (5.721) _________ (475) _________ Custo total em outros resultados abrangentes 1.158 _________ (168) _________ continua


SEXTA-fEirA, 22 DE mArço DE 2013

JNOTÍCIAS

13

continuação

TELEFÔNICA DATA S.A. CNPJ nº 04.027.547/0001-31 - Companhia Fechada NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS - EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 (Em milhares de reais) d. Movimentação do (ativo) passivo atuarial líquido Passivo (ativo) do plano no início do exercício Despesas reconhecidas na demonstração de resultado Contribuições da patrocinadora Valores em outros resultados abrangentes Passivo (ativo) do plano no final do exercício Ativo líquido reconhecido no balanço e. Movimentação do passivo atuarial Passivo atuarial no inicio do exercício Custo do serviço corrente Juros sobre o passivo atuarial Benefícios pagos no exercício Contribuições de participantes vertidas no exercício Perdas (ganhos) atuariais do exercício Passivo atuarial no final do exercício h. Premissas atuariais Para o exercício ______________________ 2012 2011

31.12.12 _________ 31.12.11 _________ (738) (493) (709) 11 (88) (88) 1.158 _________ (168) _________ (377) _________ (738) _________ 377 738 31.12.12 _________ 670 132 59 (32) 5 (102) _________ 732 _________

Taxa de retorno esperada sobre os ativos dos planos _________________________ 8,63% 12,33%

31.12.11 _________ 581 81 55 (86) 39 _________ 670 _________

Empresa _____________________________________________ Controladora Telefônica Brasil Outras empresas do grupo A. Telecom Atento Brasil T.Chile (CTC) T.USA Telefónica Compras Eletronicas Telefónica Del Peru Telefônica International Wholesale Services Brasil Telefónica International Wholesale Services Espanha Telefônica Serviços Empresariais do Brasil Terra Networks Brasil Vivo Outras Total

31.12.12 _________ 31.12.11 _________ 7.292 7.433 (32) (86) 93 88 900 125 (6.981) _________ (268) _________ 1.272 7.292 _________ _________ _________ _________

Valor justo dos ativos no inicio do exercício Benefícios pagos no exercício Contribuições totais no exercício Rendimento esperado dos ativos no exercício Perdas (ganhos) atuariais do exercício Valor justo dos ativos no final do exercício g. Despesas previstas para o exercício de 2013

2013 _________ 112 (37) _________

Custo do serviço corrente Custo dos juros Total

75 _________ _________

Taxa de crescimento Índice nominal anual de reajuste Idade prevista salarial futuro _____________________________ dos benefícios previdenciários _________________________________________ para aposentadoria ___________________ 6,18% 4,50% Elegibilidade do benefício de aposentaria normal 6,68% 4,50% Elegibilidade do benefício de aposentaria normal

OBS.: Todas as taxas são nominais, exceto a de agravamento na utilização dos serviços médicos. Além das premissas acima, foram adotadas outras premissas, como segue: Em 31 de dezembro de 2012: • Taxa utilizada para desconto a valor presente do passivo atuarial: 8,63%; • Taxa de inflação: 4,5%; • Fator de capacidade para salários e benefícios: 98%; • Rotatividade: 0,15/(anos de serviço +1), nula a partir de 50 anos; • Tábua de entrada em invalidez: Mercer Disability; • Tábua de mortalidade: AT2000 Basic, segregada por sexo • Tábua de mortalidade de inválidos: IAPB-57. Em 31 de dezembro de 2011: • Taxa utilizada para desconto a valor presente do passivo atuarial: 9,73%; • Taxa de inflação: 4,5%; • Fator de capacidade para salários e benefícios: 98%; • Rotatividade: 0,15/(anos de serviço +1), nula a partir de 50 anos; • Tábua de entrada em invalidez: Mercer Disability; • Tábua de mortalidade: AT2000 segregada por sexo, e • Tábua de mortalidade de inválidos: IAPB-57. i. Rendimento esperado de longo prazo dos investimentos 2012 _________ 2011 _________ Percentual de alocação dos ativos Instrumentos de capital 6,60% 8,00% Instrumentos de dívida 92,20% 90,49% Outros 1,20% _________ 1,51% _________ Total 100,00% _________ 100,00% _________ Retorno esperado dos ativos Instrumentos de capital 8,50% 16,36% Instrumentos de dívida 8,50% 12,00% Outros 8,50% 10,77% As taxas esperadas de retorno dos investimentos de longo prazo relativas aos planos avaliados foram selecionadas pela Companhia, tendo sido determinadas a partir das

Empresa _____________________________________________ Controladora Telefônica Brasil Outras empresas do grupo A. Telecom Atento Brasil T.USA Telefónica Compras Eletronicas Telefónica Del Peru Telefônica International Wholesale Services Brasil Telefónica International Wholesale Services Espanha Telefônica Serviços Empresariais do Brasil Terra Networks Brasil Vivo Outras Total

f. Movimentação dos ativos dos planos

Natureza da transação ____________

expectativas de rentabilidade de longo prazo, com base nas projeções de longo prazo fornecidas pela Tendências Consultoria e dados da ANBIMA, entre outros, conforme abaixo: • Ativos de renda variável: foi utilizado o prêmio histórico de risco apurado pelo atuário consultor; • Títulos pré-fixados: taxa média, ponderada pelas LTN´s disponíveis e portfólio do mercado de NTN-F´s; • Ativos atrelados a inflação: taxa média, ponderada pela carteira das NTN-B´s e NTNC´s disponíveis no mercado; • Títulos cambiais: taxa ponderada da SELIC pela taxa da variação cambial projetada para os próximos 10 anos; • Ativos de renda fixa: variação da taxa média de juros nominais internos, projetada para os próximos 10 anos; • Empréstimos a participantes: é considerada a maior taxa entre o CDI e a meta atuarial do plano; • Imóveis: foi utilizada a meta atuarial do plano utilizada por seu administrador. j. Histórico dos ativos e passivos observados 2012 ______ 2011 ______ 2010 ______ 2009 ______ 2008 ______ Valor presente das obrigações 732 670 581 861 684 Valor justo dos ativos dos planos 1.272 7.292 7.433 6.687 5.670 Déficit (superávit) dos planos (540) (6.622) (6.852) (5.826) (4.863) Ajuste por experiência dos passivos (valores) (102) 40 (456) (135) (81) Ajuste por experiência dos ativos (valores) (6.981) 268 79 (300) 971 k. Calendário de benefícios a serem pagos nos próximos exercícios 2013 _____ 2014 _____ 2015 _____ 2016 _____ 2017 _____________ 2018 em diante _____ Planos de pensão definida 112 117 123 128 132 2.553 25. TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS Os principais saldos de ativos e passivos, com partes relacionadas decorrem de transações com empresas relacionadas com o grupo controlador, as quais foram realizadas em preços e demais condições comerciais acordadas em contrato entre as partes, e são como segue:

31.12.12 ______________________________________________________________________________ Ativo Passivo ____________________________ __________________________ Contas a Outras Custos e receber, líquidas ____________ Outros ativos Fornecedores obrigações Receitas _________ despesas _______________ _____________ __________ ________

a)/c)/e)/f)

28.743

432

1.314

39.695

25.616

(35.027)

a)/b)/c)/e) a)/c)/e)/f) a)/e)/f) a)/b)/c)/d)/e)/f) c)/f) a)/e)/f) c)/d)/f) a)/c)/e)/f) a)/c)/e)/f) a)/e) a)/c)/e)/f)

1.091 1.906 1.279 7.057 412 951 7.491 28 _______________ 48.958 _______________

193 10 8 ____________ 643 ____________

1.051 2 1.008 3.895 9.738 144 _____________ 17.152 _____________

1 6.680 14 2.341 7 55 __________ 48.793 __________

234 3.082 18.279 549 2.793 11.526 ________62.079 ________

(3.601) (7.816) (3.549) (105) (1.297) (12.668) (26.562) (27.007) (1.745) _________ (119.377) _________

Natureza da transação ____________

31.12.11 ______________________________________________________________________________ Ativo Passivo ____________________________ __________________________ Contas a Outras Custos e receber, líquidas ____________ Outros ativos Fornecedores obrigações Receitas _________ despesas _______________ _____________ __________ ________

e)/f)

8.628

552

3.429

106.917

27.971

(35.034)

a)/b)/c)/e) a)/c)/e)/f) a)/e)/f) a)/c)/e)/f) c)/f) a)/e)/f) c)/d)/f) a)/c)/e)/f) a)/c)/e)/f) a)/e) a)/c)/e)/f) e)/f)

1.139 61 1.134 913 1.174 5.867 259 635 11.269 373 _______________ 31.452 _______________

162 10 3 ____________ 727 ____________

299 317 351 438 2.282 203 115 _____________ 7.434 _____________

1 42 14 2.686 7 12 __________ 109.679 __________

509 429 79 2.487 289 11.686 837 1.611 11.606 ________57.504 ________

(2.117) (3.719) (1.897) (12.857) (20.473) (553) (231) _________ (76.881) _________

Os valores das transações com partes relacionadas demonstrados no quadro acima, referem-se aos seguintes negócios: a) Serviços de comunicação de dados e soluções integradas prestados as empresas do Grupo da Telefônica; b) Serviços prestados, despesas com salários e outros gastos pagos pela sociedade a serem reembolsados principalmente as empresas do Grupo da Telefônica; c) Serviço de suporte de centro de tele-atendimento, cobrança, back office e promotores de vendas prestado pela Atento Brasil S.A., serviço financeiro, patrimônio, contabilidade e recursos-humanos prestados pela Telefônica Serviços Empresariais do Brasil Ltda; e alugueis de rede e infra-estrutura adquiridos da sociedade Telefonica Brasil S.A. e serviços de trânsito internet internacional com a Telefónica Wholesale Services Espanha; d) Infraestrutura de transmissão internacional para diversos circuitos de dados e serviços de conexão e repasse de valores a Telefônica Brasil S.A; e) Serviços de comunicação de dados e soluções integradas prestados pela Companhia à empresa Telefonica Brasil S.A. Vivo S.A. e Terra Networks Brasil S.A. e serviços de conexão com a empresa Telefônica Wholesale Services Espanha e T. Usa. f) Serviços prestados e aluguéis de redes e infra-estrutura junto a Telefonica Brasil S.A. e Telefônica Internacional Wholesale Services Brasil Ltda, prestação de serviços técnicos e gestão administrativa prestados pela Telefonica Serviços Empresariais do Brasil Ltda e serviços de trânsito internet internacional com a Telefónica Internacional Wholesale Services Espanha e Telefónica Compras Eletrônicas e serviços de administração, suporte de centros de tele-atendimento e promotores de vendas prestados principalmente pela Atento Brasil S.A. 26. SEGUROS A política da Companhia, bem como do Grupo Telefónica, inclui a manutenção de cobertura de seguros para todos os ativos e responsabilidades de valores relevantes de alto risco, de acordo com o julgamento da Administração, seguindo orientações do programa corporativo da Telefónica S.A. As premissas de riscos adotadas, dadas a sua natureza, não fazem parte do escopo de uma auditoria de demonstrações financeiras, consequentemente, não foram examinadas por nossos auditores independentes. Os principais ativos, responsabilidades ou interesses cobertos por seguros e os respectivos montantes são demonstrados a seguir: Modalidade Limites máximos de indenização ______________________________________ _____________________________ Riscos Operacionais (Acidentes com bens patrimoniais) 547.710 Responsabilidade Civil Facultativa Veículos de frota (RCF-V) 1.000 27. INSTRUMENTOS FINANCEIROS A Companhia possui como ativos financeiros em 31 de dezembro de 2012, valores de caixa e contas bancárias de R$ 8.818 e aplicações financeiras em R$ 52.102 (R$ 3.479 e R$ 55.389 em 31 de dezembro de 2011, respectivamente) e estes valores foram contabilizados pelo custo amortizado. Os valores contábeis desses instrumentos aproximam-se dos valores de mercado, em razão de serem resgatáveis no curto prazo. Os principais fatores de risco de mercado que afetaram o negócio da Companhia em 2012 podem ser assim enumerados: a. Risco de Taxa de Juros Este risco é oriundo da possibilidade de a Companhia vir a incorrer em perdas por conta de flutuações nas taxas de juros internas, que afetem o resultado financeiro. Em 31 de dezembro de 2012, a Companhia não possui empréstimos e financiamentos. A exposição à taxa de juros variável local (CDI) está associada ao fato da Companhia investir o excesso de disponibilidade de R$ 52.102 (R$ 55.389 em 31 de dezembro de 2011), principalmente em instrumentos de curto prazo, remunerados com base na variação do CDI. b. Risco de Crédito O risco surge da possibilidade de a Companhia vir a incorrer em perdas resultantes da dificuldade de recebimento de valores faturados a seus clientes. O risco de crédito com as contas a receber é diversificado. A Companhia monitora constantemente o nível de contas a receber e limita o risco de contas indébitas através da suspensão do fornecimento dos serviços. São feitas exceções aos serviços que devem ser mantidos por razões de segurança ou defesa nacional. Em 31 de dezembro de 2012, aproximadamente 31% (21% em 31 de dezembro de 2011) do total das contas a receber brutas de serviços da Companhia eram compostos por empresas vinculadas ao Grupo Telefónica. A Companhia também está sujeita a risco de crédito oriundo de suas aplicações financeiras. A Companhia atua controlando o limite de crédito concedido a cada contraparte e diversifica esta exposição entre instituições financeiras de primeira linha, conforme política corporativa de gestão de riscos. c. Gestão de capital O objetivo da gestão de capital da Companhia é assegurar que se mantenha um rating de crédito forte perante as instituições e uma relação de capital ótima, a fim de suportar os negócios da Companhia e maximizar o valor aos acionistas. A Companhia administra sua estrutura de capital fazendo ajustes e adequando às condições econômicas atuais. Com esse objetivo, a Companhia pode efetuar captação de novos empréstimos, emissão de notas promissórias e a contratação de operações com derivativos. Para o exercício findo em 31 de dezembro de 2012, não houve mudança nos objetivos, políticas ou processos de estrutura de capital. d. Risco de Liquidez O risco de liquidez consiste na eventualidade da Companhia não dispor de recursos suficientes para cumprir com seus compromissos em função das diferentes moedas e prazos de realização/liquidação de seus direitos e obrigações. O gerenciamento da liquidez e do fluxo de caixa da Companhia é efetuado diariamente pelas áreas de gestão da Companhia, de modo a garantir que a geração operacional de caixa e a captação prévia de recursos, quando necessária, sejam suficientes para a manutenção do seu cronograma de compromissos, não gerando riscos de liquidez.

DIRETORIA Antonio Carlos Valente da Silva Diretor Presidente

Paulo Cesar Pereira Teixeira Diretor Geral

Gilmar Roberto Pereira Camurra Diretor Financeiro

Cristiane Barretto Sales Diretora de Controladoria

Breno Rodrigo Pacheco de Oliveira Secretário Geral e Diretor Jurídico

Milton Shigueo Takarada Contador - CRC: 1SP138816/O-8

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Aos Acionistas, Conselheiros e Diretores da Telefônica Data S.A. São Paulo - SP Examinamos as demonstrações financeiras da Telefônica Data S.A. (“Companhia”), que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2012 e as respectivas demonstrações do resultado, do resultado abrangente, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações financeiras A administração da Companhia é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações financeiras livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações financeiras estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações financeiras. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a

avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações financeiras da Companhia para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Companhia. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Opinião Em nossa opinião, as demonstrações financeiras acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da Telefônica Data S.A. em 31 de dezembro de 2012, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. São Paulo, 21 de fevereiro de 2013. Ernst & Young Terco Auditores Independentes S.S CRC-2SP015199/O-6

Alexandre Hoeppers Contador CRC- SC021011/O-3-T-PR-S-SP Cassio de Oliveira Barbosa Contador CRC-1SP269018/O-7

Páscoa Bombom Cremoso

Experimente

Junte o doce do chocolate à mística dos coquetéis Pode até parecer estranho, mas algumas bebidas harmonizam muito bem com chocolates e outros doces. E para tornar esta Páscoa ainda mais especial, a Água Doce Cachaçaria, com uni-

dade no shopping Tamboré, apresenta opções com e sem álcool, que mesclam o delicioso sabor do chocolate a diferentes ingredientes, dando a cada opção um toque especial e único.

Delicada mistura de Guaraná e vodca, tem ainda creme de leite, bombom Ouro Branco e sorvete de creme, que dão suavidade a esta cremosa bebida.

Doce Sonho

Esta receita equilibra os sabores do sorvete de creme, guaraná, bombom Sonho de Valsa e chocolate. Um verdadeiro sonho.

Cookies Cream

Vodca, Licor de Chocolate Stock e Sorvete de Creme, em uma combinação adocicada e com personalidade.


14

SEXTA-fEirA, 22 DE mArรงo DE 2013

J NOTรCIAS


SEXTA-fEirA, 22 DE mArço DE 2013

SuSeli Honório

Esportes

JNOTÍCIAS

Secretários correm os 15 km

No domingo, 24, acontece a tradicional Corrida de 15 Km de Barueri. O evento, que faz parte do calendário de aniversário da cidade, contará com a participação de mais de três mil atletas entre profissionais e amadores. Com o objetivo de incentivo ao esporte e à solidariedade, todos os secretários e seus adjuntos participarão da corrida de 5 km ou caminhada. Eles farão ainda uma doação em dinheiro a ser revertida às campanhas solidárias do Fundo Social de Solidariedade.

Menino de Ouro

Conheça o programa

A emoção dos garotos será o eixo da saga de 12 episódios pelos gramados. Além de provas divertidas e partidas, o reality conta a história desses meninos, seus pais e amigos envolvidos nessa trama real. Depoimentos emocionantes de craques, sobre o início de suas carreiras, também compõe a atração.

Osasco cai para 8º e Barueri quer se afastar da degola

Equipes da região precisam se reabilitar no campeonato

Equipe é formada pelos craques Edmilson, Paulo Sérgio e Zetti, e a musa Karina Bacchi

Aproximadamente 13 mil interessados em participar do da seleção se inscreveram pela Internet. Após o processo de triagem, foram avaliados em peneiras cerca de 700 garotos. Cerca de 50 meninos de Barueri efetuaram as inscrições pelo site do SBT, e dois deles estão foram classificados para participar do programa, Sérgio Francisco Filho e Alessandro Gomes Cardoso. Apenas 22 atletas de 13 a 15 anos, divididos em dois times, brigarão pelo status de “Menino de Ouro”. Os campeões do mundo Zetti e Edmilson serão os técnicos que têm a missão de montar e comandar duas equi-

pes, a partir da observação que farão de uma frenética bateria de partidas. Montadas as duas equipes, com 11 jogadores cada, os timem passarão a se enfrentar. A cada episódio, há uma prova que define um capitão para cada time. Esses, além da imunidade, têm a dura tarefa de indicar um possível eliminado da sua equipe. Os dois técnicos, também indicam um nome. Os três indicados estarão na “marca do pênalti”: uma prova de repescagem que vai salvar apenas um dos meninos. Entre os dois restantes, os técnicos, junto a convidados especiais, definirão o eliminado do episódio. Em caso de empate, caberá ao coordenador

técnico, Paulo Sergio, a difícil tarefa de definir quem deixa a competição. Os eliminados continuam no programa para não desfalcar os times, mas perdem o direito de ser o Menino de Ouro. Esse alucinante processo seletivo atinge seu ápice no 12º e último episódio, que terá apenas três finalistas. Os três candidatos a Menino de Ouro e ex-craques vão compor um time que desafiará uma equipe paulista da categoria sub 20. Em seguida, uma celebração em grande estilo, finalmente vai revelar quem será o mais novo talento do futebol brasileiro, escolhido pelo corpo técnico do programa.

Superliga Feminina de Vôlei

Préu leão

Osasco vai brigar na final contra o Unilever, do Rio Pela 12ª vez, o Osasco disputará a final da Superliga Feminina de Vôlei, a 9ª diante de seu maior rival: o Unilever, do Rio. Na última sexta-feira, a equipe venceu o Vôlei Amil jogando fora de casa e carimbou seu passaporte para a grande decisão. O Unilever por sua vez também fez a lição de casa e venceu o Sesi-SP em partida disputada.

Futebol

divulgação

Secretário de Esportes de Barueri vai comandar reality show no SBT

O apresentador e ex-jogador de futebol Paulo Sérgio, secretário de Esportes de Barueri, comandará o reality show Menino de Ouro, no SBT, que pretende revelar um novo craque na história do futebol brasileiro. Ele terá a companhia dos ex-jogadores e técnicos da atração Zetti e Edmilson e da musa Karina Bacchi, repórter de campo do programa. O lançamento oficial aconteceu no vestiário do Estádio do Pacaembú nesta segunda-feira, 18. A estreia está marcada para o domingo, 24 de março, às 10h, e deve narrar a emocionante trajetória de centenas de pequenos boleiros brasileiros em busca da real oportunidade de se tornar um profissional do futebol e ter a chance de assinar um contrato com um grande time de São Paulo: Corinthians, Palmeiras ou São Paulo.

15

Sollys está acostumado às grandes decisões

A data para o confronto único foi marcada para o dia 7 de abril e irá acontecer na quadra do Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. Na oportunidade, caso venha a se sobressair sobre o adversário, o Osasco manterá a sequência de títulos em que acumula a Superliga passada e os campeonatos Paulista e Sulamericano, além do mundial de clubes.

O Grêmio Osasco não conseguiu vencer o Comercial fora de casa nesta quarta-feira, 20, e terminou a partida sem conseguir marcar um tento na Série A2 do Campeonato Paulista. A partida terminou em 1 a 0 para o Bafo, com um gol que saiu aos 45 minutos do segundo tempo. Com o resultado, o Comercial subiu para a 3º colocação na tabela, com 29 pontos e o Osasco caiu para a 8ª, com 25.

Abelha

O Grêmio Barueri também perdeu fora de casa para o São Carlos, que complicou a situação da Abelha que luta para ficar fora da zona de rebaixamento. A partida terminou em 1 a 0 e o resultado tirou o São Carlos das últimas colocações para a 14ª posição na tabela, com 20 pontos, e deixou o Barueri só a um ponto do primeiro time na área da degola, o Rio Branco. O time da Arena tem 17 pontos ganhos e está na 16ª colocação.

Provas

Barueri supera as expectativas e garante seis vagas para o Troféu Brasil de Atletismo Nos dias 16 e 17 de março, a equipe de Atletismo de Barueri disputou mais uma prova pelo Campeonato Paulista de Atletismo Adulto. Assim como tem ocorrido desde o início das provas, os atletas do GRB obtiveram – novamente – excelentes resultados, oportunidade em que 6 atletas conseguiram índice para participar do Troféu Brasil de Atletismo. Wellington Bezerra da Silva, o Cipó, concluiu a prova de 5.000m no tempo de 14’06”39, Andersom teles da Silva participou dos 800m em 1’49”23, o atleta Walan Jones Almeida de Souza também participou

dos 800m e alcançou a marca de 1’51”27. A barueriense Jenifer do Nascimento Silva nos 5000m alcançou a ótima marca de 17’41”85. Juliane Freire Rafael Norberto participou da prova de Salto Triplo com a marca de 11,95m e Higor Silva Alves se saiu muito bem na prova de salto em distancia com 7,41m. As marcas de Barueri foram uma das melhores da prova e os resultados demonstraram a evolução e o desenvolvimento técnico da equipe do GRB de acordo com as metas estipuladas pela comissão técnica do Grêmio.


16

SEXTA-fEirA, 22 DE mArรงo DE 2013

J NOTรCIAS


JN1577