Page 1

Portal Cinema MAGAZINE

INTERVIEWS BRUNO BINI PAULO LEITE

ESPECIAL FANTASPORTO

REVIEWS PORTRAIT OF A LADY ON FIRE THE INVISIBLE MAN

2ª Edição - Março 2020


TABLE OF CONTENTS

09 21

17 28

03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 20

Editor's Letter Movie Reviews A Hidden Life Bombshell Fantasy Island Les Miserábles Portrait of a Lady on Fire Sonic The Movie The Invisible Man The Last Thing he Wanted The Wolf Hour Weathering With You Wild Rose Women Interview With Paulo Gonçalves Inner Ghosts Review

38

21 24 25 26 27 28 31 32 33 34 35 36 38

PORTAL CINEMA MAGAZINE

Highlights of FantasPorto 2020 Adverse Entangled The Soul Conductor Una Chica Invisible Interview With Bruno Bini Loop Review Classics Reviews Raging Bull The Shinning Film Specials Pandemic Special Videogames Special

24


PORTAL CINEMA MAGAZINE

CARTA DO EDITOR Numa época em que o Mundo está a enfrentar uma grande crise de saúde pública, algo que obrigou milhares de pessoas em ficarem em quarentena, o Portal Cinema lança a 2ª Edição da sua Revista num esforço de promover algum tipo de entretenimento. Para além de críticas a novidades e clássicos, destacamos nesta edição a nossa cobertura do FantasPorto 2020. Este ano, o FantasPorto celebrou 40 Anos e a Edição de 2021 ainda não está confirmada, mas espera-se que este grande festival de Cinema do Porto possa vir a comemorar as suas Bodas de Ouro!

EDITORS LETTER At a time when the world is facing a major public health crisis, something that has forced thousands of people to be in quarantined, Portal Cinema launches the 2nd Edition of its Magazine in an effort to promote some type of entertainment. In addition to reviews of new features and classics, in this edition we highlight our coverage of FantasPorto 2020. This year, FantasPorto celebrated 40 Years and the 2021 Edition is not yet confirmed, but we hope that this great Film Festival can continue and someday soon may celebrate their Golden Anniversary!

PAGE 03


FILM REVIEWS


PORTAL CINEMA MAGAZINE

PAGE 05

A HIDDEN LIFE Em 2019, Terrence Malick regressou às salas de cinema e, uma vez mais, não nos deslumbrou com a mesma intensidade com que o fez com o belo “A Árvore da Vida”. Tão tecnicamente intenso como os filmes com os quais conquistou aclamação mundial, “Uma Vida Escondida” denota, no entanto, uma maior aproximação à objetividade e a um estilo dramático com menor requinte. Tal como já é habitual, o desenvolvimento do enredo sofre com a maior atenção dada a elementos visuais e técnicos, mas de todas as obras de Malick, certo é que “Uma Vida Escondida” é aquele que maior tempo dedica ao desenvolvimento objetivo da trama. No fundo, "Uma Vida Escondida pode até ter um requinte técnico acima da média, mas mesmo assim está uns furos abaixo ao que Malick já nos apresentou no passado, até mesmo ao nível na narrativa.

Realizador/ Director Terrence Malick Elenco/ Cast  August Diehl, Valerie Pachner, Maria Simon Género/ Genre  Drama Sinopse/ Plot O austríaco Franz Jägerstätter, um opositor de consciência, recusa-se a lutar pelos Nazis na Segunda Guerra Mundial. The Austrian Franz Jägerstätter, a conscientious objector, refuses to fight for the Nazis in World War II.

Credits - Universal Pictures Rating

In 2019, Terrence Malick returned to the movie screens and, once again, did not dazzle us with the same intensity that he did with the beautiful “The Tree of Life”. As technically intense as the films with which it won worldwide acclaim, “A Hidden Life” denotes, however, a closer approach to objectivity and a less refined dramatic style. As usual, the development of the plot suffers with the greater attention given to visual and technical elements, but of all Malick's works, it is certain that “A Hidden Life” is the one that most time devotes to the objective development of the plot. "A Hidden Life" has an above-average technical refinement, but it´s still a few holes below what Malick has presented us in the past.


PORTAL CINEMA MAGAZINE

PAGE 06

BOMBSHELL À partida, "Bombshell" tinha tudo para brilhar e para se tornar num dos grandes eventos cinematográficos do ano. Senão vejamos. É realizado por Jay Roach, um cineasta já com provas dadas em Hollywood e que, à sua disposição, teve um elenco de luxo liderado por estrelas máximas como Charlize Theron ou Nicole Kidman. Mas acima de tudo, "Bombshell" tem na sua base uma poderosa história real que implica intrigas políticas, sexuais, morais e jornalísticas. A estes três ingredientes de luxo que são o sonho de qualquer produtor, "Bombshell" junta ainda uma equipa técnica repleta de artistas competentes e o apoio incondicional da Lionsgate. A qualidade e o potencial estão lá e acabaram, efetivamente, por potenciar num filme competente que até conquistou 1 Óscar (Melhor Caracterização) Mas terá "Bombshell" tido o impacto mediático e dourado que se esperava? A resposta, infelizmente, é negativa. Embora estejamos perante um filme acima de média, o que é certo é que fica no ar a sensação que, pese embora as suas boas intenções, há algo nesta obra que acaba por não impressionar na sua globalidade. Realizador/ Director Jay Roach Elenco/ Cast  Charlize Theron, Nicole Kidman Género/ Genre  Drama Sinopse/ Plot O austríaco Franz Jägerstätter, um opositor de consciência, recusa-se a lutar pelos Nazis na Segunda Guerra Mundial. A group of women take on Fox News head  Roger Ailes  and the toxic atmosphere he presided over at the network.

Credits - Universal Pictures Rating

On papper, "Bombshell" had everything to shine and to become one of the great cinematic events of the year. It is directed by Jay Roach, a filmmaker with proven credits in Hollywood and who, at his disposal, had a luxury cast led by top stars like Charlize Theron or Nicole Kidman. But above all, "Bombshell" is based on a powerful real story that involves politic, sexual, moral and journalistic intrigues. To these three luxury ingredients, "Bombshell" also joins a technical team full of competent artists and the unconditional support of Lionsgate. The quality and the potential are there and they ended up, effectively, boosting in a competent film that even won 1 Oscar (Best Makeup and Hairstyle) But did "Bombshell" had the golden impact that was expected? The answer, unfortunately, is negative. Although we are presented with an above average film, the feeling that we are left with is one of disappointing. Despite its good intentions, there is something in this project that ends up not impressing us in its entirety.


PORTAL CINEMA MAGAZINE

PAGE 07

FANTASY ISLAND É um dos primeiros filmes de terror de 2020 e já é um dos piores. É o que pode ser dito sobre “A Ilha da Fantasia”, um filme tão descabido que chega a ser ridiculamente mau e um pesadelo de acompanhar. E isto acontece porque, como todos os filmes feitos à pressa em cima de um conceito minimamente promissor, “Fantasy Island” apresenta um argumento com inacreditáveis lapsos de lógica e exposição que promovem um enredo sem conteúdo e assente apenas em clichés.

Realizador/ Director Jeff Wadlow Elenco/ Cast  Michael Peña, Maggie Q, Lucy Hale Género/ Genre  Terror-Horror Sinopse/ Plot Uma adaptação do popular programa de TV dos anos 70 sobre um resort numa ilha paradisíaca. A horror adaptation of the popular '70s TV show about a magical island resort.

Rating

Credits - Netflix

It's one of the first horror films of 2020 and is already one of the worst ones. That's what can be said about "Fantasy Island", a film so insanely bad that becomes so ridiculously bad and it's a nightmare to watch. And this is because, like all films made hastily on top of a minimally promising concept, “Fantasy Island” presents a script with unbelievable lapses of logic and exposure that promote a chain of events without any real content and based only on movie clichés.


PORTAL CINEMA MAGAZINE

PAG 08

LES MISERÁBLES Não confundir este filme com o famoso musical adaptado do também homónimo e famoso conto de Victor Hugo! Neste filme não há elaboradas sequências musicais ou canções entoadas em plenos pulmões. Não, este "Os Miseráveis" é um drama social que ilustra temas sociais fundamentais sobre o qual o Cinema Francês se tem debruçado nos últimos anos. No fundo um pouco o que Victor Hugo fez com a sua obra clássica, mas este retrato é bem mais moderno e lança discussão sobre temas que, na altura de Victor Hugo, não eram tão pronunciados como hoje. A miséria, o crime, a imigração ilegal, o racismo, a xenofobia e as dificuldades económicas são alguns dos principais temas base abordados por esta obra que, entre um poderoso retrato policial e uma forte exposição dramática, traça um perfil muito curioso da sociedade francesa. Não surpreende que tenha conquistado o Prémio César de Melhor Filme Francês de 2019....

Realizador/ Director Ladj Ly Elenco/ Cast  Damien Bonnard, Alexis Manenti Género/ Genre  Drama Sinopse/ Plot Um polícia da províncias muda-se para Paris para se juntar à Brigada Anti-Crime de Montfermeil, descobrindo um submundo repleto de tesões A cop from the provinces moves to Paris to join the Anti-Crime Brigade of Montfermeil, discovering an underworld where the tensions between the different groups mark the rhythm. Credits - Sony Pictures

Rating

Do not confuse this film with the famous musical adapted from the famous tale by Victor Hugo! In this film there are no elaborate musical sequences or songs sung in full lungs. No, this "Les Miserábles" is a social drama that showcases fundamental social themes that French cinema has been focusing on in recent years. Basically a little bit of what Victor Hugo did with his classic work, but this portrait is more modern and launches a discussion on themes that, at the time of Victor Hugo, were not as pronounced as they are today. Misery, crime, illegal immigration, racism, xenophobia and economic difficulties are some of the main themes addressed by this film, which, between a powerful police portrait and a strong dramatic showing, traces a very curious profile of the French society. Not surprisingly, it won the César Award for Best French Film of 2019 ....


PORTAL CINEMA MAGAZINE

PAG 09

PORTRAIT OF A LADY ON FIRE A história é simples. Uma pintora é convidada a visitar uma ilha para pintar o retrato de uma jovem mulher que está prestes a casarse. A única dificuldade é que a jovem resiste ao seu destino de esposa, recusando também posar para o quadro, algo que leva a pintora a fazer o seu trabalho sem segredo. O resultado? As duas mulheres acabam por formar um laço emocional poderoso e apaixonam-se, começando assim um caso de amor proibido com consequências para ambas. Este não é um filme para todos. É um filme onde imperam as sequências longas, os silêncios perdulários, a subjetividade da emoção ou os diálogos etéreos. É uma obra sem ritmo aparente para os mais apressados, mas para quem pode apreciar a intensidade do cinema lento e artístico, “Retrato de Uma Rapariga em Chamas” revela-se deslumbrante. É, no seu íntimo, um retrato romântico poderoso e portentoso que, mesmo parecendo que não, joga com as emoções e remete-nos sempre para a sua sequência inicial.

Realizador/ Director Céline Sciamma Elenco/ Cast  Noémie Merlant, Adèle Haenel Género/ Genre  Drama Sinopse/ Plot Marianne é pintora e tem de pintar o retrato de casamento de Héloïse, uma jovem que acaba de sair do convento para se casar. On an isolated island at the end of the XVIII Century, a female painter is obliged to paint a wedding portrait of a young woman.

Credits - Neon

Rating

The story is simple. A painter is invited to visit an island to paint a portrait of a young woman who is about to get married. The only difficulty is that the young woman resists her destiny as a wife, also refusing to pose for the painting, something that leads the painter to do her job in secrecy. The result? The two women end up forming a powerful emotional bond and fall in love, thus starting a forbidden love affair with consequences for both. This is not a movie for everyone. It's a film where long sequences, long silences, the subjectivity of emotion and ethereal dialogues reign. It's a work with no apparent rhythm for those in a hurry, but for those who can appreciate the intensity of slow and artistic cinema, "Portrait of a Lady on Fire” is stunning and a powerful and portentous romantic portrait that plays with our emotions.


PORTAL CINEMA MAGAZINE

PAG 10

SONIC THE HEDGEHOG Nem quente, nem gelado. Não há palavras mais adequadas para descrever a adaptação cinematográfica do famoso e clássico homónimo videojogo da SEGA. Embora o resultado seja ameno acaba por ser bem superior aquele que se esperava após o lançamento do primeiro trailer. Perante as críticas, os produtores, com o aval do estúdio claro está, decidiram pegar num filme praticamente completo e refizeram algumas partes, sendo que a maioria centrou-se no redesign do famoso protagonista. Foi uma aposta arriscada, mas acertada. A qualidade global do filme pode não ter subido muito graças às mudanças, mas o que é certo é que os fãs apreciaram o gesto e foram aos cinemas ver o filme, tornando-o assim num sucesso de bilheteiras. Seria sempre uma missão difícil adaptar Sonic ao cinema e não se pode dizer que seja um completo tiro ao lado, mas ainda assim poderia ser mais do que mediano e banal. É certo que poderia ser pior, mas não é menos verdade que poderia ser melhor.

Realizador/ Director Elenco/ Cast  Ben Schwartz, James Marsden, Jim Carrey Género/ Genre  Comédia-Comedy Sinopse/ Plot Depois de descobrir um pequeno ouriço que é  azul e rápido, um polícia de uma cidade pequena tem que ajudá-lo a derrotar um gênio do mal que deseja fazer experiências com ele. After discovering a small, blue, fast hedgehog, a small-town police officer must help it defeat an evil genius who wants to do experiments on it.

Credits - Sony Pictures

Rating

Neither hot nor cold. There are no more suitable words to describe the film adaptation of the famous and classic videogame from SEGA. Although the result is mild it turns out to be far superior to what was expected after the launch of the first trailer. In the face of criticism, the producers, with the endorsement of the studio of course, decided to take a almost complete film and remade some parts, most of which focused on the redesign of the famous protagonist. It was a risky bet, but a good one. The overall quality of the film may not have risen much thanks to the changes, but what is certain is that fans appreciated the gesture and went to the film theatres to see the film, thus making it a box office success. It would always be a difficult mission to turn Sonic into an hit film and it cannot be said that this one is a complete disgrace, but it could still be more than an average film. It could certainly be worse, but it is no less true that it could be a lot better and funnier.


PORTAL CINEMA MAGAZINE

PAG 11

THE LAST THING HE WANTED Estreado no Festival de Sundance e distribuído mundialmente pela Netflix, “A Sua Última Vontade” é uma desilusão. Vamos por partes e esclarecer que esta obra não é inspirada num evento verídico, apenas aproveita o polémico caso do apoio dos Estados Unidos aos Operacionais Contra da Nicarágua para montar um thriller confuso e absurdo. É sob a premissa da intriga política e da conspiração militar que o filme tenta cativar a nossa atenção e, numa primeira fase, tudo indica que parece caminhar numa direção correta e cativante. Tudo não passa, no entanto, de uma grande ilusão, já que mal deixa expostas as suas reais intenções e direções, então assistimos a um completo descarrilamento do argumento. A partir do momento em que a personagem interpretada por Anne Hathaway toma o lugar do seu pai e deixa para trás o seu emprego de jornalista para se transformar numa traficante de armas (ainda que não intencionalmente), “A Sua Última Vontade” entra numa espiral descendente de qualidade que culmina, sem surpresa, num final completamente ridículo e descabido.

Realizador/ Director Dee Rees Elenco/ Cast  Anne Hathaway, Ben Affleck, Rosie Perez Género/ Genre  Thriller Sinopse/ Plot Uma jornalista entra num jogo perigoso e potencialmente mortal  que a leva até ao epicentro da  própria história que ela está a cobrir. A veteran D.C. journalist loses the thread of her own narrative when a guilt-propelled errand for her father thrusts her from byline to unwitting subject in the very story she's trying to break. Credits - Sony Pictures

Rating

Premiered at the Sundance Festival and distributed worldwide by Netflix, “The Last Thing He Wanted” is a disappointment. Let's go by parts and clarify that this work is not inspired by a true event, it just takes advantage of the controversial case of the United States' support for the Operational Contra of Nicaragua to mount a confused and absurd thriller. It is under the premise of political intrigue and military conspiracy that the film tries to captivate our attention and, at first, everything indicates that it seems to be moving in a correct and captivating direction. Everything is, however, a great illusion, since it barely leaves exposed its real intentions and directions, so we witness a complete derailment of the argument. From the moment that the character played by Anne Hathaway takes the place of her father and leaves behind her job as a journalist to become an arms dealer (although not intentionally), “The Last Thing He Wanted” enters a quality downward spiral that culminates, unsurprisingly, in a completely ridiculous and unreasonable ending.


PAG 12

PORTAL CINEMA MAGAZINE

THE INVISIBLE MAN No final de 2020 olharemos para trás e diremos que a nova versão do clássico “O Homem Invisível” foi um dos melhores filmes de terror do ano. E muito do seu sucesso deve-se a Elisabeth Moss, a quem o filme deve imensa da sua qualidade! Ao contrário das últimas tentativas de adaptar a clássica história do Homem Invisível imaginada por Orson Wells ao cinema,”O Homem Invisível” apresenta-se ao espectador como um filme minimamente realista com uma abordagem tecnológica que, apesar do seu previsível elemento sci-fi, joga bastante bem com um ambiente de suspense e com um enredo surpreendentemente intenso. Embora não aprecie particularmente a sua reta final, pouco há a apontar à forma como os seus criadores tentaram explorar a sua trama! Sim, o final apresenta uma clara quebra de qualidade, até pela perda de dúvida e suspense, mas até serem dadas as grandes respostas somos presenteados com um filme bem montado e tecnicamente curioso que mantém várias possibilidades em aberto.

Realizador/ Director Leigh Whannell Elenco/ Cast  Elisabeth Moss, Oliver Jackson-Cohen Género/ Genre  Terror-Horror Sinopse/ Plot Ao receber a notícia de que o seu ex se suicidou, Cecilia tenta construir uma vida melhor, mas começa a suspeitar de que, afinal, ele pode não estar morto... When Cecilia's abusive ex takes his own life and leaves her his fortune, she suspects his death was a hoax and starts working to prove that she is being hunted by someone nobody can see. Credits - Neon

Rating

At the end of the year we will look back and say that the new version of the classic “The Invisible Man” was one of the best horror films of the year. And much of its success is due to Elisabeth Moss, at whom the film owes a lot of its quality! Contrary to the latest attempts to adapt the classic story of the Invisible Man imagined by Orson Wells, “The Invisible Man” presents itself to the viewer as a somewhat realistic film with a technological approach that, despite its predictable sci-fi element, plays quite well with a tense atmosphere and a surprisingly intense storyline. Although I do not particularly appreciate its final stretch, there is little to fault the way its creators tried to explore the plot! Yes, the end presents a clear drop in quality, but until the great questions are answered we are presented with a well-assembled and technically curious film that keeps several possibilities open.


PAG 13

PORTAL CINEMA MAGAZINE

THE WOLF HOUR Estamos perante um thriller diferente, mas é um thriller estranho. A ideia até é boa, mas o filme em si é tão opressivo e com um estilo tão imponderado que qualquer noção minimamente interessante perdese num deserto de criatividade. O argumento é fundamentalmente mau e quase nada consegue amenizar o seu impacto negativo. A única coisa que consegue abrilhantar um pouco a escuridão que é este filme é a sublime Naomi Watts que, graças ao seu talento, consegue incutir bem mais qualidade a este filme do que aquela que o mesmo teria sem ela. A sua performance evita uma desgraça maior e prova que merecia, claramente, algo bem melhor.

Realizador/ Director Alistair Banks Griffin Elenco/ Cast  Naomi Watts, Jeremy Bobb, Jennifer Ehle Género/ Genre  Thriller Sinopse/ Plot June foi em tempos uma figura conhecida da contracultura, mas agora vive sozinha no seu apartamento no Bronx e, no Verão que se aproxima, viverá tempos difíceis. June was once a known counter-culture figure, but  now lives alone in her South Bronx apartment and, now, she will have to survive a brutal Summer. Credits - Neon

Rating

We are facing a different thriller, but it is a strange thriller. The idea behind it is good, but the film itself is so oppressive and so imponderable in style that any minimally interesting notion is asked for in a desert of creativity. The script is fundamentally bad and almost nothing can mitigate its negative impact. The only thing that manages to brighten the darkness of this film a little is the sublime Naomi Watts manages to instill a lot of quality in this film, and without Watts "The Wolf Hour" could have been a lot worse...It's safe to say that her performance avoids a greater disgrace and proves that she clearly deserved a much better project.


PORTAL CINEMA MAGAZINE

PAG 14

WEATHERING WITH YOU Candidato do Japão ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro deste ano (não conseguiu um lugar entre os nomeados finais), “O Tempo Contigo” é um filme anime belíssimo que representa aquelas que são as principais bases técnicas e narrativas da animação japonesa. E tudo começa nas suas características técnicas e visuais. Já se sabe que as animações japonesas são conhecidas pelo seu detalhe, uso excêntrico da cor e enorme diversidade técnica, sendo que ““O Tempo Contigo” não é uma exceção a esta regra. Mas a esta destreza técnica soma-se um requinte acima da média, onde tudo é conjugado com o maior detalhe e criatividade para promover um ambiente idílico de romance, fantasia e emoção que acompanha com todo o fulgor as ideias e a essência que a sua narrativa pretende transmitir.

Realizador/ Director Makoto Shinkai Elenco/ Cast  Kotaro Daigo, Nana Mori Género/ Genre  Anime Sinopse/ Plot Um jovem muda-se da sua ilha isolada para a cidade de Tóquio, onde conhece a jovem Hina que vive uma vida alegre com o irmão mais novo e tem o poder de manipular o tempo. A high-school boy who has run away to Tokyo befriends a girl who appears to be able to manipulate the weather.

Credits - Neon

Rating

Japan's candidate for the Oscar for Best Foreign Film this year (he did not get a place among the final nominees), “Weathering With You” is a beautiful anime film that represents those that are the main technical and narrative bases of Japanese animation. And it all starts with its technical and visual characteristics. It is already known that Japanese animations are known for their detail, eccentric use of color and enormous technical diversity, and “Weathering With You” is no exception to this rule. But to this technical prowess is added an above average refinement, where everything is combined with the greatest detail and creativity to promote an idyllic environment of romance, fantasy and emotion that accompanies with all the brilliance the ideas and the essence that your narrative want to broadcast.


PAG 15

PORTAL CINEMA MAGAZINE

WILD ROSE NSurpresa de 2019, “Wild Rose” é um vibrante filme independente que conquistou aclamação crítica. Uma das várias mais valias de “Wild Rose” é a sua estrela Jessie Buckley, uma autêntica revelação que ajudou a transformar esta pequena surpresa indie num grande fenómeno de popularidade. Pode-se até perguntar como é que Buckley passou ao lado da época de prémios, assim como o próprio “Wilde Rose”, mas já se sabe que este é mais um caso de política de Hollywood que nem sempre compreendemos. O que conseguimos perceber é o grande talento de Buckley e a qualidade que incutiu à sua energética, dramática e poderosa performance que entrega tudo aquilo a que se propõe. E aqui Buckley contou com a preciosa ajuda de um enredo focado, criativo e dinâmico que nos transporta para vários pontos de emoção, seja através da música, seja por via do drama puro e duro. E engane-se se pensa que “Wild Rose” é uma história sobre o estrelato. Sim, a componente musical existe, mas na sua essência estamos perante um avassalador drama familiar e existencial que coloca inúmeras questões morais importantíssimas sobre a mesa.

Realizador/ Director Tom Harper Elenco/ Cast  Jessie Buckley, Matt Costello, Jane Patterson Género/ Genre  Drama Sinopse/ Plot Uma jovem problemática de Glasgow sonha em  tornar-se numa estrela da música country em Nashville. A troubled young Glaswegian woman dreams of becoming a Nashville country star.

Credits - Neon

Rating

Surprise of 2019, “Wild Rose” is a vibrant independent film that has won critical acclaim. One of the many advantages of “Wild Rose” is its star Jessie Buckley, an authentic revelation that helped to transform this little indie surprise into a great phenomenon of popularity. One might even ask how Buckley got past the prize season, as well as “Wilde Rose” himself, but it is already known that this is yet another case of Hollywood politics that we do not always understand. What we can see is Buckley's great talent and the quality that he instilled in his energetic, dramatic and powerful performance that delivers everything he proposes. And here Buckley had the precious help of a focused, creative and dynamic plot that transports us to various points of emotion, whether through music, or through pure and hard drama. And make a mistake if you think “Wild Rose” is a story about stardom. Yes, the musical component exists, but in its essence we are facing an overwhelming family and existential drama that puts numerous very important moral questions on the table.


PAG 16

PORTAL CINEMA MAGAZINE

WOMEN Que melhor documentário para celebrar o Dia Internacional da Mulher que o muito apropriado “Woman”, onde Anastasia Mikova e Yann Arthus-Bertrand apresentam entrevistas a mais de 2000 mulheres, em 50 países, com o propósito de descobrirem o que significa ser mulher? E verdade seja dita que variedade não falta, já que ao longo de quase três anos, Mikova e Arthus-Bertrand reuniram uma forte coletânea de entrevistas com mulheres de todos os espectros sociais, religiosos, financeiros e políticos que de certa forma expõe o mundo através dos olhos da mulher. O conceito é positivo e a ideia que moveu as suas criadoras também, mas não se pode dizer que seja um grande documentário. Está bem feito é certo e ilustra vários pontos de vista pertinentes e abordagens culturais interessantes, algo que é uma boa prática nos documentários. Mas será que acrescenta algo de novo ao panorama documental? A resposta é negativa. É uma celebração da mulher é certo, mas não é uma celebração do cinema documental de excelência.

Realizador/ Director Yann Arthus-Bertrand, Anastasia Mikova Elenco/ Cast  Various Género/ Genre  Documentário-Documentary Sinopse/ Plot O que significa ser Melhor? Este documentário tenta dar-lhe a resposta Woma is a worldwide project giving voice to 2000 women in 50 different countries.

Credits - Neon

Rating

What better documentary to celebrate International Women's Day than the very appropriate “Woman”, where Anastasia Mikova and Yann Arthus-Bertrand present a series of interviews with more than 2000 women, in 50 countries, in order to find out what it means to be a woman? And truth be told that variety is not lacking, since over almost three years, Mikova and Arthus-Bertrand gathered a strong collection of interviews with women from all social, religious, financial and political backgrounds that in a way exposes the world through the woman's eyes. The concept is positive, but it cannot be said that it's a great documentary. It's well made and it illustrates several pertinent points of view and interesting cultural approaches, but does it add anything new to the documentary genre? The answer is no. It's a celebration of the women virtues, but it's not a celebration of film excellence.


PAG 17

PORTAL CINEMA MAGAZINE

INTERVIEW WITH

PAULO LEITE

Paulo Leite estreia em Março a sua longa metragem de estreia "Inner Ghosts"! Aquando a sua estreia no MOTELx, o Portal Cinema falou com o cineasta sobre este projeto e, agora, recordamos essa entrevista que nos revela muito sobre um produto inesperado que certamente irá surpreender os fãs do género. Paulo Leite will debut this March his first feature film "Inner Ghosts"! When it had its premiere at MOTELx, Portal Cinema spoke to the filmmaker about this project and, now, we've decided to bring back this interview that reveals a lot about an unexpected product that will surely surprise fans of the genre.

"My main goal is to give the audience films that will surprise them, movies the audience can enjoy. I hope I have the privilege of continuing making movies". Portal Cinema (PC) – Antes de explorarmos um pouco Inner Ghosts, gostaria que me falasse um pouco sobre o seu percurso profissional até ao dia de hoje. Qual a sua formação? E o que fez antes de começar a trabalhar neste projeto? / Before we explore Inner Ghosts, I would like you to tell us a little about your career path to this day. What did you do before you started working on this project? Paulo Leite (PL) - Comecei a trabalhar em TV aos dezassete anos. Depois fui estudar produção e argumento na Escola Superior de Teatro e Cinema e comecei a trabalhar em cinema. Trabalhei em vários filmes, escrevi guiões e depois comecei a trabalhar com financiamento internacional e desenvolvimento de projetos. Sempre estive perto do cinema de horror, o meu género favorito. Sou professor  e trabalho fora de Portugal a desenvolver projetos. I started working on TV when I was seventeen. Then I went to study production and script at the Higher School of Theater and Cinema and I started to work in cinema. I worked on several films, wrote scripts and then started working with international funding and project development. I've always been close to horror movies, my favorite genre. Today I teach  and work outside Portugal to develop projects. in a tournament producing a

By arranging games in a regular

Hundreds of sports exist, from

PC – Tem algum Many sonho/objetivo em particular queseason, pretenda alcançar no mundo cinematográfico? Do you have a champion. sports leagues sports followed in some those between/ single particular make dreaman / goal youchampion. want to achieve in the filmcases industry? annual by playoffs. contestants through PL - O meu objetivo é dar ao público filmes que o surpreendam, filmes dos quais o público goste. Espero ter o privilégio de poder continuar a fazer filmes. My main goal is to give the audience films that will surprise them, movies the audience can enjoy. I hope I have the privilege of continuing making movies


PORTAL CINEMA MAGAZINE

PAG 18

Inner Ghosts

PC – Quais são as suas principais influências e inspirações cinematográficas? / What are your main cinematic influences and inspirations? PL - São muitas. Eu gosto muito do aspecto sujo do cinema de horror dos anos 70, mas também curto a elegância dos anos 60 e o “camp” dos anos 80. Cada década nos deu grande cinema de horror e grandes autores. Acabamos sempre por absorver muitas coisas que depois nos ajudam a criar. There are many. I really like the dirty looks of the horror movies of the '70s, but I also like the elegance of the 60s and the' 80s' camp. Every decade has given us great horror movies and great authors. We always end up absorbing many things that later help us create. PC - Estreou-se como realizador com uma longa metragem. Considera que foi uma opção arriscada? O que o levou a optar por fazer uma longa metragem e não uma curta, por exemplo? You made your directorial debut with a feature film. Do you think it was a risky option? What led you to choose a feature film and not a short film, for example? PL - A curta-metragem é um formato quase não-comercial. Isto significa que há limites muito grandes para o que se consegue financiar. Eu cheguei a pensar em fazer uma curta, mas obtive financiamento para uma longa e a partir daí seria absurdo não a fazer. Há algumas curtas que eu gostava de fazer, mas elas estão neste momento em financiamento. The short film is an almost non-commercial format. This means that there are very large limits to what you can finance. I thought about doing a short, but insted I got funding for a feature film and from there it would be absurd not to do it. There are some short films I would like to do, but they are currently under funding PC - São desafios completamente opostos, mas após ter realizado o seu primeiro filme já consegue dizer se prefere trabalhar como guionista ou realizador? /  The two are completely opposite challenges, but after having made your first film can you say if you prefe to work as a screenwriter or director? PL - São trabalhos que se complementam. Eles não vivem necessariamente juntos, pois todos nós conhecemos gente magnífica que só escreve ou só realiza. No entanto, em Portugal, há pouca gente a trabalhar o género horror – o género que eu gosto e onde quero estar. Isto significa que quem tem a visão não tem outro remédio se não avançar e nunca ficar a espera dos outros. Eu  adoraria escrever para outros realizadores, realizar argumentos escritos por outras pessoas ou simplesmente produzir filmes de horror que não seja escritos nem realizados por mim. Se acontecer, será excelente. Acima de tudo, eu gosto de fazer. Both works complement each other. They do not necessarily live together because we all know magnificent people who only write or only perform. However, in Portugal, there are few people working the horror genre - the genre that I like and where I want to be. This means that those who have vision have no other remedy if they do not go forward and wait for others. I would love to write for other filmmakers, do scripts written by other people, or simply produce horror movies that are not written or performed by me. If it does, it will be excellent. Most of all, I like to do.


PORTAL CINEMA MAGAZINE

PAG 19

Inner Ghosts

PC– Por vezes em Portugal uma das partes mais complexas de realizar uma longa metragem é encontrar financiamento, especialmente para um filme de terror. Como decorreu o processo para arranjar financiamento? Que dicas poderia dar a outros realizadores que pretendam realizar uma longa metragem em Portugal?/  Sometimes in Portugal one of the most complex parts of making a feature film is finding financing, especially for a horror movie. How was the process to arrange funding? What tips could you give other filmmakers who want to make a feature film in Portugal? PL - INNER GHOSTS foi financiado em 24 horas. Aliás, o financiamento foi a parte mais fácil de todas. Eu sei que isto é atípico, porém aconteceu por várias razões. A primeira foi esta: eu reconheci desde o primeiro momento que o ICA dificilmente (e estou a ser otimista) iria financiar a produção de um filme de horror, na medida em que este é um género rejeitado pelo status quo cultural em Portugal e pela inteligência do cinema português. Assim sendo, eu não quis por a minha vida a depender do Estado e fui procurar financiamento privado. A segunda razão é esta: eu já trabalho com desenvolvimento, financiamento e marketing de projetos. Neste sentido, não me foi difícil vender o projeto e falar a língua de quem o consegue financiar. Quem quer financiar projetos, antes de tudo, deve aprender a vendê-los – com tudo o que isto implica. INNER GHOSTS was funded in 24 hours. Incidentally, financing was the easiest part of all. I know this is atypical, but it happened for several reasons. The first was this: I recognized from the first moment that the ICA Institution (and I am being optimistic) would hardly finance the production of a horror film, because this is a genre rejected by the cultural status quo in Portugal and by intelligence of Portuguese cinema. So I did not want my life to depend on the Government and I went to look for private financing. The second reason is this: I already work with development, financing and marketing of projects. In this sense, it was not difficult for me to sell the project and speak the language of who can finance it. Who wants to finance projects, first of all, must learn how to sell them - with all that this entails. PC – Fale-nos um pouco sobre “Inner Ghosts”, nomeadamente sobre a sua história e sobre o seu processo de criação. Foi difícil reunir um elenco e uma equipa técnica? /  Tell us a little about "Inner Ghosts", namely about its history and about its creation process. Was it difficult to get a cast and a technical team? PL - INNER GHOSTS vai dar ao espectador uma personagem fascinante. Trata-se de uma mulher que renegou a sua capacidade de se comunicar com o outro lado e vê-se obrigada a retomar o diálogo com os espíritos com consequências desastrosas. O processo de criação durou meses nos quais eu fui reescrevendo e melhorando o conceito. Foram várias versões do argumento até o momento em que achei que estava suficientemente pronto. Foi um trabalho complicado, mas que me deu muito prazer. O processo de casting também foi complexo, pois o filme é falado em inglês e eu não queria atores que soassem a falso. Seria um erro. Neste sentido, procurámos durante bastante tempo pelos atores certos. Eu tive muita sorte em encontrar um elenco incrível que aceitou trabalhar num filme cuja rodagem seria difícil. As últimas versões do argumento sofreram alterações para dar aos atores personagens que acabaram por ser escritas mesmo para eles. INNER GHOSTS will give the viewer a fascinating character. It is a woman who has denied her ability to communicate with the other side and is forced to resume dialogue with spirits with disastrous consequences. The process of creation lasted months in which I was rewriting and improving the concept. There were several versions of the script to the point where I thought I was ready enough. It was a complicated job, but it gave me great pleasure. The casting process was also complex because the film is spoken in English and I did not want actors to sound false. It would be a mistake. In this sense, we have been looking for the right actors for a long time. I was very lucky to find an incredible cast that agreed to work on a film whose shooting would be difficult. The last versions of the script underwent changes to give the actors characters that were eventually written for them.


PAG 20

PORTAL CINEMA MAGAZINE

INNER GHOSTS Foi já em 2018 que "Inner Ghosts" foi exibido no MOTELx, mas desde logo foi prometido que o filme chegaria às salas de cinemas. E , certo é, que quase dois anos após essa estreia, esta primeira longa metragem de Paulo Leite chegou aos cinemas comerciais. Um prémio merecido para o cineasta e para a sua equipa que conseguiram concretizar uma ambição e um sonho. Nem sempre vemos filmes portugueses de terror chegar aos cinemas e, por isso, é sempre um prazer ver jovens cineastas a conseguirem produzir algo do qual nos podemos orgulhar de ver. É necessário dar os parabéns à equipa de "Inner Ghosts" por terem conseguido tanto e apostamos que os próximos filmes de Paulo Leite serão bem melhores, tendo em conta o que foi aprendido com os erros e falhas deste projeto independente com boas ideias mas nem sempre com a melhor execução. Embora seja de louvar certos aspectos que apresentam um certo requinte, não podemos ignorar os graves problemas de um enredo que nem sempre faz sentido e que acaba por se tornar inconsequente. É certo que como filme de terror é mediano, mas "Inner Ghosts" mostra potencial de todos os envolvidos no projeto. Realizador/ Director Paulo Leite Elenco/ Cast  Celia Williams, Elizabeth Bochmann Género/ Genre  Terror-Horror Sinopse/ Plot Helen é convidada a treinar duas jovens na arte de comunicar com os mortos, mas os seus dias como médium há muito que passaram. No entanto, tudo muda quando uma visita do outro lado lhe oferece um dispositivo que pode fazer coisas incríveis. A woman who gave up on her life as a medium receives a gift from the afterlife: a device that can perform wonderful things - at a price. Credits - Neon

Rating

It was in 2018 that "Inner Ghosts" was shown on MOTELx, but it promised back then that the film would reach the movie theaters. And, almost two years after this premiere, this first feature film by Paulo Leite reached, in fact, the commercial theaters. A deserved award for the filmmaker and his team that managed to accomplish an ambition and a dream. We don't always see Portuguese horror films coming to theaters, so it is always a pleasure to see young filmmakers able to produce something that we can be proud to see on the big screem. It's necessary to congratulate the "Inner Ghosts" team for having accomplished so much and we bet that Paulo Leite's next films will be much better, taking into account what he has learned from the mistakes and flaws of this independent project with good ideas but not always with the best execution. Although we can praised certain aspects that present a certain refinement, we cannot ignore the serious problems of a plot that does not always make sense and that ends up becoming inconsequential. It's true that as a horror film it is average, but "Inner Ghosts" shows the potential of everyone involved in the project.


ESPECIAL


PORTAL CINEMA MAGAZINE

PAGE 22

HIGHLIGHTS OF FANTASPORTO 2020 Tirando uma ou outra exceção, os filmes que foram exibidos nas Competições Internacionais do FantasPorto (Competição Cinema Fantástico, Semana dos Realizadores e Orient Express) apresentaram uma qualidade bem aceitável e promoveram o espetáculo que se esperava. É certo que o FantasPorto já não tem um line-up que, à primeira vista, consiga captar as atenções dos mais distraídos, mas verdade seja dita que todos os anos este certame apresenta uma série de filmes que merecem ser descobertos e que até fariam melhor figura nos cinemas nacionais do que certas obras que vemos por aí. O FantasPorto continua a ser um festival diferente, mas continua a primar pela inovação e pela diferença e, num mundo onde cada vez há mais festivais, o FantasPorto dá provas que tem vitalidade para igualar a concorrência e não desaparecer. Nos discursos de abertura e encerramento ficou patente a ideia que a organização do FantasPorto não vai desistir e que tem orgulho do seu ilustre passado (e com toda a justiça), mas também ficou demonstrado que o FantasPorto está numa fase mais modesta, numa fase de mudança que precisa de apoios contínuos. Por cá, o Portal Cinema sempre tomou o FantasPorto como um aliado próximo e continuará sempre a marcar presença nas edições deste certame. Temos confiança nesta organização e achamos que ainda mais e melhor esta para vir!

Except for one or another exception, the films that were shown at FantasPorto International Competitions (Fantastic Cinema Competition, Directors' Week and Orient Express) presented a very acceptable quality and promoted the expected show. It is true that FantasPorto no longer has a line-up that, at first glance, can capture the attention of the most distracted, but truth be told that every year this event presents a series of films that deserve to be discovered and that they would even do abetter showing in national cinemas than certain works that we see out there. FantasPorto continues to be a different festival, but continues to excel in innovation and difference and, in a world where there are more and more festivals, FantasPorto shows that it has the vitality to match the competition and not fade into oblivion. In the opening and closing speeches, the idea that FantasPorto's organization will not give up and that it is proud of its illustrious past (and in all fairness) was evident, but it was also demonstrated that FantasPorto is in a more modest phase, in a phase of change that needs continuous support. Here, Portal Cinema has always taken FantasPorto as a close ally and will always continue to be present in the editions of this event. We have confidence in this organization and we think that even more and better is yet to come!


PORTAL CINEMA MAGAZINE

PAGE 23

THE WINNERS OF FANTASPORTO 2020 GRANDE PRÉMIO MELHOR FILME - FANTASPORTO 2020( Best Film Award Fantasporto ) Ghostmaster - Paul Young- 91’ (Jap) PRÉMIO ESPECIAL DO JURI (Jury’s Special Award) Dancing Mary- Sabu – 106’ (Jap) MELHOR REALIZAÇÃO (Best Direction) Clarita – Roderick Cabrido- 87’ (Filipinas) MELHOR ACTOR (Best Actor)  Leif Edlund- Koko-Di Koko-Da – Johannes Nyholm- 86’ (Suécia/Dinamarca) MELHOR ACTRIZ (Best Actress) Christine Reyes-  Untrue – Sigrid Andrea Bernardo – 105’ (Filipinas) MELHOR ARGUMENTO (Best Screenplay) Dead Dicks- Chris Bavota, Lee Paula Springer - 83’ (Can) MELHORES EFEITOS ESPECIAIS( Best Visual Effects) The Soul Conductor- Ilya Maximov- 90’ (Russia) MELHOR CURTA-METRAGEM FANTASPORTO(Best Short Film) Breaking and Entering/ Moros en la Costa – Damiá Serra Cauchetiez -16’50 (Esp) Special Mention of the Fantasy Jury Fallen: Director’s Cut - Lee Jung-Sub – 113’ (Coreia do Sul) 30ª SEMANA DOS REALIZADORES /OFFICIAL DIRECTORS WEEK AWARDS PRÉMIO MELHOR FILME (Best Film) Willow- Milcho Manchevski – 91’ (República da Macedonia/Hung/Belg) PRÉMIO ESPECIAL DO JURI SR (Directors Week Jury’s Special Award) Una Chica Invisible – Francisco Bendomir- 80’ (Argentina) MELHOR REALIZADOR SR (Directors Week Best Director Award) Béla Bagota- Valan: Valley of the Angels- Béla Bagota- 113’ (Hun) MELHOR ARGUMENTO SR(Directors Week Best Screenplay Award) Béla Bagota- - Valan: Valley of the Angels- Béla Bagota- 113’ (Hun)


PAG 24

PORTAL CINEMA MAGAZINE

ADVERSE Perante uma casa cheia na Abertura da 40ª Edição do FantasPorto no Teatro Rivoli, Brian A. Metcalf apresentou o seu filme mais ambicioso até á data, o thriller "Adverse". E que surpresa agradável que esta obra é. "Adverse" tem aquele appeal comercial e criativo que o tornam num produto capaz de agradar ao grande público e, para além do mais, conta também com um elenco repleto de caras conhecidas. Uma dessas caras e, sem dúvida, a maior força motriz do filme é Mickey Rourke! A sua performance, embora num papel secundário, é completamente viciante, até porque a sua personagem vilanesca vai buscar muitas das características extravagantes do ator. Quanto aos restantes elementos de "Adverse" há que destacar a direção polida e cumpridora de Brian A Metcalf que mostra talento e ambição com um filme que pode até parecer simples, mas que tem vários planos bem trabalhados e interessantes. É certo que há coisas que poderiam ser melhoradas e otimizadas, mas num plano geral e para um filme independente como este, "Adverse" como os critérios principais e, acima de tudo, entrega aquilo que promete, ou seja, um thriller com ação e drama onde acompanhamos a saga de vingança de um motorista que, para vingar a sua irmã, tem de se infiltrar num perigoso grupo criminoso. Realizador/ Director Brian A. Metcalf Elenco/ Cast  Mickey Rourke, Sean Astin, Matt Ryan Género/ Genre  Thriller Sinopse/ Plot Um motorista  descobre que a sua irmã está em dívida com um sindicato perigoso do crime e fará de tudo para a proteher. A rideshare driver discovers that his sister is in debt to a dangerous crime syndicate and will do everything to protect her-

Rating

Credits - Neon

Before a full house at the Opening of the 40th Edition of FantasPort, Brian A. Metcalf presented his most ambitious film to date, the thriller "Adverse". And what a pleasant surprise this work is. "Adverse" has that commercial and creative appeal that makes it a product capable of pleasing the general public and, in addition, it also has a cast full of well-known faces. One of those faces and, without a doubt, the biggest driving force in the film is Mickey Rourke! His performance, although in a supporting role, is completely addictive. As for the remaining elements of "Adverse", we must highlight Brian A Metcalf's polite and respectful directing. He shows talent and ambition with a film that may seem simple, but that has several well-worked and interesting plans. It's true that there are things that could be improved and optimized, but in a general plan and for an independent film like this, "Adverse" delivers what it promises, that is, a thriller with action and drama where we follow the saga of revenge of a driver who, to avenge his sister, has to infiltrate a dangerous criminal gang.


PAG 25

PORTAL CINEMA MAGAZINE

ENTANGLED A fórmula de “Entangled” segue a do típico thriller sci-fi juvenil com um ou outro elemento diferenciador, mas que acaba por nunca culminar em nada de concreto. A nível técnico apresenta uma qualidade interessante e até faz bom uso de um elenco pouco conhecido (com a exceção da veterana MM), mas a sua trama pouco clara e eficaz acabou por se tornar no seu pior inimigo. O que se destaca e sobressai no filme acaba por ser algo que não nos conquista nem nos agarra a um propósito narrativo impactante. Entre teorias cientificas pobremente exploradas e aquilo que acaba por se tornar num jogo do gato e do rato com parcas consequências, “Entangled” acaba por terminar em agonia e com um twist que é previsível desde literalmente o início do filme.

Realizador/ Director Gaurav Seth Elenco/ Cast  Marlee Matlin, Shauna Black Género/ Genre  Thriller Sinopse/ Plot Quatro estudantes estudam a hipótese de haver outros mundos iguais ao nosso. Quando uma rapariga do grupo morre e regressa depois, percebem que as suas experiências, afinal, podem ter resultado. Four brilliant university students are forced to confront themselves in terrifying ways when their Quantum Physics experiment leads to an entangled parallel existence. Credits - Neon

Rating

The formula for “Entangled” follows that of the typical juvenile scifi thriller with one or another differentiating element, but which never ends up in anything concrete. At a technical level it presents an interesting quality and even makes good use of a little-known cast (with the exception of the veteran Marlee Matlin), but its unclear and effective plot turned out to be its worst enemy. What stands out in the film turns out to be something that neither conquers us nor holds us to an impacting narrative purpose. Between poorly explored scientific theories and what turns out to be a game of cat and mouse with few consequences, “Entangled” ends up in agony and with a predictable twist.


PAG 26

PORTAL CINEMA MAGAZINE

THE SOUL CONDUCTOR Produzido pela 20th Century Fox Russia, “The Soul Conductor” foi, provavelmente, o filme mais comercial que passou pelo FantasPorto, já que mesmo sendo uma obra russa, poderia enquadrar-se perfeitamente no estilo típico do blockbuster sobrenatural de Hollywood. A sua premissa não tem muito de especial e o filme em si também não é nada requintado, como aliás se prova pela sua conclusão completamente desproporcional e despropositada. Mas embora esteja num nível mediano há algum potencial e algum valor nesta produção, servindo assim para entreter sem, no entanto, satisfazer. É quase como um filme guilty pleasure, já que há partes que nos fazem querer retirar mais deste projeto que aquilo que, no final, este acaba por nos dar.

Realizador/ Director Ilya S. Maksimov Elenco/ Cast  Aleksandra Bortich, Evgeniy Tsyganov Género/ Genre  Thriller Sinopse/ Plot Rodeada de fantasmas a vida toda, Katya anda à procura da sua irmã gémea que desapareceu. Mas não foi só a irmã que desapareceu. O segredo começa a revelar-se. Surrounded by ghosts her whole life, Katya is looking for her twin sister who has disappeared. But wasn't just the sister who disappeared. The secret begins to reveal itself. Credits - Neon

Rating

Produced by 20th Century Fox Russia, “The Soul Conductor” was probably the most commercial film that was shown at FantasPorto. Even though it's a Russian film, it could fit perfectly into the typical Hollywood supernatural blockbuster style. Its premise is not very special and the film itself is not at all refined, as is proved by its completely disproportionate and unreasonable conclusion. But despite it's average level there is some potential and some value in this production, even though it isn't that satisfying. It's almost like a guilty pleasure film, since there are parts that make us want to get more out of this project than what it ends up offering us.


PAG 27

PORTAL CINEMA MAGAZINE

UNA CHICA INVISIBLE Um dos filmes mais divertidos e extrovertidos da seleção deste ano do FantasPorto chama-se “Una Chica Invisible”. Realizado por Francisco Bendomir, esta comédia dramática negra sobre que explora, entre outros temas, o ciberbullying ou o cyberstalking, levanos numa viagem imprevisível pelo quotidiano de um grupo de personagens inusitadas com as quais acabamos por nos divertir bastante. Tal como o FantasPorto o descreve, “Una Chica Invisible” é um sinal da vitalidade do cinema argentino e, na realidade, é uma descrição repleta de sentido. É certo que os filmes argentinos já nos habituaram à qualidade e ao primor, aliás quem se pode esquecer do ainda memorável “El Secreto de Sus Ojos”. Mas tem sido no género fantástico e nos subgéneros mais extrovertidos que o Cinema Argentino tendo a surpreender o espectador, sendo esta obra de Francisco Bendomir mais um ilustre exemplo. A sua trama explora temas sérios, mas fá-lo de uma forma divertida, inesperada e convincente que nos mergulha num caldeirão de fantasia e diversidade que só pode ser elogiada. É certo que há pontas soltas e algumas coisas que nem sempre seguem o padrão positivista, mas não há dúvida que o filme justifica em pleno a ovação que recebeu no FantasPorto, bem como a casa cheia que teve. Realizador/ Director Francisco Bendomir Elenco/ Cast  Andrea Carballo, Javier De Pietro Género/ Genre  Comédia-Comedy Sinopse/ Plot Um ex-namorado pede a um hacker que instale câmaras no apartamento da mulher de modo a saber se ela tem um substituto dele. Mas o que se se segue não é de todo o que ele espera. Andrea finds out that an embarrassing video of her has gone viral. While she contemplates suicide, a hacker hired by her ex-boyfriend watches her anxiously through hidden cameras installed all over her apartment. Credits - Neon

Rating

One of the most fun and extroverted films from this year's FantasPorto selection is called “Una Chica Invisible”. Directed by Francisco Bendomir, this dramatic black comedy about, among other themes, cyberbullying or cyberstalking, takes us on an unpredictable journey through the daily life of a group of unusual characters with whom we ended up having a lot of fun. As FantasPorto describes it, “Una Chica Invisible” is a sign of the vitality of Argentine cinema and, in reality, it's a meaningful description. It's true that Argentine films have already accustomed us to quality and refinement, after all who can forget the still memorable “El Secreto de Sus Ojos”. But it has been in the fantastic genre and in its more extroverted subgenres that Argentine Cinema tends to surprise the viewer, with this work by Francisco Bendomir being another illustrious example. The plot explores serious themes, but it does it in a fun, unexpected and convincing way that plunges us into a melting pot of fantasy and diversity that can only be praised. It's true that there are loose ends and some things that do not always follow the positivist pattern, but there is no doubt that the film fully justifies the standing ovation it received at FantasPorto, as well as the full house it had.


PAG 28

PORTAL CINEMA MAGAZINE

INTERVIEW WITH

BRUNO BINI

O Filme de Encerramento da 40ª Edição do FantasPorto foi o thriller sci-fi brasileiro "Loop", um ambicioso projeto realizado por Bruno Bini. Produzido com o apoio do conceituado cineasta Fernando Meirelles e da popular produtora Globo Filmes, "Loop" conta ainda com um elenco recheado de talentosos atores brasileiros, sendo o mais conceituado Bruno Gagliasso. Mas a grande mente por detrás de "Loop" é Bruno Bini que, para além de realizar este projeto, também escreveu o seu argumento. Como um dos grandes filmes em cartaz do FantasPorto 2020, o Portal Cinema teve que conversar com Bruno Bini para compreender melhor este misterioso projeto e apresentar a Portugal a já sua incrível carreira e a sua enorme paixão pela sétima arte.

"I don't remember a time when movies were not an important part of my life."

The closing film of the 40th Edition of FantasPorto will be the Brazilian scifi thriller "Loop", an ambitious project by Bruno Bini that is causing a lot of curiosity worldwide. Produced with the support of the renowned filmmaker Fernando Meirelles and the popular Brazilian media brand Globo Filmes, "Loop" also has a talented cast of Brazilian actors, the most renowned being Bruno Gagliasso. But the mastermind behind "Loop" is Bruno Bini who, in addition to directing this project, also wrote the script. As one of the great films of FantasPorto 2020, Portal Cinema had to talk to Bruno Bini to better understand this mysterious project and present Portugal to his incredible career and his enormous passion for the world of cinema.

Portal Cinema (PC) – Penso que seja importante começarmos por falar um pouco sobre o seu passado professional. Como surgiu a paixão Credits - Las Chicas del Cable pela Sétima Arte e como entrou nesta indústria?/ I think its important to start by talking a little about your professional background. How did the passion for films arrose and how did you enter this industry? Bruno Bini (BB) - Não me lembro de nenhum momento em que os filmes não fossem uma parte importante da minha vida. Cresci numa cidade pequena, com poucos cinemas, e, por isso, os videoclubes acabaram por se tornar numa solução para consumir cinema. Lembro-me de passar um bom tempo, nessas lojas, a ver títulos e assimilar títulos. Mais tarde, acabei por trabalhar num festival de cinema que era feito na cidade onde morava. Isso foi muito importante, porque estreitou a minha relação com o cinema brasileiro e, de certa forma, desmistificou a minha percepção sobre o que era fazer cinema. Até então, parecia-me uma coisa muito distante, quase inalcançável, mas com o tempo acabei por perceber que era algo que eu poderia ter como opção de carreira. Como não tínhamos cursos de cinema na cidade, acabei por procurar alguns workshops e acabei por me licenciar em publicidade, tendo trabalhado em várias agências, onde passei a criar, e mais tarde a realizar filmes publicitários. Nesse período, exercitei um pouco da produção audiovisual e, com o tempo, consegui escrever e produzir algumas curtas. Mais recentemente, produzi o “Loop”, a minha primeira longa metragem.  in a tournament producing a By arranging games in a regular Hundreds of sports exist, from champion. Many sports leagues season, some thosewith between single so video stores I don't remember a time when movies were not an sports important part offollowed my life. Iingrew up in a small town, few cinemas, make an annual champion. cases by playoffs. contestants through became an outlet. I remember spending a lot of time “panning” titles. Later, I ended up going to work at a film festival that was held in the city. This was very important, because it narrowed my relationship with Brazilian cinema and, in a way, demystified my perception of what it was like to make cinema. Until then, it seemed a very distant thing, almost unattainable, but with time I realized that it was something I could have as a career option. As we didn't have cinema courses in the city, I looked for some workshops and ended up studying advertising, going to work in agencies, where I started to create, and later to direct advertising films. During this period, I did a little bit of production and, over time, I managed to write and produce my shorts. More recently, I produced “Loop”, my first feature.


PORTAL CINEMA MAGAZINE

PAG 29

Loop

PC- De onde surgiu a ideia deste projeto e quais foram as inspirações do mesmo? E o que nos pode contar sobre a sua intrigante premissa?/ Where did the idea for this project come from and what were the inspirations behind it? And what can you tell us about the intriguing premise of this film? BB  - Loop fala de um físico obcecado pela possibilidade de mudar a sua própria história. Inicialmente, o filme surgiu como um exercício narrativo. Escrevi-o como um argumento de curta-metragem, mas acabei por não o filmar. Alguns anos depois, retomei o projeto e a história havia se tornado em algo bem maior e mais complexo. O filme tem inspirações bastante diversas, que vão de Nietzsche, passando por Nolan, Fincher e trazendo tudo isso para um universo bastante realista. Loop talks about a physicist obsessed with the possibility of changing his own story. Initially, the film emerged as a narrative exercise. I wrote it as a short film script, but I ended up not filming it. A few years later, I resumed the project and the story had become something much bigger and more complex. The film has very different inspirations, ranging from Nietzsche, to Nolan, Fincher and bringing all of this to a very realistic universe. PC – E como foi gravar “Loop”? Quais foram os principais desafios que enfrentou para dar vida a este projeto?/ And how was it to record “Loop”? What were the main challenges you faced to bring this project to life?  BB - Criativamente, o maior desafio foi manter a coesão da estrutura narrativa do filme. Alguns pontos e acontecimentos da história se interrelacionam de maneira profunda, embora completamente não-linear. Como eu escrevi o argumento, as coisas sempre foram muito claras para mim, mas para outras pessoas existia o risco de se perderem na história devido à sua complexidade. Para evitar isso, além do enredo, criamos uma linha do tempo, que ajudava a orientar e tirar as dúvidas que pudessem surgir. Também era importante para mim que as teorias de deslocamento espaço-temporal fossem baseadas em estudos reais. Para isso, contamos com a consultoria de especialistas em Física, que ajudaram a criar a teoria que vemos no filme. Enquanto produtores, também tivemos que enfrentar desafios que fugiram do universo audiovisual e tinham mais a ver com o momento político do país. O novo Governo Federal assumiu uma posição de confronto com o setor cultural do país e ano passado a Agência Nacional de Cinema sofreu paralisações que comprometeram a liberação de recursos fundamentais, atrasando em meses a finalização do filme.  Creatively, the biggest challenge of “Loop” was to maintain the cohesion of the film's narrative structure. Some points and events in history are deeply interrelated, though completely non-linear. As I wrote the script, things were very clear to me, but for other people there was a risk of getting lost in the story. To avoid this, in addition to the script, we created a timeline, which helped guide and clear up any doubts that might arise. It was also important for me that theories of space-time displacement were based on real studies. For that, we count on the consultancy of doctors in Physics, who helped to create the theory that we see in the film. As producers, we also had to face challenges that escaped the audiovisual universe and had more to do with the country's political moment. The new Federal Government assumed a confrontational position with the country's cultural sector and last year the National Film Agency suffered shutdowns that compromised the release of fundamental resources, delaying the completion of the film by months.


PORTAL CINEMA MAGAZINE

PAG 30

Loop

PC - Quais são as suas maiores influências nesta área, quer no Cinema Brasileiro, quer no Cinema Mundial?/ What are your biggest influences in this area, both in Brazilian Cinema and in World Cinema? BB - No Brasil, identifico-me com o cinema realizado por Beto Brant, Toni Venturi, Walter Salles e Fernando Meirelles, que é produtor associado de "Loop".  No cinema mundial, mergulho nos filmes de Nolan, Fincher, Iñárritu, Tarantino, Scorcese. In Brazil, I identify with the cinema made by Beto Brant, Toni Venturi, Walter Salles and Fernando Meirelles, who is an associate producer at Loop. In world cinema, I immerse myself in the films of Nolan, Fincher, Iñárritu, Tarantino, Scorcese. PC -  O elenco do filme conta com vários atores de talento reconhecido, nomeadamente Bruno Gagliasso. Como foi trabalhar com este astro e o que, na sua opinião, conseguiu acrescentar ao filme?/ The cast of the film has several actors of recognized talent, namely Bruno Gagliasso. What was it like working with this star and what, in your opinion, did ge add to the film?  BB - Desde que decidiu fazer o Daniel, o Bruno se envolveu tanto que acabou virando produtor associado do filme. Considero ele um dos atores brasileiros mais talentosos da sua geração. O que me impressiona é a versatilidade dele, a capacidade de compor personagens tão diversos. Antes de “Loop”, o Bruno tinha acabado de filmar “Marighella”, onde interpretou um policial profundamente violento. Depois encarou o Daniel, num papel completamente diferente, um intelectual retraído com uma história trágica. Além de muito talentoso, o Bruno tem um enorme compromisso com a história. E isso é essencial quando se trabalha criativamente e coletivamente. Tive um grande privilégio de contar com ele e com um elenco talentoso, que ainda é composto por atores como Branca Messina, Bia Arantes, Nikolas Antunes, Roberto Birindelli e Zécarlos Machado.  Since he decided to make Daniel, Bruno got so involved that he ended up becoming an associate producer of the film. I consider him one of the most talented Brazilian actors of his generation. What impresses me is his versatility, the ability to compose such diverse characters. Before “Loop”, Bruno had just finished filming “Marighella”, where he played a profoundly violent police officer. Then he faced Daniel, in a completely different role, a withdrawn intellectual with a tragic story. Besides being very talented, Bruno has a huge commitment to history. This is essential when working creatively and collectively. I had a great privilege to count on him and a talented cast, who features talented actores like Branca Messina, Bia Arantes, Nikolas Antunes, Roberto Birindelli and Zécarlos Machado. PC – E quanto ao seu futuro, o que podemos esperar do realizador Bruno Bini num futuro próximo? Já tem algum novo projeto em mente?/ And as for your future, what can we expect from director Bruno Bini in the near future? Do you already have a new project in mind?   BB - Nos próximos meses irei gravar uma nova curta com uma história indígena ancestral, anterior à colonização do Brasil. E ainda esse ano estamos planejando gravar o meu novo longa-metragem chamado “Cinco Tipos de Medo”, em coprodução com a Druzina Content e com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual e do Governo do Estado de Mato Grosso.   In the coming months I will be shooting a new short film with an ancestral indigenous history, prior to the colonization of Brazil. And still this year we are planning to shoot my new feature film called “Cinco Tipos de Medo”, in coproduction with Druzina Content and with resources from the Audiovisual Sector Fund and the Government of the State of Mato Grosso.


PAG 31

PORTAL CINEMA MAGAZINE

LOOP Cada vez mais e melhor, o Cinema Brasileiro entra por caminhos pouco trilhados no passado e, cada vez mais, começam a aparecer boas produções dentro do género fantástico. Um desses exemplos é“Loop”, um filme de Bruno Bini  que, após algumas passagens por festivais no Brasil, chegou a Portugal e foi exibido no FantasPorto 2020 com sucesso. Para além de tecnicamente irrepreensível, “Loop” ganha (muitos) pontos graças ao seu elenco. Na pele do complexo Daniel, Bruno Gagliasso dá, como se diz no Brasil, um autêntico show. Uma grande performance deste competente ator já conhecido das Novelas da Globo, mas que nos últimos anos tem também tido grandes papeis no cinema e este é mais um deles. O aspecto menos conseguido de “Loop” é o seu argumento. E não se quer com isto dizer que seja mau, mas perante a qualidade dos restantes acaba por ficar aquém. Ainda assim, Bini e a sua Equipa estiveram muito bem e apresentam algo do qual se podem orgulhar. E, acima de tudo, têm aqui uma grande base para um futuro promissor.

Realizador/ Director Bruno Bini Elenco/ Cast  Bruno Gagliasso, Bia Arantes, Branca Messina Género/ Genre  Sci-Fi Sinopse/ Plot Quando se viaja no tempo, há riscos inesperados. Para Daniel, as coisas podem acabar em pesadelo. Daniel, a physicist, becomes obsessed with time travel in an attempt to save his murdered girlfriend.

Credits - Neon

Rating

The Brazilian Cinema is entering paths that have not been trodden in the past and with that better productions within the fantastic genre begin to appear. One such example is “Loop”, a film by Bruno Bini that, after a few stints at festivals in Brazil, arrived in Portugal and was screened at FantasPorto 2020. In addition to being technically irreproachable, “Loop” gains (many) points thanks to its cast. As Daniel, Bruno Gagliasso gives, as they say in Brazil, an enormous show. It's a great performance by this competent actor already known from his tv work, but in recent years he also had great roles in cinema and this is his latest success. The least accomplished aspect of "Loop" is its script. And this is not to say that it is bad, but in comparison with the quality of the other elements it ends up falling short. Still, Bini and his team did very well and have here something to be proud of. Above all, they have a great basis for a promising future.


MOVIE CLASSICS


PAG 33

PORTAL CINEMA MAGAZINE

RAGING BULL Inspirado nas memórias do ex-boxeur, campeão de peso-médio, Jake La Motta, o filme foi uma proposta de De Niro a Scorsese e um papel a que se entregou completamente, tendo chegado a engordar 27 Kg para representar a personagem depois da reforma. O filme não é fiel às memórias do pugilista, é antes uma obra sobre a vida de um homem que, segundo o realizador, “lutou como se não merecesse viver”. Extraordinariamente animalesco no modo como luta e vive a sua vida pessoal, passando por dois casamentos e três filhos, La Motta vivia dividido entre o seu talento inato e brutal e os ciúmes doentios da sua estonteantemente bela mulher. O filme tem uma estrutura circular, desde o início onde vemos um gordo e acabado LaMotta a recitar poesia, passando por todas as épocas da sua vida, sempre acompanhadas por uma banda sonora fiel às épocas em questão, para terminar com o período final da sua carreira, agora como entertainer num bar. O filme recebeu o Óscar de Melhor Actor Principal pela excelente interpretação de Robert De Niro e o de Melhor Montagem para Thelma Schoonmaker, tendo sido nomeado para outros seis que não recebeu.

Realizador/ Director Martin Scorsese Elenco/ Cast  Robet De Niro, Cathy Moriaty, Joe Pesci Género/ Genre  Drama Sinopse/ Plot A vida do pugilista Jake LaMotta, cuja violência e temperamento levaram-no ao topo do ringue e destruíram a sua vida fora dele. The life of boxer Jake LaMotta, whose violence and temper that led him to the top in the ring destroyed his life outside of it.

Credits - Neon

Rating

Inspired by the memories of the ex-boxer, middleweight champion, Jake La Motta, the film was a proposal from De Niro to Scorsese and a role to which he gave himself completely, having even put on 27 kg to represent the character after the reform . The film is not true to the boxer's memories, it is rather a work on the life of a man who, according to the director, “fought as if he did not deserve to live”. Extraordinarily animalistic in the way he fights and lives his personal life, going through two marriages and three children, La Motta lived divided between his innate and brutal talent and the sickly jealousy of his stunningly beautiful wife. The film has a circular structure, from the beginning where we see a fat and finished LaMotta reciting poetry, going through all the seasons of his life, always accompanied by a soundtrack faithful to the seasons in question, to end with the final period of his career, now as an entertainer in a bar. The film received the Oscar for Best Leading Actor for the excellent performance by Robert De Niro and Best Editing for Thelma Schoonmaker, having been nominated for six others that did not.


PAG 34

PORTAL CINEMA MAGAZINE

THE SHINING Actualmente, "The Shining" é visto como um épico-clássico do cinema de terror, mas quando foi lançado em 1980 recebeu inúmeras críticas negativas por parte de vários meios de comunicação que não aceitaram muito bem vários aspectos técnicos e narrativos do filme, como por exemplo, o facto do ritmo da história ser demasiado lento para um filme de terror. A realização de Stanley Kubrick é pautada por um excelente trabalho de câmara e por uma grande habilidade em criar e semear o pânico através do negro ambiente do hotel. O objectivo do cineasta sempre foi incutir um ritmo lento à história que, através de várias pistas e insinuações, prepara o espectador para a excitante conclusão do filme. A verdadeira beleza desta obra não está portanto na violência, mas sim na sua quase inexistência, porque à excepção dos momentos finais, somos constantemente confrontados com múltiplas cenas onde o que é mais importante é o estado psicológico e a análise da mentalidade das personagens. "The Shining" é um filme de terror diferente e pouco usual que criou novos caminhos dentro do género. O legado desta obra é impressionante e condiz perfeitamente com a sua qualidade épica, fruto de vários elementos incríveis que fizeram deste filme um autêntico clássico do século XX.

Realizador/ Director Stanley Kubrick Elenco/ Cast  Jack Nicholson, Shelley Duvall Género/ Genre  Terror-Horror Sinopse/ Plot Uma família vai para um hotel isolado para passar o Inverno, onde uma presença sinistra influencia o pai, enquanto o seu filho psíquico tem pressentimentos horríveis do passado e do futuro. A family heads to an isolated hotel for the winter where a sinister presence influences the father into violence, while his psychic son sees horrific forebodings from both past and future. Credits - Neon

Rating

Currently, "The Shining" is seen as an epic-classic of horror cinema, but when it was released in 1980 it received numerous negative reviews from various media that did not accept very well various technical and narrative aspects of the film, such as the fact that the pace of the story is too slow for a typical horror film. Stanley Kubrick's directing is characterized by excellent camera work and a great ability to create and sow panic through the black environment of the hotel. The filmmaker's aim has always been to instill a slow rhythm in the story which, through various clues and hints, prepares the viewer for the film's exciting conclusion. The real beauty of this work is therefore not in the violence, but in its almost nonexistence of action, because with the exception of the final moments, we are constantly faced with multiple scenes where what is most important is the psychological state and the analysis of the characters' mentality. "The Shining" is a different and unusual horror film that has created new paths within the genre. The legacy of this work is impressive and perfectly matches its epic quality, the result of several incredible elements that made this film an authentic classic of the 20th century.


FILM SPECIALS


PORTAL CINEMA MAGAZINE

PAG 36

I Am Legend

5 AMAZING FILMS ABOUT PANDEMICS AND VIRUS O mundo está em alvoroço com notícias sobre o novo coronavírus que, até à data, já matou mais de 5000 pessoas em todo o mundo. Este é apenas o último caso de supervírus que, nos últimos anos, têm aparecido nas notícias e que são sucessores dos grandes vírus que, no passado, mataram milhões e ainda fazem parte do nosso quotidiano, como a peste, o HIV ou a gripe. É claro que Hollywood e o Cinema não são imunes a este tema que capta tanto interesse global e, por isso, não é de estranhar que existam por aí muitos filmes sobre esta temática. Neste espírito, o Portal Cinema elaborou uma lista com cinco filmes deste género que englobam os vários tipos e subgéneros desta temática. É certo que uns são considerados um pouco mais sérios, ao passo que os outros são mais fantasiosos, mas todos foram elogiados. The world is in an uproar with news about the new coronavirus that, to date, has killed more than 5000 people. This is just the last case of superviruses that, in recent years, have appeared in the news and are successors to the great viruses that, in the past, killed millions and are still part of our daily lives, such as the plague, HIV or the influenza flu. It is clear that Hollywood and Cinema are not immune to this theme that captures so much global interest and, therefore, it is not surprising that there are many films out there on this theme. In this spirit, Portal Cinema prepared a list with five films of this genre that encompass the various types and subgenres of this theme. It is true that some are considered a little more serious, while others are more fanciful, but all were praised.


BLINDNESS

CONTAGION

I AM LEGEND

OUTBREAK

WORLD WAR Z


PORTAL CINEMA MAGAZINE

PAG 38

Sonic: The Hedgehog

5 AMAZING VIDEOGAME ADAPTATIONS A adaptação do famoso videojogo do Sonic, um dos maiores clássicos da SEGA, está a ser um sucesso nas bilheteiras mundiais, mas especialmente em Portugal, onde se mantém desde a sua estreia no topo do BoxOffice Nacional! Neste artigo, o Portal Cinema recorda 5 boas adaptações cinematográficas de famosos videojogos.

The adaptation of the famous Sonic video game, one of SEGA's greatest classics, is being a success at the worldwide box office, but especially in Portugal, where it has remained since its debut at the top of the National Box-Office! In this feature, Portal Cinema recalls 5 good cinematographic adaptations of famous video games.


SONIC THE HEDGEHOG

POKEMON: DETECTIVE PIKACHU

RESIDENT EVIL

LARA CROFT: TOMB RAIDER

FINAL FANTASY: THE SPIRITS WITHIN


Portal Cinema - All Rights Reserved Website - www.portal-cinema.com Any Problems? Contact Us at portalcinemapt@gmail.com Image Credits Are Stated Below Each Image 

Profile for portalcinemapt

Portal Cinema Magazine - Março 2020  

Numa época em que o Mundo está a enfrentar uma grande crise de saúde pública, algo que obrigou milhares de pessoas em ficarem em quarentena,...

Portal Cinema Magazine - Março 2020  

Numa época em que o Mundo está a enfrentar uma grande crise de saúde pública, algo que obrigou milhares de pessoas em ficarem em quarentena,...

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded