Page 1

IMPRESSO Boletim informativo do Colégio Evangélico Alberto Torres – Lajeado/RS – Ano 18 – nº 66 –MAIO de 2017

CEAT COMEMORA

125 ANOS DE

COMPROMETIMENTO COM A EDUCAÇÃO DO VALE DO TAQUARI Mais de 20 estudantes iniciaram o ano participando de intercâmbios Trabalho de alunos do CEAT é finalista da 15ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia

Unidade Região Alta sedia Encontro de Lideranças Estudantis

Educação Infantil Ensino Fundamental Ensino médio Ensino Técnico


A história faz muitas voltas! Já tivemos muitas promessas de felicidade e realização humana propostas por ideologias, por avanços tecnológicos e até o sonho de preservar o corpo humano eternamente sem decomposição. Muitos resultados bons têm ajudado a melhorar as condições de vida do ser humano, mas ainda existe uma angústia na alma do ser humano. Isto aqui é tudo? O que dá sentido à nossa existência, trabalho e esforço? A “espiritualidade” está em alta nas suas diversas manifestações, algumas extremistas, individualistas, descomprometidas ou utilitaristas. O ser humano busca sentido para a vida! Não há como escapar dessa busca: ela clama dentro de cada um. A espiritualidade cristã, baseada nos ensinamentos do evangelho de Jesus Cristo na ótica de Martim Lutero, oferece, de uma forma simples e profunda, uma compreensão da vida que perpassa cada momento, cada atividade, cada fibra de nosso ser integral. Lutero disse certa vez, “Se cada qual servisse ao seu próximo, o mundo inteiro se encheria da adoração de Deus. Tanto o camarada que trabalha no curral como o menino que estuda na escola servem a Deus.” (Pérolas para o seu cotidiano- p. 22, editora Otto Kuhr). Lutero lembra que o nosso cotidiano - nosso trabalho limpando a casa, tratando os animais, desenvolvendo softwares, administrando empresas, tratando da saúde, estudando e pesquisando, produzindo bens, cozinhando - tem um propósito e sentido que transcende ou vai além do mero salário ou gozo de algum prazer. A espiritualidade cristã vê que temos um propósito último na vida que é adorar/agradar nosso Criador! E fazemos isso também, e em especial, fazendo o bem aos outros! Nossa compreensão do sentido espiritual de nossa existência dá o embasamento para tudo que fazemos. Que libertação! Que alegria! Quanto prazer em saber que tudo que faço coopera para algo maior. E isto não é para “conquistar Deus”, pois não precisamos. É fruto da compreensão de que toda a vida é um grande presente! Talvez aqui tenhamos uma pergunta. Como posso perceber esse sentido no meu cotidiano? Como alguém que trabalha num escritório de contabilidade ou fábrica pode

Expressão é o boletim informativo do Colégio Evangélico Alberto Torres – CEAT. CEAT Lajeado - Rua Alberto Torres, 219 – CEP 95900000 – Lajeado/RS. Telefone: (51) 3748-7000. CEAT Região Alta – Avenida General Daltro Filho, 996 - CEP 95735-000 – Roca Sales/ RS. Telefone :(51) 3753-2211 E-mail: imprensa@ceat.net www.facebook.com/ColegioEvangelicoAlbertoTorresa

servir ao próximo? Estudar na escola/faculdade é serviço? Vejamos que tudo pode ser feito com um embasamento mais profundo. Tudo isso também são formas de usar bem nosso tempo para algo bom que engrandece nosso Criador. Lutero entendia que a motivação por detrás e a forma de realizar o estudo e trabalho, fazem a diferença. Então, se faço bem, com o objetivo de melhorar a vida do meu semelhante, estou fazendo algo que engrandece a Deus e faz bem ao outro. Sou um médico que cuida bem das pessoas, sou um empreendedor que cria oportunidades de trabalho, sou um pedreiro que constrói bem, um mecânico confiável, um comerciante justo, um músico inspirador,...! Em nosso tempo pós-moderno, cercados por novidades, por descobertas e também crises existenciais, podemos construir vidas que têm fundamentos sólidos e duradouros. Esse fundamento vem de fora, extra nós, e perpassa o nosso cotidiano ligando tudo o que fazemos ao divino e eterno! Eis um dos grandes legados da Reforma Luterana. Eis um convite para vivermos isso em pleno século XXI. Eis um convite para termos coragem de encher o vazio e a angústia com uma espiritualidade amorosa e misericordiosa mostrada em Cristo Jesus.

Soli Deo glória. Junto na caminhada, Pastor Eric P. Nelson

Diretor: Rodrigo Maurício Ulrich Redação: Josiane Martini Revisão: Lilian Jung Spohr Editoração: GPS Propaganda Tiragem: 1,7 mil exemplares Impressão: Gráfica Lajeadense.

WWW.CEAT.NET

2 | Jornal


Unidade Região Alta sedia Encontro de Lideranças Estudantis Quarenta alunos estiveram no CEAT Região Alta para participar do Encontro de Lideranças Estudantis das escolas da Região Centro da Rede Sinodal de Educação. Integraram o evento as palestras: Liderança empresarial, com o empresário Ricardo Fontana; Desenvolvimento de competências, com a psicóloga Adriana Pivatto; e Características de liderança em Martinho Lutero, com o pastor Eric Nelson. Oficinas, meditações e momentos de integração também fizeram parte da programação do Encontro.

Sete alunos do CEAT participaram do evento: Bianca Formentini, Leonardo Augusto Rasche, Lucas Garcia Ganasini e Luiz Felipe Camargo Benato representaram o CEAT Região Alta. Da Unidade Lajeado participaram os estudantes Gabriel Blini Goulart do Nascimento, Luiza Ramos Colpo e Ana Luisa Pretto.

Jornal

 | 3


Atividades Optativas

Atividades optativas são alternativa para estudantes no turno inverso às aulas Além de todas as possibilidades de aprendizado oferecidas pelo CEAT durante o turno regular das aulas, os alunos têm a oportunidade de agregar conhecimento participando das atividades optativas oferecidas em ambas as unidades do colégio. As opções envolvem diversas áreas do conhecimento, como artes, ciências, esportes, línguas estrangeiras e voluntariado.

Fábrica de Ciências Ampliar e aprofundar o conhecimento das ciências naturais e incentivar projetos sustentáveis e de inclusão são os objetivos da Fábrica de Ciências. Desde 2014, o professor Luis Galileu Tonelli auxilia alunos da 3ª série do Ensino Fundamental à 3ª série do Ensino Médio em pesquisas e atividades práticas. A iniciativa é oferecida a estudantes de ambas as unidades do CEAT. Diversos trabalhos desenvolvidos na Fábrica de Ciências já integraram eventos como a Feira de Ciências da Univates, a Mostratec, feira internacional de ciências e tecnologia, e a Febrace, Feira Brasileira de Ciências e Engenharia.

CEAT Social Identificar, compreender e contribuir para a transformação de vidas são os objetivos do CEAT Social, atividade optativa oferecida aos estudantes de 5ª à 9ª série desde 2015. A ação coordenada pelas professoras Susane Elise Giongo, em Lajeado, e Ana Cristina Kirchheim, na Unidade Região Alta, reúne os alunos com a proposta de que os estudantes se tornem agentes de transformação, participando de ações solidárias a partir da identificação e compreensão do cotidiano e do contexto.

4 | Jornal


Trabalho de alunos do CEAT é finalista da 15ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia Um estudo desenvolvido por três alunos do CEAT para o Projeto Aluno Pesquisador foi escolhido como finalista da 15ª edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia - Febrace. O trabalho “Análise de propriedades da erva daninha Portulaca Oleracea na redução da acne” foi desenvolvido pelos estudantes Peterson Haas, João Pedro Müller Lima e Júlia Schneider, sob a orientação do professor Luis Galileu Gall Tonelli. O aluno Peterson Haas e o docente estiveram na Universidade de São Paulo, em março, onde o projeto foi apresentado. Os objetivos da feira são de “estimular novas vocações em Ciências e Engenharia através do desenvolvimento de projetos criativos e inovadores; aproximar as escolas públicas e privadas das Universidades, criando oportunidades de interação espontânea entre os estudantes e professores das escolas com a comunidade universitária (estudantes, professores, funcionários), para uma melhor compreensão dos papéis das universidades em Ensino, Pesquisa, Cultura e Extensão; criar uma oportunidade para jovens pré-universitários brasilei-

ros entrarem em contato com diferentes culturas e estarem próximos de reconhecidos cientistas”.

A participação na Febrace rendeu a seleção para participar do “13º Concurso de Proyectos Empresariales, Ciencia, Tecnologia e Innovación 2017”, promovido pela República do Equador por iniciativa da Cooperativa de Ahorro y Crédito “Cámara de Comercio de Ambato” e o Programa Aprender a Empreender.

Jornal

 | 5


CEAT tem ações especiais para receber os alunos novos Uma boa recepção e adaptação à nova escola faz parte das preocupações do CEAT com os estudantes novos. Durante os primeiros dias de aula, os alunos ingressantes em 2017 das Séries Finais e do Ensino Médio se reuniram com integrantes da Orientação Educacional e da Equipe Pedagógica para receberem informações gerais e tirarem dúvidas. Estudos de adaptação

Reunião com os estudantes novos

Cada um deles é apadrinhado por um estudante veterano que tem a tarefa de contribuir para a melhor adaptação. Além disso, os alunos novos do CEAT têm a oportunidade de aperfeiçoar seus conhecimentos nas línguas alemã e inglesa através dos estudos de adaptação. A atividade é adicional às aulas regulares.

Quatro colaboradores representam o CEAT em Encontro Nacional de Equipes Pedagógicas

Reunião com os padrinhos dos alunos ingressantes

6 | Jornal

Integrantes da Equipe Pedagógica de ambas as unidades do CEAT estiveram no Rio de Janeiro, em abril, onde participaram de encontro nacional promovido pela Rede Sinodal de Educação. A coordenadora pedagógica geral e vice-diretora na Unidade de Lajeado, Rosângela Von Muhlen Maciel, e os coordenadores do Ensino Fundamental da Unidade Lajeado, Lisneia Schrammel, da Educação Infantil e do Ensino Fundamental da Região Alta, Graciela Funk, e do Ensino Médio do CEAT Região Alta, Luis Galileu Tonelli, participaram de palestras e debates envolvendo a gestão pedagógica nas escolas e visitaram cinco colégios. Ao todo, representantes de 37 escolas participaram do evento.


Dia da Família integra a comunidade escolar Todos os anos, o CEAT promove o Dia da Família: uma manhã voltada à integração, reunindo alunos, pais, familiares, professores e equipe pedagógica. Em 2017 não foi diferente! O evento foi realizado na Unidade Lajeado e contou com ginástica, dança e brincadeiras, além da apresentação cultural do grupo Metamorfose Multishow. Na Unidade Região Alta o evento foi adiado em função do mau tempo no dia previsto no calendário escolar.

Jornal

 | 7


Nome da turma fortalece vínculos afetivos na Educação Infantil Todas as turmas do Nível 2 ao Nível 5 de ambas as unidades do CEAT têm um nome que as identifica. A escolha do adjetivo ou do objeto que simboliza o grupo cria e fortalece os vínculos afetivos, aproximando as crianças e os professores. A escolha do nome de cada turma é realizada em conjunto com o objetivo de encontrar algo que seja importante, que caracterize e estabeleça relações com o grupo, buscando uma identidade para a turma. Além disso, essa dinâmica permite novas investigações, aguçando a curiosidade e permitindo a construção do conhecimento em grupo.

Festa celebra o primeiro caderno dos alunos da 1 a série do Ensino Fundamental Um momento tão especial como a chegada do primeiro caderno da vida escolar precisa ser comemorado com festa. Pensando nisso, anualmente o CEAT prepara a Festa do Caderno para os estudantes da 1ª série do Ensino Fundamental.

Neste ano, antes da festa, um mistério intrigou as crianças: o sumiço dos cadernos novinhos. Nos armários das turmas restaram apenas os convites para a festa. No dia e hora marcados, o mistério foi esclarecido: o 8 | Jornal

Ceatinho, mascote do CEAT, apareceu e contou que levou os cadernos para a “Alfabetolândia”. Ele os devolveu para os alunos cheios de surpresas, como a mensagem enviada pelos pais que estava colada no caderno. Para a entrega, o Ceatinho contou com o auxílio dos estudantes da 4ª série. Cada aluno apadrinhou uma criança da 1ª série e deixou uma cartinha especial. Após a entrega dos cadernos, todos confraternizaram com um lanche.


Quando a gente brinca com ideias e pensamentos, é aula de quê? Você já sentiu um sentimento chamado Natal? Como é medido o tempo quando não é o tempo do relógio? Como é pensar? Tem jeito de os outros saberem sobre o que a gente está pensando sem a gente falar? Como é conviver? As perguntas que iniciam este texto foram pescadas em conversas que aconteceram nas salas de aula das Séries Iniciais neste tempo de início de ano letivo, tempo em que cada turma se dedicou à construção de sua identidade. O espaço para esses diálogos, as vivências que os emanam e o significado dessas experiências de pensamento estão sendo tema da formação continuada dos professores em 2017. O estudo está sendo mediado pelo filósofo Sérgio Sardi, professor da PUCRS, membro do Grupo de Trabalho Filosofar e Ensinar a Filosofar e do Grupo de Pesquisa Cabeça de Criança, idealizador e fundador da Olimpíada de Filosofia com Crianças, sendo coordenador e consultor de diversas de suas edições. A Filosofia com Crianças não é uma disciplina ou atividade relacionada a um saber específico, mas um questionar-se constante sobre como sentimos o mundo e a nós mesmos. Assim, estamos ainda mais atentos e sensíveis diante da mistura de admiração e curiosidade intrínsecos à infância, próprios de quem permite se maravilhar pela sensação de perceber pela primeira vez. Segundo Sardi, aprender a filosofar consiste em um processo gradativo, relacionado não só ao desenvolvimento de todas as habilidades cognitivas, mas a um aprendizado emocional, pois exige um reexame contínuo de tudo aquilo que já sabemos. Filosofar exige aprender a "pôr entre parênteses" o já sabido, para avançar no caminho do conhecimento. Ao nos dedicarmos ao estudo e à vivência da Filosofia com Crianças, o CEAT deseja estimular as crianças a formularem suas próprias questões, a perguntar sentindo a profundidade e a novidade dos problemas, para desejar realmente saber, saber com profundidade, saber com sentido. É um pensar que ultrapassa as palavras, os números e as siglas, chegando às coisas mais misteriosas, reinventando o caminho entre a pergunta e a resposta. Brincando com as ideias e os pensamentos, estamos aprendendo a escutar ainda mais as crianças, a reinventar as perguntas, a pensar sobre o próprio pensamento, sobre o sentir... Com isso, nossos itinerários estão cada vez mais sensíveis à beleza e à intensidade de estar e pensar com as crianças. Lisnéia Schrammel Coordenadora da Ensino Fundamental do CEAT Lajeado

Na 4ª série A, a professora Maria da Glória Munhoz Roos propôs a leitura em conjunto do livro Selma, escrito por Jutta Bauer, com o objetivo de sensibilizar as crianças para que possam ver a felicidade no dia a dia. A turma também estudou os tempos dos gregos Cronos, Aion e Kairos – e aprendeu que o tempo não é verificado apenas com números. Além disso, os alunos assistiram ao curta-metragem Sentimentário, de Caio Mazzilli, e criaram o “sentimentário” da turma, onde cada criança deu o seu significado a uma palavra. O livro está sendo levado para casa e os pais podem ler e deixar uma mensagem no final.

A filosofia também já integra as aulas da 4ª série B, da professora Lizete Krombauer. A arte da convivência foi o tema do primeiro trabalho realizado com os alunos. A partir das palavras o grupo fez uma reflexão coletiva, onde todos puderam expor suas ideias. A turma concluiu que para conviver é preciso tolerância, paciência, respeito e colaboração e percebeu que existem “palavras mágicas” que podem auxiliar nos relacionamentos, como: por favor, com licença e obrigado. O objetivo da proposta foi de que os alunos se sentissem como parte de um grupo e entendessem as diferenças existentes entre todos.

Jornal

 | 9


~

CEAT comemora 125 anos de comprometimento com a ~ educacao do Vale do Taquari No dia 15 de janeiro de 2017, o Colégio Evangélico Alberto Torres CEAT comemorou 125 anos de história. A escola mais antiga que permanece em atividade no Vale do Taquari tem apenas um ano a menos do que a sua cidade-sede, Lajeado. Ao longo do tempo, a escola comunitária fundada por imigrantes alemães cresceu com o município, sempre comprometida em educar os cidadãos do Vale do Taquari. Atualmente, a Unidade Lajeado atende mais de mil alunos e o CEAT Região Alta, fundado em 2011, em Roca Sales, recebe cerca de 300 estudantes. Ambas as unidades do colégio atendem crianças desde os quatro meses, oferecendo, Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. Além disso, desde 2015 é oferecido o Curso Técnico em Enfermagem. O CEAT é uma das mais de 50 instituições de ensino vinculadas à Rede Sinodal de Educação. O diretor geral, Rodrigo Ulrich, lembra que “comemoramos mais de um século de história contribuindo com o desenvolvimento de Lajeado e região do Vale do Taquari participando da formação de pessoas capacitadas, qualificadas e engajadas na sociedade a que pertencem. Essas conquistas e esses resultados nos animam a seguirmos de modo participativo, fazendo valer a afirmação de Lutero de que quando uma escola progride tudo progride. Para isso é fundamental contar com colaboradores que vestem a camiseta, com alunos comprometidos com o estudo e pais que reconhecem educação como 10 | Jornal

um investimento”. O colégio conta com cerca de 150 colaboradores que atuam nas equipes pedagógica, docente, de auxiliares e monitores e administrativa.

Missão Promover educação de qualidade, conhecimento, cultura e inovação com excelência nos processos pedagógicos e alicerçada nos princípios cristãos. Visão Ser um centro de excelência educacional em conhecimento, cultura e convivência. Princípios e valores - Estudo - Autonomia - Comprometimento - Postura ética - Solidariedade - Valorização da vida - Visão crítica


´ do colegio ´ A historia O CEAT é uma escola comunitária, de confissão luterana, cuja fundação deu-se sobre pilares como a fé cristã, o conhecimento das ciências, a disciplina do trabalho, a organização, a valorização do ser humano e a cultura. A fundação do colégio ocorreu com a chegada dos imigrantes alemães evangélicos em Lajeado. Os habitantes identificaram a necessidade de educar seus filhos, criando assim uma escola primária comunitária, a Escola Paroquial Evangélica. A abrangência regional do colégio é registrada desde as primeiras décadas de funcionamento, abrigando, inclusive, um internato por cerca de sete décadas para melhor atender os alunos vindos de outras cidades.

O nome Ao longo da história, o Colégio Evangélico Alberto Torres teve muitas denominações, sendo a atual implementada em 1941, época em que o presidente Getúlio Vargas baixou um decreto exigindo que as escolas brasileiras tivessem um nome de santo ou de uma personalidade nacional. O diretor da escola, na época, professor Theobaldo Dick, junto à diretoria, alterou a denominação de Colégio Lajeadense para Colégio Evangélico Alberto Torres. A escolha foi uma homenagem ao intelectual Alberto Seixas Martins Torres (1865-1917). Formado em Direito, ele foi líder na constituinte do Rio de Janeiro, deputado federal da primeira Legislatura Federal e Ministro do Interior em 1896, no governo de Prudente de Morais. Alberto Torres exerceu diversos cargos políticos e escreveu várias obras. Dentre elas destacam-se: Em Direção à Paz (1901), O Problema Mundial (1913), O Problema Nacional (1914) e A Organização Nacional (1914). Uma de suas frases mais conhecidas é “Começa-se a morrer quando se deixa de ter aspirações”.

´ Obras literarias relacionadas ao CEAT Livro Histórias Entrelaçadas A obra reúne depoimentos de 95 colaboradores e excolaboradores do CEAT. As passagens retratam a história da evolução da educação no Vale do Taquari. O livro, lançado em 2014, é fruto dos encontros e reencontros que aconteceram nos festejos de 120 anos da escola, em 2012. A organização é da professora Susane Elise Giongo. A obra é uma forma de valorizar a educação e dar voz a pessoas que contribuíram para a desenvolvimento educacional. A contracapa foi escrita pelo jornalista Alexandre Garcia, ex-aluno da escola.

Livro Colégio Evangélico Alberto Torres – Memórias e Histórias Silvana Rossetti Faleiro – Professora A obra foi lançada em 2005. Livro 70 Anos de Ensino Privado Armindo Frederico Haetinger – Diretor do CEAT entre 1950 a 1982 Livro E as nossas crianças? Friedhold Altmann – Diretor do CEAT entre 1950 a 1982 Livro A Roda: Memórias de um Professor Friedhold Altmann – Diretor do CEAT entre 1950 a 1982

Jornal

 | 11


Internacional

Mais de 20 estudantes participaram de intercâmbios em janeiro Aperfeiçoar os conhecimentos nas línguas alemã e inglesa e conhecer novos lugares e culturas foram os objetivos de 21 alunos do CEAT que viajaram para a Alemanha e o Canadá em janeiro. Durante cerca de um mês, os intercambistas viveram na casa de famílias locais, estudaram e participaram de passeios, atividades culturais e de lazer.

Dezessete alunos viveram por cerca de um mês na cidade alemã de Freiburg. O grupo, formado também por quatro estudantes de outras escolas, foi acompanhado pela professora Roseli Kussler e um representante da agência que promove o intercâmbio.

Outros três alunos e a docente Maria Regina Schroeder estiveram em Otawa com mais 29 estudantes e dois docentes. 12 | Jornal

A aluna Ana Carolina Juchum ganhou uma bolsa de estudos da Rede Sinodal de Educação. Ela e mais quatro estudantes passaram um mês em Nürnberg. Para concorrer à bolsa, Ana Carolina foi escolhida pelo CEAT pelo seu bom desempenho nas provas de proficiência em língua alemã. “Através da bolsa de estudos fornecida pela Theo-Münch-Stiftung, tive a oportunidade de conhecer um lugar incrível, a Alemanha. Durante a viagem, frequentei a Wilhelm-Löhe-Schule, em Nürnberg, e fiquei hospedada na casa de duas famílias que me receberam de braços abertos e sempre se mostravam solidárias e dispostas a me ajudar. Todos os passeios, viagens, o aperfeiçoamento e segurança na hora de falar a língua ou o simples fato de cozinhar lá, mostraram-me que devemos aprender e vivenciar novas culturas e que precisamos rechear nossas vidas com as mais belas partes do mundo. As experiências obtidas serão aprendizados para o resto da vida”. Ana Carolina Juchum


Internacional Estudante do Ensino Médio é selecionado para curso na Universidade de Stanford O aluno da 3ª série do Ensino Médio da Unidade Lajeado, Giácomo Rabaiolli Ramos, foi selecionado para um programa de verão na Universidade de Stanford, uma das mais renomadas instituições de ensino do mundo, situada no Vale do Silício, Califórnia, Estados Unidos. O curso Relações Internacionais: A Ética da Guerra será oferecido em julho, com duração de três semanas. Apesar de ter conquistado uma bolsa de estudos integral para o curso, o aluno ainda precisa custear os gastos com passagens, passaporte e vistos. Quem desejar contribuir com a viagem de estudos pode entrar em contato pelo e-mail giacomo321@hotmail.com. “A notícia de que fui selecionado para estudar Relações Internacionais em um programa de verão na Universidade de Stanford me deixou atônito. Ainda não parece real que conviverei com professores renomados e alunos de todo o mundo em uma universidade de tal porte durante três semanas, onde discutirei sobre um assunto tão presente na sociedade contemporânea: a Ética da guerra. Para mim, esse é o primeiro passo rumo a uma futura carreira na diplomacia e ao grande sonho de me graduar no exterior. Quando releio as cartas de aprovação e de concessão de bolsa integral para o programa, lembro que todo o esforço e apoio que recebi durante o processo foram imprescindíveis. Agora devo organizar as malas, arrecadar fundos para a viagem, e ler sobre o Direito Internacional.” Giácomo Rabaiolli Ramos

Conhecimento em língua alemã leva ex-aluna do CEAT a estudar em universidade da Alemanha

Morando no país europeu desde fevereiro, Laura conta que estuda com aproximadamente 20 alunos de diferentes países, como Colômbia, Venezuela, Jordânia, Indonésia e Vietnã, além de brasileiros. “As aulas são todas em alemão e, como estou fazendo o T-Kurs direcionado para a área das exatas, as matérias são alemão, matemática, física, química e informática. As experiências até agora vividas foram muito boas e Darmstadt é uma ótima cidade, com boa localização. Conviver com pessoas de diferentes países também é interessante, pois estou conhecendo outras culturas, não só a alemã”. Laura foi selecionada para ingressar no Studienkolleg, primeiro ano do ensino superior na Alemanha, ainda quando cursava a 3ª série do Ensino Médio, em 2016. Para conquistar a vaga, ela prestou a prova Zentralen Aufnahmeprüfung der Studienkollegs. Alunos e ex-alunos do CEAT podem participar dessa seleção feita pela Coordenação do Ensino da Língua Alemã em Porto Alegre, desde que tenham aprovação no nível B1 de proficiência. A oportunidade se deve ao fato de o CEAT ser uma escola PASCH, parceira para o futuro.

Músicas e brincadeiras fizeram parte das primeiras aulas de língua alemã dos alunos de 1ª e 2ª séries do Ensino Fundamental do CEAT Lajeado. O trabalho está sendo desenvolvido pela professora Janete Hachtel Tatsch. A inclusão do ensino de língua alemã nas turmas de 1ª e 2ª séries é uma das novidades de 2017 da Unidade Lajeado. Além disso, os alunos da 8ª e 9ª séries de ambas as unidades têm, desde o início do ano, uma hora/aula semanal a mais de língua alemã e de língua inglesa.

A língua alemã integra o currículo dos alunos do CEAT no Ensino Fundamental e pode continuar a ser estudada durante o Ensino Médio, se essa for uma opção do estudante. O conhecimento do idioma e a aprovação nas provas de proficiência levaram a ex-aluna Laura Nyland Jost a ingressar em uma universidade alemã. Jornal

 | 13


Adolescência e Álcool: tema que precisamos abordar Imagine qual cena aparece em sua mente se lhe for solicitado criar uma imagem que mais bem defina as palavras descontração e comemoração. Provavelmente muitas pessoas irão imaginar uma cena em que o álcool esteja presente ou implícito. Os momentos sociais invariavelmente estão relacionados ao álccol em nossa sociedade. Isso, por si só, não acarretaria maiores transtornos em se tratando de adultos, porém não é isso o que vemos em escalas cada vez mais alarmantes quando se trata de crianças e adolescentes. Associar descontração e comemoração ao álcool tem sido feito cada vez mais precocemente. Os momentos festivos dos adolescentes invariavelmente são regados aos altos volumes de álcool e trazem consequências talvez ainda não totalmente mensuráveis, mas sobre os quais já temos alguns dados. O CEAT e outras escolas do Rio Grande do Sul encontram-se sensibilizados e engajados nos movimentos de enfrentamento da situação alarmante que temos verificado em relação ao uso de álcool por crianças e adolescentes, especialmente em momentos comemorativos, como festas e formaturas. Nos trabalhos que se tem desenvolvido, nosso esforço parte de prestar informações. Esse deve ser o ponto de partida. No início do ano, na reunião de pais dos alunos do Ensino Médio, foi distribuído um folder informativo para que pais tomassem conhecimento e levassem para suas casas reflexões sobre os riscos físicos, psíquicos, comportamentais e legais implicados no uso do álcool e no fornecimento de álccol a menores de 18 anos. Outras ações serão realizadas, como uma conversa com um especialista com pais dos alunos do Ensino Médio, os quais deverão participar conjuntamente. Os professores igualmente tratam desse assunto sempre que haja oportunidade. O CEAT acredita que as comemorações são de suma importância para nossos jovens e promovemos momentos emblemáticos para que a alegria esteja presente, entendendo que esses momentos se tornam mais saudáveis e genuínos se forem vividos sem consumo de álcool. Laura Oppermann Elter Orientadora Educacional

14 | Jornal


Pelo menos 26 alunos formandos são aprovados em universidades federais

O trabalho conjunto desenvolvido pelo CEAT, seus alunos e as famílias vem trazendo resultados positivos no desempenho dos estudantes nas seleções para as universidades. Das três turmas que encerraram a Educação Básica em 2016 em ambas as unidades do colégio, pelo menos 26 alunos foram aprovados em instituições federais. Esse indicador elucida a preparação dos estudantes do CEAT, pois a concorrência que existe nesses concursos exige um alto nível de preparação. O resultado deste ano indica que o CEAT praticamente dobrou o índice de aprovações em universidades federais em relação a anos anteriores, mesmo com a diminuição da quantidade de vagas para o acesso universal, considerando a política de cotas. Outro indicador importante para o colégio é que os estudantes têm obtido êxito tanto no acesso pelo vestibular tradicional como também nos concursos que consideram apenas a nota do ENEM, especialmente através do SISU. Da mesma forma, o colégio também considera positivas as aprovações conquistadas em cursos de medicina,

tradicionalmente concorridos, em instituições particulares, como a Univates. O diretor geral Rodrigo Uirich salienta que “um aspecto importante é o fato de atingirmos um objetivo bastante claro de todos os envolvidos no processo formativo: o CEAT quer preparar muito bem os seus estudantes para o futuro, para a vida, e um dos aspectos importantes é o encaminhamento para a continuidade dos estudos, especialmente no ensino superior. Portanto o vestibular é um degrau para isso. Além, de nos alegrarmos com as aprovações, ficamos contentes e convictos de que realizarão uma excelente caminhada nos estudos, nas escolhas que fizerem e junto aos desafios que a vida lhes apresentará”. Ulrich destaca ainda outro ponto: “percebese um movimento significativo e determinado por parte de estudantes do CEAT acompanhados pela família para a busca por universidades que possam garantir a continuidade da qualidade na formação pessoal e profissional. Há portanto, um desejo, uma busca bastante expressiva pelas instituições federais”. Jornal

 | 15


Piqueniques

Piqueniques no CEAT Registros dos piqueniques de integração de ambas as unidades do CEAT

16 | Jornal


Piqueniques

FONE O L E P A Ç E P 626

(51) 3729.5

Jornal

 | 17


Informe da Associação de Pais, Professores e Amigos do CEAT O amor é a única força que, partilhada e doada, não diminui, mas cresce.” Albert Schweitzer O ano de 2017 iniciou com grande movimentação no brechó de livros e uniformes. Novamente a APPA está cumprindo seu papel no auxílio a toda comunidade escolar. A busca por pessoas para ajudar nesse voluntariado é constante. Sinta-se convidado(a) a integrar essa equipe que já se dispõe a doar seu tempo para esse trabalho. No brechó são disponibilizados livros em dezembro e fevereiro que, ao serem novamente usados , vem ao encontro de um olhar de sustentabilidade e economia às nossas famílias. O pagamento dos livros e suas retiradas ocorreram até o brechó de 13 de abril. Após essa data, os livros foram encaminhados para doação e os valores não retirados foram incorporados ao caixa da APPA. Continua da mesma forma, no site do CEAT (Sou CEAT, aba Brechó), a divulgação dos nomes de quem tem valores originados por vendas feitas a retirar.

Novas ações foram realizadas. Aprovadas em reuniões da diretoria , a APPA adquiriu e repassou LEGOS e CAIXAS ORGANIZADORAS( para materiais recicláveis) para as turmas da Educação Infantil e Séries Iniciais. Esses materiais atendem a demandas indicadas pelas coordenações desses níveis, para qualificar o trabalho dos professores em sala de aula e assim também contribuir para que as crianças tenham variadas possibilidades de aprendizagem..

Faça do calendário recebido ao final do ano de 2016, a sua fonte de referência para as datas que envolvem a APPA.

18 | Jornal

Também foram adquiridos 160 livros de leitura obrigatória para as turmas de Séries Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio que já estão disponíveis na biblioteca, aumentando o acervo e reduzindo o tempo de espera quando da solicitação dos estudos. Todos são convidados a participar dos processos da APPA. Para o resultado na oferta dos uniformes, existe um intenso trabalho de organização e cadastro no período entre os brechós externos. Nesse processo para oferecer roupas em bom estado e que atendam a critérios de qualidade, a APPA se reserva o direito de descartar peças que, por ventura, ainda tenham falhas não vistas no processo de aceite, feito no dia da entrega das mesmas. Para garantir que peças não colocadas à venda e consentidas à doação ainda tenham uso, as mesmas estão sendo enviadas ao Hospital Bruno Born e a um orfanato em Porto Alegre. Lá estão sendo customizadas, tirando a visibilidade do Logo do CEAT nas peças, e disponibilizadas às crianças atendidas nessa Instituição. Por questões de segurança, esteja atento ao descarte de uniforme. de maneira diversa para que essas peças não acabem disponíveis ao uso de pessoas não vinculadas à Comunidade Escolar,


Nome completo: Lizete Kronbauer

Com a palavra o PROFESSOR

Formação: Pedagogia - Licenciatura – Habilitação Magistério nas Séries Iniciais e Magistério das Matérias Pedagógicas do Ensino Médio. Pós Graduação, em nível de Especialização, em Educação e Psicopedagogia: poder, diferenças e rupturas

Por que você escolheu ser professora? Quando criança, brincava muito de dar aula. A professora era eu, mas a vida me levou para outra direção que, no momento, foi necessária. Aos poucos fui percebendo que eu não estava no lugar certo e não me sentia feliz. Foi aí que comecei a traçar uma nova caminhada (magistério e pedagogia) indo em busca do meu objetivo: Ser professora. Foi a escolha certa, pois amo o que faço!

O que lhe motiva na profissão hoje? O que me motiva é que cada ano é um desafio novo. Para vencê-lo, a gente aprende com eles e os alunos aprendem com a gente. E, assim, tudo se transforma num círculo contínuo e cada vez melhor.

Do que você mais gosta como professora? De poder compartilhar conhecimento, fazer o outro crescer, mostrar caminhos. Para isso tudo é necessário criar vínculos, se aproximar e compreender o outro, o que exige amor e dedicação.

Qual a sua mensagem aos alunos? “A alegria não chega apenas no encontro do achado, mas faz parte no processo da busca. Ensinar e aprender não pode dar-se fora da procura, fora da boniteza e da alegria.” Paulo Freire

Alguém a inspirou ou inspira na educação? A minha professora da primeira série, a professora Bernadete Mallmann, me inspirou porque admirava o seu jeito de ser atenciosa, carinhosa e ao mesmo tempo exigente.

Especialista em Materno Infantil Especialista em Nutrição Clínica e Doenças Crônicas

Jornal

 | 19


- Aulas práticas no laboratório desde o primeiro módulo - Rotina de estudos - Convênios para bolsas de estágio remuneradas - Laboratório exclusivo para o curso

Curso Técnico de Enfermagem Parceria com hospitais

Estrutura ampla e adequada aos estudantes

Jornal Expressão - maio/2017  
Advertisement