Page 1

IMPRESSO Boletim informativo do Colégio Evangélico Alberto Torres – Lajeado/RS – Ano 17 – nº 63 – Maio de 2016

Línguas estrangeiras: CEAT incentiva o aprendizado e oportuniza diferentes vivências Ensino de outro idioma está presente no colégio desde a Educação Infantil.

Uso da web será o tema central do Seminário de Pais de 2016

Playground da Unidade Lajeado recebe piso ecológico

Filme inspira dinâmica para a escolha dos líderes de turma

Educação Infantil Ensino Fundamental Ensino médio


Editorial “Os limites da minha linguagem significam os limites do meu universo.” Ludwig Wittgenstein. Movidos pelos princípios luteranos de que toda criança precisa de escola para aprender a ler, escrever e calcular, algumas famílias de imigrantes alemães fundaram, em 1892, o CEAT. Na concepção de Lutero, ao lado de cada igreja deve haver uma escola. Em Lajeado a escola foi fundada antes mesmo da comunidade evangélica se congregar, tamanha a preocupação com a educação dos filhos. Inicialmente as aulas eram ministradas em alemão, pois era a língua materna. As crianças aprendiam português na escola. Se no passado os estudantes vinham à escola para aprender português, hoje vêm aprender alemão, inglês, espanhol... Habitantes da aldeia global que somos, temos a necessidade de dominar línguas diferentes para estabelecermos comunicação com os nossos semelhantes. O aprendizado da língua alemã, hoje, ainda está ligado ao nosso passado, à nossa origem, mas principalmente voltado ao nosso futuro. Preparamos jovens para um futuro que nos é desconhecido. Precisamos equipá-los com ferramentas que eles possam usar como e quando necessário. O domínio de uma segunda, terceira ou quarta língua abre as portas para estudar no exterior e para o mercado de trabalho. “Um homem que sabe quatro línguas, vale por quatro homens.” A frase é atribuída a Carlos V do Sacro Império Romano-Germânico. Aprender outro idioma não é só aprender diferentes palavras, mas aprender uma nova maneira de pensar sobre as coisas. É estabelecer contato com outras pessoas, novas culturas. No diálogo passamos a enxergar o mundo através dos olhos do outro, o que nos possibilita uma nova visão de mundo, de vida, de homem, levando-nos a compreender melhor o nosso próprio universo. Apreender uma língua é apropriar-se de uma ferramenta que nos ajuda a deixarmos de ser estrangeiros ou estranhos em determinados lugares ou circunstâncias. 2/3 da população mundial é multilíngue. 1/3 é monolíngue. Os brasileiros se enquadram no segundo grupo. Como escola, queremos fazer parExpressão é o boletim informativo do Colégio Evangélico Alberto Torres – CEAT. CEAT Lajeado - Rua Alberto Torres, 219 – CEP 95900-000 – Lajeado/RS. Telefone: (51) 3748-7000. CEAT Região Alta – Avenida General Daltro Filho, 996 - CEP 95735-000 – Roca Sales/RS. Telefone :(51) 3753-2211. E-mail: imprensa@ceat.net www.facebook.com/ColegioEvangelicoAlbertoTorres

te dos 2/3. Conforme o Professor Doutor Gerhard Roth, do Instituto de Neurociência da Universidade de Bremen, aos dois anos e meio o cérebro humano está pronto para apreender três idiomas ao mesmo tempo. Através de brincadeiras, vídeos e canções a criança estabelece os primeiros contatos com a língua. À medida que vai avançando nas séries, vai ampliando e aprofundando seus conhecimentos linguísticos, aprimorando as habilidades de ouvir, falar, ler e escrever. Contamos com salas modernas, equipadas com áudio, vídeo, data show, internet e uma biblioteca exclusiva. O CEAT também oferece um consolidado programa de intercâmbio estudantil. No ensino da língua alemã, contamos com o apoio pedagógico e a supervisão do Ministério da Educação e Cultura da Alemanha, através da Coordenação do Ensino da Língua Alemã no RS e SC, do Consulado Alemão e do Instituto Goethe. As professoras participam intensivamente de seminários e cursos de atualização, no Brasil e na Alemanha. Somos uma escola com o selo PASCH, escola parceira para o futuro, e um Centro Aplicador de Provas de Proficiência. Trabalhamos com turmas reduzidas, oportunizando atendimento individualizado. Nossos estudantes participam de concursos de leitura e redação, festival de teatro e música, promovidos pela Coordenação do Ensino de Língua Alemã no sul do Brasil. O estudo de idiomas desenvolve o raciocínio lógico, amplia a compreensão do mundo e da vida e facilita a comunicação. Ao ensinar línguas, estamos construindo pontes que aproximam pessoas. Desta forma ajudamos a construir um mundo melhor. Boa leitura! Gute Lektüre! Good reading! Buena lectura! Roseli Kussler Professora de Língua Alemã

Brechó APPA em novo horário O brechó de uniformes promovido pela Associação de Pais, Professores e Amigos do CEAT (APPA) tem um novo horário neste ano: das 16h30min às 18h30min. A ação é realizada na segunda quinta-feira de cada mês. O atendimento ocorre na Sala da APPA, localizada no quarto andar do bloco 5 do CEAT Lajeado.

Diretor: Rodrigo Maurício Ulrich Redação: Josiane Martini Revisão:Lilian Jung Spohr Editoração: GPS Propaganda Tiragem: 2,2 mil exemplares Impressão: Gráfica Lajeadense.

WWW.CEAT.NET

2 |


Institucional Playground da Unidade Lajeado recebe piso ecológico produzido a partir de pneus usados A volta às aulas teve novidade no playground do bloco 3 do CEAT Lajeado. O local passou por reformas e recebeu o piso ecológico Impact Soft, produzido com grânulos de pneus usados. Esta tecnologia é usada na Europa e nos Estados Unidos. O arquiteto Rafael Fernandes explica que o piso oferece amortecimento e segurança, sendo “ideal quando se trata de conforto e segurança em áreas externas por suas características antiderrapantes e amortecedoras de impacto”. Além do piso, o jardim foi refeito, valorizando os espaços de sombras e as áreas para piqueniques. O bloco 3 também teve mudanças no piso da parte interna. O local recebeu piso vinílico, aumentando o conforto, visual e térmico. A escada de acesso ao pátio dos blocos 4 e 5

recebeu cobertura. O diretor geral, Rodrigo Ulrich, destaca que os investimentos na estrutura física têm “o intuito de qualificar ainda mais os espaços disponíveis aos estudantes e professores usados no processo de ensino e aprendizagem”. Além das reformas já realizadas, o CEAT programa para agosto de 2016 a inauguração do teatro com capacidade para 500 pessoas.

CEAT Região Alta conta com novo prédio O prédio novo do CEAT Região Alta, localizado em Roca Sales, foi inaugurado nas primeiras semanas deste ano letivo. A construção de cinco salas de aula mais amplas levou em conta o crescimento do número de alunos. Além disso, as salas do prédio que atende estudantes do Ensino Fundamental e Médio são climatizadas. A proposta segue o padrão utilizado nas construções da Unidade Lajeado.

 | 3


Institucional

A psicologia da internet: Uso da web é o tema central do Seminário de Pais de 2016 linguagem. Ele lembra, no entanto, que a ideia não é trabalhar contra, mas proteger do uso contínuo.

O psicólogo Dr. Cristiano Nabuco é o convidado deste ano para o Seminário de Pais promovido pela Associação de Pais, Professores e Amigos (APPA) e pelo CEAT. A internet foi o tema escolhido para ser explorado nesta edição do seminário. Em entrevista ao Jornal Expressão, Nabuco deu uma prévia do que será discutido durante o evento. Ele destacou que vê a internet positivamente, já que ela oferece uma série de benefícios e facilidades, mas salientou que o problema está na inadequação de seu uso. Segundo ele, as crianças e os jovens não devem estar conectados simplesmente por estar. O contato com a internet e outras tecnologias deve ocorrer dentro de uma vigilância, mantendo uma lógica maior para o uso e em períodos pré-determinados. Nabuco lembrou que as crianças com acesso irrestrito podem sofrer comprometimento no desenvolvimento de diversas áreas, como a cerebral e a da 4 |

O Dr. Cristiano Nabuco é coordenador do Núcleo de Terapias Virtuais e do Núcleo de Psicoterapia Cognitiva de São Paulo. Formado em psicologia, Nabuco tem pós-doutorado pelo Departamento de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Ele atua como psicólogo há 30 anos e atualmente trabalha junto ao PRO-AMTI do Instituto de Psiquiatria do HC/FMUSP. Nabuco foi presidente da Federação Brasileira de Terapias Cognitivas (FBTC). Tem publicados nove livros sobre psicologia, psiquiatria e saúde mental.

Em 2015, o Seminário de Pais do CEAT trouxe o filósofo, escritor e educador Dr. Mario Sérgio Cortella. A palestra “Educação: compromisso e responsabilidades” atraiu ao Centro Comunitário Evangélico cerca de 900 pessoas.


Institucional

Encontro reúne equipes pedagógicas de quatro estados no CEAT No mês de abril o CEAT Lajeado sediou o Encontro Nacional de Equipes Pedagógicas da Rede Sinodal de Educação. O evento reuniu 140 participantes de 44 escolas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo. A temática abordada no evento foi “Gestão por valores e o desafio de conquistar melhores resultados”. Esse foi o tema central da conferência com a filósofa, educadora, pesquisadora, escritora e palestrante Dulce Magalhães. O Encontro também contou com a apresentação de três escolas sobre as escolhas e o foco de trabalho: Colégio Evangélico Alberto Torres / Lajeado – Educação Infantil, Colégio Sinodal Rui Barbosa / Carazinho – Ensino Fundamental e Colégio Sinodal / São Leopoldo – Ensino Médio. No segundo dia do evento foi realizado o painel “Escolhas criam realidades” com a participação do professor Seno Leonhardt, do empresário Ricardo Heineck e da psicóloga Roseli M. Kühnrich de Oliveira. O mediador foi o professor João Francisco Lopes de Lima. Durante o encontro os participantes puderam conhecer a estrutura física do CEAT,

participar de celebração e de uma oficina de mandalas.

500 anos da Reforma Luterana: CEAT é umas das sedes de evento musical Três escolas do Vale do Taquari sediarão os encontros nacionais de conjuntos instrumentais e de corais de 2016 promovidos pela Rede Sinodal de Educação. A iniciativa de reunir os eventos em uma mesma data e tendo a mesma região como sede se deve à proximidade dos 500 anos da Reforma Luterana que serão comemorados em 2017. O 35º Encore reunirá os conjuntos instrumentais no CEAT e no Colégio Teutônia de 18 a 20 de agosto. Nos mesmos dias, o Colégio Martin Luther sediará o 16º Encorse. Uma grande orquestra fará o encerramento do evento, reunindo os participantes para uma apresentação coletiva na noite do sábado, dia 20, no Complexo Esportivo da Univates. O CEAT tem participação tradicional nesses eventos, sendo, inclusive, um dos idealizadores do 1º Encore. O Encontro surgiu de uma parceria com o Colégio Evangélico Panambi (CEP).

 | 5


Ensino

PIQUE NIQUES

DO CEAT

6 |


Ensino

Dia de integração reúne famílias de alunos do CEAT O evento realizado em ambas as unidades do CEAT contou com ginástica, dança e brincadeiras. Para coroar, ocorreu a apresentação do espetáculo La Kombita.

contato@shdesign.net.br

A edição deste ano do Dia da Família mais uma vez integrou pais, familiares, alunos, professores e a equipe pedagógica do CEAT em atividades programadas para divertir e aproximar os participantes.

Um lugar diferente e incrível, cheio de surpresas que irão te encantar.

Unidade Santa Cruz do Sul 51 3711.5664 | 51 8585.9403 Rua Gaspar Silveira Martins, 1254 Centro - Santa Cruz do Sul/RS

Unidade Lajeado 51 3709.1960 | 51 9903.8102 RS 130 - km 73 | Lajeado/RS

facebook.com/brinqmaniafestas | www.brinqmania-rs.com.br

 | 7


Ensino

Tempo e espaço na Educação Infantil Vivemos na época da “criança apressada”. A pressão começa no nascimento, pois muitos pais esperam ansiosamente que a criança alcance cada etapa num período específico, comparando o desenvolvimento entre elas. Mas o desenvolvimento não pode ser acelerado. Cada criança tem um tempo próprio! Os aprendizados mais importantes ocorrem conforme o tempo de desenvolvimento de cada uma e não quando os adultos decidem quando está na hora. A importância do olhar nos olhos de cada criança, o tempo, a comunicação verbal sobre sua ação (antecipando todos os acontecimentos) permite a atenção para os detalhes da interação. E, nesse sentido, fortes relações são construídas entre a criança e o adulto, o que leva à confiança. Diante da busca para aprimorar a especificidade do nosso trabalho com as crianças, defrontamo-nos com uma abordagem de atenção às crianças pequenas que, ao demonstrar um imenso respeito por elas, indica o caminho para pensar os espaços, os tempos, as relações e interações entre criança e professor, naquilo que podemos denominar de um cuidado que educa. Para isso, organizamos uma rotina que permita segurança, e que a criança possa reconhecer os diferentes momentos, identificando o que vai acontecer em cada tempo, participando de forma ativa no processo. Todo o tempo é valioso e cada tempo traz uma aprendizagem, seja ela na troca de fraldas, no momento da alimentação, ao pular corda, desenhar ou durante explorações de brincadeiras para as quais diferentes materiais são utilizados. Para que a criança possa crescer e se desenvolver no seu tempo, devemos lhe proporcionar situações em que possa vivenciar as mais diversas experiências, fazer escolhas, tomar decisões, resolver conflitos, socializar conquistas e descobertas, buscando a construção de sua autonomia e o sentimento de competência ao realizar algo por ela mesma. Trata-se de uma organização do trabalho pedagógico em que o adulto/educador e as crianças têm, ambos, papéis ativos. É importante que tenhamos como foco as interações da criança e como proposta 8 |


Ensino

pedagógica ofertar um ambiente rico em estímulos, possibilitando uma infância cheia de cor, cheiro e sabor, através de uma diversidade de vivências. As crianças, ao interagirem nesse meio e com o outro, aprendem pela própria interação e imitação e, quanto mais este espaço for desafiador e promover atividades conjuntas entre parceiros, quanto mais permitir que as crianças se descentrem da figura do adulto, mais fortemente se constituirá como propulsor de novas e significativas aprendizagens. Nesse contexto, promovemos a construção da autonomia das crianças, estimulamos sua curiosidade, as auxiliamos a formar ideias próprias das coisas e do mundo que as cercam, possibilitando-lhes interações cada vez mais complexas. Assim toda interação entre as crianças nesse espaço é observada com um olhar atento para o desenvolvimento de cada uma, respeitando a sua individualidade. Jane Ritt e Karine Trevisol Christ Coordenadoras da Educação Infantil na Unidade Lajeado

 | 9


PRINCIPAL

Línguas estrangeiras: CEAT incentiva o aprendizado e oportuniza diferentes vivências Ensino de outro idioma está presente no colégio desde a Educação Infantil.

lembra que “a crença no aprendizado de uma e, cada vez mais, duas línguas estrangeiras está no DNA do CEAT. Desde a sua fundação esse conceito está no cotidiano do colégio. No período de nacionalização do ensino, a escola foi proibida de ministrar aulas noutro idioma, sendo retomado posteriormente e intensificado cada vez mais”.

Vivemos em um mundo globalizado onde transitar por diferentes países e culturas é cada vez mais acessível. Estudar, trabalhar, conhecer novos lugares e fazer amigos de outras nações são oportunidades que batem à porta de quem está preparado. Pensando nisso, o CEAT oferece aos seus alunos em seu currículo o aprendizado de duas línguas estrangeiras: a inglesa e a alemã. Além disso, o CEAT oportuniza o aprendizado da língua espanhola como atividade optativa para o Ensino Médio. No CEAT Lajeado, na Educação Infantil, os alunos iniciam o aprendizado da língua inglesa e, posteriormente, na 3ª série do Ensino Fundamental é acrescido o estudo da língua alemã. Na Região Alta o ensino da língua alemã inicia já na Educação Infantil. Para otimizar o ensino e o aprendizado, em ambas as unidades, a partir da 7ª série as turmas são reduzidas. No Ensino Médio, os estudantes têm aulas de língua inglesa distribuídos em dois grupos adequados aos níveis de conhecimento. O diretor geral do CEAT, Rodrigo Ulrich, 10 |

Sobre a escolha das línguas ensinadas, Ulrich destaca a universalização da língua inglesa e a relevância que a língua alemã tem assumido na Europa e em outros continentes. Além disso, há a parceria com o governo alemão que permite um aprendizado diferenciado, com proficiências na língua e oportunidades no meio acadêmico, profissional e cultural no período escolar e também pós-escolar.


PRINCIPAL

No Ensino Médio, a língua alemã passa a ser uma disciplina optativa oferecida sem custo adicional.

Ministério da Educação e Cultura da Alemanha atestando que tem os conhecimentos necessários para compreender e se expressar na língua. O diploma nesse nível permite o acesso a universidades alemãs. Na 5ª série, as turmas participam de um projeto piloto que prepara os alunos para prestarem provas nos demais níveis de conhecimento da língua alemã. Este é o terceiro ano em que o CEAT participa dessa iniciativa. No futuro, há a possibilidade de o CEAT aplicar também provas de proficiência em níveis mais avançados de língua alemã, como por exemplo o DSD II (B2). Todo o processo para a aplicação das provas de proficiência, que também envolve a qualificação e o treinamento de professores, é custeado e supervisionado pelo governo alemão.

NOVIDADES

Proficiência: Alunos podem receber diploma do governo da Alemanha O CEAT é um centro aplicador de provas de proficiência em língua alemã. A autorização do governo alemão permite que os alunos de 5ª e 9ª séries do Ensino Fundamental, 1ª e 3ª séries do Ensino Médio possam receber um atestado ou diploma pelo grau de conhecimento na língua. Os estudantes aprovados no nível B1 – mais avançado grau de proficiência aplicado pelo CEAT - recebem um diploma que vem do do

O CEAT estuda a aplicação de provas de proficiência também em língua inglesa. Além disso, está em avaliação a implementação do currículo bilíngue.

Intercâmbio: Viagens de estudos promovem o conhecimento em outras línguas e culturas Anualmente o CEAT integra programas de intercâmbio para o Canadá e a Alemanha que reúnem estudantes de diversas escolas da Rede Sinodal de Educação. Durante cerca de um mês, os alunos estudam língua inglesa e alemã e têm contato com a cultura local, além de, muitas vezes, terem colegas de outras nacionalidades. Alemanha: O intercâmbio leva os estudantes para a cidade de Freiburg. Os jovens ficam hospedados em casas de família e estudam na Alpadia Language Schools Freiburg. Os alunos são distribuídos em grupos, conforme o nível de conhecimento: A1 A2 e B1. A divisão é feita a partir de prova de nivelamento aplicada antes  | 11


PRINCIPAL da viagem. O intercâmbio também inclui passeios para as cidades alemãs de Munique e Berlin, para a Floresta Negra, os Alpes e cidades da Suíça e da França. Canadá: A viagem para a cidade de Otawa permite que os alunos estudem na GEOS Language School, onde são divididos por nível de conhecimento. Durante o intercâmbio, os participantes ficam hospedados em casas de família. Os alunos também participam de outras atividades e passeios que oportunizam esquiar, patinar e visitar pontos turísticos e museus, além de viajar para outras cidades canadenses.

CEAT Idiomas: Mais conhecimento para os alunos e a comunidade

O CEAT Idiomas, alinhado com a proposta de educação globalizada, oferece cursos que preparam os alunos de todas as idades tanto para as situações do dia a dia, em atividades de lazer e entretenimento, como para atividades profissionais e de formação acadêmica, nas línguas 12 |

inglesa, alemã e espanhola. Com uma excelente estrutura integrada ao ambiente do CEAT, os alunos e a comunidade do Vale do Taquari têm à disposição um Centro de Idiomas integrado por professores com proficiência e toda a tecnologia proporcionada pela infraestrutura da escola. As aulas são oferecidas em ambas as unidades do CEAT.

Em 2015, o diretor geral do CEAT, Rodrigo Ulrich, e o diretor da Unidade Região Alta, Germano Hickmann, participaram do 81º Seminário de Diretores da Rede Sinodal de Educação, realizado na Alemanha. Durante a viagem ocorreram audiências com ministros alemães, onde se reafirmou o interesse mútuo pela parceria, bem como pela ampliação da mesma.

Sprachcamp: Alunos participam de imersão em língua alemã com estudantes do RS e de SC Oito estudantes da 3ª série do Ensino Médio do CEAT Lajeado participaram do Sprachcamp, realizado em Gramado, no mês de março. A imersão em língua alemã reuniu alunos que farão a prova de proficiência DSD 1 de escolas do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Os alunos do CEAT permaneceram por três dias do evento. Eles receberem orientações para a prova que será realizada em agosto, participaram de oficinas, gincana e atividades de integração. A professora Roseli Kussler, além de acompanhar o grupo do CEAT, ministrou uma das oficinas oferecidas aos estudantes. O Sprachcamp foi patrocinado pelo governo da Alemanha.


PRINCIPAL Ensino

Dicas para o ENEM Dra. Roselane Costella, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs)

- As questões do ENEM são interdisciplinares, na maioria das vezes, e sempre contextualizadas com diferentes modalidades de texto. - Realize simulados de provas anteriores e repare o porquê dos erros que comete. - Reveja a Matriz de Referência do ENEM no site do INEP. - Estabeleça relações entre os conteúdos estudados no colégio com situações cotidianas. - Leia semanalmente jornais ou revistas entendendo os fatos noticiados. - Discuta os principais temas noticiados desenvolvendo uma reflexão ética sobre os mesmos. - Procure pensar em interferências que modifiquem ou ajudem na solução de problemas sociais.

- Estude muito os conteúdos sem esquecer de estabelecer relações entre eles, tente encontrar explicações de diferentes disciplinas para um mesmo fenômeno. - Cuide do tempo de realização das questões. Você terá em média três minutos para cada uma delas. - Ao realizar a prova controle o tempo por conjunto de questões. Por exemplo, após realizar dez questões, veja quanto tempo levou para ter uma noção do restante da prova. - Leia inicialmente a pergunta da questão, volte para o texto e destaque o que responde essa questão e depois elenque as alternativas. - Não deixe questões em branco e de forma alguma as "chute" sem ter lido e tentado a resposta mais próxima do acerto.

 | 13


Ensino

Programa Lego Zoom desafia estudantes a aprender

O programa Lego Zoom foi implementado no CEAT no ano de 2006 e desde então vem desafiando alunos de diferentes séries a aprender de forma dinâmica, interativa e constante, através do desenvolvimento de habilidades e competências, incentivando a autonomia e a criatividade de maneira lúdica e divertida. Para o ano de 2016, o programa Lego Zoom apresenta algumas modificações. Dentre elas destacam-se principalmente a digitalização do material, plataformas de acesso e material para desenvolver montagens em casa. Cada aluno recebeu um material composto por oito fascículos, folder de apresentação do programa, etiquetas adesivas com o QR Code e um conjunto Learn To Learn. A revista impressa deu lugar ao material digital e aos fascículos; o conjunto Learn To Learn é levado para a casa do aluno que assim pode desenvolver montagens, utilizando conhecimentos adquiridos nas aulas. A plataforma de acesso utilizada pelo programa é a plataforma ZOOM 360. Nela as fotos das produções podem ser compartilhadas, comentadas e ainda haver trocas de experiências das montagens, ocorrendo a integração de educadores, responsáveis e alunos, possibili14 |

tando também que os responsáveis pelo aluno mantenham contato direto com os educadores, acompanhem o que acontece na sala de aula e a evolução do aluno. As aulas ocorrem de 15 em 15 dias, de acordo com os assuntos que vêm sendo desenvolvidos em sala de aula, nas turmas de 3ª, 4ª e 5ª série. O trabalho acontece em grupos de quatro alunos. Cada grupo recebe o material de montagem, um iPad para consultar o material digital, acessar a plataforma e fotografar a montagem. Cada integrante do grupo leva para as aulas seu fascículo e desenvolve uma função. Quando todos os alunos passarem pelas funções de or-


Ensino ganizador, apresentador e construtor, acontece a troca de equipes. Durante as aulas, os alunos poderão desenvolver as montagens Lego Education com base nos fascículos impressos e com apoio do Manual Digital. Para isso terão um cartão QR Code para ter acesso às plataformas digitais (ZET Educador ou ZET Alunos), e poderão acessá-las no iPad disponibilizado para cada grupo. Além da montagem, os alunos podem responder a desafios, registrar e compartilhar suas produções. Agora ficou mais fácil realizar as montagens,

observar seu passo a passo, trocar experiências e criar novas montagens. A plataforma também possibilita um espaço rico em trocas de experiências e novas ideias.

Patrícia Fernanda da Silva Professora de Educação Tecnológica

 | 15


Ensino

Filme inspira dinâmica para a escolha dos líderes de turma

Nesse ano, a escolha de representantes das turmas da 7ª série do Ensino Fundamental à 2ª série do Ensino Médio aconteceu de uma maneira diferente: ao invés de se fazer uma contagem simples de votos, fez-se uma verificação de quais seriam as competências existentes entre os integrantes da turma, especialmente dos que poderiam vir a ser líder, vice-líder e tesoureiro, priorizando assim uma eleição de base qualitativa. A proposta foi pensada pela Orientação Educacional do Colégio, observando que todos os alunos possuem habilidades e características distintas que merecem ser reconhecidas e que é papel da escola dar oportunidades para que o maior número de alunos possa vivenciar as atribuições de liderança. Para isso, foi realizada uma dinâmica de escolha a partir do filme Divergente (2014, livro homônimo de Verônica Roth, 2011), em que os alunos eram desafiados a se identificar com alguma das cinco “facções” (sic) tais como as do filme. Nessa dinâmica, foram chamadas de competências. No filme, a sociedade era organizada nas ditas “facções” e seus integrantes necessariamente apresentavam uma série de características as quais eram escolhidas a partir de suas habilidades e assim divididos nas seguintes classificações: Franqueza, Amizade, Audácia, Erudição, e Abnegação. Franqueza eram aqueles em que prevalecia o valor da verdade; na amizade, da abundância e felicidade; na audácia, da proteção à cidade; na erudição, o conhecimento e na abnegação, do auxílio e altruísmo. No filme, “divergente” era chamado aquele que não se encaixava em apenas uma “facção”, mas em mais de uma. A partir disso, foi proposto que os alunos pensassem quais as competências (facções) importantes para a turma, atribuindo valor diferenciado às competências. Introduziase assim a valorização da qualidade no voto em detrimento da quantidade. Feitas as atribuições das competências para os colegas individualmente, formava-se uma comissão constituída pelo líder, vice-líder e tesoureiro de turma do ano anterior, além do professor coordenador, que identificavam quais competências seriam aquelas que a turma precisaria desenvolver enquanto grupo, levando em consideração os nomes elencados individualmente. Chegada a uma decisão, a comissão divulgava os nomes escolhidos para as atribuições de líder, vice-líder e tesoureiro.

16 |

Laura Oppermann Elter – orientadora educacional Heloisa Kronbauer – estudante de psicologia Jaqueline Conrad – estudante de psicologia


Institucional Ensino Intercâmbio

Estudos na área da linguagem ampliam ênfase na competência leitora A leitura é uma das prioridades pedagógicas do CEAT, por compreendermos que essa competência possibilita sabedoria e argumentação para falar e escrever com propriedade e conhecimento de causa sobre os mais diversos assuntos. A leitura é considerada uma arquicompetência, pois a competência leitora é a base tanto para a construção de conhecimentos em todas as áreas do saber como para as inter-relações pessoais e sociais.

enfocando habilidades de leitura de textos argumentativos mais complexos, bem como a análise de relação entre causa e consequência, efeitos de sentido decorrentes do uso de uma palavra ou expressão, além do estudo de estratégias para a percepção de informações implícitas. O CEAT sabe do seu compromisso na formação de leitores. Por isso, reconhecemos a importância de propostas que contribuam para que nosso estudante possa se constituir enquanto leitor autônomo, tanto no âmbito escolar quanto nos demais círculos sociais. A competência leitora permite perceber a associação lógica do texto e o encadeamento dos pensamentos. Compreender o texto é também assimilar as ideias e as intenções do autor, relacionando o que foi apreendido com os conhecimentos anteriores sobre o assunto, tomando posições com espírito crítico, para apropriar-se de saberes e aplicá-los em novas situações. Lisnéia Schrammel Coordenadora do Ensino Fundamental na Unidade Lajeado

Mas ler não se resume a decodificar textos. A competência leitora envolve relacionar, compreender e interpretar os diferentes gêneros textuais de modo que desenvolva a leitura compreensiva em todas as áreas do conhecimento. A interpretação de textos é fundamental para nos tornarmos leitores competentes e nos inserirmos nas inúmeras práticas sociais de linguagem. Para contribuir com a aprendizagem da leitura, as aulas de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental contam com mais uma ferramenta. Trata-se da obra Interpretação de Textos, de William Cereja e Ciley Cleto, material didático que já vinha sendo usado no Ensino Médio. A coleção apresenta uma criteriosa seleção de textos com abordagem teórica gradativa e situações práticas de análise textual que envolvem diferentes níveis de compreensão, análise e interpretação. Com foco na leitura compreensiva, a coleção contribuirá para um trabalho ainda mais sistematizado de desenvolvimento da competência leitora,

Os docentes de 1ª à 4ª série e que atuam na área da Linguagem em ambas as unidades do CEAT conversaram com o escritor William Cereja através de teleconferência realizada em fevereiro. O autor salientou que “a obra aborda todas as linguagens que circulam socialmente e que representam um desafio para as crianças e os adolescentes”. Ele também esclareceu os critérios no ensino da leitura e contou como foi o estudo realizado para o desenvolvimento da obra e o processo de seleção dos textos.

 | 17


Institucional

Estudante do CEAT participa do Circuito Europeu de Basquete O estudante do CEAT Vicente Sbaraini Freitag integrou o grupo de 15 jogadores gaúchos que participaram do II Circuito Europeu de Basquete. O aluno da 3ª série do Ensino Médio da Unidade Lajeado esteve na Sérvia, na Letônia e na Lituânia entre os dias 1º e 23 de fevereiro. O grupo formado por 15 jogadores com idades entre 13 e 18 anos e dois técnicos viajou com o objetivo de buscar conhecimento sobre como o esporte é jogado na Europa, assim qualificando o basquete no Rio Grande do Sul. Durante os dias de intercâmbio, os atletas interagiram, trocaram experiências, treinaram e jogaram com os times KK Vizura em Belgrado (Sérvia), Sport Skola em Cèsis (Letônia) e Sabonis Basketball Academy em Kaunas (Lituânia). A viagem foi organizada pelo técnico de basquete do Colégio Sinodal, de São Leopoldo e ex-jogador profissional, Antônio Krebs Jr., o Pitu. Ele também é o criador e diretor do Circuito. De acordo com Pitu, a Sérvia e a Lituânia são escolas tradicionais

e fortes na formação de jogadores, estando entre os países que mais formam atletas na Europa.

“Foi uma experiência única para conhecer mais sobre o basquete europeu. Percebi que para os sérvios, letões e lituânos o basquete é o principal esporte de suas nações. Eles conseguem fazer com que países menos populosos que o Rio Grande do Sul tenham quadras, 18 |

treinadores e uma estrutura fantástica de basquete espalhadas por todo país.” Vicente Sbaraini Freitag

Professor do CEAT será técnico da Seleção Gaúcha Masculina Sub-15 pela segunda vez O professor do CEAT Ubirajara Hertzer, o Bira, foi novamente convocado para treinar a Seleção Gaúcha Masculina de Basquete Sub-15. Essa é a segunda vez que Bira é convocado como treinador dessa seleção. Ele conta que a escolha é resultado do trabalho desenvolvido e da parceria CEAT/BIRA, que nesse ano comemora 19 anos. Bira também destaca a boa colocação que alcançou como técnico da seleção do Rio Grande do Sul no Campeonato Brasileiro de 2015. A equipe gaúcha ficou em quinto lugar na divisão especial, deixando para trás 22 estados. O Campeonato Nacional deste ano será realizado em novembro, em Minas Gerais. Os treinos da seleção gaúcha iniciarão em junho. Sobre as expectativas para a competição, Bira diz que “neste ano o nível deve ser ainda mais forte porque as seleções terão mais tempo para treinar. Nós vamos ter que superar essa dificuldade já que as datas estão muito apertadas para convocações, mas vamos trabalhar e buscar sempre o melhor”. O treinador do CEAT/BIRA também já comandou duas seleções, foi auxiliar três vezes de equipes femininas e auxiliou outras três vezes seleções masculinas.


Institucional

Com a palavra o PROFESSOR

Nome completo: Karla Enger Bertoglio Formação: Especialista em ensino da língua inglesa

O que motiva você a ser professora? A minha maior motivação é a interação com os alunos, poder estimulá-los a conhecer e aprender coisas novas que façam sentido em suas vidas: as trocas diárias, o ensinar e aprender que ocorre todos os dias de forma diferente... seja através de uma discussão de um assunto em outra língua, alguma atividade proposta, da percepção das diferenças culturais e da aceitação de que nem sempre o diferente é errado.

Alguma pessoa inspirou você a seguir na profissão? Sim. Minhas inspirações sempre foram duas das minhas primeiras professoras: a minha alfabetizadora Zuleica Kieling, por seu carinho com os alunos e amor ao magistério, e a minha primeira professora de inglês, quando tinha 8 anos, Rozi Bisogno, por seu amor à língua inglesa, sua visão de futuro, pois isso foi na década de 70 quando em Lajeado não existia uma escola de línguas. Ela montou todo o ambiente para a aprendizagem de línguas no porão da sua casa. Foi a primeira empreendedora que conheci e que juntou um grupo de crianças de diversas idades, filhos de amigos, para repassar de forma lúdica e amorosa o que sabia e julgava importante para o nosso futuro.

Na sua opinião, quais são os pontos mais importantes em se aprender novos idiomas ainda na educação básica? Eu destacaria como ponto principal o aprender a gostar de uma outra língua... as primeiras "lições" devem ser para despertar a curiosidade e a empatia pela língua e pela cultura estrangeira. Nem sempre os alunos têm alguém na família que fala o idioma que está sendo aprendido, portanto, despertar a vontade de querer falar aquela língua, tornando-a significativa, seja através de jogos ou brincadeiras e atividades lúdicas que despertem a criatividade e a expressão de sentimentos bons em relação a essa experiência são fundamentais. Conforme os anos vão avançando, a aprendizagem de um outro idio-

ma faz com que nos percebamos como cidadãos do mundo, pois sempre que há a tradução/versão de um texto original em uma língua estrangeira para a nossa há perdas... seja por influência da cultura do tradutor ou da sua capacidade de interpretação. Por isso, ter capacidade de ler um texto na sua língua original, ou assistir a um filme com o áudio original, ou mesmo entender uma música sem a necessidade de traduzi-la para o nosso idioma é muito mais valioso e gratificante. Isso sem falar que quanto antes aprendemos a produzir os sons existentes em uma outra língua, melhor a nossa capacidade de falar sem o "temido sotaque"

O que você mais gosta no trabalho com o ensino de outro idioma? Hoje o que mais me encanta no trabalho com o ensino de uma outra língua é poder ver o brilho nos olhos do aluno que antes se julgava incapaz de compreender ou falar a outra língua e de repente se percebe comunicando suas ideias no idioma estrangeiro. Poder ajudar a quebrar essa barreira de que falar outra língua é difícil ou chato me deixa muito feliz.

Mensagem para os alunos: Queridos alunos, hoje nossa escola é referência em termos de ensino de línguas. Oferecemos três idiomas: inglês, alemão e espanhol (no Ensino Médio e no CEAT Idiomas). Aproveitem essa vantagem e a estrutura que a escola oferece! Dediquem-se aos idiomas como a qualquer outra disciplina pois nesta fase escolar é quando vocês terão mais tempo disponível para ampliar suas habilidades e conhecimentos. Para os alunos que já têm o foco no mercado de trabalho, um candidato que fala mais de uma língua tem 30% a mais de chance de aproveitamento do que o que fala apenas a sua língua materna, o que fala pelo menos duas línguas estrangeiras tem esse percentual ampliado para quase 50%... Mas, acima de tudo, a aprendizagem de línguas, além de abrir portas, abre as mentes, nos faz questionar nossas crenças e nos coloca em contato com um mundo infinito de possibilidades.

 | 19


CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM. EXCELENTE OPORTUNIDADE PARA VOCÊ SE INSERIR NO MERCADO PROFISSIONAL. Matrículas Abertas

Consultesobrebolsasdeestudo.CEAT-SEecrieoportunidadesparaoseufuturo.

Jornal Expressão - maio/2016