Issuu on Google+

Taquigrafia

Fls. _______ ________

SEGUNDA CÂMARA – SESSÃO: 23/9/10

Fls. _______ _________

RELATOR: AUDITOR HAMILTON COELHO PROCESSO Nº 834989 – PRESTAÇÃO DE CONTAS DO EXECUTIVO MUNICIPAL PROCURADORA PRESENTE À SESSÃO: MARIA CECÍLIA BORGES

NOTAS TAQUIGRÁFICAS

AUDITOR HAMILTON COELHO: PROCESSO N.º: 834.989 NATUREZA:

PRESTAÇÃO DE CONTAS DO EXECUTIVO MUNICIPAL

ÓRGÃO:

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARCOS

RESPONSÁVEL: CLAUDENIR JOSÉ DE MELO (Prefeito Municipal à época) EXERCÍCIO:

2009

I – RELATÓRIO Cuidam os autos da Prestação de Contas de responsabilidade do Sr. Claudenir José de Melo, Prefeito do Município de Arcos, exercício de 2009. O órgão técnico procedeu ao exame de fls. 04/23, constatando irregularidades, ensejando a abertura de vista ao gestor, que, citado, fls. 26 e 30, apresentou defesa e documentação acostada às fls. 31/48. Após reexame, a unidade técnica, fls. 50/54, considerou regularizada a falha apontada à fl. 10. Instado a se manifestar, o Ministério Público junto a este Tribunal pronunciouse, fls. 56/58, por emissão de parecer prévio pela aprovação das contas. É o relatório.


Taquigrafia

Fls. _______ ________

II – FUNDAMENTAÇÃO

Fls. _______ _________

A presente prestação de contas foi examinada conforme o disposto na Resolução TC n.º 04/09, disciplinada pela Ordem de Serviço n.º 07/10, e com espeque nas informações encaminhadas pela Administração Pública Municipal. Ao analisar os autos, constatei a anotação técnica quanto ao cumprimento dos índices referentes à manutenção e desenvolvimento do ensino (29,21%), aos serviços públicos de saúde (20,30%), aos limites das despesas com pessoal (45,96%), bem como ao previsto no art. 29-A da Carta da República, acerca do repasse ao Poder Legislativo (4,04%). Com efeito, dos documentos e informes técnicos acostados ao processo, inferese que os índices legais e constitucionais foram cumpridos e que não há irregularidades nas contas municipais. Ressalta-se ainda que, no Sistema de Gestão e Administração de Processos – SGAP, verifiquei não ter havido inspeção no Município, no exercício ora examinado, o que impediu o confronto dos índices auferidos mediante análise da prestação de contas com os que, porventura, poderiam ter sido apurados in loco. Finalmente, é de se registrar que a apreciação das contas anuais oferecidas compreende a gestão como um todo, e não o exame individual de cada ato praticado pelo administrador no período. Dessa forma, a emissão de parecer nestes autos não impede nova análise, em razão de falhas verificadas em inspeção ou denunciadas, tendo em vista os princípios da verdade material e da prevalência e indisponibilidade do interesse público, e diante da indeclinável competência desta Corte de Contas na busca da máxima efetividade no cumprimento das normas constitucionais aplicáveis à espécie.

III – CONCLUSÃO O d. Ministério Público de Contas, em seu parecer, posicionou-se de modo favorável às contas ofertadas e, no estudo do órgão técnico, não se detectou a pcm/834989 – CL/AC/f

2


Taquigrafia

Fls. _______ ________

Fls. _______ existência de irregularidades dignas de apontamentos. Assim, assentado nos _________

ditames

do

inciso

I

do

art.

240

do

Regimento

Interno

deste

eg. Tribunal, recomendo, em sede de proposta de voto, a emissão de parecer prévio pela aprovação das contas de responsabilidade do Sr. Claudenir José de Melo, Prefeito Municipal de Arcos, exercício de 2009. No mais, caberá ao Chefe do Executivo manter organizada, nos termos da legislação de regência, a documentação pertinente para fins de exercício do controle externo, em inspeção e ou auditoria, incumbindo aos responsáveis pelo autocontrole comunicar toda e qualquer falha do seu conhecimento detectada na gestão pública ora examinada, sob pena de responsabilidade solidária. Observados os procedimentos insertos no art. 239 do Regimento Interno, as anotações e cautelas de praxe, recolha-se o processo ao arquivo.

CONSELHEIRO ELMO BRAZ: Acolho a proposta de voto do Auditor Relator.

CONSELHEIRO SEBASTIÃO HELVECIO: Acolho a proposta de voto do Auditor Relator.

CONSELHEIRO PRESIDENTE EDUARDO CARONE COSTA: Acolho a proposta de voto do Auditor Relator. ACOLHIDA A PROPOSTA DE VOTO DO AUDITOR RELATOR, POR UNANIMIDADE.

pcm/834989 – CL/AC/f

3


Tribunal Contas