Page 7

Pegou sua mão e o convidou a entrar. Foi puxando-o para a sala, fez que sentasse sobre o sofá que era a peça mais confortável que adquiriu ali. Foi caminhando até a cozinha consciente do seu olhar sobre suas costas, enquanto a loba rasgava para sair de sua pele. Seus movimentos eram provocativos, mesmo sem intenção. Ela pegou as duas xícaras de café, e voltou para sala, sentando a seu lado. Ficaram ali bebericando o café, e se olhando um bom tempo. Ela puxou uma conversa e aos poucos foram falando de coisas, assuntos diversos. Só para se conhecerem um pouco. As horas passaram rápido, ela se levantou e disse a ele que precisava dormir e que deveria ir. Foi quando ele chegou mais perto, segurou sua mão e a levou aos lábios, mantendo lá naquele calor morno. “Eu vou,” Ele disse. Mas antes me responda uma coisa. Como uma mulher tão linda como você pode estar sozinha?” Ela sem graça respirou fundo para se conter, e lhe disse que não estava propriamente sozinha, que havia alguém, mas era complicado de explicar. Ele curioso quis saber sua idade, e não acreditou que ela era bem mais velha que ele. Ela se sentiu cuidada quando lhe disse que já a olhava a muito tempo e a achava linda. As mãos ainda seguravam as suas, e aquele calor, era tão certo ali naquele momento, ela sorriu, e lhe disse: “É complicado. Não tenho como lhe explicar, amo alguém a décadas, mas não estamos nem juntos nem separados.” Foi ai que a puxou em seus braços e beijou. Foi um beijo intenso ansioso de mãos afoitas por pele. Naquele momento ela se perdeu e mesmo sabendo que não era seu lobo ali, seu corpo queimou em desejo, e as palavras que vinham dele só a cativaram mais. Ele sugava seus lábios, e gemia dizendo o quanto o beijo era bom, e como ele amava seu gosto, suas mãos varriam ansiosas por sua pele, e foi assim que ela se perdeu. Ela correu suas mãos por aquele corpo jovem e macio tocando cada parte, ele estremecia sobre seu toque. Ela em sua pele de loba, já não podia voltar atrás, baixou entre suas pernas e tocou sua excitação já dura como uma rocha. E qual foi sua surpresa ao ver que o garoto superava seu alfa em tamanho. A excitação era tanta que gotas de pré-semen insistiam em sair, ajudando no toque suave e continuou no que dedicou plena concentração. Ele dava pinotes em seu desejo, gemia descontrolado. Ela tocou-o por um breve momento com sua língua, e a loba saiu livre, fora de sua pele em pura excitação, sua vagina apertou em antecipação fazendo que sua tanga ficasse toda molhada. Ele excitado demais para se segurar por muito tempo puxou-a do chão jogando-a sobre o sofá, arrancou a camisola e foi lhe tocando todo o corpo em uma caricia frenética e deliciosa. Pegou seu pênis e colocou-o entre seus seios, massageando em um movimento constante de vai e vem, enquanto colocava o polegar em sua boca, imitando o movimento. Foi uma caricia louca entre apertar seus seios entre seu pau excitado e beijar sua boca, imitando o movimento com a língua. Ela não podia mais esperar para tê-lo entre suas pernas, mesmo sabendo que grande como ele era iria machuca-la, mas a loba não pensava assim. A loba queria tudo. Ele pegou um preservativo de sua carteira colocou em seu pau, e disse entre seus lábios dando mordidinhas. ”Vou cuidar de você, vou fazer você esquecer de tudo por um momento.” E com um movimento rápido e seguro a penetrou, ela sentiu dor no primeiro momento, mas quando a loba sentiu o macho ali presente, se libertou, prendeu suas pernas em sua cintura, e unhou suas costas fazendo-o ter certeza que podia seguir seu ritmo, e foi assim em um ritmo intenso e continuo que a loba por um momento esqueceu seu alfa, nos braços de alguém que como ela só queria um pouco de afeto e desejo compartilhado. O orgasmo rasgou de suas peles e os dois juntos se tornaram um em uma busca de ar para seus pulmões. Ele ficou lá deitado sobre seus seios, meio dormido, meio acordado e lhe disse que se quisesse ele ficaria la com ela para sempre. Ela não podia. Talvez quando a lua saísse e a loba surgisse sim, mas nos dias sem lua, ela ainda esperaria por seu lobo alfa porque seu coração se manteria perdido em uma eterna noite escura se desistisse dele.

Yohana linhares

Revista 5  

Quinta Edição da Revista Portal A Flor da Pele.