Page 1

RCP Revista Conexão Paraná Ano XVII - Nº 208

* Distribuição gratuíta em aeroportos e estabelecimentos conveniados.

Safra recorde de grãos proporciona

Crise atenuada Livro

Fundador de hospital ganha biografia

Carnaval em Maringa ganhará mais personalidade ? portalglup.com


CHEGOU UM NOVO CONCEITO DE JORNALISMO IMPRESSO E DIGITAL

RCP Revista Conexรฃo Paranรก

NOVA PLATAFORMA WWW.PORTALGLUP.COM


Editorial Diretor geral - Joel Cardoso editor@onlinejornalismo.com.br

Publicações da Editora Revista Conexão Paraná www.conexaoparana.com Jornal Conexão Aeroporto www.jornalaeroporto.com.br Site de Notícias Glup!Nacon www.portalglup.com Facebook www.facebook.com/revistaconexao

Acaba de terminar janeiro e após o relato parcial sobre a arapongagem no gabinete da Prefeitura, mais um capítulo no projeto do livro-documento da gestão de Ulisses Maia poderá ser escrito. Desta vez, segundo noticiado com exclusividade de texto e foto na capa do jornal O Diário, como em uma verdadeira história de caça ao tesouro, servidores encontraram dinheiro, cheques e joia em um setor da Secretaria de Saúde de Maringá. Segundo divulgado, foram encontrados R$ 2.341,00 em dinheiro, R$ 430 em cheques e um pingente de ouro, em

Web/diagramação Jonathan Lukaszewigz Supervisão Geral Rose Tognon Assessoria Jurídica Carlos Eduardo Buchweitzz (OAB 19.939) Colaboradores: Gorby Junk (Curitiba) Alexandre Mendes (Santa Catarina) Marcela Langoni (Londrina) Aline Passos (Foz do Iguaçu) Vanda Munhoz (Maringá) Distribuição:

Redação (Sede Própria) R. Martim Afonso 1587 Zona 02-Maringá-Paraná Fone (pabx) 44.3026.8585

um armário na sede do Comitê de Aleitamento Materno na Secretaria de Saúde de Maringá. Os cheques estão datados de 2005 e 2008. A sede da secretaria está localizada na Av Prudente de Morais, Zona 7. Como nem todos os armários e gavetas foram abertos ainda, existem especulações que a caça ao tesouro deverá continuar e outros departamentos, secretarias e autarquias. Uma fonte da RCP informou que um documento jurídico contendo informações confidenciais de um processo teria sido encontrado em baixo do banco do motorista de um veículo oficial.

Arapongagem no gabinete do prefeito Quem? Quando? Como? Porquê?

Ano XVII - nº 208

Jornalista Responsável Joel Cardoso Fenaj 66023

Direto da Mesa do Editor

Gestão Ulisses - Capítulo Caça ao Tesouro na Prefeitura de Maringá.

Como autor de três livros e militante em duas entidades literárias em Maringá, estou com um esboço de projeto literário, ou documentário factual, que pessoalmente sugeri ao prefeito eleito Ulisses Maia quando o visitei em seu gabinete de transição na sala cedida pela Caixa Econômica Federal, que prevê, caso resolva mesmo abraçar a ideia, registrar os episódios mais pitorescos de sua gestão com lançamento previsto daqui a 4 anos, no encerramento de seu (primeiro) mandato. Claro que são várias e todas as informações estão sendo catalogadas. Há um processo seletivo de publicação baseadas em fontes oficiais e outras fontes de minha confiança. A intenção nesta fase inicial é usar o prazo de 100 dias de seu governo para traçar um perfil do prefeito Ulisses Maia, suas próprias convicções e as influências que chegam por todos os lados norteando visivelmente algumas de suas atitudes midiáticas. Nesses primeiros vinte dias de sua posse, o fato mais pitoresco diz respeito a notícia do monitoramento do gabinete da Prefeitura. Mesmo em período de descanso no litoral, recebi uma saraivada de informações. Elas chegaram confusas, desencontradas e pouco confiáveis. O que teria motivado a inédita iniciativa da varredura gabinete? Na sequência, as informações foram ganhando outras formas, umas mais e outras menos eloquentes. Juntando informações daqui e dali e agora já no ambiente da redação, ficou fácil constatar o cuidado na falta de precisão de fatos como origem e data de fabricação do equipamento. Esse fato garantiu uma margem de segurança para evitar prováveis processos na Justiça. Cuidado exagerado, pois tudo deverá ficar nulo pelo descumprimento parcial daquela regrinha básica de respostas que não foram respondidas, começando com "quem", “onde”, “como” "o quê”, “quando", "por quê". Após o cumprimento protocolar no registro do Boletim de Ocorrência na 19ª. SDP, feita pelo chefe de gabinete Domingos Trevizan, há uma expectativa sobre o resultado do laudo pericial, que poderá ser feito até mesmo por laboratório especializado de Curitiba, “mas não terá muita revelação pois muitos desses equipamentos são fabricados em série e sem identificação de datas”, comentou um especialista em informática consultado pela reportagem da RCP. Um bom tema para os primeiros capítulos do documentário que estou pensando em fazer. *Jornalista, autor de 3 livros, sócio fundador da Academia de Letras de Maringá e da União dos Profissionais das Artes, Jornalismo e Literatura

Canais

Capa da Revista Conexão, edição de fevereiro 2016, destacando a crise econômica.

*Portal de notícias. Atualizações diárias. Média * 5 mil acessos/dia.

Estacionamento coberto

*Link de informações diárias sobre viagens, aeroportos, etc.

*Canal de notícias com matérias em vídeo em formatação profissional.

Em frente ao aeroporto !


Maringá Azul Transporte coletivo

Jatos voltam a operar em dois voos diários Desde o primeiro dia deste mês a companhia aérea Azul voltou a operar com aviões de propulsão a jato em dois voos diários no Aeroporto Regional Silvio Name Junior, de Maringá. Com capacidade para transportar 72 passageiros, os bimotores turbo-hélice ATR-72-600 foram substituídos por aparelhos a jato EMB, fabricados pela Embraer, com 108 lugares. Os voos no trajeto Maringá-Curitiba são realizados às 5h58 e 18h20, enquanto os de Curitiba-Maringá ocorrem às 16h50 e às 21h20. Outros horários da companhia continuam sendo feitos com aviões turbo-hélice. Evidente que a permanência destes voos vai depender muito da taxa de ocupação das poltronas De acordo com o superintendente do Aeroporto, Fernando Rezende, o aumento de 36 lugares em cada voo para Curitiba mostra que o volume de passageiros no aeroporto está crescendo, mas ainda não atinge o nível ideal. A retomada de operações com aviões maiores recupera uma situação que já existia antes da crise e da queda da demanda. A reportagem apurou que a iniciativa obedece uma estratégia mercadológica da empresa aérea e não envolvimento ou prestígio político deste ou daquele partido. A princípio isso já sinaliza tempos melhores e a tendência de resgate do movimento geral no aeroporto, tanto em volume de passageiros quanto de procura pelo transporte de cargas. Resta saber se a Azul está apta para competir com as tarifas da Gol e dos embarques em Londrina.

Aumenta o otimismo dos empresários maringaenses Os empresários do comércio de bens, serviços e turismo do Paraná começaram o ano mais otimistas. De acordo com pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), 49,4% dos empresários têm expectativa de uma melhora no faturamento no primeiro semestre de 2017. Depois de uma forte onda de pessimismo, que chegou ao patamar mais baixo da série histórica no primeiro semestre de 2016, quando a confiança era de apenas 31%, a perspectiva positiva dos empreendedores voltou a subir já na metade do ano passado e apresenta duas altas sucessivas. Na edição anterior da pesquisa, referente ao segundo semestre de 2016, 45,5% dos proprietários de estabelecimentos comerciais ou de prestação de serviços esperavam um semestre seguinte melhor. Até então, foram quatro semestres de quedas consecutivas nas expectativas favoráveis. Desde 2014 o indicador não chegava à casa dos 50%. A pesquisa da Fecomércio contemplou as seis principais regiões do Estado: Curitiba, Londrina, Maringá, Campos Gerais, Oeste e Sudoeste. Maringá é a segunda região mais otimista, com 54%, e fica atrás somente de Londrina, onde 66% dos empresários esperam aumentar a lucratividade neste semestre. Já a região Oeste se mostra a mais pessimista, com apenas 31% de expectativas favoráveis. Em Curitiba e Região Metropolitana, 51% dos empresários acreditam que este será um semestre com faturamento melhor. No Sudoeste esse indicador é de 45% e de 32% em Ponta Grossa e Campos Gerais. A Região Metropolitana de Maringá reflete a cultura otimista e animada da região Norte, o que explica o segundo maior índice de

expectativas favoráveis para o primeiro semestre de 2017 do Estado. A incerteza também é expressiva na região, uma vez que 35% dos empresários ainda não sabem que rumos os negócios devem tomar neste ano. As opiniões desfavoráveis somam 11%. A economia da região depende do agronegócio e veio de um histórico de baixas no otimismo. A expectativa de uma boa safra para este ano e as mudanças no cenário político nacional no segundo semestre de 2016 acabam influenciando positivamente tanto o empresariado quanto o consumidor maringaense. De acordo com o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, o crescimento no nível de confiança revela a reversão das expectativas dos empresários do comércio de bens, serviços e turismo do Paraná para o início deste ano. “Verifica-se, a partir dos números para 2017, uma alteração psicológica importante do empresário, fruto da combinação das variáveis econômicas mais favoráveis e da mudança no cenário político nacional”, avalia. Nesse momento pode ser destacada a ocorrência de importantes alterações no desempenho das economias brasileira e paranaense que contribuem para uma percepção mais esperançosa dos empresários. A redução da inflação e da taxa de juros Selic, o saldo positivo na balança comercial do Paraná no ano passado, superior ao desempenho de 2015, e os aumentos no Investimento Estrangeiro Direto (IED) e nas reservas cambiais do Banco Central formam um conjunto de fatores favorável ao empresariado. “O crescimento do otimismo indica uma possibilidade consistente de início de um processo de recuperação para o comércio, mas que deverá também se adequar ao contexto de contenções ainda prevalecentes na economia”, completa Piana.


Azul

Aviação

Jatos voltam a operar em dois voos diários

Desde o primeiro dia deste mês a companhia aérea Azul voltou a operar com aviões de propulsão a jato em dois voos diários no Aeroporto Regional Silvio Name Junior, de Maringá. Com capacidade para transportar 72 passageiros, os bimotores turbo-hélice ATR-72-600 foram substituídos por aparelhos a jato EMB, fabricados pela Embraer, com 108 lugares. Os voos no trajeto Maringá-Curitiba são realizados às 5h58 e 18h20, enquanto os de Curitiba-Maringá ocorrem às 16h50 e às 21h20. Outros horários da companhia continuam sendo feitos com aviões turbo-hélice. Evidente que a permanência destes voos vai depender muito da taxa de ocupação das poltronas De acordo com o superintendente do Aeroporto, Fernando Rezende, o aumento de 36 lugares em cada voo para Curitiba mostra que o volume de passageiros no aeroporto está crescendo, mas ainda não atinge o nível ideal. A retomada de operações com aviões maiores recupera uma situação que já existia antes da crise e da queda da demanda. A reportagem apurou que a iniciativa obedece uma estratégia mercadológica da empresa aérea e não envolvimento ou prestígio político deste ou daquele partido. A princípio isso já sinaliza tempos melhores e a tendência de resgate do movimento geral no aeroporto, tanto em volume de passageiros quanto de procura pelo transporte de cargas. Resta saber se a Azul está apta para competir com as tarifas da Gol e dos embarques em Londrina.

Air India cria espaço exclusivo para mulheres A companhia aérea Air India criou a opção assentos exclusivos para mulheres na hora de reservar passagens de categoria econômicas. De acordo com a empresa, essa é uma medida para proteger e incentivar mulheres que viajam sozinhas de possíveis abusos e assédios durante o voo, situação já relatada mais de uma vez por clientes da própria companhia. A denúncia mais recente foi de uma passageira que foi apalpada enquanto dormia. A execução da medida funciona a partir desta quarta (18) da seguinte maneira: em cada voo, uma fileira inteira (6 assentos) será destinada a mulheres que viajam sozinhas e não querem companhias masculinas ao seu lado. Sentar-se na janelinha ou não correr o risco de ter como companheiro de voo o um macho assediador? A hashtag #ViajoSola não morre nunca (pexels.com) Não bastasse a nova

categoria de assentos, a Air India também anunciou que algemas de plástico estarão na aeronave caso a tripulação precise conter alguma situação que passou dos limites. #ViajoSola Na internet a notícia divide opiniões. O tema viajar sozinha volta à tona, e cai na mesma questão da criação de vagões de metrô só para o sexo feminino. Criar uma categoria de assentos exclusiva para mulheres não seria aceitar e conviver com o fato de que vivemos em um mundo machista demais para que homens e mulheres tenham o mesmo direito de viajar sem preocupações com o passageiro que viajará ao seu lado? E se esses seres humanos potenciais passageiros assediadores tivessem a real noção do quão errado é assediar alguém pelo simples fato de ser uma mulher? E você, viajante mulher, o que acha dessa medida?

Vai vender seu carro? Tabela

nem sempre é melhor negócio Entenda por que nem sempre média reflete valor real do automóvel

(cerca de 15 mil km por ano de uso), custa cerca de R$ 33,8 mil na média em sites de anúncios de carros.

Muitas concessionárias e lojistas anunciam a compra de usados pagando o preço indicado pela Tabela Fipe. A proposta parece tentadora, mas não representa necessariamente o melhor negócio para quem está vendendo seu automóvel.

Não há o que discutir: a Fipe é hoje a principal referência do mercado, servindo como base para o cálculo do valor de seguro, financiamentos e até tributos, como o IPVA. Tanta é sua importância que o índice é usado inclusive nos sites especializados , como fonte de pesquisa adicional.

A dúvida aparece ao consultar o preço de determinado modelo no site da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas). Ao compará-lo com anúncios do mesmo modelo, especialmente aqueles publicados em sites de compra e vendas de veículos, em geral o valor médio informado na segunda opção é maior. Em pesquisa realizada pela reportagem nesta semana, o Chevrolet Onix LT 1.0 2014 aparece na Fipe com preço médio de R$ 30,9 mil, enquanto o mesmo carro, com até 45 mil quilômetros rodados

O que causa as diferenças de preço A explicação para as diferenças de valores como a citada acima está na forma como a tabela é calculada. Segundo vídeo publicado oficialmente pela fundação, o índice representa o preço médio ao consumidor final apurado com vendedores em todo o país para determinada marca e modelo de veículo, com pagamento à vista. Para fins estatísticos, esse cálculo exclui os preços muito altos e muito baixos (resultado de estados

excepcionalmente bons ou ruins de conservação), além de desconsiderar veículos para revenda, blindados, carros para frotistas e de importação independente, por exemplo. Por outro lado, os sites de compra e venda, que fazem o papel de intermediadores, informam a média do preço cobrado por determinado carro com base nos anúncios publicados, que incluem desde unidades à venda por concessionárias e lojistas até veículos ofertados por particulares.

Posto Novo Horizonte Av. Cerro Azul, 1686 - Fone: 3227-6373 - Maringá - PR.

44

GREMASCHI Posto Horto Florestal Av.Dr. Luiz Teixeira Mendes, 2073 Fone: 44 3029-5800 - Maringá - PR.


Saúde

Dr. Marcio Gianotto, cardiologista e eletrofisiologista.

Videolaparoscopia

Na cirurgia bariátrica é incorporada pelo SUS A Portaria n° 5, de 31 de janeiro de 2017, publicada hoje (01.02) no Diário Oficial da União, oficializa a incorporação da video laparoscopia nos procedimentos de cirurgias bariátricas realizadas pelo SUS – Sistema Único de Saúde. “É uma grande conquista por se tratar de uma reivindicação antiga da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica e com certeza terá um efeito positivo nos serviços de cirurgia bariátrica da rede pública e, principalmente, para os pacientes que aguardam para realizar a cirurgia”, comemora Dr. Caetano Marchesini, presidente da SBCBM. No ano passado foram realizadas cerca de 100 mil cirurgias bariátricas em todo País. Desse total, apenas 10% dos procedimentos foram feitos na rede pública. “Com a video laparoscopia podemos ampliar os atendimentos no SUS, pois tanto a cirurgia quanto a recuperação do paciente demandam um tempo menor”, acrescenta Dr. Caetano. Considerado um procedimento menos invasivo e, consequen temente, mais seguro a laparoscopia possibilita ao paciente um tempo menor de recuperação. A cirurgia não tem indicação como tratamento estético e sim para melhora de doenças associadas à obesidade e qualidade de vida. Deve ser recomendada apenas para pacientes com IMC igual ou maior que 40kg/m² e pode ser realizada em casos de IMC entre 35kg/m² e 40kg/m², desde que o paciente tenha comorbidades como, por exemplo, diabetes e hipertensão. Aberta x Laparoscópica As diferenças começam nos dias de internação. Na cirurgia aberta são necessários de três a quatro dias de internação, já no procedimento laparoscópico geralmente são apenas dois dias. Na cirurgia realizada por videolaparoscopia são feitas cinco ou seis pequenas incisões no abdômen de 0,5cm e 1cm para a introdução das cânulas por onde são introduzidas as pinças para realizar o procedimento e uma câmera, responsável pela visualização do mesmo, na cirurgia aberta esta incisão pode variar de 15cm a 30cm. Enquanto na cirurgia aberta os pacientes levam de 30 a 60 dias para voltarem as suas atividades de trabalho, na cirurgia laparoscópica eles estarão liberados em 15 dias. Dentre as vantagens estão a diminuição do risco de hérnias e infecção da ferida cirúrgica, retorno precoce às atividades, diminuição do risco de complicações pulmonares e menor dor pós-operatória.

Quando um médico pode sugerir outro da mesma especialidade ao paciente? A Revista Conexão Paraná pretende valorizar pautas relacionadas à saúde e bem-estar, principalmente com situações reais que possam dar esclarecimentos ao seu público leitor. Como o tema desta primeira reportagem da série, surgida de uma situação vivida por um jornalista em Maringá. Paciente cardíaco de um renomado cardiologista em Maringá, após ter sido acometido por uma forte arritmia em plenas férias na praia, assim que chegou em Maringá procurou seu médico para uma análise de seu descompassado batimento cardíaco. A surpresa foi a indicação deste cardiologista para outro colega seu, também cardiologista, com subespecialidade em eletrofisiologia, que atua no Centro de Arritmias Cardíacas. O curioso paciente, e também jornalista, procurou mais informações e descobriu que existem diversas subespecialidades dentro da cardiologia, dentre elas uma que atua especificamente no tratamento médico e cirúrgico das arritmias cardíacas que é a eletrofisiologia. E que em Maringá já existe profissional devidamente habilitado nesta área bem como equipamento médico de ponta para a realização das chamadas ablações: procedimentos cardíacos avançados que podem tratar e até levar a cura das arritmias em alguns casos. Até mesmo procedimentos para arritmias complexas, como é o caso da Fibrilação Atrial (arritmia muito comum e que pode levar ao AVC), já são realizados em Maringá com uso de um novo equipamento 3D que permite identificar com precisão e menores riscos de complicações os focos de arritmia. Novidade esta que até alguns anos atrás estava restrita a centros médicos de excelência em algumas capitais do pais. Esta inovação tecnológica foi implantada pelo cardiologista e eletrofisiologista Marcio Gianotto, que aceitou dar mais informações nesta entrevista: - É comum um médico cardiologista solicitar que seu paciente procure outro médico também cardiologista para melhor avaliação e tratamento? A cardiologia é uma das especialidades que mais evoluíram nos últimos anos. Diariamente surgem novas recomendações e tratamentos baseados

sempre em fortes evidências científicas. Por este motivo foram surgindo diversas sub especialidades e hoje temos, inclusive em Maringá, médicos cardiologistas muito bem preparados que atuam com foco em algumas doenças específicas como: alterações do colesterol (dislipidemia), hipertensão arterial, doença das artérias coronárias, arritmias cardíacas e muitas outras. Com frequência encaminho pacientes para avaliação com outros colegas cardiologistas assim como diariamente recebo para avaliação pacientes encaminhados de cardiologistas de todo o estado do Paraná e outras regiões. Esta troca de experiências dentro da especialidade é muito comum e traz grandes benefícios ao paciente. - Pode se falar em cura das arritmias com a ablação? Sim, mas não para todas elas. Para algumas arritmias o procedimento é considerado curativo em 90 a 97% dos casos e, por isso, pode ser considerado como opção inicial e definitiva de tratamento. Já para arritmias mais complexas como a Fibrilação Atrial ainda não é possível falar em cura, mas sim em controle da doença e alívio dos sintomas. Nestes casos, a ablação não é para todos, mas pode ser considerada levando-se em conta fatores como presença ou não de sintomas, boa resposta e tolerância aos medicamentos, entre outros. - O que é Fibrilação Atrial? A Fibrilação Atrial ou FA é uma arritmia muito comum principalmente em pacientes idosos, hipertensos, diabéticos ou portadores de alguma anomalia cardíaca, caracterizando-se por batimentos cardíacos rápidos e irregulares. É fonte de muita preocupação, pois pode não causar sintomas e levar ao AVC (“derrame”) se não diagnosticada e tratada adequadamente. - Percebi que você chama a ablação de procedimento. Não é uma cirurgia? É um procedimento cirúrgico minimamente invasivo. São realizados apenas pequenos furos (punções) na região da virilha e, eventualmente, no pescoço. Não são necessários grandes cortes e, nos casos mais simples, é realizado apenas com uma sedação leve. O paciente permanece internado em média por um dia, sendo geralmente liberado para casa no dia seguinte ao procedimento e podendo retomar suas atividades plenas em três dias.


Turismo

Ocupação de hotéis despenca e quartos podem virar coworking Seguindo uma tendência em crescimento, cada vez mais os editores da Revista Conexão Paraná (RCP) estão investindo e apostando cada vez mais no sistema digital como plataforma de interatividade com seus leitores da versão impressa. A edição de fevereiro deverá ser experimental com esta nova tendência: a edição estará direcionada em 505 para seus assinantes digitais. Como referência, algumas matérias somente estarão disponíveis para assinantes do impresso e do digital. Um levantamento feito pela Fohb (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil), apontou que a taxa de ocupação dos hotéis no país ficou em 56,7% em 2016, 6,3% a menos que no ano anterior. Houve queda também no RevPar (receita por apartamento disponível), de 3,7%. A instituição defende que, às vezes, é possível compensar a ocupação com uma maior diária média, mas o RevPar mostra que a receita caiu em um momento de mais gastos com pessoal, taxas de comissão, luz e água. Em cidades sem tradição em destinos turísticos ou de eventos, a taxa de ocupação ainda ficou mais preocupante e alguns empreendedores hoteleiros em cidades do interior paranaense como Londrina, Maringá, Ponta Grossa, Cascavel, entre outras, já estudam a possi bilidade de repaginar os quartos ociosos em coworking- escritório compartilhado. A única exceção pode estar em hotéis de Foz do Iguaçu, que como um dos principais destinos turísticos paranaenses ainda registra índices aceitáveis de ocupação. O coworking vem sendo uma tendência crescente. O escritório compartilhado pode ser virtual, ter sala de reunião, sala privativa, consultórios e eventos. Esta tendência já está sendo assimilada por alguns hotéis da rede hoteleira carioca. Após a euforia da Olimpíada, os hotéis do Rio de Janeiro estão experimen tando uma perigosa ressaca. A taxa de ocupação despencou e alguns empreendi mentos estão adaptando seus apartamentos em salas comerciais. A reportagem apurou que pelo menos três empreendimentos hoteleiros no interior do Paraná e dois na capital, deverão seguir esta nova tendência originada pela crise e a baixa ocupação do sistema hoteleiro. Coworking é uma nova forma de pensar o ambiente de trabalho. Seguindo as tendências do freelancing e das start-ups, os coworkings reúnem diariamente milhares de pessoas a fim de trabalhar em um ambiente inspirador. Essa união de pessoas permite que mais e mais escritórios se espalhem pelo país.

Ponta Grossa

Prefeitura assume administração turística do Parque de Vila Velha A prefeitura de Ponta Grossa, a 100 Km de Curitiba e o Governo do Estado iniciam parceria para a exploração do uso de atendimento ao público no Parque Estadual de Vila Velha. A decisão do município foi tomada em reunião com o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e Paraná Turismo, nessa sexta-feira (6) no início de janeiro. O município passa a participar do atendimento ao público com monitores e guias turísticos, realização de novos atrativos, comunicação visual e marketing do parque em parceria com o órgão ambiental que continuará como responsável pela gestão da Unidade de Conservação. Demais atividades de conservação e manutenção do local continuarão sendo de responsabilidade do IAP. “Minha reivindicação de assumir o Parque é visando fomentar o turismo, aumentando o fluxo de visitantes. Envolveremos os empresários, as indústrias e a população em defesa do desenvolvimento turístico na cidade de Ponta Grossa”, declara o prefeito, Marcelo Rangel. A parceria, com os cronogramas e projeções, será oficializada no início de fevereiro. “O importante é que o parque estará novamente inserido no contexto do município de Ponta Grossa, sendo cuidado e pensado pelas pessoas da cidade no qual ela faz parte. Afinal, só se preserva aquilo que se conhece e participa”, explica o presidente do IAP, Luiz Tarcísio Mossato Pinto. Ainda estamos na fase na formalização da parceria, com análises técnicas, jurídicas e econômicas. “Hoje Ponta Grossa tem uma estrutura muito melhor que anos anteriores, disponibilizando uma rede gastronômica aos visitantes e fazendo com que eles cheguem mais rápido até a cidade através do aeroporto ”, afirmou Rangel. Além da parceria, o presidente do IAP também garantiu na reunião que a visitação na Lagoa Dourada e Furnas deverá voltar a ocorrer na segunda quinzena de janeiro. “Estamos providenciando a ajuda de mais motoristas do

Estado para os ônibus levarem os turistas até esses locais e reabrir os passeios e não prejudicar os turistas que forem até o parque”, afirmou Tarcísio. Rangel ainda destacou que pretende elaborar eventos coorporativos no Parque, abrir espaço para eventos ecumênicos na igreja e firmar parceria com agências de turismo do país. “Teremos um leque de possibilidades para serem trabalhadas, entre elas estudaremos gastronomia, festivais culturais e musicais e novos atrativos dentro do próprio parque, como o balonismo”, destaca o prefeito. O prefeito ainda afirmou que no início da próxima semana levará a proposta para a Associação Comercial e Industrial de Ponta Grossa (ACIPG). De acordo com relatório apresentado pela Paraná Projetos, no primeiro semestre de 2016 mais de 31 mil pessoas visitaram o Parque Estadual de Vila Velha. Nesse período, o local recebeu visitantes de 43 países, sendo a maioria dos visitantes do Brasil. Entre os cerca de 30 mil brasileiros, 22 mil são do Paraná e, destes, a maioria dos visitantes têm origem em Curitiba, Ponta Grossa ou Londrina. Entre os outros estados, grande parte veio de São Paulo (41%), Santa Catarina (26%) ou Rio Grande do Sul (10%). Já os estrangeiros vieram principalmente da Europa e, comparado com 2012, o número de visitantes de outros países cresceu 111%. PARQUE - O Parque Estadual de Vila Velha tem como gestor o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e foi criado em 1953 para preservar as formações de arenito e os campos nativos do Paraná. Tombado como Patrimônio Histórico e Artístico Estadual, tem mais de 3 mil hectares e diversas atrações, entre elas os Arenitos, Furnas e a Lagoa Dourada. Entre a fauna do parque, já foram encontradas muitas espécies endêmicas e ameaçadas de extinção, como o lobo-guará, bugio-ruivo, tamanduá-bandeira, jaguatirica e aves como a águia-cinzenta, papagaio-de-peito-roxo, galito, caminheiro-grande e noivinha-de-rabo-preto.


Especial

Ilustrações: Kimura Foto Imagem

Doutor Hiran Mora Castilho.

Médicos residentes do Hospital Santa Rita recebem certificados de especialistas e

Dr. Hiran Mora Castilho é homenageado com livro Em solenidade marcada por alegrias e emoções, o Hospital Santa Rita, de Maringá, entregou certificados de especialização a 17 médicos residentes e prestou homenagem ao seu fundador, Doutor Hiran Mora Castilho, com livro bibliográfico que conta toda sua trajetória, desde os bancos escolares até os dias de hoje, onde, aos 86 anos, ainda faz parte do Conselho Administrativo do Hospital. O evento foi realizado dia 10 no Giardino Eventos na presença de 400 convidados, entre amigos, médicos do corpo clínico do Hospital Santa Rita e autoridades do governo municipal. A alegria ficou por conta dos médicos residentes e de seus familiares, enquanto a emoção e lição de vida partiram do homenageado, Doutor Hiran Mora Castilho. Em um discurso otimista, o médico ortopedista, Hiran Mora Castilho, um dos fundadores do Hospital Santa Rita, pontuou sobre as várias crises econômicas passadas pelo País onde, em várias delas foi vítima, falou das dificuldades do exercício da profissão de médico na década de 50 e da fundação do Hospital Santa Rita. Voto de confiança ao Brasil Doutor Hiran Castilho, dirigindo em especial aos médicos especialistas, pediu para que dessem voto de confiança ao país que sempre soube sair das dificuldades. "Já enfrentamos crises

piores e superamos e não será diferente desta vez. Não abandonem o Brasil". Sua fala foi bastante comentada e elogiada pelos presentes porque, ali estava um homem, um cidadão altruísta que soube, como ninguém, enfrentar os desafios de anos difíceis. O evento foi comandado pelo presidente do Grupo Santa Rita, Hiran Alencar Mora Castilho, que enalteceu o corpo clínico, os médicos que acompanharam todo o trabalho dos residentes e, em especial, seu pai, quem iniciou toda esta história de sucesso do Hospital Santa Rita. O diretor do Hospital, Doutor Alvo Visoto destacou a atuação dos médicos residentes e de seus preceptores, afirmando que estão todos preparados para exercerem as especializações escolhidas. Os médicos, a maioria jovens, demonstraram toda a alegria e satisfação ao receberem, simbolicamente, um diploma de especialização. Mais emocionados ainda estavam seus pais. Trajetória de sucesso Hiran Alencar Castilho foi o responsável, também, pela homenagem ao seu pai, com o lançamento de livro que retrata sua trajetória como médico e pioneiro de Maringá. Neste inventário de suas memórias, deixa registrado sua rica história de trabalho, de

família e um legado de seis décadas no exercício da Medicina. A obra ganhou o título "Amor por Maringá, paixão pela Medicina" e foi escrita pelo jornalista Pedro Ribeiro, que passou seis meses pesquisando a trajetória do médico e entrevistando personagens que trabalharam e ainda trabalharam no Hospital, a maioria deles começaram com o próprio Doutor Hiran Mora Castilho.a Rita.

O livro


Especial cont...

O homenageado e sua esposa Edna.

Falando das motivações do registro em livro da trajetória de seu pai, o presidente do Grupo HSR citou o trecho bíblico Romanos 13, versículo 7 (a quem honra, honra), enfatizando a necessidade de honrar quem sempre honrou seus semelhantes nesta trajetória de vida de seu pai. Paulista, filho de imigrantes espanhóis, o Doutor Hiran Mora Castilho nasceu em Ipauçu, no interior do Estado de São Paulo. Fez o curso primário e fundamental em Santa Cruz do Rio Pardo e a Faculdade de Medicina em Curitiba, na Universidade Federal do Paraná, onde se formou médico em 1957. Em 1959 veio para Maringá, onde, com sua irmã, a médica Iorfinda Moura, construiu o Hospital Sant Médico das causas nobres Doutor Hiran Castilho é casado com Dona Edna e tem três filhos: Hiran Alencar Mora Castilho,

Filho e pai: Hiran de Alencar e Hiran Mora Castilho.

Maria Alice e Maria Cristina. Aí vieram netos e bisnetos que estão hoje orgulhosos do avô e bisavô. Doutor Hiran, Dra. Iorfinda, sua irmã e Dr. Francisco Capone de Mello edificaram, tijolo por tijolo, o Hospital Santa Rita, o maior da região noroeste do Estado. Conhecido e reverenciado como "médico das causas nobres no interior do Estado", o Dr. Hiran formou-se na Universidade Federal do Paraná (1957) e nestes 60 anos colocou em prática esta missão de ajuda às pessoas, procurando acompanhar o paciente e sua família por toda a vida. Tendo como fonte inspiradora o propósito de ajudar as pessoas sem se importar com a forma de pagamento pelas consultas ou pelos tratamentos, estão depoimentos de amigos e funcionários que, ao longo dos anos, foram parceiros nesta caminhada.

Médicos residentes do Hospital Santa Rita

O prefeito Ulisses Maia e sua esposa Eliane prestigiaram o evento.

Mérito ético Doutror Hiran Castilho é reconhecido, também, pelo seu histórico de ética, onde sua conduta levou o conselho da classe – Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR) a lhe conferir o diploma de Honra ao Mérito Ético, por ter completado 58 anos de formando com nenhuma punição, constituindo-se em referencial de exemplo às novas gerações. A homenagem ocorreu em maio do ano passado, em Maringá, com a presença do presidente do CRM e delegados locais. O médico foi conselheiro titular do CRM-PR na gestão de 1973 a 1978. Também foi um dos fundadores do Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Maringá e Região (Shessmar) e da Federação dos Hospitais (Fehospar).


Economia Faciap, agora presidida por um maringaense Gestões bem sucedidas em diversos setores da comunidade, possibilitaram que lideranças maringaenses assumissem cargos importantes na mais representativa entidade de classe dos empresários paranaenses. O novo presidente da Faciap é o empresário maringaense Marco Tadeu Barbosa, eleito durante a Assembleia Geral Ordinária da Faciap, realizada em Foz do Iguaçu em dezembro de 2016 (foto), junto com 42 vicepresidentes de administração e 26 membros do conselho superior. Ele foi presidente da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim) e tem na diretoria representantes de todas as regiões do Estado, inclusive vários maringaenses, como o atual presidente da Acim, o engenheiro José Carlos Cuca Valêncio, Wilson Rezende, Eduardo Araújo, Carlos Ajita e o coronel Antonio Tadeu Rodrigues, representante do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg), que assume a vicepresidência de Assuntos de Segurança.

Curitiba

A posse está agendada para 17 de fevereiro, no restaurante Madalosso, em Curitiba/PR, às 20 horas. Em todas as regiões do Estado estão sendo organizadas caravanas para irem a Curitiba no dia 17 de fevereiro para participar da solenidade de posse da nova diretoria da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap). Esta será a posse festiva, já que os novos diretores para o biênio 2017/2018 foram investidos em suas funções no dia 1º de janeiro. Em seus primeiros dias no cargo, Tadeu disse que uma de suas metas é o fortalecimento das associações comerciais das pequenas cidades. "A maior capilaridade é a da Faciap, esse é o nosso patrimônio. Para manter esta capilaridade, temos que ter todo o grupo perto. E para isto precisamos fortalecer as coordenadorias e as associações, principalmente as pequenas. Este é um desafio que estamos assumindo". Outro projeto é a criação de um novo formato para a já tradicional convenção da Faciap, realizada todos os anos. "Para a próxima edição, queremos trazer todas as entidades do setor produtivo e fazer um evento empresarial maior". Tadeu lembra que a Faciap trabalha alinhada com as associações comerciais existentes em cerca de 300 cidades paranaenses e geralmente defende assuntos que começam a ser discutidos.

Limite de renda mensal do programa Minha Casa Minha vida será ampliado O presidente Michel Temer estuda ampliar para R$ 9 mil o limite de renda mensal de famílias que podem ter um imóvel com os juros mais baixos do programa Minha Casa Minha Vida. Atualmente, o teto da faixa 3 do programa de habitação popular é de R$ 6,5 mil. O governo deve também ampliar os preços dos imóveis enquadrados no programa em torno de R$ 25 mil. Dessa forma, o preço máximo dos imóveis do MCMV, que vale para as regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, deve passar de R$ 225 mil para R$ 250 mil. Essas duas mudanças fazem parte de um "upgrade" no programa de habitação popular, que está sendo estudado pelo governo Temer. Os detalhes devem ser fechados até o final da semana que vem. Segundo uma fonte a par das negociações, a ideia é revigorar o programa para enfrentar a nova realidade econômica. As últimas alterações desses valores tinham sido feitas em 2015, quando a ex-presidente Dilma Rousseff anunciou a terceira etapa do programa de habitação popular. As novas regras devem ser anunciadas em fevereiro para que o programa esteja rodando a todo vapor a partir de abril. "Vamos abrir uma nova faixa de brasileiros possam ter acesso ao programa", disse um integrante do governo. "Vamos dar mais subsídios nas faixas de juros para dar um empurrão maior no acesso aos imóveis e estimular mesmo a produção", completou, mas com "absoluta responsabilidade", ressaltou. Preocupado com a retomada da economia, Temer aposta em um pacote de medidas para a construção civil para impulsionar a atividade, como antecipou o jornal O Estado de S. Paulo. A indústria da construção apresentou ao Ministério do Planejamento um conjunto de ações que pode aumentar as contratações das faixas 2 e 3 do MCMV

de 250 mil unidades para 400 mil unidades em 2017. O governo vai cobrar o setor o cumprimento dessas metas. A meta de construção da faixa 1 é de 170 mil unidades e da faixa 1,5 é de 40 ml unidades. Pela proposta - que está sendo costurada pelos ministérios das Cidades e do Planejamento e Caixa haverá um aumento nas rendas de todas as faixas do programa, exceto a faixa 1 (destinada a famílias com renda mensal de até R$ 1,8 mil). Para esse público, o governo chega a bancar até 90% do valor do imóvel, com subsídios. Na nova faixa 1,5, por exemplo, a renda deve subir para R$ 2,6 mil - atualmente, apenas famílias com renda de até R$ 2.350 podem ter direito ao subsídio de até R$ 45 mil na aquisição de imóvel, de acordo com a localidade e a renda. Ao mesmo tempo, os juros cobrados nos financiamentos do Minha Casa também devem subir. Para as famílias com renda de R$ 9 mil, os juros devem ser de 9% ao ano. Atualmente, os juros cobrados para a faixa 3 são de 8,16% ao ano. Mesmo assim, eles continuarão mais baixos do que as taxas cobradas nos empréstimos à casa própria enquadrados no Sistema Financeiro Habitacional (SFH), que variam entre 11% e 13% ao ano. No SFH, o limite do valor do imóvel é de R$ 750 mil nas regiões metropolitanas de SP, RJ, MG e DF. O vice-presidente de Habitação do Sinduscon-SP, Ronaldo Cury de Caputa, disse que as alterações devem impulsionar o setor, caso a economia continue se recuperando. "O déficit habitacional no País ainda é muito grande. A demanda por casa só depende de boas condições", afirma. Para o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), José Carlos Martins, o mercado está "ávido" por essas mudanças.


Cultura

PERSONALIDADE DO ANO- A entrega oficial do Prêmio Working de Jornalismo que auferiu ao advogado Anderson Alarcon o título “Personalidade do Ano”, será entregue neste dia 23 de fevereiro, durante jantar de abertura do ano cultural da União dos Profissionais das Artes, Jornalismo e Literatura –Unijore-. Entidade que o homenageado é associado. LETRAS- Outra entidade literária da cidade, a Academia de Letras de Maringá, também iniciou neste mês de fevereiro sua temporada de reuniões e realizações para 2017. Inaugurou seu próprio site, empossou três novos acadêmicos, fez a prestação de contas do exercício 2016 e esboçou o planejamento de realizações para o período. NOVIDADES- O setor cultural em Maringá promete muitas novidades ainda para este primeiro trimestre de 2017. Entre as novidades que deverão ganhar formato deverá ser a cessão de um espaço público que estava inativo, para implantar a primeira semente do Museu da Literatura e da Imprensa, campanha que vem sendo liderada pela Unijore.

Custo para assistir a palestra de Sergio Moro chega a C$250,00 Longe de questionar a capacidade e eficiência do magistrado que comanda a Lava jato, já começou repercutir negativamente nas redes sociais o valor exorbitante de ingresso para assistir a palestra do juiz federal Sergio Moto, marcada para dia 17 de março em um centro de eventos em Maringá. O valor pode atingir até R$ 250,00. Ninguém tem dúvidas que Sergio Moro é um dos palestrantes mais requisitados deste país pela repercussão das decisões judiciais proferidas pelo juiz federal no escândalo envolvendo prisões e delações das várias fases Operação Lava Jato, valorizando sobremaneira os custos operacionais de suas viagens para diversas cidades brasileiras e internacionais. O que está se questionando é a forma de distribuição da renda deste evento, “que deveria ser mais transparente” como lembram os críticos de plantão. Uma das perguntas mais pertinentes é relacionada ao percentual da renda destinada a APAE: será da arrecadação bruta da bilheteria ou líquida após pagar o aluguel do centro de eventos, apoio logístico da viagem do juiz, etc.

Início do Museu da Literatura e da Imprensa pode estar no 2º piso do Teatro Calil Haddad A criação do Museu da Literatura e da Imprensa, movimento cultural liderado pela União dos Profissionais das Artes, Jornalismo e Literatura (Unijore) e a ocupação de uma cadeira nas decisões do setor cultural da cidade, foram devidamente documentadas neste início de 2017. A primeira, foi no dia 2 de fevereiro quando uma comissão de sócios foi recebida no Teatro Calil Haddad pelo Secretário de Cultura Rael Tofollo e gerentes setoriais. Integrada pelos sócios Joel Cardoso (presidente), Jaime Vieira (Vice-presidente), Railda Masson (Núcleo Literatura). Mieko Matsubara (acervos e bibliotecas) e Maria Inês Botelho (Núcleo Arte e Cultura), o primeiro a receber os unijorianos foi o secretário de Cultura Rael Tofollo . Na sequência, por gerentes e diretores de núcleos culturais, como Leila Domenice ( gerente de patrimônio histórico) João Laércio (historiador) Estela Codato (gerente de Biblioteca) para saber detalhes deste projeto.

Com o secretário Rael Tofollo

Na visita, criou-se a expectativa em ocupar o espaço onde está o mobiliário vazio (biblioteca) do emérito Bento Munhoz da Rocha. O local seria ocupado em caráter provisório e o histórico móvel da biblioteca, hoje vazia, seria ocupado com as obras dos autores maringaenses. “Pode estar aqui a semente da criação definitiva do Museu, cuja tendência é de pertencer ao espaço cultural que se pretende com a ocupação do Cine Teatro Plaza em um futuro próximo”, lembrou o presidente da Unijore, jornalista Joel Cardoso. Com parecer favorável dos dirigentes culturais envolvidos e do próprio prefeito Ulisses Maia, um ofício foi encaminhado ainda na sexta-feira (3) ao setor cultural da Prefeitura para o parecer jurídico desta ocupação no espaço ocioso no segundo pavimento do Calil Haddad. Uma cópia do ofício foi entregue em mãos ao prefeito Ulisses, que após oficializar o recebimento, deu esperanças para o êxito do pedido. O teor pode ser lido na íntegra no link www.portalglup.com/ unijore

Com o prefeito Ulisses Maia


Gastronomia Em Itajuba- Barra Velha-SC, música clássica e a culinária alemã surpreende turistas no

Tudo Alles Blau-Restaurante internacional A orla norte catarinense esconde verdadeiras surpresas gastronômicas. Principalmente para quem está em balneários localizados entre Penha, Piçarras e Barra Velha. Mais precisamente na localidade de Itajuba, distrito densamente povoado de Barra Velha. Foi em Itajuba que a reportagem descobriu um restaurante internacional, o Tudo Alles Blau, indicado por um ex-maringaense, o pianista José Acácio, atração artística nos finais de semana do Alles Blau. A tradição de 17 anos da culinária alemã é garantida pelo alemão naturalizado brasileiro Norbert Dohnan e sua esposa Lucimara. Além de pratos típicos do cardápio alemão, oferece três saborosas cervejas artesanais (inclusive a de trigo) e uma receita alemã de panquecas de diversos sabores e vencedoras de diversos concursos culinários no Estado de Santa Catarina. Estando naquela região, não deixe de fazer sua reserva pelo telefone 47. 3457.6947.

Self - Service Fone 44. 3224-6866 44

Av.Independência 122

3025-4709

Av. Brasil, 4476 (Em frente ao PAM) - Maringá-Pr

Fone:

3245-1622

Rua Luis Lonardone n° 20 / Mandaguaçu-PR

grafica

3031-6778

Fone: (44) Avenida Cerro Azul, 108 - Zona 02


Agricultura

Grãos

Paraná inicia colheita em safra recorde de verão O Paraná iniciou a colheita de uma safra recorde de grãos de verão, alavancada pelo desempenho das lavouras de soja, milho e feijão. A Secretaria Estadual da Agricultura e Abastecimento prevê que sejam colhidas 23,3 milhões de toneladas nesta safra 2016/17 volume 15% acima do mesmo período do ano passado, quando a colheita de verão rendeu um volume de 20,2 milhões de toneladas. “Apesar da economia desorganizada e o sentimento de desalento, o produtor investiu muito em tecnologia, porque tem a convicção do seu negócio, da sua atividade, que é a agricultura e a pecuária”, afirma o secretário Norberto Ortigara. “Com condições melhores de clima, o resultado é extremamente positivo, com expectativa de safra recorde”, diz. Segundo ele, com o avanço e consolidação da colheita, a produtividade das lavouras pode melhorar ainda mais. “Se houver bom clima durante o andamento das três safras cultivadas no Paraná, poderemos atingir o volume de 40 milhões de toneladas de grãos em 2017, o que será outra marca recorde”, disse Ortigara. ATUAÇÃO DO ESTADO - O secretário reiterou que esta pode ser a melhor safra dos últimos anos e atribuiu também ao conjunto de ações que vem sendo executadas pelo Estado, particularmente pela Secretaria da Agricultura e Abastecimento e empresas vinculadas. Ele citou como exemplo o programa de manejo integrado de solos e água, plantio direto com qualidade, capacitação técnica de produtores e técnicos, que proporciona um aprendizado do processo de inovação e modernização com a introdução de novas técnicas e o uso de novas máquinas. “São ações que alavancam o aumento da produtividade e facilitam o avanço do Paraná para a prática de uma agricultura de precisão no médio e longo prazo”,

complementou. Para o diretor do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, Francisco Carlos Simioni, a safra paranaense chega em um bom momento e contribui para o Brasil alcançar o volume de produção de 215 milhões de toneladas, que está sendo esperado. O Paraná, de acordo com Simioni, oferece ao mercado nacional e internacional produtos de qualidade e com preços competitivos. Por isso pode ser beneficiado pelo “efeito Trump” no mercado mundial, cujo impacto poderá favorecer o agronegócio do Brasil e da América Latina. “Dependendo da habilidade de negociação das nossas lideranças, teremos oportunidades para a conquista de novos mercados, o que trará mais renda para os produtores rurais e para a movimentação da economia como um todo”, afirmou. SOJA - A produção de soja deverá atingir volume recorde de 18,3 milhões, apontou levantamento do Deral, referente ao mês de janeiro deste ano. Se essa expectativa se confirmar a safra será 11% maior do que no ano passado, quando o volume colhido atingiu 16,5 milhões de toneladas. De acordo com o economista Marcelo Garrido, chefe da Conjuntura Agropecuária do Deral, a lavoura foi favorecida pelo clima bom, durante quase todo o ciclo de desenvolvimento da lavoura, e investimento do produtor em tecnologia. A colheita começou de forma um pouco lenta, porque o plantio no ano passado atrasou em função do clima frio na época. Mas a partir da próxima semana, a tendência é de aceleração e muitas máquinas estarão em campo para a colheita em praticamente todo o Estado.

“O avanço da colheita poderá revelar também uma produtividade acima da média estimada pelo Deral”, adiantou Garrido. Atualmente a produtividade prevista é de 3.497 kh/ha, 12% superior a do ano passado. Até agora, cerca de 14% da produção a ser colhida já foi vendida, ritmo mais lento que no ano passado, quando nessa mesma época 34% da safra já estava vendida. Segundo Garrido, o produtor está capitalizado e não está ansioso por vender antecipadamente. “Ele acredita que o preço ainda pode melhorar”, disse. PREÇO - Atualmente a saca de soja está sendo vendida em média, por R$ 67,00 no Paraná 5,64% a menos que no mesmo período do ano passado quando a soja era vendida por R$ 71,00 a saca. Garrido alerta o produtor que este ano a conjuntura está diferente, com prenúncio de excesso de oferta e muita especulação com relação a perdas em lavouras de soja na Argentina. “Há uma superoferta de soja no mundo, sendo uma safra de 108 milhões de toneladas nos Estados Unidos e 103 milhões de toneladas no Brasil. Na Argentina, fala-se em perda de 5 milhões de toneladas de soja por causa de chuvas, mas isso ainda não foi confirmado”, completou. Por outro lado, há o risco de concentração da colheita de soja a partir de fevereiro. Segundo o técnico, com medo de ocorrência de chuvas que podem provocar perdas na colheita, como aconteceu no ano passado, o produtor pode concentrar a colheita na primeira semana do mês de fevereiro, principalmente na região Oeste. Essa antecipação, com muito trabalho em determinado período, é sempre um risco para o produtor, explicou.


Consumo

Contas de telefone estão mais caras desde janeiro aumento de tarifa ou preço de serviços. Em nota, a agência reguladora esclarece que o reajuste dos planos básicos das concessionárias de telefonia ocorre anualmente e é homologado sem o acréscimo de impostos. O último reajuste aprovado pela Anatel foi em setembro de 2016.

Decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que as empresas de telefonia fixa e móvel recolham o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o valor da assinatura básica mensal. Os valores variam de acordo com o estado e o tipo de plano oferecido pelas operadoras. As empresas de telefonia que ainda não recolhiam o imposto estão comunicando aos clientes o reajuste dos planos. De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), não se trata de

O valor recolhido pelas operadoras com o imposto é repassado aos estados. A cobrança do ICMS é feita conforme regras definidas pelas secretarias de Fazenda estaduais, que definem a alíquota de ICMS que incidirá sobre os serviços de telecomunicações. Segundo o SindiTelebrasil, as prestadoras de telecomunicações apenas recolhem os tributos cobrados sobre os serviços e repassam integralmente aos cofres públicos. De acordo com o SindiTelebrasil, a carga tributária do país é uma das maiores do mundo e representa cerca de 50% da conta dos serviços. Segundo a Anatel, a cobrança do ICMS é obrigatória pelas

empresas prestadoras de serviço de tele comunicações e o acréscimo é repassado aos consumidores, independentemente do plano adquirido. STF A questão chegou ao Supremo Tribunal Federal (STF) por meio de um recurso do governo do Rio Grande do Sul, que recorreu de decisão da Justiça gaúcha. No julgamento, o Tribunal de Justiça entendeu que o serviço de assinatura básica oferecido pelas operadoras aos consumidores não pode sofrer incidência do ICMS por tratar-se de um serviço complementar. Por 7 votos a 2, seguindo voto do relator, ministro Teori Zavascki, o STF entendeu que a assinatura básica faz parte da prestação do serviço de telefonia e, dessa forma, o imposto deve ser cobrado. Uma das reações imediatas do consumidor é migrar para o sistema pré-pago da telefonia fixa e móvel.

Página pet GUGU, o Mascote

Com que idade um cachorro é considerado adulto? que são classificadas como porte pequeno ou porte médio. Já os cães de raças que chegam a um porte grande ou gigante não são considerados “cães adultos” aos 12 meses de vida. Normalmente, os cães que possuem estes portes se tornam adultos em 18 meses ou até mesmo 24 meses (2 anos de idade). Para um entendimento melhor, segue abaixo a classificação de acordo com o porte e seu amadurecimento. Porte Pequeno: Essa classe de cães é a preferida para companhia. Normalmente, eles são criados dentro de casa, sendo na maioria das vezes criados em apartamentos, já que seu tamanho não necessita de tanto espaço como animais maiores. Eles pesam no máximo em torno de 10 kg. Sua vida adulta se inicia entre 10 a 12 meses de idade.

Os cães domésticos possuem muitas raças e portes, fazendo com que cada uma possua suas características e necessidades próprias.

criados em casas que possuem um quintal grande ou em chácara. Pesando na sua fase adulta mais de 40 kg, só é considerado um cão adulto aos 2 anos de idade. É importante que a troca de ração de filhote para de cão adulto seja feita de forma gradual e não de um dia para o outro. Por mais que seu animal adore a ração de filhote, quando ele tornar-se adulto fica obrigatória a troca de ração, visando suprir a necessidade nutricional da fase adulta. É sempre importante o tutor conversar com o médico veterinário de sua confiança para escolher a melhor ração para seu cão.

Porte Médio: Normalmente são cães ótimos para quem tem casa, visto que necessitam um pouco mais de espaço comparado com os de raça pequena. Pesam entre 11 a 25 kg e sua maturação ocorre as 12 meses de vida.

Ao contrário do que muita gente pensa, os cães não necessariamente se tornam adultos com 1 ano de idade (12 meses).

Porte Grande: São animais que necessitam de bastante espaço para ter uma vida de qualidade. O seu peso varia de 25 a 40 kg. É considerado adulto aos 18 meses de idade.

Essa afirmação pode até ser considerada verdadeira quando se é apontado certas raças

Porte Gigante: Esses animais devem ser

44-3024-4535 Av. Humaitá, 870 - Zona 4 - Maringá PR


Revista Conexão Paraná - Fevereiro 2017  

Revista Conexão Paraná - Fevereiro 2017

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you