Issuu on Google+

ANO VIII | NÚMERO 86 | MAIO 2013

Cuidando da saúde financeira Manter a qualidade de vida também é essencial para o sucesso dos empresários


Certificação Digital agora na Federação das CDLs Proteção garantida para você e para sua empresa com apenas um click! Conheça as vantagens de ter acesso a um documento eletrônico, que favorece ao usuário (pessoa ou empresa) se comunicar e efetuar transações eletrônicas de maneira rápida, sigilosa e com validade jurídica.

A Certificação Digital permite:  Comprovar sua identidade na internet.  Acessar os serviços da Receita Federal.  Autenticar-se em sites com certificação digital.

 Realizar a troca mais segura de dados e mensagens, com total privacidade das informações.

I N F O R M AÇÕ E S : Federação das CDLs do Ceará Rua 25 de Março, 988 – Centro – Fortaleza – CE Fone: (85) 3464.5584 certificadodigital@fcdlce.com.br www. fcdlce.com.br

IMAGENS MERAMENTE ILUSTRATIVAS.

 Assinar digitalmente documentos eletrônicos com validade jurídica.


Palavra do Presidente

Aquecendo o comércio no mês de maio Expediente

Conjuntura do Comércio é uma publicação mensal editada pela CDL de Fortaleza. DISTRIBUIÇÃO GRATUITA.

Presidente Francisco Freitas Cordeiro

1° vice-presidente Pio Rodrigues Neto

2° vice-presidente Francisco Deusmar de Queirós

Diagramação

Mês das Mães. A comemoração desse dia, especial por si só, traz também boas expectativas para o comércio, haja vista ocorrer maior movimentação no varejo e aumento nas vendas, nessa que é a segunda data comemorativa mais importante para o nosso setor, depois do Natal. As boas perspectivas também se destacam no cenário externo, que caminha para uma estabilidade nos próximos meses, devido à economia americana e chinesa. Já no front interno, o governo deverá adotar medidas para desonerar algumas atividades de maior impacto, além de acelerar os investimentos do PAC. Outra boa notícia é que este mês a CDL de Fortaleza retoma suas ativida-

Freitas Cordeiro presidente@cdlfor.com.br

des no projeto CDL Móvel. É nossa intenção possibilitarmos aos lojistas uma formação de qualidade, por meios dos cursos que serão ministrados por professores da Faculdade CDL, bem como fomentar a qualificação dos profissionais do comércio para que melhor administrem seus pontos de venda. Que em maio o sucesso seja o resultado maior das iniciativas de todos nós!

Antonio Henrique Silva Lima Everton Sousa de Paula Pessoa

Produção textual Fernanda Lima

Estagiária de jornalismo Daniele de Andrade

Jornalista responsável Dégagé Assessoria

Ne s t a E d i ç ã o Faculdade CDL Comércio eletrônico: um mercado em ascensão 5

Tiragem 10.000 exemplares

Impressão Celigráfica

Sugestões e comentários gerencia.marketing@cdlfor.com.br Rua 25 de Março, 882 – Centro CEP 60060-120 – Fortaleza – CE Fone: (85) 3464.5572 www.cdlfor.com.br

NOSSA MISSÃO Coordenar a integração e o desenvolvimento sustentável do comércio de Fortaleza, preservando os interesses coletivos, a responsabilidade socioambiental e os princípios do associativismo. MISTO Papel produzido a partir de fontes responsáveis

Especial Brasil 2014 Personagens nada secundários 7 Case de Sucesso Irresistível sabor de vitória 8 Associativismo A verdadeira rede social 9 Especial Boas vendas o ano inteiro 10

Matéria de Capa Cuidando da saúde 12 Economia & Mercado A dúvida do crescimento 14 Responsabilidade Social Além da zona de conforto 16 Tecnologia Descomplicando o acesso à internet 17 Federação em Ação Desbravando territórios 18

MAIS: Aconteceu na CDL 4

O que vem por aí 4

CDL Jovem Inspiração para jovens empresários cearenses 19 Liderança & Gestão Para crescer é preciso oportunizar! 20 Como Fazer Equipe engajada = Cliente conquistado 21 Aprendendo na Prática Como gerar resultados 22 Diálogo com o Empresário 6

www.fsc.org

Consciência Ambiental Comprovada

twitter.com/cdlfortaleza

Curta a CDL de Fortaleza no Facebook CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

3


Aconteceu na CDL

CDL de Fortaleza recebe visita de João Carlos Paes Mendonça O que vem por aí Messejana receberá a primeira CDL Móvel do ano

O

presidente do Grupo JCPM esteve, no último dia 04 de abril, na sede da CDL de Fortaleza para uma reunião com o presidente da entidade, Freitas Cordeiro. Na pauta: a construção do Shopping Riomar, em Fortaleza. Os empresários

conversaram sobre os benefícios que o empreendimento, localizado no bairro Papicu, trará para a população que mora no entorno, a geração de empregos diretos e indiretos e a capacitação dos profissionais que trabalharão no shopping.

“Como aplicar estratégias poderosas para encantar o cliente”

Diário do Nordeste recebe Prêmio Mérito Lojista

Este foi o tema do primeiro Ciclo de Palestras de 2013, realizado em 25 de abril, na sede da CDL de Fortaleza. O palestrante Marcos Braun, que também é consultor e professor de MBA, fez uma analogia ao mundo encantado da Disney para explicar quais estratégias os empreendedores precisam ter para cativar seus clientes.

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas realizou no dia 18 de abril, em Brasília, o Prêmio Mérito Lojista Brasil 2012. Durante o evento, fornecedores, prestadores de serviços e imprensa foram agraciados com um troféu, simbolizando a Deusa da Fortuna. Entre os premiados, o Jornal Diário do Nordeste foi reconhecido pelo conjunto de ações desenvolvidas em prol do varejo cearense.

81º Seminário Nacional de SPCs

Nos últimos dias 18 e 19 de abril foi realizado o 81º Seminário Nacional de SPCs. O evento reuniu representantes das CDLs, SPCs, FCDLs e empresários do comércio varejista de todo o Brasil para discutir temas relevantes para o desenvolvimento do setor.

4

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

A CDL de Fortaleza estará na EEEP José Barcelos, de 20 a 24 de maio, oferecendo vantagens ao comércio local e levando benefícios à comunidade. O projeto, que já está em sua 32ª edição, traz algumas novidades este ano, além das melhores soluções até você. Não fique de fora! Ligue (85) 3464-5512 para mais informações.

Ciclo de Palestras: “Conheça seu dinheiro” Esta é a temática do próximo Ciclo de Palestras CDL, que será realizado dia 21 de maio, às 18h30, na sede da CDL de Fortaleza. O palestrante Cristiano Mendes Viana, técnico do Banco Central do Brasil, debaterá os elementos de segurança nas cédulas do Real. A inscrição é 1 kg de alimento não perecível. As vagas são limitadas. Participe! Mais informações, ligue (85) 34333012 ou 3013.


Faculdade CDL

Comércio eletrônico: um mercado em ascensão De olho nos negócios virtuais, a Faculdade CDL lança em julho deste ano o curso de Varejo On-Line

A

internet vem alterando, significativamente, as relações entre empresas e clientes. É cada vez maior o número de pessoas que buscam informações em redes sociais e sites concorrentes para saber mais sobre o serviço ou produto que querem comprar virtualmente. A tendência, segundo pesquisas, é que o varejo on-line, também conhecido como comércio eletrônico, aumente ainda mais sua importância nos próximos anos, devido a uma elevada elasticidade de crescimento e também motivado pelos eventos esportivos, onde as vendas de um modo geral, inclusive as virtuais, devem aquecer. De acordo com a e-bit, empresa especializada em dados desse setor, as vendas do comércio eletrônico brasileiro em 2013 devem atingir 28 bilhões de reais, crescimento de cerca de 24% sobre os 22,5 bilhões de reais faturados em 2012. “A tendência é que o ano apresente resultado melhor que 2012, em virtude da retomada do crescimento econômico e da aceleração das vendas de dispositivos móveis como tablets e smartphones”, afirma a e-bit. Diante desse cenário, a Faculdade CDL, de olho no momento atual, está elaborando um curso que será denominado de Varejo On-Line. Segundo a coordenadora Acadêmica da Faculdade CDL, Profª Dra. Meirijane Anastácio, o curso será bastante inovador e contará com a participação de três professores, todos experts no assunto, sendo um deles atuante no mercado nacional e internacional. O objetivo do curso, de acordo com a coordenadora, “é estimular o lojista que pretende entrar nesse novo mundo de vendas,

A Faculdade CDL, de olho no momento atual, está elaborando um curso que será denominado de Varejo On-Line.

alertando-o para detalhes e cuidados que a empresa deve ter”, afirma. A coordenadora ainda revela que a ideia de elaborar o curso surgiu de um fato sinalizado pela e-bit. De acordo com a empresa, o mercado do comércio eletrônico tem crescido sensivelmente para o pequeno varejo, ou seja, não apenas o grande

varejista, mas todos de um modo geral podem atuar neste mercado promissor. “E uma vez que a maioria dos associados da CDL de Fortaleza são pequenos empresários, acreditamos que será mais um serviço de excelência que disponibilizaremos para eles”, complementa Meirijane. O curso de Varejo On-Line, que está previsto para iniciar em julho deste ano, contemplará também as mídias sociais no seu conteúdo programático. “Denominamos essa disciplina de “Social Commerce”, aqui entendido como a interseção entre o comércio eletrônico e as redes sociais”, conclui Meirijane. Ficou com vontade de inovar o seu negócio? Então não perca essa oportunidade! Invista no seu conhecimento e colha os frutos desse novo mercado. Entre em contato com a Faculdade CDL para mais informações: 3433-3048 (falar com Manuela Furtado – supervisora dos Cursos de Extensão). CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

5


Diálogo com o Empresário

Estamos vivendo uma revolução. Prepare-se para um novo mundo fiscal

Cassius Regis Coelho Presidente do Conselho Regional de Contabilidade

presidencia@crc-ce.org.br

No Brasil, criticamos as políticas públicas e os projetos governamentais por serem caros, ineficientes, inacabados, inacessíveis e não transformarem a vida do cidadão ou das empresas. Porém, se falarmos sobre os projetos fiscais e tributários, o avanço é impressionante. Em poucos anos, os sistemas de arrecadação e monitoramento fiscal foram aperfeiçoados e ganharam agilidade e abrangência jamais imaginada. Com rápida implementação, reconhecemos que o

Sistema Público de Escrituração Digital é uma realidade mais do que presente para a maioria das empresas brasileiras. No entanto, ainda são muitos os casos de empresas que não conseguiram adequar os seus processos comerciais de gestão, contábeis e fiscais, não atendendo aos prazos para envio das informações. Para o Fisco, é questão de tempo conhecer os detalhes da operação das empresas, avaliar impostos recolhidos, volume de

Mulheres em destaque Homenageando, promovendo, abrindo discussão, levando a reflexões: Mulheres em Destaque foi uma realização da ALFE, em parceira com o Centro Industrial do Ceará, que promoveu palestra com o tema “O Papel da Mulher no Universo Contemporâneo”. O evento teve a participação de todo o mercado empresarial feminino, com ações direcionadas aos negócios, qualificação e promoção, onde foram homenageadas cinco mulheres da sociedade local, pelas histórias e contribuição na mudança do cenário cearense, registrado no Livro de Memórias, lançado durante o evento.

6

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

A presidente da ALFE, Fátima Duarte, e do CIC, Nicolle Barbosa, junto com suas respectivas diretorias, primaram pelos resultados, apoiadas pela CDL de Fortaleza, Sebrae, FIEC, Banco do Nordeste, Fecomércio, Sindilojas, Sinduscom e Simec, importantes parceiros nesse grandioso projeto.

vendas, movimentações de estoques e identificar eventuais desvios na legislação fiscal. Para as empresas, o caminho é mais árduo, oneroso e estressante. A exigência de informações – por meio das novas obrigações acessórias trazidas pelo SPED – é cada vez maior e carecem de tempo, recursos e muito trabalho das equipes multidisciplinares das áreas contábil, T.I., RH, comercial, diretoria, jurídico. Sem dúvida o desafio é grande e os riscos de multas e autuações é cada vez maior. Não podemos mais esperar: existe uma nova realidade que bateu à porta das empresas e já entrou sem pedir licença.


Especial Brasil 2014

Personagens nada secundários Na Copa das Confederações e do Mundo, voluntários mostram que o trabalho começa muito antes da realização dos eventos internacionais

O Jogo do Voluntário é uma das ferramentas do treinamento a distância para quem deseja trabalhar na Copa das Confederações e na Copa do Mundo de 2014.

E

ntre a população, turistas, torcedores, imprensa, aeroportos, festas públicas, Fan Fests e áreas de fluxo, muitos personagens entrarão em cena unindo e prestando apoio a cada um desses elementos durante os Mundiais de 2013 e 2014: os voluntários. Em ambos os casos, as tarefas-base dos voluntários serão prestar auxílio às operações dos eventos e suporte à gestão, atuando em todo o ciclo das duas Copas, incluindo as cerimônias de abertura e encerramento, além de ajudar à população e aos turistas antes, durante e depois dos mundiais. Para preparar as equipes em cada cidade-sede, o Programa Brasil Voluntário – coordenado pelo Governo Federal, integrado ao voluntariado da FIFA e gerido pelo Ministério do Esporte do

Brasil –, desde o início do processo seletivo tem considerado como premissas para inscrição: a idade mínima de 18 anos; habilidades e perfil de cada candidato; nível de conhecimento; disponibilidade de cada participante para trabalhar 20 dias corridos no período das Copas, com dedicação de até 10 horas de atuação por turno. O treinamento para os voluntários constam de quatro etapas: seleção, instrução virtual e presencial e atuação em campo. Atualmente, finalizando a segunda etapa, os voluntários têm recebido noções de inglês e espanhol, aulas com módulos de história do esporte e do futebol, cultura, pontos turísticos da cidade, além de participarem de um jogo virtual. Embora não haja remuneração, justamente por ser um

trabalho voluntário, ao final do treinamento será emitido certificado de participação e, durante os mundiais, o Conselho de Administração do Comitê Organizador Local e a FIFA cederão aos selecionados uniformes, alimentação em cada dia de trabalho e auxílio (dentro da cidade-sede) para que cada voluntário participante se desloque até o local das atividades. O ex-jogador Ronaldo, membro do COL, divulgou no site da FIFA o parecer de que a meta inicial de 90 mil inscrições já foi superada e que, devido à grande procura dos brasileiros para serem voluntários, o exemplo tem motivado estrangeiros de 130 países – especialmente, da América Latina – a também quererem participar, outro motivo que fez a FIFA prorrogar o prazo de inscrição do Programa. “Um alto número de interessados é a garantia de que teremos os melhores voluntários para receberem torcedores e delegações de diferentes partes do mundo em 2013 e em 2014”, aposta Ronaldo. Para ser um voluntário nas Copas das Confederações e/ou na Copa de 2014, acesse o site www.brasilvoluntario.gov.br para mais informações. Sua participação fará diferença não apenas no seu currículo, mas em eventos que entrarão para a história do esporte mundial!

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

7


Case de Sucesso

Irresistível sabor de vitória A empresa Pardal, por ampliar sua marca e a qualidade dos seus produtos, hoje é uma das líderes de mercado no segmento em que atua

C

omecei minha história com 30 picolés, vendidos na feira livre de Currais Novos (RN), em 1990, com o nome de ‘Picolé Caseiro’. Eu queria me ocupar com uma nova atividade e ajudar meu marido com as despesas domésticas”, rememora Joselma Maria de Lima Oliveira, empresária e proprietária da Pardal Indústria e Comércio de Sorvetes Ltda. Mas a simples iniciativa foi muito além da pequena cidade onde tudo começou. À medida que aumentavam as vendas de Joselma, a empresária registrou o nome da marca (inspirado em um personagem de Walt Disney) e decidiu migrar a empresa para outras cidades, como Assú e Mossoró, ambas no Rio Grande do Norte, até chegar a Fortaleza (CE), em 1994. “Fui passando de cidade em cidade, em busca de novas possibilidades”, lembra. Se no início os picolés e sorvetes vendidos por Joselma ficavam armazenados 8

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

e conservados em um pequeno isopor, 23 anos depois a Pardal Indústria de Comércio de Sorvetes Ltda. tem sua fábrica, desde 2006, situada em Eusébio (CE), sendo hoje no Estado a única empresa com laboratório microbiológico e físico-químico próprio. Com 40 mil picolés e oito mil litros de sorvete produzidos por dia, a Pardal tem uma frota formada por caminhões com baús congelados – ideais para o transporte de gelados comestíveis –, e é a única empresa do Ceará que conta e separa individualmente os produtos de acordo com os pedidos dos clientes, oferecendo preços acessíveis e conquistando amplo e variado público consumidor. Por meio do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, a empresa recicla ou reaproveita a maior parte do lixo criado e também dispõe de uma Estação de Tratamento de Efluentes, onde trata toda a água utilizada antes de devolvê-la à natureza.

Aliado a isso, os palitos utilizados nos picolés Pardal são extraídos de árvores de reflorestamento (com manejo sustentável), todo o lixo produzido pela Pardal é reciclado e, com o dinheiro arrecadado, é pago o plano de saúde dos funcionários. Indústria com a certificação PAS (Programa Alimento Seguro) – comprovando que seus produtos não oferecem risco físico, químico ou biológico ao consumidor –, a Pardal alcançou reconhecimento no mercado, preferência do público consumidor e alargou a presença nas principais redes de supermercados e varejo brasileiros. É por meio de um atendimento da melhor qualidade, tendo no cliente o seu principal foco e valor, que a Pardal saboreia (merecidamente) as vitórias que conquista por buscar se aprimorar continuamente na arte de inovar, ousar, investir e expandir o próprio negócio. A Pardal é associada da CDL de Fortaleza.


Associativismo

A verdadeira rede social Por meio do associativismo, comerciantes do varejo eletrônico unem-se e filiam-se à Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, fundamentando valores, ideais e iniciativas que fortalecem o comércio tecnológico no País

S

e antes os seres humanos sentiam vontade de aliarem-se uns aos outros na hora de cultivar uma horta, caçar, construir abrigos ou defender o próprio grupo do perigo, hoje o conceito primordial de associativismo não é muito diferente, embora seja mais amplo: ultrapassou a barreira do tempo e agora se faz presente, também, entre os profissionais da cadeia produtiva que comercializa tecnologia por meio dos mais diversos tipos de produtos e serviços. Nesse cenário, a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico tem promovido, ativamente, os interesses do e-commerce nacional e impulsionado o empreendedorismo digital por meio de uma cultura essencialmente associativista. Entidade que busca defender a economia digital do País – por meio da eficiência, credibilidade e responsabilidade social, alcançando projeção e participa-

ção internacional –, a ABComm tem congregado profissionais e empresários do segmento de tecnologia no varejo, defendendo os interesses da economia digital e atuando em defesa da livre iniciativa, tendo como alicerce as práticas do associativismo. Segundo Maurício Salvador, presidente da ABComm, “a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico surgiu da necessidade de o setor ter uma voz ativa junto às instituições governamentais. Empresas de varejo e prestadores de serviços nas áreas de tecnologia da informação, mídia e meios de pagamento são bem-vindas às discussões”. Em meio a um nicho que só cresce, uma associação para defender os interesses dos empresários digitais junto aos órgãos públicos tem feito muita diferença. Maurício explica por que: “A ABComm reúne representantes de lojas virtuais e

empresas nas áreas de tecnologia da informação, organização de eventos, portais de notícias e serviços de marketing para trocar experiências e abrir espaço para que micro e pequenas empresas tenham participação nas discussões sobre o mercado digital brasileiro”. Hoje a dinâmica do conhecimento é imediatista, a tecnologia está presente em nosso cotidiano e o comércio on-line se aprimora continuamente. Ter o apoio e a orientação de grupos preparados – como a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico –, que se servem de união e mútuo trabalho em torno de objetivos comuns, possibilita que o desenvolvimento econômico e social cresça por meio de empreendedores que valorizam o comércio digital brasileiro e alçam-no à altura para competir com grandes marcas do varejo tecnológico mundial. CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

9


Especial

Boas vendas o ano inteiro Se anualmente, nos meses de agosto a outubro, o varejo vive uma queda nas vendas, nada como criar estratégias para que seu negócio não pereça na preferência do consumidor

N

ão importa a dimensão de um ponto de venda ou empresa, o segmento do qual participa ou o tipo de gestão. Há um aspecto comum para quem atua no comércio e que muitos concordam: de agosto a outubro, anualmente, há uma queda significativa nas vendas. Passadas as principais datas comemorativas do calendário do comércio é hora de parar, refletir e formular 10

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

estratégias para não ser atingido por esse panorama. Para manter o saldo positivo no caixa não basta apenas restringir o preço dos produtos ou oferecer prêmios, brindes e imitar o concorrente de qualquer forma. É preciso conhecer os pontos fracos e os pontos fortes de cada produto e serviço que possa ver vendido e escolher o momento certo para tirar

proveito de cada um, favorecendo um ritmo contínuo nas vendas. Quer um exemplo? Em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, não existe tempo ruim para as lanchonetes Saúde no Copo. Aliás, se existe tempo ruim, a vantagem muitas vezes é maior ainda. Giancarlo Zanatello (empresário e dono da respectiva rede de franquias que vende lanches saudá-


veis, sucos, sopas e alimentos de baixa caloria) fez que o inverno sulista ficasse a seu favor. Se antes o frio era motivo para que o consumidor não saísse de casa, foi pensando nisso que Giancarlo elaborou um cardápio diferente para os dias mais frios e lançou na cidade uma promoção inusitada: espalhou na capital gaúcha, em campanha de outdoors, uma proposta para que possíveis clientes enviassem um SMS para o telefone da loja. Assim, receberiam pelo celular um vale com a maior novidade do novo cardápio: caldo quente de abóbora. O resultado foi melhor do que o esperado. Durante 45 dias de inverno, antes a estação com menos clientes nas franquias, nada menos que 2.600 pessoas foram às lojas Saúde no Copo e experimentaram o caldo. Uma média de 30% dos frequentadores ainda consumiu outros produtos, o que fez crescer o movimento das vendas em 15%. O faturamento das 16 lojas, agora com cardápios variados em qualquer estação do ano, computou seis milhões de reais para Zanatello e sua equipe. “Os clientes aprovaram o novo cardápio e mais gente passou a frequentar a loja o ano inteiro”, comemora o empresário. A exemplo de Zanatello, se em meses como maio, dezembro e março há maiores picos de vendas, devido respectivamente a datas como Dia das Mães, Natal / Ano Novo e Páscoa, nos meses em que as vendas tendem a diminuir pode ser também o momento de rever aspectos essenciais para conquistar mais consumidores para o seu negócio e fazer crescer suas vendas em qualquer período do ano. Executivos de vendas, e não funcionários Além da criatividade para elaborar e divulgar promoções de produtos ou serviços, outro fator que serve como um cartão de visitas e garantia de que clientes retornem ao seu ponto de venda é que sua equipe não seja composta apenas por vendedores, mas por um time de executivos de vendas. Como reconhecê-los ou formá-los? A característica básica é que tenham vontade de desenvolverem seu trabalho como se eles fossem os próprios donos do negócio.

Uma oferta longa passa a ser despercebida como um preço fixo, o que desvaloriza o produto e a marca, dificultando a venda quando a promoção acaba. Marcus Erb, pesquisador e consultor do instituto Great Place to Work, afirma que contratar funcionários responsáveis por suas funções, sem a necessidade de micro gerenciamento, faz muita diferença. Não importa se em período de datas comemorativas ou não, Erb atesta que “líderes de negócios vencedores geralmente ficam atentos, desde o momento da contratação, para convocarem pessoas aptas a exercerem senso de responsabilidade e a demonstrarem essa característica no trabalho no dia a dia. Cultivar uma comunidade produtiva (onde cada funcionário saiba que também é responsável pelo bem estar um do outro) e integrar todos em processos de decisão da empresa (proporcionando participação nos lucros e possibilitando investimentos em projetos da empresa), dará motivos a mais para que seus funcionários trabalhem com vontade e isso reflita em boas vendas, logo, lucro”, orienta Erb. Cuidados, planejamentos, resultados Não adianta uma loja de roupas colocar em promoção peças apropriadas para inverno, se na cidade onde a loja atua faz verão constantemente. Também não se recomenda colocar pontas de estoque em promoção por muito tempo, mesmo em fases que o comércio apresenta queda nas vendas. “Ao criar uma

promoção, a empresa precisa estabelecer um prazo para encerrá-la”, diz Bibiana Carneiro, sócia da BCME Consulting. “Uma oferta longa passa a ser despercebida, como um preço fixo, o que desvaloriza o produto e a marca, dificultando a venda quando a promoção acaba. O tempo máximo de duração deve ser três meses, senão a empresa perde a credibilidade”, ensina a consultora. Especialmente em períodos de baixa nas vendas, recomenda-se que ao colocar produtos em promoção e investir em divulgação, seja feito antes de tudo um planejamento detalhado, com metas claras a curto e médio prazo e redução temporária, mas não prolongada, de preços. Os descontos devem funcionar como um estímulo adicional e o capital de giro da loja ou empresa devem ser averiguados para pagar despesas, renovar o estoque e ousar em divulgações mais acirradas para chamar a atenção dos clientes. Quem atua no comércio, e tem paixão pela vocação de ser profissional do varejo, não pode esmorecer e permitir que a alta nas suas vendas dependam, tão somente, da maior frequência de clientes em datas comemorativas. Nada impede de o lojista, com vontade, planejamento e criatividade, fazer que o seu negócio funcione, já que clientes e oportunidades de vendas existem e podem ser criadas a qualquer momento e em qualquer lugar. CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

11


Matéria de Capa

Cuidando da saúde financeira Mais do que estratégias e planejamentos, há um fator-chave que, quando bem administrado, repercute positivamente no seu trabalho: cuidar de você

S

e em sua lista de compromissos ou prioridades não tem registrado tópicos como “atividade física”, “hobby”, “tempo livre”, “ócio”, há algo errado. E se o seu tempo livre é dispensado, em sua maioria, apenas diante da tela de um computador ou de uma TV, são grandes as chances de você somatizar ansiedade, tensão e estresse no trabalho, construindo uma verdadeira “bomba-relógio” onde o que poderá “explodir” não será apenas sua carreira profissional. Do excesso de afazeres à má conduta alimentar, noites mal dormidas e sobrecarga de trabalho, muitos são os motivos que podem influenciar uma inadequada administração da própria vida. Diante desse cenário, quaisquer deslizes tornam-se propícios para pôr a perder da menor a maior negociação, já que o “negociador” encontra-se debilitado física e mentalmente. “O empreendedor já tem dentro de si a perseverança. Basta trazer a mesma força para o esporte para que a prática regular seja possível”, explica o empresário Ely Behar, de 37 anos. Após um problema sério de saúde, Ely diminuiu o frenético ritmo de trabalho para investir parte do tempo em atividade física, que passou a praticar desde 2003. “Depois do exercício, muda tudo: o cérebro fica mais oxigenado e eu consigo lidar melhor com as tarefas do dia a dia”, afirma o empresário, que hoje intercala quatro dias de treinos de corrida com dois de musculação.

De sócio ao ócio Grosso modo, quem está no ócio não faz nada. Pelo menos é o que pensam muitas pessoas. Mas o “fazer nada” pode ser um investimento eficaz na hora de “fazer tudo”, especialmente quando diz respeito a melhorar o desempenho no ponto de venda, na empresa e na própria vida. Para se ter uma ideia, a Organização Médica Internacional (Omint) alerta que muitas são as doenças que acometem comerciantes e empreendedores como: rinite; alergia de pele; dor no pescoço ou ombros; excesso de peso; ansiedade; dor de cabeça frequente; asma ou bronquite; colesterol alto; insônia e dor crônica nas costas. Caio Soares, médico especialista em medicina preventiva da Omint, com sede em São Paulo, explica que as doenças cardiovasculares são as que mais matam no Brasil. “É uma praga silenciosa. Quando a pessoa tem hábitos alimentares considerados de risco, as artérias vão endurecendo e entupindo”. Nesse cenário, o estresse e a ansiedade, decorrentes do excesso de trabalho, podem desencadear ou agravar doenças crônicas que, associados à má alimentação, ao sedentarismo e, eventualmente, ao hábito de fumar, “formam uma verdadeira ‘bomba-relógio’ no coração”. Alexandrina Meleiros, psiquiatra do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, destaca que “quem é muito atarefado para fazer uma ativida-

de prazerosa terá que encontrar tempo, no futuro, para cuidar das doenças que poderiam ser evitadas se a pessoa tivesse um hobby para relaxar”. E foi pensando em evitar maiores desgastes mental e físico, que Gisele Friso, proprietária de uma consultoria jurídica, decidiu incluir um passatempo entre seus “compromissos”: utilizar a técnica de cartonagem para fazer caixas personalizadas uma vez por semana. “Além de ser um hobby, é o meu descanso mental. Canalizo toda a minha tensão e ansiedade, algo que não consigo fazer durante o trabalho”, afirma. Cuidar da saúde é cuidar da carreira A princípio faz-se necessário perceber os cuidados com a saúde, consultas de rotina, hobby e atividades físicas não como obrigações. Como a vida e o nosso organismo têm um ritmo de funcionamento singular, e que deve ser respeitado, é necessária a consciência de que a força de vontade, a disciplina e a organização que se empreende no trabalho são as mesmas táticas a serem aplicadas para uma melhora no tipo de alimentação a ser consumida, nos exercícios a serem praticados, nos momentos de lazer a serem vividos e nas horas de sono que não devem ser sacrificadas. Estimular o corpo e a mente aos bons hábitos precisa ser uma tarefa contínua, ideia rejeitada por muitos que veem a re-

Invista na empresa dos seus sonhos: sua vida Alimentação

 O ideal é manter um equilíbrio: carboidratos, proteínas e legumes, verduras, frutas e hortaliças nas refeições. 12

Hobby

 Colecionar passatempos pode fazer das horas de descanso um repouso que seu organismo pede há tempos.

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

Sono

 Cuidar do bem-estar, e não somente dos negócios, já é um grande passo para se ter tranquilas noites de sono.

Atividade Física

 Com apenas 30 minutos de exercícios, pelo menos três vezes por semana, sua vida se torna mais saudável.


petição – principalmente nos exercícios físicos – como algo enfadonho. Porém, a satisfação e o prazer advindos do bem-estar e expansão das nossas potencialidades e rentabilidade – seja no trabalho, no convívio com os familiares e amigos, nos estudos, etc. –, são incomparáveis. Com os sentidos mais aguçados e organismo mais disposto a trabalhar, o raciocínio lógico – tão utilizado para estudar, planejar e efetuar transações comerciais – estará mais lúcido e com maior produtividade. Se mudanças para bons hábitos fazem que quaisquer indivíduos – nesse caso, comerciantes e empreendedores – tenham uma vida melhor, como consequência uma maior predisposição ao trabalho há de se refletir, também, em maiores chances de realizar bons negócios e lucrar mais. Nesse contexto, o caminho para desenvolver a percepção do prazer em se cuidar e se dar um tempo livre vai muito além de terapias, escutar palestras sobre o assunto e conselhos dos amigos ou mesmo leituras categorizadas como “autoajuda”. Afinal, nenhuma mudança é eficaz se não se concretiza por meio de uma decisão convicta e perseverança da única pessoa que pode fazer algo por sua vida, logo, por sua carreira: você mesmo.

Mudanças para bons hábitos fazem que quaisquer indivíduos tenham uma vida melhor, como consequência uma maior predisposição ao trabalho.

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

13


Economia & Mercado

A dúvida do crescimento Mesmo com a perspectiva de futuro da crise, o governo brasileiro adota medidas de política econômica para animar a economia Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Governo aplicou medidas de desoneração tributária que também atingiu os produtos que compõem a cesta básica.

O

s cenários da economia mundial e nacional apresentam sinais que poderiam inspirar tanto visões positivas quanto pessimistas. Quando se olham os resultados alcançados em 2012 pelos EUA, China e países da Europa, as oportunidades para 2013 são consideradas positivas. Mas quando o foco são os fundamentos macroeconômicos da economia brasileira, a expectativa parece menos animadora. Em 2012, o PIB americano cresceu 2,2%, um resultado bastante favorável para quem enfrentou uma crise de grandes proporções, que culminou com uma recessão em 2009. Por outro lado, em três anos (2010-12) o crescimento acumulado já é superior a 6,5%, o que revela que a eco14

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

nomia norte-americana deve continuar crescendo em 2013. O mais interessante é que esse crescimento veio no esteio de um ajuste fiscal forte, melhorando os fundamentos da economia em longo prazo. A China cresceu 7,8% (em 2012) uma queda importante em relação à expansão de 9,3%, em 2011, mas um pouso menos forçado do que o que se esperava. Em 2013, a expectativa é que o PIB chinês possa evoluir 8%, dinamizando os países emergentes. Este ano, a Índia deve crescer 5,5%, mantendo aquecida a demanda por minério de ferro e por alimentos para toda a Ásia. Tanto EUA quanto a Ásia devem estimular a demanda por exportações mundiais. As exportações para os Estados Unidos subiram 38,8% no primeiro tri-

mestre e a Ásia passou a comprar 12,5% a mais, com destaque para a China. Na Europa a situação não apresenta melhorias significativas, fortalecendo a tendência ao pragmatismo no qual cada país tenta salvar sua economia do seu modo. A Espanha continua recebendo toda atenção, já que a taxa de desemprego volta a crescer, desta vez atingindo o recorde de 27,1%, o que a faz continuar sob a mira dos organismos multilaterais, que tentam evitar o pior. Diante desse cenário, o FMI reduziu as previsões de crescimento da economia global para 3,3%, refletindo as incertezas atualmente apresentadas, principalmente pelas economias da Alemanha, França e Espanha.


De olho nos números

7,25% Taxa de Juros SELIC

0,51%

5,7%

Inflação (IPCA-15) em abril/13

53,9%

Taxa de Desemprego em março/13

Relação Crédito/PIB em março/13

Taxa de desemprego mensal 6 5,60 5,40

5,30

5,40

5,70

5,40

5,30

5

4,90 4,60

4 SET/2012

OUT/2012

SET/2012

OUT/2012

NOV/2012

DEZ/2012

JAN/2013

FEV/2013

MAR/2013 FONTE: IBGE

Economia brasileira busca fundamentos Apesar da expectativa de que a inflação em 2013 seja menor que em 2012, algo em torno de 5,5%, o Banco Central do Brasil mudou o tom da política monetária, aumentando a taxa de juros SELIC em 0,25%, para 7,5%. A tendência, de acordo com o diretor de política monetária, Carlos Hamilton, é que o BACEN priorize o combate a inflação e não o crescimento econômico. De acordo com o economista-chefe do banco Itaú-Unibanco, Ilan Goldfanz, a taxa de juros deve subir no máximo 1 ponto percentual, finalizando 2013 em torno de 8,5%. Para ele, o combate à inflação será feito principalmente por meio de desonerações setoriais, utilizando renúncias fiscais. Merece reflexão é o fato de que os aumentos das taxas de juros feitos agora apenas refletirão na taxa de inflação em nove meses, pelo menos. Portanto, o BACEN na realidade está preocupado com a taxa de inflação de 2014.

atividade industrial, pois para expandi-la o governo tem adotado medidas de desoneração tributária (com previsão de renúncia fiscal), que deverá ser superior a R$ 40 bilhões, este ano. Tudo isso em meio a um ritmo de crescimento lento da atividade industrial, que em grande parte tem sofrido a competição com os produtos importados. De acordo com o IBGE, embora a utilização da capacidade produtiva no setor esteja se situado em 84,3%, há uma forte preocupação, pois as exportações não estão reagindo como era esperado e o mercado interno parece enfraquecer. Os dados também revelam uma taxa de desocupação ascendente, o que pode justificar um crescimento menor do consumo das famílias, aliado ao elevado grau de endividamento. É possível que em 2013 tenhamos uma economia com taxa de inflação menor, taxa de juros maior, desemprego estável e o crescimento aquém do desejado. Tudo isso devido à dúvida quanto ao crescimento.

Atividade industrial lenta Outra questão que tem preocupado o governo brasileiro é o reaquecimento da

Análise do setor de Comércio Em fevereiro deste ano, o comércio varejista no Brasil manteve-se em queda em

R$

1,99

Dólar em 24/04/2013

8,7%

Crescimento da Inadimplência em março/13

relação ao mesmo mês do ano anterior, em torno de –0,2%, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio, publicada pelo IBGE. No acumulado do bimestre, a expansão foi de 2,9%, revelando uma boa perspectiva para 2013. As vendas refletem a tendência dos indicadores de emprego e de endividamento e justificam por que o mercado interno tem apresentado momentos de crescimento reduzido. Os segmentos que apresentaram maior crescimento com relação a fevereiro/2012 foram os de Equipamentos e Material para Escritório, Informática e Comunicação (5,2%) e de Artigos Farmacêuticos, Médico, Ortopédico, de Perfumaria e Cosmético (2,4%). No Ceará, o desempenho foi menos satisfatório, com queda de –1,9%. Nos dois primeiros meses, a expansão foi de 4,1%, pouco mais que a expansão ocorrida em média em todo o País. Os segmentos que mais contribuíram com esse fraco desempenho foi o de Artigos Farmacêuticos, Médico, Ortopédico, de Perfumaria e Cosmético (32,4%), seguido do segmento de Combustíveis e Lubrificantes (9,6%). O segmento de pior desempenho foi de Equipamentos e Material para Escritório, Informática e Comunicação, com queda de 20%. Boas expectativas para o Dia das Mães De certa forma existe bastante otimismo para o desempenho das vendas no mês de maio, já que aí se celebra o dia das Mães. Este ano a expectativa de crescimento fica em torno de 7%, condicionado ao nível de inadimplência e ao crescimento da oferta de crédito. Outro fator que deve contribuir para a melhoria do resultado das vendas em maio/2013 é a expansão e aumento do salário mínimo. CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

15


Responsabilidade Social

Além da zona de conforto Empresas investem na prática da ginástica laboral como iniciativa de responsabilidade social e uma melhor maneira de cuidar dos seus funcionários

E

m muitos ambientes corporativos os colaboradores são percebidos apenas como profissionais, ao passo que – antes de tudo – são “material humano”. E se as pessoas são o principal capital de qualquer organização, porque não realizar ginástica laboral como uma ação de responsabilidade social em sua empresa, a fim de zelar pelo seu principal patrimônio? A verdade é que diante de tantos compromissos no dia a dia – especialmente no trabalho –, a ginástica laboral ainda é vista por muitos com preconceito ou como desperdício de tempo. “E os índices de sedentarismo ainda são muito altos em todo o mundo. No Brasil não é diferente. Somente 38% dos brasileiros fazem algum tipo de exercício”, alerta o educador físico William Meirelles, que também é especialista em Qualidade de Vida. “Essa mudança de visão dos gestores das organizações é mais que necessária. O Grupo Pão de Açúcar, por exemplo, há anos incentiva a

16

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

A ausência de atividades físicas favorece o estresse e pode causar queda no rendimento do trabalho. corrida de rua e conquista os próprios funcionários para a atividade”, pontua Meirelles. Outras empresas também seguem o exemplo de fazer da ginástica laboral iniciativas de responsabilidade social para com sua equipe, como o Grupo C. Rolim, M. Dias Branco e Grupo Edson Queiroz. Por que mudar? Motivos não faltam. A ausência de atividades físicas favorece o estresse, aumenta a probabilidade de lesões (devido aos esforços repetitivos) e, pior, pode causar queda no rendimento do trabalho. “Agora as empresas estão procurando prestadores de serviços para atender essa demanda do mercado de forma mais organizada e profissional”, des-

taca Valquiria de Lima, membro da Associação Brasileira de Ginástica Laboral. O recomendável é que os contratantes adquiram para sua empresa um pacote anual de serviços, cujo preço varia de R$ 800 a mais de R$ 10 mil por mês, de acordo com a quantidade de professores e o número de aulas. Três sessões de doze minutos de ginástica laboral, ao longo da semana, resultam em uma maior correção das posturas dos funcionários, alívio de tensão no pescoço, melhor circulação sanguínea nas pernas, mãos e, sobretudo, maior disposição aos compromissos profissionais. A atividade física laboral proporciona integração entre os funcionários, bem-estar entre a equipe, maior disposição e concentração no trabalho e alta produtividade, resultados que – em um período mínimo de um ano – se tornam visíveis e fortalecem a empresa, fazendo-a, inclusive, obter maior retorno financeiro. Uma iniciativa na qual vale à pena investir!


Tecnologia

Descomplicando o acesso à internet A rede de lojas Ibyte, em parceria com a Intel, conquista premiação internacional em reconhecimento a uma das mais ousadas iniciativas da empresa: o projeto Parada Wi-Fi

O

ferecer internet gratuita à população, por meio de parcerias entre órgãos do poder público e iniciativa privada. Foi com esse objetivo que o projeto Parada Wi-Fi, elaborado pela Ibyte, conseguiu conquistar para a empresa uma importante comenda: o Prêmio Intel de ações de marketing mais inovadoras de 2012 da América Latina. A premiação ocorreu no último mês de março, em Los Angeles, durante a edição 2013 do Intel Solutions Summit, um encontro mundial de tecnologia – promovido anualmente pela Intel –, que reúne empresas do mundo inteiro que atuam no segmento de fabricação de tecnologia. “É o reconhecimento de uma parceria. A Intel sempre sinaliza que todas as nossas ações de marketing são destaque e que temos uma linha de comunicação sempre muito inovadora”, afirma Pedro Ivo, diretor de marketing da Ibyte, a quem o prêmio foi entregue. E inovação foi o que não faltou no projeto Parada Wi-Fi. Ciente de que grande parte da população usa tablets, smarthphones e dispositivos afins, que se valem da tecnologia wi-fi (conexão sem fio à internet), a rede de lojas Ibyte passou a integrar – junto com vários shoppings e restaurantes – mais uma opção para favorecer conexão gratuita com velocidade de 1Mbps, sinal liberado e sem senha, podendo abranger uma distância de até 50 metros em relação à parada. “A partir do aumento do volume de tablets e celulares, e números de pesquisas falando do crescimento ao acesso a internet por dispositivos móveis, identificamos também a carência de redes wi-fi gratuitas

Com o projeto Parada Wi-Fi a Ibyte conseguiu conquistar para a empresa uma importante comenda: o Prêmio Intel de ações de marketing mais inovadoras de 2012 da América Latina. em locais públicos”, recorda o gerente de marketing da Ibyte, Nelson Gurgel. “Fizemos uma ação em Fortaleza, durante o ano de 2012, que foi norteada pelo conceito Descomplik, cujo mote é tornar a tecnologia acessível ao público”.

Durante os primeiros meses de atividade, no ano passado, o Parada Wi-Fi contemplou três paradas de ônibus na cidade de Fortaleza, em movimentados trechos da capital cearense, como as avenidas 13 de maio e Dom Luís, além de uma parada de ônibus em frente ao Shopping Iguatemi. Sobre implantar o sistema em outros pontos da cidade, o gerente de marketing da Ibyte, Nelson Gurgel, declara que a empresa continua estudando a viabilidade de ampliar o projeto e ressalta a importância da iniciativa: “Estamos pensando em algo parecido no segundo semestre de 2013”. Ao realizar o projeto Parada Wi-Fi, a Ibyte tem proporcionado – além dos próprios produtos que fabrica para comercialização – serviços de tecnologia que otimizam os compromissos pessoais e profissionais de muitas pessoas por meio da conexão wi-fi. Uma ação diferenciada de uma empresa que forma público e ousa em iniciativas inéditas, sempre à frente do seu tempo. CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

17


Federação em Ação

Desbravando territórios Uma incessante agenda de compromissos amplia a missão associativista da Federação das CDLs do Ceará que faz acontecer, mais e mais, o comércio no interior do Estado

Mérito lojista: Honório Pinheiro, Ruy do Ceará e Roque Pellizzaro. À direita e acima: Maria Valdelina Vieira, presidente da CDL de Reriutaba; Francimir Chaves, superintendente da FCDL-CE e Eliane Baltazer, secretária executiva da CDL de Reriutaba. À direita e abaixo: Francimir Chaves e Edgar Procópio, presidente da CDL de Varjota.

N

ovo Oriente é um município de 27 mil habitantes, localizado na macrorregião do Sertão dos Inhanmuns, fronteira com o estado do Piauí. Com 72% da economia voltada para o comércio, a cidade tem vivido um novo momento no segmento varejista com a fundação da CDL de Novo Oriente. Na reunião para fundação da referida CDL, fez-se presente Francisco Quirino (diretor distrital da Federação das CDLs do Ceará), acompanhado do superintendente da FCDL-CE, Francimir Chaves, além de Wagner Claudino (presidente da CDL de Crateús) e mais cinquenta empresários do segmento varejista. Francisco Quirino comemorou a abertura de mais uma CDL, onde serão implementados diversos benefícios aos lojistas da cidade: “Estamos em franco progresso! A implantação da CDL e do SPC em Novo Oriente facilitará, sobremaneira, as vendas a crédito pelos futuros lojistas associados”. Francimir Chaves (superintendente da Federação) também visitou a CDL de Irau18

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

çuba e lojistas associados, visando fortalecer o associativismo na cidade. Em pauta, Francisco da Rocha (presidente da respectiva CDL) destacou detalhes sobre as recentes conquistas do movimento cedelista cearense e as novidades sobre o SPC Brasil. Já nos dias 11, 12 e 13 de abril, Francimir conferiu diversas ações implementadas para agregar associados nas CDLs de Reriutaba, Ipueiras, Nova Russas e Varjota, como campanhas de promoção do Dia das Mães; Assessoria Jurídica; Cobrança CDL; Banco de Empregos; Certificação Digital; Rádio Centro, entre outras. “É muito importante para o movimento lojista de cada cidade implementação desses benefícios. A CDL exerce papel importante na economia do município e, em uma época de incertezas de um bom inverno, o que fará a diferença é a criatividade do comércio para não perder vendas e nem ver seu cliente sumir da loja”, declarou o superintende da Federação. Ainda no mês de abril, em Brasília (DF), Honório Pinheiro (presidente da

Federação das CDLs do Ceará) participou de reunião de Diretoria da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas – CNDL, onde exerce o cargo de vice-presidente; foi à entrega do Prêmio Mérito Lojista 2012, em Brasília (DF), que este ano agraciou com o troféu Deusa da Fortuna o jornal Diário do Nordeste, representado por Ruy do Ceará, diretor comercial do DN; e, em paralelo, participou do 81º Seminário Nacional de SPCs, evento que reúne anualmente em Brasília, mais de 500 representantes das CDLs e SPCs do Brasil. Ciente da sua missão e dos seus valores, a Federação das CDLs do Ceará tem buscado cumprir os compromissos que lhes são confiados, na avidez de proporcionar a cada lojista a possibilidade de ampliar suas percepções acerca do mundo dos negócios, para que cada vocacionado a trabalhar no comércio possa se fortalecer no mercado e participar do crescimento econômico do Estado. Que venham mais desafios!


CDL Jovem

Inspiração para jovens empresários cearenses Em evento realizado pela CDL Jovem de Fortaleza, o empresário Beto Studart contou sua trajetória empresarial, servindo de exemplo para jovens empreendedores cearenses

Persistência, metas claras, trabalho duro e compromisso são palavras constantes no discurso do empreendedor Beto Studart.

E

m alguns casos a sede pelo sucesso se manifesta desde cedo e a vocação empreendedora já é latente, mesmo quando ainda não se tem certeza do ramo profissional no qual se pretende atuar. Esse foi o caso retratado por Beto Studart, hoje presidente do Grupo BSPAR, que participou do evento Case de Sucesso, organizado pela CDL Jovem de Fortaleza. Beto Studart começou a trilhar o caminho do empreendedorismo quando ainda era jovem. Mesmo vindo de uma família onde negócios não era a profissão predominante (seu pai era médico), desde adolescente iniciou suas atividades como empresário, tendo enveredado por diferentes setores. Foi assim que iniciou o curso de Administração de Empresas, assumiu uma empresa de sua família – que

nessa época era pequena e local – e fez da Agripec uma referência nacional em produtos, insumos e defensivos agrícolas. Studart contou sua trajetória lembrando vários momentos importantes, inclusive as dificuldades, como a crise de 1995. “A crise econômica de 1995 afetou a empresa. Na época, eu ficava dentro dos bancos tentando prorrogar o que não podia ser mais prorrogado. Foi um período muito difícil. Em 1996, renegociei todas as dívidas e, desde então, nunca mais entrei em um banco. Isso foi um marco para a empresa. Depois da crise, cresci e convivi durante dez anos ininterruptos com lucros. Foi um momento incrível de crescimento”, rememorou. Em 2007, Beto Studart vendeu a Agripec para a empresa australiana Nufarm

e, apesar de na época acreditar ter sido um bom negócio, questionou-se sobre o que faria de sua vida naquele momento. Decidiu, então, iniciar sua trajetória na área de Construção Civil, com a abertura da BSPAR Incorporações, uma das empresas do grupo que hoje é referência em empreendimentos de alta qualidade. Outra empresa do grupo é a Studheart, segmento que investe na viabilização de pesquisas e experimentos científicos direcionados aos estudos do coração. De acordo com o empresário, esse será um dos legados que deixará e que muito lhe orgulha investir esforço, trabalho e dedicação hoje. Persistência, metas claras, trabalho duro e compromisso são palavras constantes no discurso do empreendedor Beto Studart e nas respostas dadas aos questionamentos dos vários associados que estiveram presentes no evento da CDL Jovem de Fortaleza, entidade que cada vez mais almeja formar e inspirar compromisso, vontade e ação em seus associados para que, juntos, contribuam para um comércio ativo e próspero na capital cearense! CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

19


Liderança & Gestão

Marcos Braun Filho

Para crescer é preciso oportunizar!

C

aro Leitor, sempre tenho me preocupado em desenvolver artigos que explorem uma discussão ideológica e alinhada com acontecimentos contemporâneos. Em minha experiência em Consultoria e Coach com Executivos e Empresários percebo um “excesso” de confiança expressas em falas como “Meu produto é excelente“ ou “Eu possuo tecnologia de ponta para competir”. Fica uma inquietação: por que muitas empresas não conseguem traduzir estes diferenciais em resultados melhores e um equilíbrio na satisfação de seus clientes? É válido refletirmos que os primeiros grupos humanos nômades, quando desejavam algo que não possuíam, realizavam trocas (escambo): assim, surgiam os primeiros sinais das relações comerciais. Tempos depois, as trocas se tornaram inviáveis e foram substituídas pelas primeiras transações comerciais, que envolviam moeda e produto: nascia, então, o mundo dos negócios, que passou por profundas transformações justificadas pela evolução da sociedade, da tecnologia e da economia. Ao observar a evolução da sociedade podemos tirar sábias lições e fazer interessantes comparações com o que acontece hoje no âmbito empresarial. Há seis milhões de anos os primatas – antecessores do homo sapiens na cadeia evolutiva – viviam em árvores, que significava uma oportunidade, pois lá eles encontravam comida em abundância e protegiam-se dos predadores. Com o aumento das populações de primatas, ocasionou-se uma escassez dos recursos do setor e algumas destas populações foram obrigadas a descer de suas árvores

20

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

e buscar “novas oportunidades”, iniciando a concorrência predatória (alguma semelhança com o que ocorre hoje no mercado empresarial?). Ao descerem de suas árvores em busca de novos recursos, estes primatas assumiram riscos e tiveram que desenvolver estratégias de sobrevivência. De igual modo agiram muitas empresas nos seus processos de modernização. Hoje é importante que as empresas “desçam das suas árvores” e encarem os desafios e as mudanças do mercado, utilizando uma nova metodologia. Empresas líderes que não conseguirem crescer na mesma velocidade do mercado terão suas posições ameaçadas e poderão perder suas vantagens competitivas. Novas empresas, mais íntimas às classes emergentes, tendem a ganhar espaço, poder e relevância no mercado. Marcas e modelos antigos estão

sendo questionados e novos conceitos aparecem e se espalham pelo mercado massivo. Modelos emergentes de distribuição/venda, como a venda porta a porta, a compra em grupos ou a compra pela internet estão se fortalecendo. Entender o consumidor emergente, para revisar as propostas de valor atuais e manter-se relevante na comunicação e no posicionamento, é fundamental para que empresas consigam navegar nesta onda de crescimento mantendo-se na crista. Fórmulas atuais de sucesso deverão ser ajustadas em busca de uma nova modelagem econômica de negócio, que gere riqueza nesse novo ambiente competitivo mais restritivo. Estamos diante de uma imensa oportunidade para criar e ajustar novos modelos de negócios, que devem considerar o consumidor não como uma entidade teórica, cujo objetivo principal seja consumir sabão em pó ou escolher uma nova marca de feijão. O consumidor é alguém que busca sua autoestima, felicidade e uma vida melhor. Alguém como qualquer um de nós, mas com experiências, referências, prioridades e estratégias de vidas distintas. Entender isso será fundamental para conquistá-lo e, entendê-lo por completo, fará que nossas propostas respondam às necessidades dessas estratégias de vida. Missão dada tem de ser cumprida: para crescer é preciso oportunizar! Pense nisso e até a próxima! Marcos Braun Filho é consultor empresarial, professor de MBA e coach. MB Consultoria e Educação Corporativa www.marcosbraun.com.br marcos@marcosbraun.com.br


Como Fazer

Equipe engajada = Cliente conquistado Saiba como fazer para engajar e potencializar sua equipe de trabalho e obter os melhores resultados para sua empresa

O

que faz um funcionário sentir-se parte de uma empresa? Suas tarefas executadas de maneira eficiente ou os benefícios que recebe? Uma equipe envolvida, satisfeita com a empresa que trabalha é algo muito bom. Porém, ainda não é uma equipe engajada. Mark Schumann, presidente da International Association of Business Communicators (IABC), afirma que “o engajamento profissional é uma combinação de comprometimento funcional e emocional”. Assim, colaboradores engajados vestem a camisa da empresa e sentem que seu trabalho interfere diretamente em toda a cadeia de negócio da organização, gerando frutos e retorno direto. Este cenário seria o ideal para as empresas, mas geralmente não é o que ocorre. Uma pesquisa realizada pela Hay Group, no ano passado, apontou que mais de um terço da mão de obra global não se sente engajada. De acordo com o estudo,

O gestor é peça fundamental para o sucesso do seu time. Ele deve desafiar as pessoas, acompanhar e reconhecer resultados. cerca de 30% dos colaboradores afirmaram que não conseguem otimizar seu desempenho, alegando que os obstáculos impostos pela organização impedem a excelência de seu trabalho. Dados do mesmo levantamento mostraram ainda que, quando seus funcionários estão motivados, a produtividade nos negócios pode melhorar até 30%.

E é aí que entra o papel do líder da equipe. “O gestor é peça fundamental para o sucesso do seu time. Ele deve desafiar as pessoas, acompanhar e reconhecer resultados. Uma equipe motivada e reconhecida supera limites”, afirma Daniela Ribeiro, gerente sênior das Divisões de Vendas, Marketing e Engenharia da Robert Half. Nesse cenário, especialistas sugerem como fazer para estimular o engajamento entre os seus colaboradores e gerar produtividade no ambiente de trabalho. Confira!  Forme gestores: invista na formação dos líderes dentro da empresa, compreendendo suas expectativas e motivando-os, além de oferecer cursos para os colaboradores.  Estude o trabalho e reconheça as qualidades: premiar os funcionários, elogiar e reconhecê-los estimula a superar seus limites e lutar para alcançar os objetivos da empresa.  Metas claras: mostre quais são os critérios de recompensa, bem detalhadamente, para que os colaboradores saibam o que fazer para alcançar os objetivos.  Seja exemplo: mostrar que você é competente e coerente estimula a equipe a confiar em você e ter o líder como inspiração.  Dê feedback: elogie seus colaboradores e coloque em evidência aqueles que estão cumprindo bem o seu papel.  Crie um plano de carreira: os colaboradores precisam saber até onde podem ir para lutarem por seu crescimento dentro da empresa e, assim, serem cada vez mais eficientes.  Faça eventos: Pode parecer que não, mas confraternizações, festinhas de aniversário, Natal e Ano Novo são muito importantes para unir a equipe e mantê-la engajada. Invista nisso! CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

21


Aprendendo na Prática

Eduardo Gomes de Matos

Como gerar resultados

O

que mede o sucesso de um empresário? Podemos citar vários parâmetros tanto qualitativos como quantitativos, como: alcançar sólidos resultados financeiros em longo prazo; demonstrar habilidades relativas à visão e estratégia; mostrar capacidade de vencer desafios; desenvolver excelentes habilidades organizacionais e no trato com as pessoas; demonstrar uma constante força de caráter; evidenciar um espírito empreendedor ou pioneiro; impactar visivelmente sobre os negócios, o setor ou a sociedade; acumular um acervo de inovações; manter uma atenção exemplar pelo cliente; ou demonstrar um compromisso genuíno com a diversidade e a responsabilidade social. Porém, nenhum destes parâmetros é mais forte do que a última linha do Demonstrativo de Resultados da empresa. É nela que se mede a qualidade de um empresário e é a geração de lucros que possibilita a sobrevivência, os investimentos e o crescimento das organizações. Mas o que há de novo na Gestão Empresarial, que podemos aplicar nas nossas empresas para gerarmos melhores resultados? A primeira atitude a adotar é ter humildade, pois a maior arrogância é pensar que a empresa só pode ser grande com você. A segunda atitude é contratarmos as pessoas certas: os grandes líderes não gastam muito tempo motivando pessoas, porque têm consciência de que as pessoas certas se automotivam. O desafio do empresário que quer gerar resultados não é motivar, mas não destruir a motivação das pessoas certas. Portanto, escolha as pessoas certas e coloque-as nos lugares certos. A terceira atitude é você fazer as seguintes reflexões: o que lhe apaixona? O que você faz melhor

que ninguém? Qual é o seu motor econômico (como você ganha dinheiro)? Como crescer com disciplina? E a quarta atitude é tomar as decisões certas (incluindo as decisões listadas anteriormente), porque tudo na vida é uma questão de escolha. Todos os dias assumimos várias decisões, algumas rotineiras, outras estratégicas. A qualidade das nossas decisões é que garantirão a obtenção de melhores resultados ou não. Decisões ruins, ainda que com boas intenções, são decisões ruins. Como está a qualidade das suas decisões? O que você pode fazer para tomar melhores decisões? Para finalizar queremos compartilhar com vocês 10 ações para gerar resultados, ensinamentos que obtivemos durante uma palestra que assistimos com Jim Collins, considerado hoje o maior guru do Management Mundial. 1. Faça seu diagnóstico (identifique suas oportunidades, ameaças, pontos fortes e fracos). 2. Quantas posições-chave há em sua empresa? Quantos estão ocupados por pessoas certas? E o que você

Eduardo Gomes de Matos é pós-graduado em Administração de Empresas. Diretor-presidente da Gomes de Matos Consultores Associados. www.gomesdematos.com.br

22

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Maio 2013

vai fazer nos próximos 30 dias para ter 90% de pessoas certas? 3. Construa seu Conselho (quem você respeita e ouve, e peça conselhos). 4. Este ano duplique o número de perguntas com relação às suas afirmações. 5. Crie um inventário de fatos brutais que ainda não enfrentou em sua empresa. 6. Descubra a sua vantagem competitiva para você e sua empresa. 7. “Trabalho é infinito, tempo é finito”. Portanto, priorize ações que geram resultados. 8. Faça uma lista baseada nas perguntas “O Que fazer?” e “O Que não fazer?”. 9. Esclareça seus valores e converse com jovens. 10. Defina um grande sonho para daqui a 10/20 anos e metas grandes, audaciosas e “cabeludas”. Ponha em prática estas dicas e temos certeza que os você gerará melhores resultados e terá, principalmente, maiores lucros. Um forte abraço.


CADASTRO POSITIVO FACILIDADE

BOM PARA QUEM VENDE. EXCELENTE PARA QUEM COMPRA.

Entenda como funciona o Cadastro Positivo

NAS COMPRAS A CRÉDITO E NA APROVAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS PARA VOCÊ! O SPC Brasil oferece aos consumidores o Cadastro Positivo, um novo banco de dados – com informações de compras e pagamento dos consumidores –, que facilitará a avaliação na concessão do crédito, com melhores condições comerciais, maiores prazos e menores taxas de juros.

O Cadastro Positivo contém um banco de dados que registra o histórico de pagamentos dos consumidores. Esse registro permite que as instituições credoras saibam se o consumidor está em dia com suas contas. Para participar você precisa autorizar a inclusão de seus dados no Cadastro. A participação é totalmente gratuita.

Após a autorização, você estará automaticamente participando do Cadastro Positivo.

Com o Cadastro Positivo, você poderá obter empréstimos e financiamentos com as menores taxas de juros nas instituições.

Com essas grandes vantagens, você estará muito mais perto de concretizar seus sonhos.

Transforme seus sonhos em realidade. Cadastre-se agora! W W W.CDL F OR.COM .BR INFORMAÇÕES: Rua 25 de Março, Nº 882 - Centro Fortaleza-CE - CEP: 60.060-120 (85) 3464-5506 - cdlfortaleza@cdlfor.com.br



Cuidando da saúde financeira