Issuu on Google+

COMÉRCIO Conjuntura do

Ano VIII – Nº 92 – Novembro 2013

5 anos de promoção. 5 anos de sucesso.

SPC AVISA PROTEJA SEU NOME E

SEU NEGÓCIO Com o SPC Avisa você fica informado sobre qualquer inclusão, alteração ou exclusão do seu CPF/CNPJ.

E mais: Previne e alerta sobre indícios de fraudes; • Monitora seu CPF/CNPJ 24 horas por dia; •

Envia as alterações ocorridas no documento por e-mail e SMS; • Evita o constrangimento diante dos fornecedores, clientes e parceiros. •

Contrate agora mesmo! Informações: (85) 3464.5506 www.cdlfor.com.br

Palavra do Presidente Nesta Edição 04 05 06

aconteceu na cdl

07

Empreendedorismo

08

articulação

09

ESPECIAL BRASIL 2014

10

Economia e mercado

12

SPC BRASIL

13

PERSPECTIVAS DO COMÉRCIO

14

Fortaleza Liquida

17

ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR

18

COMPORTAMENTO

19

CARDÁPIOS ON-LINE

21

ceará natal de luz

22

Faculdade CDL

23

CDL jovem

24

federação

25

FALANDO DE VAREJO

26

Alfe

o que vem por aí

Aquecendo o comércio para 2014

CRC

Autorregularização: ameaça ou oportunidade? Empresas dirigidas por mulheres Unindo executivos varejistas de todo o mundo Para turista ver (e investir)

De olho no crescimento econômico Call center Cadastro Positivo Aspecto icônico

Cinco anos de história no Comércio Cearense!

Cliente chato: problema ou oportunidade? Quando ser demitido é o objetivo Um ipad, por favor!

17 anos de alegria e emoção Apoio aos lojistas na capacitação de funcionários Entidade marca presença no 1º Fórum Nacional do Comércio Ações movimentam o mês de outubro

O

mês de novembro marca o início das festas de fim de ano. Envolta nesse clima, uma delegação liderada pela CDL de Fortaleza e Federação das CDLs do Ceará, esteve presente no I Fórum Nacional do Comércio, realizado em Brasília, pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas. O evento reuniu empresários de todo o Brasil para o debate de temas relacionados às mudanças socioeconômicas, ao perfil do consumidor, cartões de crédito, legislação tributária, concessão do crédito, dentre outros assuntos de interesse do comércio. Merece destaque, nesta edição, matéria sobre a Fortaleza Liquida. A megapromoção, que acontecerá de 27 de março a 06 de abril de 2014, já se consolidou no calendário promocional da cidade, com resultados positivos para o comércio, para os consumidores e para a própria economia do nosso Estado. Com o objetivo de estreitar os vínculos comerciais com o maior mercado do mundo, a CDL de Fortaleza desenvolveu o projeto “China 2014 – Negócios coletivos, a chave do futuro”. A Missão levará um grupo de empresários para realizar compras coletivas na China, orientando desde o processo alfandegário até ao embarque da mercadoria para o Brasil. Os interessados em participar, estão convidados para um Café da Manhã, na sede da CDL de Fortaleza, no próximo dia 19 de novembro. Na oportunidade, o projeto será melhor esclarecido e debatido. Apraz-nos, por fim, a notícia do Ministério da Educação dando conta do reconhecimento do curso de Marketing, da Faculdade CDL, com o conceito máximo exigido por aquela Instituição, o que revela que estamos no caminho certo, levando educação de qualidade para o desenvolvimento do comércio cearense.

O varejo conspira

Alfe promove encontro de negócios e talentos

E xp e d ie n t e

Freitas Cordeiro presidente@cdlfor.com.br

Rua 25 de Março, 882 – Centro – CEP 60060-120 – Fortaleza – CE – Fone: (85) 3464.5572 – www.cdlfor.com.br

Conjuntura do Comércio é uma publicação mensal editada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza.

Presidente: Francisco Freitas Cordeiro | 1° vice-presidente: Pio Rodrigues Neto | 2° vice-presidente: Francisco Deusmar de Queirós | Diagramação: Antonio Henrique Silva Lima | Estágiario de criação: David Tomás | Produção textual: Fernanda Lima | Estagiária de jornalismo: Daniele de Andrade | Jornalista responsável: Dégagé Assessoria | Tiragem 10.000 exemplares | Distribuição Gratuita | Impressão Celigráfica | Sugestões e comentários: gerencia.marketing@cdlfor.com.br Nossa Missão: Coordenar a integração e o desenvolvimento sustentável do comércio de Fortaleza, preservando os interesses coletivos, a responsabilidade socioambiental e os princípios do associativismo.

MISTO Papel produzido a partir de fontes responsáveis www.fsc.org

Consciência Ambiental Comprovada

NOVEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

03

MOVIMENTO | ACONTECEU NA CDL

Bairro Aeroporto recebe a 35ª CDL Móvel

A

última CDL Móvel do ano aconteceu de 21 a 25 de outubro no Centro Educacional da Juventude Padre João Piamarta, situado no bairro Aeroporto. 114 pessoas fizeram os cursos gratuitamente e os 103 alimentos arrecadados

foram deixados na própria entidade filantrópica, que atende 2.470 crianças e adolescentes, de forma residente e integral. Na ocasião, os estudantes do Centro participaram da Gincana Salve o Planeta e do Projeto Soletrar, concurso cultural - condu-

Campanha Sorriso Largo leva alegria para crianças carentes Cerca de 4 mil crianças foram beneficiadas com os mais de 9 mil brinquedos arrecadados pela campanha. O projeto, iniciativa da Caixa, contou com o apoio de instituições públicas e privadas, entre elas a CDL de Fortaleza, que participou sendo posto de coleta e arrecadou 380 brinquedos. A solenidade de entrega aconteceu no último dia 8 de

04

outubro, na sede do 23º Batalhão de Caçadores (23º BC). Na ocasião, o diretor da CDL de Fortaleza, Bosco Macedo, esteve presente representando o presidente da Entidade, Freitas Cordeiro. Entre as instituições favorecidas: Associação Casa Mãe África, Associação Peter Pan, Casa Sol Nascente, Instituto Moreira de Sousa, Lar Amigos de Jesus, dentre outras.

Conjuntura do Comércio | NOVEMBRO 2013

zido pela Faculdade CDL - que desafia o conhecimento acerca das novas regras ortográficas. Eles coletaram, ao todo, mais de 4 toneladas de papel, papelão e garrafas pets. A vencedora da gincana foi Ana Júlia Morais Cury, que arrecadou sozinha mais de uma tonelada de recicláveis. Já a ganhadora do Projeto Soletrar foi Edymara Barbosa Viera. Ambas receberam um tablet como prêmio. Nesta edição, também foi realizada uma palestra sobre o “Programa Empreendedor Individual”, da Central Fácil. O evento, aberto ao público, foi uma iniciativa da Faculdade CDL em parceria com a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social. Ano que vem o projeto continua! Fique atento!

Deusmar Queirós recebe homenagem do Sindilojas O controlador do Grupo Pague Menos e vice-presidente da CDL de Fortaleza Francisco Deusmar de Queirós recebeu, no último dia 11 de outubro, a comenda Edson Queiroz na categoria “Empresário Lojista”. A homenagem foi realizada pelo Sindicato do Comércio Varejista e Lojista de Fortaleza (Sindilojas) que, anualmente, escolhe personalidades do ramo e de outros segmentos para serem agraciados com a comenda.

Fórum Nacional do Comércio reúne lojistas de todo o País Realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas, o fórum aconteceu de 10 a 12 de outubro, em Brasília, e reuniu empresários de todo o Brasil. Os projetos, iniciativas e desafios a superar do varejo brasileiro foram alguns dos temas discutidos. Do Ceará, marcaram presença uma delegação de empresários, capitaneada por Freitas Cordeiro - presidente da CDL de Fortaleza - e Honório Pinheiro - presidente da FCDL do Ceará. Entre os palestrantes: Ana Cristina Costa (chefe do Departamento de Comércio e Serviços do BNDES), debatendo sobre crédito e consumo; e Guilherme Afif Domingos

(ministro das Micro e Pequenas Empresas), conversando sobre a

Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas. (Leia mais na pág. 25)

Realizado último Ciclo de Palestras CDL do ano Com o tema “Líderes do Futuro”, o professor de MBA, consultor e coach Marcos Braun ensinou, durante sua palestra, como transformar a carreira desenvolvendo novas competências no quesito liderança. O evento, realizado no último dia 09 de outubro, contou com a presença de 115 participantes. Os alimentos arrecadados foram doados para a instituição Casa de Caridade, localizada no bairro Jangurussu. Cerca de 934 pessoas foram capacitadas durante as seis edições realizadas este ano. Em 2014 tem mais!

o que vem por aí

Tarde de Oração na CDL O evento, que prima pela celebração da espiritualidade independente de crenças, acontecerá no próximo dia 23 de novembro, às 13h. Podem participar colaboradores e associa-

dos, porém, não é permitida a entrada de crianças. A inscrição é 1 kg de alimento não perecível, que deverá ser entregue antes de começar a celebração. A Tarde de Oração

é um momento de fé e adoração, que reúne vários fiéis anualmente na CDL de Fortaleza. As vagas são limitadas. Não deixe de participar! Mais informações: (85) 3433.3012.

NOVEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

05

DIÁLOGOS | conselho regional de contabilidade

Autorregularização: ameaça ou oportunidade? Por Cassius Coelho

A tecnologia da informação chegou como uma aliada importante para a mudança na elaboração, no processamento, armazenamento, cruzamento e comunicação de informações fiscais. 

S

e sua empresa tem mais de 10 anos, você deve lembrar como eram feitas as obrigações acessórias para prestação de contas das operações fiscais aos entes tributantes. Um item era indispensável nas empresas ou nos escritórios de contabilidade: a máquina de escrever. A maioria das declarações, enviadas ao fisco, eram feitas através do preenchimento de formulários físicos, entregues às repartições depois de minuciosamente datilografados. É fácil imaginar o trabalho que era necessário para catalogar todos os dados. O processamento demorava anos e, muitas vezes, passava o período prescricional sem que o fisco conseguisse verificar a veracidade das informações. Sem contar que o detalhamento dos dados oferecidos ao fisco era bastante reduzido.  O tempo passou, os fiscos se modernizaram e a relação com os contribuintes mudou radicalmente nos últimos anos. A tecnologia da informação chegou como uma aliada importante para a mudança na elaboração, no processamento, armazenamento, cruzamento e comunicação de informações fiscais.  Os sistemas foram gradativamente ganhando o

06

lugar dos formulários impressos, até chegarmos ao mundo pós-SPED com a informação em tempo real. Uma coisa é certa: todas as empresas no Brasil estão nuas! Grandes ou pequenas, de qualquer atividade ou unidade da Federação.  Recentemente, tem sido divulgada pela Receita Federal a possibilidade das empresas se autorregularizarem em virtude de informações prestadas, que não guardam correspondência estrita com seus registros contábeis e fiscais. Tal procedimento já vem sendo testado e aprimorado, o que só é possível porque a quantidade de informação digital que hoje está em poder do fisco é enorme, tornando o trabalho de cruzamento mais fácil e viabilizando a verificação da consistência do que está sendo declarado e pago pelos contribuintes. 

Conjuntura do Comércio | NOVEMBRO 2013

Para as empresas que continuam insistindo em operar à margem da legislação fiscal, realizando operações duvidosas e sem base legal, certamente o avanço das ferramentas tecnológicas - tais como a autorregularização -, torna-se uma forte ameaça para os negócios, exigindo uma revisão em suas condutas e operações. Já para aquelas empresas que cumprem os prazos e ditames legais, apesar dos enormes sacrifícios e investimentos necessários para atender a crescente demanda fiscal, é uma oportunidade para entender melhor como os fiscos estão enxergando-as e corrigirem eventuais deslizes cometidos no momento de elaborar as obrigações acessórias. Afinal, o volume de informações e detalhamentos exigidos nas mais diversas obrigações é absurdo.  Vale ressaltar, portanto, que não podemos e nem devemos esperar que as inconsistências sejam detectadas pelo fisco. É salutar que seja realizada uma rotina de verificação e auditoria preliminar das informações - fiscais e contábeis - que serão enviadas aos fiscos, minimizando o risco para a empresa.  Cassius Coelho é Contador, presidente do CRC-CE e diretor da Marpe Auditores.

NEGÓCIOS | empreendedorismo

Empresas dirigidas

por mulheres Empresárias, investidoras e, até mesmo, franqueadoras. Boa parte do perfil do empreendedorismo brasileiro têm tido mulheres como suas principais representantes, o que só tem feito bem à economia do País.

“A

empresa onde trabalho é predominantemente masculina, mas quando mostrei meu conhecimento e que estava lá para ajudar, houve respeito e pude mostrar meu perfil de liderança”, conta Natália Boeira, de 29 anos, chefe executiva (CEO) da Hybel, empresa que fabrica bombas e motores hidráulicos, em Criciúma (SC). Já Renata Frioli, da cidade de São Paulo, fundou uma loja de bolos caseiros feitos com receitas tipicamente interioranas. “Corri atrás de licenças, coisas de prefeitura, aquela parte burocrática, que é bem desanimadora”, conta. O esforço deu resultado: em um mês a operação da empresa Bolo à Toa, no bairro Pinheiros, supriu os gastos e já garantiu a Renata a possibilidade de abrir uma nova loja. Ambos os casos demonstram que, no Brasil, as mulheres têm dominado as lideranças nos negócios. “Algumas profissionais precisam conciliar família e trabalho. Apesar disso, elas possuem características muito próprias: são influentes, intuitivas e comunicativas; flexíveis, adaptáveis e firmes em relação às suas ideias; e pouco propensas a seguirem padrões pré-estabelecidos”, afirma Víctor

A superação feminina, nos negócios, já se destaca como um dos principais motivos que faz despontar a economia do País no panorama global. Martínez, especialista em treinamentos comportamentais e CEO da Thomas Brasil, empresa que cuida da gestão de pessoas. No caso de Natália, que tem mestrado em administração, especialização em estratégia organizacional e é técnica em mecânica, um fator fez toda diferença para que ganhasse a confiança de quem por ela é liderada: “Dedicação. Tem que trabalhar com afinco e buscar desafios”, afirma com a segurança de quem mudou o paradigma de

que para se tornar líder é preciso ter muitos anos de experiência. A superação feminina, nos negócios, já se destaca como um dos principais motivos que faz despontar a economia do País no panorama global. Nada mal para empreendedoras que tem por objetivo se aprimorarem como profissionais autônomas ou utilizarem suas competências para, trabalhando em equipe, gerirem com sucesso futuras micro, pequenas e grandes empresas!

NOVEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

07

MOVIMENTO | ARTICULAÇÃO

Unindo executivos varejistas

de todo o mundo CDL de Fortaleza e Federação das CDLs do Ceará integraram delegação da CNDL que participou de missão empresarial na Turquia É um privilégio e uma honra estarmos em um país tão rico em conhecimento e hábil em estabelecer os mais diversos trâmites comerciais.

N

o último mês de setembro, a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas participou do Fórum de Executivos da Associação Internacional de Varejo (FIRAE), na Turquia. Na comitiva brasileira estiveram presentes a Federação das CDLs do Ceará e a Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza, representadas pelos empresários e presidentes das respectivas entidades Honório Pinheiro e Freitas Cordeiro. Vinculado ao National Retail Federation (NRF), que realiza a Retail’s Big Show - a maior feira internacional do varejo realizada

08

anualmente em Nova Iorque -, o FIRAE funciona como uma grande oportunidade para que executivos do varejo de vários países discutam estratégias e absorvam conhecimentos para aplicarem no setor varejista onde atuam. Com o tema “Varejo para o hoje”, Thomas Eulau e Rogelio Rodriguez Morales, presidente e vice-presidente do FIRAE, receberam Roque Pellizzaro, presidente da CNDL, junto com a delegação brasileira, para discussões, palestras e visitas técnicas a pontos comerciais específicos - como o Grand Bazaar, corredor comercial que possui quatro mil lojas e recebe oito milhões de turistas

Conjuntura do Comércio | NOVEMBRO 2013

por ano -, além de terem trocado informações com os grupos varejistas presentes acerca das operações no mercado asiático. Situada entre a Europa e Ásia, a Turquia sempre demonstrou habilidade para o comércio. Hoje o país estreita relações com o Ocidente, integra a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e o G20, e se destaca como uma das economias que mais cresceram no mundo, nos últimos dez anos, fomentando os setores agrícola, industrial e terciário, com destaque para o Turismo e para o Comércio. “É um privilégio e uma honra estarmos em um país tão rico em conhecimento e hábil em estabelecer os mais diversos trâmites comerciais. Desta missão, certamente retornaremos com novas iniciativas a serem aplicadas para fortalecer o varejo cearense”, afirma o presidente da CDL de Fortaleza, Freitas Cordeiro.

negócios | ESPECIAL BRASIL 2014

Para turista ver (e investir) Opções de entretenimento, nada óbvias, podem ser divulgadas aos visitantes que virão a Copa do Mundo. Os setores de turismo, comércio e serviços, só têm a ganhar

C

ada cidade-sede da Copa do Mundo tem um “cartão de visitas” pronto para mostrar ao turista que nela chega. E quando o intuito do visitante é conhecer um lugar, podem ser divulgados roteiros menos convencionais para também valorizar o turismo e o comércio da cidade, além dos pontos que já são costumeiramente conhecidos. A menos de um quarteirão da Catedral Metropolitana de Fortaleza (um dos principais “cartões postais” da capital) existe um verdadeiro reduto da cultura cearense: o “Raimundo dos Queijos”. O lugar, que existe há 35 anos, vende iguarias locais e é frequentado por animadas discussões entre os que conhecem o tradicional bar. “Aqui só tem gente amiga, tranquila, de conversa boa”, relata Raimundo Oliveira Araújo, comerciante e dono do lugar, que complementa: “tudo que vem em benefício do meu comércio é sempre muito bem-vindo”. Outra opção próxima a Praia do Futuro, conhecida por turistas do Brasil e exterior, é o Tempero do Mangue. Lá, se pode degustar uma típica culinária nordestina e desfrutar de um cenário paradisíaco, onde a visão do pôr do sol é privilegiada e os visitantes podem

Raimundo dos Queijos: Travessa Crato, 44 (entre as ruas Conde D´Eu e General Bizerril, no Centro de Fortaleza). Telefone: (85) 3226-9351.

Tempero do Mangue: Rua Valdir Bezerra, 110 - Sabiaguaba (após ponte da Praia do Futuro, no final do asfalto à direita). Telefone: (85) 8718-9089.

Praça do Ferreira: Limitada pelas ruas Major Facundo, Floriano Peixoto, Pedro Borges e Travessa Pará, todas no Centro de Fortaleza.

A estimativa, para a Copa do Mundo, é que esse número seja 30 vezes maior, com 600 mil visitantes injetando R$ 25 bilhões na economia brasileira. ter uma noção de como eram as praias de Fortaleza antigamente. Porém, se o propósito é conhecer um pouco da história local, a Praça do Ferreira é uma boa pedida, pois nela se situam alguns dos principais prédios históricos de Fortaleza, além de a própria Praça ser, desde a sua fundação, palco de

importantes eventos e centro do comércio da cidade. De acordo com o Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), o Brasil recebeu 25 mil turistas estrangeiros durante a Copa das Confederações deste ano. A estimativa, para a Copa do Mundo, é que esse número seja 30 vezes maior, com 600 mil visitantes injetando R$ 25 bilhões na economia brasileira. E nada impede que seja divulgado aos turistas entretenimentos além daquilo que eles esperam conhecer, já que roteiros turísticos pouco conhecidos também podem estimular o comércio antes e durante a Copa.

NOVEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

09

NEGÓCIOS | Economia e Mercado

De olho no

crescimento econômico O governo brasileiro continua enfrentando o desafio de fazer a economia crescer mais que 2,5%, mas já respira com uma taxa de inflação que deve alcançar 5,8% no final do ano.

A

ata da última reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central não deixou explícito se concentraria o foco das atenções no combate à inflação ou abriria espaço para valorizar o crescimento econômico com uma política mais “frouxa”. Com isso, ganhou tempo para entender melhor o cenário econômico e se posicionar em sua política monetária. Criou o conceito de acompanhamento das metas inflacionárias em ciclos mais longos, postergando possíveis elevações da taxa de juros. Como resultado, o governo não conseguiu estimular o crescimento no ritmo que desejava, ao mesmo tempo em que via a inflação retornar com mais força. Esse era um caminho perigoso, que conduziria a economia para um cenário de estagnação com mais inflação, situação que os economistas chamam de “estagflação”. Hoje, o governo continua enfrentando o desafio de fazer a economia crescer mais que 2,5%, mas já respira com uma taxa de inflação que deve alcançar no final do ano 5,85%. Contudo, teve que adotar um tom mais duro, fazendo a taxa de juros SELIC subir para um patamar de 9,5%. Para o governo ficou claro que uma taxa de juros controlada, dentro da faixa-meta associada a uma taxa de desocupação de 5,7%, é bem melhor que a “estagflação”. Fica ainda a pergunta sobre o que deve ser feito para elevar o ritmo de crescimento.

10

Para o governo uma taxa de juros controlada, dentro da faixa-meta associada a uma taxa de desocupação de 5,7%, é bem melhor que a “estagflação”. A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), publicou um estudo sobre o Brasil reconhecendo os avanços na distribuição de riquezas, mas enfatizou que muitas questões estruturais devem ser atacadas para manter o ritmo dos avanços sociais. Entre as sugestões da pesquisa, a OCDE aponta o aumento da produtividade através da melhoria

Conjuntura do Comércio | NOVEMBRO 2013

em infraestrutura e do ambiente de negócios, principalmente por meio da desoneração tributária. De acordo com o secretário-geral da OCDE, Angel Gurría, o “crescimento e as políticas sensatas permitiram que 40 milhões de pessoas se juntassem à classe média na última década”. Porém, o desafio hoje é bem mais complexo. Trata-se de manter o ritmo de me-

lhoria do bem-estar da população. Já o Fundo Monetário Internacional (FMI), fez revisões sobre o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) potencial do Brasil, um indicador que avalia o crescimento que não gera pressão inflacionária. Para o FMI, a revisão do PIB potencial sai de 4,25% para 3,5%, destacando que para atingir esse patamar será preciso realizar investimentos, principalmente em infraestrutura, para melhorar a produtividade.  Hoje, duas questões sobre o desempenho da economia brasileira são intrigantes. Por que os investimentos privados não aumentaram quando as taxas de juros diminuíram? E por que o nível de emprego está tão alto, enquanto a economia cresce a taxas tão baixas? No primeiro caso, a resposta parece residir nas expectativas e incertezas criadas por medidas do próprio governo, gerando desconforto para os investidores. Assim, as reduções dos juros não se constituíram em um estímulo suficiente para o aumento dos investimentos. No segundo, as políticas de inclusão social parecem ter criado condições para o surgimento de uma nova classe de consumo, que sustenta o nível de emprego. Ao que parece, as duas motivações são conjunturais e podem ser superadas, porém o caminho mais viável parece ser o da expansão da produtividade (Quadro 1). Análise do Setor de Comércio O Comércio Varejista nacional apresentou bom desempenho em agosto/13, com expansão de 6,2% sobre o mesmo mês do ano anterior. Em 2012, entretanto, esse aumento foi de 10%, desacelerando em 2013 com relação ao ano passado. Nos últimos 12 meses, o crescimento do volume de vendas atingiu a taxa de 5,1% - contra 7,8% do ano passado -, mas no acumulado do ano a expansão foi de 3,8%, com projeção para fechar 2013 em 6%. Como a receita nominal

FATORES DE CRESCIMENTO VARIÁVEL

IMPACTO SOBRE O CRESCIMENTO

Modernização tecnológica

Investimento em máquinas e equipamentos para melhorar a produtividade empresarial.

Infraestrutura

Investimento para melhorar a competitividade externa do setor produtivo, barateando o preço final para o consumidor.

Educação formal e profissional

Investimento na qualificação da mão-de-obra, melhorando o desempenho nas empresas.

Desoneração tributária

Estímulo aos investimentos produtivos, melhorando as margens de retorno para o investidor.

Gestão empresarial

Aperfeiçoamento da governança das empresas e gestão dos fatores de produção.

Fonte: OCDE e FMI. de vendas avançou 13,6% sobre o mês de agosto do ano passado, observa-se que está havendo uma recomposição das margens de lucro sobre os produtos vendidos. Isto explica boa parte da retração de demanda. Os segmentos de maior expansão foram os de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e perfumaria (9,9%), entre outros de uso pessoal e doméstico (8,5%). Já o varejo cearense teve um desempenho bem inferior ao nacional, apresentando em agosto uma expansão de 3,3%. No acumulado de 2013, o crescimento do varejo cearense atingiu 3,6%, resultado abaixo do crescimento médio nacional. Nos últimos 12 meses, a taxa de crescimento acumulada atingiu 5,8%. Os segmentos que apresentaram maior aquecimento em agosto foram os de móveis e eletrodomésticos (24,6%) e combustíveis e lubrificantes (12,5%). Os segmentos que apresentaram pior desempenho foram os de equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (-16,9%). 13º impacta o comércio cearense

cerca de R$ 3,3 bilhões no 13º salário deste ano. Um crescimento de 10% com relação ao ano passado. Esse montante representa 3,6% do PIB do Estado e deverá beneficiar mais de 2,8 milhões de trabalhadores. Estima-se que cerca de 20% desse montante já foi antecipado, mas ainda assim o impacto na economia será significativo. Os principais itens de compra deverão ser alimentos, vestuário e produtos eletrônicos. Uma parte importante desses recursos será usada na recuperação de dívidas, reduzindo a inadimplência no setor.

De olho nos números

9,5%

Taxa de Juros

SELIC em set/13

5,4%

Taxa de Desemprego em set/13

R$

Segundo estimativas do DIEESE, os cearenses deverão receber

2,19

Dólar em 30/10/2013

0,48%

Inflação (IPCA-15) em outubro/13

1,4%

Crescimento da Inadimplência de jan a set/13

55,5%

Relação Crédito/ PIB

NOVEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

11

negócios | SPC BRASIL

Call center Cadastro Positivo Mais informações, segurança e comodidade para você! além de todo o processo de atendimento ser auditado, quaisquer informações veiculadas serão tratadas de forma absolutamente sigilosa.

A

iniciativa que tem revolucionado a concessão de crédito no Brasil agora tem um novo meio para atender, de forma ainda mais rápida e eficiente, os consumidores: um call center exclusivo para dar suporte ao Cadastro Positivo. Disponível de segunda a sexta, das 8h às 18h, o Call Center Cadastro Positivo tira dúvidas de pessoas físicas ou jurídicas, realiza alterações cadastrais, dispõe ao consumidor saber quais instituições estão emitindo informações positivas sobre seu nome e ainda possibilita o recebimento de contestações sobre qualquer improcedência.

12

Para quem ainda não realizou inscrição no Cadastro Positivo, o Call Center também poderá informar qual a Câmara de Dirigentes Lojistas mais próxima para o consumidor aderir ao serviço. Vale ressaltar que o Call Center Cadastro Positivo tem integrado em sua estrutura o Projeto Segurança da Informação. Essa medida possibilita que os dados registrados nesse serviço do SPC Brasil sejam preservados para tentativas de uso indevido. Assim, além de todo o processo de atendimento por meio do Call Center ser auditado, quaisquer informações veiculadas serão tratadas de forma absolutamente sigilosa. O Cadastro Positivo facilita mui-

Conjuntura do Comércio | NOVEMBRO 2013

to a vida do consumidor no momento de ele conseguir um empréstimo ou um financiamento, podendo ser utilizado pelo mercado como ferramenta para análise e reconhecimento do bom pagador, possibilitando uma maior confiança entre comerciantes e seus clientes. Ao instituir o Call Center Cadastro Positivo, o SPC Brasil se antecipa em prestar um atendimento de qualidade, oferecendo comodidade por meio de uma exclusiva prestação de serviços para quem tem interesse em conhecer de perto os benefícios que o Cadastro Positivo pode oferecer. Call Center Cadastro Positivo: mais informações, com rapidez e segurança, para você. Consulte nosso atendimento!

> Serviço SAC: (11) 4063-4700. Horário: 8h às 18h, de segunda a sexta. Sugestões ou críticas: ouvidoriacadastropositivo@spcbrasil.org.br

DIÁLOGOS | PERSPECTIVAS DO COMÉRCIO

Aspecto icônico Por Eugenio Foganholo

Q

uerer fazer o melhor em todos os fundamentos e atividades de uma loja é uma meta e ao mesmo tempo um sonho de todo varejista. É natural querermos fazer melhor, em todos os sentidos, sempre. Mas isso nem sempre é possível, pois é pouco viável. O indivíduo, uma organização, uma loja, consegue fazer algumas coisas bem, mas outras, talvez muitas, nem tanto. E isso não é nenhum demérito, pois natural é. Então, devemos nos conformar em tentar o “mais ou menos”? Claro que não! Uma operação varejista que faz as coisas pela média, ou seja, “mais ou menos”, não terá relevância perante o consumidor. Em outras palavras, o consumidor terá poucos motivos para lembrar – e bem – daquela determinada loja. E se o consumidor não lembra, não vai. Se não vai, não compra. Uma das maiores fraquezas da maioria das lojas e, principalmente, do chamado “pequeno varejo” é fazer as coisas “mais ou menos”, ou ainda fazer as coisas “mais do mesmo”, pois não faz nada – ou quase nada – de diferente de seus competidores. É mesmice atrás de mesmice. É um copiando o outro. Quando a mesmice impera e quando o consumidor não consegue perceber diferenças entre operações do mesmo

Uma operação varejista que faz as coisas pela média, ou seja, “mais ou menos”, não terá relevância perante o consumidor. segmento de mercado, um dos atributos que mais ganha relevância é preço, ou seja, o consumidor busca o preço mais baixo, e não o maior valor, pois todas as lojas oferecem o mesmo: “mais do mesmo”. Se sabemos que não conseguiremos ser muito bons em várias coisas, temos que ser excelentes em alguma ou algumas coisas. Excelente, excepcional, fora do comum, o máximo. Esta é a meta! Se conseguirmos ser excepcionais em algo, o consumidor se lembrará da nossa loja. Ser excepcional em algo faz com que isto seja emblemático, icônico. Ícone é aquilo ou aquela imagem que passa a representar a loja com profundidade e relevância e, principalmente, de forma positiva, diferenciada. Alguns exemplos de aspectos icônicos que podem ocorrer em alguns tipos de lojas: - Restaurante: alimentos feitos e com sabor “caseiro”. Ser caseiro nos remete à nossa casa, nos dá confiança, nos parece familiar. - Posto de serviço na estrada: o atributo que mais faz que com que uma pessoa pare em um

posto de serviço na estrada é o banheiro, sua limpeza e higiene, ter sabonete e água para lavar as mãos, e assim por diante. - Loja de confecção: provador grande, confortável, bem iluminado, com espelhos formando 90º, com porta que efetivamente fecha. - Loja de material de construção: alguém que consiga, de fato, explicar de forma adequada as características dos produtos que devem ser considerados para tomar a decisão de compra, já que não é comum o consumidor estar acostumado a comprar este tipo de categoria de produto. - Loja em que os proprietários e/ou funcionários conseguem não só lembrar o nome do cliente, mas também lembram dos seus gostos e preferências, tornando o atendimento e a venda um ato verdadeiramente personalizado, sob medida. Agora é com você lojista. Tente responder a estas duas questões: - Em sua experiência como consumidor, tente se lembrar e explicar três operações que têm aspectos icônicos. - O que sua loja poderia ter como aspecto verdadeiramente icônico? Pense em um único aspecto, um único procedimento, uma única ação. A caminhada iniciase com o primeiro passo. Mãos à obra! Eugenio Foganholo é diretor da Mixxer Desenvolvimento Empresarial, consultoria especializada em bens de consumo e varejo. eugenio.foganholo@mixxer.com.br

NOVEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

13

capa | FORTALEZA LIQUIDA 2014

Fortaleza Liquida

Cinco anos de história no Comércio Cearense!

A promoção que conquistou o consumidor cearense alcança sua 5ª edição com muitas novidades e uma premiação inédita!

Como tudo começou

C

inco anos, uma história. E de sucesso. Em 2014 a megapromoção Fortaleza Liquida alcança a sua 5ª edição e se torna um dos eventos mais consolidados no calendário do varejo cearense. A alternativa de realizar uma promoção que dinamizasse o comércio, justamente no período do ano em que as vendas caem, foi idealizada e posta em prática em 2010, já com o propósito de se aprimorar, perceber as necessidades de como formular um varejo ativo e fazer que, tanto lojistas, quanto o público consumidor, tivessem a oportunidade de ser beneficiados e, por que não, premiados. “A Fortaleza Liquida é o resultado de uma ousadia muito benquista. Estamos orgulhosos em poder dizer que, hoje, essa promoção é como uma entusiasmada criança de cinco anos, que dá passos largos rumo a uma longa vida”, reflete Freitas Cordeiro, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza. “Temos consciência dos percalços que vivemos para experimentar um perfil de evento que tinha por intenção mobilizar nada mais, nada menos do que todo o comércio, especialmente, o da capital cearense. Hoje as pessoas já perguntam pela promoção, a data em que ocorrerá, e essa busca só me faz acreditar que, sim, conquistamos um lugar na

14

lembrança e no coração do nosso consumidor; dos comerciantes que aderem à promoção por confiar em nossa proposta; e dos nossos parceiros, que desde o início abraçaram essa ideia e hoje festejam conosco esse quinto ano da Fortaleza Liquida”, explica Freitas. Desta vez, a 5ª edição! A comemoração não é para menos. A Fortaleza Liquida, que ocorre nos primeiros meses do ano, tem expandido e fortalecido a atuação do setor de Comércio e Serviços em Fortaleza. Os principais shoppings centers e lojas de rua vivem uma grande mobilização durante onze dias, no qual a meta não é apenas vender mais, mas dar a chance de o consumidor adquirir produtos e serviços de ótima qualidade, com valores em desconto, em um período em que, tradicionamente, o comércio apresenta baixo desempenho em vendas. Some-se, ainda, a chance de consumidores poderem participar de um sorteio, de muitos e

Conjuntura do Comércio | NOVEMBRO 2013

Roberto Cláudio Prefeito de Fortaleza

“A Fortaleza Liquida é uma grande festa para o comércio fortalezense. Essa concentração de esforços para dinamizar um dos principais setores que sustentam a nossa economia tem sido muito exitosa. Toda ação que empreenda criatividade, esforço conjunto e uma prática cujos resultados são benéficos para todos será sempre bem-vinda. Como Prefeito desta cidade, presto meu apoio à CDL de Fortaleza e me alegro em saber que a Fortaleza Liquida será ainda maior para corresponder às expectativas de todos que participarem dessa megapromoção.”

“O Nordeste se tornou uma das principais âncoras da economia brasileira, cabendo ao Ceará, impulsionado pelo setor de comércio e serviços, um lugar de realce nesse cenário. Esse setor é um dos principais responsáveis pelo incremento na geração de empregos e renda para os cearenses. A Fortaleza Liquida destaca-se como um esforço coletivo com o propósito de fortalecer e expandir o comércio cearense, onde todos participam, desde os pequenos aos grandes comerciantes. Como representante do Governo do Estado, sinto-me à Cid Ferreira Gomes vontade para prestar meu apoio à realização desGovernador do Estado sa grande promoção, e empreender esta parceria do Ceará com a CDL de Fortaleza que, a cada ano, aprimora-se na execução desse evento, beneficiando os profissionais do comércio, a economia do nosso Estado e, por consequência, o povo cearense.”

valiosos prêmios, ao término da promoção. Nessa dinâmica, ao longo dos últimos cinco anos, os resultados só atestam o quanto a Fortaleza Liquida tem alcançado sucesso absoluto. Até agora foram R$ 801.000.000 em vendas e 21.598.000 de cupons distribuídos a todos os que participaram das edições anteriores. No total, 11.331 lojas na capital cearense e Região Metropolitana de Fortaleza participaram da promoção e, até agora, 11.088 profissionais foram capacitados, recebendo treinamento adequado para melhor atenderem seus clientes e para aprenderem a

mecânica da Fortaleza Liquida. Freitas Cordeiro declara: “O setor comercial é um dos principais alicerces que dinamiza, valoriza e fortalece a economia do nosso País. Para se ter uma ideia, no último ano não foram poucos os momentos em que a economia do Nordeste - onde, nesse cenário, o nosso Ceará tem grande destaque - superou a própria economia brasileira. Isso é um grande motivo de comemoração, principalmente, por sabermos que o Setor de Comércio e Serviços de Fortaleza é um dos grandes responsáveis por essa alavancada e amadurecimento da nossa atuação no segmento comercial, e por saber, também, que a Fortaleza

Os números dos 4 anos de sucesso R$ 799.126.000 EM VENDAS

21.598.000 CUPONS DISTRIBUÍDOS

11.331

ADESÕES DE LOJAS

14.296

PROFISSIONAIS CAPACITADOS

Liquida tem sua total parcela de colaboração nesse panorama”. Como participar da Fortaleza Liquida Para participar da promoção, o lojista deverá entrar em contato com a CDL de Fortaleza e realizar sua adesão, que dará direito a um kit de decoração de loja, composto de adesivo para vitrine, cartelas de preço, cupons, bandeirolas e urna. A loja deverá ser decorada com estes materiais e, obrigatoriamente, ter produtos em promoção. Na mecânica da liquidação, a cada R$ 25,00 em compras o cliente

NOVEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

15

capa | FORTALEZA LIQUIDA 2014 terá direito a 1 (um) cupom. Já a cada R$ 25,00 em compras, na maquineta da Rede, o cliente terá direito a 2 (dois) cupons. O consumidor poderá depositá-los no local onde efetuou a compra e nas urnas centrais, que ficarão na CDL de Fortaleza e nos shoppings Iguatemi, Via Sul, Del Paseo, North Shopping e North Shopping Jóquei. Tudo para proporcionar maior comodidade aos comerciantes que aderirem à Fortaleza Liquida ou quem dela participar como público consumidor. O que esperar para 2014 Para esta edição, que ocorrerá de 27 de março a 6 de abril, a megapromoção, que promete bater todos os recordes das anteriores, vem com uma premiação para ninguém botar defeito. Desta vez, os consumidores que participarem da Fortaleza Liquida 2014 concorrerão a 1 (uma) moto Harley-Davidson, 5 (cinco) Toyotas

Etios e 5 (cinco) caminhões com prêmios, que incluem sofá, armário para cozinha, sala de jantar, geladeira, entre outros artigos e eletrodomésticos. E como na Fortaleza Liquida todo mundo sai ganhando, os vendedores das lojas participantes, que tiverem seus clientes sorteados, tambem ganharão um prêmio. Além das premiações e dos descontos especiais nos mais variados produtos, as lojas que aderirem a Fortaleza Liquida só terão a ganhar com: - Crescimento em um mês de baixo desempenho de vendas para o comércio; - Treinamento aos colaboradores das lojas participantes para aprimorarem o atendimento ao público consumidor; - Maior exposição na mídia por meio de uma grande campanha publicitária; - Parcelamento do ICMS referente ao mês da campanha.

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza, que realizará a megapromoção pela quinta vez, não está sozinha nesse projeto. Para 2014, a Entidade terá como parceiros: Governo do Estado do Ceará - Secretaria da Fazenda, Prefeitura de Fortaleza; Banco do Nordeste; Banco do Brasil; Caixa; Sebrae; Rede; Oi; Unimed - Fortaleza; Newland, além do apoio da Federação das CDLs do Ceará e da Faculdade CDL. O presidente da CDL de Fortaleza, Freitas Cordeiro destaca: “Nossos parceiros para a Fortaleza Liquida 2014 são nomes de peso. Além do respaldo, isso nos dá tranquilidade para seguirmos adiante com vontade de fazer acontecer essa promoção; total confiança em quem, conosco, aposta nessa ideia; e, sobretudo, com absoluto respeito aos nossos profissionais do comércio e ao nosso público consumidor, a quem se destina a Fortaleza Liquida!”.

Imagens meramente ilustrativas.

CONFIRA OS PRÊMIOS DESTA EDIÇÃO:

16

Conjuntura do Comércio | NOVEMBRO 2013

DIÁLOGOS | ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR

Cliente chato: problema ou oportunidade? Por Nelson Gonçalves

É

véspera de data comemorativa, a loja está cheia e a pessoa que ocupou o vendedor provando todos os produtos do estabelecimento resolve dar mais uma olhadinha, por segurança, na primeira peça que, inclusive, já havia sido guardada. Regateia preço, desconto, parcelamento e sai sem comprar nada, dizendo que vai pensar e voltar mais tarde. Quem nunca viveu uma situação parecida? Esse é um pequeno exemplo do que a “rádio peão” convencionou chamar de cliente chato. Ele está por toda parte, desestabilizando vendedores e testando ao limite o seu potencial e capacidade de lidar com clientes difíceis, nome clássico e politicamente correto para cliente chato. Dia desses, em uma oficina mecânica, um cartazete na parede me chamou atenção: “Tabela de preços: cliente olhando paga + R$ 5,00 – cliente dando palpite + R$ 10,00 – cliente ajudando paga + R$ 50,00”. Claro que a curiosidade fez com que eu perguntasse ao gerente da oficina o porquê daquele cartaz e se ele, realmente, surtia algum efeito prático. Resposta: “depois que colocamos essa tabela nossa produção cresceu em mais de 50%. Porque aquele ‘chato’ que ficava do lado do mecânico,

O assunto é muito sério e deve ser encarado com a devida atenção, pois pode impactar negativamente nas vendas. atrapalhando e dando palpite, agora olha a tabela, acha graça, comenta e fica na sala de espera, aguardando a conclusão do serviço”. Existe também o caso de uma loja em Brisbane, na Austrália, que ficou famosa desde que sua dona resolveu cobrar cinco dólares de clientes que entrassem no seu estabelecimento apenas para dar a famosa olhadinha. A loja vende produtos para celíacos – pessoas com intolerância à lactose – e por ser referência na cidade, os clientes entravam, olhavam, checavam os preços, marcas e depois compravam mais barato em supermercados ou pela internet. “Cansei de trabalhar de graça”, justificou a proprietária da loja, informando ainda que, em dois meses, quatro clientes pagaram a taxa e ela não perdeu freguesia depois da medida. Detalhe: se o cliente comprar algum produto a taxa é desconsiderada. O assunto é muito sério e deve ser encarado com a devida atenção, pois pode impactar negativamente nas vendas, imagem da empresa,

rentabilidade e no afastamento de potenciais clientes. Empresas dirigidas para clientes atuam fortemente na capacitação dos seus colaboradores, para o correto atendimento ao cliente difícil, treinando técnicas de abordagem, persuasão, acompanhamento e demonstração de produtos ou serviços. Não estou defendendo que vendedor, atendente ou lojista sejam sparring de alguém mal educado. Estamos em uma relação comercial e não em um ringue ou consultório de análise. Ocorre, na maioria dos casos, que o cliente difícil é uma pessoa com um nível de exigência mais elevado. Por isso, o vendedor ou atendente precisam ter flexibilidade e psicologia para tirar dele, normalmente com perguntas abertas, as respostas que o orientarão para um atendimento mais específico e assertivo. Não creio que alguém entre em um estabelecimento para chatear vendedores e atendentes por pura diversão. Clientes difíceis dão preferência a locais onde sua experiência de compra foi satisfatória. E como ele vai gastar o seu rico dinheirinho em algum lugar, melhor que seja na sua loja não é mesmo? Para refletir: chato mesmo é não ter clientes! Nelson Gonçalves é palestrante em vendas, liderança, atendimento e motivação/energização. Autor do livro “Como chatear clientes”. www.nelsongoncalves.com.br

NOVEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

17

IDEIAS | COMPORTAMENTO

Quando ser demitido é o objetivo FGTS, seguro-saúde e seguro-desemprego... Vale à pena migrar constantemente de trabalho para ganhar, temporariamente, alguns benefícios?

H

oje são muitos os perfis de profissionais que integram diversos tipos de organizações. Mas entre aqueles que têm intenções de fazer história junto com a empresa, os que não se identificam com o perfil da instituição ou dela precisam sair por motivos de força maior, há quem somente cumpre o período mínimo de trabalho para garantir, pelo menos, três meses de seguro-desemprego. “Recebo em minha empresa jovens de apenas 25 anos com mais de oito registros na carteira. Gente assim é talento?”, questiona Sidney Santos, palestrante e consultor da Revista Exame PME e presidente do Grupo SID, composto pelas empresas Sid Signs, líder mundial em comunicação visual. “Para pôr a mão na grana extra, o pessoal mancha a Carteira de Trabalho sem necessidade. Fico ima-

18

Para os contratantes nem sempre há como identificar as reais intenções de quem se candidata a uma vaga de emprego efetiva ginando o sujeito, na entrevista do próximo emprego, explicando que ‘foi mandado embora, mas não foi’. Que foi só um jeitinho de passar por cima da lei, como se isso não tivesse nada demais”. Para os contratantes nem sempre há como identificar as reais intenções de quem se candidata a uma vaga de emprego efetiva, quando, na verdade, o único intuito do candidato é garantir benefícios em curto prazo. Sobre pedir para ser demitido (ao invés de pedir demissão), o consultor

Conjuntura do Comércio | NOVEMBRO 2013

Sidney afirma que “virou algo normal, mas não é por ser normal que é correto, pois é uma mentira. E, se a pessoa mente, bom sinal é que não é”. Muitas são as corporações que precisam ser aprimoradas em sua estrutura e relacionamento com seus funcionários, mas mesmo as empresas que investem em estratégias para reter talentos sofrem com profissionais que se “especializam” em “demissões-fantasma”. Vale se questionar até que ponto é uma boa escolha migrar de trabalho em trabalho visando, tão somente, garantir seguro-desemprego. Afinal, uma sólida carreira profissional e, por consequência, dinheiro garantido ao final do mês, nada mais é do que um reflexo de quem se expõe e se compromete. E quem se compromete amadurece em quem se é e no que faz.

IDEIAS | CARDÁPIOS ON-LINE

Um ipad, por favor! Quando realizar um pedido ao restaurante, além de cômodo, rápido e eficiente, torna-se quase tão lúdico como brincar com um jogo virtual

S

e um cartão de visitas equivale a “cara” de quem vende um produto ou serviço, o que dizer sobre utilizar um cardápio cujo formato é um terminal touch screen ou um iPad? Em Curitiba, o restaurante Trovatta foi o primeiro no gênero a dispor de 15 iPads. “Hoje os clientes fazem seus pedidos diretamente para a cozinha”, afirma o chef e proprietário Armando Fuoco. Mas solicitar o auxílio dos garçons ainda é uma opção. Raul Carrasquillo, funcionário do Trovatta, explica que, “dependendo de como o cliente se sinta em relação ao iPad disponível na mesa, o garçom traz o aparelho até o cliente, abre um número de mesa e, a seguir, dá dicas sobre os pratos especiais do dia”. Outros bares já estão aderindo a essa tecnologia. Em São Paulo, os clientes do Bar da Brahma não só pedem comidas e bebidas e navegam pelos itens do menu, como também fecham suas contas na mesa. O custo com o uso dos cardápios-iPad também não sai caro, especialmente para alterar itens ou adicionar novos pratos e bebidas. Em algumas lanchonetes, os cardápios-iPad são integrados às redes sociais e favorecem troca de mensagens entre os usuários nas mesas. Ronaldo Gazel, diretor da Gaz Games (agência que elaborou o cardápio digital da hamburgueria mineira Jack’s Big Burguer), explica que “esse tipo de suporte proporciona ainda outras experiências interativas, como jogos e promoções exclusivas no qual os usuários acumulam pontos e podem trocá-los a qualquer momento”.

Para quem é empreendedor, e deseja adaptar essa tecnologia ao seu negócio, o uso de um cardápio eletrônico não veta a participação de funcionários durante o atendimento. Com os cardápios-iPad, alguns garçons terão como tarefas realizar a entrega dos pedidos e limpar as mesas, mas que fique claro: além de

POP Telecom - Anuncio de Advertising por SMS e Voz.pdf

1

17/10/13

otimizar o serviço de toda equipe, os clientes terão um motivo a mais para permanecer mais tempo no seu ponto de venda, seja por causa da rapidez nas solicitações, pela oportunidade de socializar, de outra maneira, com quem está no estabelecimento ou pela possibilidade de ganhar até prêmios. E então: servido?

17:23

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

NOVEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

19

MOVIMENTO | CEARÁ NATAL DE LUZ

17 anos de alegria e emoção A festa que envolve toda a população cearense promete, neste ano, momentos inesquecíveis e de puro encanto natalino!

M

uita emoção; iniciativas que consolidam práticas sustentáveis; pessoas que se mobilizam para, mutuamente, praticarem solidariedade; momentos que se tornam inesquecíveis na memória do povo cearense. Assim é o Ceará Natal de Luz, evento promovido pelo Instituto CDL de Cultura e Responsabilidade Social, ansiosamente aguardado ao final de cada ano. E essa espera tem seu motivo de ser. Com o Ceará Natal de Luz, praças, ruas e avenidas em Fortaleza recebem iluminação e decoração especial, propagando o espírito natalino por toda a cidade. Para a edição de 2013, cerca de 1 milhão de minilâmpadas e 2 km de mangueiras luminosas serão instaladas em calçadões na Praça Portugal, Praça do Ferreira, Cidade da Criança, Aterro da Praia de Iracema e na Av. Beira-Mar. Se em 2012 o evento teve uma média de 60 mil pessoas – que compareceram ao show de abertura e ao concerto do coral - e atraiu 6.000 pessoas que, diariamente, transitavam pela Praça do Ferreira, para 2013 as expectativas são ainda maiores.

20

Árvores, luzes e adereços com encanto cearense Minoel, o Papai Noel do Ceará Natal de Luz (personagem criado pelo cartunista cearense Mino) em 2013 estará cercado por crianças, simbolizando a esperança de um futuro melhor, representado pela infância e confirmado pelo conceito “Um Natal de presente e de futuro”. Outro importante símbolo, que aguça a curiosidade do povo cearense, são as árvores que o Ceará Natal de Luz prepara para enfeitar pontos específicos da cidade. Uma árvore com 50 metros de altura será instalada na Praça Portugal e as outras duas, de 25 metros cada, ficarão na Praça do Ferreira e na Avenida Washington Soares (em frente ao novo Centro de Eventos). Além de serem ícones do Ceará Natal de Luz, este ano as árvores terão um motivo ainda mais nobre em sua temática: serão inspiradas na Catedral de Brasília, uma das principais obras do arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer. Por sua vez, o azul celestial será a cor marcante do Ceará Natal de Luz 2013 e ornamentará a cidade com rendas e formas, que imitarão

Conjuntura do Comércio | NOVEMBRO 2013

cristais de gelo. Para isso, acessórios confeccionados com renda comporão os cenários, fazendo referência à mulher cearense, artesãs por vocação, que mantêm a tradição de preservar a cultura do nosso povo por meio de uma atividade que exige habilidade, superação e que fortalece a economia do Estado. Novidades, tradições e solidariedade Para os lojistas e consumidores, o Ceará Natal de Luz 2013 promoverá um Concurso de Lapinha (com edital a ser divulgado em breve) para motivar a tradição da decoração natalina nas residências e pontos comerciais da cidade. O evento também promoverá a distribuição de mudas de árvores. Estas serão oferecidas à população em troca de garrafas pet, que serão doadas para comunidades do bairro Caça e Pesca, a fim de transformarem essa matéria-prima em renda familiar. E não para por aí: o Ceará Natal de Luz 2013 também envolverá várias comunidades e categorias de profissionais, que enaltecerão a beleza desta festa! Serão 200

crianças, coordenadas pelo Maestro Poty e pela Maestrina Socorro Raulino, que comporão o Coral de Luz e se apresentarão nas janelas do Hotel Excelsior, todos os dias, às 18h, na Praça do Ferreira.

QUEM FAZ A FESTA DO NATAL DE LUZ ACONTECER

Participe desta grande festa! A abertura do Ceará Natal de Luz 2013 será no dia 22 de novembro, na Praça do Ferreira, localizada no Centro de Fortaleza. Este ano quem estará à frente de um grande show será Waldonys e convidados (Adelson Viana, Geraldo Azevedo e Nando Cordel) que, junto a Camerata da Unifor, farão uma apresentação especial em homenagem ao saudoso sanfoneiro Dominguinhos. Com um projeto de decoração original e promoção de eventos artístico-culturais, campanhas de solidariedade e vendas, concursos de decoração e shows de artistas consagrados, o Ceará Natal de Luz 2013 é um espetáculo de som e luz, que encanta e emociona toda a plateia. E você, claro, é o principal convidado para esta festa de paz, solidariedade e amor!

“Natal de Luz” no Parque da Criança Neste ano, 200 artesãos, entre costureiras, artistas plásticos e rendeiras, participarão da festa divulgando seus trabalhos na feira de artesanato. Além disso, será realizado um desfile de natal com mais de 100 integrantes - entre atores, bailarinos, acrobatas e crianças, encantando o público com os símbolos da maior festa cristã.

Da esquerda para a direita: Pio Rodrigues e Bosco Macedo (respectivamente, o ex e o atual presidente do Instituto CDL), e Freitas Cordeiro, presidente da CDL de Fortaleza: união de forças para realizar o Natal de Luz.

Planejado com bastante antecedência, o Ceará Natal de Luz é um evento preparado com todo esmero e cuidado para que tudo seja perfeito durante sua realização. À frente do Instituto CDL, que provê toda a organização do evento, o empresário Bosco Macedo - que compõe a diretoria da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza e que, no Instituto CDL, tem o empresário Assis Cavalcante como coordenador - conta um pouco sobre as atuais expectativas para sua gestão, iniciada no último mês de julho, dentre outros planos a serem consolidados por meio da missão que lhe foi confiada. Confira a seguir: Conjuntura do Comércio - Como se sente ao assumir a presidência do Instituto CDL? Bosco Macedo: Em primeiro lugar, quero externar meu contentamento em ser distinguido pela diretoria da CDL de Fortaleza para presidir o Instituto CDL, porque já desenvolvo um trabalho vocacionado e, no exercício dessa nova e importante função, só tenho a aprimorar esse meu trabalho na área cultural e social, objetivo primordial do nosso Instituto. CDC - Além do Ceará Natal de Luz e da Escola vai ao Cinema, quais outras atividades continuarão sendo realizadas em sua gestão? BM - Pretendemos dar continuidade ao projeto Talento Jovem para o Comércio, por ser um projeto de mútuo benefício, pois atende as necessidades dos jovens no primeiro emprego e as empresas que recebem colaboradores qualificados; e ao projeto Quarta da Cultura no Centro, por seu objetivo de valorizar o artista cearense, bem como estimular o nosso povo a participar dessas atividades culturais. CDC - O que esperar de ações, a partir desta gestão, para o Instituto CDL? BM - Nesta gestão pretendemos filiar o Instituto CDL junto aos órgãos nacionais sociais e de cultura, a exemplo do que já fizemos junto ao Instituto Ethos. Através de uma gestão compartilhada, estamos planejando outras importantes ações, sempre contando com a efetiva participação da nossa diretoria.

NOVEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

21

movimento | faculdade cdl

Apoio aos lojistas na capacitação de funcionários Além de palestras, seminários e workshops, são oferecidos também cursos voltados para o atendimento ao turista, como inglês e espanhol

A

ssim que o Brasil assumiu o compromisso de sediar a Copa do Mundo, a Faculdade CDL entrou em campo dando apoio aos lojistas na capacitação de suas equipes. “Nós começamos a oferecer palestras, seminários e workshops, voltados para o atendimento ao turista, além de vários cursos, como o de inglês e espanhol. Foram muitos os incrementos que tivemos que fazer para apoiar os comerciantes neste novo cenário”, comenta a coordenadora de pós-graduação e extensão, Dra. Meirijane Anastácio. Segundo ela, uma das novidades foi a aplicação do cliente oculto. Alunos da Faculdade, orientados por um professor, geram um diagnóstico utilizando o cliente oculto. Dessa forma, a Faculdade mede a qualidade do atendimento da empresa, além de levantar informações sobre produtos e serviços, tais como: merchandising, layout, vitrines, atmosfera da loja, fachada, entre outros. A coordenadora informa ainda, que os avaliadores se passam por clientes comuns para realizar

22

tarefas específicas, como comprar um produto e fazer perguntas. Depois, eles fornecem detalhes no relatório, que são incorporados ao diagnóstico da loja. Com essas informações, o empresário e a Faculdade CDL montam um programa de treinamento com o apoio da Loja Conceito, espaço onde acontecem as aulas práticas da instituição. “O curioso é que a nossa motivação estava voltada apenas para os cursos de atendimento, contudo a realização do diagnóstico levou os empresários a solicitar capacitações em outras áreas, como controle de estoque e práticas da legislação trabalhista”, ressalta Manuela Furtado, supervisora dos cursos de extensão. Se você deseja capacitar os seus colaboradores, a hora é essa! Entre em contato com a Faculdade CDL e confira os cursos disponíveis! Mais informações: www.faculdadecdl.edu.br / 3433.3042.

Conjuntura do Comércio | NOVEMBRO 2013

Curso de Marketing é reconhecido pelo MEC Representantes do MEC realizaram a avaliação nos dias 24 e 25/10. Eles aferiram estrutura física, aplicação do projeto pedagógico, atividades complementares, loja conceito, corpo discente e docente. Resultado: o curso, que já havia sido autorizado com nota 5, foi também reconhecido com conceito máximo pelo MEC. Para o diretor acadêmico, professor Fernando Xavier, a nota significa o reconhecimento oficial do esforço de toda a equipe da Faculdade CDL e da mantenedora CDL de Fortaleza. “O intuito é continuar cumprindo o nosso compromisso em prol da educação como vetor de desenvolvimento social e de crescimento pessoal e profissional dos nossos alunos”, afirma.

movimento | cdl jovem

CDL Jovem marca presença no 1º Fórum Nacional do Comércio Na ocasião, foram apresentadas as mudanças no perfil do consumidor brasileiro e as tecnologias que farão a diferença no relacionamento com o cliente

O

evento, realizado de 10 a 12 de outubro em Brasília, discutiu os projetos, as iniciativas, as mudanças socioeconômicas, o momento vivido pelo comércio brasileiro e a legislação vigente. Na ocasião, os jovens empreendedores trataram da reestruturação da CNDL Jovem e das parcerias por meio de intercâmbios entre países, tendo como base o exemplo da CDL Jovem de Fortaleza, que recebeu 11 representantes da Bélgica para absorver e trocar experiências com empresas cearenses de diversos setores. Durante o fórum, também foram apresentadas as mudanças no perfil do consumidor brasileiro e as novas tecnologias, que farão a diferença no relacionamento com o cliente e nas formas de conceder crédito. Além disso, também foi realizado um planejamento para o setor varejista

os jovens empreendedores trataram da reestruturação da CNDL Jovem e das parcerias por meio de intercâmbios entre países. pelos próximos 10 anos. Marcaram presença, deputados, senadores, representantes do governo federal e estadual, empresários, técnicos e comerciantes de todo o país. Alguns lojistas, durante o evento, levantaram questionamentos sobre o fato de compras no débito não poderem ter um valor mínimo estipulado, gerando taxas por qualquer transação eletrônica efetuada. Os comerciantes avaliam que, em

muitos casos, não compensa aceitar esse tipo de transação, pois a consideram absurda. O uso de cartões de crédito também foi protestado pelos empresários. Eles questionaram as altas taxas cobradas no País para o uso do crédito. Um dos argumentos utilizados, para tal insatisfação, foi a comparação entre o cartão de crédito e o cheque. Segundo os lojistas, o cartão veio como uma forma de pagamento mais segura, mas quando o recurso do crédito é usado são cobradas taxas absurdas, enquanto a do cheque é cobrada por uso. A CDL Jovem de Fortaleza foi representada no evento por Pablo Guterres (presidente), Fabiana Lucas (vice-presidente); Leandro Bessa (diretor- administrativo e financeiro); e Rodolfo Frota (presidente da CDL Jovem de Russas).

NOVEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

23

movimento | federação

Ações movimentam o mês de outubro Conselho Estadual do SPC Ceará Reunidos em São Paulo, os integrantes do conselho conheceram as instalações e as novas ações para o desenvolvimento do serviço do SPC Brasil. Marcaram presença os presidentes Freitas Cordeiro - CDL de Fortaleza; Honório Pinheiro - Federação das CDLs do Ceará; e Roberto Alfeu - SPC Brasil. Também participaram do encontro, representando as CDLs do Ceará e suas Bases Regionais, os Conselheiros de SPC das cidades: Fortaleza (Bosco Macedo); Cas-

cavel (Erialdo Miranda); Juazeiro do Norte (Michel Araújo); Sobral (Sérgio Frota); Iguatu (Francisco

Feira do Comércio e Indústria de Santa Quitéria A 5ª edição da feira, marcada para acontecer de 15 a 18 de janeiro de 2014, foi lançada no último dia 17 de outubro, na CDL Santa Quitéria. Os convidados assistiram a uma palestra sobre “Liderança”, ministrada por Domingos Cordovil, e conheceram a programação cultural, prêmios e palestras que serão desenvolvidas para alavancar o varejo da região. A estimativa é que 52 mil pessoas passem pela feira durante os seus quatro dias de realização. Também foi lançada a Campanha “Show de Prêmios CDL 2013”, que movimenta o comércio da cidade no final do ano. A feira e a campanha contam com o apoio do SEBRAE/CE.

24

Conjuntura do Comércio | NOVEMBRO 2013

Festival da criança Com adesão de várias lojas associadas, a CDL do Crato promoveu, no último dia 05 de outubro, o Festival da Criança. No evento: contação de histórias, oficina de pintura, colagem, biblioteca móvel e aplicação de flúor. As lojas decoraram suas vitrines e distribuíram brindes para os clientes. O festival movimentou o centro comercial da cidade e contou com a parceria da Prefeitura Municipal do Crato.

Bento); Canindé (Walter Carneiro); Russas (Francisco Dantas); e Varjota (Edgar Procópio).

Campanha de descontos para professores Com anúncios distribuídos em pontos diferentes da cidade, a CDL de Iguatu lançou a “Campanha de Descontos para Professores”. A ideia partiu do presidente da Entidade, Ariosto Bezerra Vale, durante uma reunião com representantes da Secretaria de Educação do município. Assim, foi definida uma mobilização no comércio local. O objetivo: conseguir descontos em produtos e serviços durante a semana do Dia do Professor, comemorado no último dia 15 de outubro. Mais de 40 lojas participaram da campanha.

DIÁLOGOS | FALANDO DE VAREJO

O varejo conspira Por Honório Pinheiro

O

varejo é a atividade produtiva que mais emprega e arrecada na maioria dos estados brasileiros. Apesar disso, sofre com a burocracia e com o distanciamento das decisões tomadas pelo poder público sendo pouco escutado em questões como a urgência por uma reforma tributária que lhe permita atuar com mais justiça fiscal, uma vez que esta promoveria ajustes considerados vitais para a integração do varejo nacional. Há tempos o varejo conspira contra essa legislação desigual e busca referencial para ser tratado e regido como setor  de  legislação una, objetivo que esteve muito presente no Primeiro Fórum Nacional do Varejo, que inovou ao sair do tradicional modelo de palestras para um modelo que promoveu   debates  muito produtivos.  Esse Fórum teve como  finalidade  discutir com as autoridades de Brasília as inquietações do varejo principalmente  no tocante  à legislação e  à burocracia, ou seja, aos entraves que precisam pelo menos ser amenizados a fim de promover o crescimento do setor. A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas promoveu o evento e escolheu realizá-

Há tempos o varejo conspira contra essa legislação desigual e busca referencial para ser tratado e regido como setor  de  legislação una. lo em Brasília exatamente para facilitar a logística de deslocamento e o acesso direto aos poderes e aos representantes destes, de modo a dar celeridade às soluções propostas para os principais temas em debate, sendo estas oferecidas  tanto pelas autoridades quanto pelas  lideranças do varejo. Conosco estiveram representantes do Congresso Nacional (senadores e deputados), Banco Central, administradoras de  cartões de crédito e  700 líderes do varejo brasileiro - na maioria pequenos varejistas -  representando todos os estados do nosso país. Dentro desse propósito representativo - e colaborativo -, foram discutidos temas importantes para o varejo,  como o comércio eletrônico, o Código de Defesa do Consumidor, a carga tributária,  a indústria de dano moral, a Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, o acesso ao crédito e aos cartões de

crédito. Foi discutida, ainda, a desigualdade de tratamento ofertado pelo Estado, já que, no Brasil, existe legislação que protege o pequeno varejista (a Lei Geral), mas não existe nem incentivo nem proteção para o médio empresário, este que nem é protegido pela Lei Geral nem possui o poder de influência ou de mercado que o grande empresário detém, ou seja, o médio empresário fica no limbo, sobrevivendo no mercado a custa de grandes sacrifícios  e sustentando os benefícios de outros sem nenhuma efetiva compensação. Essas diferenças regionais e essas travas burocráticas acabam por atrapalhar importações e exportações que poderiam ser promovidas por empresários mais arrojados, mas que acabam não acontecendo por falta de visão do poder público em todas as suas esferas. Se a  cada dia surgem novos paradigmas no comércio local e mundial,  adaptar-se a eles exige celeridade. Nesse contexto,  uma legislação que não se ajuste a essas exigências mercadológicas entrava não só o desenvolvimento do setor como também - e principalmente - o do próprio país. Conspira varejo, pois tua história é de luta! Honório Pinheiro é presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Ceará. presidente@fcdlce.com.br

NOVEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

25

MOVIMENTO | ALFE

Alfe promove encontro de negócios e talentos

P

romover e qualificar as empresárias associadas da ALFE: esse foi o objetivo do Encontro de Negócios e Talentos 2013,  focado nas diversas atividades empresariais e especialidades de profissionais autônomas, cujas ações fazem a interface comercial no âmbito empresarial da Associação. O evento teve a coordenação da TURIN Consultoria, com o apoio do SEBRAE, BNB, CDL,

FIEC, SINDILOJAS e FECOMÉRCIO, e o objetivo de implantar uma cultura empreendedora de Rede

de Informações em técnicas de gestão e oferta de linhas de crédito.

Alfe - empreendedorismo & ação: Gestão 2013/2015 e Nicolle Barbosa/CIC, que foi agraciada com o Troféu Idelzuite Carneiro

P

ara a posse da nova diretoria da ALFE, Fátima Duarte foi reeleita presidente por aclamação, momento revestido de muita energia, entusiasmo e comprometimento de todas que fazem a ALFE. Nessa premissa, aliada a outras grandes Entidades, a ALFE também avalia e reconhece seus valores e importância para a harmonia crescente. Por isso, decidiu homenagear Nicolle Barbosa, presidente do CIC, com o Troféu Idelzuite Carneiro - a mais alta comenda da Instituição -, registrando na sua história o valor e caráter de uma personalidade marcante no cenário econômico/ social do nosso Estado.

26

Conjuntura do Comércio | NOVEMBRO 2013

Compõem a nova Diretoria Executiva as alfenas: Selma Cabral (Vice-Presidente); Iracema Sales

Branco; Ana Maria Pinto Sampaio; Maria Nirvanda Medeiros; Margarida Bedê; Regina de Fátima Dall´olio;

Nobre; Arinete Marinho Timbó; Marta

Agripina Montezuma; Mary Elisabeth

Maria Peixe Sales; Karina Carvalho de Sampaio; Lucrécia Figueiredo Araujo.

Martins Delboni; Nilza Fátima Parra; Heliane Pimentel de Castro; Erika Martins; Lucíla Studart Norões Coelho;

Diretoras apoiadas pelos Conselhos Fiscal e Consultivo: Fca.

Zélia Cavalcante Brasil; Francilene Couto Alves; Silvana Frota; Maria

de Lourdes Bastos de Aguiar; Liduina Farias Barbosa; Ana Maria dos Santos

Cândida Portela Pires; Maria Cristina Bertosi; Mª Diana Paiva; Célia Maria

Barbosa; Antonízia de Andrade Moura; Vânia Rodrigues Aldigueri;

Macêdo; Maria Adamir Gomes; Maria do Carmo Almeida; Fábia Maria

Maria de Fátima Pinheiro Santos; Ailza Barbosa de Moraes; Leides Castelo

Morais; Theolinda Cordeiro; Erla Delanne Sampaio

Um presente de Natal que fará sucesso o ano todo.

Para deixar o Natal ainda mais gostoso, a Granja Regina acrescentou ao Kit Bons Momentos um ingrediente especial. As bolsas térmicas 2013 têm a assinatura de um dos maiores nomes da moda autoral brasileira, Lino Villaventura. Ao todo são 10 kits, cada um mais gostoso do que o outro. Um presente que vai deixar o Natal dos seus colaboradores muito mais feliz.

granjareginakits.com.br | Vendas:

3299.6510


Fortaleza Liquida 2014