Issuu on Google+

COMÉRCIO Conjuntura do

Ano VIII – Nº 90 – Setembro 2013

B-R-o - Bró

O Desafio do Comércio


SPC AVISA PROTEJA SEU NOME E

SEU NEGÓCIO Com o SPC Avisa você fica informado sobre qualquer inclusão, alteração ou exclusão do seu CPF/CNPJ.

E mais: Previne e alerta sobre indícios de fraudes; • Monitora seu CPF/CNPJ 24 horas por dia; •

Envia as alterações ocorridas no documento por e-mail e SMS; • Evita o constrangimento diante dos fornecedores, clientes e parceiros. •

Contrate agora mesmo! Informações: (85) 3464.5506 www.cdlfor.com.br


Palavra do Presidente Nesta Edição 04 04 05

aconteceu na cdl

06

articulação

08

crc

09

spc net

10

economia e mercado

12

capacitação

13

federação em ação

14

capa

17

o comércio e você

18

empreendedorismo

19

atendimento ao cliente

20

tendência

21

cdl jovem

22

comportamento do consumidor

24

alfe

25

aprendendo na prática

26

cultura

o que vem por aí FACULDADE CDL

Educação e compromisso com a sociedade Lideranças reunidas por um comércio melhor Contabilidade: ordem é progresso! SPC Brasil aposta no mercado de e-commerce Os dois lados de uma mesma moeda Empreendedores bem informados têm mais sucesso Comércio, interação e novas possibilidades B-R-O-BRÓ: o desafio do comércio Gestão do mix de produtos Empreendedorismo por oportunidade O cliente não busca excelência!

A era das marcas que começam do zero Expansão das CDLs Jovem Mudanças no comportamento do consumidor

B-r-o- bró: anúncio de boas vendas e excelentes negócios para o comércio

P

ara o segmento varejista é chegada a reta final do calendário lojista quando, de setembro a dezembro, as vendas disparam no período do B-R-O-BRÓ. Agora é o momento de se preparar para os pedidos de fim de ano, iniciar a contratação de novos colaboradores, rever o estoque e aquecer as vendas. No cenário externo, a economia americana e a europeia tentam não perecer, buscando trajetórias de crescimento, enquanto o Brasil demonstra fôlego para tentar acelerar sua atividade produtiva, tendo no setor de Comércio e Serviços um dos principais pilares que sustenta a dinâmica da economia brasileira. Por fim, uma novidade importante que a CDL de Fortaleza realizará de 10 a 14 de setembro de 2013: o Feirão Limpa Nome. Essa iniciativa inédita é o resultado de uma parceria entre a CDL de Fortaleza/ SPC Brasil e a Serasa, que tem o objetivo de facilitar a negociação de dívidas entre o público consumidor e seus credores, com condições especiais, favorecendo ainda uma orientação financeira adequada, estimulando o consumo consciente e sustentável para todos os participantes. Aos nossos clientes, parceiros e ao público consumidor, destaco aqui esse convite para que aproveitem esta grande oportunidade. Esperamos por vocês!

Empreendedorismo & ação Como construir sua marca pessoal

E xp e d ie n t e

Freitas Cordeiro presidente@cdlfor.com.br

Rua 25 de Março, 882 – Centro – CEP 60060-120 – Fortaleza – CE – Fone: (85) 3464.5572 – www.cdlfor.com.br

Conjuntura do Comércio é uma publicação mensal editada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza.

Presidente: Francisco Freitas Cordeiro | 1° vice-presidente: Pio Rodrigues Neto | 2° vice-presidente: Francisco Deusmar de Queirós | Diagramação: Antonio Henrique Silva Lima | Produção textual: Fernanda Lima | Estagiária de jornalismo: Daniele de Andrade | Jornalista responsável: Dégagé Assessoria | Tiragem 10.000 exemplares | Distribuição Gratuita | Impressão Celigráfica | Sugestões e comentários: gerencia.marketing@cdlfor.com.br Nossa Missão: Coordenar a integração e o desenvolvimento sustentável do comércio de Fortaleza, preservando os interesses coletivos, a responsabilidade socioambiental e os princípios do associativismo.

MISTO Papel produzido a partir de fontes responsáveis www.fsc.org

Consciência Ambiental Comprovada

SETEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

03


MOVIMENTO | ACONTECEU NA CDL

CDL Móvel em sua 33º edição!

F

oi por meio dos cursos de qualificação, oferecidos gratuitamente aos profissionais do comércio, que a CDL de Fortaleza realizou a CDL Móvel Jardim América (no bairro de mesmo nome), dos dias 19 a 23 de agosto, na EEEP Paulo VI. Estiveram presentes o Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT) e a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado do Ceará (Sejus), que emitiram carteira de trabalho, CPF e RG para a comunidade.

Durante a 33ª CDL Móvel ocorreu ainda: a Gincana “Salve o Planeta”, onde os estudantes da escola coletaram cerca de 2.868.000 quilos de papel, papelão e garrafas pets, tendo como vencedora Isabel Policarpo, que arrecadou 556.700 de recicláveis; e o Projeto Soletrar, concurso cultural que desafia o conhecimento acerca das novas regras ortográficas, cujo vencedor foi o aluno Aristóteles Tchaikovsky Alves Mendonça. Ambos os ganhadores receberam um tablet da Samsung.

Colação de grau A Faculdade CDL realizou, no último dia 20 de agosto, a colação de grau de 82 alunos dos cursos de graduação em Tecnologia em Gestão Comercial e de Tecnologia em Logística. Estiveram presentes Honório Pinheiro, reitor da Faculdade CDL e presidente da Federação das CDLs do Ceará, e Freitas

Cordeiro, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza. Compareceram também Márcia Maria Tavares Machado, pró-reitora de Extensão da Universidade Federal do Ceará (UFC); Jurandir Gurgel, Secretário de Finanças da Prefeitura Municipal de Fortaleza; entre outros convidados.

o que vem por aí

“Os pilares que levam uma empresa ao sucesso” Este tema será ministrado por Marcos Braun (consultor, professor de MBA e coach) no próximo Ciclo de Palestras CDL,

04

no dia 09 de outubro, às 18h30, na CDL de Fortaleza. Garanta já sua vaga! Informações: (85) 3433-3012 / 3433-3013.

Conjuntura do Comércio | SETEMBRO 2013

“Por que seu time não bate metas?” Este foi o tema de Kelly Malheiros, administradora de empresas e especialista em Gestão Internacional de Varejo, no Ciclo de Palestras CDL. O evento, realizado em 27 de agosto, foi sucesso de público e os quilos de alimentos não-perecíveis arrecadados foram doados para a Instituição de Caridade Casa de Nazaré.

34ª CDL Móvel na Parquelândia A Escola Joaquim Nogueira receberá de 23 a 27 de setembro a 34ª CDL Móvel, com vários cursos para comerciantes e benefícios à comunidade. Participe! Mais informações: (85) 3464-5512.


MOVIMENTO | FACULDADE CDL

Educação e compromisso

com a sociedade Ao completar cinco anos de atuação, com um ensino de qualidade, a Faculdade CDL tem por meta se aprimorar e crescer cada vez mais para receber novos alunos e futuros profissionais do comércio

Da esquerda p/direita: Marília Marinho, Honório Pinheiro e Meirijane Anastácio que estão à frente da Faculdade CDL.

Novos graduados da Faculdade CDL.

A

Faculdade CDL tem formado, desde 1995, profissionais para atuar, sobretudo, no segmento de Comércio & Serviços, construindo uma trajetória de excelência na qualidade de ensino, tendo capacitado cerca de 100.000 pessoas ao longo desse período. Ao ser credenciada pelo MEC, em 2008, com o conceito máximo de ensino, a Faculdade CDL passou a ter também como grandes diferenciais o quadro de professores composto por mestres, doutores e especialistas, com vasta experiência, e a Loja Conceito, um laboratório de varejo que permite a adoção de uma didática de vanguarda, com aulas práticas que facilitam o aprendizado. Nessa trajetória de cinco anos já passaram pela Faculdade CDL 1.625

alunos da graduação e, destes, já colaram grau 344. Muitos alunos retornam à Faculdade CDL para cursar: Especialização, que atualmente oferece cinco cursos em andamento e outros três que terão início em setembro próximo; Idiomas (Inglês / Espanhol); e cursos de Extensão, que tem a tradição de excelência da sua mantenedora, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza. Além disso, durante as férias da Graduação, a Faculdade CDL realiza o Varejo para Todos - quando 90 cursos são ofertados aos alunos e ao mercado a preços simbólicos -, fazendo jus ao ser uma Instituição sem fins lucrativos, propiciando também uma formação adequada aos profissionais que atenderão os turistas na Copa 2014. Desde 2009 a Faculdade CDL desenvolve cursos de Pós-Gradu-

ação de forma autônoma, ao que, até o momento, oportunizou 505 alunos a se especializarem. Some-se ainda a realização de cursos abertos para o público em geral e cursos in company, com turmas fechadas e específicas para a empresa solicitante (quando um profissional da Faculdade vai até a empresa interessada e colhe um dossiê do que a entidade precisa; contata um profissional expert na área de interesse; e o conteúdo do curso é desenvolvido conforme a necessidade do solicitante). A Faculdade CDL se renova e se constrói, e é intenção maior da Instituição se aprimorar continuamente para ofertar a você uma educação de qualidade e a possibilidade de um futuro profissional de sucesso! Conheça mais sobre a Faculdade CDL! Acesse: www.faculdadecdl.edu.br

SETEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

05


MOVIMENTO | Articulação

Lideranças reunidas por

um comércio melhor A Federação das CDLs do Ceará, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza e a CDL Jovem receberam associados e lideranças empresariais para um encontro que foi realizado em 02/agosto, na sede da CDL de Fortaleza, onde foram discutidos dois importantes temas para o segmento lojista.

Mobilização para a derrubada do veto ao PLP 200/2012 (FGTS)

N

o primeiro momento da reunião foi articulado apoio ao Movimento Nacional pela Derrubada do Veto Presidencial à Lei Complementar (PLP 200/2012). Hoje, quando um empregador demite um funcionário, deve pagar 40% de multa sobre o saldo do FGTS para o colaborador e mais 10% de multa para o Governo. Antes, a cobrança destes 10% era para cobrir os rombos gerados pelos Planos Verão e Collor I, nas contas do FGTS. Porém, estas defasagens já foram compensadas e continuam sendo cobradas e recolhidas para o Tesouro, ou seja: uma poupança (superávit primário), feita pelo Governo, com o dinheiro que deveria estar na produção e na ativação da economia brasileira. A meta do movimento lojista é extinguir a multa de 10% sobre o saldo do FGTS. No último dia 03 de julho, o Congresso Nacional aprovou o PLP 200/2012, extinguindo a contribuição social devida pelos empregadores. Embora aprovado, o Projeto foi à sanção da Presidência da República e a presidente Dilma vetou-o por completo. Honório Pinheiro (vice-presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas e presiden-

06

te da Federação das CDLs do Ceará), afirma: “Não é concebível que o Governo Federal possa dar benefícios sacrificando cada vez mais as empresas”, afirma Pinheiro. “Nós não suportamos mais essa carga tributária”, reitera. A Campanha do momento é esta! Para vencer esse desafio, a CNDL convoca todo o movimento lojista para que, unidos e com

Conjuntura do Comércio | SETEMBRO 2013

o apoio dos 257 parlamentares, o veto ao PLP 200/2012 (FGTS) possa ser derrubado. “Estamos trabalhando estrategicamente para a derrubada desse veto”, afirma Freitas Cordeiro, presidente da CDL de Fortaleza, aludindo à ferramenta desenvolvida pela CNDL e pelo movimento lojista. Nela é possível mandar e-mails aos deputados e senadores e mensagens usando as redes sociais (twitter e facebook) pela internet.

Como participar do veto 01 Acesse o site da CNDL

www.cndl.org.br/ e clique em mobilização

02

Passe o mouse sobre o mapa do Brasil e, em seguida, clique no estado onde você mora.

03

Escolha o parlamentar para o qual você quer enviar sua mensagem (via e-mail, facebook e/ou twitter).

04

Preencha os campos, com seu nome e e-mail, e envie sua solicitação.


Programa de Recuperação

Fiscal - REFIS 2013

C

om a presença de Mauro Benevides Filho, Secretário da Fazenda do Estado do Ceará, o segundo assunto tratado no encontro, na CDL de Fortaleza, foi o Programa de Recuperação Fiscal REFIS 2013. Conforme explica Mauro Filho, “o REFIS é uma iniciativa que possibilita um impulso na atividade econômica cearense, traz oportunidade tanto para as empresas quanto para os contribuintes enquanto pessoa física, com vários impostos que poderão ser negociados. A intenção é conseguirmos avançar com essas negociações e quitar a maior parte das inadimplências”, pondera. Desde 2009 a ação não era executada. Porém, o Programa foi anunciado pela SEFAZ-CE, no último dia 17 de julho, e publi-

A intenção é conseguirmos avançar com essas negociações e quitar a maior parte das inadimplências. cado, em 1º de agosto, no Diário Oficial do Estado. Além de buscar zerar multas, juros e encargos de cerca de 112 mil pessoas físicas e jurídicas, em dívida com o fisco estadual, o REFIS alcança os impostos sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e o de Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD), abrangendo ainda apenas débitos com fator gerador ocorrido até 31 de dezembro de 2012.

O prazo de adesão ao REFIS segue até o dia 30 de setembro de 2013 para pagamentos à vista e até 30 de dezembro de 2013 para pagamentos parcelados, sendo, neste caso, o valor mínimo da prestação de R$ 200,00. Desde o último mês de agosto a Secretaria da Fazenda do Estado do Ceará tem disponibilizado os boletos, em todas as suas unidades, aos interessados. Durante o encontro da CDL de Fortaleza, Mauro Filho tirou dúvidas para os presentes de como o Programa deverá beneficiar mais de 112 mil contribuintes inscritos na dívida ativa estadual que, segundo o Secretário, atualmente conta o montante total de R$ 1,7 bilhão. “Acreditamos que a iniciativa será um fator impulsionante da atividade econômica cearense e não uma ação puramente arrecadatória”.

SETEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

07


DIÁLOGOS | conselho regional de contabilidade

Contabilidade: ordem é progresso! Por Cassius Coelho

P

articipando de uma solenidade de abertura em um evento e acompanhando a execução do hino nacional com a bandeira do Brasil projetada em um telão, detive-me na frase “Ordem e Progresso”. Como o evento era relacionado à Contabilidade, comecei a refletir sobre a relação da frase com a Contabilidade. “Ordem e Progresso” é o lema político do Positivismo, e é uma forma abreviada do lema de autoria do positivista francês Augusto Comte: “O Amor por princípio e a Ordem por base; o Progresso por fim”. O Positivismo possui ideais republicanos, como a busca de condições sociais básicas, através do respeito aos seres humanos, salários dignos e também o melhoramento do país em termos materiais, intelectuais e, principalmente, morais. E qual a relação dessa frase com a Contabilidade? Se analisarmos as ideias do Positivismo é fácil entender a importância da Contabilidade para o desenvolvimento e melhoramento do País, através do controle exercido pelos registros contábeis e da explicitação dos números através das informações geradas nos demonstrativos e análises, culminando em maior transparência para a sociedade. Ordem é sinônimo de organização e a Contabilidade

08

Conjuntura do Comércio | SETEMBRO 2013

Valorizar outras áreas na gestão das empresas é também importante, tanto quanto fazer da Contabilidade a parceria ideal para medir os desempenhos, custos, retornos de uma organização. tem dentre suas melhores características a capacidade de organizar e estruturar os dados gerados pelas operações das empresas e, através de registros sistematizados, estruturar tais dados em informações que podem ser utilizadas para auxiliar de maneira importante na gestão das empresas. O processo decisório é um desafio cada vez maior para os gestores, que precisam analisar uma gama enorme de variáveis, e tem na Contabilidade uma aliada no controle e sistematização da informação para que seja possível retirar delas as respostas necessárias. Empresas que não utilizam a Contabilidade como instrumento de gestão podem até ser bem sucedidas, mas talvez tenham sérias dificuldades para obter informações e controlar suas operações de forma adequada, ou tenham uma lucratividade maior que encubra ou desviem o olhar da importância do controle.

Já empresas que valorizam a Contabilidade, certamente contam com ferramentas importantes para a gestão de seus negócios, o que não garante que sejam empresas bem-sucedidas, mas com absoluta certeza, são empresas melhor estruturadas para crescer ou sair de eventuais momentos de dificuldades, quando precisam mais do que nunca de informação. Valorizar outras áreas na gestão das empresas é também importante, tanto quanto fazer da Contabilidade a parceria ideal para medir os desempenhos, custos, retornos de uma organização, o que torna a Contabilidade uma indispensável aliada de qualquer empresa, seja qual for o seu tamanho ou ramo. Se você é empresário, lojista, industrial e quer ver seu negócio progredindo, perceba a Contabilidade com outros olhos. Exija do profissional da Contabilidade que atende a sua empresa que seja parceiro na gestão do seu negócio, mas também dê a ele as condições para que possa desenvolver o seu trabalho adequadamente, com informações tempestivas, acesso às decisões de gestão, oportunidade para opinar e ser ouvido em suas sugestões. Certamente a empresa só tem a ganhar, pois contabilidade é ordem e é progresso certo! Cassius Coelho é Contador, Presidente do CRC-Ce e Diretor da Marpe Auditores.


NEGÓCIOS | SPC Net

SPC Brasil aposta no mercado de e-commerce Conheça o SPC Net, destinado a empresas que consultam dados cadastrais de seus clientes na hora da concessão de crédito, além de pessoas físicas que precisam monitorar suas informações.

O

SPC Brasil, por meio da CDL de Fortaleza, disponibiliza a sua primeira loja on-line. Com um ambiente virtual simples e interativo, e destinado a pessoas físicas e a empresas não filiadas às CDL’s, o SPC Net oferece serviços que analisam a situação do consumidor ou empresa em relação à inadimplência no mercado, incluindo o monitoramento de CNPJ ou CPF para alertar sobre possíveis fraudes. O que garante a credibilidade do SPC Net é a precisão da sua base de informações, pautada na principal especialidade oferecida pelo SPC Brasil. Com 50 anos de história, o SPC Brasil continua ampliando seu leque de ferramentas por meio do ambiente digital. Como os associados da CDL já têm condições especiais – de acesso direto às consultas, com mais comodidade e melhores preços -, o SPC Net vem dar oportunidade às pessoas físicas ou empresas, que ainda não têm vínculo de filiação às CDL’s, para também poderem usufruir de um dos serviços do SPC Brasil. É, portanto, mais um canal disponível para esse público, para atender às suas necessidades eventuais de consultas ao banco de dados do SPC Brasil.

Uma das novidades do SPC Net é o acesso às informações por parte do consumidor. Por meio desse shopping virtual, o cliente final poderá avaliar a idoneidade e o comportamento das empresas - como dados cadastrais e de

sócios, histórico de pagamentos, relação com os fornecedores, ações judiciais, protestos, entre outros - com as quais pretende fazer algum tipo de negócio, como contratar ou até mesmo fazer uma compra.

Como funciona Para comprar pelo SPC Net, o usuário deve acessar o site do SPC Brasil (www.spcbrasil.org.br) e clicar no ícone “Loja Online”. Por meio do cartão de crédito, débito em conta ou boleto bancário, poderá adquirir créditos que variam entre R$ 9,90 e R$ 199,90 para comprar os produtos disponíveis. A cada compra realizada, os créditos serão descontados. Com apenas R$ 0,79, por exemplo, é possível consultar dados de cheque, cheques furtados ou extraviados.

SPC Net: um “mundo” de informações ao seu alcance! Mais informações: Fone: (85) 3464-5506 E-mail: gerencia.comercial@cdlfor.com.br

Utilize um aparelho leitor de QR CODE e acesse a página do SPC NET

SETEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

09


NEGÓCIOS | Economia e Mercado

Dois lados de uma

mesma moeda A depreciação do Real, frente a valorização do Dólar, e o crescimento da economia brasileira em 2013 mostram que, mesmo diante das atuais circunstâncias, há possibilidades de perspectivas melhores que estão por vir

D

uas questões estão na pauta atual das discussões econômicas: o crescimento da economia brasileira em 2013 e a depreciação do Real frente ao Dólar. Enquanto a economia americana e a europeia inicia um processo de retomada sustentável da trajetória de crescimento, o Brasil ainda não encontrou a forma de acelerar sua atividade produtiva. De uma expectativa de crescimento inicial de 4%, o Ministro Mantega já admite uma expansão de apenas 2,5%, mesmo indicador previsto pelo FMI, há seis meses. Os analistas financeiros - que participam da pesquisa Focus, do Banco Central - também já admitem crescimento

10

entre 2,2% e 2,5%, ou seja: o Brasil deverá ter um crescimento superior à média mundial, mas aquém da média dos países emergentes (BRICS). A redução da expectativa de crescimento da economia brasileira coincide com o bom momento da economia americana, que, segundo o presidente do FED Atlanta, Dennis Lockhart, deverá crescer entre dois e 2,5% este ano. Esse crescimento dos EUA estimula o debate sobre a retirada dos estímulos oferecidos à economia pelo governo americano, nos momentos de crise aguda, através de uma política monetária mais flexível. Discute-se, agora, o tempo em que isso deverá ocorrer.

Conjuntura do Comércio | SETEMBRO 2013

O esgotamento do consumo interno, provocado pela elevação da taxa de juros e pelo nível de endividamento, trouxe impacto redutor sobre o crescimento da economia brasileira. De acordo com a Pesquisa Mensal do Emprego, do IBGE, a taxa de desemprego em julho ficou em baixa (5,6%); já em junho a taxa de desocupação foi de 6%. O rendimento médio real atingiu R$ 1.848,40 em julho (expansão de 1,5% se comparado a 2012), enquanto a massa de renda real superou R$ 43 bilhões, 2,7% maior que julho/2012. Menos crescimento, com renda maior: contradição ou milagre do modelo econômico?


A surpreendente alta do Dólar Com a retomada da atividade econômica americana, a demanda por dólar tende a crescer naturalmente, provocando sua valorização. Primeiro devido a uma necessidade interna por Dólar para transações, a fim de aquecer a produção e o consumo. Segundo, em virtude das expectativas de que o governo americano retire os estímulos monetários a qualquer momento, aumentando a escassez do dólar nos mercados mundiais. Portanto, a valorização do Dólar, em relação às principais moedas de todo mundo, já era uma “crônica anunciada”. O que não se previa era a velocidade com que essa apreciação iria ocorrer. As moedas dos países emergentes sofreram importante desvalorização. O Real teve queda de 16% em relação ao Dólar, a segunda maior depreciação, entre as 30 moedas mais utilizadas no comércio mundial, perdendo apenas para o Rand, moeda da África do Sul. A valorização do Dólar traz diversas consequências para a economia. Um Dólar mais caro pode estimular as exportações e inibir as importações, forçando um ajuste na balança comercial brasileira. Por outro lado, as matérias-primas importadas ficam mais caras, gerando inflação de custo. Como já se sabe que o Banco Central do Brasil usa o modelo de “metas de inflação” como base para sua política monetária, é provável que a taxa SELIC aumente. Assim, o Governo terá menos motivo para celebrar qualquer cenário favorável ao crescimento econômico. Resta, pelo menos, conter a inflação. Análise do Setor de Comércio O comércio varejista no Brasil vem acelerando o ritmo de expansão desde o fim do primeiro semestre. Em junho/12 a taxa de crescimento sobre o mesmo mês de 2011 foi de 1,7%. Nos últimos três meses do se-

Desvalorizações frente ao Dólar – 1º Semestre 2013 PAÍS

MOEDA

Desvaloriz. Acum. 2013

África do Sul

Rand

17,58%

Brasil

Real

16,02%

Índia

Rupia

14,91%

Peso Argentino

14,21%

Argentina

Dos negócios abertos no País, 69% deles existem porque os empresários detectaram uma demanda a ser suprida. mestre o crescimento tem sido positivo, conforme Pesquisa Mensal do Comércio, publicada pelo IBGE. No acumulado do primeiro semestre de 2013 o crescimento também foi positivo (3%), um resultado que chama a atenção quando se compara o crescimento de 9% no mesmo período de 2012. A elevação da taxa de juros este ano pode ter retardado o consumo interno, assim como o elevado endividamento das famílias. Os segmentos que apresentaram maior crescimento em junho/12 foram: combustíveis e lubrificantes (8,2%); outros artigos de uso pessoal e doméstico (7,8%); equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (6,8%). A maior queda ocorreu no segmento de tecidos, vestuário e calçados (-3,2%). Em julho/13 o desempenho das vendas reais dos supermercados foi bastante positivo (expansão de 11,6% sobre 2012), de acordo com o Índice Nacional de Vendas divulgado pela Associação Brasileira de Supermercados. O setor voltou a se aquecer e deverá manter a performance em virtude do baixo nível de desemprego e do crescimento

da massa de rendimentos em 2,7%. No Estado do Ceará, o desempenho apresentou uma redução das vendas em –0,6%. No primeiro semestre o varejo cearense cresceu 3,8% (25% a mais que o crescimento médio do País). Os segmentos que mais contribuíram com esse desempenho foram: artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (12,4%); e o de livros, jornais, revistas e papelaria (8,5%). O segmento de pior desempenho foi o de equipamentos e materiais para escritório, informática (-10,9%). Em síntese: o primeiro semestre sinaliza um crescimento anual do varejo cearense de 7,4%, superior à projeção de 5,5% para o crescimento do varejo nacional. Os indicadores de renda e de emprego, todavia, apontam para um aquecimento desse setor no segundo semestre de 2013.

De olho nos números

8,5%

Taxa de Juros

SELIC em agosto/13

5,6%

Taxa de Desemprego em julho/13

R$

2,36

Dólar em 28/08/2013

0,16%

Inflação (IPCA-15) em agosto/13

3,5%

Crescimento da Inadimplência em julho/13

55,2%

Relação Crédito/ PIB em junho/13

SETEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

11


IDEIAS | Capacitação

Empreendedores bem informados têm mais sucesso Organização não-governamental dá exemplo de que, com parcerias, é possível formar técnica e profissionalmente os futuros empresários do nosso País

O

Brasil é o país mais empreendedor do mundo. Segundo dados da Endeavor Brasil, três a cada quatro brasileiros preferem ter um negócio próprio a ser funcionário de uma empresa, e aproximadamente 88% da população reconhece os empreendedores como geradores de emprego. No entanto, apenas 4% da população são de fato empreendedores de sucesso. O motivo? A falta de recursos está entre os principais empecilhos e, principalmente, a falta de conhecimento e informações sobre o assunto. “As pessoas têm muitas ideias, mas não sabem como colocá-las em prática e transformá-las em negócio, e assim perdem muitas oportunidades de empreender”, explica o professor e empreendedor Marcos Linhares. Esse é um dos motivos que estimula a Endeavor Brasil, em parceria com o Santander, a oferecer cursos gratuitos nas áreas de Finanças, Gestão, Marketing, Inovação, entre outros temas. A ONG, que se dedica a fomentar o empreendedorismo pelo mundo, capacitará pela internet 10 mil empresários e interessados em montar o próprio negócio. Estão previstos no programa: encontros com empreendedores

12

Conjuntura do Comércio | SETEMBRO 2013

a Endeavor dá o exemplo de que com vontade, parcerias e foco é possível incrementar o comércio do Brasil. assessorados pela Endeavor; mais de 200 vídeos com palestras de especialistas do mercado E-Learning Endeavor; e o patrocínio da Semana Global do Empreendedorismo, que, este ano, será realizada de 18 a 24 de novembro. Todo o material será somado às informações disponíveis no Portal Santander Empreendedor (www.santanderempreendedor.com. br/), plataforma virtual para clientes e não clientes do banco. Ao formar futuros empreendedores, a Endeavor dá o exemplo de que com vontade, parcerias e

foco é possível incrementar o comércio do Brasil, investindo, sobretudo, em quem atua no segmento varejista por vocação e opção. “Apostamos na soma de esforços para multiplicar o impacto gerado no ambiente empreendedor. É por isso que há muitos anos capacitamos pequenos e médios empreendedores”, diz Juliano Seabra, diretor geral da Endeavor. “Compartilhamos a crença de que o crescimento deles é o motor das mudanças sociais e econômicas do nosso País”.


MOVIMENTO | federação em ação

Comércio, interação e novas possibilidades A realização da 26ª Convenção Estadual do Comércio Lojista em Tauá incrementou o comércio, a economia e fez história na cidade

A

pós ter sido cenário da 26ª Convenção Estadual do Comércio Lojista, que ocorreu no último mês de agosto dos dias 15 a 17, Tauá comprovou não apenas sua capacidade para receber e gerir eventos de grande porte, mas mostrou como o comércio pode ser o protagonista da economia de uma cidade que, a exemplo de Tauá, só tende a crescer. Além da participação de 800 convencionais, a 26ª Convenção teve a presença de várias autoridades como: Domingos Filho (Vice-Governador); José Pimentel (Senador); Patrícia Aguiar (Prefeita de Tauá); Ciro Gomes (ex-Ministro da Fazenda); Honório Pinheiro (presidente da Federação das CDLs do Ceará); Freitas Cordeiro (presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza); Lúcio Alcântara (ex-Governador); Domingos Neto (Deputado Federal); Alexandre Pe-

A 26ª Convenção também contribuiu positivamente para os comerciantes da região. reira (Secretário do Conselho Estadual do Desenvolvimento Econômico - CEDE); Jefferson Massilon (presidente da CDL de Tauá); entre diversas outras personalidades da área política e privada do Estado. Vários setores - como hotelaria, restaurantes, transportes e entretenimentos - foram beneficiados com o aumento significativo em volume de vendas e de utilização na ocupação de espaços oferecidos por Tauá. A 26ª Convenção também contribuiu positivamente para os comerciantes da região, gerando um faturamento significativo e favorecendo

uma maior divulgação dos exemplos no comércio que Tauá têm a oferecer. “Cada empresa, seja ela grande ou pequena, tem uma realidade e um perfil diferente. Um evento como a 26ª Convenção possibilita que o empreendedor participante troque experiências com empresários de outras cidades, dos mais diferentes segmentos do varejo cearense, e aprenda a aplicar ações inovadoras em seus negócios, a fim de se desenvolver e de se manter firme e ativo no mercado”, explica Honório Pinheiro. “Acreditamos que Tauá terá, por consequência à 26ª Convenção, uma maior visibilidade econômica no Estado. Isso alimenta a certeza de que nossa missão, enquanto Federação das CDLs do Ceará, foi devidamente cumprida durante esse evento, que foi um sucesso”, finaliza o presidente da FCDL-CE. SETEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

13


CAPA | B-R-O-BRÓ

O desafio

do comércio O B-R-O-BRÓ chegou e o momento de o comércio se preparar para melhor manufaturar as vendas do final do ano é agora!

Q

uem lida com a dinâmica do setor de Comércios e Serviços sabe o quanto o mercado pede - dos profissionais de varejo - iniciativa, criatividade, estratégia e preparação antecipada para os maiores períodos de vendas. E para que o saldo seja positivo, do atendimento ao lucro, nada melhor do que aproveitar o período do B-R-O-BRÓ e fazer a sua loja ou negócio ser o predileto nas opções de compra do consumidor. Anualmente, os meses de setembro a dezembro são os mais fortes para o setor varejista, o que requer um maior cuidado e planejamento por parte dos empreendedores. A partir do início do segundo semestre os comerciantes devem rever como está o capital de giro do seu negócio, considerar a possibilidade de adquirir insumos que favoreçam maiores vendas e que atendam às demandas exigidas por parte dos clientes. “O período do B-R-Ó-BRÓ é,

14

Conjuntura do Comércio | SETEMBRO 2013

sem dúvida, a grande oportunidade do ano para os comerciantes. É o momento em que qualquer negócio pode reconquistar seu lugar no mercado, caso as vendas não estejam com um saldo desejado, e a chance de quem já lucra com sua loja ou empresa fazer suas vendas triplicarem até o final do ano”, explica Freitas Cordeiro, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza. Se 2012 já foi bom para o varejo, a estimativa é que as vendas durante o segundo semestre de 2013 aumentem e dinamizem, ainda mais, a economia do Estado. “O setor de Comércio e Serviços continua apresentando um desempenho positivo, especialmente porque a economia cearense tem se fortalecido continuamente, superando o varejo nacional. Isso gera uma maior segurança para que empreendedores e comerciantes invistam e, com o aumento de vendas que ocorre de setembro a dezembro, possam firmar estabilidade e maiores lucros para


os meses de setembro a dezembro são os mais fortes para o setor varejista, o que requer um maior cuidado e planejamento por parte dos empreendedores. os seus negócios”, destaca Freitas Cordeiro. Nordeste: oásis do comércio brasileiro Além de o período do B-R-Ó-BRÓ, por si só, ser o mais rentável no bolso do comerciante brasileiro, outros fatores colaboram para acionar, ainda mais, a probabilidade de sucesso após uma preparação antecipada para obter bons resultados nas vendas: o Nordeste tem crescido, significativamente, no setor de Comércio e Serviços, ficando apenas atrás da região Sudeste. Os dados comprovados por meio de pesquisa elaborada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística apontam que o empreendedorismo no Nordeste tem sido um fator relevante para o crescimento econômico brasileiro, para a produtividade, a inovação e o emprego. No caso do Ceará, mais um motivo impulsiona o crescimento do comércio no B-R-O-BRÓ 2013: quatro shoppings centers funcionarão no Estado a partir desse segundo semestre. Dos dois empreendimentos inaugurados no interior, um está situado em Juazeiro do Norte (Região Metropolitana do Cariri). O Shopping Juazeiro, do grupo empresarial JDMM, deve gerar cerca de mil novos empregos diretos e outros 2.500 indiretos. Já o Sobral

Shopping, da construtora Cameron, será inaugurado em novembro deste ano, quando se estima que serão gerados 1.200 empregos diretos. Por sua vez, a capital cearense receberá do grupo Marquise o Shopping Parangaba, que teve R$ 180 milhões em investimentos e deve gerar três mil novos postos de trabalho, e o North Shopping Joquei, com previsão de inauguração em outubro. Honório Pinheiro, presidente da Federação das CDLs do Ceará, aponta que, além das datas comerciais, “são as promoções do próprio setor varejista, como a Fortaleza Liquida e o B-R-O-BRÓ, e ações de marketing promovidas pela FCDL, em todo o Estado, que impulsionam o crescimento do comércio cearense”. E destaca: “2013 tem sido um ano de crescimento moderado, mas positivo, e os comerciantes e empreendedores, de posse desse entendimento, devem se preparar o quanto antes para melhorarem suas vendas”. B-R-O-BRÓ e a possibilidade do primeiro ou de um novo emprego Se para o comércio os meses que antecedem o Dia das Crianças, Natal e Ano-Novo preveem a possibilidade de excelentes vendas, o B-R-O-BRÓ também traz a grande chance para que profissionais consigam o seu primeiro emprego ou conquistem uma nova oportunidade de trabalho. O que se deve ter em mente é que, em se tratando de atuar profissionalmente no comércio, capacitação é a palavra de ordem. O comércio é dinâmico e precisa de profissionais pró-ativos, com vontade de vencer e que façam do processo de vendas o seu maior desafio. “Em função do trabalho temporário de final de ano, percebe-se o aumento do número de pessoas

SETEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

15


trabalhando em todas as regiões do Brasil. Em contraponto, aumenta também o número de pessoas que começam a procurar mais trabalho”, observa Cimar Azeredo, economista e coordenador da Pesquisa Mensal de Emprego do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). E são nos meses que antecipam o fim do ano, que crescem as ofertas de vagas temporárias no comércio, em uma média de 300 mil vagas de emprego no País. Prepare-se para as vendas agora! Sendo dono de loja, empresários ou profissionais contratados, a premissa máxima para o B-R-O-BRÓ é: prepare-se para realizar boas vendas agora. Não espere o mês de novembro ou dezembro chegar para, só então, preocupar-se em repor estoque ou convocar quem lhe auxilie, ainda que temporariamente.

No caso do Ceará, mais um fator impulsiona o crescimento do comércio no B-R-O-BRÓ 2013: quatro shoppings centers funcionarão no Estado, a partir desse segundo semestre. Antes de fazer qualquer pedido aos seus fornecedores, pesquise por meio da concorrência ou do seu público-alvo e estabeleça meios que o auxiliem a descobrir qual produto tem mais saída ou que tipo de promoção poderá causar maior venda de determinado produto ou serviço. Priorize um atendimento de qualidade e tente gerir bem o seu estoque, ficando atento aos produtos com mais saída. Essas prerrogativas básicas po-

dem garantir ótimos resultados em curto e médio prazo. Tenha em vista também que, para o comércio cearense, os investimentos realizados pelo Governo do Estado do Ceará – como as obras do Castelão, Metrofor, o Centro de Eventos, o estímulo ao Turismo e ao comércio no interior Estado - são fatores que certamente favorecerão e repercutirão em um segundo semestre com amplas probabilidades de maiores negociações para o segmento varejista. A maior conquista que um bom comerciante pode obter no B-R-O-BRÓ é a preferência do seu cliente nos meses de setembro a dezembro e além deles. Prepare o seu negócio nesse período com planejamento, determinação e criatividade, e acredite na grande oportunidade de fazer a diferença e de se sobressair no mercado, que - até o final deste ano - está reservado a você!

Dicas para se preparar para as vendas no final do ano! • É importante você descobrir os serviços ou produtos que mais têm potencial de venda nos meses de setembro a dezembro. • Formule estratégias para envolver a equipe de estoque e de suporte, utilizando softwares, mas também empreendendo um acompanhamento presencial do seu negócio. • Dedique no dia a dia um tempo para acompanhar e avaliar os funcionários que contratar temporariamente, mas também para os colaboradores que já estão efetivados. • Orientação e qualificação são essenciais para a excelência em atendimento, especialmente no período que antecede o final do ano. O ideal é que, além de saberem tratar seus clientes, seus funcionários saibam com segurança prestar todas as informações, da loja e produtos, que lhes questionarem. • Para as compras do período mais ativo do comércio, um fator faz toda a diferença: agilidade. Fique de olho se o processo de venda está sendo eficaz, porém, rápido. • Criatividade para empreender promoções, criatividade para atender e vender. Sempre.

16

Conjuntura do Comércio | SETEMBRO 2013


DIÁLOGOS | O Comércio e Você

Gestão do mix de produtos Por Eugenio Foganholo

M

ix é o conjunto de produtos e serviços que é ofertado por uma loja à sua clientela. Como o varejista pode estabelecer e definir o mix de uma loja? Etapa 1: a primeira questão que deve ser levada em conta para estabelecer o mix é saber com exatidão a quem sua loja está servindo, ou seja, qual é o perfil do seus clientes (sexo, local de residência, faixa etária, renda aproximada, etc.). Escolha o(s) público(s) que sua loja atenderá, evitando um dos maiores erros de alguns varejistas, que é querer atender a todos. Isto é cada vez mais improvável, devido ao número elevado de itens em todas as categorias, assim como pelas demandas cada vez mais segmentadas. Quem quer vender a todos acaba não vendendo a ninguém. Etapa 2: defina as categorias de produtos que sua loja trabalhará para atender ao público-alvo estabelecido. Elas fazem sentido? São correlacionadas e complementares? Possibilitam solução ampla para o que se propõe? A definição de categorias definirá o grau de variedade da loja. Etapa 3: defina o sortimento, que é a profundidade de itens

Algumas sugestões complementares:

de produtos de sua loja. Este é um trabalho “sem fim”, pois o comportamento do consumidor muda, bem como o volume de lançamentos é imenso neste tipo de produto de consumo. Os clientes gostam de lançamentos. Procure dar destaque a eles. O que deve definir a permanência de um item no mix de produtos não é se ele vende muito ou pouco, se ele se encontra na curva A, B ou C. Desde que seja um item minimamente rentável, o que define é o grau de fidelidade que o consumidor tem para com aquele item. Para itens que, ainda que vendam e girem pouco, mas que possuem alta fidelidade dos consumidores, estes devem permanecer no mix de sua loja. Em outras palavras, são aqueles produtos que o consumidor não abre mão e que, caso não o encontrem, eventualmente deixarão de frequentar a loja. Tenha muita atenção em relação à ruptura, ou seja, à falta de um determinado produto na loja. Ruptura é um dos piores vírus que uma loja pode ter, pois não gera venda e, pior, dá a chance de o consumidor “experimentar” seu concorrente (obviamente correndo o risco de que irá achá-lo melhor).

Consulte regularmente os dados do seu sistema de gestão para avaliar a adequação do mix

Eugenio Foganholo é diretor da Mixxer Desenvolvimento Empresarial, consultoria especializada em bens de consumo e varejo. eugenio.foganholo@mixxer.com.br

naquela determinada categoria, ou seja, o número de itens que cada categoria terá. Esta definição implica em escolher marcas, versões e variações de produtos. É muito importante que o varejista, ao negociar o produto pela primeira vez, tenha o cuidado de cadastrar corretamente e com o máximo de informações possíveis cada item no seu sistema de gerenciamento de estoque. Isto o ajudará de maneira intensa na gestão da informação adequada de sua loja, podendo obter informações que irão auxiliá-lo a gerir melhor seu estoque e suas compras, como giro, curva A, B, C, vendas por período de tempo por item, e assim por diante. Etapa 4: distribua os itens definidos na etapa anterior em termos de valor percebido pelo cliente: primeiro preço (preço de entrada, mais barato), econômico, regular, sofisticado ou premium, inovador (produtos que trazem algo realmente novo em termos de desempenho ou performance) e lançamento (produtos recém lançados). Cada faixa destas possibilitam margens diferentes e, consequentemente, rentabilidades diferentes.

SETEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

17


negócios | EMPREENDEDORISMO

Empreendedorismo por oportunidade Saiba identificar as necessidades do seu público consumidor e conquiste-o vendendo o que o mercado ainda não oferece

U

m negociador em potencial sabe detectar produtos e/ou serviços, que precisam ser oferecidos no mercado, de maneira diferenciada. Esse é o impulso inicial para se investir no empreendedorismo por oportunidade. Dos negócios abertos no País, 69% deles existem porque os empresários detectaram uma demanda a ser suprida. É o que destaca uma pesquisa realizada pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM), conduzida pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP). Hoje, de cada 10 empresas que abrem no Brasil, sete são por oportunidade e três por necessidade. A diferença é que o empreendedor por necessidade faz do próprio negócio apenas um meio de sobrevivência, o que pode ser algo provisório. Já o empreendedor por oportunidade é aquele em que o empresário inicia um negócio, visando melhorar sua condição de vida, e demonstra uma postura mais persistente, apresentando maior segurança nas estratégias destinadas ao crescimento do setor no qual atua. Durante a pesquisa, o Sul do País foi a região que se apresentou mais hábil ao empreende-

18

Conjuntura do Comércio | SETEMBRO 2013

Dos negócios abertos no País, 69% deles existem porque os empresários detectaram uma demanda a ser suprida. dorismo por oportunidade. Luana Castro (formada em Ciências Biológicas) e Raquel Wegner (estudante de Administração), por exemplo, quando foram morar em Porto Alegre, sentiram falta no mercado da tradicional cuca alemã, tão acostumadas a comer em Santa Cruz do Sul. “Sempre amamos as cucas da nossa cidade. Como nunca encontrávamos em Porto Alegre, começamos a trazer de lá. Muitos amigos e colegas pediam. Notamos aí uma falta do produto na região; fomos atrás da receita da família; aprimoramos com novos sabores; começamos

a vender e fomos crescendo”, conta Raquel. O que antes era uma brincadeira entre as amigas, tornou-se algo sério, pois sempre tiveram o sonho de abrir um negócio: foi assim que Luana e Raquel abriram o Cuca Haus Café & Pub, atual referência em gastronomia alemã em Porto Alegre. Se você tem vocação e talento para empreender, descubra o que o mercado e seus futuros clientes esperam de você. Antes de pôr em prática qualquer iniciativa, observar e analisar para aplicar uma estratégia adequada poderá ser o seu primeiro e melhor negócio.


DIÁLOGOS | ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR

O cliente não busca excelência! Por Nelson Gonçalves

H

á um bom tempo que escrevo, palestro, observo, pesquiso e vivo o mundo do cliente. Essa personagem da vida real tem poder para transformar pequenos negócios em grandes corporações, matar gigantes com o sopro da sua ausência ou com o brado da sua insatisfação ou indignação. Minha primeira inserção, pra valer, nesse universo, foi ainda menino, aos 14 anos, como ajudante de vendas na Adriana Modas, uma grande loja multimarcas, localizada na efervescente Rua Oriente, no bairro do Braz, em São Paulo. O ano era a 1976 e, nessa época, a preocupação com excelência no atendimento ao cliente - e até mesmo as proteções legais - era um negócio insipiente no Brasil. O cliente era tratado de qualquer jeito e que se desse por satisfeito se comprasse, pelo menos, um produto com um pouco mais de qualidade. Afinal, reclamar pra quem? De lá para cá muita coisa mudou e hoje o cliente está cercado por uma boa rede de proteção: Decons, Procons, Idec, tribunais de pequenas causas, o Código de Defesa do Consumidor, os sites de reclamações e as magníficas e temidas redes sociais,

que destroem reputações, rentabilidade, marcas e sonhos com meia dúzia de posts ou compartilhamentos. Cliente é cliente em qualquer parte do mundo. É ele a mola propulsora de quaisquer negócios e, como tal, merece e tem o direito de ser tratado com a cortesia inerente à educação, que se espera no interlocutor lojista, do zelador ao dono. Mas é a perspicácia de quem quer fazer um bom negócio - e sabe que para isso precisa gerar empatia, confiança, conhecimento do produto, credibilidade e uma boa dose de psicologia humana - que é determinante para transformar a famosa olhadinha em venda, um prospect em cliente. Um passante em um fã! Nosso passado - nem tão longe - de povo colonizado, nossa sociedade escravocrata e nossa miscigenação com índios e negros africanos, deixaramnos uma herança de servidão que, mesmo sem perceber, pretendemos transferir para o mundo corporativo e, por decorrência, à prestação de serviços e atendimento ao cliente. O sentido de excelência no atendimento, não raramente, é confundido com servidão e, na essência, não é isso que o cliente espera de um bom atendimento. O cliente quer sim um servidor, não um

serviçal. Tênue, porém abissal a diferença. Minha experiência e observação, por óbvio, não tem valor científico, mas pode, facilmente, ser parametrizada, transformada e pesquisada com caráter científico, pois aponta para o fato de que o cliente ao se decidir por uma marca, produto, serviço ou entrar em uma determinada loja, não está à procura nem tampouco esperando ser tratado como rei. Ele deseja, apenas, atendimento, preço e qualidade na proporção da promessa da marca. Cliente não busca excelência em atendimento. O que ele quer é um atendimento, produto ou serviço na dimensão exata da promessa da marca. Quem entregar-lhe mais pode até não fidelizar - porque cliente só quer “ficar”, e não namorar! - mas poderá ter a sua preferência, o que já é um baita negócio. Agora, se você e seus colaboradores entregarem-lhe um atendimento além do mais poderão surpreendê-lo e até encantá-lo. E gente encantada abre a carteira com mais facilidade. Nelson Gonçalves é palestrante em vendas, liderança, atendimento e motivação/energização. Autor do livro Como Chatear Clientes www.nelsongoncalves.com.br

SETEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

19


negócios | Tendência

A era das marcas que

começam do zero Entenda por que os consumidores estão preferindo marcas novas, sem legado nem história

M

arcas tradicionais, conhecidas do mercado, têm mais apelo frente ao público, certo? Não é bem isso que aponta o relatório publicado pela empresa de tendências Trendwatching. A pesquisa mostra que, cada vez mais, os consumidores têm buscado as chamadas “Clean Slate Brands” – marcas que surgem do zero, sem história e sem tradição. Pode até parecer estranho e contraditório, mas por serem mais modernas, rápidas e interativas, a

20

sensação que o consumidor tem é a de fazer parte da construção daquela empresa, contribuindo para o seu desenvolvimento. Segundo o estudo, esta tendência é impulsionada por uma mudança profunda nas preferências dos consumidores, que hoje ficam mais à vontade para aderir às novas marcas, produzindo uma “confiança instantânea”. Um bom exemplo é o Simple, banco digital focado em serviços ao consumidor que lançou suas

Conjuntura do Comércio | SETEMBRO 2013

operações em 2012. Apesar de não ter história e nem a presença física de um banco tradicional, começou a atender uma lista de espera de 125 mil clientes, que vinha se formando desde que o lançamento foi anunciado, em 2010. Segundo a empresa Trendwatching, um dos fatores que contribuem para esse fenômeno é o reconhecimento imediato. Como atualmente as experiências são mais compartilhadas, devido às novas tecnologias, os consumidores se sentem mais seguros para aceitar mais rápido as novidades. O Waze é um exemplo. De origem israelense, o aplicativo de trânsito e navegação para smartphone conta com a contribuição dos usuários para atualizar suas informações, garantindo assim a sensação de que têm uma relação importante com a marca. Em 2012, o aplicativo aumentou a sua base de uso de 10 milhões para 36 milhões de pessoas. Baseada nesta tendência aproveite a oportunidade para atuar no mercado de um jeito diferente! Prepare o portfólio e estruturas empresariais, e incorpore clareza e velocidade à tomada de decisões. Absorva responsabilidades, mantendo um compromisso sério com a sustentabilidade, e tenha uma voz autêntica, conectando-se de forma significativa com os seus consumidores. Acredite: eles agradecerão a você e a sua empresa por isso.


MOVIMENTO | CDL JOVEM

Expansão das CDLs Jovem Com uma atuação intensa e dinâmica, a CDL Jovem de Fortaleza motiva e auxilia na abertura de mais CDLs Jovem no interior do Estado

CDL Jovem de Russas e CDL de Tauá recebem a comitiva da CDL Jovem de Fortaleza e empreendem ações para o comércio.

A

CDL Jovem de Fortaleza tem trabalhado ativamente na agenda de interiorização das CDLs Jovens no Ceará. Para isso, os membros da entidade têm marcado presença, visitando várias CDLs Jovem e orientando sobre como os jovens empresários podem atuar em suas futuras ou recentes sedes, e sobre como podem obter melhor desempenho no setor varejista de cada região. Após a criação das CDLs Jovem de Juazeiro do Norte e da cidade do Crato, no último dia 22 de julho foi a vez da CDL Jovem de Russas ser fundada, tendo como presidente o empresário Rodolfo Frota. O encontro que oficializou a fundação da CDL Jovem de Russas teve a participação de 35 jovens

empresários da cidade, recebendo, ainda Pablo Guterres, presidente da CDL Jovem de Fortaleza e coordenador das CDLs Jovens no Estado do Ceará, acompanhado dos diretores Rodrigo Pereira, John Aguiar, Leandro Bessa e Fabiana Lucas. Na ocasião, Pablo apresentou o Case de Sucesso da CDL Jovem de Fortaleza, referência entre todas as CDLs Jovens do Brasil, e falou – em nome da comitiva de Fortaleza – que “a CDL Jovem de Russas tem demonstrado entusiasmo por meio de uma participação dinâmica no comércio, servindo de exemplo a todas as CDLs Jovem do Estado”. Pablo elogiou, ainda, a nova sede da CDL Jovem de Russas, que apresenta excelente estrutura, primando por ser moderna e funcional. Ainda no processo de expan-

são, foi criada no dia 16 de agosto a CDL Jovem de Tauá. Aproveitando a 26ª Convenção Estadual do Comércio Lojista, realizada pela Federação das CDLs do Ceará, sob comando do presidente Honório Pinheiro, a CDL Jovem de Fortaleza organizou um intra-evento na Convenção, reunindo jovens empresários que participaram da fundação da CDL Jovem de Tauá, que tem à frente o empresário Fenelon Neto. Sobre as missões que a CDL Jovem de Fortaleza têm empreendido, Pablo Guterres reitera: “O trabalho da CDL Jovem é motivar, integrar e mostrar quais são os caminhos para que esse movimento se fortaleça, instigando para que eles se organizem e lutem por melhorias no setor!”. SETEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

21


negócios | COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR

Mudanças no comportamento do consumidor Entenda o que seu cliente espera de você no comércio de hoje e para os próximos anos

L

ojistas, empresários e comerciantes precisam sempre estar atentos ao que o seu público consumidor espera de você. Especialmente porque, nos próximos anos, consideráveis mudanças no comportamento do consumidor influenciarão, diretamente, em como os profissionais do comércio deverão agir para aquecer suas vendas e manterem seus negócios interessantes, inovadores e ativos no mercado. Da maior aquisição de produtos e serviços pela internet, bem como saber se a empresa onde realiza compras empreende ações de cidadania e sustentabilidade, existem qualidades ímpares para os consumidores que, hoje, já são consideradas no momento da compra. A Accenture Management, consultoria sediada em São Paulo (SP), destaca que essas mudanças no comportamento do consumidor se ampliarão, de tal forma, que poderão gerar rendas triplicadas em se tratando de crescimento para empresas, sobretudo para aquelas capazes de entender e trabalhar essas al-

22

terações em seu funcionamento, estrutura e atendimento, com rapidez e agilidade para melhor atender os seus clientes. Mark Spelman, diretor da Accenture, declara que muitas empresas esperam superar seus ambientes econômicos ao longo dos próximos anos: “Essas empresas devem olhar não apenas para novos mercados, mas também a forma como o comportamento do consumidor está mudando e, então, colocar em prática os recursos necessários para capitalizar essas mudanças”. Uma realidade que prenuncia o futuro Segundo pesquisa da Accenture, 73% dos consumidores entrevistados já têm utilizado somente o comércio eletrônico para adquirir produtos e serviços e 51% entrevistados têm considerado mais o impacto ambiental do fabricante ou do produto antes adquiri-lo. “Também são muitos os consumidores que consideram importante a capacidade de comprar o que querem e quando querem (68%), e per-

Conjuntura do Comércio | SETEMBRO 2013


São, principalmente, aos shoppers que negociantes do comércio deverão deter uma maior atenção, a fim de conquistarem a preferência desses clientes no mercado e no segmento varejista de amanhã

sonalizar o produto ou serviço exatamente como eles querem (63%)”, explica Mark Spelman. Nesse processo em que têm sido constantes as transformações no perfil de compra do consumidor, repercutindo na maneira de vender dos comerciantes, durante as compras são os shoppers quem, de fato, efetivarão compras na rede varejista e possibilitarão uma maior interação com os vendedores de hoje, influenciando, também, no comércio dos próximos anos. Shoppers ou consumidores? Se você não sabe o que é shopper, a tradução literal da palavra inglesa significa “comprador” ou alude à ação de fazer compras. Mas se você pensa que shopper e consumidor, na prática, têm o mesmo sentido está enganado. Quer um exemplo? Imagine que uma mãe está em um supermercado olhando vários tipos de fraldas. Depois ela escolhe a marca de sua preferência e, em seguida, paga e vai embora. Neste exemplo a mãe é shopper ou consumidora? Quem respondeu consumidora está errado. A mãe é shopper, porque é a ela que cabe a decisão da compra, enquanto o consumidor da compra realizada será o bebê. São, principalmente, aos shoppers que negociantes do comércio deverão deter uma maior atenção, a fim de conquistarem a preferência desses clientes no mercado e no segmento varejista de amanhã, porque são os sho-

ppers que detêm informações sobre preço, marcas e varejo e faz a divulgação do seu produto e/ou loja acontecer. Alvo certo para os comerciantes Os shoppers são ávidos por informação e estão sempre dispostos a conhecer novos lançamentos, produtos e oportunidades no mercado. São eles que formam opiniões acerca de serviços e produtos que, por meio do conhecido “boca a boca”, podem funcionar como a melhor propaganda e divulgação do que você, enquanto comerciante, pode e tem a oferecer aos seus clientes. No comércio de hoje e dos próximos anos, o desafio do lojista empreendedor é compreender quem, de fato, compra e quem utiliza o que é comprado. Por isso, seja qual for o seu negócio, fique atento: não descuide de se informar sobre como o seu público consumidor pensa, o que deseja e como pretende realizar as compras. Não se deve deixar de focar no usuário final, mas é necessário saber identificar e projetar vendas para fisgar a atenção do shopper, seja ele seu próprio consumidor ou quem intermediará a preferência do consumidor ao seu ponto de vendas e aos produtos vendidos em sua loja. Lembre-se: o maior sustento do seu negócio não é apenas o dinheiro que entra no seu caixa, mas, principalmente, o cliente que continua fiel a você.

SETEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

23


MOVIMENTO | ALFE

Empreendedorismo & ação

N

o último dia 30/07, seguindo todos os princípios estatutários, a ALFE reuniu  suas associadas em  Assembleia Geral para Eleição da Nova Diretoria biênio 2013/2015, onde por aclamação foi renovada a Diretoria atual, Presidida pela alfeana Fátima Duarte. O momento teve um toque especial, com a abertura dos trabalhos pela alfeana e Dir. de Planej. e Comunicação, Selma Cabral, responsável por todo o processo eleitoral que dissertou sobre um tema de grande relevância: a construção de uma organização, passando os trabalhos para o Conselho Consultivo sob a presidência das alfenas Graças Ferreira, Secretaria Maria José Linhares e Marlene Cabral, fiscal do certame, cujo desempenho mereceu aplausos. O processo ocorreu em total harmonia e confraternização, onde a presidente reeleita afirmou seu compromisso de continuar desenvolvendo ações de promoção e união de todas as categorias associadas. A posse se dará no dia 17/09. Estão convidados todos os amigos e parceiros da ALFE.

24

Conjuntura do Comércio | SETEMBRO 2013


DIÁLOGOS | Aprendendo na Prática

Como construir sua marca pessoal Por Eduardo Gomes de Matos

D

iariamente somos expostos a uma infinidade de informações sobre notícias, produtos, serviços, dentre outros. Em meio a esse mundo de dados temos que usar nossa capacidade para selecionar o que nos interessa. Quando se trata de produtos ou prestadores de serviços um dos fatores de diferenciação é a marca destes produtos e serviços. Você já imaginou hoje ir a um supermercado ou loja e fazer as escolhas dos produtos que consumiremos se os mesmos não possuíssem uma marca? Seria muito difícil para cada um de nós esta simples tarefa da nossa rotina, pois teríamos que investigar procedência, qualidade e várias outras características antes de escolhermos determinado produto. E você já pensou que nós, profissionais, também temos que desenvolver nossa marca pessoal? Será que é necessário? Não tenha dúvida! A sua marca pessoal também traz benefícios para outras pessoas, pois possibilita que elas conheçam e aprendam a confiar em você. Agora você pode estar se perguntando: e como posso

construir minha marca pessoal? É o que pretendemos explicar com 10 dicas que facilitarão a construção de uma excelente marca pessoal. Defina a sua marca: esta se baseia no desenvolvimento das suas qualidades pessoais e realizações. Use sempre seu nome e sobrenome. Tenha atitude profissional: um comportamento profissional requer constância em todos os momentos. Faça sempre o seu melhor. Transmita confiança e credibilidade: demonstre ser capaz de fazer o trabalho e inspirar os outros a segui-lo. Não demonstre indecisão, não dê desculpas, tampouco seja assertivo. Coerência total: a credibilidade depende da coerência entre a comunicação verbal, não verbal e dos seus atos. Fale o que sente, faça o que diz e seja íntegro. Cultive o carisma: a segurança em si mesmo. O encanto e certo magnetismo pessoal geram, em outras pessoas, empatia e acolhimento, facilitando que recordem de você. Estabeleça sintonia: a sintonia facilita a comunicação. Quanto maior for sua capacidade de se adaptar, mais ampla será a sua área de influência. Conduza comportamentos: traduz-se na capacidade de

influenciar o comportamento dos outros, de orientar ações e projetos, de se organizar pessoalmente. Status: é a utilização do poder pessoal para obter o reconhecimento dos outros. Influenciar é usar este poder. Tenha estilo: encontre um estilo próprio, diferente e inconfundível, que retrate a harmonia e espelhe sua personalidade. Este estilo está na maneira de vestir-se, de falar com os outros, em relacionar-se, enfim, em todos os seus atos. Pratique o networking: nos contatos, mantenha a palavra e seja “jardineiro”, cultivando seus relacionamentos e amizades. Nunca peça favores sem antes ter uma relação de confiança e de proximidade. E um último conselho (que aprendi com meu pai): cuide do seu nome, pois ele é o seu maior patrimônio. Seu nome nunca mudará e é para toda a vida. Faça com que ele seja lembrado como um exemplo, uma referência de pessoa e profissional que sempre busca a excelência em tudo o que faz. Um forte abraço! Eduardo Gomes de Matos é pósgraduado em Administração de Empresas, Diretor-presidente da Gomes de Matos Consultores Associados. www.gomesdematos.com.br

SETEMBRO 2013 | Conjuntura do Comércio

25


IDEIAS | CULTURA

Confira as dicas deste mês e aproveite! Opções de entretenimento especialmente para você!

Exposição

Livro

Palestra

Waldomiro de Deus: 50 anos de pintura

A menina do vale – como o empreendedorismo pode mudar sua vida (Bel Pesce)

“Gestão de empresas familiares”

A exposição reúne 24 trabalhos, divididos em 21 pinturas e três desenhos, elaborados a partir dos anos 60 pelo artista baiano Waldomiro de Deus. A curadoria é assinada pelo crítico de arte Enock Sacramento, que acompanha a carreira do artista há mais de três décadas. Reconhecidamente um mestre vivo da arte naïf brasileira, Waldomiro apresenta em sua mostra um rico universo pictórico, com recriações da natureza e da vida cotidiana até acontecimentos pelo mundo. Quando: até 11 de outubro. Onde: Espaço Cultural Correios (Rua Senador Alencar, 38 – Agência Central). Horário: segunda a sexta-feira: 8h às 17h / sábados: 8h ao 12h. Informações: (85) 3255-7262.  Visitação gratuita.

26

Conjuntura do Comércio | SETEMBRO 2013

A autora, 25 anos, conta o que tem aprendido em sua jornada empreendedora e cita diversos casos de sucesso. São histórias cativantes, que mostram que tudo é possível quando há uma boa ideia e muita dedicação. Bel Pesce se dedica ao empreendedorismo desde 2009, quando se mudou para o Vale do Silício, na Califórnia. Sua energia está voltada para empresas jovens e inovadoras que buscam um modelo de negócio escalável e sustentável. Para ela, “ser empreendedor é colocar a mão na massa” e o foco está sempre voltado em aprender cada vez mais sobre como se constrói uma empresa. E você, quer aprender também? Então, boa leitura! Baixe o livro gratuitamente: http://biotecnologia.iptsp.ufg. br/uploads/236/original_AMeninadoVale-BelPesce.pdf

A maior autoridade mundial em gestão de empresas familiares do management atual e professor da Havard, John Davis, ministrará no Seminário HSM, em Fortaleza (CE), uma palestra sobre a “Gestão de Empresas Familiares: Estratégias de Crescimento e Oportunidade”. Temas específicos tais como: a dinâmica do sistema da empresa familiar, os cinco hábitos das famílias empresárias de sucesso, estratégias vencedoras de sucesso e continuidade, dentre outros, serão abordados. Vale a pena participar! Quando: 30 de setembro. Onde: La Maison Coliseu (Avenida Engenheiro Luiz Vieira, 555 – Papicu). Horário: 9h às 18h30. Mais informações: www.hsm.com.br Condições especiais para associados CDL.



B-R-O - BRÓ