Page 1

ANO VII | NÚMERO 71 | FEVEREIRO 2012

Fortaleza Liquida

O grande show de ofertas


VOCÊ NUNCA VIU TANTAS VANTAGENS JUNTAS. Falar ao celular sem pagar nada ou com as menores tarifas do mercado: vantagens que só a parceria CDL/ OI oferece a você associado!

0,03

A partir de

R$

 Fale

com todo o Brasil a custo zero, sem tarifa de deslocamento nacional.

E

MAIS: suporte técnico e gestão da linha a cargo da CDL de Fortaleza, sem burocracia.

G A R A N TA L O G O O S E U.

Faça já sua adesão! INFORMAÇÕES:

ÁREA DE NEGÓCIOS E RELACIONAMENTO (85) 3464.5506 gerencia.comercial@cdlfor.com.br

o minuto


Palavra do Presidente

A expectativas para 2012

Expediente

Conjuntura do Comércio é uma publicação mensal editada pela da CDL de Fortaleza. DISTRIBUIÇÃO GRATUITA. Presidente Francisco Freitas Cordeiro 1° vice-presidente Pio Rodrigues Neto 2° vice-presidente Francisco Deusmar de Queirós Projeto Gráfico e Diagramação Everton Sousa de Paula Pessoa Produção textual Fernanda Lima Estagiária de jornalismo Dulcinea de Carvalho Jornalista responsável Dégagé Assessoria Tiragem 10.000 exemplares Impressão Gráfica Cearense Sugestões e comentários gerencia.marketing@cdlfor.com.br Rua 25 de Março, 882 – Centro CEP 60060-120 – Fortaleza – CE Fone: (85) 3464.5506 www.cdlfor.com.br

Dentre as expectativas para 2012, os investimentos e o consumo interno têm demonstrado significativo aumento, contribuindo para o crescimento da economia brasileira e sinalizando perspectivas positivas, dados relativos ao tamanho do País, que passou à 6ª economia mundial, classe média em expansão e acesso à internet, evidencia esse novo momento. O Estado do Ceará não passa ao largo, com anúncios de investimentos estruturantes, desde a construção de refinaria, até a expansão e melhoramento de portos, rodovias e outros investimentos sociais. No varejo, esse avanço da economia brasileira tem inspirado boas ideias e novas formas de atendimento aos clientes. Este foi, inclusive, um dos temas mais debatidos na 101ª Convenção Mundial do Varejo, que aconteceu em meados deste mês, em Nova Iorque, na qual a CDL de Fortaleza se fez presente. O evento reafirmou a necessidade de conciliar a experiência de compra dos consumidores

à versatilidade das compras em ambientes virtuais. Nesse contexto, sai na frente quem entender o que está acontecendo com o novo consumidor da classe média brasileira, que, além de requerer uma boa experiência sensorial de compra, tem usado com frequência os canais virtuais. Ao fim, convocamos os nossos lojistas a se engajarem na campanha Fortaleza Liquida, um festival de promoções que acontecerá em toda a cidade, no período de 01 a 11 de março próximo. Em sua 3ª edição, a Fortaleza Liquida vem se consolidando como a segunda melhor data para o comércio, num mês tradicionalmente de baixas vendas. Serão muitos prêmios e oportunidades para os lojistas aquecerem suas vendas!

Ne s t a E d i ç ã o Faculdade CDL MBA: qualificação para quem busca excelência no mercado de trabalho 5

Matéria de Capa Fortaleza Liquida: o grande show de ofertas 12

Liderança & Gestão Gestão estratégica de pessoas 18

ESPECIAL A hora e a vez dos multiprofissionais 6

Case de Sucesso A forte liderança do Magazine Luiza 14

Tecnologia Bem-vindo à era da mobilidade 9

CDL Jovem Coaching: treinando líderes para o futuro do comércio 15

Responsabilidade Socioambiental Nacional Gás Butano: Sinônimo de eficiência com ação sustentável nos lares brasileiros 19

Economia & Mercado Por que 2012 será um ano de oportunidades 10 MAIS: Aconteceu na CDL 4

Consciência Ambiental Comprovada

Freitas Cordeiro presidente@cdlfor.com.br

twitter.com/cdlfortaleza

Associativismo Associativismo no foco mundial 17

Federação em Ação Lojistas participam da feira mundial do varejo em Nova Iorque 20

Diálogo com o Empresário 8

Como Fazer 21

Curta a CDL de Fortaleza no Facebook CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

3


Aconteceu na CDL

Público assistiu atento todas as palestras.

6ª edição do Cenários do Varejo anuncia: tecnologia é tendência no varejo mundial

A

101ª edição da Convenção Anual da NRF – National Retail Federation – ocorreu no período de 15 a 18 de janeiro na cidade de Nova York. O evento, que é o maior do setor de Varejo e Serviços, teve a participação da delegação do Ceará, liderada pelo presidente Freitas Cordeiro, e por Honório Pinheiro, presidente da Federação das CDLs do Ceará. A NRF 2012 abordou a tecnologia como tema principal e debateu alguns assuntos, como e-commerce, pagamentos por meio de dispositivos móveis, utilização das mídias sociais, comportamento do consumidor. Como resultado do que foi vivenciado na NRF, nos dias 9 e 10 de fevereiro a CDL de Fortaleza realizou a 6ª edição do Cenários do Varejo, um evento que replicou o Retail’s Big Show, adaptando-o conforme 4

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

as necessidades do comércio cearense. Com ampla programação, foram abordados temas como tecnologia para melhorar a competitividade no varejo, comércio eletrônico e mídias sociais, gestão de operações no comércio e política macroeconômica voltada para o mercado interno, entre outros. Além disso, uma das grandes novidades do Cenários do Varejo foi a Loja Inteligente, com diversas inovações tecnológicas para melhor atender os consumidores, que inspirou os participantes do evento a revolucionarem suas empresas. O Cenários do Varejo foi um sucesso e mostrou que existe um grande interesse entre os empresários de interagirem com as novas tendências do varejo mundial e, sobretudo, colocá-las em prática no comércio local.

Colação de Grau da 3ª turma de Gestão Comercial Em cerimônia realizada na CDL de Fortaleza, no auditório Gervásio Pegado, no dia três de fevereiro colaram grau 30 alunos do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial. O curso, que teve início no segundo semestre de 2009 e duração de dois anos e meio, fomenta sólidos alicerces teóricos e práticos relacionados à área, visando melhorar a competitividade, produtividade e metas alcançadas nas empresas que englobam o setor terciário. A formatura da 3ª turma do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial teve a participação de familiares e amigos dos alunos, além das presenças do presidente da Federação das CDLs do Ceará e também diretor da Faculdade CDL, Honório Pinheiro, e do presidente da CDL de Fortaleza, Freitas Cordeiro, que prestigiaram o momento de muita emoção e disposição, por parte dos discentes formados, ao iniciarem uma nova etapa profissional em suas vidas.


Faculdade CDL

MBA: qualificação para quem busca excelência no mercado de trabalho Com o mercado de trabalho competitivo, a pós-graduação enriquece qualquer carreira

A

preparação para o mercado de trabalho deve ser uma ação constante e o momento de investir na carreira profissional não pode ser ignorado. Nesse contexto, são vários os interessados que têm buscado se aprimorar e adquirir conhecimentos por meio de cursos de pós-graduação. Com a necessidade crescente por profissionais qualificados para o setor de Varejo e Serviços, por exemplo, aumentou a procura pelo Master of Business Administration ou MBA, como é chamado o curso de especialização direcionado, principalmente, a executivos nas diversas disciplinas de administração e onde se estuda matérias como finanças, marketing, contabilidade, gestão de pessoas, entre outros. Nessa perspectiva, a Faculdade CDL - mantida pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza - tem prestado sua contribuição para formar e aperfeiçoar futuros profissionais, disponibilizando cursos nas seguintes áreas: l MBA – Gestão Estratégica de Pessoas e Potência de Equipes; l MBA – Logística: Gestão Estratégica da Cadeia de Suprimento; l MBA – Gestão de Aprendizagem Corporativa; l MBA – Estratégicas Psicopedagógicas da Gestão Escolar; l MBA – Administração e Marketing no Varejo; l MBA – Gestão de Cooperativas de Crédito; l Especialização em ICMS.

Um dos diferenciais dos cursos de pós-graduação da Faculdade CDL é que, o corpo docente é extremamente qualificado e a didática associa teoria à prática,

inclusive com aulas de imersão. Alguns dos MBAs possuem seminários internacionais. As atividades extracurriculares são realizadas na Loja Conceito. Vale ressaltar que para se matricular em um MBA na Faculdade CDL é preciso que o aluno possua, no mínimo, curso superior completo e reúna na documentação para inscrição currículo e fotocópia do diploma e do histórico acompanhados do original. Segundo Meirijane Anastácio González, coordenadora acadêmica da Faculdade CDL, muitas empresas solicitam os currículos dos alunos de pós-graduação para participarem de seleções para cargos executivos. Isto reforça ainda mais a importância de curso de especialização de qualidade como um diferencial competitivo no mercado de trabalho.

Definir uma meta e não abandoná-la deve ser um ideal perseguido por quem deseja alcançar objetivos e conquistar espaço no mercado de trabalho, da mesma forma que aprender e inovar são valores que constroem profissionais de excelência, oportunidade que a Faculdade CDL proporciona, chance que você não pode perder.

Serviço

Faculdade CDL Rua 25 de março, 882 Fones: (85) 3464.5579 ou 3464.5509 faculdadecdl@faculdadecdl.edu.br Site: www.faculdadecdl.edu.br CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

5


Especial

A hora e a vez dos multiprofissionais O mercado procura por profissionais cada vez mais versáteis, desempenhando funções diferenciadas e mantendo-se constantemente atualizados

T

udo o que acontece hoje no comércio tem foco e dinâmica no ponto de venda. Porém, um ponto de venda só acontece se as pessoas que nele atuar fizerem diferença. Isso porque agora lojistas e empresários percebem que, embora equipamentos, instalações e recursos financeiros sejam bens importantes em qualquer organização, são as pessoas, na verdade, o maior capital e patrimônio de uma empresa. O mercado de trabalho atual tem disseminado uma nova tendência mundial: a necessidade de multiprofissionais – em um cenário onde exista uma equipe de colaboradores que surpreenda a expectativa dos seus clientes –, que se mostrem motivados e polivalentes na realização do seu trabalho. Encontrar colaboradores com o perfil em destaque tem sido cada vez mais difícil, seja porque falta qualificação por parte dos funcionários, seja porque faltam investimento e disposição de empresários, administradores e lojistas que tratem seu time como vencedores. Segundo o Instituto Gallup, para melhorar a maneira de desenvolver as pessoas que participam de uma empresa é preciso identificar como esses profissionais se comportam, pensam e sentem, para desenvolver suas habilidades mais evidentes, aprimorá-las e desempenhá-las amplamente nas tarefas designadas. Um colaborador que conhece funções além das que lhes são confiadas, e as realiza quando é necessário, demonstra querer conhecer todos os aspectos do local onde trabalha – postura muito importante para construir uma carreira de sucesso. Rodrigo Del Claro, por exemplo,

6

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

O multifuncionário que tem sua versatilidade impelida por administradores que não querem ou não sabem aproveitar o potencial criativo de seus colaboradores. teve seu primeiro cargo gerencial na área de projetos, na Ericsson, após se formar em Rádio e TV. Em seguida, aceitou ser gerente de pré-vendas para sair da empresa e assumir vaga na área comercial da Crivo, onde colaborou para criar o departamento de Marketing. Depois se responsabilizou pela área de serviços para, em outro momento, retornar ao Marketing Comercial. Aos 32 anos, Rodrigo viveu diversas experiências ao longo dos dez anos de carreira, mas também cursou um MBA Executivo e três pós-graduações. E são profissionais com esse perfil – polivalentes, ativos, ecléticos e criativos, capazes de alcançar o cargo máximo das corporações – que as empresas hoje procuram. Já em outros casos, há o multifuncionário que tem sua versatilidade impelida por administradores que

não querem ou não sabem aproveitar o potencial criativo de seus colaboradores. É um erro crer que todos os profissionais agem e trabalham da mesma forma, e que eles necessitam mais da empresa que ela deles. Se não existe conhecimento sobre como aproveitar a capacidade deles, falta, sobretudo, consciência de que uma empresa que não investe nem dá chances para que seus colaboradores demonstrem o que podem fazer, além das tarefas cotidianas, é uma organização fadada ao insucesso. Para que isso não ocorra, vale estimular a produção de ideias que


surgem no dia a dia para melhor utilizar o potencial dos funcionários. Essa é uma etapa que pode iniciar durante o processo de seleção, quando se pode investigar se aqueles que pleiteiam vaga têm habilidades, experiências diversas e qualidades, como maturidade, comprometimento, iniciativa e humildade, que podem render uma postura flexível para atuarem com multifuncionalidade ao assumirem uma vaga de trabalho. No entanto, cabe destacar a diferença entre multitarefa e multifuncionalidade. A multitarefa faz que o profissional realize várias funções ao mesmo tempo, algumas delas sem correlação nenhuma, gerando perca de foco e desconcentração no que o funcionário realmente precisa fazer, podendo acarretar prejuízos para a empresa onde trabalha. Já a multifuncionalidade faz que o profissional prioritariamente desenvolva sua função, não se atendo somente a ela, mas circulando com desenvoltura por outros setores enquanto atende novas

Ao se deparar com talentos humanos, não se deve desperdiçálos. Muitos são os profissionais polivalentes que não são notados. demandas, agindo integradamente e analisando o local onde trabalha com uma visão macro. A multifuncionalidade faz diferença, ainda, principalmente em situações emergenciais, momento propício para o funcionário demonstrar se sabe realmente ser criativo, trabalhar em equipe, lidar com mudanças constantes e desafios inusitados. Como os bons resultados em uma empresa já não se constroem apenas à custa de habilidades técnicas, mas também são validados por meio das competências pessoais, uma solução para aprimorar o

estímulo à multifuncionalidade são treinamentos direcionados para que os funcionários entendam a identidade da empresa, sintam-se úteis e parte integrante da organização a qual estão vinculados. Esses treinamentos podem ainda ajudar a equipe de cada setor a se reavaliar, rememorando pendências ou aspectos que devem ser aprimorados, podendo ainda motivar a equipe com novas mensagens. Ao se deparar com talentos humanos, não se deve desperdiçá-los. Muitos são os profissionais polivalentes que não são notados, seja devido à falta de estímulo, capacitação, ausência de incentivos ou até mesmo o ambiente de trabalho que, muitas vezes, não oferece qualidade de vida para os seus funcionários, tornando-os inflexíveis, desmotivados e desacreditados do papel que desempenham. É, principalmente, pela busca contínua de criatividade, inovação, iniciativa, disposição e humanização que se descobre e se constrói o multiprofissional, a fim de injetar energia a favor dos talentos que lhes são inatos. Ganham os funcionários, em qualidade e satisfação no trabalho, ganham as empresas em rentabilidade e lucros.

O profissional da atualidade Observe o que atualmente as empresas exigem do profissional polivalente  Os

profissionais têm que deixar de especializar-se em uma única área;  Enfrentar e resolver os problemas do dia a dia e possuir uma visão do todo;  Funcionários devem ter experiências periódicas em diversos setores para não ficarem acomodados;  O profissional polivalente está entre o especialista, o experiente e o ousado (Especialista Sistêmico) As habilidades básicas que estes profissionais ainda devem possuir:  Visão compartilhada: Voltada para um grupo ou uma equipe;

 Um

pensamento sistêmico: Unir as partes para analisar um todo;  Modelos mentais: Levar em consideração uma abrangência de modelo;  Múltiplas competências: O profissional deve adaptar-se perfeitamente ao meio; Quesitos valorizados pelas empresas na hora de contratar  Maturidade; Comprometimento; Iniciativa; Humildade; Frequente atualização; Conhecimento sobre diferentes atividades;  Engajamento pessoal; Responsabilidade; Lealdade; Capacidade de tomar decisões; Flexibilidade; Saber trabalhar em equipe; Ser criativo; Estar disposto a aceitar mudanças.

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

7


Diálogo com o Empresário

Simples Nacional ampliado, mas ainda carente de ajustes

Cassius Regis Coelho Presidente do Conselho Regional de Contabilidade

presidencia@crc-ce.org.br

Uma boa notícia chegou para micro e pequenos empresários de todo o país no final de 2011: a tão esperada ampliação dos tetos de enquadramento no regime tributário do Simples Nacional. Congelado há cinco anos, muitas empresas se viam prestes a perder os benefícios oriundos do regime diferenciado de tributação, em virtude de seus faturamentos ultrapassarem os limites máximos permitidos que, sem reajuste, naturalmente foram degradando e excluindo muitos empresários. Acredito que o Simples Nacional é o caminho mais

fácil para a tão sonhada reforma tributária. Mas para que isso aconteça, é preciso que ele se torne realmente simples, com regras mais claras e fáceis, de modo que empresários e futuros empreendedores possam compreendê-las. A ampliação do limite de faturamento para valores pelo menos cinco vezes maiores que os atuais e a permissão de que todas as atividades pudessem optar sem distinção, resolveria o problema da reforma tributária que tanto se fala no Brasil, a qual, duvido, avance de forma consistente

nos próximos cinco ou 10 anos. Vale lembrar também que os Estados precisam entender e aceitar o Simples Nacional, sem utilizar de subterfúgios para burlar o sistema, como é o caso da substituição tributária, prática que tem sido adotada em larga escala em todo o Brasil e que prejudica diretamente os optantes pelo Simples Nacional. Vamos comemorar as novas medidas aprovadas, mas continuemos vigilantes e lutando por um sistema tributário mais justo e coerente para o Brasil, que permita aos verdadeiros motores desse país, os empresários, continuar crescendo e levando o nosso Brasil a patamares ainda mais altos.

Você pode até dizer que foi um passarinho que lhe contou. O mundo do varejo em apenas 140 caracteres para você se manter bem informado de maneira simples e rápida.

twitter.com/cdlfortaleza

8

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012


Tecnologia

Bem-vindo à era da mobilidade A forma de buscar informação na internet mudou São grandes as expectativas para o futuro do comércio aliado à tecnologia. Das mídias sociais ao pagamento digital, todas as inovações cabem na palma da mão

N

ão importa o formato, marca ou denominação dos equipamentos: hoje qualquer pessoa pode interagir virtualmente, onde quer que esteja, graças à tecnologia do dispositivo móvel, computadores portáteis com acesso a internet em alta velocidade. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), atualmente a população mundial possui mais de sete bilhões de habitantes e, em 2011, havia seis bilhões de dispositivos móveis ativos no mundo, ou seja, a teoria da Aldeia Global de McLuhan está em evidência: agora somos entidades virtuais. Na verdade, a internet conduziu o homem para um novo mundo, onde tudo é possível, desde realizar um trabalho essencialmente virtual, tornar-se outra pessoa com o auxílio dos jogos online, como RPG, ou criar perfis falsos em diversas redes sociais. Na era da mobilidade, a cada segundo milhões de informações são compartilhadas por meio de notebooks, tablets e smartphones. Este é um cenário

onde a geração conectada considera a web uma ferramenta poderosa, que já foi capaz, inclusive, de estimular e intervir em grandes fatos históricos, como o recente caso da revolução no Egito. Uma curiosidade: nos países subdesenvolvidos a utilização de celulares é maior do que a de computadores devido ao preço, diminuindo a compra de PC’s ao contrário dos telefones celulares. Simultaneamente a essa situação, temos a tecnologia 3G levando banda larga para os aparelhos móveis, possibilitando carregar no bolso um mundo sem fronteiras, motivo que também aguça a aquisição desse tipo de ferramenta pelo consumidor. Inegável também não afirmar que, no comércio, os dispositivos móveis possibilitam uma maior presença e frequência na comunicação entre clientes e fornecedores, por meio principalmente das redes sociais, fortalecendo a relação do consumidor com a empresa. As expectativas para o futuro do comércio, aliado à tecnologia, são grandes.

A Consumer Electronics Show 2012, por exemplo, em janeiro reuniu os maiores fabricantes de dispositivos móveis do mundo, em Las Vegas, para anunciar as novas tendências no comércio de eletrônicos que serão lançadas este ano. Empresas como Microsoft, Samsung, LG, Nokia e Sony estiveram presentes no evento e mostraram lançamentos que logo estarão nas mãos de muitos consumidores ávidos por novidades tecnológicas. A era da mobilidade, acima de tudo, mudou a maneira de se procurar informação e, no segmento do comércio, de se realizar compras e pagar produtos. Se para o comerciante um dos principais benefícios está na rapidez em receber pagamentos por meio dos dispositivos móveis – Mobile Payment –, os clientes desfrutam da agilidade e conforto não apenas em quitar contas, mas em pesquisar opções de produtos pela internet, economizando tempo, usufruindo de comodidade e mantendo-se informado 24h, rompendo barreiras no tempo. CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

9


Economia & Mercado

Por que 2012 será um ano de oportunidades A tendência econômica brasileira é favorável e país deve ter destaque no cenário mundial Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

O

bservando as análises de cenários feitas por diversas instituições nacionais e internacionais para a economia brasileira em 2012, percebe-se que existem diversas visões, a grande maioria delas nem sempre convergente. Enquanto alguns analistas defendem que este será um ano de consolidação da liderança dos países emergentes (incluindo o Brasil) na economia mundial, outros apostam que a crise dos países europeus ainda pode trazer surpresas desagradáveis. O que há de convergente na visão de futuro para 2012, então? É possível identificar variáveis que mostram tendências estáveis que podem oferecer bons sinais sobre os desdobramentos da economia este ano. São ditas variáveis “estruturais” o tamanho e diversificação da economia brasileira, o padrão de consumo agregado da sociedade, os investimentos sociais e em infraestrutura e a qualidade de gestão e controle da dívida e déficit público, conforme o quadro a seguir. 10

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

O varejo está atento ao crescimento da classe C, cada vez mais importante para a economia do país.

Variáveis estruturais da economia brasileira: tendência em 2012 Tamanho e diversificaçáo da economia  Brasil tornou-se a 6ª Economia

mundial com matriz produtiva e tecnológica diversificada. Padrão de consumo agregado  Classe média já representa 60% da

população brasileira, sendo superior a população da Alemanha (90 milhões de pessoas).

Investimentos sociais e em infraestrutura  Programas sociais consolidados e

permanentes, e vigoroso programa de investimentos em infraestrutura. Qualidade de gestão da dívida e déficit públicos  Controle da dívida pública externa

e interna, com boa avaliação de risco.


No caso do Ceará, a construção da refinaria Premium II trará investimentos de R$ 1,36 bilhão para o Estado cearense nos próximos 2 anos, de um total de R$ 19 bilhões. Na área de transportes, os investimentos no Estado perfazem um total superior a R$ 2 bilhões, incluindo portos, rodovias e a ampliação do aeroporto. Em síntese, as condições estruturais revelam um grande leque de oportunidades de negócios. As economias brasileira e cearense atravessam uma onda de progresso com redistribuição de renda, reconstruindo o mercado interno, inspirando uma perspectiva de crescimento permanente do consumo agregado. A taxa de juros tende a cair ao nível de 9%, pelo menos na projeção do mercado de juros futuro. A inflação, medida pelo o IPCA já dá sinais de recuo e deverá fechar o ano corrente entre 5,0 e 5,4%. A percepção geral de boa gestão da dívida pública deve favorecer a entrada de investimentos externos diretos, cujas previsões este ano é de um fluxo de US$ 66 bilhões. Nos primeiros dias de 2012, a entrada de investimentos gerou um crescimento superior a 9% do IBOVESPA. Portanto, com os juros em queda, estimulando o consumo interno e os investimentos, a inflação declinante e o consumo agregado aquecido, dificilmente a economia brasileira deixará de apresentar uma performance positiva. Tendências do Comércio Varejista De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio, do IBGE, o volume do comércio varejista nacional em novembro/11 apresentou um crescimento de 6,8%, sobre o mesmo mês do ano anterior, evidenciando uma retomada no fim do ano de 2011.

As condições estruturais revelam um grande leque de oportunidades de negócios. No acumulado do ano o crescimento já atingiu 6,7%, uma taxa elevada quando comparada ao crescimento dos setores agrícola e industrial, mas ainda inferior ao mesmo período de 2010. Esse resultado revela que ao ser afetado pela desaceleração da atividade industrial no terceiro trimestre, o comércio foi impactado. Os segmentos com maior crescimento foram os de Equipamentos e Materiais para Escritório, Informática e Comunicação, com 28,8% de expansão, seguido do segmento de Artigos Farmacêuticos, Médicos, Ortopedia e de Perfumaria, com expansão de 13,6% e de Supermercado e Hipermercado, com crescimento de 12,7%. Já no varejo cearense, o crescimento em novembro de 2011 foi da ordem de 3,4%, a metade do crescimento do Brasil como um todo. No acumulado do ano, a taxa de crescimento é de 8,5%. Quanto às expectativas de crescimento do volume de vendas do varejo nacional e local, é de suma importância observar as novas tendências que se formam neste mercado. Sobre esse aspecto, a 101ª Convenção Mundial do Varejo – Retail’s Big Show 2012, organizada pela National Retail Federation – NRF, em NY, no período de 15 a 18/01/2012, reafirma uma tendência de conciliar a experiência de compra dos consumidores à versatilidade das compras em ambientes virtuais.

Sendo fato que o ambiente físico da loja favorece o bem-estar do cliente no momento da compra, o uso de tecnologia da informação e comunicação tem sido fundamental, tanto para os segmentos que desejam adquirir produtos sem sair de casa, como no momento de compreender as mudanças de hábitos dos consumidores. Logo, a obtenção de vantagens competitivas tem surgido a partir da combinação da loja real com a loja virtual, priorizando ingredientes dos dois canais de comércio. Neste cenário, sai na frente quem entender o que está acontecendo com o estilo do novo consumidor da classe média brasileira, que além de requerer uma boa experiência sensorial de compra, tem usado os canais virtuais com bastante frequência.

A Gestão de Riscos de Crédito: Indicadores do SPC

A retomada da economia no último trimestre de 2011 voltou a gerar forte demanda pelos serviços de proteção ao crédito. Como consequência, as consultas referentes a dezembro/11 cresceram 13%, em relação ao mesmo mês do ano passado. Em se tratando do período que acumula Janeiro a Dezembro/2011, as consultas ao SPC da CDL de Fortaleza, apresentaram um crescimento de 28,17% em relação a 2010, um crescimento vigoroso que espelha a aproximação dos varejistas ao Sistema SPC. Esse resultado demonstrou que a CDL Fortaleza está no caminho certo, oferecendo um serviço necessário à gestão do crédito e de boa qualidade. Os dados comprovam.

De olho nos números

10,5% Taxa de Juros SELIC

6,5%

Inflação (IPCA) em 2011

5,3%

Taxa de Desemprego em dezembro

48,5%

Relação Crédito/ PIB em dezembro de 2011

R$

1,76 21,5%

Dólar em 24/01/2011

Crescimento da Inadimplência em 2011

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

11


Matéria de Capa

Fortaleza Liquida

O grande show de ofertas O comércio cearense se prepara para a mega promoção e sorteio de muitos prêmios

A

mega promoção Fortaleza Liquida 2012, que já se consolidou no calendário cearense, vai começar. A iniciativa entra em sua terceira edição, do dia 1 a 11 de março, garantindo o fortalecimento da cultura associativista e unindo esforços em benefício de todos: lojistas, consumidores e a economia do estado. Há muitos anos, o mês de março vinha enfrentando um desaquecimento nas vendas que tem sido superado pela Fortaleza Liquida. Neste período, o consumidor terá chance de encontrar produtos em promoção e concorrer a prêmios incríveis. Nesta 3ª edição, a variedade de produtos e serviços que serão ofertados na Fortaleza Liquida 2012 superará expectativas, prometendo ultrapassar os recordes de venda e público dos anos anteriores. Para quem participar da maior festa do varejo cearense, não haverá economia

12

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

Para quem participar da maior festa do varejo cearense, não haverá economia em prêmios: serão nada mais, nada menos que 6 milhões de cupons entregues aos consumidores, que concorrerão a 1 Hilux, 10 motos e 10 tablets.

em prêmios: serão nada mais, nada menos que 6.000.000 de cupons entregues aos consumidores, que concorrerão a 1 Hilux, 10 motos e 10 tablets. Somem-se a isso os mais de 3.500 estabelecimentos comerciais participantes, com uma média de 4.500 profissionais capacitados e uma estimativa de R$ 240 milhões de vendas. Mídia de massa Um grande evento, como Fortaleza Liquida 2012, só poderia também ter uma campanha publicitária em igual proporção. A identidade da campanha será veiculada por toda a cidade nas principais emissoras de TV e rádio. Na imprensa local serão veiculados anúncios em jornais e revistas, favorecendo uma divulgação maciça em shoppings centers, lojas, restaurantes e bares. No mobiliário urbano, a divulgação será realizada por meio de placas de outdoor e busdoors.


E, se um mês antes de iniciar a mega promoção já existe mais de 3 mil lojas cadastradas, a expectativa é a de que mais comerciantes ainda possam aderir à Fortaleza Liquida 2012. Para participar o lojista precisa adquirir um ou mais kits, cada um contendo 25 bandeirolas, 75 cartelas de preço, 5 faixas para vitrines, 5 cartazes e 500 cupons. Vantagens para o comerciante Entre as vantagens para os participantes da Fortaleza Liquida 2012, além da grande mídia de divulgação, serão fornecidas condições de crédito especiais pelos bancos oficiais; capacitação de funcionários; um esperado aumento em 30% nas vendas durante o período do evento e o parcelamento em até três vezes do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), como um incentivo do Governo do Estado. Com o parcelamento do imposto recolhido no período haverá mais capital de giro disponível: lucra o comércio varejista, porque possibilitará uma variedade de liquidações para um público exigente e com sede por descontos e promoções; ganha o próprio consumidor, que terá maiores e melhores opções de compras: lucra o Estado do Ceará, que terá um aumento significativo na sua economia a partir do comércio e, com um retorno positivo garantido, valorizará o poder aquisitivo do consumidor, potencializan-

3.500

lojistas aderiram a campanha

6 milhões

de cupons entregues

R$

240 milhões volume de vendas

4.500

profissionais capacitados pela Faculdade CDL em parceria com o Sebrae

do resultados para o comércio. A consequência será o impulsionamento de um dos maiores eixos da economia do estado, gerando mais oportunidades de trabalho e melhor distribuição de renda. Já o consumidor, a cada R$ 25,00 em compras receberá um cupom para concorrer a 01 Hilux 0km, 10 motos e 10 tablets, além de conseguir descontos reais nos produtos nas lojas cadastradas e participar, no encerramento da Fortaleza

Liquida 2012, de um grande show com o cantor Fábio Júnior. As equipes de venda terão ainda um superincentivo: os vendedores das lojas participantes concorrerão a 21 smartphones e terão treinamento prévio adequado para se prepararem para a maior festa do comércio no estado. Iniciativa que se consolidou devido à capitalização de credibilidade dos anos anteriores, a Fortaleza Liquida 2012 promete ser um sucesso, possibilitando o aumento de vendas no comércio nesse período. Para estruturar adequadamente a cidade para o evento, a CDL de Fortaleza firmou grandes parcerias obtendo o apoio do Governo do Estado do Ceará, Prefeitura de Fortaleza, Sebrae, Federação das CDLs do Ceará, Banco do Nordeste, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Governo Federal, Newland e Faculdade CDL. Se você ainda não fez a sua adesão, ainda dá tempo. Entre em contato com a nossa área de Negócios e Relacionamento para saber como participar e vender ainda mais.

Serviço

Informações com a área de Negócios e Relacionamento: (85) 3464-5506 ou gerencia. comercial@cdlfor.com.br

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

13


Case de Sucesso

A forte liderança do Magazine Luiza Luiza Helena Trajano consegue transmitir seu entusiasmo por meio de ações pró-ativas, atitudes de uma liderança exemplar, que inspira motivação nos funcionários

E

ram quatro horas da manhã de uma sexta-feira, quando já havia uma multidão de pessoas formando uma fila considerável em uma das ruas do centro de Fortaleza. O motivo: busca por produtos em um grande dia de liquidação. O local: loja Magazine Luiza. A terceira maior rede de varejo do Brasil, com mais de seiscentas lojas distribuídas em 430 cidades, tem apresentado um trabalho que busca aprimorar a atuação no segmento do varejo, empreendendo estratégias que aliam a satisfação dos consumidores, lucratividade e expansão contínua da rede pelo país. Prova disso é que, em 2011, a Magazine Luiza anunciou acordo para a compra das lojas do Baú da Felicidade do grupo Silvio Santos por R$ 83 milhões, além de ter sido eleita pelo Great Place to Work Institute (GPTW) como a sexta melhor empresa para se trabalhar no Brasil. O maior diferencial do Magazine Luiza é priorizar uma gestão administrativa humana, que repercute na maneira como cada cliente é atendido, oferecendo ao consumidor as melhores soluções para o que ele busca. O ambiente agradável de trabalho favorece um maior empenho dos funcionários, dentre os quais também fazem parte profissionais que são portadores de necessidades especiais e pessoas da terceira idade, todos valorizados e tratados com igual consideração. Outro aspecto relevante é que no Magazine Luiza pessoas de baixa renda tem acesso aos produtos das lojas por meio de financiamentos e créditos, que podem ser quitados gradativamente em prestações formuladas de acordo com o poder aquisitivo do cliente. A financeira Luiza Cred, além de ser parceira do Banco Itaú, também atende clientes nas próprias lo-

14

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

Quando você é um empreendedor nato, o momento chega e você percebe que é sua oportunidade. A caminhada é tão importante quanto o resultado final. jas do Magazine Luiza, fornecendo diversos serviços financeiros e empréstimos pessoais. Há ainda o Consórcio Luiza, que libera crédito para aquisição de produtos nas lojas e possibilita a compra de veículos e imóveis. Some-se a todas estas vantagens a nobre atitude de destinar a programas da Unicef uma parcela do lucro das vendas. Considerada um ícone do empreendedorismo feminino no Brasil, Luiza Helena Trajano, presidente da rede Magazine Luiza, cresceu dentro da loja dos tios, Luiza e Pelegrino. Quando tinha 13 anos, diferentemente de boa parte dos colegas de escola, Luiza Helena aproveitava as férias e fins de semana para trabalhar com os tios, ajudando no balcão da loja e, ao mesmo tempo, já aprendendo na prática a maneira de gerir que tanto influencia até hoje na sua postura empresarial. Ao aliar uma visão global de resultados a ações com soluções rápidas, Luiza Helena soube separar o

lado profissional do pessoal, já que sempre trabalhou em família: “Quando você é um empreendedor nato, o momento chega e você percebe que é sua oportunidade. A experiência ajuda, mas a caminhada do dia a dia é que faz você adquirir experiência. A caminhada é tão importante quanto o resultado final”. Magazine Luiza é mais uma associada da CDL!

Luiza Helena Trajano é considerada um ícone do empreendedorismo feminino. FOTO: DIVULGAÇÃO


CDL Jovem

Coaching:

Treinando líderes para o futuro do comércio Ferramenta ajuda na capacitação de profissionais de variados segmentos, que buscam alinhar estratégias ou conquistar mercado

C

oaching é uma palavra comum entre empresários e executivos das mais diversas áreas de atuação. O termo pode ser definido como o processo de equipar as pessoas com as ferramentas, o conhecimento e as oportunidades de que precisam para se desenvolver e se tornar mais efetivas e eficazes. O termo coach significa, literalmente, treinador e tradicionalmente tem sido associado aos esportes. Todo atleta de alto nível, por exemplo, tem um coaching. Um líder coaching também pode se comparar a um maestro, que em alguns momentos trabalha apenas com um integrante ou orienta todos à distância, podendo, ainda, romper vínculos com os demais para que possam se desenvolver em áreas completamente fora do seu escopo. Em outras palavras, coach é um profissional dos tempos modernos, que orienta e apoia o processo do empresário ou executivo ser o melhor que ele puder, obtendo mais satisfação e resultados positivos em tudo o que realizar. A ampla aceitação do coaching pode ser vinculada a influência do livro de Timothy Gallwey, The inner game of tennis, publicado em meados dos anos 70. Gallwey, coaching profissional de tênis, aplicou as ideias do coaching esportivo de maneira muito mais ampla, tornando-as universalmente relevantes e ajudando pessoas a conseguirem seu melhor desempenho de forma não crítica. Assim, o coaching tornou-se

aplicável a área dos negócios e outros aspectos da vida, exercitando-se como um processo contínuo, e não como uma conversa eventual ou um acontecimento isolado. Com aprendizagem e treinamento constantes, o coaching favorece que as pessoas canalizem sua paixão pela aprendizagem para as melhores oportunidades, além de harmonizar a participação dos integrantes de qualquer organização empresarial. O processo de coaching flexibiliza e melhor adapta o profissional para enfrentar desafios cotidianos, mediante as intempéries do mundo corporativo atual, onde mudanças bruscas ocorrem constantemente. Dentre os pontos relevantes desse processo para a realidade do comércio, o coaching produz a tomada de consciência e possível correção de erros; potencializa escolhas e gera mudanças, trazendo nova vida para o negócio; e libera o potencial das pessoas para maximizar o desempenho e torná-las mais centradas, atendendo melhor às demandas da empresa e suas metas. Sempre atualizada com os temas de maior relevância no comércio, A CDL Jovem convidou o consultor Marcos Tito para ministrar um minicurso sobre Coaching para os associados da CDL Jovem. A oportunidade, muito prestigiada, esclareceu dúvidas e proporcionou que todos interagissem sobre essa nova forma de crescimento de negócios, fomentando, ainda mais, essa tendência para a realidade do comércio local. CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

15


Opinião

Buscando novos rumos para a carreira

C

om o início de mais um ano, tende-se a fazer uma reflexão não apenas do que passou, mas das metas traçadas e alcançadas (ou não). No entanto, quando ocorre de já não se sentir mais a mesma vontade de desempenhar a profissão, algo errado acontece. Se por alguma razão o incômodo persiste, é hora de repensar como a atividade que provavelmente mais ocupa horas do dia deve continuar sendo o principal motivo pelo qual você acorda pela manhã para sair de casa, ou provavelmente faz consideráveis jornadas de trabalho madrugada adentro. É importante frisar que autoconhecimento, fazer planos, ter disciplina, traçar objetivos e se manter motivado continuamente são fatores que, unidos, demonstram uma capacidade madura de lidar consigo mesmo. Consequentemente, uma postura assim conduz a realização de acertos na carreira, especialmente se houver apoio e orientação dos atuais gestores para favorecer condições de desenvolvimento do profissional. Porém, se ainda assim a realidade de continuar na mesma função e empresa se tornar um fardo e repercutir no rendimento do trabalho, então é o momento de questionar o que se pretende fazer profissionalmente a partir de agora. Em meio ao cumprimento de horários, salário insatisfatório ou crises de estafa, muitas vezes mudar de profissão não se relaciona apenas a mudar de empresa, mas alterar a maneira como se percebe o ambiente, pessoas e função a desempenhar. Por outro lado, se ao longo de alguns anos você se doar por completo e a empresa não reconhecer ou não lhe ceder justa promoção, certamente as chances de você crescer dentro da organização são bastante escassas. Afinal, não basta dar lucro a empresa: é preciso que você também se beneficie dela de alguma forma.

16

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

Para construir uma nova carreira – rentável e satisfatória – é preciso saber primeiramente o se quer para poder conquistar um espaço. Portanto, para construir uma nova carreira – rentável e satisfatória – é preciso saber primeiramente o se quer para poder conquistar um espaço. Por isso o marketing pessoal é um fator imprescindível para que as empresas percebam você e optem por lhe escolher para integrá-lo à história e à vida da organização. Pensando nisso, elaboramos algumas dicas que podem ajudá-lo nesse recomeço profissional. Mapear pontos fortes e fracos. É preciso ser perseverante para não desistir na primeira oportunidade

quando se tentar outra vez. Por isso, seja honesto consigo, potencialize suas qualidades e minimize seus pontos fracos para mapear quem você é, o que quer (no futuro novo emprego) e como poderá desempenhar um bom trabalho. Construa um roteiro profissional. A importância de desenvolver este item dá-se pelo motivo de recordar o que você já realizou profissionalmente, a fim de convencer-se que pode fazer muito mais nos desafios que estão por vir. Atualizar o currículo. A máxima de que a primeira impressão é a que fica ainda faz efeito. Portanto, reformular e atualizar o seu principal “cartão de visitas” para qualquer empresa e oportunidade de emprego é imprescindível. Avalie seu conhecimento e suas qualificações. Reciclar-se profissionalmente deve ser uma busca constante e consciente para que o profissional não estagne nas funções que desempenha. Por isso, para iniciar uma nova carreira, atualize-se, fortaleça e renove as competências que lhes são inatas, as que podem ser melhoradas e as que ainda poderão ser descobertas.


Associativismo

Associativismo no foco mundial A ONU declarou 2012 como o Ano Internacional das Cooperativas

E

m 2011 o conceito de associativismo se fortaleceu e as empresas investiram nesta cultura com intensidade, modificando o varejo mundial. No Ceará ficou mais evidente o impacto positivo que a união de empresas pode gerar quando, em setembro, a CNDL, a Federação das CDLs do Ceará e a CDL de Fortaleza realizaram a 52ª Convenção Nacional do Comércio Lojista. Ciente de que uma empresa para se manter competitiva, pode e deve – a partir de associações – aliar-se aos seus concorrentes para crescer, e de como a união de pessoas é importante para o desenvolvimento e o progresso do comércio, a Assembléia Geral das Nações Unidas (ONU) determinou 2012 como o Ano Internacional das Cooperativas e, para que estas aconteçam, a “mola propulsora” é a própria cultura associativista. O modelo de cooperativa surgiu logo após a Revolução Industrial, na Inglaterra, quando 28 tecelões em Rochdale e Manchester se uniram para superar dificuldades, buscando uma forma de organização mais justa e democrática, visando a divisão igualitária da renda por meio da associação. Assim, nasceu em 1844 a Sociedade dos Probos de Rochdale, primeira cooperativa moderna. O Cooperativismo estimula a economia e os pequenos negócios, sendo responsável pela distribuição de renda para várias camadas sociais, atuando como empregador de mais de um bilhão de pessoas no mundo. No Brasil, o Ano Internacional das Cooperativas foi lançado em 14 de dezembro passado. Segundo o Sebrae, existem hoje 6.652 cooperativas de 13 atividades diferentes no país, reunindo nove milhões de cooperados e 298 mil funcionários, cujo foco é a prática da cultura associativista no

O associativismo e o cooperativismo, quando trabalhados em parceria, são importantes para o fortalecimento das micro, pequenas e médias empresas. comércio. 30% de toda a produção brasileira de alimentos são feitas por cooperativas, o que demonstra a importância deste tipo de iniciativa para o país.

O associativismo e o cooperativismo, quando trabalhados em parceria, são importantes para o fortalecimento das micro, pequenas e médias empresas. Foi com este pensamento que a ONU declarou 2012 como o Ano Internacional das Cooperativas, quando o associativismo será tema central de várias palestras e discussões de governos e empreendedores. Assim, espera-se que os investimentos sejam maiores no setor de Varejo e Serviço, possibilitando mais opções para quem deseja ampliar seu negócio ou mesmo começar um empreendimento, mostrando que é possível – lojistas e empresários – correr riscos para obter melhores resultados quando há união de interesses por meio do associativismo. CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

17


Liderança & Gestão

Marcos Braun Filho

Gestão estratégica de pessoas:

Um caminho para a excelência organizacional?

D

esde os anos 70 observase uma crise estrutural do capitalismo, revelando um esgotamento do modelo taylorista/fordista de produção em série. A grande quantidade de bens produzidos e serviços disponibilizados em busca de mercado, apresentando similaridades que os transformam em commodities, para um mercado consumidor cada vez mais exigente por qualidade, preço e inovação, consequentemente impõe um novo pensar fabril em busca da agregação de valor aos bens e serviços, com redução dos custos de produção e aumento da qualidade. Neste cenário, as organizações vêm realizando mudanças em seus procedimentos internos e externos, incorporando inovações continuadas, buscando adaptar-se aos ambientes da globalização, que se modificam em: velocidade acelerada; informatização; automatização; downsizing; células de produção; benchmarking; desenvolvimento sustentável; empowerment; terceirização; alianças; organização virtual; inplacement; outplacement e responsabilidade social. Estas e outras iniciativas não são meras estratégias em busca de eficiência e eficácia, mas são estratégias inovadoras no esforço de sobrevivência das organizações. Estar junto ao cliente não é mais uma vaga expressão de marketing, mas uma filosofia e missão das empresas maduras e inteligentes na conquista e manutenção de um mercado. O reflexo desta situação é o crescente e assustador abalo físico e mental de todas as pessoas envolvidas na organização, independente do nível hierárquico ocupado. Perdendo-se de vista que o profissional dentro do ambiente de trabalho é um ser humano, movido a razões e emoções, e não um robô ou máquina, como muitas vezes são visualizados. A gestão estratégica de pessoas evita que se abra um abismo entre ações para o alcance dos objetivos pessoais e organizacionais. Este é o desafio: a busca da simetria comportamental sendo o elo com as

18

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

ideias e pensamentos desejáveis nos modelos de administração recentes. As empresas devem trabalhar seus líderes de forma a envolver os recursos emocionais e intelectuais de seu pessoal, libertando o valor oculto de sua força de trabalho. Todos nós queremos nos sentir valorizados como pessoas, não só como agentes econômicos. Queremos ser respeitados pelo que somos, não só pelo que fazemos. Enquanto a concorrência se preocupa em perseguir as mesmas pessoas disputadas, as empresas excelentes estão fazendo algo infinitamente mais útil e muito mais difícil de se copiar – construindo organizações que possibilitem que as pessoas comuns da empresa apresentem um desempenho excepcional. Subvertendo o senso comum de que as empresas têm que “caçar” e adquirir gente de talento superior para manter seu sucesso, a fonte da vantagem competitiva sustentável já se encontra dentro de cada organização, ou seja,

concentrar-se em aproveitar o melhor de todos os funcionários, não somente de destaques individuais. Assim, esta é a atuação da gestão estratégica de pessoas: aquela que contempla modelos sistêmicos e complexos, onde os alicerces psicológicos inerentes aos seres humanos não somente são considerados, como também incorporados como instrumentos facilitadores de ascensão intelectual, de conhecimentos técnicos e intelectuais e de posturas comportamentais do profissional, possibilitando-o descortinar talentos e avançar em pontos relevantes ao longo de sua trajetória no ambiente organizacional. Com base nesta reflexão, como anda sua empresa, ela está no caminho da excelência? Pense nisso e até a próxima! Marcos Braun Filho é consultor empresarial, professor e coach. MB Consultoria e Educação Corporativa www.marcosbraun.com.br


Responsabilidade Socioambiental

Nacional Gás Butano:

Sinônimo de eficiência com ação sustentável nos lares brasileiros Arte e educação para celebrar os 60 anos da Nacional Gás beneficia alunos de escolas públicas

O

ferecer soluções com base em ideias inovadoras deve ser um dos pilares para iniciar um bom negócio. É alicerçada neste conceito que a Nacional Gás Butano Distribuidora – empreendimento do Grupo Edson Queiroz, que em 2011 comemorou 60 anos – se firma e se renova, continuamente, como uma das principais distribuidoras de gás liquefeito de petróleo (GPL) do Brasil. Atualmente com 49 filiais, sendo 29 bases engarrafadoras – as mais modernas da América Latina –, a Nacional Gás tem no GLP o principal produto, com gás 100% sustentável, pois sua combustão não produz resíduos tóxicos. O GLP é distribuído em todos os 5,5 mil municípios brasileiros, cerca de 53 milhões de lares, ou seja, a Nacional Gás é presença diária em 95% dos domicílios nacionais, fazendo jus ao slogan “Energia que faz parte da nossa vida”. A marca da empresa, construída desde o início a partir de valores que se pautam no carisma e na postura acolhedora do povo nordestino, demonstra que a empresa é preocupada com o bem-estar da sociedade e do meio ambiente, tornando-se referência no setor para a sociedade brasileira. Estruturando uma comunicação cada vez mais forte com seus consumidores, e agindo em benefício deles, a Nacional Gás cresceu e se desenvolveu com altos padrões de modernidade graças aos investimentos constantes em tecnologia. O sucesso da marca Nacional Gás Butano é atribuído a um trabalho realizado com eficiência, transparência, determinação e atitude alicerçada na preocupação do desenvolvimento social e ambiental. Pro-

Alunos da EEF Antonio Paes de Andrade, de Farias Brito, participaram do projeto Caminhos da Arte.

va disso é que, em 2011, a Nacional Gás venceu a 10ª edição do Prêmio Marketing Best Sustentabilidade com o Projeto Caminhos da Arte, que atuou em 184 municípios do Ceará. Tendo como foco unir cultura, arte e educação por meio de visitas feitas com estudantes de escolas públicas, o Projeto viabilizou a visita dos alunos às exposições “Brasiliana Itaú” e “Brassaï: Paris la nuit”, que estiveram à mostra no Espaço Cultural Unifor, no campus da Universidade de Fortaleza. O empresário Edson Queiroz trouxe inovação para o lar cearense quando percebeu que chegara o momento – nos idos de 1951 – de trocar fogões à lenha

pelo botijão a gás. Ao desenvolver estratégias para convencer as donas de casa a substituir o tradicional fogão à lenha pelo gás envasado, apostou na criatividade, com ousadia e simplicidade, para fazer uso do marketing “boca a boca” e catálogos, incentivando o consumo do produto em residências, bares e restaurantes cearenses. Vincular cultura com responsabilidade ambiental, superando desafios que geram soluções, é uma grande característica da Nacional Gás, que gera motivação e crescimento para a empresa, conquistando cada vez mais o seu devido lugar: os lares brasileiros. CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

19


Federação em Ação

Lojistas participam da feira mundial do varejo em Nova Iorque Mais uma vez o Brasil é destaque na Convenção Mundial do Varejo com a maior delegação estrangeira

Bill Clinton, ex-presidente americano, disse que o Brasil será o país mais próspero do mundo. FOTO: NRF PHOTOS

A

s tendências e consolidações do varejo de todo mundo estiveram presentes na Retail´s Big Show, convenção anual da Federação Nacional do Varejo (NRF) dos Estados Unidos, realizada de 15 a 18 de janeiro, que é considerada o maior evento global do setor. Do Ceará, uma comitiva da CDL de Fortaleza e da Federação das CDLs do Ceará viajou no dia 11, participou de seminários, palestras e da feira de exposição, que este ano alcançou a sua 101ª edição. Na volta, a comissão replicou os debates e inovações discutidos na NRF 2012, que serviram de referência para o Cenários do Varejo, evento programado para os dias 9 e 10 de fevereiro em Fortaleza. Mais de 150 países participam anualmente da convenção da NRF. Este ano o Brasil levou a maior delegação estran-

20

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

geira, com participação de 320 integrantes da CNDL. “Esse encontro teve um significado muito importante para o varejo do Brasil porque ele mostrou as tendências que ocorrerão em todo o planeta em todas as áreas da economia”, destaca o presidente da FCDL do Ceará, Honório Pinheiro, que representou o Ceará ao lado do presidente da CDL de Fortaleza, Freitas Cordeiro. Honório participa há oito anos da convenção e ressalta experiências importantes trazidas para o Ceará. “De lá tiramos inovações na área de tecnologia, logística, como código de barra, rádio transmissão, além da layoutização das lojas e capacitação de pessoas”, lembra. No ano passado, foram debatidos temas como a globalização de novas redes de varejo e a aposta em mercados emergentes,

provocada pela crise financeira global e o baixo crescimento do consumo em mercados maduros, como os Estados Unidos. A edição 2012 apresentou uma programação que incluiu palestrantes como Bill Clinton, ex-presidente americano; Geoffrey Colvin, editor sênior da revista Fortune; Jon Iwata, membro da IBM; e David Lauren, vice-presidente executivo de propaganda e marketing da Ralph Lauren Corporation. Entre os temas debatidos estão “A nova evolução: Loja 3.0”, “Últimas novidades em marketing de varejo: entendendo o consumidor, construindo marcas” e “Capitalismo Consciente”, uma filosofia baseada na crença de que uma forma mais complexa de capitalismo está emergindo. Informações sobre as inscrições para o Cenários do Varejo pelo telefone: (85) 3433.3012.


Como Fazer

Prevenir é melhor do que perder Além de competir em um mercado muitas vezes hostil, o varejo enfrenta outro problema: seus índices de perdas podem ser absurdamente altos. Porém, é possível reduzir os prejuízos

N

o balanço mensal do seu estoque, quanto em porcentagem você identifica em perdas? Sofrer o mínimo de desvio indevido de mercadoria é fundamental para manter qualquer estabelecimento comercial saudável. Quando o assunto é Prevenção de Perdas no setor de Varejo e Serviços, é necessário que haja uma atenção principalmente a duas situações específicas: perdas de inventários e quebras operacionais. As perdas de inventários estão diretamente vinculadas a produtos que somem do estoque sem justificativa, sumiços esses que podem estar associados a furtos internos ou externos. Já as quebras operacionais ocorrem quando um produto não está em condições de ser comercializado devido a algum motivo de estrago, como rasgo, data de validade vencida, descostura etc. No Brasil, a empresa pioneira que integrou o Sistema de Proteção de Perdas à sua estrutura foi as Lojas Americanas. Posteriormente, a companhia obteve considerável redução de prejuízos tanto no estoque, quanto nos produtos expostos para venda. Se uma grande empresa possui um índice elevado de perdas, mesmo tendo o sistema de prevenção, imagine um pequeno comércio, micro ou média empresa, que não utiliza este tipo de precaução. É por esse motivo que também se justifica uma maior procura do

Gestão eficiente e tecnologia são aliadas na prevenção de perdas.

comércio por profissionais especializados na área de Prevenção de Perdas. Quem deseja prevenir perdas precisa buscar o foco dos acontecimentos, ou seja, investigar e adquirir informações de como acontecem estas perdas dentro da empresa. A partir desta iniciativa podem ser criadas ferramentas que combatam estas ações indevidas, visando colaborar para o crescimento da empresa, impedindo a ocorrência de possíveis desfalques de produtos seja por qual via for. Para ter uma segurança maior e se precaver contra perdas em qualquer estabelecimento comercial é válido adotar algumas dicas: utilizar um circuito inter-

no de câmeras direcionado aos produtos que são mais visados; estruturar uma ótima política interna e de recursos humanos; realizar uma quantidade maior de balanços; trabalhar com o auxílio da tecnologia, como computadores e etiquetas eletrônicas; ter uma equipe de segurança ágil e atenta. Com ações sucessivas baseadas em um sistema forte de prevenção de perdas, as empresas protegerão sua principal fonte de comercialização – a venda de produtos –, favorecendo a redução de mercadorias consideradas “perdidas” ou extraviadas, sem justificativa prévia. Afinal, prevenir é melhor do que perder. CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

21


Aprendendo na Prática

Ser inconfundível é fundamental

E

la tem traços e formas únicas, é inesquecível e autêntica. Também é atraente, expressiva, comunicativa, inspiradora e atualizada. Se a descrição anterior fosse a de uma mulher, talvez lhe devesse ser atribuída a característica de “biônica” – e certamente não lhe faltariam pretendentes –, mas na verdade nos referimos a marca de uma empresa. Para qualquer empreendimento é preciso formular uma marca pelo que se pretende que ela seja no mercado. Uma empresa sem marca – ou com uma que não demonstre ao que a investida comercial veio – dificilmente será lembrada pelos consumidores ou conseguirá uma fidelização de clientes satisfatória. Para se criar uma marca, primeiro é recomendável fazer uma avaliação das sugestões propostas por meio de um estudo prévio de mercado: vale consultar o perfil do consumidor que será o foco da sua empresa e reunir colaboradores para com eles avaliar o que a marca comunica. Existem também aspectos importantes a se considerar, como forma, cores utilizadas e, caso um nome seja aliado à marca, se pode ou não gerar interpretações equivocadas. Um exemplo curioso foi quando Coca-Cola, traduzida para ideogramas chineses, soou como Keku-kela, que significava “égua recheada de cera”. Lógico que muitos clientes recusaram comprar o produto, até identificarem o problema e alterarem a marca para Koku-kole, cujo sentido é “felicidade na boca”. O segundo aspecto a ser considerado é se a marca será capaz de se tornar inesquecível na mente de quem a vir ou ouvir, a ponto de sobreviver à concorrência no mercado. Se quem é indagado a respeito de uma marca, consegue descrevê-la – e até atribuir-lhe um valor afetivo

22

CONJUNTURA DO COMÉRCIO Fevereiro 2012

A marca é parte essencial do processo de marketing de uma empresa. –, se nunca comprou um produto da marca que mencionou, poderá um dia fazê-lo. Conquistar a memória e a afeição dos consumidores por meio de uma marca é conseguir, sobretudo, a preferência de possíveis compradores e a fidelização de clientes para produtos de consumo. Afinal, quem não se lembra de crianças vestidas de bichinhos nos comerciais da Parmalat em VT’s bastante veiculados no início desse milênio? A atratividade é o terceiro aspecto a ser considerado para construir uma marca. É impossível, por exemplo, não desejar qualquer aparelho eletrônico em que nele conste o símbolo de uma maçã prateada com uma pequena mordida. A Apple conseguiu imprimir, por meio da sua marca, um magnetismo imensurável em consumidores que veem na empresa a imagem da criatividade, design, originalidade, inovação e sentem-se

atraídos em adquirir um produto Apple pelo status que possui e por tudo o que a empresa representa. Outra curiosidade ainda a respeito da Apple é que o “i” na frente do nome de vários produtos (como iPod, iPhone e iMac) a princípio aludia a “Internet” e depois assumiu uma conotação pessoal, já que “i”, em inglês, significa “eu”. Um aspecto como esse remete à quarta pergunta a se considerar ao criar a marca de uma empresa: ela expressa valores que vinculam o consumidor ao produto que está sendo vendido? A marca é parte essencial do processo de marketing de uma empresa. Os símbolos associados, as cores e a logomarca são alguns dos elementos gráficos que constitui a identidade visual e alguns dos aspectos que mais transferem significado em uma marca, criando diferenciação quando se trata de destacar um negócio no mercado. Não importa o valor econômico, o porte ou o ramo de atividade: se uma empresa não tiver uma marca é como um indivíduo que não tem RG. Pode até existir, mas na prática do mundo dos negócios, será como se o empreendimento fosse apenas mais um.


CHEQUE GARANTIDO CDL AUMENTE A SEGURANÇA DE SUAS VENDAS EM CHEQUES

COMO FUNCIONA A empresa consulta o cheque e fica sabendo, na hora, se ele será garantido. Se houver algum problema de compensação, o valor é ressarcido pela CDL. O serviço atende empresas de todas as áreas e portes que recebem cheque como forma de pagamento, tanto à vista como pré-datados. BENEFÍCIOS • Tranquilidade na venda e recebimento em cheque. • Inibição da ação de estelionatários. • Garantia de cheques de todas as praças; • Possibilidade de aumento do número de clientes. • Aumento da lucratividade pelo risco de inadimplência. • Eliminação dos custos operacionais com áreas de crédito e cobrança. • Tempo livre para dedicar ao seu verdadeiro negócio: as vendas.

E MAIS: O Banco do Brasil antecipa os valores dos cheques, a taxas especiais de descontos, a partir de 1,3% a.m.* Informações: (85) 3464.5506 ou e-mail gerencia.comercial@cdlfor.com.br.

CHEQUE GARANTIDO CDL: ESSE COMPENSA!

* Taxa dependente de confirmação na agência detentora do cadastro do cliente.

INTELIGÊNCIA


Rua 25 de Março, 882 – Centro – CEP 60060-120 – Fortaleza – CE

Fortaleza Liquida: O Grande Show de Ofertas  

O comércio cearense se prepara para a mega promoção e sorteio de muitos prêmios.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you