Page 1

Revista do Núcleo de Tecnologias para Educação da Universidade Estadual do Maranhão

• COORDENADORES DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DO MARANHÃO FALAM SOBRE O PAPEL DO PROFESSOR NO SÉCULO XXI • EDUCAÇÃO FLEXÍVEL: UM NOVO CONCEITO DE ENSINO

Fonte: diariodeumacolheita.wordpress.com

Ano III - nº 05 ISSN: 32317-532X


A qualidade que você procura está aqui: www.uemanet.uema.br

Especializações a distância na UEMA .Educação do Campo .Ensino da Genética

.Psicologia da Educação .Gestão Pública

.Gestão Pública Municipal .Gestão em Saúde

2 | UemaNet • Revista PoloUm Núcleo de Tecnologias para Educação


Editorial

A

sociedade

contem-

porânea vem dando cada

vez mais provas do seu alin-

Foto: Wagner Moreira

hamento com as chamadas tecnologias da informação e comunicação. Nesse contexto, não se pode deixar de considerar o papel dos sistemas educacionais ante os desafios impostos pelas novas dinâmicas do tempo e do espaço, redefinidas em função do que se admite chamar hoje de revolução tecnológica. Tal fenômeno vem repercutindo profundamente em nossas relações pessoais e organizacionais, transformando nossa perspectiva de mundo. Novos caminhos se abrem para Educação na medida em que se desenvolvem novas formas de aprendizado, formais ou informais, disponíveis e ajustadas aos interesses de cada um. Esse impacto está diretamente relacionado à emergência de uma multiplicidade de canais para acesso ao conhecimento, outrora inexistentes, e que por vezes nem mesmo dominamos, dada a velocidade da obsolescência a que estão sujeitos. Nesse sentido, as

considerar apenas o paradigma educacional vigente desde o Iluminismo. Com essa perspectiva, a Universidade Estadual do Maranhão vem buscando enfatizar cada vez mais a imprescindibilidade das interações horizontalizadas para construção conjunta do conhecimento. É desejo nosso mediar, com todos os instrumentos possíveis, tal como já o faz o Núcleo de Tecnologias para Educação (Uemanet), a livre descoberta dos saberes. Essa é a nossa revolução, silenciosa e compassada, que haverá de nos elevar a patamares ainda mais promissores em termos de ensino, pesquisa e extensão universitária, sempre à serviço do povo do nosso Estado. Nesta edição da revista PoloUm já se descortina esse horizonte e se revelam sinais dos novos tempos. A própria educação a distância, compreendida também como um processo inovador ante os mecanismos tradicionais de educação, por si só já comprova os largos passos dados pela Uema nessa direção. Uma nova Universidade está se erguendo diante de um novo mundo no qual ela se contextualiza. Edifiquemos nossas ações a partir desses novos desafios!

informações adquiridas na contemporaneidade nunca serão suficientes, pois servem tão somente de base para as constantes iniciações que se fazem necessárias. Sabe-se, entretanto, que o desafio imposto por essa revolução não consiste na centralidade de informações

Gustavo Pereira da Costa Vice-Reitor

úteis hoje, mas na geração de conhecimentos e de dispositivos para o processamento das mesmas, dentro de um ciclo de retroalimentação cumulativo entre as inovações dela derivadas e os seus usos. Em tempos de aprendizagem móvel (mobile learning), aprendizagem via redes sociais, aprendizagem colaborativa, recursos educacionais abertos, gamificação da educação e web semântica, as instituições de ensino não podem mais UemaNet • Revista PoloUm | 3


A Uema firmou parceria com o instituto Sirio-Libanês de Ensino e Pesquisa. A IES deu todo suporte logístico e tecnológico para realização de cursos de especialização ofertados por meio do projeto Gestão de Clínica no SUS. Essa foi a segunda etapa do projeto, contemplando 20 regiões. Em São Luís, foram oferecidos três cursos: Gestão da Clínica nas Regiões de Saúde, Regulamentação em Saúde no SUS e Educação na Saúde para Preceptores do SUS. Os cursos foram ofertados para técnicos na área da saúde dos municípios e Estado.

4 | UemaNet • Revista PoloUm

Núcleo de Tecnologias para Educação


Carta ao Leitor

Caro leitor,

N

Nesta edição, você vai conhecer um pouco mais sobre a flexibilidade da educação. A educação flexível vem ganhando cada vez mais espaço em debates no cenário mundial como o caminho possível para atender aos estudantes do século XXI. A Universidade Estadual do Maranhão – Uema vê nesse novo modelo de ensino uma alternativa eficaz no sentido de contribuir para a democratização do acesso à educação profissional. Você ficará, ainda, por dentro da Especialização em Educação do Campo, na modalidade a distância, mediado pelo Núcleo de Tecnologias para Educação da Uema, o UemaNet. Saberá, também, os prós e contras sobre o uso de tablets em sala de aula. Pesquisas recentes mostram quais são realmente os benefícios em relação ao uso desse dispositivo, que ao mesmo tempo em que muda o ensino provoca contradições. Além disso, apresenta uma matéria sobre a importância das

Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) na educação. Contempla, também, dados importantes sobre o crescimento exponencial da educação a distância no Brasil. Nesse novo cenário de mudanças tecnológicas questiona-se a real situação do professor e como os estudantes insere-se nesse contexto. Qual o seu papel no século XXI? Como se posiciona e se relaciona com os estudantes? E as pesquisas na área de EaD como estão evoluindo? Além dessa matéria você poderá conferir entrevista com as coordenadoras de educação a distância de importantes instituições de ensino superior do Estado do Maranhão. Saiba isso e muito mais nas páginas da revista PoloUm.

Fábio A. Santos

Uma proveitosa leitura!

Paula Lima Editores

UemaNet • Revista PoloUm | 5


Sumário

8 Referência A EaD chegando ao campo: análise do curso de Especialização em Educação do Campo, na modalidade a distância, mediado pelo Núcleo de Tecnologias para Educação – UEMANET

25 Tecnologia A importância das TICs na educação

16 Entrevista Coordenadores de educação a distância do Maranhão falam sobre o papel do professor no século XXI.

22 Cenário Tablets: prós e contras

26 Em Destaque Educação a distância cresce exponencialmente no Brasil Prática dos alunos e-Tec

6 | UemaNet • Revista PoloUm


Sumário

29 Flexibilidade Educação flexível: um novo conceito de ensino

33 Pesquisa Pesquisa em EaD: reflexões sobre teoria e prática

30 Profissão A difícil tarefa de lecionar no século XXI

Expediente Reitor da Uema Prof. José Augusto Silva Oliveira Vice-Reitor da Uema Prof. Gustavo Pereira da Costa Coordenadora Geral do UemaNet Profa. Ilka Márcia Ribeiro de Souza Serra Assessor de Marketing e Comunicação Prof. Fábio A. Santos Editora Paula Lima Revisão Lucirene Ferreira Lopes, Cláudia Moraes Redatores Paula Lima, Thagiane Costa Tradução Alfredo Pinheiro Imagens Ascom - UemaNet / Wagner Moreira Diagramador Josimar de Jesus Costa Almeida Colaboradores Andriolli Araújo, Carlos Augusto Junior, Edson Costa, Andréia Maranhão, Rômulo Coelho

Revista do Núcleo de Tecnologias para Educação da Universidade Estadual do Maranhão

UemaNet • Revista PoloUm | 7


Referência A EaD CHEGANDO AO CAMPO: ANÁLISE DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO DO CAMPO, NA MODALIDADE A DISTÂNCIA, MEDIADO PELO NÚCLEO DE TECNOLOGIAS PARA EDUCAÇÃO – UEMANET Ilka Marcia R. de Souza Serra1 Eliza Flora Muniz Araújo2

RESUMO A UEMA, por meio do seu Núcleo de Tecnologias para Educação-UemaNet (que faz a mediação dos cursos a distância oferecidos por esta Universidade), estabeleceu importante parceria com o Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) e a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão social (SECADI/ MEC). O presente trabalho objetivou desenvolver um processo que, além de exercitar estudos e produção de conhecimentos voltados para a formação do professor, gerasse como resultado indicadores relevantes para subsidiar as políticas de formação em EaD – com um novo olhar para a educação do campo. O curso de especialização em educação do campo contou com uma equipe de professores pesquisadores, tutores presenciais e a distância, responsáveis pelo acompanhamento e orientações dos alunos no AVA. Cada polo de funcionamento do curso dispunha de um laboratório de informática que serviu de suporte para o desenvolvimento das atividades. Os alunos defenderam seus TCCs após revisão e ajustes, conforme sugestões das bancas examinadoras. No decorrer do curso foram enfrentados muitos desafios, entre eles destacaram-se as deficiências no manuseio das ferramentas disponíveis para esta modalidade de ensino e, em alguns casos, as distâncias geográficas. Os polos em estudo se encontravam com boa estruturação física e possuíam equipamentos que auxiliaram no processo de ensino/aprendizagem. A UEMA, instituição dedicada ao ensino a distância, considerou todos os obstáculos e buscou alternativas que auxiliassem os cursistas a

8 | UemaNet • Revista PoloUm

melhorar seu desempenho no manuseio das ferramentas educacionais disponibilizadas para o ensino a distância, possibilitando que a EaD também chegasse ao campo. Palavras-chave: Educação a distância. Educação do campo. Formação de professores. INTRODUÇÃO Atualmente, vive-se um momento repleto de reflexões e preleções sobre as grandes mudanças que vêm ocorrendo na sociedade brasileira, notadamente no que tange à questão educacional. É recorrente o debate em torno da necessidade de mudanças na formação de um novo homem para viver numa nova sociedade. Todavia, a forma como são abordadas tais necessidades precisam ser bem concebidas, vez que a tendência é sempre valorizar o aspecto material sem levar em conta o aspecto humano. Por outro lado, são perceptíveis as intensas e aceleradas transformações que vêm ocorrendo em todos os segmentos da sociedade. O avanço do conhecimento tem provocado grandes modificações na vida dos seres humanos, gerando demandas que precisam ser atendidas para que todos possam exercer dignamente a sua cidadania. No entanto, a escola, cuja missão é educar e formar novos cidadãos, não tem conseguido acompanhar essas mudanças. Por conseguinte, entende-se que mesmo diante dessas adversidades a escola não pode ficar alheia ao processo de desenvolvimento, pois, se assim for, ficará à margem do processo de construção e democratização do conhecimento.


Referência Têm-se assistido constantemente, em todos os setores da sociedade, os discursos enfatizando a necessidade de mudança, especialmente no âmbito da educação e, mais especificamente, no que diz respeito à educação do campo. No entanto, a noção de mudança merece uma séria reflexão crítica, sobretudo quando se trata da sua inserção no contexto da formação do professor numa escola do campo. É evidente que o mundo e a sociedade estão passando por um processo acelerado e constante de transformações, principalmente, em função das inovações tecnológicas virtuais. Logo, não se pode ignorar que as pessoas que têm acesso a essas ferramentas e habilidades de uso se movem com maior rapidez, aprendem com muita facilidade, além do fato de que dispõem de uma variedade enorme de informações. Assim, possuem mais recursos e, por consequência, maiores oportunidades no momento histórico em que estamos inseridos e que alguns autores chamam de “sociedade da informação”. Por um lado, se é não é fácil a mudança, é quase impossível não experimentá-la quando se tem consciência das transformações sociais e dos desafios delineados para o futuro. Para aclarar mais a percepção de que a mudança é necessária, Cunha (2008) descreve a sua concepção sobre a sala de aula: A sala de aula não é mais o espaço da docência e da discência. É o cenário do encontro e das múltiplas possibilidades que professores e alunos têm de fazer dele um tempo de aprendizagem, de trocas, de descobertas e de experimentação. Essa condição exige, porém, um alargamento do conceito de sala de aula, que precisa explodiras linhas retas do espaço retangular que a dimensiona e incluir o movimento e a possibilidade de novas racionalidades.

Por esse prisma, a educação começa a tomar novos direcionamentos, fazendo com que se repense o papel do professor e, consequentemente, a sua formação diante dos desafios e possibilidades colocados pela EaD como modalidade de ensino que incorpora diferentes recursos tecnológicos nos processos de ensinar e aprender. Percebe-se que estamos diante de um novo paradigma, onde as tecnologias passam a

fazer parte do cotidiano das pessoas, mesmo daquelas que residem fora do meio urbano. Os mais jovens, por exemplo, aprendem com muita facilidade a manusear e se comunicar através dos recursos tecnológicos e já não se contentam em estudar de forma passiva e receptiva, intentando tornarem-se sujeitos autônomos, responsáveis pela construção do seu próprio conhecimento. Ao contrário do que, tradicionalmente, estão acostumados os professores, na EaD o professor é também um aprendiz: precisa estudar todos os dias, não somente os conceitos novos ou a utilizar os recursos tecnológicos, mas, a rever o seu papel diante da dinâmica posta pelo mundo contemporâneo, conforme bem coloca Moran, 2006: A internet será ótima para professores inquietos, atentos a novidades, que desejam atualizar-se, comunicar-se mais. Mas ela será um tormento para o professor que se acostumou a dar aula sempre da mesma forma, que fala o tempo todo na aula, que impõe um único tipo de avaliação.

No entanto, para a maioria dos professores, viver nesse novo contexto não é tarefa simples, sobretudo naqueles lugares onde as inovações demoram chegar. Além disso, culturalmente são acostumados a conduzir, sozinhos, o processo de aprendizagem. Dessa forma, o professor precisa mudar a sua prática, exigindo de si uma profunda revisão de suas crenças e atitudes, ou seja, despojar-se das suas vaidades para incorporar um comportamento novo. Assim, aprender e ensinar, a depender da concepção que o professor tem, tomam nortes diferentes. Portanto, o que se pretendeu neste estudo foi analisar e compreender a EaD como estratégia capaz de romper fronteiras e promover com eficiência a formação de professores que atuam em localidades campesinas, sem muitos recursos para se deslocar para participar de processos formativos presenciais. Entender que as tecnologias da comunicação e de informação não rompem somente as barreiras da distância física, mas também com os métodos tradicionalistas de ensinar e aprender. Buscou-se entender e expressar a complexidade que envolve a temática diante da singularidade UemaNet • Revista PoloUm | 9


Referência e multiplicidade dos sujeitos que a compõem. Singularidade, em virtude de que todos os participantes da pesquisa são professores que atuam em escolas do campo; e multiplicidade por serem professores com diferentes formações, visões de mundo e atuarem em diferentes municípios, escolas, séries e disciplinas, ou seja, um campo bastante heterogêneo. Enfim, o que se pretendeu com este trabalho foi desenvolver um processo que, além de exercitar estudos e produção de conhecimentos voltados para a formação do professor, gerasse como resultado indicadores relevantes para subsidiar as políticas de formação em EaD – com um novo olhar para a educação do campo. A EDUCAÇÃO DO CAMPO E SUAS CONQUISTAS NO CONTEXTO DAS POLÍTICAS EDUCACIONAIS O Brasil, nas últimas décadas, tem apresentado melhorias significativas no que diz respeito à questão educacional, especialmente, no que concerne às políticas para a educação do campo. Historicamente, as escolas do campo sempre foram colocadas em segundo plano no que tange às políticas públicas, sendo muitas vezes até discriminadas por serem escolas de difícil acesso, isoladas, heterogêneas, de organização complexa. No entanto, não se pode desconhecer os avanços significativos já conquistados em termos de legislação brasileira. A Constituição Federal de 1988, em seu artigo 205, e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394/1996) estabeleceram a Educação como dever do Estado, visando o pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e qualificação para o trabalho. Além dos direitos e garantias, pode-se constatar que a LDB trouxe, de fato, o reconhecimento do mundo rural como uma proposta às lutas travadas pelos movimentos sociais a favor do homem do campo e, a partir de então, foram fixadas as normas para a educação da zona rural, que, conforme seu Artigo 28, assim preconiza: Na oferta da educação básica para a população rural, os sistemas de ensino proverão as adaptações necessárias à sua adequação, às peculiaridades da vida rural e de cada região, especialmente:

10 | UemaNet • Revista PoloUm

I – conteúdos curriculares e metodologias apropriadas às reais necessidades e interesses dos alunos da zona rural; II - organização escolar própria, incluindo adequação do calendário escolar às fases do ciclo agrícola e às condições climáticas; III – adequação à natureza do trabalho na zona rural.

Dentre outras finalidades, trata da organização da educação, em etapas distintas e complementares, sugerindo compreensão unitária de educação pública, democrática e de qualidade. No entanto, há de se convir que muito ainda necessita ser feito para fazer valer os direitos das populações campesinas. Nesse sentido, vale citar Fernandes (2004), quando faz a seguinte alusão: “A escolarização não é toda a educação, mas é um direito social fundamental a ser garantido (e hoje ainda vergonhosamente desrespeitado) para todo o nosso povo, seja do campo ou da cidade”. Todavia, é preciso destacar conquistas importantes, notadamente decorrentes das lutas dos movimentos populares, com destaque às Diretrizes Operacionais para Educação Básica nas Escolas do Campo aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Básica - Resolução CNE/CEB Nº 01, de 03 de abril de 2002, representando grande avanço para a educação do campo, vez que incorpora um conjunto de preocupações conceituais e estruturais, historicamente presentes nas reivindicações dos referidos movimentos. Assim, tal documento reflete a nova concepção do espaço campo: [...] o campo nesse sentido mais do que um perímetro não-urbano, é um campo de possibilidades que dinamizam a ligação dos seres humanos com a própria produção das condições da existência social com as realizações da sociedade humana. [...] os movimentos sociais do campo propugnam por algo que ainda não teve lugar, em seu estado pleno, porque perfeito no nível das suas aspirações. Propõem mudanças na ordem vigente, tornando visível, por meio das reivindicações do cotidiano, a crítica ao instituído e o horizonte da educação escolar inclusiva.

No bojo dessas preocupações trata do reconhecimento e da valorização dos povos do campo, ressaltando, entre outros aspectos, a forma diferenciada de trabalhar a formação dos professores, a organização da


Referência escola, as práticas e tempos pedagógicos e a adequação dos conteúdos às necessidades e peculiaridades locais. Como se pode observar, não é suficiente ter as políticas públicas estabelecidas em leis, decretos, programas, torna-se imprescindível que essas políticas sejam, de fato, materializadas em condições objetivas para que possam ser efetivadas. Nessa perspectiva, cabe destacar que após a aprovação das Diretrizes Operacionais para Educação Básica nas Escolas do Campo surgiu um importante processo de mobilização social para consolidação de políticas públicas por uma educação de qualidade para os povos do campo, com vistas a garantia do acesso e da permanência na escola, com currículos cuja abrangência deem conta da diversidade cultural, considerando as diversas regiões do país. Entre outros aspectos estruturantes situados no âmbito da educação do campo, diz respeito à discussão sobre a formação e a valorização dos profissionais da educação, notadamente dos professores, na perspectiva de uma atuação participativa, competente, crítica e comprometida com a transformação social. Políticas de formação que visem a aquisição de conhecimentos e o desenvolvimento de capacidades, atitudes e habilidades que possibilitem a compreensão e o domínio de elementos básicos das ciências e das tecnologias, bem como o respeito à diversidade política, econômica e cultural, condição indispensável para superação das discriminações sociais e ao verdadeiro exercício pleno da cidadania. No bojo dessas preocupações, em 2004, o Ministério da Educação criou a Coordenação-Geral de Educação do Campo, integrada à Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (SECAD), o que representou a inserção efetiva do tema na agenda educacional nacional. Portanto, quando se pensa em políticas educativas para um país em processo de desenvolvimento, tem que se pensar numa educação com olhar no presente e conectada com o futuro. Dessa forma, torna-se imprescindível pensar numa educação formadora de cidadãos comprometidos com uma vida social solidária e preparados para os desafios de uma sociedade cada vez mais demandante de informação e de conhecimento.

A despeito disso, vem se discutido no Brasil, com frequência, a valorização da educação a distância como veículo de democratização de oportunidades educacionais, especialmente por ser um país de grande extensão territorial. Nesse sentido, o Ministério da Educação criou a Universidade Aberta do Brasil com o objetivo de ampliar e interiorizar a oferta de cursos e programas de educação superior, por meio da educação a distância, estabelecendo como prioridade a formação de professores e outros profissionais de educação nas áreas da diversidade. Portanto, a EaD apresenta-se, hoje, como uma possibilidade concreta e importante para a aprendizagem, distinguida como uma condição permanente e indispensável para os sujeitos da sociedade da informação. Do ponto de vista da legislação, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei n. 9394/96) institucionalizou a educação a distância e os decretos e portarias publicados ainda em 1998 marcaram o início da regulamentação dessa modalidade de ensino, trazendo para esse campo contribuições significativas. Outra referência fundamental na legislação da educação superior a distância encontra-se inserida no Plano Nacional de Educação (PNE), mais especificamente na Lei nº 10.172/01, que assim fortalece a função estratégica da educação a distância: Ao introduzir novas concepções de tempo e espaço na educação, contribui para o surgimento de mudanças significativas na instituição escolar e influi nas decisões a serem tomadas pelos dirigentes políticos e pela sociedade civil na definição das prioridades educacionais (Plano Nacional de Educação (PNE) Lei nº 10.172/01).

É evidente que a Educação a Distância (EaD) amplia novos horizontes para formação de professores, porém conforme adverte Pretti (2005), deve-se estar sempre atento à avaliação dos cursos, conforme explicita: A Educação a Distância não deve ser simplesmente confundida com o instrumental, com as tecnologias a que recorre. Deve ser compreendida como uma prática educativa

UemaNet • Revista PoloUm | 11


Referência situada e mediatizada, uma modalidade de se fazer educação, de se democratizar o conhecimento. É, portanto, uma alternativa pedagógica que se coloca hoje ao educador que tem uma prática fundamentada em uma racionalidade ética, solidária e compromissada com as mudanças sociais.

Ao mesmo tempo, o autor admite as diversas possibilidades que essa modalidade permite, dada a flexibilidade de assistência e tempo, de ritmos de aprendizagens, de distintos itinerários formativos que possibilitam diferentes entradas e saídas, e, ainda, com vantagem de poder combinar várias atividades como trabalho, estudo e família, favorecendo, assim, a permanência do estudante em seu entorno familiar e laboral (PRETTI, 2005). Diante dessas perspectivas tem sido visível o interesse pela educação a distância, no cenário nacional e internacional, constituindose como um dos fenômenos mais crescentes nos últimos tempos no campo da educação, vez que possibilita a autoaprendizagem, com a mediação de recursos didáticos, sistematicamente, organizados, apresentados em diferentes suportes de informação, utilizados isoladamente ou combinados, e veiculados pelos diversos meios de comunicação. No Maranhão, a Universidade Estadual do Maranhão – UEMA, é uma das instituições que mais tem se destacado nessa modalidade. Nessa direção, estabeleceu importante parceria com a Universidade Aberta do Brasil (UAB), e, a partir do EDITAL 1 SECAD/ MEC, de 16 de abril de 2008, a UEMA lançou o Curso de Especialização em Educação do Campo a distância. Esse curso foi realizado com oferta em vinte Polos de Apoio Presencial distribuídos no âmbito do Estado, na perspectiva de possibilitar a reorientação do conhecimento com base na produção científica, levando em conta as questões socioambientais, a diversidade cultural do Estado, bem como as tecnologias digitais disponíveis, que se tornam cada vez mais dinâmicas por meio das redes sociais.

12 | UemaNet • Revista PoloUm

O CONTEXTO INSTITUCIONAL DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO DO CAMPO, A DISTÂNCIA A Universidade Estadual do Maranhão – UEMA, instituição pública de ensino superior, teve sua origem na Federação das Escolas Superiores do Maranhão – FESM, criada pela Lei nº. 3.260, de 22 de agosto de 1972, para coordenar e integrar os estabelecimentos isolados do sistema educacional de ensino superior do Maranhão. A FESM foi constituída inicialmente por quatro unidades de ensino superior: Escola de Administração, Escola de Engenharia, Escola de Agronomia e Faculdade de Caxias. Em 1975, a FESM incorporou a Escola de Medicina Veterinária e, em 1979, a Faculdade de Educação de Imperatriz. Por meio da Lei nº. 4.400 de 30 de dezembro de 1981, a FESM foi transformada em Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e teve seu funcionamento autorizado pelo Decreto Federal nº. 94.143, de 25 de março de 1987. Para atender às novas demandas e exigências da sociedade, surgiram novos campi e unidades fora da sede em São Luís. A UEMA conta, hoje, com 20 (vinte) Centros de Estudos Superiores. Sua dimensão espacial é determinada atualmente não somente por sua estrutura multicampi, mas também em função do alcance dos cursos a distância, fomentados pela Universidade Aberta do Brasil (UAB), intermediados pelo Núcleo de Tecnologias para Educação em polos de apoio presencial. O NÚCLEO DE TECNOLOGIAS PARA EDUCAÇÃO DA UEMA Por perceber a educação a distância como um redimensionamento espaço-temporal e uma forma concreta de democratização do ensino, capaz de romper os limites dos cursos presenciais, a UEMA criou, por meio da Resolução nº 239/2000 - CONSUN/UEMA, o seu Núcleo de Educação a Distância (NEAD), com a responsabilidade pela concepção, difusão, gestão e avaliação de projetos em Educação a Distância. Após a criação do NEAD, a UEMA tornou-se a oitava instituição


Referência de ensino brasileiro a receber o credenciamento oficial do Ministério da Educação – MEC, para oferta de cursos na modalidade de ensino a distância, conforme Portaria nº 2.216, de 11 de outubro de 2001 - MEC. Mais recentemente, por meio da Resolução nº 698/2008, de 29 de maio de 2008, considerando o novo contexto da Educação a Distância em que as tecnologias da informação e comunicação assumem destaque nos processos de aprendizagem inaugurou-se um novo ciclo para a Educação a Distância na UEMA, culminando com a transformação do NEAD em um Núcleo de Tecnologias para Educação (UemaNet). O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO DO CAMPO NA UEMA: uma experiência pioneira em EaD O Curso de especialização em educação do campo foi ofertado pela primeira vez no estado do Maranhão em 2010, sendo que a UEMA foi a instituição pioneira em ofertá-lo na modalidade a distância. O curso apresentou-se de forma bimodal e modular, compreendendo duas fases: uma presencial e outra a distância. A carga horária total foi de 420 horas, distribuídas em módulos, sendo eles: Conceitual EaD e Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA)/Plataforma Moodle; Fundamentos e Históricos da Educação do Campo; Práticas Pedagógicas em Educação do Campo; Marcos Normativos e Gestão Democrática da Educação do Campo; e Transformando a Realidade: Projeto Integrado e Participativo e Projeto de Conclusão do Curso (SERRA et al., 2010). O Curso contou com uma equipe de professores pesquisadores, tutores presenciais e a distância, que foram responsáveis pelo acompanhamento e pelas orientações dos alunos no AVA. Cada polo de funcionamento do curso dispunha de um laboratório de Informática que serviu de suporte para o desenvolvimento das atividades. Nas turmas da primeira oferta UAB (2010) os alunos defenderam seus TCCs após a revisão e ajustes, conforme sugestões das bancas examinadoras. Com a metodologia em EaD adotada, ou seja, com a utilização de mídias diversificadas (fascículos, videoaulas, podcasts, conferência via web, discussão

no AVA) o curso proporcionou a constituição de uma comunidade de aprendizagem em rede, considerando os princípios da cooperação, respeito e autonomia, os quais são significativos e imprescindíveis na EaD. A parte desenvolvida na etapa a distância, em cada um dos submódulos, teve como instrumento de apoio o material impresso, que se constituiu de textos escritos pelo professor responsável pelo submódulo, ou indicações de leitura de outros documentos. Incluiu, também, atividades que foram realizadas pelo estudante e apresentadas aos professores no momento presencial. O curso obedeceu às orientações prescritas pelo Conselho Nacional de Educação sobre o funcionamento de cursos de pós-graduação. Assim, a avaliação nos diversos submódulos foi presencial, sob a incumbência dos professores responsáveis, fazendo recurso a diferentes estratégias avaliativas. A forma como foi estruturado o Curso na UEMA possibilitou uma ampla discussão sobre os conteúdos que tratam das especificidades do campo. As peculiaridades do Maranhão inseridas na estrutura curricular do curso complementaram os ensinamentos elencados na proposta curricular das escolas da zona urbana e rural, pois o propósito do curso foi o de amplificar o debate sobre os conhecimentos que não são priorizados no cotidiano do aluno do campo. O contato com a pesquisa levou o aluno a investigar os problemas que estavam interferindo nos segmentos que compõem o espaço campesino, considerando que somente por meio da investigação de um problema é que se pode conhecer e ter familiaridade com questões específicas da área de estudo. Santos (2004, p.18) afirma que “tudo está sujeito à lei do movimento e da renovação, inclusive as ciências. O novo não se inventa, se descobre”. A Coordenação do Curso na UEMA deu ênfase às atividades de pesquisa. O TCC foi um desafio para os alunos, que são professores das redes públicas de ensino maranhense, e para os orientadores, que fizeram o acompanhamento à pesquisa em todas as suas etapas, mediante encontros presencias e interações virtuais no AVA. Após a escolha do objeto de estudo, a delimitação do tema e a elaboração dos instrumentos de coleta de UemaNet • Revista PoloUm | 13


Referência dados, os cursistas partiram para aplicação da pesquisa de campo em escolas, comunidades e órgãos públicos, entre outros. Conforme Bachelard (1996), o conhecimento científico é produzido a partir da elaboração de questões. A pesquisa possibilita a investigação de problemas, conflitos e as desigualdades existentes na sociedade e entre os sujeitos sociais. Para tanto, construir um objeto científico é, antes de mais e, sobretudo, romper com o senso comum, quer dizer, com representações partilhadas por todos, quer se trate dos simples lugares-comuns da existência vulgar, quer se trate das representações oficiais, frequentemente inscritas nas instituições. Logo, estas representações estão ao mesmo tempo na objetividade das organizações sociais e na mentalidade dos sujeitos. O pré-construído está em toda parte[...]. (BOURDIEU, 2005, p.34). Nesse contexto, acompanhar as pesquisas vivenciadas pelos cursistas no Curso de Especialização em Educação do Campo, na modalidade a distância possibilitou um maior contato com os problemas que estão enraizados no espaço que constitui o campo. CONSIDERAÇÕES FINAIS Este estudo buscou apresentar a experiência do Curso de Especialização em Educação do Campo a distância, na UEMA, apontar as possibilidades educacionais e profissionais oferecidas pela modalidade a distância e apresentar a estrutura da organização e funcionamento do curso. Diante dessa vivência, percebemos que no que diz respeito ao ensinar/ aprender, alunos e professores tiveram ampla participação, minimizando toda distância “do campo”. O AVA possibilitou a mediação dos professores que, por meio do diálogo constante, reduziu a distância geográfica. Houve também a tentativa de exercitar a avaliação formativa, ou seja, ao longo do processo no Ambiente Virtual e presencialmente. Em relação às ferramentas de comunicação da Internet que potencializam a interação/interatividade, destaca-se o uso do Fórum de Discussão, onde aconteceu um intenso diálogo/debate entre alunos/ professores.

14 | UemaNet • Revista PoloUm

O acompanhamento das pesquisas vivenciadas pelos cursistas possibilitou compreender muitos problemas que interferiram nos diferentes segmentos que compõe o espaço campesino, especialmente no que concerne ao contexto educacional do campo. Entre eles, pode-se situar: a carência de propostas curriculares que discutam os conteúdos inseridos no ambiente campesino e a necessidade de fortaleceras políticas públicas que tratam das especificidades do campo. No decorrer do curso foram enfrentados muitos desafios, entre eles destacaram-se as deficiências no manuseio das ferramentas disponíveis para esta modalidade de ensino e, em alguns casos, as distâncias geográficas. Os polos em estudo se encontravam com boa estrutura física e possuíam equipamentos que auxiliaram no processo de ensino/aprendizagem. No entanto, muitos cursistas ainda apresentaram dificuldades de manuseio dos equipamentos, o que interfere na qualidade do processo educativo. É importante destacar que a EaD, para funcionar com qualidade, depende da disponibilidade de ferramentas que atendam às necessidades do alunado, considerando que as principais atividades propostas pelo curso são orientadas e desenvolvidas no Ambiente Virtual de Aprendizagem. Dessa forma, conclui-se que a UEMA, instituição dedicada ao ensino a distância, considerou todos os obstáculos e buscou alternativas que auxiliaram aos cursistas campesinos melhorar seu desempenho no manuseio das ferramentas educacionais disponibilizadas para o ensino a distância, possibilitando que a EaD chegasse ao campo.

Referências BACHELARD, Gaston. A formação do espírito científico. Tradução de Estela dos Santos Abreu. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996. BELLONI, Maria Luiza. Educação à distância. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2003.


Referência BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005. BRASIL. Lei Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9.394 de 20 dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF, 1996.

FERNANDES, Bernardo Mançano. Primeira Conferência Nacional “Por uma Educação do Campo” – Texto Preparatório. UNESP. Petrópolis, 2004. MORAN, J. M.; MASETTO, M. e BEHRENS, M. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica. 12. ed. Campinas: Papirus, 2006, p.12-17.

____. Decreto nº 5.622, de 19/12/2005. Regulamenta o art. 80 e 87 da Lei nº 9.394, de 20/12/1996.

SANTOS, Milton. Por uma Geografia Nova. 6 ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004.

_____. Lei 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Plano Nacional de Educação. Brasília, Plano Editora, 2001.

SERRA, Ilka Marcia Ribeiro de Souza; PEREIRA, Marina Santos; COELHO, Adriana Araújo. ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO DO CAMPO: análise da sua implantação na Universidade Estadual do Maranhão/UEMA. In: _____. Anais do I Encontro de Estudos e Pesquisas sobre Questão Agrária e Educação do Campo no Maranhão. São Luís, UFMA, 2010.

_____. Resolução CNE/CEB nº 01, de 03 de abril de 2002. Aprova as Diretrizes Operacionais para Educação Básica nas Escolas do Campo. CUNHA, Maria Isabel da. Formação docente e inovação: epistemologias e pedagogias em questão. In: ____. Trajetórias e processos de ensinar e aprender: didática e formação de professores. XIV ENDIPE Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008.

Doutora em Fitopatologia, professora e pesquisadora da Universidade Estadual do Maranhão, e, Coordenadora do Núcleo de Tecnologias para Educação/ UemaNet/UEMA – ilka.tt@gmail.com

1

Mestre em Ciências da Educação, Especialista em Metodologia do Ensino Superior e Coordenadora Adjunta dos Cursos Técnicos da Rede – e-Tec Brasil na Universidade Estadual do Maranhão/UEMA –eliza.uemanet@gmail.com

Fonte: Livro Educação do Campo: Especialização Lato Sensu

2

UemaNet • Revista PoloUm | 15


Entrevista

A

educação a distância já está consolidada em todo o Brasil, e no Estado do Maranhão não é diferente. O Estado possui inúmeras instituições que trabalham a educação utilizando essa modalidade de ensino. O professor da modalidade a distância também vê seu papel sofrendo transformação neste novo século, onde ministra aulas para ninguém menos que os nativos digitais, jovens que não conhecem o mundo sem a tecnologia e a internet. Assim, resolvemos consultar os gestores das principais instituições de ensino do Maranhão para saber quais são as orientações passadas e qual o suporte que estão oferecendo a esse profissional diante de tantas transformações.

Apresentando os gestores Participam deste bate-bola a Diretora de Educação a Distância do Instituto Federal do Maranhão - IFMA, Professora Simone Costa Andrade dos Santos; a Coordenadora de Educação a Distância da Universidade Ceuma - UniCeuma, Professora Cristiane Florinda Monteiro de Oliveira; e a Coordenadora Geral do Núcleo de Tecnologias para Educação da Universidade Estadual do Maranhão - UEMA, Professora Ilka Márcia Serra.

Foto - Soymar Gomes

Nesse bate-bola, convidamos as quatro mais importantes instituições de ensino superior que adotam a modalidade, das quais três nos responderam, fazendo um raio-X da relação: educação a distância x professores no século XXI no Estado do Maranhão.

Confira a entrevista:

Qual o maior desafio para o professor no século XXI no âmbito da educação a distância? Simone - A educação a distância demanda novos saberes e posturas diferentes das empregadas no ensino presencial. Além do uso das tecnologias da informação (TICs) e dos conteúdos das áreas disciplinares, os professores precisam desenvolver uma compreensão ampla e adotar uma postura crítico-reflexiva acerca dos efeitos das TICs no processo de ensino e de aprendizagem. Cristiane - A ampliação das funções do professor é o maior desafio, atualmente, a necessidade de estes abandonarem o discurso de que é o único fornecedor de conhecimento para possibilitar a formação de indivíduos mais autônomos, competentes para gerenciar sua aprendizagem e construir conhecimentos

16 | UemaNet • Revista PoloUm

EaD UNICEUMA - Cristiane Monteiro


Entrevista ao longo da vida. O docente agora é mediador do processo de ensino e aprendizagem. Ilka - O professor abre os caminhos necessários para chegar à informação isso é de extrema importância na educação a distância, porque essa modalidade de ensino, com o uso das novas tecnologias, induz, naturalmente, o aluno a ser pesquisador na rede de conhecimentos, a ir sempre além. Assim, tanto o professor quanto o aluno são instigados constantemente a realizar troca de informações.

Como essa mudança afeta o aluno que usa a modalidade a distância? Cristiane - O aluno tem que assumir um compromisso consigo, como sujeito de sua própria educação, tomando a direção de seus estudos: o que estudar, o tempo que reservará para o seu estudo. Dessa forma, com metas estabelecidas realiza ajustes conforme seu progresso. Ilka - O aluno fica mais próximo do professor e dos colegas, pois o aprendizado é colaborativo, um co-aprendizado, necessitando da interação com outras pessoas, com os pares, com outras circunstâncias e o mundo que o cerca. Simone - O aluno acaba por desenvolver características sem as quais dificilmente logrará êxito na aquisição de conhecimentos: autonomia e disciplina são essenciais para organizar o tempo e o espaço para os estudos e atividades propostas.

o fascículo, preparatório para gravação de videoaulas, entre outros. Nossos alunos de hoje são nativos digitais e por conta disso o professor precisa reinventar a forma de ensinar, então a universidade promove esse encontro entre professores e novas técnicas e tecnologias. Simone - No Instituto Federal do Maranhão, a preocupação com os processos educativos requereu formas específicas de organização e atuação dos sujeitos. A Instituição dedica-se à formação de professores, tutores e coordenadores, preparando-os para todas as etapas do processo pedagógico. Cristiane - Ao aderir à educação a distância, a Universidade Ceuma vem gradativamente se organizando para mudanças reais no processo de ensino e aprendizagem, de modo que não realize apenas a transposição de cursos presenciais com metodologias tradicionais em ambientes virtuais. A educação a distância requer as melhores metodologias do presencial e propõe novos desafios teórico-metodológicos. Momentos presenciais e a distância se integram, um complementando o outro.

As iniciativas e o investimento nas áreas de produção científica, pesquisa e extensão ainda são muito tímidas na modalidade de educação a distância no país. Como a instituição incentiva seus profissionais nesse âmbito?

O contexto midiatizado deste século impõe ao profissional trabalhar com três vetores que se cruzam, são eles: tempo, espaço e velocidade. Vocês se preocupam em orientar o professor a reinventar a prática educativa pensando nesse eixo?

Simone - O IFMA, recentemente, cadastrou um grupo de pesquisa junto a Capes com o objetivo de fomentar estudos e pesquisas na área de educação a distância. O grupo se propõe a realizar reuniões semanais e a pauta das reuniões gira em torno de buscas de soluções para dificuldades encontradas no âmbito institucional em relação à formação pedagógica e tecnológica de tutores e professores, produção e seleção de material didático e processos de gestão em ead.

Ilka - A Universidade Estadual do Maranhão tem um olhar especial e diferenciado sobre o professor para adaptá-lo a este novo tripé, com um setor específico para isso, o de Design Educacional, que auxilia o professor a usar essas novas tecnologias. Promove cursos de como elaborar

Cristiane - No UniCeuma, o incentivo ocorre principalmente como apoio a publicação de artigos científicos e tecnológicos, apoio a participação em eventos acadêmicos, científicos e tecnológicos e cursos de extensão no exterior, além do apoio às publicações. UemaNet • Revista PoloUm | 17


Entrevista Outra forma de incentivo disponibilizada pela universidade é a alocação de carga horária do professor para pesquisas voltadas para a modalidade de educação a distância. Ilka - A educação a distância é a modalidade de ensino mais inclusiva que temos, porém ainda caminha timidamente no que concerne a área de pesquisa, mas a UEMA tem investido e incentivado seus profissionais para que as desenvolvam. Os resultados começam a aparecer: em média, quatro artigos são publicados por evento de educação a distância no Brasil e inclusive no exterior. Além do investimento em alguns mestrados, como é o caso do Mestrado em Informática, onde três alunos desenvolvem pesquisa em formas midiáticas de educação a distância para os cursos oferecidos pelo núcleo.

especificidades da modalidade, e acolher as sugestões. Ilka - Na UEMA, além da pesquisa de formas midiáticas de educação desenvolvida pelos alunos de mestrado em informática para o núcleo, há um projeto interdisciplinar entre os setores de Tecnologia da Informação e o Design Educacional, chamado de Repositório, que consiste em disponibilizar todos os fascículos produzidos pelo Núcleo de Tecnologias para Educação para todas as universidades do Brasil; uma outra pesquisa ainda em fase de início é o projeto de gameficação, que visa facilitar o ensino e o aprendizado do aluno que estuda a distância.

Foto - Maria Gabryela Santos

Quais pesquisas em educação a distância estão acontecendo na instituição? Cristiane - No UniCeuma, destaco algumas pesquisas, como as da professora Ivone Ascar Sauaia Guimarães, Mestre em Educação na área de Educação à Distância, sobre inclusão digital e social como pressuposto para a educação à distância, contribuição cognitiva da robótica educacional como ferramenta interdisciplinar no contexto do ensino superior; análise da usabilidade do ambiente virtual de aprendizagem e o perfil dos docentes da educação a distância. Em 2014 estamos pesquisando sobre moocs, ambientes pessoais de aprendizagem e objetos de aprendizagem, para publicações futuras. Existe também um grupo de pesquisa formado por professores com a finalidade de estudar e desenvolver Objetos de Aprendizagem - OA (recursos digitais que podem ser reutilizados para suporte ao ensino aprendizagem) para a educação superior presencial e a distância. Outra pesquisa, realizada de modo contínuo pela Coordenação de Educação a Distância, busca conhecer, na percepção dos alunos, o efeito de todo o programa de educação a distância, a partir das

18 | UemaNet • Revista PoloUm

EaD IFMA - Simone Costa


Entrevista Outras pesquisas estão sendo desenvolvidas mais direcionadas às qualidades dos cursos oferecidos pela instituição sobre os fatores e como evitar a evasão dentro da modalidade de ensino, modelos de design educacional de forma que estes modelos se adequem a cada curso de maneira a otimizar o aprendizado, respeitando as particularidades de cada atividade. Lançamos o nosso primeiro Mooc, na área de Administração, sobre Negociação e que poderá ser cursado por qualquer pessoa. A ideia é incentivar todos os professores que estejam envolvidos com educação a distância, mostrar e aplicar os frutos dessas pesquisas para engrandecer a educação no Maranhão. Simone - No IFMA, no âmbito da UAB/IFMA um projeto de pesquisa em desenvolvimento que busca investigar as possibilidades e os desafios nas práticas pedagógicas no curso de Licenciatura em Química com vistas a apresentar propostas metodologias que elevem a qualidade no processo de ensino e aprendizagem.

O projeto se propõe a caracterizar o processo de implantação do Curso de Licenciatura em Química no âmbito do Sistema UAB no IFMA, caracterizar o perfil dos docentes e alunos relacionando suas experiências, interesses, dificuldades e habilidades no que concerne à modalidade e ao curso, avaliar a adequação do uso das TICs ao processo pedagógico, relacionar experiências exitosas e/ou ineficientes nas práticas pedagógicas, analisar os procedimentos de seleção, elaboração, e uso de recursos e materiais didáticos (objetos virtuais, laboratórios virtuais, simuladores, textos digitais e impressos, slides, entre outros), avaliar a necessidade e importância da formação continuada para atuação dos docentes e cursistas na educação a distância, relacionar aspectos relevantes a serem abordados no processo de formação em EaD, sistematizar procedimentos de uso e aplicações das TICs, considerando o contexto específico do Curso de Licenciatura em Química, na modalidade a distância.

EaD UEMA - Ilka Márcia

UemaNet • Revista PoloUm | 19


Fonte: www.escolagirassolblog.wordpress.com

Cenรกrio

20 | UemaNet โ€ข Revista PoloUm


Cenário

Tablets: prós e contras O uso dos tablets em sala de aula é um sucesso. Mas quais são realmente os prós e contras em relação a esse uso? Confira como o dispositivo móvel está mudando o ensino superior e levantando, também, muitas contradições.

UemaNet • Revista PoloUm | 21


Cenário

D

urante séculos, em todos os recantos do planeta, aquela velha hierarquia entre professores e alunos se manteve intocável. Eis que houve grandes mudanças em meados da segunda década do século XXI, ou seja, o que era sólido vem, desde lá, tomando outras formas. Pesquisadores já dizem que não demorará muito para que a aprendizagem se torne, como um todo, uma via de mão dupla. Curiosamente, os dispositivos móveis (tablets, ipads e smartphones), considerados ainda inimigos de alguns professores – por seu poder dispersivo – estão entre as ferramentas que têm papel fundamental nesse novo cenário. Diante dessas mudanças imagine a cena: escola sem quadro-negro; alunos que não copiam as matérias à mão, não fazem provas impressas, nem precisam carregar livros e cadernos pesados; todo o conteúdo é disponibilizado a eles via Internet, onde estes têm acesso a mapas interativos de diferentes épocas e respondem a questionários virtuais com pontuação instantânea. Já imaginou? Não? Mas já é realidade em várias escolas norte-americanas, onde todo o material necessário para a aula está no famoso tablet. Nos últimos anos, o tablet está ganhando cada vez mais espaço em vários países, entre eles o Brasil. O próprio Ministério da Educação (MEC) iniciou investindo cerca de 150 milhões na compra desse dispositivo móvel, que foram entregues para professores do ensino médio da rede pública. E as iniciativas em relação ao uso desta tecnologia são várias, tanto da parte pública quanto privada. É fato que a presença dos tablets nos processos de aprendizagem tem subsidiado cada vez mais experiências e projetos educacionais. E está no meio de uma discussão: o uso dos tablets tem seus prós e contras, quanto a isso não há dúvida. Vários estudiosos, professores e acadêmicos defendem ambos os lados dessa discussão, mesmo com todas as vantagens que o uso do dispositivo móvel proporciona há quem tenha muitas preocupações. E uma dessas pessoas que tem essa constante preocupação é a professora Silvana Vargas. Em entrevista

22 | UemaNet • Revista PoloUm

ao site www.revistadehistoria.com.br, ela diz que há um grande risco no uso dessa tecnologia, que é o afastamento dos professores da elaboração de conteúdos. “Esses aparelhos oferecem possibilidade de trabalho interessante na pesquisa dirigida, em atividades com jogos digitais e com imagens em movimento. Mas eles trazem materiais prontos e isso pode dissociar os professores da produção didática. Sugestões e indicações são sempre bem vindas, mas em um contexto de apropriação coletiva e de transformação”, explica ela. Opinião essa que não é compartilhada pela coordenadora do curso de Jornalismo da UFRJ e criadora do curso Publishing Management na Fundação Getulio Vargas, Cristiane Costa. No mesmo site ela conta que não é difícil produzir conteúdos e estes se tornam melhores ainda se enriquecidos com mídias. “Teremos cada vez mais possibilidades, como os livros digitais chamados enhanced books. Eles têm links, vídeos interativos, permitem uma experiência completamente diferente e são simples de fazer. Não vai existir conteúdo sem tablets, nem tablets sem conteúdo. Alguém tem que dar o primeiro passo. Começam a surgir iniciativas voltadas para a educação no mercado nacional de e-books e já existem muitos livros em domínio público”, defende ela, que ainda completa: “Se o e-book inclui conteúdos fundamentais, várias atividades interativas e permite que alunos e professores se conectem e compartilhem dados, não é possível que ele se torne essencial para o aprendizado em sala? Nós vamos abraçar ou lutar contra esse cenário?”. Para o coordenador de Tecnologia e Informação (TI) do Núcleo de Tecnologias para Educação e professor da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Dr. Luís Carlos Fonseca, “não é justo, em um mundo em rede, ter que aprender com as metodologias de sempre, mas o uso de dispositivos computacionais em sala de aula, quer sejam notebooks, tablets ou smartphones, só é vantajoso se o seu uso estiver correlacionado ao assunto da disciplina. Caso contrário, o aluno corre um grande risco de se dispersar do conteúdo ministrado”.


Cenário Cenário A verdade é que a grande inquietação, o desafio atual não diz respeito apenas à tecnologia em si, mas sim à aceitação e ao envolvimento das instituições de ensino. Assim como à metodologia utilizada em sala de aula. “Existem várias maneiras de aproveitar os recursos desse dispositivo móvel durante as aulas, principalmente se o professor utilizar em suas apresentações recursos multimídia disponíveis na rede, como vídeos, imagens e muito mais”, destaca Luís Carlos.

UemaNet • Revista PoloUm | 23


Cenário Mas, se por um lado existem problemáticas, por outro lado, o universo que tanto alunos quanto professores tem não se compara a nada. A mobilidade conquista logo a primeira vista, porque se pode ensinar e aprender em qualquer lugar. É mais uma opção de recurso didático que, se bem utilizada, contribuirá bastante para a educação. É como pronuncia Eric Kunnem, Diretor de Ensino a Distância e Tecnologias Educacionais em Grand Rapids Community College, em Michigan, “apesar de seu potencial a computação móvel não é panaceia, ou seja, não resolverá todos os problemas. O sucesso depende de cada membro do corpo docente, usando o seu tempo e o esforço necessário para integrar efetivamente a tecnologia”. Além do aparelho, a escola deve pensar em outros recursos exigidos para a utilização dos tablets. Por exemplo, como as baterias serão recarregadas? Que tipo de sincronização será utilizada? O uso da Internet será permitido? A rede da escola possui capacidade para suportar essa demanda? Todos esses questionamentos devem fazer parte da estratégia e decisão da escola sobre o uso de tablets em sala de aula. “Uma coisa é entregar tablets, lousas eletrônicas, notebooks, apenas aos professores e outra é distribuir tablets também aos alunos. Uma coisa é capacitá-los com uma nova metodologia de ensino e didática específica, e outra é deixá-los à improvisação. Mesmo assim, será preciso criar uma nova cultura escolar que inclua a práxis digital. Isso implica romper com algumas influências anacrônicas que ainda persistem na formação dos docentes”, finaliza o professor da Uema. Uma infinidade de possibilidades surge quando os dispositivos móveis em questão deixam de ser vistos como vilões e passam a ser aceitos como novas ferramentas para a aprendizagem.

Fonte: www.futurovipcabofrio.g12.br

24 | UemaNet • Revista PoloUm

Como administrar tablets em sala de aula É, uma sala de aula cheia de tablets e outros aplicativos pode se transformar em uma grande confusão, correto? Não quer que isso aconteça? Veja, aqui, algumas dicas: 1. Armazenamento Use gabinetes e armários seguros para guardar os aparelhos. Eles devem ser móveis, para que a sala tenha eficiência ao buscar os tablets e eles possam ser transportados para outros locais. Se for possível, a escola pode disponibilizar dois armários para cada sala, assim os alunos não perdem tempo quando forem buscar os aparelhos. 2. Segurança Além de um armazenamento seguro, a escola deve expressar, claramente, quais são as normas e expectativas em relação ao uso dos dispositivos. Os alunos devem saber como usar os aparelhos, em quais situações e com que tipo de restrições e regras. 3. Preparação Não basta ter os aparelhos, é necessário saber utilizá-los. Para isso, deve haver a instrução de professores e alunos quanto ao uso dos tablets. Dessa forma, o investimento não será desperdiçado, mas sim feito de maneira mais eficiente.


www.cursosabertos.uema.br

UemaNet • Revista PoloUm | 25


Tecnologia

N

ão há como negar a existência e até a prevalência de certo encantamento sobre o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação TICs com a consequente expectativa de ampliação do alcance do ensino superior no Brasil. As possibilidades de aumento do número de vagas e a perspectiva de se fazer a Universidade presente nos mais diversos espaços do território, bem como a indicação de uma possível economia de custos, em função da escala de projetos, seduz a todos que querem ver plenamente realizado o direito à educação. Mas, numa época de tamanho uso dessas tecnologias o que é ser um educador nos dias hoje? A Coordenadora de Escolaridade do Núcleo de Tecnologias para Educação - UemaNet, Isis Maria Monteles explica: “Toda vez que sou questionada sobre a visão que tenho sobre ser educadora, tenho a certeza que o conceito que tenho não mudou de ontem para hoje e, provavelmente, não mudará o futuro. Gosto de explicá-lo por meio de uma frase que Cecília Meirelles usou para definir sua avó (que foi quem a educou), onde ela diz que o corpo era um espelho do universo. E é isso mesmo, educador é aquele que ensina a VER, aquele que aponta, que mostra o caminho, que é o exemplo, isto independe do contexto educacional, seja ele sistemático ou não, em que está inserido”. O fato é que as tecnologias da comunicação no processo de ensino e aprendizagem das atuais gerações têm um papel importante, a começar pelo significado de unir Informação e Comunicação num mesmo contexto. “Sempre que se fala em TICs, temos em um único termo a junção de dois nomes com funções distintas, mas que atendem a um objetivo comum, que é INFORMAÇÃO e COMUNICAÇÃO. Embora pareçam duas coisas distintas, a intenção para elas é a mesma, e, por isso, elas são empregadas sempre juntas. A intenção é que ao utilizar determinada tecnologia aplicada à educação, ao mesmo tempo em que comunica, também informa. Contudo, essa união traz uma reflexão para dentro dos ambientes escolares, que é a necessidade de adequar ao contexto da informação ferramentas que foram inicialmente pensadas para a comunicação, dando aspecto educacional a algo que geralmente é utilizado de maneira assistemática. O que isso traz de responsabilidade para Instituições educacionais? A responsabilidade de se planejar e adequar o uso dessas TICs ao objetivo que se espera para o processo em que

26 | UemaNet • Revista PoloUm

A importânc na edu As novas tecnologias (TICs) têm uma grande todas as áreas do cotidiano, incluindo a


Tecnologia

cia das TICs ucação importância na vida das pessoas, invadindo Educação, a área profissional e do lazer.

ela foi selecionada e escolhida como instrumento de aprendizagem”, explica Isis. Mas, afinal, os efeitos do uso dessas ferramentas, diante de tantas polêmicas que as envolvem, são positivos ou negativos para o desempenho dos alunos? Essa é uma dúvida de muitos. A verdade é que não tem como fugir do uso de tecnologias na educação, o processo de conhecer, de se apropriar do conhecimento mudou, o aluno já não é mais o mesmo, ele está cada vez mais exposto ao saber e a apropria-se deste através das mais diversas mídias. “O professor/educador deve estar preparado para isso, ele não pode estar aquém do aluno, daquilo que o aluno espera. E o problema está exatamente aí: a falta de preparo do professor. Por isso, é necessário buscar estratégias para que este professor seja atualizado e, consequentemente, tenha toda a condição de utilizá-las de modo contextualizado. Não consigo pensar em nenhum aspecto negativo para o uso de TICs na educação”, ressalta a educadora. Claro que a motivação dos alunos em sala de aula sempre foi um desafio para educadores e instituições educacionais em todas as instâncias. Um aluno motivado procura novos conhecimentos e oportunidades, evidenciando envolvimento com o processo de aprendizagem e, consequentemente, participa nas tarefas com entusiasmo e revela disposição para novos desafios. “E essa busca pelo conhecimento com o uso de tecnologias na educação faz toda a diferença para aprendizagem, pois elas são um meio (e que meio prazeroso) de buscar conhecimento, de encontrar caminhos, buscar e construir. A diferença é que na maioria das vezes, boa parte dos alunos anseia por seu uso”, finaliza Isis Monteles. As tecnologias têm um grande potencial inovador que se tem refletido em todos os aspectos da nossa sociedade: mudaram as formas de aprender e ensinar, as formas de trabalhar e as formas de comunicar e de lazer. A Internet veio possibilitar a interação entre as pessoas e a criação de comunidades virtuais, produção de conteúdos e a partilha de conhecimentos (por meio de sites, blogs) Nos nossos dias temos disponíveis uma série de ferramentas que nos possibilitam a produção e a disponibilização de conteúdos : Slideshare (para a partilha de ficheiros em PowerPoint) , Wikipédia (para partilha de artigos escritos), Youtube (para partilha de vídeos) e o Blogger (para partilha de informação), Skype e Google (para troca de ficheiros e videoconferências). UemaNet • Revista PoloUm | 27


Em Destaque Educação a distância cresce exponencialmente no Brasil

A

té pouco tempo falar em educação a distância era sinônimo de má qualidade na educação. Atualmente, a realidade mudou. Hoje, a EaD chega a lugares inimagináveis e cresceu de modo significativo nos últimos anos, de acordo com o Censo de Educação a Distância 2012/2013, realizado pela ABED – Associação Brasileira de Ensino a Distância. Ainda de acordo com o Censo, a tendência é ampliar ainda mais a sua oferta e procura. Em 2000 eram 1.682 alunos matriculados em graduações na modalidade a distância. Em 2012/2013, esse número ultrapassou a casa dos 5 milhões, entre alunos matriculados em cursos de graduação, pós-graduação, livres ou executivos.

Mas quem são esses que buscam cada vez mais a EaD? Esse grupo de alunos é formado em sua indiscutível maioria por trabalhadores empregados. A preferência se dá por estarem de um lado cursos nitidamente mais baratos se compararmos ao ensino presencial, devido a não utilização de infraestrutura e quadro de funcionários de apoio e segurança. Do outro lado, os alunos economizam com a ausência de desembolso com alimentação fora de casa, transporte e tempo. Além de ajudar na conservação de valores caros aos alunos, pois chegar em casa mais cedo, estudar na poltrona e ter tempo para curtir a família não tem preço.

E não para por aí. Se a educação presencial cresceu 3,1%, a EaD ultrapassou esse número com 12,2%.

O ensino a distância vem apresentando crescimento muito superior ao ensino presencial e essa tendência, ao que tudo indica, vai se manter e ampliar, pois a única certeza é de que veio para ficar, mudando paradigmas do ensino presencial que hoje pode aplicar 20% de seu conteúdo a distância, mas que tende cada vez mais ficar misto e tomar posicionamento semipresencial em um futuro próximo. Basta só esperar um pouquinho para confirmar esta tendência de transformação no cenário nacional.

“Os dados apresentados no Censo demonstram que a EaD brasileira continua crescendo e que, por sua vez, confirma a adoção plena, por parte de nossos cidadãos, dessa modalidade de aprendizagem que nada tem de fácil”, disse o presidente da ABED, Fredric M. Litto.

Quer saber mais informações sobre o cenário da EaD no Brasil? Acesse http://www.abed.org.br/censoead/ censoEAD.BR_2012_pt.pdf.

Se antes a maioria dos que faziam eram pessoas mais velhas, hoje a idade gira em torno de 18 e 30 anos. A faixa etária diminui com o passar dos anos e os preconceitos são atenuados com o decorrer do tempo.

Em 2012, houve aumento de instituições de EaD que responderam ao convite da ABED, mas

Tabela 3.8 - Evolução das matrículas em EaD no período de 2009-2012

observou-se que instituições de grande porte deixaram de responder ao censo. A pesquisa

Número de instituições Número de participantes do Censo matrículas em EaD

registrou o aumento de número de cursos

Ano

autorizados (1.856) e livres (7.520), de disciplinas

2009

128

528.320

de cursos autorizados presenciais (6.500), de

2010

198

2.261.921

matrículas (5.772.466) e conclusões (1.589.374).

2011

181

3.589.373

28 | UemaNet • Revista PoloUm


Em Destaque Teoria e prática

PRÁTICA NA COZINHA ESCOLA DE SÃO JOSÉ DE RIBAMAR-MA

Alunos dos cursos técnicos da Universidade Estadual do Maranhão, modalidade a distância, articulam teoria à prática

ALIMENTOS

São várias práticas e visitas técnicas, como forma de aprimorar o conhecimento dos estudantes. Além disso, são técnicas necessárias para colocarem sua futura profissão em prática. Para aqueles que já estão no mercado de trabalho essa é uma forma de agregar conhecimentos. Visita de alunos do curso técnico em Alimentos, Polo Parque Jair – São José de Ribamar à Fábrica de Iogurte São João (Paço do Lumiar/MA). O objetivo da visita técnica foi aprimorar o conhecimento e compreensão in loco das teorias estudadas, bem como obtenção de nota nas práticas das disciplinas Programas de Boas Práticas de Fabricação e Higiene na Indústria de Alimentos.

Os alunos também visitaram a Fábrica Sabor e Aroma Produtos de Panificação, onde aprenderam desde o início da fabricação do pão até a embalagem do mesmo.

MEIO AMBIENTE

Alunos do curso técnico em Meio Ambiente/Polo São Luís participaram de atividades práticas em áreas da Lagoa da Jansen e Praia Ponta D’Areia. A atividade teve como objetivo perceber o uso do Marketing Ambiental nos locais visitados, a partir de entrevistas feitas com profissionais que trabalham nas regiões. Os pescadores Filomeno Paulo Pereira e José Ribeiro de Carvalho foram os personagens das entrevistas, focando, dentre outros aspectos, os impactos antrópicos e naturais sofridos pelos ambientes de onde tiram seu sustento. UemaNet • Revista PoloUm | 29


Em Destaque INFORMÁTICA

Alunos do curso técnico em Informática, turmas A e B do Polo Caxias, participaram de prática da disciplina Análise de Sistemas, sob a direção da tutora Rosemary Sousa de Araújo. Aprenderam sobre teoria geral de sistemas, importância da modelagem como ferramenta de representação de banco de dados, relacionamentos, atores, modelagem de classes, o uso do ArgoUML e modelagem com a ferramenta MySQL Workbench.

GUIA DE TURISMO

Alunos do curso técnico em Guia de Turismo visitaram o Sítio Piranhenga. O passeio foi uma aula prática sob a orientação do profissional de guia de turismo, na condução dos grupos em trilhas, como se comportar, a história do lugar, as vestimentas necessárias, a necessidade ou não de orientador ambiental, que domine o local, dentre outras atividades pertinentes a preparação desse profissional. A aula foi conduzida pela professora da disciplina Marilene Sabino Bezerra e pela condutora do sítio Fátima Chaves Aragão.

30 | UemaNet • Revista PoloUm


Flexibilidade

Educação flexível: um novo conceito de ensino Fonte: www.imagens.usp.br

A união perfeita da conveniência da educação a distância à eficácia das aulas presenciais

E

ssa é a proposta de um novo conceito de ensino que surge no Brasil: a educação flexível. Apesar de ser algo novo, já utilizada em algumas instituições e tem tido bons resultados, sendo considerado um dos caminhos para a aprendizagem do futuro.

do ensino a distância, com o intuito de atender às necessidades e expectativas do perfil atual dos estudantes. Aliás, a vida moderna, marcada pela diminuição dos espaços geográficos, agora permeados pela tecnologia da informação, torna as relações mais próximas”.

Mas o que é educação flexível? Segundo o professor doutor Gilson Mendonça, da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), que trabalha com cursos presenciais e a distância: “Eu entendo a educação flexível como a modalidade de educação que alia as práticas do ensino presencial aos recursos e tecnologias inovadoras

Nessa modalidade, o professor passa a ter a sua disposição ferramentas, tais como: videoconferências, Ambiente Virtual de Aprendizagem, Wiki, acesso a documentários e filmes disponíveis na rede que viabilizam um aprendizado mais dinâmico.

UemaNet • Revista PoloUm | 31


Flexibilidade

Fonte: www.blog.aedu.com.br

O aluno, por sua vez, tem a seu favor, a flexibilidade de tempo (quando iniciar e terminar um curso; ritmo de estudo, execução de tarefas; contato com o professor e com outros alunos); de conteúdo (escolher assuntos e temas de seu interesse, assim como recursos de aprendizagem) e de local. Essa é a chance que o aluno tem de usar o melhor das duas tecnologias de ensino – EaD e presencial –, preparando-se, assim, com a rapidez que o mercado exige. Cerca de 10% a 20% das aulas são via Internet, onde são trabalhados exercícios, textos, links, vídeos, fóruns de discussão e muito mais. Mas, por mais que seja um novo conceito de educação que surge no país e que atenda ao novo perfil do estudante moderno, não adianta um novo perfil de aluno sem um novo perfil de professor. “A verdade é que a educação flexível significa também necessárias mudanças nos processos de ensino e aprendizagem, uma vez que novos conceitos devem ser incorporados aos processos atuais de forma que possam atender as diferentes necessidades dos   alunos. Mas para isso é imprescindível também mudanças no comportamento dos professores”, destaca o professor. Mas, o que realmente diferencia esse modelo educacional do ensino presencial e a distância? “Exatamente o afastamento do monótono e ultrapassado ‘cuspe e giz’, com o uso em conjunto das práticas e ferramentas de ambas as modalidades”, explica o professor Gilson.

32 | UemaNet • Revista PoloUm

É fato dizer que as vantagens são muitas. Vantagens que vão desde a flexibilidade de horário e lugar a utilização de mídias como recurso de aprendizagem, ampliando o conhecimento. O aluno que via o mundo pelos olhos do professor não existe mais. “Há pouco tempo, não se pensava em outra forma de ensino que não fosse o presencial. Daí surgiu a modalidade a distância como a solução para uma demanda de alunos excluídos devido a empecilhos como tempo e deslocamento. Diante das mazelas de ambas as modalidades e dificuldades em atender às novas necessidades de uma geração que já nasce dominando muitas ferramentas tecnológicas, surge a educação flexível. No entanto, é importante que se leve em consideração o comprometimento do estudante. Sem isso, pouco ou nada se conseguirá”, finaliza o doutor. Método requer organização Os adeptos a esse método não devem esquecerse de um ponto importante para quem decide investir nesse tipo de formação: a preocupação com a organização, pois mesmo parte das aulas sendo via internet e sem o contato direto com o professor, o aluno tem um cronograma de estudos que deve ser cumprido à risca para que o curso seja realmente proveitoso. Além disso, é fundamental que os professores alinhem as metodologias das aulas presenciais e a distância, mantendo um padrão no material didático e na forma de avaliação.


Profissão

A difícil tarefa de lecionar no século XXI Eles nasceram e foram educados nos moldes do século passado. Hoje, têm a árdua missão de reestruturar o processo pedagógico e os procedimentos didáticos, para atrair uma geração que nasceu com o smartphone no berço: estamos na era da reinvenção da educação e dos professores. Já os professores são de uma geração anterior, a chamada Geração X, composta pelas pessoas nascidas após a década de 60 até os anos iniciais dos anos 80. Para os jovens crescidos pós Segunda Guerra Mundial o engajamento político foi latente. Menos familiarizados com a tecnologia, assistiram a evolução desta, principalmente no ambiente das telecomunicações: fac smile, o primeiro computador que ocupava uma sala inteira, a evolução das câmeras fotográficas, incluindo a polaroide, que revelava a foto instantaneamente.

Prof. Jackson Ronie

O

s alunos que estão nas salas de aulas nasceram envolvidos pela tecnologia. Estamos falando dos jovens da Geração Z, nascidos no final da década de 90 até o ano 2010. O grande lance dessa turma é “zapear”, daí o “z”, ou seja, mudam constantemente de canal na TV, e enquanto assistem a TV checam o e-mail, ouvem música, atendem ao celular e compartilham uma piada para os seus grupos no whatsapp. Seu mundo é praticamente todo virtual, não sabem o que é uma vida sem notebooks, smartphones, tablets, mp3 e muito menos sem Internet. A globalização para eles é algo que sempre existiu e talvez por isso desconheçam as barreiras geográficas físicas. E assim se apossam rapidamente das informações que nela trafegam, o que lhes gera na maioria das vezes um problema: o de identificar quais de fato são as informações de qualidade. E a melhor característica dessa geração é a sua fácil adaptabilidade ao novo.

Viveram sob forte inflação econômica e viram o inglês virar diferencial no mercado de trabalho, que, aliado à estabilidade, era sinônimo de sucesso. E para alcançar o emprego dos sonhos a trajetória iniciava na escola. Aprendiam com métodos e procedimentos pedagógicos que orientavam decorar toda a matéria, não eram estimulados a raciocinar, o aprendizado era reforçado pela aplicação de exercícios em sequências intermináveis de repetição e os conteúdos transmitidos como verdades absolutas. E é nesse ponto da história que nos defrontamos com a dificuldade de lecionar no século XXI. Se por um lado temos alunos versáteis, sedentos por novidades, por outro lado temos professores amarrados a metodologias ultrapassadas, pouco motivacionais e ainda em busca de novos procedimentos pedagógicos que envolvam esses alunos da nova geração, habituados à outra realidade. A nova educação na era da sociedade do conhecimento Quando falamos em nova educação de imediato imaginamos a inserção da tecnologia no processo. Mas engana-se quem pensa que a nova educação se resume a isso. A tecnologia é algo natural para estes jovens, não faz sentido usá-la sem um claro propósito. UemaNet • Revista PoloUm | 33


Profissão Os usos das ferramentas tecnológicas influenciaram muito nas formas do ensino-aprendizado nos dias atuais. Mas a nova educação está muito mais ligada à capacidade criativa do professor. O conhecimento está por toda parte, pulverizado, disperso nas redes sociais, nos sites de comunicação, blogs, Internet e no mundo. E, por isso, o papel do professor cresce em importância dentro da sala de aula, pois é ele quem vai auxiliar o aluno a filtrar as informações, ajudá-lo na interpretação e estimulá-lo a aplicar, posteriormente, esse conhecimento.

um dos seus ex-alunos, hoje, é mestrando na Unisinos/ RS, onde desenvolve a dissertação sobre uma temática que iniciou dentro da pesquisa do grupo. “As pessoas que fazem e conduzem a educação precisam se permitir e ver a igualdade em outras pessoas. Essas práticas educacionais precisam ser libertadoras, desconstrucionistas e éticas. Mas, ao mesmo tempo que isso é possível pela educação, pode, também, ser travado”, conclui o Professor Jackson Ronie.

Para o Professor Doutor Jackson Ronie Sá da Silva, do Departamento de Química e Biologia da Universidade Estadual do Maranhão, o professor precisa aprender a ouvir, a entender as representações populares. “Ensinar é um processo que vai além das tecnologias que se absorve como esponja. Não é só usar o computador, internet, chats de bate-papo ou redes sociais. É ser criativo, é tornar o assunto interessante para o seu interlocutor, tem que ler muito e ir atrás de coisas novas, criar novas maneiras de passar o conhecimento, é experimentar”, relata o professor. Em suma, o professor ainda é agente fundamental na condução dos alunos ao conhecimento, mas para isso novos procedimentos didáticos precisaram ser inventados ou reestruturados.

Profa. Conceição Aranha

Na educação a distância o uso dessas novas metodologias de ensino precisam ser mais incisivas. Na nova proposta pedagógica, criatividade e Pois, os alunos desta modalidade já têm o uso da inovação são elementos essenciais para alcançar o tecnologia no seu cotidiano. E como alcançá-los se sucesso, aliados a interdisciplinaridade e interatividade fisicamente estão mais dispersos? que o tornam um processo de aprendizagem A professora Conceição de Maria Aranha colaborativa. Fonseca, do curso de Pedagogia EaD, oferecido por O próprio professor Jackson Ronie presenciou meio do Núcleo de Tecnologias para Educação da os resultados positivos dessa abordagem de trabalho. UEMA, conseguiu na prática responder a esta pergunta. Assim que entrou na docência da UEMA montou o seu Sua sala virtual da disciplina Fundamentos e Métodos grupo de pesquisas com o foco da pesquisa em exclusão para o Ensino de História foi a mais acessada entre todas social. Hoje, 17 alunos participam do grupo de estudos, as disciplinas dos 5 cursos de graduação, dos 13 cursos onde são induzidos a questionar, observar, produzir seus técnicos e dos 4 de pós-graduação que estavam em próprios vídeos de aula e compartilhá-los no ambiente atividade em 2012, ambos ofertados pela UEMA, na virtual, por meio do grupo no facebook. modalidade a distância. Foram mais de 1620 acessos em uma única Além disso, conseguiu integrá-los a ponto de disciplina. O resultado foi tão positivo que a professora seis serem bolsistas de programas como o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), e foi destaque no UEMANET, recebendo, por isso, elogios do Ministério da Educação.

34 | UemaNet • Revista PoloUm

O professor usa


Profissão Segundo a Professora Conceição Aranha, a tecnologia veio ajudar bastante, mas só substituir a lousa pelo computador não prende a atenção do aluno, ele precisa estar produzindo para se sentir motivado. Uma das atividades que ela coordenou levava seus alunos a campo. Após trabalharem com a elaboração de planos de aula e postarem no ambiente virtual, a professora decidiu ir além, resolveu aplicar a atividade com cada aluno. “Aplicar o trabalho passado como atividade no ambiente virtual, dentro da sua própria realidade, é uma maneira de reforçar a aprendizagem e contribuir para o desenvolvimento da comunidade”, relata a professora. Assim, nos municípios onde atuava, dividiu a turma em duplas e os fez trabalhar o plano de aula, que consistia em pegar um problema do bairro em que eles cresceram e elencá-los no planejamento. A partir daí, com base no problema apresentado no plano de aula houve a necessidade de ir mais além, então os alunos

A professora não se limitou às atividades presenciais. Alimentava um blog em conjunto com os alunos, além de acompanhá-los de perto, mesmo estando a quilômetros de distância. “Nunca deixei de responder uma única pergunta. Não vou dormir enquanto não der o feedback a todos os alunos que me procuram no ambiente. Sei que dá resultado porque sou procurada por alunos que nem eram meus”, ressalta a professora. Como resultado viu os alunos arregaçarem as mangas e produzirem preciosidades, das quais algumas saíram do papel e estão ajudando a comunidade. Os professores do século XXI, independentemente da sua modalidade de ensino, acabam por ter características em comum: todos têm a capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo, usam a criatividade e inovam constantemente para fazer com que seus pupilos construam seus conhecimentos em bases sólidas. Não há mais barreiras. A tecnologia se difundiu. A comunicação transcendeu as fronteiras. A universidade precisa se abrir e usar isso a seu favor. Nova proposta pedagógica Inovação

Quadro negro

Criatividade

Livro-texto

Interatividade

Professor Conteudista

Não linearidade

Ensino Tradicional

Ensino em rede Novas tecnologias Aprendizagem Colaborativa

a tecnologia tanto no presencial quanto no ensino a distância

transformaram os planos de aula em projetos, como forma de diminuir os impactos desses problemas na sociedade. Para isso, houve encontros presenciais com dinâmicas de grupos em cada um dos três municípios, nos quais ela trabalha: Alto Alegre, Grajaú e Fortaleza dos Nogueiras.

O grupo teve participação em parte da pesquisa para a produção da tese de doutorado do professor Jackson, que foi vencedora de dois prêmios: o de Melhor Tese na Área de Educação do Brasil, no Prêmio Capes de 2013 e, posteriormente, o de Melhor Trabalho na Área de Educação, no 2º Prêmio da Fundação Carlos Chagas, onde foi produzido uma videoaula de 20 minutos que sintetizava e explicava, numa linguagem leve, a tese para alunos do ensino médio.

UemaNet • Revista PoloUm | 35


Pesquisa

Pesquisa em EaD: reflexões sobre teoria e prática Como estão as pesquisas na área de educação a distância? Saiba isso e muito mais nos parágrafos seguintes.

U

m dos pontos principais das pesquisas na área de educação a distância é o desenvolvimento de novas ferramentas para aumentar a interatividade entre professor e aluno separados fisicamente. A Universidade Estadual do Maranhão - UEMA, por meio do seu Núcleo de Tecnologias para Educação - UemaNet, faz parte do conjunto de instituições que tem investido em pesquisa e ações de ensino superior a distância ou mediadas pelo uso de tecnologias. A perspectiva é que este investimento se constitua numa oportunidade de democratização da educação nesse nível de ensino. E essa democratização ocupa-se tanto com o aspecto quantitativo, que se manifesta no número de sujeitos incluídos, quanto com o aspecto qualitativo, que diz respeito ao conjunto de mecanismos de produção/apropriação de conhecimento e de implicação desses sujeitos na sua realidade local, sua história e sua cultura. Atualmente, as pesquisas na área de EaD não são muitas, mas evoluem a cada ano, devido aos vários congressos e revistas científicas voltados para o tema. Eventos como estes: Congresso Brasileiro de Ensino Superior a Distância (ESUD), que neste ano está na sua 11ª edição; Congresso Internacional ABED de Educação a Distância (CIAED), já na sua 20ª edição. Além do Congresso Mundial de Comunicação Iberoamericana e muitos outros que tratam de temas relacionados a modalidade. Além disso, tem revistas como Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, EaD em Foco e tantas outras, que tratam especificamente sobre o tema. Atualmente, entre os principais temas de pesquisa em EaD estão: teorias e sistema da modalidade; gestão, organização e tecnologia; ensino e aprendizagem na EaD.

36 | UemaNet • Revista PoloUm

Para a coordenadora geral do Núcleo de Tecnologias para Educação - UemaNet, Profa. Dra. Ilka Serra, os projetos de pesquisa em Educação a Distância estão gerando bons frutos para a Universidade. “As pessoas, de um modo geral, e também os pesquisadores ainda têm uma certa resistência com o universo online. Aulas a distância, pesquisas apresentadas em congressos via Internet, coordenação de pesquisa em ambientes virtuais ainda não são bem aceitos no cotidiano das IES. Mas, cada vez que aprovamos um artigo relacionado a essa área e participamos de eventos nacionais e internacionais de pesquisa, vamos quebrando barreiras”, comemorou a professora. Uma das principais contribuições da UEMA nesta área está na produção de conhecimento sobre EaD. São teses, dissertações e monografias que visam o descortinamento da concepção da modalidade, por meio da análise das estruturas organizacionais e também dos acontecimentos próprios do cotidiano de experiências educacionais marcadas por essa modalidade. Podemos destacar aqui, algumas produções acadêmicas que vêm tratando direta ou indiretamente da questão como: a tese de doutorado CONFIGURAÇÃO DA GESTÃO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: ENTENDENDO OS RESULTADOS DO ENADE PARA O CURSO PILOTO DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL, de autoria do professor doutor Antonio Roberto Serra, que trata sobre as diversas concepções e fundamentos teóricos acerca das abordagens sobre estrutura organizacional e sistemas de educação a distância, para concepção do que denominou-se configuração da gestão da EaD. No estudo, a pesquisa analisa a relação entre as configurações das gestões dos cursos a distância de Administração, projeto piloto da Universidade Aberta do Brasil e os seus conceitos definidos pelo Exame Nacional de Desempenho de Estudantes, identificandose as teorias e modelos manifestos em seu contexto.


Pesquisa Assim como a do professor doutor João Augusto Ramos e Silva, com o tema A PERMANÊNCIA DE ALUNOS NOS CURSOS PRESENCIAIS E A DISTÂNCIA DE ADMINISTRAÇÃO: CONTRIBUIÇÕES PARA GESTÃO ACADÊMICA, que objetivou identificar as variáveis que influenciam o processo de permanência dos alunos de Administração, comparando resultados das modalidades presencial e a distância, tomando como caso a Universidade Estadual do Maranhão (Uema). Não poderíamos deixar de explorar aqui, também, a dissertação de mestrado REPRESENTAÇÃO SOCIAL DA AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM VIRTUAL DE TUTORES: estudo em um Curso de Pedagogia a distância no Nordeste brasileiro, produzido pela Profa. Maria de Fátima Serra Rios, que abordou a avaliação da aprendizagem como elemento eminentemente comunicativo e processual no ensino e aprendizagem, sendo investigada no contexto da EaD e sob a ótica da Teoria das Representações Sociais, de Serge Moscovici. Com o objetivo de investigar as representações sociais da avaliação da aprendizagem virtual de tutores em curso de graduação a distância, o trabalho apreciou algumas obras de autores nacionais e internacionais sobre o tema e sobre a Teoria. O estudo mostrou os pensamentos, sentimentos e atitudes do grupo acerca da avaliação da aprendizagem virtual, revelou o anseio por uma prática avaliativa efetivamente processual, mais interativa, mais humanizada, fazendo frente à prática ainda marcada pela “pedagogia do exame”. E encerramos aqui essas citações com a dissertação de mestrado Amanda Ferreira Aboud de Andrade, que fez uma ANÁLISE DA EVASÃO NO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO A DISTÂNCIA: PROJETO-PILOTO UAB: UM ENFOQUE SOBRE A GESTÃO.

No quadro a seguir resgatamos os seguintes trabalhos:

Pesquisas em EaD na Uema Glayth Daniela Silva de Souza Tema: O uso das Tecnologias de Informação e Comunicação no Centro Integrado de Atendimento Especializado Maria do Carmo Viana Neiva - CIAEEM, em Timon/ MA. Greysse Thayane Guedes da Silva Tema: O professor frente às mídias: um olhar sobre o professor do futuro. Andresanya Cristine Gomes Freitas Tema: Os impactos das tecnologias na educação e o reflexo na escola. Amanda Aboud Relações entre tutores no curso de Administração Pública da UEMA: formação de uma grande equipe. Carlos Wellington O curso de Mediação em EaD na capacitação de tutores: uma experiência da Universidade Estadual do Maranhão através do Núcleo de Tecnologias para Educação. Tatiana Alves Ferreira A necessidade do estudo do usuário da informação no ensino a distância: um estudo de caso do curso a distância de Licenciatura em Filosofia da UEMA. Maria de Fátima Rios e Adriana Araújo Coelho Pesquisa Acadêmica e Desenvolvimento: uma experiência do curso de Especialização em Educação do Campo na modalidade a distância. Kate Lis, Heloísa Varão e Danielle Fernandes A dimensão acadêmica e científica na função do tutor: uso de ferramentas e trilhas de superação.

UemaNet • Revista PoloUm | 37


Pesquisa Leila Amun Desafios do ensino da Filosofia na UEMA: experiências do ensino de Filosofia na modalidade a distância, Profª.Leila Amun. Graziela Gonçalves, Ilma Pinheiro e Ilka Márcia Serra Educação a Distância: Dificuldades e possibilidades no curso de Especialização em Educação do Campo no Maranhão. João Augusto Ramos e Silva Performance da Inovação em EaD: o caso UemaNet. Maria Eliane Pereira Sousa Santos e Heloisa Cardoso Varão Santos A formação dos educadores do campo e os avanços metodológicos na proposta do PRONERA. Maria de Fátima Serra Rios, Antonio Cloves Silva e Marcos Roberto Furlan Campus virtual: uma rede social na educação a distância. Heloisa Cardoso Varão e Maria de Fátima Serra Rios Construção de saberes na prática curricular na educação a distância. Leila Amum Alles Barbosa Desafios do ensino da Filosofia na UEMA/ MA: experiências do ensino de Filosofia na modalidade a distância. Heloisa Varão Santos, Maria Eliane P. S. Santos, Kate Lis Varão Santos, Danielle Fernandes e Giselle Serra Docentes de EaD em formação: do quadro magnético ao AVA: Desafios... Trilhas... Tramas e Redes. Ilma do Socorro Santana Pinheiro, Ilka Márcia Ribeiro de Sousa Serra e Graziela Gonçalves EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: dificuldades e possibilidades no curso de Especialização em Educação do Campo no Maranhão. Amanda Ferreira Aboud e Antônio Roberto Coelho Serra EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: um passo para o desenvolvimento sustentável.

38 | UemaNet • Revista PoloUm

Maria de Fátima Serra Rios, Adriana Araújo Coelho, Ilka Márcia Riberio Serra e Marco Roberto Furlan Especialização em Educação do Campo, a distância: pioneirismo na educação campesina. Ilka Marcia Ribeiro de Souza Serra, Marina Santos Pereira e Adriana Araujo Coelho ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO DO CAMPO: análise da sua implantação na Universidade Estadual do Maranhão/ UEMA. Carlos Wellington Soares Martins, Hélio Trindade de Matos, Elke Trindade de Matos e Marcelo Rocha Ferreira O curso de Mediação em EaD na Capacitação de Tutores: uma experiência da Universidade Estadual do Maranhão através do Núcleo de Tecnologias para Educação. Heloisa Cardoso Varão e Maria de Fátima Serra Rios Saberes e práticas no contexto da educação infantil na prática como componente curricular. João Augusto Ramos e Silva, Fátima Bayma de Oliveira e Luciana Mourão Uma comparação entre cursos a distância e presencial. Nádia Prazeres Pinheiro e Mauro Enrique Carozzo Todaro Pontes entre educação presencial e educação a distância. lka Marcia Ribeiro de Souza Serra, Eliza Flora Muniz Araújo A EaD Chegando ao Campo: análise do curso de Especialização em Educação do Campo, na modalidade a distância, mediado pelo Núcleo de Tecnologias para Educação - UEMANET.


Pesquisa A expansão e a importância da Educação a Distância (EaD) e das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no Brasil está na mira de pesquisadores da área que trocam experiências em eventos acadêmicos dentro e fora do país. Não à toa, multiplicam-se os congressos, fóruns, encontros e simpósios que discutem diversos assuntos ligados a esses campos de estudo.

UemaNet • Revista PoloUm | 39


São Bento

Brasil .

e-Tec

. rede

Brasil .

. rede

e-Tec

Bequimão

DISTRIBUIÇÃO DOS POLOS DA

UAB

São José de Ribamar

São Luís

UEMA

Brasil .

Brasil .

. rede

e-Tec

. rede

e-Tec

Brasil .

e-Tec

. rede

UEMA Vencendo as barreiras da distância no Maranhão

Núcleo de Tecnologias para Educação


S

E

. rede

. rede

. rede

Brasil .

. rede

e-Tec

Brasil .

e-Tec

. rede

Fonte: Núcleo de Tecnologias para Educação/2014

W

N

Brasil .

e-Tec

Brasil .

e-Tec

Brasil .

e-Tec

Brasil .

. rede

e-Tec

Brasil .

. rede

e-Tec

Coroatá

. rede

. rede

Brasil .

. rede

. rede

. rede

Brasil .

e-Tec

e-Tec

Brasil .

e-Tec

Brasil .

e-Tec

Brasil .

e-Tec

Brejo

Brasil .

. rede

e-Tec


Pesquisa

The expansion and the importance of Distance Education (DE) and Information and Communication Technologies (ICTs) in Brazil is in the sight of researchers in this area, who exchange experiences in academic events, domestically and overseas. No wonder there is a growing number of conferences, forums, meetings and symposia that discuss various subjects related to these fields of study.

UemaNet • Revista PoloUm | 39


Pesquisa Leila Amun Desafios do ensino da Filosofia na UEMA: experiências do ensino de Filosofia na modalidade a distância, Profª.Leila Amun. Graziela Gonçalves, Ilma Pinheiro e Ilka Márcia Serra Educação a Distância: Dificuldades e possibilidades no curso de Especialização em Educação do Campo no Maranhão. João Augusto Ramos e Silva Performance da Inovação em EaD: o caso UemaNet. Maria Eliane Pereira Sousa Santos e Heloisa Cardoso Varão Santos A formação dos educadores do campo e os avanços metodológicos na proposta do PRONERA. Maria de Fátima Serra Rios, Antonio Cloves Silva e Marcos Roberto Furlan Campus virtual: uma rede social na educação a distância. Heloisa Cardoso Varão e Maria de Fátima Serra Rios Construção de saberes na prática curricular na educação a distância. Leila Amum Alles Barbosa Desafios do ensino da Filosofia na UEMA/ MA: experiências do ensino de Filosofia na modalidade a distância. Heloisa Varão Santos, Maria Eliane P. S. Santos, Kate Lis Varão Santos, Danielle Fernandes e Giselle Serra Docentes de EaD em formação: do quadro magnético ao AVA: Desafios... Trilhas... Tramas e Redes. Ilma do Socorro Santana Pinheiro, Ilka Márcia Ribeiro de Sousa Serra e Graziela Gonçalves EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: dificuldades e possibilidades no curso de Especialização em Educação do Campo no Maranhão.

Maria de Fátima Serra Rios, Adriana Araújo Coelho, Ilka Márcia Riberio Serra e Marco Roberto Furlan Especialização em Educação do Campo, a distância: pioneirismo na educação campesina. Ilka Marcia Ribeiro de Souza Serra, Marina Santos Pereira e Adriana Araujo Coelho ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO DO CAMPO: análise da sua implantação na Universidade Estadual do Maranhão/ UEMA. Carlos Wellington Soares Martins, Hélio Trindade de Matos, Elke Trindade de Matos e Marcelo Rocha Ferreira O curso de Mediação em EaD na Capacitação de Tutores: uma experiência da Universidade Estadual do Maranhão através do Núcleo de Tecnologias para Educação. Heloisa Cardoso Varão e Maria de Fátima Serra Rios Saberes e práticas no contexto da educação infantil na prática como componente curricular. João Augusto Ramos e Silva, Fátima Bayma de Oliveira e Luciana Mourão Uma comparação entre cursos a distância e presencial. Nádia Prazeres Pinheiro e Mauro Enrique Carozzo Todaro Pontes entre educação presencial e educação a distância. lka Marcia Ribeiro de Souza Serra, Eliza Flora Muniz Araújo A EaD Chegando ao Campo: análise do curso de Especialização em Educação do Campo, na modalidade a distância, mediado pelo Núcleo de Tecnologias para Educação - UEMANET.

Amanda Ferreira Aboud e Antônio Roberto Coelho Serra EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: um passo para o desenvolvimento sustentável.

38 | UemaNet • Revista PoloUm


Just as Doctor Professor João Augusto Ramos e Silva, whose theme was THE PERMANENCE OF STUDENTS IN THE ADMINISTRATION COURSE, DISTANCE AND PRESENCE MODALITY: CONTRIBUTIONS TO ACADEMIC MANAGEMENT, aimed to identify the variables that influence the permanence process of students of Administration, comparing results of classroom and distance modalities, taking The State University of Maranhão (Uema) as a study case. We want to present also the dissertation SOCIAL REPRESENTATION OF VIRTUAL LEARNING EVALUATION OF TUTORS: Study in a Distance Education Course in Northeast Brazil. It was produced by Professor Maria de Fátima Serra Rios, who addressed the assessment of learning as eminently communicative and procedural element in teaching and learning, and investigated in the context of distance learning and the perspective of the Theory of Social Representations, by Serge Moscovici. In order to investigate the social representations of assessment of virtual learning tutors in undergraduate distance courses, the work analyzed some works of national and international authors on the subject and on the Theory. The study showed the thoughts, feelings and attitudes of the group on the evaluation of virtual learning, revealed the aspiration for a more interactive, humanized, effectively procedural evaluation practice, opposing the practice, marked by “teaching of the test”. Here we finish these quotations with the dissertation by Amanda Ferreira Aboud de Andrade, who made an ANALYSIS OF EVASION IN DISTANCE ADMINISTRATION COURSE: UAB PILOT PROJECT: A FOCUS ON MANAGEMENT.

Research And below WE rescued the following works:

Research in Distance Education at Uema Glayth Daniela Silva de Souza Tema: O uso das Tecnologias de Informação e Comunicação no Centro Integrado de Atendimento Especializado Maria do Carmo Viana Neiva - CIAEEM, em Timon/ MA. Greysse Thayane Guedes da Silva Tema: O professor frente às mídias: um olhar sobre o professor do futuro. Andresanya Cristine Gomes Freitas Tema: Os impactos das tecnologias na educação e o reflexo na escola. Amanda Aboud Relações entre tutores no curso de Administração Pública da UEMA: formação de uma grande equipe. Carlos Wellington O curso de Mediação em EaD na capacitação de tutores: uma experiência da Universidade Estadual do Maranhão através do Núcleo de Tecnologias para Educação. Tatiana Alves Ferreira A necessidade do estudo do usuário da informação no ensino a distância: um estudo de caso do curso a distância de Licenciatura em Filosofia da UEMA. Maria de Fátima Rios e Adriana Araújo Coelho Pesquisa Acadêmica e Desenvolvimento: uma experiência do curso de Especialização em Educação do Campo na modalidade a distância. Kate Lis, Heloísa Varão e Danielle Fernandes A dimensão acadêmica e científica na função do tutor: uso de ferramentas e trilhas de superação.

UemaNet • Revista PoloUm | 37


Research

Research in Distance Education: reflections on theory and practice How are the research on distance education? Learn this and more in the following paragraphs.

A

major focus of research in distance education is the development of new tools to enhance the interactivity between teacher and students, physically separated. The State University of Maranhão - UEMA, through its Center for Educational Technologies - UemaNet, is part of the set of institutions that have vested in research and teaching actions in undergraduate distance education or mediated by the use of technologies. The perspective is that this investment would constitute an opportunity for democratization of education at this level of education. This democratization is concerned with both the quantitative aspect, manifested in the number of subjects included, as with the qualitative aspect, which concerns all engine production/appropriation of knowledge and involvement of these individuals in their local reality, its history and its culture. Currently, research in the area of distance education are not many, but evolve each year, due to various conferences and journals focused on the topic. Events like these: Brazilian Congress of Higher Education at a Distance (ESUD), which this year is in its 11th edition; ABED International Congress of Distance Education (CIAED), now in its 20th edition, the World Congress of Ibero-American Communication and many others that deal with themes related to the issue. Moreover, it has magazines like Brazilian Magazine of Open and Distance Learning, Distance Learning in Focus, and many others, which deal specifically on the topic. Currently, among the main topics of research in distance education are, theories and system modality; management, organization and technology; teaching and learning in distance education.

For the general coordinator of the Center for Educational Technologies - UemaNet, Professor Dr. Ilka Serra, research projects in distance education are generating good results for the University. “People in general, and also researchers are still resistant to the online world. Distance classes, papers presented at conferences via the Internet, coordination of research in virtual environments still not well accepted in the routine of IES. However, every time we have an article published in this area, and participated in national and international research events, barriers are breaking down, “celebrates the Professor. One of the main contributions of UEMA in this area is the production of knowledge about distance education. Dissertations and monographs aimed at unveiling the conception of the modality, through the analysis of organizational structures and of the everyday educational experiences, marked by its own events. We highlight here some academic productions, directly or indirectly dealing with the issue, such as the doctoral thesis, CONFIGURATION MANAGEMENT OF DISTANCE EDUCATION: UNDERSTANDING THE RESULTS OF THE ENADE FOR PILOT COURSE OF THE OPEN UNIVERSITY OF BRAZIL, authored by Prof. Dr. Antonio Roberto Serra. It deals with the various conceptions and theoretical foundations about approaches to organizational structure and distance education, called configuration management of distance education. In the study, the research analyzes the relationship between the settings of the managements of the pilot Administration course, at the Open University of Brazil, project and its concepts defined by the National Examination Performance of Students (ENEM), identifying theories and models manifest in their context.

36 | UemaNet • Revista PoloUm


According to Professor Conceição Aranha, technology came to help, but replacing the blackboard by computer does not hold the student’s attention, he must be producing to feel motivated. One of the activities that she coordinated took their students to the field. After working with the preparation of lesson plans and post it in the virtual environment, the teacher decided to go beyond, decided to use the activity with each student. “Apply the homework as an activity in the virtual environment, within their own reality, it is a way to reinforce the learning and contribute to the development of the community,” says the professor. Thus, in municipalities where she worked, she divided the class into pairs and made them work the lesson plan, which was to pick up an issue of the neighborhood in which they grew and use it in planning. From there, based on the problem presented in lesson plan there was a need to go further, then the

Profession The teacher did not limited to live activities. Fostered a blog in conjunction with the students, in addition to follow them closely, even when they were miles away. “I answered every single question. I did not sleep until every student got a feedback from me, on the virtual environment. I know that it gives a positive result, because I am sought after even by students that neither were my”, says the teacher. As a result, I saw students raising their sleeves and produce great works, some of which came out of the paper and are helping the community. The teachers of the 21st century, regardless of their subject, end up having characteristics in common: they all have the ability to do several things at the same time, using the creativity and innovate constantly to make his pupils build their knowledge on solid foundations. There are no more barriers. The technology has spread. The communication transcended borders. The university needs to open and use this to its advantage. New pedagogical proposal

Traditional teaching

Non-linearity

Instructional design

Interactivity

Text book

Creativity

Black board

Innovation

Education network New technologies Collaborative learning

ses techonology both in the classroom and in online

students transformed the lesson plans in projects, as a way to reduce the impacts of these problems in the local society. For this reason, there have been meetings with live dynamic groups in each of the three municipalities, in which she works: Alto Alegre, Grajaú and Fortaleza dos Nogueiras.

The group took part in the search for the production of the thesis of Professor Jackson, who was the winner of two awards: the Best Thesis in the Area of Education in Brazil, in the Capes Award of 2013 and, later, the Best Work in the Area of Education, the 2nd. Prize of Fundação Carlos Chagas, where it was produced a 20-minute video class, which summed up and explained, in a mild language, the thesis for middle school students.

UemaNet • Revista PoloUm | 35


Profession The use of technological tools influenced much in the ways of teaching and learning in the current days. However, the new education is, much more linked to the creative ability of the teacher. The knowledge is everywhere, sprayed, dispersed in social networks, web sites, blogs, Internet and in the world. Therefore, the role of the teacher is growing in importance within the classroom, because he is who will assist the student to, filter the information, help in the interpretation and encourage them to apply, later, this knowledge.

today, is taking his master’s degree at Unisinos/RS, where he develops the dissertation on a theme that began within the research group. “The people who make and lead the education need to allow themselves and see equality in other people. These educational practices need to be liberating, deconstructionist and ethical. But, at the same time that this is possible by education, can also be locked by it”, concludes Professor Jackson Ronie.

For the PhD, Professor Jackson Ronie Sá da Silva, of the Department of Chemistry and Biology at the Maranhão State University, the teacher needs to learn to listen, to understand the popular representations. “Teaching is a process that goes beyond the technologies that absorbs as sponge. It is not just a question of using the computer, internet, chats or social networks. It has to be creative, to make the subject interesting for your correspondent, have to read a lot, and search for new things, create new ways to share the knowledge and to try it,” says the professor. In short, the teacher is still fundamental agent in the conduct of the students to knowledge, but for this, new teaching procedures needed to be invented or restructured. In the new pedagogical proposal, creativity and innovation are essential elements for success, allied to Interdisciplinary and interactivity that makes a process of collaborative learning. Professor Jackson Ronie witnessed the positive results of this approach. As soon as he started teaching at UEMA, he stablished his research group, focused on social exclusion. Today, there are 17 students participating in the study group, where they are induced to question, observe, produce their own classes’ videos and share them in the virtual environment, through the facebook group. In addition, Professor Ronnie managed to integrate them, so six of them got scholarships to programs such as the Institutional Program of Scientific Initiation Grants (PIBIC), and one of his former students,

Teacher Conceição Aranha

In distance education, the use of these new methods of teaching, need to be more incisive, because, the students of this modality have already the use of technology in a daily lives. Moreover, how to reach them if, physically are more dispersed? The EaD Pedagogy teacher, Conceição de Maria Aranha Fonseca, offered through UEMA´s Núcleo de Tecnologias para Educação, succeeded, by practicing to answer this question. Her virtual classroom on the Foundations and Methods for the Teaching of History subject, was the most accessed among all subjects in 5 undergraduate courses, the 13 technical courses and 4 post-graduate that were still active in 2012, both offered by UEMA, in the distance modality.

The teacher

There were more than 1620 hits in a single subject. The result was so good that the teacher was featured at UEMANET, even receiving being commended the Ministry of Education.

34 | UemaNet • Revista PoloUm


Profession

The difficult task of teaching in the 21st century They were born and educated in the manner of the last century. Today, they have the difficult task of restructuring the teaching process and the didactic procedures, to attract a generation that was born with the smartphone in the cradle: we are in the era of reinvention of the education and of the teachers. On the other hand, teachers are from a previous generation, the so-called Generation X, formed by people born after the 1960s until the early 1980s. For the young grown in the post Second World War, political engagement was latent. Less familiar with the technology, they saw the evolution of it, especially in the area of telecommunications: facsimile, the first computer that occupied an entire room, the evolution of cameras, including the Polaroid, which revealed the picture instantly.

Teacher Jackson Ronie

S

tudents who are in the classrooms were born with the technology all around them. We are talking about the young people of Generation Z, born at the end of the 1990s until the year 2010. The great point for this class is “zapping”, hence the “z”, i.e. constantly change channel on the TV, and while watching TV check e-mail, listen to music, use the cellular and share a joke to their groups in WhatsApp. Their world is practically all virtual, can´t live without laptops, smartphones, tablets, mp3 players, and much less without Internet. The globalization for them is something that has always existed and perhaps do not know physical geographic barriers. Thus, quickly capture all the information that travels through it, what generates a problem for them, most of the time: to identify which in fact are the quality information. In addition, the best quality of this generation is its easy adaptability to new.

They lived under strong economic inflation and saw the English become the differential in the labor market, which, together with the stability, was synonymous for success. Moreover, to get a good employment, the trajectory started at school. Learned with methods and pedagogical procedures that precluded memorize the subject as a whole, were not encouraged to think, learning was reinforced by the application of exercises in endless stream of repetition and the content transmitted as absolute truths. In addition, it is at this point in history that we are, facing the difficulty of teaching in the 21st century. If on one hand we have versatile students, thirsty for news, on the other hand we have teachers tied to outdated methodologies, little motivational and in search of new pedagogical procedures, involving these students of new generation, used to another reality. The new education in the era of the knowledgebased society When we talk about new education, immediately we think of the integration of technology in the process. However, it would be mistaken to think that the new education boils down to this. The technology is something natural for these young people; it makes no sense to use it without a clear purpose.

UemaNet • Revista PoloUm | 33


Flexibility

Fonte: www.blog.aedu.com.br

The student, in turn, has in its favor, the flexibility of time (when to start and finish a course; pace of study, completing tasks; contact with the teacher and other students); content (choose subjects and topics of interest, as well as learning resources) and local. This is the chance that the student has to use the best of bothteaching technologies - distance learning and classroom - preparing thus the speed with which the market demands.About 10% to 20% of the classes are on the Internet, where they worked exercises, texts, links, videos, discussion forums and more. But as it is a new concept in education that arises in the country and meets the new profile of the modern student, does not help a new student profile without a new teacher profile. “The truth is that the flexible education also means necessary changes in teaching and learning processes, since new concepts should be incorporated into current ones so they can meet the different needs of students. However, it is also essential changes in the behavior of teachers,” he said. But, what really sets apart this new educational model, from classroom and distance learning teaching? “Exactly to evade from drab and outdated ‘traditional teaching system’, together with the use of the practices and procedures of both tools,” said Gilson.

It is true to say that the advantages are many. Advantages ranging from flexible studying hours and place,to the use of media as a learning resource, expanding knowledge. The student who saw the world through the eyes of the teacher no longer exists. “Not long ago, it was not thought of another way of teaching, but classroom education. Hence, the distance education modality emerged as the solution to a demand of students excluded due to obstacles such as time and displacement. Given the ills of both modes and difficulties in meeting the needs of a new generation that is born already dominating many technological tools, flexible education arises. However, it is important to consider the commitment of the student. Without it, little or nothing will be achieved”, concludes him. Method requires organization The supporters of this method must not forget an important aspect, that, whoever decides to invest in such training point; the preoccupation with the organization, as even being part of the class via the internet and without direct contact with the teacher, the student has a schedule of studies that must be fully fulfilled,for the course to be effective. Furthermore, it is essential that teachers align the methodologies of classroom instruction and distance, while maintaining a standard in the teaching material and the form of assessment.

32 | UemaNet • Revista PoloUm


Flexibility

Flexible education: a new concept in teaching Fonte: www.imagens.usp.br

The perfect marriage of convenience of distance to the effectiveness of face-classes

T

In this mode, the teacher shall have at its disposal tools such as video conferencing, Virtual Learning Environment, Wiki, access to documentaries and movies available on the net that enable a more dynamic learning.

However, what is flexible education? According to Prof. Dr. Gilson Mendonça, from the State University of Maranhão (UEMA), working with classroom and distance learning courses: “I understand the flexible education as the type of education that combines the practices of classroom teaching resources and

innovative technologies of distance learning, in order to meet the needs and expectations of the current profile of the students. Indeed, modern life, marked by the decline of geographic spaces, now permeated by information technology, makes the relations closer.

his is the proposal of a new educational concept that arises in Brazil: a flexible education. Despite being something new, itis in use already in some institutions and has had good results, being considered one of the avenues for future learning.

UemaNet • Revista PoloUm | 31


In Focus COMPUTING Students from classes A and B, of technical course in Computing, from Caxias Center, participated in practicing the subject Systems Analysis, under the direction of tutor Rosemary Sousa Araújo. They learned about general systems theory, the importance of modeling as a tool for representing database, relationships, actors, modeling classes, and the use of ArgoUML modeling tool MySQL Workbench.

TOUR GUIDE

Students of technical course in TouristGuide visited the site Piranhenga. The tour was a practical class on the guidance of professional tour guide in the conduct of groups in tracks, how to behave, the history of the place, the necessary garments, whether or not the need of environmental advisor which dominates the site, among other activities relevant to the preparation of this professional. Professor MarileneSabinoBezerra, and the site conductive, Fatima Chaves Aragão, led the class.

30 | UemaNet • Revista PoloUm


Theory and practice

In Focus PRACTICE AT COOKING SCHOOL IN SÃO JOSÉ DE RIBAMAR/MA

Students of technical courses at the State University of Maranhão, the distance mode, putting theory to practice together

FOOD

There are several practical and technical visits, as a way to enhance the knowledge of each student. Equivalent to 60 hours of supervised training practices. In addition, these are necessary techniques to put into practice their future profession. For those who are already in the labor market, this is a way to add knowledge to it.

Theundergraduate food technical course students from Parque Jair Education Center, in São José de Ribamar, made a visit to São João Yogurt Factory (Paço do Lumiar/MA). The purpose of this technical visit was to improve the knowledge and understanding of the theories studied in situ, as well as getting practical note in the disciplines of Good Manufacturing and Hygiene in the Food Industry Programs..

Students also visited the Sabor e Aroma Factory Bakery Products, where they learned from start to end, the manufacturing and packing of bread.

ENVIRONMENT

Students of technical course in Environment/São Luis Center participated in practical activities in areas of Lagoa da Jansen and Ponta D’Areia. The activity aimed to realize the use of Environmental Marketing in the places visited, from interviews with professionals working in the regions. Anglers Filomeno Pereira and Paulo Ribeiro de Carvalho were the respondent characters, and the interview focused, among other things, in natural and anthropogenic impacts suffered by the environments in which they make their living. UemaNet • Revista PoloUm | 29


In Focus Distance Education grows exponentially in Brazil

U

ntil recently, to talk about distance education was synonymous with poor quality education. Currently, the reality has changed. Today, distance education reaches unimaginable places and has grown significantly in recent years according to the Census of Distance Education 2012/2013, held by ABED - Brazilian Association of Distance Teaching. Also according to the Census, the tendency is to expand its supply and demand. In 2000 there were 1,682 students enrolled in distance education undergraduate courses. In 2012/2013, that number surpassed 5 million, between students enrolled in undergraduate, postgraduate, free or executive courses. In the beginning, most who took DE courses were older people;nowadaysthe age revolves around 18 and 30 years. The age decreases over the years, and biases lessens with time. Moreover, it does not stop there. If the regular education increased by 3.1%, DL grew 12.2%. “The data presented in the Census show that distance education continues to grow and that, in turn, confirms the full adoption on the part of our citizens, this type of learning that is nothing easy”, said the President of ABED, Fredric M . Litto.

In 2012, there was an increase in distance education institutions that responded to the invitation of ABED, butwas observed that large institutions failed to respond to the census. The survey recorded an increase in the number

But who are those who increasingly seek to DL? This group of students is formed most of workers. Preferenceis given to DL, in one hand, for being a markedly cheaper course, if compared to face teaching, due to non-utilization of infrastructure, personnel support and security. On the other hand, students with saving with the absence of expenses like food away from home, transportation and time. Besides helping in the conservation of important family values, like getting home earlier, study in the couch and taking time to enjoy the family, is priceless. Distance learning has had far superior growth rate than the classroom learning. In addition, this trend, it seems, will continue and expand, because the only certainty is that it is here to stay, changing paradigms of classroom teaching, which today can apply 20% of its content in the distance, but that tends increasingly to be mixed and blended to take position in the near future. Lets wait a little bit to confirm this trend of transformation in the national scene.

Want to know more about the scenario of distance education in Brazil? Access http://www.abed.org.br/ censoead/censoEAD.BR_2012_pt.pdf.

Table 3.8 - Evolution of enrollment in distance education in the period of 2009-2012

Year

of authorized (1,856) and free (7.520)courses;

2011

(1,589,374).

2010

(6,500), enrollment (5,772,466) and conclusions

2009

the disciplines of classroom courses allowed

Number of participating institucions in the census

Number of enrolments on Distance Education

128

528.320

198

2.261.921

181

3.589.373

28 | UemaNet • Revista PoloUm


Information and Technologies in tion eople’s lives, invading all areas of daily life, ssional and leisure area.

Tecnology

of these Information and Communication Technology to the goal that is expected for the process in which it was selected and chosen as a learning tool,” says Isis. Ultimately, the effects of using these tools in face of so many controversies that surround them, are having positive or negative impact on student performance? This is an important question. The truth is that there is no way to evade from the use of technology in education, the process of knowing, appropriating knowledge, has changed, today´s students have a different profile, it is increasingly exposed to the knowledge and appropriates this through various media. “The teacher/educator must be prepared for it; he cannot be behind the student, or below the student´s expectations. That is exactly the problem: the lack of preparation of the teacher. Therefore, it is necessary to seek strategies to update the teacher, and therefore has all the condition to use them in a contextualized way. I cannot think of any negative aspect for the use of ICT in education”, says the teacher. Of course, the motivation of students in the classroom has always been a challenge for educators and educational institutions at all levels. A motivated student seeks new opportunities and more knowledge, demonstrating involvement in the learning process and hence, participates in tasks with enthusiasm and willingness for new challenges. “And that search for knowledge with the use of technology in education, makes all the difference to learn, because it is a pleasurable way to seek, to find ways, and to build the knowledge. The difference is that most of the time, most students yearn for their use,” concludes Isis Monteles. Technologies have great innovative potential that has reflected in all aspects of our society: have changed the ways of learning and teaching, ways of working and ways to communicate and leisure. The Internet has enabled the interaction between people and the creation of virtual communities. Content production and sharing of knowledge (through websites, blogs). Nowadays we have available an endless number of tools that enable the production and availability of content: Slideshare (for sharing files in PowerPoint), Wikipedia (for sharing articles written), Youtube (for video sharing) and Blogger (for information sharing), Skype and Google (to exchange files and videoconferencing). UemaNet • Revista PoloUm | 27


Tecnology

T

here is no way to deny the existence and even the prevalence of certain enchantment on the use of Information and Communication Technologies ICTs with the consequent expectation of expanding the reach of higher education in Brazil. The possibilities of increasing the number of positions and the prospect of taking College education to different areas of the territory, as well as an indication of possible cost cutting, depending on the scale of projects, seduces all who want to see fully realized the right to education. However, in a time of such use of these technologies, what means to be an educator in the days today? The Coordinator of the Center for Educational Technologies for Education - UemaNet, Isis Maria Monteles explains: “Every time I’m asked about the vision I have about being an educator, I am sure that the concept I have, didn´t changed, and probably will not in the future. I like to explain it through a sentence that Cecilia Meirelles used to define her grandmother (who was the one who raised her), where she says, “The body was a mirror of the universe.” And it is true, an educator is the one who helps to see, that points, showing the path, one that sets the example, independent from the educational context, in which it appears, whether systematic or not.” The fact is that communication technologies in the teaching and learning process of the present generation have an important role, starting with the meaning of putting Information and Communication together, in the same context. “Whenever we talk about ICT, we have a single term in joining two names with different functions, but that serves a common goal, which is information and communication. Although it seem two different things, the intent is the same for them, and therefore always used together. The intention is that, by using certain technology applied to education, while communicates, it also informs. However, this union brings a reflection within the school environment, which is to be adapted to the context of information tools that were originally designed for communication, giving educational aspect to something that is usually used in an unsystematic way. What accountability it brings to educational institutions? The responsibility to plan and tailor the use

The importance o Communication educ New technologies (ICT) play a major role in including education, prof

26 | UemaNet • Revista PoloUm


Courses open to the community with educational materials developed by teachers UEMA, available in a virtual learning environment that values co-learning and flexibility. Extend the possibilities of success in your career. Study anytime, at your pace and on your way.

www.cursosabertos.uema.br

UemaNet • Revista PoloUm | 25


Scenario However, if on one hand there are problems, on the other hand, the universe that both students and teachers have does not compare. Mobility conquest at a glance, because one can teach and learn anywhere. It is one more of a choice for teaching resource, which, if used, would enhance education. As says Eric Kunnem, Director of Distance Learning and Educational Technology in Grand Rapids Community College, Michigan, “Despite its potential, mobile computing is not a panacea, i.e. does not solve all problems. Success depends on each faculty member, using necessary time and effort to effectively integrate technology” Beyond the device, the school should consider other resources required for the use of tablets. For example, how the batteries will be recharged? What type of synchronization will be used? Will the use of internet be allowed? The school network has the capacity to support thedemand? All these questions should be part of the strategy and the school’s decision about the use of tablets in the classroom. “One thing is to deliver tablets, electronic whiteboards, notebooks, only to teachers and other is to also distribute it to students. One thing is to empower them with a new teaching methodology and specific didactics, and another is to leave them to improvisation. Even so, you need to create a new school culture that includes digital praxis. This implies in breaking with some anachronistic influences that still persist in teacher training, “concludes the Professor. A plethora of possibilities arises when mobile devices in question be no longer seen as villains and become accepted as new tools for learning.

How to administer tablets in the classroom Is a classroom full of tablets and other devices can turn into a big mess, right? Do not want that to happen? Here are some tips: 1) Storage Use cabinets and lockers for secure devices. They must be movable to be ease to pick up the tablets; also to ease transport it to other locations. If possible, the school can provide two closets for each room, so students do not waste time when seeking the devices. 2) Security In addition to secure storage, the school should clearly express what are the rules and expectations regarding the use of the devices. Students should know how to use the appliances, in what situations and with what kind of restrictions and rules. 3) Preparations It is not enough to have the devices, it is necessary to know how to use them. For this, there must be the instruction of teachers and students in the use of tablets. Thus, the investment will not be wasted, but done more efficiently.

Fonte: www.futurovipcabofrio.g12.br

24 | UemaNet • Revista PoloUm


Cenário Scenario The truth is that the great concern, the current challenge is not just about the technology itself, but rather the acceptance and involvement of educational institutions as well as the methodology used in the classroom. “There are several ways to take advantage of the features of mobile during classes, especially if the teacher use it in their presentations, multimedia resources available on the network, such as videos, images and much more,” says Luis Carlos.

UemaNet • Revista PoloUm | 23


Scenario

F

or centuries, in every corner of the planet, that old hierarchy between teachers and students remained untouched. Behold, there was great changes in the mid of the second decade of this century, i.e., what was solid, is taking other forms. Researchers now say that will not be too long before learning to become, as a whole, a two-way process. Interestingly, mobile devices (tablets, smartphones and iPad), still considered enemies to some teachers - for its dispersive power - are among the tools that play a fundamental role in this new scenario. Given these changes imagine this scene: school with no whiteboard; students without notebooks, do not printed tests, or need to carry heavy books and notebooks; all content is made available to them via the Internet, where they have access to interactive maps of different times and respond to virtual quizzes with instant scoring. Have you ever imagined? Not? Well, it is already reality in many American schools, where all the necessary material to class, is the tablet. In recent years, the tablet is gaining more space in several countries, including Brazil. The Ministry of Education itself (MEC) began investing about R$ 150 million to buy this mobile, which were delivered to high school teachers in public schools. The initiatives regarding the use of this technology are numerous, both public and private part. It is a fact that the presence of tablets in the learning process has been subsidizing increasingly experiences and educational projects. It is in the midst of a discussion: the use of tablets has its pros and cons, of this there is no doubt. Several scholars, teachers and academics argue in both sides of this discussion, even with all the advantages that the use of mobile provides there are those who have many concerns. One of those people with concerns is Professor Silvana Vargas. In an interview with www. revistadehistoria.com.br, she says there is a great risk

in using this technology, which is the removal of content preparation from the teachers. “These devices offer the possibility of interesting work in directed research in games and activities with digital moving image. However, they bring materials ready and this can dissociate the teachers from didactic production. Suggestions and directions are always welcome, but in a context of collective appropriation and transformation,”she explains. In the other hand, this is not what believes Cristiane Costa Vargas, Journalism Course coordinator at UFRJ and creator of the course in Publishing Management, atFundaçãoGetúlio. On the same site, she says that it is not difficult to produce content and they become better, with media enriched. “There will be increasingly possibilities with the use of things such as enhanced digital books. They have links, interactive videos allowing a completely different experience and are simple to make. There will not be content without tablets, or tablets without content. Someone has to take the first step. Initiatives has begun aimed for education in the national market of e-books and there are already many books in the public domain”, says, and“If the e-book includes fundamental contents, various interactive activities and allows students and teachers to connect and share data, is it not possible that it becomes essential to learning in the classroom? Are we embracing or fight against this scenario?” For Doctor Luís Carlos Fonseca, TI Coordinator at Center for Technologies in Education, and professor at the State University of Maranhão (Uema), “It is not fair, in a networked world, having to learn with outdated methodologies. However, the use of computing devices in the classroom, whether laptops, tablets or smartphones, is advantageous only if its use is correlated to the content of the subject. Otherwise, the student runs a great risk of dispersing the content taught.”

22 | UemaNet • Revista PoloUm


Scenario

Tablets: pros and cons The use of tablets in the classroom is a success. However, what really are the pros and cons regarding this use? Check out how mobile is changing the higher education and raising many contradictions.

UemaNet • Revista PoloUm | 21


Fonte: www.escolagirassolblog.wordpress.com

20 | UemaNet • Revista PoloUm

Scenario


Other researches, directed to the qualities of the courses offered by the institution on evasion, and how to prevent it in the distance learning; instructional design models, so that these models are best suited to each course in order to optimize learning, respecting the particularities of each activity. Launched our first MOOC, on Negotiation, in the Administration subject, and may be attended by anyone. The idea is to encourage all teachers who are involved in distance education, show and apply the results of such research to magnify education in Maranhão. Simone - At IFMA, highlighted within the UAB/IFMA a research project under development that aims to investigate the possibilities and challenges in teaching practices in the Bachelor’s Degree in Chemistry with a view to present proposals methodologies that increase process quality teaching and learning.

Entrevista The project aims to characterize the process of deploying Degree in Chemistry under the UAB system, at IFMA. Also, to characterize the profile of teachers and students, relate their experiences, interests, skills and difficulties with regard to the learning modality and the course. Review the appropriateness of the use of ICTs to the educational process, relate successful and/or inefficient experiences in teaching practices, examine the procedures of selection, preparation, and use of resources and materials (virtual objects, virtual labs, simulators, digital and printed texts, slides, etc.). Assess the need and importance of continuing education activities for teachers and students in distance education. Finally, relate relevant aspects to be addressed in the training process in distance education, systematic procedures for use and application of ICTs, considering the context specific Degree in Chemistry in distance mode.

EaD UEMA - Ilka Márcia

UemaNet • Revista PoloUm | 19


Entrevista in scientific and technological academic events, extension course abroad, besides the support for publications. Another form of incentive provided by the University, is allocating workload of the teacher to research focused on the distance education modality. Ilka - The distance education is a more inclusive form of education that we have, but still walks shyly regarding the research area, but UEMA has invested and encouraged its employees to develop that. The results begin to appear. On average, four articles are published by distance education event in Brazil and even abroad, besides the investment in some masters, such as the MSc in Computing, where three students develop research in media forms of distance learning for courses offered by the UemaNet.

What research in distance education are happening at the institution? Cristiane - At UNICEUMA, highlight some surveys, like the teacher Ivone Ascar Sauaia GuimarĂŁes, Master of Education in the distance education area. The work was about digital and social inclusion, as a prerequisite for distance education; cognitive contribution of educational robotics as interdisciplinary tool in the context of higher education; usability analysis of the virtual learning environment and profile of teachers of distance education. In 2014 initiated research MOOCs, personal learning environments and learning objects for future publications. There is also a research group formed by teachers in order to study and develop Learning Objects (digital resources that can be reused to support teaching and learning) for the classroom higher education and for distance education as well. Another survey, conducted continuously by the Coordination of Distance Education, seeks to know, in the perception of the students, the effect of the whole program of distance education, from the specifics of the sport, and welcome suggestions.

Ilka - At UEMA, recalled that, in addition to research media forms of education developed by master degree students in computer science for the UemaNet there is an interdisciplinary project between the sectors of Information Technology (TI) and Design Education (DE) called the Repository. The project consists in make available all fascicles produced by the Center for Educational Technologies, for all universities in Brazil; another study that is still in the beginning stage is the project of gamification, which aims to facilitate the teaching and learning of students studying at a distance.

Foto - Maria Gabryela Santos EaD IFMA - Simone Costa

18 | UemaNet • Revista PoloUm


life. The teacher is now a facilitator of the teaching and learning process. Ilka - The teacher opens the necessary paths to reach the information, and it is of utmost importance in the distance education modality, because this type of education, with the use of new technologies, induces, of course, the student being a researcher in the knowledge network, to always go beyond. Thus, both the teacher and the student are urged to, constantly, undertake the exchange of information.

How this change affects the student who uses the distance education mode? Cristiane - Notes that the student must make a commitment with himself, as the subject of their own education, taking the direction of his studies: what to study, time booked for study activities. Thus, with targets set, performs adjustments as improvements occurs. Ilka - The student gets closer to the teacher and classmates, since learning is collaborative, a co-learning, requiring interaction with others, with peers, with other circumstances and the world around him. Simone - The student eventually develop features without which hardly will achieve success in acquiring knowledge: autonomy and discipline are essential to organize time and space for studies and proposed activities.

The mediatized context of this century requires the professional to work with three vectors that intersect themselves, that are, time, space and speed. Do you bother to guide the teacher to reinvent the educational practice thinking on that? Ilka - The State University of Maranhão have a special and distinctive look on the teacher to adapt him to it, with a specific sector for this, Educational Design, which helps the teacher to use these new technologies. This sector offers courses on how elaborate the fascicle, on how to

Interview prepare to recording video classes, among others. Our students today are digital natives and because of that, the teacher needs to reinvent how to teach, then the university promotes the encounter between teachers and new techniques and technologies. Simone - At the Federal Institute of Maranhão, the concern about educational processes required specific forms of organization and performance of subjects. The institution dedicated itself to the training of teachers, tutors and coordinators, preparing them for all stages of the educational process. Cristiane - By joining distance education, the CEUMA University has gradually organizing for real change in the teaching and learning process, so that it does not only performs the transposition of classroom courses with traditional methodologies, to virtual environments. The distance education requires the best classroom methodologies and proposes new theoretical and methodological challenges. Classroom and distance moments are integrated, one complementing the other.

Initiatives and investment in the areas of scientific, research and extension are still very shy in the modality of distance education in the country. How the institution encourages its professionals in that? Simone - That IFMA has recently formed a research group at the Capes, aiming to promote studies and research in the area of distance education. The group intends to hold weekly meetings and the meetings´ agendas revolves on finding solutions to problems encountered in the institutional framework in relation to educational and technological training for tutors and teachers, production and selection of teaching materials and management processes in DL. Cristiane - Meanwhile, at UNICEUMA, reveals that the incentive is primarily to support the publication of scientific and technical articles, support for participation

UemaNet • Revista PoloUm | 17


Interview Distance education has been consolidated throughout Brazil, and in the state of Maranhão, it is no different. The state has numerous education institutions working with this education modality. The distance education teacher also sees changes in its role in this new century, where he teaches to none other than the digital natives, young people who do not know a world without technology and the internet. Therefore, we decided to consult the managers of leading educational institutions of Maranhão to find out which guidelines are given, and what support they are offering to them on this range of transformations.

Introducing the managers Participate us on this talk, the Director of Distance Education at the Federal Institute of Maranhão - IFMA, Professor Simone Costa dos Santos Andrade; Coordinator of Distance Education University CEUMA - UNICEUMA, Professor Cristiane Florinda Monteiro de Oliveira; and the General Coordinator of Educational Technology at the State University of Maranhão - UEMA, Professor Ilka Marcia Serra.

In this consultation, we invited the four largest institutions of higher education in the state of Maranhão, practicing distance education, from which three responded, showing us an X-ray of the relationship: distance education versus teachers in the XXI century. Foto - Soymar Gomes

Check out the interview:

What is the major challenge for the teacher in the XXI century in the distance education? Simone - The distance education demands new knowledge and different postures employed in the classroom teaching. Besides the use of information technology (ICT) and the content of the education subjects, teachers need to develop a broad understanding and adopt a critical and reflective stance on the effects of ICT in the teaching and learning process.

EaD UNICEUMA - Cristiane Monteiro

Cristiane - The also emphasized the expansion of the functions of the teacher and highlighted as, currently, the biggest challenge, they need to abandon the discourse that is the sole provider of knowledge to enable the training of individuals more autonomous, competent to manage their learning and build knowledge throughout

16 | UemaNet • Revista PoloUm


Reference

SERRA, Ilka Marcia Ribeiro de Souza; PEREIRA, Marina Santos; COELHO, Adriana Araújo.ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO DO CAMPO: análise da sua implantação na Universidade Estadual do Maranhão/UEMA. In: Anais do I Encontro de Estudos e Pesquisas sobre Questão Agrária e Educação do Campo no Maranhão. São Luís, UFMA, 2010.

CUNHA, Maria Isabel da.Formação docente e inovação: epistemologias e pedagogias em questão. In: Trajetórias e processos de ensinar e aprender: didática e formação de professores. XIV ENDIPE Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008.

SANTOS, Milton. Por uma Geografia Nova. 6 ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004

_____. Resolução CNE/CEB nº 01, de 03 de abril de 2002. Aprova as Diretrizes Operacionais para Educação Básica nas Escolas do Campo.

FERNANDES, Bernardo Mançano. Primeira Conferência Nacional “Por uma Educação do Campo” – Texto Preparatório. UNESP. Petrópolis, 2004. MORAN, J. M.; MASETTO, M. e BEHRENS, M. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica. 12. ed. Campinas: Papirus, 2006, p.12-17.

PhD in Plant Pathology, professor and researcher at the State University of Maranhão, and Coordinator Department of Educational Technology / UemaNet / UEMA. - Ilka.tt@gmail.com

1

Master of Science in Education, Specialist in Higher Education Methodology e Coordinator Associate of Technical Courses Network e-Tec Brazil at the State University of Maranhão / UEMA - eliza.uemanet@gmail.com

2

Fonte: Livro Educação do Campo: Especialização Lato Sensu

UemaNet • Revista PoloUm | 15


Reference official representations, often recorded in institutions. Hence, these representations are simultaneously in the objectivity of social organizations and the subject’s mentality. “The prebuiltiseverywhere” [...]. (Bourdieu, 2005, p.34). In this context, monitoring surveys by experienced teacher students in the Specialization Course in Rural Education, in the distance modality, allowed greater contact with the problems that are rooted in space that constitute the countryside. FINAL CONSIDERATIONS This study aims to present the experience of the Specialization Course in Rural Education at a distance at UEMA; point educational and professional possibilities offered by distance mode, and present the structure of the organization and operation of the course. Given this experience, we realized that with regard to the teaching/learning, students and teachers had broad participation, minimizing any distance “from the countryside”. The AVA possible mediation of teachers who, through constant dialogue, reduced geographical distance. There was also the attempt to exercise formative assessment, i.e., along the way in Virtual Environment and in person. Concerning the Internet communication tools that enhance interaction/ interactivity, we highlight the use of the Forum, which happened intensive dialogue/debate between students/teachers. Monitoring of research by course participants experienced enabled us to understand many problems that interfered in the different segments that compose the rural space, especially with regard to the educational context in the countryside. Among them are: the lack of curricular proposals to discuss the contents entered into the peasant environment, and the need to strengthen the public policies that address the specificities of the countryside. During the course, there were many challenges, among them stood out the shortcomings in the

handling of tools available for this type of education and, in some cases, geographic distances faced. The education centers in the study were in good physical structure and well equipped; that had helped in the teaching/learning process. However, many course participants still had difficulties handling equipment, which interferes with the quality of the educational process. Importantly, the EAD to work with quality depends on the availability of tools that meet the needs of the students, with the main activities proposed by the course being guided and developed the AVA (Virtual Learning Environment). Thus, concludes that the UEMA, institution dedicated also to distance learning, considered all obstacles and sought alternatives that helped the rural students improve their performance in handling the educational tools available for distance learning, enabling distance to reach the rural area.

References BACHELARD, Gaston. A formação do espírito científico. Tradução de Estela dos Santos Abreu. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996. BELLONI, Maria Luiza. Educação à distância. 3. ed.Campinas: Autores Associados, 2003. BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005. BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9.394 de 20 dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF, 1996. ____. Decreto nº 5.622, de 19/12/2005. Regulamenta o art. 80 e 87 da Lei nº 9.394, de 20/12/1996. _____. Lei 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Plano Nacional de Educação. Brasília, Plano Editora, 2001.

14 | UemaNet • Revista PoloUm


transformation of NEAD in a Center of Technologies for Education (UemaNet). THE COURSE OF ESPECIALIZATION IN THE COUNTRYSIDE EDUCATION AT UEMA: A PIONEERING EXPERIENCE IN ODL The course of specialization in the countryside education was offered for the first time in the state of Maranhão in 2010, and the UEMA pioneered offering it in the distance modality. The course presented bimodal and modular, comprising two stages: a classroom and another distance. The total workload was 420 hours, divided into modules, namely: Conceptual Distance Learning and Virtual Learning Environment (AVA/VLE)/Moodle Platform; and Historical Foundations of Countryside Education; Pedagogical Practices in Rural Education; Regulatory frameworks and Democratic Management in the Rural Education; and Transforming Reality: Integrated Design and Participatory Design Course Completion (Serra et al, 2010). The course featured a team of faculty researchers, present and distance tutors, who were responsible for the monitoring and guidance of students in the AVA (VLE). Each center running the course had a computing laboratory, which served as support for the development of activities. In the first UAB offering classes (2010), students defended their final paper after review and adjustments as suggestions of the board of examiners. The methodology adopted in DL, i.e., with the use of diverse media (booklets, video lessons, podcasts, web conferencing, discussion on VLE), the course provided the establishment of a learning community network, considering the principles of cooperation, respect and autonomy, which are significant and essential in distance education. The developed part of distance education, in each of the sub-modules, was to support instrument, the printed material, which consisted of texts written by the teacher responsible for the sub-module, or indications from reading other material. In addition, included activities performed and presented by the students to the teachers in the classroom time.

Reference The course followed the guidelines prescribed by the National Board of Education (CNE), on running postgraduate courses. Thus, the assessment in the various presence sub-modules was under the charge of responsible teachers, making use of different assessment strategies. The way the course was designe dat UEMA, allowed a wide discussion on the contents that address the specifics of the countryside. The inserted peculiarities of Maranhão into the curriculum of the course, complemented the teachings listed in the proposed curriculum of schools in urban and rural areas, for the purpose of the course was to amplify the debate about the knowledge that are not prioritized in the daily life of the countryside student. Contact with the research allowed the student to investigate the problems that were interfering in the segments that make up the country space, considering that only through investigation of a problem is that we can know and be familiar with specific issues of the study area. Santos (2004, p.18) states that “everything is subject to the law of motion and renewal, including the sciences. The new isnotinvented, it isdiscovered. “ The Course coordination at UEMA, gave emphasis to research activities. The final paper was a challenge for the students, who are teachers in Maranhão public system education, and for the advisors, who follow the researches in all its stages, by classroom meetings and virtual interactions in the AVA (VLE). After choosing the object of study, the delimitation of the topic and the development of instruments for data collection, the course participants departed for use of fieldwork in schools, communities and government agencies, among others. Accordingto Bachelard (1996), scientific knowledge is the product of developing questions. The research enables investigation of problems, conflicts and inequalities in society and among social actors. To do so, build a scientific object is, first and above all, to break with common sense, i.e., with representations shared by all, whether the mere commonplaces of everyday existence, whether

UemaNet • Revista PoloUm | 13


Reference democratizing knowledge. It is therefore, an educational alternative, which today puts the educator, who has a practical substantiatedin an ethical, compassionate and committed to social change.

At the same time, the author acknowledges the many possibilities that this modality allows, given the flexibility of care and time, the learning rhythms of different training, routes that allow different inputs and outputs. Moreover, with advantage of combining several activities such as work, study and family, thus favoring the permanence of the student in his family and working environment (PRETTI, 2005). Faced with these prospects, it has been visible the interest in distance education at the national and international scene, establishing itself as one of the fastest growing phenomena in recent times, in the field of education. It allows the self-learning, with the mediation of learning resources, systematically organized, presented in various media for information, used alone or combined, and transmitted by various media. The State University of Maranhão - UEMA is one of the institutions most outstanding in this modality, at the state of Maranhão. In this direction, established important partnership with the Open University of Brazil (UAB), and, from 1st SECAD/MEC Bid, April 16, 2008, UEMA launched the Specialization Countryside Education Course, atdistance. This course was conducted in twenty centers for Classroom Support, distributed within the State, with a view to enable the reorientation of knowledge based on scientific production, taking into account social and environmental issues, cultural diversity of the state, as well as digital technologies available, which are becoming more dynamic through social networks. THE INSTITUTIONAL CONTEXT OF THE SPECIALIZATION COURSE IN COUNTYSIDE EDUCATION, AT DISTANCE The State University of Maranhão - UEMA, public institution of higher education, had its origin in the Federation of Schools of Maranhão -

FESM, created by Law # 3,260, August 22, 1972, to coordinate and integrate educational establishments isolated from Maranhão´s higher education system. The FESM was initially composed of four units of higher education: School of Management, School of Engineering, School of Agronomy and a College in the municipality of Caxias. In 1975, FESM incorporated the School of Veterinary Medicine and, in 1979, the Imperatriz College of Education. Through Law 4,400, of December 30, 1981, FESM became Maranhão State University (UEMA), and had its operation authorized by Federal Decree 94,143, of March 25, 1987. To meet the new demands and requirements of society emerged new campuses and units outside the headquarters in São Luis. The UEMA account today with twenty (20) Centers for Advanced Studies. Its spatial dimension is determined not only by their currently multi-campuses structure, but also by the scope of distance learning courses, promoted by the Open University of Brazil (UAB), intermediated by the Center for Technology in Education for support in education centers. THE UEMAS´S CENTER FOR TECHNOLOGIES IN EDUCATION Perceiving distance education as a space-time resizing, and a concrete way of democratization of education, capable of breaking the boundaries of classroom courses, the UEMA created, through Resolution #239/2000 - CONSUN/UEMA, its Center for Distance Education (NEAD), with responsibility for the design, dissemination, management and evaluation of projects in distance education. After creating the NEAD, the UEMA became the eighth Brazilian education to receive official accreditation from the Ministry of Education - MEC, to offer courses in distance education, according to Decree MEC # 2,216, of October 11, 2001. More recently, through Resolution # 698, of May 29, 2008, considering the new context of Distance Education in the information technology and communication have highlighted in the learning process inaugurated a new cycle for Education Distance in UEMA, culminating in the

12 | UemaNet • Revista PoloUm


At the core of these concerns is the recognition and appreciation of the peoples of the countryside, emphasizing, among other things, different ways of working teacher training, school organization, practices and teaching times and appropriateness of content to local needs and peculiarities. As can be seen, it is not enough to have the public policy set forth in laws, ordinances, programs. It is essential that these policies be in fact, materialized in objective conditions, to be effective. From this perspective, it is noteworthy that, after the approval of the Operational Guidelines for Basic Education in Countryside Schools, came an important process of social mobilization for consolidation of public policies for a quality education for the people of the countryside. With a view to ensuring access and stay in school, with curricula whose scope deem account of cultural diversity, considering the various regions of the country. Among other structural features located within the countryside education, with regard to the discussion on the formation and enhancement of education professionals, especially teachers, in view of a participative action, competent, critical and committed to social transformation. Training policies aimed at the acquisition of knowledge and development of attitudes and skills to enable the understanding and mastery of basic science and technology elements, as well as respect for political, economic and cultural diversity, essential condition for overcoming social discrimination and the true exercise of citizenship. Amid these concerns, in 2004 the Ministry of Education created the General Coordination of Countryside Education, integrated into the Department of Continuing Education, Literacy and Diversity (SECAD), which represents the effective inclusion of the topic in the national education agenda. Therefore, when thinking about education policy for a country in the development process, have to think of education looking at present, but connected with the future. Thus, it is essential to think of education in forming citizens committed with a

Reference social life, supportive and prepared for the challenges of an ever more demanding society of information and knowledge. Regardless of that, it is often discussed in Brazil, the appreciation of distance education as a vehicle for democratization of educational opportunities, especially for being the country of a large territory. In this regard, the Ministry of Education established the Open University of Brazil with the goal of expanding and internalizing the provision of higher education courses and programs, through distance education, establishing as a priority, the training of teachers and other education personnel in areas of diversity. Therefore, distance education presents itself today as a concrete and important opportunity for learning, distinguished as a permanent and indispensable condition for the subjects of the information society. From the point of view of law, the Law for Guidelines and Bases of Education (Law no. 9394/96) institutionalized distance education and the decrees and ordinances published in 1998 also marked the beginning of regulation of this type of education, bringing this significant contributions to the countryside. Another key reference on distance higher education legislation lies within the National Education Plan (PNE), more specifically in Law NÂş 10.172/01, which thereby strengthens the strategic role of distance education: By introducing new conceptions of time and space in education, contributes to the emergence of significant changes in the school and influences the decisions made by political leaders and civil society in defining educational priorities (National Education Plan (PNE) Law 10.172/01).

Clearly, the Distance Education (DE) widen new horizons for teacher training, but as warns Pretti (2005), one should always be aware of the assessment of courses, as explicitly: Distance education should not simply be confused with the instrumental, with the technologies it uses. It should be understood as a situated and mediated educational practice, one method of doing education, UemaNet • Revista PoloUm | 11


Reference singularity and multiplicity of the matter. Singularity, in virtue of which all participants in the research are teachers who work in schools in the rural area; and multiplicity because they are teachers with different backgrounds, visions of the world and act in different municipalities, schools, grades and subjects, i.e. a field quite heterogeneous. Lastly, what we wanted with this work was to develop a process that, in addition to exercise studies and production of knowledge focused on the education of teachers, generated as a result indicators relevant to subsidize training policies in DL - with a new look for countryside education. THECOUNTRYSIDE EDUCATION AND ITS ACHIEVEMENTS IN THE CONTEXT OF THE EDUCATIONAL POLICIES Brazil, in recent decades, has shown significant improvements with regard to the educational issue, especially with regard to policies for rural education. Historically, rural schools, have always been put in a second-class position, when it comes to public policy, often to schools discriminated against for being inaccessible, isolated, heterogeneous, and of complex organization. However, one cannot ignore the significant progress already achieved in terms of Brazilian law. The Federal Constitution of 1988, in its Article 205, and the Law of Guidelines and Bases for National Education (LDB) (Law no. 9,394 / 1996) established the Education as the State’s duty to the full development of the student, his preparation for the exercise of citizenship and qualifications for the work. In addition to the rights and guarantees, it can be seen that the LDB has, in fact, the recognition of the rural world as a proposal to the struggles fought by social movements, in favor of the man in the country. From then on, were laid down the rules for the education of the rural area, which, according to its Article 28, thus advocates: In the provision of basic education to the rural population, the education systems will assure the necessary adjustments to its adequacy, the peculiarities of rural life and of each region, especially:

I - Methodologies, and I - curriculum content appropriate to the real needs and interests of the students of the rural area; II - School organization itself, including adequacy of the school calendar to the phases of the agricultural cycle and climatic conditions; III - Suitability to the nature of work in the countryside.

Among other purposes, it deals with the organization of education, in distinct and complementary steps, suggesting unitary understanding of public, democratic and good education. However, there is the need to agree that much still needs to do to enforce the rights of population rural. In this sense, it is worth mentioning Fernandes (2004), when he makes the following reference: “Attending school is not the entire education, but is a fundamental social right to be guaranteed (and today still shamefully disrespected) for all of our population, from the country side from the city”. However, it is necessary to highlight the important achievements, mainly arising from the struggles of the popular movements, with emphasis on Operational Guidelines for Basic Education in the Schools, of the rural areas. It was approved by the National Council of Education/Board of Basic Education - Resolution CNE/CEB # 01, on April 3, 2002, representing a large step forward in the education field, as it incorporates a set of conceptual and structural concerns, historically present in the demands of those movements. Thus, this document reflects the new conception of space field: […] the countryside, in this sense, more than a non-urban perimeter, is a field of possibilities that streamline the connection of human beings with their own production of the conditions of social existence with the accomplishments of the human society. [...] the social movements in the field advocate for something that has not yet taken place in your state full, because perfect on the level of their aspirations. Propose changes to the existing order, making it visible, through the demands of daily life, the criticism of the established and the horizon of education inclusive school.

10 | UemaNet • Revista PoloUm


It has been witnessed constantly, in all sectors of society, the speeches emphasizing the need for change, especially in the field of education and, more specifically, with respect to countryside education. However, the concept of change deserves a serious critical reflection, especially when it comes to its insertion in the context of teacher education in a countryside school. It is clear that the world and society are going through a process of rapid and constant change, especially in the light of technological virtual innovations. Therefore, one cannot ignore the fact that the people who have access to these tools and skills to use move faster, are easily learners, in addition to the fact that they have a huge variety of information. Therefore, they have more resources and, as a consequence, greater opportunities in the historical moment in which we live and that some authors call the “information society�. On the one hand, if it is not easy to change, it is almost impossible not to try it when one is aware of the social transformations and challenges outlined for the future. In order to clarify further the perception that the change is needed Cunha (2008) describes the conception about the classroom: The classroom is no longer the space for teaching and learning outcomes. It is the scene of the encounter and the multiple possibilities, where teachers and students have to make it a time of learning, trade, discovery and experimentation. This condition requires, however, an extension of the concept of the classroom; you need explore straight lines of the rectangular space that scales it, and include the movement and the possibility of new rationalities.

From this perspective, the education begins to take new directions, making it possible to rethink the role of the teacher and, consequently, to their training and the challenges and opportunities posed by DL as modality of education that incorporates different technological resources in teaching and learning processes. It is clear that we facewith a new paradigm, where the technologies become part of

Reference the everyday life, even those who live outside of the urban environment. The younger people, for example, learn very easily to handle and communicate through the technological resources and are no longer satisfied to study in passive and receptive, intending to become autonomous subjects, responsible for the construction of their own knowledge. On the contrary of what, traditionally teachers are accustomed, in DL the teacher is also a learner: need to study every day, not only the new concepts or to use the technological resources, but, to revise their paper before the dynamic, set by the contemporary world, as well puts Moran, 2006: The internet will be great for fast pace teachers, watching the news, wanting to update, to communicate more. However, it will be a nightmare for the teacher who has become accustomed to giving lessons always in the same format, who speaks all the time in the classroom, which imposes a single type of assessment.

However, for the majority of teachers, to live in this new context is not a simple task, especially in those places where the innovations take some time to arrive. In addition, culturally are accustomed to driving, alone, the learning process. In this way, the teacher needs to change their practice, demanding of himself a thorough review of their beliefs and attitudes, i.e. strip itself of its vanities to incorporate a new behavior. Thus, learning and teaching, depending on the design that the teacher has, take different direction. Therefore, the aim in this study was to analyze and understand the DL as a strategy capable of breaking down borders and effectively promote the training of teachers who work in rural localities, without many resources to move and to participate in live formative processes. Understand that the technologies of information and communication not only break the barriers of physical distance, but also with the traditionalist methods of teaching and learning. We tried to understand and express the complexity that involves the issue before the UemaNet • Revista PoloUm | 9


Reference THE EaD REACHING THE AGRICULTURA: ANALYSIS OF THE SPECIALIZATION COURSE IN COUNTRYSIDE EDUCATION, THE MODALITY THE DISTANCE, MEDIATED BY THE CORE TECHNOLOGIES FOR EDUCATION - UEMANET Ilka Marcia R. de Souza Serra1 Eliza Flora Muniz AraĂşjo2

ABSTRACT The UEMA, through its Department of Technologies for Education-UemaNet (which makes the mediation of distance learning courses offered by this University), has established important partnership with the System Open University of Brazil (UAB) and the Department of Continuing Education, Literacy, Diversity and Social Inclusion (SECADI/MEC). The goal of this work is to develop a process that, in addition to exercise studies and production of knowledge focused on the education of teachers, generated as a result, relevant indicators to subsidize training policies in Distance Learning (ODL) - with a new perspectivefor countryside education. The specialization course in countryside education was attended by a team of teachers researchers, live and distance tutors, responsible for monitoring and guidance of students at Virtual Learning Environment AVA. Each of the courses had a computer lab that served as a support for the development of activities. Students defended their final paper after review and adjustments, as suggestions of the board of examiners. In the course were faced many challenges, among them stood out the deficiencies in the handling of the tools available for this type of education and, in some cases, the geographical distances. The centers in study were good physical in structuring and had equipment that helped in the process of teaching/learning. The UEMA, an institution also dedicated to distance learning, considered all the obstacles and sought alternatives that would help the trainees to improve their performance in

the handling of educational tools available for distance learning, enabling the Distance Learning to arrive atthe countryside.

Keywords: distance Education. Countryside Education. Training teachers.

INTRODUCTION

Currently, there is a moment filled with reflections and lectures on the major changes that have been occurring in Brazilian society, notably in terms of the educational issue. It is a recurrent debate around the need for changes in the formation of a new man to live in a new society. However, the way in which they addressed, has tobe well designed since the tendency is always to enhance the material, not the human aspect. On the other hand, are noticeable the intense and accelerated transformations that have occurred in all segments of society. The advance of knowledge has caused major changes in our lives, generating demands that needs to be answered, so that everyone can exercise worthily his citizenship. However, the school, whose mission is to educate and train new citizens, have not been able follow these changes. Therefore, it is understood that even in the face of such adversity the school cannot remain aloof from the development process, because, if so, will be marginalized in the process of building and democratization of knowledge.

8 | UemaNet • Revista PoloUm


Sumário

29 Flexibility Flexible education: a new concept of teaching

33 Research Research in distance education: reflections on theory and practice

30 Career The difficult task of teaching in the XXI century

Expedient Rector da Uema Prof. José Augusto Silva Oliveira Vice-Rector da Uema Prof. Gustavo Pereira da Costa General Coordinator of UemaNet Profa. Ilka Márcia Ribeiro de Souza Serra Assessor the Marketing and Comunication Prof. Fábio A. Santos Editor Paula Lima Reader Lucirene Ferreira Lopes, Cláudia Moraes Reporters Paula Lima, Thagiane Costa Tradutor Alfredo Pinheiro Images Ascom - UemaNet Diagrammer Josimar de Jesus Costa Almeida Contributors Andriolli Araújo, Carlos Augusto Junior, Edson Costa, Andréia Maranhão, Rômulo Coelho

A magazine from the Department of Tecnolgies for Education (UemaNet) of State University of Maranhão

UemaNet • Revista PoloUm | 7


Sumário

8 Reference The DL coming to the rural area: analysis of the Specialization course in Rural Education, in the distance, mediated by the Center for Educational Technologies - UEMANET

25 Tecnology The importance of Information and Communication Tecnology in education

16 Interview Coordinators of distance education in Maranhão talk about the role of the teacher in the XXI century.

22 Scenario Tablets: pros and cons

26 Sotlight Distance Education grows exponentially in Brazil Practice of s-Tec students

6 | UemaNet • Revista PoloUm


Letter to the Reader

Dear reader,

I

n this issue, you will know a little more about the flexibility of education. The flexible education is

gaining more space in debates on the world stage as a possible way to serve the students of the XXI century. The State University of Maranhão - Uema see this new teaching model is an effective alternative to contribute to the democratization of access to vocational education. You will be also inside of an analysis of Specialization in Rural Education, distance learning mediated by UEMA´s Department of Technologies for Education, UemaNet. You will know the pros and cons of the use of tablets in the classroom. Research shows, which are really the benefits over the use of this device, that while changes the education method, also causes

Fábio A. Santos

contradictions. In addition, we produced a story on the importance of Information and Communication Technologies (ICT) in education. In addition, it has special data on the exponential growth of distance education in Brazil. In this technological changing scenario, how are the teachers? What are their role in the XXI century? How they fit and engage students? Beyond those questions, you can also check out an interview with the coordinators of distance education from leading institutions of higher learning in the state of Maranhão. In addition, research in this area, how are evolving? Learn this and more in the pages of the PoloUm magazine. Good Reading!

Paula Lima Editors

UemaNet • Revista PoloUm | 5


SYRIAN-LEBANES INSTITUTE OF EDUCATION AND RESEARCH The UEMA partnered with the Syrian-Lebanese Institute of Education and Research. The IES gave all logistical and technological support for conducting specialized courses offered through Project Management Clinic in SUS. This was the second stage of the project, covering 20 regions. Clinical Management in Regions of Health, Regulating Health and the NHS Education for Health Preceptors SUS: In St. Louis three courses were offered. The courses were offered for technicians in the health of the state and municipalities.

4 | UemaNet • Revista PoloUm Núcleo de Tecnologias para Educação


Editorial

C

our state.

terms of what is allowed to call today’s technological

and extension, always in the service of the people of

the new dynamics of time and space, redefined in

even more promising in terms of teaching, research

to the challenges posed by

silent and paced, that will take us to new heights,

the role of education systems

free discovery of knowledge. This is our revolution,

one cannot fail to consider

Center for Educational Technologies (UemaNet), the

technologies. In this context,

possible instruments, as already practiced by the

communication

tion

of knowledge. It is our desire to mediate, with all

with the so-called informa-

indispensability of interactions for joint construction

ing evidence of its alignment

has sought to emphasize the increasingly flatter

has been giving increas-

With this perspective, the MaranhĂŁo State University

ontemporary

Foto: Wagner Moreira

and

society

revolution.

In this edition of PoloUm, it already reveals that horizon,

challenges!

the emergence of a multiplicity of channels to access

a new world. Let us build our actions from these new

interests of everyone. This impact is related directly to

direction. A new University is rising, contextualized to

learning, formal or informal, available adjusted to the

demonstrates the steps taken by Uema in that

for Education insofar as they develop new ways of

versus the traditional mechanisms of education,

transforming our worldview. New paths are open

itself, also understood as an innovative process

our personal and organizational relationships,

and show signs of the new times. Distance education

Such phenomenon is having a deep impact on

to knowledge, once nonexistent, and sometimes even dominate, given the speed of obsolescence to which they are subject. In this sense, the information acquired in contemporary will never be enough, because only serve as a basis for the constant initiations that are necessary. It is known, however, that the challenge posed by this

Gustavo Pereira da Costa Vice-Rector

revolution is not the centrality of useful information today, but in the generation of knowledge and devices for processing it, in a cumulative feedback loop, between innovation derived from them, and their uses. In times of mobile learning, learning through social networking, collaborative learning, and open educational resources, gamification of education and the semantic web, educational institutions cannot consider only the current educational paradigm since the Enlightenment.

UemaNet • Revista PoloUm | 3


The quality you seek is here: www.uemanet.uema.br

Specializations in the distance UEMA .Rural Education .Teaching Genetics

.Psychology of Education .Public Management

.Municipal Public Management .Health Management

2 | UemaNet • Revista PoloUm Núcleo de Tecnologias para Educação


Ano III - nº 05 ISSN: 32317-532X

A magazine from the Department of Tecnologies for Education of Universidade Estadual do Maranhão

Fonte: diariodeumacolheita.wordpress.com

• COORDINATORS OF DISTANCE EDUCATION IN MARANHÃO, TALK ABOUT THEACHER’S ROLE IN XXI CENTURY • FLEXIBLE EDUCATION: A NEW CONCEPT OF EDUCATION

Profile for UemaNet

Revista PoloUm nº05  

Uma produção do Núcleo de Tecnologias para Educação da Universidade Estadual do Maranhão - UEMANET.

Revista PoloUm nº05  

Uma produção do Núcleo de Tecnologias para Educação da Universidade Estadual do Maranhão - UEMANET.

Profile for poloum
Advertisement