Page 1

1

I nformat ivo U n iver s i tár io Ano: 2012 |

Edição: 001 | Belo Horizonte- MG |

Jornalismo | 3 º período

O que é TIG? Pg 02

Entrevista com Rodrigo Neiva Pg 03

Top 10 do Cinema Pg 06


2

O Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH), realizou nos dias 20,21 e 22 de Junho, o Circuto Acadêmico de 2012. O evento aconteceu no Campus Estoril, localizado na Avenida Prof. Mário Werneck, 1685, Estoril, Belo Horizonte – MG.

O que é o TIG? O Trabalho Interdisciplinar de Graduação (TIG), é uma disciplina prática que tem como proposta, reunir em um trabalho de campo, as demais matérias que integram a grade curricular do aluno. No Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH) essa disciplina faz parte da grade curricular do aluno, até o 5º período, e é obrigatória o cumprimento da carga horária e aprovação na disciplina. Durante o semestre, os alunos serão orientados pelo professor da matéria, sobre as regras de construção, apresentação e avaliação do trabalho interdisciplinar, sempre em conformidade com os planos de ensino indicados pelos professores das demais disciplinas, que integram a grade do aluno. Desenvolvida em formato semipresencial, as atividades do TIG são desenvolvidas em dois momentos. Em sala, os alunos são orientados e acompanhados durante a produção do projeto, para que nos momentos não presenciais ele possa ir a campo, capacitado a desenvolver o trabalho proposto pela disciplina.

Apresentação de trabalho no Circuito Acadêmico.


3

Entrevista Em entrevista com o direto do Instituto de Comunicação e Designer (ICD) do UniBH, o professor Rodrigo César Severino Neiva, relatou quais são as expectativas da instituição em relação aos trabalhos apresentados no Circuito Acadêmico de 2012. Por que inserir a disciplina de TIG na grade curricular do aluno? A discussão sobre interdisciplinaridade não é nova. Desde o fim da década de 50 ela já é vista como uma resposta a excessiva para a especialização e fragmentação do saber. No UniBH, esta disciplina está inserida nos cursos de graduação desde 2009, como forma de promover um trabalho em equipe e desenvolver a autonomia do aluno, que aprende a identificar problemas, buscar explicações e propor soluções para eles.

e os Tablet’s. Os alunos de Design de Moda atuam desde a concepção até a produção e execução de um desfile. Em minha opinião, este é um grande diferencial do UniBH. O TIG continuará integrando a grade curricular dos alunos do UniBH? Com certeza. Dentro do paradigma da interdisciplinaridade, estão alunos e professores, amadurecendo a cada ano e um indício de que estamos no caminho certo são os trabalhos de altíssimo nível apresentados pelos alunos no Circuito Acadêmico e na TV UniBH, além das excelentes notas que estamos recebendo do Ministério da Educação(MEC).

Qual a principal discussão que o UNIBH pretende proporcionar ao aluno que elabora o TIG? O UniBH pretende formar um profissional qualificado a enfrentar os desafios que surgem no mundo contemporâneo. Costumo dizer que quando me formei em Relações Públicas, a internet era algo embrionário. Hoje as mídias sociais representam um grande desafio para a gestão de marcas e imagem das organizações. Portanto, desenvolver a autonomia para a busca de conhecimento é algo fundamental para a formação de nossos alunos. Você teria alguns trabalhos para citar que definitivamente contemplaram a proposta do TIG? Sim. Os alunos de engenharia, por exemplo, logo no primeiro módulo, inovam e constroem protótipos; já os de jornalismo estão lidando com o jornalismo online, utilizando recursos tecnológicos como os iPads

Diretor do Instituto de Comunica;áo e Designer (ICD) do Uni-BH, professor Rodrigo César Severino Neiva.


4 TIG III Neste semestre, os alunos do 3º período, do curso de jornalismo da manhã, desenvolveram atividades vinculadas ao cinema. Eles tiveram liberdade de escolher o foco que dariam ao trabalho, desde que não fugissem dessa temática. Foram apresentados diversos temas, como: “As canções que marcaram o cinema”, “ Do Vale tudo ao MMA”, “ Motivação no esporte”, etc. Os alunos puderam contar com o auxílio dos professores do próprio UNI-BH, em especial a professora Angela de Moura que orientou o trabalho, e o professor Leonardo Cunha que leciona a disciplina Fundamentos de Cinema, fundamental para o desenvolvimento de todos os trabalhos.

As canções no cinema O cinema, criação dos irmãos Lumière, nunca foi totalmente mudo, o que não havia era um método de sincronização entre o som e a imagem. Este processo de sincronização se tornou possível no ano de 1927, com a criação do Vitaphone, máquina de grande porte responsável pela projeção do filme em um disco de 33 rotações, o que era uma revolução para a época e posteriormente seria trocada pelo sistema Movietone. A trilha sonora já existia, mas era tocada por orquestras, ao vivo, durante a exibição dos longas. O primeiro filme sonoro lançado comercialmente foi, “O Cantor de Jazz” em 1927. Os estúdios Walt Disney também investem neste estilo de animação sonora e lançou “Fantasia” em 1939, produção que permite que a ação dos personagens seja subordinada a música. Passou a ser inevitável pensarmos em cinema e nas suas produções cinematográficas, sem nos lembrarmos de suas canções marcantes, como por exemplo, My Heart Will Go On do filme Titanic, I Will Always Love You de O Guarda- Costas e Osso Duro de Roer do Tropa de Elite. A música tem a capacidade a de ampliar a interação entre o espectador e o filme, conseguindo despertar diversas sensações e emoções, exercendo uma grande influência sobre as pessoas e seus sentimentos.

Cartaz do filme “O Cantor de Jazz“

Cartaz do filme “Fantasia“


5

A música nos filmes No 3º período do curso de jornalismo, o grupo composto pelos alunos, Ione Caetano, Juçara Moreira, Júlio Leão, Paula Vieira, Paola Gomes e Poliana Micheletti, focaram a proposta do TIG, abordaram como proposta “As canções que marcaram a história do cinema”. Os componentes abordaram a influência que as canções nas produções cinematográficas, podem causar na vida dos espectadores. Buscando responder qual é a sensação que eles sentem, ao ouvir a trilha musical de determinado filme. Para isso, foram selecionadas dez canções de sucesso, que marcaram a história da sétima arte, e de que alguma maneira proporcionou aos entrevistados uma relação direta entre a produção da canção escolhida, e seu cotidiano. Os alunos produziram um produto audiovisual, de quatro minutos, com entrevistas de alguns profissionais que explicaram com mais propriedade o assunto abordado. Foram entrevistados o professor Leonardo Cunha, a blogueira Rafaella Arruda, e populares que deram suas entrevistas para o povo fala depois de ouvirem trechos musicais e associá-los aos as suas experiências. Os alunos desenvolveram produtos midiáticos, contextualizados com a realidade do cinema. Integrando as disciplinas de Fundamentos de Ciências Políticas, Fundamentos de Cinema, História do Jornalismo, Planejamento Gráfico e Redação Jornalística I. Alguns obstáculos foram encontrados pelos integrantes para realizar o TIG III. Entre eles, a escolha de um foco para o tema principal, a seleção dos filmes e dos entrevistados, e a realização do povo fala. A apresentação do grupo no Circuito Acadêmico foi avaliada pelos professores Maurício Guilherme e Hamilton Flores, que satisfeitos com a apresentação elogiaram os integrantes pelo tema escolhido.


6

Você sabia? A primeira premiação do Oscar aconteceu no ano de 1929, com relação aos filmes que foram exibidos no ano anterior. Em meados da década de 30, no dia 27/02/1935, aconteceu a primeira premiação do Oscar referente a música. Foi premiado o filme The Goy Divorce de 1934, nas categorias de melhor canção “The continental” e melhor trilha sonora, com a música “One Light of Love” – Columbia Studio Music Departament.

Os 10 mais do cinema As canções dos filmes abaixo são consideradas, como algumas das que mais marcaram a história da sétima arte: 1º- 2 Filhos de Francisco - A História de Zezé Di Camargo e Luciano 2º- Ghost – Do Outro Lado da Vida 3º- Missão Impossível 4º- O Guarda-Costas 5º- O Rei Leão 6º- Psicose 7º- Titanic 8º- Top Gun – Ases Indomáveis 9º- Tropa de Elite. 10º- Uma Linda Mulher


7

Espaço Acadêmico Expocom 2012 Premiando alunos de diferentes instituições de ensino superior, a Exposição de Pesquisa Experimental em Comunicação (Expocom), será realizada no Centro de Artes e Convenções da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). O evento, que é organizado pela Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom), acontecerá entre os dias 28 e 30 de junho. Com o objetivo de premiar os melhores trabalhos produzidos pelos alunos das graduações, que englobam a comunicação, a exposição é subdividida em três etapas: locais, regionais e nacionais, para classificar as produções participantes. Os estudantes podem inscrever trabalhos nas categorias: Cinema e Audiovisual; Jornalismo; Publicidade e Propaganda; Relações Públicas; Produção Editorial e Produção Transdisciplinar em Comunicação. Vencendo em sua categoria o aluno participante recebe troféus e prêmios em dinheiro. O Centro Universitário de Belo Horizonte (Uni-BH), é umas das instituições que tradicionalmente inscreve seus alunos na Expocom. Neste ano, 13 trabalhos foram classificados para concorrer às premiações. Abaixo, os respectivos trabalhos e alunos responsáveis por eles.


Expediente Centro Universitário de Belo Horizonte UNI-BH Cordenação Fernanda Bastos Professor responsável Leandro Canabrava Disciplina Planejamento Gráfico Alunos Ione Caetano Juçara Moreira Júlio Leão Paola Gomes Paula Vieira Poliana Micheletti


Informativo Universitário  

Avaliação final referente a disciplina de Planejamento Gráfico

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you