Page 72

71

Este material orientou várias dinâmicas corporais ao longo das etapas da pesquisa. As propriedades acima descritas também foram trazidas na orientação de atividades de pesquisa criativa, visando desdobrar suas possibilidades. Frisamos que os pólos não se esgotam em si, como nos modelos dualistas dicotômicos, mas agenciam configurações múltiplas a partir de sua mútua articulação. Assim, entre o curto e o longo, ou entre o vazio e o cheio, por exemplo, há uma pluralidade de atualizações possíveis e sempre renováveis. Como há também as relações de reciprocidade, reversibilidade, interdependência, complementaridade e ambivalência. A seguir descreveremos alguns exercícios que partiram dessa matriz, partindo-se sempre de um dos pares acima enumerados: A. Diagonais individuais: z

z

Diagonais em que se busca a transformação gradual de um pólo para o outro do duplo. Por exemplo, saída com movimento centrípeto aos poucos se transformando em centrífugo. Aqui está implícita a propriedade de interconsumo orientando a dinâmica. Diagonais onde se busca a mudança súbita de um estado em sua polaridade máxima para o inverso. Como uma saída em movimento o mais sombrio possível até o centro, a partir do qual se troca subitamente para movimento luminoso. A característica marcante aqui é de inter-transformação.

B. Diagonais em dupla: z

Cada um sai de um canto da sala, com energias opostas. Vão se dirigindo gradualmente para o outro pólo do par yin yang escolhido, e encontramse no centro buscando estarem em equilíbrio simétrico (no meio do caminho entre os pólos) nesse ponto, para, a partir daí, irem trocando as polaridades com as quais iniciaram o exercício. Por exemplo, um sai de um lado com movimento de recepção e outro com movimento de penetração, no centro eles devem estar com movimentação intermediária entre os pólos, para depois cada um ir buscando a outra polaridade. Aqui se busca enfatizar o caráter oposto, complementar e interdependente dos duplos. Outra variação é saírem das extremidades

Gipe cit 19 (tradução de artigo)  

Ciane Fernandes Tradução: Melina Scialom SEM PERDA DE MEMÓRIA: UMA EXPLORAÇÃO COREOGRÁFICA

Advertisement