Page 49

48

propósito, precisão (Tempo/Duração); Ar - leveza, liberdade (Espaço/Altura). Após cada elemento ser associado às direções, estas puderam ser referenciadas no corpo através da noção de espaço pessoal e espaço geral3. Outros princípios de igual importância em ambos os sistemas (ritual e cênico) e de relação mais explícita foram: as canções motivadoras (rituais) e a exploração de corpo/sonoridades/vocalidades (LABAN/BONNIE B. COHEN), os conteúdos das histórias de vida e das memórias corporais (ambos os sistemas), a harmonia do coletivo (ritual) e a harmonia da dança-coral (LABAN), sendo que esta última relação teve importância fundamental durante todo o processo de preparação e criação cênica. A utilização da expressão “dança-coral”, nesta pesquisa deve-se também ao fato de que ambos os termos são explorados em seu sentido “primário”, o gestual dançado e o coral de vozes. Este, por sua vez tem dois significados (união de vozes cantadas e de vozes do corpo em movimento). Os movimentos e gestos são cantados e a ação vocal é realizada com o corpo todo. Nesse sentido essa noção aproxima-se do caminho labanista de explorações vocais para ampliação expressiva.

3. Por uma dança-coral-ritual Antes de iniciar um breve relato sobre o processo criativo, convém situar a noção de dança-coral, também chamada de movimento coral. Segundo o Dicionário Laban, de Lenira Rengel (2003, 83), Movimento coral é o nome dado a uma forma de dança que buscava um sentido coletivo e comunitário, festivo, criativo e terapêutico. Entre 1920 e1933, Rudolf Laban, Albretcht Knust e Martin Gleisner fizeram inúmeros movimentos corais ou danças corais (este termo é similar a um coro de cantores, com várias vozes), nas suas escolas, com seus alunos e com muitas outras pessoas, principalmente com trabalhadores de diversos ramos. A Teoria de Movimento de Rudolf Laban era aplicada nestas danças por meio do que ele denominou de episódios 3

O espaço pessoal ou cinesfera é aquele cujos limites são os pontos que podem ser tocados com todas as partes do corpo. No espaço pessoal, podemos nos movimentar tendo como referência as linhas, os planos e os volumes. O espaço geral é o da locomoção, da variedade de trajetos e caminhos, é o espaço da relação com os outros.

Gipe cit 19 (tradução de artigo)  

Ciane Fernandes Tradução: Melina Scialom SEM PERDA DE MEMÓRIA: UMA EXPLORAÇÃO COREOGRÁFICA

Advertisement