Page 167

166

(organização contralateral do corpo). O alongamento das pernas é iniciado primeiramente pelo joelho esquerdo e depois pelo joelho direito, circulando pelo plano horizontal. Desta forma o movimento se torna transverso e sucessivo, com maior conexão entre as partes do corpo, menos periférico e seqüencial, como minha tendência freqüente. Então, no impulso apaixonado, sustentado pela forma fluida, eu rolo para a posição pronada, levada pelo meu braço e perna esquerdos alongados na dimensão vertical. Continuo o rolamento, agora trazendo a parte direita de meu corpo para fora do chão, deixando o peso em minhas costas. Nesta parte, o ritmo lento me leva à forma fluida, respirando e sentindo meu peso (passivo) e respiração. Gradualmente eu fecho e encolho (esvazio) em direção ao centro frente, com uma leve forma espiral cada vez mais controlada. Este movimento evoca uma imagem dolorosa e poderosa - a de um tetraplégico que cuidei em meus anos de enfermeira -, além de sonhos com mulheres em cadeiras de rodas. Esta é a base do meu fluxo controlado: não mover e não respirar. É interessante lembrar que os Bartenieff Fundamentals, assim como os Princípios de Movimento, foram desenvolvidos por Bartenieff na recuperação de pacientes de poliomielite, e não por acaso fizeram parte de todo o processo de Sem Perda de Memória. O peso da parte inferior do meu corpo me leva a cair em direção ao chão em um movimento com leve impulso apaixonado. Este é um exercício em deixar as coisas acontecerem por elas mesmas, sem apressá-las, mesmo que leve mais tempo. Circulo meu braço direito em torno de minha cabeça e começo a circular minhas pernas no plano horizontal do corpo, com uma conseqüente mobilidade no resto do corpo. Estes movimentos envolvem um suporte de respiração e impulso apaixonado maiores e mais intensos que na frase de movimento anterior. Estes movimentos trazem a sensação de volta às minhas pernas, liberdade para se mover. Na sétima vez, o impulso me leva a rolar para a posição de bruços.

Seqüência C Após o giro rápido e livre, deitada no chão, trago minha pélvis para trás (no caso, em direção ao teto), em direção ao centro com controle e desaceleração (estado móvel) e depois de volta ao centro. Depois levo minha cabeça levemente

Gipe cit 19 (tradução de artigo)  

Ciane Fernandes Tradução: Melina Scialom SEM PERDA DE MEMÓRIA: UMA EXPLORAÇÃO COREOGRÁFICA