Issuu on Google+

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E AIDS EM CRIANÇAS MENORES DE 13 ANOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Carmen Silvia Bruniera Domingues Programa Estadual de DST/Aids de São Paulo

Maio - 2014


METAS DO PLANO GLOBAL - UNAIDS


ELIMINAÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV ATÉ 2015 MSP – taxa de TVHIV 2,8%

 2 crianças HIV+/100 mães soropositivas  0,3 caso HIV+ ou menos por TV em 1.000 NV


Figura 1. Gestantes/parturientes/puérperas HIV positivo, taxa de detecção* (TD) e número de serviços notificadores, segundo ano de diagnóstico. Município de São Paulo, 2001 a 2013**.

700

4,0

600

3,5

10%

3,0 2,5

400

2,0 300

1,5 200

1,0

100 0

Casos

0,5

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012

2013

440

552

626

594

452

483

470

440

445

388

391

430

240 67

Nº de serviços

34

51

63

58

58

69

59

61

66

63

60

66

TD

2,5

3,1

3,6

3,4

2,6

2,9

2,7

2,5

2,6

2,2

2,2

2,4

Ano do diagnóstico Fonte: Sinan - CCD/COVISA Notas: * Taxa de detecção por 1000 nascidos vivos-ano. Utilizada população de nascidos vivos do SINASC/CEInfo SMS PMSP **Dados preliminares até 30/06/2013, sujeitos a revisão mensal

0,0

TD (por 1000 NV-ano)

Nº de casos/serviços

500


PERFIL - GESTANTES/PARTURINTES/PUÉRPERAS HIV POSITIVO - MSP IDADE  9% (555 casos) com menos de 20 anos de idade  Adolescentes - aumento de 38% (de 34 para 47 casos) entre 2011 e 2012  20 a 24 anos aumento de 29% (84 para 108 casos) entre 2011 e 2012

TARV no Pré-natal  6.341 gestantes – 2000 a 2013

- 5.510 (87%) com informação de TARV no PN (uso ou não uso) - 831 (13%) sem PN

 Das que realizaram PN (desde 2007) - mais de 85% usou TARV

2007-2013 250 gest. sem TARV 92 - Ignorado


PERFIL - GESTANTES/PARTURINTES/PUÉRPERAS HIV POSITIVO - MSP 2007 a 2013*

65% parto cesáreo

 Mais de 80% usaram ARV durante o parto  Mais de 90% (2012 – 94%) dos recém-nascidos receberam ARV nas primeiras 24 hs

* Dados até 30/06/2013


Figura 2. Gestantes/parturientes/puérperas HIV positivo e crianças expostas, segundo ano de diagnóstico. Município de São Paulo, 2000 a 2012. 700

2000-2013 5.673 cri exp.

600

Nº de casos

500

400

300

20% (1.134) Perda de seguimento

185 (3,3%) infectadas

200

100

0

2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012

Ano de diagnóstico Fonte: Sinan - CCD/COVISA

Gestantes HIV+

Crianças expostas


PERFIL – CRIANÇA EXPOSTA AO HIV MATERNO MSP 2007 a 2013* 2.704 crianças expostas notificadas  71% (1.913) usaram ARV por 6 semanas

722 (27%) sem informação do uso de ARV e 27 casos sem uso  27 crianças exposta amamentadas (7 infectadas, 13 não infectadas e 7 sem informação)

 568 (21%) crianças expostas sem informação do aleitamento

* Dados até 30/06/2013


PERFIL – CRIANÇA EXPOSTA AO HIV MATERNO MSP 2007 a 2013* 2.704 crianças expostas

1.603 (59%) encerradas:

 66 (2,4%) infectadas e 1.537 (57%) não infectadas  776 (29%) em seguimento (2010 a 2013*), destas 244 (31%) já poderiam estar encerradas  268 (10%) perda de seguimento/ign (04 casos) Nos casos encerrados (1.603 casos):  92% das mães realizaram o diagnóstico antes ou durante PN (nas crianças infectadas – 85%)  78% das mães realizaram PN * Dados até 30/06/2013


Figura 3. Crianças expostas ao HIV materno, segundo Coordenadoria Regional de Saúde e tipo de encerramento. Município de São Paulo, 2007 a 2013*. 700

29% infect 26% perdas

600

500

25% perdas

Nº de casos

400

300

200

100

0

Infectada Não infectada Perda de seguimento Em andamento Total da CRS

Centro-Oeste 8 166 41 62 282

Fonte: Sinan Net - CCD/COVISA *Dados até 30/06/2013

Leste 14 421 42 172 666

Norte Sudeste 19 12 335 291 67 65 227 166 661 550 Coordenadoria Regional de Saúde

Sul 13 311 43 151 524


Figura 4. Taxa de incidência (TI*) de Aids em crianças menores de 13 anos de idade, segundo ano de diagnóstico. Município de São Paulo, 1991 a 2012. 0 a 4 anos 18,0

10 a 12 anos

17,0

16,0

TI (por 100.000 crianças-ano)

5 a 9 anos

14,0

1984-2013** 2.315 casos

1997 – 2012 TI < 5 anos

1.750 < 5 anos

86,5%

(76%)

12,0

1997 – 2012 TI < 13 anos

10,0 7,8

8,0 6,0

4,0 2,0

87% (de 8,5 – 1,1)

5,3 3,5 1,9

2,4

2,3

2,4 0,4 0,2

0,0

1991199219931994199519961997199819992000200120022003200420052006200720082009201020112012 Ano de diagnóstico Fonte: Sinan Net - CCD/COVISA *TI por 100.000 crianças em cada faixa etária específica

** Dados até 30/06/2013


Figura 5. Casos de Aids em crianças, por transmissão vertical, segundo ano de diagnóstico. Município de São Paulo, 1987 a 2013*. 200

AZT

1987 a 2013* 2.006 casos por TV

180

160

1997-2011 89% Inibidores de protease

140

Teste rápido maternidades

Nº de casos

120

100

80

Fórmula láctea

60

Profilaxia tripla na gestante

40

20

0 Nº de casos

1987 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 17

33

47

70

91

97

92

121 134 145

183 136

125 106 108

84

Ano de diagnóstico Fonte: Sinan Net - CCD/COVISA * Dados até 30/06/2013

101

54

46

45

40

28

26

31

21

18

7


Figura 6. Taxa de mortalidade (TM*) por Aids em crianças, segundo ano de ocorrência do óbito. Município de São Paulo, 1987 a 2012. 4,0 3,5

3,5

2002 - 2012 TM 71%

TM (por 100.000 crianças-ano)

3,0

2,5

2,0

1,5

1,0

1,2

941 (41%) óbitos

0,5

0,4

0,0 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Ano de ocorrência do óbito Fonte: Sinan Net - CCD/COVISA * TI por 100.000 crianças em menores de 13 anos de idade


Figura 7. Casos notificados de HIV/AIDS, óbitos em menores de 13 anos de idade e crianças vivendo com HIV/AIDS, Município de São Paulo, 1984 a 2013*. 1600

1498

1400

Nº de casos e óbito

1200

1000

800

600

400

200

0 1984

1986

1988

1990

1992

1994

1996

1998

2000

2002

2004

2006

2008

2010

2012

Ano de diagnóstico/óbito Casos HIV/AIDS Óbitos Fonte:Sinan W/Net - CCD/COVISA

Crianças vivendo com HIV/AIDS


Figura 8. Casos de Aids em crianças menores de 13 anos, segundo Coordenadoria Regional de Saúde. Município de São Paulo, 2007 a 2013*. 600

46% dos casos

500

Nº de casos

400

300

200

100

0 Nº de casos

CRS Centro-Oeste 293

Fonte: Sinan Net - CCD/COVISA

CRS Leste 467

CRS Norte CRS Sudeste 522 543 Coordenadoria Regional de Saúde

CRS Sul 349


CONSIDERAÇÕES I Diagnóstico de Aids em crianças com pouca idade pode sugerir: 1.311 (63%) crianças ≤2 anos, entre 1987-2013, MSP  Não realização de PN  Falha na identificação do HIV durante a gestação ou no momento do parto  Mãe em situação de vulnerabilidade (adolescentes, uso de drogas, vivendo em situação de rua, privadas de liberdade etc)  Ausência de acompanhamento da criança exposta Sispacto 2013 – 2015: Redução em 10% da incidência de Aids em menores de 5 anos:  MSP 2010 e 2011 – Redução de 5,6% (de 18 para 17 casos)  MSP 2011 e 2012 – Estável (17 casos), sem redução


CONSIDERAÇÕES II  Vigilância da TVHIV deve ser realizada do início da gravidez até o encerramento da criança exposta – definição de infectada ou não infectada  Gestantes

infectadas

devem

ser

monitoradas

e

todas

as

medidas

profiláticas/preventivas devem ser instituídas para evitar a passagem do vírus para a criança  Notificação da mulher grávida HIV+ deverá ser realizada idealmente durante a gestação – no PN, se não ocorreu neste momento, a mesma poderá ser feita no momento do parto (como parturiente) ou após o parto (como puérpera).


CONSIDERAÇÕES III  Para alcançar a meta global de redução do número de crianças infectadas até 2015 será necessário investimento em outras estratégias de prevenção:

- prevenção primária do HIV em mulheres - acesso à contracepção - serviços/programas de planejamento familiar  Serão necessários esforços para aumentar acesso ao diagnóstico precoce, adesão ao tratamento e vinculação aos serviços especializados de gestantes

HIV positivo e crianças expostas


...PORTANTO, Mテグ NA MASSA


OBRIGADA! carmen@crt.saude.sp.gov.br


Tvhiv msp finalcarmen