Issuu on Google+

DIABÓLICA POR BAIXO NOVOS FITADOS DO CURSO DE DIREITO

UNIVERSIDADE DE COIMBRA Q U E I M A D A S F I TA S 2 0 1 4


“Capa negra usei, por Coimbra me apaixonei.” Coimbra, nossa Coimbra, tens escritas nas pedras seculares histórias de outros tempos. Foste o marco da juventude de um país. Serás sobretudo um marco na nossa juventude. Com o Mondego aos pés e a praça cheia de estudantes. Com as infinitas Monumentais e o badalar da velha Cabra. A capa aos ombros ao passar no Arco de Almedina. O fado que as guitarras tocam durante as serenatas. A Queima das Fitas e a Festa das Latas. Da alta até à baixa, não há nada que manche mais as tuas paredes se não esta saudade. Este amor que entristece por se conhecer o seu fim, por se saber que por muito eterna que sejas, em breve pertencerás a outros e o que nós em ti vivemos será vivido por eles. Não me interpretes mal, não há maior orgulho do que sentir que abraçamos uma herança de gerações perdidas no tempo e que a passamos aos que vêm depois, tal como nos foi entregue a nós. É respirar-te Coimbra! É o orgulho de vestir de negro e ver as tuas ruas varridas constantemente pelas nossas vestes. Iremos sempre emocionar-nos com o luar espelhado no Mondego. Por tudo o que nos deste, por todos os que nos deste, terás sempre lugar em nós. Cegos não seremos, porque te vimos, com os olhos e com o coração, e viveremos para sempre, porque sabemos que te amámos.

Saudações Académicas

A Comissão Central da Queima das Fitas 2014


PEREGRINANDO Um dia, no aconchego do lar ou em convívio de amigos, sonhastes com a justiça, Coimbra, a Universidade e a sua Faculdade de Direito. A justiça, virtude e cimento de qualquer sociedade, condição essencial da paz que alguém definiu sabiamente como “opus iustitiae”. Virtude que nos percorre permanentemente, ora confortando-nos, ora censurando-nos e sempre agitando-nos. E, orientados por este sonho que se tornou bússola, partistes e, sem vos perderdes na difícil peregrinação da vida, chegastes com natural expectativa. Atravessastes a porta férrea, percorrestes a via latina e entrastes numa sala de aula, areópago de sabedoria por onde passaram muitos Mestres ilustres e Estudantes distintos com os mesmos ideais, as mesmas dúvidas e igual ambição. Depois, durante dias, meses e anos, assististes a lições magistrais e participastes em aulas práticas que paulatinamente vos iam formando em ciência jurídica. E ouvistes o ranger dos sinos da torre setecentista que, logo de manhã, convocava para a atividade académica e, à noite, desconvocava para o descanso merecido. De vez em quando, esses sons inesquecíveis confundiam-se com o voo e o piar do mocho de Minerva, qual “anjo da guarda” que parecia cuidar de vós no conforto da sabedoria.


E, neste ambiente fraterno, feito de momento fáceis e difíceis, fizestes de cada condiscípulo um amigo, cumprindo-se a lição de Aristóteles de que “é preferível perder o tempo com os amigos a perder amigos com o tempo”. Assim se realizava o sonho que valeu a pena sonhar. Estais espiritualmente mais ricos, formados em Direito, aptos para servir a Justiça. E agora? Vão começar as saudades, outras dúvidas e sonhos irão surgir. Todavia, podeis contar com a nossa Faculdade, esta segunda Casa, que também se orgulha de vós e, de braços abertos, vos receberá sempre, sempre, sempre … Desejo-vos as maiores felicidades. O Diretor António dos Santos Justo


Um sorriso na despedida Amigos, Quatro anos volvidos, eis-nos cantando a Saudade, como os poetas de hoje e outrora, fitando o leito sereno do Mondego, esse rio que transportou as lágrimas de muitos, pelos séculos, e às quais se juntam as nossas, no lamento da despedida. Mas que é a despedida senão o reconhecimento vívido e sincero de uma ternuren ta felicidade que se disseminou como ventosde de leitoso vivenciar? No aceno do adeus, abrimos o espírito e calcorreamos, logo ali, as calçadas da memória, os passos onde nossos pés nos conduziram, marionetas do Fado, mentes que se encontraram no acaso fortuito de experiências académicas e delinearam relações que os outros invejam, ávidos de companheirismo e amizade. Os sentimentos espraiem-se, agora, pelas margens do rio, recordações doces de caminhadas, cruzando a ponte, onde um antro de leviana euforia, espelho da mítica irreverência juvenil, nos aguardava para, envoltos nos encantos de Baco, varrer da mente os pensamentos apoquentados das provas finais, essas orais nos Gerais vetustos, experienciando somente, como em muitas outras noites de convívio, pelas ruas e vielas da cidade, a liberdade feliz de ser jovem estudante em Coimbra! Mas uma nova viagem nos aguarda, por essa arena de festividade, antes do debruçar profundo sobre o futuro incerto… contudo, rogo, portentoso!


Da diversidade construímos os laços que nos unem, filhos de um tempo, contudo reflexo das inauditas capacidades de um pulsar de rejuvenescência. Escutando o toque da Cabra, no alto da sua torre, estudámos os emaranhados recantos do Direito, visando aprender como alcançar a Justiça, Helena guardada além-muros, numa Tróia de indefinidos contornos. Aliando assim a sabedoria à vivacidade e puerilidade que ainda nos marca, nossos risos esparziram-se pelas calçadas e deixaram nossas vozes gravadas nas pedras, lembranças de experiências sempiternas, mais tarde refúgio da alma em tempos que não voltam… mas perduram, pincelados de Saudade! Os termos são escassos para descrever em curtos traços o orgulho que detenho em cada um de vós, a amizade que nos liga e o quanto vos agradeço pelos quatro anos mais felizes da minha vida. Trabalhámos arduamente para desta Cidade carregarmos, no brilho da memória, um sorriso pelo que largámos para lá da Porta Férrea, baluarte de sabedoria e símbolo último de uma Academia, essa da Capa Negra com que nos cobríamos, no magote que escutava os acordes dessas Vozes que souberam cantar Coimbra! Fomos e sempre seremos Estudantes da Universidade de Coimbra e Sócios da Associação Académica de Coimbra, essa una Casa que nos recebeu e à qual demos muito do que nos marca e define!

Com um sorriso nos lábios, arco-íris que se segue à nebulosidade do pranto, agradeço a todos a vossa sincera amizade, desejando-vos as maiores felicidades, quando, juntos e isoladamente, palmilharmos esses incógnitos caminhos, pelos anos… O Vosso Presidente, Tiago Coelho Magalhães


Novos Fitados de Direito Alice Neves de Brito Lopes Ana Patricia Campos Pino André Filipe Rosa Morais Catarina Lucília Manuel de Almeida Cátia Sofia Barata Marques Cristiano José Ferreira Martins Gabriela Maria Castelo Branco Vieira da Costa Inês Cabete Pereira Inês Sofia Rolo Ferreira João Carlos Ferreira Borges João Guilherme Esteves Novo Soares João Nuno Gonçalves da Silva João Pedro Grade Gonçalves Maria Cristina Morais Campos Gil Mariana Coelho dos Santos Mariana Magalhães Marques Leitão Marta Inês Soares de Almeida Marta Raquel dos Santos Baptista Miguel Albino dos Santos Ferreira Raquel Margarida Cardoso Barroso Ricardo Nuno Gonçalves Pires Soares Chula Sara Ferreira da Costa Hall Tiago Manuel Coelho Magalhães Vasco Rafael dos Santos Sousa Vieira


Alice Neves

Ana Campos

André Morais

Catarina Almeida

Cátia Barata

Cristiano Martins

Gabriela Costa

Inês Cabete

Inês Ferreira


Jo達o Borges

Guilherme Soares

Jo達o Nuno Silva

Jo達o Grade

Cristina Gil

Mariana Coelho

Mariana Leit達o

Marta Almeida

Marta Baptista


Miguel Ferreira

Raquel Barroso

Ricardo Chula

Sara Hall

Tiago Magalh達es

Vasco Vieira


Alice Neves de Brito Lopes


Ana Patricia Campos Pino


AndrĂŠ Filipe Rosa Morais


Catarina LucĂ­lia Manuel de Almeida


Cรกtia Sofia Barata Marques


Cristiano JosĂŠ Ferreira Martins


Gabriela Maria Castelo Branco Vieira da Costa


InĂŞs Cabete Pereira


InĂŞs Sofia Rolo Ferreira


Jo達o Carlos Ferreira Borges


Joรฃo Pedro Grade Gonรงalves


Maria Cristina Morais Campos Gil


Jo達o Guilherme Esteves Novo Soares


Joรฃo Nuno Gonรงalves da Silva


Mariana Coelho dos Santos


Mariana Magalh達es Marques Leit達o


Marta InĂŞs Soares de Almeida


Marta Raquel dos Santos Baptista


Miguel Albino dos Santos Ferreira


Raquel Margarida Cardoso Barroso


Ricardo Nuno Gonรงalves Pires Soares Chula


Sara Ferreira da Costa Hall


Tiago Manuel Coelho Magalh達es


Vasco Rafael dos Santos Sousa Vieira


Agradecimentos

Vimos assim agradecer a todos aqueles que, sob qualquer forma, contribuíram, ao longo de dois anos, para que este Grupo de Amigos, agora Fitados de Direito, encerrassem uma fase do seu percurso académico com a toda a pompa e circunstância, espelho do primor que pauta a Universidade de Coimbra. A saber… Aos nossos pais e familiares, pilares de todos os momentos, pelo apoio e pelo contributo financeiro e laboral, Aos colegas e amigos, padrinhos, afilhados e tertúlias, pelo companheirismo, ajuda e integração, quer enquanto «caloiros», quer já como «doutores da Praxe», À Praxe Académica, por tudo o que nos ensinou, Ao Senhor Prof. Doutor António Santos Justo, nosso estimado patrono, pela sua disponibilidade, Ao Senhor Oliveira, do «Troica», pelas noites que nos aturou e atendeu, A «White Relógios e Acessórios de Moda”, A «Mary Sky, Lda», A «Morgan Ventures Limited», A «Batateira Calado», Ao «Talho Xixas» de Vila Nova de Foz Côa, A «SuperCoa, Supermercados Lda», Ao Senhor Zé Mário, do «Zé Manel dos Ossos», A Vergílio Marques, Ao Comandante Carlos Conceição de Carvalho e esposa Dina Carvalho, À mui nobre e antiga Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, nas pessoas dos seus docentes, alunos e funcionários, pela Casa que foi para nós nos últimos quatro anos e pela formação, não apenas jurídica, como também humana, que de nós fará, assim rogamos, a melhor geração de juristas possível. Em suma, a tudo e todos aqueles que nos acompanharam nesta caminhada e contribuíram para que a nossa última Queima das Fitas, enquanto licenciandos, fosse o culminar áureo de um percurso inolvidável, O nosso eterno obrigado!


FORNOS A LENHA Vários Tipos de Pão Água é Vida Pão é Saúde! Sociedade de Panificação Moinhos da Funcheira, Lda Rua Dr. Azeredo Perdigão, nº4 2650-298 Amadora

214914959/214913445


158_v2