Page 1

PLAMHUV ANO 01 - N º 04

NOTÍCIAS AGO/SET/OUTUBRO 2013

PROCURA-SE CORAÇÃO DEBILITADO

Doenças crônicas como obesidade e hipertensão são chamarizes para acidentes envolvendo o coração Especialistas dão dicas para uma vida mais saudável nas páginas 4, 5 e 6

E MAIS: ESPECIAL 18 ANOS PLAMHUV • SEMANA DA ENFERMAGEM HSS • O PRIMEIRO CASO DE PIODERMA GANGRENOSO DA REGIÃO


2 Novos credenciamentos

Editorial

O PLAMHUV DÁ AS BOAS VINDAS AOS SEUS NOVOS CREDENCIADOS!

A qualidade dos serviços do PLAMHUV é pensada sob dois ângulos distintos: o do fornecedor e o do consumidor dos serviços. Do ponto de vista do fornecedor, que somos nós, buscamos a cada dia a satisfação dos beneficiários e a humanização das relações, profissionalizando ainda mais a gestão dos benefícios do plano de saúde, credenciando profissionais reconhecidos, hospitais e clínicas com capacidade de suporte às necessidades dos pacientes. Do ponto de vista do consumidor, nosso beneficiário, a qualidade é a alcance das suas expectativas, através do ganho, da manutenção ou da recuperação da saúde, tudo isso com um atendimento rápido, fácil e humano. Visite nosso site, nos procure nas redes sociais, leia nosso jornal e, se quiser, venha bater um papo em nossa sede. Saiba mais quem nós somos, o que oferecemos e qual a nossa proposta para melhorarmos seu plano. Ajude-nos a superar suas expectativas. Elogie, reclame, informe e comente nossos serviços próprios ou de nossos credenciados. Tire suas dúvidas antes delas se tornarem seus problemas. Estamos de portas e ouvidos abertos para aumentar nossa qualidade e deixá-lo cada vez mais saudável e feliz.

Somente planos regulamentados Cristiano Valério Ribeiro Infectologia Hospital São Sebastião (Viçosa - MG) Hospital São João Batista (Viçosa - MG) Hospital Jorge Caetano de Matos (Ervália - MG) Tel.: (31) 3891-1800 Marcações somente pelo PLAMHUV. Maria Carolina Bousada Dermatologia Clínica e Cirúrgica Rua Professor Alberto Pacheco, 33/Sala 201- Ramos Viçosa - MG Tels: (31) 3899-6326/ (31) 3899-6327 E-mail: carolbousada@hotmail.com

Novos parceiros

Boa leitura! Jesús Menjivar Nieto Superintendente PLAMHUV PLAMHUV - 18 anos crescendo com você. Publicação do PLAMHUV - Plano Médico Hospitalar dos Hospitais Unidos de Viçosa (ANS 41850-1) Rua Dr. Milton Bandeira, N° 34 - Loja 10 Centro - Viçosa, MG. Telefone: (31) 3891-1800

Presidente: Semíramis Della Lucia Gomes. Vice-Presidente: Jamil Antônio Abrão El Hadj. Conselho Curador: Sérgio Cardoso Pinheiro, Ieda Lobo da Silveira, Jamil Antônio Abrão El Hadj e Semíramis Della Lucia Gomes. Conselho Fiscal: José Abrão El Hadj, Alice do Carmo da Silva Pinto, Marcos

Mollica Vidigal e Arlindo Custódio Viana. Superintendência Executiva: Júlio César de Abreu Cotta, Renan Carvalhaes Araujo e Jesús Menjivar Nieto. Design Gráfico e Reportagens: Lucas Moura. Arte da capa: Alexa Alexandre e Lucas Moura. Tiragem: 5.000 exemplares.


O QUE VI DO PLAMHUV ____________________________________________________________________

3

Leni Faustina

A trajetória da associada que era obrigada a se ver entre a vida e a morte todos os dias. Pioderma gangrenoso. Pode se considerar com sorte caso nunca tenha ouvido falar deste nome. Caracterizado como uma doença rara e autoimune, o pioderma gangrenoso (ou piodermite gangrenosa) não é de simples detecção, e pode fazer com que sua vítima passe por diversas instâncias médicas, sem ser descoberto.

e ela chegou a ser encaminhada para mais uma especialista, dessa vez na capital mineira. Em Belo Horizonte, a paciente ficou sob os cuidados da dermatologista Flávia Bittencourt, que analisou as ulcerações da pele de Leni acompanhada por uma junta médica com 18 profissionais. ARQUIVO PESSOAL

Foi o caso da associada Leni Faustina*, de Coimbra (município localizado a 18 km de Viçosa). Após ter dado à luz, em um parto cesárea, ao seu primeiro filho, Leni teve seus pontos novamente abertos sem saber exatamente o porquê. Desde então, a paciente se viu obrigada a tomar uma porção de antibióticos e a passar por mais três cirurgias - nenhuma conseguiu dar conta do problema. O corte, localizado na parte baixa do ventre, era tão profundo que, segundo Leni, lavavam com soro fisiológico e ela sentia o líquido indo em direção à bexiga. Foram meses a fio entre a vida e a morte, onde a única certeza era que aquilo não era algo muito comum de se ver. Qualquer sinal de melhora e cicatrização do corte era recebido com alegria pela família da associada, mas não durava muito. Era questão de tempo até a doença voltar a “comer” a pele de Leni novamente.

O pioderma em dois momentos: primeiro, no auge de sua ocorrência e, segundo, já um pouco mais cicatrizado.

A história de Leni tomou proporções ainda maiores,

Atualmente, a doença segue sendo pesquisada e não possui suas origens conhecidas. O caso de Leni se tornou o primeiro da região, servindo, inclusive, como material de estudo. Seu tratamento foi realizado através da ingestão de medicamentos como a ciclosporina, utilizada em cirurgias de transplante de órgãos - a droga suprime as reações imunológicas que causam rejeição dos órgãos pelo corpo. A pele não foi mais tocada, e hoje o ferimento já está quase totalmente cicatrizado, para a felicidade de Leni e toda a família. •

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK!

ACESSE NOSSO SITE:

www.facebook.com/plamhuvvicosa

www.plamhuv.com.br

O diagnóstico correto do caso veio com a infectologista Rosilene Araújo, de Ponte Nova, pós-biópsia do tecido. De acordo com a médica, o pioderma gangrenoso, além de raro, se desenvolve ainda mais à medida em que é alterado, ou seja, não se pode mexer no tecido da pessoa portadora. “Não podemos pensar só no que estamos acostumados, temos que ir sempre além, pensar em doenças não muito conhecidas”, ela conta.

* O PLAMHUV obteve autorização da associada para a divulgação completa do caso - incluindo nome e fotos.


4

O clichê é verdadeiro: reeducação alimentar, o melhor caminho para uma vida saudável Apontadas como algumas das doenças que mais afetam a saúde dos brasileiros, a obesidade e a hipertensão vêm fazendo cada vez mais vítimas ao longo dos anos. Obesidade: o que dizem as pesquisas Em agosto deste ano, dados inéditos do Ministério da Saúde revelaram, pela primeira vez, que o percentual de pessoas com excesso de peso superou mais da metade da população brasileira. De acordo com a pesquisa Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), realizada entre julho de 2012 e fevereiro de 2013, 51% da população (acima de 18 anos) está acima de seu peso ideal, e 17% está obesa.

As gorduras aliadas da saúde E quais seriam as gorduras consideradas de boa qualidade? De acordo com a nutricionista, as dos peixes, dos frutos secos, e as que são provenientes de vegetais. O azeite, tal como o óleo vegetal de canola, milho e soja, também é excelente fonte de gordura, deve-se prezar apenas pelo equilíbrio e consciência no uso, pois não existem alimentos totalmente bons, nem totalmente ruins. “A gordura do porco, por exemplo, se usada com moderação, pode. Mas em todos os pratos, não. Muitas das vezes, nem precisamos colocar óleo em certos pratos, podemos refogá-los, cozinhá-los, não necessariamente com a presença de óleo. Até no próprio arroz eu não preciso colocar óleo, isso é invenção nossa, não existe uma população que utilize óleo para fazer

LUCAS MOURA

A nutricionista Josefina Bressan, também professora associada e coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Nutrição da Universidade Federal de Viçosa, afirma que as causas para esses dados são diversas, e se dividem não somente em fatores genéticos, como também em fatores sociais, ambientais, e econômicos. “O estilo de vida da população mundial é basicamente a principal [dessas causas], e nisso incluímos o padrão de atividades físicas, ou seja, as pessoas se tornando cada vez mais sedentárias e, ainda, o fato delas estarem comendo cada vez mais alimentos obesogênicos - que auxiliam no aumento do peso

se consumidos em grandes quantidades”, ela relata. “Hoje em dia, o padrão de alimentação vem mudando muito, a indústria de alimentos tenta facilitar a vida das pessoas. É difícil as observarmos comendo frutas, vegetais folhosos, hortaliças... A alimentação está sendo voltada para uma alimentação com mais gordura, e de má qualidade, o que prejudica o padrão dietético.”

Pesquisa do Ministério da Saúde indica que 51% da população adulta está acima do peso ideal, e 17% obesa; doenças cardiovasculares matam 17 milhões por ano, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).


ARQUIVO PESSOAL

ao cérebro), entre outras complicações. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), 17 milhões de pessoas morrem afetadas por doenças cardiovasculares a cada ano - o tema foi abordado no Dia Mundial da Saúde 2013, comemorado no dia 7 de abril em comemoração à criação da organização.

5

As causas da hipertensão - dessa vez, tal como a obesidade e outras doenças crônicas não transmissíveis - são resultantes da interação genética e ambiente, e seus riscos podem ser potencializados pelo sedentarismo, tabagismo, consumo elevado de álcool e/ou por uma dieta rica em sal e gorduras de má qualidade (falamos sobre as de boa qualidade na página anterior). A nutricionista, professora e coordenadora do Programa de PósGraduação em Ciência da Nutrição da UFV, Josefina Bressan.

arroz, ele é cozido em água. Os asiáticos cozinham o arroz em água e depois escorrem o seu excesso. Será que precisamos mesmo comprar 2 litros de óleo todo mês?”, Josefina questiona. Questão genética

Criado em 2003 e reativado em 2012, sob uma nova coordenação, o PROCARDIO-UFV é um programa de extensão, com interface à pesquisa, de atenção à saúde cardiovascular. Dentre seus diversos projetos, um que merece destaque é o atendimento personalizado na Divisão de Saúde da Universidade Federal de Viçosa. A nutricionista e professora adjunto do Departamento de Nutrição e Saúde da Universidade, Helen Hermana M. Hermsdorff, é também coordenadora do programa, e revela no que esse atendimento se difere dos outros: - No PROCARDIO-UFV realizamos uma avaliação completa, pesamos a pessoa, fazemos o pedido de exames bioquímicos, perguntamos sobre todos os seus hábitos alimentares e outros tipos de comportamento que possam vir a influenciar esses hábitos. Em uma segunda visita é entregue a dieta adequada LUCAS MOURA

Sobre a questão genética, a professora é enfática ao fazer analogia com uma arma e seu gatilho. “Nosso corpo carrega uma arma, mas o ambiente nunca vai apertar esse gatilho com uma alimentação boa e controlada. As pessoas costumam colocar a culpa de serem obesas nos pais. Sim, elas podem carregar um gene de desenvolvimento da obesidade, mas quem dispara o gatilho são elas próprias. Se elas não dispararem o gatilho, elas nunca serão obesas. Temos estudos de mães que são gestantes obesas e têm filhos com sobrepeso, isso é normal, mas também existem mães que ficaram desnutridas durante a gestação, os filhos nasceram também desnutridos e, quando cresceram, viraram adultos obesos.”, ela diz. “É tudo questão de educação nutricional, precisamos é de uma reeducação alimentar, uma forma diferente de ver a vida. Isso é o que funciona.”

O programa PROCARDIO-UFV

Hipertensão, “doença silenciosa” A hipertensão é definida a partir da pressão arterial elevada e, diferentemente da obesidade, é tida pelos profissionais como uma “doença silenciosa”, devido ao fato da pessoa hipertensa muita das vezes não sofrer uma interferência maior da doença em seu cotidiano. Picos de pressão arterial podem conduzir a um infarto do miocárdio (músculo do coração) ou a um evento cerebrovascular (relacionado aos vasos sanguíneos que fornecem sangue

Helen Hermana M. Hermsdorff: nutricionista, professora e coordenadora do programa PROCARDIO-UFV.


Anualmente, uma média de 120 pessoas são consultadas, e o programa, por falta de estrutura maior, atende somente à comunidade universitária (servidores, dependentes e estudantes). De acordo com a nutricionista, a restrição se deve ao fato de que os pacientes do PROCARDIO-UFV já são pacientes que apresentam maiores riscos de saúde. O público-alvo é composto por pessoas com sobrepeso ou obesas, seguido de alguns outros critérios como colesterol elevado, hipertensão arterial e/ou diabetes.

ao paciente. Essa dieta pode ser tanto relacionada às dislipidemias, onde a pessoa precisa perder peso, controlar a pressão e etc., quanto relacionada à qualidade de vida, ou seja, o que a pessoa pode fazer para ter uma alimentação mais saudável, rica em fibras, vitaminas, minerais e gorduras insaturadas ela explica. Além disso, o PROCARDIO-UFV também oferece oficinas onde um tema especial é discutido com os pacientes, e há até indicação de receitas para se fazer em casa. Segundo a professora Helen, a criação de um livro de receitas adaptadas também está entre os próximos planos do programa. “Nós observamos que os pacientes tinham uma dificuldade em criar novos hábitos alimentares sem ter algumas opções diferentes, então até o final do ano estaremos lançando esse livro, com algumas receitas de molhos, saladas, sucos, sanduiches... Tudo muito saudável e que possa ser preparado pelos nossos pacientes”, ela conta.

Para quem não se encaixa em nenhum desses pré-requisitos, a Divisão de Saúde da UFV possui setor de Nutrição com atendimento diário. Para os associados do PLAMHUV, segue abaixo lista com todas as nutricionistas credenciadas do plano. É só recortar e guardar! •

#

#

#

6

NUTRICIONISTAS plamhuv

para guardar & consultar

Heloisa Helena Firmino Rua Tenente Kummel, 36 – Centro (Hospital São Sebastião) Viçosa – MG - Tel: (31) 3899-8350

Ursula Comastri de Castro Maffia Avenida PH Rolfs, 375/ Sl. 604 Centro - Viçosa – MG Tel: (31) 3892-5912

Vanessa Ponzio Lacerda Pinto Rua dos Passos, 1000 – Nova Era (Hospital São João Batista) Viçosa - MG - Tel: (031) 3892-7181 #

#

PLAMHUV: BREVE EM NOVA SEDE

AGUARDE!

#


Serviço de Controle de Infecção Hospitalar desenvolve papéis importantes dentro do hospital

7

Criado em 1997, o SCIH do Hospital São João Batista é responsável por prevenir e combater a infecção hospitalar.

Para dar início a este “Especial 18 anos PLAMHUV”, de acordo com a linha do tempo da última edição, o serviço escolhido foi o Serviço de Controle de Infecção Hospitalar do Hospital São João Batista. Atualmente uma obrigação de cada hospital perante o Ministério da Saúde e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o SCIH e a CCIH (Comissão de Controle de Infecção Hospitalar) do HSJB teve sua criação no ano de 1997 dois anos após o nascimento do plano -, e é a seção do hospital responsável por: 1) Detectar e prevenir transmissões; “Nossa principal função”, explica o infectologista responsável pelo serviço, Cristiano Valério Ribeiro (foto ao lado).“O paciente chegou, uma das nossas primeiras obrigações é, sem dúvida, evitar que ele pegue novas infecções. Todo tratamento parte desse principio: não lesar ou levar dano a mais para o paciente. Se alguém está internado é porque precisa, e é muito importante que evitemos alguma coisa do gênero. Nosso trabalho é detectar essas infecções, fazer uma separação do que é de origem hospitalar e o que é de origem comunitária (as demais infecções) e, a partir dessas constatações, verificar se o hospital está atendendo o que é preconizado pelos órgãos responsáveis, dentro dos parâmetros estabelecidos. Não existe zero por cento de possibilidade de infecção, mas temos um limite esperado que é permitido perante esses órgãos - a Anvisa, o Ministério da Saúde e o CDC (Centers for Disease Control and Prevention ou Centro de Controle e Prevenção de Doenças, em inglês)”, ele esclarece. 2) Elaborar protocolos; O infectologista conta que, para uma melhor qualidade de assistência no hospital, é preciso ter quase tudo protocolado. “Na verdade, hoje qualidade se resume a processo, e protocolo é nada mais que um [processo]. Anualmente há uma revisão disso, e a-

LUCAS MOURA

Conforme informado no número anterior do PLAMHUV Notícias, a partir desta edição, como parte da comemoração dos 18 anos do PLAMHUV, os leitores poderão conhecer um pouco mais da história do plano e dos hospitais - incluindo seus centros, serviços, projetos e programas.

Uma parte da equipe do SCIH - HSJB: a secretária Vera Lucia Dias, a enfermeira Nathália Lorena Martins e o médico infectologista Cristiano Valério Ribeiro.

brimos protocolo pra quase 100% dos atendimentos que são realizados dentro da instituição. Isso é importantíssimo. O que um hospital mais deseja? Que o paciente chegue a qualquer hora do dia e tenha a mesma qualidade de assistência, e se a gente tem um protocolo para todos os procedimentos do hospital, lidar com essa questão é mais fácil.” 3) Treinar os funcionários; Ainda de acordo com Cristiano, o treinamento é mais uma atribuição do SCIH, e ocorre a cada dois meses. Ele consiste em ensinar aos funcionários a como lavar as mãos corretamente, como fazer o ge-renciamento certo de resíduos, entre outras medidas gerais de precaução. 4) Controlar a prescrição de antibióticos; Também uma obrigação imposta pela Anvisa, todo antibiótico prescrito pela instituição é auditado. “Este controle visa evitarmos o surgimento de bactérias multirresistentes, além de garantir a eficácia do arsenal terapêutico da instituição”, diz o infectologista. 5) Sinalizar o hospital e outras especificações mais técnicas; O sistema de sinalização realizado pelo SCIH está presente em todos os lugares do hopsital, através de placas, para facilitar o acesso e a precaução que


8

deve ser tomada por cada visitante e funcionário. Além disso, o serviço também oferece suporte ao hospital para a aquisição correta de materiais, equipamentos e medicamentos.

Diretriz de utilização, fem, sing. : Conjunto de critérios, clínicos ou não, que condicionam a obrigatoriedade de cobertura, pela operadora de plano privado de assistência à saúde, de determinados procedimentos ou eventos em saúde estabelecidos no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

LUCAS MOURA

A Anvisa especifica mínimo de três pessoas para se instituir um Serviço de Controle de Infeçção Hospitalar: um médico infectologista, um enfermeiro e um auxiliar administrativo. A composição atual do SCIH-HSJB é de 1º de novembro de 2012, e é formada não só por esses três profissionais, como também por outros membros consultores que incluem, entre outros, uma farmacêutica responsável técnica, um assistente social e o diretor administrativo do hospital. •

Mini-glossário da Saúde Suplementar

No SCIH do Hospital São João Batista, um mapeamento completo do hospital é realizado para melhor visualização das áreas com infecções.

4 bons motivos para se fazer a migração de um plano antigo para um regulamentado Os beneficiários dos planos antigos do PLAMHUV (Santa Casa, Plano “A” e Executivo) podem contratar a qualquer tempo um plano novo, regulamentado pela Lei 9.656/98, adequando os valores das mensalidades e usufruindo das novas coberturas, com o aproveitamento de todas as carências já cumpridas e sem carência para doenças e lesões pré-existentes, sem pagamento de taxa de adesão e com descontos exclusivos que só o beneficiário do PLAMHUV possui.

I

Cobertura de consultas ilimitadas em todas as especialidades médicas

II

Cobertura de consultas nas áreas de psicologia, nutrição, terapia ocupacional e fonoaudiologia, para planos ambulatoriais

III

Cobertura de órtese/prótese (não estética e vinculada ao ato cirúrgico)

IV

Reembolso de despesas nos casos de Urgência e Emergência médica dentro da área de abrangência, nos valores da operadora


“União” é palavra de ordem na Semana da Enfermagem do Hospital São Sebastião

9

Programação conta todo ano com apresentações artísticas, momentos de lazer e homenagem aos funcionários. - Nas semanas seguintes já conseguimos perceber as diferenças no cotidiano do hospital. Nossa relação interna melhora, a equipe fica mais unida... O coleguismo que precisamos sempre ter em nosso ambiente de trabalho transparece mais. - ele comemora.• ARQUIVO PESSOAL

Ao assumir a responsabildade técnica do setor de Enfermagem do Hospital São Sebastião, ainda em 2010, Kelly Diornea dos Santos não imaginava encontrar uma equipe tão desanimada e sobrecarregada de trabalho. Foi a partir daí que a enfermeira teve a ideia de criar a Semana da Enfermagem no hospital, com o objetivo não só de estimular os profissionais, mas também de promover a união entre todos. Para agregar todos os 25 enfermeiros e 105 técnicos do grupo, a Semana, geralmente realizada no mês de maio, ocorre toda no auditório do hospital. A programação é pensada com dois meses de antecedência, e seus eventos se dividem em apresentações de teatro ou dança, momentos de beleza - salões da cidade são sempre convidados a dar suporte - e homenagens aos funcionários, onde são entregues flores e placas de agradecimento. Por ser concretizada basicamente entre a troca de plantões dos funcionários, o horário do expediente não é prejudicado. O apoio para a Semana é buscado geralmente com os médicos e órgãos municipais e, na edição deste ano, também contribuíram a Universidade Federal de Viçosa, a Univiçosa e a ETEV (Escola Técnica de Viçosa). Para o enfermeiro Lindomar Viana, os efeitos da Semana da Enfermagem são imediatos:

Em momentos de descontração, a Semana da Enfermagem promove a união da equipe do hospital.

VOCÊ JÁ CONHECE O PLAMHUV? Onde você pode nos encontrar? Rua Dr. Milton Bandeira, nº 34, loja 10 - Centro Viçosa (MG). Horário de Funcionamento: De segunda à sexta-feira, de 8 às 18hrs. Dúvidas? Você pode tirá-las através do telefone 3891-1800 ou através do atendimento online do nosso site: www. plamhuv.com.br

E-mails para contato Diretoria administrativa: administrativo@plamhuv. com.br : plamhuv@plamhuv.com.br

Atendimento

Faturamento: faturamento@plamhuv.com.br Gerência Financeira: gerencia@plamhuv.com.br

Vendas: vendas@plamhuv.com.br

Informática: informatica@plamhuv.com.br

Ouvidoria: ouvidoria@plamhuv.com.br Atend. Empresarial: empresa@plamhuv.com.br


10

RAPIDINHAS PLAMHUV Após ter se informado com mais uma edição do PLAMHUV Notícias, encontre os erros presentes na segunda imagem. JOGO DOS SETE ERROS

RESPOSTAS NA PRÓXIMA EDIÇÃO. GABARITO CAÇA-PALAVRAS - EDIÇÃO ANTERIOR

VOCÊ SABIA? • O coração é o primeiro órgão do corpo

humano a se formar.

• Ele bate aproximadamente 30 milhões

de vezes por ano.

• Por cada batimento seu, são impulsio-

nados aproximadamente 80 mililitros de sangue no organismo. • O coração de uma pessoa adulta

poderia encher, por dia, um reservatório de 8000 litros! Fonte: CuriousWiki

PLAMHUV Notícias - Ano 01 - Nº 04  

Quarta edição do informativo do PLAMHUV, o PLAMHUV Notícias. Matérias principais: Primeiro caso de pioderme gangrenosa da região; Doenças c...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you