Issuu on Google+

O MELHOR DE TODAS AS RODADAS

EDIÇÃO 204

|

SEGUNDA-FEIRA, 11 DE OUTUBRO DE 2010

|

SEMANAL

APENAS

WWW.PLACAR.COM.BR

PALMEIRAS

(1 )

Kléber mata a saudade do vermelho e Felipão sonha com “teta” da Sul-Americana

R$

1

,00

PÁG. 11

Armadilhas fora do campo quebram jogadores PÁG. 8

Tricampeão

(2)

(1 ) RUDY TRINDA DE / FO LHA PR E S S | (2) AP P HOTO/A NDREW MED ICHINI | (3) ROB ERTO VA ZQUE Z /F UTUR A P RE S S

Seleção brasileira dá show na final do Mundial na Itália: 3 x 0 em Cuba PÁG. 29

“Tô fora, Timão” Pressionado pela Fiel, Adilson pede o boné e se desculpa por derrubar o Corinthians na tabela

PÁG. 5

(3)


JO R NAL PL ACA R | SEG U N DA-FEIR A , 11 D E OU TU BRO D E 20 1 0

aquecimento SOBE

CHUTÃO Por Zé Vicente

O QUE ACONTECE COM ESSES CARAS? (4)

FRASE

DESCE

q

q

02

Vôlei

Corinthians

A seleção brasileira fez o que quis sobre os jovens cubanos na final do Mundial, disputado na Itália. Em apenas 1 hora e 14 minutos, as feras de Bernardinho conquistaram o tri (parciais de 25/22, 25/14 e 25/22). O destaque do time foi Leandro Vissotto, que joga em Araçatuba. Murilo foi eleito o melhor jogador do Mundial.

O Timão perdeu mais uma (em casa e para outro time na zona do rebaixamento) e viu seu técnico pedir o boné. Terminou a rodada em terceiro lugar. Venha quem vier para o lugar de Adilson Batista, a ordem é ganhar do Vasco de qualquer jeito, apesar das contusões que andam assombrando o time.

PEÇO DESCULPAS POR ASSUMIR O TIME COMO LÍDER E ESTAR DEIXANDO EM TERCEIRO. Adilson Batista. (1 )

bola de prata A maior premiação do futebol brasileiro

(2)

Por que Corinthians (dois pontos conquistados dos últimos 15 disputados) e Fluminense (um ponto conquistado dos últimos nove) empacaram

5,9 9 é a nota média de Zé Eduardo na Bola de Prata. Ele briga pela meia com Conca e Bruno César.

tão miseravelmente de uma hora pra outra? Por que os jogadores (especialmente do Timão) estão pifando e se quebrando tanto? Por que os clubes trocam de técnico como os cartolas trocam de gravata? Por que tantos escândalos sexuais (o último envolvendo o ex-goleiro corintiano Felipe)? Algo está muito podre no modo como o futebol brasileiro está construído. E isso enquanto nos preparamos para sediar uma Copa do Mundo.

essas graves questões.

sua coluna na Folha de S.Paulo um estudo que

Zé Eduardo arrebentou contra o Fluminense, com três gols, e entrou na briga pela Bola de Prata de melhor meia do Brasileirão

Bola de Prata Ranking do prêmio mais importante do Brasil

A ESPN Brasil é parceira na Bola de Prata. As notas poderão ser conhecidas na transmissão dos jogos pela Rádio Eldorado/ESPN Brasil (FM 107.3 e AM 700).

∑ placar.abril.com.br/bola-de-prata

aponta um aumento absurdo de lesões quando um time passa a jogar duas vezes por semana (jogando uma vez por semana, a incidência é de 4,1 lesões a cada mil horas jogadas; jogando duas, a incidência explode para 25,6 por mil horas).

OS ARTILHEIROS

intrigas e quedas de braço como a que derrubou Dorival Júnior do Santos), podem explicar a Jonas, em uma semana, abriu dez pontos

Felipe teria agredido a mulher ao ser pego no flagra em uma orgia — leia o que diz a psicologia na página 26. É, amigo, a coisa tá feia.

ZÉ VICENTE É EDITOR-EXECUTIVO DO JORNAL PLACAR.

PTS

TIME

BRA (2)

CB (2)

L (2)

CS

S (2)

EST (2)

JONAS

76

GRÊMIO

19

8

0

0

0

11

0

2 NEYMAR

66

SANTOS

8

10

0

0

1

14

0

1

de Adilson Batista (que pode ter por trás muitas

Sobre os recentes escândalos sexuais — o goleiro

JOGADOR

(3)

Esses números, aliados à surpreendente demissão

travada do alvinegro no Brasileirão.

Aqui vence quem fizer mais gols nos torneios mais fortes

chuteira DE OURO

Chuteira de Ouro Os 20 maiores artilheiros na premiação de PLACAR ∑ placar.abril.com.br/bola-de-prata/ chuteira-de-ouro/

EST/B (1)

3 ANDRÉ

52

EX-SANTOS

5

8

0

0

0

13

0

4 VÁGNER LOVE

46

EX-FLAMENGO

4

0

4

0

0

15

0

5 KLÉBER

44

PALMEIRAS

10

0

7

0

0

5

0

6 WASHINGTON

42

FLUMINENSE

10

0

5

0

0

6

0

DIEGO TARDELLI

42

ATLÉTICO-MG

7

7

0

0

0

7

0

ALECSANDRO

42

INTER

8

0

3

0

0

10

0

9 RODRIGUINHO

40

FLUMINENSE

5

0

0

0

0

15

0

10 BORGES

38

GRÊMIO

3

6

0

0

0

10

0

OBINA

38

ATLÉTICO-MG

7

5

0

0

0

7

0

HERRERA

38

BOTAFOGO

7

3

0

0

0

9

0

BRUNO CÉSAR

38

CORINTHIANS

11

0

0

0

0

8

0

34

FLUMINENSE

4

6

0

0

0

7

0

ROBINHO

34

EX-SANTOS

0

6

0

0

6

5

0

RICARDO BUENO

34

ATLÉTICO-MG

2

0

0

0

0

15

0

14 FRED

S17 - SELEÇÃO; BRA - BRASILEIRO SÉRIE A; CB33 - COPA DOPORTUGUESA BRASIL; L - LIBERTADORES; 0 CS - COPA SUL-AMERICANA; EST HEVERTON 1 0 - PRINCIPAIS 0 ESTADUAIS; 0 EST/B - DEMAIS 11 ESTADUAIS E SÉRIE11B

(1 ) ROD RIGO C OCA / FOTOA RENA | (2) LUIZ FERNAND O MENE ZE S/ FOTOARENA | (3) RENATO PIZZ UT TO | (4) MIKE HEW IT T/ GET T Y IMAGE S

REGULAMENTO Os jornalistas da PLACAR assistem, sempre nos estádios, a todas as partidas do Brasileirão e atribuem notas de 0 a 10 aos jogadores. Receberão a Bola de Prata os craques que tenham sido avaliados em pelo menos 16 partidas. Jogadores que deixarem o clube antes do fim do campeonato estarão fora da disputa. Em caso de empate, leva o prêmio quem tiver o maior número de partidas. Ganhará a Bola de Ouro aquele que obtiver a melhor nota média.

Esta edição tenta dar algumas respostas a

Quanto às contusões, Juca Kfouri citou ontem em

recebeu Zé pela atuação contra o Flu, na quarta, a melhor no torneio até agora. Ele fez três gols.


JO R NAL PL ACA R | SEG U N DA-FEIR A , 11 D E OU TU BRO D E 20 1 0

15 04

corinthians

Timão sofre blecaute e perde outra vez

DA TÁTICA À PRÁTICA Arnaldo Ribeiro

O RESGATE DE KAKÁ (2)

Vexame só não foi maior porque time conseguiu marcar dois gols no 2º tempo e aliviar a goleada contra rival fraco (1 )

Renegado no Real Madrid, Kaká poderia voltar ao São Paulo. Antes de mais nada, não acredito na manchete que circulou nos últimos dias. Não acredito que o São Paulo consiga viabilizar uma contratação tão vultosa como esta. Não acredito que a política do clube de repatriar antigos jogadores por alguns meses, sob o pretexto de reabilitá-los, esteja dando resultado, embora saiba que o time mudaria da água para o vinho com a sua improvável chegada. Não acredito também que seja bom para Kaká voltar ao país neste momento. E não acredito que Jose Mourinho queira, de fato, rifar um jogador como Kaká a qualquer custo. Kaká é um daqueles craques raros. Consegue aliar técnica com força. É competitivo. Gosta de ganhar. Não joga por prazer. Joga para vencer. Vive desde que chegou ao Real Madrid problemas físicos? Ele depende do físico para jogar em alto nível? É a pior fase da carreira? O clube espanhol contratou bons substitutos? Está se virando bem sem o jogador brasileiro? Isso tudo é verdade. Assim como é verdade que qualquer time do mundo gostaria de contar com um atleta como ele. Sério, dedicado, Kaká provavelmente aceitaria voltar ao papel de coadjuvante que já ocupou em parte de sua carreira — até o banco de reservas, se for o caso. Só precisa de uma mão para ser resgatado, tanto na seleção de Mano Menezes quanto no seu clube. Pelo que conheço Kaká, ele só deixaria o Real Madrid depois de triunfar minimamente por lá. Eu, se jogasse alguma coisa, faria o mesmo. E você? Robston comemora quarto gol atleticano enquanto Bruno César apenas observa: tarde triste

ARNALDO RIBEIRO É REDATOR-CHEFE DA REVISTA PLACAR.

(1 ) RO BERTO VA ZQUE Z / FUTUR A P RE S S? | (2) FR A NCK FIFE /AFP P HOTO

E

m qual time acreditar? No Corinthians do primeiro turno, que pode ser campeão do turno, na quarta, contra o Vasco? Ou no do returno, esse que sofre e não vence, dentro ou fora do Pacaembu? O torcedor sofre ao ver os principais jogadores (Elias, Chicão, Dentinho, Jorge Henrique, Ronaldo...) longe por razões diversas. A formação atual esbarra na deficiência da zaga e na falta de pontaria — e mesmo de poder de penetração — do ataque. O resultado são gols raros de um lado (o corintiano) e fartos de outro (o adversário). A história foi repetida ontem no Pacaembu, por mais que o gol-relâmpago de Leandro Castán, em bola praticamente perdida recuperada por Jucilei, animasse para uma possível goleada. Os gols pipocaram, mas do outro lado, do fraco Atlético-GO. Em todos, houve falha dos lentos William e Thiago Heleno e do desentrosado Leandro Castán. Falta a Moacir descobrir o posicionamento no futebol — sem se decidir entre a lateral, as subidas para o ataque e a marcação no meio-campo, ele não faz direito nenhum delas. O resultado começou a ser desenhado com o desastroso gol de empate, em que Júlio César não pôde impedir a jogada de Robston. A bola sobrou pra Juninho tentar duas vezes, sem que Thiago Heleno a tirasse do gol. Gilson, um zagueiro, surgiria livre em seguida para desempatar. E ainda haveria o gol de Marcão, no último minuto do 1º tempo. “Foram duas jogadas ocasionais”, desculpava-se William, substituído no intervalo por Chicão. “Mas o torcedor tem motivo para vaiar.” Outros dois culpados pelo desastre, Moacir e Leandro Castán, também sairiam, mas por motivos diferentes — Defederico substituiu o primeiro e Castán foi expulso depois de acertar uma cotovelada em Juninho, do time goiano. Mas havia mais espaço no poço para se afundar. Marcão tentou duas vezes, ambas em cruzamentos na área corintiana. Na primeira, foi assinalado impedimento inexistente. Na segunda, o gol valeu. O vexame foi ampliado, ainda que o novato William Morais tenha descontado, em jogada de Jucilei, e Thiago Heleno, de cabeça, tenha deixado em 4 x 3. Era, no entanto, uma tarde para esquecer. Ao menos para os corintianos.


se g u nda- fe ir a , 11 de o u t u BRO de 2 0 1 0 | j o r nal p l acar

51 05

Com derrota ontem, Corinthians somou 13 pontos perdidos nos últimos 15 disputados

atlético-go

3 4

10/10/2010 - Pacaembu (São Paulo, SP)

J: Ricardo Marques Ribeiro (MG-FIFA) R: 748 606 P: 26 554 CA: Agenor, Jairo, Jucilei CV: Leandro Castán CORINTHIANS: Júlio César, Alessandro, Thiago Heleno, William (Chicão int.), Leandro Castán; Moacir (Defederico 9/2º); Jucilei, Paulinho, Bruno César; Iarley e Souza (Willian Morais 23/2º). T: Adilson Batista

ATLÉTICO-GO: Márcio; Adriano, Gilson (Jairo 24/2º), Daniel Marques e Thiago Feltri; Agenor, Pituca, Robston e Anaílson (Renatinho 14/2º); Juninho (Willian 39/2º) e Marcão. T: René Simões.

CORINTHIANS no celular envie a mensagem: GOLTIMAO para 22745 NOTTIMAO para 22745

tt

Torcida protesta e Adilson pede as contas do Timão

CORINTHIANS

Você só paga R$ 0,31 por mensagem recebida.

foto: nels on A ntoine / Fotoar ena

A

dilson Batista anunciou ontem, logo após a derrota para o Atlético-GO, a saída do comando do Corinthians, dois meses depois de assumir o clube. O técnico assumiu o clube na liderança do Brasileiro e o deixa na terceira posição. Em 17 jogos, venceu oito, empatou quatro e perdeu cinco. O treinador atribuiu a saída ao “bom senso”, sem apontar culpados. “A gente teve uma boa sequência com o time completo. Nenhum atleta tentou me derrubar. O Corinthians, com todo mundo à disposição, pode ganhar de qualquer um. Mas tive dificuldade nos últimos cinco jogos”, disse. “Nós não viemos ao Pacaembu hoje para trocar de treinador. Como sempre fizemos, vamos sentar com o presidente e buscar uma solução. Não temos um plano, porque não tínhamos a intenção e nem cogitávamos a mudança que está acontecendo”, disse o diretor de futebol, Mário Gobbi Filho, a respeito do substituto. São cotados Carlos Alberto Parreira, Dunga e até mesmo Zico. A demissão foi anunciada logo após a Gaviões da Fiel, a maior organizada do clube, protestar em frente ao estacionamento do Pacaembu. A segurança foi reforçada para que não invadissem o vestiário. A torcida já havia se reunido na quinta com o técnico, que pediu que ela não interferisse no trabalho e poupasse os jogadores. No sábado, a mesma facção voltou a se reunir com os jogadores Alessandro, Paulo André, Roberto Carlos e William e os dirigentes Andrés Sanchez, presidente do clube, e Gobbi, em encontro que durou 20 minutos. Adilson Batista não participou dessa reunião.

opinião do jogo

m marcão

Fez três gols, mas apenas dois valeram. Aproveitou a lenta defesa corintiana.

k w. morais

O garoto, com seu gol, foi o único digno de nota do time, em tarde de blecaute.

q william

Ele fala bem, a imprensa o adora. Mas é o pior, sempre, do time do Corinthians. os gols 1 do 1º

1 x 0 Bate-rebate, Jucilei recupera a bola na linha de fundo, cruza e Leandro Castán marca. 19 do 1º

1 x 1 Incrível bobeira da zaga corintiana. Juninho tenta duas vezes e na segunda consegue. 37 do 1º

1 x 2 Gilson surge livre para empurrar para o gol depois de um cruzamento. 45 do 1º

1 x 3 Juninho serve Marcão, que só tem o trabalho de empurrar na saída do gol. 21 do 2º

1 x 4 Novo cruzamento na área do Corinthians e Marcão, de novo, só empurra. 25 do 2º

2 x 4 William Morais recebe bola de Jucilei, avança e toca na saída de Márcio. 41 do 2º

3 x 4 Thiago Heleno desvia de cabeça.


JO R NAL PL ACA R | SEG U N DA-FEIR A , 11 D E OU TU BRO D E 20 1 0

15 06

corinthians

Parada da Copa quebra Timão Com mais jogos no 2º semestre, seis jogadores sofreram lesão DENTINHO

RALF (1 )

(1 )

DIA DE FÚRIA Por Bruno Favoretto Repórter do Jornal PLACAR

MOURINHO, A MÃO FIRME QUE RESOLVE José Mourinho é um daqueles caras que não passam despercebidos. Em alguns casos, como no da exuniversitária Geisy Arruda,

(5)

isso é ruim — apesar de que, no fim, a encrenca com o vestido curto foi boa pra ela (hoje Geisy participa do programa A

Fazenda, sucesso da TV Record). Ele também

Uma lesão muscular na coxa direita o afastou do time por mais de 30 dias. De volta contra o Atlético-MG, na última quarta-feira, sentiu novamente a lesão — mas na coxa esquerda.

gosta de holofotes, mas seus trabalhos

Sofreu lesão do ligamento do tornozelo, depois de entrada por trás de Douglas contra o Grêmio. Volante de contenção mais regular do time, deve voltar a jogar apenas no final deste mês.

vitoriosos exterminam os críticos.

JORGE HENRIQUE

CHICÃO

enquadrou o boêmio Benzema: citou os outros

(3)

(4 )

atacantes do grupo como suas opções, esqueceu o francês e pediu contratações no setor. Depois, o jornal espanhol As publicou que o português aceitaria liberar Kaká para a Inter de Milão – o brasileiro é ídolo do Milan e seu assessor me confirmou que ele não atuará no rival da Lombardia, daí a animação do São Paulo. Mas seria só a lesão de Kaká motivo para dispensar o ex-melhor do mundo? Talvez o meia não goste de ouvir a Drakkar, banda de heavy metal portuguesa que o treinador costuma executar no vestiário antes

Contra o Ceará, no Pacaembu, em jogada pela direita, teve uma ruptura muscular na coxa esquerda ao evitar trombar com um microfone à beira do gramado. Volta só no ano que vem.

A

maratona de jogos no segundo semestre e a ânsia dos rivais em bater o Corinthians, líder em boa parte do Brasileirão, podem ser as razões para as constantes lesões sofridas por seus jogadores. Atualmente, seis atletas têm problemas físicos: Chicão, Dentinho, Jorge Henrique, Ralf, Ronaldo e William. Todos, à exceção do Fenômeno, sofreram lesões neste semestre. “São muitos jogos acumulados. Em 2009, no segundo semestre, o Corinthians fez 24 jogos. Neste ano são 31”, afirma o ex-fisiolo-

Saiu do jogo contra o Vitória sentindo dores. No clube, exames detectaram estiramento no ligamento colateral no joelho direito. É o que deve ter recuperação mais rápida entre os encostados.

de duelos decisivos, tendo preferência pela música A Vingança do Dragão.

O que o ídolo madridista Zidane acha do

gista do clube Daniel Portella. Segundo ele, o retorno depois da parada para a Copa do Mundo foi brutal. “Jogar na quarta e no domingo não é o problema. O problema é fazer isso por oito semanas seguidas.” Dos lesionados do elenco, dois são por trauma (Chicão e Ralf ), três musculares (Ralf, Dentinho e Ronaldo) e um por esforço de repetição — William tem fascite plantar. “Vejo mais como azar do que um problema de preparação física”, analisa o comentarista Osmar de Oliveira, médico do Corinthians nos anos 1970. “A exigência

psicológica no Corinthians é maior que a do Avaí, por exemplo. E isso é um fator de estresse. E os adversários entram com mais sede contra o time.” Dos encostados no departamento médico, Chicão deve ser liberado mais brevemente — provavelmente ainda nesta semana. Ralf tem pelo menos mais 20 dias de estaleiro. William é poupado em alguns jogos. Ronaldo segue a incógnita de sempre. Nos casos de Jorge Henrique e Dentinho, os corintianos só devem vê-los no ano que vem.

Marcos Sergio Silva

treinador/celebridade? “Fazia falta um técnico com mão firme. Confio muito em Mourinho e nos jogadores, são bons e jovens”, opinou o francês, como você confere na capa do diário Marca (foto). Dia de Fúria Análise do que acontece no futebol espanhol. ∑ placar.abril.com.br/blogs/dia-de-furia

(1 ) DA NIEL AUG USTO JR / FOTOA RENA | (2) RODR IGO C OCA / FOTOARENA | (3) LÉ O PINHEIRO/ FUTUR A P RE S S | (4) RICA RDO MAT SUK AWA / FUTUR A PR E S S | (5 ) REP ROD UÇÃO

Para vencer também em Madri, o comandante


SE G U NDA- FE IR A , 11 DE O U T U BRO DE 2 0 1 0 | J O R NAL P L ACAR

51 07

(1 )

Wellington Paulista marcou o gol que colocou a Raposa na liderança isolada

Cruzeiro toma liderança do Fluminense Raposa jogou muito para vencer por 1 x 0 e virou o novo dono da ponta do Brasileirão

F (1 ) PED RO VILEL A /AGIF/F OLHAP RE S S | (2) P ED RO VILEL A / FUTUR A PR E S S

oi um final de semana mineiro. O Cruzeiro jogou melhor, venceu o Fluminense por 1 x 0 e pegou pra si a liderança do Campeonato Brasileiro, com 54 pontos. O Flu ficou a dois pontos; o Corinthians, a cinco. Sob forte sol, no Parque

(2)

do Sabiá em Uberlândia, Wellington Paulista voltou a marcar depois de 14 jogos e foi a referência no ataque do time, que soube segurar as perigosas investidas do Fluminense e garantiu a vitória. O jogo começou rápido, com duas boas chances para o Fluminense. Na pri-

meira, aos 6min, o goleiro Fábio se esticou e conseguiu boa defesa em chute de Deco de fora da área, no cantinho. Na segunda, o atacante Washington isolou a bola, após receber livre na pequena área de Rodriguinho. O gol do jogo saiu aos 14min. Após ótimo cruza-

mento de Montillo, Gum não alcançou a bola e Wellington Paulista cabeceou no contrapé do goleiro. A resposta do time comandado por Muricy Ramalho veio rápida. Aos 23, Rodriguinho tentou encobrir o goleiro, mandando por cima do gol. Assim que retornou

dos vestiários, Wellington Paulista quase marcou o segundo. Em chute forte, após grande enfiada de Fabrício, acertou o travessão de Rafael. Marcou aos 8min de cabeça em lance igual ao primeiro, mas estava impedido — o gol foi anulado. O Fluminense foi pra

cima e pressionou até o final da partida. Na melhor chance carioca, aos 24min, Rodriguinho pegou uma bola rebatida na pequena área e mandou bem longe do gol. Aos 46min, o zagueiro Gil tirou a bola dos pés de Washington e mandou pra escanteio.

Craque gringo pede calma ao time mineiro

k

Montillo comanda a arrancada do Cruzeiro

Enquanto Muricy Ramalho deixava o campo irritado por perder a ponta, os cruzeirenses comemoravam a liderança do campeonato. Mas com cautela. “Estamos lutando e respeitando os adversários. Chegar na liderança não é o problema, o difícil é se manter no topo”, disse o goleiro Fábio. No Parque do Sabiá, o Cruzeiro não tomou nenhum gol e manteve a tradição: em quatro jogos, quatro vitórias por 1 x 0. Destaque do jogo com belos passes,

Montillo pediu calma aos companheiros. “Precisamos manter a calma para a sequência do campeonato, serão jogos difíceis”, disse o argentino. O meia Henrique deixou o campo otimista. “Lutamos muita para chegar nessa posição. Não acabou ainda, temos que trabalhar muito pra alcançar nosso objetivo. O que nos resta é pensar nas vitórias que virão”, completou. Sem rodada no meio da semana, o Cruzeiro descansa na liderança. Os próximos adversários são Grêmio, Atlético–MG e Prudente.


JO R NAL PL ACA R | SEG U N DA-FEIR A , 11 D E OU TU BRO D E 20 1 0

08

especial

PACIENTE INGLÊS James Scavone Publicitário e praticante do legítimo humor britânico

REDS NO VERMELHO (2)

Veja se conhece este filme: time grande endividado, crise dentro e fora dos gramados, promessa eterna de um novo estádio, torcedores revoltados pressionando a diretoria. Como termina? Quebraquebra na sala de troféus, jogadores encurralados e intimidados? Nada disso. Os tempos são outros: vídeo no Youtube. A mais nova investida contra os americanos Tom Hicks and George Gillett, proprietários do time inglês, é um vídeo com celebridades e torcedores comuns declamando sua revolta para a câmera. “Espalhar a vergonha pela internet é a solução, já que Hicks não vai ao estádio”, diz um dos líderes do “Spirit of Shankly” (torcida criada após a venda em 2007, com nome que homenageia Bill Shankly, o cartola que transformou o time de Liverpool em um dos maiores do mundo). Para se livrar da dívida com os bancos e de Hicks e Gillett ao mesmo tempo, o Liverpool aposta em novos compradores. Uma família árabe e um empresário chinês mostraram interesse, mas, ironicamente, a solução parece ser americana mais uma vez. Os atuais proprietários do time de beisebol Boston Red Sox, o New England Sports Ventures, pode colocar quase 1 bilhão de reais no negócio. Se não vingar, a dívida pode piorar a situação na tabela, já que o regulamento prevê a subtração de nove pontos de qualquer time com as contas no vermelho. Blog do James Humor britânico e paixão brasileira juntos. ∑ placar.abril.com.br/blogs/blog-do-james/

Beira do gramado vira campo minado

(1 )

Contusão de Jorge Henrique ao desviar de um microfone na linha lateral mostra que a segurança dos jogadores vive por um fio Por José Vicente Bernardo

A

grave contusão que tirou o corintiano Jorge Henrique do campeonato (ruptura do músculo posterior da coxa esquerda) trouxe de volta a discussão sobre o excesso de cacarecos e de gente na beira das quatro linhas. Jorge Henrique disputava uma bola na corrida com um jogador do Ceará quando, meio desequilibrado, desembestou para fora do campo. Para não tropeçar em um enorme microfone apoiado no chão, perto da linha lateral, freou bruscamente e pulou o equipamento. Nessa hora, ele diz ter ouvido um estalo na perna. Percorreu cambaleante mais alguns metros e caiu gemendo e chorando. Segundo o médico do Corinthians, Paulo de Faria, a recuperação de uma lesão como essa leva de 60 a 70 dias. O Brasileirão acaba daqui a 55 dias. Nas mais de cem páginas com as regras do futebol disponíveis no site da CBF, as únicas menções a esses

fatores extracampo dizem respeito à distância mínima entre as placas de publicidade e as linhas demarcatórias (1 metro) e à proibição da instalação de câmeras e microfones nas traves, nas redes ou nas bandeirinhas. Nessa terra quase sem lei, muitos jogadores (e, às vezes, a arbitragem) acabam sendo vítimas de todo tipo de armadilhas: placas de publicidade, fossos mal projetados, muretas mal conservadas, equipamentos de emissoras de rádio e TV... “Toda essa estrutura ao redor do campo é exagerada e pode levar perigo aos atletas. É uma situação de risco que deveria ser vista pelos organizadores do campeonato”, diz Alfredo Sampaio, presidente da Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol. Só este ano, teve jogador atacado pelo cão da polícia e técnico esfaqueado pelo próprio irmão na beira do gramado. Até a bandeirinha, que ganhou uma mola na base para amortecer os impactos, fez nova vítima.

Os perigos que rondam os boleiros além das quatro linhas (2)

CÂMERA O argentino Heinze leva uma “camerada” no rosto e revida com tapa (junho de 2010).

(2)

PLACA DÁ Palacio faz um corte de 5,5 cm no joelho ao trombar com uma placa (setembro de 2007).


se g u nda- fe ir a , 11 de o u t u BRO de 2 0 1 0 | j o r nal p l acar

09 (3)

microfone Para não tropeçar no equipamento, o corintiano Jorge Henrique faz malabarismo e rompe o músculo da coxa (outubro de 2010). (2)

mureta Palermo vai comemorar o gol do Villarreal perto da pequena torcida; a mureta cede e cai sobre a perna do argentino, que quebra a tíbia e o perônio (novembro de 2001). (2)

fosso Imagens gravadas por celular mostram o são-paulino Leandro caindo no fosso do Palestra Itália ao comemorar o gol contra o Palmeiras (agosto de 2007). Um ano depois, as câmeras também registram um torcedor “meio grogue” desabando na vala de 5 metros.

(2)

placa leva No Cruzeiro, Adilson Batista “se vinga” das placas com uma voadora (outubro de 2009).

(2)

buraco Gattuso cai no minifosso perto do banco e quebra o pulso (setembro de 2008).

(2)

fogo Avenida x Grêmio é paralisado por causa do fogo nas placas (fevereiro de 2009).

(2)

bandeira Na trombada, o pau da bandeirinha voa e corta a testa do auxiliar (fevereiro de 2010).

(1 ) ilustr ação / stefan | (2) r ep rod ução | (3) Rubens Cavall a ri/F olhap re s s

pitbull Após o apito final, Alisson, do Bahia, é atacado pelo cão da polícia (setembro de 2010).


jo r nal pl aca r | SEG U N Da-feir a , 11 de outubro de 20 1 0

15 10

palmeiras

Kléber, mais uma vez, deixou o cotovelo e levou um vermelho

Preguiçosos, Bota e Verdão ficam no zero Loco Abreu ainda perdeu um pênalti e Kléber foi expulso por cotovelada a única esperança verde, mas suas bolas paradas eram presa fácil para a defesa carioca. Felipão trocou Rivaldo por Lincoln e Joel trocou Lúcio Flávio por Caio. Aos 25min, Marcelo Cordeiro centrou, Loco Abreu furou e Jóbson, livre, mandou por cima. Deola ainda pegou chute forte e cruzado de Alessandro aos 39min. Dois minutos depois, Dinei, que entrou no lugar de Valdívia, bateu e Renan fez um milagre. No fim, Kléber foi expulso por uma cotovelada em Alessandro.

botafogo palmeiras

0 0

10/10/2010 - Engenhão (Rio de Janeiro, RJ) J: Wilton Pereira Sampaio (DF) R: R$ 217 350 P: 9 950 CA: Antônio Carlos, Danny Morais, Márcio Rosário, Gabriel Silva, Maurício Ramos, Valdívia, Edinho e Tinga CV: Kléber BOTAFOGO: Renan, Antônio Carlos, Danny Morais e Márcio Rosário; Alessandro, Fahel, Somália

Cordeiro; Jóbson e Loco Abreu. T: Joel Santana. PALMEIRAS: Deola; Márcio Araújo, Maurício

palmeiras no celular

Você só paga R$ 0,31 por mensagem recebida.

m renan O substituto de Jefferson (está na seleção) não trabalhou até os minutos finais, quando fez milagre diante de Dinei.

k

marcos assunção Mais uma vez o volante foi o dono do meio-campo e a única esperança nas bolas paradas.

(Edno 38/2º), Lúcio Flávio (Caio 20/2º) e Marcelo

Ramos, Danilo e Gabriel Silva; Edinho, Tinga, envie a mensagem: GOLVERDAO para 22745 NOTVERDAO para 22745

opinião do jogo

Marcos Assunção e Rivaldo (Lincoln 19/2º); Valdívia (Dinei 20/2º) e Kléber. T: Luiz Felipe Scolari.

q valdívia Pouco participativo, não criou nada e ainda levou o terceiro amarelo por reclamação (não pega o Ceará).

foto: Ce sa r Grec o/Fotoa rena

nuto depois, Loco Abreu finalizou e Gabriel Silva meteu o braço na bola, pênalti: o uruguaio deslocou Deola, mas mandou para fora. A partir daí, o time da casa mantinha mais posse de bola, mas não levava perigo. Marcos Assunção, aos 32min, teve uma falta para cobrar de média distância, mas Renan estava bem posicionado e encaixou. Aos 40min, Somália deu belo passe para Jóbson, na área, mas Deola interceptou. Na etapa final, o Fogão assustou logo aos 3min: Lúcio Flávio enfiou para Marcelo Cordeiro, que cruzou rasteiro, mas Loco Abreu chegou atrasado. Marcos Assunção era

tt

D

esfalcado pelos contundidos Marcos, Vítor, Tinga e Ewerthon, o Palmeiras voltou ao Engenhão pela primeira vez após as acusações de vandalismo no vestiário do estádio, ocorridas depois da vitória sobre o Flamengo (3 x 1, no dia 25 de setembro). O adversário era o Botafogo, que estava sem vencer havia sete jogos e não contava com Jefferson, Leandro Guerreiro, Fábio Ferreira, Herrera e Maicosuel. Morosa, a batalha acabou 0 x 0. O 1º tempo foi bastante equilibrado. O Glorioso chegou aos 6min, em jogada individual de Jóbson, que bateu fraco para a defesa de Deola. Um mi-


se g u ndA- fe ir a , 11 de o u t u bro de 2 0 1 0 | j o r nal p l acar

11

Suspensões guardam os craques para o Corinthians foto: Ide Gome s /Fu t u r a Pre s s

Valdívia tomou cartão amarelo infantil ainda no primeiro tempo

X

odós da torcida palmeirense, Kléber e Valdívia tomaram cartões e desfalcam o Palmeiras na próxima rodada, no domingo contra o Ceará, mas estão de volta para o clássico contra o Corinthians. Marcos Assunção, Deola e Márcio Araújo, no entanto, estão pendura-

Kléber e Valdívia não pegam Ceará, mas voltam descansados no Dérbi dos. Se tomarem cartão contra o o time cearense, ficam fora do Dérbi. Valdívia tomou um cartão amarelo infantil. Aos 33min, cometeu falta, reclamou muito com o juiz e foi advertido. Saiu substituído aos 29min do segundo tempo para a entrada de Dinei. Já Kléber tomou o cartão vermelho

logo de cara, ao deixar o braço no rosto de Alessandro, do Botafogo, no final do segundo tempo. O jogador saiu de campo muito irritado. Felipão saiu em defesa do atacante. “Ele não tem um currículo de maldade. Nunca vi ele machucar um adversário. Ele tem é que apanhar, todo mun-

do bate. Num ou outro lance, irritado, ele pode revidar, reclamar, fazer uma falta acintosa. Não posso pedir que seja um cordeirinho, que vá pra igreja todo dia depois do treino”, disse o treinador, ignorando a cotovelada que Kléber deu no são-paulino André Dias no Paulistão de 2008.


JO R NA L PL ACA R | SEG U N DA-FEIR A , 11 D E OU TU BRO D E 2 0 1 0

15 12

palmeiras

ENTREVISTA TINGA

“Aprendi a jogar como meia”

D

epois de fazer um bom Campeonato Paulista pela Ponte Preta, o meio-campista Tinga, de apenas 19 anos, foi contratado pelo Palmeiras. Nesta entrevista, o atleta fala sobre sua versatilidade, o trabalho com Felipão e o momento pelo qual passa o Verdão. Pedro Proença

Você chegou ao Palmeiras, fez gol na estreia e tem sido bastante utilizado pelo Felipão. Fale um pouco desse momento. Tem sido bem legal, até porque eu tenho apenas 19 anos e já estou num clube como o Palmeiras. É bom também trabalhar com o Felipão, ele sempre me passa bastante confiança, brinca comigo e me deixa à vontade. Acha que sua versatilidade tem te ajudado a entrar sempre no time? Pode ser. Sou volante de formação, mas lá

BOLA NA BOTA Por Gian Oddi

UM CARÁTER RARO na Ponte aprendi a aprimorar o passe na saída, subir para o ataque e jogar como meia. Isso tem sido bastante importante hoje.

xar o sucesso subir à cabeça. Também ouço os mais velhos daqui do clube e o grupo de empresários que me assessora.

Em quais jogadores você se espelha? Como eu estou no Palmeiras, procuro ter como referência os jogadores que estão aqui, como o Valdívia, que é um ótimo jogador, dribla bem e tem um bom passe.

O Felipão descartou a possibilidade de chegar entre os três primeiros. Acha que a Sul-Americana é a melhor forma de chegar à Libertadores? Está difícil mesmo ficar com uma das vagas pelo Brasileiro, a diferença é grande, mas vai que a gente ganha todas e os outros tropeçam (risos)... Mas acho que pela SulAmericana há chances, o grupo está bastante confiante para a partida contra o Universitário de Sucre.

Acha que a confiança do elenco aumentou em relação a quando você chegou? Eu diria que sim. Aos poucos nós fomos nos ajudando, nos conhecendo, conversando, descobrindo as características de cada um e, com o passar do tempo, ganhando confiança. Quem te orienta para você não ficar deslumbrado com o sucesso? Eu procuro conversar bastante com meus pais, eles sempre me instruem para não dei-

(2)

A Itália teve seu primeiro tropeço nas Eliminatórias da Euro 2012 no sábado, quando empatou por 0 x 0 com a Irlanda do Norte. Nada grave,

Quais são seus objetivos na carreira? Ser ídolo no Palmeiras, jogar na Europa? Eu procuro estabelecer metas no clube onde jogo. Neste momento, meu objetivo é conquistar um título pelo Palmeiras e ficar marcado por isso.

tanto que o time de Cesare Prandelli segue na liderança de sua chave, com sete pontos em nove disputados. Não só por isso, porém, a imprensa italiana já demonstrou que será generosa com o treinador, eleito duas vezes

(1 )

o melhor técnico do país com a Fiorentina. Prandelli seduz não só a imprensa, mas os italianos em geral, também por outros motivos, menos

NA PONTE, EU APRENDI A APRIMORAR O PASSE NA SAÍDA, SUBIR PARA O ATAQUE E JOGAR COMO MEIA.

profissionais. Porque é do tipo que, em 2004, na então grande chance de sua carreira, abriu mão de um contrato milionário com a Roma para passar com sua mulher, então doente, os últimos meses de sua vida (isso deveria ser normal). Porque é do tipo que tem a gratidão como virtude: quando pode, cita o nome do desconhecido Franco Ferrari, seu professor no curso de técnicos obrigatório do calcio, como responsável por seu sucesso. Porque é do tipo que, por sua honestidade, quase nunca se ouviram críticas nem de seus comandados (algo quase impossível nesse meio). O caráter também ajudou a colocá-

ídolos da exigente torcida da Fiorentina (basta sua imagem aparecer no telão de estádio Artemio TINGA

Franchi que todos se levantam para aplaudir).

Luiz Otávio de Araújo

Agora, Prandelli diz que sua missão será

Idade: 19 anos Nascido em: Bom Jardim (RJ)

voltar a unir a Itália em torno da seleção.

Peso: 65 kg

Ele mostrou ter condições de fazê-lo

Altura: 1,73 m

tecnicamente. Mas também porque os italianos

Posição: meia/volante Clubes: Ponte Preta (2009-2010)

(e a imprensa) o respeitam e o adoram.

e Palmeiras (desde 2010) GIAN É EDITOR DE ESPORTES DO PORTAL IG.

(1 ) A LE X ANDR E BAT TIBUGLI | (2) A LBERTO P IZZOLI/A FP PHOT0

lo, entre os técnicos, como um dos maiores


se g u ndA- fe ir a , 11 de o u t u bro de 2 0 1 0 | j o r nal p l acar

13

Felipão pega teta na Sul-Americana Adversários fracos e ótimo retrospecto do técnico em mata-matas animam Verdão

F

elipão já declarou que será difícil o Palmeiras chegar entre os três primeiros do Brasileirão, mas a Sul-Americana pode ser o atalho para a Libertadores. Além disso, o time pode contar com o ótimo desempenho do treinador em mata-matas: venceu duas Libertadores (Grêmio e Palmeiras), três Copas do Brasil (Criciúma, Grêmio e Palmeiras), uma Mercosul (Palmeiras) e uma Copa do Mundo pelo Brasil. Outro fator que anima os palmeirenses são os adversários sem tradição — Boca, River e Estudiantes não disputam o torneio. Se passar pelo Universitário de Sucre (BOL), que ocupa a 10ª colocação no Campeonato Boliviano, enfrentará nas quartas de final ou o desesperado Atlético Mineiro

bolívia

argentina

equador

chile

— que pode preferir voltar as atenções ao Brasileirão — ou o Independiente de Santa Fé (COL), líder do campeonato nacional. Nas semifinais, há o risco de enfrentar a LDU, que, além de ostentar um bom desempenho recente em competições sul-americanas, recebe seus adversários na altitude de Quito. As outras possibilidades são os modestos San Jose (BOL), Unión San Felipe (CHI) e Newell’s (ARG). Na final, o Verdão pode enfrentar oito adversários, entre os quais o tradicional mas decadente Peñarol (URU) e os brasileiros Goiás e Avaí. Os mais otimistas ainda podem lembrar que em 1998 Felipão levou a Mercosul, equivalente à Sul-Americana da época, que o treinador encarou como vestibular para a Libertadores de 1999. Vai repetir agora?

San José

Defensor Sporting

Newell’s Old Boys

Independiente

LDU

Deportes Tolima

Unión San Felipe

Banfield

uruguai

argentina

colômbia

argentina

x

brasil

Felipão sabe que o caminho mais simples para a Libertadores é pela SulAmericana

bolívia

colômbia

brasil

Palmeiras

Penãrol

Universitário Sucre

Goiás

Santa Fé

Avaí

Atlético-MG

Emelec

uruguai

brasil

brasil

equador

rei do mata-mata

foto: renato p izzut to

19911992 Criciúma Scolari conseguiu o título mais importante da história do clube: a Copa do Brasil de 1991, com o ídolo Jairo Lenzi. Na final, bateu justamente o Grêmio.

19931996 Grêmio Além dos títulos citados no texto, Felipão levou o Grêmio a um vice e a uma semifinal da Copa do Brasil e à semifinal da Libertadores de 96.

19972000 Palmeiras Além das conquistas, Felipão foi vice da Libertadores, da Mercosul e do Brasileiro. Só caiu nas quartas da Copa do Brasil de 2000.

20012002 Brasil Apesar de ter sido eliminado por Honduras na Copa América de 2001, Felipão trouxe o penta passando por Inglaterra e Alemanha.

20032008 Portugal Obteve um vice da Euro e um quarto lugar na Copa. Em sua despedida, os lusos foram eliminados pela Alemanha na Euro2008 nas quartas.

20082009 Chelsea Classificou o time para o mata-mata da Champions League. E teve uma participação desastrosa na Copa da Liga: desclassificado na quarta fase.


JO R NAL PL ACA R | SEG U N DA-FEIR A , 11 D E OU TU BRO D E 20 1 0

são paulo

“Não usarei três zagueiros”

CARRINHO

Ao contrário de 1999, quando ganhou o apelido de “Professor Pardal”, Carpegiani agora prefere esquema “normal” com Alex Silva e Miranda

P

aulão, Nem e Wilson. O torcedor são-paulino que acompanhou a primeira passagem de Carpegiani pelo clube (1999) se recorda que o treinador optou, na maioria das vezes, pelo esquema com três zagueiros, eficiente no Morumbi desde os tempos de Cuca (2004). Questionado pelo Jornal PLACAR sobre a possibilidade de escalar uma linha defensiva com três homens, o técnico afirmou que nem as circunstâncias de um determinado jogo farão ele tomar essa decisão. “Poucas vezes optei por três zagueiros. Eu já vinha jogando a vida toda assim (com dois zagueiros). Tenho preferência pelo que é normal no futebol, uma linha de quatro que tenha comportamento tático, que preencha os espaços”, declarou Carpegiani. Até agora, a ordem do chefe é que os três jogadores de ataque que estejam em campo pressionem a saída de bola. “Quando temos a posse, o atacante tem que abrir pelos lados. Se a bola está com o rival, ele fecha o meio. Tenho preferência pela qualidade do atleta, não pelo esquema. Posso atuar até com quatro atacantes”, avisou o comandante.

O QUARTO LUGAR (3)

(1 )

A Conmebol promete definir no próximo dia 18 se o Brasileirão oferece ou não uma quarta vaga à Libertadores. Pra que tanta demora? Será que os cartolões sabem que esse lengalenga deixa seis clubes brasileiros e suas torcidas simplesmente sem chão? Porque Atlético-PR, Botafogo, Grêmio, Palmeiras, São Paulo e Vasco não sabem hoje o tamanho de suas tarefas nem o que devem pretender

Ajuda de Baresi Carpegiani rasgou elogios ao antecessor no cargo, de quem inclusive recebeu ajuda na primeira semana de trabalho. “O Baresi é um menino de muito futuro. A diretoria aposta nele e é obvio que vai haver outra chance. Ele é inteligente e tem plenas condições. Ele e o Milton (Cruz) me ajudaram a montar o time”, disse.

Por Maurício Barros

fazer no que resta do torneio. Vale o esforço (no caso dos dois últimos, hercúleo) para alimentar esperanças de disputar o torneio continental no ano que vem? É viável ou

A folclóricas invenções de Carpegiani ficaram no passado

viagem? Saber isso implica tomar decisões.

Bruno Favoretto

Veja o caso do São Paulo, por exemplo. Está de técnico novo, busca abrir espaço para

Sérgio Baresi conta o melhor e o pior de sua experiência

os garotos da base. Como não tem pressão por títulos porque ganhou muito nos últimos anos, pode tranquilamente usar o que resta

k

(2)

Ele saiu de Cotia para encarar um rabo de foguete no Morumbi

Após o anúncio de Carpegiani como novo treinador, Sérgio Baresi voltou a trabalhar nas categorias de base do clube. O técnico campeão da Copinha em 2010 segue os passos de Muricy, que assumiu o principal em 1995, quando Telê ficou doente, voltou a ser auxiliar quando Parreira chegou, em 1996, e tornou a comandar o time ainda naquele ano. Baresi contou ao Jornal PLACAR qual a melhor parte de ter comanda-

do a equipe em 14 jogos. “Ter colocado quatro atletas jovens, Lucas e Casemiro, que já são uma realidade, e o Zé Vitor e o Bruno Uvni”, disse o técnico. A pior parte? “Fico frustrado porque poderíamos ter resultados melhores, ganhando mais jogos”, lament. Quanto a Juvenal Juvêncio ter revelado seu salário, ele diz que “existe outras formas de ser premiado”, mas não ligou pra declaração.

do Brasileiro para construir o time para o ano que vem. O clube já dava como certo não disputar a Libertadores 2011. Mas com a volta da quarta vaga, duas vitórias seguidas já inflarão a torcida para que o time conquiste um lugar no seu torneio-obsessão. E aí Carpegiani talvez volte atrás no plano e, mirando os resultados, prefira não assumir o risco com os novatos em prol dos mais experientes. MAURÍCIO É REDATOR-CHEFE DA REVISTA RUNNER’S WORLD.

(1 ) WA NDER ROBERTO/ VIPC OMM | (2) WAGNER CA RMO/ VIP C OM M | (3) BUDA MEND E S/L ATINC ONTENT/GET T Y IM AGE S

14


se g u nda- fe ir a , 11 de o u t u BRO de 2 0 1 0 | j o r nal p l acar

15

A nova contra a velha geração tricolor Garoto Lucas corre pra superar a experiência de Rogério Ceni na Bola de Prata MÉDIA - BOLA DE PRATA

(1 ) Wagne r Carmo/ V IPC OMM | ( 2) Bru no Miani/ V IPC OMM

6,14

Rogério Ceni continua na briga por mais uma Bola na galeria

D

ono de seis troféus de prata e um de ouro, Rogério Ceni, mais uma vez, é o melhor são-paulino na corrida pela Bola de Prata da PLACAR. Depois de 29 rodadas, o goleiro de 37 anos ostenta 6,14 de média — sem contar o duelo de anteontem, 3 x 2 sobre o Prudente. No grupo tricolor, o capitão, que é o maior vencedor da premiação em atividade, é seguido pelo meia-atacante Lucas, 18 anos. O jovem, que participou de 17 partidas no Brasileiro, já atingiu índice de 5,82. Essa mescla etária é a aposta do técnico da equipe, que chegou e condu-

ziu o São Paulo a duas vitórias seguidas. “Tenho estes jogadores à disposição e vou usar da melhor maneira possível”, afirmou o comandante Carpegiani. “Esse é o estilo de jogo do Carpegiani. Ele também prioriza a parte técnica em detrimento da marcação e se expõe um pouco mais”, analisou Ceni. “Carpegiani gosta que o time inteiro ajude na marcação e ataque bastante quando tem a bola. Procuro ajudar e voltar sempre pra marcar”, declarou o garoto Lucas. São paulo no celular envie a mensagem: GOLTRICOLOR para 22745 NOTTRICOLOR para 22745

tt

(1 )

Você só paga R$ 0,31 por mensagem recebida.

(2)

MÉDIA - BOLA DE PRATA

5,82

Novato, Lucas já é o segundo melhor são-paulino na Bola


JO R NAL PL ACA R | SEG U N DA-FEIR A , 11 D E OU TU BRO D E 2 0 1 0

16

seleção

2014 É LOGO AQUI Jonas Oliveira Editor da revista PLACAR.

A COPA E A URNA Costuma-se dizer que no Brasil as coisas só funcionam após o Carnaval. O que é uma meia verdade. Algumas só funcionam mesmo após as eleições, especialmente aquelas ligadas ao setor público. É o caso da Copa 2014, que será quase inteiramente realizada com alguma participação do governo — seja por investimento direto, seja por empréstimos. Parte do atraso nas obras nas cidades-sedes pode ser creditado ao fato de estarmos em ano de eleições. As prefeituras e estados que não assinaram seus contratos de financiamento até meados deste ano têm que aguardar o fim do período eleitoral. O sufrágio também atrasou a votação da lei de incentivos fiscais para as obras da Copa (o que é, na verdade, o grande estímulo ao atraso). Não é apenas no aspecto burocrático que as eleições influenciam o Mundial 2014. Na maioria dos estados que receberão os jogos, os governadores foram reeleitos no primeiro turno ou conseguiram eleger seus candidatos. Naqueles em que a oposição venceu, sempre há uma certa apreensão de que o novo governo mude de planos. Algum deles tomaria a medida impopular de abrir mão da Copa? Improvável. Mas nada terá maior influência nos rumos do próximo Mundial que o segundo turno das eleições presidenciais. Até o momento, o presidente Lula tem sido protagonista em toda a articulação para que o Brasil fosse sede da Copa — até a negociação entre Corinthians e Odebrecht é atribuída a ele. Mas, em 13 de junho de 2014, quem estará ao lado do presidente da Fifa será Dilma Roussef ou José Serra. Diante de todo o mundo, um deles colherá os louros de ter organizado um bom Mundial ou passará por um vexame histórico. Como nunca na história deste país. Blog do Jonas 2014: a preparação do Brasil para sediar a Copa. ∑ placar.abril.com.br/blogs/jonas-oliveira/

Dunga elogia renegados e Elias é a novidade

(1 )

Técnico fala bem de Pato, Hernanes e Neymar; corintiano substitui Philippe Coutinho

P

ato, Hernanes e Neymar foram algumas das ausências na Copa lamentadas pela opinião pública. E não é que Dunga, responsável por deixá-los de fora do Mundial, elogiou o trio? Em entrevista ao jornal italiano La Gazzetta dello Sport, o ex-comandante da seleção afirmou que, se trouxer o atacante do Peixe, a Juventus vai se dar bem. “Seria um bom negócio. Ele tem o dom de driblar em velocidade e tem todas as qualidades para se tornar uma estrela. Já o compararam a Pelé, mas não podemos exagerar. A Juventus é um time importante, sabe lidar com talentos”, disse Dunga. Ele comparou o ex-são-paulino ao milanista Pirlo. “Hernanes já se tornou um protagonista. Sempre acreditei no seu talento, por isso o convoquei pra Olimpíada. Li que é considerado um novo Kaká, mas ele tem potencial pra se tornar um jogador de equipe como o Pirlo”, falou o gaúcho, que afirmou que Pato é “como uma Ferrari”.

Mano botou o corintiano para começar hoje contra a Ucrânia

Técnico: Mano Menezes

6

Pro amistoso de hoje, contra a Ucrânia, a novidade deve ser Elias na vaga de Philippe Coutinho — o time passaria do 4-3-3 pro 4-4-2. “Contra o Irã, tivemos dificuldade pra levar a bola ao ataque. Precisamos de mais força no meio”, afirmou Mano.

Técnico: Iuryi Kalitvintsev

5

2

11

4 1

Ucrânia

11

8

3

Corintiano entra

Brasil

10 7

3

5

10 9

2 1 Victor 2 Daniel Alves 3 Thiago Silva 4 David Luiz 6 André Santos 5 Lucas 7 Elias 8 Ramires 10 Carlos Eduardo 11 Robinho 9 Pato

4

8

9 7

6

1 Oykan 2 Romanchuk 3 Kucher 4 Kacherid 6 Manolziuk 5 Tymoshuk 8 Giay 11 Rotan 10 Aliyev 7 Gusen 9 Milevskiy

Hoje • 15h30 • Pride Park Stadium (Derby, ING) • J: A defnir • TV: Globo e Band

GIRO (3)

(4 )

Por culpa de uma lesão muscular na perna, Shevchenko foi cortado da seleção da Ucrânia e não pega o Brasil. O atacante machucou-se na sexta, no amistoso contra o Canadá, jogo de número 100 de Shev por sua seleção, e ainda não se recuperou. A maior estrela do futebol ucraniano deverá assistir ao jogo das arquibancadas do Pride Park, em Derby, na Inglaterra.

O primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, será o chefe da delegação do país em Zurique, onde a Fifa anunciará as sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022 em 2 de dezembro.

1


SE G U NDA- FE IR A , 11 DE O U T U BRO DE 2 0 1 0 | J O R NAL P L ACAR

17

O único brasileiro que ganhou em 1950 Paulo Ungaretti relata o dia em que foi cambista na final da Copa no Maracanã

1

2

3

4

5

1 - O ingresso da final 2 - O Maracanã, quase pronto para a Copa 3 - O time brasileiro que entrou em campo 4 - As arquibancadas lotadas do Maracanã 5 - O gol do uruguaio Ghiggia, que sepultou a esperança brasileira na Copa

(5)

NÃO SOU CAMBISTA, MAS APROVEITEI. VIAJAMOS DE TREM NA VÉSPERA. CHEGAMOS QUASE DE MADRUGADA E FOMOS PARA O MARACANÃ. COMPREI DEZ INGRESSOS.

Pedro Proença

(6)

Joe Hart, goleiro titular da Inglaterra, foi flagrado bêbado por um tablóide britânico dançando em um karaokê na Espanha, dias antes de se apresentar à seleção. Segundo o jornal, a farra de Hart durou dois dias.

P

aulo e o amigo Alonso trocaram São Paulo pelo Rio por algumas horas para aproveitar aquela que seria uma festa brasileira no Maracanã, em 1950. Não foi para os outros 200 mil que lotaram o estádio, mas, para eles, sim. Foram, viram e ganharam. Não o jogo, mas verba suficiente para trocarem o trem pelo avião na volta para casa. “Não sou cambista, mas aproveitei”, admite o aposentado Paulo Ungaretti Filho. “Viajamos de trem na véspera. Chegamos quase de madrugada e fomos para o Maracanã. Comprei dez ingressos.” Difícil adquirir tantos bilhetes? Que nada. Paulo diz ter chegado cedo à fila, as bilheterias abriram pouco tempo depois e ele não titubeou. Não havia nem policiamento nem controle do número de entradas que cada torcedor levava. Depois, ele foi ao hotel Serrador, point da alta sociedade carioca, separou suas entradas e vendeu as demais. “Acabou rapidinho e eles queriam mais. Voltamos para a bilheteria e compramos mais dez.” Paulo não lembra quanto lucrou com a brincadeira, mas a grana foi toda empregada na volta de avião, um luxo para a época. Além disso, diz que os compradores não quiseram negociar o preço — ele dizia o valor e os torcedores desembolsavam a pedida. Mas ele ressalva: “Não sou desses que abusam”. Paulo diz ter visto a partida na parte lateral do Maracanã e presenciado toda a tristeza que se abateu sobre os brasileiros após o gol de Ghiggia. Gilberto, filho de Paulo, diz que seu pai saiu contente do Maracanã: “Ele sempre foi um torcedor do contra, mas tem vergonha de admitir que não queria que o Brasil vencesse. Ele andava com os italianos e achava os brasileiros meio soberbos naquela Copa. Foi o único que saiu contente”. Paulo nega que tenha torcido ostensivamente contra o Brasil, mas admite que ficou feliz com o lucro que teve. Quando chegou à capital paulista (no mesmo dia), foi direto para o trabalho (era porteiro de cinema). “O pessoal perguntava e se divertia com a minha história.”

(7)

O zagueiro Pepe, da seleção portuguesa, está confiante na reconquista dos torcedores. Contra a Islândia, o brasileiro naturalizado português garantiu o mesmo espírito da vitória por 3 x 1 sobre a Dinamarca.

O presidente do Olympique de Marselha, Jean-Claude Dassier, anunciou que processará De Jong, do Manchester City, pelo carrinho que quebrou Ben Arfa. “‘Temos que tirá-lo dos gramados”, disse.

(1 ) ROD RIGO C OCA / FOTOAR ENA | (2) ALE X A NDR E BAT TIBUGLI | (3) SERGEI SUPINSK Y/ EURO FO OTBALL / GET T Y IMAGE S | (4) VIT TOR IO ZUNINO CELOT TO/ GET T Y IMAG E S | (5) GLYN KIRK /AFP PHOTO | ( 6 ) FR ANC IS C O LE ONG /AFP PHOTO | ( 7 ) ANDRE W YAT E S /AFP PHOTO

(2)


SE G U NDA- FE IR A , 11 DE O U T U BRO DE 2 0 1 0 | J O R NAL P L ACAR

19 ENTREVISTA EDU DRACENA

ESTILO FC Adriana Marmo

QUEM TEM MEDO DA CHUTEIRA ROSA? (2)

“O Neymar vai aprender com os erros que cometeu”

C

apitão santista, Edu Dracena se recupera de um derrame no joelho e deve ter condições de pegar o Inter nesta quarta. Ele concedeu entrevista exclusiva ao Jornal PLACAR.

(1 )

Bruno Favoretto

É linda a cor da nova chuteira da seleção brasileira. É bacana por várias razões. A começar pelo tom que não lembra em nada a cor símbolo do feminino. É um rosa cheio de personalidade, meio vinho, meio vermelho, meio grená. Talvez vire até “rosa-chuteira”, como o “vermelhoferrari”. Agora, divertido mesmo é ver o pânico de alguns jogadores. Robinho foi um deles e temeu pelo que os amigos iriam pensar de um, em suas palavras, “negão, jogador do Santos e maloqueiro” com os pés calçando rosa. Agora, imagine se os fortões do Stade Français, time de rúgbi de Paris, tivessem essa mesma crise. O uniforme dos caras, além de ser rosa, ainda tem flores estampadas.

Coisa mais antiga, Robinho! Homem pode, sim, vestir rosa e ficar elegante. Camisa rosa clara com terno escuro é sofisticado. Jeans, camisa listrada de branco e rosa suave é perfeito para o dia a dia no trabalho ou balada. Camisa pólo nessa cor com (1 ) RENATO PIZZUT TO | (2) DIVULG A ÇÃ O

calça ou bermuda cáqui é muito bacana. E não é por isso que um homem terá a sua

Você chegou lesionado, pelas mãos do Luxa. Com a saída dele, pensou que poderia não ter mais chance? Eu sabia que o Vanderlei poderia sair. Claro que ele e o Marcelo Teixeira ajudaram na minha vinda, mas cheguei com contrato de três anos e quero cumpri-lo. Sem contar no Olympiacos, onde estava emprestado, fiquei três anos nos outros times que joguei (Guarani, Cruzeiro e Fenerbahçe). Sem Wesley, André, Robinho e Ganso, o time fica comum? A gente perdeu nosso poderio ofensivo. Onde vamos achar um cara igual ao Wesley? Ao André? Mudou, mas nosso time ainda é muito bom. Mas o Keirrison não é o substituto do André? Sem dúvida, mas tem uma diferença na característica deles. O André joga de costas pro gol, já o Keirrison gosta de receber a bola em velocidade e finalizar. Ele chegou, a gente deixou ele muito à vontade, ele já estava se soltando, mas teve essa lesão. Foi de velório o clima do primeiro treino sem o Dorival? Não tem como negar a tristeza. Foi uma coisa repentina, pegou a gente muito de surpresa. Foi ruim pra todos, mas estamos fortes pra continuar e tocar o trabalho que foi implantado por ele. Como era a sua relação com o Dorival? Conheci o Dorival em 2000, quando ele era auxiliar técnico do Luiz Carlos Ferreira no Guarani. A gente não tinha proximidade, até nos encontrarmos no Santos. Ele é sensacional. Como ele sempre falou, “a porta da sala dele sempre esteve aberta pra gente”, um cara que sempre conversou muito com todos, e que jogou bola, sabe como são as coisas.

virilidade questionada, ora bolas! Agora, se a chuteira combinou com o uniforme verde e amarelo, ah isso já são outros quinhentos... ADRIANA É EDITORA DA REVISTA MANEQUIM.

A Libertadores ficaria mais perto com ele? É difícil não achar isso, pois o Dorival começou o trabalho lá no início do ano e conhecia as carências da equipe, poderia trabalhar bem isso. Por outro lado, é relativo, pois em pouco tempo ele conseguiu armar

EDU DRACENA

(NEYMAR E EU) TIVEMOS AQUELA DISCUSSÃO, FALEI O QUE TINHA QUE FALAR E O CLIMA JÁ VOLTOU AO NORMAL. um grande time e conquistar títulos. Um técnico pode chegar e fazer igual. A conduta dos atletas mais experientes é diferente da dos garotos. Houve racha? De jeito nenhum, todo mundo é amigo. É importante ter essa mescla num grupo. Os garotos são do jeito deles. Sempre vai ter uma briguinha ou outra, mas é normal, tranquilo. O Neymar está mais calmo? Está. A gente teve aquela discussão, eu falei o que tinha que falar e o clima já voltou ao normal. Acho que o Neymar vai apren-

Eduardo Luís Abonízio Souza Idade: 29 anos Nascido em: Dracena (SP) Peso: 1,86 m Altura: 77 kg Posição: zagueiro Clubes: Guarani (1999 a 2002), Olympiacos-GRE (2002), Cruzeiro (2003 a 2006), Fenerbahçe-TUR (2006 a 2009) e Santos (desde 2009) Títulos: Campeonato Mineiro (2003, 2004 e 2006), Copa do Brasil (2003 e 2010), Brasileiro (2003), Turco (2006-2007) e Paulista (2010)

der com os erros que ele cometeu, como nesse episódio com o Dorival, que também o deixou fora da seleção. É lógico que ele vai pra seleção de novo, mas ele precisava desse tempo pra amadurecer, aprender. Como capitão, você chegou a ter uma conversa com o Neymar depois de tudo? Procuro sempre orientar a todos. A gente teve uma conversa, eu coloquei algumas coisas e já está tudo bem. E o episódio das prostitutas em Porto Alegre? Fui pego de surpresa, não sabia nada disso.


Consciência se constrói com educação.

futura

www.afrobras.org.br

Fundada em 1997, a Afrobras é o resultado do idealismo e esforço de um grupo de cidadãos de todas as raças, formado por intelectuais, autoridades, personalidades, empresários, estudantes e trabalhadores, que tem por objetivo promover a inserção socioeconômica, cultural e educacional dos jovens negros na sociedade brasileira. Desenvolvendo atividades de informação, formação, capacitação, qualificação e assessoria técnica, jurídica e política, a Afrobras destaca-se hoje como referência na busca de valorização e afirmação do negro brasileiro. Entre suas inúmeras atividades, merecem destaque a Faculdade Zumbi dos Palmares, o Colégio da Cidadania Zumbi dos Palmares, a agência internacional de notícias Afrobrasnews, a revista Afirmativa Plural, o programa Negros em Foco, o Troféu Raça Negra e a Medalha do Mérito Cívico Afro Brasileiro. Até agora foram apenas 13 anos ajudando a mudar uma história de quase 4 séculos. Sabemos que o caminho a percorrer ainda é longo, mas ele está cada vez mais livre. E plural. Saiba mais. Acesse www.afrobras.org.br

A.F. ANº CONSCIÊNCIA (25X33).indd 1

17/09/10 12:58


SE G U NDA- FE IR A , 11 DE O U T U BRO DE 2 0 1 0 | J O R NAL P L ACAR

top placar

21

As dez maiores roubadas do futebol Não é tarefa para qualquer jogador encarar o zagueiro Domingos, da Portuguesa, ou o atacante palmeirense Kléber. Aqui, damos as dicas para quem não quer entrar numa fria

(1 ) JUNIOR L AG O/FUTUR A PR E S S | (2) WAGNER MEIER /F OTOA RENA | (3) RENATO P IZZUT TO | (4) BRUNO F IGUEIREDO/ O TEMPO /F UTUR A P RE S S | (5) ALE X A NDR E BAT TIBUG LI (6) CELS O P UP O/F OTOA RENA | ( 7 ) A LE X AND RE BAT TIBUGLI | (8) KOJI WATANA BE / GET T Y IMAG E S | (9 ) D O RIVA N M AR INHO /F OTOAR ENA | (10) MA RC O S BE ZERR A / FUTUR A P RE S S

(1 )

(3)

Dividir com Domingos

Jogar no Vietnã

Longe de se distinguir pela classe, o zagueiro Domingos, da Lusa, não afina em divididas e acumula expulsões e polêmicas (como com Diego Souza, no Paulistão 2009). O ímpeto é tal que quando jogava pelo Santos quebrou a perna do goleiro Rafael e lesionou o lateral Bruno (seus colegas) nos treinos.

Jogar bola em países obscuros para ganhar uns trocados é uma prática comum. Em 2009, Denílson foi para o Vietnã. Não gostou de ter que lavar a própria roupa, de não ir para o vestiário no intervalo e da falta geral de estrutura. O atacante deixou o pais após jogar apenas 45 minutos (e marcar um gol). (8)

Marcar o palmeirense Kléber

Entrevistar Emerson Leão

O Gladiador, apesar de ter apenas 1,73 m e 78 kg, é forte. Ele usa muito bem o corpo, sabe proteger a bola como poucos e resiste bem às faltas (não é qualquer toque que o derruba). Por usar muitos os braços, Kléber acerta — voluntariamente ou não — cotoveladas em seus marcadores.

A afabilidade e a calma nunca fizeram parte do temperamento de Leão. Entrevistá-lo não é a atividade preferida dos jornalistas. Além de dar respostas pouco polidas, o treinador ainda agrediu o repórter baiano Roque Santos neste ano e empurrou Leandro Quesada em 2006. (4 )

Enfrentar o Boca em final de Libertadores no Brasil Nesta década, Palmeiras, Santos e Grêmio tiveram a chance de acrescentar mais uma Libertadores às suas salas de troféus, mas foram frustrados pelo Boca Juniors. O Verdão caiu nas penalidades depois de dois empates; já o Peixe e o Tricolor gaúcho foram derrotados na ida e na volta. (5)

(2)

(9)

Torcer pelo Santa Cruz

(6)

Não tem sido fácil torcer pela Cobra Coral. Desde 2006, quando caiu para a série B e começou sua vertiginosa queda, o time só faz sua torcida chorar. De lá para cá, o time obteve a proeza de ser rebaixado por três anos consecutivos, indo parar na melancólica série D.

Ser dirigente do Flamengo

“Visitar” o Moisés Lucarelli

Não deve ser fácil administrar um clube grande que flerta com o rebaixamento, vai para o quarto técnico no ano e acaba de azedar a relação com o maior ídolo de sua história, Zico. O ano ainda foi marcado pelo Caso Bruno e pelas amizades perigosas de Adriano e Vágner Love quando estavam na Gávea.

A torcida da Ponte Preta não está entre as mais cordatas do Brasil. Ir ao seu estádio como visitante pode ser um pouco perigoso, pois, além de ter de subir uma ladeira para chegar ao espaço destinado aos visitantes, há o risco de ser alvejado por pedras que vândalos atiram de dentro de um terreno. (7)

Treinar o Brasiliense

Contratar Dodô

Depois de vencer o Brasileiro pelo Flamengo, Andrade amargou um fiasco no Carioca, classificou o time para as oitavas da Libertadores, mas acabou demitido. Depois de ficar cinco meses desempregado, o Tromba assumiu o comando do Brasiliense, que luta para não ir para a série C.

Apesar de seus gols bonitos, sua carreira é marcada pelas omissões em partidas decisivas e por episódios polêmicos (como quando mandou bananas para a torcida do São Paulo). Conquistou apenas um título relevante: o Paulista de 98. Mesmo assim, ele foi barrado da partida decisiva. (10)


O Greenpeace está de olho. Colabore com o Greenpeace e vamos juntos cuidar do planeta.

Você sabia que a usina que gera energia para a sua casa também pode estar gerando volumes gigantescos de CO2 que são jogados ao vento? E você sabia que esse mesmo vento poderia produzir energia limpíssima para boa parte do Brasil e ainda gerar milhares de empregos? O Greenpeace sabe e continua pesquisando e incentivando os governos a investir num futuro melhor para você e para todos nós.

Só aceitamos doações de pessoas físicas como você. Não aceitamos ajuda de empresas ou governos, o que garante nossa independência e liberdade para atuar.


se g u nda- fe ir a , 11 de o u t u BRO de 2 0 1 0 | j o r nal p l acar

pelo brasil

23

Fla de Luxa abre 2, mas deixa Avaí empatar Val Baiano brilhou no dia em que o técnico somou 100 jogos à frente do Flamengo (1 )

Val Baiano deslanchou com a chegada de Luxemburgo no Fla

O (1 ) Cristia no A nd ujar /Futur a Pr e s s | (2) Jeffers on Berna rd e s/ VIP C OMM

momento do Flamengo não é o mais confortável, mas a tarde era de festa pra Vanderlei Luxemburgo, que completou 100 jogos à frente da equipe, e pro lateral-direito Léo Moura, que alcançou 300 duelos. A celebração seria completa se o rubro-negro tivesse conseguido segurar sua vantagem. Mas o Avaí igualou o placar: 2 x 2.

Substituto de Deivid, Val Baiano foi o nome da partida. O centroavante, que marcou seu primeiro gol pelo clube na estreia de Luxa, no meio de semana, voltou a alegrar o chefe aos 14min. Kléberson lançou Renato Abreu, que, em posição duvidosa, rolou para o atacante abrir a contagem. Dois minutos depois, Renato Abreu fez nova assistência para Val Baiano ampliar a vantagem.

O Flamengo quase aumentou aos 20min em nova jogada da dupla. Val Baiano recebeu cruzamento na área e ajeitou para Renato bater uma bola que passou raspando o poste de Renan. No 2º tempo, o Avaí fez duas trocas no intervalo: saíram Caio e Robinho e entraram Emerson Nunes e Válber — mudança do 4-4-2 ao 3-5-2. Aos 8min, após cobrança de escanteio de Pará, Emer-

son subiu alto e cabeceou no canto esquerdo de Marcelo Lomba. O gol incendiou a Ressacada, que vibrou mais quando Léo Moura, com o número 300 às costas, levou o segundo amarelo e foi para o chuveiro mais cedo. Aos 14min, Pará levantou e Roberto desviou para as redes. O Avaí só não virou por causa de Marcelo Lomba, que pegou bom chute de Jeferson.

no sul

Internacional segura o Galo de Dorival

(2)

k

Alecsandro deixou o seu no Beira-Rio e o ex-sãopaulino Edu comemorou

No Beira-Rio, o Internacional fez 1 x 0 no Atlético-MG, que perdeu a chance de sair da zona da degola. No 1º tempo, o Colorado parecia estar mais preocupado com o Mundial que se aproxima do que com o Campeonato Brasileiro. Ameaçado pelo rebaixamento e desfalcado por Diego Souza, Ricardinho e Tardelli, o Galo de Dorival

Júnior imprimiu uma marcação forte. Aos 15min, quase os gaúchos marcaram num contra-ataque em que Edu disparou, invadiu a área, driblou Renan Ribeiro e tocou pra Alecsandro, que chutou. Lima salvou e o mesmo Alecsandro, com o gol aberto, mandou sobre o travessão. Daniel Carvalho, que voltava de contusão, sentiu o pulso e teve que ser substituído

por Ricardo Bueno. O gol do Inter saiu aos 46min: Kleber cobrou falta na área, Alecsandro subiu mais que a zaga e desviou de cabeça. Aos 2min da etapa final, Marquinhos obrigou o goleiro atleticano a grande defesa. Mais Inter: aos 15min, Derley avançou e disparou no travessão de Renan Ribeiro. No fim, o goleiro Renan evitou o empate em finalização de Jackson.


JO R NAL PL ACA R | SEG U N DA-FEIR A , 11 D E OU TU BRO D E 20 1 0

24

especial

SÓ SE FALA DE OUTRA COISA Por Marcos Sergio Silva

TREM BÃO

Curtindo a vida de boleiro adoidado pelo mundo Ir ao Castelo do Drácula, surfar em Bali, virar mangá, sofrer com os aiatolás... Veja as aventuras dos brasileiros no exterior

O técnico do Trem, Roberto Foguetinho, radicalizou e afastou o artilheiro Jaqueta do clube do Amapá. E escalou o time assim: Miro; Rô, Junior Fazendinha, Rubran e Esquerdinha; Pretão, Lessandro, Júnior e Batata; Pelezinho e Tocantins. A nova formação animou a presidente do Trem, Socorro Marinho, que avisou que a

A

maioria dos jogadores deixa o Brasil atrás da tão sonhada independência financeira. E, além de ganhar uma grana, os caras se divertem e conhecem alguns lugares bacanas — outros nem tanto. Atacante do Gloria Bistrita, o ex-santista Moraes partiu pra Romênia em fevereiro. Gosta de ir a parques, mas não esquece um local sinistro. “O Castelo do Drácula foi transformado em hotel e restaurante. Almocei lá, mas não sei se teria coragem de passar uma noite naquele lugar. Existem móveis e salas subterrâneas que dizem que

são da época do Drácula”, conta. No Vietnã, encontramos dois brasileiros. Kesley, atacante de 28 anos, começou na Lusa e foi parar em solo vietnamita em 2005. Casou-se com Huynh Thi Le Loc, aprendeu a língua, gerou Kelvin, foi chamado pra seleção local e até trocou de nome — atende agora por Huynh, nome do único comunista a presidir o Vietnã do Sul. “É um povo sentimental, como o brasileiro”, define o atacante, que ganha 30000 dólares no Bình Duong. A diversão nas horas vagas são TV e internet. Cauê, 32 anos, também passou por Portugal, Suécia, Nova Zelândia e Indonésia.

“No Vietnã, curto ir às praias de Nha Trang. Na Indonésia, eu surfava em Bali. Na Suécia, além de jogar golfe, fazia snowboard”, diz o meia do T&T. “Aqui tem treinos bizarros. Alguns ficaram com tendinite porque tinham que subir e descer escadas”, lembra. Tricampeão japonês, Oswaldo de Oliveira, que vai virar mangá (quadrinhos japoneses), adora os rituais do Kashima Antlers. “Antes e depois da temporada, o grupo vai ao Templo Kashima pedir e agradecer, sob a bênção de um monge.”

Bruno Favoretto e Marcos Sergio Silva

torcida mirim vai estar presente.

Trampolim alemão

Indonésia

O grande trampolim para o Brasil é a Copa do Mundo da Alemanha. Não aquela de 2006, mas a da modalidade (ginástica de trampolim), que conta com três compatriotas: Carlos Ramirez Pala, Vanessa dos Santos e Daienne Cardoso Lima. Suécia

Pelé do judô Assim como o Rei do Futebol fez quando marcou o milésimo gol, o judoca João Derly agradeceu às criancinhas. O atleta diz que a moçadinha o incentivou a voltar a competir.

ÀS VEZES, VOCÊ FICAR EM CASA COM A FAMÍLIA É BOM, MAS O DESGASTE É MUITO GRANDE, É SUPERMERCADO, SHOPPING, AÍ SAI DAQUELE FOCO.

MARCOS SERGIO É EDITOR DO JORNAL PLACAR.

Cauê

Revelado no Araçatuba, o meia-atacante de 32 anos passou por Portugal, Suécia, Nova Zelândia e Indonésia antes de desembarcar no Vietnã, onde acaba de ser campeão nacional pelo T&T Hanói. “Temos poucas horas vagas, a concentração é intensa. Curto ir às praias de Nha Trang”, conta. “Na Indonésia tinha altos picos, eu surfava em Bali e Lombok. Na Suécia, além de jogar golfe, eu me divertia no snowboard pelo menos uma vez por semana.”

FOTO S: REP ROD UÇÃO

Charles Guerreiro, técnico do Paysandu, justificando a semana de concentração em Fortaleza.

Vietnã


SE G U NDA- FE IR A , 11 DE O U T U BRO DE 2 0 1 0 | J O R NAL P L ACAR

25 Kesley

Autor do gol do título da Lusa na Copinha (2002), ele foi parar no Vietnã em 2005. Casouse com uma vietnamita, obteve o passaporte local e foi chamado pra seleção. “É um povo sentimental, como o brasileiro”, define o atacante, que agora atende por Huynh, nome do único comunista a presidir o Vietnã do Sul. “Nas horas vagas, a gente assiste à TV local ou entra na internet. Mas ele gasta a maior parte do tempo comigo”, brinca Le Loc, a esposa.

Vietnã

Sebastião Lazaroni

Técnico do Qatar SC, ele tem moral com os xeiques de Doha. Eleito o melhor treinador da temporada 2009, depois de ganhar a Copa do Príncipe Herdeiro, o brasileiro recebeu um troféu com a imagem de um orix, um grande antílope que é um dos símbolos do Catar. “Não é todo ano que utilizam a imagem para os troféus. Achei que foi uma bela homenagem e com um simbolismo importante para o país”, orgulha-se o ex-comandante da seleção brasileira.

Catar

Oswaldo de Oliveira

O técnico do Kashima Antlers-JAP, que vai virar personagem de mangá (quadrinhos no estilo japonês), costuma sair pra jantar, frequentar shoppings e até a Disney nipônica. Tricampeão nacional, ele curte os rituais do clube. “Todos do time se reúnem antes e depois da temporada no Templo Kashima, pra pedir um ano de sucesso e, depois, pra agradecer. Um monge comanda o ritual. Fazemos uma reverência em sinal de respeito à cultura.”

Japão

Marcos Paquetá

O treinador da Líbia se diverte pelo país africano, que conta com um comércio forte de ouro e caixas eletrônicos nada convencionais. “Trípoli (capital) é grande, mas os bancos da cidade estão situados no centro, então criaram caixas eletrônicos móveis, em carros, pra não concentrar todo mundo na região”, explica Paquetá. “O país é muito tranquilo, não tem prisão. Mas, se alguém roubar alguma coisa, eles chamam pra ‘conversar’.”

FOTO S: REP ROD UÇÃO

Irã

Diego Clementino

Em 2009, o atacante do Grêmio atuou no Saba Qom, do Irã. “Senti muito a falta da família e das opções de lazer. Fiquei seis meses dentro de casa, não havia nada pra fazer, além de treinar e jogar. Eles são muito tradicionalistas. Acho que eles surtariam se passeassem em alguma praia aqui no Brasil.”

Alemanha

Líbia

Felipe Santana

Em Dortmund-ALE, o que mais impressiona o zagueiro do Borussia que foi revelado pelo Rio Claro e despontou no Figueirense não é cerveja nem neve. O legal é a arte, com destaque pra uma exposição de rua. “Tinha rinocerontes alados decorados por artistas plásticos que foram espalhados pela cidade.”

Romênia

Moraes

O ex-santista, atacante do Gloria Bistrita (Romênia), se impressionou com um lugar sinistro. “O Castelo do Drácula foi transformado em hotel e restaurante. Almocei lá, mas não sei se teria coragem de passar uma noite naquele lugar. Existem móveis e salas subterrâneas que dizem que são da época do Drácula.”


jo r na l pl acar | seg u n da-feir a , 11 d e ou tu bro d e 20 1 0

26

especial

Escândalos sexuais viram epidemia no mundo do futebol

(1 )

E

scândalos sexuais envolvendo jogadores de futebol tornaramse comuns neste ano. O último aconteceu com Felipe, ex-goleiro do Corinthians, atualmente no Sporting Braga, de Portugal. O jogador foi acusado de agredir a modelo Letícia Carlos, exnamorada do são-paulino Richarlyson, com quem supostamente vivia no país. Ela teria flagrado Felipe numa orgia com mais quatro jogadores do clube e cinco garotas de programa. Na última semana, reportagem do diário Lance! afirmou que um dos fatores que culminaram no desgaste do técnico Dorival Jr. com Neymar foi o episódio em que o menino da Vila trouxe uma garota de programa para a concentração,

no Rio Grande do Sul. “A imaturidade desses atletas, que saem de uma condição social muita baixa para outra muito alta rapidamente, pode explicar esse comportamento”, analisa a educadora sexual Maria Helena Vilela. “O escândalo sexual é malvisto pelos empregadores, mas como perfil de sexualidade não é ruim (para o jogador). Ele reforça a masculinidade. Ruim é ser pego com um travesti”, diz, citando o caso do corintiano Ronaldo, flagrado com três transexuais no Rio de Janeiro, em 2008. Esses casos, no entanto, têm levado a excessos. A suposta agressão de Felipe a Letícia foi a mais recente delas. A modelo disse ao jornal português Correio da Manhã que deixou o trabalho que tinha no Brasil, um

salão de beleza, para embarcar com o jogador para Portugal. Segundo apurou a reportagem, Letícia e Felipe começaram a ter um caso em março. O camisa 1 nega manter relações com a garota, que afirma ter sido ameaçada pelo telefone pelo jogador e por sua família. Letícia está desde terça no Brasil. A reportagem com as acusações saiu um dia depois, em Portugal. “As coisas estão encaminhando”, disse a modelo. Durante a Copa, o Brasil acompanhou o caso do ex-goleiro Bruno, suspeito de matar e ocultar o corpo de sua ex-amante, Eliza Samúdio, que teria tido um filho com o atleta. Os dois se conheceram em um orgia na casa de outro goleiro flamenguista, Paulo Victor. Bruno está preso.

Cartão amarelo: suposto escândalo envolvendo Felipe mancha a carreira do ex-corintiano

OUTROS CASOS (2)

(3)

(4)

(5)

Escapadas de Romário o “demitiram” duas vezes

k André Santos O ex-lateral-esquerdo do Corinthians ficou afastado do Fenerbahçe por supostamente ter participado de uma orgia na Turquia. Um dos motivos para não ser chamado por Dunga para a Copa da África do Sul teria sido justamente este.

Adriano O rei dos excessos no Brasil bateu o recorde em sua festa de aniversário neste ano, quando teria convocado um jumento e um anão, protagonistas de uma cena de sexo em uma mansão no Rio. O animal era passivo.

Bruno O maior escândalo do futebol brasileiro foi protagonizado pelo ex-goleiro do Fla. Ele está preso em Contagem (MG) desde julho suspeito de mandar matar a ex-amante Eliza Samúdio, que conheceu em uma orgia e com quem teria tido um filho.

Neymar O menino da Vila começou cedo no ramo sexual do futebol. Aos 18 anos, teria levado uma garota de programa para a concentração depois do jogo do Grêmio contra o Santos, em Porto Alegre. Dorival não gostou.

A relação entre os escândalos sexuais e o futebol é frequente no Brasil — e envolve de craques a bagres, sem distinção. Nos anos 1990, o atacante Romário era o mais presente neles. Sua demissão do Flamengo, em 1999, foi anunciada às vésperas da final da Copa Mercosul, vencida pelo rubro-negro. O Baixinho havia fugido da concentração para se encontrar em um hotel de Caxias do Sul (RS)

com outros seis jogadores e mais uma seleção de loiras e morenas de boates de Porto Alegre e da cidade. Dois anos depois, com a seleção, despertou a raiva de Luiz Felipe Scolari ao sumir com uma aeromoça. “Não fui à Copa e não comi a aeromoça, que era a maior gostosa”, disse. Outro que se envolveu nessas situações foi o hoje técnico Renato Gaúcho, famoso também por suas escapadas fora de campo.

(1 ) IA N KINGTO N/AFP P HOTO | (2) Divulgação/ V IPC OMM | (3 ) Márcia Feito sa / VIP C O MM | (4) Ide Gom e s/F utur a Pr e s s | (5) renato pizzutto

Suposta agressão do ex-goleiro corintiano Felipe à companheira em Portugal, depois de uma orgia, foi o último deles no Brasil


ALFA. VOCÊ É O CARA. ESSA É A SUA REVISTA.

Alfa é a nova revista do homem. Estilo, saúde, comportamento, tecnologia, carreira, mulheres, negócios. O universo masculino abordado com inteligência e elegância.

Já nas s

banca

www.clubalfa.com.br $)$OID-RUQDO3ODFDU[PPLQGG




JO R NAL PL ACA R | SEG U N DA-FEIR A , 11 D E OU TU BRO D E 20 1 0

PLACAR.COM.BR

anote aí

JORNALPLACAR@ABRIL.COM.BR

IMAGEM DA SEMANA

CAMPEONATO BRASILEIRO

(1 )

SÉRIE A CLUBE Cruzeiro Fluminense Corinthians Internacional Santos Botafogo Atlético-PR Grêmio Palmeiras São Paulo Ceará Vasco Guarani Flamengo Vitória Avaí Atlético-GO Atlético-MG Goiás Prudente*

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

Libertadores

P 54 52 49 47 45 44 43 43 43 41 38 38 34 34 31 30 29 28 28 21

J 29 29 28 28 28 29 29 29 29 29 29 28 29 29 29 29 29 29 29 29

Sul-Americana

V 15 15 14 14 13 10 12 11 10 11 9 8 8 7 7 7 8 8 7 5

Rebaixamento

9/10

ARTILHEIROS

Ontem

18h30 Santos 2 18h30 Vasco 3 18h30 Prudente 2 16h00 Corinthians 3 16h00 Botafogo 0 16h00 Cruzeiro 1 16h00 Goiás 1 16h00 Avaí 2 18h30 Internacional 1 18h30 Ceará 2

JONAS Grêmio

GP 39 49 52 35 47 42 31 48 35 39 24 32 31 30 32 39 39 35 32 28

GC 26 31 36 27 35 32 35 36 29 40 29 30 43 32 40 46 47 51 48 46

SG 13 18 16 8 12 10 -4 12 6 -1 -5 2 -12 -2 -8 -7 -8 -16 -16 -18

x x x x x x x x x x

0 3 3 4 0 0 0 2 0 0

16/10

Atlético-PR Grêmio São Paulo Atlético-GO Palmeiras Fluminense Vitória Flamengo Atlético-MG Guarani

HORA 18h30 18h30 16h00 16h00 16h00 16h00 16h00 18h30 18h30 18h30

17/10

11 GOLS

MALDIÇÃO Felipe Massa estraga a Ferrari logo no começo do GP do Japão, em Suzuka. O brasileiro, que largou mal, disse que “realmente estava amaldiçoado” ontem

* Prudente perdeu três pontos por escalar jogador irregular

DATA

JOGO

19 GOLS

D 5 7 7 9 9 5 10 8 6 10 9 6 11 9 12 13 16 17 15 15

30ª RODADA

29ª RODADA DATA

E 9 7 7 5 6 14 7 10 13 8 11 14 10 13 10 9 5 4 7 9

AGENDA

JOGO Flamengo Atlético-PR Guarani Atlético-MG Grêmio Atlético-GO Vitória São Paulo Palmeiras Fluminense

x x x x x x x x x x

Internacional Goiás Corinthians Avaí Cruzeiro Vasco Prudente Santos Ceará Botafogo

Hoje

ELIAS Atlético-GO

KLÉBER Palmeiras

WASHINGTON Fluminense

Amanhã

Quarta

Série A

Rebaixamento

BASQUETE - Às 20h, acompanhe Pinheiros Sky x Barueri, pelo Campeonato Paulista de Basquete, no ginásio do Clube Pinheiros.

Sexta

FUTEBOL FEMININO - Os canais SporTV transmitem as semifinais da Libertadores feminina, às 16h e às 19h.

E 5 4 6 6 7 9 4 3 6 11 2 4 6 6 12 5 8 10 8 6

D 6 8 7 7 8 7 11 12 10 7 14 13 12 12 8 13 12 11 13 15

GP 43 42 51 45 40 39 47 33 39 38 36 29 34 34 30 32 38 27 25 33

GC 32 29 28 33 26 31 39 35 39 37 38 44 37 37 28 44 43 42 45 48

SG 11 13 23 12 14 8 8 -2 0 1 -2 -15 -3 -3 2 -12 -5 -15 -20 -15

Sábado

INGLÊS - O líder Chelsea visita o Aston Vila, às 13h30, pelo Campeonato Inglês. Acompanhe nos canais ESPN.

Jairo Mendes Leal Conselho Editorial:

Victor Civita, Roberto Civita (Presidente), Thomaz Souto Corrêa (Vice-Presidente), Giancarlo Civita, Jairo Mendes Leal, José Roberto Guzzo Diretor de Assinaturas: Fernando Costa Diretor Digital: Manoel Lemos Diretora Geral de Publicidade:

Thaís Chede Soares

Diretor Geral de Publicidade Adjunto:

Rogerio Gabriel Comprido

Diretor de RH e Administração, Planejamento e Controle:

Fábio d’Avila Carvalho

Diretor de Serviços Editoriais:

Alfredo Ogawa

Diretora Superintendente: Elda Müller Diretor de Núcleo: Marcos Emílio Gomes

Diretor de Redação: Sérgio Xavier Filho Redator-Chefe: Arnaldo Ribeiro; Editor-Executivo: José Vicente Bernardo; Editor: Marcos Sergio Silva; Editor de Arte: Alex Borba; Repórter: Bruno Favoretto; Estagiário: Ewerton Araujo; Designers: Eduardo Ianicelli e Everton Prudêncio; Tratamento de imagem: Eduardo Ianicelli; Coordenação: Silvana Ribeiro; Atendimento ao leitor: Sandra Hadich; PLACAR Online: Marcelo Neves (editor); Colaboradores: Bruno Bortoletto (designer), Sebastian Ferrari (webmaster), Felipe Barros e Filipe Garrett. www.placar.com.br Em São Paulo: Redação e Correspondência: Av. das Nações Unidas, 7221, 7º andar, Pinheiros, CEP 05425-902, tel. (11) 3037-2000, fax (11) 3037-5597; Publicidade São Paulo www.publiabril.com.br; Classificados tel. 0800-7012066, Grande São Paulo tel. (011) 3037-2700.

(2)

PUBLICAÇÕES DA EDITORA ABRIL:

Alfa, Almanaque Abril, Ana Maria, Arquitetura & Construção, Aventuras na História, Boa Forma, Bons Fluidos, Bravo!, Capricho, Casa Claudia, Claudia, Contigo!, Dicas Info, Publicações Disney, Elle, Estilo, Exame, Exame PME, Gloss, Guia do Estudante, Guias Quatro Rodas, Info, Lola, Loveteen, Manequim, Manequim Noiva, Máxima, Men’s Health, Minha Casa, Minha Novela, Mundo Estranho, National Geographic, Nova, Placar, Playboy, Quatro Rodas, Recreio, Revista A, Runner’s World, Saúde!, Sou Mais Eu!, Superinteressante, Tititi, Veja, Veja Rio, Veja São Paulo, Vejas Regionais, Viagem e Turismo, Vida Simples, Vip, Viva! Mais, Você RH, Você S/A, Women’s Health. Fundação Victor Civita: Gestão Escolar, Nova Escola

blogs/blog-de-prata/

V 16 15 14 14 12 11 12 12 11 9 11 10 9 9 7 9 7 6 6 6

BRASILEIRÃO - O Corinthians visita o Vasco para a realização de jogo adiado pelas comemorações do centenário do clube. Às 22h, na Globo e na Band.

∑ placar.abril.com.br/bola-de-prata/

J 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27

Blog de Prata Quem brilhou e quem afundou na disputa do prêmio.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

P 53 49 48 48 43 42 40 39 39 38 35 34 33 33 33 32 29 28 26 24

EURO 2012 - A campeã do mundo Espanha visita a Escócia pelas Eliminatórias da Euro 2012. A ESPN Brasil transmite às 15h55.

Quinta

SÉRIE B CLUBE Coritiba América-MG Figueirense Bahia Sport Ponte Preta Portuguesa Duque de Caxias São Caetano Guaratinguetá ASA Náutico Icasa Paraná Clube Bragantino Vila Nova-GO Santo André Brasiliense-DF América-RN Ipatinga-MG

VICTOR CIVITA (1907-1990) Editor: Roberto Civita

Fundador:

Presidente Executivo:

10 GOLS

BRUNO CÉSAR Corinthians

AMISTOSO - Depois de sapecar 3 x 0 no Irã, o Brasil enfrentará a Ucrânia, às 15h45, no Pride Park Stadium, Inglaterra. A Globo transmite.

JORNAL PLACAR é uma publicação da Editora Abril com distribuição às segundas-feiras em São Paulo, pelo sistema de distribuição do Diário de S. Paulo. PLACAR não admite publicidade redacional. IMPRESSO NA TAIGA Gráfica e Editora

Av. Dr. Alberto Jackson Byington, 1808, Cep 06276-000, Osasco, SP

Presidente do Conselho de Administração:

Roberto Civita

Presidente Executivo:

Domingo

ITALIANO - O Milan, dos brasileiros Pato e Robinho, recebe o Chievo Verona, no San Siro, às 10h. Assista nos canais SporTV e nos canais ESPN.

Giancarlo Civita

Vice-Presidentes: Arnaldo

Tibyriçá, Douglas Duran, Marcio Ogliara, Sidnei Basile

www.abril.com.br

(1 ) MARK BAKER /AP P HOTO | (2) IA N KINGTON/A FP PH OTO

28


se g u nda- fe ir a , 11 de o u t u BRO de 2 0 1 0 | j o rnal p l acar

mais esportes GIRO (2)

51 29

vôlei

Brasil arrasa Cuba e leva fácil o tri mundial na Itália (1 )

Juliana e Larissa venceram a etapa de Maceió do Circuito Banco do Brasil de vôlei de praia. A dupla derrotou Talita e Maria Elisa por 2 sets a 1 (18/12, 18/20 e 15/12). Foi a oitava vitória de Juliana e Larissa em nove circuitos do Banco do Brasil neste ano. Salvador receberá a próxima etapa do circuitos, nos dia 22 e 24 de outubro.

(1 ) Filip po MONTEFORTE /AFP PHOTO | (2) Alb erto Oliveira /CBV | (3) Shizuo K ambayashi/AP Photo

(3)

O espanhol Rafael Nadal derrotou o francês Gael Monfils por 2 sets a 0 (6/1 e 7/5) na final do ATP 500 de Tóquio. O título — o sétimo na temporada de Nadal — rendeu ao tenista US$ 260 mil dólares como prêmio.

Vexame contra a Bulgária, festa diante de Cuba

Com show de Bruninho e Vissotto na quadra, Brasil faz 3 sets a 0 nos rivais e chega ao terceiro título consecutivo

(3)

O espanhol Jorge Lorenzo, da Yamaha, com o terceiro lugar no GP da Malásia, se sagrou campeão do Mundial de MotoGP. O italiano Valentino Rossi, também da Yamaha, ficou em primeiro no GP.

N

em a preferência da torcida italiana pelos cubanos foi capaz de fazer o Brasil perder o Mundial. Depois de fazer uma partida praticamente perfeita, a seleção brasileira derrotou Cuba por 3 sets a 0 (25/22, 25/14 e 25/22) e se sagrou tricampeão mundial de vôlei, no ginásio de Palalottomatica, em Roma. O Brasil começou a partida forçando o saque, principalmente com Dante e Vissotto, e com ótimos ataques — Bruninho, que superou a lesão no tornozelo esquerdo da partida anterior, distribuiu

muito bem as bolas. O time de Bernardinho logo abriu 5/2 e fechou a segunda metade em 16/10. Cuba ainda chegou a encostar, deixando a diferença em apenas três pontos (20/17). O Brasil fechou o set com uma ataque de Téo. No segundo set, o Brasil impôs um ritmo ainda mais alucinante: com uma boa sequência de Murilo no saque, o Brasil abriu 4/0. Nervosa, a equipe cubana errava muitos saques e ataques; o Brasil seguia totalmente focado, tanto que abriu 20/11 e fechou com Leandro Vissotto, em grande jornada, em 25/14.

Consciente de que precisava reagir, Cuba tentou equilibrar o terceiro set, abriu 4/2, mas viu o Brasil abrir três pontos de diferença, 15/12. A despeito de alguns erros de saque e do esforço dos cubanos, Vissotto e cia fecharam a partida em 25 x 22. Com a taça, o Brasil corroborou sua soberania neste torneio, conquistando o terceiro título mundial da década (2002, 2006 e 2010). A vitória também ajudou a apagar a polêmica derrota para a Bulgária, quando o Brasil perdeu por 3 sets a 0 e caiu numa chave mais fácil, com Alemanha e República Tcheca.


jo r nal placa r | seg u n da-feir a , 11 d e ou tu bro d e 20 1 0

30

arquivo A Lotus vermelha de Fittipaldi, precursora do famoso carro preto

O dia em que a F-1 descobriu o Brasil Emerson Fittipaldi, o piloto que inaugurou a galeria de brasileiros campeões mundiais de Fórmula 1, vencia sua primeira corrida. Foi há 40 anos, nos Estados Unidos tes, do tempo chuvoso e do início azarado e cauteloso, quando caiu cinco posições na largada e dirigiu com prudência, por causa da poeira que havia ficado na pista. A questão da morte de Rindt e da latente tristeza da Lotus também foi lembrada na vitória: “Esse era um triunfo de toda a equipe, amargurada e apreensiva desde a morte de Rindt. Eu havia conseguido evitar que outro piloto ficasse com o título”, escrevia emocionado Fittipaldi. O momento de maior emoção na prova foi quando descobriu que era o primeiro. “Meu Deus, eu estou vencendo o GP dos Estados Unidos!”, pensou o piloto. Mas, quase imediatamente depois, temia que algum contratempo (como a falta de gasolina ou um problema no motor) lhe tirasse a vitória. Porém Fittipaldi conduziu com segurança sua Lotus e alcançou o triunfo.

Em outubro de 1970...

Primeiro campeão e dono de equipe

k

Emerson Fittipaldi foi o primeiro brasileiro a conquistar um título mundial na Fórmula 1. O piloto foi campeão em 1972 (pela Lotus) e 1974 (pela McLaren). Em 1975, já consagrado, Fittipaldi fundou a

própria equipe: a Copersucar Fittipaldi. Para o empreendimento, o piloto contou com o suporte da Cooperativa Brasileira de Açúcar e Álcool. A empreitada foi um fracasso. A equipe sobreviveu só até 1982.

Emerson levanta a primeira taça nos EUA

ONo jovem Chile governado por Salvador Allende, o Kaká general René Schneider, despontou nacomandante-em-chefe final do do Exército, morria, Rio-São no dia Paulo de25, depois de levar três tiros num 2001

atentado três dias antes. Pódio: campeão em 1972

No dia 4, a cantora Janis Joplin era encontrada morta no quarto de um hotel em Hollywood. Janis tinha apenas 27 anos. A causa da morte foi uma overdose de heroína.

foto s: repro dução

A

primeira vitória de Emerson Fittipaldi na F-1, pela Lotus, completou 40 anos no dia 4 de outubro. Na ocasião, o piloto brasileiro, depois de ter largado em terceiro e caído para oitavo, venceu o Grande Prêmio dos Estados Unidos, em Watkins Glen. Só isso já bastaria para tornar a corrida inesquecível. Mas havia mais um componente: com a vitória, Fittipaldi assegurou o titulo póstumo do austríaco Jochen Rindt, seu ex-companheiro de equipe, morto num acidente nos treinos para o GP de Monza. A revista QUATRO RODAS de novembro de 1970 trouxe a repercussão na imprensa internacional do triunfo de Fittipaldi (os jornalistas gringos não sabiam como era a grafia de seu sobrenome), uma entrevista com o piloto e seu relato da prova. Ele também recordou da gripe que o prejudicara dias an-


se g u nda- fe ir a , 11 de o u t u BRO de 2 0 1 0 | j o r nal p l acar

mais esportes

51 31

fórmula 1

Vettel vence com dobradinha da Red Bull Em corrida com muitos acidentes, Red Bull faz dobradinha, Alonso chega em terceiro e Massa bate

(1 )

O

Vettel deixou o volante e apelou pra garrafa na festa da vitória

Posição no grid e abandono frustram Massa

k

(1 ) K A ZUHIRO NOGI/AFP P HOTO | (2) TO SHIFUMI KITA MUR A /A FP P HOTO

(2)

Bruno dá um rolê em Suzuka com a velha Lotus de seu tio Ayrton

O brasileiro Felipe Massa ficou frustrado por ter largado em 12º e por ter abandonado o GP de Suzuka, no Japão. “É frustrante. Não estou aqui para começar no meio do grid, estou aqui para lutar pela primeira posição.” O espanhol Fernando Alonso, por outro lado, ficou satisfeito com a terceira colocação. O espanhol tem mais duas corridas para tirar a diferença de 14 pontos em relação a Webber. Antes de o GP começar, o piloto brasileiro Bruno Senna deu uma volta pilotando a Lotus com a qual seu tio, Ayrton Senna, venceu sua primeira corrida na F-1. A vitória ocorreu no GP de Portugal, em 21 de abril de 1985.

alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, chegou à terceira vitória no ano no GP de Suzuka. Com o triunfo, Vettel igualou os 206 pontos de Fernando Alonso (que chegou em terceiro) e abriu outros 14 de diferença para o quarto colocado, o inglês Lewis Hamilton, da Mclaren. O australiano Mark Webber, líder do campeonato, foi o segundo colocado. A corrida em Suzuka foi marcada por acidentes e pela falta de sorte dos brasileiros. Primeiro, foi a vez de Lucas di Grassi, no momento em que alinhava seu carro para o grid, perder o controle do veículo e bater sozinho. Depois, logo na primeira curva, foi a vez de Felipe Massa ir para a grama quando tentava ultrapassar Rosberg. Quando o ferrarista voltava à pista, acabou atingindo o carro de Vitantonio Liuzzi, da Force India. Outro acidente logo no início envolveu Vitaly Pe-

trov, da Renault, e Niko Hulkenberg, da Williams. No pelotão de elite, Vettel manteve a pole position e Webber foi ultrapassado pelo polonês Robert Kubica, que largou muito bem e saltou da terceira para a segunda colocação. Mas a sorte realmente sorria para a Red Bull: na terceira volta, com o safety car na pista, Kubica perdeu a roda traseira direita, abandonou o circuito e a vice liderança caiu no colo do líder do campeonato. Vettel, quando fez seu pit stop, ainda chegou a ficar atrás de Button, mas recuperou a posição quando o inglês parou. Depois, foi só administrar a liderança e comemorar a dobradinha. Outro destaque da corrida foi o desempenho do japonês Kobayashi, da Sauber, que largou em 14º e, com arrojadas ultrapassagens, chegou em sétimo. Os brasileiros Rubens Barrichello e Bruno Senna foram o nono e o 15º, respectivamente.

mundial de pilotos PILOTO 1 Mark Webber

PAÍS AUS

Equipe RED BULL

PTS 220

2 Fernando Alonso

ESP

FERRARI

206

3 Sebastian Vettel

ALE

RED BULL

206

4 Lewis Hamilton

ING

MCLAREN

192

5 Jenson Button

ING

MCLAREN

189

6 Felipe Massa

BRA

FERRARI

128

7 Nico Rosberg

ALE

MERCEDES

122

8 Robert Kubica

POL

RENAULT

114

9 Michael Schumacher

ALE

MERCEDES

54

10 Adrian Sutil

ALE

FORCE INDIA

47

11 Rubens Barrichello

BRA

WILLIAMS

41

12 Kamui Kobayashi

JAP

SAUBER

27

13 Vitaly Petrov

RUS

RENAULT

19

14 Nico Hulkenberg

ALE

WILLIAMS

17

15 Vitantonio Liuzzi

ITA

FORCE INDIA

13

16 Sebastian Buemi

SUI TORO ROSSO

8

17 Pedro de la Rosa

ESP

SAUBER

6

18 Nick Heidfeld

ALE

SAUBER

4


jo r nal pl aca r | seg u n da-feir a , 11 d e ou tu bro d e 20 1 0

32

nesta edição

Hoje é mais difícil

Mano Menezes põe o corintiano Elias no time titular contra a Ucrânia. E agora até Dunga elogia os craques que não levou pra Copa da África: Pato, Neymar e Hernanes e mais

Pato (à direita) já é o artilheiro da Era

Goleiro Felipe engrossa síndrome do escândalo sexual

Mano com dois gols

pág. 26

Apenas

*

Garanta o seu!

*Apenas na Grande São Paulo, Santos, Sorocaba, Campinas (e região).

R$ 1,00

foto: MARWAN NA AMANI/AFP PHOTO

PÁG. 16


Jornal Placar ed 204 out 2010