Issuu on Google+

Paulo Lopes


Título: A minha mulher Autor: Paulo Lopes Ano: 2012 País: Portugal / Brasil Este texto é dedicado à mulher mais marcante da minha vida, o meu amor, que é aquele tesouro que todos pretendemos achar no final de um belo e mágico arco-íris


A noite encerrava sua magia, porque nada mais mágico que uma noite de luar, no céu azul, límpido como a água pura e cristalina que brota da nascente, as estrelas brilham intensamente no céu, e nós olhávamos firmemente o horizonte que nos mostrava, qual televisão a três dimensões, um longo caminho.


Olhávamos, como quem olha o horizonte salpicado por uma alta e linda montanha. Na face, não cabia o desânimo, porque sabíamos que não é a altitude, a intensa vegetação verde ou os caminhos mal desenhados por ente os seios da serra que constituem um obstáculo, quando estamos acompanhados por alguém que é muito especial, alguém que faz bater o coração com mais força e que o torna mais veloz que um pensamento secreto em nossa mente.


Um alguém que num cruzamento de olhar nos faz tremer das pernas, como fosse o primeiro dia em que aprendemos a caminhar, que nos faz correr para chegar mais cedo, que nos faz rir sem que nada aconteça, que nos faz chorar até de alegria, que nos mistura os sentimentos num turbilhão de desejos, que nos faz voar no prazer de encontrar o brilho especial de uma estrela cadente. Alguém que seja capaz de dizer simplesmente Te amo Muito e para sempre.


E é esse caminho, nessa noite mágica, que queremos percorrer, como quem passeia de mãos dadas na orla, sentido a brisa do mar, carregada de um cheiro apaixonante, como apaixonante é um intenso abraço de dois apaixonados sentados na areia da praia sentido a frescura da água do mar batendo em seus pés.


Porque um verdadeiro amor, com seus poderes não explicáveis, pode fazer bailar as estrelas em redor da lua, que de tão contente reflecte em todo o seu esplendor a luz intensa do rei sol, pode reunir todas as algas marinhas, como criando um esplendido coral verde onde cresça uma tumbérgia roxa com pétalas macias como veludo.


Porque ela é o amor, é a paixão, é o desejo ardente, de quem é capaz de aquecer as almas, tal fogo intenso de uma lareira num dia frio de inverno. Ela é, simplesmente, a minha mulher.


Não minha por posse, por qualquer contrato, amarra ou algema, minha pela união dos sentimentos mais nobres do amor, do desejo, da paixão e da partilha da vontade de construirmos juntos uma união forte, como forte é o tronco de uma árvore grossa e secular, de trilharmos junto um caminho, construído de relva mole e verdejante que nos leva ao paraíso de uma vida feliz, como feliz é o rosto de uma criança que sabe sorrir.


Te amo demais‌.. Mil e um beijos e mais um paraíso de amor. Paulo Lopes



A minha mulher