Issuu on Google+

DERCY GONÇALVES CONTA A HISTÓRIA DE CHAPEUZINHO VERMELHO Esta é a história de uma menina bonitinha que gostava muito de sua mãe e sua avó, e que enfrentou o Lobo Mau. E presta atenção, moleque, senão eu desço a porrada! Em uma casa na cidade, viviam chapeuzinho vermelho e sua mãe. Não me perguntem pela porra do pai, que eu não sei. Provavelmente a vaca da mãe de Chapeuzinho Vermelho deu pra vida muito cedo e o malandro a deixou com a criança. Quem mandou foder de graça? A mãe de chapeuzinho a chama, que está sarrando com seu namoradinho, o Joãozinho. - Menina, ta surda, porra? Eu estou te chamando faz meia hora, caralho! - Já vai, mãe! Vou ter que entrar. Vou ver que porra minha mãe quer comigo. - E eu vou no mercado vender a vaca. - Vai vender a sua mãe? - Não, mizera! Vou vender nossa vaca de verdade! - Por que vai fazer isso? - Por que minha mãe é velha e não dá mais para ganhar dinheiro sendo puta. Após ajeitar sua roupa, Chapeuzinho dispensa seu namoradinho e vai ver o que sua mãe quer, resmungando. - Que é, mãe? - Tava fazendo o que? - Brincando, oras. - Com Joãozinho? Já falei pra você não se meter com aquele moleque! Ele roubou minhas galinhas do quintal! - Mas deve ter sido pra comer. Mas não esquenta que ele arrumou coisa melhor pra comer. - Deixa pra lá. Quero que você leve uma marmita para sua avó, que está muito doente. - Porra, lá na casa do caralho? Sacanagem, mãe, por que você mesmo não vai? - Porque a sua vó está doente e precisando de ajuda, e principalmente porque eu quero que você vá, e agora, pirralha teimosa!


- Filha da puta... - O que você disse? Quem é que é filha da puta? - Hã? Sou eu... - Ah, ta, eu quero que me respeite...Ei, quem você está chamando de puta? - Tchau, mãe, vou levar a comida da velha! - Você vai apanhar quando chegar aqui, viu, menina? E Chapeuzinho Vermelho vai pela floresta afora, puta da vida por que vai andar pra cacete pra levar comida para a sua avó meio doente. Mas ela é observada por um Lobo que está atrás de uma moita, cagando. - E aí, menininha, vai para onde com esta cestinha? - Pra puta que te pariu, idiota! Não é da sua conta! - Que pirralha malcriada. Mas gostosinha toda. Chapeuzinho Vermelho, quer ver minha Chapuleta Vermelha? - Vai se lascar, Lobo. Eu tenho mais o que fazer do que ficar de conversa com vagabundo. Vou levar a comida para a minha avó e passar o resto do dia frescando. Fui! O Lobo tem uma idéia. - Rapaz, esta menininha ta em ordem. Já dá pra comer beijando. E vou faturar este piteuzinho. O lobo segue a menina e passa a sua frente, chegando primeiro a casa da avó. - Quem é? - CORREIO! - O que você quer? - O que você acha? Entregar cartas, claro! - Deixa aí - Mas tem que assinar, porra! - Ah, meu saco...Já vai! Ao abrir a porta, o Lobo se depara com uma senhora com tudo ainda em cima, parecia a Rita Cadilac.E ela fala.


- Você não parece carteiro. - E você não parece ser avó. Tá com tudo em cima. - Ora, são seus olhos. O que você tem aí para uma senhora adoentada? - Doente? Pra mim, a senhora parece muito saudável, até. - O meu mau é falta de homem. Sabe como é, a idade da loba... - Bem, eu sou o Lobo, e podemos resolver este probleminha... - Pode mesmo? - Claro. Tamos aqui pra fazer uma caridade. - Que bom. Tem cerveja no freezer. Fique a vontade enquanto visto algo mais confortável. Chapeuzinho Vermelho acaba se atrasando porque se perde, mas acaba achando o caminho da casa da avó, muito tempo depois. Bate na porta, e escuta uma voz em falsete, pedindo que entre. - Tá aqui, vó, o grude da coroa. Foi um prazer estar aqui, mas estou com pressa. Tchau. - Espere, minha netinha. Nunca mais eu te vi. Venha aqui. - Puta merda. Já vou. Chapeuzinho entra no quarto e vê o Lobo vestido com as roupas da sua avó, coberto com um lençol, e pensa consigo mesmo: como minha avó tá feia pra caralho! Mas apenas fala. - A senhora está bem, vó? - Muuuito bem, filhinha. Chegue mais perto. - Mas a senhora tá...diferente. Sei que não venho aqui a muito tempo...Que olhos grandes são estes? - São pra te ver melhor - E este nariz? - Pra te cheirar melhor. Desconfiada, a jovem puxa parcialmente o lençol, e revela a nudez do Lobo. - E este pau tão...hã...bem...não muito grande? - NÃO MUITO GRANDE? QUER FRESCAR, MOLECA?


- Ah, é o Lobo! O que você faz aqui? Devorou a minha avó e quer me devorar também? Vou chamar o caçador! - Que porra de barulho é esse? De baixo dos lençóis, surge a avó, descabelada e suada, com bafo de cerveja e cara de sono. - Vovó, pensei que este Lobo tinha te comido. - E comeu, minha netinha. E como comeu... - Mas vó, este Lobo trepou com a senhora? - E qual é o problema? Você parece com a sua mãe, que ficava me regulando quando eu levava meus amigos para beber lá em casa. Ô família cheia de frescura! - E o que diabos tu tá fazendo na casa de minha avó, Lobo? - Na realidade eu queria era te comer, mas a sua vó dá de dez a zero em vocë, Chapeuzinho Vermelho. Aproveita que tá aí e pega uma cervejinha pra gente. - Ora, váo para a puta que pariu! Assim, o Lobo e a vovó viveram felizes para sempre, fudendo a três por quatro. E o caçador, onde ele entra? Me disseram que ele hoje é estilista e faz roupas altamente fashion para as personagens de estórias infantis, inclusive fez a roupa de casamento da bruxa malvada com o príncipe meio boiola que ficou um luxo só!!!


Dercy gonçalves conta a história de chapeuzinho vermelho