Page 1

Mais de 50

plantas

Guia de Plantas Medicinais O melhor da Natureza para a sua saĂşde


antivirus2

Índice de conteúdos 1-13

Fitoterapia: A medicina natural

1

Bem-Vindo ao mundo da Fitoterapia

2

Uma medicina com séculos de existência...

3

A Fitoterapia no mundo

4

A Fitoterapia: Uma ciência reconhecida

5

O melhor da Natureza...

6

O segredo das plantas: ação sinérgica

7

Criotrituração: como preservar todos os componentes ativos de uma planta

8

O pó integral é sempre mais eficaz do que o extrato

9

As plantas: um campo com múltiplas aplicações

10-12

Uma importante descoberta: a glicosilação como causa de muitas complicações...

14-19 Problemas Quotidianos

Como prevenir e tratar com as plantas

20-53 Plantas:

Indicações, descrição e propriedades terapêuticas

54 56

Fitoterapia: Exemplos

Fitoterapia:

Uma prática diária

Photo Credits©: Getty images – Istockphoto – Jupiterimages – Shutterstock – Fotolia – Fotosearch


Fitoterapia: A medicina natural Bem-vindo ao mundo da Fitoterapia A Fitoterapia consiste na utilização de plantas ou medicamentos à base de plantas (cápsulas, comprimidos, infusões, etc.) para tratar ou prevenir de forma natural diversos problemas que afectam o corpo humano. A Fitoterapia é sem dúvida alguma a melhor abordagem para a prevenção e tratamento dos principais problemas de saúde quotidianos que nos afectam ao longo da vida. As plantas são a melhor escolha para proporcionar naturalmente ao organismo as substâncias necessárias para o seu equilíbrio vital. Ao longo dos séculos e em todo o mundo, o homem foi adquirindo conhecimentos sobre as plantas e as suas propriedades terapêuticas. A medicina tradicional (europeia, chinesa, indiana, sul-americana, africana…) é de grande riqueza graças a uma ampla experiência que se vem acumulando desde a Antiguidade. Atualmente, a eficácia dos medicamentos à base de plantas é reconhecida e comprovada cientificamente. Os seus inegáveis benefícios para a saúde e a sua dimensão natural permitiram que a Fitoterapia se tenha tornado parte da nossa vida quotidiana. Este guia tem por objetivo ajudá-lo a conhecer melhor a Fitoterapia, as plantas medicinais e as suas propriedades preventivas e curativas. Pode sempre consultar o seu farmacêutico para que este lhe indique as plantas que melhor respondem às suas necessidades.

1


Fitoterapia: A medicina natural

Uma medicina com séculos de existência…

Sempre se reconheceram as propriedades nutricionais dos frutos, das raízes, das plantas e outras substâncias naturais, assim como as suas qualidades terapêuticas.

2

Os primeiros textos sobre a medicina pelas plantas foram redigidos na escrita cuneiforme e gravados em placas de argila, pela Civilização Suméria, por volta do ano 3.000 a.C. Durante milhares de anos, a Fitoterapia foi a principal fonte de remédios para combater inúmeras doenças. E ainda é utilizada de forma ampla e com sucesso, por milhões de pessoas em todo o mundo, para quem a medicina ocidental não é acessível ou preferem uma alternativa. Nos países desenvolvidos, com o advento da química moderna nos finais do século XIX e a descoberta de novos medicamentos que eram considerados milagrosos (tais como os antibióticos), a Fitoterapia foi relegada para segundo plano, e passou a ser vista como «mezinha» de qualidade incerta ou duvidosa. Contudo, esta desvalorização da Fitoterapia, foi breve: não tardaram a surgir os efeitos secundários nocivos da maioria dos medicamentos sintéticos e as pessoas voltaram a interessar-se pelas plantas. Após os anos 70, a utilização das plantas para fins medicinais, reencontrou um sucesso incontestável, que ainda hoje se mantém.

Mais do que um efeito moda, este sucesso traduz uma vontade profunda de retorno à Natureza e apoia-se sobre bases sólidas e cientificamente controladas. Na atualidade, os avanços na identificação dos ingredientes ativos, a descoberta de novas propriedades farmacológicas e a boa tolerância dos medicamentos à base de plantas contribuiram para a tornar a Fitoterapia uma medicina em si mesma. Os progressos técnico-científicos dos últimos anos, nos domínios da agronomia, da química vegetal e da farmacologia permitiram o desenvolvimento de formas terapêuticas e formulações à base de plantas ainda mais seguras, adaptadas e eficazes. O século XXI é marcado pela emergência de uma nova Fitoterapia que combina antigas tradições, provas científicas de eficácia, garantias de qualidade e segurança dos produtos, bem como o respeito pelas plantas1 e pela Natureza.

1

Técnica de criotrituração — consultar parágrafo pertinente na página 7.


Fitoterapia: A medicina natural

A Fitoterapia no mundo A Fitoterapia é uma medicina ancestral, mas continua a ser uma prática corrente. A Organização Mundial de Saúde (OMS) calcula que 80% da população mundial recorre atualmente a medicamentos à base de plantas, nos cuidados de saúde primários. Ainda hoje é a medicina mais disseminada a nível mundial. Utilização da medicina tradicional (MT) numa seleção de países em vias de desenvolvimento e utilização de medicinas complementares e alternativas (MCA) numa seleção de países desenvolvidos Populações que recorrem à medicina tradicional nos cuidados de saúde primários Etiópia

90%

Mali

75%

Myanmar

70%

Ruanda

70%

Tanzânia

60%

Uganda

60%

Populações de países desenvolvidos que recorreram às medicinas complementares e alternativas pelo menos uma vez Alemanha

80%

Canadá

70%

França

49%

Austrália

48%

EUA

42%

Fontes: referências 1, 2-4 THE WORLD MEDICINES SITUATION 2011 TRADITIONAL MEDICINES: GLOBAL SITUATION, ISSUES AND CHALLENGES WHO 2011. 1-VLIETINCK A, L. Pieters, S. Apers, Legal requirements for the quality of herbal substances and herbal preparations for the manufacturing of herbal medicinal products in the European Union, Planta Medica, s.l. 2009, 75:683–688. 2-ZHANG X, Dados não publicados, Organização Mundial de Saúde, 2008. 3-GOLDBECK-WOOD S. et al, «Complementary medicine is booming worldwide», British Medical Journal, s.l. 1996, 313 (7050):131–133. 4-KAPTCHUK T., D.M. Eisenberg, «The persuasive appeal of alternative medicine», Annals of Internal Medicine, s.l. 1998, 129:1061–1065.

Entre 7% e 95% dos cidadãos de uma grande maioria dos países em vias de desenvolvimento, especialmente na Ásia, na África, na América Latina e no Médio Oriente, utilizam medicamentos tradicionais e à base de plantas ou ayurvédicos, como é o caso da Índia, para a manutenção da saúde e nos cuidados de saúde primários.

Na China, os preparados fitoterápicos da medicina tradicional chinesa (MTC) representam entre 30% a 50% do consumo total de medicamentos. Em alguns países industrializados, a utilização de medicamentos tradicionais é igualmente significativa — no Canadá, em França, na Alemanha e em Itália, entre 70% a 90% da população recorreu às medicinas tradicionais. Apesar dos milénios de experiência, a Fitoterapia ainda está numa fase incipiente, se tivermos em conta o seu potencial: crescem à face da terra mais de 800.000 espécies botânicas, 250.000 são conhecidas, a OMS listou mais de 22.000 plantas utilizadas pelas medicinas tradicionais; há cerca de 1.200 plantas registadas na farmacopeia francesa mas só se utilizam atualmente algumas centenas. Hoje em dia, o entusiasmo pelos tratamentos naturais é equiparável em todos os países desenvolvidos, onde se verifica uma crescente desconfiança relativamente aos medicamentos químicos. Este entusiasmo é mais do que uma mera moda — reflete um forte desejo de retorno à natureza, intensificado pela revelação dos efeitos secundários, nalguns casos tóxicos, causados por alguns medicamentos químicos. Esta situação explica o êxito da Fitoterapia que satisfaz as necessidades dos consumidores que procuram uma vida saudável, natural e equilibrada. Estes «produtos de saúde de Fitoterapia» cumprem dois requisitos: prevenção e cura, pois mantêm o equilíbrio do organismo, tratando a origem dos problemas e não apenas os sintomas. Deste modo, os consumidores podem tornar-se agentes da sua própria saúde, utilizando produtos seguros e de qualidade.  

3


Fitoterapia: A medicina natural

A Fitoterapia: Uma ciência reconhecida Nos anos 80 do século XX, o Ministério da Saúde Francês reconheceu oficialmente a Fitoterapia como um campo da medicina por direito, conferindo o estatuto de medicamento a determinadas plantas.

A medicina moderna é fundamental, mas é frequentemente utilizada em situações de emergência e para tratamentos de curto prazo. A medicina pelas plantas é mais indicada para tratamentos longos. Com a sua ação suave e em profundidade, a Fitoterapia contribui para o equilíbrio correto do organismo, através do seu estímulo e sem o intoxicar ou provocar efeitos secundários, prevenindo e tratando eficazmente muitas doenças.

Esta decisão teve por base não só a reputação tradicional das plantas, mas também os resultados de inúmeros estudos clínicos que apresentam provas indiscutíveis da sua eficácia. O tratamento precoce dos sintomas

de muitos problemas do nosso dia-a-

4

É frequente comparar-se a «medicina dia (stresse, excesso de peso, insónia, convencional» ou química, à Fitoterapia. reumatismo, má circulação, etc.) é a Contudo, há lugar para ambas no arsenal terapêutico, uma vez que estas 2 medicinas se complementam.

melhor forma de evitar o desenvolvimento de problemas mais graves (depressão, doenças infeciosas, diabetes, etc.). Neste domínio, a Fitoterapia é, sem dúvida alguma, o tipo de medicina mais adequada para “cortar o mal pela raiz”.

Sabia que…

macos mais Mais de 100 dos fár plantas! conhecidos vêm de s analgésicos, Os dois conhecido são extraídos morfina e codeína, das papoilas va sei a do ópio que é s. branca gueiro branco. A aspirina deriva do sal lárico universal, O medicamento antima ona. nch chi da quinina, provem icancerígenos, ant s aco fárm Os , derivam do docetaxel e vincristina da vinca-dee co cífi pa do teixo madagáscar. o cardiotónico A dedaleira produz . ina essencial, digital orma-se em A beladona transf atropina, etc…

Quando devidamente selecionadas e utilizadas, as plantas tratam muitos problemas com eficácia e, em geral, rapidez — stresse, insónia, dores articulares, problemas digestivos, infeções respiratórias, etc. Para além disso, a multiplicidade das plantas, os seus diversos domínios de indicação e a reatividade específica de cada uma, possibilita que possam ser adaptadas aos problemas específicos de cada pessoa. 


Fitoterapia: A medicina natural

O melhor da Natureza… A eficácia dos tratamentos de Fitoterapia baseia-se, acima de tudo, na seleção das plantas que os compõem. Assim, a qualidade das plantas ou dos produtos derivados é igualmente essencial.

ser controlada através de diferentes análises (pesquisa de bactérias e verificação da ausência de pesticidas), bem como o seu teor em princípios ativos.

Esta qualidade consegue-se através As plantas vendidas em farmácias de um rigoroso processo de seleção tornaram-se autênticos medicamentos. da espécie e da parte ativa da planta   (raiz, flor, caule, folha, fruto), garantir as devidas condições de cultura (exposição ao sol, solo, clima) e um período de colheita adequado. A segurança das plantas também deve

5


Fitoterapia: A medicina natural

O segredo das plantas: ação sinérgica

Os medicamentos químicos são geralmente feitos de um só princípio activo (uma só classe de moléculas). Por exemplo, quando tomamos aspirina, só consumimos moléculas de ácido acetilsalicílico e mais nenhuma outra. Nas plantas (e tomando como exemplo o caso da casca de salgueiro branco que está na base da aspirina), há um grande número de diferentes substâncias que desempenham, cada qual, o seu papel.

6

Algumas substâncias têm ação analgésica ou antiinflamatória; outras facilitam o transporte de princípios ativos para o local de ação; enquanto outras conferem proteção contra eventuais efeitos secundários. Na realidade, uma planta contém em si toda a complexidade da vida e essa composição (todas as substâncias naturais contidas numa planta) chama-se totum ou pó integral. Em vez da ação singular e específica de um constituinte, o totum ou pó integral contém um conjunto de substâncias ativas que atuam conjuntamente e em harmonia. A este modo de ação especial que implica várias substâncias a funcionar em simultâneo designa-se ação sinérgica. Isto significa que, quando tomados em conjunto, estes constituintes terão maior eficácia do que se forem tomados separadamente. Todos os especialistas em Fitoterapia reconhecem este fenómeno (cientificamente comprovado) como sendo um facto. A sinergia existente numa só planta pode ser melhorada e fortalecida pela ação concertada de várias plantas. Esta arte de associar plantas é uma das práticas mais antigas da Fitoterapia. É por esta razão que ao longo deste Guia vai encontrar recomendações de associações de plantas.


Fitoterapia: A medicina natural

Criotrituração: como preservar todos os componentes ativos de uma planta PLANTAS FRAGMENTADAS

Criotrituração

um processo eficiente

SAÍDA DO AZOTO

distribuidor automático SEPARAÇÃO DO AZOTO E DO PÓ

detetor de partículas

CONTROLO DE PLANTAS

Tamização

TRITURAÇÃO DAS PLANTAS

ENTRADA DE AZOTO a -196ºC

Via de Criotrituração

ENCAPSULAMENTO DO PÓ INTEGRAL OU TOTUM

Criotrituração: uma técnica farmacêutica que respeita a integridade e integralidade dos princípios activos das plantas

Cada planta é um reservatório de diversas substâncias ativas, mas é também uma espécie viva e frágil.

Com a criotrituração, nenhuma das substâncias frágeis (vitaminas, enzimas, substâncias voláteis e outros componentes termolábeis ativos) é danificada e todas ficam contidas num Só é possível colher todos os pó fino e homogéneo: o pó integral ou benefícios das plantas tomando totum, que mantém inalterados todos algumas precauções especiais na sua os ativos da planta. utilização. Para se alcançar o nível ótimo de quantidade e qualidade Com este processo, evita-se a utilização dos componentes ativos das plantas de solventes químicos como acontece eles devem ser bem preservados e na extração, permitindo que uma protegidos, ao longo da cadeia de determinada planta resulte num produto produção. A melhor forma e a mais fácil com um elevado teor de princípios para se obter o «totum» de uma planta ativos, mantendo todas as substâncias é reduzi-la a pó através da criotrituração. naturais que, então, atuam em sinergia A criotrituração é um processo moderno, único, muito eficiente e consiste na trituração da parte ativa da planta seca, a temperaturas muito baixas, imersas em azoto líquido. Quimicamente inerte e naturalmente presente no ar, o azoto líquido protege os componentes da planta da oxidação ambiental, e o frio não provoca danos, ao contrário do aquecimento utilizado na trituração convencional.

para garantir a máxima eficácia.

7


Fitoterapia: A medicina natural

Ó pó integral é sempre mais eficaz do que o extrato

8

Nos dias de hoje, mais de 50% das monografias publicadas pela Agência Europeia do Medicamento são sobre a planta em pó. Durante anos, era através das infusões de ervas das nossas avós que eram consumidas as plantas. O ambiente rural e os inúmeros jardins, facilitavam a sua utilização.

mais se assemelha à planta no seu estado natural.

Muitos medicamentos à base de plantas em comprimidos ou cápsulas são feitos a partir de extratos de plantas secos e, muito embora uns sejam de boa qualidade, outros não são! Na verdade, a qualidade varia muito, porque depende tanto do tipo de processo de extração utilizado (que implica muitos critérios, tais como a duração, a temperatura, o solvente e as técnicas utilizados) como do desenvolvimento da formulação.

Isto tornou-se possível na estrita condição de se obter extratos vegetais líquidos de alta qualidade com níveis garantidos das substâncias ativas principais, denominados Extractos Vegetais Normalizados.

O pó integral é particularmente indicado para utilização em cápsulas. A sua utilização em produtos líquidos (ampolas bebíveis, por exemplo), nem sempre é fácil. Estudos recentes demonstraram que é possível «recriar» Embora esse método de utilização tenha a ação sinérgica num produto líquido, os seus benefícios, convém, no entanto, misturando várias plantas, para recordar que ele só permite obter as originar uma interação entre os vários substâncias solúveis em água quente ingredientes ativos naturais dessas e que, em contrapartida, o pó integral diferentes plantas. de plantas — mais adaptado à vida moderna na forma de cápsulas — tem a Uma área de exploração interessante vantagem de preservar toda a riqueza da para combinações de plantas na planta (solúvel e não-solúvel). fitoterapia líquida…

Para além disso, a utilização de um extrato seco de planta não permite a obtenção de todos os princípios ativos naturais da planta, nem que esses princípios da planta tenham uma ação sinérgica — elemento essencial para a sua eficácia. Ao contrário dos extratos vegetais secos, o pó integral de plantas não é submetido a qualquer processo físico ou químico, constituindo a forma que

Dica útil para uma Fitoterapia eficaz egral de plantas: Utilize sempre pó int é o que mais se este tipo de fórmula no seu estado nta pla à a assemelh natural. tecnologicamente Quando tal não for que respeita a no possível (sobretudo ), só se poderá ida líqu ma for na produtos com recurso az efic pia fazer uma fitotera ma de Extratos a várias plantas na for s. Normalizado  


Fitoterapia: A medicina natural

As plantas: um campo com múltiplas aplicações Uma das principais características das plantas é o facto de poderem ter diversos usos terapêuticos. Quase todas apresentam esferas de aplicação muito díspares entre elas. Esse fenómeno deve-se à abundância de componentes contidos em cada planta. É frequente diferentes partes da mesma planta visarem problemas específicos, como é o caso da Urtiga. As suas partes aéreas tratam o cabelo e a pele, enquanto os extratos das raízes atuam sobre problemas da próstata. A fitoterapia é eficaz em muitas áreas.

Seguem-se vários exemplos:

Dores articulares (Harpagófito, Cavalinha) Cistite - Infecção Urinária (Uva Ursina, Urze, Arando Vermelho) Intestino Preguiçoso (Psílio) Sistema Imunitário Enfraquecido (Equinácea) Má Circulação (Videira, Castanheiro da Índia) Memória e concentração (Bacopa, Ginkgo)

A Fi t ot er a p i a m o d e r n a o f e re c e medicamentos tanto para a prevenção como para o tratamento dos problemas de saúde mais vulgares que o afetam a si e à sua família. Muitas vezes, convém combinar várias plantas para ter a máxima eficácia, sem efeitos secundários. Saber combinar as plantas que melhor respondem a uma determinada indicação é a própria essência da Fitoterapia. Com tantas plantas à disposição, como saber quais se devem utilizar? Este guia oferece-lhe uma lista das propriedades das plantas para lhe dar a conhecer as aplicações e as combinações recomendadas. As indicações terapêuticas estão listadas por problema e identificadas por cores, para uma consulta mais fácil. Algumas plantas mais importantes (as mais frequentemente utilizadas) surgem indicadas a negrito. As outras são mais vulgarmente utilizadas como tratamentos complementares ou para indicações mais específicas. Cada planta vem acompanhada de uma apresentação das suas propriedades, qualidades terapêuticas tradicionais e combinações recomendadas das plantas. Segue-se uma lista das plantas, por ordem alfabética.

Dica útil ar o se u Po de rá co ns ult obter mais ra pa o tic cêu farma dações. en om rec conselhos e saúde bem Como profissionais de ão ajudá-lo der po s ele s, informado base no com , isão a tomar uma dec o. cas seu

9


Fitoterapia: A medicina natural

Uma importante descoberta: a glicosilação como causa de muitas complicações…

Nesta secção analisaremos uma das mais recentes e importantes descobertas da Fitoterapia: a regulação da glicémia pelas plantas.

10

Esta importante descoberta fez surgir uma nova abordagem a problemas de saúde pública, como o excesso de peso, a obesidade e a diabetes. O nosso regime alimentar desequilibrado conduz a um consumo excessivo de açúcar (glicose) que traz muitas consequências negativas para a nossa saúde. O excesso de peso, a obesidade e especialmente a diabetes são as doenças deste século. A Fitoterapia tem inúmeros benefícios, no combate a esta ameaça. Não é por coincidência que se utilizem mais de 100 mil plantas medicinais no mundo, entre as quais algumas para regular a glicémia e tratar a diabetes. A glicosilação proteica é provocada pela presença crónica e excessiva de elevada concentração de açúcar (glicose) no sangue, como acontece com a diabetes. Nos diabéticos, a glicosilação afeta a insulina (hormona proteica hipoglicemiante produzida pelos ilhéus de Langerhans do pâncreas) e a hemoglobina (proteína que transporta o oxigénio aos tecidos nos

glóbulos vermelhos), fazendo-as aderir às moléculas de glicose. Ficam então “glicosiladas”. A hemoglobina glicosilada (hemoglobina HbA1c) já é utilizada como marcador no controlo a longo prazo da diabetes. O seu aumento reflete hiperglicemia prolongada associada a diabetes incorretamente controlados e permite-nos monitorizar a doença para reduzir as suas complicações. O mesmo se aplica à insulina que, ao aderir a seis moléculas de glicose, se torna anormal e deixa de poder agir sobre a regulação e a utilização de glicose no organismo. Essa insulina glicosilada anormal acusa um decréscimo da atividade biológica que exacerba o desequilíbrio glicémico do diabético e conduz à glicosilação de todas as outras proteínas do corpo.


Fitoterapia: A medicina natural

Uma importante descoberta: a glicosilação como causa de muitas complicações…

Estudos bioquímicos conduzidos nos últimos 30 anos demonstram que a glicosilação produz graves consequências. Assume um papel decisivo em determinadas doenças, provocando danos nas células e nos tecidos, bem como o envelhecimento vascular. Acima de tudo, a glicosilação é um dos fatores que mais contribui para a aceleração do envelhecimento tecidual. Com a idade, os produtos da reacção Maillard ou os Produtos Finais de Glicosilação Avançada (AGE) acumulam-se, sobretudo nos diabéticos, sendo os principais responsáveis por muitas complicações desta doença que se desenvolve em órgãos como os rins, os olhos e o coração. Responsáveis pelo desenvolvimento de diversas doenças (arteriosclerose, doença renal, retinopatia diabética e cataratas), são muito prejudiciais para o organismo.

Reacções de Maillard, a causa da glicosilação. Sem dúvida alguma que assistimos a muitas reacções Maillard todos os dias. Descobertas em 1912 pelo químico francês, Louis Camille Maillard, trata-se de uma reacção química em que os açúcares se combinam com as proteínas. Desde grelhar carne, ao delicioso sabor do pão acabado de sair do forno, a reacção Maillard encontra-se efetivamente presente em quase todos os pratos cozinhados. É igualmente conhecida no mundo da medicina como «glicosilação não-enzimática das proteínas». A reacção de Maillard consiste na adesão das moléculas de glicose às proteínas do organismo.  

11


Fitoterapia: A medicina natural

Uma importante descoberta: a glicosilação como causa de muitas complicações…

12 As plantas podem dar uma resposta… Recentemente, fez-se uma descoberta muito importante com base em estudos clínicos feitos por investigadores chineses, japoneses e americanos. Esta descoberta tem a ver com os polifenóis e, particularmente, os flavonóides. Na realidade, estas substâncias que abundam nas nossas plantas medicinais (também existentes na forma de taninos) são poderosos inibidores da glicosilação. Muitas plantas — chá verde, resveratrol, videira vermelha, cacau, mate, semente de uva, entre outras — são ricas em flavonóides que são substâncias particularmente ativas na inibição da formação dos Produtos Finais de Glicosilação Avançada (AGE), limitando, assim, o desenvolvimento de mecanismos nocivos associados à glicosilação.

Deste modo, adotar um regime alimentar equilibrado e fazer tratamentos à base de plantas ricas em flavonóides ajuda-o a contornar a obesidade, a diabetes e todas as complicações inerentes. Tratase de uma área de exploração muito promissora para o futuro, no combate ao envelhecimento tecidual e na prevenção de várias doenças.  


13


Problemas Quotidianos: Como prevenir e tratar com plantas PROBLEMAS DAS ARTICULAÇÕES, OSSOS E MUSCULARES (TRATAMENTO DA DOR E REMINERALIZAÇÃO) Harpagófito

Artrite Cavalinha

Artrose

Cavalinha

Descalcificação Dores articulares, musculares, torcicolos e ciática

Harpagófito

Entorses, Distensões musculares

Harpagófito

Ananás Urtiga Branca

Excesso de ácido úrico, gota

Dores reumáticas e articulares (crise e manutenção)

Harpagófito

(toma de acordo com o caso)

Cavalinha

Fraturas (consolidação)

14

Rainha dos Prados Harpagófito

Dores nas costas

Osteoporose

Harpagófito

Cavalinha

Isoflavonas de Soja

Luzerna

Próteses, Remineralização óssea

(mulher na menopausa)

Cavalinha

Reumatismo (tratamento de fundo)

Cavalinha

Harpagófito

Tendinites

Cavalinha

Harpagófito

CANSAÇO FÍSICO E INTELECTUAL (ENERGIZANTES E REVITALIZANTES) Anemia, Astenia

Baixa de tónus, Falta de vitalidade

Geleia Real

Acerola

Atividade desportiva

Ginseng

Acerola

Guaraná

Convalescença

Geleia Real

Crescimento e desenvolvimento intelectual das crianças

Geleia Real

Estimulante das defesas imunitárias

Equinácea

Fadiga persistente Fadiga sexual e baixa de líbido Fraqueza Performance física e desportiva Revitalizante e Fortificante

Levedura de Cerveja

Maca

Própolis

Ginseng

Fadiga física Fadiga intelectual

Luzerna Ginseng

Geleia Real

Bacopa

Geleia Real

Ginkgo

Ginseng

Lecitina de Soja

Geleia Real

Ginseng

Ginseng

Maca Geleia Real Ginseng Geleia Real

Rodiola


PROBLEMAS CIRCULATÓRIOS Couperose e fragilidade pequenos vasos

Videira Videira

Edemas de membros inferiores

Ananás

Rainha dos Prados

Ginkgo

Envelhecimento cerebral Alho

Castanheiro da Índia

Cipreste

Óleo de Salmão

Ginkgo

Cipreste

Flebite (risco de) Frieiras Hematomas Hemorróidas

Castanheiro da Índia

Cipreste

Videira

Insuficiência venosa, Varizes

Castanheiro da Índia

Cipreste

Videira

Cipreste

Má circulação Má fluidez sanguínea, Risco de flebite

Alho

Videira

Óleo de Salmão

Pernas inchadas (viagens de avião)

Videira

Cipreste

Pernas pesadas e cansadas

Videira

Cipreste (casos mais dolorosos)

PROBLEMAS DE CIRCULAÇÃO CEREBRAL, MEMÓRIA E CONCENTRAÇÃO

15

Ginkgo

Acufenos (Zumbidos ) Concentração intelectual (adulto)

Ginkgo

Bacopa Bacopa

Desempenho cognitivo Bacopa

Falta de memória

Lecitina de Soja

Hiperatividade na criança

Bacopa

Má circulação cerebral

Ginkgo

Melhoria das funções cognitivas

Bacopa

Ginkgo

Lecitina de Soja

Problemas de memória

Bacopa

Ginkgo

Lecitina de Soja

Problemas de concentração

Bacopa

Ginkgo

Ginseng

Tonturas

Ginkgo

Tremores (devido ao envelhecimento cerebral

Ginkgo

PROBLEMAS URINÁRIOS Cálculos urinários Cistites Depurativo renal, drenante Diurético Hiperplasia Benigna da Próstata, adenoma prostático Infecções urinárias Prostatites

Dente de Leão

Orthosiphon

Uva Ursina Dente de Leão Dente de Leão

Urze Orthosiphon

Rainha dos Prados Orthosiphon

Óleo de Pevides de Abóbora Uva Ursina

Urze

Urze

Óleo de Pevides de Abóbora


PROTECÇÃO CARDIOVASCULAR, PROBLEMAS METABÓLICOS Harpagófito

Anti-inflamatório Antioxidante Arteriosclerose (prevenção) Colesterol, Triglicéridos (excesso)

Óleo de Salmão

Acerola

Ginkgo

Alho

Lecitina de Soja

Lecitina de Soja

Diabetes ligeira (não insulino-dependente)

Óleo de Germe de Trigo

Alho

Psílio

Oliveira

Fluidez sanguínea Hipertensão arterial

Alho

Óleo de Salmão

Oliveira

Alho

Alho

Protecção cardiovascular

Óleo de Germe de Trigo Salva

Transpiração excessiva

EXCESSO DE PESO, OBESIDADE Carvão Vegetal

Barriga lisa

Garcinia Cambogia

Desejos por doces

16

Dieta Detox Celulite Eliminação de líquidos

Chá Verde

Alcachofra

Ananás

Papaia

Orthosiphon

Rainha dos Prados Rainha dos Prados

Estabilização do peso

Garcinia Cambogia

Excessos alimentares

Alcachofra

Excesso de peso com celulite

Chá Verde

Guaraná

Laranja Amarga

Ananás

Papaia

Excesso de peso com obstipação

Chá Verde

Orthosiphon

Psílio

Excesso de peso com problemas de circulação

Chá Verde

Orthosiphon

Videira

Ganho de peso recente Inibidores de apetite, Saciantes

Laranja Amarga

Orthosiphon

Konjac

Psílio

Perda de peso com ansiedade associada

Laranja Amarga

Perda de peso intensiva

Laranja Amarga

Konjac

Orthosiphon

Chá Verde

Guaraná

Laranja Amarga

Queima gorduras

Konjac

Regulador de apetite

Geleia Real

Retenção de líquidos

Orthosiphon

Passiflora


PROBLEMAS DIGESTIVOS E DO TRÂNSITO INTESTINAL Carvão Vegetal

Aerofagia (vulgo arroto) Aftas Alcoolismo

Própolis

Geleia Real

Cardo Mariano

Alcachofra Alcachofra

Azia Cálculos biliares

Alcachofra

Dente de Leão Cardo Mariano

Cirrose Cólicas, Espasmos intestinais Cólon irritado

Carvão Vegetal

Levedura de Cerveja

Carvão Vegetal Alcachofra

Crises de fígado Diarreia Digestão difícil

Carvão Vegetal

Levedura de Cerveja

Alcachofra

Salva

Dores de cabeça de origem digestiva

Alcachofra

Enfartamento, indigestão

Alcachofra

Inchaço abdominal, Barriga inchada Flora intestinal (restauração)

Carvão Vegetal

Carvão Vegetal Carvão Vegetal

Alho Própolis

Gengivites

Cardo Mariano

Hepatite

Cardo Mariano

Insuficiência hepática Intoxicação alimentar

Carvão Vegetal

Cardo Mariano

Má digestão (por insuficiência dos sucos digestivos) Mau hálito

17

Levedura de Cerveja

Gases intestinais, Flatulência Gastroenterite, Infecção intestinal

Salva

Levedura de Cerveja

Alcachofra Carvão Vegetal

Obstipação por insuficiência hepática

Alcachofra

Prisão de ventre crónica, Obstipação crónica

Levedura de Cerveja

Psílio

Prisão de ventre pontual, Obstipação pontual

Levedura de Cerveja

Sene

Problemas de fígado e vesícula

Alcachofra


PROBLEMAS DE PELE, UNHAS E CABELO Acne, Furúnculos

Bardana

Levedura de Cerveja

Beleza da pele

Cenoura

Levedura de Cerveja

Cabelos fracos e quebradiços, desvitalizados

Luzerna

Levedura de Cerveja

Depurativos da pele, infecções cutâneas Eczema Envelhecimento da pele, rugas (antioxidante)

Bardana Óleo de Borragem

Pele seca, desidratada

Levedura de Cerveja

Óleo de Borragem

18

Queda de cabelo

Própolis

Levedura de Cerveja Levedura de Cerveja

Óleo de Borragem

Preparação do bronzeado, protecção da pele Psoríase

Óleo de Germe de Trigo

Óleo de Borragem (via oral e aplicação local)

Estrias Herpes (prevenção das recidivas)

Óleo de Onagra

Óleo de Germe de Trigo

Cenoura Levedura de Cerveja

Óleo de Salmão

Luzerna

Óleo de Borragem

Passiflora

(aplicação local)

Levedura de Cerveja

Óleo de Pevides de Abóbora

Luzerna

Unhas e cabelos fracos Bardana

Zona

Própolis Salva

Transpiração excessiva

PROBLEMAS DO APARELHO RESPIRATÓRIO (BRONQUITE, NARIZ, GARGANTA) Afonia, rouquidão

Própolis

Amigdalite, anginas, dor de garganta Bronquite

Eucalipto Própolis

Equinácea

Eucalipto

Convalescença

Geleia Real

Defesas imunitárias (aumento das)

Equinácea

Estado gripal

Rinite

Própolis

Acerola

Prevenção de infecções invernais (gripes, constipações)

Própolis

Equinácea Própolis

Eucalipto

Sinusite

Própolis

Tosse

Eucalipto


BEM-ESTAR DA MULHER Afrontamentos (menopausa)

Isoflavonas de Soja Urtiga Branca

Corrimento Dores menstruais

Óleo de Onagra

Salva

Enxaqueca, Dores de cabeça “latejantes”

Matricária Isoflavonas de Soja

Menopausa Menstruações irregulares ou pouco abundantes

Óleo de Onagra

Problemas da menopausa

Salva Óleo de Onagra

Menstruações abundantes Osteoporose

Salva

Cavalinha

Isoflavonas de Soja

Isoflavonas de Soja

Salva

Óleo de Onagra

Síndrome pré-menstrual

PROBLEMAS NERVOSOS, INSÓNIA E STRESSE Angústia Ansiedade Baixa de moral, depressão ligeira, alterações de humor Depressão e tensão nervosa

Rodiola

Passiflora Crataegus

Passiflora Hipericão

Hipericão

Rodiola Valeriana

Dificuldades de adormecimento Desabituação tabágica

Valeriana

Despertares matinais

Passiflora

Desmame das benzodiazepinas (se usadas para ansiedade)

Desmame das benzodiazepinas (se usadas para insónias)

Passiflora

Crataegus

Passiflora

Valeriana Bacopa

Hiperactividade na criança Insónia, problemas de sono Nervosismo Stresse

(com alterações gastrointestinais)

Stresse

(com mãos suadas e palpitações)

Rodiola

Valeriana Passiflora

Passiflora Crataegus Valeriana Crataegus

Rodiola

19


20


Cynara scolymus Parte utilizada: folhas Malpighia glabra Parte utilizada: fruto

Alcachofra

Acerola

Enfartamento, Dispepsia, Excessos Alimentares, DEPURATIVO

antioxidante, estimulante do sistema imunitário, tónico instantâneo

Descrição

A Acerola é o fruto de um pequeno arbusto com esse nome que cresce nas florestas secas da América do Sul, da América Central e da Jamaica. Este pequeno fruto cor de tijolo é muito parecido com a cereja é igualmente conhecido como «cereja de Barbados».

Vitamina C natural A Acerola contém oligoelementos como cálcio, ferro, magnésio e fósforo, vitaminas A, B6 e, mais importante ainda, a vitamina C. A Acerola tem 100 vezes mais vitamina C do que uma laranja (uma Acerola com 4,5g contém tanta vitamina C como meio quilo de laranjas!). Comparada com o ácido ascórbico cristalino de produção industrial, a vitamina C da Acerola está sempre associada a outros cofatores, nomeadamente bioflavonóides, ou vitamina P, cujas propriedades, idênticas, auxiliam as da vitamina C, potenciando-lhe os efeitos. Tendo as mesmas qualidades que a vitamina C, a Acerola é um tónico excelente. Estimula as funções do sistema imunitário e as defesas do organismo. É indicada na fadiga transitória ou persistente, bem como para ajudar a prevenir infeções invernais, como a gripe ou problemas otorrinolaringológicos (rinite, otite, faringite, laringite, traqueíte, bronquite, etc.). Uma vez que também facilita a absorção intestinal do ferro, a vitamina C tem um efeito anti-anémico. Por último, recomenda-se a Acerola como suplemento alimentar também para pessoas que consumam poucos legumes e fruta, ou para fumadores, uma vez que estes apresentam maiores necessidades de vitamina C.

Descrição

Na realidade, esta planta que já ocupa um lugar importante nos mundos culinário e terapêutico é uma variedade não espinhosa do cardo selvagem natural da região do Mediterrâneo. Apreciada pelo seu corpo carnudo, deve a sua fama medicinal às propriedades digestivas das folhas largas e profundamente lobuladas que tem no caule.

Planta protetora do fígado Na primeira metade do século XX, vários médicos franceses demonstraram interesse pela utilização das folhas da Alcachofra no tratamento das doenças hepáticas. A ação colerética da Alcachofra (que aumenta a secreção da bílis) deve-se a uma substância amarga e aromática, chamada cinarina. É particularmente útil para o tratamento da congestão ou insuficiência hepática (fígado preguiçoso), da icterícia e da má digestão dos lípidos. Ao estimular a secreção da bílis, a Alcachofra também trata da obstipação. A bílis estimula os movimentos intestinais (movimentos peristálticos), facilitando a descarga da matéria fecal. As folhas de Alcachofra contêm ainda outros esteróis, magnésio, potássio, etc. que atuam em sinergia com a cinarina. Para beneficiar plenamente dos efeitos da planta, recomenda-se a utilização do pó integral. A Alcachofra parece estimular a regeneração das células hepáticas quando estas estão expostas a várias toxinas. A confirmar-se essa qualidade, através de testes clínicos controlados, a planta poderá ser utilizada como hepatoprotetor nos pacientes com cirrose. Também já se demonstrou que as folhas de Alcachofra possuem propriedades hipolipemiantes e hipocolesterolemiantes. Advertência: Tal como acontece com todas as plantas que estimulam a função da vesícula biliar, a Alcachofra não é aconselhável em pacientes com obstrução do ducto biliar.

Combinações

Combinações

anemia, astenia: Acerola + Luzerna fadiga persistente: Acerola + Geleia Real (ou Ginseng) tónico instantâneo: Acerola + Guaraná IMUNOESTIMULANTE: Acerola + Equinácea estados gripais: Acerola + Própolis

perturbações do estômago, hepatite, icterícia: Alcachofra + Cardo Mariano bílis insuficiente (estimulação da vesícula biliar): Alcachofra ENFARTAMENTO, DISPEPSIA: Alcachofra EXCESSOS ALIMENTARES: Alcachofra + Chá Verde

21


Allium sativum Parte utilizada: bolbo

Ananas comosus Parte utilizada: talo e fruto

Alho Ananás hipertensão moderada, prevenção da arteriosclerose, problemas circulatórios moderados

História

22

Reconhecido pelos seus poderes curativos, desde os tempos antigos, o Alho era um elemento muito importante nos regimes alimentares dos egípcios e dos hebreus (Palestina). Os egípcios consideravam o Alho divino, capaz de sustentar os esforços dos construtores das pirâmides e de os proteger das pragas. O faraó da 4ª dinastia do Egito, Quéops, chegou mesmo a mandar gravar um dente de Alho no cume da maior pirâmide de Gizé!

O protector cardiovascular As dietas ricas em Alho reduzem a agregação das plaquetas e aumentam significativamente a atividade fibrinolítica. É a combinação desses dois efeitos que confere ao Alho as suas propriedades antitrombóticas. Contribuindo para a diminuição dos lípidos e do colesterol, o Alho também previne a arteriosclerose e os acidentes vasculares associados (ataque cardíaco, hemiplegia, arterite da perna, risco de flebite, etc.). Para além disso, melhora a circulação sanguínea, exercendo um efeito benéfico sobre a hipertensão. As investigações modernas demonstram que o Alho é não só bacteriostático, mas também antifúngico — propriedade muito importante. Assim, o pó do bolbo do Alho é um eficaz desinfetante intestinal. As propriedades do Alho derivam de substâncias naturais como o enxofre, a aliina e o ajoeno que são facilmente deteriorados pelos sucos digestivos. Desse modo, recomenda-se a utilização do bolbo do Alho granulado em cápsulas protegidas que também evitam o mau hálito associado ao consumo desta planta.

celulite, gordura localizada, entorses, distensões, edema

História

O Ananás foi descoberto pelos Europeus, em 1493, na segunda viagem de Colombo ao Novo Mundo. Os indígenas chamavam-lhe «nana» — um termo muito parecido com o atual Ananás. Cultivado um pouco por toda a América tropical, o Ananás parece ser originário do vale superior do rio Orinoco, no Brasil. Se a sua carne doce agrada ao palato, o seu talo oferece muitas propriedades medicinais.

O anticelulítico O talo do Ananás contém grandes quantidades de uma enzima proteolítica chamada bromelaína e que tem propriedades muito interessantes. Ao dividir as proteínas grandes, acelera a digestão e facilita a sua eliminação (pode digerir até 1.000 vezes o seu peso em proteínas). O Ananás é uma arma eficaz no combate ao excesso de peso, associado à retenção de água e à celulite. Ao fragmentar as proteínas que separam o tecido celulítico, alivia a congestão tecidual, estimulando assim a mobilização e a eliminação dos depósitos adiposos. Com a sua ação anti-inflamatória, a bromelaína é igualmente muito utilizada para reduzir os edemas localizados associados aos depósitos adiposos, às contusões, às fraturas, aos entorses, às distensões, às luxações, etc.

Dica útil: para potenciar a perda

de peso, combine o Ananás com Glucomanano que reduz o consumo calórico de forma mecânica e natural.

Combinações

Combinações

arterite: Alho

celulite: Ananás + Rainha dos Prados

arteriosclerose: Alho + Lecitina de Soja má circulação, risco de flebite: Alho + Videira

excesso de peso com celulite: Ananás + Chá Verde + Rainha dos Prados

hipertensão moderada: Alho + Oliveira

entorse, distensão: Ananás + Harpagófito


Bacopa monniera Parte utilizada: partes aéreas

Bacopa memória, concentração

História

Na Índia, esta planta é conhecida como Brahmi que vem de Brahma (o Deus criador do panteão hindu) e é amplamente reconhecida como estimulante das funções mentais. Há quase 5.000 anos que a Bacopa faz parte da farmacopeia ayurvédica (medicina tradicional indiana). Os textos ayurvédicos antigos prescrevem-na para o tratamento de vários problemas do sistema nervoso central, como a ansiedade, estados de confusão mental ou atenção reduzida, depressão, episódios epiléticos, distúrbios neurológicos, etc. O exprimeiro-ministro indiano, Inder K. Gujarl, e o grão-mestre de xadrez, Vishwanathan Anand, acreditam ambos nos benefícios da Bacopa.

Descrição

A Bacopa cresce normalmente nos pântanos e áreas húmidas das regiões tropicais, nas margens fluviais e em torno dos cursos de água. Na Índia e noutros países asiáticos, encontramo-la a altitudes de 1300m acima do nível do mar. É uma pequena planta perene trepadeira, suave e carnuda, com muitos ramos. Tem pequenas flores brancas que crescem nos seus compridos caules.

Melhoria da memória Muito estudada na Índia e na Austrália, a Bacopa é utilizada no tratamento das crianças hiperativas com distúrbios de atenção. Na Austrália foi feito um estudo duplo-cego contra placebo com 46 adultos saudáveis que durante doze semanas tomaram diariamente extrato de Bacopa. Os resultados indicam que o extrato melhora a velocidade do processamento da informação, bem como a capacidade de aprendizagem e a memória, com a vantagem de reduzir a ansiedade. Desde 2003 que se investiga o efeito desta planta sobre a doença de Alzheimer. Muitos estudos indicam que a Bacopa poderá melhorar as capacidades cognitivas (pensamento associativo, memória de curto prazo, aritmética mental, concentração, perceção visual e auditiva, etc.) e a memória nos alunos. É a planta ideal para tomar antes dos exames!

Dica útil: para melhorar as funções

cognitivas, a Bacopa (melhoria da transmissão de informação) pode ser combinada com Ginkgo (transferência de oxigénio para o cérebro), fontes de Ómega-3 (Óleo de Salmão, etc.) e Lecitina de Soja, para auxiliar a construção e a manutenção das células nervosas.

Combinações concentração intelectual: Bacopa + Ginkgo perda de memória: Ginkgo + Bacopa + Lecitina de Soja

23


Silybum marianum Parte utilizada: fruto

Cardo Mariano Arctium lappa DIGESTÕES LENTAS, Parte utilizada: raiz INSUFICIÊNCIA hepática, cirrose,

Bardana acne, eczema, infeções cutâneas

Descrição

24

Esta robusta planta bienal vulgarmente presente nas regiões temperadas é a perdição das crianças que se bombardeiam com os seus frutos cobertos por pequenos espigões com terminações em gancho.

História

O êxito medicinal da Bardana remonta à Antiguidade e manteve-se ao longo dos séculos. Diz-se que o rei Henrique III de França se curou da sua grave doença de pele com recurso a esta planta.

Pele limpa A raiz da Bardana é rica em inulina, um hidrato de carbono com uma ação semelhante à penicilina. Para além disso, contém polienos que são substâncias com propriedades antibacterianas e antifúngicas, úteis no tratamento de diversos problemas de pele, tais como o acne, eczema, furúnculos, abcessos e, ainda, a psoríase. A sua ação é reforçada pelas propriedades purificadoras da planta relacionadas com a presença de aminoálcoois. Estes drenam do organismo todas as toxinas que contribuem para o aparecimento de borbulhas e facilitam a sua eliminação, ao nível hepático (ação colerética) e renal (ação diurética). A Bardana também é indicada para problemas relacionados com a pele oleosa.

Combinações acne, FURÚNCULOS: Bardana + Levedura de Cerveja

hepatoprotetor, cálculos biliares, períodos menstruais abundantes

História

O Cardo Mariano é uma bonita planta bienal com folhas verdes e brancas. Os veios brancos estão associados a uma lenda que remonta à Idade Média. Tentando esconder Jesus dos soldados de Herodes, a Virgem Maria cobriu-o com as enormes folhas de um cardo. Com a pressa, caíram-lhe alguns pingos de leite do peito para cima das folhas que ficaram com esses veios marcados para sempre.

Planta vital para o fígado Já se fizeram mais de 200 estudos científicos sobre o Cardo Mariano. Foram identificadas três substâncias (silibinina, silicristina, silidianina) no fruto desta planta que forma um complexo protetor hepático conhecido como silimarina. No caso dos danos provocados pelo álcool (cirrose hepática), a silimarina reconstrói as células danificadas e restaura-lhes as capacidades metabólicas. A longo prazo, a toma diária de silimarina abranda o processo da cirrose. Esta planta é também utilizada no tratamento da hepatite viral e para travar a hepatite crónica. Ao estimular o fluxo da vesícula biliar, atua igualmente sobre as falhas hepáticas. O Cardo Mariano é muito útil para todos os tipos de desintoxicação hepática (drenagem do fígado). Esse efeito é potenciado quando combinado com Alcachofra. Advertência: Tal como acontece com todas as plantas que estimulam a função da vesícula biliar, Cardo Mariano não deve ser utilizado em pacientes com obstrução do ducto biliar.

Combinações distúrbios do estômago, hepatite (ou icterícia): Cardo Mariano + Alcachofra DIGESTÕES LENTAS: Cardo Mariano


Carvão Vegetal ventre liso, dilatação abdominal, flatulência, dor abdominal, diarreia, cólon irritável

História

O Carvão Vegetal é um produto simples e eficaz que amiúde se desvaloriza. Há muito que foi reconhecido pelas suas potentes capacidades de desintoxicação do organismo. Em 1813, um farmacêutico de Montpellier, chamado Touéry, demonstrou o seu poder como antídoto. Ingeriu uma dose letal de estricnina envolta em Carvão Vegetal diante da Academia de Medicina francesa sem lhe acontecer nada. A sua capacidade extraordinária para a adsorção das moléculas orgânicas e dos gases tóxicos permite-lhe diversas aplicações, desde as máscaras de oxigénio, aos medicamentos para tratar distúrbios digestivos.

O vegetal que adsorve os gases O Carvão Vegetal ativado permanece no sistema digestivo, onde é tolerado sem quaisquer problemas. Quando presente, adsorve, ou fixa à sua superfície, complexos indesejáveis que se encontrem no sistema digestivo, tais como gases, aditivos alimentares, resíduos de pesticida ou fertilizante, metais pesados, solventes orgânicos, bactérias tóxicas do peixe ou do marisco, etc.

Desintoxicante universal Para além de desintoxicar o organismo, o Carvão Vegetal regula as funções intestinais. Pode ser eficaz em caso de diarreia, gastroenterites, dor gástrica, azia, flatulência e infeções intestinais acompanhadas de obstipação e fermentação. Atua sobre os gases intestinais de duas maneiras: adsorve os próprios gases, bem como as bactérias que produzem estes gases.

O Carvão Vegetal trata muitos problemas funcionais do sistema digestivo que resultam frequentemente de maus hábitos alimentares (excesso de açúcar, fritos e álcool), tais como dor abdominal, cãibras, azia, dilatação abdominal e eructação (libertação de ar). Ao reduzir os gases intestinais, o Carvão Vegetal ajuda a recuperar um ventre liso e uma silhueta elegante. Para além disto, o Carvão Vegetal elimina o mau hálito provocado pela excessiva fermentação intestinal e combate eficazmente a diarreia, sendo um excelente agente de revestimento intestinal. O Carvão Vegetal ativado não é assimilado pelo organismo, não tendo efeitos secundários.

Dica útil: Utiliza-se a expressão

«ativo ou ativado» porque o Carvão Vegetal é sujeito a uma preparação especial (carbonização + injeção de vapor de água) que cria inúmeros poros microscópicos na sua superfície, dando-lhe muitas qualidades. Essa capacidade de adsorção, porém, depende principalmente do substrato vegetal utilizado. O Carvão Vegetal da casca de coco é 25 vezes mais adsorvente e, portanto, mais eficaz, do que o Carvão Vegetal do freixo (o mais frequente no mercado). Uma grama de Carvão Vegetal de casca de coco (20 micróporos Angrstom) tem uma superfície de adsorção de cerca de 2000m2 — o equivalente à área de oito campos de ténis!

Advertência: Dar 2 horas de intervalo entre a toma do Carvão Vegetal e qualquer outro medicamento tomado por via oral

Combinações dilatação abdominal, flatulência: Carvão Vegetal gases intestinais: Carvão Vegetal diarreia moderada e do viajante: Carvão Vegetal + Levedura de Cerveja

25


Equisetum arvense Parte utilizada: parte aérea estéril

Cavalinha Aesculus hippocastanum remineralização óssea, Parte utilizada: casca reumatismo, ARTROSE,

Castanheiro da Índia HEMORRÓIDAS, VARIZES, pernas pesadas

26

Descrição

Árvore alta dos Balcãs, o Castanheiro da Índia é atualmente cultivada por toda a Europa, em parques e à beira das estradas. O costume rural de ter sempre castanhas da índia nos bolsos para evitar problemas vasculares (hemorróidas ou varizes) ilustra bem as propriedades terapêuticas da planta.

A planta das hemorróidas As substâncias responsáveis pela atividade do Castanheiro da Índia encontram-se na casca. De entre eles, destacam-se um glicósido cumarínico: o esculósido, ativo sobre o tónus venoso, estimula a atividade vascular, graças à sua ação vitamínica P. Esta ação fortalece os capilares, aumentandolhes a resistência e diminuindo-lhes a permeabilidade. Os flavonóides, graças às suas ações antiinflamatória e vasoconstritora melhoram a circulação sanguínea e aliviam a dor associada às crises de hemorróidas. Juntos, estes ingredientes são particularmente úteis no tratamento dos sintomas relativos à má circulação (pernas pesadas ou doridas), hemorróidas ou capilares fracos (varizes ou propensão para os hematomas).

Combinações HEMORRÓIDAS: Castanheiro da Índia + Cipreste

CONSOLIDAÇÃO DE FRATURAS

Descrição

Vulgar em toda a Europa, a Cavalinha deve o nome ao seu comprido e filamentoso caule. É uma planta com uma composição extraordinária que remonta à Pré-história. Desde o século XVI que é utilizada pela medicina popular pelas suas propriedades de remineralização.

A «inestimável e insubstituível» planta remineralizante A Cavalinha é especialmente rica em silício que estimula a síntese do colagénio nos ossos e no tecido conjuntivo. Desta forma, contribui para a reconstituição da cartilagem e para o fortalecimento das fraturas, consolidando a formação dos calos ósseos. Melhora visivelmente a elasticidade dos tendões e ajuda a protegêlos, nas pessoas que praticam uma atividade atlética sustentada (prevenção das cãibras nos cotovelos). As deficiências de silício são vulgares e aumentam com a idade. O tratamento regular com Cavalinha proporciona todos os seus benefícios de remineralização. Tendo igualmente propriedades diuréticas, a Cavalinha também é tradicionalmente utilizada para ajudar as funções de eliminação do organismo e combater as retenção de água.

Dica útil:os ossos e a cartilagem são compostos por cálcio e silício, pelo que, para lhe otimizar a eficácia, a Cavalinha (fonte de silício) pode ser tomada juntamente com uma fonte de cálcio. Combinações ARTROSE, tendinite: Cavalinha + Harpagófito descalcificação: Cavalinha + Isoflavonas de Soja (mulheres na menopausa)


Daucus carota Parte utilizada: raiz

Cenoura beleza da pele, preparação para o bronzeado, distúrbios de visão noturna

Liberte a pressão

Descrição

Planta que cresce nos campos e nas encostas, a raiz da Cenoura é colhida em toda a Europa para consumo alimentar.

O sol na sua pele Na Fitoterapia, o seu interesse deriva da presença de uma substância preciosa: o betacaroteno, que no organismo se converte em vitamina A ou «retinol» (e daí a designação de provitamina-A). O betacaroteno dá mais beleza à pele, prepara o corpo para a exposição ao sol, melhora o processo de bronzeamento e ajuda a prevenir as alergias solares (especialmente nas pessoas com a tez clara), aumentando a produção de melanina. Com efeitos protetores sobre as células, esta substância reforça a resistência cutânea aos agressivos raios ultravioleta.

ARKO RELAX, à base de Rodiola, uma planta que ajuda a facilitar a adaptação do organismo às situações emocionais stressantes, sendo uma solução ideal para 27 poder gerir melhor as ocasiões de stresse intenso mas pontual (por exº: exames, viagens de avião, entrevistas, reuniões…).

NOVO

Já se demonstrou que a carência de vitamina A depressa degenera em «nictalopia» ou cegueira noturna. A Cenoura é conhecida por melhorar a visão noturna e aumentar a acuidade visual. Por último, a Cenoura é ainda benéfica nos períodos de crescimento, porque facilita a assimilação das proteínas e a formação de tecidos. Para além de contribuir para a beleza da pele, reforça a saúde em geral. A Cenoura é uma fonte natural de betacaroteno que se converte em vitamina A, consoante as necessidades do corpo. Deste modo, não apresenta qualquer risco de hipervitaminose, podendo ser consumida por todos.

Combinações preparação para o bronzeado: Cenoura + Óleo de Borragem beleza da pele: Cenoura + Levedura de Cerveja 

3 a 4 pulv/toma pu ulv/toma

1 a 2 cáps peq-almoço e 1 ao almoço

ArkoRelax é um suplemento alimentar. Não exceder a toma diária recomendada. Os suplementos alimentares não devem ser utilizados como substitutos de um regime alimentar variado e equilibrado e de um estilo de vida saudável. Manter fora do alcance das crianças. Leia atentamente as informações constantes das embalagens e em caso de dúvida consulte o seu médico ou farmacêutico.

À venda em farmácias e parafarmácias.

www.arkocapsulas.pt Distrifa - Soluções de Saúde S.A. Tel: 21 444 96 60 - apoio.cliente@distrifa.pt


Camellia sinensis Parte utilizada: botão e duas primeiras folhas do ramo

Chá Verde excesso de peso, obesidade

História

28

Segundo reza a lenda chinesa, o hábito de beber regularmente chá teve início no ano 2737 a.C., quando algumas folhas se desprenderam de uma árvore e caíram na água quente do imperador Shen Nung. Neste momento, é a planta mais consumida no mundo (três milhões de toneladas por ano) e os cientistas mais proeminentes observam com interesse as suas propriedades medicinais. Os vários tipos de chá (verde, preto, etc.) não derivam de tipos diferentes de plantas, mas resultam de processos de secagem e preparação distintos.

Descrição

A planta do chá é um pequeno arbusto de folha persistente. Começou por ser uma árvore selvagem que crescia nas florestas tropicais da Índia e da Ásia em geral. Era sempre colhida várias vezes por ano, ficando a planta com um período de recuperação de 4 a 14 dias. Numa colheita «normal», só as primeiras duas folhas do ramo, as mais jovens e verde-claras, são apanhadas juntamente com o botão «pekoe» que, na realidade, é o jovem rebento encolhido.

Para uma silhueta elegante Frequentemente descrito como sintoma, na verdade, o excesso de peso resulta de uma simples equação: as calorias absorvidas através dos alimentos excedem as calorias queimadas pela atividade. Dois dos principais ingredientes ativos do Chá Verde, a cafeína que é um alcalóide e os polifenóis, regulam esse desequilíbrio. Em conjunto, estes ativos estimulam os neurotransmissores: catecolaminas que incluem a adrenalina, a noradrenalina e a dopamina.

A ativação do sistema nervoso simpático desencadeia um aumento da termogénese (queima de calorias) e a eliminação do peso em excesso. Para além das questões estéticas que levanta, o peso em excesso implica consequências nefastas para a saúde. O excesso de colesterol é uma das complicações mais observadas de quem sofre deste problema. Vários estudos demonstram que a toma regular de Chá Verde reduz significativamente os níveis de lípidos na corrente sanguínea e o colesterol em particular. As dietas de emagrecimento produzem normalmente um decréscimo da energia. O chá é um conhecido estimulante do sistema nervoso central que melhora tanto o esforço mental como o muscular. O seu impacto estimulante é menos agressivo do que o do café, porque liberta a cafeína a um ritmo mais brando e progressivo.

Dica útil: para garantir perda

de peso, aconselhamos a associar o Chá Verde com Glucomanano que reduz naturalmente a ingestão calórica.

Combinações EXCESSO DE PESO COM APETITE NORMAL: Chá Verde + Orthosiphon excesso de peso com má circulação: Chá Verde + Videira excesso de peso com obstipação: Chá Verde + Orthosiphon + Psílio excesso de peso, COM MUITO APETITE: Chá Verde + Konjac + Orthosiphon


Cratægus lævigata Parte utilizada: sumidade florida

Crataegus STRESSE, palpitações, ansiedade, NERVOSISMO, insónia nos adultos e nas crianças Cupressus sempervirens Parte utilizada: cone portador do fruto

Cipreste VARIZES, HEMORRÓIDAS, pernas pesadas

Descrição

Originário das regiões envolventes do Mar Egeu, no sul da Europa, o Cipreste é principalmente plantado para fins decorativos.

Circulação venosa melhorada A composição dos seus cones ricos em polifenóis é de grande interesse no tratamento dos distúrbios vasculares, como as hemorróidas e as varizes. Os flavonóides têm uma ação antiinflamatória também muito útil no tratamento das crises de hemorróidas. O Cipreste contém um elevado teor de proantocianidinas oligoméricas, com propriedades venotónicas importantes no tratamento das pernas pesadas. Essas proantocianidinas protegem as membranas da oxidação provocada pelos radicais livres. Aderindo seletivamente às paredes dos vasos, geram uma melhor dinâmica vascular, impedindo a estagnação do sangue nas pernas. Um estudo demonstra que no combate aos sintomas funcionais da insuficiência venosa o Cipreste em cápsulas tem uma atividade superior à dos tratamentos com um flebotónico convencional e não implica efeitos secundários.

História

Na Grécia antiga, o Crataegus era um símbolo de proteção e pureza, vulgarmente colocado nos aposentos nupciais e nos quartos dos bebés, para afastar os espíritos maléficos. As propriedades deste belo e denso arbusto que ostenta pequenas flores aromáticas só foram reconhecidas nos finais do século XIX.

O amigo do coração Dois dos principais ingredientes ativos, o hiperósido e a vitexina (flavonóides), atuam como reguladores do ritmo cardíaco, reduzindo as palpitações e a perceção exagerada dos batimentos cardíacos nas pessoas inquietas e com propensão para a ansiedade. Para além dos efeitos que exerce sobre o coração, o Crataegus atua mais genericamente sobre o sistema circulatório, ao aumentar o fluxo coronário assegurando ao músculo cardíaco um maior aporte de sangue oxigenado (prevenindo os episódios de angina). Graças às suas propriedades cardiotónicas e os seus efeitos dilatadores sobre os vasos sanguíneos, o Crataegus pode ser útil nos problemas de arritmia cardíaca. Esta planta permite atenuar os problemas associados à angina de peito, graças à sua ação hipotensiva (diminui a tensão arterial). A sinergia dos seus diferentes ativos, apenas preservados no pó integral, confere uma atividade sedativa ao sistema nervoso central. Os efeitos sobre o nervosismo, a irritabilidade e a ansiedade, bem como os distúrbios do sono, são significativos. Ao contrário dos medicamentos sintéticos com efeitos secundários adversos (sonolência, perda de memória), o Crataegus não causa habituação, nem dependência.

Combinações

Combinações

STRESSE: Crataegus

pernas pesadas e doridas: Cipreste + Videira hemorróidas: Cipreste + Castanheiro da Índia

tensão nervosa e stresse nos adultos: Crataegus + Rodiola

insuficiência venosa, VARIZES: Cipreste + Videira

fadiga nervosa: Crataegus + Ginseng

insónia ao início da noite: Crataegus + Valeriana

29


Equinacea purpurea Parte utilizada: raiz

Equinácea Imunoestimulante, prevenção de GRIPES E CONSTIPAÇÕES Taraxacum officinale Parte utilizada: raiz

Dente de Leão DEPURATIVO, prevenção de cálculos biliares e renais

Descrição

30

Do francês «dent-de-lion», esta planta é conhecida por Dente de Leão por causa das extremidades denteadas das suas folhas. É uma planta perene que cresce no mundo inteiro.

O potente depurativo O Dente de Leão é particularmente apreciado pela sua ação diurética, segura e sem efeitos adversos indesejáveis. Permite limpar todo o organismo, eliminando as toxinas acumuladas. O Dente de Leão atua também a nível digestivo, aumentando o fluxo da bílis e estimulando os fígados preguiçosos. As propriedades de «limpeza» global do Dente de Leão contribuem para prevenir cálculos biliares e renais. Advertência: À semelhança de qualquer outra planta que estimule a vesícula biliar, o Dente de Leão não é aconselhado a pacientes com obstrução das vias biliares.

Dica útil: é benéfica a toma de

Dente de Leão nas transições sazonais e depois de excessos alimentares, para «limpar» o organismo, eliminando as toxinas.

Combinações

Descrição

Os índios norte-americanos tratavam as mordeduras de cobras e as feridas com Equinácea — no século XIX, foi a planta mais utilizada nos Estados Unidos. A raiz que é desenterrada na Primavera, depois de quatro anos de cultivo, contém inúmeros ingredientes ativos com propriedades imunoestimulantes.

O imunoestimulante natural Os vários constituintes das raízes organizam-se para combater invasores indesejados com um sistema imunitário altamente eficaz. Distinguemse polissacáridos (que protegem as células dos ataques virais) e alcamidas (com propriedades antibacterianas e antifúngicas). Estas substâncias contribuem especificamente para o aumento dos níveis de leucócitos (glóbulos brancos) e para a síntese do interferão — molécula essencial para a imunidade. Vários estudos clínicos demonstram a atividade imunoestimulante da Equinácea em várias doenças resultantes de um sistema imunitário fraco ou debilitado. A investigação centrou-se sobretudo nos efeitos da Equinácea no tratamento do resfriado e das doenças respiratórias crónicas. A análise dos resultados de cinco estudos clínicos diferentes sustentam a atividade imunomodeladora da Equinácea. Não tóxica e sem efeitos secundários, a Equinácea é uma planta preciosa para tomar em tratamentos com duração de um a três meses, antes do início do inverno, para reforçar a proteção contra as infeções repetidas. Para além disso, pode ser utilizada para fins profiláticos, quando o organismo se encontra em condições de stresse ou de enfraquecimento físico ou moral que deprimem o sistema imunitário.

Combinações IMUNOESTIMULANTE: Equinácea + Acerola

retenção de água: Dente de Leão

prevenção de PROBLEMAS

cálculos urinários: Dente de Leão + Orthosiphon

otorrinolaringológicos, infeções invernais

desintoxicação: Dente de Leão + Alcachofra

herpes (prevenção da recaídas): Equinácea + Própolis

recorrentes: Equinácea


Garcinia cambogia Parte utilizada: pericarpo do fruto

Garcinia Cambogia obesidade, celulite, desejo de doces, ESTABILIZAÇÃO de peso

Descrição Eucalyptus globulus Parte utilizada: folhas

Eucalipto bronquite aguda e crónica, tosse, resfriados

Descrição

Árvore ornamental de grande porte, natural da Austrália, o Eucalipto foi introduzido no sul de França, na região de Provença, onde já é autóctone.

A planta das vias respiratórias As folhas muito aromáticas do Eucalipto são ricas num óleo essencial cujo principal componente é o Eucaliptol. Este óleo essencial é mucolítico, o que significa que fluidifica as secreções pulmonares, favorecendo a sua eliminação. É antitússico e elimina a irritação dos brônquios associada à bronquite aguda e crónica. Apresenta ainda uma boa atividade antibacteriana. A folha de Eucalipto é indicada para o tratamento das infeções do sistema respiratório, sobretudo porque o seu óleo essencial é em grande parte eliminado através dos pulmões, o que lhe permite atuar diretamente sobre a garganta e os brônquios. Uma vez que tem como parte ativa o óleo essencial que é volátil e frágil, recomenda-se a utilização do pó integral da planta para prevenir perdas de atividade.

Combinações infeções do sistema respiratório: Eucalipto + Própolis

A Garcinia é um arbusto originário do sudeste asiático, muito utilizado na preparação do caril. As virtudes medicinais purgantes da sua goma, ou cambogia, já são reconhecidas há séculos. Hoje em dia, a planta é principalmente utilizada como aliado das dietas de emagrecimento.

O regulador metabólico adelgaçante Nos últimos anos, a sua pele (pericarpo) tornouse alvo de inúmeros estudos que revelaram a presença de um ácido de frutos com propriedades muito interessantes, designado ácido hidroxicítrico ou AHC. Este ativo tem uma ação essencial na regulação do peso do corpo e do apetite. O AHC inibe a produção hepática da enzima ATP-citrato liase, que tem um papel extremamente importante na transformação dos glícidos em triglicéridos e lipoproteínas de baixa densidade (LDL). Assim, abranda a produção e o armazenamento de gorduras proveniente do metabolismo das proteínas e dos glícidos — facto confirmado por diversos estudos com resultados muito claros. Tanto para pessoas com necessidade de perder apenas alguns quilos como para obesos, o AHC diminui o peso corporal e reduz o tamanho das células adiposas, ou adipócitos. A Garcinia é ainda reconhecida por reduzir os desejos de doces, hidratos de carbono (exº pão, massas...) e travar o consumo deste tipo de alimentos. Todas estas ações têm-se revelado muito úteis em dietas de emagrecimento equilibradas, para favorecer a perda de peso.

Combinações obesidade, excesso de peso: Garcinia Cambogia + Laranja Amarga + Orthosiphon forte apetite: Garcinia Cambogia

tosse: Eucalipto

desejo de doces relacionado com stressE:

afonia (perda da voz): Eucalipto + Própolis

Garcinia Cambogia + Crataegus + Orthosiphon

31


Paullinia cupana Parte utilizada: semente

Geleia Real fadiga, convalescença, desequilíbrio generalizado

Descrição

Há muito que o crescimento extremamente rápido das larvas da Abelha Rainha e a sua excecional longevidade despertaram a curiosidade de quem as observava. O segredo é uma geleia com um brilho perlado de que se alimenta exclusivamente a rainha, durante toda a sua vida. Essa substância segregada pelas abelhas obreiras chama-se Geleia Real, ou «leite das abelhas», devido ao seu uso.

O estimulante e revigorante

32

Os investigadores descobriram nesta geleia um concentrado nutritivo e energético, impossível de reproduzir a partir de produtos naturais ou sintéticos. Muito rico em vitaminas do complexo B (especialmente B3, B5, ácido fólico e biotina), contém não só minerais e oligoelementos (ferro, cobre, potássio e fósforo), como também aminoácidos e ácidos gordos essenciais (AGE). A Geleia Real aumenta a energia, reaviva a atividade em geral, estimula as defesas naturais e reforça a resistência do organismo à fadiga, ao stresse e às condições extremas como o frio. Em virtude das suas propriedades, a Geleia Real, pode ser consumida por adultos, crianças e idosos, tanto para combater a fadiga (física e mental), as dificuldades de concentração e a depressão como para acelerar a convalescença. Os melhores métodos de acondicionamento para a Geleia Real (composta por 66% de água) são a liofilização e a atomização, pois ambos permitem a conservação ótima dos ingredientes ativos. A Geleia Real é muito eficaz em sinergia com Ginseng ou Acerola, em tratamentos com a duração de um mês.

Combinações decréscimo energético, estimulação das defesas imunitárias: Geleia Real + Acerola crescimento: Geleia Real

Guaraná obesidade, sobrecarga ponderal, BAIXA DE tónus

História

Há muito que os índios Guaraní do Uruguai e do Paraguai utilizam este arbusto da Amazónia pelas suas propriedades estimulantes e fortificantes. As sementes do Guaraná são utilizadas em bebidas energéticas, para ajudar as pessoas a aguentar desempenhos mais exigentes.

O tónico da perda de peso O Guaraná deve as suas propriedades a uma percentagem particularmente elevada de cafeína que varia entre 3% e 5%. Facilmente ultrapassa o café e o chá como a fonte natural mais rica em cafeína que se conhece. A cafeína acelera a queima de gordura, aumenta o metabolismo basal das células e contribui para a eliminação da gordura armazenada. Para além disso, liberta catecolaminas, como a adrenalina, para ajudar o organismo a queimar a gordura com maior rapidez. Alguns estudos comparam o Guaraná à cafeína pura, porém, identificam outros ingredientes ativos que lhe conferem propriedades independentes da cafeína: benefícios para o sistema gástrico, antidepressivo e estimulante do desempenho físico e intelectual. As propriedades estimulantes do Guaraná são especialmente potentes no combate à fadiga física e mental frequentemente associada às dietas de perda de peso. Ao estimular o organismo, o Guaraná restaura a vitalidade e o bem-estar, animando as pessoas sem lhes alterar ou acelerar o ritmo cardíaco normal.

Dica útil: para maximizar

a perda de peso, combine o Guaraná com Glucomanano que reduz naturalmente a ingestão de calorias.

Combinações excesso de peso, obesidade: Guaraná + Garcinia Cambogia + Orthosiphon

convalescença: Geleia Real

Reforço instantâneo de energia: Guaraná + Acerola

fadiga física: Geleia Real + Ginseng

fadiga crónica: Guaraná + Geleia Real

fadiga crónica: Geleia Real + Guaraná

melhoria do desempenho físico: Guaraná + Ginseng


Ginkgo biloba Parte utilizada: folhas

Ginkgo problemas DE CIRCULAÇÃO CEREBRAL (perda de memória), ENVELHECIMENTO CEREBRAL, antioxidante

História

A Ginkgo biloba é a árvore sagrada do Extremo Oriente. É a última representante da espécie mais antiga de árvores do mundo (com mais de 200 milhões de anos). Anterior aos dinossauros, é a única sobrevivente das mudanças climáticas e geológicas. E por isso é frequentemente designada por «fóssil vivo». A extraordinária vitalidade da Ginkgo foi novamente comprovada depois do lançamento da bomba atómica sobre Hiroshima: as suas espécies recolonizaram uma zona que fora completamente destruída. Esta enorme árvore (com 20 a 35 metros de altura) tem uma elevada esperança de vida (até 2500 anos, para certas espécies). As suas folhas características apresentam dois lóbulos com uma veia central. O fruto da árvore fêmea emana um odor muito desagradável. A Ginkgo é ainda apelidada de «árvore das mil coroas», porque as folhas ficam douradas no Outono.

Um cérebro melhor irrigado Foi nos anos 50 do século XX que se começou a estudar as propriedades medicinais das folhas da Ginkgo no Ocidente. Os principais ativos das folhas são os flavonóides, os ácidos orgânicos e sobretudo as lactonas específicas da Ginkgo: os ginkgólidos e os bilobálidos. A sinergia entre os vários ativos parece ser a causa da ação da Ginkgo.

A Ginkgo revelou-se particularmente eficaz no tratamento de problemas circulatórios. Os princípios ativos da planta dilatam as artérias, veias e capilares. Para além disso, melhoram a microcirculação e a viscoelasticidade do sangue, prevenindo a formação de coágulos. São vários os estudos que demonstraram que a Ginkgo exerce um efeito significativo na memória e na capacidade de aprendizagem, por melhorar a circulação sanguínea no cérebro e, consequentemente, o aporte de oxigénio e nutrientes. A Ginkgo é especialmente indicada no tratamento dos problemas de memória e nas alterações das funções cognitivas associadas ao envelhecimento.

33

Graças às suas propriedades vasodilatadoras e antioxidantes, bem como à sua capacidade para reduzir a agregação das plaquetas, a Ginkgo ocupa um lugar de destaque nos tratamentos dos problemas do sistema cardiovascular.

Dica útil: Para melhorar a função

cognitiva, pense em combinar Bacopa (melhora a transmissão de informação), Ginkgo (fornece oxigénio ao cérebro), fontes de Ómega-3 (Óleo de Salmão, etc.) e Lecitina de Soja para ajudar a construir e a manter as células nervosas.

Combinações concentração: Ginkgo + Bacopa problemas de memória: Ginkgo + Bacopa + Lecitina de Soja visão: Ginkgo + Cenoura


Panax ginseng Parte utilizada: raiz

Ginseng fadiga, stresse, recuperação, estimulante físico e INTELECTUAL

História

34

Os chineses prezam a raiz de Ginseng pelas suas propriedades revigorantes e afrodisíacas. Tradicionalmente reservada para o imperador e senhores feudais, o Ginseng tem uma história que remonta à Antiguidade. As culturas ocidentais descobriram a planta no século XVIII. O nome Panax, ou «panacea», faz referência à reputação de cura tudo do Ginseng.

Descrição

O Ginseng selvagem tornou-se muito raro nas suas regiões nativas originais (Coreia, nordeste da China, Sibéria oriental). Agora é cultivado em herdades da Coreia, da China e do Japão. O Ginseng é uma planta herbácea perene cuja raiz antropomorfa inspira a imaginação. Tem folhas palmadas, as flores crescem em umbelas e o fruto é uma baga vermelha.

A planta milenar da energia A planta do Ginseng deve ter pelo menos seis anos para que se lhe possa colher a raiz. O nome «flor da vida» reflete os benefícios da planta que se devem à presença de ginsenósidos. O Ginseng branco resulta das raizes que são secas diretamente, enquanto que o Ginseng vermelho resulta de raízes branqueadas. O Ginseng branco é o que contém maior quantidade de ginsenósidos.

O Ginseng tem uma ação revigorante global sobre o organismo. Estimula o sistema imunitário e melhora o desempenho físico e intelectual, independentemente da idade. Melhora os processos de memorização e os reflexos. Aumenta a resistência do organismo ao esforço, reduzindo a sensação de fadiga, a dor muscular e a taxa de ácido láctico no sangue e aumentando a absorção de oxigénio nos músculos. A raiz do Ginseng atua ainda sobre as glândulas adrenais, provocando um efeito estimulante nos órgãos sexuais.

Combinações concentração: Ginseng + Bacopa afrodisíaco: Ginseng + Maca fadiga física: Ginseng + Geleia Real fadiga emocional: Ginseng + Crataegus fadiga com distúrbios do sono: Ginseng + Valeriana fadiga persistente: Ginseng + Acerola


Harpagophytum procumbens Parte utilizada: raizes secundárias

Harpagófito DORES ARTICULARES, reumatismo, ARTROSE, artrite, tendinite, ENTORSES

História

Embora o Harpagófito seja utilizado pelos feiticeiros e guerreiros sul-africanos há séculos, as culturas ocidentais só o descobriram recentemente. Em 1904, o sudoeste da África era assolado pela guerra. Os Hotentotes revoltaram-se contra os colonos alemães e muitos foram feridos. Um médico alemão chamado G.H. Menhert observou que as feridas dos Hotentotes saravam rapidamente e apercebeu-se de que os curandeiros utilizavam uma decocção feita com a raiz de uma planta. Então, arranjou algumas amostras da raiz e enviou-as para a Alemanha, onde se identificou o Harpagophytum procumbens.

35

O mecanismo de ação do Harpagófito sobre a inflamação é diferente do mecanismo dos AINEs (anti-inflamatórios não esteróides) convencionais.

Ação benéfica sobre as articulações

Os AINEs convencionais atuam inibindo a biossíntese das prostaglandinas, o que envolve inúmeros efeitos secundários indesejáveis, especialmente ao nível das dores de estômago.

As raízes do Harpagófito são ricas em glucoiridóides e procúmbido que têm inegáveis propriedades anti-inflamatórias e analgésicas (contra a dor).

Desta forma, o Harpagófito é uma excelente alternativa e um bom substituto dos tratamentos anti-inflamatórios convencionais.

Hoje em dia, os benefícios do Harpagófito no tratamento da dor articular, dos reumatismos, da artrose, da artrite (joelho, anca, coluna vertebral) e das tendinites já são universalmente reconhecidos. Alguns estudos conduzidos ao longo de vários meses em pacientes artrósicos demonstraram que esta planta melhora significativamente o conforto do paciente. A mobilidade e a flexibilidade articular aumentam drasticamente sem quaisquer efeitos secundários adversos, em particular sobre o estômago.

Esta planta é muito reputada junto dos atletas, graças aos bons resultados que apresenta nas tendinites e dores articulares induzidas pelo esforço.

Combinações reumatismo: Harpagófito ARTROSE, tendinite: Harpagófito + Cavalinha dores nas costas: Harpagófito dores articulares e musculares, torcicolo e ciática: Harpagófito entorses, distensões: Harpagófito + Ananás


Hypericum perforatum Parte utilizada: sumidades floridas

Hipericão ALTERAÇÕES DE humor, depressão, stresse, TRISTEZA

História

Há séculos que a medicina popular utiliza esta planta. Atribuíam-se-lhe poderes mágicos, acreditando-se que afastava demónios e espíritos maléficos.

Isoflavonas Soja MENOPAUSA, AFRONTAMENTOS

Descrição

No século XIX, o seu uso generalizou-se e desde então que não deixa de ganhar popularidade.

Natural da China, a Soja chegou à Europa no início do século XVIII. Esta planta é um dos melhores suplementos nutricionais existentes e uma fonte alimentar nutricionalmente completa em si mesma. A Soja é uma das plantas que é rica em substâncias que, uma vez ingeridas, são similares aos estrogénios. Estas são designadas como fitoestrogénios. Estas moléculas ocupam um papel importante nas soluções disponíveis no período da menopausa.

Descrição

A resposta na menopausa

Devido aos seus poderes curativos, era aplicada nas feridas. Para além disso, há muito que é utilizada no alívio de distúrbios neurológicos, como a ansiedade, a irritabilidade e as enxaquecas.

36

Glycine max Parte Utilizada: As sementes (grãos).

O Hipericão é uma planta herbácea natural da Europa e da Ásia Central. Encontramo-lo em abundância a ladear caminhos, nos campos secos e nas clareiras. As suas folhas têm muitos bolsos de secreção transparentes que parecem perfurações (o seu nome francês — mil «pertuis» deriva do termo arcaico que significa «passagens estreitas» e as extremidades das folhas e flores ostentam pintas pretas.

O antidepressivo natural As principais propriedades antidepressivas e soporíferas da planta devem-se aos seus ingredientes ativos (hiperforina, hipericina, flavonóides, etc.) contidos nas sumidades floridas. O Hipericão contribui para a normalização geral dos neurotransmissores de modulação do humor do organismo. Vários estudos clínicos demonstram a sua eficácia no tratamento da depressão suave a moderada. O Hipericão é particularmente eficaz no combate à depressão «reativa», ou seja a depressão associada a dificuldades materiais ou emocionais, melhorando a qualidade do sono e aliviando visivelmente o stresse e a ansiedade. O Hipericão é uma planta que não apresenta efeitos secundários e não cria habituação.

Combinações BAIXA DE MORAL, TRISTEZA: Hipericão + Rodiola

O interesse dos fitoestrogénios para a saúde e bem-estar das mulheres na menopausa é comprovado pelo resultado dos estudos epidemiológicos que demonstram que as mulheres asiáticas, cuja alimentação é particularmente rica em soja, são menos afectadas pelo desconforto associado à menopausa. Estudos demonstram que um aporte em Isoflavonas de Soja reduz um dos sintomas mais frequentes da menopausa: os afrontamentos. Atua igualmente sobre uma série de outras perturbações tais como retenção de líquidos, secura e irritação vaginal, ansiedade, nervosismo e irritabilidade. No seio da grande família dos estrogénios de origem vegetal (fitoestrogénios), que conta com mais de 300 compostos diferentes, as Isoflavonas ocupam um lugar preponderante. Estas moléculas, extraídas da semente de soja, constituem um substituto hormonal natural na altura da menopausa. Graças às suas propriedades, as Isoflavonas de Soja representam uma alternativa natural para corrigir o défice em estrogénios, observado nas mulheres no período de prémenopausa e menopausa e para lutar contra as inerentes alterações físicas e psicológicas a que as mulheres estão sujeitas. Os resultados dos estudos epidemiológicos são inequívocos. Resultados preliminares de estudos clínicos ainda em curso deixam antever um efeito preventivo das Isoflavonas sobre a osteoporose.

DEPRESSÃO LIGEIRA COM INSÓNIAS: Hipericão + Valeriana

Combinações

DEPRESSÃO LIGEIRA COM ANSIEDADE: Hipericão + Passiflora

AFRONTAMENTOS (menopausa): Isoflavonas de Soja

ALTERAÇÕES DE humor: Hipericão

OSTEOPOROSE: Isoflavonas de Soja + Cavalinha + Luzerna

MENOPAUSA: Isoflavonas de Soja


Amorphophallus konjac Parte utilizada: glucomanano, o ingrediente ativo da raiz

Konjac

Glucomanano INIBIDOR do apetite, Citrus aurantium SACIANTE FORTE Parte utilizada: casca do fruto perda de peso

História

O Konjac é uma planta asiática tradicionalmente cultivada na China e no Japão. As suas raízes são utilizadas na preparação de «konhaku», um prato típico japonês servido desde o século IX e muito apreciado pelos seus benefícios para a saúde.

O inibidor de apetite forte O glucomanano, substância com propriedades surpreendentes, é extraído deste tubérculo. O glucomanano pode absorver mais do que 100 vezes o seu volume em água. No estômago, forma um gel volumoso de grande viscosidade. Este gel não é assimilável pelo organismo e por esta razão não tem qualquer valor calórico. Sem calorias, este gel vegetal atua como inibidor natural do apetite e produz uma sensação imediata de saciedade. O Konjac reduz facilmente a quantidade de alimentos absorvidos. A viscosidade do Konjac reduz a absorção intestinal dos glícidos e lípidos. Para além disso, favorece o trânsito intestinal e evita a obstipação que é uma das consequências mais vulgares das dietas de emagrecimento Advertência: Dar 2 horas de intervalo entre a toma de Konjac e a de qualquer outro medicamento por via oral.

Dica útil: para potenciar a eficácia

do Konjac tome-o sempre com doses pequenas de alimentos (uma peça de fruta, uma fatia de pão, uma bolacha, etc.).

Combinações APETITE FORTE: Konjac EXCESSO DE PESO COM MUITO APETITE: Konjac + Laranja Amarga + Orthosiphon

Laranja Amarga excesso de peso, obesidade

Descrição

Vulgarmente chamada Laranja Amarga, a Citrus aurantium é uma árvore natural da África Oriental pertencente à família Rutaceae. Há muitos séculos que é utilizada com finalidades práticas, em muitas partes do mundo. Em Espanha, é conhecida como Laranja de Sevilha. Na China, chamam-lhe zhi qiao. Em França e no resto da Europa, é mais conhecida como Laranja Amarga ou laranjeira azeda.

37

O queima-gorduras intensivo Até há pouco tempo, só se utilizavam as folhas e as flores da Laranja Amarga em problemas de nervos, devido aos seus efeitos sedativos. Só recentemente se descobriram as propriedades adelgaçantes da casca deste fruto. Estas propriedades vêm da sinefrina que é a substância presente no pericarpo do fruto (a camada inferior da casca). A sinefrina atua especificamente nos recetores localizados à superfície dos adipócitos (células do tecido adiposo). Ela tem uma tripla ação, uma vez que favorece a combustão (queima) e eliminação das gorduras acumuladas, aumentando simultaneamente a termogénese (queima de calorias) — um processo natural responsável pelo efeito adelgaçante. A Laranja Amarga oferece uma resposta intensiva adaptada às pessoas com excesso de peso.

Combinações ganho de peso recente: Laranja Amarga + Orthosiphon EXCESSO DE PESO: Laranja Amarga + Garcinia Cambogia + Orthosiphon


Principal fosfolípido da bílis, a Lecitina mantém a solubilidade do colesterol e impede a formação de cristais, o que a torna indicada para pacientes com cálculos biliares. A Lecitina de Soja é também conhecida como um excelente estimulante cerebral, especialmente ao nível da memorização, graças à sua riqueza em fosfolípidos. É recomendada para adultos com problemas temporários de memória e para jovens a estudar para os exames. Embora se encontre em vários produtos

Glycine max alimentares, a Lecitina de Soja é uma molécula Parte utilizada: sementes frágil com pouca resistência ao processamento

Lecitina de Soja EXCESSO DE COLESTEROL, prevenção da arteriosclerose, CANSAÇO CEREBRAL

38

Descrição

Natural da China, a soja chegou à Europa no início do século XVIII. Rica em lípidos, proteínas e lecitina, esta planta é um dos melhores suplementos nutricionais existentes e uma fonte alimentar nutricionalmente completa em si mesma. A prensagem das sementes resulta num líquido espesso e dourado, uma mistura de óleo e lecitina, que são separados por decantação.

O anti-colesterol O principal constituinte da Lecitina de Soja é a fosfatidilcolina. Naturalmente produzida pelo fígado contribui para a restruturação das membranas celulares, aumentando-lhes a permeabilidade e conservando a sua plasticidade. É um constituinte essencial do sistema nervoso e do cérebro. A Lecitina de Soja tem a capacidade de se fixar de forma seletiva ao colesterol acumulado na corrente sanguínea e especialmente na sua fração nociva (LDL), favorecendo a sua eliminação e preservando a flexibilidade das paredes vasculares. Deste modo, é particularmente indicada para prevenir a formação da placa de ateroma (depósitos ricos em colesterol) sobre a parede interna das artérias que dão origem à arteriosclerose.

industrial dos alimentos. O seu consumo em cápsulas, garante uma melhor conservação dos seus principais ingredientes ativos e total eficácia.

Combinações arteriosclerose: Lecitina de Soja + Óleo de Salmão excesso de colesterol, triglicéridos: Lecitina de Soja + Óleo de Salmão perda de memória: Lecitina de Soja + Bacopa + Ginkgo (a partir dos 40 anos)


Sacharomyces cerevisiae

Levedura de Cerveja restaurador da flora intestinal, pele seca e sem vida, unhas quebradiças e cabelo danificado, imunoEstimulante, diarreia

Descrição

A Levedura de Cerveja é constítuida por células redondas ou ovais, isoladas ou encadeadas. São fungos microscópicos que se desenvolvem em determinados frutos ou no mosto da cerveja.

Beleza da pele em profundidade

A reconstituição da flora intestinal

O efeito é particularmente pronunciado na pele seca e fatigada, nas unhas quebradiças e no cabelo sem vida ou com as pontas espigadas. Graças às suas propriedades antibacterianas (anti-estafilococos), a Levedura de Cerveja está também recomendada como adjuvante no tratamento da pele com tendência acneica.

A Saccharomyces tem sido alvo de muitos estudos clínicos, comprovando a eficácia desta levedura na redução da frequência da diarreia e na prevenção da diarreia induzida por antibióticos. A Levedura de Cerveja facilita a repovoação da flora intestinal, facilitando o crescimento das bactérias benéficas tais como as saprófitas e inibindo o crescimento das colónias nocivas. Vários estudos científicos demonstram que a utilização regular da Levedura de Cerveja, ao longo de vários meses, reduz notoriamente a ocorrência da colite e da colopatia funcional ou síndrome do colón irritável (dilatação abdominal, dor de estômago crónica, problemas crónicos dos movimentos intestinais, etc.), problemas que perfazem um terço do total das consultas de gastroenterologia. De acordo com os diversos estudos clínicos feitos, a dose ótima de Saccharomyces é de pelo menos 250mg a 500mg por dia que desaparece completamente do organismo, três dias após a conclusão do tratamento, não se tendo observado quaisquer riscos de sobredosagem. A eficácia da Levedura de Cerveja como restaurador da flora intestinal é reforçada por suplementos de inulina da chicória. A inulina da chicória é o único probiótico natural que não provoca dilatação abdominal, comparando com as outras fontes naturais de inulina.

39

Graças à sua composição, a Levedura de Cerveja aumenta a resistência à fadiga e alivia o stresse. É ainda o suplemento ideal na prevenção da queda de cabelo das recém-mamãs. É altamente recomendada para quem sofre de anemia e para as pessoas com tolerância reduzida à atividade física. Ao tomar Levedura de Cerveja liberta um exército de células vivas no organismo que atacam as toxinas na corrente sanguínea, mas aumentam também a eficácia do sistema imunitário, especialmente em resposta às vulgares infeções invernais. A Levedura de Cerveja «revivificável» é a mais ativa, porque garante a percentagem mais elevada de levedura viva (mil milhões por grama).

Combinações diarreia moderada: Levedura de Cerveja + Carvão Vegetal colite, colopatia: Levedura de Cerveja saúde da pele: Levedura de Cerveja + Cenoura pele seca e sem vida: Levedura de Cerveja + Óleo de Gérmen de Trigo unhas baças e quebradiças: Levedura de Cerveja + Luzerna cabelo danificado e sem vida: Levedura de Cerveja + Luzerna queda de cabelo: Levedura de Cerveja + Luzerna calvície masculina: Óleo de Pevides de Abóbora + Levedura de Cerveja + Luzerna


Medicago sativa Parte utilizada: suco das folhas

Luzerna 40

unhas frágeis e cabelo quebradiço, astenia, anemia, osteoporose

História

Esta planta perene é originária da Ásia e do Norte de África. É amplamente utilizada na Europa Central. Os Árabes chamavam-lhe «al-fac-facah» que significa «pai de todos os alimentos» e davam-na aos cavalos para os fortalecer. As raízes (capazes de absorver nutrientes pouco acessíveis à maioria das plantas) fazem da Luzerna uma das fontes mais ricas em minerais que se conhece.

Mineralização essencial

Lepidium meyenii Parte utilizada: raiz

Maca líbido diminuída, QUEBRA NO desempenho físico e intelectual

História

A Maca é uma planta que cresce nas cordilheiras dos Andes, a altitudes entre 3500m a 4500m. Os povos indígenas Pumpush e Yaros utilizavam a sua raíz para estimular o organismo e combater a fome. Depois de colonizarem estes povos, os Incas continuaram a cultivar Maca. O imperador inca dava-a aos soldados, antes das expedições e das batalhas, para lhes aumentar a força e a coragem.

Tónico natural sem cafeína ou ginsenósidos

Tradicionalmente, utiliza-se o suco das folhas que é rico em proteínas (40-50%), aminoácidos (participantes na síntese das proteínas) e minerais, como cálcio e oligoelementos (silício, ferro, fósforo, cobre, zinco, selénio). A Luzerna é um excelente estimulante geral, devido aos seus efeitos benéficos de remineralização que ajudam a melhorar problemas como unhas frágeis, cabelo quebradiço, sem brilho e com as pontas espigadas e, mais genericamente, estados de fadiga.

A medicina peruana utilizava as virtudes medicinais do seu tubérculo para tratar problemas sexuais e reprodutivos, estimular o sistema imunitário, tratar a anemia, os problemas menstruais ou atenuar os sintomas da menopausa.

Combinações

Sem cafeína, e sem ginsenósidos (os ativos naturais do Ginseng), a Maca é a planta tónica ideal para as pessoas que não toleram o café, o guaraná, ginseng ou o chá verde.

anemia, astenia: Luzerna + Acerola cabelo quebradiço e sem brilho: Luzerna + Levedura de Cerveja queda de cabelo: Luzerna + Levedura de Cerveja alopécia masculina: Óleo de Pevides de Abóbora + Levedura de Cerveja + Luzerna distúrbios NA MENOPAUSA: Luzerna + Isoflavonas de Soja

Vários estudos científicos comprovam os efeitos benéficos desta planta no aumento da resistência e força física, bem como na melhoria da líbido e da fertilidade feminina e masculina.

Combinações afrodisíaco: Maca + Ginseng fadiga: Maca + Geleia Real


Tanacetum parthenium Parte utilizada: sumidade florida

Cucurbita pepo Parte utilizada: óleo das sementes

Óleo de Pevides Matricária de Abóbora

ENXAQUECA, DOR DE CABEÇA “LATEJANTE”

História

Vulgarmente encontrada nos Balcãs, a Matricária foi trazida para a Europa, chegando primeiro à Grã-Bretanha e, depois, a França.

Prevenção da enxaqueca As sumidades floridas da Matricária são ricas em partenólidos que, conferem à planta, propriedades antienxaqueca. Hoje já se conhece o mecanismo de ação que desencadeia o aparecimento da enxaqueca. Após um fator catalítico (stresse, emoções fortes, consumo de determinados alimentos, ciclo menstrual, etc.), há uma libertação massiva de serotonina que induz as contrações e dilatações alternantes das artérias cerebrais, o que causa a dor da enxaqueca. Ao travar a produção da serotonina, os partenólidos previnem eficazmente os episódios de enxaqueca. Um tratamento de 3 meses ajuda a reduzir e aliviar significativamente a frequência e a intensidade das enxaquecas. Deste modo, a Matricária é uma solução natural eficaz para as pessoas que sofrem de enxaqueca, indicada para a sua prevenção e o seu alívio nos primeiros sintomas.

Combinações cefaleias, enxaquecas: Matricária + Rainha dos Prados

adenoma prostático, PREVENÇÃO OU TRATAMENTO DE HIPERTROFIA BENIGNA DA PRÓSTATA

41

História

A Abóbora foi um dos primeiros legumes trazidos das Américas. Há muito que as suas pevides são utilizadas na medicina popular pelas suas propriedades vermífugas (desinfetantes). Foram recentemente descobertas, as propriedades descongestionantes do óleo extraído das pevides da abóbora, que são preciosas para o tratamento de casos de adenoma da próstata.

Para o conforto urinário e problemas de próstata O Óleo de Pevides de Abóbora é muito rico (quase 50%) em ácido linoleico, um ácido gordo essencial que o organismo não consegue sintetizar. Para além disso, contém cucurbitina (vermífugo), oligoelementos (zinco, etc.), vitaminas (B, C, E, etc.) e fitosteróis. Estas moléculas inibem a inflamação e o crescimento do tecido prostático (hipertrofia prostática benigna), fonte de problemas na micção, no jacto urinário e na urgência em urinar.

Combinações distúrbios da próstata: Óleo de Pevides de Abóbora PROSTATITE: Óleo de Pevides de Abóbora + Urze


Oenothera biennis Parte utilizada: óleo extraído das sementes

Parte utilizada: óleo da carne do salmão

Óleo Óleo de Salmão de colesterol E de Onagra excesso TRIGLICÉRIDOS, prevenção de

SÍNDROMe PRÉ-MENSTRUAL doenças cardiovasculares (irritabilidade, tensão mamária, retenção de água) História

Descrição

Natural da América do Norte, a Onagra é uma planta robusta e encantadora, com enormes flores amarelas que abrem ao fim da tarde. Prospera em solos rochosos e arenosos e cresce na berma das estradas ou nos campos incultos.

42

Bem-estar da mulher Extraem-se ínfimas quantidades deste óleo precioso das sementes através de primeira prensagem a frio. O óleo é muito rico em ácidos gordos essenciais (AGE) e é uma fonte natural de aproximadamente 9% de ácido linoleico e ácido gama-linolénico (ómega-6) a que deve a sua grande eficácia terapêutica. O ácido gama-linolénico é um precursor direto das prostaglandinas E1 e contraria os efeitos da proteína prolactina: em níveis elevados, esta proteína pode provocar problemas relacionados com o síndrome pré-menstrual, entre os quais, tensão mamária, dilatação abdominal devido a retenção de água, enxaquecas e outros distúrbios do humor (ansiedade, nervosismo, irritabilidade, insónia e depressão). O ácido linoleico ajuda a manter a elasticidade e a hidratação da pele (fluidez membranar). Para além disso, reforça ainda a ação do ácido gama-linolénico, atuando positivamente sobre os distúrbios do humor. Não restam dúvidas quanto à utilidade do Óleo de Onagra no tratamento da síndrome pré-menstrual e é de grande interesse para todas as mulheres que sofrem regularmente desse problema.

Combinações MENSTRUAÇÕES abundantes: Óleo de Onagra + Cipreste MENSTRUAÇÕES irregulares ou escassAs: Óleo de Onagra + Salva pele seca: Óleo de Onagra + Óleo de Borragem

O interesse no Óleo de Salmão surgiu da observação da saúde dos esquimós: apesar do elevado consumo de substâncias gordas, apresentavam taxas de mortalidade por doença cardiovascular e níveis de colesterol particularmente reduzidos.

As virtudes vindas do frio Os estudos feitos no seguimento dessa observação demonstraram uma ligação entre esse facto e o consumo regular de peixes ricos em ácidos gordos essenciais polinsaturados da série ómega-3, especialmente em EPA (ácido eicosapentanóico) e DHA (ácido docosahexanóico). São chamados «essenciais», porque o organismo não os sintetiza e têm obrigatoriamente que ser fornecidos pela alimentação. Estes ácidos gordos melhoram a fluidez membranar das células, reduzem os níveis dos triglicéridos e «aligeiram» o sangue. São ainda reconhecidas as suas propriedades antiinflamatórias. Nas culturas ocidentais, a maioria das pessoas não consome quantidade suficiente de ácidos gordos essenciais (AGE). Pelo contrário, os ocidentais consomem demasiadas gorduras saturadas e açúcares simples que aumentam o risco de doenças cardiovasculares. Quando ingeridos, os ácidos gordos polinsaturados permitem reequilibrar o teor de lípidos no sangue (diminuem o colesterol e os triglicéridos entre 20% a 50%) e protegem as artérias. Assim sendo, regularmente consumido, o Óleo de Salmão pode prevenir a arteriosclerose e as doenças cardiovasculares.

Combinações colesterol, triglicéridos (em excesso): Óleo de Salmão colesterol e hipertensão: Óleo de Salmão + Oliveira ATEROSCLEROSE / ARTERIOSCLEROSE: Óleo de Salmão + Lecitina de Soja (ou Alho)


Borago officinalis Parte utilizada: óleo extraído das sementes pela primeira pressão a frio

Óleo de Borragem pele seca e envelhecida, rugas, estrias

História

A Borragem é proveniente da Síria e a etimologia do nome é controversa. Em árabe, a designação «abu rach» significa «pai do suor», uma alusão às suas propriedades diaforéticas. Em latim, «burra» significa «grosseiro», áspero ao toque como os pêlos do caule. Por fim, «borago» pode ser uma deformação da expressão latina «cor ago» que significa, «eu estimulo o coração». Acreditava-se que, sendo benéfica para o coração, afastava a melancolia. O que se valoriza agora é sobretudo o óleo extraído das sementes, devido às suas propriedades dermatológicas.

Descrição

Esta planta com belas flores azuis em forma de estrela provém da região mediterrânica e é vulgar na Europa.

A juventude da pele Através da prensagem a frio das suas sementes, extrai-se uma pequena quantidade de óleo, muito interessante devido à sua riqueza em ácidos gordos essenciais (AGE), tais como os raríssimos ácidos gama-linolénico e o linoleico. Estes AGE são precursores dos fosfolípidos que compõem as membranas celulares. Tomado por via oral, o óleo hidrata a pele e combate eficazmente a desidratação responsável pelo seu envelhecimento precoce.

O Óleo de Borragem é tradicionalmente utilizado para prevenir as rugas e devolver elasticidade e tónus à pele. Também pode ser muito eficaz no combate às estrias. A sua riqueza em ácido gama-linolénico (um ácido gordo essencial ómega-6) permite que o Óleo de Borragem module a resposta imunitária da pele aos agressores e a doenças cutâneas, como a psoríase. Para se aproveitar plenamente os benefícios do Óleo de Borragem, recomenda-se o seu uso regular.

Combinações pele seca: Óleo de Borragem + Levedura de Cerveja rugas, ENVELHECIMENTO DA PELE: Óleo de Borragem + Óleo de Germe de Trigo preparação do bronzeado: Óleo de Borragem + Cenoura unhas FRACAS e quebradiças: Óleo de Borragem + Luzerna ECZEMA: Óleo de Borragem (pode ser aplicado diretamente no eczema)

43


Olea europæa Orthosiphon stamineus Parte utilizada: folhas Parte utilizada: folhas

Oliveira Orthosiphon hipertensão arterial, DRENANTE, diurético, doenças cardiovasculares, diabetes NÃO INSULINO- História DEPENDENTES Há séculos que é utilizado na Índia e na Indonésia

Descrição

A Oliveira prospera em terrenos secos e rochosos. Cresce nos primeiros 30 anos de vida e pode chegar aos 100 anos. Algumas espécies chegam a ter mais de 2.000 anos. Símbolo da paz, a Oliveira foi elevada a árvore sagrada desde a Antiguidade.

A saúde da tensão arterial

44

A ação hipotensiva das folhas de Oliveira tem sido desde há muito atribuída a uma substância única, o oleuropeósido (um iridóide) responsável pelos seus efeitos hipotensor, vasodilatador, anti-arrítmico e antiespasmódico. Mas outras substâncias como o ácido oleico podem justificar em parte a ação hipotensiva das folhas de Oliveira. A Oliveira pode não só prevenir a arteriosclerose e as doenças coronárias, mas também tratar os distúrbios associados à hipertensão arterial: cefaleias, vertigens e zumbidos nos ouvidos. A Oliveira tem ainda um efeito hipoglicémico e hipocolesterolémico (reduz os níveis do colesterol LDL e aumenta os níveis do colesterol HDL). Dessa forma, pode ser utilizada como suplemento para o tratamento das diabetes em pessoas não dependentes de insulina (diabetes tipo 2). De entre os outros efeitos da Oliveira, destacam-se as propriedades antioxidantes, antibacterianas e antifúngicas, bem como as propriedades antiinflamatórias. Por fim, a Oliveira é tradicionalmente utilizada para melhorar a diurese, ou a excreção renal da água.

Combinações colesterol e hipertensão: Oliveira + Óleo de Salmão

no tratamento dos problemas renais. Nos finais do século passado, os ocidentais começaram a reparar nesta planta exótica medicinal e descobriram o seu espantoso poder drenante e de desintoxicação do organismo.

Descrição

Natural da Ásia tropical (Malásia), o Orthosiphon é também conhecido por Chá de Java. As suas flores azul-violeta têm longos estames que fazem lembrar os bigodes dos gatos.

Drenante adelgaçante As folhas do Orthosiphon, apanhadas durante a breve época de florescimento são a parte utilizada. São ricas em flvonóides, polifenóis, óleos essenciais e também potássio. As suas potentes propriedades diuréticas advêm destes ativos que aumentam a excreção renal da água, eliminando os cloretos, a ureia ou o ácido úrico. Desse modo, o Orthosiphon é indicado para o tratamento de problemas metabólicos urológicos e relacionados com o ácido úrico. Poderoso drenante e depurativo, combate eficazmente os cálculos renais e previne recaídas de nefrite. O Orthosiphon também é conhecido pelas suas propriedades hipoglicemiantes, antioxidantes e anti-inflamatórias. Na Indonésia, é utilizado no tratamento da hipertensão. Num programa de emagrecimento equilibrado, complementa a dieta, facilitando as funções de eliminação do organismo e auxiliando na perda de peso. O Orthosiphon pode ser consumido por longos períodos de tempo sem produzir quaisquer efeitos secundários.

Combinações

diabetes moderada: Oliveira

excesso de peso com apetite normal: Orthosiphon + Chá Verde

hipertensão moderada: Oliveira + Alho

ganho de peso recente: Orthosiphon + Laranja Amarga


Passiflora incarnata Parte utilizada: parte aérea Carica papaya Parte utilizada: folhas

Papaia

Passiflora

insónia, NERVOSISMO, stresse, CELULITE INSTALADA, CELULITE desmame de ansiolíticos COM EDEMA ASSOCIADO

História

História

A Papaia é fruto de uma árvore de tamanho médio, denominada papaeira, que é originária do México. Geralmente consumimos os frutos, mas as folhas são também utilizadas para embrulhar a carne para que fique tenra. Esta propriedade é conseguida graças a uma enzima contida na planta: a papaína. É esta actividade enzimática que é utilizada nos programas de emagrecimento com a Papaia.

A Passiflora é uma atraente liana originária do México, onde os Aztecas a utilizavam pelas suas propriedades sedativas. Foram os jesuítas espanhóis que a trouxeram para França, dando-lhe o nome «flor da paixão».

Para noites mais tranquilas

A parte aérea da Passiflora é rica em flavonóides e alcalóides que atuam favoravelmente sobre os distúrbios do sono. Esta planta ajuda a eliminar a ansiedade, o nervosismo, a angústia e a tensão acumuladas, queixas comuns da vida stressante atual, ajudando a induzir suavemente o sono. Qualquer que seja a sua morfologia ou o seu A Passiflora devolve progressivamente o sono peso, a maioria das mulheres tem celulite. reparador e de qualidade às pessoas que acordam Mais ou menos visível, a celulite caracteriza-se a meio da noite e que não conseguem adormecer. pelo facto das células gordas ficarem rodeadas Para além disso, é um tratamento eficaz para por uma rede de fibras de colagénio, que vão os espasmos nervosos. Uma vez que não cria impedir que a libertação da água e das toxinas habituação ou dependência, a Passiflora é uma se faça correctamente. Com isto forma-se a planta excelente para o desmame dos hipnóticos vulgar pele “casca de laranja”. A Papaia, e mais mais “clássicos” que apresentam efeitos concretamente a papaína, vai actuar ao nível secundários adversos a longo prazo. destas fibras fraccionando as proteínas e com isto O desmame é conseguido pela redução aliviar a tensão existente. Deste modo a água, a gradual das doses do fármaco hipnótico e a sua gordura e as toxinas acumuladas são libertadas. substituição progressiva pela Passiflora, que Paralelamente há uma redução da inflamação pode ser associada ao Crataegus para maximar a associada, assim como uma reabsorção do eficácia. edema na celulite.

Combate à celulite

Combinações

Combinações

CELULITE INSTALADA: Papaia + Chá Verde + Rainha dos Prados

ACORDARES FREQUENTES: Passiflora

EXCESSO DE PESO COM CELULITE: Papaia + Laranja Amarga + Rainha dos Prados

desmame dos hipnóticos benzodiazepinas: Passiflora + Crataegus

acordar MATINAL: Passiflora + Hipericão

45


Plantago ovata Parte utilizada: tegumento da semente

Psílio regulador DO TRÂNSITO INTESTINAL, OBSTIPAÇÃO CRÓNICA, INIBIDOR do apetite

Própolis tratamento e prevenção de problemas respiratórios, IMUNOESTIMULANTE, HERPES

Descrição

46

Esta substância resinosa é utilizada como antisséptico há 2300 anos. As abelhas são a sua fonte: quando ainda não há néctar, nem pólen, recolhem a resina da casca das árvores e usam-na para forrar as paredes interiores da colmeia. Tapam buracos, mas, mais importante ainda, utilizam-na para proteger o seu «lar» dos germes (bactérias, fungos, etc.) e intrusos perigosos.

Antisséptico respiratório

Descrição

O Psílio é uma planta herbácea oriental, oriunda da Índia e do Paquistão, com 20 a 40cm de altura, um caule verde-claro e grandes folhas compridas e estreitas. Tem hastes ovais com pequenas flores brancas e o seu fruto envolve sementes castanhas, brilhantes e ovais parecidas com pulgas. Não precisa de muito sol e tolera o calor, o frio e os períodos de seca.

Efeito fibra A parte utilizada é a cobertura da semente (o tegumento) que é rico em mucilagem que, quando em contato com a água, forma no estômago um gel não assimilável pelo organismo. Capaz de absorver mais de 60 vezes o seu volume em água, o Psílio aumenta substancialmente o bolo fecal, estimulando de forma natural o peristaltismo intestinal (movimentos intestinais).

Existente em pequenas quantidades no mel, a Própolis é onerosa e difícil de recolher. As suas propriedades sobretudo as derivadas dos flavonóides que contém, já foram alvo de inúmeras publicações. Os flavonóides ajudam o nosso organismo a combater diversas infeções (bacterianas, fúngicas e virais).

Não irritante, o Psílio facilita a passagem da matéria sólida nos intestinos e protege a mucosa digestiva, em caso de colite. Este “efeito fibra” é particularmente apreciado na obstipação crónica.

Não-tóxica, a Própolis é um potente antibiótico natural a que os germes não desenvolvem resistência e sem os efeitos secundários adversos dos habituais fármacos de 1ª linha. Todas estas propriedades antissépticas são utilizadas para combater de forma eficaz as infeções do sistema respiratório (gripes, constipações, bronquite, faringite, anginas e rinite) e, mais genericamente, para estimular as defesas do corpo.

O seu efeito é intensificado pelo facto de reduzir a absorção dos alimentos a nível intestinal e, principalmente dos lípidos e dos glícidos. Deste modo, reduz-se o aporte calórico das refeições, bem como os picos de glicémia responsáveis pelo armazenamento das calorias.

Combinações IMUNOESTIMULANTE: Própolis + Equinácea herpes (prevenção da recaída): Própolis + Equinácea afonia (perda da voz): Própolis + Eucalipto infeções do sistema respiratório: Própolis + Eucalipto resfriado, rinite: Própolis dores de garganta (inflamação): Própolis

Dotado de uma grande viscosidade, este gel é também um inibidor natural do apetite.

A combinação destas 2 ações - laxante e inibidor do apetite - tornam o Psílio um aliado na perda de peso. Existe também evidência na redução dos lípidos e colesterol. O Psílio deve ser tomado com bastante água na hora a seguir à toma.

Combinações obstipação crónica (retoma dos movimentos intestinais normais): Psílio excesso de peso com obstipação: Psílio + Chá Verde + Orthosiphon


Filipendula ulmaria Parte utilizada: sumidade florida

Rainha dos Prados CELULITE, EDEMAS,REUMATISMOS, DORES ARTICULARES, ARTROSE

História

Planta sobranceira e requintada, abundante nos prados pantanosos e nas margens dos rios, a Rainha dos Prados já era bem conhecida pelos botânicos medievais. No entanto, foi durante o Renascimento que as suas propriedades terapêuticas foram descobertas

O depurativo anti-inflamatório

Rhodiola rosea Parte utilizada: rizoma

Rodiola relaxante, stresse INTENSO E PONTUAL, tensão nervosa, ansiedade, perda de tónus

História

Mais vulgarmente conhecida como «raiz dourada», a Rodiola abunda nos vastos campos abertos do norte da Europa e nas regiões montanhosas da Europa e da Ásia. É uma planta perene com um enorme rizoma aromático.

A importância da Rainha dos Prados na Fitoterapia está relacionada com a presença, nas suas sumidades floridas, de flavonóides e sobretudo de derivados salicilados, precursores do medicamento mais difundido no mundo, a aspirina. Estes componentes conferem à Rainha dos Prados uma acção anti-inflamatória e analgésica utilizada no tratamento de manifestações articulares dolorosas (dores articulares, reumatismos, artrose). Estes efeitos fazem-se sentir se forma suave e progressiva e são geralmente bem tolerados. Um estudo desenvolvido no final dos anos 80 versus placebo demonstrou que a Rainha dos Prados, em associação com a Groselheira, permite um tratamento de fundo eficaz na doença articular crónica.

Calma emocional

A Rainha dos Prados permite igualmente dilatar os vasos, tonificar o coração e acelerar a diurese. Estas importantes propriedades justificam a sua utilização nas curas de emagrecimento, especialmente quando há celulite associada, uma vez que facilita a eliminação renal de água, a reabsorção dos edemas dolorosos e permite combater a pele “casca de laranja” ou celulite e o excesso de peso.

É a planta ideal para tomar na preparação para os exames.

Combinações

Eficaz no relaxamento e na libertação da pressão, esta planta não é aconselhável à noite.

CELULITE: Ananás + Rainha dos Prados EXCESSO DE PESO COM CELULITE: Ananás (ou Papaia) + Laranja Amarga + Rainha dos Prados

47

A Rodiola tem propriedades adaptógenas, o que significa que permite que o organismo se adapte mais facilmente às situações de grande stresse emocional. Os resultados dos estudos feitos demonstram que a toma da Rodiola ajuda as pessoas a ter um melhor desempenho cognitivo, apesar do stresse e da fadiga. Um outro estudo conduzido em estudantes demonstra uma clara melhoria em termos de bemestar, boa forma física e coordenação, bem como um decréscimo da fadiga.

A Rodiola ajuda-o a recuperar a sua calma interior e a eliminar o stresse exterior: é a planta à qual se recorre nos períodos de maior stresse e ansiedade (como por exº: entrevistas de emprego, reuniões importantes, viagens de avião...).

Combinações

DORES DE CABEÇA, CEFALEIAS: Rainha dos Prados

NERVOSISMO e stresse nos adultos: Rodiola + Crataegus

ENXAQUECA: Matricária + Rainha dos Prados

ansiedade: Rodiola + Passiflora


Salvia lavandulifolia Parte utilizada: folhas

Salva digestão difícil, problemas associados à menopausa, MENSTRUAÇÕES irregulares, TRANSPIRAÇÃO excessiva

História

48

A Salva (do latim, Salvare, «Salvar») era uma planta sagrada na Grécia e na Roma antigas, onde a utilizavam como medicamento básico. A sua colheita cumpria um ritual sagrado com o intuito de lhe conservar todas as propriedades. Mais tarde, na Idade Média, a Salva era considerada a cura para tudo: ainda tem essa reputação nas zonas rurais, tal como ilustra um velho adágio provençal: «não precisa de médico quem tem Salva no jardim.»

Cassia angustifolia Parte utilizada: folíolos

Sene tratamento da obstipação PONTUAL nos adultos

A planta das más digestões Descrição A Salva é rica em flavonóides e tem uma ação colerética (aumenta a secreção da bílis), é antiespasmódica e relaxante sobre os músculos do estômago e dos intestinos. Estas propriedades conferem-lhe elevada eficácia no tratamento de problemas digestivos (dilatação abdominal e fermentação intestinal, espasmos gástricos e intestinais, eructação, digestão lenta e difícil). Graças à sua riqueza em fitoestrogénios, é uma planta ideal para as mulheres, pois alivia os problemas femininos, em todas as fases da vida. Em caso de menstruações irregulares, escassas ou dolorosas, ela regula a menstruação. Permite ainda atenuar visivelmente o desconforto associado à menopausa, em particular, os afrontamentos. A Comissão Europeia e o ESCOP reconheceram a toma oral da Salva no tratamento da transpiração excessiva. Nos anos 30 do século XX, foram conduzidos vários estudos que comprovam as propriedades antisudoríparas da Salva.

Combinações afrontamentos: Salva + Isoflavonas de Soja problemas associados à menopausa: Salva + Luzerna MENSTRUAÇÕES irregulares ou escassAs: Salva + Óleo de Onagra

O Sene, ou Sene-de-Tinnevelly, é cultivado na Índia, e utilizado devido às suas pequenas folhas lanceoladas, ricas em glicósidos de Sene.

O laxante estimulante Os folíolos do Sene têm propriedades laxantes e, até, purgativas, consoante a quantidade utilizada. Em cápsulas de pó integral de toma oral, as folhas desta planta produzem efeito no prazo de cerca de dez horas:a motricidade do cólon é acelerada — o volume de fezes aumenta, devido à inibição parcial da absorção da água no cólon que as deixa mais hidratadas. O Sene é um tratamento pontual eficaz nas obstipações ocasionais. Por esta razão, não é aconselhável a crianças com menos de 12 anos, ou numa utilização superior a dez dias nos adultos.

Dica útil: Após um tratamento da

obstipação pontual com Sene, é recomendado que siga uma dieta alimentar rica em fibras e tomar um suplemento de Psílio para reeducar o intestino.


Triticum sativum Parte utilizada: óleo extraído das sementes

Trigo

(Óleo de Germe de Trigo) colesterol elevado, prevenção da arteriosclerose e das doenças cardiovasculares

Descrição

Cultivado há mais de oito mil anos, na Mesopotâmia, o Trigo é um cereal incrivelmente antigo. Para além de ser uma das bases essenciais do nosso regime alimentar, tem um enorme potencial para a nossa saúde. A sua carência nos regimes modernos gera muitos distúrbios orgânicos.

A escolha do bom colesterol

Lamium album Parte utilizada: sumidade florida

O Germe de Trigo é a parte «viva» da semente que contém todas as componentes necessárias para o crescimento da futura planta. O óleo extraído do gérmen de trigo estimula a síntese das prostaglandinas, devido ao seu elevado teor (70%) de ácidos gordos essenciais ou AGE’s (linoleico, oleico e linolénico) e de fitosteróis (betasitoesteróis) neles contidos. Estes ácidos gordos são precursores das prostaglandinas as quais têm um efeito benéfico sobre a arteriosclerose, impedindo a formação de depósitos de colesterol e gordura saturada nas paredes das artérias. Essa ação é reforçada pela presença de vitamina E, um antioxidante natural que protege os AGE’s da oxidação e combate a formação de toxinas no organismo. Esta vitamina também protege as paredes das artérias e reduz o colesterol no sangue.

Urtiga Branca

A presença simultânea de AGE’s e vitamina E é indiscutivelmente eficaz tanto na prevenção da arteriosclerose e do risco de doenças cardiovasculares, como no tratamento do excesso de colesterol.

Excelente purgante que elimina o ácido úrico dos rins e do sistema digestivo, a Urtiga Branca é um medicamento modificador da doença com uma ação eficaz sobre a gota.

Combinações pele seca e baça: Óleo de Germe de Trigo + Levedura de Cerveja PREVENÇÃO DA ARTERIOSCLEROSE: Óleo de Germe de Trigo rugas, pele envelhecida: Óleo de Germe de Trigo + Óleo de Borragem

gota, EXCESSO DE ÁCIDO ÚRICO, problemas ginecológicos

Descrição

A Urtiga Branca cresce nas pradarias, em sebes e à beira dos trilhos. As folhas parecem-se com as da Urtiga vulgar, mas não têm cerda ou seja não provocam urticária. A grande e bonita corola de pétalas brancas da Urtiga Branca contém taninos, mucilagem e flavonóides.

Redução do ácido úrico

Uma vez que os taninos tornam as membranas mucosas mais firmes, a Urtiga Branca é muito útil em situações de corrimento vaginal e nas hemorrogias entre menstruações ou após a menopausa.

Combinações gota, ácido úrico em excesso: Urtiga Branca

49


Erica cinerea Parte utilizada: flor

Urze

Arctostaphylos uva-ursi Parte utilizada: folhas

Uva Ursina

CISTITES, inflamação da próstata e do sistema urinário cistite, infeções URINÁRIAS agudas e crónicas

50

Descrição

A Urze é um pequeno arbusto denso com folhas finas, tipo agulhas, que cresce nas escarpas à beira mar, nas charnecas e nos bosques. Esses locais tornam-se maravilhosamente coloridos no final do Verão, com as tonalidades púrpuras destas flores.

Anti-inflamatório do trato urinário Colhidas no início do seu desenvolvimento, estas flores têm especial interesse para a Fitoterapia por combaterem várias infeções renais. Os flavonóides e os taninos têm ações antiinflamatórias que visam especificamente as paredes da bexiga e que contribuem para o alívio da dor aguda associada à cistite. Essa ação é exercida também na próstata e complementa os efeitos do Óleo de Pevides de Abóbora no tratamento do aumento de volume da próstata. A Urze é também um diurético — propriedade particularmente interessante na eliminação das toxinas nas infeções do sistema urinário. No caso de cistite, é geralmente combinada com a Uva Ursina, um poderoso antiséptico que ajuda a otimizar os benefícios e prevenir as recaídas.

Combinações cistite (crise): Urze + Uva Ursina PROSTATITE: Urze

Descrição

Este pequeno arbusto trepadeira, com caules compridos, forma pequenas moitas que encontramos nas florestas e nos terrenos rochosos das regiões montanhosas do hemisfério norte. O nome latino significa «uva do urso» e refere-se ao fruto feculento que faz crescer água na boca aos ursos. Mas o grande valor terapêutico desta planta encontra-se nas suas pequenas e brilhantes folhas persistentes.

Anti-séptico urinário As folhas são ricas em arbutósido que é metabolizado e excretado na urina. Esta substância tem propriedades antibacterianas que combatem a Escherichia coli — o agente patogénico responsável pela maioria das infeções do sistema urinário (cistite). A Uva Ursina é igualmente uma importante fonte de taninos cujas propriedades anti-inflamatórias e diuréticas fazem aumentar o volume da urina e a excreção renal da ureia. Os efeitos da Uva Ursina são acrescidos quando combinados com Urze, um outro desinfetante urinário, que permite tratar eficazmente infeções da bexiga e prevenir recaídas (quando incluido num programa de fundo de 2 meses).

Combinações cistite (crise): Urze + Uva Ursina


51


A planta das mil e uma noites

Valeriana officinalis Parte utilizada: raiz

Valeriana insónia, ansiedade, deixar de fumar

História

Já Hipócrates recomendava Valeriana para o tratamento da insónia. Posteriormente, os Romanos utilizavam-na para combater as palpitações cardíacas. Os ameríndios consumiam Valeriana para prevenir sintomas epiléticos e para sarar as feridas.

52

Na Europa medieval era apelidada de «curatudo». Na 2ª Guerra Mundial era utilizada para aliviar o stresse provocado pelo combate e os bombardeamentos.

Descrição

Planta alta e majestosa, com uma folhagem elegante, a Valeriana cresce nas regiões húmidas de clima temperado da Europa e dos Estados Unidos. Tem um cepo vermelho-acastanhado vertical, com raízes espessas. O caule é alto e cilíndrico. As folhas pinuladas estão marcadamente divididas em folhinhas pontiagudas, com extremidades denticuladas. Tem pequenas flores brancas de Maio a Agosto. Quando seca, a sua raiz exala um distinto odor desagradável para os seres humanos, mas que atrai os gatos e deixa-os frenéticos, daí o seu nome comum de “erva dos gatos”.

Em Fitoterapia, utiliza-se a raíz que contém inúmeros constituintes. É rica em óleo essencial, ácido valerénico e outros ingredientes ativos como os valepotriatos. A ação conjugada destes ingredientes produz efeitos sedativos e relaxantes. Reduz o nervosismo e a agitação associados ao stresse e permite melhorar o humor e a concentração. A Valeriana favorece o adormecimento e melhora a qualidade do sono, com uma eficácia comparável à dos fármacos convencionais, mas sem deixar as pessoas «dopadas» e sem o risco de dependência. Os estudos sugerem que a Valeriana contém substâncias anticonvulsivas possivelmente devidas às quais era utilizada no tratamento da epilepsia. Conjugada com uma terapia convencional, melhora a qualidade de vida diária do epilético, contribuindo para a prevenção dos episódios. Esta planta tem ainda propriedades antiespasmódicas, sendo muito útil para manifestações digestivas em situações de stresse (cólicas, dor de barriga,...).

Dica útil: A Valeriana também

é utilizada com êxito nos programas para deixar de fumar, porque alivia a ansiedade e o nervosismo provocados pelo desmame do tabaco. Dá ainda mau gosto ao cigarro.

Combinações insónia: Valeriana deixar de fumar: Valeriana fadiga com dificuldade em dormir: Valeriana + Ginseng  


Vitis vinifera Parte utilizada: folhas

Videira pernas pesadas, VARIZES, HEMORRÓIDAS, capilares cutâneos frágeis (rosácea), hematomas

53

História

A história da Videira e do vinho é tão antiga como a história da Humanidade. Segundo a Bíblia, desde a época de Noé que se cultiva a Videira. Foi no Cáucaso, na região da atual Geórgia, que se encontraram os primeiros vestígios do cultivo de Videira, de há mais de sete mil anos.

Descrição

A Videira é uma gavinha trepadeira com caules lenhosos. As folhas são verdes na Primavera, mas vão adquirindo progressivamente uma bela pigmentação vermelho-vivo que culmina no outono.

Planta da boa circulação Os efeitos benéficos das folhas de Videira advêm de várias substâncias que proporcionam uma proteção aos vasos sanguíneos. Os antocianósidos têm uma importante ação vitamínica P que combate a insuficiência venosa e a fragilidade capilar cutânea (aumentando a força dos vasos sanguíneos e reduzindo-lhes a permeabilidade). Para além disso, os taninos contribuem para a contração das células musculares dos vasos sanguíneos, ajudando assim o sangue acumulado nos membros inferiores a regressar ao coração.

Os proantocianidóis contidos nas folhas da Videira vermelha combatem os radicais livres e estabilizam o colagénio nas membranas dos vasos sanguíneos. Vários testes clínicos provam a eficácia da Videira no tratamento da insuficiência venosa crónica. Uma vez que estimula as veias, a Videira é indicada para o alívio das pernas pesadas, das varizes, da rosácea e da fragilidade capilar, podendo igualmente aliviar as hemorróidas.

Combinações insuficiência venosa, VARIZES Videira + Cipreste pernas pesadas e inchadas: Videira pernas pesadas e doridas: Videira + Cipreste hemorróidas: Videira + Castanheiro da Índia


Fitoterapia:

Exemplos A Fitoterapia proporciona soluções para as suas necessidades, porque se adapta aos problemas específicos de cada pessoa.

Simão, 40 anos «No dia seguinte ao de uma festa, acordo muitas vezes com a boca seca, o estômago pesado e, até, enjoado…»

«Tenho dificuldade em adormecer e acordo várias vezes, durante a noite.»

Plantas adaptadas:

Plantas adaptadas:

Alcachofra

Valeriana

Natália, 48 anos

54

Pedro, 35 anos

«A minha filha com 16 anos tem problemas de pele oleosa. O que poderá ela tomar para os tratar?» Plantas adaptadas:

Bardana + Levedura de Cerveja

Linda, 35 anos «Estou com dores no baixo ventre, tenho muita urgência em urinar e quando vou à casa-de-banho urino com dificuldade e sinto ardor.» Plantas adaptadas:

Uva Ursina

Carolina, 38 anos «Preciso de perder algum peso e gostaria especialmente de me livrar da celulite nas coxas.» Plantas adaptadas:

Ananás + Chá Verde + Rainha dos Prados

Luísa, 53 anos «Sinto-me deprimida, desanimada e sofro de ataques de ansiedade opressivos.» Plantas adaptadas:

Hipericão + Crataegus

Helena, 63 anos «Se passar o fim-de-semana a tratar do jardim, fico com dores nas costas.» Plantas adaptadas:

Harpagófito

Manuel, 60 anos «Acordo muitas vezes à noite muito aflito para urinar.» Plantas adaptadas:

Óleo de Pevides de Abóbora

As páginas anteriores apresentam as várias plantas que pode combinar, consoante as suas necessidades. Para mais informações, contacte o seu profissional de saúde.


55


56


www.arkocapsulas.pt

ARKOCÁPSULAS Cada caso é uma cápsula

Gama de Fitoterapia com mais de 50 plantas, arrumadas em linhas para ajudar a resolver os principais problemas de saúde do quotidiano. Sabemos que não há pessoas iguais e problemas também não. É por isso que para nós, cada caso é uma cápsula. Saúde da Mulher

Saúde das Pernas

Silhueta Ideal

Noites Tranquilas, Dias Calmos

Conforto Digestivo, Trânsito Intestinal Energia Saúde da Bexiga e do Trato Urinário Saúde e Protecção Respiratória

Beleza da Pele, Cabelo e Unhas Saúde do Coração

Saúde Articular

Suplemento alimentar. Não exceder a toma diária recomendada. Os suplementos alimentares não devem ser utilizados como substitutos de um regime alimentar variado e equilíbrado e de um estilo de vida saudável. Manter fora do alcance das crianças. Leia atentamente a informação contida nas embalagens e para mais informações aconselhe-se com o seu farmacêutico ou consulte o seu médico.

E-mail: apoio.cliente@distrifa.pt . Tel: 21 444 96 60

À venda na sua farmácia, parafarmácias e espaços de saúde


FITOTERAPIA A sua solução natural diária

Há 30 anos que a nossa inspiração vem da Natureza...

www.arkopharma.com

Alpen E D I T I O N S

9, avenue Albert II 98000 Monaco Email: contact@alpen.mc

Encontre as nossas publicações em: www.alpen.mc

Guia plantas 2013 Arkocápsulas  
Guia plantas 2013 Arkocápsulas  
Advertisement