PINTURAS Fernando Accarino

Page 1

PINTURAS

FERNANDO ACCARINO





PINTURAS

FERNANDO ACCARINO


© 2008 Fernando Accarino Proibida a reprodução no todo ou em partes deste livro por qualquer meio, sem autorização do autor.

Dados Internacionais de Catalogação-na-Publicação (CIP) (Gestão.Info Consultoria, ES, Brasil - www.gestaoinfo.com.br) A169 Accarino, Fernando, 1963 Pinturas / Fernando Accarino. – Vila Velha : Ed. do autor, 2008. 54 p. : il. ; 26 cm.

Inclui biografia. Patrocínio: Lei Vila Velha Cultura e Arte. ISBN 978-85-909058-0-6

1. Artes Visuais. 2. Pinturas. 3. Artistas plásticos – Brasil – Biografia. 4. Accarino, Sérgio Fernando de Oliveira, 1963. I. Título. CDD 730 CDU 73


A pintura de Fernando Accarino parece ter o “moderno” como tema sem ser necessariamente “modernista”. Ao menos parece ser esta a síntese possível dos diferentes grupos aqui exibidos. A aparência imediata do conjunto sugere jogos combinatórios, não mais que intercâmbios ritmados entre esquemas geométricos e uma escassa figuração. No entanto, é fácil ver que não é uma pintura que se pretenda “original” ou que busque seriamente explorar novas possibilidades formais. Tudo indica que, ao invés de aderir e dar continuidade ao projeto moderno - exaurido, aliás -, ela lança um olhar de discreta ironia sobre algumas das premissas gerais que orientaram aquele projeto. Uma delas é a afirmação do plano bidimensional como campo pertinente de investigação pictórica. Outra é a postura crítica diante das possibilidades da pintura de representar alguma coisa exterior a ela mesma. Os sinais de ironia são visíveis na excessiva leveza e ausência de espetacularidade que transparece em todas as obras. Vê-se que o geometrismo está despido da gravidade filosófica e dos ideais utópicos que no passado serviram de justificativa às pinturas deste tipo. De modo semelhante, os poucos traços de figuração que elas apresentam distanciam-se igualmente da gravidade dos modelos clássicos e também das provocações da arte posterior ao pop. Tudo parece cuidadosamente calculado em nome do anódino, o que parece sugerir um estado pausado ou estacionário da experiência pictórica. Isto reconduz a um certo espírito anti-iluminista, descrente de visões filosóficas ou políticas efetivamente capazes de colocar em perspectiva o estado atual das coisas. De todo modo, enfim, uma pintura que inquieta em seu silêncio, que encanta por sua sobriedade. Há portanto uma certa ironia no aspecto sintético e na excessiva leveza com que são revestidos os elementos geométricos e a escassa figuração. É nesse sentido que falo em continuidade do modernismo: não uma continuidade do projeto moderno, mas sim uma discussão crítica do que tem sido considerado esse moderno. s/ título – acrílica sobre tela 160 x 120 cm – 1992 untitled – acrylic on canvas 160 x 120 cm – 1992 sin título – acrílica sobre tela 160 x 120 cm – 1992

Resta saber o que está efetivamente sendo dito, em linguagem pictórica, a título de revisão. Isto fico por dizer, pois algo nestes trabalhos permanece definitivamente “pictórico”: a gradativa construção de um projeto artístico, que se faz lenta e pausadamente, no tempo e no ritmo da pintura. Lincoln Guimarães Dias


s/ título – acrílica e óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2007 untitled – acrylic and oil on canvas – 60 x 60 cm – 2007 sin título – acrílica y óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2007



s/ título – acrílica e óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2007 untitled – acrylic and oil on canvas – 60 x 60 cm – 2007 sin título – acrílica y óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2007



s/ título – acrílica e óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2007 untitled – acrylic and oil on canvas – 60 x 60 cm – 2007 sin título – acrílica y óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2007



s/ título – acrílica e óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2007 untitled – acrylic and oil on canvas – 60 x 60 cm – 2007 sin título – acrílica y óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2007



s/ título – acrílica e óleo sobre tela – 56 x 53 cm – 2006 untitled – acrylic and oil on canvas – 56 x 53 cm – 2006 sin título – acrílica y óleo sobre tela – 56 x 53 cm – 2006



s/ título – acrílica e óleo em bastão sobre tela – 60 x 60 cm – 2007 untitled – acrylic and oil/bar on canvas – 60 x 60 cm – 2007 sin título – acrílica y oil/bar sobre tela – 60 x 60 cm – 2007



s/ título – acrílica e óleo em bastão sobre tela – 60 x 60 cm – 2007 untitled – acrylic and oil/bar on canvas – 60 x 60 cm – 2007 sin título – acrílica y oil/bar sobre tela – 60 x 60 cm – 2007



s/ título – acrílica e óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2008 untitled – acrylic and oil on canvas – 60 x 60 cm – 2008 sin título – acrílica y óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2008



s/ título – acrílica e óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2008 untitled – acrylic and oil on canvas – 60 x 60 cm – 2008 sin título – acrílica y óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2008



s/ título – acrílica e óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2007 untitled – acrylic and oil on canvas – 60 x 60 cm – 2007 sin título – acrílica y óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2007



s/ título – acrílica e óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2008 untitled – acrylic and oil on canvas – 60 x 60 cm – 2008 sin título – acrílica y óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2008



s/ título – acrílica e óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2008 untitled – acrylic and oil on canvas – 60 x 60 cm – 2008 sin título – acrílica y óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2008



s/ título – acrílica e óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2007 untitled – acrylic and oil on canvas – 60 x 60 cm – 2007 sin título – acrílica y óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2007



s/ título – acrílica e óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2008 untitled – acrylic and oil on canvas – 60 x 60 cm – 2008 sin título – acrílica y óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2008



s/ título – acrílica e óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2008 untitled – acrylic and oil on canvas – 60 x 60 cm – 2008 sin título – acrílica y óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2008



s/ título – acrílica e óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2008 untitled – acrylic and oil on canvas – 60 x 60 cm – 2008 sin título – acrílica y óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2008



s/ título – acrílica e óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2008 untitled – acrylic and oil on canvas – 60 x 60 cm – 2008 sin título – acrílica y óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2008



s/ título – acrílica e óleo em bastão sobre tela – 60 x 60 cm – 2007 untitled – acrylic and oil/bar on canvas – 60 x 60 cm – 2007 sin título – acrílica y oil/bar sobre tela – 60 x 60 cm – 2007


s/ título – acrílica e óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2007 untitled – acrylic and oil on canvas – 60 x 60 cm – 2007 sin título – acrílica y óleo sobre tela – 60 x 60 cm – 2007



The painting of Fernando Accarino appears to contain what is “modern” as its theme, without necessarily being “modernist” itself. At least that seems to be the possible synthesis reached from the different groups exhibited here. The immediate appearance of the assemblage suggests a combination of games, nothing more than rhythmic interchanges among sets of geometric schemes, and a scanty figuration. It is easy to see however, that this is not the sort of painting which intends to be “original”, or one that is seriously searching to explore new formal possibilities. Everything indicates that instead of adhering to and giving continuity to a modern project – something which has been used to exhaustion, as a matter of fact – it glances with discrete irony at some of the general premises which have guided that project. One of them is the affirmation of the bidimentional plane as a pertinent field for pictorial investigation. Another one is its critical posture in face of the possibilities of a painting coming to represent something outside itself. Signs of irony are visible in its excessive lightness, and the absence of any spectacular aspect something which is transparent throughout his works. Noticeable is the fact that geometry is shed of its philosophical graveness and of the utopic ideals which, in the past, acted as justification for paintings of this type. In a similar manner, the few figurative traces present are equallly distant from the graveness of the classical models as well as from the provocations of post pop art. Everything seems to be carefully calculated in the name of innocuousness, which seems to suggest a pause, or a stationary state in the pictorial experience. This remits us to a certain anti-illuministic spirit, which disbelieves in philosophical or political views as being effectively capable to frame into perspective the present state of things. At any rate, however, his painting is one which, within its silence, brings out our inquisitiveness, and is enchanting in its sobriety.

quatro homens / quatro direções óleo em bastão sobre tela 145 x 119 cm – 1998 four men / four directions oil/bar on canvas – 145 x 119 cm – 1998 cuatro hombres / cuatro direcciones oil/bar sobre tela – 145 x 119 cm – 1998

There is therefore a certain irony in its synthetic aspect and the lightness which coats the geometric elements and its scarce figuration. It is in this sense I mention a continuity of modernism: not a continuity of the modern project, but rather a critical discussion of what this so-called modern has been considered. It behooves us to know what effectively is being said in the pictorial language, as a means of a review. This remains to be said, for there is something in these works which remains definitely “pictorial”: the gradual construction of an art project which is built slowly and with pauses, within the time and rhythm of the painting. Lincoln Guimarães Dias



La pintura de Fernando Accarino parece tener lo “moderno” como tema, sin ser necesariamente “modernista”. Por lo menos parece ser esta la síntesis posible de los distintos grupos exhibidos aquí. La apariencia inmediata del conjunto sugiere juegos combinatorios, nada más que intercambios ritmados entre esquemas geométricos y escasa figuración. Mientras tanto es fácil ver que no se trata de una pintura que pretenda ser “original” ò que busque en serio explorar nuevas posibilidades formales. Todo índica que, al contrario de añadir y a dar continuidad al proyecto moderno – agotado, a su vez – ella proyecta una mirada de discreta ironía sobre algunas de las premisas generales del plan bidimensional como campo pertinente para investigación pictórica. Otra es la posición critica delante las posibilidades de la pintura representar alguna cosa exterior a ella misma. Las señales de ironía son visibles en la excesiva suavidad y en la ausencia de espectacularidad que es transparente en todas sus obras. Se nota el facto que el geométrico está despido de la gravedad filosófica y de los ideales utópicos que, en el pasado, servían como justificativa a las pinturas de este tipo. De manera semejante, las pocas trazas de figuración que ellas representan, se distancian de igual modo de la gravedad de los modelos clásicos y también de las proporciones del arte posterior al pop. Todo parece ser cuidadosamente calculado en nombre del anodino, lo que parece sugerir un estado pausado ò estacionario de la experiencia pictórica. Esto nos reconduce a determinado espíritu anti-iluminista, incrédulo de visiones filosóficas ò políticas efectivamente capaces de poner en perspectiva el estado actual de las cosas. De todo modo, y después de todo, esta es una pintura que inquieta en su silencio, y que encanta por su sobriedad. Hay, por lo tanto, una cierta ironía en el aspecto sintético y en la excesiva suavidad con que son revestidos los elementos geométricos y la escasa figuración. En este sentido es que hablo sobre continuidad del modernismo: no una continuidad del proyecto moderno, pero si una discusión crítica de lo que ha sido considerado queda de braço I acrílica sobre tela 143 x 119 cm –1997 armwrestling I acrylic on canvas – 143 x 119 cm – 1997 pulseada I acrílica sobre tela –143 x 119 cm – 1997

ese moderno. Aún por saber lo que efectivamente está siendo dicho, en lenguaje pictórica, a título de una revisión. Esto se queda por decirse, pues algo en estas obras permanece definitivamente “pictórico”: la gradual construcción de un proyecto artístico, que es construido despacio y con pausas , dentro del tiempo y ritmo de la pintura. Lincoln Guimarães Dias



Fernando Accarino 1963 - Valença - RJ - Brasil Vive e trabalha em Vila Velha e Vitória - Espírito Santo - Brasil Em 1990 passa a residir em São Paulo e inicia estudos de desenho e pintura no MAM – SP sob a orientação do pintor Paulo Whitaker. Entre 1991 a 1993 passa a freqüentar as aulas de pintura e desenho no atelier do orientador. No final desse período volta a residir em Vitória (ES) e participa por três anos consecutivos dos workshops/oficinas promovidos pelo então Festival de Verão de Nova Almeida, uma realização do Centro de Artes da Universidade Federal do Espírito Santo - UFES. Em 2006 e 2007 participa dos Seminários Internacionais Arte no Pensamento e Sentidos na/da Arte Contemporânea promovidos pelo Museu Vale. É pós-graduando em Artes Visuais. INDIVIDUAIS 2007 - Galeria de Arte Espaço Universitário - UFES - Vitória, ES 2005 - Galeria Nobre da Caixa Cultural São Paulo - São Paulo, SP 2004 - Galeria de Arte do Centro Cultural Candido Mendes - Rio de Janeiro, RJ 2003 - Galeria de Arte Sobrado Ramalho – IPHAN - Tiradentes, MG 2002 - Galeria Sandra Rezende - Vitória, ES 2000 - Galeria Homero Massena - Vitória, ES 1998 - Galeria de Arte Espaço Universitário UFES - Vitória, ES 1996 - Galeria Sesc Paulista - São Paulo, SP COLETIVAS 2003 - Trisomatos - Galeria Casa Porto das Artes - Vitória, ES 2002 - 10º Salão Paulista de Arte Contemporânea - São Paulo, SP RUÍDO - Museu de Arte do Espírito Santo - Vitória, ES 2001 - Um olhar sobre o Solar - Galeria Ana Terra - Vitória, ES 2000 - ART - Centro de Artes da Ufes - Vitória, ES) III Salão Yázigi Vitória de Arte Contemporânea - Vitória, ES 1999 - I Salão Capixaba do Mar - Vitória, ES ILHA - Galeria Homero Massena - Vitória, ES 1997 - VI Bienal Nacional de Santos de Artes Visuais - Santos, SP 1996 - Espaço Cultural Xerox - Vitória, ES 1995 - III Bienal do Recôncavo - Salvador, BA Sobre Tela – Galeria Espaço Universitário UFES – Vitória, ES 1994 - Painel de Arte Brasileira Contemporânea - Museu de Arte Brasileira - São Paulo, SP Painel Sebrae de Arte Brasileira Contemporânea - Brasília, DF Galeria Espaço Cultural Xerox - Vitória, ES 1993 - XX Salão de Arte Jovem CCBEU - Santos, SP 1992 - Contato com Arte: Itinerante - Secretaria do Estado da Cultura - São Paulo, SP 1991 - Contato com Arte - Pinacoteca do Estado de São Paulo - São Paulo, SP Prêmio - 1993 – Prêmio Aquisição – XX Salão de Arte Jovem CCBEU - Santos, SP Obras em coleções permanentes: Museu de Arte do Espírito Santo - MAES, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN, Centro Cultural Candido Mendes – CCCM, Serviço Social do Comércio do Estado de São Paulo - SESCSP, Sebrae Nacional, Xerox do Brasil.


1963 – Valença – RJ - Brazil Lives and works in Vila Velha and Vitória – Espírito Santo – Brazil In 1990 he establishes residence in São Paulo and begins his studies in drawing and painting at MAM – the Museum of Modern Art of São Paulo, under the guidance of artist Paulo Whitaker. Between 1991 and 1993 he begins to attend painting and drawing classes at his mentor’s studio. At the end of this period he again establishes residence in Vitória (ES) and for three consecutive years he takes part in the workshops which were then promoted by the Nova Almeida Summer Festival, an undertaking of the Arts Center of the Federal University of Espírito Santo – UFES. In 2006 - 2007 he took part in Intenational Seminars of Art on Thought and the Senses in Contemporary Art, sponsored by the Vale Museum. He is presently a post-graduate student in Visual Arts. ONE-MAN-SHOWS 2007 - Arte Espaço University Gallery - UFES - Vitória, ES 2005 - Caixa Cultural Noble Gallery - São Paulo, SP 2004 - Art Gallery of the Candido Mendes Cultural Center - Rio de Janeiro, RJ 2003 - Sobrado Ramalho Art Gallery - IPHAN - Tiradentes, MG 2002 - Sandra Rezende Gallery - Vitória, ES 2000 - Homero Massena Gallery - Vitória, ES 1998 - Arte Espaço University Gallery - UFES, Vitória, ES 1996 - Sesc Paulista Gallery - São Paulo, SP COLLECTIVE EXHIBITS 2003 - Trisomatos – Casa Porto das Artes Gallery - Vitória, ES 2002 - 10th Paulista Salon of Contemporary Art - São Paulo, SP RUÍDO (Noise) – Art Museum of Espírito Santo - Vitória, ES 2001 - “A Look Over the Maison” – Ana Terra Gallery - Vitória, ES 2000 - ART – Center of Arts of Ufes - Vitória, ES III Vitória Yázigi Salon of Contemporary Art - Vitória, ES 1999 - I Capixaba Sea Salon - Vitória, ES ILHA (Island) – Homero Massena Gallery - Vitória, ES 1997 - VI National Biennial of Visual Arts of Santos - Santos, SP 1996 - Xerox Cultural Space - Vitória, ES 1995 - III Recôncavo Biennial - Salvador, BA On Canvas - Arte Espaço University Gallery - UFES - Vitória, ES 1994 - A Panel of Brazilian Contemporary Art - Museum of Brazilian Art - São Paulo, SP Sebrae Panel of Brazilian Contemporary Art - Brasília, DF Gallery of the Xerox Cultural Space - Vitória, ES 1993 - XX Salon of Young Artists of CCBEU - Santos, SP 1992 - Itinerant: Contact with Art – State Secretary of Culture - São Paulo, SP 1991 - Contact with Art – Pinacoteca of the State of São Paulo - São Paulo, SP Prize – 1993 – Acquisition Prize – XXth Salon of Young Artists - CCBEU - Santos, SP Works in Permanent Collections: MAES – Museum of Art of Espírito Santo; UFES – Federal University of Espírito Santo; IPHAN – Institute of the National Historical and Artistic Heritage; CCCM – Candido Mendes Cultural Center; SESCSP – Social Service of Commerce of the State of São Paulo, SP; National Sebrae; Xerox of Brazil.


1963 – Valença - RJ – Brasil Vive y trabaja en Vila Velha y Vitória, Espírito Santo, Brasil. En 1990 pasa a residir en São Paulo y empieza a estudiar dibujo y pintura en el MAM – Museu de Arte Moderno de São Paulo, sob la orientación del pintor Paulo Whitaker. Entre 1991 y 1993 empieza a asistir a las clases de dibujo y pintura en el atelier del orientador. Al final de ese periodo vuelve a residir en Vitoria, ES, y participa por tres años consecutivos, de los talleres/workshops promovidos por el antiguo Festival de Verano de Nova Almeida, una realización del Centro de Artes de la Universidad Federal de Espírito Santo - UFES. En 2006, 2007 participa de Seminarios Internacionales del Arte en el Pensamiento y los Sentidos en el Arte Contemporáneo promovidos por el Museu Vale. Posgrado en Artes Visuales. EXPOSICIONES INDIVIDUALES 2007 - Galeria de Arte Espacio Universitário - UFES- Vitória, ES 2005 - Galeria Nobre de la Caixa Cultural São Paulo - São Paulo, SP 2004 - Galeria de Arte del Centro Cultural Candido Mendes - Rio de Janeiro, RJ 2003 - Galeria de Arte Sobrado Ramalho - IPHAN - Tiradentes, MG 2002 - Galeria Sandra Rezende - Vitória, ES 2000 - Galeria Homero Massena - Vitória, ES 1988 - Galeria de Arte Espacio Universitário – UFES - Vitória, ES 1986 - Galeria Sesc Paulista - São Paulo, SP EXPOSIONES COLECTIVAS 2003 - Trisomatos - Galeria Casa Porto das Artes - Vitória, ES 2002 - 10º. Salón Paulista de Arte Contemporâneo - São Paulo, SP RUIDO – Museu de Arte do Espírito Santo - Vitória, ES 2001 - “Um olhar sobre o Solar” – Galeria Ana Terra - Vitória, ES 2000 - ART – Centro de Artes/Ufes – Vitória, ES III Yázigi Vitória Salón del Arte Contemporáneo - Vitória, ES 1999 - I Salón Capixaba do Mar - Vitória, ES 1997 - VI Bienal Nacional de Artes Visuales de Santos - Santos, SP 1996 - Espaço Cultural Xerox - Vitória, ES 1995 - III Bienal del Reconcavo - Salvador, BA Sobre Tela - Galeria de Arte Espacio Universitário – UFES - Vitória, ES 1994 - Painel del Arte Contemporáneo de Brasil - Museu de Arte Brasileira - São Paulo, SP Painel Sebrae del Arte Contemporáneo de Brasil - Brasília, DF Galeria Espaço Cultural Xerox - Vitória, ES 1993 - XX Salón de Arte Joven CCBEU - Santos, SP 1992 - Contacto con Arte: Itinerante - Secretaria de Estado de Cultura - São Paulo, SP 1991 - Contacto con Arte - Pinacoteca del Estado de São Paulo - São Paulo, SP Premio - 1993 – Premio Adquisición - XX Salón de Arte Joven CCBEU- Santos, SP Obras en colecciones permanentes: MAES - Museu de Arte do Espírito Santo; UFES – Universidad Federal de Espírito Santo; IPHAN - Instituto del Patrimonio Histórico y Artístico Nacional; CCCM Centro Cultural Candido Mendes; SESCSP - Servicio Social de Comercio del Estado de São Paulo; Sebrae Nacional; Xerox de Brasil.


Bibliografia Bibliography Bibliografía Bravin, Adriana. “Histórias urbanas”. Vitória: A Gazeta, 24 fev. 1996. Dias Guimarães, Lincoln. “Caminhantes”. Novos trabalhos de Fernando Accarino”. Catálogo da exposição individual. São Paulo: Caixa Cultural São Paulo. 18 out. 20 nov. 2005. Dias Guimarães, Lincoln. “Pinturas recentes de Fernando Accarino”. Livro homônimo. Vitória. 2002. Dias Guimarães, Lincoln. “Trisomatos”. Catálogo para exposição coletiva. Vitória: Casa Porto das Artes Plásticas, 12 jun. 02 ago. 2003. “Entre o abstrato e o figurativo”. Rio de Janeiro: Tribuna da Imprensa, 09 nov. 2004. “Fernando Accarino – Pinturas”. Rio de Janeiro: investarte.com, 22 out. 2004. Filho Mendes, Alvarito. “Refletindo sobre o ambiente urbano”. Vitória: A Gazeta, 31 jul. 1994. Frizzera, Rose. “As artes plásticas sob a ótica da multiplicidade”. Vitória: A Gazeta, 23 nov. 1998. Frizzera, Rose. “Cinema em nove quadros”. Vitória: A Gazeta, 02 dez. 1995. Frizzera, Rose. “O corpo em exposição”. Vitória: A Tribuna, 17 set. 2002. Neves Almeida, Celina. Fernando Accarino – Catálogo da exposição individual. Vitória: Galeria Espaço Universitário. 19 mar. 11 abr. 1998. Pasolini, Lobo. “Fernando Accarino”. Catálogo da exposição individual. São Paulo: Galeria Sesc Paulista. 14 fev. 14 mar. 1996. Pena, Andrea. “A poética urbana de Fernando Accarino”. Vitória: A Gazeta, 2000. Pena, Andrea. “Diálogo de três”. Vitória: A Gazeta, 12 jun. 2003. Pena, Andrea. “Nova identidade para o Maes”. Vitória: A Gazeta, 2002. Pizzani, Fabiana. “Vermelho e cinza”. Vitória: A Tribuna, 15 fev. 1996. “Solidão urbana na obra de Accarino”. Vitória: A Tribuna, 19 jul. 1994. Tardin, Neila. “Obra da solidão”. Vitória: A Gazeta, 17 set. 2002. “Unidos pela linguagem visual”. Vitória: A Gazeta, 25 nov. 1996. Viso, Leonardo. “Exercício do olhar”. Vitória: seculodiario.com, 05 jul. 2007.


Agradecimentos acknowledgements/agradecimientos

Sueli Mattos, Lorenzo Accarino, Nelia Dulce de Oliveira e demais pessoas que ajudaram na realização deste projeto. Coordenação e produção coordination and production/coordinación y producción

Fernando Accarino Ensaio essay/ensayo

Lincoln Guimarães Dias Tradução translation/traducción

Paulo DePaula

Projeto gráfico graphic design/proyecto grafico

Bios Editoração e Fernando Accarino Fotografias das obras photographs of paintings/fotografías de las obras

Vitor Nogueira

Fotografias do artista photographs of the artist/fotografías del artista

Fernando Accarino Impressão printing/impresión

GSA



APOIO CULTURAL