Page 1

o pinheirinho

|DESPORTO| PSICOLOGIA| ENGLISH CORNER | PATIO CASTELLANO

ano dezanove| número 3 |junho 2013 | 1 pinheiro | agrup. de escolas Carlos Gargaté

| NOTÍCIAS | CRIAÇÃO LITERÁRIA | CRÓNICA TEMÁTICA| PRÉ-ESCOLAR E 1ºCICLO|


rio Sumá

l Editora

3

s notícia imento ia de divert e h c a it is v tudo uma visita de es à escola museu vem al” boa mediev is L “ o d tu s medieval visita de e visita à era ático 2013 m te a m em junho de ru o u d g ça n n a a c la ri , o á + d oli LeR l de concurs tampinha s O Projeto a lano Naciona P o d la a o v c ti s ia e ic in io à leitura 2008, é uma o museu ve de colocar a a o v p ti ro je u b e o a o d jeto Leitura com ão do dia ntro do Pro ce o io n a r m le comemoraç e de 9d eis de e o prazer vando os nív le e te , s la le o ã sc n E a s. Educativo de ro que aind sso dos aluno ce do su tu s o e qualquer liv e e m d e g a volver visit aprendiza ras visam en o d o ta l n e c ri i o c s 1º entos As suas linha colar e todos os elem ra u it le a d o pré-es as árvores res, na promoçã r: professo la o u sc e o g e e h d c a cários, o verão da comunid pais, bibliote g m c é e b a m o ta n e m s funcionários trabalhar e xperimenta e ; s .. ia s. a c a c n rc te ie ta o c u a as ular a a ida à bibli animadores, s para estim a s íli ta m s fa ti n s a ie c es com pequenos parceria com belecer relaçõ olas, ra a o st h e a ; sa im lt ca ú as esc leitura em notícias de l e com outr iver” ca ll u lo G e d e a d id s prazer n n u a com atro”viage promoção do t a n n e s o m e rç v o ie sf peça de te e da h Junior Ac articulando e visibilidade d o im a x d á a m o lm r ra r boas nça de A de ler; assegu olar; partilha 21” da cria r sc a e la d o n c to s e x g te -e n “a o ré projeto leitura em co bibliotecas d poesia no p e e s d la s o o to t sc n e r e as mom despo práticas com r la o c s e . o + argaté desport projeto aLeR ento Carlos G n m a to p in ru g m A d a o d B im, As escolas rojeto é, ass regional de p e to st a e a n i o e e g p r+ o e aL cam s suas psicol são escolas atividades da r s a a d d r tu o s d e za a ili das r os filhos o foco mob em função é e a s c re i la como ajuda t sco rojeto temá bibliotecas e das e do P ta ia n g crónica se lo re o p n a c s a a te e procuramo metas acim u q to n e a m ic a m p Agru crise econó Educativo do o m o trabalho. is c ra o volver o noss ueremos n se e d ano letivo, q os o h d n l o a s n fi s m u o a e Chegados que entende s porta dos m le e -a u o q rt la a o o s c p o s s d e to de da mo um agradecer a a biblioteca o apenas co ã a n i r r la o á r sc E e e lit hipóteses d a Biblioteca za ili ib criação marinheiros n o p is d ente s recurso que as essencialm viagens do m s s , a e a d s is e s u u o g sq g e u ri p e os pe ão dos port nvolvimento leitura e de e o a o ” rt s e a b d a a glorificaç aço tiva “os Lusía como um esp unidade educa m o co tr a s a a d c to e e oção da de inés d colaboração d r ades de prom a id o episódio v m ti e a s r a a d m a há na dinâmic ó mar leitura. nhador o s E ta e o p um Equipa da B A ir v u o estás a lembras-te corner english nvironment e e th d n a healt o stellan a c o i t pa español chistes en

7

12

13 14

15

19

19

o pinheirinho 2


divertimento

Os alunos da Escola Básica Carlos Gargaté dos 5º,6º e 7º ano foram a uma visita de estudo que tinha como destino o Mosteiro da Batalha e um museu de cera sobre a vida de Cristo em Fátima, numa quarta-feira. Os alunos partiram às 8:15h e foram numa viagem de autocarro até ao Mosteiro da Batalha. Este mosteiro dominicano foi construído ao longo de dois séculos até cerca de 1517, durante o reinado de sete reis de Portugal, embora desde 1388 já ali vivessem os primeiros dominicanos. É considerado património mundial pela UNESCO e, em 7 de Julho de 2007 foi eleito como uma das sete maravilhas de Portugal. Aí, viram os túmulos dos antigos reis, rainhas e de pessoas importantes da História de Portugal. Depois de verem este lugar, chegaram ao autocarro e prepararam-se para uma nova aventura… Chegados a Fátima, pararam para almoçar num jardim bíblico, na casa dos Franciscanos Capuchinhos. Finalmente, chegaram a Fátima e foi nesse lugar que visitaram um museu com figuras de cera sobre a vida de Cristo. As imagens representam a vida de Cristo por ordem de acontecimentos. Cada parte da história da sua vida estava dividida em salas e em cada uma relatavase um acontecimento, havendo ainda algumas salas com efeitos especiais, como água, trovões ou candeeiros a fingir de tocha. Logo a seguir, foram visitar Fátima. Aguardaram um pouco para irem acender uma vela

| Visita de Estudo – Companhia de Teatro “O Sonho” e Museu da Eletricidade No dia 22 de novembro, os 9ºanos foram à Companhia de Teatro “O Sonho” ver o Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente e foram ao Museu da Eletricidade em Belém. Durante a manhã, assistimos à peça de teatro. Na minha opinião, foi muito boa ideia os atores terem interagido com o público, pois fez com que nos sentíssemos “dentro” da peça, participando na história. Gostei do cenário, pois estava realista, apesar de achar que podiam ter melhorado o aspeto das barcas. As personagens estavam bem caracterizadas com as suas roupas e adereços e notou-se que se prestava atenção a pormenores, como, por exemplo, os símbolos

pela família. Assistiram a uma pequena parte de uma missa e viram pessoas que cumpriam suas promessas, que consistiam em pedir algo a Deus e prometer que se o seu pedido fosse concretizado, iriam fazer algo como agradecimento. Os alunos pararam num parque do Santuário para lanchar e seguiram viagem de volta à escola. Foi um dia bem aproveitado por todos os alunos. Alexandra, 6º B

notícias

| Uma visita cheia de

cénicos que as personagens transportavam (a Brízida Vaz trazia as arcas de feitiços, mentiras e roubos; o Sapateiro trazia as formas ao pescoço…). Não tenho nada a dizer sobre a interpretação da obra, pois os atores eram bastante bons e conseguiram transmitir bem a ideia geral da peça. Concluindo, no teatro, a parte de que mais gostei foi quando as personagens interagiram com o público e, no Museu da Eletricidade, gostei de ver a experiência em que se produziu eletricidade a partir dos limões. Gostaria de voltar a realizar mais visitas de estudo como esta pois, para além de nos divertirmos, estamos a aprender e também porque é sempre bom ir ao teatro para apreciar esta arte. Catarina Silva, 9ºA

Supervisão, edição e revisão de texto céu mantas |helena martins |manuela de fátima| teresa pereira |núcleo jornalístico 9ª | colaboradores| profs. alexandra machado | ana luísa gonçalves | céu oliveira | cristina graça | elisabete gomes |equipa da be | helena serôdio | horácio neri | joão caçador | joão cravidão | manuela de fátima | margarida valente | maria josé monteiro | odete correia| orlanda pires | psicóloga ana borges | educadora laura casca, sala azul | 1ºB | 3ºB | 3ºD joana asturiano | mário navalho | 4ºA | 5ºE joão marques | guilherme santos | 6ºB | alexandra | 7ºB cláudia rosa | 8ºC bárbara magalhães | rafaela cavadas | 9ºA andré pimenta |carolina resende |catarina silva | catarina rosa | diogo campos | diogo tavares | igor ferreira | joana oliveira | joão costa | luiz jesus | mariana | raquel costa | raquel dias | rodrigo marques | 9ºC beatriz | layout josé Mendes | paginação céu mantas | impressão sociedade gráfica de vale fetal | propriedade agrupamento de escolas carlos gargaté | praceta frederico de freitas 2819-504 charneca de Caparica | tel212979660 | fax 212973079/email ce@eb123-charneca.caparica.rcts.pt/tiragem 200 exemplares | junho de 2013


“, estando ainda previstas sessões para os quintos e sétimoscartazes, anos, em março, e oitavos e nonos anos, em Educação Visual realizaram maio. desdobráveis e pictogramas que foram afixados no espaço escolar Prof. Maria José Monteiro sensibilizar toda a semelhança que vemnaacontecendo alguns aanos, O Àproblema dodobarulho nossa deháforma a nossa escola tem desenvolvido uma parceria com o comunidade. escola chegou a ser este ano uma Centro de Arqueologia Almada, num projeto de preocupação levada a de Conselho história local, “ O Museu vem à escola”. Prof. Elisabete Gomes Pedagógico. Aparentemente normal Assim, nos dias 19 e 20 de fevereiro, os alunos do sexto para a maioria dos nossos alunos, o ano da nossa escola tiveram a oportunidade de assistir a ruído nos corredores, bar e refeitório, um workshop sobre o período das lutas entre liberais e biblioteca e, muitas vezes, na sala de absolutistas aula, começou(1832/34). a tomar proporções Esta formação teve uma componente teórica, onde verdadeiramente perturbadoras da foram abordados alguns aspetos destes confrontos e tranquilidade e concentração. as mudanças geradas no nosso concelho a partir desse Procurando que esta problemática período, e uma componente mais prática de caráter fosse identificada pelos próprios lúdico, que foi a simulação da batalha da Cova da Piedade. alunos, sensibilizando-os para esta, Decorreu já, neste ano letivo, uma sessão dedicada ao que é uma preocupação da escola e 4ºano com o tema «Os árabes no concelho de Almada que se pretende que também seja a deles, foi apresentado na disciplina de Educação Visual um projecto No dia 28 de fevereiro de 2013, todos os quintos às turmas do 7º B e D que exigiu | Visita de estudo “Lisboa Medieval” anos da Escola Básica Carlos Gargaté, da Charneca destes alunos uma atitude cívica e de Caparica realizaram uma visita de estudo a “Lisboa interventiva. Medieval”. No passado 28 de fevereiro, Os alunos dia chamaram a estarealizámos uma visita Primeiro, fomos conhecer a parte mais antiga de de estudo,MISSÃO no âmbito das disciplinas campanha SILÊNCIO e, no de L.P.,H.G.P.,C.N., Lisboa. Pudemos observar uma casa da Era Medieval, MAT.,E.T e E.M. Esta visita tinha porde tema “Lisboa Medieval”. âmbito dos conteúdos da disciplina que tinha sido reconstruída após o terramoto de Lisboa Iniciámos a visita por uma das sete colinas de Lisboa, com de 1755. A casa tinha uma porta e janelas em forma as suas ruas muito estreitas e algumas paredes curvas para de bico e a sua cor era cor-sangue-de-boi, que era uma as carroças poderem passar. Visitámos o Largo da Achada espécie de bordeaux. Depois, vimos um palacete da e passámos por várias ruas estreitas. Observámos também Era Medieval, que não foi afetado pelo terramoto, mas uma grande casa de moradores nobres, onde havia um estava muito danificado. lavadouro de roupa cujas pedras se mantêm até aos dias De seguida, fomos à A.A.C. (Associação dos Amigos de hoje. dos Castelos), onde visitámos um scriptorium Foi-nos mostrada uma das divisões de Lisboa Antiga, ou (escritório antigo de um monge copista), conhecemos seja, os limites da cidade junto às Escadinhas da Saúde. uma sala de banquetes dos nobres e reis e uma casa Depois, descemos estas escadas, indo ter mesmo em de camponeses. Depois, dramatizámos a nomeação frente da Igreja da Nossa Senhora da Saúde. de um cavaleiro e, no fim, houve uma encenação de Na Associação Amigos dos Castelos, vimos ainda uma um confronto entre dois alunos da turma, ou seja, maquete do Castelo de S. Jorge, conhecemos o scriptorium entre dois “cavaleiros” e quem vencesse ficaria com a medieval, que era o local onde se redigiam os documentos “donzela”. A visita terminou com o preenchimento de antigos e onde me vesti como um monge copista. um guião para avaliar os nossos conhecimentos sobre Seguidamente, visitámos a sala de refeições do Reino a mesma. onde só o Clero e a Nobreza podiam entrar. O povo estava Aprendi muita coisa com esta experiência e espero que sempre a trabalhar e, só ao domingo, iam à feira, onde se repita em anos futuros. Resumindo, gostei da visita! havia batalhas medievais para conquistar as donzelas. Acho que foi divertido e gostaria de voltar aos mesmos Esta foi uma das minhas melhores visitas de estudo, e locais com a minha família e amigos para conhecerem foi muito importante para o meu processo de aprendizagem. como era a “Era Medieval”. João Marques, 5ºE Guilherme Santos, 5ºE

|MISSÃO | MUSEUSILÊNCIO VEM À ESCOLA

| Visita à Era Medieval

o pinheirinho 4


| Concurso Canguru Matemático sem Fronteiras 2013 Decorreu no passado dia 10 de abril, no nosso Agrupamento, mais um Concurso Canguru Matemático sem Fronteiras. Em Portugal, a organização Canguru Matemático sem Fronteiras é da responsabilidade do Departamento de Matemática da Universidade de Coimbra com o apoio da Sociedade Portuguesa de Matemática. No nosso Agrupamento, a atividade foi dinamizada pelo Departamento de Matemática e Ciências Experimentais em conjunto com os professores do 1º ciclo. São objectivos do concurso: estimular o gosto e o estudo pela Matemática; atrair os alunos que têm receio da disciplina de Matemática, permitindo que estes descubram o lado lúdico da disciplina; tentar que os alunos se divirtam a resolver questões matemáticas e percebam que conseguir resolver os problemas propostos é uma conquista pessoal muito recompensadora; aumentar, todos os anos, o número de participantes no concurso a nível nacional e tentar atingir as cotas de participação de outros países europeus. Muitos foram os alunos das duas escolas do agrupamento que participaram voluntariamente no concurso e tentaram dar o seu melhor durante uma hora e trinta minutos. Segundo os alunos, alguns desafios eram

|NOTICIAS DO SUPERTMATIK Mais uma vez, o nosso Agrupamento de Escolas participou no SuperTmatik a nível internacional. O SuperTmatik é um campeonato de Cálculo Mental que tem como objetivo fomentar o interesse pela aprendizagem da matemática, contribuindo para a aquisição, consolidação e ampliação de conhecimentos matemáticos, reforçando também, a componente lúdica nas aprendizagens e promovendo o convívio entre alunos, professores e restante comunidade escolar. Depois de apurados os campeões por turma, passou-se à fase inter-turmas, tendo sido apurados os campeões e vice-campeões de cada escalão. Estes tinham sido inscritos na aplicação informática disponibilizada pela organização do campeonato. A fase internacional decorreu de 6 a 17 de maio, on-

fáceis, outros nem por isso. Importa salientar que as questões a resolver têm dificuldade crescente e não é permitida a utilização da calculadora. O 1.º Ciclo (2.º, 3.º e 4.º anos) também participou e foi onde se verificou uma maior adesão por parte dos alunos. Os resultados obtidos pelos nossos alunos estão afixados no agrupamento, e os resultados dos melhores classificados publicados na página oficial do concurso http://www.mat.uc.pt/canguru/. Resta-nos agradecer a participação dos trezentos e dezanove alunos. Afinal, ainda são muitos os que gostam de resolver desafios matemáticos. Prof. Orlanda Pires

line. À hora a que escrevemos esta notícia, ainda não são conhecidos os resultados finais desta fase. De salientar que, o ano passado, tivemos uma vice-campeã mundial no 8º escalão, Margarida Godinho e um honroso 7º lugar no 5º escalão, Gustavo Martins. Participaram nesta fase 250.000 alunos de 52 nacionalidades. Prof. José Caçador

| Tampinha Solidária A nossa Escola participou na recolha voluntária de tampinhas, para o Projeto “Prótese Aquática” da Inês Neves, através da Tampinha Solidária e com o apoio do Centro Comercial D’Amora. Obrigada a todos os que colaboraram. Prof. Helena Serôdio

o pinheirinho 5


| O Museu veio à Escola

As turmas de 7º ano tiveram o privilégio de conhecer melhor a herança deixada na Península Ibérica, e em particular no nosso concelho de Almada, pelos Árabes. Apesar deste povo só ter dominado grande parte do atual território português entre os séculos VIII e XIII, os vestígios ainda hoje são significativos e muito úteis, nomeadamente o elevado número de vocábulos que continuamos a usar, e a introdução dos algarismos. Depois de uma apresentação pela arqueóloga Vanessa de todas as áreas desenvolvidas pelo povo Árabe e dos vestígios ainda presentes no nosso concelho, as turmas tiveram ainda a possibilidade de jogar um jogo denominado de Moinho. Na turma do 7ºB houve tempo para fazer semifinais, e a vencedora da turma foi a aluna Rita Alferes. Profª Céu Oliveira

| Comemoração do dia da Europa – 9 de maio Robert Shuman (político luxemburguês) realizou, em 9 de maio de 1950, um ato histórico - propôs a alguns países europeus, inclusive países inimigos, no decorrer das duas guerras mundiais, a respetiva associação e criação de uma Comunidade com objetivos pacíficos. Deste modo, propunha que o exercício conjunto das suas soberanias permitisse recuperar a influência que, individualmente, era difícil de alcançar. Esta proposta conhecida por “Declaração de Shuman” é considerada o despoletar da atual UNIÃO EUROPEIA.

Nas turmas do 9º A, B e C o trabalho foi bem diferente. O tema era “A resistência ao Fascismo no Concelho de Almada”. Começámos por ver uma montagem de um filme com testemunhos de antifascistas do concelho de Almada, muitos deles ainda vivos, e aquele que mais nos marcou foi o da mulher que visitou o marido na prisão, tendo aproveitado para lhe passar informações. Mas como os polícias estavam sempre ao pé dele, a solução foi despedir-se da mulher com um beijo na boca e, assim, passar-lhe um minúsculo papel que continha os nomes dos amigos que ela deveria avisar. Mariana, 9ºA Depois, explorámos documentos da época e assumimos, nós, papéis de resistentes ou representantes da PIDE. Fora da sala de aula, os resistentes tinham de colocar cartazes e passar informações sem que a Polícia do Estado os apanhasse. Não foi tarefa fácil porque a PIDE perseguiu-nos com toda a violência. Beatriz, 9ºC

adquiridos e dar azo à criatividade. Algumas turmas visitaram, também, a Biblioteca Escolar, onde decorreu uma exposição e apresentação em PowerPoint.. Foi com satisfação que os alunos viram o seu trabalho apresentado à comunidade escolar. Profs. Alexandra Machado e João Cravidão

Em 1985, na Cimeira de Milão, os chefes de Estado e de Governo da União Europeia decidiram celebrar o dia 9 de maio como “DIA DA EUROPA”. Para concretizar a comemoração desta data histórica, as turmas de 7ºano da Escola Básica Carlos Gargaté elaboraram trabalhos diversificados sobre vários países da Europa, o que permitiu aplicar conhecimentos

| 9 de maio – O Dia da Europa

A comemoração do dia da Europa é a 9 de maio. A B.E., em articulação com o Departamento de C.S.H., promoveu uma exposição e visualização de Power Points, realizados por alunos do 7ºano sobre o tema estudado (“A União Europeia”), o pinheirinho 6

tendo cada aluno apresentado um país da União Europeia. Cláudia Rosa, 7ºB (Monitora da Biblioteca escolar)


| QUALQUER LIVRO QUE AINDA NÃO LESTE É UM LIVRO NOVO! A Feira do Livro de Lisboa começou no dia 23 de maio. Nas bibliotecas do nosso Agrupamento, a nossa feira também começou neste dia. Convidámos os nossos alunos e restante comunidade educativa a participar nesta atividade, trazendo os seus livros para venda e muitos voltaram para casa acompanhados por outros livros, usados, mas com histórias em muito bom estado! Prof. Elisabete Gomes

| Visita de Estudo No dia 30 de maio, as turmas do 8º ano irão realizar uma visita de estudo ao Aqueduto das Águas Livres e ao Jardim Botânico Tropical, acompanhados por um guia.

É uma visita realizada no âmbito das disciplinas de Português, História e Ciências Naturais que, certamente enriquecerá a nossa aprendizagem. Bárbara Magalhães Cavadas, 8ºC

e

Rafaela

| O VERÃO CHEGOU!

As árvores dão-nos folhas E também nos dão rolhas! Nós nunca podemos As árvores matar Senão vamos ficar sem respirar! A raíz Sempre a árvore segura E se forem a uma floresta Vão passar uma grande aventura. As árvores Têm sempre na terra um assento Por isso é que aguentam com o vento. As árvores Sempre papéis nos estão a dar Mas atenção,

Não as podemos estar sempre a cortar! Dá mesmo vontade de olhar Quando as arvores estão a abanar E sem elas Nenhum de nós poderia cá estar! Cuida bem das nossas árvores! Mário Navalho, 3º D

O verão está a chegar Para podermos mergulhar Na praia à beira-mar E vermos os surfistas a surfar.

pré-escolar e 1ºciclo

| AS ÁRVORES

Dou mergulhos no mar E à sua beira gosto de passear! Quando encontro conchas e estrelas Gosto de ficar com elas. Fiz castelos de areia E lá encontrei a minha amiga Andreia No topo pus uma pena E fui-me deitar para ficar morena. Joana Asturiano, 3ºD

o pinheirinho 7


| As ciências experimentais no agrupamento de escolas Carlos Gargaté As atividades experimentais de ciências no 1º Ciclo, no Agrupamento de Escolas Carlos Gargaté, assumiram este ano, um novo formato: na EB Augusto Louro, decorreram, ao longo da semana, em horário prédefinido, abrangendo as turmas do pré-escolar, do 1º, 2º e 3ºanos de escolaridade. A semana foi precedida de uma reunião preparatória entre o Coordenador de Ciências e o Coordenador da Escola ao qual foram fornecidos diversos materiais e os diferentes protocolos a aplicar nas experiências. A dinamização esteve a cargo do professor João Bispo. Os alunos deslocaram-se à sala onde iriam realizar as atividades, acompanhados pelos professores titulares de turma. Deste modo, os alunos tiveram mais tempo para experimentar, investigar, tirar dúvidas e avaliar as suas próprias experiências. Na sede do agrupamento, Escola Básica Carlos Gargaté, as atividades experimentais decorreram no último dia do 2º período, tendo sido dinamizadas pelo professor Horácio Neri, durante a manhã e tarde, abrangendo as turmas do 4º ano e uma do 3º ano. Cada turma, acompanhada pelo respetivo professor, pôde assistir às experiências dos seus alunos, durante períodos de 45 minutos, dentro e fora da sala de aula. Houve grande variedade de temas abordados, tais como ilusões óticas, observação e classificação de sementes, plantas, animais, energia eólica, solar, observação microscópica de folhas e pétalas, pressão atmosférica, produção de gás carbónico etc…

“ A maior flor do mundo” Libertação de gás carbónico

de José Saramago”

As sessões terminavam com jogos lógicos de separação de argolas, de magnetismo, uma dança e com a visualização do filme “ A maior flor do mundo”, adaptação do livro infantil de José Saramago”, sobre a preservação do meio ambiente. Nas duas escolas do Agrupamento, houve sempre o cuidado, por parte do professor dinamizador, de implementar uma prática pedagógica adequada ao ensino experimental das ciências, de acordo com os anos de escolaridade e temas abordados. Quase todos os alunos atingiram bons níveis de literacia científica, esforçando-se por utilizarem terminologia adequada, à medida que iam decorrendo as experiências. A observação da interação ocorrida entre alunos, professores e as atividades propostas e os comentários bastante elogiosos sobre o evento por parte da Diretora da Escola, que esteve presente, levam-me a concluir que é imperativo dar continuidade a estas iniciativas. Horácio Neri (Prof. e coordenador de Ciências Experimentais)

Energia elétrica (condutores/não condutores) Energia solar

o pinheirinho 8


| A ida à biblioteca A ida à biblioteca José Saramago, no dia 3 de Abril, foi um grande acontecimento na minha vida de criança. Quando entrámos, vimos os desenhos na parede… fantásticos! E até nos apeteceu dizer “Ah!”, mas não podíamos, pois estávamos numa biblioteca. Eu fiquei muito orgulhosa por estar numa biblioteca de um escritor muito famoso. Nós fomos para a zona infantil e foi aí que a magia aconteceu, pois ouvimos uma história chamada “Espanta pardais”, escrita por Maria Rosa Colaço. Depois de ouvirmos esta belíssima história, falámos sobre ela e a senhora que no-la contou disse que íamos

Pequenos Cientistas

|

Foi com muito interesse e curiosidade que os alunos do 1ºB realizaram, ao longo do ano, diversas experiências no âmbito das Ciências Experimentais. A experiência mais surpreendente para estes alunos foi, sem dúvida, a da dissolução. “Será que o açúcar se dissolve?”; “De certeza que o azeite se dissolve!”.

fazer um trabalho extraordinário. Eu não fazia a mínima ideia do que poderia ser, mas seria muito engraçado. Começámos por pegar numa folha de cartão e desenhar o nosso espanta-pardais. Depois, acrescentámos as cores e, no final, lã e tecidos. O trabalho foi espetacular! E, finalmente, quando saí de lá, fiquei de boca aberta ao pensar onde tinha estado. E pensei se aquilo seria ou não um sonho!... Na viagem para a escola, toda a gente estava entusiasmada ao pensar que poderiam mostrar aquela obra de arte aos seus amigos e companheiros. Uma visita espetacular! Foi divertido e cheio de letras! Sofia Lopes, 3ºB

Os pequenos curiosos ficaram surpreendidos quando constataram que, afinal, aquilo que pensavam estava longe das suas suposições. Umas ideias confirmam-se, outras nem por isso. “Afinal, o azeite não se dissolve na água!”; “Tal como eu pensava, o sal dissolve-se na água!”… Estas foram algumas das reações que surgiram durante a realização desta experiência. É assim na nossa Escola, um espaço de crescimento e descobertas!

|Notícia de Última Hora Foram vistas nas ruas da Sobreda, no passado dia 17 de Abril, vários grupos de crianças de lápis e papel na mão, desenhando, com toda a atenção, as casas à frente deles, nas suas cores naturais e com muitos pormenores. Depois de entrevistados, ficámos a saber que são alunos do 3º ano da escola Louro Artur da Charneca de Caparica e que andam a estudar o concelho de Almada. Integram o projeto camarário Agenda 21 Criança, neste ano letivo. Aprendem coisas sobre o ambiente, a história, a vida das pessoas e pensam em maneiras de

Turma do 1ºB melhorar a vida das populações nas cidades. Os alunos apresentarão as suas ideias, no dia 5 de Junho, no Teatro Municipal de Almada às entidades responsáveis do concelho. Que lindos meninos! Prof. jornalista Margarida Valente

o pinheirinho 9


| Peça de Teatro- “ As viagens de Gulliver” Grupo AnimaTeatro No dia 14 de março, o quarto ano foi à E.B.L.A assistir a uma peça de Teatro intitulada “ As viagens de Gulliver”. Era uma peça adaptada do livro com o mesmo título, mas não contava todas as aventuras nele enunciadas. O senhor Ricardo Santos escolheu alguns dos episódios de que mais gostou e adaptou à peça. Participavam nela apenas três atores. Cada um deles representou várias personagens. A personagem principal da história era o Gulliver, que viajou de barco por terras distantes, onde encontrou seres minúsculos e gigantes. Viveram várias aventuras e voltou para casa onde o esperava a sua noiva, ansiosa para saber todas as peripécias que vivera.

No passado dia 24 de abril, iniciou-se, na turma do 2ºA na EB1/JI Louro Artur o programa “A Comunidade” da Junior Achievement Portugal, resultante de um protocolo entre ambas as entidades e a colaboração de um voluntário da Fundação Portugal Telecom. A Junior Achievement Portugal (JAP) é a congénere portuguesa da Junior Achievement (JA), a maior e mais antiga organização mundial educativa, sem fins lucrativos, criada em 1919, nos E.U.A. Desde a sua fundação, a Junior Achievement desenvolveu mais de 30 programas para investir, envolver e inspirar jovens de todas as idades, baseados em três valores essenciais: respeito, integridade e excelência. Atualmente, a Junior Achievement está presente em 121 países e os programas abrangem mais de 10 milhões de crianças e jovens, todos os anos.

o pinheirinho 10

A Junior Achievement Portugal (JAP), que conta com o alto patrocínio de sua excelência o Presidente da República, tem como missão o desenvolvimento do empreendedorismo, gosto pelo risco, criatividade, responsabilidade, iniciativa e inovação junto das crianças e jovens. O programa “A Comunidade” é constituído por uma série de cinco atividades através das quais se pretende assegurar os conceitos: Escolhas, Comunidade, Incentivos, Económicos, Instituições Económicas, Bens, Governo, Interdependência, Profissões, Dinheiro e banca, Custo de oportunidade, Produção/produtividade, Qualidade, Recursos, Serviços, Especialização e divisão de trabalho, Impostos, bem como as aptidões: Comparação, Pensamento crítico, Tomada de decisão, Seguir um caminho, Identificar escolhas, Ouvir interagindo, Fazer observações, Resolução de problemas, Assumir um papel, Trabalho de equipa. Este Programa é bastante interessante uma vez que orienta o aluno na descoberta da comunidade, dos negócios que operam no seio desta, de como o governo trabalha no sentido de desenvolver serviços para o bem-estar dos seus cidadãos e de como os cidadãos têm responsabilidade no bem-estar económico da comunidade. Prof. Odete Correia


Este projeto surgiu durante a participação de Almada na Conferência Mundial sobre o desenvolvimento sustentável decorrida em Joanesburgo, na África do Sul, em 2002. O projeto abre a porta à participação de todas as crianças, trabalhando nas escolas de primeiro ciclo que aceitam receber este projeto. O trabalho decorre ao longo de meio ano, em sessões semanais, conduzidas pela Dra. Deolinda Ataíde. Nestas sessões, estuda-se o concelho de Almada: localização geográfica, fauna e flora e o desenvolvimento da cidade. Foram feitas quatro visitas de estudo, tendo sido visitados sítios como o Museu da Cidade, praias, Mata dos Medos, Arriba Fóssil, Parque da Paz e algumas freguesias mais significativas do concelho para observação do ordenamento da cidade. O tema deste ano é a “Cidade Arrumada” e, assim, as crianças têm tentado organizar os serviços necessários ao bom

funcionamento de uma cidade. No dia 5 de Junho, acontece o Fórum 21 da Criança, onde as crianças envolvidas no projeto têm a oportunidade de apresentar aos representantes da autarquia e aos encarregados de educação os resultados do seu trabalho e partilhar as suas sugestões para melhorar a terra em que vivem. Integrado neste projeto, existe um postal que todas as crianças podem preencher, auxiliadas pelos seus pais, expressando a sua opinião sobre o que mais e menos gostam e o que gostariam de mudar no concelho. Este postal é dirigido à presidente da Câmara Municipal de Almada e esteve, este ano letivo, nas mãos das nossas crianças. Resta apenas acrescentar que a turma do 3ºB tem trabalhado com muito interesse os temas propostos, e começam a revelar-se uns pequenos/grandes cidadãos participativos na mudança do seu concelho e do seu planeta. Prof. Margarida Valente

| Frases ouvidas às crianças da turma 3ºB: • • • • • •

“O projeto Agenda 21 da Criança é muito interessante e ajuda a mudar Almada.” “Já visitámos vários sítios de Almada: Mata dos Medos, Aquário Virtual, Parque da Paz e muitas freguesias do concelho.” “Nestas visitas de estudo que fizemos, vimos e aprendemos coisas interessantes. Estes passeios não são apenas para nos divertirmos, mas também para aprender.” “A Agenda 21 da Criança veio até nós para nos falar da importância de ajudar Almada.” “Neste projeto, aprendemos a vida dos animais que vivem perto de nós.” “Com a Agenda 21, estamos a conhecer o concelho de Almada.”

o pinheirinho 11

crónica temática

| Projeto Agenda 21 da Criança de Almada


| MOMENTOS DE POESIA NO PRÉ-ESCOLAR SE EU TIVESSE UMA VARINHA MÁGICA...

(REINALDO) •

PASSAVA A VIDA A JOGAR À BOLA E PUNHA UM DINOSSAURO NA MINHA CASA. (LUIS)

FAZIA APARECER UM CAVALO MÁGICO, BRILHANTE. (CONSTANÇA)

TRANSFORMAVA-ME NUM ANJO E TRANSFORMAVA A MINHA FAMÍLIA TODA EM ANJOS. (CATARINA)

FAZIA APARECER UMA ESCAVADORA PARA TIRAR MUITA TERRA E FAZER UMA CASA GRANDE. FAZIA UMA CIDADE CHEIA DE DOCES. (TIAGO S.)

VOAVA, VOAVA... (MAFALDA)

TRANSFORMAVA-ME NUMA PRINCESA. (LARA)

TINHA PODERES, BRINCAVA... (INÊS S.)

DIZIA PARA APARECER UM HELICÓPTERO COM MÍSSEIS, E VOAVA NO CÉU, FAZIA UM COMBATE E DISPARAVA BOLOS, GOMAS E CHEESECAKES. (GUILHERME)

ERA FIXE, TRANSFORMAVA A CIDADE EM LEGOS E AS PISTOLAS EM BABLAYDES. (DUARTE)

FAZIA UM ARCO-ÍRIS E PRENDIA LADRÕES. (PEDRO)

PINTAVA OS DESENHOS TODOS AO MESMO TEMPO E FAZIA ANOS HOJE. (SÉRGIO)

TRANSFORMAVA-ME NUMA “ANA MONTANA” E NUM GOLFINHO.

FAZIA O QUE EU QUERIA. TRANSFORMAVA-ME NUM HOMEM REI. (MÁRIO)

FAZIA UM CARRO TELECOMANDADO COM ÓLEO E ANDAVA DE HELICÓPTERO. (RAFAEL)

IA DE FÉRIAS. (MARA)

FAZIA UMA MAGIA...TINHA UMA NINHADA DE GATOS. (INÊS R.) TRANSFORMAVA-ME NUMA SEREIA… (MADALENA)

TINHA UM GATO. (LUCAS)

TRANSFORMAVA O RECREIO TODO EM DINHEIRO E A VARINHA NUMA BOLA (TIAGO P.)

TRANSFORMAVA ESTA CIDADE EM CHOCOLATE E O MEU IRMÃO NUM MACACO.

IA SEMPRE AO MC DONALDS. (GABRIEL)

COMPRAVA TODOS OS JOGOS DO MUNDO E TODOS OS FERRARIS. (SIMÃO)

TRANSFORMAVA-ME NUMA BORBOLETA. (LUANA)

TRANSFORMAVA A ESCOLA NUM HOTEL E PUNHA UM ARCO-ÍRIS NO CÉU. (MARTIM)

| Campeonato

Regional de Badminton do Desporto Escolar

desporto

A escola representou a CLDE da Península de Setúbal, no Campeonato Regional de Badminton, com uma Equipa de Iniciados Masculinos - Diogo Henriques, Gonçalo Reis, Ricardo Maria, Daniel Nogueira e Diogo Gomes e, na mesma categoria, em Individual Masculino - Diogo Henriques. Este Campeonato realizou-se no Complexo Escolar do Alvito – Óbitos, nos dias 10, 11 e

o pinheirinho 12

Sala Azul – Educadora Laura Casca

12 de maio. Na fase de apuramento, a equipa realizou três encontros, tendo ganho um e perdido dois. Ficou em 3º lugar do grupo. Na 2ª fase, a equipa obteve o 6º lugar da geral. No Torneio Individual, o Diogo Henriques realizou dois encontros, tendo perdido ambos. Foram jogos bastante disputados. Todos os nossos atletas e árbitro tiveram boas prestações. É de realçar que a maioria dos jogadores que se encontravam neste torneio eram federados e, portanto, treinam quase todos os dias e já realizaram vários campeonatos para jogadores federados. Parabéns a todos os atletas! Prof. Ana Luísa Gonçalves


No âmbito do Plano Anual de Atividades da nossa Escola e do Desporto Escolar, entre o final do mês de março e o mês de maio decorreram as seguintes atividades desportivas: Terceiro Torneio de Badminton, ainda no final de fevereiro, dia 23, na nossa Escola e no qual participaram os alunos do Núcleo desta modalidade, da responsabilidade da Professora Ana Luísa Gonçalves. Os nossos alunos ficaram bem classificados, destacandose o Afonso Sousa, vencedor em Infantis A e o Diogo Henriques em 2º lugar do seu escalão.

e Guilherme Santos, 2.º lugar, ambos no Salto em Comprimento. A aluna Raquel Oliveira obteve o 1.º lugar na fase final desta competição, representando a Equipa do Desporto Escolar da Península de Setúbal na Competição Nacional, em Vila Nova de Gaia, na qual obteve um honroso 5.º lugar. Torneio Interescolar de Basquetebol 3x3 – “Compal Air”, que decorreu na Escola Daniel Sampaio, no dia 11 de Abril e no qual participámos com duas equipas de Infantis e duas equipas de iniciados, femininos e masculinos. A equipa de infantis femininos, composta pelas alunas Daniela Rua, Maria João Dias, Maria Madalena Almeida e Margarida Silva, classificou-se em 1.º lugar, apurando-se para a Fase Regional, que decorreu no dia 8 de maio, em Rio de Mouro – Sintra.

p

| DESPORTO ESCOLAR

No Núcleo de Multiatividades, da responsabilidade dos Professores Élio Santos e Sylvie Dias, ainda no final de Fevereiro, dias 25 e 26, um grupo de alunos participou na atividade de“SURFTRIP”, em Peniche e do dia 29 de abril a 1 de maio, na atividade 2ª SURFTRIP & BTT, em Porto Covo.

Mega Sprinter – Fase Distrital, no dia 7 de março, destacando-se as excelentes classificações obtidas pelos alunos da nossa Escola, Diogo Henriques, 3.º Lugar na Velocidade; Raquel Oliveira, 3.º lugar

| Como ajudar o seu filho a adquirir hábitos e métodos de estudo? A criação de bons hábitos de estudo é fundamental, uma vez que permite que o aluno não rotule o estudo como uma obrigação aborrecida que é preciso estar constantemente a lembrar; permite que essa rotina passe a ser mais agradável, com obtenção de melhores resultados. Para tal, algumas questões colocamse para os pais refletirem: •

Conheça o seu filho(a). Saiba o que o motiva, como se organiza, as suas facilidades e dificuldades. Conheça-se a si mesmo. Pense se está preparado e motivado para ajudar o seu filho no estudo.

Na generalidade, os nossos alunos estão de parabéns, pela forma honrosa como representaram a nossa Escola, em todas as atividades externas em que participaram. Prof. Cristina Graça

Mantenha um diálogo com os professores do seu filho. Saiba o que seu educando faz na escola e mantenha-se em sintonia com o que o professor faz. A incoerência nas práticas educativas promove a desorganização, o comportamento inadequado e a desmotivação.

Não realize o trabalho pelo seu filho. Promova apenas as condições que promovam a sua autonomia.

Incentive a criança a pedir ajuda quando tem dúvidas

Estimule-a a ser limpa e organizada com o seu material escolar

Estabeleça as regras de estudo conjuntamente com o seu filho. Seja flexível, mas coerente e firme.

Respeite as atividades obrigatórias e essenciais (aulas, sono, refeições) e coordene-as com as atividades recreativas e de lazer.

Ajude a criança a cuidar de si convenientemente, como dormir o suficiente, fazer exercício físico, ter uma alimentação saudável e não estar envolvido em mais atividades de tempos livres do que aquelas que, humanamente, pode fazer.

Estabeleça um ambiente de estudo que promova a aprendizagem. Psicóloga Ana Borges

Ajude a criança a estabelecer objetivos para reduzir ansiedades e tensões e aumentar a probabilidade de ela estar motivada, recetiva e concentrada.

o pinheirinho 13

PSICOLOGIA

Campeonato Distrital de Badminton, no dia 2 de março, no qual ficaram apurados para participar no Campeonato Regional os alunos Daniel Salgado, Diogo Henriques, Gonçalo Reis, Ricardo Maria e Diogo Gomes. Esta fase da competição decorreu nos dias 10, 11 e 12 de maio, em Óbidos.

Em relação às atividades internas, no 2.º período decorreram os Torneios Interturmas de Badminton, para 2.º Ciclo e de Basquetebol, entre as turmas do 7.º ano. Neste momento, encontra-se a decorrer o Torneio Interturmas de Futebol, feminino e masculino, para todas as turmas do 2.º e 3.º Ciclos.


|A

tecnologia

Às vezes, quando passamos na rua, vemos pessoas a ouvir música sem Headphones ou outra coisa qualquer.

Hoje em dia, os jovens estão cada vez mais em contacto com a tecnologia . As amizades são feitas por telefone, num chat qualquer, ou numa rede social.

crónica temática

A tecnologia é, atualmente, praticamente a forma mais usada para comunicarmos entre nós, mas isso também tem aspetos negativos além de um mau impacto na socialização das pessoas.

Acho que essas pessoas se abstraem do mundo real, criando uma “bolha” à sua volta e não percebendo que nem todos gostam da sua música. Não deixem que a tecnologia vos afaste da vossa família e  amigos,  pois não vale a pena! João Costa, 9ºA

Trata-se de uma boa maneira de nos mantermos ocupados, nas férias, tempos livres ou mesmo a trabalhar! Não podemos esquecer os jogos, ver filmes, falar com pessoas e muito mais. Isto tudo abstrai-nos da vida real, pelo que nos começamos a excluir da sociedade, deixar de sair e não estar com os amigos para ficar em casa por diversas razões!

| CRISE ECONÓMICA Na minha opinião, Portugal está a passar por uma crise económica, porque investimos pouco na área da agricultura e nas pescas, que são dois potenciais de riqueza nacional. Se viajarmos um pouco pelo país, podemos observar vários campos que não são aproveitados e o nosso clima é ótimo para a agricultura. No que diz respeito à pesca, temos uma costa imensa onde poderia haver uma frota pesqueira com maior |

O RACISMO

O racismo é o modo de pensar em que se dá grande importância à existência de raças humanas distintas e superiores umas às outras. A crença da existência de raças superiores e inferiores foi utilizada muitas vezes para justificar a  escravidão, o domínio de determinados povos por outros e os genocídios que ocorreram durante toda a História da Humanidade. Na minha opinião, o racismo é algo que se veio a agravar cada vez mais na sociedade, a par da   xenofobia. Eu acho que não devia existir racismo, porque todas as raças têm os mesmos direitos e por serem de uma raça diferente não devem ser desrespeitadas. Algumas vezes, as pessoas são racistas porque já tiveram conflitos com outras raças.

o pinheirinho 14

dimensão e melhores condições para os pescadores, criando mais postos de trabalho e diminuindo o desemprego, daí podendo aumentar a exportação. As fábricas desses derivados teriam necessidade de aumentar o número de funcionários ou talvez até fosse necessário novas fábricas. Portugal tem tudo para ser autossuficiente em termos de alimentação.    Igor Ferreira, 9ºA

Na minha opinião, o racismo também se pode associar ao Bullying porque pode ser uma forma de gozar com outra pessoa só porque é de outra cor, por exemplo. Digam não ao racismo! Carolina Resende, 9º A


de deitar e os meus sonhos são sagrados.

| A Biblioteca da Escola - a porta dos meus sonhos

Os livros que tenho em casa já os li todos e comprá-los é muito dispendioso… Então, encontrei o paraíso: a “BE – Lorosae”.

Ainda não sabia ler e já contava histórias que saltavam dos livros; o meu irmão delirava e a minha mãe descansava. Eu sonhava acordada. Na adolescência, o gosto pela leitura afogou-se nas hormonas e os sonhos erravam noutras paragens.

Vou papando os livros todos! Estou longe de os acabar de papar! Ainda nem passei para a BD de que tanto gosto. Mas a fome da leitura voltou e ,com tantos livros na BE, não vou parar de sonhar e vou continuar a encher o meu mundo de adulto com histórias de fantasia. Prof. Helena Serôdio

Aos 15 anos, fui obrigada a ler Os Maias, de Eça de Queirós e a paixão da leitura saltou para a ribalta. E foi aí que tudo começou… A fome da leitura era tão grande, que me esquecia de comer, de brincar, de namorar… Simplesmente, eu papava livros! Hoje, depois de precisar de livros para viver, eles também servem de companhia na praia, no dentista, nos transportes, onde tenho que esperar sozinha; até são o meu comprimido para dormir: 2 a 3 páginas antes

Desporto é a prática de atividade física que tem como objetivo equilibrar a saúde ou melhorar a aptidão física e entreter. O Desporto, acompanhado por outras coisas, é algo que nos ajuda a sermos saudáveis e, mais implicitamente, nos ensina a sermos responsáveis, trabalhar em equipa (ser coletivo), respeitar o oponente, seguir as regras e sempre dar o nosso máximo para evoluir.

| Os perigos da viagem dos

marinheiros portugueses

Os Portugueses, na epopeia de Camões, passam, maioritariamente, o tempo a navegar. Durante esse período, enfrentam inúmeros perigos, tendo alguns marinheiros ficado gravemente feridos ou chegado mesmo a morrer.

Apesar de todos os pontos positivos do desporto, na minha opinião, o deporto também tem os seus pontos negativos, como por exemplo as manipulações e a pressão exercida sobre os atletas, o que os leva a cometer erros. Acho que todos, consoante as suas capacidades e os seus gostos, deviam fazer algum desporto, pois é benéfico para a saúde e nos ensina alguns princípios. Luíz Jesus, 9ºA

A maior parte desses navegadores Portugueses morreram pela pátria; morreram com o objetivo de quererem descobrir aquilo que nos rodeia e dar às gerações futuras um motivo para os relembrarmos. É por isso que ficaram com o título de “Heróis” e todos sabem que, se não fossem eles, neste momento, não conhecíamos nem metade daquilo que conhecemos hoje em dia. Catarina Rosa, 9ºA

Os navegadores passaram por marés muito agitadas que quase viraram os navios ao contrário;  por temperaturas altíssimas que fizeram com que ficassem desidratados e queimados;  por temperaturas baixíssimas que fizeram com que alguns ficassem em hipotermia e gelados até aos ossos; ficaram dias e dias sem terem nada para comer; passaram por enormes tempestades que quase destruíram os navios todos e contraíram doenças bastante graves, como a peste negra, mas nem assim desistiram do seu objetivo. Tudo isto só para fazerem com que o povo de Portugal ficasse com o título de “invencível”, “corajoso” e “superior aos deuses”.

o pinheirinho 15

el patio castellano CRIAÇÃO LITERÁRIA EL PATIO CASTEL-

| Desporto


| A Glorificação dos Portugueses

falta de nutrientes fazia com que os marinheiros ficassem doentes. Adicionado ao facto de estarem privados de cuidados médicos (que na época eram mínimos),houve centenas de mortes. Outro obstáculo foi o sofrimento psicológico com o qual viveram. A despedida dos entes queridos deixou muita saudade e tristeza, tanto para as pessoas que embarcaram na viagem, como para os familiares e amigos que os viram partir. A referência a este acontecimento encontra-se no episódio “Despedidas em Belém”.

Na época dos Descobrimentos, os marinheiros portugueses sofreram bastante, pois enfrentaram grandes dificuldades que poderiam ter feito com que a armada de Vasco da Gama se arrependesse desta grande decisão que tomaram.

Por fim, a armada de Vasco da Gama teve de enfrentar o desconhecido. Apesar do receio, arriscaram e deixaramse levar pela aventura de dar novos mundos ao mundo, pelos quais ainda ninguém tinha passado. Apesar de tudo aquilo por que passaram nesta longa viagem, os portugueses ultrapassaram todos os obstáculos e conseguiram cumprir o seu objetivo.

Uma das dificuldades foi o clima marítimo. As tempestades são uma das principais causas de naufrágio no mar. N’ “Os Lusíadas”, este perigo foi personificado através do episódio do “Adamastor”.

“Os Lusíadas” enaltecem o herói coletivo, que foram os marinheiros portugueses, que ficaram marcados na História para sempre.

A fome e as doenças. Ao fim de algum tempo, os alimentos e a água potável acabavam por escassear e a

Raquel Costa, 9ºA

|

“Os Lusíadas”

Os portugueses são um povo corajoso e audaz que empreenderam feitos grandiosos. Na viagem de Vasco da Gama à Índia, os marinheiros e este enfrentaram inúmeros perigos: a fúria dos deuses, a forte tempestade, o monstruoso gigante… mas eles apenas ultrapassaram estas dificuldades com a sua coragem, audácia e grandiosidade, pois foram estas as principais características que os salvaram dos obstáculos. O medo de Baco de perder a sua importância em relação aos portugueses fez com que ele pedisse a Neptuno que soltasse os ventos, o que deu origem à tempestade. Porém, Vénus apoiava a ideia do povo lusitano chegar à Índia e por isso mandou as suas | O Episódio de Inês de Castro em Os

Lusíadas, de Camões

O meu episódio favorito n’Os Lusíadas foi o de Inês de Castro. Este episódio, introduzido no canto III e no plano da História de Portugal, foca-se no assassinato de Inês de Castro, amada de D. Pedro. o pinheirinho 16

ninfas acalmarem os ventos. Mas as complicações não terminaram aqui! Quando já pensavam que tinham superado todos os problemas, um corpo grande e assustador se meteu no seu caminho. O seu nome era Adamastor. Este apresentava duas facetas: uma monstruosamente má e outra apaixonadamente solitária. Depois de lhes contar a sua história, o gigante deixou-os continuar a sua jornada. Depois de tantas aventuras, os portugueses finalmente chegaram ao seu destino e trouxeram glória a Portugal, mas também provaram que a minha opinião estava correta: que o povo português era audaz, ousado, grandioso, patriótico e, principalmente, heroico. Mariana Tavares, 9ºA A sua relação era mal vista pelos portugueses e D. Pedro recusava casar-se com outra mulher. D. Afonso IV, pai de D. Pedro, decide matá-la. Dado que relata um acontecimento trágico (a morte de Inês de Castro), com algum lirismo próprio da obra de Camões, este episódio merece a minha preferência. A culpa da sua morte é imputada ao Amor e a forma como Inês tenta argumentar com Afonso IV, apelando à sua sensibilidade, pedindo-lhe para ficar com os seus filhos e comparando os seus agressores a animais selvagens, só para acabar morta, é ,para mim ,algo de lindíssimo, a um nível difícil de explicar. (D. Pedro, após chegar ao trono, conseguiu a sua vingança, sendo implacável com os criminosos e matando quem lhe tirou a sua amada.) Existirão amores assim, realmente?! Diogo Tavares, 9ºA


Há mar e mar Há ir e voltar. Podes aprender a navegar, E devagar poderás entrar, Mas o mar, ó mar Quão perigoso, mas necessário tu és Atiramo-nos de cabeça e esquecemonos de deixar os pés Na terra Porque, apesar de seres convidativo, ó mar, E mesmo sabendo navegar, Sanidade de muitos vais tirar Mas mar, ó mar, A mim já não me podes afetar. Diogo Tavares, 9ºA

| Ó mar

Ó mar, Ó mar De fundo negro pelos teus olhos me apaixonei, De grandiosos rochedos por onde eu encalhei Para nunca mais voltar… Ó mar, Ó mar de cor azul Deixa-me nadar nas tuas rebeldias, Deixa-me banhar nas tuas lágrimas Para nunca mais voltar… Ó mar, Ó mar, Tão triste que tu estás… Não chores mais Fica manso, sereno… E sê feliz! Deixa-me ficar contigo, Para nunca mais voltar… Alexandra Sequeira, 6ºB

| Um Poeta sonhador O dia nascia, A noite se escondia A maré já enchia … A brisa da manhã já soprava Com uma luz intensa a brilhar Como um holofote que iluminava Uma silhueta feminina no mar! Em cima mulher Em baixo peixe, Com uma cauda cor de safira Com esmeralda e rubi. Era o mais belo ser Que alguma vez contemplei. Estendeu-me a mão, Mas acordei … Não passava de um mero sonho de um poeta sonhador Mariana Tavares, 9ºA

| Um cavalheiro Um cavalheiro, Homem seguro, confiante, de sorriso profundo Que nos faz pensar, sonhar, imaginar… A ternura que encerra em cada gesto, Carinho, atenção… Cavalheiro de elmo e escudo humanos, De carne e coração feitos… Senhor de cuidados, Adivinhando cumplicidades… Em toques de carícias, As mãos docemente beijando, Cavalheiro és, Tu, que pelo sorriso e atenção me cativaste, Tu, que pela ousadia cuidada me encantaste! Cavalheiro, sempre, Qual andante, Rumo à construção de castelos, Lutando contra nada, Buscando sua Dulcineia, Em cruzares de olhares, Feitiços, abertos e fechados, Quando não escondem, revelam o que são… Cavaleiro andante és! Tu, um cavalheiro! M.F.

o pinheirinho 17


| Estás a ouvir? Estás a ouvir?

Um sorriso vais ter de esboçar

| “Amor platónico”

Já sabes o que é não viver?

E principalmente dizer:

Percebes como é cair?

“Estou bem.”

Não há nada a temer…

Eles vão acreditar

Vais-te levantar

E não se vão importar

Como se acabasses de acordar

Apesar de se refletir nos teus olhos:

Erguer a cabeça e pensar

“Podem ajudar-me?”

Coimbra, 27 de dezembro de 1869 Olá, princesa! Estou farto disto! Não! A sério! É que já me irrita ver os teus pais a olhar para mim como um mísero jardineiro, mas eles até têm razão... eu é que fui o imbecil que não soube aproveitar os estudos. Imagina só, se descobrissem a nossa relação... nem quero pensar nisso nem nas consequências que sofrerias... Por falar em relação, já não te vejo há dias e estou com saudades tuas! Temos que combinar alguma coisa, mas tens que falar pela moça da padaria! É a única que nos tem ajudado na nossa relação. Não percebo como é que os reis do meu, não, do nosso país podem ser tão severos contigo em relação a mim; como é que, em pleno séc. XIX, os teus pais só querem que tu te cases com príncipes de outros reinos. Acredito que, um dia, eu e tu possamos ser felizes juntos, mas, até lá, vamos trocando cartas. Tenta responder sem que os teus pais saibam, minha princesa.

“Por que raio fui eu ressuscitar?”

Ama-te,

Um beijo do teu amado Jardineiro.

Vai ser difícil avançar

Joana Oliveira, 9ºA

Fiz-te sentir?

E, dificilmente, vais ter de andar

Bem… agora entendes?

Vaguear,

Já sabes o que é não dormir?

Falar, Exprimir,

Valoriza-te.

| A primavera

Rodrigo Marques, 9º A

A Primavera é uma estação do ano muito bonita porque os campos ficam coloridos e verdes; nascem flores de várias cores; as árvores ficam com mais folhas e também começam a dar flor. Durante esta época do ano, os pássaros regressam e, de manhã, acordamos com o seu chilrear. As andorinhas e as rolas fazem os seus ninhos nos postes, nas casas e em muitos outros sítios. Nesta estação, os dias ficam maiores e o tempo começa a aquecer, pelo que apetece-nos ir à praia e fazer piqueniques no campo. A primavera é a minha estação do ano preferida. Diogo Campos, 9ºA Terra que Só tu Sabes, 3 de março de 2013

uns egoístas.

Olá!

Isto é um grande problema, não é? Pois…

Espero que esteja tudo bem contigo!

As pessoas, hoje em dia, só se importam com dinheiro! Já não têm princípios.

Agora, deves estar a perguntar-te: “Isto tem solução? Qual é a solução?”. Bem, isso não sei, mas uma das hipóteses é voltar ao antigamente; procurar pessoas boas, com um bom coração, para que nos ajudem a ensinar a próxima geração, a instaurar bons princípios, bons hábitos e, acima de tudo, um bom coração.

Se tu olhares à tua volta, só vês corrupção, roubo, criminalidade, traição, pecado e não digo mais.

Não vai ser fácil, digo já. Mas eu estou disposta a dar tudo por tudo. Alinhas?

Esta geração já não é educada, não tem cultura geral, é egoísta e só diz asneiras.

Sei que Deus concorda e vai abençoar isto tudo.

Estou a escrever-te a avisar que o mundo não está bem.

O governo nem se fala… Alguns pais… eu tenho pena deles! Fartam-se de trabalhar, de dar o seu melhor para os filhos, que são o pinheirinho 18

Bênçãos da tua amiga de infância.                 Raquel Dias, 9ºA


| Lembras-te …

Nós já nem amigos somos, nós somos desconhecidos

Lembras-te das cenas que me dizias, as cenas que me

que se odeiam(amam) um ao outro, mandam indiretas

fazias? Eu acho que não te lembras dos momentos

, discutem e falam mal nas costas.

que nós passamos, não te lembras do que me dizias

Mas tudo isso é odio e saudade. Sim saudade queres

quando estavamos apenas nós os dois... e como eu

mesmo que eu acredite que não tens saudades de

sei isso? Sempre que alguém te leva ao passado tu

aqueles pequenos momentos foram poucos mas bons.

negas tudo porque não queres admitir que eu fiz parte

A nossa frieza era tanta que até um professor notou.

da tua vida.

Um amigo nosso no outro dia veio falar comigo e

Dizes que eu e que destruí tudo mas lembra-te que

disse-me: ‘Ele quase nao tem coração’... e vocês até

a culpa não é só de um é sempre dos dois..sim

faziam um casalinho fofo.Pois faziamos ..passado... E

prinicipalmente minha...sim cometi um erro mas tu

assim era permanecer até o teu coração amolecer...

também apenas não admites porque o teu orgulho e

Com tudo isto apenas te digo: Tenho saudades tuas.

Wh You Your If you b

| Chistes

ld eds our help! an help!

N

eds our help!

don’t you recycle an reuse many materials ife will be better lieve

en Español

Bautizando al nene: En un bautismo de un bebé gallego, el cura contesta enojado… - No, hijos, al bebé no le puede poner Batman...!!! - Entonces que sea Superman!!!...responde Manolo - Le repito, no puede ser. Tiene que ser un nombre de pila !!! Enfurecido el gallego le responde… - Está bien Padre... entonces que sea Duracell....!!!

. ¿Por qué a los mexicanos no los invitan a jugar billar? - Porque se comen los tacos. . ¿Por que los de Lepe ponen internet en la ventana? - Para tener windows vista. . - ¿Cuál es la diferencia entre un vendedor de coches y uno de ordenadores? -El segundo no sabe cuando miente. . Iba un perro ingles y un perro español en medio del desierto y dice el perro ingles “I’m sorry” y el perro español “I’m perry”

A redação d’ O Pinheirinho agradece a colaboração dos patrocinadores que tornaram possível esta edição. Agradece, também, o empenho e espírito de iniciativa do Núcleo Jornalístico, desejando a todos umas excelentes férias! o pinheirinho 19

patio castellano

The wo N And we

english corner

Steffany, 7ºC

maior do que tu.


Pinheirinho xix 3  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you