Page 1

segunda edição deste livro foi ampliada e inteiramente atualizada, tornando-o mais compreensivo em crescimento e maturação biológicos de crianças e adolescentes. A nova edição retém todas as melhores características da original, incluindo as úteis linhas gerais no início de cada capítulo que permitem aos alunos fazerem uma revisão dos principais conceitos e avaliarem sua compreensão do material. Esta edição tem como característica atualizações em conteúdo básico, capítulos ampliados e modificados e as últimas descobertas em pesquisa para ir ao encontro das necessidades de alunos graduandos e graduados, assim como pesquisadores e profissionais que trabalham com crianças e jovens adultos. A segunda edição também inclui estas novas características:

Os autores são três das autoridades mundiais mais importantes em crescimento e desenvolvimento de crianças. Em 29 capítulos, abordam conceitos introdutórios e crescimento pré-natal; crescimento pós-natal; desenvolvimento funcional; maturação biológica; fatores influentes em crescimento e desenvolvimento; e aplicações a diversos contextos em saúde pública, medicina clínica, esporte e biologia humana. Este livro descreve muitos tópicos, incluindo técnicas para a avaliação de composição corporal, os últimos avanços no estudo do músculo esquelético, o projeto do genoma humano, a regulação hormonal de crescimento e maturação, o esclarecimento sobre valores de ingestão de dietas e o estudo de risco para diversas doenças em adultos. Este é o único livro que focaliza o processo de crescimento e maturação de crianças e adolescentes conforme o relaciona à atividade física e ao desempenho. Com mais de 300 novas páginas de material, este livro se baseia de maneira especializada na primeira e bem-sucedida edição.

ISBN 978-85-7655-217-8

9 788576 552178

Crescimento, Maturação e Atividade Física Segunda Edição

Robert M. Malina Claude Bouchard Oded Bar-Or

 Dez atividades de laboratório que estimulam os alunos a investigarem as questões da disciplina fora da sala de aula e pouparem tempo aos professores;  Uma completa lista de referência ao final de cada capítulo;  Resumos ao final de cada capítulo para facilitar o processo de revisão dos alunos;  Novos capítulos que fornecem atualizações em termorregulação e tendências seculares;  Discussões que se estendem em torno de problemas atuais em saúde pública, assim como a quantificação de atividade física e gasto energético, subnutrição persistente em países em desenvolvimento e obesidade epidêmica em países desenvolvidos.

Crescimento, Maturação e Atividade Física

A

Robert M. Malina Claude Bouchard Oded Bar-Or


Crescimento, Maturação e Atividade Física


Instituto Phorte Educação Phorte Editora Diretor-Presidente Fabio Mazzonetto Diretora Executiva Vânia M. V. Mazzonetto Editor Executivo Tulio Loyelo Tradução Samantha Stamatiu Adriana Inácio Elisa Revisor Científico José Irineu Gorla Edison Duarte Décio Roberto Calegari


Crescimento, Maturação e Atividade Física Segunda Edição

Robert M. Malina, PhD, FACSM Professor Pesquisador Universidade Estadual de Tarleton Claude Bouchard, PhD, FACSM Diretor Executivo Centro de Pesquisa Biomédica Pennington Universidade Estadual de Louisiana Oded Bar-Or, MD, FACSM Diretor Centro de Nutrição e Exercício Infantil Universidade de McMaster

São Paulo, 2009


Título original em inglês: Growth, Maturation and Physical Activity Copyright © 2004 by Robert M. Malina, Claude Bouchard e Oded Bar-Or Copyright © 1991 by Robert M. Malina, Claude Bouchard Direitos adquiridos para Língua Portuguesa – 1ª edição brasileira – 2006 Rua Treze de Maio, 596 CEP: 01327-000 Bela Vista – São Paulo – SP Tel/fax: (11) 3141-1033 Site: www.phorte.com E-mail: phorte@phorte.com

Nenhuma parte deste livro pode ser reproduzida ou transmitida de qualquer forma ou por quaisquer meios eletrônico, mecânico, fotocopiado, gravado ou outro, sem autorização prévia por escrito da Phorte Editora Ltda. CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ ______________________________________________________________________________________ M217c Malina, Robert M. Crescimento, maturação e atividade física / Robert M. Malina, Claude Bouchard, Oded Bar-Or; [tradução Samantha Stamatiu, Adriana Inácio Elisa]. - São Paulo: Phorte, 2009. 784p. : il. Tradução de: Growth, maturation, and physical activity Inclui bibliografia e índice ISBN 978-85-7655-217-8 1. Crescimento humano. 2. Exercícios físicos - Aspectos fisiológicos. I. Bouchard, Claude. II. Bar-Or, Oded. III. Título. 09-1242.

CDD: 612.6 CDU: 612.6

23.03.09 24.03.09 011616 ______________________________________________________________________________________ Impresso no Brasil Printed in Brazil


CRÉDITOS Figura 3.1 b – Reprinted, by permission, from T.G. Lohman, A.R. Roche, and R. Martorell, 1988, Anthropometric standardization of reference manual (Champaign, IL: Human Kinetics), 6. Figura 3.2 b – Reprinted, by permission, from T.G. Lohmam, A.R. Roche, and R. Martorell, 1988, Anthropometric standardization of reference manual (Champaign, IL: Human Kinetics), 14. Figura 12.1 – Adapted by permission, from K. Turley and J. Wilmore, 1997, “Cardiovascular response to treadmill and cycle ergometer exercise in children and adults,” Journal of Applied Physiology 83:948-957. Figura 12.2 – Adapted by permission, from B.S. Alpert, N.L. Flood, and W.B. Strong, “Responses to ergometer exercise in healthy biracial population of children,” Journal of Pediatrics 101:528-545. Figura 12.3 – Reprinted, by permission, from O. BarOr, 1983. Pediatric sports medicine for the practitioner. In Physiologic principles to clinical applications (Heidelberg, Germany: Springer-Verlag). Figura 12.4 – Reprinted, by permission, from O. BarOr, 1983. Pediatric sports medicine for the practitioner. In Physiologic principles to clinical applications (Heidelberg, Germany: Springer-Verlag). Figura 12.7 – Reprinted, by permission, from O. BarOr, 1983. Pediatric sports Medicine for the practitioner. In Physiologic principles to clinical applications (Heidelberg, Germany: Springer-Verlag). Figura 12.8 – Figure from A Primer of Molecular Biology, by G. Frost et al., copyright 1997, Elsevier Science, reproduced with permission from the publisher. Figura 13.3 – Reprinted, by permission, from D. Docherty, 1996, Measurement Techniques in pediatric exercise science (Champaign, IL: Human Kinetics), 166. Figura 13.4 – Reprinted, by permission, from D. Docherty, 1996, Measurement Techniques in pediatric exercise science (Champaign, IL: Human Kinetics), 174. Figura 13.14 – Adapted, by permission, from H. Hebestreit, K. Mimura, and O. Bar-Or, 1993, “recovery of muscle power after high-intensity short-term exercise: Comparing boys and men, Journal of Applied Physiology 74:2875-2880. Figura 14.1 – Reprinted, by permission, from O. BarOr, 1983, Pediatric sports medicine for the prac-

tioner. In Physiologic principles to clinical applications. (Heidelberg, Germany: Springer-Verlag). Figura 14.3 –Reprinted, by permission, from O. BarOr, 1989, “Temperature regulation during exercise in children and adolescents,” Perspectives in Exercise Science and Spots Medicine 2: 335-367. Figura 14.4 – Reprinted, by permission, from B. Fulk, Bar-Or, and J.D. MacDougall, 1992, “Thermoregulatory responses of pre- mid-, and late-, pubertal boys to exercise dry heat,” Medicine and Science in Sport Exercise 24:688-694. Figura 18.4 – Reprinted, by permission, from R. Roberts et al.; 1992. A primer of molecular biology (New York: Kluwer Publishing), 22. Figura 19.17 – Reprinted, by permission, from P.E. Clayton et al.; 1997, “Serum leptin through childhood and adolescence,” Clinical Endocrinology 46:727-733. Figura 21.4 – Reprinted, by permission, from H. Hebestreit et al.; 1995, “Climate-related corrections for improved estimation of energy expenditure from heart rate in children, “Journal of Applied Physiology 79:47-54. Figura 21.5 – Reprinted, by permission, from R.C. Bailey et al.; 1995, “The level and tempo of children’s physical activities: An observational study,” Medicine and Science in Sport Exercise 27:1033-1041. Figura 26.1 – Figure from ATHEROSCLEROSIS AND IOTS ORIGIN, edited by Sandler M and Bourne G.H; copyright 1963, Elsevier Science (USA), reproduced with permission from the publisher. Figura 27.2 – Adapted from The role of physical activity in the development and maintenance of eating disorders, C. Davis et al.; Copyright 1994, with permission from the Elsevier. Figura 27.5 – Reprinted, by permission, from H. Keller et al., 2000, “Anaerobic performance in 5-to 7-yr-old children of low birth weight,” Medicine and Science in Sport Exercise 32:278-283. Tabela 10.4 – Reprinted, by permission, from V. Seefeldt, P. Reuschlien, and P. Vogel, 1972, Sequencing motor skills within the physical education curriculum, paper presented at the annual convention of the American Association for Health, Physical Education, and Recreation, March 27, 1972, Houston, Texas.


AGRADECIMENTOS Gostaríamos de expressar nossa gratidão aos muitos indivíduos que fizeram parte da preparação da segunda edição de Crescimento, Maturação e Atividade Física. Agradecemos os esforços de Diane Drolet e Jean Yves Dallaire, da Laval University, e Nina Laidlaw, do Pennington Biomedical Research Center, na preparação das ilustrações e das tabelas; a paciência de Nina Laidlaw em compreender e tolerar os caprichos de três autores merece especial menção. Nós também queremos agradecer a Randy Calvert, por fornecer fotografias para o Capítulo 3. Agradecemos Toni Finn, também do Pennington Biomedical Research Center, por facilitar os arranjos para as sessões de trabalho dos autores. Os esforços e as sugestões da Melissa Feld e Judy Wright, da Human Kinetics, foram de valor incalculável. Esta revisão teve uma gestação maior do que a esperada (isto é, é um longo atraso), e sua paciência em trabalhar conosco foi muitíssimo apreciada. Muitos colegas fizeram a leitura de capítulos específicos e partes dos capítulos enquanto a revisão estava em preparação ou ofereceram dados específicos para um capítulo: Capítulo 4 – Albrecht Claessens, Katholieka Universiteit Leuven e J.E Lindsay Carter, San Diego State University. Capítulo 7 – Phil Gardiner, University of Montreal; Howien Green, University of Waterloo e Davis Hood, York University. Capítulo 8 – Michael Jensen, Mayo Clinic; Meter Katzmarzyk, Queen’s University; Michael Goran, University of Southern California; Robert Ross, Queen’s University e Hans Hauner, University of Dusseldorf. Capítulo 10 e 11– Vern Seefeldt and John Haubenstricker, Michigan State University.

Capítulos 15 e 16 – Alex Roche, Shumei Sun e W. Cameron Chumlea, Wright State University School of Medicine. Capítulos 15 e 17 e seções sobre escala – Gaston Beunen, Katholieke University Leuven. Capítulo 18 – Rudy Leibel, Colômbia University; Molly Bray, University of Texas Health Science Center at Houston e Slawomir Koziel, Institute of Antropology, Wroclaw, Polônia (também o Capítulo 28). Capítulo 19 – Alan Rogol, University of Virginia e Steve Smith, Pennington Biomedical Research Center. Capítulo 20 – James DeLany, Catherine Champagne e Marlene Most, Pennington Biomedical Research Center. Capítulo 24 – Mary Hediger, National Institutes of Health. Capítulo 29 – Shumei Sun, Wright State University School of Medicine e Takashi Satake, Nihon University. Suas sugestões, correções e orientações foram de valor incalculável, e seus esforços, muito apreciados. Por fim, Dorothy Eichorn, do Institute of Human Development da Universidade da Califórnia, em Berkeley, ofereceu a data crua a partir do Adolescent Growth Study realizado em Oakland. Esses dados foram utilizados em diversas figuras no Capítulo 17. Finalmente, gostaríamos de agradecer às muitas crianças e aos adolescentes que tivemos a oportunidade de ensinar, treinar e orientar, com os quais conduzimos algumas de nossas pesquisas. Eles nos proporcionaram muitos esclarecimentos sobre os processos dinâmicos de crescimento, maturação, atividade física e desempenho.


PREFÁCIO O estudo de crescimento, maturação, atividade física e desempenho é fundamental à Ciência do Esporte, à Educação Física, à Biologia Humana e à Antropologia Biológica. Uma quantidade significante de variabilidade biológica normal na idade adulta, incluindo risco de diversas doenças, tem sua origem entre o intervalo de tempo ocupado pelo período pré-natal e aproximadamente as primeiras duas décadas de vida. Esta edição revisada e ampliada fornece um resumo compreensivo sobre crescimento biológico e maturação, desempenho físico e atividade física em intervalos do período pré-natal, da infância, da pré-adolescência e da adolescência na idade adulta jovem. Em adição à atualização do conteúdo básico da primeira edição, capítulos específicos foram expandidos e significantemente modificados para acomodar os recentes avanços na tecnologia e na ciência. Esses avanços incluem: técnicas para a avaliação da composição corporal; avanços no estudo do músculo esquelético e, especialmente, tecidos adiposos; progresso associado ao Projeto Genoma Humano e à regulação genética dos processos fundamentais de crescimento e maturação; avanços na compreensão da regulação hormonal do crescimento e da maturação, incluindo a identificação de diversos novos hormônios; avanços no esclarecimento de ingestões dietéticas de referência; e ampliação do estudo do risco de diversas doenças adultas para infância, pré-adolescência e adolescência. A revisão foi, também, expandida para incluir discussões específicas e relevantes no contexto dos problemas atuais de saúde pública: a quantificação de atividade física e o gasto energético, a persistente subnutrição em países em desenvolvimento e a obesidade epidêmica em países desenvolvidos. Um capítulo sobre termorregulação foi adicionado para destacar as respostas singulares de crianças em respostas a extremos ambientais de calor e frio. Para ilustrar a plasticidade do crescimento, da maturação e do desempenho ao longo do tempo, foi, também, adicionado um capítulo sobre tendências seculares. A edição revisada e ampliada está divida em seis partes. A Parte I introduz conceitos básicos e o es-

copo da área abrangida pelos termos crescimento, maturação, atividade física e desempenho, fornecendo uma visão geral do crescimento pré-natal e do desenvolvimento funcional. A Parte II foca os métodos de estudo e de variação de idade e sexo no tamanho corporal, nas proporções, no físico, na composição corporal e em três tecidos específicos – esquelético, musculoesquelético e adiposo – por meio das duas primeiras décadas da vida pós-natal, aproximadamente. A Parte III discute o desenvolvimento funcional no contexto do desempenho físico e as respostas ao exercício durante a pré-adolescência e a adolescência. A Parte IV introduz o conceito de maturação biológica em termos de métodos de avaliação, crescimento adolescente acelerado e variação associada à maturidade em tamanho, composição corporal e desempenho. A Parte V fornece uma discussão aprofundada sobre os fatores primários interagentes que regulam o processo de crescimento e maturação – genes, hormônios, nutrientes e energia. É examinado, também, o papel potencial da atividade física como fator que afeta tanto esse processo quanto as respostas ao treinamento sistêmico. Essa parte também inclui discussões específicas sobre a prevalência e as consequências da subnutrição crônica e da obesidade, assim como de outros fatores associados com a variação em crescimento, maturação, desempenho e atividade física. Por fim, a seção final, Parte VI, é totalmente aplicada ao contexto da atividade física e do esporte, investigando os fatores de risco para doenças em adultos, muitas das quais estão relacionadas à inatividade física e à obesidade; as características de crianças com diversas condições clínicas crônicas que afetam o crescimento, a maturação, o desempenho e a atividade, que são altamente aparentes em escolares e adolescentes; o tamanho e as características funcionais de jovens atletas em uma variedade de esportes; e as tendências seculares em crescimento e maturação ao longo dos últimos 150 anos. A primeira edição foi desenvolvida para a utilização em um curso anual, sequência superior (Júnior e Sênior) em Cinesiologia e Biologia Huma-


na/Antropologia Biológica, lidando, no primeiro semestre, com crescimento humano e maturação e, no segundo, com desenvolvimento motor, desempenho e atividade física. Ela também foi adaptada com sucesso por dois dos autores e por muitos colegas em um curso compreensível para um único semestre, incluindo alunos da divisão básica. O texto é apresentado de forma simples. Como a primeira edição, a revisão reúne em um único volume materiais essenciais para uma compreensão do crescimento biológico e maturacional de crianças e adolescentes e da complexidade de fatores associados à regulação desses processos, posicionando esses materiais no contexto de atividade física, desempenho e saúde. Embora a primeira edição tenha objetivado principalmente alunos de Ciência do Esporte, também é relevante para alunos de Biologia Humana e Antropologia Biológica, Enfermagem, Saúde Pública e Ciência do Exercício Pediátrico. Alunos nessas e em outras áreas têm expandido seus interesses crescentemente em relação à infância, incluindo atividade física e sedentarismo no contexto da saúde em diferentes condições ambientais, esporte competitivo para crianças e adolescentes, desenvolvimento motor e desempenho em diferentes ambientes culturais. Cada capítulo é iniciado por um quadro de linhas gerais dos tópicos a serem analisados. Após a

leitura de um capítulo, os alunos podem testar sua compreensão retornando ao quadro de linhas gerais para ver se eles se recordam dos principais conceitos. Uma lista detalhada de referências é fornecida em cada capítulo. Essa é uma grande alteração em relação à primeira edição, pois facilita a identificação das fontes específicas e inclui mais referências gerais. Nós incluímos asteriscos nas referências recomendadas para uma leitura mais aprofundada. As fontes mais recentes são citadas nos lugares apropriados. É preciso enfatizar, além disso, que o fato de uma referência ser mais recente não necessariamente a faz mais apropriada que um estudo anterior que havia notado uma observação específica. Cada capítulo inclui tabelas e figuras para facilitar a apresentação e ilustração de conceitos básicos apresentados. A revisão tem uma perspectiva internacional. Ela inclui dados de muitas áreas do mundo. Crianças e adolescentes são a próxima geração de uma sociedade e, portanto, devemos apreciar e compreender o processo de crescimento e maturação. Esperamos que o texto seja útil e supra as necessidades de alunos e pesquisadores de Ciências do Esporte, Cinesiologia, Biologia Humana, Antropologia Biológica e áreas afins. Comentários e sugestões de discentes e docentes são sempre bem-vindos.


SUMÁRIO

Parte

I

Introdução

Capítulo 1

Conceitos Introdutórios ...............................................................................19 Definições e Contexto. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20 Idade Cronológica e Grupos por Faixa Etária. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23 Por que Estudar esses Fenômenos?. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25 Tipos de Estudos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27 Princípios de Medição e Observação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28 Visão Geral sobre Crescimento Pós-Natal: Curvas de Scammon. . . . . . . . . . . 30 Regulação Geral do Crescimento e da Maturação. . . . . . . . . . . . . . . . . . 31 Fontes de Crescimento, Desempenho e Dados de Atividade . . . . . . . . . . . . 32 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37

Capítulo 2

Crescimento Pré-natal e Desenvolvimento Funcional .................................41 Estágios do Crescimento Pré-Natal. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41 Diferenciação Sexual. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43 Gêmeos e Geminação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45 Perda Pré-Natal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45 Malformações Congênitas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46 Crescimento Fetal. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47 Atividade Motora Fetal. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49 Fatores que Afetam o Peso no Nascimento. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51 Visão Geral do Período Pré-Natal. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55 Origens Fetais de Doenças em Adultos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 56 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58


Parte

II

Crescimento Pós-Natal

Capítulo 3

Crescimento Somático ................................................................................. 63 Medidas Comumente Utilizadas em Estudos de Crescimento. . . . . . . . . . . . 64 Crescimento em Estatura e Peso Corporal. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 71 Crescimento do Índice de Massa Corporal. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 87 Padrões de Crescimento em Outras Dimensões Corporais . . . . . . . . . . . . . 91 Alterações em Proporções Corporais. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94 Ajuste da Variação em Tamanho Corporal – Escala . . . . . . . . . . . . . . . . . 95 Monitoramento. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 98 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 102 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 102

Capítulo 4

Desenvolvimento da Estrutura Física Corporal......................................... Conceito de Somatotipo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Métodos na Avaliação da Estrutura Física Corporal. . . . . . . . . . . . . . . . Somatotipo de Crianças e Adolescentes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Exemplos de Somatotipos de Indivíduos Durante o Crescimento. . . . . . . . . Distribuições de Somatotipos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Alteração de Somatotipo Durante o Crescimento. . . . . . . . . . . . . . . . . Monitoramento. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Capítulo 5

Composição Corporal .................................................................................... 127 Modelos de Composição Corporal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 127 Métodos de Estimativa da Composição Corporal . . . . . . . . . . . . . . . . . 131 Aplicações para Crianças e Adolescentes. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 135 Conceito de Maturidade Química . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 137 Composição de MLG em Crianças e Adolescentes. . . . . . . . . . . . . . . . . 138 Alterações na Densidade e no Total de Água Corporal Durante o Crescimento. 139 Crescimento de MLG, MG e Percentual de Gordura. . . . . . . . . . . . . . . . 140 Monitoramento. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 144 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 145 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 145

Capítulo 6

Tecido Ósseo no Crescimento do Esqueleto e na Composição Corporal ..... 149 Células Ósseas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 149 Formação Óssea. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 150 Crescimento de um Osso Longo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 151 Osso como Componente da Composição Corporal . . . . . . . . . . . . . . . . 156 Monitoramento. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 163 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 163 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 163

Capítulo 7

Tecido Muscular Esquelético ....................................................................... 165 O Músculo como um Tecido. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 165 Miogênese. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 170 Tipos de Fibra Muscular. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 172 Tamanho da Fibra Muscular . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 174 Propriedades Contráteis do Músculo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 176 Propriedades Metabólicas do Músculo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 177

107 108 108 113 113 114 118 120 125 125


Avaliando a Massa Muscular Corporal. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Desenvolvimento do Tecido Muscular por Região Corporal . . . . . . . . . . . Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Capítulo 8

Parte

III

179 182 184 184

Tecido Adiposo ............................................................................................. 189 A Célula de Gordura como uma Estrutura Complexa. . . . . . . . . . . . . . . 190 Estágios e Mecanismos de Adipogênese. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 192 Células Adiposas Brancas e Marrons . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 193 Tecido Adiposo Branco na Vida Pré-Natal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 195 Tecido Adiposo Branco na Vida Pós-Natal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 196 Distribuição de Gordura Subcutânea Durante o Crescimento . . . . . . . . . . 201 Gordura Visceral Abdominal Durante o Crescimento. . . . . . . . . . . . . . . 204 Estabilidade de Gordura Corporal Durante o Crescimento. . . . . . . . . . . . 206 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 207 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 208

Desenvolvimento Funcional

Capítulo 9

Coração, Sangue e Pulmões ........................................................................ 213 Características da Circulação Fetal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 213 Ajustes Cardiopulmonares no Nascimento. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 215 Alterações no Tamanho do Coração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 216 Alterações nas Funções Cardíacas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 218 Alterações nas Características do Sangue Durante o Crescimento . . . . . . . . 220 Alterações nos Pulmões e Funções Respiratórias Durante o Crescimento. . . . 222 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 226 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 226

Capítulo 10 Desenvolvimento Motor .............................................................................. 229 O que é Desenvolvimento Motor? . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 230 Padrão Motor e Habilidade. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 230 Classificações de Atividades Motoras. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 230 O Recém-Nascido e os Reflexos da Infância . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 231 Desenvolvimento Motor – do Nascimento aos 2 Anos de Idade. . . . . . . . . 233 Desenvolvimento da Caminhada Independente. . . . . . . . . . . . . . . . . . 234 Desenvolvimento de Habilidades Motoras Fundamentais . . . . . . . . . . . . 237 Início do Desenvolvimento Motor e Crescimento do Cérebro . . . . . . . . . . 243 Status no Nascimento e Desenvolvimento Motor Subsequente . . . . . . . . . 244 Início do Crescimento Pós-Natal e Desenvolvimento Motor . . . . . . . . . . . 245 Visão Geral do Desenvolvimento Motor. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 246 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 246 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 247 Capítulo 11 Força e Desempenho Motora ...................................................................... 251 Condicionamento Físico. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 252 Medidas de Força e Desempenho Motor. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 252 Desempenho no Início da Infância. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 253 Desempenho Motor na Fase Intermediária da Infância e na Adolescência . . . 255 Relações de Força e Desempenho Motor com o Tamanho, o Físico e a Composição Corporal. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 261 Escalada de Força e Desempenho Motor. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 264


Rastreamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 265 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 269 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 269 Capítulo 12 Desempenho Aeróbico ................................................................................ 273 Problemas de Avaliação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 274 Adaptações Relacionadas ao Crescimento em Desempenho Aeróbico. . . . . . 276 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 287 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 288 Capítulo 13 Desempenho Anaeróbico ............................................................................. 291 Turnover Anaeróbico versus Turnover de Energia Aeróbica . . . . . . . . . . . 292 Determinantes do Desempenho Anaeróbico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 293 Problemas de Medição. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 294 Crescimento e os Determinantes do Desempenho Anaeróbico. . . . . . . . . . 299 Observações Longitudinais e Estabilidade de Desempenho Anaeróbico. . . . . 303 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 305 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 306

Capítulo 14 Termorregulação Durante o Crescimento .................................................. 309 A Física da Transferência de Calor. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 309 Meios Fisiológicos de Termorregulação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 310 Respostas ao Calor Associado com Crescimento e Maturação . . . . . . . . . . 311 Aclimatização e Aclimação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 312 Respostas a Climas Frios. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 313 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 315 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 315 Parte

IV

Maturação Biológica

Capítulo 15 Maturação Biológica: Conceitos e Avaliação ............................................. 319 Avaliação da Maturidade Esquelética. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 320 Avaliação da Maturidade Sexual. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 326 Avaliação da Maturidade Somática . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 337 Avaliação da Maturidade Dental. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 341 Inter-relações entre Indicadores de Maturidade. . . . . . . . . . . . . . . . . . 342 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 347 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 347 Capítulo 16 Timing e Sequência de Alterações Durante a Adolescência .................... 351 Estirão de Crescimento na Adolescência. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 351 Maturação Sexual. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 354 Sequência de Maturação Sexual e Somática. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 359 O Estirão de Crescimento em Outras Dimensões . . . . . . . . . . . . . . . . . 362 Dimensões Corporais e Composição Relativa ao Pico de Velocidade na Altura. 367 Estirões de Crescimento em Desempenho. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 372 Desempenho em Relação à Menarca. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 377 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 378 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 379 Capítulo 17 Variação Associada à Maturidade em Crescimento e Desempenho .......... 383 Classificando Crianças de Acordo com o Status de Maturidade. . . . . . . . . . 384


Variação Associada à Maturidade em Tamanho Corporal. . . . . . . . . . . . . Variação Associada à Maturidade Somática. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Variação Associada à Maturidade na Composição Corporal . . . . . . . . . . . Variação Associada à Maturidade na Distribuição do Tecido Adiposo . . . . . . Variação Associada à Maturidade em Força e Desempenho Motor . . . . . . . Variação Associada à Maturidade na Adaptação ao Exercício e ao VO2máx. . . Variação Associada à Maturidade em Desempenho Anaeróbico. . . . . . . . . Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Parte

V

386 388 389 395 398 406 410 411 411

Fatores de Influência

Capítulo 18 Regulação Genética de Crescimento, Maturação e Desempenho ............ 417 O Genoma Humano. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 418 O Gene Humano. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 421 Dos Genes às Proteínas e aos Fenótipos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 423 Expressão de Gene . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 425 O Caso Especial do DNA Mitocondrial . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 426 Variação Genética em Genes Humanos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 426 O Fenótipo Multifatorial . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 427 Genética do Desenvolvimento Fetal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 429 Influências Genéticas em Recém-Nascidos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 430 Genética de Fenótipos de Crescimento Selecionados. . . . . . . . . . . . . . . 431 Genética da Maturação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 436 Genética de Fenótipos de Desempenho Selecionados . . . . . . . . . . . . . . 439 Exemplos de Genes Relacionados ao Crescimento. . . . . . . . . . . . . . . . . 444 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 444 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 446 Capítulo 19 Regulação Hormonal do Crescimento e da Maturação ............................ Sistemas Endócrino, Parócrino, Autócrino e Intrócrino . . . . . . . . . . . . . . Hormônios Endócrinos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Outros Fatores Promotores de Crescimento e Hormônios . . . . . . . . . . . . Hormônios Hipotalâmicos e da Hipófise. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Hormônio de Crescimento e Fatores Relacionados ao Crescimento . . . . . . . Hormônios da Tireoide . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Hormônios da Paratireoide e Calcitonina. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Hormônios da Medula Adrenal e do Córtex . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Glândulas Gonodais e Hormônios. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Insulina e Glucagon. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Leptina. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Regulação da Puberdade. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Ciclo Menstrual. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Visão Geral dos Hormônios e Suas Ações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

449 449 450 452 453 455 458 460 460 462 467 468 472 473 475 477 477

Capítulo 20 Necessidades Nutricionais e de Energia .................................................... 481 Nutrientes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 482 A Amamentação e o Bebê . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 482 Necessidades de Energia. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 483 Necessidades de Energia para o Crescimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 485


Ingestão Dietética de Referência (IDR) para a Ingestão de Energia . . . . . . . IDR para a Ingestão de Proteínas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . IDR para a Ingestão de Lipídios. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Necessidades de Carboidratos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Necessidades de Vitaminas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Necessidades de Minerais. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

491 494 498 500 501 505 508 508

Capítulo 21 Atividade Física e Gasto de Energia: Avaliação, Tendências e Rastreamentos ..................................................... 513 O Que é Atividade Física?. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 514 O Que é Gasto de Energia?. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 514 Métodos de Avaliação de Padrões ou Níveis de Atividade Física e Gasto de Energia. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 515 Tendências de Desenvolvimento na Atividade Física e Gasto de Energia . . . . 524 Rastreamento de Níveis de Atividade Física . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 527 Correlações de Níveis de Atividade Física na Infância e na Adolescência. . . . . 528 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 532 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 532 Capítulo 22 A Atividade Física como um Fator no Crescimento, na Maturação e no Desempenho ................................................................ 537 Atividade Física. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 538 Abordagens do Estudo da Atividade Física . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 538 Atividade e Estatura. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 539 Atividade, Peso Corporal e Composição Corporal. . . . . . . . . . . . . . . . . 540 Atividade e Físico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 543 Atividade e Tecidos Específicos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 543 Atividade e Maturidade Biológica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 548 Visão Geral de Atividade, Crescimento e Maturação. . . . . . . . . . . . . . . 549 Atividade, Forma Física e Desempenho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 549 O Conceito de Treinabilidade. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 553 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 566 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 566 Capítulo 23 Subnutrição na Pré-adolescência e na Adolescência ..................................... 573 Critérios. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 573 Prevalência. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 574 Formas de Subnutrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 575 Subnutrição em Crianças em Idade Pré-escolar. . . . . . . . . . . . . . . . . . 576 Subnutrição em Crianças em Idade Escolar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 581 Consequências da Subnutrição em Longo Prazo . . . . . . . . . . . . . . . . . 586 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 587 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 587 Capítulo 24 Obesidade na Infância e na Adolescência ..................................................... 591 Indicadores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 591 Critério e Prevalência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 592 Correlatos de Excesso de Peso e Obesidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 596 Consequências da Obesidade para Crianças e Adolescentes. . . . . . . . . . . 603 Consequências da Obesidade em Longo Prazo. . . . . . . . . . . . . . . . . . 610 Tratamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 611 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 612 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 613


Capítulo 25 Outros Fatores que Afetam o Crescimento, a Maturação, o Desempenho e a Atividade .................................................................... Condições Sociais, Crescimento e Maturação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . Condições Sociais, Desenvolvimento Motor, Desempenho e Atividade Física . . A Variação Étnica no Crescimento e na Maturação . . . . . . . . . . . . . . . . Variação Étnica em Desenvolvimento Motor, Desempenho e Atividade Física. . Clima, Crescimento e Maturação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Clima, Desempenho e Atividade Física. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Parte

VI

619 619 627 633 640 643 645 646 647

Aplicações

Capítulo 26 Fatores de Risco Durante o Crescimento e Saúde do Adulto ................... 659 Prevenção Primária e Secundária. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 659 Fatores de Risco para Doenças Metabólicas Comuns. . . . . . . . . . . . . . . 660 Dados Atuais de Risco de Crianças e Adolescentes . . . . . . . . . . . . . . . . 664 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 678 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 678 Capítulo 27 Condições Clínicas Crônicas e Inaptidões Físicas ...................................... 685 Condições Clínicas Selecionadas que Afetam o Crescimento e a Maturação. . . 686 Atividade Física de Crianças e Adolescentes em Condições Crônicas. . . . . . . 688 Condicionamento Físico e Desempenho de Crianças e Adolescentes em Condições Crônicas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 692 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 696 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 696 Capítulo 28 O Jovem Atleta ............................................................................................. 701 Participação em Jogos na Juventude. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 702 Seleção e Exclusão no Esporte. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 704 Quem é o Jovem Atleta? . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 704 Estatura e Peso de Atletas Jovens . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 705 Status de Maturidade e Progresso de Jovens Atletas . . . . . . . . . . . . . . . 706 Faixa Etária na Menarca em Atletas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 708 Físico de Jovens Atletas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 712 Composição Corporal de Jovens Atletas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 712 Características de Desempenho Motor de Jovens Atletas. . . . . . . . . . . . . 713 Características Fisiológicas de Jovens Atletas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 714 O Treinamento para Esporte Influencia o Crescimento e a Maturidade de Jovens Atletas?. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 716 Ginástica e Balé: Casos Especiais?. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 721 Visão Geral. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 724 Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 726 Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 726 Capítulo 29 Tendências Atuais para Crescimento, Maturação e Desempenho .......... Definições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Fontes de Dados sobre Tendências Atuais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Limitações e Hipóteses em Comparações Atuais. . . . . . . . . . . . . . . . . . Tendências Atuais Relativas ao Tamanho Corporal . . . . . . . . . . . . . . . .

733 734 734 735 736


Tendências Atuais Relativas a Proporções Corporais . . . . . . . . . . . . . . . Tendências Atuais em Indicadores de Maturidade  . . . . . . . . . . . . . . . . Tendências Atuais Relativas ao Desempenho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Tendências Atuais em Países em Desenvolvimento . . . . . . . . . . . . . . . . Fatores que Propiciam as Tendências Atuais  . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Resumo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Fontes e Sugestões de Leitura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

743 744 748 754 755 757 757

Anexo A: Tabelas de Conversão ......................................................................................... 763 Anexo B: Sugestões para Atividades Individuais e em Grupo ....................................... 765 Sobre os Autores ............................................................................................................. 781


Parte

I

Introdução O crescimento biológico e a maturação de crianças têm sido sistematicamente estudados por mais de 150 anos. Os conceitos básicos são construídos sobre uma forte base histórica nas ciências médica, antropológica e humana. Estudos sobre atividade física, desempenho e condicionamento físico de crianças e adolescentes também têm uma longa história. Esse fundamento é construído amplamente sobre o que é tradicionalmente chamado de Educação Física e o que é chamado hoje em dia de Cinesiologia, Ciência da Atividade Física ou Exercício e Ciência do Esporte. Este texto considera crescimento, maturação, atividade física e desempenho de crianças e adolescentes conforme eles progridem do nascimento até a idade adulta jovem. A primeira seção do livro é breve, com dois capítulos. O primeiro capítulo define diversos conceitos básicos e, em seguida, discute porque o estudo desses processos – crescimento, maturação, atividade física e desempenho – é importante para entender as crianças, os adolescentes e a variabilidade humana. Também fornece uma sinopse de métodos, tipos de estudos e dados derivados de cada uma das faixas etárias utilizadas para definir períodos gerais de crescimento pós-natal. O grande estudo de Richard Scammon, anatomista cuja pesquisa foi realizada em 1930, merece destaque: ele oferece uma visão geral da natureza diferencial do crescimento pós-natal. O primeiro capítulo é finalizado com um resumo de estudos individuais e pesquisas que fornecem a base para o volume de dados incluído no texto. Esses dados incluem estudos longitudinais de crescimento e maturação, principalmente dos Estados Unidos e da Europa, estudos longitudinais de desempenho físico e de fatores de risco para doença e pesquisas transversais cruzadas de crescimento, maturação, desempenho e atividade física. O Capítulo 2 focaliza exclusivamente o período pré-natal. Embora o foco do volume seja o período pós-natal, o entendimento do período pré-natal é essencial, já que os processos de crescimento e maturação iniciam-se logo após a concepção. Esse capítulo não tenciona ser uma cartilha básica de embriologia humana, pelo contrário, é planejado para ajustar o estágio para a discussão subsequente do crescimento pós-natal, maturação, atividade física e desempenho. Certas variações observadas no período pós-natal têm suas raízes no pré-natal. Esse conceito é especialmente importante no contexto da hipótese de origens fetais, que postula raízes pré-natais para diversas doenças comuns que se manifestam na idade adulta. Evidências sugerem que os fetos se tornam irregulares ou metabolicamente programados na presença de condições adversas ao ambiente fetal, ajustando o estágio para má adaptação metabólica ou comportamental posteriormente, na vida pós-natal.


Conceitos Introdutórios

Capítulo

1

Linhas Gerais do Capítulo Definições e Contexto Crescimento Maturação Desenvolvimento Desempenho Físico Atividade Física Condicionamento Físico A Criança e o Adolescente: Indivíduos Bioculturais Idade Cronológica e Grupos por Faixa Etária Por que Estudar esses Fenômenos? Compreendendo a Variabilidade Humana Status Progresso Prognóstico Monitoramento Comparação Interpretação de Atividade Física e Desempenho Tipos de Estudos Estudos Transversais e Longitudinais Estudo Longitudinal Misto Prós e Contras de Diferentes Estudos Que Tipo de Estudo? Princípios de Medição e Observação Significado Variabilidade da Medição

O

crescimento, a maturação e o desenvolvimento são processos centrais na evolução da criança do nascimento à fase adulta. Esses processos são inicialmente definidos neste capítulo, e sua relevância para a atividade física, o desempenho e a compreensão da variabilidade biológica humana é, então, analisada. Medições e observações feitas

Autenticidade e Precisão Controle de Qualidade Tipos de Dados Visão Geral do Crescimento Pós-Natal: Curvas de Scammon Curva Geral Curva Neural Curva Genital Curva Linfoide Regulação Geral do Crescimento e da Maturação Fontes de Crescimento, Desempenho e Dados de Atividade Estudos Longitudinais de Crescimento e Maturação Estudos Americanos Estudos Europeus Crescimento Craniofacial Desempenho Físico e Atividade Física em Estudos Longitudinais Fatores de Risco para Doença em Estudos Longitudinais Visão Geral dos Estudos Longitudinais Pesquisas Transversais de Crescimento e Maturação Pesquisas Transversais de Desempenho e Atividade Física Resumo Fontes e Sugestões de Leitura

em diferentes idades durante a infância, a pré-adolescência e a adolescência fornecem a informação básica para o estudo de crescimento e maturação. Este capítulo também examina diversas características de estudos de crescimento e princípios gerais de medição e observação. Os mesmos princípios se aplicam, também, à medição de atividade física e de-


Crescimento, Maturação e Atividade Física

sempenho, sendo fornecida, posteriormente, uma visão geral de crescimento pós-natal e maturação e sua regulação. O capítulo é encerrado por uma descrição dos principais estudos sobre crescimento, maturação, desempenho e atividade física, as principais fontes de dados utilizadas ao longo do texto.

Definições e Contexto Três termos são frequentemente utilizados quando se discute sobre bebês, crianças e adolescentes: eles crescem, amadurecem e se desenvolvem. Crescimento e maturação são termos frequentemente utilizados juntos e, algumas vezes, até como sinônimos, mas cada um se refere a atividades biológicas específicas. O termo desenvolvimento é comumente utilizado com crescimento e maturação, tendo, no entanto, um significado mais amplo.

Crescimento Crescimento é a atividade biológica dominante por cerca das duas primeiras décadas da vida humana, incluindo, certamente, os 9 meses de vida pré-natal. O crescimento é um aumento no tamanho do corpo como um todo ou o tamanho atingido por partes específicas do corpo. Conforme as crianças crescem, elas se tornam mais altas e pesadas, tendo um aumento em tecidos magros e gordos e em seus órgãos. Alterações no tamanho são resultados de três processos celulares subjacentes: (1) aumento no número celular, ou hiperplasia; (2) aumento no tamanho celular, ou hipertrofia; e (3) aumento em substâncias intercelulares, ou acréscimo. O aumento em número é uma função da divisão celular (mitose), a qual envolve a cópia do DNA e a migração subsequente em células funcionais e idênticas. O aumento do tamanho celular envolve uma elevação de unidades funcionais dentro da célula, especificamente proteína e substratos, como é especialmente evidente na hipertrofia muscular que ocorre durante o crescimento e, principalmente, com treino de resistência regular durante a adolescência. As substâncias intercelulares são tanto orgânicas quanto inorgânicas, sendo frequentemente funcionais ao ligamento ou agregando as células em redes complexas, como o que as fibras de colágeno fazem ao prover à matriz adipócitos de tecido adiposo.

Hiperplasia, hipertrofia e acréscimo ocorrem durante o crescimento, mas a predominância de um ou outro processo varia de acordo com a idade e o tecido envolvido. Por exemplo, o número de neurônios (células cerebrais) é estabelecido na metade da gravidez, mas o número de fibras musculares é estabelecido rapidamente após o nascimento. Subsequentemente, ambos os tecidos crescem primeiramente por hipertrofia (Figura 1.1), embora, no caso do tecido cerebral, a hiperplasia de diferentes tipos de células nervosas continua durante a segunda metade da gestação e na vida pós-natal; entretanto, todos os três processos ocorrem durante o crescimento ósseo. Esses processos celulares também são envolvidos nas alterações biológicas que fundamentam maturação e diferenciação, as quais serão discutidas nas duas próximas seções. Hiperplasia Celular e Hipertrofia Celular Hiperplasia / Tamanho Hiperplasia / Número de Células de Células

20

Pré-natal

Infância

Préadolescência

Adolescência

Figura 1.1 Esquema do crescimento do tecido muscu-

loesquelético como uma função da hiperplasia celular (no alto) e da hipertrofia (em baixo).

Maturação Maturação é mais difícil de definir que crescimento. Ela é frequentemente descrita como o processo de tornar-se maduro ou o progresso em direção ao estado maduro. Maturação é um processo; maturidade é um estado. Maturação ocorre em todos os tecidos, órgãos e sistemas de órgãos, afetando enzimas, composição química e funções. Maturidade varia, assim, de acordo com o sistema biológico estudado. Maturidade sexual é a capacidade reprodutiva funcional completa. Maturidade esquelética é um completo esqueleto adulto ossificado. Maturação dos sistemas nervoso e endócrino (neuroendócrino) é o principal


Conceitos Introdutórios

fator na maturação sexual, esquelética e somática durante a pré-adolescência e a adolescência. Maturação se refere ao timing e ao tempo do progresso em direção ao estado biológico maduro. Timing refere-se a um período em que ocorrem eventos de maturação específicos (por exemplo, idade no aparecimento de pelo púbico em meninos e meninas) ou a idade no crescimento máximo durante o crescimento adolescente acelerado. Tempo se refere à taxa (rate) na qual ocorrem os progressos de maturação (por exemplo, a velocidade com que o jovem passa dos estágios iniciais de maturação sexual ao estado maduro). Timing e tempo variam consideravelmente entre indivíduos, e a variação em progresso além do tempo implica variação na média da mudança. Indivíduos diferem consideravelmente em timing e tempo de maturação. Por exemplo, duas crianças podem ter o mesmo tamanho (isto é, ter o mesmo nível de crescimento atingido), mas elas podem estar em diferentes lugares no caminho para o tamanho adulto ou a maturidade. Uma criança pode ter atingido 65% da estatura adulta, a outra pode ter atingido 75%. Indivíduos terminam como adultos com um esqueleto completamente ossificado, mas eles atingem sua estatura final em épocas diferentes, assim como diferentes estaturas adultas; essa é a distinção fundamental entre crescimento e maturação. O primeiro focaliza o tamanho atingido em um dado ponto do tempo, ao passo que o último foca o progresso (taxa) para atingir o tamanho adulto e a maturidade. Crescimento e maturação são intimamente relacionados. Ambos devem ser vistos como dinâmicos. A meta é o estado adulto – maturidade –, e os processos implicam movimento em direção a essa meta a partir do momento da concepção até que a maturidade seja atingida. Dessa maneira, crescimento e maturação também são vistos como processos que têm finalidade e direção. Os processos fundamentais de crescimento e a maturação são celulares. O estudo de crescimento e maturação envolve a medição e a observação dos resultados desses processos (por exemplo, tamanho atingido, nível de gordura, nível de maturidade ou a extensão para a qual um indivíduo progrediu para a idade adulta). A medição e a observação do crescimento serão discutidas com mais detalhes no livro.

21

Desenvolvimento Crescimento e maturação são frequentemente utilizados conjuntamente com o termo desenvolvimento. Desenvolvimento denota um conceito mais amplo, utilizado em dois contextos distintos. O primeiro contexto é o biológico, no qual o desenvolvimento se refere aos processos de diferenciação e especialização de células embrionárias polivalentes encontradas em diferentes tipos de células, tecidos, órgãos e unidades funcionais. A diferenciação completa é atingida com o início da função em um tecido específico. A diferenciação ocorre principalmente no período anterior à vida pré-natal, quando os tecidos e os sistemas de órgãos estão se formando e são altamente dependentes da ativação e da repressão de genes ou conjuntos de genes que interagem com hormônios e nutrientes no ambiente pré-natal. O desenvolvimento da função, obviamente, continua na vida pós-natal, conforme diferentes sistemas do corpo se tornam funcionalmente refinados. O segundo contexto é comportamental e se relaciona ao desenvolvimento de competência em uma variedade de domínios inter-relacionados, conforme a criança se ajusta ao seu meio cultural – os amálgamas de símbolos, os valores e os comportamentos que caracterizam uma população. Desenvolvimento se refere à aquisição e ao refinamento de comportamentos esperados pela sociedade. Pode-se falar do desenvolvimento de competência social, competência intelectual ou cognitiva e competência emocional ou de bem-estar conforme a personalidade individual da criança emerge dentro do contexto da cultura específica no qual ela nasceu ou foi criada. Pode-se falar sobre competência motora e aquisição e refinamento de desempenho de habilidade em uma variedade de atividades motoras. Conforme as crianças experimentam a vida em casa, na vizinhança, na escola, na igreja, durante esportes e recreação e durante outras atividades da comunidade, elas se desenvolvem do ponto de vista intelectual, social, emocional, moral e motor. Em outras palavras, elas desenvolvem competência comportamental em uma variedade de domínios. Uma definição biológica de desenvolvimento é utilizada na discussão de crescimento pré-natal e desenvolvimento funcional no Capítulo 2. Em vez disso, o termo desenvolvimento é utilizado principalmente no contexto comportamental.


22

Crescimento, Maturação e Atividade Física

Desempenho Físico O desenvolvimento e o refinamento de desempenho de habilidade em uma variedade de atividades motoras são a principal tarefa desenvolvimentista da pré-adolescência e da adolescência. Todas as crianças, exceto aquelas com sérios distúrbios de desenvolvimento, têm o potencial para desenvolver e aprender uma variedade de padrões e habilidades de movimento fundamentais e especializados. Os padrões de movimento são eventualmente incorporados em habilidades específicas, que se tornam parte integrante do repertório comportamental de desenvolvimento da criança. As características de desempenho da criança relacionam-se em parte com crescimento, maturação e desenvolvimento da criança. Essa relação é bem exemplificada no desenvolvimento de padrões de movimento básicos, como caminhar, correr e pular. Durante os 7 ou 8 anos de idade, o desenvolvimento dos padrões de movimentos básicos depende amplamente da taxa de maturação neuromuscular, dos efeitos residuais de experiências de movimento anteriores e das experiências de movimento atuais, somados ao crescimento e ao status de maturidade. Uma vez que os padrões de movimento tenham sido estabelecidos, aprendizagem e prática são fatores significativos que afetam a competência motora. O crescimento da criança e das características de maturidade também se torna cada vez mais importante no desempenho, principalmente em tarefas que exigem explosões de força, energia e velocidade. Condições ambientais, que influenciam a oportunidade de realizar movimentos, e interações sociais associadas também contribuem para o desenvolvimento de capacidades de desempenho. Atividade Física Atividade física é um comportamento que ocorre em uma variedade de formas e contextos, incluindo jogos livres, tarefas de casa, exercício, educação física na escola e esporte organizado. Ela se refere a qualquer movimento do corpo produzido por músculos esqueléticos e que resulta em um aumento substancial no gasto energético e de períodos de descanso. A medição e a quantificação da atividade física e sua maior correlata, o gasto energético, são tarefas difíceis. A medição de atividade física e o gasto energético serão discutidos no Capítulo 21.

Indicações sobre a crescente atividade física diária em todos os segmentos da população, desde aqueles que se encontram no período da préadolescência até aqueles em idade avançada, são comuns em discussões atuais de políticas de saúde pública. Atividade física regular é especialmente importante na regulação do peso corporal e no acréscimo do mineral ósseo durante a pré-adolescência e a adolescência. Além disso, hábitos e atitudes em direção da atividade física desenvolvida durante a pré-adolescência são continuados durante a adolescência e a idade adulta e podem ter uma influência benéfica em longo prazo sobre a saúde. O gasto energético crescente que acompanha a atividade física regular contribui para uma função mais eficiente de vários sistemas, manutenção do peso, redução de risco de diversas doenças degenerativas, risco reduzido de morte precoce e melhoria geral da qualidade de vida. A atividade física é frequentemente confundida com o treinamento para esporte. Atividade física, no entanto, não é o mesmo que treino regular. Embora ela seja parte integrante do treino, este se refere a uma prática sistemática e especializada para esporte específico, disciplina esportiva durante a maior parte do ano ou programas experimentais específicos em curto prazo (por exemplo, 15 semanas de treinamento de resistência para corrida).

Condicionamento Físico Um conceito relacionado à atividade física é condicionamento físico. É um estado adaptado que varia de acordo com o crescimento do indivíduo e o status de maturidade com a atividade física habitual e o estilo de vida. O conceito de condicionamento físico evoluiu de um foco de desempenho motor primário para um foco relacionado à saúde. O primeiro tinha como visão o condicionamento físico no contexto de desempenho ou testes padronizados que mediam componentes de condicionamento físico, ao passo que o último focaliza o condicionamento no contexto de funções específicas que podem oferecer proteção contra algumas doenças degenerativas específicas, como doenças coronárias, obesidade e várias desordens muscoloesqueléticas. A medição de componentes


segunda edição deste livro foi ampliada e inteiramente atualizada, tornando-o mais compreensivo em crescimento e maturação biológicos de crianças e adolescentes. A nova edição retém todas as melhores características da original, incluindo as úteis linhas gerais no início de cada capítulo que permitem aos alunos fazerem uma revisão dos principais conceitos e avaliarem sua compreensão do material. Esta edição tem como característica atualizações em conteúdo básico, capítulos ampliados e modificados e as últimas descobertas em pesquisa para ir ao encontro das necessidades de alunos graduandos e graduados, assim como pesquisadores e profissionais que trabalham com crianças e jovens adultos. A segunda edição também inclui estas novas características:

Os autores são três das autoridades mundiais mais importantes em crescimento e desenvolvimento de crianças. Em 29 capítulos, abordam conceitos introdutórios e crescimento pré-natal; crescimento pós-natal; desenvolvimento funcional; maturação biológica; fatores influentes em crescimento e desenvolvimento; e aplicações a diversos contextos em saúde pública, medicina clínica, esporte e biologia humana. Este livro descreve muitos tópicos, incluindo técnicas para a avaliação de composição corporal, os últimos avanços no estudo do músculo esquelético, o projeto do genoma humano, a regulação hormonal de crescimento e maturação, o esclarecimento sobre valores de ingestão de dietas e o estudo de risco para diversas doenças em adultos. Este é o único livro que focaliza o processo de crescimento e maturação de crianças e adolescentes conforme o relaciona à atividade física e ao desempenho. Com mais de 300 novas páginas de material, este livro se baseia de maneira especializada na primeira e bem-sucedida edição.

ISBN 978-85-7655-217-8

9 788576 552178

Crescimento, Maturação e Atividade Física Segunda Edição

Robert M. Malina Claude Bouchard Oded Bar-Or

 Dez atividades de laboratório que estimulam os alunos a investigarem as questões da disciplina fora da sala de aula e pouparem tempo aos professores;  Uma completa lista de referência ao final de cada capítulo;  Resumos ao final de cada capítulo para facilitar o processo de revisão dos alunos;  Novos capítulos que fornecem atualizações em termorregulação e tendências seculares;  Discussões que se estendem em torno de problemas atuais em saúde pública, assim como a quantificação de atividade física e gasto energético, subnutrição persistente em países em desenvolvimento e obesidade epidêmica em países desenvolvidos.

Crescimento, Maturação e Atividade Física

A

Robert M. Malina Claude Bouchard Oded Bar-Or

CRESCIMENTO MATURAÇÃO E ATIVIDADE FÍSICA - 2 ed  

Prévia do livro CRESCIMENTO MATURAÇÃO E ATIVIDADE FÍSICA - 2 ed