Page 1

JOAQUIM COUTO Breve perfil bibliogrรกfico


Joaquim Couto | Breve perfil bibliogrรกfico

Primeiros passos em Santo Tirso

2


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

J

oaquim Couto nasceu na freguesia de Água Longa, concelho de Santo Tirso, a 1 de maio, Dia do Trabalhador, de 1951. É o terceiro de quatro filhos - dois irmãos e uma irmã - e tinha apenas três anos quando o pai decidiu emigrar para o Brasil,

onde esteve a trabalhar até 1969. Os pais eram pessoas humildes, lavradores numa época em que a agricultura estava muito pouco mecanizada. Vivia-se do que a terra provia... das galinhas, ovelhas, porcos e vacas que se criavam. Na aldeia, existiam 50 metros de caminhos pavimentados e praticamente não havia luz pública - tinha já 11 anos quando a eletricidade chegou a sua casa. Foi na freguesia de Água Longa, na escola primária de Arcozelo, Lugar de Lourdes, que Joaquim Couto completou a 'primeira classe', entre dias dedicados ao estudo e ao campo, onde regularmente ajudava os pais. "Não era uma vida fácil. Eram

outros tempos. Mas dessa altura existem muitas histórias boas para recordar", reconhece.

3


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Joaquim Couto (lado esquerdo) com a mãe e os três irmãos

4


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

No final do quarto ano da escola primária, com 10 anos, decide então seguir carreira eclesiástica e, por isso, não é de estranhar que a sua aprendizagem de vida e formação tenha um forte componente beneditina. Sem qualquer influência dos progenitores, Joaquim Couto ingressa no Seminário em Singeverga, na freguesia de Roriz, em Santo Tirso, que frequentou até 1968. Nesse ano, foi transferido para o Colégio de Lamego, da mesma ordem eclesiástica, onde permaneceu até 1970. Dessa época, persiste ainda hoje o gosto por ouvir música e por praticar desporto. Durante o seminário, integrou o coro de jovens cantores jogou hóquei e andebol.

"Recordo-me perfeitamente desse período da minha vida. Ainda hoje mantenho um excelente relacionamento com os padres, alguns dos quais foram meus professores", refere Joaquim Couto.

5


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Cerimónia da 2ª Comunhão

6

Seminário de Singeverga ( 1962)


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Concluída esta fase de instrução, estava prestes a iniciar o noviciado, quando decidiu optar por outra carreira. Tinha uma média superior a 14 valores e por isso seguiu o seu percurso académico na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Acreditava que ser médico potenciava as suas capacidades de lidar com as pessoas, uma caraterística que sempre lhe foi peculiar. Por outro lado, confiava que ao exercer aquela profissão poderia assumir um papel importante do ponto de vista social. Chegou ao Porto para viver num lar universitário, muito comum naquele tempo. Dormia numa camarata, composta por duas ou três camas, mas em 1973 foi eleito o 'chefe da casa' e passou a usufruir do direito de ter uma quarto para si. Estávamos no início dos anos 70, num período pré-revolucionário, e Joaquim Couto começava, também, a dar os primeiros passos na participação política. A Associação de Estudantes da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto era uma das mais ativas e os movimentos de extrema esquerda contra o regime da Ditadura predominavam. "Fui absorvendo alguma consciência política. Participei em diversas

manifestações, na luta pela Democracia. Recordo, particularmente, a greve de 1973. Estivemos muito perto de sermos expulsos da faculdade", recorda.

7


Na dĂŠcada de 60 Santo Tirso era um concelho rural

Joaquim Couto com 18 anos


Joaquim Couto | Breve perfil bibliogrรกfico

A MEDICINA E A POLรTICA

9


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

J

oaquim Couto pertenceu ao Movimento Único dos Estudantes Comunistas, do qual foi membro até 1976, altura em que transitou para a Cédula dos Médicos

Comunistas, onde permaneceu até 1979. Exatamente em 1976 inicia a sua atividade profissional no Hospital de Santo António, no Porto, tendo pouco tempo depois regressado a Santo Tirso, para exercer Medicina Geral e Familiar no Hospital local. Em 1979, foi convidado para integrar a lista do PS à Câmara de Santo Tirso, mas como independente. Tinha apenas 28 anos. "Na altura, acharam que por ser jovem

e médico era importante integrar a lista", explica. Aceitou e apesar do PS ter perdido a autarquia e de estar num lugar não elegível, assumiu funções de vereador dada a desistência do número quatro da lista. Também por esta altura, Joaquim Couto cumpre serviço militar na Força Aérea Portuguesa, onde exerce a atividade de médico. Decide, ainda, montar consultório em Agrela, uma pequena clínica que reunia um conjunto de especialistas na área da saúde. O trabalho que começou a desenvolver na Câmara Municipal de Santo Tirso levam-no, contudo, a ter de abandonar a Medicina.

10


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Em 1982, recebe, então, o convite para encabeçar a lista do PS à Câmara de Santo Tirso. Apesar da derrota do partido três anos antes e com o PSD - na altura AD - bastante forte, decide aceitar, continuando como independente. "Nunca fui de pensar

muito. Propuseram-me e em cinco minutos decidi aceitar o repto", assume. Contra todas as expetativas, a lista liderada por Joaquim Couto venceu e com maioria absoluta. "Ninguém estava a contar. A tal ponto que o PSD tinha jantar de vitória

marcado e foguetes comprados. Acabamos nós por lhes comprar os foguetes e fazer a festa", recorda Joaquim Couto, lembrando ainda que a média de idades dos elementos que compunham a lista era de 28 anos. Joaquim Couto tinha 31 anos e era presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso.

11


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Eleições autárquicas em Santo Tirso

12


Joaquim Couto | Breve perfil bibliogrรกfico

PENSAR, PLANEAR E MODERNIZAR SANTO TIRSO

13


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

E

m 1982, havia quase tudo por fazer em Santo Tirso. E nos anos seguintes, Joaquim Couto foi somando vitórias nas eleições autárquicas: 1985, 1989, 1993 e

1997. Durante este período, o concelho desenvolveu-se e ganhou uma nova dimensão. Foi criado o Sistema Integrado de Despoluição do Vale do Ave - o maior investimento, na altura, de despoluição do país. Avançou-se com um sistema de saneamento básico e da Estação de Tratamento de Águas Residuais da Rabada. Criou-se um Plano Diretor Municipal e projetou-se uma gestão urbanística planeada e coerente. Foram, ainda, construídos mais de 600 quilómetros de estradas e criaram-se os Transportes Urbanos de Santo Tirso; o município passou a estar completamente coberto por iluminação elétrica; surgiram as primeiras cantinas escolares e mais de 50 jardins de infância em todo o concelho; foram edificadas novas escolas preparatórias. Na cultura foram criados eventos e infraestruturas que ainda hoje perduram: o Festival Internacional de Guitarra, o Simpósio Internacional de Escultura, o Centro Cultural de Vila das Aves ou o Museu de Escultura ao ar livre. Criou-se habitação social e uma política de apoio ao arrendamento a custos controlados. Manteve sempre o contacto direto com a população. Andava no terreno, ouvia as pessoas e teve a seu lado figuras do Governo e de Estado.

14


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Joaquim Couto com o Padre Vítor Melícias

Joaquim Couto com António Guterres, Primeiro Ministro

15


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Joaquim Couto com Valente de Oliveira, ministro da Administração do Território

Joaquim Couto com Ferreira do Amaral, ministro das Obras Públicas

16


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Joaquim Couto com Mário Soares, Presidente da República

17


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Joaquim Couto com Jorge Sampaio, Presidente da República

18


Joaquim Couto | Breve perfil bibliogrรกfico

Joaquim Couto com Cavaco Silva, Primeiro Ministro

19


Joaquim Couto | Breve perfil bibliogr谩fico

Joaquim Couto com Eduardo Ferro Rodrigues, Ministro do Trabalho e Solidariedade

Joaquim Couto com Elisa Ferreira e Ant贸nio Guterres

20

Joaquim Couto e Oliveira Martins


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

SABIA QUE JOAQUIM COUTO...

...foi cofundador e presidente do Conselho de Administração da Associação de Municípios do Vale do Ave (AMAVE).

...esteve na génese da criação de associações como a Norte Vida - Associação para a Promoção da Saúde, e a CAID - Cooperativa de Apoio à Integração do Deficiente de Santo Tirso, uma associação que objetiva dar resposta à problemática da deficiência, nomeadamente ao nível de ocupação e de inserção socioprofissional.

...coordenou a criação da Portgás Empresa Concessionária da distribuição de gás natural ao domicílio na Região Norte..

...criou o Complexo Habitacional de Argemil, destinado ao realojamento de famílias de etnia cigana e adaptado aos costumes da comunidade.

21

... criou os Transportes Urbanos de Santo Tirso (TUST).


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

...liderou e implementou o Plano Estratégico do Vale do Ave, fundamental na política de despoluição do rio Ave.

...contratualizou a Recolha de Resíduos Sólidos Urbanos de Santo Tirso.

... criou a Estação de Tratamento de Águas Residuais da Rabada, ação que teve um papel preponderante na despoluição do Rio Ave.

... criou a Estação de Tratamento de Águas Residuais da Rabada, ação que teve um papel preponderante na despoluição do Rio Ave.

22

... construiu mais de 600 quilómetros de estradas, que em muito contribuíram para o desenvolvimento do concelho.


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

... projetou a criação do Pavilhão Municipal de Santo Tirso, uma das mais importantes obras realizadas no concelho.

... criou o Museu Internacional de Escultura Contemporânea de Santo Tirso, subjacente à arte contemporânea e à escultura pública.

...iniciou a Feira das Tasquinhas, uma iniciativa criada com o objetivo de promover a gastronomia, restaurantes e vinhos da região.

...construiu a Biblioteca Municipal de Santo Tirso.

... reabilitou a Feira e o Mercado Municipal de Santo Tirso.

23


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Estação de Tratamento de Águas Residuais da Rabada

24

Apresentação do Projeto XXXXX


Joaquim Couto | Breve perfil bibliogrรกfico

Lanรงamento da primeira pedra do XXXXXX

25

Arranque das obras de XXXXXX


Joaquim Couto | Breve perfil bibliogrรกfico

Lanรงamento da primeira pedra XXXXX

26

Arranque xxxxxx


Joaquim Couto | Breve perfil bibliogrรกfico

Joaquim Couto numa iniciativa com as crianรงas de Santo Tirso

27


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Inauguração de uma escola

Visita de Joaquim Couto a uma escola

28


Joaquim Couto | Breve perfil bibliogrรกfico

29


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Encontro das coletividades têxteis europeias com a participação de Joaquim Couto

30


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Em 1995 foi eleito deputado à Assembleia da República pelo círculo do Porto, mas optou por renunciar ao mandato e manter-se na Câmara de Santo Tirso até 1999, altura em que saiu para assumir as funções de Governador Civil do Porto. "Estava há

17 anos como presidente da Câmara de Santo Tirso. Senti que tinha chegado a altura de haver uma renovação política e daí a minha saída", explica. Ocupou o cargo durante dois anos, dando prioridade à XXXXXXXXXXX. Em 2002 faz um interregno político, para voltar em 2005 a integrar a lista de deputados à Assembleia da República, pelo círculo do Porto. Durante essa legislatura desempenhou funções, como membro efetivo, na Comissão Parlamentar de Saúde, e, na Comissão Parlamentar de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas.

"Foi um período interessante, nomeadamente ao nível da realização profissional, uma vez que me permitiu estabelecer um contacto direto com vários países e realidades das comunidades portuguesas", descreve Joaquim Couto. Quatro anos mais tarde, em 2009, decide aceitar um novo desafio: ser o candidato do PS à Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia. "Estava à disposição do partido e por isso aceitei, sabendo à partida que seria uma missão impossível derrotar o meu adversário da altura, Luís Filipe Menezes", reconhece. Perdeu, mas assumiu o cargo de vereador até 2011.

31


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Joaquim Couto em funções como Governador Civil do Porto

32


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Apresentação da candidatura de Joaquim Couto à presidência da Câmara de Vila Nova de Gaia

33


Joaquim Couto | Breve perfil bibliogrรกfico

A Forรงa de Todos

34


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

E

m 2013, Joaquim Couto é o candidato do PS à Câmara Municipal de Santo Tirso, na certeza de que este não é um regresso ao município onde nasceu e iniciou a

vida política. "Sempre mantive uma ligação próxima com a população em geral e

com os militantes, em particular", realça. A vontade de assumir, novamente, a liderança da autarquia surge, essencialmente, do dever cívico de se colocar ao serviço das pessoas. "O facto de ter ocupado outros

cargos políticos, como deputado na Assembleia da República ou Governador Civil do Porto, permitiu-me adquirir outra experiência e conhecimentos que, agora, podem e devem ser colocados ao serviço da população de Santo Tirso", advoga, acrescentando: "Acredito, convictamente, que posso fazer mais e melhor

pela população". Até porque o paradigma mudou e ser hoje presidente de uma Câmara não é o mesmo que há 15 anos. É um enorme desafio“. Joaquim Couto não tem, nem nunca teve, receio de assumir novas batalhas: "Parto

para este desafio com um passado do qual me orgulho. Mas parto, essencialmente, com a plena consciência das responsabilidades que me serão exigidas. Quero fazer política com as pessoas e para as pessoas, pois acredito que apenas o envolvimento de todos permitirá obter consensos e atingir objetivos".

35


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Para os próximos quatro anos, existe a vontade de reposicionar Santo Tirso como um Município atrativo do ponto de vista económico, competitivo e socialmente mais justo. O candidato pelo PS à presidência da Câmara Municipal de Santo Tirso não está sozinho. Conta com o apoio de figuras mais ou menos conhecidas do município e, acima de tudo, conta com «A Força de Todos» para vencer as próximas eleições. «A Força de Todos» é o compromisso de estabelecer um trajeto intenso com a população, empresas, instituições do Concelho, promovendo um espaço de partilha, de discussão e de ação. No fundo, um projeto alternativo e com dedicação a Santo Tirso.

"Independentemente das suas sensibilidades e convicções, Santo Tirso precisa de todos para este novo projeto. Conto consigo".

36


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Reunião com no serviço de Emprego de Santo Tirso em Março de 2013

Visita à empresa Intraplás ás em Março de 2013

37


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Passeio no passadiço de Santo Tirso

Visita à Feira de S. Martinho do Campo

38


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Família & Lazer

39


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

J

oaquim Couto adora ler e sabe tudo de história de Portugal. Gosta, essencialmente, de ler sobre temas políticos e sobre medicina, sobretudo livros relacionados

com medicina não convencional, como fitoterapia, osteopatia e acupuntura. No entanto, temas de investigação, espionagem, estratégia e defesa são também algumas das suas preferências de leitura. Lê dois ou três livros ao mesmo tempo e começa-os sempre pelo fim. "Se não gosto do fim, não os leio", revela, mas quando gosta, lê até à exaustão. Nunca parte para férias sem um malote de livros. Desde que fez o curso de Pós-Graduação na Universidade de Santiago de Compostela em Medicina Natural que tem um livro que guarda como uma 'espécie de bíblia' ou amuleto: Curar, de David Servan-Schreiber. Mas a leitura não é a sua única paixão. Na infância, foi contralto nos "pequenos cantores de Singeverga" e, mais tarde, barítono do coro da mesma legião e no Grupo Coral de Letras da Universidade do Porto. Ainda hoje guarda amigos dessa data. Adora música barroca e clássica, que ouve no carro até se cansar. Bach, Mozart, Vivaldi, Verdi, Tchaikovsky, Handel, Sibelius, Beethoven, Strauss e Berlioz, são só alguns dos nomes da sua coletânea musical. No entanto, destaca como grupos e cantores favoritos os Nirvana, U2, Queen, The Beatles, Bob Dylan, Pink Floyd ou Bob Marley, entre muitos outros. 40


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Ouvir música portuguesa é, também, um dos hábitos musicais de Joaquim Couto. Os Madre Deus, Paulo Gonzo, Zeca Afonso, GNR, Xutos & Pontapés, Sérgio Godinho, Marisa, Dulce Pontes, Rita Guerra, Fernando Tordo e Paco Bandeira estão entre a sua lista de preferências. Os seus interesses não se resumem à literatura e à música. Joaquim Couto gosta se conversar sobre política e história. As aulas com o professor José Matoso foram uma referência na sua formação. Apesar se não ser católico praticante, a sua base familiar é religiosa. Gosta muito de fotografia e adora andar de patins. Casado com Manuela Couto, Joaquim Couto tem quatro filhos: Luís, com xx anos, Lita, com XX, Salvador, com 12 anos, e Rita, com três anos.

41


Joaquim Couto | Breve perfil bibliográfico

Joaquim Couto e os filhos, Luís, Salvador, Lita e Rita

42


Joaquim Couto | Breve perfil bibliogrรกfico

Manuela Couto, esposa, e Joaquim Couto

43


Joaquim Couto | Breve perfil bibliogrรกfico

44


Joaquim Couto | Breve perfil bibliogrรกfico

FIM

45


Joaquim Couto | Breve perfil bibliogrรกfico

46

DDDDD  

DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you