Issuu on Google+

Ano III Edição nº 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

Distribuição nas unidades da Padaria Brasileira e Brasileira Express

ESPECIAL

SPFW

A 32ª edição do evento apostou no tema “Pensamentos” para apresentar as tendências outono-inverno 2012.

saúde

mUNDO PET

Emagrecer comendo de tudo é possível, confirmam especialistas.

Creches para animais tornam-se opção para donos atarefados.

COMPORTAMENTO Respondendo a uma simples pergunta é possível alcançar a felicidade.


2

Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

E S 1 P

Foto: DGABC


Educação de Santo André é o 1 lugar do Brasil no Prêmio Santander


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

EDITORIAL

6

Vamos em busca da felicidade Em 2012 a revista Dia Melhor inicia seu terceiro ano de existência. Nascida da vontade de gente que gosta de gente, e de com gente se comunicar, a Dia Melhor tem surpreendido a todos, pois vem batendo recordes na área comercial. Em 23 edições, foram cerca de 450 páginas de anúncios veiculados na Dia Melhor, o que prova sua aceitação pelo mercado anunciante. E anunciante só faz anúncio em veículos que lhe proporcionam retorno; e a Dia Melhor tem proporcionado excelente retorno àqueles que nela investem, pois é uma revista com conteúdo de qualidade, causando a leitura de inúmeros consumidores por exemplar. Nesta primeira edição do ano, confirmamos a tradição da Dia Melhor de levar a você, leitor, matérias inéditas e exclusivas. Começamos pela São Paulo Fashion Week, a grande vitrine da moda brasileira, transformada há tempos numa importante indústria produtora de bens de alto valor agregado. Publicamos quase uma centena de fotos com o melhor apresentado nos seis dias da mostra. A Dia Melhor traz também outras matérias que devem contribuir com o bem estar de todos nós, melhorando um pouco mais a nossa qualidade de vida. Felicidade e superação são os temas de textos exclusivos que apresentam exemplos reais nos quais podemos nos inspirar. Cada pessoa tem o seu ideal de felicidade, portanto ela se torna algo extremamente relativo e subjetivo. A idealização de um status de felicidade depende de inúmeros fatores: ambiente no qual a pessoa vive, cultura da sociedade, condições socioeconômicas, situação financeira, enfim, um sem-número de parâmetros determina o ideal de felicidade almejado por cada um de nós. A falta de educação escolar e a reduzida oferta de informação de qualidade fazem com que pessoas vejam felicidade no acúmulo de bens materiais e dinheiro. Certamente, tal intenção determina perigosos desvios de conduta, consideradas imorais e que não obedecem à boa ética de uma sociedade cujos cidadãos pretendam viver em harmonia. Talvez o primeiro passo para alcançarmos a felicidade consista em ser o que se é, como afirma Erasmo de Rotterdam no Elogio da Loucura. Conhecendo e respeitando aquilo que somos, reconhecendo nossas necessidades, encontrando maneiras para exercer o que somos. O caminho então, tortuoso e longo, é conhecer a si próprio. O que, alguns, levam a existência toda nesta busca. Carlos A.B. Balladas

Nesta Edição 10 Capa São Paulo Fashion Week 28

Negócios em Movimento • Mindrisz quer a FUABC mais forte na região • Sincosa projeta crescimento e visibilidade para 2012 • Universo Maria apresenta novo maitre

32

Entrevista Secretária da Educação apresenta resultados de sua gestão

36 Saúde É possível emagrecer comendo de tudo 39 Comportamento Felicidade agora! 42

Mundo Pet Creche também é boa pra bicho

45 Empreendedorismo Vencedoras do prêmio Mulher Empreendedora serão conhecidas em março

46 Artigo Os jeitos do brasileiro 47

Educação Participação nota 10!

48 Consumo Samba no pé e visual na moda 50 Brasileira 52

Por que sou Brasileira?

54

Dia Melhor Indica

Carlos A. B. Balladas Publisher Carla G. Ferreira Marina Schmidt Eduardo Kaze Nilton Carvalho Reportagens Elaine Bosso Luz Diagramação Diego Visachi Design e tratamentos Natália Balladas Arte Final Ney Euphrausino Marcel Nakamura Publicidade A revista Dia Melhor é uma publicação da CABB Editora Ltda. Distribuição gratuita nas lojas da Padaria Brasileira e Brasileira Express. Tiragem desta edição: 8.000 exemplares. Fale conosco: Avenida Utinga, 413 - Santo André - S.P. CEP 09220-610 Tel. (11) 4463-3222 (11) 4463-3144 diamelhor@diamelhor.com.br Créditos desta edição Capa - Texto: Carla Guedes Ferreira. Foto: Hector Moreno/Futura Press. Negócios em Movimento – Textos: Redação. Fotos: Divulgação. Entrevista – Texto: Nilton Carvalho. Fotos: Bruno Pires. Saúde – Texto: Marina Schmidt. Fotos: Istockphoto e divulgação. Comportamento – Texto: Pablo Assolini. Fotos: Bruno Pires. Mundo Pet – Texto: Carla Guedes Ferreira. Fotos: Bruno Pires. Empreendedorismo – Texto: Trivia Comunicação. Educação – Texto: Pablo Assolini. Foto: Istockphoto. Consumo – Texto: Carla Guedes Ferreira. Fotos: Divulgação. Dia Melhor Indica – Textos: Eduardo Kaze e Nilton Carvalho. Fotos: Divulgação. Por que sou Brasileira – Texto: Redação. Fotos: Bruno Pires.

Outras publicações da editora

www.pfinal.com.br


7


8

Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012


CAPA

10

André Lima

Fashion Week desbrava as fronteiras do pensamento

I

nspirada na inovação e na criatividade, a 32ª edição da São Paulo Fashion Week (SPFW), realizada de 19 a 24 de janeiro, no Parque do Ibirapuera, apostou no tema “Pensamentos” para apresentar as tendências da moda outono-inverno 2012. Pela primeira vez, neste ano os desfiles da SPFW foram transmitidos ao vivo pela internet, pelo www.ffw.com.br. A novidade, segundo os organizadores, contribuiu na divulgação do trabalho dos estilistas nacionais e na exploração do potencial criativo do Brasil. Cores vibrantes, peças de alfaiataria, boleros, tubinhos, paletós, tricôs, lãs e vestidos alongados, botas bicolor, scarpins com bico arredondado e formato retro, foram algumas das tendências apresentadas durante os desfiles. Amapô


11

Colcci Inspirada no Oriente Express sofisticado, a Colcci apresentou peças desenvolvidas com tricôs artesanais, couro, sarja e tecidos de alfaiataria. Alexandre Herchcovitch Com formas clássicas, Alexandre Herchcovitch esbanjou nas rendas douradas e malhas em nylon, sop cores sóbrias como berinjela, marrom, amarelo e coral.

Colcci

André Lima Elementos asiáticos e africanismos estavam presentes nas peças. Efeitos metalizados, volumes e texturas impactaram os espectadores. Amapô As peças remetem ao modo de vestir dos skinheads, a elegância de meninos adolescentes, e a personagem do cartoon britânico Tank Girl Herchovitch

Amapô


Animale Texturas clássicas, com roupagem contemporânea, transparências estratégicas e cores preciosas marcaram o desfile. Cori Influenciada pelo hipismo, a grife apresentou uma coleção clássica, desenvolvida a partir de cores sóbrias.

Cavalera

Cavalera A marca trouxe um inusitado faroeste urbano elaborado em jeans com tratamentos que imitam o couro.

Cavalera

Animale

Animale

Cori


14

Ellus Elaborando um mix entre vikings e heavy metal, a Ellus levou ao público elementos compostos em Lã, sintéticos, rendas de algodão e couros. Fernanda Yamamoto Na coleção mais urbana, estampas se confundem com cortes e linhas que resultam das sobreposições. Jefferson Kulig Numa miscelânea entre campo e urbano, Jefferson Kulig deu um tom mais solto aos looks com silhuetas pouco marcadas e materiais leves. Ellus

Fernanda Yamamoto

Jefferson Kulig


15


16

Glória Coelho

Huis Clos Com malhas, veludo e renda, a Huis Clos compôs looks predominantemente cinzas, com nuances de bege dourado, bordô e verde menta. Gloria Coelho Para compor as peças da coleção de inverno, Glória Coelho buscou inspiração nos vulcões. Na passarela, peças com ares futuristas, confeccionadas com matelassê de crepe de seda e cetim stretch, foram destaques.

Huis Clos


17


18

Iódice

Fause Haten Baseado em filmes de Elvis Presley dos anos 60, Fause Haten apresentou vestidos longos ou longuetes, fluidos nas pontas. João Pimenta A ficção cientifica serviu de inspiração para a coleção de João Pimenta. As peças foram produzidas com tecidos “sustentáveis” tramados em teares manuais. Iódice A Íodice trouxe elementos do Rock´n Roll para passarela, com muitos elementos metalizados e formas não acinturadas, como coletes e blazers.

Iódice

João Pimenta

Fause Haten


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

19


20

Lino Villaventura

Juliana Jabour

Lino Villaventura Vestidos longos, exuberantes, cheios de volumes e riqueza de cores, os modelos da coleção foram criados com base nas peças sombrias do pintor Francis Bacon. Juliana Jabour A coleção de Juliana Jabour teve como inspiração o longa “Viagem a Darjeeling. Cores como preto, laranja amarelo e nude são predominantes nos modelos.


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

21


22

Mario Queiroz O estilista confiou nas formas clássicas e fluidas, com volumes de sobreposições e poucos contornos ao corpo.

Mário Queiróz

R. Rosner

R.Rosner Inspirado nas mariposas, R. Rosner desenvolveu formas longas que no geral contornam bem o corpo, abusando de rendas organza, tafetá, com aplicações de canutilho e cristais.

Osklen Apostando na modernidade do século 21, a Osklen apresentou uma paleta de cores vivas em composições clássicas como lã, veludo e moleton.

Samuel Cirnansck

Samuel Cirnansck Transformando roupas em joias e joias em roupas, Samuel Cirnansck aventurou-se em vestidos “rabo de sereia”, longos e longuíssimos. Neon Produzidas com estampadas e cores vibrantes, as peças foram inspiradas em flores, grandezas da natureza e nas paisagens de Istambul. Neon

Osklen


23

MEU OLHAR

Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

24

Reinaldo Lourenço

Maria Bonita Tricô, látex, paetê e canutilhos de metal foram os materiais usados pela Maria Bonita, que buscou inspiração na região Norte do Brasil. Reinaldo Lourenço A estética gótica, silhuetas alongadas, retas e secas foi predominante no desfile de Reinaldo Lourenço. Entre os materiais, seda crepe, veludo cristal, vinil e couro.

Maria Bonita


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

25


26

Triton A Triton elaborou um mix de olhar jovem brasileiro com imagens europeias como abóbodas de Notre-dame e arte medieval.

Uma Raquel Davidowicz

Tufi Duek

Tufi Duek Para compor a coleção de inverno, a Tufi Duek apostou nas cores neutras. Os modelos foram criados para se ajustarem as curvas femininas.

Uma Raquel Davidowicz A grife apostou em peças fluídas e estruturadas de comprimentos longos e algumas fendas. As cores escuras como preto, café, cinza, bordô e caqui, dão ênfase à coleção elaborada com tecidos como sarja de algodão com elastano e tricot devorado. Uma Raquel Davidowicz

Triton


27


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

NEGÓCIOS EM MOVIMENTO

28

Mindrisz quer a FUABC mais forte na região

S

ob a presença de 550 convidados, a Fundação do ABC (FUABC) realizou a cerimônia de posse de seu novo presidente, o engenheiro e gestor público Mauricio Mindrisz, eleito ainda em novembro do ano passado, para comandar a instituição no biênio 2012-13. A solenidade ocorreu no o Anfiteatro David Uip e reuniu autoridades políticas de toda região, como os prefeitos Luiz Marinho (São Bernardo), Mário Reali (Diadema) Oswaldo Dias (Mauá), Adler Teixeira Kiko (Rio Grande da Serra), José Auricchio Junior (São Caetano) e a então a chefe do Executivo em exercício, Dinah Zekcer (Santo André). O novo dirigente entra no lugar de Wagner Octávio Boratto. De acordo com o novo presidente, a

gestão priorizará a saúde econômica da fundação, que cresce mais de 20% ao ano e um orçamento que deve chegar a R$ 1,1 bilhão. Mindrisz não deixou de citar possíveis parcerias com as sete prefeituras da região. “Estamos junto com o Consórcio Intermunicipal por meio de grupos de trabalho para saúde, que vêm avançando bastante para a questão regional. O órgão atua na busca de ampliar a oferta de atendimentos nas cidades e a podemos colaborar”, ressaltou. Além destes, um dos objetivos da FUABC será ampliar sua participação em gestões de hospitais, inclusive, para Diadema e Ribeirão Pires, cidades as quais ainda não têm participação da instituição. Outro município que desperta interesse é São Caetano, não sendo des-

Mauricio Mindrisz (centro), é prestigiado pela esposa Ana Copat Mindrisz e pelo prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho.

cartadas conversas futuras, portanto, com o Auricchio. “Um exemplo é o Hospital São Caetano que vai ser reaberto (em fevereiro) e gostaríamos

Até o final do ano que vem, teremos 22 Unidades de Pronto Atendimento instaladas, mais outras AME's. Maurício Mindrisz


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

de participar da gestão. Assim como o Hospital da Mulher de São Caetano e o Hospital Oftalmológico (ainda em projeto)”, afirmou. O novo presidente também citou a especialização das unidades de saúde, separando casos mais complexos dos de menor gravidade. Um exemplo dado pelo presidente foi o Hospital Estadual Mário Covas, também administrado pela FUABC. “Queremos que esse tipo de equipamento trabalhe nas áreas de maior complexidade da medicina e os serviços ambulatoriais passariam para as AME’s (Ambulatório Médico de Especialidades) . Podemos definir em que equipamento se presta tais tipos de serviços, para evitarmos desperdícios”. Filiado ao Partido dos Trabalhadores, Mindrisz afirmou não acreditar em interferência política com prefeituras administradas por outros partidos, como em Santo André, município comandado pelo prefeito Aidan Ravin, do PTB. As duas legendas devem polarizar o pleito municipal deste ano e as trocas de farpas entre os lados estão cada vez mais frequentes. “A política partidária não pode de maneira nenhuma interferir no trabalho da Fundação, que é parceira estratégica dos municípios. Em 2009 (quando Aidan assumiu o Executivo andreense, dando fim a 12 anos de administração petista), nada dessa natureza ocorreu. Por isso, precisamos manter a qualidade dos serviços”, disse. Indagado sobre os problemas da saúde no ABC e como poderia enfrentá-los, Mindrisz ressaltou um cenário positivo na região. “Até o final do ano que vem, teremos 22 UPA’s (Unidades de Pronto Atendimento) instaladas, mais outras AME’s e, por isso, estaremos próximos da nossa necessidade. Apesar disso, o maior desafio é o atendimento, pois é a maior reclamação da população. Temos que investir, junto com os municípios, na humanização do atendimento junto à população”, frisou. A FUABC é mantenedora de equipamentos de saúde da região como o AME de Santo André, Hospital da Mulher (Santo André), Hospital Estadual Mário Covas (Santo André), Hospital Nardini (Mauá), Hospitais Municipais integrados de São Caetano, Hospital Municipal Universitário (São Bernardo) e o Hospital de Ensino Padre Anchieta (São Bernardo). Em breve, a instituição será a responsável pelo AME que deverá ser inaugurado até o fim do ano em Mauá.

29


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

NEGÓCIOS EM MOVIMENTO

30

Sincosa projeta crescimento e visibilidade para 2012

C

om balanço positivo no encerramento das atividades de 2011, o presidente do Sindicato dos Contabilistas de Santo André (Sincosa), Eurides Batista Pudo (foto), já deu início aos planos que serão desenvolvidos por ele e por sua diretoria neste ano. Empresário contábil há mais de duas décadas e atuando em sua segundo gestão à frente da entidade, Pudo acredita que este é o momento de começar um trabalho mais focado na divulgação das atividades exercidas. Pudo se refere ao fato de que poucos profissionais sabem que o Sincosa, além de atender Santo André, também possui uma base territorial que abrange os municípios da região do Alto Tietê – Biritiba-Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá e Suzano. Esta distribuição tem sofrido uma revisão minuciosa por parte das gestões anteriores, e é fruto de acordo junto ao sindicato da capital, que atualmente responde pelas vizinhas cidades no ABC.

Para 2012, estão programadas ações que visam estreitar laços com os seis municípios. “Pretendemos agendar reuniões com os profissionais desses locais, para que possamos acordar pela criação de delegacias, que deverão estar em contato direto conosco em Santo André”, esclarece. O presidente assume que houve um distanciamento muito grande nos últimos anos, mas garante que irá começar um forte trabalho de aproximação e fortalecimento dos relacionamentos entre seus representantes. Outro importante ponto a ser focado será o de angariar novos cooperadores à entidade, que conta atualmente com cerca de 3,5 mil filiados e 250 associados. Para aumentar esse número, Pudo planeja gerar parcerias com instituições de ensino superior e técnico que ofereçam o curso de Contabilidade. “Aos poucos, queremos chegar aos alunos, futuros profissionais, e apresentar-lhes a necessidade de participação na entidade como ferramenta de trabalho para maior e

melhor aperfeiçoamento. Vamos criar cada vez mais ações e mais benefícios aos associados, para que possam entender a valia de ser sindicalizado”. Das novas atividades, algumas já estão definidas como essenciais. Devido às recentes mudanças nas esferas municipal, estadual e federal, o Sincosa irá promover cursos e palestras com assuntos pertinentes ao mercado contábil, especialmente relacionados ao SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) para maior atualização e reciclagem dos contabilistas, estudantes ou profissionais. Unir, atualizar e prevenir, estas são as principais palavras que traduzem os objetivos de 2012 do Sincosa diante da categoria que, segundo Pudo, passou de “guarda-livros” e “fazedores de guias” a verdadeiros parceiros na gestão das empresas. “Muito mudou e muito irá mudar em relação à nossa profissão. Por isso, queremos auxiliar todos, para que não fiquem fora do mercado num futuro próximo”, finaliza.


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

Novo maitre José Francisco Costa (dir.) ao lado do chef de cozinha Geraldo Rocha.

Universo Maria apresenta novo maitre Um dos principais restaurantes do ABC, o Universo Maria, acaba de apresentar seu novo maitre, José Francisco Pereira Costa, selecionado por apresentar perfil profissional compatível com a proposta de atendimento do estabelecimento. Sobre a rotina de trabalho, Costa projeta as expectativas do novo desafio. “Minha rotina diária inclui orientar a equipe de atendimento, estar atento a todos os detalhes para que o restaurante esteja abastecido com os itens necessários e ainda pesquisar as tendências de mercado”, conta o maitre. O profissional agora passa a integrar a equipe do Universo Maria, ao lado do chef Geraldo Rocha, vencedor em 2007 e 2008 do prêmio Melhor Chef da Região do ABC, organizado pela revista Veja. “Já trabalhamos juntos há seis anos e agora nos reencontramos no Restaurante Universo Maria. O Costa é o prolongamento do meu trabalho é a pessoa em que confio plenamente para que os clientes e amigos tenham satisfação de estar e voltar sempre ao restaurante”, destaca Geraldo. O Universo Maria é um espaço que procura trazer um pouco do clima europeu, com pratos inspirados nas culinárias francesa, italiana e espanhola, mas que agregam também o toque brasileiro. O restaurante fica na Alameda São Caetano, 395, bairro Jardim, em Santo André.

31


ENTREVISTA

32


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

33

Secretária da Educação apresenta resultados de sua gestão

N

o final de 2011, Santo André recebeu o prêmio “Destaque do Ano – Guia do Estudante”, uma das categorias do Santander Universidades 2011. O destaque no evento ficou por conta do projeto Formadores do Saber. O programa, desenvolvido em parceria com a Fundação Santo André, permite a participação dos professores na elaboração do conteúdo educacional. Atualmente, a rede municipal andreense atende 35 mil alunos. De acordo com Cleide Bochixio (foto), secretária de Educação da Prefeitura de Santo André, a administração encontrou dificuldades nos últimos três anos no setor. Dentre os principais proble-

mas está o reduzido número de vagas disponíveis nas creches do município. Para alunos entre 4 e 5 anos, a Prefeitura trabalha para conseguir atender todas as solicitações de matrículas. Segundo a administração, as creches Manoel Campestrini (Jardim Alzira Franco), Maria Delphina (Sacadura Cabral) e Paranapiacaba, previstas para serem inauguradas em fevereiro, devem suprir o atendimento para esta faixa etária. Mas, a situação mais complicada é universalizar o atendimento para crianças de 0 a 3 anos. Neste caso, o número de famílias que permanece sem atendimento ainda é grande. A revista Dia Melhor conversou com a professora Cleide Bauab Eid Bochixio,

ParkShopping São Caetano • Alameda Terracota, 545 Piso São Caetano • tel 4233.8392

sobre a atual gestão na Educação e o planejamento para o futuro. Dia Melhor: Quais os benefícios que o programa Formadores do Saber trouxe aos alunos e professores? Cleide: Por envolver trabalho em grupo, o programa trouxe conhecimento, desenvolvimento cognitivo e interpessoal aos estudantes. Já para os educadores, é um currículo em construção. Ao invés de ter um material que você compra pronto, esse conteúdo está sendo construído com a participação dos professores. Nosso material é elaborado por especiacontinua


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

34

listas da Fundação Santo André, que encaminham o conteúdo via portal aos professores, que participam analisando. Existem várias sugestões de projetos. Os educadores implantam em sala de aula e mandam suas dúvidas aos docentes da Fundação. São 51 escolas participando do processo, do 1º ao 5º ano. O que ele tem de inovador é a possibilidade do profissional construir o currículo de forma coletiva. Isso também contribui para elevar sua autoestima, o professor participa apresentando sugestões e críticas, que

Santo André foi o primeiro município a tomar essa iniciativa de abrir as creches no período de férias para as crianças de 4 a 5 anos”. Cleide Bochixio

são incorporadas ao projeto. Tenho certeza que será um ganho, não é de imediato, porque no ensino não é assim, foi o primeiro ano de projeto. Eu visitei escolas e tive a felicidade de conversar com professores do primeiro ano que tinham na sala crianças de seis anos já lendo. Com essa idade, numa escola pública, a criança já lendo, quando na verdade a proposta do governo (Federal) é aos oito anos. Com o material didático planejado, o professor ao invés de perder poupa tempo. Ele se preocupará com outras coisas que queira implantar. DM: O programa Santo André Digital formou, nas últimas turmas, 200 alunos. Como será a continuidade desse programa? Cleide: O programa funciona em todas as escolas. Portanto, todos os alunos têm chance de participar, sem limite. Nós temos e organizamos as turmas, o laboratório funciona nos períodos da manhã, tarde e noite. Os estudantes interessados em participar podem fazer a inscrição, sem o menor. O programa também é aberto à comunidade.

DM: As creches de Santo André funcionaram normalmente no período de férias, no entanto, o que se sabe é que o número de vagas não atende a todos os matriculados. O que a prefeitura espera fazer para ampliar o atendimento? Cleide: Desde 2009, Santo André foi o primeiro município a tomar essa iniciativa de abrir as creches no período de férias para crianças que já estão matriculadas. Para crianças de 4 e 5 anos, estamos trabalhando, para universalizar o atendimento. Quando assumimos a Prefeitura, a fila de espera para essa faixa etária era de 5 mil (crianças). Uma das estratégias foi a municipalização. Nós pegamos escolas vazias para poder criar EMEIEFs (Escolas Municipais de Ensino Infantil e Ensino Fundamental), deslocando crianças das creches para EMEIEFs e assim geramos mais vagas para aquelas de 0 a 3 anos. Dobramos o atendimento nestes últimos três anos. Nós chegamos com 21 creches e, com as três inaugurações previstas para fevereiro, iremos para 31. São dez creches a mais. Deu para universalizar? De 0 a 3 não. As vagas para crianças de 4 e 5 anos, agora


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

35

DM: Os alunos receberão uniformes já neste início de ano. Quantos alunos receberão e qual a composição do conjunto? Cleide: Já foi feita a licitação. Os conjuntos serão compostos por agasalho, duas camisetas, calça, bermuda, par de meias e tênis, que também integram o uniforme. Acredito que no máximo até abril os conjuntos sejam entregues.

O currículo do professor, que estamos desenvolvendo no fundamental, com a Fundação Santo André e na pré-escola. Investimos muito na formação desses profissionais, agora nossos professores farão um curso de pós-graduação na área de pré-escola (creche e fundamental) ministrado por doutores da Universidade de São Paulo (USP). As aulas serão realizadas no Centro de Formação. Então os três eixos da gestão nós acertamos. No projeto Formadores do Saber, a inclusão do inglês, desde o primeiro ano, tem sido um sucesso porque é interativo, musical e a implementação está sendo maravilhosa. Outro destaque é a ampliação da carga horária de quatro para cinco horas. Isso, ao longo de cinco anos, representa mais uma no letivo na vida da criança. Agora o próximo passo é ampliar o número de disciplinas.

DM: Quais os projetos futuros para melhorar ainda mais a qualidade do ensino do município? Cleide: São três os eixos. A racionalização de recursos financeiros e espaços, dentro disso a municipalização e a gestão participativa. É todo um trabalho com os conselheiros, de escolas municipais, tudo dentro deste eixo da ação.

DM: Há muito se anuncia a construção de um edifício, na Av. Industrial, para alojar especificamente a Secretaria de Educação. O que terá neste espaço e qual o prazo de conclusão da eventual obra? Cleide: O edifício está quase pronto, mas tivemos que parar as obras porque preciso ter, com certeza, quais serão os

em fevereiro, já estamos zerando, pelo menos aqueles que fizeram inscrição no período correto. Agora de 0 a 3 ainda temos a demanda dos pais que buscaram a escola e ainda não foram atendidos porque nasce criança todo dia e sempre tem família querendo. Vamos precisar de ajuda federal. Se for para universalizar mesmo é preciso buscar ajuda do governo Federal.

Nossos professores farão um curso de pós-graduação na área de pré-escola ministrado por doutores da Universidade de São Paulo”. Cleide Bochixio

valores a mais de orçamento para contratação de pessoal. Após isso, faremos a licitação. Neste espaço vamos fazer a sede da Secretaria, ampliar o almoxarifado e construir um anfiteatro (auditório circular), para reunir todos os professores ao mesmo tempo. Atualmente, o espaço que temos é insuficiente para abrigar o número de alunos que temos. Então precisamos de um espaço maior e um local mais próximo da Secretaria para melhorar o gerenciamento. O projeto está sendo elaborado para que a gente possa fazer o edifício por etapas.


SAÚDE

36

É possível emagrecer comendo de tudo

S

obram opções de dietas nas bancas de revistas e nas páginas da internet. E se a quantidade de receitas mirabolantes para perder peso não é pouca, pequeno também não é o número de adeptos dos regimes altamente restritivos, que prometem um corpo perfeito em pouco tempo.


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

Embora não seja novidade, os resultados prometidos nem sempre são alcançados, ou, o que é pior, são quase impossíveis de serem mantidos. Comer de tudo é quase cometer um pecado para quem está seguindo uma dessas dietas. Mas expandir o leque de opções na hora da refeição e até permitir que algumas guloseimas façam parte do cardápio não colocam em risco a perda de peso. O que tem que ser praticada e mantida é uma alimentação balanceada aliada a hábitos saudáveis, e para isso só existe um segredo: força de vontade.

Equilíbrio à mesa

“Quando fazemos uma dieta muito restritiva por tempo prolongado deixamos de ingerir nutrientes importantes para a saúde”, explica Lívia Zimmermann, médica nutróloga da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). “A dieta das proteínas, seguida por muito tempo promove fadiga, devido à falta de carboidratos, que são importantes para a nutrição muscular”, exemplifica.

37

Em geral, o pecado dos brasileiros está justamente na ausência de diversidade à mesa. Na terra do arroz com feijão, falta espaço para a variedade de alimentos saudáveis, confirma o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com a Pesquisa de Orçamentos Familiares, divulgada em julho do ano passado, mais de 90% da

Podemos incluir as guloseimas na nossa alimentação, só precisamos tomar alguns cuidados”. Lívia Zimmermann

população ingerem uma quantidade insatisfatória de frutas, verduras e legumes. A recomendação do Ministério da Saúde é que sejam consumidos 400 gramas desses alimentos por dia. Em contrapartida, o consumo de bebidas com adição de açúcar (refrigerantes, sucos e refrescos) é elevado, especialmente entre os adolescentes. No geral, a pesquisa indica que 82% dos brasileiros ingerem gorduras saturadas em excesso, 61%, exageram no açúcar e 68% consomem poucos alimentos ricos em fibra. Não é à toa que a oferta de dietas milagrosas cresce a cada dia, afinal o número de brasileiros acima do peso (atualmente, a metade da população) cresce 1,5% por ano, de acordo com o Ministério da Saúde. Mas não é preciso abrir mão do seu prato preferido ou cortar tudo de uma só vez para garantir saúde e boa forma. “Podemos incluir as guloseimas na nossa alimentação, só precisamos tomar alcontinua


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

38

guns cuidados”, orienta Lívia. “É importante saber quantas calorias tem cada porção do que será ingerido, incluir essas calorias no total do que pode ser ingerido por cada tipo de alimento e dar preferência a comer a sobremesa, por exemplo, após uma refeição onde se tenha ingerido maior quantidade de verduras e legumes”, acrescenta a médica. Outra sugestão da nutróloga é explorar as sensações à mesa. “Preparar tudo caprichando na aparência e dar uma consistência adequada, agradável ao paladar, olfato e visão são boas estratégias, pois as características sensoriais influenciam nos sabores”, completa. “As oleaginosas, ervas aromáticas e frutas são ingredientes que transformam uma simples saladinha numa deliciosa e saborosa refeição”. Além de garantir mais sabor, você ainda troca a gordura ruim e o excesso de sal ou de açúcar por nutrientes fundamentais para o bom funcionamento do organismo, como vitaminas, sais minerais, gorduras boas, proteínas e substâncias antioxidantes.

parte do peso perdido depois. “As primeiras dietas foram à base de muito sacrifício, de ‘tortura’, passava fome e comia muito pouco, era difícil e complicado; como ninguém consegue fazer isso por muito tempo, acabei cansando e voltando a comer como antes, engordando quase tudo de novo”, lembra. Mas ela não demoraria a encontrar o caminho certo. “Conversando com amigas gordinhas

Não é preciso eliminar tudo, mas é necessário saber que não dá para comer o tempo todo, que precisamos ter limites”. Lu Francesa

Mudança definitiva

Liliana Fonteles (mais conhecida como Lu Francesa), 33 anos, foi uma criança magricela até os seis anos. O uso de remédios para pneumonia mudou essa situação e ela começou a engordar. Tornou-se uma criança gordinha e chegou à adolescência fugindo da balança. Aos 18 anos, quando tomou coragem para se pesar, estava com 113 kg. E o caminho natural seria seguir as dietas da moda. Em pouco tempo ela conseguiu emagrecer com shakes emagrecedores, mas logo voltou a engordar. Veio, então, o período da descrença, ela desanimou e desistiu do objetivo por dois anos. Quando voltou a tentar emagrecer, conseguiu eliminar poucos quilos, retomando

resolvemos apostar pra ver quem emagrecia mais, fora isso eu estava pra me casar e sonhava em casar ‘magra’; tudo isso me motivou a começar uma reeducação de verdade”, relata. Diferente dos anos anteriores, ela começou a ter êxito. Primeiro, investiu em alimentação saudável e na manutenção de um blog (www.lufrancesa.com/blog), onde postou, e ainda posta, cada etapa do seu emagrecimento. “Tive sucesso quando aprendi a me alimentar saudavelmente. Não é preciso eliminar tudo, mas é necessário saber que não dá para comer o tempo todo, que precisamos ter limites”, relata. Não foi nada tão

rápido quanto é prometido atualmente, mas os resultados foram permanentes, desta vez. Em dois anos, Liliana emagreceu 42 quilos. Sem seguir dietas prontas, ela foi buscando o equilíbrio na alimentação. “Quando comecei a reeducação, achei melhor evitar o que fosse calórico e gorduroso”, conta. “Eu não sabia me controlar, era oito ou 80, mas com o passar do tempo fui aprendendo a lidar com esta situação”. Hoje, ela assume que não abre mão da sobremesa quando vai a um restaurante. “Não devemos cortar tudo, é necessário ter algo que gostemos de comer no nosso dia a dia, para que tenhamos algum prazer e não nos sintamos fazendo ‘dieta’, que na cabeça de muitos quer dizer privação”, acrescenta. A conquista, no entanto, não diminuiu a importância do blog, mantido há oito anos. Até hoje ela atualiza o peso atual, repassa dicas para suas leitoras e serve de inspiração para centenas de seguidores que possui no Twitter e no Facebook. “A maioria dos leitores está em busca de emagrecimento rápido, mas logo veem que esse tipo de emagrecimento não dura muito tempo e se cansam disso, começam a procurar algo duradouro, como foi o meu caso”, afirma. Para ajudá-los nessa etapa, Lu aconselha e incentiva. Uma das formas de estimulá-los foi criando a página Desafio Desistir Jamais (www.lufrancesa.com/desafio), em que um grupo de pessoas assume o compromisso de emagrecer em conjunto, mais ou menos da mesma forma como ela fez com as amigas, anos antes. “Muitos já emagreceram através dele e isso me deixa muito feliz”, atesta. “Comer de tudo sem exageros é a única forma de conseguir manter o peso depois”, aconselha. “É preciso paciência e determinação, sabemos que não é fácil, mas é possível, tem que acreditar”.

Lu Francesa fez o ponteiro da balança retroceder

ANTES

DEPOIS

Altura 1,76

Altura 1,76

Peso 106,5 kg IMC 34,38

Peso 64,6 kg IMC 20,85


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

COMPORTAMENTO

39

elicidade agora Acredite: ela não depende daquela promoção no trabalho, da compra de um carro novo ou de um desfecho favorável no relacionamento amoroso. Para desfrutar da felicidade plena, aquela que muitos passam a vida toda tentando encontrar, é preciso fazer justamente o contrário: desfocar do que está fora, para lançar um olhar corajoso sobre si mesmo.

J

ader Pires, 28 anos, é jornalista e editor de dois sites independentes para o público masculino (papodehomem.com.br e portalhomem.com.br). Nas horas vagas, faz o que mais gosta: viajar “Já fui para a Bolívia, Peru, Argentina, Chile... Tudo de mochila nas costas, com muita disposição e alegria. O mais legal do mochilão é conviver com as pessoas e sentir cada cidade de um jeito bem intenso. Mochilar requer uma imersão maior, já que você tem que se virar para comprar a comida, pegar o transporte público ou pedir informações”, garante o jornalista. Dessa grande paixão surgiu a ideia de abrir um hostel (espécie de albergue) na cidade de São Paulo. “Quando planejei o negócio, não pensei no retorno financeiro, mas sim nas experiências únicas que ele vai me trazer, de conversar com centenas de viajantes do mun-

do todo, cada um com uma história pessoal bem diferente. Tem coisa mais interessante que isso?”, provoca. A história de Jader é uma prova de que a felicidade não precisa estar atrelada a grandes conquistas materiais, ao contrário, pode estar escondida por trás dos prazeres mais triviais. “Para desfrutar da felicidade, de fato, precisamos descobrir o que é que nos satisfaz. Porém, essa não é uma busca simples e muitas vezes perseguimos o alvo errado e, por isso, nos frustramos”, diz o psicólogo clínico André Carlos Correia. O especialista usa um exemplo prático para se fazer entender. “Imagine que você se esforçou muito para comprar uma TV de 52 polegadas, com tela plana, alta definição e boa qualidade de som. Porém, o que vai satisfazê-lo não é o equipamento em si, mas a alegria de ver um bom filme e de compreender a continua


40

Gilson começou como engraxate e hoje é proprietário de uma metalúrgica

mensagem que ele passa. Assim, você teria todas as condições de ser feliz vendo exatamente o mesmo filme numa TV de 14 polegadas, mas passou meses fazendo uma longa jornada de trabalho para comprar uma TV melhor, quando poderia ter gasto esse tempo extra com uma infinidade de bons filmes”, explica. Muito além do senso comum, que nos diz que o “dinheiro não traz felicidade”, o que o especialista quer dizer é que a realização pessoal depende muito mais da sintonia entre o que fazemos e os nossos anseios mais profundos, que não obedecem necessariamente aos ideais mais valorizados no meio em que vivemos. O ponto central da questão é justamente desfazer-se das amarras sociais, para lançar-se num corajoso processo de autoconhecimento.

De volta para o presente

Foi numa dessas viagens para dentro de si que a auxiliar administrativa Marlu Magri Messias, 44 anos, descobriu que só realizar o sonho de ser mãe a faria sentir-se plenamente feliz. A descoberta, por si só, representou um grande impulso, que a fez perseguir sua meta de modo obstinado, à revelia dos muitos percalços que encontrou no caminho. “Casei com 39 anos e não conseguia engravidar. Fiz três inse-

minações artificiais mal sucedidas. Quando finalmente engravidei, perdi o bebê na sexta semana de gestação”, lembra. Porém, isso não foi o suficiente para que ela desistisse do sonho. “Um belo dia eu entendi que não precisava que minha barriga crescesse para que eu fosse mãe. Então, entrei na fila para adotar uma criança, segui o meu coração”, revela. Hoje, Marlu comemora a escolha acertada que fez, ao ver o sorriso aberto de sua filha Mayara, de 1 ano e 9 meses. Sem se dar conta, ela descobriu a receita da verdadeira felicidade. Primeiro definiu seu objetivo. Depois, juntou os recursos necessários para alcançá-lo. E, por fim, se dá ao luxo de desfrutar dessa conquista todos os dias, mesmo tendo outras metas importantes a alcançar. Outro que domina a rara habilidade de valorizar as escolhas que fez – e os resultados delas – é o empresário Gilson Antonio dos Santos, 53 anos. De origem humilde, começou sua carreira como engraxate. Com muita força de vontade, completou sua formação básica, fez faculdade e construiu uma carreira sólida no ramo industrial, abrindo sua própria metalúrgica. Atualmente, desfruta de uma condição econômica confortável que não é, de modo algum, o segredo da alegria que transparece em seu semblante. “A minha grande satisfação está em fazer o que eu gosto. Mais do que isso, me sinto feliz por ter perseguido esse sonho sem descui-

Um belo dia eu entendi que não precisava que minha barriga crescesse para que eu fosse mãe”. Marlu Magri Messias

dar de tantos outros. Progredi financeiramente, mas posso dizer que conquistei esse objetivo ao mesmo tempo em que construí uma família linda e um bom círculo de amigos. Uma coisa sem a outra não faria sentido algum”, garante. Hoje em dia, Gilson continua fazendo planos para o futuro. Mas sem deixar de olhar o presente. Em suas horas vagas, aproveita dos prazeres simples, como cuidar das plantas do seu jardim, apreciar uma boa leitura ou reunir a família toda para um almoço de domingo. “Viver feliz é saber balancear a equação entre o que ainda desejamos e o que já conquistamos, o que já é realidade. Quando conseguimos


41

Marlu não desistiu do sonho de ser mãe e optou pela adoção

valorizar as metas já atingidas, em vez de focar sempre na próxima coisa a fazer, temos mais força para seguir em frente, supermotivados”, diz a psicóloga clínica Lucimeire Coelho. Seguir em frente foi, aliás, uma escolha que o empresário teve de fazer em inúmeros momentos de dificuldades. “Tive uma infância muito pobre, dependia de doações de terceiros para me vestir e em muitas ocasiões não tinha dinheiro nem para o transporte. Mesmo assim, decidi que ia estudar. Trabalhei muito e consegui prosperar. Tudo isso porque nunca perdi a esperança”. A certeza de que tudo vai dar certo no final é, aliás, uma marca dos que são felizes. “Quando conseguimos ter uma postura otimista sobre a resolução de um problema, automaticamente nos mobilizamos para resolvê-lo. Quando nos colocamos como vítima, por outro lado, a tendência é ficarmos paralisados, apenas lamentando o que nos aconteceu, sem enxergar o lado bom do desafio, que nos permite crescer”, analisa a psicóloga clínica Maria Izabel Tonelli.

Perdas e ganhos fazem parte

Jader, Marlu e Gilson descobriram motivos reais para se sentirem felizes e realizados, todos os dias. O que não significa que, na intimidade de suas rotinas, eles não passem mais por situações difíceis. O que eles fazem de diferente é apenas olhar com especial atenção para o lado positivo de suas histórias pessoais, sem

Jader considera que ao viajar, conviver com as pessoas e sentir cada cidade é o que vale a pena

supervalorizar os acontecimentos pontuais que não saem exatamente como o planejado. “A felicidade não é a ausência da tristeza, os dois sentimentos são complementares. Na realidade, são os momentos de tristeza que nos ensinam a mensurar o valor da felicidade. Quem nunca foi triste também não sabe ser feliz”, ensina o psicólogo André Correia. Por isso, se a sua vida atual anda muito distante da realidade almejada, prepare-se para desfrutar ainda mais das conquistas que virão a seguir. E lembre-se: elas dependerão muito da sua capacidade de responder com sinceridade à pergunta crucial: o que me faz feliz? É por trás da resposta a esse enigma, do qual você detém todas as pistas, que se esconde a possibilidade de superar as frustrações do ontem. Para ser mais feliz hoje. Exatamente agora.


42

MUNDO PET

Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

Creche também é boa pra bicho Horário para comer, brincar, correr, praticar exercícios e ainda depois relaxar tomando um delicioso banho de piscina.

E

sta rotina faz parte da vida de milhares de cães e gatos matriculados nas creches que, hoje, deixaram de ser exclusividade apenas do público infantil. O conceito, além de conquistar os donos de animais domésticos, também gera bons lucros ao setor pet, que cresce sem parar no Brasil. Em 2010, segundo dados Associação Nacional dos Fabricantes de Produtos para Animais de Estimação, o segmento movimentou R$ 11 bilhões.

Há seis anos, a médica veterinária Vanessa Rodrigues Requejo decidiu incorporar ao quadro da clínica a qual é proprietária, na zona oeste de São Paulo, a creche e hotel para animais Cãominhando. A ideia agradou a clientela. Segundo a veterinária, as pessoas as pessoas que procuram o serviço querem atividades que contemplem diversão e a socialização dos bichinhos. Para atender os desejos dos proprie-

tários, a creche dispõe de uma área de 600 metros quadrados onde felinos e peludos gastam as energias praticando esportes e recreação. “Quando eles voltam para casa estão esgotados e querem apenas dormir”. Durante o período de estadia na creche, os pets são supervisionados por monitores e câmeras para visualização via internet. Os donos acompanham em tempo real todos os passos do amiginho.


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

Donos aprovam creche

Para as pessoas que adoram animais de estimação, mas abrem mão de tê-los por algum motivo, a creche é uma boa alternativa de reverter esse quadro. Similar a uma escola de educação infantil, os espaços oferecem atividades educativas e de lazer aos mascotes. Pensando na qualidade de vida do cãozinho Mylo, da raça Beagle, a designer Luciana Barilari Bullentini, 34 anos, optou em matriculá-lo em uma creche “Como eu trabalho e fico boa parte do dia na rua, seria muita maldade deixar o bichinho trancado sozinho durante muito tempo”, justifica. Acostumado com uma casa espaçosa e movimentada, o cachorro, que está com a família de Luciana há uma década precisou se adaptar ao novo espaço, o apartamento em que mora com a designer há dois anos. “A creche proporciona inúmeros benefícios ao Mylo. Agora ele tem uma vida ativa, faz atividades o dia inteiro, passeia, brinca, toma banho de sol, que ele adora, desenvolve convivência com outros cães e torna-se mais sociável. Tenho certeza de que estou oferecendo a ele uma vida divertida, apesar do meu dia a dia corrido”, avalia Luciana. O peludo, inicialmente, frequentava o espaço três vezes na semana, mas a dona decidiu mandá-lo diariamente, porque o cãozinho ficava muito triste quando estava sozinho. “Estou muito satisfeita com o trabalho e atenção que a equipe dá ao meu animal. Quando ele chega, eu leio na agenda os recadinhos com o histórico das peripécias que aprontou. Tenho certeza foi uma boa escolha e a resposta é ele quem dá”, conclui. Em outubro de 2010, a engenheira Bruna Baumann, de 28 anos, encontrou uma cadela vagando nas proximidades da oficina de funilaria de familiares. “Meu primo estava procurando alguém para adotá-la, ele disse que a cachorrinha era super boazinha. Foi amor a primeira vista”, recorda-se com carinho, especialmente do momento quando a pequena vira-lata chegou de mancinho e deitou nos pés da futura dona. Sem hesitar, Bruna levou a cachorrinha para casa na qual morava com os pais. Mas antes, precisou convencer a mãe

43

a aceitar o bichinho. Além de novo lar, a cadela recebeu o carinhoso nome de Mel Baumann e ainda foi cercada de mimos e cuidados. “Naquela época, ela tinha mais ou menos oito meses de vida e estava bastante doentinha, sofria muitas convulsões. Após uma consulta ao veterinário, ela precisou ficar internada e fazer uma cirurgia para retirar o útero que estava comprometido”, lembra. Superada a fase difícil, a vira-lata transformou-se num animal cheio de vida, saúde e energia. Bruna casou-se e Mel, claro, foi morar com a dona. “A Mel é uma cadela doidinha, espoleta, esperta e malandra”, brinca. Preocupada com os problemas de saúde da companheira de estimação, a engenheira optou em matriculá-la numa creche para cães. “Apesar de as convulsões serem controladas com medicação, eu tinha medo de deixá-la sozinha. Além disso, acho injusto adotar um bichinho e mantê-lo trancado sozinho dentro de um apartamento”, explica. Quando questionada sobre o custo a mais no orçamento do casal, a engenheira é categórica: “a partir do momento que decidi adotá-la, eu me comprometi a cuidar, é isso que devo fazer. Isso não significa apenas alimentá-la e trancá-la dentro de casa”, ressalta. Os benefícios proporcionados pela creche são logo percebidos pela dona. “A creche é fantástica, parece escolinha de bebezinho”, brinca. “Eu fico tranquila sabendo que a Mel está em um local seguro, com ‘amiguinhos’, onde ela pode brincar, correr, gastar energia e latir à continua

O conceito, além de conquistar os donos de animais domésticos, também gera bons lucros ao setor pet, que cresce sem parar no Brasil. Em 2010, segundo dados da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos para Animais de Estimação, o segmento movimentou R$ 11 bilhões.


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

44

vontade. Quando ela chega em casa está tão cansada que simplesmente deita no sofá e dorme até o dia seguinte. Além de tudo eu tenho a comodidade do taxi dog, que entrega-a em casa, do banho semanal, onde cuidam dela, das orelhinhas e dos dentinhos”.

Serviço

Gostou da ideia? Então anote algumas dicas para garantir a segurança, o conforto e o bem-estar do seu amigão: visite o espaço para avaliar as condições de segurança e higiene, leia com atenção o contrato de prestação de serviços, sonde e converse com outros donos de pets que optaram pela creche, observe se o tamanho do espaço é suficiente para abrigar o número de animais matriculados e se favorece a socialização. Na região do ABC, em São Bernardo, a creche Companhia Pet (www.companhiapet.com.br) oferece pacotes semanais ou diárias avulsas. A unidade funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h, e aos sábados, das 8h às 18h.

Em São Paulo, a creche Cãominhando (www.caominhando.com.br) aceita apenas animais de pequeno porte. O espaço funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 20h e, sábados, domingos e feriados, das 9h às 16h. O valor da mensalidade varia de R$ 190 a R$ 500, conforme a quantidade de dias e horários de frequência do animal ao espaço. Antes de começar a frequentar a creche, o animal será avaliado pelo veterinário responsável pelo espaço. Também é necessário verificar algumas recomendações como: controle de pulgas, carrapatos e vermifugação. Os cães machos devem ser castrados e as fêmeas são proibidas no período de cio.


45

Melhore Sua Auto-Estima! VENHA CONHECER O APARELHO ORTODÔNTICO

DE SAFIRA

Implantes Dentários Clínica Geral, Ortodontia, Clareamento a Laser, Odontopediatria, Endodontia, Periodontia, Cirurgia, Implantes e Próteses

clínicas odontológicas odontologicas

CLÍNICA SANTO ANDRÉ

(11) 4438-2200 www.bucalsystem.com.br

Vencedoras do Prêmio Mulher Empreendedora serão conhecidas em março No próximo 8 de março, Dia Internacional da Mulher, serão conhecidas as vencedoras do I Prêmio Mulher Empreendedora de Santo André, organizado pelo NME – Núcleo de Mulheres Empreendedoras da ACISA - Associação Comercial e Industrial de Santo André. O evento será realizado no Clube Primeiro de Maio a partir das 20h. Os 40 cases indicados para a etapa final foram selecionados pela comissão julgadora, formada por representantes do SEBRAE-SP (escritório de Santo André), OAB Santo André e da Fundação Getúlio Vargas – SP. Segundo Selma Cobra, vice-presidente da ACISA, este prêmio foi criado como forma de valorizar o empreendedorismo feminino e seu importante papel na economia do município. É voltado para mulheres empreendedoras, com mais de 18 anos e proprietárias de micro e pequenas empresas (faturamento anual até R$ 2,4 milhões) que estejam estabelecidas formalmente há, no mínimo, um ano em Santo André. “Por ser a primeira edição, fomos surpreendidas pelo grande número de inscrições e isso nos fortaleceu em pensarmos já na segunda edição. Existem muitas mulheres empreendedoras em nossa região e a sociedade precisa conhecer quem são essas guerreiras que se destacam em seus negócios”, completa Selma. Todas as finalistas receberão troféus e pacote de serviços do SEBRAE e as três primeiras serão premiadas com viagem, netbooks e curso do CIESP.


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

ARTIGO

46

Os jeitos do brasileiro Por Aparecida Cavalcante

V

amos analisar o jeito como uma maneira de ser tipicamente brasileira, condicionada por fatores particulares e históricos que nos moldaram nesta filosofia de vida. Existem dois: o jeito prático e o teórico. O primeiro se traduz na capacidade de adaptação a situações difíceis ou inesperadas; e o segundo ha que se usar o cérebro para celerar teorias e se “safar”. A isto podemos chamar de jeitinho brasileiro que incorpora várias causas, podemos encontra-las no tipo de formação que recebemos como também nos desafios encontrados aqui pelos colonizadores. Encontra-se, na formação humanística dada pelos jesuítas, mas também na crença brasileira nos dons naturais e nas qualidades inatas das pessoas. Ressalta-se também traça um paralelo com o tipo de imigração que ocorreu nos Estados Unidos, lá este processo aconteceu ocorreu em grupos familiares que adaptaram sua cultura ao novo País. Ao passo que aqui a migração era feita por indivíduos isolados e que aqui tiveram que se adaptar aos costumes locais. Também a mestiçagem é vista neste prisma como fator a influenciar este traço do nosso caráter, o que torna impossível o estabelecimento de uma ligação entre tudo o que se diz com as reais causas do jeitinho brasileiro. Outra parte forte geradora do jeitinho pode ser encontrada no “caráter português”, isto , possui uma “tolerância com a corrupção”, já famosa na Europa desde o século XVII. Essa tolerância com a corrupção pode ser encontrada na própria imagem dos políticos hoje. Cito o slogan de Ademar de Barros, interventor e governador de são Paulo: “Rouba, mas faz”. Isso gera um subproduto: uma baixa expectativa de serviço público honesto. Outro aspecto do caráter português seria a falta de “responsabilidade civil”, que se resume na ênfase acentuada nas relações pessoais de amizade, as obrigações se impõem acima da norma impessoal, abstrata e legal. Daí o tão conhecido ditado: “Aos amigos tudo, aos indiferentes nada, aos inimigos os rigores da lei”. Segundo algumas análises de causas históricas procuro demonstrar que o jeito implica em “custos e benefícios” para a sociedade

Mas o principal benefício do jeito, é que ele permite a uma sociedade em vias de desenvolvimento ganhar tempo para resolver seus problemas institucionais sem qualquer grande ruptura política ou social. Desse ponto de vista o jeito então “tem sido de um valor incalculável ao permitir que o sistema brasileiro opere sem conflitos violentos”.

brasileira. Do ponto de vista econômico, o jeito provoca alocação de recursos, aumentando os custos da produção ou na má qualidade do produto, além da injustiça social ao

permitir que certas empresas e indivíduos não obedeçam à lei através do pagamento de gorjetas e de conexões familiares. Os aspectos corruptos do jeito “retardam também a eficiência administrativa”, além de causar prejuízo moral grande, expresso no desrespeito constante às leis. Também, pelo fato dessa instituição funcionar como válvula de escape, ela acaba por impedir o surgimento de uma pressão social efetiva que leve a mudançastão necessárias no nosso aparato legal e administrativo. Por outro lado, os benefícios do jeito podem ser encontrados nos aspectos em que ele proporciona um mecanismo mais eficiente no processo de desenvolvimento, ao permitir que se solucionem impasses legais e administrativos a um custo relativamente baixo. Mas o principal benefício do jeito, é que ele permite a uma sociedade em vias de desenvolvimento ganhar tempo para resolver seus problemas institucionais sem qualquer grande ruptura política ou social. Desse ponto de vista o jeito então “tem sido de um valor incalculável ao permitir que o sistema brasileiro opere sem conflitos violentos”. Primeiro por considerar o jeitinho apenas por um lado aquele concernente a seu aspecto de instituição paralela ao nosso sistema jurídico e legal, a partir de uma classificação feita às categorias sem referência ao sistema de classificação local. Também o que a evidência empírica nos indica é que o jeito é, no sistema de classificação nativo, diferente de corrupção. Pois existe um segmento de população que não o vê mantendo qualquer tipo de ligação com a corrupção. Se a afirmação de que existe uma ligação íntima entre esse mecanismo paralegal e uma prática social corrupta envereda por um caminho de argumentos moralizantes. Há ainda, que se levar em consideração que o je itinho brasileiro não só é um mecanismo de ajuste à realidade institucional brasileira, mas também um elemento de identidade social positiva e negativa. Ele é percebido e reconhecido nos definindo como país e como povo. Portanto, longe de ser algo escuso, embaraçoso, o jeitinho é reconhecido, admitido, louvado e condenado. Aparecida Cavalcante é antropóloga


Participação

nota 10! Acompanhar de perto a rotina dos filhos na escola é uma maneira eficiente de garantir uma melhora no desempenho deles. Só não vale deixar para tomar uma atitude no último bimestre. Para dar certo, é preciso começar já!

E

ngana-se quem imagina que, para garantir que seus filhos tenham um futuro brilhante, basta investir em uma boa escola. Os especialistas são unânimes em afirmar que a participação dos pais na rotina de estudos dos filhos é decisiva para que os mais jovens consigam aproveitar, de fato, todo o conteúdo que recebem. “Um aluno que tem uma família presente, que se interessa pelas atividades da criança ou adolescente na escola, se sente acolhido e estimulado e, por isso mesmo, acaba apresentando mais facilidade não só para aprender as matérias, como para superar dificuldades e resolver conflitos, incluindo os interpessoais. Esse aluno também valoriza mais o aprendizado, porque sabe que tem alguém em casa validando o trabalho da escola”, explica Kátia Zavanella, diretora pedagógica do Colégio Caminhar. Seguir essas recomendações, na prática, não é tão difícil quanto parece. Mesmo para os pais que enfrentam longas jornadas de trabalho todos os dias e que se ausentam de casa durante a maior parte do tempo. Para começar, é preciso que as conversas sobre a escola aconteçam diariamente e virem um bom hábito na família. Porém, todo cuidado é pouco para que os papos com as crianças e jovens não ganhem o tom de sermão ou simples cobrança. O ideal é que as crianças percebam que existe, em casa, um espaço para falar sobre a escola e, principalmente, que serão ouvidos com atenção. Os pais podem perguntar sobre o que os filhos aprenderam, se eles estão tendo dificuldades em alguma matéria e até sobre como está o relacionamento com os colegas e professores. “Com esse tipo de contato mais frequente, os pais vão perceber, muito rapidamente, os conflitos e dificuldades pelos quais o jovem está passando e poderão oferecer apoio. Da mesma forma, vão poder incentivá-lo a lidar com certas limitações, para que descubram e desenvolvam suas potencialidades, de forma autônoma. Tudo isso certamente terá reflexos claros na sala de aula”, garante Debora Castanha, diretora do Colégio Metodista de São Bernardo do Campo.

Organização é fundamental

Outro ponto em que os pais podem colaborar é no estabelecimento de uma rotina de estudos para os mais jovens. Juntos, pais e filhos podem fazer uma programação semanal, contendo horários para fazer as lições e trabalhos da escola, diariamente, bem como os horários das atividades extracurriculares e do lazer. “Também vale muito ensinar seus filhos, desde cedo, a usarem uma agenda, para que consigam administrar melhor os compromissos”, sugere Rosana Alboredo Magalhães, orientadora educacional do Colégio Singular. Feito isso, os pais ainda terão a missão de acompanhar os resultados dos filhos, pelo menos semanalmente. “Estar presente não significa sentar para fazer a tarefa com o jovem, mas olhar o caderno de vez em quando, fazer perguntas sobre o conteúdo que ele está aprendendo e, sempre que possível, comunicar-se com os professores”, ensina Rosana. Ela garante que um grande erro dos pais é estabelecer combinados com os filhos, inclusive sobre a rotina de estudos, e depois não cobrar as responsabilidades deles. Com o tempo, o baixo nível de exigência pode ser interpretado como um desinteresse total. E essa percepção pode prejudicar o desempenho do jovem na escola tanto quanto as cobranças exageradas.

Exemplo dos mais velhos conta muito

Pais que priorizam os estudos em sua rotina e valorizam atividades como a leitura ensinam seus filhos a enxergarem a busca do conhecimento como uma oportunidade de crescimento intelectual e pessoal. “Além de incentivar as crianças e adolescentes, é preciso que os pais deem um bom exemplo. É importante manter-se atualizado, acompanhar os filhos em passeios culturais, propor visitas a museus e parques, criar o hábito de assistir a alguns filmes, peças e shows em família. Afinal, o aprendizado não acontece só na escola”, lembra Debora. É claro que o investimento dá trabalho. Mas os ganhos a curto e longo prazos certamente compensarão o esforço.

EDUCAÇÃO

47


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

CONSUMO

48

Samba no pé e visual na moda

D

urante quatro dias, milhares de brasileiros vão às ruas para brincar o Carnaval, um dos feriados mais aguardados do ano. A folia ocorre oficialmente a partir de 21 de fevereiro e, para auxiliar você a brilhar na avenida de maneira confortável e com um look glamoroso, a Dia Melhor garimpou diversas sugestões de calçados, acessórios, objetos e fantasias para agradar crianças e adultos. Escolha o seu e caia na festa! Mascáras Eleonora Dobin R$ 80 www.elo7.com.br

EM 2012 TURMAS DE 1º ANO

MANHÃ E TARDE DO BERÇÁRIO AO 9º ANO

MATRÍCULAS ABERTAS

(11) 4994-8157

www.colegiocaminhar.com.br

Sapatilha Peep Toe em lona Floral R$39,90 www.lojasrenner.com.br

Creme com glitter para os olhos e corpo R$ 5,49 www.hiroshima.com.br

Agende Sua Visita

Delineador para olhos R$ 12,99 www.hiroshima.com.br

Lápis Sombra Cintilante R$ 7,49 www.hiroshima.com.br Ensinando Valores, Formando Vencedores


Dia Dia Melhor Melhor -- Ano Ano IIII -- Edição Edição 23 23 -- Janeiro/Fevereiro Janeiro/Fevereiro de de 2012 2012

49

Sandália Barbie Spring R$ 29,99 - www.grendene.com.br Sandália em couro com pedraria R$ 159 www.lojasrenner.com.br

Rasteira Salomé em couro R$ 89,90 www.lojasrenner.com.br

Sandália Ipanema Max Steel R$ 17,99 www.grendene.com.br

Máscaras Infantis A partir de R$12 www.elo7.com.br

Sandália Barbie Flores R$ 29,99 www.grendene.com.br

Sandália Hot Wheels R$ 17,99 www.grendene.com.br


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

50

Brasileiro ama coxinha

S

ão várias as versões da história da coxinha, este salgadinho tão popular entre os brasileiros. Ao se buscar a origem desse delicioso alimento, encontramos um relato, não oficial, que a coxinha foi criada por uma cozinheira da nossa Princesa Izabel, que para agradar um dos filhos da Redentora dos Escravos, que adorava comer carne de galinha, a misturou com uma massa a base de farinha, receita logo aprovada por todos da realeza brasileira. Entretanto, acredita-se mesmo que a coxinha brasileira é uma variação do croquete francês. A massa e o recheio com carne de frango caiu no gosto do brasileiro, de norte a sul, e hoje se encontra incorpo-

rada à nossa cultura alimentar. A coxinha da Padaria Brasileira já se tornou um ícone entre os seus frequentadores e foi por diversas vezes premiada pela revista Veja. Prêmio dado pelo esmero no preparo e qualidade das matérias primas, o que resulta num sabor incomparável. Seguindo uma tradição da Brasileira, que é a de apresentar sempre inovações naquilo que serve, a coxinha ganha novos e inusitados sabores nas unidades da

Padaria Brasileira e Brasileira Express. Os novos recheios - Carne Louca, Portuguesa, 4 Queijos, Peito de Peru com Queijo branco e Toscana – foram produzidos em edição limitada para auferir as preferências dos clientes da Brasileira. Em breve, alguns destes sabores serão incorporados no enorme cardápio de salgadinhos da rede, juntado-se às tradicionais coxinhas de frango e Catupiry, tão apreciadas por todos.

Uma celebridade na Cidade Luz Paris transborda romantismo por todos os lados. Ela foi, e ainda é, a cidade preferida por intelectuais e artistas para morar ou servir de inspirações para as suas obras. A oportunidade de conhecer Paris foi o prêmio do concurso cultural Celebridades Padaria Brasileira e CVC, realizado nos últimos meses de 2011. Para selecionar o vencedor, o regulamento exigia a elaboração de uma fotografia com o seguinte tema: “Por que você merece ser a nova celebridade da Brasileira?”. O autor da foto mais criativa recebeu uma viagem de seis dias a Paris, com direito a um acompanhante, além de R$ 2 mil, para gastos durante o passeio. Centenas de clientes da Padaria Brasileira e Brasileira Express enviaram imagens e escolher apenas um vencedor foi uma tarefa difícil. A autora da imagem premiada, Izabelle Stein, enviou uma foto na qual aparece beijando um bebê, que está em um

imenso anúncio publicitário, o que dá a impressão de que ela realmente toca a criança. Outro fato curioso é que a imagem foi registrada em Paris. “Na época que fiz a foto eu estava pensando em engravidar, então quando vi o bebê decidi captar a imagem”, explica a vencedora. O título que batiza a foto é “Amor Incondicional” e antecipou um acontecimento importante na vida de Izabelle: sua primeira gravidez. Ao lembrar-se de como foi receber a notícia sobre a viagem, a ganhadora não esconde a alegria. “Tinha acabado de sair de uma gravação, no meu trabalho, quando recebi o telefonema. Saí gritando: eu vou para Paris! Eu vou para Paris!”, conta Izabelle. Izabelle agora pretende programar sua agenda, junto com a do marido, para o casal realizar a viagem. “Amo a culinária francesa, mas o simples fato de estar lá, já é maravilhoso. Para todos os lugares onde você olha há histórias, Paris é uma cidade muito romântica”, destaca Izabelle.


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

51


Por que sou Brasileira?

52

“Frequentemente marco reuniões aqui na Brasileira, pelo ambiente agradável e acolhedor. Somos amigos de infância e há mais de 20 anos não nos víamos. Escolhemos a Brasileira para esse encontro” Arthur Caramel e José Carlos Machado Campos

“Adoramos os produtos e o atendimento, que é muito bom. O ambiente também é bem agradável e acolhedor” Marcelo Bassani e Robson Machado “O que gosto na Brasileira é o pão, além da variedade de salgados, que são deliciosos. Visito a padaria sempre que possível” Moaci Arimura

“Venho sempre à Brasileira tomar café da manhã. A localização é ótima e posso, na maioria das vezes, vir a pé” Alexandre Santos, Érica e Lorenzo Fontana

“A qualidade dos serviços e dos produtos servidos é um grande diferencial. A facilidade no estacionamento também é um dos pontos que me fazem frequentar a Brasileira” Marcelo e Enzo Loiola

“Comecei a frequentar a Brasileiras há 10 anos. O que eu mais gosto é a coxinha e o café, que são excepcionais” Carlos Hassimotto “Gostamos muito da localização, da facilidade no estacionamento, além da variedade dos produtos, que é ótima. Sem falar do atendimento de primeira” Julien Tarantino, Guilherme e Rogério Ambrosio

“Frequento há muitos anos diversas unidades da Brasileira, principalmente no almoço. Gosto muito do atendimento e qualidade dos produtos” Julio Valotin


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

53


Dia Melhor Indica

Dinossauros invadem o ABC

Os primeiros animais que habitaram a região sul da Argentina terão suas trajetórias narradas por meio da exposição educativa “Dinossauros da Patagônia”, no ParkShopping São Caetano. A composição das réplicas foi inspirada nos fósseis originais e serão apresentadas no tamanho real das criaturas, que viveram na América do Sul há milhões de anos.

Na mostra, é possível conferir animais como o giganotosauro (giganotosaurus), um dos maiores dinossauros carnívoros do mundo, que chegava a 13 metros de comprimento. Além disso, as réplicas resgatam parte da história dos períodos Cretáceo, Jurássico e Triássico. Os visitantes podem ainda tirar dúvidas com monitores e consultar material explicativo.

A exposição “Dinossauros da Patagônia” pode ser conferida na Praça de Eventos (Piso térreo) do ParkShopping São Caetano (Alameda Terracota, 545, Espaço Cerâmica) até 28 de fevereiro, de segunda-feira a sábado, das 11h às 23h, e aos domingos e feriados, das 11h às 22h. A entrada é gratuita. Mais informações pelo telefone 4003-4174.


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

55

Bob Esponja traz o fundo do mar a São Paulo “Bob Esponja: A Esponja que Podia Voar! O Musical” é baseado no episódio homônimo da série animada de televisão e apresenta um cenário mágico que transporta o público ao mundo subaquático de Bob Esponja, a adorável esponja marinha, seu melhor amigo, a estrela-do-mar Patrick, e todos os outros que vivem na Fenda do Biquíni. Perfeito para todas as faixas etárias, o show é uma história de coragem, que narra o desejo que Bob Esponja tem de voar com as águas-vivas e a persistência com que ele

Sherlock Holmes volta às telonas

O

detetive mais famoso da literatura está de volta. Sherlock Holmes (Robert Downey Jr.), ao lado do fiel Dr. John Watson (Jude Law), enfrenta desta vez o temível professor Moriarty (Jared Harris). Na trama, o desastrado Inspetor Lestrade (Eddie Marsan) se depara com um novo enigma que, para variar, não dá conta de desvendar. Holmes, como é de praxe, tem uma teoria alternativa que o leva a uma intrincada organização criminosa cujos planos podem determinar o futuro do planeta, caso nosso detetive não intervenha. Confira no portal da Dia Melhor (www.diamelhor. com.br) o trailer exclusivo.

busca seu sonho. O espetáculo fica em cartaz no Credicard Hall (Av. das Nações Unidas, 17.955, Santo Amaro) de 10 a 18 de março, com apresentações aos sábado e domingos. O preço dos ingressos varia entre R$ 80 e R$ 180, e crianças até doze anos de idade pagam meia-entrada, mediante apresentação do RG ou certidão de nascimento. As vendas antecipadas são realizadas pela Time For Fun, no portal www.t4f.com.br. Outras informações pelo telefone 4003-5588


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

56

Roger Waters vem ao Brasil tocar “The Wall”

Os fãs do rock progressivo já podem comemorar. A nova turnê de Roger Waters, um dos fundadores da banda Pink Floyd, estará no Brasil para três apresentações nas quais, alegrem-se, serão tocadas somente músicas do álbum “The Wall”, um dos trabalhos mais conhecidos do grupo. A primeira cidade a receber o músico britânico será Porto Alegre, em 25 de março (Estádio Beira Rio). Depois, Waters segue para o Rio de Janeiro, onde se apresenta no dia 29,

no Engenhão e, por fim, encerra a sequência de shows em São Paulo, no Estádio do Morumbi, respectivamente em 31 de março e 1º de abril. Os ingressos para o show paulista estão à venda no portal www.ticketsforfun.com. br, pelo telefone 4003-5588, nos pontos de venda autorizados e na bilheteria oficial, no Citibank Hall/SP (Av. Jamaris, 213 - Moema São Paulo). Os preços variam entre R$ 180 e R$ 900, dependendo do setor escolhido.


57

Chico Buarque:

Para Seguir Minha Jornada Poucas pessoas enriqueceram tanto a cultura brasileira nos últimos 50 anos quanto Chico Buarque. Sua vida é documentada neste livro por meio de fotos, que servem como autênticos retratos de épocas, pois as histórias - de Chico e do Brasil -se conjugam. O leitor vai se deliciar com imagens raras de todas as fases da vida do ícone e descobrir um pouco mais sobre a sua relação com outros grandes nomes da música Filho de Sérgio Buarque de Holanda, um importante historiador e jornalista brasileiro e de Maria Amélia Cesário Alvim, Chico passou a morar em São Paulo no ano de 1946, quando o pai assumira a direção do Museu do Ipiranga. Sempre revelou interesses pela música - interesse que foi bastante reforçado pela convivência com intelectuais como Vinicius de Moraes e Paulo Vanzolini. Em 1953, Sérgio Buarque de Holanda foi convidado para lecionar na Universidade de Roma, consequentemente, a família muda-se para a Itália. Chico torna-se trilingue, na escola fala inglês, e nas ruas, italiano. Nessa época, suas primeiras “marchinhas de carnaval” são compostas, e, com as irmãs mais novas, Piiizinha, Cristina e Ana, encenadas. De volta ao Brasil, produz suas primeiras crônicas no jornal Verbâmidas, do Colégio Santa Cruz, nome criado por ele. Sua primeira aparição na imprensa não foi cultural, mas policial, publicada, inclusive, no jornal Última Hora, de São Paulo. Com um amigo, furtou um carro para passear pela madrugada paulista, algo relativamente comum na época. Foi preso. “Pivetes furtaram um carro: presos” foi a manchete no dia seguinte com uma a foto de dois menores com tarjas pretas nos olhos. Autora: Regina Zappa. Editora: Agir. Páginas: 608.


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

58

Sudoku

Cruzadas

9 1 3 4 2 6 8 5 7

2 4 5 9 8 7 1 6 3

7 8 6 1 3 5 9 2 4

Um dos 7 pecados capitais (Rel.)

Terreno comum em restingas

Difícil

Prenome do líder da Al-Qaeda morto André (?), em maio escritor de 2011 O típico morador de repúblicas regada de serviço

Coordena eleições no Brasil (sigla)

34

SobrecarSolução R N I E G O I C I P O

L I RA

V A

PU A G A S N S A M E M E B G A L G U E I A

L M O N P N T O O R E AT A S I I R A A C R I O E O N N C A R N T E N T T A

1 7 6 2 3 9 4 5 8

2 9 8 7 6 5 1 4 3

6 5 4 3 2 1 8 9 7

7 3 1 9 4 8 2 6 5

8 6 7 4 9 3 5 2 1

4 1 3 8 5 2 6 7 9

5 2 9 6 1 7 3 8 4

Solução

Nome da 13ª letra do nosso alfabeto

Nota do Tradutor (abrev.)

6000629

9 4 5 1 8 6 7 3 2

BANCO

Eric Idle, ator inglês Siemens (símbolo)

3 8 2 5 7 4 9 1 6

Religioso de ordem que depende de caridade alheia Cidadão do mundo

Vogal temática da terceira conjugação Discurso violento e injurioso Hesitação entre duas soluções

Ajuda, em inglês Ordens judiciais

Poderoso Iguaria explosivo deDigno cor de amarela honra

Matériaprima do caviar

2/up. 3/ear — egg — eon. 5/pugna — renan. 6/lontra.

Médio

8 3 1 5 4 9 6 7 2

Solução

Vitamina dos frutos cítricos

Significado de “pois não”

Matuto (bras.) Formiga, em inglês Mensageira de Hera (Mit. grega) Aposta, Roraima em inglês (sigla)

Período de cerca de noventa dias

BANCO

O nhandu, para os indígenas 25

Solução

Confira a solução destes passatempos em www.diamelhor.com.br

E

Medida de volume (símbolo)

Narrativa Destruir; lendária arruinar Ave que faz ninho em forma de bolsa

RE

6 2 9 7 1 3 5 4 8

Exame nacional a cargo do Inep

Enorme período de tempo Terreno para debulhar cereais Estendal

O sequestrado Eleita; escolhida

A S

5 7 4 2 6 8 3 9 1

Forma engenheiros militares (sigla)

Diogo Álvares: Caramuru (Hist.)

A R E A L

1 6 7 8 9 4 2 3 5

4 7 5 5 8 1 5 2 3 4 8 6 4 5 9 1 3 7 1 2 6 9 2 7 5

Período em que surgiu o homem Estudei O amado de Julieta (Teat.)

Exjogador e técnico de vôlei

Exemplo de parente por afinidade

O S

6000628

3 5 2 6 7 1 4 8 9

2

Código de "Tonga" Comércio; www.coquetel.com.br no endere- tráfico ço da Web

Componente da tinta guache

A T D A N C A Q I O Q U I S T U I M E RA I R D C I ON A D A R RA S A R I D I L EM D I T A V E A N T E A R I G I R I

Árvore cuja seiva COQUETEL Ampère © Revistas fornece (símbolo) o látex

8

4 9 8 3 5 2 7 1 6

9

Su-sueste Utopias; (abrev.) fantasias Partidária das ideias de Betty Friedan

R E E N S A S O Q F EM E L E

Preencha os espaços vazios com algarismos de 1 a 9. Os algarismos não podem se repetir nas linhas verticais e horizontais, nem nos quadrados menores (3x3).

Jornal e site esportivo espanhol

IM

"(?) Ching", livro oracular

Itens do inventário Que se deleita com o próprio A arma sofrimento de Zeus (p. ext.) (Mit.)

Lua de Júpiter com vários vulcões

J A A P E U D I T T

O T A

Entidade infantil da Umbanda

N I S T A

7 5

7 1

3

Psiquiatra fundadora do Obter; Fixar o conseguir Museu de Imagens preço de do Inconsciente

S S O BE R B A D A IM E S T R E E MA

9

9

N

© Revistas COQUETEL 2012

Disfunção do coração (Med.)

S T B E M P R E S O T M A D R E E S O L A T R

2

9

Thomas (?), chanceler inglês decapitado a mando de Henrique VIII Jalecos (bras.) Ouro (símbolo)

Ovo, em inglês Entreato (Teat.)

Doutor (abrev.)

A primeira da escala é o dó (Mús.)

E

2

3

8

Metro (símbolo)

R

1

1

3

Interjeição para indicar perigo

www.coquetel.com.br

PA

Composição vocal renascentista

6 7

2

(?)-Geral, órgão da ONU

Carnívoro de rios e lagos 50, em Fenômeno cósmico Sigla Dança romanos comoGênero o de que causa a inglesa Break Augustoaurora do ácido de Campos boreal (inglês) ribonucleico

2/io. 3/aid — ant — bet — erê. 4/japu. 5/arigó. 8/diatribe. 11/street

5

2 6

6

Ouvido, em inglês

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

Luta; embate www.coquetel.com.br Para cima, em inglês

Messi, em relação a Julio Cortázar

I N T E R L U D I O

Caldo extraído da canade-açúcar

O auge da relação sexual

C O E M A P R A T D R R I O A T A I M E E N E S M

A habitação do es© Revistas cravo pre- COQUETEL so e a do escravo fugido Também não Ato de procurar canais na TV

S E N Z dance.G A L M A S E Q Q U I L R O M B C O

Difícil

Preencha os espaços vazios com algarismos de 1 a 9. Os algarismos não podem se repetir nas linhas verticaisDIRETAS e PALAVRAS CRUZADAS horizontais, nem nos quadrados menores (3x3). © Revistas COQUETEL 2011 www.coquetel.com.br


Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012

59


60

Dia Melhor - Ano II - Edição 23 - Janeiro/Fevereiro de 2012


Revista dia Melhor Ed. 23