__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

Jo達oRibeiro

09 JUNHO a 25 JULHO 2015

1


Sem tĂ­tulo tĂŠcnica mista s/ tela com tecido colado 80x80cm 2015 JRB72 2


João Ribeiro

PRINCIPAIS EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

Nasce em Lisboa em 1955 e licencia-se em Pintura pela Faculdade de BelasArtes de Lisboa. Tem o mestrado em Artes Visuais/Ensino/ULHT. Expõe desde 1984, individual e colectivamente, em Portugal, Argentina, Espanha, Bélgica, EUA e Canadá, em diversas galerias e instituições. Está representado nas seguintes coleções: Colecção da CGD, Colecção do BCP, Colecção dos CTT, Museu de Arte e Pintura Diogo Gonçalves (Portimão), Museu da Cidade de Vila Franca de Xira, Câmara Municipal do Seixal, Câmara Municipal Vila Nova de Famalicão, Câmara Municipal de Matosinhos, Câmara Municipal de Portalegre, Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, Ministério da Justiça, Tribunal da Relação de Seia, Biblioteca de Santa Maria da Feira, Biblioteca Unl da FCT-Unl.

2009 Oklahoma - Teatro Municipal de Almada 2007 Deuses de Jardim - Biblioteca Unl (Caparica) 2005 O Paraíso Provável - Galeria Cubic (Lisboa) 2003 O paraíso Improvável - Galeria Enes (Lisboa) 1999 Viva Portugal - Casa da Cultura (Vila Nova de Famalicão) 1998 Viagem - Galeria Almada Negreiros (Toronto, Canadá), A Lua com a mão escondida - Galeria Enes (Lisboa) 1993 O paraíso de Alfredo - Galeria S. Bento (Lisboa) 1991 Contes Fantastiques - Galerie Fayla (Bruxelas, Bélgica), Bapaumestraat - Galeria S. Bento (Lisboa) 1987 Nirvana Urbana - S. Bento (Lisboa) FILMOGRAFIA 2010 Pássaro Cego (vídeo de João Ribeiro, música de Manuel Paulo, palavras de João Monge) 2009 Oklahoma - sobre a exposição Oklahoma (vídeo de Ricardo Reis, música de Calú e Vasco Pinhol) 2007 Filme de Álvaro Queiroz - O artista no seu atelier que faz parte da Cinemateca Portuguesa - Arquivo nacional das imagens em movimento para memória futura. 2005 Programa da RTP2 - Entre Nós Universidade Aberta 2003 Colabora com o Arq. Cândido Chuva Gomes no Museu da Cidade de Vila Franca de Xira, onde realiza um Biombo monumental. 2008 É seleccionado com duas instalações em pedra da calçada com luz para a LUZBOA 08 e para a LUCI D´ARTISTA/TURIM. 2009 Inicia ciclo de três exposições individuais com curadoria de Mário

Caeiro (Oklahoma, Mapas Alquímicos e Painéis de Lazarim). A convite de Joaquim Benite, realiza o espaço cénico da peça Dois Homens, de José Maria Vieira Mendes, coincidindo a estreia da peça com a inauguração da exposição OKLAHOMA no Teatro Municipal de Almada. Participa em Tórun/ Polónia no SKYWAY 09, com curadoria de Mário Caeiro, com uma instalação/projecção «Lágrimas de São Lourenço». 2011 «Vicente», Instalação com desenho, projeto coletivo na Galeria Ermida de Nossa Senhora de Belém, curadoria de Mário Caeiro, Lisboa. 2012 Guimarães, Capital da Cultura, com a VOARTE, autor do libreto do Bailado «O Nada». Objet Trouvé, Instalação com vídeo e duas pinturas, projeto coletivo na Galeria Plataforma Revolver, curadoria de Mário Caeiro, Lisboa PARCERIAS ARTÍSTICAS 2009 Com Pedro Sena Nunes e Gonçalo M. Tavares e João Gil, Ladrões de Deus projecto de vídeoinstalação no Mercado de Santa Maria da Feira, a convite do Festival Imaginarius. Com João Monge, Manuel Paulo e Nancy Vieira no Projecto Musical «Pássaro Cego». Com Inês Canas Ramos com a instalação Reinventing Paradise. Com a VOARTE no projeto multidisciplinar «O Aqui». 2010 Com João Monge e Manuel Paulo no vídeo «Pássaro Cego». Com a VOARTE no projeto multidisciplinar «Depois». 2012 Com a VOARTE no projeto multidisciplinar «O Nada». English translation on the last page 3


Deus de costas de cão técnica mista s/ cartão com tecido colado 19x20.5 cm 2014 JRB30

4

Cristo Acrílico e pastel de óleo s/ papel 100x70 cm 2010 JRB15


Jardim de Inverno tĂŠcnica mista s/ tela 150x90 cm 1997 JRB81

5


Harpócrates técnica mista s/ cartão com tecido colado 21x34 cm 2014 JRB32

Deus Artur Gomes e amigos técnica mista s/ tela com tecido colado 80x80cm 2015 JRB56

6


Composição Acrílico e pastel s/ papel 70x99 cm 2001 JRB10

7


Soluctio com rolha de duas caras técnica mista s/ cartão com tecido colado 23.5x30 cm 2015 JRB35 Harpócrates chora técnica mista s/ cartão com tecido colado 25x41 cm 2014 JRB33 8


Dois anjos Acr铆lico e pastel de 贸leo s/ papel 36x46 cm 2014 JRB03

9


Deusa Águeda de Jesus e amigos técnica mista s/ tela com tecido colado 80x60 cm 2015 JRB73

Deusa Águeda de Jesus e amigos técnica mista s/ tela com tecido colado 80x60 cm 2015 JRB59

10


Deuses do Jardim do Príncipe Real em Lisboa técnica mista s/ tela com tecido colado 30x30 cm 2015 JRB71

11


“O que se altera, alterado fica?” Esta é uma pergunta que o artista João Ribeiro coloca quando confrontado com a matéria da sua criação. As suas pinturas inscrevem-se num horizonte explosivo em que todos os elementos, recolhidos num universo muito próprio, ficam sujeitos a uma metamorfose: símbolos que assumem uma outra dimensão, um outro sentido, uma outra significação. Mas tudo isto faz parte de uma estratégia plástica assente sobre a compreensão do fragmento ou da ruína. O pintor assume uma tradição, para lhe acrescentar elementos novos e inesperados, para fazer crescer dentro da atmosfera própria desses símbolos novos halos vitais, desta vez não simbólicos, antes irónicos. Esta espécie de perversão de uma certa dimensão oculta depende da relação que a mão estabelece com o visível: as cores, os traços, as formas servem unicamente para dar conta da totalidade de cada fragmento desse universo, agora feito em pedaços e a princípio inacessível. Trata-se da apresentação de uma totalidade ou de uma ideia. Aqui ideia surge não em sentido platónico de matriz ou molde, mas sim no sentido do estabelecimento de limites, o quanto baste plásticos para impedir a abstracção e a conceptualização destrutiva. Mas todas estas características dizem respeito a um certo modo de viver o sagrado e o misterioso. Talvez o que esteja em causa não seja tanto uma aproximação à dimensão mágica da vida, mas antes a visão da arte como mistério ou, para retomar as palavras de Walter Benjamin, como milagre. Nuno Crespo 2005

12

“What changes, is changed?” This is a question that the artist John Ribeiro puts when faced with the matter of its creation. His paintings are part of a explosive horizon where all the elements collected in a very universe itself, are subject to a metamorphosis: symbols that take on another dimension, another way, another meaning. But this is all part of a strategy based on understanding plastic fragment or ruin. The painter takes a tradition for you to add new and unexpected elements to grow within the atmosphere of these new symbols vital halos, this time not symbolic, rather ironic. This kind of perversion of some hidden dimension depends on the relationship that establishes with the visible hand: colors, lines, forms serve only to account for the totality of each fragment of this universe, now torn to pieces and the principle inaccessible. It is the submission of a full or an idea. Here idea arises not in the Platonic sense of die or mold, but towards the establishment of limits, how much plastic is enough to prevent the destructive abstraction and conceptualization. But all these features relate to a certain way of living the sacred and the mysterious. Perhaps what is at issue is not so much an approach to magical dimension of life, but rather the vision of art as a mystery or to resume the words of Walter Benjamin, as a miracle.


Aníbal Ribeiro no dia 25 de Abril de 1974 técnica mista s/ tela com tecido colado em cartão 37.5x52.5 cm 2015 JRB65

13


Sem título técnica mista s/ tecido colado em cartão 2015 JRB74 14


Deus de Vale da Mua técnica mista s/ cartão com tecido colado 35x35 cm 2015 JRB42 15


Coração pré-sócrates técnica mista s/ tecido integralmente colado s/cartão 30x30 cm 2015 JRB40

Sem título técnica mista s/ tecido colado em cartão 2015 JRB76

16


A virtude de Lita tĂŠcnica mista s/ tecido colado em cartĂŁo 37.5x52.5 cm 2015 JRB66

17


Marte escondido e Hiena técnica mista s/ tecido integralmente colado s/cartão 20.5x33.5 cm 2015 JRB39 Deusa de Vale de Grou técnica mista s/ cartão com tecido colado 35x35 cm 2015 JRB41

18


Luis Coelho no Campo Grande técnica mista s/ tecido colado em cartão 37.5x52.5 cm 2015 JRB67

19


Tó Zé e Milu, Deuses do hedonismo realista, da Rua Luz Soriano, em Lisboa técnica mista s/ tecido colado em cartão 52.5x37.5 cm 2015 JRB61 Deusa Carmen Flor e amigos técnica mista s/ tela com tecido colado 80x50 cm 2015 JRB63 20


Deusa com cria tĂŠcnica mista s/ tecido integralmente colado s/cartĂŁo 40x37.5 cm 2015 JRB44

21


Deuses do Jardim Botanico em Lisboa tĂŠcnica mista s/ tela com tecido colado 30x30 cm 2015 JRB70

22


Marte tĂŠcnica mista s/ 4 tecidos colados integralmente s/ cartĂŁo 35x35 cm 2015 JRB46

23


Harpócrates técnica mista s/ tecido integralmente colado s/cartão 35x39.5 cm 2015 JRB50

24


João Ribeiro no Campo Grande técnica mista s/ tecido colado em cartão 37.5x52.5 cm 2015 JRB68

25


Portal tĂŠcnica mista s/ madeira 80x120 cm 2005 JRB84

Deusa Maria Francisca dos Prazeres e Amigos tĂŠcnica mista s/ tela com tecido colado 80x50 cm 2015 JRB64

26


Deuses da Avenida Pedro Ă lvares Cabral, em Lisboa desenho e acrĂ­lico s/ papel 29.5x41.5 cm 2015 JRB62

27


Mini-Biombo tĂŠcnica mista s/ madeira 3x80x50 cm 2005 JRB88

28


Orat贸rio t茅cnica mista s/ madeira 280x60 cm 2005 JRB90

29


Nem por um momento a pintura de João Ribeiro é uma pintura-janela. Ela é sempre pintura-pintura, acumulação – em sentido literal – de pinturas, sucessivos momentos de implicância que vão saturando o espaço visual de informação gráfica – mesclas de cor, pinceladas e contrapinceladas, texturas e patines, relações formafundo – até que, como acontece nestas últimas pinturas, determinadas configurações assumem o protagonismo de signos, normalmente por via da criação de sombreados e outras estratégias, como a posição centrada relativamente ao campo da tela. Tais signos destacam-se do fundo e tornam-se então palavra central de uma narrativa que cumpre ao espectador investigar – e várias pistas são relativamente óbvias.

Not for a moment João Ribeiro painting is a painting-window. It is always painting-painting, accumulation - in the literal sense - paintings, successive moments of teasing going saturating the visual space of graphic information - color blends, brushstrokes and contrapinceladas, textures and patinas, relationships forms the background - until, as happens in these last paintings, certain settings assume the role of signs, usually by creating shaded and other strategies, such as the centered position relative to the screen field. Such signs stand out from the background and then become central word of a narrative that meets the viewer investigate - and several leads are relatively obvious.

Mário Caeiro 2007

O quadro torna-se o lugar de uma inversão da perspectiva, e a efígie, o duplo do personagem. No abstraccionismo, a indiferenciação entre a imagem e o fundo constitui a regra; na pintura de João Ribeiro, constitui a excepção, porque o pintor, que trabalha em surdina, fala sobretudo da emergência da representação e do simulacro do olhar humano.

The picture becomes a place of a reversal perspective, and the effigy, the double character. In abstraction, the differentiation between the image and the background is the rule; in the painting, João Ribeiro is the exception, because the painter who works in muted way, especially speaks of the emergence of representation and simulacrum of the human eye.

Amadeu Lopes Sabino 1991

João Ribeiro, artista contemporâneo, nas suas obras remete-nos para uma concepção plástica em que a arte se apresenta como soma de linguagens e estilos, destituindo a rigidez do discurso modernista e assumido uma dimensão lúdica, que é a base do processo formativo da obra. Sílvia Chico 2003

30

João Ribeiro, contemporary artist, in his works brings us to a plastic design in which art is presented as a sum of languages and ​​ styles, dismissing the rigidity of modernist discourse and assumed a playful dimension, which is the basis of the formation process of the work .


Obras colaborativas (obras realizadas em conjunto por vários autores)

Cadavre Exquis - Alfredo Luz e João Ribeiro 2015 CESQ_ALJBR01

Cadavre Exquis - Alfredo Luz e João Ribeiro 2015 CESQ_ALJBR02 31


Obras colaborativas (obras realizadas em conjunto por vários autores)

Cadavre Exquis - Alfredo Luz e João Ribeiro 2015 CESQ_ALJBR03 32

Cadavre Exquis - Alfredo Luz e João Ribeiro 2015 CESQ_ALJBR04


Obras colaborativas (obras realizadas em conjunto por vários autores) Cadavre Exquis Carlos Zingaro, Fernando Grade e João Ribeiro feltro e caneta s/papel 2015

Cadavre Exquis - Carlos Zingaro, Fernando Grade e João Ribeiro feltro e caneta s/papel 2015 33


Obras colaborativas (obras realizadas em conjunto por vários autores)

Cadavre Exquis - Carlos Zingaro, Fernando Grade e João Ribeiro feltro e caneta s/papel 2015 34

Cadavre Exquis Carlos Zingaro, Fernando Grade, Alfredo Luz e João Ribeiro feltro e caneta s/papel 2015


João Ribeiro Born in Lisbon in 1955, gets his degree in Painting from the Faculty of Fine Arts of Lisbon and a master’s degree in Visual Arts / Education / ULHT. Exhibits since 1984, individually and collectively, in Portugal, Argentina, Spain, Belgium, USA and Canada in various galleries and institutions. Is represented in the following collections: Collection of CGD, BCP Collection, Collection of CTT, Museum of Art and Painting Diogo Gonçalves (Portimão), Museum of Vila Franca de Xira, Municipality of Seixal, City Council Vila Nova de Famalicão, Matosinhos Municipality, Municipality of Portalegre, Municipality of Reguengos de Monsaraz, Ministry of Justice, Seia Court of Appeal in Santa Maria da Feira Library, Unl Library FCT-Unl.

MAIN INDIVIDUAL EXHIBITS

2009 Oklahoma - Almada Municipal Theatre 2007 Garden Gods - FCT-Unl Library (Caparica) 2005 Probable Paradise - Cubic gallery (Lisbon) 2003 Inprobable Paradise - Enes gallery (Lisbon) 1999 Viva Portugal - House of Culture (Vila Nova de Famalicão) 1998 Journey - Almada Negreiros gallery (Toronto, Canada), The moon with the hidden hand - Enes gallery (Lisbon) 1993 Alfredo’s Paradise - S. Bento gallery (Lisbon) 1991 Fantastic shortstories - Fayla gallery (Bruxelas, Belgic), Bapaumestraat - S. Bento gallery (Lisbon) 1987 Urban Nirvana - S. Bento gallery (Lisbon). FILMOGRAPHY 2010 Blind Bird (video by João Ribeiro, music by Manuel Paulo and words by João Monge) 2009 Oklahoma - about Oklahoma exhibit (video by Ricardo Reis, music by Calú and Vasco Pinhol) 2007 Álvaro Queiroz Film - The artist and its atelier - part of Cinemateca Portuguesa (National archive for moving images on future memory). 2005 Among Us (Public TV Channel 2)- Open University. 2003 Collaborates with the architect Cândido Chuva Gomes on the Vila Franca de Xira City Museum, where he executes a monumental folding screen. 2008 Selected, with two installations in stone pavement with light, for LUZBOA 08 and LUCI D´ARTISTA, Turin. 2009 Begins a cycle of three individual exhibits with curatorship by Mário Caeiro (Oklahoma, Mapas Alquímicos and Painéis

de Lazarim). At the invitation of Joaquim Benite, designs the stage of the play “Dois Homens” by José Maria Vieira Mendes, matching the debut of the play with the debut of the exhibit OKLAHOMA iat the Almada Municipal Theatre. Participates, in Thorn, Poland, in SKYWAY 09, with curatorship by Mário Caeiro, with na installation/projection «Lágrimas de São Lourenço». 2011 «Vicente», installation with drawings, collective Project in the Ermida de Nossa Senhora de Belém Gallery, curatorship by Mário Caeiro, Lisbon. 2012 Guimarães, Culture Capital, with VOARTE, author of the libretto of the ballet «O Nada». Objet Trouvé, installation with video and two paintings, collective project in the Plataforma Revolver Gallery, curatorship by Mário Caeiro, Lisbon. ARTISTIC PARTNERSHIPS 2009 With Pedro Sena Nunes, Gonçalo M. Tavares and João Gil, “God’s Thiefs” video installation project at Mercado de Santa Maria da Feira, invited by Festival Imaginarius. With João Monge, Manuel Paulo and Nancy Vieira on the musical project «Blind Bird». With Inês Canas Ramos and the installation “Reinventing Paradise”. With VOARTE multidisciplinary project «Now». 2010 With João Monge and Manuel Paulo on the video «Blind Bird». With VOARTE multidisciplinary project «After». 2012 With VOARTE multidisciplinary project «Nothing».

35


JoãoRibeiro

Miradouro Sta. Luzia Castelo

Ca

lç a

Linha do Elétrico

Ru

ad

as

Escola

Calçadinha do Tijolo

is

direcção executiva executive direction Nuno Espinho produção executiva e comunicação executive production and comunication Graça Rodrigues design gráfico graphic design Carlos Santos direcção artística art direction Colectivo Multimédia Perve Impressão e Copyright Perve Global - Lda. 36

R

as ua d

Escola

is

ra

s Gera

te de S. Vicen

s Ge

conceito e curadoria concept and curation Carlos Cabral Nunes

da

Igreja de S. Vicente de Fora/Largo da Graça

Ru

o r vo

os C ad

s

Alfama

Rua do Vigá

Rua

da

Reg

Rua Guilherme Braga

u ei

ra

Igreja de Sto. Estevão

rio

Parque Infantil

Sta. Apolónia Estação de Comboios/Metro

Perve Galeria - Alfama

Rua das Escolas Gerais nº 17 e 19, 1100-218 Lisboa

Horário: segunda-feira a sábado das 14h às 20h galeria@pervegaleria.eu | www.pervegaleria.eu tel. 218822607/8 | tm. 912521450

Parqueamento automóvel: Portas do Sol Transportes: Metropolitano de Santa Apolónia [Linha Azul]; Eléctrico 28 Estacionamento gratuito: Largo da Igreja de S. Vicente de Fora; Largo da Feira da Ladra [excepto 3ª feira e Sábado]. Apoio - catering

Apoio

CT-43 | Junho de 2015 Edição ©® Perve Global – Lda. Proibida a reprodução integral ou parcial deste catálogo, sem autorização expressa do editor.

Profile for Perve Galeria

"Whispers" de João Ribeiro  

Catálogo de "Whispers" - exposição individual que marca o regresso de João Ribeiro após vários anos de ausência do meio galerístico motivado...

"Whispers" de João Ribeiro  

Catálogo de "Whispers" - exposição individual que marca o regresso de João Ribeiro após vários anos de ausência do meio galerístico motivado...

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded