Issuu on Google+

Foto: KK GONTIJO

Mais Mais Perfil Mulher www.maismaisperfil.com

Nº 22 Dezembro/2010 Proibida a venda

Rozani Azevedo

Primeira mulher na presidência da FIEMG - Regional Rio Doce 1

DEZEMbro / 2010


Sumário

28

Rozani Azevedo

08

Ana Paula Abreu Machado

10

Dágma Alvarenga Duarte Lage

12

Jacqueline Tristão

16

Irian Pinheiro

25

Lilis Carvalho Gomes

18

Marinez Rodrigues

20

Mary Rosane Lanes

30

Sheila Xavier Menezes

44 Isso é Quente Paula Greco

32 Política BomDilma Crisolino Filho

40 Mais Mais Gente 42 Mais Mais Gente

por Wilma Trindade

50 Ponto de Vista

33 Especial

Salvar pessoas ou garantir a paz mundial

Brasil O pais do vôleibol

Diego Trindade d´Ávila Magalhães

Paula Greco


Editorial

Wilma Trindade

Esta edição da Mais Mais Perfil Mulher fecha a década. Para nós da Revista Mais Mais Perfil, e para o Brasil, com mais conquistas e vitórias do que derrotas. Completamos seis anos de vida com periodicidade ininterrupta e nos superando em qualidade gráfica e conteúdo, ao mesmo tempo em que o Brasil toma a atitude de se impor para salvar o Rio de Janeiro. Era isso que se esperava. A nossa Cidade Maravilhosa, cheia de encantos mil, não poderia ser tomada pela escória regida pelo tráfico de drogas. Enquanto no mundo o premiado site Wikileaks, considerado o número um das novas mídias e formato ideal das futuras, é tirado do ar por divulgar mais de 400 documentos secretos do Congresso dos EUA, a presidente Dilma Rousseff impõe sua soberania democraticamente conquistada, ao não se submeter às exigências do PMDB de seu vice, Michael Temer. Ou seja, é um tempo de resgate do respeito ao direito, às normas e à verdade. Nesse clima garimpei minhas preciosas Mais Mais Perfil Mulher 2010. Mulheres fortes como as riquezas do subsolo, de difícil acesso, mas que pela obstinação dos critérios dessa editoria foram encontradas, peneiradas, lavadas e polidas para, finalmente, deixar exibir o seu brilho de mulher. Você, leitor, vai encontrar muito mais do que a aparência diária de Rozani Azevedo, Ana Paula Machado (Arezzo), Dágma Alvarenga (Cent’s), Mary Lanes (Cisdoce). Também a força e coragem da empresária Irian Pinheiro, da médica Marinez Rodrigues e a juventude de Sheila Xavier. Sob o trabalho de Paula Greco nos textos e fotos de KK Gontijo mais Betânia Araujo, também trazemos as conquistas do vôlei brasileiro, um sinal de que o Brasil se refina. Ainda o belíssimo casamento de Renata Teixeira de Paula com Gustavo Xavier, os 90 anos de Lílis Carvalho e suas conquistas como Cidadã Valadarense, reconhecida pela Câmara Municipal. Pontos de Vistas de Diego Trindade, Crisolino Filho, o tradicional Isso é Quente e mais um pouco do Nobel de Literatura 2010, por Paula Greco. E nem a estação natalina tirou dos trilhos a acidez da coluna Ágora. Mas os desejos de paz entre os homens foram a inspiração. Já é Natal! Que a graça do Nascimento caia sobre nós. E que a Sua luz nos revele um 2011 de paz e prosperidade. Feliz Natal para você, e um Ano Novo brilhante para todos nossos apoiadores. A Dios, gracias, muchas gracias. Até final de março com a Mais Mais Perfil Jovem 2011.

Expediente Editoria Geral: Fotos Perfil: Fotos Sociais: Colaboradores: Design Gráfico: Revisão: Impressão: Tiragem:

6

GV SHOPPING e Rua Peçanha, 415 - Centro

DEZEMbro / 2010

Wilma Trindade KK Gontijo e Betânia Araújo Wilma Trindade Crisolino Filho Diego Trindade D´Ávila Magalhães Paula Greco Genidar Riani Tarciso Alves Lastro Editora 5.000 exemplares

Esta revista é uma produção da WTF Ltda. É proibida a reprodução total ou parcial sem autorização. Governador Valadares - MG - Dezembro / 2010 Contato: (33) 3271-1865 / (33) 9953-1124 / 8843-5522 / 8437-0707 e-mail: wilmaperfil@hotmail.com | Visite nosso site: www.maismaisperfil.com


7

DEZEMbro / 2010


Ana Paula Abreu Machado 8

DEZEMbro / 2010

A descoberta de que vai ser mãe pela segunda vez confere à vida da empresária Ana Paula Abreu Machado um momento de plenitude e encantamento. Uma benção inesperada, que coroa a fé de quem aprendeu a confiar em Deus e recebeu um novo milagre em forma de vida, para fazer companhia ao primogênito Davi, tão querido e esperado. Na vida pessoal, e também na profissional, Ana Paula é o exemplo de que é sempre possível mudar para melhor, e que tudo o que é feito de coração pode render frutos extraordinários. Quando veio de João Monlevade para Governador Valadares, para acompanhar o marido que assumiu os negócios da família na cidade, Ana Paula pensava em ficar apenas alguns meses, que se transformaram em 15 intensamente vividos anos. O seu sucesso à frente da franquia de uma das mais importantes marcas de calçados femininos do Brasil, é outro bom exemplo. Formada em psicologia com pós graduação em clínica e gestão de pessoal, e apaixonada por psicanálise, ela chegou a atuar por algum tempo na área, até que o desejo por uma mudança de rumo impulsionou-a a buscar novos horizontes. O sistema de franquia foi uma opção prática para quem planejava estrear no meio empresarial. Já a escolha da Arezzo foi em função de sua admiração pessoal pela marca. A bem sucedida parceria já dura cinco anos, parte em função da qualidade dos produtos e de toda a estrutura da empresa e parte em função da marca pessoal que Ana Paula deu ao empreendimento – que em breve ganhará uma expansão – transformando a loja em muito mais que um ambiente para compras. O investimento no atendimento de qualidade, no tratamento personalizado e carinhoso que transforma clientes em amigos, a genuína preocupação com as pessoas que ali freqüentam, muito além da relação comercial, são características pessoais que ela levou para o trabalho. Seu jeito simples, despojado e ao mesmo tempo caloroso revela uma personalidade generosa e acessível, sempre disposta a ajudar quem precise. Muito sincera, é do tipo que não deixa juntar mágoas, fala o que precisa ser dito e fica brava quando necessário. Mas sobretudo emana uma grande paz de espírito, fruto de uma interessante experiência com Deus, que lhe rendeu uma fé tão grande quanto inabalável. Essa experiência, que ela não se furta em compartilhar até mesmo para servir de estímulo para pessoas que vivem situações semelhantes, veio diante da dificuldade para engravidar e realizar seu grande desejo de ser mãe. Com paciência, Ana Paula entregou-se à fé de que seu filho viria como um presente de Deus, e contrariando todos os prognósticos, Davi foi concebido naturalmente. Uma grande benção que acaba de se repetir, para sua enorme surpresa e alegria. Agora, Ana Paula concilia a atarefadíssima época de fim de ano com os preparativos para a chegada do bebê. Por isso, quando não está trabalhando, ele prefere curtir o aconchego de casa ou pegar a estrada com o marido (e super companheiro) e o filho, algo que dentro de alguns meses vai se tornar um pouco mais raro. Afinal, ela acaba de embarcar pela segunda vez no “expresso” desta que ela considera a melhor de todas as viagens. Um caminho de muitas emoções para serem vividas em família, do jeito que ela gosta.

RESSONÂNCIA O QUE TE MOVE? A fé em Jesus. O QUE TE COMOVE? O ser humano. Compartilhar emoções. Poder ajudar alguém. O QUE TE TIRA DO SÉRIO? Soberba. O QUE TE ALEGRA O CORAÇÃO? Ser mãe, mudou a minha vida. O QUE NÃO PODE FALTAR EM CASA? Amor e diálogo. O AMOR MAIOR: o de Deus por nós. UMA SAUDADE IMENSA: não sou saudosista. Na verdade, o que tenho é uma boa lembrança da minha infância feliz em João Monlevade. UMA FRUSTRAÇÃO: não tenho. UM ARREPENDIMENTO: vários, mas o melhor e desfrutar do dia de hoje que Deus nos deu. UM MOMENTO INESQUECÍVEL: quando descobri que estava grávida do Davi. DIANTE DO ESPELHO... feliz. ELEGÂNCIA É... educação. UM SONHO POSSÍVEL: ter uma família abençoada, com filhos criados com saúde, caráter e bons valores. SE VOCÊ FOSSE UM FILME... seria um belo romance. LIVRO DE CABECEIRA: a Bíblia. TRILHA SONORA OBRIGATÓRIA: o silencio para ficar bem sossegada! SEU LUGAR NO MUNDO: minha casa. FÃ DE CARTEIRINHA... do meu marido, Elgen Machado Jr. VOCÊ EM POUCAS PALAVRAS: uma pessoa simples, que gosta de estar com outras pessoas, de ouvir suas histórias.


Foto: KK Gontijo

9

DEZEMbro / 2010


Dágma Alvarenga Duarte Lage 10

DEZEMbro / 2009

Mais Mais Perfil Mulher

Seus olhos azuis são meigos, mas muito sérios e vigilantes. O primeiro sorriso não é instantâneo, mas quando vem é brilhante, genuíno e cheio de graça. Os cachos ondulados do cabelo longo lhe conferem um ar jovial de garota, mas que não arrefece a forte personalidade estampada em seu rosto com a transparência de um cristal. Mesmo reservada, a empresária Dágma Alvarenga Duarte Lage tem rara luz própria e combina sinceridade com uma simpatia suave, sem afetações. Morando em Valadares há quase uma década – para onde veio acompanhando o marido, que é funcionário do Banco do Brasil – Dágma aprendeu não apenas a gostar da cidade, como também a ser parte integrante da força maior da economia local, o comércio. É a partir da sede em Valadares que ela dirige a Cent,s, rede de lojas de artigos para o lar no estilo “De R$1, a R$99,” que conta com nove lojas, sendo três aqui e outras seis distribuídas entre Ipatinga, Teófilo Otoni, João Monlevade e Itabira. É Dágma quem lida diretamente com fornecedores, departamento financeiro, e gerencia os mais de 150 funcionários da empresa. E o faz com bastante profissionalismo e dedicação, lançando mão de sua formação em administração de empresas, MBA em Gestão Empresarial e do seu aguçado feeling para lidar com as pessoas. Quando o assunto é trabalho, Dágma tem pulso firme e seu foco empresarial é bastante definido. Forte e bastante segura na hora de negociar, ela diz que dificilmente planeja a longo prazo, mas procura aproveitar as melhores oportunidades e segue à risca o conselho recebido de pensar positivo, seguir seus instintos e trabalhar colocando o coração em tudo o que faz. Em um mercado cada vez mais competitivo, ela sabe o que faz a diferença: manter-se em dia com as constantes novidades (o que, para ela, é extremamente prazeroso) e conquistar pelo bom atendimento, através de uma relação personalizada com o cliente e investimento constante em seu quadro de funcionários, valorizando êxitos coletivos e pessoais. Estar sempre cercada de muita gente é algo natural para quem cresceu em uma família de 14 irmãos em Santa Maria de Itabira, onde ainda hoje moram seus pais e para onde Dágma vai com frequência com o marido e os filhos, para “recarregar as baterias” no aconchego da convivência sempre carinhosa com os pais e irmãos. Quando entra no assunto, citando passagens da vida em família, contando sobre os valores aprendidos com os pais, falando do apoio que recebe do marido, seu rosto expressivo revela o brilho de quem tem na família seu bem mais precioso. A forte religiosidade e a inclinação para o trabalho social também são traços herdados dos pais, que ela faz questão de cultivar. O trabalho com a Pastoral da Alegria é algo que ela faz de coração. Mais que um tempo doado à solidariedade, uma fonte constante de lições de vida e humanidade. Intensa em seus sentimentos, e atenta à profundidade das relações humanas, Dágma busca no autoconhecimento e na valorização do ser humano uma forma de estar em constante evolução espiritual, que a faz ser, a cada dia, uma pessoa melhor.

RESSONÂNCIA O QUE TE MOVE? O prazer de fazer uma coisa que eu gosto. O QUE TE COMOVE? O amor pelas pessoas. O QUE TE TIRA DO SÉRIO? Mentira. O QUE TE ALEGRA O CORAÇÃO? A presença dos meus filhos. O QUE NÃO PODE FALTAR EM CASA? Alegria. O AMOR MAIOR: o amor de Deus. UMA SAUDADE IMENSA: vovó Tinica. MEDO DE QUÊ? Da solidão, não no sentido de ficar sozinha em um lugar, mas de não ter pessoas do meu lado. UMA FRUSTRAÇÃO: não tenho. UM ARREPENDIMENTO: não ter casado de vestido branco UM MOMENTO INESQUECÍVEL: o nascimento dos meus filhos. DIANTE DO ESPELHO... um olhar que brilha. ELEGÂNCIA É... estar bem. UM SONHO POSSÍVEL: uma viagem em família para o exterior. SE VOCÊ FOSSE UM FILME... seria um filme de ação. TRILHA SONORA OBRIGATÓRIA: música sertaneja. SEU LUGAR NO MUNDO: minha casa. FÃ DE CARTEIRINHA... dos meus pais. VOCÊ EM POUCAS PALAVRAS: sou clara, objetiva, transparente. E posso dizer que tenho a preocupação de semear o amor de Deus entre as pessoas através das minhas ações.


Foto: KK Gontijo


Jacqueline Tristão 12

DEZEMbro / 2009

Mais Mais Perfil Mulher

Ela passa os dias em um ambiente que, de tão lúdico, é quase mágico. Em suas habilidosas mãos, pedaços de tecido, fitas, feltros, filós, e até madeira e tinta se transformam em puro encantamento. Um trabalho meticuloso, feito com extremo carinho e dedicação, e que revela toda a delicadeza da personalidade da artista e empresária Jacqueline Tristão, o nome e o talento por trás das maravilhas que fazem cair o queixo de quem conhece suas criações. A loja e ateliê de criação de peças infantis são a vida e o coração de Jacqueline. Uma paixão que só não é maior que o orgulho que sente das quatro filhas – Karoline, Amanda, Alexandra e Paola – cujo carinho está presente até no nome do seu empreendimento. É a união dos apelidos de infância das duas caçulas que dá nome à sua Popô & Lelê, que acaba de ganhar novo espaço, organizado com a consultoria da arquiteta Luciana França, e que é um verdadeiro oásis de fofura, a partir da vitrine. Foi para as filhas que Jacqueline começou a fazer roupas e acessórios que encheram os olhos de outras mães, ainda em Alegre, no Espírito Santo. Logo, o que era o prazer de enfeitar as quatro meninas transformou-se em trabalho. Depois de algum tempo em sua cidade, seu feeling apontava para o promissor mercado da capital capixaba. As primeiras peças eram vendidas em feiras de artesanato, em Vitória. Com o tempo, seu trabalho foi ficando conhecido e reconhecido pela mídia local, e o estande nas feiras naturalmente se transformou em loja, já com a marca Popô & Lelê. Uma vitória obtida com muito trabalho e movida por sua imensa fé em Deus. E foi com esta fé, acreditando na qualidade e carinho que coloca em tudo o que faz, que, depois de quase 20 anos com loja no Espírito Santo, Jacqueline trocou o litoral pelas montanhas de Minas Gerais. Há três anos em Governador Valadares, ela já conquistou clientes em toda a região, e se sente realizada em compartilhar com as mamães todas as emoções e delícias – como decorar o quarto e escolher as peças de enxoval – que antecedem o nascimento de um filho. Na loja, Jacqueline acompanha desde as primeiras escolhas de roupinhas e peças de decoração para o quartinho do bebê e até passar por toda a infância de seus pequenos clientes, com roupas, acessórios, peças decorativas e opções de presentes para crianças de até 10 anos. Isso sem contar a infinidade de opções para lembrancinhas de batizado e aniversário, vestidos de dama de honra, de anjo e outras fantasias infantis que ela transforma em lindos trajes. A maior parte é ela mesma quem produz, com a ajuda de duas costureiras, em um ateliê instalado na área posterior da própria loja. Perfeccionista, ela está sempre com a mão na massa, cortando, costurando, pintando, montando peças. É neste trabalho do ateliê que Jacqueline dá asas ao seu lado mais artístico, uma atividade quase terapêutica para ela. O lado prático, de empresária e mãe experiente, ela reserva para o atendimento personalizado que dá, sobretudo, às futuras mamães de primeira viagem, orientando quanto a quantidades e tamanhos adequados a cada fase. Um trabalho feito com muito prazer e dedicação, com a leveza, o carinho e a doce energia de quem se dedica a fazer ainda mais bonita a infância de tanta gente.

RESSONÂNCIA O QUE TE MOVE? Minha fé, minhas filhas e meu trabalho. O QUE TE COMOVE? Toda minha família reunida. O QUE TE TIRA DO SÉRIO? Injustiça, mentira e maldade com o próximo. O QUE TE ALEGRA O CORAÇÃO? Minhas filhas junto de mim e uma grande esperança. O QUE NÃO PODE FALTAR EM CASA? Respeito, amor, uni��o e muita alegria. O AMOR MAIOR: Deus e as meninas. UMA SAUDADE IMENSA: Otílio Cazoni Sobrinho, principalmente em seu aniversário, dia 15 de dezembro. MEDO DE QUÊ? De perder a esperança. UMA FRUSTRAÇÃO: não ter uma voz bonita para cantar. UM ARREPENDIMENTO: são tão poucos... UM MOMENTO INESQUECÍVEL: o nascimento das minhas filhas. DIANTE DO ESPELHO... uma mulher determinada. ELEGÂNCIA É... ser verdadeira, discreta, simples e acima de tudo comportar-se bem diante do que está por vir. UM SONHO POSSÍVEL: todos! SE VOCÊ FOSSE UM FILME... seria “Erin Brockovich, Uma Mulher de Talento”. LIVRO DE CABECEIRA: minha Bíblia. TRILHA SONORA OBRIGATÓRIA: Internacional Anos 80, Roberto Carlos, Sertanejo e Padre Fábio de Melo. SEU LUGAR NO MUNDO: na fazenda dos meus pais, onde eu nasci. Fà DE CARTEIRINHA... do meu pai. VOCÊ EM POUCAS PALAVRAS: determinada, sensível, amiga e uma mãe que cuida e defende suas filhas como uma leoa; uma profissional dedicada que realmente adora o que faz.


Foto: KK Gontijo


Mais Mais

Acontecimento por Wilma Trindade

O Mérito do Grupo

Coelho Diniz

A homenagem da FIEMG – Regional Rio Doce, feita pela presidente, Rozani Azevedo A homenagem da Univale pela Magnífica Reitora Ana Angélica Gonçalves Leão Coelho

Os cumprimentos do presidente da ACE, Edmilson Soares

Hercílio Diniz Filho, recebendo do presidente da ACE-GV, Edmilson Soares, a placa que o oficializa Empresário do Ano para receber da Federaminas o Mérito Empresarial 2010

H

omens cujos nomes escreveram a história de seus países entendiam que não bastava fazer sua própria fortuna. Era preciso se envolver com a comunidade, participando e promovendo ações para o seu desenvolvimento econômico e social. No dia 7 de outubro, a Associação Comercial e Empresarial de Governador Valadares fez uma de suas melhores escolhas do ano de 2010. O nome de Hercílio Diniz Filho, Empresário do Ano. Escolha que no dia 19, em Belo Horizonte, representava nossa cidade para receber da Federação das Associações Comerciais de Minas Gerais, o título Mérito Empresarial 2010 na grande festa anual da Federaminas. Filho de Hercílio Diniz e Luzia Coelho Diniz, como seus irmãos, Hercílio foi criado aprendendo a respeitar o poder do trabalho honesto e da dedicação, do empenho pessoal. Na formação de sua personalidade, herdou do pai a disciplina e o respeito pela união familiar, a qual considera a força do Grupo Coelho Diniz. Herdou também a discrição, mas, como ser único, seu caráter o leva a escrever sua própria história, de homem engajado em sua comunidade, com preocupações com o desenvolvimento político, econômico e social. Ampliou seus conhecimentos, formulou conceitos, se abriu e se colocou à 14

DEZEMbro / 2010

disposição para assumir sua liderança nata. Membro e Conselheiro Fiscal Efetivo da Associação Mineira de Supermercadistas (AMIS), Hercilinho vem se destacando e se projetando no cenário estadual: em março de 2010 assumiu a presidência do Sindicato do Comércio Varejista de Governador Valadares; em agosto deste mesmo ano foi empossado, em BH, vice-presidente da Federação dos Comerciantes de Minas Gerais (FECOMERCIO). Mais que natural sua condecoração com a medalha do Mérito Empresarial. A expansão do Grupo Coelho Diniz nos últimos anos é atribuída ao seu modelo de gestão que reforça a qualidade da união e da força empreendedora de sua família. O prestígio que se viu na ACE-GV na noite de sua homenagem transcreve o conceito que nossa sociedade tem de sua pessoa e do Grupo Coelho Diniz, e revela a confiança de que não estamos órfãos de líderes. Ali, estava concentrada a frente responsável para tirar nossa cidade do marasmo. Ali estava a nova geração dos Hermírio Gomes, Laércio Byrro, Talmyr Canuto... Nomes que há 50 anos elevavam a Princesinha do Vale à qualidade de rainha. Mas foram precisos esses 50 anos. Também os líderes obedecem à ordem cronológica para estarem prontos. Os anos que começam em 2011 marcarão uma nova década.

Janaina Barra levou a homenagem do Sindicom

Fausto, homenageando em nome dos funcionários do Super CD

Orquídeas para Luiza Diniz, delicadeza de Telma Soares

Edmilson Marcos, entrega homenagem em nome do vereador Glêdston

Edmilson, prefeita Elisa Costa, A homenagem da Unipac, por Rogério Primo Hercílio e Luiza Diniz

Auditório da ACE-GV na noite especial do supermercadista Hercílio Diniz Filho


Edvaldo Soares, Edmilson, Antônio Fernandes e Hercílio Diniz Filho

Hercílio e Luzia com Hercílio Filho e Luiza Diniz

Hercílio e André Merlo

O netinho Guilherme (5) filho de Hercílio Neto, leu a placa de homenagem da família. Dicção perfeita, entonação e pontuação como deve ser. Foi outro astro da noite.

O homenageado e Silas Costa

João Marques, Celso Gama e Etelmar Loureiro

Marcelo Coelho e Paulo Cabral

Cel. Siqueira e Cel. Alexandre Ribeiro Para a posteridade: Lorena, Hercílio Neto e o filho Guilherme, Luiza e Hercílio Filho, Vinícius e Carolina

Betânia Diniz e Marcelo Coelho André Diniz

Edmilson, Hercilinho e João Carlos Luzia Diniz e os filhos Fábio e Eliana Diniz

Davson Persiano e Alex Diniz

Tessa e Toninho, da TV Record Paulo Cunha e Romildo Borborema

Celso Gama Hercílio, Darly Alves e Edmílson Soares Isaques Neves, Marcos Almada, Etemar Loureiro e Edmilson Soares Erika Diniz e Beatriz Diniz

Rubinho Zambon e Vivi Sze Lincoln Byrro e Francisco Silvestre

Ana Godoy e seu irmão Fernando

Dionílio, Marisa e o pai Adailson Cunha

Edvaldo Soares e o juiz José Barbosa Romeci Lima

Beatriz e Henrique Diniz

João Batista, Hely Diniz e José Anastácio

Ladeado de muitos amigos

Hercílio e Luiz Fernando Esteves

Afonso Bretas e Regilmar Aguilar Nizinho Vargas, Bosco Costa e Marcelo Coelho Gabriel Milbratz e Eusana Milbratz com Edmilson

Elba e a filha Vitória

Isabel Lamounier, José Francisco Graciolli e a Reitora da Univale, Ana Angélica

Sofia Carvalho e Christiane Libório Diniz

Weber Duarte Andrade

José Luiz Oliveira e Valéria Esteves

15

DEZEMbro / 2010


A palavra desistir não consta no vocabulário da empresária Irian Pinheiro. O jeito despachado e o bom humor com o qual ela relata até as passagens mais tensas em sua vida (e que não foram poucas) revelam um coração enorme, onde não cabem mágoas e ressentimentos, mas que não falta firmeza e coragem para fazer o que é preciso. Se alguém conhece bem o significado da expressão “fazer do limão uma limonada”, essa pessoa é a cearense “arretada”, de forte personalidade. Irian veio para Governador Valadares, acompanhando a mudança dos pais, aos 15 anos. Casou-se muito cedo, e do conturbado relacionamento, vieram os filhos Michelle, Michell e Mikely. Foi a vontade de dar a eles e a si mesma um futuro melhor que a levou a desembarcar nos Estados Unidos com a cara e a coragem, como ela costuma dizer, “sem falar nem Hi nem Bye”. Sua coragem e ousadia lhe valeram sete anos de muito trabalho, também alegrias (onde conheceu Jader, que foi um sonho de vida feliz, mas chegando ao Brasil esse relacionamento teve fim), bons momentos dos quais ela sente saudade, a possibilidade de crescer financeiramente, conhecer lugares e pessoas incríveis, ganhar da vida as mais proveitosas lições. E também algumas tristezas, as preocupações de ter deixado os filhos para trás, a angústia dos dias de espera quando os dois mais novos resolveram ir pros EUA, passando pelo México. Graças a um hobby desenvolvido durante os anos em que morou nos Estados Unidos, na volta ao Brasil, vieram caixas e caixas com objetos de decoração, boa parte deles ainda intactos. Apesar do plano inicial de morar em uma fazenda – um sonho antigo –, a adaptação ao ritmo de vida mais lento se tornou impossível para Irian, tão acostumada à agitação do meio urbano. A junção destas duas realidades deu origem ao que hoje é a Arrazze, uma loja de artigos finos para decoração, que prima pela originalidade e exclusividade das peças. Na loja, tudo foi concebido a partir do feeling natural de Irian. Cores, texturas, disposição de peças, estoque. Cada detalhe tem a sua assinatura de empreendedora, que rapidamente encontrou o caminho das pedras, participando das mais importantes feiras do Brasil e conquistando fornecedores exclusivos, para o deleite de suas clientes, tão apaixonadas por Casa & Decoração quanto ela própria. Este mesmo conceito de exclusividade e peças únicas Irian trouxe para o seu mais novo empreendimento, a loja de roupas femininas Reflexxo Modas. Em sociedade com a filha Michelle e com o genro Hudson, ela inaugurou um belo espaço dedicado à moda festa em uma linha mais chique, com opções para a noite e para o dia, de marcas que representa com exclusividade. Com pouco mais de um mês de funcionamento, a Reflexxo Modas é um sucesso absoluto, o que não quer dizer que Irian esteja acomodada com ele. De olho nas tendências e demandas do mercado, ela já se prepara para incluir, em 2011, coleções plus size e também moda especialmente desenhada para a maturidade. E esta é apenas uma parte dos planos para incrementar os negócios. Com sua vitalidade ímpar e o astral sempre nas alturas, Irian está sempre imaginando algo de novo para fazer e, o que é melhor, sempre transformando rapidamente em ação o que planeja. O que ela nunca pensa é em parar. Afinal, a vida está cheia de sonhos que ela ainda quer realizar, todos eles, e disposição e fé para isso não lhe faltam.

RESSONÂNCIA

Irian Pinheiro 16

DEZEMbro / 2010 2009

Mais Mais Perfil Mulher


Foto: KK Gontijo

O QUE TE MOVE? Deus e meus filhos, que são a minha força. O QUE TE COMOVE? Ver uma pessoa de idade ou criança sendo maltratada. O QUE TE TIRA DO SÉRIO? Não levo desafora para casa. Resolvo na hora. O QUE TE ALEGRA O CORAÇÃO? Quando vejo fotos da mina neta. Os meus filhos. A sensação que tenho quando saio da Igreja depois de orar por eles. O QUE NÃO PODE FALTAR EM CASA? Deus. E gente ao meu redor.

O AMOR MAIOR: ter uma paz espiritual, consciência e tranquilidade. UMA SAUDADE IMENSA: da América, dos meus filhos que estão lá; e de uma pessoa querida chamada Jader. MEDO DE QUÊ? Da solidão, de envelhecer só e ser abandonada. UMA FRUSTRAÇÃO: não ter conseguido manter uma vida familiar mais unida. UM ARREPENDIMENTO: não tenho. Cada dia é um a ser vivido. UM MOMENTO INESQUECÍVEL: o dia

que eu cheguei à América, com sonhos flutuando; sonhos pelos quais eu lutei... DIANTE DO ESPELHO... Nunca fui vaidosa. Sempre vejo o que pode melhorar. ELEGÂNCIA É... Refinamento. Eu estou aprendendo a me lapidar. UM SONHO POSSÍVEL: juntar minha galera toda, em harmonia com meus filhos. SE VOCÊ FOSSE UM FILME... Para sonhar, “Uma Linda Mulher”. LIVRO DE CABECEIRA: a Bíblia.

17

DEZEMbro / 2010


Marinez Rodrigues 18

DEZEMbro / 2010 2009

Mais Mais Perfil Mulher

RESSONÂNCIA Não é qualquer coisa que consegue tirar o sorriso largo do rosto da médica Marinez Rodrigues. Nem as extensas jornadas de trabalho que encara diariamente, nem a saudade das filhas Gabriela e Ana Luiza, nem as preocupações diárias de quem se dedica à medicina e à família, com igual entrega e abnegação, são capazes de minar sua alegria de viver. Inteligente, empreendedora e com opiniões muito bem formadas a respeito de tudo o que a cerca, essa filha caçula de uma família 10 irmãos lutou muito para realizar o sonho de ser médica. Consciente do quanto teria que estudar para alcançar seu objetivo, foi sempre uma aluna exemplar, tanto em Itanhomi quanto em Governador Valadares e depois em Belo Horizonte, para onde foi em busca da melhor preparação para a faculdade. Aprovada na Faculdade Souza Marques, do Rio de janeiro, ela superou a saudade, a distância e diferença de costumes, estudou com mais afinco ainda e direcionou sua formação para atuar como médica de maneira abrangente, pensando em retornar para o interior. Nessa empreitada, teve os preciosos conselhos do professor José Carlos Vinhais, destacado cirurgião titular do Colégio Brasileiro dos Cirurgiões do Rio de Janeiro; professor, chefe e orientador de residência médica em cirurgia geral pelo CBC- RJ, e chefe da enfermaria 15 da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. Depois de concluída a faculdade, no período de seis anos, a Dra. Marinez fez residência médica pelo CBC durante três anos na enfermaria 15 da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro, sendo que no terceiro ano de Cirurgia Geral concluiu também Cirurgia Ginecológica. Fez também mais um ano (o 4º) de Cirurgia Geral Video-Laparoscópica no Hospital Cardoso Fontes, pelo MEC. Fez outra especialidade em endoscopia digestiva alta pela PUC, realizada no HCPM do RJ, orientada pelo professor Coronel Pericê. Retornando a Governador Valadares e região, durante a sua jornada de trabalho, concluiu ainda mais duas especializações pela Faculdade São Camilo (BH). Uma em Perícia Médica Judicial e outra em Programa Saúde Família com ênfase em Saúde da Mulher, sendo a sua monografia sobre o câncer de colo uterino. Unindo essa formação ao seu espírito empreendedor, fundou a Clínica Médica Saúde Vida Mulher, na qual conta com vários profissionais e laboratórios parceiros, como também o apoio e parceria do Hospital Samaritano, de onde faz parte também do corpo clínico e da cirurgia geral. Além disso, a Dra. Marinez atende em um posto de saúde e fez treinamento – pela secretaria municipal de saúde de GV – em hanseníase, hipertensão e diabetes. Outra atividade da Dra. Marinez são as palestras que ela faz regularmente, sobre temas ligados à saúde da mulher e da família, como Câncer de Mama e Colo Uterino, Auto medicação, diabetes e hipertensão. Para uma destas palestras, proferida para mais de 2.000 pessoas na catedral da Igreja Universal de Belo Horizonte – da qual é membro, ela produziu dois vídeos, um vídeo sobre câncer de colo uterino e HPV e outro sobre câncer de mama, com forte embasamento teórico científico de pesquisa em revistas especializadas, medline e artigos publicados. O resultado de seu trabalho foi exibido para todo o estado através da Rede Record. Para dar conta de toda essa atividade e ainda ter tempo para as filhas e para sua indispensável participação na IURD, Dra. Marinez agradece por ter sido presenteada por Deus com um espírito que não é pacato, nem manso, nem covarde, mas sim um espírito de luta e muita fé, no qual ela se fortalece para seguir buscando mais realizações e felicidade.

O QUE TE MOVE? A fé e o amor. O QUE TE COMOVE? A misericórdia de Deus. O QUE TE TIRA DO SÉRIO? Futilidade e mentira. O QUE TE ALEGRA O CORAÇÃO? Estar em paz e buscar a presença de Deus. O QUE NÃO PODE FALTAR EM CASA? Minhas filhas. O AMOR MAIOR: Deus. UMA SAUDADE IMENSA: do meu pai, Sebastião Rodrigues, o Tião Pio, ex-prefeito de Itanhomi. UMA FRUSTRAÇÃO: sempre me frustro quando não concretizo um objetivo e o abandono. UM ARREPENDIMENTO: de estar em um determinado lugar, na hora e no momento errados. UM MOMENTO INESQUECÍVEL: quando tive um encontro real e verdadeiro com o Senhor Jesus Cristo; minha formatura, quando recebi o diploma de medicina; quando dei à luz minhas filhas, Ana Luiza e Gabriela. DIANTE DO ESPELHO... eu me acho bonita. Eu gosto de mim. ELEGÂNCIA É... simpatia, sorriso, afeto e companheirismo. UM SONHO POSSÍVEL: ser feliz... SE VOCÊ FOSSE UM FILME... uma boa comédia com toque de romance. LIVRO DE CABECEIRA: a Bíblia Sagrada. TRILHA SONORA OBRIGATÓRIA: músicas cristãs e música de romance. SEU LUGAR NO MUNDO: minha casa, minha cama. FÃ DE CARTEIRINHA... do Senhor Jesus Cristo, das minhas filhas, da minha mãe, do bispo Edir Macedo (IURD), professor Vinhais, do pastor Márcio e do pastor Adriano. Também sou grande admiradora do Renato Fraga. VOCÊ EM POUCAS PALAVRAS: eu sou paciente, perseverante e corajosa. Sou bagunceira e brava. Amo a medicina e procuro ser estudiosa, boa colega. Odeio mentira, mas tenho uma grande capacidade de perdoar. No mais, quero é ser feliz e ter paz com tudo e com todos. Viver a fé conforme Deus pede. Conquistar em todas as áreas, para honrar e glorificar o nome do Senhor Jesus Cristo, para que as minhas filhas cresçam e vivam esta fé e tenham o perfil, o espírito e o caráter de Deus. Esta é a minha herança para elas.


DEZEMbro / 2010

19 Foto: Betânia Araújo


Mary Rosane Lanes 20

DEZEMbro / 2009

Mais Mais Perfil Mulher

Não é preciso mais que um primeiro momento para reconhecer as características mais marcantes da secretária executiva do Cisdoce, Mary Lanes. O sorriso imenso e acolhedor; o jeito despojado e positivo; a alegria expressa em gestos largos; a inquietude e as palavras rápidas, despejadas como um balde no poema de Fernando Pessoa. Uma mulher que aprendeu com a vida a se fortalecer nas adversidades. Uma personalidade marcante, que sabe bem como se faz para levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima. Simples, simpática e autêntica, sabe deixar à vontade as pessoas ao seu redor. Movida por uma fé inabalável e por grandes paixões, construiu sua história vitoriosa com muito trabalho, superação e o companheirismo sem igual do marido José Wenio, com quem está casada há 33 anos. A paixão pela política vem da infância em Conselheiro Pena, quando acompanhava o pai a comícios e reuniões. Uma vocação que ficou latente por alguns anos, até 2000, quando conheceu o deputado João Magalhães, com quem ela e toda sua família formaram um vínculo de amizade e companheirismo, estabelecendo uma relação de confiança e fidelidade, valores que ela faz questão de colocar em primeiro plano em tudo o que faz na vida. Antes disso, Meirinha – como é carinhosamente chamada pelos muitos e bons amigos – foi professora e fez carreira como funcionária pública do Estado. Muito jovem, fez concurso para a hoje já extinta Minas Caixa, onde trabalhou por mais de 20 anos, chegando à sub-gerência na agência de Resplendor. Nesse período, graduou-se em dois cursos superiores totalmente distintos: Matemática e Letras. Mas foi a partir da proposta de trabalho do deputado que Meirinha redescobriu o prazer de atuar na política. Sempre muito ativa, ela ocupa desde 2003, o cargo de Secretária Executiva do Cisdoce (Consórcio Intermunicipal de Saúde do Vale do Rio Doce). Um trabalho ao qual ela se entrega de coração, como em tudo o que faz. Logo cedo já está no trabalho, onde faz questão de supervisionar tudo o que acontece bem de perto. Firme, exigente, mas muito acessível, atende a todos com igual atenção, desde os prefeitos das cidades consorciadas – que sob sua gestão passaram de 18 para 33 – até os usuários e funcionários do Consórcio, por quem é muito querida e respeitada. Fora do trabalho, Meirinha mantém o mesmo pique e eletricidade, mas dá vazão a uma outra faceta: a de anfitriã. Passando muito tempo fora de casa em função do trabalho, ela troca qualquer outro programa social pela tranqüilidade de receber em casa, com todo despojamento e alegria, os amigos mais queridos, para os quais sempre tem uma boa cerveja e altos papos, que não raro varam a madrugada. Acostumada a vencer grandes desafios e a superar adversidades que poderiam abalar seriamente as estruturas de qualquer pessoa sem a força de sua personalidade e caráter, Meirinha não se deixa abater e não perde o sorriso. E, com a simplicidade que lhe é característica, conta o “segredo” de sua fortaleza. Em seu coração, costuma dizer, há muito pouco espaço para mágoas e ressentimentos. Ela prefere mantê-lo repleto por sua fé inabalável em Deus e pelo amor à família que construiu, pela qual sempre lutou e hoje vive a alegria de ver crescida e muito unida.

RESSONÂNCIA O QUE TE MOVE? A fé que eu tenho em Deus. O QUE TE COMOVE? A desigualdade e a miséria. O QUE TE TIRA DO SÉRIO? Infidelidade. O QUE TE ALEGRA O CORAÇÃO? Minha família: meu esposo, minhas filhas e netos. O QUE NÃO PODE FALTAR EM CASA? Amor. O AMOR MAIOR: Rúbia, Renata, José Wenio. UMA SAUDADE IMENSA: meu pai. MEDO DE QUÊ? De perder minhas filhas. UMA FRUSTRAÇÃO: não ter feito a viagem ao exterior com meu marido. UM ARREPENDIMENTO: não ter ficado mais tempo em casa com minhas filhas, que saíram muito cedo para estudar. A Rúbia formou-se em medicina e a Renata em Odontologia. UM MOMENTO INESQUECÍVEL: meus 25 anos de casada, quando minhas filhas prepararam uma festa linda, repleta de carinho e pessoas queridas. DIANTE DO ESPELHO... uma mulher corajosa, guerreira, fiel e sem medo de ser feliz. ELEGÂNCIA É... simplicidade. UM SONHO POSSÍVEL: morarmos – eu e meu marido e minhas filhas – todos na mesma cidade. SE VOCÊ FOSSE UM FILME... um romance, com final feliz! LIVRO DE CABECEIRA: a Bíblia. TRILHA SONORA OBRIGATÓRIA: sertaneja. SEU LUGAR NO MUNDO: minha casa FÃ DE CARTEIRINHA... do meu esposo, José Wenio. VOCÊ EM POUCAS PALAVRAS: “tudo posso Naquele que me fortalece”.


Foto: KK Gontijo


Mais Mais

Acontecimento Renata e Gustavo

Meus perfis Mais Mais Roberto Mordeach Flávia e Renata, as responsáveis pelos cenários Vili e Lílian, irmã da noiva e ambos padrinhos que deixaram todos os convidados deslumbrados

A classe e emoção de Mário de Paula Dias encaminhando a filha Renata ao altar

Ricardo e Simone — ela, irmã da noiva — foram padrinhos

O brinde dos recém-casados Renata e Gustavo Xavier

O

por Wilma Trindade

oftalmologista Mário de Paula Dias e Marly deram carta branca às filhas: a noiva Renata e sua irmã Flávia e fizeram uma recepção inesquecível para os brindes à felicidade do casamento de Renata e Gustavo. A cerimônia aqueceu a amplidão da Paróquia Nossa Senhora do Pilar, no Barroca, em BH. Plasticidade e emoção na medida da classe das duas famílias. Luxo puro no Buffet Sônia Magalhães. Registrei a elegância e o prestígio. O noivo Gustavo Xavier é advogado muito bem relacionado na Capital. Como jornalista não deixa de ser jornalista, não resisti e registrei quem eu conhecia. E aí estão as fotos que não me deixam mentir.

22

DEZEMbro / 2010

O brinde das famílias: Mário de Paula Dias e Marly Teixeira de Paula com Maria Salete de Matos Xavier e Fernando Xavier


Tereza Braga, Renata, Patrícia Lopes e Flávia

Ione Heringer e os filhos, Felipe e Priscila Hamilton Laender, Larissa e Maria do Rosário com Flávia Teixeira de Paula

A elegância dos pais da noiva, Marly e Mário de Paula Dias

Marly e Mário e casal de amigos Creusa e José Miguel Merlo Márcio Teixeira e Sandra Kelly

Flávia Teixeira de Paula, Betânia e Marina Machado

Mário e Marly com Edmundo Rodrigues

Paulo e Lili Fontes com Marisa e Luiz Murta Alessandra e Orestes Miraglia

Catharina Porcaro

Gisele Rangel e Daniel Argolo

Jayro Lessa e Francisca

Larissa e o pai, Márcio Silveira

José Rache e Lúcia com Neuza e João Leite

Creuza Merlo, o neto Matheus, Vanessa e Luiz Gustavo

Diderot e Maria do Carmo

Najla e André Lamounier, da Revista Encontro Valéria Esteves e José Luiz de Oliveira

Renata e Larissa Silveira

Marly e Wilma Trindade, editora da Revista Mais Mais Perfil

23

DEZEMbro / 2010


Mais Mais

Acontecimento

O glamour da classe médica

Rômulo César Leite Coelho, presidente da Associação Médica, e Márcio Rezende, Delegado Regional do CRM

Presidente da Unimed, Carlos Eduardo, e Ana Paula

Marcos Wagner Gonçalves e Adriana

Fábio Mesquita

Carol Rangel, Silvia Mesquita e Ana Paula Pimentel

Wolney Bittecourt e Cristina

Roberto Carlos e Mário Murta

Adriana, Rômulo e o deputado federal Leonardo Monteiro

F

esta do Dia dos Médicos aconteceu este ano no dia 12 de novembro com uma comemoração distintíssima: O lançamento oficial do projeto Casa do Médico, um empreendimento de R$1.200.000,00. A obra revolucionária vai instalar a Associação Médica, o Sindicado dos Médicos e a Delegacia do Conselho Regional de Medicina. Para a festa, outro big investimento. Foi montado na grande área da edificação um verdadeiro salão de festas com ar condicionado e o luxo do decó. Animadíssima, a classe brindou, dançou e homenageou especialmente os médicos, Nilton Alves, Francisco Leal e Fausto Fernandes Coutinho.

Cida e Roberto Carlos Machado com a filha Natália, formanda 2010 em medicina

Cida e Manoel Arcísio com a filha Jéssica

Júnia e Marley Ferrari

Penha e José Lucca

Rômulo e Maria Inês Coelho Gonçalves Glória Grazielle Moreno e Robson César

Sonia Miranda e Flavia Lamounier

Felipe Hatem e Bruna Murta Lorena e Adhemar Figueiredo Charles França e Aparecida Leal George Simões e Fatinha

Marisa Murta, Marilda Avelino e Marília Nominato

24

DEZEMbro / 2010

Acompanhado, Wander Araújo, na foto com Augusto Barbosa

Ricardo Fernandes e Alessandra Adaílson Cunha e a filha Flávia

Chiquinho Simões, Carla Barroso e Amarildo, chefe da equipe de cardiologia da Beneficência Portuguesa - SP

Onofre Campos de Souza e Nathalie


Lílis Carvalho Gomes

Mais Mais Perfil Mulher

O perfil de uma lady “A minha vida compõe-se de duas partes: a primeira do meu nascimento até a idade de 25 anos, e a segunda, dos meus 25 até os 90 que completei no último dia 4 (novembro de 2010). São quase 65 anos vivendo em Governador Valadares e a esta cidade dedicando essa minha vida. Nasci em uma fazenda dos meus avós paternos, na Vila de Angaturama. Largamos a vida rural e fomos para Campelo, Estado Rio. Depois, mudamos para Muriaé, aqui em Minas Gerais. Em 1935 me formei normalista, era o curso que existia na época. Em 1940 conheci o engenheiro Newton Manhães Concellos. Nos casamos em outubro do mesmo ano com lua-de- mel a bordo do navio Itapagé, rumo a São Luiz do Maranhão, onde implantamos o Departamento de Estrada de Rodagem para construir a estrada São Luiz-Teresina. Foi uma aventura naquela época. A 2ª Guerra havia começado e eu, com 20 anos, longe da família numa terra completamente diferente da minha Minas Gerais! Em 1941 nasce Newton Luiz. Em 6 de novembro de 42 falece Newton pai de terçã-maligna – malária poderosa. Eu e Newtinho, com um ano e meio, caímos doentes também. O Brasil declara guerra ao Eixo, e eu em São Luiz, viúva, 22 anos com um filho, sem poder viajar de navio por causa dos submarinos torpedeando nossa frota e nossa costa. Depois de 3 meses na fila do avião, embarcamos. Foram dois dias de viagem. Eu com uma criança de um ano e meio, dois dias fechados num avião. Do Rio para Muriaé, onde fui logo convidada pelo prefeito de Recreio para lecionar na Vila de Angaturama, minha terra natal, onde fui morar com meus avós maternos. Vejam o meu destino! Ali estava de luto fechado, quando Hermírio, que voltava Valadares onde residia sua família, desce do trem em Angaturama à procura de certidão de nascimento. Coincidência. Meu avô era escrivão de paz, e Hermírio nos aparece de repente, nos defrontando e nos assustando. Eu com cinco meses de viuvez. Ele foi meu primeiro namorado desde os 12 anos. Nossa história parece uma novela. Depois de três anos e meio de viuvez nos casamos.

Foto: KK Gontijo Fotografia e Imagem

Uma vida com muitas histórias. Para falar da dama Lílis Gomes, não há palavras mais adequadas que as dela. Na impossibilidade de publicá-lo na íntegra, pinçamos do discurso que emocionou o público presente à Câmara de Vereadores, durante a homenagem merecidamente prestada a ela, momentos de uma trajetória que a credenciam como grande personalidade da nossa sociedade.

Nosso casamento civil foi na Vila de Angaturama. O religioso em Valadares, também para que os familiares do Hermírio pudessem assistir, já que a distância que nos separava era de três dias de viagem. Agora começa a segunda parte da minha vida, toda dedicada a esta cidade, que não tinha água encanada, nem luz, nem telefone. Assim que cheguei, fui convidada a fazer parte das Damas de Caridade,entidade recém-criada. Trabalhávamos confeccionando enxovais de recém-nascidos carentes e ajudando suas famílias. É um trabalho que permanece até hoje. No início éramos poucas. Hoje elas são quase uma centena de senhoras que fazem um trabalho admirável. Na parte cultural comecei a ajuda na confecção do jornal semanal “A voz do Rio Doce”, que era dirigido por Hermírio e Justino Carlos. Com Arnóbio Pitanga e Dona China formamos um grupo teatral de amadores com Marli e Nidinha Pitan-

ga, Terezinha Lacerda, e outros. Profissionalmente fui a primeira diretora por título do Grupo Escolar Secretário Levindo Coelho, saindo depois de quatro anos por motivos políticos. Retornei quatro anos depois, porque a política mudou. Fiz concurso para diretora e tirei o primeiro lugar. Fui transferida para o grupo escolar recém-criado, o Abílio Patto, de péssimas instalações, mas ali ficamos até o final de 1965. A convite do saudoso Padre Mateus, aceitei o desafio de ir para a Capela de Santa Efigênia no bairro chamado Esgoto. Ali fizemos nossa grande obra social e educacional. Amassamos muita lama, mas Deus estava sempre ao nosso lado. Me aposentei com 31 anos de dedicação à educação de base e de muita perseguição política. Fui primeira-dama por oito anos. Uma de minhas realizações mais agradáveis, onde várias entidades filantrópicas puderam ser ajudadas foi a Feira da Paz, que mantivemos por quatro anos. Fui primeira-dama da Associação Comercial por oito anos, quando ajudamos a trazer a Cia. Telefônica para GV e a fundar a Fundação Percival Farqhuar e fui primeira-dama da Univale por oito anos ou mais. Junto com Aurita Machado, participei da criação da Fadivale. Procurei sempre estar presente em todas as instituições em que Hermírio atuava, com muita discrição. Estive presente na criação do Rotary Club quando Hermirio foi seu primeiro presidente. Ajudei a fundar a Casa da Amizade em 1958 e fui sua presidente. Ajudei a fundar a Sodami em 1970 e fui sua presidente, hoje Conselheira e Presidente de Honra. Agradeço a Deus ter me permitido chegar até aqui; Para terminar, registro aqui minha mensagem aos políticos: que deixem de usar professores e a educação como massa de manobra para barganhas. A educação deve estar sempre acima de qualquer interesse, pois é a base para o desenvolvimento de uma nação. E cito um pensamento de nossa grande poetisa Cecília Meireles que se adapta a mim: “aprendi com a natureza a me deixar cortar, e voltar sempre inteira...”. E Roberto Carlos: “se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi!”. 25

DEZEMbro / 2010


Fotos: KK Gontijo Fotografia e Imagem

Eterna primeira-dama de GV, Lílis convidou e recebeu como pouquíssimas para comemorar seus muito bem vividos 90 anos. No Buffet Maristela Chisté tudo combinava com Lílis, desde o horário, 11h, o dia D - 4 de novembro - um domingo, à elegância do decó e a sua própria, que revelavam a linhagem, classe e cultura. Uma celebração linda iniciada por Pe. Francisco Vidal, regida pelo coral da cidade, pelos filhos, Newtinho, Sandra, Kaká, Nadja, Claudinha e muitos amigos. Comemoração que reuniu toda família, bisnetos, netos, genros e noras, e não faltaram o bispo Dom Werner nem aqueles que vivenciaram com a aniversariante ações que escreveriam a história de GV nesses últimos 60 anos. Em seguida, no dia 12, o projeto do vereador Maurício Morais e o título Cidadã Valadarense foram uma bela homenagem da Câmara Municipal. Um reconhecimento que a história de Lílis Carvalho Gomes faz jus. A revista Mais Mais Perfil teve o prazer de registrar.

Júlio Avelar,Teresa Perim e Lílis

Entre amigas

“Se chorei e ou se sorri, o importante

O carinho da presidente da Câmara Dilene Dileu Homenagem da Sodami pela pres. Maria Barra

Rosemary Mafra representando a prefeita Elisa Costa

26

DEZEMbro / 2010

Prestigiada pelas amigas da Univale - Sodami

A homenagem de Alcyr Nascimento (Fadivale)

Lílis, exibe o Título de Cidadã Valadarense, proposto por Maurício Morais


Rui Gomes, Myrian e Wandira Gomes

Lílis e Dom Werner

Com Pe.Francisco Vidal

A aniversariante com os filhos: Nadja, Newtinho, Sandra e Kaká

O primo Francelino Pereira e Lourdes, Teresa e Lílis Brindando com Sandra, Kaká e Betânia

Com Clérmen Perin Ducarmo Castelo Branco, Lílis e Márcia E com Luiz Claro e Zulma, Newton e Betânia A aniversariante com a bisneta, Ana Lis O fôlego de Lílis

Amigos de longa data: Adilson Reis e Newtinho Com Gracinha e Walton Miranda

O abraço de Sayonara Calhau...

... e de Bernadeth Pagani

Maria Barra, Ida, Mercês, Quequeta Bicalho, Juraci Achar e Maria Grippe

Momento solene regido pelo Coral da Cidade

Com Rosa Ferraz

Com Lílian Cabral

Com a filha Nadja e netos Patrício e Flávia

Com a irmã Glorinha

importante é que emoções eu vivi”

Na Câmara, o discurso de Lady Lílis

Ladeada por Tininho Machado e Juliana

Com o carinho das amigas da escola

Apoiada pela família, Lílis e seu título de Cidadã Valadarense. Sandra, Cláudia, Nadja, Patrício, João Paulo, Karla, Alessandra, Newton e Rui Gomes

Prestigiada pelas companheiras da Casa da Amizade

27

DEZEMbro / 2010


Rozani Maria Rocha de Azevedo 28

DEZEMbro / 2010

Mais Mais Perfil Mulher A força de sua personalidade precede a sua presença. Empresária, presidente do Sindicato do Vestuário de Governador Valadares e presidente da Regional Rio Doce da FIEMG, Rozani Azevedo é dessas mulheres que sabe, como poucas, deixar sua marca. Ela chega e muda a energia de tudo ao seu redor. Uma mulher exuberante, enérgica, mas agradável e surpreendentemente acessível. Conversa olhando nos olhos, e quando fala o faz sem rodeios e sem reservas. Rozani é pura firmeza. Primeira mulher a ocupar presidência da Regional Rio Doce da FIEMG, ela tem vocação para o pioneirismo. E toda uma vida dedicada ao sindicalismo, no qual acredita firmemente, como grande instrumento de união, alavanca indispensável para o desenvolvimento. Sua eleição para o Sindicato do Vestuário é uma mostra de sua ousadia e determinação. Rozani foi a primeira mulher a presidir um sindicato de sua categoria no Brasil. Durante oito anos de FIEMG, é a única mulher entre 137 presidentes de sindicatos de todo o estado. Esta mesma determinação lhe valeu quando, depois de 19 anos como fiel colaboradora da FIEMG Regional através de seu sindicato, ela buscou a realização do sonho – que nunca escondeu – de presidir a entidade. Para este seu primeiro mandato ela trouxe, acima de tudo, um forte desejo de mudança, a começar pelo conceito de atuação regional, se fazendo presente ao máximo nos 198 municípios sob a jurisdição. Um desafio que se revela ainda maior do que ela esperava, mas nem por isso a intimida. Com objetivos definidos e metas bem traçadas, em 2011, Rozâni planeja se fazer presente em todas as cidades da regional que possuam unidades do sistema Sesi-Senai. Já no primeiro semestre do próximo ano, três unidades móveis de aprendizado industrial vão circular pela região. Para o Vale do Jequitinhonha irá a Cozinha Brasil, que ensina a fazer refeições nutritivas e de baixo custo. A unidade frigorífica vai percorrer Nanuque e cidades próximas ao passo que a de Corte e Costura estará em Governador Valadares e adjacências. Além disso, Rozani já está viabilizando o desenvolvimento de projetos em parceria com a Sudene, através do Banco do Nordeste, para fomentar o desenvolvimento nessas áreas, tendo como grande objetivo o fortalecimento da representatividade da Regional, sobretudo para pleitear junto ao Governo do Estado mais investimentos e recursos para as regiões que dela fazem parte. Inteligente e multitalentosa, Rozani se desdobra para equilibrar todos esses projetos à frente da FIEMG, com os seus negócios pessoais, o que requer uma rotina árdua, entre a entidade e o escritório da fábrica de sua marca, Juliana Maria, cumprida diariamente sobre saltos altos, e um figurino sempre com direito a acessórios coloridos, make-up básico e uma disposição que se conserva impecável, mesmo quando os compromissos de trabalho entram pela noite adentro. Para dar conta de tudo, Rozani acredita – e investe – em união e trabalho de equipe. Sabe que, às vezes, sua maneira contundente pode intimidar as pessoas. Mas conhece bem seu papel e, assim, da mesma forma como fala o que precisa ser dito e faz valer sua autoridade, ela também está sempre aberta ao diálogo, às novidades e oportunidades de aprendizado. Quando não está trabalhando, ou cumprindo compromissos sociais relativos ao trabalho, Rozani gosta mesmo é de ficar em casa, curtindo a companhia do marido Gelson, a quem ela chama de “o grande companheiro de sua vida”. Dos filhos, deixa explícito seu enorme orgulho por cada vitória e superação. Mas nada é capaz de enternecê-la tanto quanto as delícias que lhe permitem a condição de avó. Ao falar de Galileu, filho de sua filha Juliana, vem à tona a vovó coruja, que se emociona e vibra ao contar as proezas do neto, que notadamente traz para Rozani o lado mais doce da vida; a alegria e o descanso de uma guerreira que sabe ainda ter muitas batalhas pela frente, e que vai a cada uma delas com o entusiasmo e a vitalidade de quem acredita no que faz.


Foto: KK Gontijo

RESSONÂNCIA O QUE TE MOVE? A vontade de crescer; de ser, a cada dia, um ser humano melhor. A certeza de que eu tenho Deus comigo. A vontade de deixar um legado. O QUE TE COMOVE? Meus netos. O QUE TE TIRA DO SÉRIO? Burrice. O QUE TE ALEGRA O CORAÇÃO? Meu neto Galileu. O QUE NÃO PODE FALTAR EM CASA? A imagem de Nossa Senhora das Graças. O AMOR MAIOR: meu Galileu. UMA SAUDADE IMENSA: meu pai. MEDO DE QUÊ? De uma morte súbita; de perder quem eu amo. UMA FRUSTRAÇÃO: não conseguir unir mais a classe empresarial. UM ARREPENDIMENTO: algumas discussões, confusões; alguns atos impulsivos que eu não repetiria. UM MOMENTO INESQUECÍVEL: o nascimento do meu neto. DIANTE DO ESPELHO... eu vejo uma mulher, linda, viva, de bem com a vida e cheia de disposição para fazer mais por nossa cidade. ELEGÂNCIA É... saber se vestir bem sem a necessidade de usar marcas caras. UM SONHO POSSÍVEL: no momento, fazer a FIEMG ficar como eu gostaria. SE VOCÊ FOSSE UM FILME... seria um filme que falasse de trabalho e resultados positivos. LIVRO DE CABECEIRA: a Bíblia. TRILHA SONORA OBRIGATÓRIA: música sertaneja e Roberto Carlos. SEU LUGAR NO MUNDO: na minha fábrica. FÃ DE CARTEIRINHA... da minha mãe VOCÊ EM POUCAS PALAVRAS: sou uma mulher lutadora, que tem sonhos e vai buscá-los. Sou alguém que quer fazer algo por esta cidade, pelas pessoas que convivem comigo. E não sou brava, sou positiva. 29

DEZEMbro / 2010


Sheila Xavier Menezes 30

DEZEMbro / 2010

Mais Mais Perfil Mulher

Se alguém duvida que felicidade e realização pessoal podem ser construídas dia a dia, na superação dos obstáculos, passa a acreditar no momento em que conhece Sheila Xavier Menezes. Se à primeira vista a jovem empresária impressiona pela beleza, muito mais ela o faz pela forma decidida com que, ainda muito jovem, se tornou senhora do próprio destino, conquistando cada vitória com obstinação e paciência. Da infância na fazenda dos avós, na região de Mantena, para a condição de empresária com duas lojas no ramo de bijuterias foi um longo caminho, que ela logo percebeu que seria muito mais árduo se ela não tomasse, ainda bem jovem, importantes decisões. A opção por começar a trabalhar aos 14 anos foi uma delas. O curso técnico em Administração de Empresas, também. A mudança da vida despreocupada de menina serelepe correndo pelo pasto e “fazendo arte” ao ar livre na amplidão do meio rural para o ambiente restrito e muito mais opressor do meio urbano não foi fácil, mas ensinou Sheila a exercitar toda a sua capacidade de adaptação, fazendo florescer uma jovem mais forte e segura de seus objetivos. Pautada pelos valores ensinados por sua mãe, como honestidade e amor pelo trabalho, ela se serviu dessas ferramentas para construir seu caminho. A opção por bijoux teve alguma relação com seu interesse pessoal pelo universo da moda e da beleza. Mas o método e o empenho empregados no empreendimento lhe garantiriam o mesmo êxito em qualquer que fosse o ramo de comércio escolhido. Séria, focada, e de uma impressionante dedicação, Sheila é ao mesmo tempo a sua maior crítica e incentivadora. O sucesso obtido com as lojas Única e Pérola veio através de muito trabalho, conciliado com as funções de mãe e esposa. Voltar a Governador Valadares acompanhando o marido, que veio transferido depois de alguns anos morando no Vale Aço, e montar a loja enquanto cuidava da filha, então com poucos meses de nascida, foi um desafio e tanto, e mais uma vitória para constar em sua trajetória de vida. Perfeccionista e produtiva ao extremo, ela morre de medo de se acomodar, e faz questão de aproveitar cada segundo para produzir mais e melhor. Intensa, ela valoriza as cobranças que faz de si mesma e o autoconhecimento, que busca em momentos diários de reflexão. Uma personalidade forte e um jeito assertivo que pode, em um primeiro momento, dar a impressão de uma sisudez que em nada combina com sua aparência jovial e com o sorriso maravilhoso, que abre as portas para um outro lado dessa mulher de muitas faces, que é Sheila. A amiga e companheira leal, a moça gentil e bacana, a mulher feliz com o casamento e a linda filha, a empresária flexível que sabe se moldar com facilidade às situações que surgem no dia-a-dia. São facetas desta camaleoa que aprendeu a se moldar ao que a vida oferece e a extrair dela sempre mais. É para os mais próximos e queridos que Sheila reserva sua alegria, seu gosto por uma boa batucada e sua paixão pela dança. Um espírito jovem e exuberante moldado pelo amadurecimento precoce, porém necessário para que sua vida fosse do jeito que ela sempre sonhou, e agora vê tornar-se realidade.

RESSONÂNCIA

O QUE TE MOVE? A vontade de ver os resultados. O QUE TE COMOVE? Falta de compaixão. O QUE TE TIRA DO SÉRIO? Quando consideram apenas uma versão dos fatos. O QUE TE ALEGRA O CORAÇÃO? Um bom batuque. O QUE NÃO PODE FALTAR EM CASA? Alegria, e ... muitos hidratantes, não vivo sem. Sou preocupantemente viciada. O AMOR MAIOR: a Amanda. UMA SAUDADE IMENSA: da minha infância na fazenda. UMA FRUSTRAÇÃO: não ser um gênio da matemática, o que me ajudaria muito no trabalho. UM ARREPENDIMENTO: toda vez que eu deixo meu perfeccionismo de lado, eu me arrependo. UM MOMENTO INESQUECÍVEL: aquele em que percebi que eu posso interferir no meu destino. DIANTE DO ESPELHO... minha pele. ELEGÂNCIA É... gentileza. UM SONHO POSSÍVEL: fazer da Amanda uma grande mulher. SE VOCÊ FOSSE UM FILME... “O Conde de Monte Cristo”. LIVRO DE CABECEIRA: livros sobre Administração de Empresas. TRILHA SONORA OBRIGATÓRIA: Michael Jackson, rock nacional e um belo samba para fazer palpitar meu coração. SEU LUGAR NO MUNDO: no silêncio de um abraço. FÃ DE CARTEIRINHA... do Marcelo Melo, professor de química, uma pessoa cheia de vida. VOCÊ EM POUCAS PALAVRAS: sou uma pessoa muito paciente, mesmo em meio a toda turbulência. Se preciso, faço de novo e de novo, quantas vezes forem necessárias até dar certo.


Foto: KK Gontijo

31

DEZEMbro / 2010


Mais Mais

Ponto de Vista

BOMDILMA Abstraída a banalização da eleição para presidente, onde o nível dos debates entre os principais candidatos foi muito baixo, não dá para discordar de alguns eleitores, quando dizem que a nova síndica do Palácio do Planalto vai fazer uma grande administração. É possível. Afinal, Dilma Rousseff é uma mulher que mostrou competência em todos os cargos executivos que exerceu, seja como secretária estadual ou ministra de Estado, além de ser culta e exigente. Não dá para deixar para trás aquelas características que só a mulher carrega em tudo que faz: a sensibilidade e a intuição. Até aqui é fácil, mas introduza-se aí a equação “base de apoio parlamentar”, partidos que apoiaram sua eleição, os sempre espertos de plantão, e a coisa se complica. Falar na divisão dos principais cargos de primeiro e segundo escalão, então, é uma coisa tão feia como a famosa frase popular “uma briga de foice no escuro”. Mas vamos deixar este lado político partidário um pouco de lado e vamos falar da trajetória e dos sentimentos da mulher. Para começar, a presidente ou presidenta – as duas formas são corretas, é a primeira na história brasileira a atingir esse patamar. Para se ter uma idéia, a nação mais rica e desenvolvida do planeta, os Estados Unidos, nunca teve uma mulher frente à sua presidência. São poucas as mulheres que alcançaram essa glória. No passado Indira Gandhi, na Índia, foi primeira ministra (entre 1966 a 1977 e depois entre 1980 1 1984); a inglesa Margareth Tatcher, conhecida por suas posições firmes como a Dama de Ferro, também foi primeiraministra entre 1979 a 1990; Desde 2005, Angela Merkel é a chanceler da Alemanha, o terceiro país mais rico do mundo; a chilena Michelle Bachelet preside aquele país entre 2006 e 2010, sendo a primeira mulher na América Latina a conseguir tal feito, e, “la hermana” Cristina Kirchner se tornou presidente da Argentina a partir de 2007. Todas mulheres guerreiras, corajosas e densamente politizadas. A brasileira Dilma Viana Rousseff, uma economista de 63 anos de idade, agora faz parte desse time. Nos parece que inicialmente o eleitorado feminino brasileiro não depositou muita confiança na então candidata, mas depois de eleita, a grande maioria 32

DEZEMbro / 2010

delas se vê representada ali no sexo conhecido como frágil – expressão que é uma invenção do machismo. Apesar de todas as qualidades da mulher, que tem a capacidade divina de gerar outro ser, é forte nos momentos de sofrimento, enfrenta a violência doméstica muitas vezes sem denunciar por medo de seu agressor, e de ter o salário no mercado de trabalho diferenciado para menos, sem que se tenha uma razão plausível para essa discrepância, elas têm algumas particularidades interessantes. Uma delas é a vaidade. Talvez seja essa a primeira razão que leva o mercado financeiro a pesquisar primeiro o gosto das mulheres, quando querem fazer um grande investimento econômico, afinal, que mulher não gosta de sapatos? O de se vestir com a última roupa da moda? Ou daquela jóia fina? Qual mulher não freqüenta um salão de beleza? Qual mulher não freqüenta um consultório de dermatologia? Qual não gostaria de uma plástica? Esses valores fincados profundamente na alma é que a tornam atraente, bonita e sofisticada. Acreditamos que com a presidente Dilma não seja diferente. Se Dilma é conhecida por ter um temperamento firme e sério, e como dizem, “não é flor que se cheire”, seus assessores às vezes se sentem um pouco aliviados. Afinal, com a sua idade, a presidente já não sofre mais com a TPM, como toda mulher que ainda vive esse problema. A presidente brasileira, que até pouco tempo tinha uma feição muito séria, já fez várias modificações no cabelo, deixou de usar óculos e ficou mais jovial. Com o tempo, vai modificar mais ainda, vai melhorar, ficar mais chique, com certeza. Estilistas e cabeleireiros vão estar

Crisolino Filho

à sua disposição, para o que der e vier. Muitos homens pensam errado, se consideram o ser dominante, acham que é quem escolhe a parceira. Isso não passa de uma peça de ficção. Um homem pode se interessar por dez mulheres, dar em cima de todas elas, e nenhuma querer ficar com ele, porque na verdade quem escolhe é a mulher. São elas que escolhem com quem querem fazer par. E não adianta chorar. Como Dilma está divorciada, e pouco se sabe sobre sua condição romântica atual, provavelmente até sua posse, ficaremos sabendo se teremos um primeiro cavalheiro. Isso mesmo, cavalheiro, afinal o masculino de dama é Ele mesmo. Poderosa como mulher e como política, não deve ser difícil fazer uma escolha. Dizem que quase toda mulher gosta de assistir novelas, de ver os ti-ti-ti dos folhetins. Será que a Dilma também assiste às tramas globais? Além disso, ela tem toda uma relação familiar feminina: é filha, mãe e avó de uma neta, e vai morar com as três na residência oficial de Presidência da República. Bem, é um novo cenário político, uma novidade. Finalmente é bom lembrar que os generais terão de prestar continência à presidenta, e é Ela quem vai nomeá-los para o Superior Tribunal Militar – STM, e decidir suas promoções. Seus assessores diretos e mais íntimos terão o privilégio de cumprimentá-la pela manhã com um “Bom dia, Dilma!”, ou juntando tudo como é comum na língua portuguesa, um “Bomdilma”. Ah! Com a importância da vírgula, poderão também dizer “Bom, dia Dilma”. Crisolino Filho Advogado, militante na Comarca, pós graduado em direito empresarial e bacharel em biblioteconomia pela UFMG. E-mai: crisffiadv@ig.com.br | Alô: (33) 8807.1877 / 3271.7009


C

om quase todos os seus 25 mil lugares tomados por um agitado público de camisas amarelas, o Mineirinho fervilhava. Em quadra, perfiladas, duas seleções esperavam o Hino de seus países antes do jogo começar. Pelas regras, são apenas 1 minuto e meio de execução para cada lado. Mas quando o serviço de som pára a música, um coro de 25 mil vozes continua, em altos brados: “... terra adorada. Entre outras mil, és tu Brasil, ó pátria amada. Dos filhos deste solo és mãe gentil. Pátria Amada, Brasil!” Só quem já viveu este momento, quem já esteve lá entre as milhares de vozes, pode dimensionar o tamanho da emoção. E não há um só braço que não fique arrepiado, um só olho que não esteja marejado de lágrimas e orgulho, incluindo os 12 rapazes na quadra, prontos para defender seu país em mais um jogo, e vencer.

33

DEZEMbro / 2010


Mais Mais

Especial

Por

Paula Greco

O BRASIL do VÔLEI N JAQUELINE, uma das jogadoras brasileiras mais queridas no exterior. Ela é casada com o MURILO, titular da seleção masculina. Os dois usam a mesma camisa 8

34

DEZEMbro / 2010

o Brasil não existe esporte, coletivo ou individual, que seja tão vitorioso quanto o vôlei. Nos últimos 10 anos, em plena pátria de chuteiras, são as joelheiras, redes, saques, ataques e bloqueios que levam nosso verde e amarelo para os primeiros lugares dos pódios pelo mundo afora. No masculino e no feminino, na quadra e na praia, no juvenil e no infanto. Uma supremacia faz de nossas equipes o inimigo a ser vencido e incomoda os adversários. Pois que se incomodem bastante, porque os novos talentos não param de surgir, garantindo bons times para os próximos 15 anos. Quem acompanha e gosta sabe que por onde passa, seja com os meninos ou as meninas, na quadra ou na praia, o vôlei do Brasil mostra a face apaixonada de um país vencedor, representado por atletas aguerridos, que buscam o triunfo ponto a ponto, com força e talento. E nos últimos 10 anos não faltam motivos – e

triunfos – para serem comemorados. Em números gerais da CBV (Confederação Brasileira de Voleibol), os últimos cinco anos, em cerca de 300 competições disputadas, foram 180 medalhas de ouro, 97 de prata e 89 de bronze (isso porque, no caso do vôlei de praia, por exemplo, mais de uma dupla brasileira pode figurar no pódio, o que acontece com bastante freqüência, inclusive), que coloca o Brasil em primeiríssimo lugar no ranking da FIVB (federação Internacional de Volleyball). Não é por acaso que o vôlei, segundo pesquisa da Datafolha, é o segundo esporte de maior aceitação entre os jovens no Brasil, tendo o crescimento de sua preferência superado o do futebol nos últimos anos, sobretudo na faixa etária de 12 a 18 anos. Realidade que reflete uma história que começa pravaler lá em 1984, com a chamada geração de prata, vice-campeã olímpica, que tinha, entre outros grandes atletas,

Mineira de Belo Horizonte, SHEILA, eleita a melhor jogadora do Grand Prix 2009


Bernardinho, hoje o técnico mais consagrado do esporte, seja por suas vitórias, por seu perfil perfeccionista ou por seu estilo estravagante, de caras, bocas e impropérios à beira da quadra. Depois, veio a primeira geração dourada, da conquista olímpica de 1992. Mas como se manter no topo é ainda mais difícil que chegar lá, muitas turbulências sacudiram os anos 90 no vôlei brasileiro, que a partir de 2001 encontrou a estabilidade e mesmo em constante processo de renovação, o caminho do pódio, e de preferência, no lugar mais alto. GOLDEN BOYS & MENINAS VENENO 2010 foi sem dúvida um ano dourado para o vôlei masculino do Brasil. Os rapazes ganharam a Liga Mundial (torneio anual) pela nona vez e o Campeonato Mundial (realizado de 4 em 4 anos) pela terceira consecutiva. Não sem alguma polêmica, mas com uma fase final incontestável, na qual eles responderam na bola a qualquer dúvida que houvesse. Já as meninas viram brilhar, nas quadras, a prata, tanto no Grand Prix (versão feminina da Liga Mundial) quanto no Mundial, cuja final foi perdida para a Rússia no que pode ser considerado o melhor jogo feminino de toda a temporada. Triste, mas muito honrado o segundo lugar. Já na areia, as poderosas Larissa e Juliana fizeram a “rapa” e ganharam rigorosamente tudo o que disputaram, chegando ao final do ano com a fabulosa de 40 vitórias consecutivas e muitas medalhas no peito. SUOR QUE VALE OURO No Brasil, a organização do voleibol é reconhecida por sua excelência e recomendada pela própria FIVB como modelo de Gestão Esportiva. Nossa seleção é a que mais treina no mundo. Os atletas passam quase metade do ano concentrados ou viajando, servindo à seleção nacional. Neste período, eles praticamente moram

no “Aryzão”, como é chamado o complexo de 108 mil m2 construído na paradisíaca região de Saquarema, no Rio de Janeiro. São oito quadras “indoor” de treinamento, mais quatro quadras de areia, além de um Museu do Vôlei, piscina, academia de ginástica, centro médico e toda a estrutura necessária para receber e alimentar até 171 pessoas, entre atletas, comissões técnicas e pessoal administrativo. Enquanto nossos meninos e meninas suam a camisa, os dirigentes se encarregam de contratos, patrocínios e tudo o mais que viabilize o conforto e a valorização dos atletas, que vem correspondendo em quadra (e na areia) a todo este investimento.

Giba, símbolo das conquistas da seleção e o presidente da CBV, Ary Graça, um dos reponsáveis por este sucesso

DE OLHO NO FUTURO Não é apenas o trabalho de base da CBV que garante o futuro das conquistas do vôlei brasileiro. Trabalhando com um público ainda mais jovem está o Projeto VivaVôlei de iniciação ao voleibol, cuja diretriz é educar e socializar meninos e meninas de 7 a 14 anos através do esporte, com a chancela e o apoio institucional da UNESCO, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. O VivaVôlei capacita seus professores para desenvolver nos alunos uma cultura de paz, cooperação, diálogo, respeito e a criação de um espaço saudável de convivência, além de praticar o esporte através do “mini-vôlei”, especialmente elaborado para a faixa etária abrangida pelo projeto, dos materiais à metodologia de ensino. O projeto já está presente em todas as regiões do Brasil. Atualmente, são mais de 80 Centros em atividade, atendendo a cerca de vinte e cinco mil crianças e adolescentes de comunidades carentes em 13 estados brasileiros, utilizando da educação e da atenção especial à infância, como ferramentas para cumprir o que a constituição brasileira estabelece: “o esporte é um direito de todos”.

Larissa e Juliana, tetracampeãs dos circuitos Brasileiro e Mundial de vôlei de areia

Murilo foi eleito o melhor jogador do último campeonado mundial

35

DEZEMbro / 2010


Mais Mais

Especial

Por

Paula Greco

Os 40 já não assustam mais O

número 40 nas velas do bolo não assusta como antes. Cada vez mais, na idade da Loba, as mulheres colocam de fora as garras e as pernocas bem torneadas de corpos que esbajam boa forma física, mental e emocional. Há uma alegria nova nesta idade, que revela mulheres de bem com a vida, bonitas e livres do papel de avós, que há alguns anos era tido como certo, e prontas para encarar novos desafios. Quando anunciada em sua primeira temporada, a série de comédia norte-americana estrelada pela atriz Courtney Cox (belíssima aos 43 anos) usou como bordão uma divertida frase: “os 40 são os novos 20”. Só esqueceram de completar: “com algumas vantagens”. Porque se por um lado é possível minimizar os efeitos estéticos do tempo, por outro é inevitável conferir a esta mulher mais charme, segurança, maturidade, libido, consciência do próprio poder. As mulheres de mais de 40 anos estão no auge, e cada vez mais exigentes. No lado profissional, brigam – e conquistam – mercados de trabalho nunca antes imaginados. No pessoal, se lançam ao mundo para defender sua felicidade, resgatando sonhos e aspirações. Sabem o que querem, e principalmente o que não querem. Assumem seus limites e vencem a batalha contra os medos tão comuns à idade: ficar só, envelhecer... Casadas ou solteiras –e em geral já bem resolvidas em relação a isso – já sabem que parar o relógio biológico é impossível. Muito mais sábio e usá-lo como aliado e ao invés de procurar uma fonte de eterna juventude, encarar de frente os desafios dos 40 anos, sem medo de derrubar mitos e escrever novas verdades. Para as rugas e sinais do tempo, cremes, tratamentos estéticos e (por que não?) cirurgia plástica. Para os quilinhos que insistem em se acumular, alimentação mais saudável e exercício físico praticado não como treinamento de guerra, mas com o prazer de manter o corpo ativo, flexível, torneado e firme. Para os “ditadores da moda” que instituíram para a mulher de 40 a combinação cabelo curto + saia cobrindo o joelho + braço coberto, uma sonora gargalhada (e se possível uma boa jogada de cabelão). Mangas curtas, camisetas, decotes, costas nuas e pernas de fora. Está tudo liberado, pelo menos em função da idade. O uso do bom senso na hora de escolher o figurino vai muito mais pelo “shape” que pela carteira de identidade. Para a menopausa que tanto assombra as mulheres que chegam à idade da Loba, reposição hormonal (assistida por um bom médico), muita água, chá, cálcio e uma nova atitude, que começa com a habilidade de sorrir com mais freqüência e disposição para a vida, mesmo que seja dos próprios problemas ou rugas. Até porque vale como ginástica facial! A nova mulher de 40 também tem seu lado “predadora”. No livro Woman: an intimate geography, ganhador do prêmio Pulitzer, a autora norteamericana Natallie Angier explica que a libido do homem chega ao ponto máximo entre os 18 e os 20 anos, enquanto as mulheres chegam ao cume entre os 30 e 40, uma idade em que a vida sexual se torna melhor, com mais experiência, consciência do prazer para ambas as partes e menos ansiedade. É por essas – e outras razões – que ninguém segura essas quarentonas fabulosas.

36

DEZEMbro / 2010

Jennifer Aniston (41)


Gatão de meia idade Tudo bem que o termo usado para nomear o personagem criado pelo cartunista Miguel Paiva representa um homem que ainda quer ser garotão e “pegador” aos 40, fugindo dos compromissos. Mas deixando o cartoon de lado, descreve com exatidão este que hoje é um dos atores mais celebrados em Hollywood, o queridinho das mulheres, por seus olhos azuis vulneráveis e seus perfeitos cabelos cacheados. Patrick Dempsey sabe bem o que é investir no sex appeal dos 40. Aos 21, ele estrelou uma das comédias românticas mais populares dos anos 80. “Namorada de Aluguel”, embalada pelo hit Can’t By Me Love”, dos Beatles, elevou-o à condição de ídolo teen, mas o então magrinho e atrapalhado ator não durou mais que dois filmes e aos 30 anos, totalmente no ostracismo, chegou a figurar entre os atores desempregados de Los Angeles, passando a reformar e vender casas antigas para sobreviver. A reviravolta veio exatamente aos 40. Do adolescente franzino ficaram apenas os olhos que provocam suspiros nas mulheres e assim ele conseguiu o papel do neuro-cirurgião mais sexy da TV norte-americana, o Dr. Derek Shepherd, de Grey’s Anatomy, ou como é carinhosamente chamado pelas muito empolgadas fãs da série, Dr. McDreamy. O sucesso na TV levou-o de volta ao cinema e às comédias românticas como “O Melhor Amigo da Noiva” e “Idas e Vindas do Amor”. Mas o charme e o talento de Dempsey também o levaram a papéis distintos, de cunho político como em “Escritores da Liberdade” até a literal função de príncipe encantado da Disney, em “Encantada”. Fora da TV, ele também faz a linha bom moço. Aos 44 anos, já contabiliza 11 de casamento com a top maquiadora e diretora global de criação de maquiagem da Avon, Jillian Dempsey, com quem tem três filhos: uma menina e dois garotos gêmeos. O plus de charme vem do hobby caro, colecionar carros antigos e da paixão por velocidade. Sócio da Vision Racing – equipe que disputa a Fórmula Indy nos EUA, ele é frequentemente visto de macacão e capacete nas pistas, pilotando seus próprios carros. Nem precisava, mas é mais uma ocasião para exibir seus atributos de “quarentão dos sonhos”.

Patrick Dempsey (40)

LASTRO EDITORA

37

DEZEMbro / 2010


Mais Mais

Cultura Por

Paula Greco

Um escrevinhador sem meias palavras HUMOR AFIADO, POLÍTICA, OPNIÕES POLÊMICAS E UMA BOA DOSE DE LITERAL ROMANTISMO MARCAM A OBRA DO AUTOR PERUANO QUE ACABA DE GANHAR O PÊMIO NOBEL DE LITERATURA

A

os 74 anos, o escritor peruano Mario Vargas Llosa conserva um juvenil entusiasmo para falar de seu oficio. Ao saber que havia sido agraciado com o prêmio Nobel de Literatura deste ano, ele se disse perplexo. Chegou a achar que se tratava de um trote, e finalmente disse, às gargalhadas, “Vou me olhar no espelho e vou enrubescer”. Depois, em sua primeira entrevista como ganhador do Nobel, disse: “vou seguir trabalhando, defendendo coisas que são fundamentais para o Peru, para a América Latina e o mundo. A liberdade e a democracia são o verdadeiro caminho do progresso, da verdadeira civilização, que acredito que seja o papel de um escritor defender”, E segue escrevendo o que pensa e acredita, sem temer a opinião pública, as polêmicas e as críticas. Autor de romances marcados por questões políticas da América Latina como “A cidade e os cachorros”, “A festa do bode” e “Travessuras da menina má”, Llosa já havia vencido, entre outros, o Prêmio Cervantes, o mais importante da literatura em língua espanhola, em 1994. Impossível não se comover ao ouvi-lo declarar que procura “viver como se fosse imortal. Seguir a vida com os mesmos projetos e ilusões, como quem começa a viver. O mais triste que pode ocorrer a uma pes38

DEZEMbro / 2010

soa é morrer sem vida”. E completa: “minha maior aspiração é escrever bons livros. Meu sonho mais secreto é que algum dia meus livros fossem para alguém como foram para mim os livros que me mudaram a vida; os que me comoveram, deslumbraram, me enriqueceram como ser humano e escritor”. Sobre a paixão por seu ofício, Llosa diz que “na hora em que me fecho em meu escritório e fico sozinho diante do papel, não há Prêmio Nobel que valha. Começo a morrer-me de medo, de horror, de insegurança; e ao mesmo tempo de felicidade. É um terror feliz. Uma coisa estranha. E ao final, sei que o importante vai se decidir ali, lutando com as palavras, buscando-as, alegrando-se quando encontro um filão por onde sigo a história. Ao final, esta é a parte mais rica, a coluna vertebral da minha vida. A satisfação imensa que produz a solidão do trabalho, a forma como a história começa a armar-se, os personagens começam a mover-se. É indescritível”. BREVE BIOGRAFIA Nascido no dia 28 de março de 1936, em Arequipa, Jorge Mario Pedro Vargas Llosa é graduado em Letras e Direito pela Universidade Nacional Maior de São Marcos, em

Lima. Ao ganhar uma bolsa de estudos, partiu para a Europa, tornando-se doutor em Filosofia e Letras pela Universidade de Madri. Sua primeira estada na Europa rendeulhe a publicação do primeiro livro, “Os Chefes” e uma peça de teatro, “La Huída Del Inca”; e ainda dois casamentos: primeiro com a tia Julia (no qual se inspirou para escrever “Tia Julia e o escrevinhador”, lançado somente em 1977) e alguns anos depois com uma prima, Patricia. De volta ao Peru em 1964, Llosa voltaria a se ausentar por diversas vezes, em longas temporadas pelo exterior, em países como Cuba, Grécia, França, Inglaterra e Espanha – onde se tornou oficialmente cidadão em 1993. Conhecido por suas posições políticas consideradas de direita, ou como tantas vezes dito, de “esquerdista desencantado”, Llosa se engajou, nos anos 80, ao Movimento Liberdade, que se opunha ao programa de estatização do então presidente peruano Alan García Pérez. Em 1990, candidatou-se à presidência do Peru pelo partido Frente Democrática, sendo derrotado por Alberto Fujimori. A experiência lhe rendeu um livro de memórias, “Peixe na água”, lançado em 1993.


UM POUCO DE SUA OBRA A Guerra do Fim do Mundo - romance sobre a Guerra de Canudos. Motiv ado pela leitura de “Os Sertões” de Euclides da Cunha, é baseado também em viagens ao sertão da Bahia e pesquisas históricas. O romance fala de fanatismo religioso e (como sempre) de questões políticas. Tia Julia e o Escrevinhador – praticamente um livro autobiográfico, que versa sobre um jovem que queria ser escritor e se apaixona por uma tia com o dobro da sua idade, tendo como pano de fundo a história do rádio e das radionovelas,cultura dominante nos anos 50. Pantaleão e as visitadoras – narra com muito bom humor as peripécias de um capitão do exército que recebe de seus superiores e singular missão de montar um serviço de prostitutas as Forças Armadas do Peru, na Amazônia peruana. Em 2000, este livro foi adaptado para o cinema e no Festival de Gramado do mesmo ano, ganhou os Kikitos de melhor filme, diretor, montagem, roteiro e ator (Salvador del Solar), além de melhor filme latino da crítica e do júri popular. Elogio à madrasta – neste pequeno e nem tão aclamado livro, o autor se serve, com elegância e sutileza, das técnicas de narrativa erótica para descrever a estranha relação entre um enteado e sua madrasta. Um livro que vale a pena ser lido no original – em espanhol – pela sua riqueza literária O Sonho do Celta – seu mais recente livro baseia-se na extraordinária vida do irlandês Roger Casement, cônsul britânico no Congo belga, em inícios do século XX, que durante duas décadas denunciou as atrocidades do regime de Leopoldo II. 39

DEZEMbro / 2010


Gente G

Lorena e Jéssica Oliveira, belezas no casamento de Renata Teixeira de Paula e Gustavo Xavier em BH

Marselle Graciolli e Eduardo Nakagawa

Casamento à vista Um 2011 muito lindo para minha Mais Mais Perfil Jovem Marselle Graciolli, que no dia 7 de janeiro pisará, ao lado do pai, José Francisco Lima Graciolli, o tapete vermelho da Catedral de Santo Antônio para o SIM a Eduardo Nakagawa. Sua mãe, Maria Emilia, a todo vapor nos últimos preparativos. Os cumprimentos serão recebidos no Ilusão Esporte Clube.

Adriana Carvalho (Pé Chick) e a advogada Renata Bastos

40

DEZEMbro / 2010

abriela Gonçalves é uma das mais novas jornalistas de Governador Valadares. Formouse pela Univale, neste mês de dezembro. Tem diploma fresquinho nas mãos, mas vasta experiência, apesar dos 22 aninhos... Na fase de estágio passou pela TV Leste, Óbvio e Unimed, que acabou contratando-a oficialmente como assessora de Comunicação Social antes mesmo do canudo. É filha da jornalista Ana Lúcia Gonçalves, de quem herdou, com admiração, a paixão pela profissão.

Foto: Betânia Araújo

Wilma Trindade

Gabriela Gonçalves

A medicina no sangue Dia 3 de dezembro no Domus XX, em BH, entre os formandos em medicina pela Unincor, o brilho da valadarense Natália Machado. Filha do ginecologista e obstetra Roberto Carlos Machado, ela tem exemplo e tudo mais para uma carreira de muito profissionalismo e sucesso.

Mayra e Rodrigo Meus perfis Jovens Mais Mais 2010, Mayra Rody Peixoto e Rodrigo Fabiano Menezes Souza, ela advogada, filha de Gerson Peixoto e ele fisioterapeuta, empreendedores que são, fecham o ano com o lançamento do Loteamento Ouro Verde, um projeto que acrescenta ao desenvolvimento de nossa cidade. De casamento marcado para o dia 26 de fevereiro, esse belíssimo casal entra 2011 com todas as expectativas de um Ano Novo pleno de felicidade. A cerimônia religiosa será na Igreja de Lourdes e Mayra pisará o tapete vermelho rumo ao altar vestindo um exclusivo Patrícia Nascimento (BH). Depois do SIM eles e suas famílias receberão no Ilusão Esporte Clube com decó assinado pela expert Márcia Avelino. Claro que estaremos. Amo pessoas como Mayra e Rodrigo. Sinceras, responsáveis e carinhosas.


D

iego Trindade, que já está sendo cotado para coordenar o curso de Relações Internacionais da PUC-Goiás, foi indicado pela Assessoria de Relações Internacionais da universidade e aprovado pela Pró-Reitoria para representar a instituição em viagem internacional. Diego e o assessor de relações internacionais representarão a PUC em uma série de reuniões envolvendo dezenas de universidades dos países membros do MERCOSUL (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai). Esse amplo programa de cooperação internacional é financiado pela União Europeia e pelo MERCOSUL, e seu objetivo é promover convênios de intercâmbios entre estudantes de graduação. O primeiro dos encontros entre representantes de universidades aconteceu em Montevidéu entre os dias 7 e 9 de dezembro. Nos meses seguintes, os representantes da PUC-Goiás irão a Buenos Aires, a Assunção e a São Paulo.

Melina Marsaro e Mário Murta, no casamento de Renata e Gustavo em BH

Marisa e Luiz Marcos Murta

Marcelo Murta e Paula, clikados por mim em Belo Horizonte

Destaque Mineiro O Tocoginecologista Luiz Marcos Murta é destaque de Minas Gerais – Região Leste com a homenagem conferida pel Sociedade de Ginecologistas e Obstetras do Leste Mineiro e da Associação de Ginecologia e Obstetras de Minas Gerais. O evento aconteceu no dia 10 dezembro em BH, durante a posse da nova diretoria. Receberam os convidados Arsênio Coelho Mendonça e Roberto Carlos Machado.

ZVS do bem E quem fez um ano 10 foi o colunista do Jornal de Domingo, José Vicente de Souza, movimentando e reconhecendo gente do bem. Pessoas amigas e queridas, gente produtiva, foram reunidas por suas programações de jantares e almoços proporcionaram momentos muito agradáveis e de good relationship. Merece um Natal e um Ano Novo com muitos amigos. 41

DEZEMbro / 2010


Gente Felicidade Luzia e Hercílio Diniz, Mais Mais Gente em todos os tempos, comemoraram em fevereiro os 50 anos de união na maior felicidade. É casal que entrará 2011 pisando em casa nova. Após toda uma vida em sua big house no Bairro de Lourdes, estrearam em outubro os ares do centro da cidade, na sofisticada Arthur Bernardes.

Foto: Betânia Araújo

Wilma Trindade

Virada VIP Está aberta a temporada de Boas Festas. É o Natal e formaturas que reúnem família inteira e as BoasVindas a um novo ano. Afinal, são tantos desejos, tantos projetos, tantas metas... Em GV esse ano, Bel Oliveira e Cláudia Menezes são as donas da virada VIP. Open Bar com Johnny e Espumante, sobremesas de suas griffes, Buffet de Célia Bittencourt e Balada com DJ Baleia, elas prometem a melhor aterrissagem em 2011. Vale ligar e conferir: 9989-4111 e 8879-9647

Adesguiano Diplomado pela ADESG em 2010 o pneumologista Jorge Ferreira Pinto é só felicidade ao lado das filhas, minhas Mais Mais Perfil, arquiteta Priscilla Radd e oftalmologista Janine e do genro Victor Masson, também oftalmologista. Elegantes e discretos, eles fazem a diferença nos eventos sociais.

Um Feliz Ano Novo para Aline Gama

42

DEZEMbro / 2010

Jovem Mais Mais O empresário Hugo Soalheiro fecha 2010 pisando no tapete vermelho. Ele tem feito por merecer. Concessionário Honda com a By Moto em ápice, Hugo conquistou a Kia Motors do Brasil e sua TAG na sete de setembro vem revelando o sucesso de sua maneira de empreender. Atento ao mercado, ágil nas decisões, 2011 promete mais boas notícias. Casado há dois anos com a amada Carla, a continuação da linhagem não é nada impossível.

Um Feliz Natal para Telma Soares


Ana Paula Machado e ELgEn Júnior 2010 um ano maravilhoso também para Ana Paula Machado e Elgen Júnior. O sucesso da Arezzo GV é tanto que a loja está sendo ampliada e um novo visual dominará a Rua Peçanha. E nos primeiros dias de novembro o anúncio de companhia para o primogênito Davi fez felicidade completa. Por tudo isso Ana Paula brilha como minha Mais Mais Perfil Mulher, nesta edição.

Dênis Leite - Ele entra Ano Novo com o pé direito Indicado pela atual diretoria, o vice-presidente da CDLGV, Denis Ribeiro Leite, foi eleito com toda tranquilidade e por aclamação, presidente para o triênio de janeiro 2011 a dezembro de 2013. Os outros empresários que compõem a diretoria eleita foram escolhidos por ele. Engenheiro eletricista, sócio-proprietário do Mundo Elétrico e Iluminart, Denis ficou muito feliz com o apoio recebido e pediu o empenho de todos para uma gestão marcante.

B

Eterna elegância de Bogumila Perim

erenice Magalhães, a Beré da Hollly Place, minha Perfil Mulher 2009 fez o nome de sua loja tão forte que há muito é quase um sobrenome. Dinâmica, de gosto inconfundível Berenice permanece firme, com uma clientela cativa e com poder de conquista admirável. Antenada, simpática e fashion, seu bom gosto e sensibilidade indicam o que é bom para você ficar sempre bem na fita.

43

DEZEMbro / 2010


Mais Mais

Isso é quente

Por

Paula Greco

MÚSICA Brinquedo para gente grande Música de Brinquedo, o mais recente disco da banda mineira Pato Fu, é o que se pode chamar de o produto fonográfico mais feliz do ano. Em todos os sentidos. Com o auxílio mais que luxuoso dos filhos pequenos, Fernanda Takai, John Ulhoa, Ricardo Koctus, Xande Tamietti e Lulu Camargo construíram uma obra singular, uma sucessão de acertos, que vai desde o repertório, passando pelos arranjos e se reflete no astral do disco, que é daqueles para ouvir sem parar e achar que a vida vale a pena e a humanidade ainda guarda suas belezas. Utilizando apenas instrumentos de brinquedos, miniaturas ou ligados à musicalização infantil, como flautas e xilofones, canções como Primavera (de Tim Maia), Live and Let Die (Paul & Linda McCartney), Ovelha Negra (Rita Lee), My Girl (Smokey Robinson) ganham versões em que os vocais infantis casam perfeitamente com a voz suave de Fernanda, com destaque especial para a deliciosa Todos Estão Surdos, de Roberto & Erasmo. Um disco leve, divertido, despretensioso e, por isso mesmo, maravilhoso.

LIVROS O sobrevivente do Rock – Keith Richards de música para letras Keith Richards, guitarrista dos Rolling Stones, lenda viva e sobrevivente do rock’n roll, é o protagonista de dois distintos, porém igualmente interessantes e recentes lançamentos literários. No primeiro deles, a autora britânica – e fã incondicional dos Stones – Jessica Pallington West compilou algumas das mais geniais frases deste que ela chama de louco, sábio e genial, e com toda razão. São pérolas da filosofia de vida de um autêntico “Guru” moderno, que já passou do céu ao inferno dezenas de vezes, e segue desafiando as leis da sociedade, da medicina e do bom senso, para continuar cheio de vida. Vida é também o nome da autobiografia escrita em parceria com James Fox. Nela, Keith narra com honestidade, de maneira crua e feroz, sua história. Revela altos e baixos do rock’n’roll, a subida meteórica para a fama, as notórias prisões, as mulheres que teve, o vício em álcool e heroína, o relacionamento com Mick Jagger e os outros Stones. A lenda viva reconta como criou seus solos mais envenenados, seus romances, filhos, paixões e tragédias. Em uma narrativa singular, o leitor segue Keith em uma viagem inacreditável. Um fora da lei, um inigualável baderneiro do rock’n’roll e um dos maiores deuses da guitarra de todos os tempos, Keith forjou uma vida que muitos poderiam invejar. 44

DEZEMbro / 2010


CINEMA Brasileiro, herói, campeão, Senna! Para os amantes (e até para quem nem gostava tanto assim) da Fórmula 1, ele foi isso e muito mais. Era a imagem do Brasil que vence, que supera, que não tem limites em busca da perfeição. Recém-lançado nos cinemas, mas já em pré-venda nos sites especializados, o documentário Ayrton Senna, O Filme, é uma compilação de momentos históricos do piloto com imagens de bastidores da F1 (muitas delas desconhecidas do grande público, até então) e fragmentos de uma vida pessoal que foi, na verdade, bastante mais atribulada do que é mostrado na tela. Mas seu bom caráter e sua preocupação com o lado social, sobretudo no que se refere à infância, são mostrados de forma legítima e genuína. Até porque o objetivo principal foi mostrar sua inarrefecível obsessão pela vitória, sua paixão pela pilotagem, sua genialidade por vezes incompreendida. O filme, dirigido pelo inglês Asif Kapadia, com total anuência da rigorosa família Senna, é produto de uma seleção obtida entre centenas de horas de imagens. Quem foi fã do piloto em vida pode se preparar para momentos de fortes emoções e lágrimas inevitáveis. Mais que um item de colecionador, um DVD que vale a pena ser visto e revisto.

45

DEZEMbro / 2010


Mais Mais

Ágora

Opinião

Decisões simultâneas Foi incrível! Aconteceu em GV na Associação Comercial e na formação do Ministério da presidente eleita Dilma Rousseff, que deixou claro no dia 1º de dezembro que aceita sugestão, mas não imposição. A soberania é dela, portanto, quem decide é ela. A turma do PMDB, um dos mais antigos partidos políticos brasileiros, como a daqui, podia passar sem esse constrangimento.

Reitora Ana Angélica e Silas Costa, do Sicoob - Crediriodoce, com os consultores do INDG: Paulo, Luiz Laudares e Pedro

N

o dia 10 de novembro a Univale convidou e lotou seu auditório com os representantes mais expressivos da sociedade valadarense, para que o INDG pudesse informar à comunidade a metodologia de gestão que estavam implantando na universidade. Presentes, representantes da Usiminas e da Rede Bandeirantes como “cases” de sucesso. Uma explanação que deixou claro ser esse o caminho adotado por empresas modernas. Um evento que exibe uma Univale transparente e com força para suplantar a ignorância de agoureiros de plantão ou implantados.

Oportunismo inteligente E o cineasta José Padilha (M1 74 e Tropa de Elite I e II), afastando a modéstia de sua mulher, atriz, que é formada em jornalismo. Jornalista não deixa de ser jornalista... e é interrompido por Ana Maria Braga:” jornalista não deixa de ser jornalista e bandido pode deixar de ser bandido?”.

Estação Conhecimento A Vale retoma sua parceria com a prefeitura de GV assinando vários convênios no dia 22 de novembro. Assim 2011será de obras que darão uma nova praça à Estação Ferroviária, um viaduto no Bairro Sir, uma passagem subterrânea sob a linha férrea no bairro Santa Rita, um Parque Natural que terá acesso por uma passarela sobre o Rio Doce, e a implantação da Estação Conhecimento, que pretende atender 1000 alunos nas áreas de esporte, cultura, lazer e educação. Para tudo isso de bom, uma série de desapropriações também boas. Uma delas, a fazenda dos herdeiros de Sinhá Marques.

Traíra Trair não é um verbo fácil de conjugar nem de assimilar. Por exemplo, o título não é o pretérito-mais-que-perfeito, está no presente mesmo. Você pode ler como peixe e, igual a mim, deve gostar dele fritinho, no óleo bem quente. Com uma farofinha... Hum!

Natal

Bom, o Natal chegou. Que a paz reine entre as tribos. Que a sede de poder seja acalmada pela Graça do Divino Espírito Santo, Amém. 46

DEZEMbro / 2010

por Wilma Trindade Tropa de Elite Pois é, um mato com cachorro é outra coisa. Pior são as marcas que deixam bandidos e mocinhos e aí, meus amigos, apesar de louvar a ação que o mundo viu nos morros do Rio de Janeiro, ainda não dá para ser feliz. Que Deus ajude o Rio de Janeiro e todos nós.

Enchentes As enchentes em BH, na área de novas passagens. voltam a revelar irresponsabilidades. Obras mal feitas, revoltam até a natureza. Quem sofre? Quem não tem nada a ver com o peixe, sabendo ou não nadar. Tristezas de fim de ano que empanam o porvir brasileiro. Leonardo Morais / Hoje em Dia

Prefeita Elisa Costa e representantes da Vale no ato da assinatura dos convênios

Fake E por falar em falsificação, as vitrines de algumas lojas de bolsas e sapatos já estão ostentando informações tais como 100% couro legítimo. O Fake tomou conta de GV como nos grandes centros. Griffe para todos, por que não? Difícil é nos relacionamentos. Ninguém vem com a estrela na testa, como marca de qualidade. E às vezes nem testando por anos.

Ano Novo

Não é preciso roupa nova. Bom caráter, bom coração, e nada de falsidade ideológica que pode ser qualquer falsidade.


47

DEZEMbro / 2010


Mais Mais

Empresarial

por Wilma Trindade

E

foi no GV Shopping que senti o verdadeiro clima de Natal. Que capricho! E como está bonito. Ele inspira. É tempo de presentear, de abraçar, de desejar coisas boas, chiques, sofisticadas, brilhante. Um tempo de desejar qualidade, não só nos acessórios, como nos sentimentos, no conteúdo. Tempo de partilhar tudo isso. Tempo de almejar, de planejar, de colocar em prática. Então... é Natal! Presenteie e diga: Eu te amo!...

Férias e Fim de Ano - Arezzo Planejados Todeschini

E quem não já pensou entrar um Novo Ano de casa nova ou com aquele visual moderno e prático? É tempo de pensar Todeschini também como presente. Hoberg e Isabel e uma equipe eficiente recebem você com um leque de sugestões que encaixam em seu orçamento. Passe por lá e comece a sonhar sua realidade 2011. A Todeschini fica na Belo Horizonte, 717 no Centro.

Imest

O Imest entrará 2011 de cara nova. A repaginada teve o propósito de garantir mais conforto na utilização de seus serviços. O diretor Marcos Fraga, bom administrador e homem de sucesso, pensou em tudo. “Conheça o Imest e receba os fiscais com a mesma satisfação com que recebe um cliente.” 48

DEZEMbro / 2010

Coleção Arezzo, deslumbrante. 100% couro em ouro, prata, grafite, com a transparência das pedras para você cintilar dos pés à cabeça nas festas de fim de ano. E para as férias, as cores e pedras desse verão nos chinelinhos e tamancos hiper elegantes. Confira. A Arezzo está ampliada para receber você como ela gosta. Com todo conforto.

Lojas Cent’s

Nunca foi tão fácil deixar uma casa bonita, presentear, agradar. Nas lojas Cent’s tem um mundo de utilidades para você escolher e ter uma casa cheia de charme. Neste Natal, decore sua casa com Cent’s e sinta a alegria do clima da estação mais festiva do ano.

Arrazze e Reflexxo

Iriam Pinheiro chegou e se instalou com todo savoir faire nos melhores pontos comerciais de GV. Para dar conta de todo esse empreendedorismo movimentou toda família. Na Arrazze, Barão do Rio Branco, peças e utilitários finérrimos para uma casa. E na Israel, inaugurou a Reflexxo, com griffes poderosas e desejadas. Vale conferir!

Irian Pinheiro, Hudson Faustino e Michelle Pinheiro – uma sociedade para o sucesso

Show room

Sandra Kelly

Hoberg Dutra Leocádio, da Todeschini

A sofisticação natural e o nato talento empreendedor de Sandra Kelly não a deixam parar. Montou em outubro o Espaço da Moda Sandra Kelly, um Show Room com todo bom gosto característico de sua personalidade. E fica bem ao lado do Instituto da Visão, na Rua Arthur Bernardes. Vestiu-me para as férias levou-me a conhecer e realmente fiquei encantada. Confira você também e constate a segurança de comprar com tranquilidade.

Espaço para Festas

O nome Sandra Kelly também está no Espaço para Festas, uma área bem no centro da cidade, Rua Afonso Pena, 2355, com piscina, churrasqueira, freezer e capacidade para até 120 pessoas. Ideal para encontros festivos de família, coquetéis e pequenas recepções. Mais informações e reservas: 3271.3052 – 8863.8691


Foto: Betânia Araújo

Pé Chick Sandálias maravilhosas e exclusivas na nova coleção “Pé Chick Sapatos e Bolsas”. Modelos lindos e confortáveis, representando marcas consagradas, em destaque a luxuosa grife “Claudina”, que lançou para esse Natal e Fim de Ano sandálias rasteiras, plataformas com cores e couros exclusivos a preços especiais. Garanta os seus pares e ande sempre com Pé Chick.

Fim de ano Capel

Os produtos CAPEL estão conquistando as mesas de GV. Com todos os motivos. A linha de queijos, assim como a manteiga, o leite, de excelente qualidade. Um sabor novo, que deixa no paladar o jeitinho marcante de Minas. Experimente. Os produtos Capel vão cativar você também.

Jacqueline Tristão, da Pôpô e Lêlê

Pôpô & Lêlê

Agora na Israel Pinheiro, entre a Barão do Rio Branco e a Avenida Minas Gerais, está a Pôpô & Lêlê. Um lugar que concentra toda arte de fazer a chegada de seu bebê, até a infância, um verdadeiro mundo encantado. Decoração do quarto, desde as lembrancinhas do nascimento às festas de aniversários, produções com todo glamour do artesanal exclusivo. Roupinhas, sapatinhos, álbuns... Para conhecer toda essa sensibilidade há de fazer um tour na Pôpô & Lêlê. Isso mesmo. Um tour, pois a Pôpô e Lêlê merece estar entre as atrações do comércio de GV.

Aviamentos para você brilhar!

49 Rua Peçanha, 380 lj 2 - Centro - (33) 3271-5282

DEZEMbro / 2010


Mais Mais

Ponto de Vista

Salvar pessoas ou garantir a paz mundial Diego Trindade D’Ávila Magalhães

R

ecentemente, uma viúva iraniana de 43 anos foi acusada de adultério e de conspiração para matar o próprio marido, o que motivou a sua condenação à pena de morte, por apedrejamento. Tanto as acusações contra a mulher quanto a sentença seriam diferentes se fosse o caso de um homem. A situação gerou uma polêmica internacional, envolvendo não apenas o tema da discriminação contra mulheres mas, principalmente, o respeito aos Direitos Humanos de modo geral. O tema é muito mais amplo que esse, pois envolve uma pergunta essencial nas relações internacionais: a comunidade internacional deveria intervir em países para proteger pessoas vítimas da infração dos direitos mais caros à humanidade? Preto no branco, discutem-se na mídia e em bares dois pontos de vista. O primeiro é o do “tô nem aí”, “deixa eles se matarem”, ou seja, indiferença. Essa lógica tende a legitimar a violação generalizada de Direitos Humanos, a opressão religiosa ao estilo da inquisição espanhola, a discriminação racial do tipo apartheid sul-africano e o regime escravocrata brasileiro. Quem acha que o Brasil não deveria se envolver em assuntos do exterior despreza o dever moral de cuidar da Humanidade, independentemente de nacionalidades, e ignora o fato de que, direta ou indiretamente, absurdos que ocorrem em outros lugares afetam o Brasil. O segundo ponto de vista é o do “alguém deveria fazer alguma coisa”, “a ONU não serve pra nada”, ou seja, a comunidade internacional tem a responsabilidade de proteger. Mas que países da comunidade internacional agiriam? Como garantir que a ação se limite ao louvável objetivo de garantir o respeito aos Direitos Humanos? Permitir que a comunida50

DEZEMbro / 2010

de internacional se imponha à soberania de países acusados de violar Direitos Humanos é um passe-livre para que Estados, com o seu poder econômico e militar, imponham seus próprios interesses aos Estados mais fracos. A opinião predominante na mídia estadunidense e britânica reflete interesses dessas duas nações, que são justamente as que têm a capacidade de implementar uma grande ação armada nas regiões mais longínquas do planeta. Os Estados Unidos e o Reino Unido tendem a usar do Direito Internacional para legitimar intervenções militares. Apresentando-se como salvadores da pátria, bastiões da liberdade, defendem que a comunidade internacional intervenha em países infratores dos direitos mais caros à Humanidade. Nesse sentido, a opressão de mulheres no mundo árabe seria um pretexto para fazer guerras contra países considerados inimigos pelos Estados poderosos. Na Arábia Saudita – onde mulheres desacompanhadas do pai ou do marido não podem ir sequer comprar pão na padaria da esquina, nem dirigir – a infração de direitos das mulheres talvez seja maior que no Irã. A diferença é que o autoritário regime monárquico saudita é aliado, o governo iraniano, não. Isso revela que a causa dos Direitos Humanos é um pretexto que acoberta o verdadeiro interesse de grandes potências em dominar o Irã. Estranhamente, a mídia brasileira tende a reproduzir o discurso estadunidense e britânico, em vez de reproduzir o interesse brasileiro. Qual o interesse nacional? Tradicionalmente, para a diplomacia brasileira, nas palavras do ex-chanceler San Tiago Dantas (1961-1962), “a intangibilidade dos princípios é a arma defensiva das nações militarmente fracas”.

O Brasil é contra a ideia de que a comunidade internacional tem a responsabilidade de proteger valores e direitos caros à Humanidade. A justificativa é clara: essa lógica fundamenta a ação de Estados fortes contra Estados mais fracos. O Brasil discorda de uma intervenção internacional contra o Irã para garantir Direitos Humanos, do mesmo modo que repudia ações internacionais que, sob o pretexto de proteger um patrimônio comum da Humanidade, visem à internacionalização da Amazônia. A postura brasileira não se encaixa nas perspectivas inicialmente apresentadas. Adota-se o princípio da não indiferença. Sem fechar os olhos diante de infrações aos Direitos Humanos, adota-se uma postura próativa nos assuntos internacionais, o Brasil opina, negocia, participa de decisões. Conforme Celso Amorim, sanções econômicas e militares da comunidade internacional são uma estratégia que leva ao isolamento de um país e não ajuda na promoção de Direitos Humanos. O melhor é insistir em um diálogo franco entre nações. Para Amorim, “o Brasil não é indiferente ao sofrimento daqueles que defendem liberdade de expressão ou de culto, dos que lutam pela democracia, dos que se insurgem contra discriminações de toda natureza”. Lula saiu em defesa da viúva iraniana e ofereceu o Brasil como destino para ela morar. O tema é complexo, pois, de um lado, atribuir à comunidade internacional o dever de aplicar Direitos Humanos pode salvar pessoas, mas não há garantias de que Estados fortes não usem esse pretexto para espalhar guerras pelo mundo. Nesse contexto, parece mais segura e equilibrada a opção brasileira de prezar pela paz entre nações por meio do diálogo e, simultaneamente, fortalecer instituições internacionais (não Estados) que fiscalizam o cumprimento dos Direitos Humanos. Diego Trindade D’Ávila Magalhães Professor da PUC-Goiás. Mestre em Relações Internacionais pela UnB. E-mail: diegotdm@gmail.com


DEZEMbro / 2010

51 Foto: Betânia Araújo


52

DEZEMbro / 2010


Perfil mulher 2010