Page 1

REVISTA CATÓLICA PARA A FAMÍLIA

Quadrinhos:

A presença de Jesus na Eucaristia

JUNHO - 2013

A liturgiaada palavr

Oração:

O Sacramento da Crisma


Sumário 20

12

Lico e a festa de São João

As cidades de Magdala e Nazaré

Para fazer a assinatura da Revista A TURMA, visite o link bit.ly/revistaaturma ou preencha a ficha anexa nesta edição e envie para: Revista A TURMA Rua Lindolfo de Azevedo, 345 Bairro Nova Suíça - CEP: 30460-050 Belo Horizonte - MG FAX: (31) 3319 - 3410 Mais informações: Fones: (31) 3319-3445 ou 3319-3410 revistaaturma@arquidiocesebh.org.br

ASSINATURA ANUAL : R$ 25,00 (10 Números) Preço unitário: R$ 3,00

4

O Sacramento da Confirmação ou da Crisma

5

O Evangelho de Mateus

6

No caminho de Jesus

9

Seria vã a nossa fé?

10

História em Quadrinhos: Lu e Zeca

13

Os Herodianos

14

A juventude e as redes sociais

15

Diversão

Equipe Pe. Edecildo J. Antônio Prado da Silva Prof.ª Maria Helena Menezes Carvalho Prof. Alessandro Marcondes A. Guimarães Pe. Luiz Cezar Antunes da Silva Pe. Vanderci Coelho de Oliveira Prof. Antônio Luiz G. do Nascimento Prof. Emerson Ribeiro Chaves Prof.ª Maria Sílvia Crivellari Bueno Prof.ª Cynthia Cristina Vieira Pires Maria das Graças Ferreira de Araújo Suely Freesz de Lima Ana Cristina Freesz de Lima Irmã Susana do Precioso Sangue Irmã Liza Helena Ramos Reginaldo Aparecido Mesquita (Lico) José Carlos Hott Vera Lúcia de Barros Jacques Felipe Moreira Lopes Ilustração e diagramação Eric Ricardo da Silva Revisão ortográfica Márcia Luzia da Silva Esta Revista é editada por uma equipe do COLÉGIO SANTA MARIA.

www.santamaria.pucminas.br


Editorial

Eric Ricardo

Criança adora diversão! E nós também! Foi pensando em atividades educativas e lúdicas que preparamos esta edição. Além de mais páginas na seção Diversão, você encontrará atividades e passatempos em outras seções também. Afinal, quem não gosta de se divertir?

Você sabia?

Pesquisas científicas apontam que palavras cruzadas e outros exercícios que estimulam a atividade mental (como ler, jogar xadrez, dançar e praticar esportes) melhoram a memória e a atenção. Bíblico Horizonte s, às 19h30, do ba sá os Todos 750 KHz). M

mérica (A na Rádio A

Super Dica! Acompanhe os programas do Padre Edecildo, o Diretor Religioso da Revista A TURMA, na Rádio América e na Rede Minas. Missa D

No terceiro do ominical min às 8h, na Red go do mês, http://www.re e Minas. deminas.tv/


Fique por Dentro

Pe. Luiz Autor do Cezar texto Antunes da Silva

O Sacramento da Confirmação ou Crisma A Confirmação ou Crisma é também um Sacramento de Iniciação Cristã.

O rito deste Sacramento é a unção com o óleo do Crisma, que é abençoado, a cada ano, na Quinta-Feira Santa pelo Bispo Diocesano.

É chamado de Confirmação porque confirma e consolida o Batismo, que na maioria das vezes é celebrado quando se é bebê.

Pela Confirmação ou Crisma, o crismando torna-se membro ativo de sua comunidade de fé e assume sua missão de cristão no meio do mundo.

Este Sacramento só pode ser recebido uma vez por alguém que já foi batizado.

O jovem, ao ser crismado, recebe o dom de Deus, o Espírito Santo. Você sabe qual é o símbolo do Espírito Santo de Deus? Descubra a resposta, cobrindo os pontilhados, e depois faça um lindo colorido!

Prof.ª Cynthia Cristina Vieira Pires

Quem celebra este Sacramento é o Bispo ou, em casos especiais, um presbítero delegado pelo próprio bispo. O crismando é ungido na testa com esta invocação: “Recebe, por este sinal, o Espírito Santo, o dom de Deus.”

4


Fique por Dentro Pe. Luiz Cezar Antunes da Silva

Mateus, ao escrever seu Evangelho, aproveita o texto do Evangelho de Marcos, que, por sua vez, teve informação do Proto-Mateus, da pregação de Pedro e das palavras de Jesus. Mateus era publicano, filho de Alfeu, também chamado de Levi, e foi convocado pelo próprio Jesus para ser seu discípulo. O Evangelho de Mateus foi o único a ser escrito em aramaico, língua dos judeus, e depois traduzido para o grego, mais ou menos no ano 100. É um Evangelho muito esquematizado; ele é lógico, não cronológico, isto é, não segue uma descrição de acordo com a ordem do tempo. O Evangelho de Mateus não é tão dinâmico como os outros Evangelhos. Mateus agrupa as palavras e fatos para mostrar que Jesus é o Messias prometido e o Rei do Reino de Deus. O evangelista expressa-se com palavras tipicamente judaicas: o “Reino dos Céus”, “O Senhor de Israel”, a “Cidade Santa”, o “Lugar Santo”. Ele não fala Jerusalém nem templo, isso porque escreve para os judeus-cristãos; ele olha Jesus como os judeus e escreve para os cristãos entre os judeus. Ele não explica as situações como Marcos o fez, pois supõe que todos conheçam os costumes judaicos. Um exemplo de “conhecimento da lei” encontramos em Mt 19,21. Mateus mostra aos judeus que Cristo é o Messias predito pelo A.T. (Primeiro Testamento). Isso se comprova na genealogia de Cristo, que Mateus remonta aos patriarcas judaicos. A expressão “para que se cumpra” aparece muitas vezes no seu Evangelho. Para ele, Cristo é o novo Moisés, o novo Legislador, o novo Mestre com autoridade divina. O início do Evangelho de Mateus diz: “Jesus Cristo, Filho de Davi, Filho de Abraão”. Ele apresenta Cristo sempre em união com povo judaico. 5


No Caminho de Jesus Irmã Liza Helena Ramos

Liturgia de junho Neste mês de junho, recebemos uma forte ajuda para crescer na fé — desde a história do oficial romano, passando pela mulher que ungiu Jesus com perfumes e lágrimas, até São Pedro e São Paulo: humildade, compaixão, gratidão, coragem na fraqueza. Como é estimulante seguir Jesus acompanhando gente como nós. Ele nos ensina: “Este é o melhor caminho. Vamos por Ele!”. Dia 02/06 10.º Domingo de Tempo Comum Lc 7, 1-10 Fé humilde

Um oficial estrangeiro nos ensina a acreditar de verdade. É um funcionário com muito poder sobre as pessoas ao seu redor. Mas, diante do poder de Deus, ele se reconhece pequeno, limitado. Por isso, confia. Afirma que Jesus nem precisa ir à sua casa para curar seu funcionário, pois o poder de Deus desconhece o limite de tempo e de lugar. Jesus elogia sua fé. Uma fé assim “transporta montanhas!”. Recordamos na Missa essa confiança humilde! “Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e meu servo será curado” (Lc 7,6-7). Queremos aprender com esse oficial, repetindo sua oração, antes de nos alimentar com aquele pequeno e branco Pão, dado por Jesus, que disse: “Quem comer o meu corpo e beber meu sangue terá vida eterna!” (Jo 6,54). Reze, com fé, a oração do oficial de Cafarnaum. Jesus gostará de ouvi-la, repetida por você. E fará crescer sua fé! 6


Dia 23/06 12.º Domingo de Tempo Comum

Lc 7, 36__8,3

Lc 9, 18-24

Compaixão / Inclusão / Confissão

Quem é Jesus?

O fariseu convidou Jesus para jantar. Mas aquela mulher, que era malvista no seu bairro, surpreendeu a todos: obteve a maior admiração de Jesus. Por quê? Ela encontrou um jeito de expressar sua gratidão a Jesus porque Ele a acolheu e lhe perdoou. Jesus passou por cima do preconceito, reconhecendo a fé, o amor daquela mulher. “Tua fé te salvou, vai em paz”, disse a ela (Lc 7, 50). Ainda hoje, o Sacramento da Confissão é, para nós, uma oportunidade para pedir e agradecer o perdão que Deus sempre nos dá. Sim, pois Deus só quer nosso bem! Conhece nossa fraqueza e quer nos dar o perdão por tudo que erramos. Quem não erra?! Vamos, pois, a Ele com toda a confiança! Vamos também deixar de lado o preconceito. Quem é mais?! Quem é melhor?! Não há! Para Deus somos todos os Seus filhos amados. Somos irmãos! Antes de dormir, a cada noite, recorde o dia que termina e peça perdão a Deus com uma palavra confiante, carinhosa, filial. Perdoe também a quem o magoou. Durma nos braços da compaixão amorosa de Deus!

Encontrei no livro de José Antonio Pagola, O caminho aberto por Jesus, a seguinte frase: “Para os primeiros cristãos era muito importante recordar sempre de novo a quem estavam seguindo, como estavam colaborando em seu projeto e por quem estavam arriscando a vida”. Por causa disso é que três evangelistas narraram o diálogo de Jesus com Seus discípulos, relembrado nesse domingo. -“Quem sou eu para você?” Pergunta Ele, ainda hoje, a cada um de nós: a mim, a você, leitor(a) desta revista. Da resposta sincera a essa pergunta depende nossa vida cristã, pois Jesus é, de verdade, o centro da nossa vida, a razão do nosso agir. Faz parte da nossa identidade. Se sou CRISTÃO, sou seguidor Dele, desde o Batismo, sou marcado por Sua vida, proposta, morte e ressurreição. Precisamos responder, a cada dia, a essa pergunta. E Jesus sempre completa a nossa resposta: “Quem me quer seguir, negue-se a si mesmo, carregue sua cruz cada dia e venha comigo” (Lc 9, -23). Com essas palavras, Jesus quer me mostrar que Ele, com Seu projeto, é mais importante do que eu mesmo com meus projetos. Isso porque, como cristão, assumi ser Ele o meu Caminho, minha Verdade, minha Vida! Coloque-se no grupo dos que estavam com Jesus, próximo a Cesareia de Filipe, quando Ele perguntou: “Quem sou eu para vocês?” Responda sinceramente e descobrirá que Ele dá um rumo novo, uma força maior, uma luz mais vibrante à sua vida! Seguir Jesus é sempre escolher a Vida, mesmo que isso lhe custe sua vida pela Vida de Jesus e com Jesus. 7

Título da Seção

Dia 09/06 11.º Domingo de Tempo Comum


Mt 16, 13-19 Missão de Pedro: a unidade da fé

Já sabemos que Simão Pedro foi o porta-voz dos discípulos quando Jesus lhes fez a pergunta: “Quem dizeis que eu sou?” Ele respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo!” (Mt 18,16). Jesus disse que Simão era feliz porque falava movido pela fé. E recordou o sentido do nome que lhe havia dado (Pedro = pedra) para dar-lhe a responsabilidade de ser apoio — firmar a Igreja. Mas Pedro não era tão forte assim: negou o Mestre! E Lucas recorda que Jesus, prevendo a negação de Pedro, disse que havia orado “...para que tua fé não desfaleça. Quando, porém, te converteres, confirma teus irmãos!” (Lc 22, 32). É Pedro o responsável pela Igreja de Jesus para que ela permaneça unida e firme na fé. Essa é a missão do atual sucessor de Pedro, nosso Papa Francisco. Missão difícil! Rezemos por ele!

Somos também animados por saber que, desde o tempo de Pedro até hoje, nossa Igreja conta com homens e mulheres que anunciam, corajosamente, o Evangelho no mundo inteiro. E, junto com São Pedro, celebramos São Paulo, o grande e incansável anunciador de Jesus, contemporâneo de Pedro. No mesmo dia, em Roma, os dois entregaram suas vidas sendo condenados e mortos por anunciarem Jesus como seu único Salvador e Senhor. Pedro e Paulo: homens fracos, mas cristãos fortes, firmes na fé! Podemos seguir-lhes os passos; é o mesmo Jesus que ora por nós e vai à nossa frente, ensinando o caminho! Tenha uma foto do Papa e reze por ele! Tenha coragem de seguir Jesus, viver e falar o que Ele ensinou – como Pedro e Paulo, amigos fiéis de Jesus!

Você acabou de ler a seção “No Caminho de Jesus”. Então, agora, descubra cinco palavras do texto, no diagrama abaixo, e pinte-as com cores diferentes. R C C A Z D N

R D O D A M E

J E M F B I W

C U P A E S O

R N A R F S É

I G I I U Ã T

S A X S S O T

T G Ã E F L H

à V O U U M G

O J E S U S A

Prof.ª Cynthia Cristina Vieira Pires

Título da Seção

Dia 30/06 São Pedro e São Paulo

Pergunte a um adulto qual é o significado das palavras encontradas. 8


Fique por Dentro Suely Freesz de Lima

Seria vã a nossa fé... O versículo 14 da 1.ª Carta aos Coríntios, no capítulo 15 (I Cor 15,14), diz assim: “E se Cristo não ressuscitou, então é vã a nossa pregação e vã também a vossa fé”. O que São Paulo quer dizer é que não haveria a nossa redenção se Jesus tivesse morrido e não tivesse ressuscitado. Ao morrer na cruz, Cristo venceu o pecado e, ao ressuscitar, venceu a morte, consequência do pecado. A ressurreição de Cristo fortalece a nossa fé, porque prova que, somente sendo Filho de Deus, Jesus seria capaz de vencer a morte. E isso fortalece ainda mais a nossa esperança. Não somos membros de um mesmo corpo cuja cabeça é Cristo? Então, se a cabeça ressuscita, o mesmo acontecerá com o corpo. Se Jesus não tivesse ressuscitado, haveria muitas consequências desagradáveis: nossa fé e nossa esperança seriam mentirosas; os Apóstolos seriam falsas testemunhas e a sua pregação seria inútil; nós ainda permaneceríamos nos nossos pecados. Resumindo: nós, cristãos, seríamos dignos de compaixão por termos posto a nossa fé em coisas inexistentes. Mas não é assim! Jesus ressuscitou e, com isso, nos trouxe a vida eterna e junto de Deus, se soubermos vivenciar Seus ensinamentos. Vale a pena ser bom, não é mesmo, meus amigos?

9


Quadrinhos Roteiro: Prof.ÂŞ Maria Helena M. Carvalho Desenho: Eric Ricardo da Silva

10


11

Quadrinhos


Fique por Dentro Prof. Antônio Luiz G. do Nascimento

As cidades de Magdala e Nazaré A pequena cidade de Magdala era um dos povoados que ficava na costa oeste do lago de Tiberíades, capital da Galileia na época de Jesus. A Galileia é um lugar onde muitas línguas são faladas. Na época de Jesus, tinha galileu que falava hebraico, aramaico, grego, latim, fenício. Era chamada de Tariqueia (em grego) ou de Migdal (em aramaico). A pesca era a sua principal atividade econômica. Magdala era um lugar repleto de materiais para construção de navios e redes, além de muitos artesãos. É também o local de nascimento de Maria Madalena. Jesus passou por lá (Mc 8:10). Desaparecida, somente com escavações se descobriram restos dessa cidade. Hoje, é um centro importante de estudos na área da História e da Arqueologia.

Magdala

A cidade de Nazaré está de pé até hoje e é uma das maiores cidades da Palestina moderna, onde a maioria dos habitantes fala a língua árabe ou o hebraico moderno. Nazaré é mencionada pela primeira vez nas narrativas do Evangelho. Vive do comércio e tem intensa atividade ligada ao turismo e a festas e celebrações religiosas. Associa-se à Anunciação, à infância e ao início do ministério de Jesus. Lá se encontram a Basílica da Anunciação, a Igreja do Arcanjo Gabriel (construída acima da fonte conhecida como “O Poço de Maria”), a Igreja-Sinagoga (onde o jovem Jesus recebeu ensinamentos e onde posteriormente leu as profecias do Livro de Isaías) e a Igreja de São José (construída sobre a oficina de José, pai de Jesus). Os israelenses chamam essa cidade de NATZERÉ.

Lago de Genesaré

Tiberíades

Nazaré

12


Fique por Dentro Maria das Graças Ferreira de Araújo

Os Herodianos O grupo conhecido como herodianos era um partido político não religioso, o qual depositava suas esperanças nacionais na figura do Rei Herodes. Com a proposta de servir incondicionalmente a Roma, pregava ao povo a fidelidade a Herodes quanto ao pagamento dos tributos. Os herodianos misturavam as leis judaicas com as romanas, quando julgavam, por exemplo, poder violar a Lei de Moisés para construção de templos de idolatria aos romanos e seus imperadores.

O grupo dos herodianos era: a favor da política do Império Romano da época;

e apoiava Herodes Antipas, tetrarca da Galileia.

simpatizante do rei e de sua dinastia; Jesus e os herodianos O projeto herodiano de anúncio do reino foi um dos mais distantes do Reino de Deus, anunciado por Jesus. Eles pregavam a subserviência ao poder dominador e opressor da época, ao invés do direito à liberdade e dignidade dos filhos de Deus, apresentado por Jesus ao Seu povo. Os herodianos aparecem nos Evangelhos de Mateus (22,16) e Marcos (3,6; 12,13) como aliados dos fariseus em oposição a Jesus. Foram eles quem conspirou a morte de Jesus. O texto bíblico nos mostra, inclusive, que, quando Jesus, ao ser levado diante de Herodes, preferiu silenciar-se, recebeu o desprezo em troca, pois Herodes e toda sua corte caçoaram dele (Lc 23,11). 13


Entrevista Maria das Graças Ferreira de Araújo Pe. Luiz Cezar Antunes da Silva

Ana Paula Maria de Sousa (33 anos, enfermeira) é aluna do curso de Teologia da Arquidiocese de Belo Horizonte.

A TURMA: Afirma-se que o mundo não caminha sem as mídias modernas. Qual é a relação que você tem com as mais variadas mídias? Ana Paula: A relação que tenho com as mídias modernas é tênue, não por falta de oportunidade, mas uma opção minha. Gosto mais das relações tête -a-tête. AT: Das referidas mídias modernas, quais delas você faz mais uso? Por quê? Ana Paula: Faço uso do Facebook. É um aplicativo bem completo, contém espaço para fotos, datas de aniversários, músicas, mensagens, páginas para eventos, jogos, opções para criação de páginas, bate-papo e múltiplos aplicativos, sendo que o mais importante é localizar e relacionar- se com pessoas queridas.

AT: O que elas ensinam para você? Ana Paula: O que mais aprendo é que o mais valioso da vida é cultivar bons relacionamentos, sejam estes de amizade, amor ou de humanidade. Vejo, todos os dias, páginas e mais páginas com tantos “eu te amo”, mas não vejo no cotidiano tanto amor. Sendo assim, o Facebook me ensina que podemos e devemos expressar carinho e amor nas páginas online. Podemos também dar “aquela cutucada” no amigo que há tempo não o vemos e dizer: “Que saudade, cara, eu amo você!”. Se você, neste momento, estiver pensando que não tem tempo, que a vida está muito acelerada, eu lhe digo: você é o senhor do seu tempo, faça- o. AT: Você já teve alguma experiência negativa com mídias modernas? Qual? Ana Paula: Sim. Já tive dados particulares publicados. Senti-me muito vulnerável. AT: Você acha que consegue ficar longe delas? Por quê? Ana Paula: Particularmente sim, eu não sou um exemplo de “pirata da internet”. Não tenho muita paciência para conversar em sites de bate-papo, por exemplo; em pouco tempo sinto uma necessidade de conversar de fato com a pessoa, principalmente se o assunto for polêmico. Também não gosto de, a todo momento, encher a minha página de mensagens e fotografias, não é importante para mim.


Diversão Eric Ricardo

Resposta: a peça rosa.

Qual peça não se encaixa no desenho?

15


Divers達o

SETE ERROS

16


Resposta: braço de Jesus, ponta da lança, ombreira, pé de Jesus, escudo, elmo e cinturão.

17

Diversão

Encontre sete diferenças entre os desenhos.


Diversão

Qual caminho leva Lu e Zeca até a igreja?

2

3

Resposta: caminho 2.

1

18


Diversão

Qual balão não é exatamente igual aos outros? 1 3 2

4 6 5

7

Resposta: balão 4.

8

19


Quadrinhos Reginaldo Mesquita

20


21

Quadrinhos


Oração Em português, inglês e espanhol

Pe. Vanderci Coelho de Oliveira (autor) Prof.ª Maria Silvia Crivellari Bueno (inglês) Prof. Emerson Ribeiro Chaves (espanhol)

Pai do Céu, a Eucaristia é alimento para o meu coração. Nela, experimento todo o Seu amor por mim e me fortaleço para viver o amor no meu dia a dia. Obrigado, Pai, pela presença de Jesus na Eucaristia! Amém!

Dear Heavenly Father, the Eucharist is the food for my heart. In it, I can feel all Your love for me and strengthen myself to live Your love day by day. We thank you, O Lord!, for the real presence of Jesus in the Eucharist! Amen!

Padre nuestro, que está en el cielo, la Eucaristía es alimento para mi corazón. En ella, experimento todo Su amor por mí y me fortalezco para vivir el amor a cada día. ¡Gracias, Padre, por la presencia de Jesús en la Eucaristía! ¡Amén! 22


REVISTA CATÓLICA PARA A FAMÍLIA

A Revista A TURMA é uma publicação da Arquidiocese de Belo Horizonte, de circulação nacional e periodicidade mensal, destinada a ajudar as famílias na formação religiosa de seus filhos, aprofundando o conhecimento da Palavra de Deus. É uma revista recheada de atividades e jogos, histórias em quadrinhos, orações, Liturgia, ensinamentos sobre o Antigo e o Novo Testamento, curiosidades e vários outros temas relacionados à Igreja Católica. Preocupada com a formação humana e cristã de nossas crianças, a Revista A TURMA busca inspirar sempre o Amor a Deus, aos pais, aos amigos e à natureza. Para adquirir um exemplar ou fazer a assinatura, ligue para (31) 3319-3410 ou 3319-3445. Ou escreva para revistaaturma@arquidiocesebh.org.br. Ou visite o link bit.ly/revistaaturma. Assinatura anual: R$25,00 (10 edições)

A TURMA - junho de 2013  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you