Issuu on Google+

Julho 2011

ENERGIA SEM LIMITES

antónio mexia

making of

stefan sagmeister

O presidente do Conselho de Administração Executivo da EDP explica a nova marca

Colaboradores da EDP contam como viveram a mudança da marca

Quem é o criador da nova marca? Entrevista com um dos melhores designers mundiais

16

52

28


humana sustentável inovadora A marca EDP entrou numa nova fase da sua história. Como uma empresa que sempre desempenhou um papel definitivo na indústria da energia, que sempre olhou para trás com orgulho no nosso património. Estamos de parabéns: hoje, dia 1 de Julho, a empresa celebra 35 anos de existência. No entanto, agora olhamos para o futuro e para uma evolução, não apenas do que a nossa marca representa, mas de como é representada. Esta edição especial da revista edpON, também ela completamente renovada, pretende ser uma visão geral e aspiracional para a marca e para todos os colaboradores da nossa EDP.


— 04 —


— 05 —

35 ANOS EDP

CADA VEZ MAIS VIVA E A MARCAR A DIFERENÇA! por Paulo Campos Costa Diretor de Marca e Comunicação

Theodore Levitt, um dia, disse: “A criatividade consiste em imaginar coisas novas. A inovação consiste em fazer coisas novas”. Algumas companhias têm medo de cortar com o passado, de viver o presente tal como ele é, de pensar o futuro, de criar e inovar. Mas no mundo atual, com os paradigmas em constante mutação, a procura na excelência e diferenciação é constante. Todos sabemos que a melhor forma de ter uma boa ideia é ter muitas ideias. Não se pode ter receio de encontrar novas ideias. É preciso sair da caixa. Quando uma marca faz 35 anos de existência, como é o caso da EDP, sabe bem qual é a sua identidade, sabe que é diferente, sabe que as pessoas acreditam nela. Nos dias que correm, uma marca diferencia-se ou tem tendência para desaparecer. As perceções no mundo atual são vivas, dinâmicas, em constante mutação. As marcas que crescem, que se internacionalizam e que tocam as pessoas no seu dia a dia têm que acompanhar esta nova dinâmica evolutiva. É esse o caminho que a EDP está a fazer. Uma mudança de marca que não é mais do que um passo na sua evolução, porque não vemos as coisas apenas como elas são, mas vemo-las como nós somos: uma empresa humana, inovadora e sustentável que olha para o futuro porque está a ajudar a criá-lo. Hoje, estamos presentes em 13 países e mais de 60% do nosso EBITDA já é gerado fora de Portugal. Estamos, por isso, diferentes, maiores, mais fortes e com novas dinâmicas. Nesta nova realidade em que vivemos, muito mais enérgica, os logótipos têm de ser vivos, dinâmicos e interagir com as pessoas. Tudo está em movimento. A imprensa tem vindo a ser substituída pela internet, pelos eventos ao vivo e pelos novos media. Com a instituição das redes sociais, uma marca deixou de ser o que os responsáveis dizem sobre ela. Uma marca é o que as pessoas pensam sobre ela. A marca já não pertence apenas à empresa… pertence também ao conjunto dos seus stakeholders. É fundamental ter no seu ADN elementos base que lhe deem personalidade. Elementos distintivos da concorrência. A marca tem de contar histórias. Tem de superar expetativas, de ser carismática e de apaixonar. Uma marca viva é como uma peça sem fim e, aqui, também, todas as pessoas da empresa têm um papel a desempenhar. Nesse sentido, a EDP não tem um novo logótipo: tem antes vários logótipos. A partir de agora, temos um mundo de emoções para oferecer. A assinatura, que permanece “viva a nossa energia”, ganha maior significado através das múltiplas formas a que a nossa marca dá vida. Nesta edição especial vai saber mais sobre o que estivemos a preparar nos últimos tempos. O resultado de um trabalho que teve tanto de árduo, como de estimulante e gratificante. Estamos orgulhosos. E certos de que cada um de vocês também irá ficar. A partir de hoje é esta a marca que vai fazer parte das nossas vidas. Da minha, da sua, de todos nós.


— 6 —

julho 2011

Esta edição especial, que tem em mãos, representa uma nova etapa no Grupo EDP. A partir de hoje, a empresa tem uma nova cara. Mais dinâmica, inovadora e surpreendente. Descubra todos os segredos daquela que é a sua marca!

04 EDITORIAL Paulo Campos Costa, diretor da Direção de Marca e Comunicação do Grupo EDP escreve sobre a nova marca.

24

27

EVOLUÇÃO DA MARCA A marca EDP sofreu várias alterações ao longo do tempo. Recordamos a evolução das várias logomarcas.

16

21

ANTÓNIO MEXIA Entrevista ao presidente do Conselho de Administração Executivo do Grupo EDP.

Editora Península Press SL / Rua dos Correeiros 120, 4º esq / 1100-168 Lisboa Administrador Executivo Stella klauhs info@peninsula-press.com redação eduardo marino (editor), joana peres (redatora) arte marta conceição, ANdré Noivo fotografia hugo gamboa, joão reis e adelino oliveira, revisão ana godinho coordenação EDP margarida glória | Projeto Gráfico Mola Ativism | Distribuição gratuita Portugal – 23.000 exemplares; Espanha – 2.000 exemplares; Brasil – 2.500 exemplares; Renew – 500 exemplares Lisgráfica - Impressão e Artes Gráficas, Rua Consiglieri Pedroso, nº 90, Casal de Sta. Leopoldina, 2730-053 Barcarena - Portugal Telf. +351 21 434 54 00; Fax. +351 21 436 01 83 Isenta de registo na E.R.C., ao abrigo do decreto regulamentar 8/6, artigo 12º nº1-a Esta publicação foi escrita ao abrigo do novo acordo ortográfico


— 7 —

28

33

STEFAN SAGMEISTER Entrevista ao diretor criativo da nova marca EDP.

34

39

CAMPANHA DA MARCA Cinema, televisão, rádio, imprensa, outdoors, internet... a campanha da nova marca vai conquistar tudo e todos!

40

47

APLICAÇÕES DA MARCA Descubra o que vai mudar nos meios de comunicação interna do Grupo EDP.

48

57

MAKING OF Todas as etapas e as opiniões dos colaboradores envolvidos na mudança da marca.


— 9 —

A NOVA CARA DA EDP É A SUA Quatro figuras geométricas que podem desdobrar-se em sete formas principais. O lettering é o mesmo, mas o fundo ganha vidas diferentes. A nova cara da EDP não podia ser mais dinâmica e global.

Esta é uma das sete imagens da holding, comum às geografias Portugal, Espanha e Brasil. O lettering EDP é constante, mas o símbolo que está por detrás da marca pode ser transformado em mais seis formas básicas

A génese da nova marca assenta em formas tão simples como o quadrado, o triângulo, a circunferência e o semicírculo. Quatro figuras geométricas que se desdobram em inúmeras formas, criando um mundo inesgotável de possibilidades de comunicar através de uma linguagem gráfica. A nova marca EDP conta histórias, aponta caminhos, clarifica conceitos e negócios, comunica de forma clara, envolve pessoas, aproxima países, projeta valores, sustenta causas, transmite emoções e inova todos os dias. Uma marca que cria uma imagem global para todas as geografias onde a empresa está presente e que acompanha a estratégia de evolução e internacionalização do Grupo. Agora, a marca é só uma para todas as empresas do Grupo. A marca é EDP e o símbolo que está por detrás da marca representa o dinamismo e inovação de uma empresa que já é uma multinacional, presente em mais de 13 países. Uma marca global com um símbolo único e igual em todo o mundo. Afinal, as marcas de sucesso são aquelas que conseguem gerir, eficazmente, a sua imagem para que qualquer pessoa compreenda

A nova marca EDP consegue ser percetível em qualquer parte do mundo, independentemente do idioma e da cultura de forma clara os seus valores. E com esta marca a EDP transmite, claramente, aquilo que é, o que sente e o que faz! Na EDP, os valores principais são claros: Humanização, Sustentabilidade e Inovação. Características verdadeiras que permanecem intemporais, independentemente de inovações do produto e serviços ou mudanças estratégicas. A nova marca fala disso mesmo, de forma clara, transparente e inovadora. Uma marca que consegue ser percetível em qualquer parte do mundo, independentemente do idioma e da cultura. Uma marca em constante movimento…


— 10 —

Além da logomarca, em destaque na página anterior, existem outras seis principais que devem ser utilizadas frequentemente e de forma alternada. O denominador comum é sempre o nome EDP. As combinações do monograma são as que se seguem...

UM MUNDO DE LOGOMARCAS

Tanto a EDP como a nova marca são dinâmicas e, em vez de uma logomarca, a EDP conta agora com sete logomarcas que podem ser usadas alternadamente. Através do círculo, quadrado, triângulo e do semicírculo, é possível combinar inumeráveis e diferentes formas de gerar composições que formam o pano de fundo para o monograma, que se mantém em todas elas. Ou seja, o nome EDP está sempre presente e é denominador comum em todos os logos da EDP. Nenhuma destas logomarcas está vinculada a uma área específica da empresa, agora o Grupo é global. Estas logomarcas devem ser utilizadas frequentemente, em todas as geografias Portugal, Espanha e Brasil.

Formas circulares e semicirculares dominam as sete logomarcas principais do novo universo EDP. Os arranjos são dinâmicos e podem ser apresentados em qualquer área do Grupo.


— 11 —

Renováveis O verde da marca anterior desaparece e é substituído pelo encarnado, a cor que se impõe agora em todas as empresas do Grupo, sem exceção. O território das empresas do setor energético está ocupado com as cores azul, verde e laranja. A cor encarnada tem sido, nos últimos sete anos, um dos elementos que a empresa conseguiu capitalizar desde o último rebranding, em 2004. É uma cor forte, que traz valor para a marca. A EDP Renováveis passa a ter a mesma marca global, com um símbolo único e igual em todo o mundo. Assim se reforça a imagem e a coerência da marca. O indicador "Renewables" será exclusivo para o mercado internacional, enquanto "Renováveis" se destina a Portugal e Espanha. A Renováveis pode também utilizar as outras variações da marca.

Em Espanha... Em Espanha, pela primeira vez na vida do Grupo, o nome EDP fará parte da marca. Naturgas Energía, presente no negócio do gás, e HC Energía, presente no negócio de eletricidade, não deixarão de ter a mesma identidade, só que sempre acompanhadas pela nova logomarca EDP, que poderá ter como fundo qualquer uma das variações.


— 12 —

serviço universal

ón

gás

serviço universal

gás

Fundações Tal como todas as empresas do Grupo, também as várias Fundações foram alvo de rebranding. Terão o mesmo logo, independentemente do país a que pertencem. A única diferença está no nome. Em Portugal vem associada a palavra "fundação"; em Espanha, "fundación hc energía"; e no Brasil será "instituto". Mas são todos unidos pela mesma marca: EDP!

instituto

Exclusivos Reguladas As empresas reguladas do Grupo EDP - EDP Distribuição, EDP Serviço Universal, EDP Gás Distribuição e EDP Gás Serviço Universal - também respondem pela cor encarnada, sendo comum a marca EDP, seguida da respetiva denominação da empresa. Estas marcas são fixas, respondendo às recomendações da Regulação. É das raras exceções em que não funcionarão as sete logomarcas.


— 13 —

Humana. Inovadora. Sustentável. São estes os pilares da EDP. E da nova marca. Os nossos compromissos são traduzidos nas novas imagens: Trabalhamos para as pessoas e as suas comunidades, com uma atitude responsável pelo meio ambiente e fortemente empenhados em inovar. O futuro passa, inevitavelmente, por estes três eixos.

Uma marca de valores intemporais… HUMANA Acima de tudo somos uma marca construída e ligada por pessoas. Para sermos fiéis aos nossos clientes, parceiros e comunidades que servimos, a EDP é uma marca transparente e aberta, que está profundamente comprometida com as necessidades individuais e a trabalhar para a sociedade e para o bem-estar.

SUSTENTÁVEL A EDP está fortemente empenhada na criação de valor e num ambiente sustentável. Esta é uma companhia que

INOVADORA

reconhece que o futuro pertence

A EDP está fortemente

a todos aqueles que adotam uma

empenhada neste

perspetiva de respeito para com

compromisso. A nossa

o planeta, assim como a todos

marca é a excelência

os que ajudam a comunidade a

orientada e dedicada à

adotar essa mesma postura. Por

inovação contínua a todos

isso, investimos na sociedade

os níveis da empresa. A

e na cultura. Ao nível do

EDP esforça-se por ter um

apoio social, apostamos em

diálogo construtivo, criativo,

causas nas quais acreditamos

assente na excelência e

profundamente, como o combate

nas soluções e tecnologias

à pobreza ou a educação infantil.

focadas no futuro.

Ao nível cultural, prestamos assistência a instituições públicas e culturais.


— 14 —

+ O tom da comunicação A “voz” da marca tem como objetivo transmitir os seus valores. Por isso, o tom da nossa comunicação tem de ser bem definido. O tom funciona a par com a nossa identidade – são um todo. A voz expande as nossas bases visuais e tem que ser ouvida e entendida pelos nossos clientes, parceiros e pela própria companhia. E tem de ser clara, consciente, aberta, conhecedora, sociável e pragmática.

Conhecedora, aberta, clara, consciente, sociável e pragmática. A comunicação da EDP tem de ter o tom certo para chegar a todos da melhor forma. As imagens ao lado representam as caraterísticas fundamentais daquela que é a nossa "voz".

O mundo é feito de diversidade. A nova marca EDP também. Ícones de várias formas e feitios podem ajudar a contar uma história. É o que o Grupo quer transmitir: há uma linguagem universal para que todos, independentemente de cada geografia, se possam entender. Com a mesma voz, para uma comunicação universal e eficaz.


— 15 —

Uma marca que comunica A nova marca EDP é extremamente expressiva. Passa mensagens através de narrativas visuais e atraentes que servem para comunicar o que somos, o que fazemos e o que é importante. Através de um mundo iconográfico, a EDP fala com os clientes, colaboradores e stakeholders de qualquer parte do mundo. A marca também mantém uma ampla biblioteca de arte iconográfica. Estes ícones podem assumir a forma de ideias abstratas, objetos, produtos, informações e, até mesmo, animais. Quando usadas em aplicações, todas elas ajudam a contar uma história ou a passar uma mensagem.


— 16 —


— 17 —

À CONVERSA COM

ANTÓNIO MEXIA Numa empresa líder e global, em forte crescimento, tornava-se imperiosa a evolução para uma nova marca. Nesta entrevista, o presidente do Conselho de Administração Executivo explica porque o “smile” desapareceu para dar lugar a uma imagem mais flexível, aberta e inovadora.

Porquê um rebranding do Grupo EDP nesta altura? Foi uma decisão difícil? Foi uma decisão que se impôs naturalmente. Todas as marcas têm um ciclo de vida e consideramos que o anterior logo, o “sorriso”, já não representa a nova realidade da EDP e do mercado. O processo de internacionalização da companhia veio ainda reforçar o caráter não distintivo do “smile”, símbolo relativamente comum em diversos produtos e geografias, o que, aliás, trouxe também problemas de registo de marca e custos acrescidos. Em última instância, não permitia à EDP projetar uma imagem de empresa líder e global.


— 18 —

Mais do que uma marca, é uma nova linguagem: clara, inclusiva e abrangente, permitindo inúmeras possibilidades e conversões

A mudança visual das marcas está normalmente associada a mudanças estratégicas das organizações. O que aconteceu com a EDP? A mudança da marca da EDP deve-se, objetivamente, a uma evolução natural resultante do forte crescimento da EDP nos últimos anos. A EDP é, hoje, uma empresa global com presença em 13 países e com mais de 60% dos seus resultados operacionais a serem gerados fora de Portugal. Aliás, historicamente, em 1978, 1993 e 2004, a evolução da marca derivou de uma dinâmica resultante da própria evolução do negócio. As marcas têm que se ajustar ao perfil das companhias, e, hoje, o ADN da EDP mudou de uma empresa cuja atividade assentava quase exclusivamente em Portugal, para

uma empresa de cariz multinacional. Paralelamente, a EDP foi confrontada com um processo interposto por uma empresa cuja logomarca era em tudo idêntica à da EDP e que já existia quando a companhia criou a sua em 2004. Não faria sentido para a EDP manter esta situação indeterminada, apostando numa marca não estabilizada.

Pode revelar qual o investimento envolvido? O planeamento desta questão permitiu que todo o processo de implementação da nova marca se tornasse apenas incremental face a um plano base. A esmagadora maioria dos investimentos é de natureza recorrente, tal como lojas e comunicação, e estes teriam

sido realizados, neste momento, independentemente desta decisão.

O que significa esta nova marca? A nova marca é flexível, aberta e inovadora, traduzindo os valores da EDP. É mais do que uma marca. É uma nova linguagem. Clara, inclusiva e abrangente, permitindo ser um verdadeiro suporte de uma narrativa, não só em termos da sua forma, mas, também, concetualmente nas suas inúmeras possibilidades e conversões numa linguagem iconográfica.

Na sua opinião, qual será a reação dos colaboradores à nova imagem? Acredito que os colaboradores se vão identificar com a nova


— 19 —


— 20 —

“Trata-se de tornar a EDP, atualmente presente em 13 países, numa marca global e com um símbolo único e igual em todo o mundo, reforçando a imagem e a sua coerência. O facto de termos encarnado no nosso logótipo não faz de nós uma empresa menos 'verde'”

imagem, que não é uma rutura, mas uma evolução. Esperamos a mesma reação dos nossos clientes. Esta nova identidade aproxima a empresa das pessoas, cria uma imagem global para todos os mercados e geografias onde estamos presentes, acompanha a evolução em termos de novos produtos e serviços e também da referida internacionalização da empresa. Desta forma, cria valor para a empresa, para os seus acionistas, mas, também, para todos os stakeholders.

Qual é verdadeiramente o logótipo da EDP? Há tantos símbolos diferentes… Agora a marca é o nome “EDP” e o símbolo que está por detrás da marca representa o dinamismo e inovação desta empresa global. O nome EDP está sempre presente, sendo o denominador comum em todos os logos.

Porquê a continuidade no vermelho? A escolha do vermelho, efetuada em 2004, foi acertada. O território das empresas do setor energético está ocupado com as cores azul, verde e laranja. A cor encarnada, tem sido, nos últimos sete anos, um dos elementos que conseguimos capitalizar desde o último rebranding. É uma cor que traz valor para a marca.

A própria EDP Renováveis passou do verde para o encarnado. O verde não representa melhor as energias renováveis? Esta ideia está, hoje, ultrapassada. Trata-se de tornar a EDP, atualmente presente em 13 países, numa marca global e com um símbolo único e igual em todo o mundo, reforçando a imagem e a sua coerência. O facto de termos encarnado no nosso logótipo não faz de nós uma empresa “menos verde”.

Quais os valores da nova marca EDP? A partir de um conjunto de vários valores, decidiu-se focar em três mais abrangentes e que incluem muitos dos outros - uma empresa humana, que aposta na inovação e na sustentabilidade. Colocando futuro no nosso presente.

Não será menos unificador para uma marca que pretende ser global ter vários logos? Não. O core do logo é o nome “EDP”, independentemente do símbolo a que esteja associado. As variações e a nova linguagem, já referida,

tornam a marca mais distintiva e permitem uma comunicação mais diversificada, assente numa plataforma que aumenta a unidade.

Acha que as pessoas vão reconhecer o logótipo? Não pretendemos que o nosso cliente decore ou consiga desenhar o nosso novo logótipo. Queremos, sim, que olhe para qualquer um dos símbolos que comunicam a marca EDP e que consiga identificar-se com este universo e com os valores que queremos partilhar. Criámos um sistema coerente com a referida narrativa de um mundo em mudança e do nosso importante papel nessa dinâmica de criação de mais oportunidades para todos.

Porque é que mantiveram o nome EDP? Nunca nos passou pela cabeça mudar o nome da companhia. O maior ativo neste domínio é justamente o nome “EDP”, reconhecido em Portugal e no mundo, traduzindo hoje liderança, capacidade de antecipação e execução no referido contexto de mudança positiva.


— 21 —


A NOSSA ASSINATURA

Tal como os valores da empresa, a assinatura do Grupo também se mantém. Viva a Nossa Energia traduz o posicionamento da marca e a relação da EDP com os clientes. A assinatura centra-se no cliente dando-lhe um papel mais ativo e consciente no setor da energia, seja na adoção de práticas com menor impacto ambiental ou pela crescente tendência do consumidor-produtor. A EDP não está com os clientes apenas nos serviços que presta, mas também através da sua política, que se tem traduzido em apoio e criação de iniciativas para a comunidade, em várias áreas e para diferentes públicos. A assinatura conhece algumas variações de acordo com a geografia ou área de negócio. Assim, no Brasil, temos "uma boa energia", a HC Energía e a Naturgas usarão "vive nuestra energía" e as Renováveis o seu "powered by nature".


— 24 —

VIAGEM NO TEMPO /2011

1978

A EDP evoluiu... e a marca também! Relembre os vários rostos daquela que é, atualmente, considerada a marca mais valiosa de Portugal e a 280ª do mundo.

A primeira marca EDP nasceu em 1978 com a denominação de EDP Electricidade de Portugal/Empresa Pública, sendo a sua identidade visual associado ao “E”, referente ao negócio da Eletricidade. Tratava-se de uma marca, pura e dura, de negócio.

1978

+ Uma marca que acompanha os tempos A EDP foi criada em 1976, após a fusão de 13 empresas que tinham sido nacionalizadas no ano anterior. Três décadas depois, a empresa cresceu, conquistou mercados, alargou a atividade, expandiu negócios, mudou culturas. Inevitavelmente, a marca acompanhou todas estas mudanças. O objetivo é tornar o nome EDP reconhecível em qualquer parte do mundo.

1993 Em 1991, a empresa muda a sua identidade jurídica e passa de Entidade Pública a Sociedade Anónima. A mudança visual acontece em 1993 e aqui a rutura foi total face à antiga marca. Associado ao conceito de mudança e dinamismo, o símbolo estilizado da corrente representava as três áreas de atividade da empresa: produção, transporte e distribuição de energia. Apesar do dinamismo, para a altura, a verdade é que a marca não chegou aos clientes, pois era vista como “cara”, “abusiva” e “distante”.


— 25 —

Para reverter a imagem de empresa pouco orientada para o cliente e que não comunicava com eficácia os produtos e serviços disponíveis, o Grupo desenvolveu, em 2003, o conceito central do que seria a nova marca: Proximidade! A EDP queria estar próxima dos clientes e stakeholders. Falar a linguagem dos clientes. Mostrar que era uma empresa aberta, transparente e honesta. Que tinha um preço justo e um serviço fiável. E que queria estar disponível para servir, ouvir, aconselhar, alertar e partilhar causas comuns. O caminho estava traçado e, em 2004, dá-se o grande rebranding

e reposicionamento da EDP. A nova identidade materializou um sorriso próximo e simples, de forma a transmitir uma EDP mais transparente, simples, que ambiciona uma maior proximidade com os seus stakeholders. O encarnado simboliza a Paixão, Diferenciação, Emoção e Calor. Os valores da marca estavam bem patentes: conforto, simplicidade e responsabilidade social. Mas além de uma marca completamente diferente, a EDP alterou também a sua assinatura. De “Electricidade de Portugal”, passa a identificar-se por “Energias de Portugal”, uma vez que o seu negócio já abrangia outras atividades no setor da energia.

2004

A EDP ocupa o 280º lugar no ranking das marcas mais valiosas do mundo. De acordo com o estudo da consultora "Brand Finance", divulgado em março de 2011, a empresa vale cerca de 2.775 milhões de euros, tendo inclusivamente ficado um lugar acima do valor da marca Facebook.


— 26 —

Mas os paradigmas vão-se alterando e a empresa vai-se ajustando. Foi aquilo que aconteceu após a liberalização do mercado doméstico do setor elétrico em Portugal, em 2006, que levou a EDP a reclamar para si uma relação ainda mais transparente com os clientes e um novo posicionamento, traduzido numa nova assinatura

2006

“Sinta a nossa energia” e numa nova plástica tridimensional, com maior impacto visual e tornando-se mais flexível e adaptável a ambientes audiovisuais e virtuais. Uma mudança no sentido de tornar a marca mais concordante, face ao valor da identidade, e de lhe acrescentar visão de futuro.

2009

Em 2009, a assinatura sofre uma mudança evolutiva passando de “Sinta a nossa Energia” para “Viva a nossa Energia”. É o reflexo de uma marca não só mais próxima das pessoas, mas sobretudo, mais dinâmica, inovadora e entusiasta, que traduz a visão de um consumidor com um papel cada vez mais ativo e consciente no setor da energia. Um convite ao envolvimento e à experiência e homenagem à vida e à energia humana.


— 27 —

A marca EDP entrou numa nova fase da sua história. Na essência, são três os valores principais que quer transmitir: humana, sustentável e inovadora. Estas são caraterísticas intemporais e universais, independentemente das inovações de produto ou das

2011

mudanças competitivas. Como empresa dinâmica na vanguarda da área energética, a EDP tem agora uma marca que representa essa agilidade. Foi criado um sistema moderno, flexível e adaptável que dá à marca o ritmo das transformações que ocorrem dentro do próprio Grupo.


— 28 —


— 29 —

À CONVERSA COM...

STEFAN

SAGMEISTER O objetivo foi visualizar a energia - da empresa e das suas pessoas. A nova identidade é flexível, aberta e inovadora. eis a EDP, de acordo com o mestre mundial do design, responsável pela nova marca do grupo

Como foi criada a nova identidade da EDP? A nova identidade da EDP foi criada recorrendo a quatro formas fundamentais: um círculo, um semicírculo, um quadrado e um triângulo. Essas quatro formas foram combinadas e sobrepostas para criar os 85 logótipos exclusivos da EDP, resultando numa identidade modular transparente, inovadora e personalizada, que pode evoluir ao longo do tempo, tal como a marca EDP. A linguagem gráfica em si inclui centenas de ilustrações representativas que podem ser combinadas para contar histórias mais complexas. O anúncio recorre a essa linguagem para introduzir a nova identidade da EDP, destacar os impressionantes números da EDP em termos de energias renováveis e divulgar o compromisso da EDP para com as pessoas.

Cris Cassady

Consegue descrever a nova identidade da EDP utilizando apenas três adjetivos? Sem problemas: Flexível, aberta e inovadora. O seu sistema é claramente flexível, consegue adotar todas as formas e formatos diferentes e, ao mesmo tempo, expressar-se claramente num único idioma. É aberta e transparente,


— 30 —

não apenas na estratificação formal das camadas luminosas, mas também conceptualmente, nas suas possibilidades ilimitadas e conversão para uma linguagem de design completo. É inovadora, ao evitar a aprovação sistemática de todos os seus materiais. Reflete os valores da EDP de personalizar sempre as suas soluções.

Estou sempre mais orgulhoso do nosso trabalho mais recente. Neste momento, é a identidade da EDP

Como foi o processo criativo? Foi necessário muito brainstorming ou foi intuitivo? Todos nós trabalhámos muito para obter este resultado, e todas as fases do projeto exigiram a nossa atenção, paixão e energia. O objetivo era visualizar a energia - o principal produto da EDP e, simultaneamente, captar a energia da empresa e dos seus colaboradores.

Como filmaram o anúncio? Os elementos ilustrativos foram criados em Adobe Illustrator e transpostos para After Effects, a principal ferramenta utilizada neste projeto para criar a animação. O design aparentemente simples foi concretizado através de um fluxo de uma aparente simplicidade.

+

Foi necessário um intenso trabalho de scripting por parte da Brand New School para criar um comportamento animado do sistema geométrico criado pela Sagmeister Inc. A correção final da cor foi efetuada em Autodesk Flame. Era importante que as cores correspondessem precisamente ao que foi criado para outras áreas da campanha.

Quantos dias demorou até ter o anúncio terminado? Demorou mais de dois meses para a fase inicial de conceção e de ilustração. A animação levou mais de um mês para ficar concluída.

Foi um grande desafio? Sim. Todos nós trabalhámos bastante, mas ninguém trabalhou mais, durante mais tempo e mais intensamente do que a designer Jessica Walsh. Ela esteve envolvida desde os briefings iniciais de conceção e implementação.

Como descreveria a EDP? Estou muito impressionado com a empresa. Quando ouço as notícias aqui nos EUA e ouço Obama dizer que a sua meta é produzir, em 2020, 20% de toda a energia através de fontes de energia renováveis, deixa-me bastante orgulhoso estar envolvido com uma empresa que, hoje em dia, produz mais de 60% em energias renováveis.

Pessoas envolvidas na campanha:

Nome do produtor:

Brand New School

Brand New School

Diretor Criativo Executivo: Jonathan Notaro

Nome do realizador:

Diretor Artístico: Chris Palazzo

Sagmeister Inc. & Brand New School

Produtor Executivo: Devin Brook Produtor Sénior: Derek Macleod

Sagmeister Inc

Designers: Steven Kelleher, Phil Intralligi

Director Artístico: Stefan Sagmeister

Animadores: Robin Greenwood, TBD

Designer: Jessica Walsh

Composição/2D: TBD

Diz que não gosta de clientes desorganizados. Como foi trabalhar com a EDP? Um verdadeiro prazer. A EDP tem uma liderança clara e forte, que torna o nosso trabalho muito mais fácil (já houve projetos promissores que não vingaram porque havia muita gente a decidir).


— 31 —

“Estou muito impressionado com a EDP. E orgulhoso por estar envolvido com uma empresa que produz mais de 60% em energias renováveis”

É muito seletivo com os seus clientes. Por que aceitou o desafio da EDP? Porque a EDP fornece produtos e serviços de muito valor. Porque eu acho que o design pode realmente ajudar este serviço a melhorar. Porque são boas pessoas. Porque tinham um prazo e orçamento razoáveis.

Expressou a sua personalidade neste trabalho? O nosso trabalho era captar a personalidade da EDP, não a minha.

Foi o primeiro cliente português que teve? Não, criámos a identidade para um cliente cultural, a Casa da Música, no Porto, há alguns anos. Esta foi também uma relação muito agradável e sinto-me, ainda, bastante orgulhoso do trabalho que fizemos com a equipa da Casa da Música.

O que é que mais o inspira? Uma das minhas fontes de inspiração mais frequentes é um

quarto de hotel recém-ocupado. Acho que é fácil trabalhar num local longe do estúdio, onde os pensamentos sobre a execução de uma ideia não vêm imediatamente à ideia, mas posso sonhar um pouco mais livremente.

De que trabalho se orgulha mais? Estou sempre mais orgulhoso do nosso trabalho mais recente. Neste momento, é a identidade da EDP.

Quais são os seus passatempos? Sente-se mais como um artista ou um empresário? Sinto-me como um designer. A grande diferença entre o design e a arte é que o primeiro precisa de funcionar, precisa de ser bem sucedido. A arte pode apenas existir, e não tem, necessariamente, de fazer nada. As peças que criamos têm de funcionar.

Por que acha necessário tirar uma licença sabática a cada sete anos de trabalho? Há sempre tantas coisas para as quais nunca parece haver tempo suficiente enquanto o estúdio trabalha a toda a velocidade. As licenças sabáticas asseguram que eu continuo a ver o meu trabalho como uma vocação e não como um trabalho de rotina.

Eu gosto muito do trabalho que faço, e consigo equilibrá-lo, por isso não sinto uma grande necessidade de um passatempo real para encontrar equilíbrio. É claro que estou envolvido em todas as atividades habituais, como a leitura, encontrar-me com amigos para jantar e ir a concertos e ao teatro, mas não tenho um passatempo propriamente dito.

Conhece Portugal? Quais são suas impressões sobre o país? Visitei várias vezes Lisboa e Porto e diverti-me muito nas duas cidades. As possibilidades culturais, a combinação harmoniosa entre tradição e inovação e a pura beleza física dos lugares são difíceis de não adorar. Estou menos familiarizado com as cidades mais pequenas e com o interior, mas espero corrigir isso num futuro muito próximo.

A EDP tem uma liderança clara e forte, que torna o nosso trabalho muito mais fácil


— 32 —

Sagmeister iniciou a sua carreira de designer aos 15 anos. Hoje, é considerado um dos melhores do mundo.

P E R F I L

Stefan Sagmeister

a exposições em

Sagmeister recebeu

momentos de que

nasceu em 1962, na

Zurique, Viena, Berlim,

um Grammy, em

mais gosta.

Áustria e começou

Nova Iorque, Osaka,

2005, na categoria

a sua carreira de

Praga, Colónia e

de Direção de Arte

designer aos 15

Seoul.

para Melhor Caixa

anos de idade,

ou Edição Limitada

“Tentem ser boas

numa revista juvenil

Especial com o álbum

pessoas e trabalhem

austríaca.

"Once in a Lifetime",

muito”, é o conselho

Em cada sete anos,

dos Talking Heads.

que costuma dar aos

Stefan tira um ano

Em 2010, recebeu

jovens que se estão

sabático, período

outro Grammy na

a iniciar no mundo do

Estudou design

durante o qual não

mesma categoria

trabalho. Em relação

gráfico na

aceita qualquer tipo

pelo seu trabalho

ao futuro, diz: “A

Universidade de

de proposta, por

com o álbum de Brian

Humanidade adapta-

Artes Aplicadas

muito tentadora que

Eno, “Everything That

-se a todos os tipos

de Viena, tendo

seja.

Happens Will Happen

de situação, e esta é

Today”.

uma boa época para

conseguido uma

se estar vivo”.

bolsa de estudo para o Pratt Institute, em Nova Iorque.

Num destes períodos de retiro,

Sagmeister ganhou,

chegou a declinar

em 2005, o Prémio

Tem dois livros

uma proposta para

de Comunicação

publicados: “Made

Depois de ter

desenhar um poster

do Cooper-Hewitt

you Look” e “Things I

passado por

para a campanha

National Museum.

Have Learned in My

empresas de design

presidencial de

como a Leo Burnett

Barack Obama.

Life so Far”.

de Hong Kong ou Ser designer nunca

a Tibor Kalman’s

foi um sonho de

Algumas coisas que

a conhecida revista

Desenhou as capas

criança… percebeu

Sagmeister aprendeu:

Colors, para o Grupo

de álbuns de artistas

que queria seguir

“Ao ajudar outras

Benetton, em Roma.

como The Rolling

este caminho,

pessoas, estou a

Stones, Lou Reed,

quando tinha 15

ajudar-me a mim

OK Go, David Byrne,

anos.

próprio”; “Pensar que

M&Co, decidiu editar

Lançou, em 1993, a

Aerosmith ou Pat

a vida no futuro será

Metheny.

melhor é estupidez. Tenho de viver no

sua própria empresa de design gráfico:

95% da roupa que

agora”; “O dinheiro

a Sagmeister, Inc.,

veste é desenhada

não me faz feliz”;

situada em Nova

Outros clientes

pela namorada ou

“Preocuparmo-

Iorque.

famosos de

comprada na loja do

-nos não resolve

Sagmeister

irmão.

nada”; “Não adianta

foram empresas

queixarmo-nos.

como a HBO,

Ou agimos ou esquecemos”; “Toda a

Os trabalhos da

o Museu

Sagmeister, Inc.

Guggenheim e o

O início da manhã e

gente que é honesta

já tiveram direito

Grupo Time Warner.

o final do dia são os

é interessante”.


— 33 —

Stefan Sagmeister tem 49 anos e um longo e reconhecido caminho na mundo

jovens designers. O mais recente trabalho do seu estúdio foi para a EDP

John Madere

do design. Os seus trabalhos deixam marca e servem como influência para


— 34 —

Campanha da marca

Comunicar a nova marca para o exterior é um desafio, sob todos os pontos de vista. Cinema, televisão, rádio, imprensa, internet, outdoors, telas... Hoje, a cor do dia é só uma: vermelho! A imagem era um sorriso. Mas, a partir de hoje, vai ser muito mais que isso. Comunicar o rebranding da EDP é objetivo de uma série de spots que vão invadir os mais variados suportes de comunicação. A linguagem gráfica inclui

centenas de ilustrações representativas de várias categorias e que, quando se associam, nos contam as mais complexas histórias. Trata-se de uma transformação radical que, estamos certos, irá surpreender tudo e

todos, pela positiva. O spot de rádio terá 30 segundos e diz o essencial sobre a nova cor: "Não precisamos de ser verdes, porque já o somos". Vermelho passará a ser a cor única em todas as logomarcas do Grupo EDP.

+ Rádio - 30" Olá! Somos a EDP. Estamos a crescer, a inovar e a evoluir, para construir o futuro consigo. Mais de 60% da energia que produzimos vem daquilo que é nosso como o vento e a água. E não precisamos de parecer verdes, porque já o somos. Em sua casa, na sua empresa e em todo o mundo. A nossa imagem era um sorriso, Hoje, é o nosso nome que marca a diferença.


— 35 —

Tela Edifício da Av. José Malhoa O mundo e a sua diversidade, num ambiente sustentável, é a representação iconográfica patente numa das quatro telas do edifício EDP da Avenida José Malhoa, em Lisboa.


— 36 —

Pequeno formato - rodapé de imprensa

Pequenos anúncios que vão ser publicados na Imprensa.

Painel na sede Marquês de Pombal A partir de hoje, esta é a imagem que figura no painel do lobby do edifício sede, do Marquês de Pombal, 12, em Lisboa.


— 37 —

Publicidade na TV + TV - 60”, 45”, 30” Olá! Somos a EDP Estamos a crescer, A inovar, A evoluir. Sabemos que tudo o que fazemos tem impacto. E que só a boa energia nos trará boa energia. É por isso que mais de 60% da energia que produzimos vem daquilo que é nosso. Não precisamos de parecer verdes, Porque já o somos. Podemos ver o futuro, Porque o estamos a construir consigo. A nossa imagem era um sorriso, Hoje, é o nosso nome que marca a diferença. EDP, viva a nossa energia.


— 38 —

A campanha televisiva da nova marca promete surpreender. A combinação das quatro formas geométricas (círculo, o semicírculo, o quadrado e o triângulo) resultam num espetáculo visual repleto de histórias. Sempre com muita energia!


— 39 —

A campanha desenvolvida utiliza a nova iconografia O spot televisivo, com música da banda portuguesa para comunicar factos importantes como a elevada The Gift, foi idealizado e produzido pela Brand New percentagem de energia renovável que já é produzida, School, e aproveita as formas geométricas e as suas metamorfoses, espelhando um mundo rico em variedade. hoje, em todo o mundo. Esta campanha mostra, ainda, o compromisso que a EDP tem para com os seus clientes. Existem três versões do anúncio, com durações Assim como a energia da empresa e das suas pessoas. diferentes. Direction 2 EDP Storyboard Sagmeister Inc

Through the forest.

We continue to zoom out, catching funny moments.

We zoom backwards more, through a city, the camera is gaining speed.

We keep zooming out as everything resembles bubbles.

We see fish.

Continuing to zoom out we go through the entire galaxy.

Until we see planet earth rotating

We see the whole planet.

The zoom out ends nice and easy, still full of life with tiny details in motion.

We begin another logo transformation.

More logo animations.

The main EDP logo resolves. VO: We are EDP.

05.18.11 | BRAND NEW SCHOOL

14


— 40 —

Por detrás de um rebranding A chegada de uma nova marca é preparada ao pormenor. Não basta simplesmente alterar a imagem. Há uma série de aplicações, dentro e fora da empresa, que são alteradas para refletir os valores e a nova identidade do Grupo.

Os principais edifícios do Grupo, nas maiores cidades portuguesas, acordaram, hoje, com a nova imagem. Uma operação concertada, levada a cabo por centenas de pessoas, para que a nova marca passe a ser conhecida rapidamente. Uma mudança de marca faz com que os clientes olhem de outra maneira para a mesma empresa. Através dela, a EDP reforça os seus valores.

Surpresa para os colaboradores

O sorriso desapareceu dos edifícios, mas os colaboradores do Grupo EDP irão ter razões para não deixar de sorrir. A partir de hoje, vão surpreender-se com as novas marcas na fachada do seu local de trabalho.


— 41 —

As sete logomarcas irão ser a face dos edifícios do Grupo. Cada um dos edifícios irá poder contar com diferentes formas, mas sempre com a mesma identidade: EDP. A cor adotada foi o cinzento.

À vista de todos A marca vinca a personalidade de um edifício. Afinal, é nos edifícios que a marca está mais exposta aos olhares de quem passa. E a EDP mostra agora uma nova cara, vestindo os edifícios com as novas identidades tão inovadoras como a própria empresa.


— 42 —

EDP On é a nova marca para toda a comunicação. Seja a intranet, a revista ou a televisão, EDP On será sempre o seu nome. Uma marca interna que consolida a comunicação dentro do Grupo.

Televisão Aparece também com nova imagem, mais estilizada, e dando mais espaço aos vídeos e às histórias que marcam a vida no Grupo. Vai continuar a marcar a Agenda, mas vai apostar ainda mais na partilha e na participação de cada um de nós. Novas temáticas estão na grelha e as notícias à hora certa darão destaque ao que de mais importante acontece. Foi da EDPon que nasceu a marca global interna para a nossa comunicação. A televisão afirmou-se dentro do Grupo, deu rosto aos projetos, aproximou geografias, culturas e pessoas. Contribuiu para que nos conhecêssemos melhor e com isso reforçou a nossa cultura comum. Podíamos viver sem a nossa EDP On TV? Podíamos, mas não era a mesma coisa…

Revista Julho 2011

S ENERGIA SEM LIMITE

Esta é uma edição especial sobre a nova marca, as próximas edições terão algum ajuste gráfico para garantir o alinhamento ao universo da nova marca, mas a aposta na comunicação global com aproximação aos públicos locais vai continuar. Na nossa revista, a excelência e o mérito de cada um, independentemente do lugar que ocupa na cadeia hierárquica, têm honras de página inteira.

antónio mexia de O presidente do Conselho EDP Administração Executivo da explica a nova marca 16

making of Colaboradores da EDP contam como viveram a mudança da marca 52

stefan sagmeister Quem é o criador da nova dos marca? Entrevista com um melhores designers mundiais 28


— 43 —

Internet De um site muito realista, mudamos para um universo mais

confiança e proximidade, uma relação interativa

irreverente, mas continuamos a contar uma história em

e de integração, que traduz claramente a sua importância

cada uma das homepages. Basicamente, mostramos que

para o sucesso do nosso negócio. É um site vivo e alegre,

em tudo o que as pessoas fazem está a energia que nós

que transmite os valores da marca EDP – humana, inovadora

“fazemos” e que o produto do nosso trabalho permitiu o

e sustentável - e reflete os nossos compromissos com

acesso das pessoas a níveis superiores de conforto e bem-

os nossos Clientes, com a Vida e Ambiente, com as Pessoas

estar.

em geral. É um site diferente, como o foram sempre os sites

Contamos em cada homepage a história da nossa

relação com cada um dos nossos parceiros: uma relação de

da EDP.


— 44 —

Intranet Daqui para frente, a nossa intranet

+ citadina, + eólica ou + … Afinal de

a partilha do conhecimento e das

vai explorar todas as potencialidades

contas todo o mundo é composto

melhores práticas dentro do Grupo.

que o universo da nova marca nos

de mudança! Assim será a nossa

Lá + para o fim do ano teremos +

oferece. Pode ser + séria ou + divertida,

comunicação, tendo sempre em vista

surpresas quanto à intranet. Esteja

+ marinha ou + terrestre, + rural ou

uma informação clara e objetiva e

atento!


— 45 —

A frota EDP é constituída por uma grande variedade de tipologias, marcas e modelos de veículos. Para tirarmos o máximo partido deste Furgões pequenos troen Berlingo suporte de comunicação, é necessário sermos consistentes na aplicação O: Reduzida da nossa identidade.

AND GUIDELINE LINE

FROTA | PÁG 13 FROTA

EDP BRAND GUIDELINE

FROTA | PÁG 12

Sobre rodas As sete logomarcas vão, a partir de hoje, viajar por todo o país, demonstrando a variedade

432 x 340 mm

e a dinâmica que existe na empresa. Estamos certos de que vai ser um prazer conduzir as viaturas da nova frota EDP .

547 x 89 mm

370 x 290 mm

145 mm

338 mm

36 mm 235 mm


— 46 —

Estacionário As novas logomarcas vão animar a comunicação dos colaboradores. Afinal, são sete os novos símbolos que irão fazer parte da nova imagem do estacionário da EDP: - ao entrar na empresa (cartão colaborador) - ao escrever e enviar uma carta (papel e envelope) - ao dar o seu contacto numa reunião de trabalho (cartões de visita) Cartão de visita

Envelope DL com janela

- ao partilhar informação (CD)

Papel de carta


— 47 —

No mundo EDP, a nova imagem está presente em todas as horas do seu dia de trabalho! O estacionário é exemplo disso mesmo. Cartões de visita, papel, envelopes, CD, pasta de documentos, papel fax... prepare-se para marcar a diferença.


— 48 —

Chris Palazzo O diretor de Arte da Brand

01

New School

MAKING OF Fazer um rebranding de uma marca nunca é simples. Até chegar à nova imagem, foram muitas as pessoas envolvidas, muitas as horas de trabalho, muitas as reuniões. Tudo começou, há nove meses, com a escolha do criativo para desenvolver a nova imagem da EDP. O escolhido foi Stefan Sagmeister, considerado um dos melhores designers da atualidade. O briefing foi entregue e a viagem para encontrar a nova imagem para a EDP começou. Entre Nova Iorque (Seigmeister, Inc.) e Portugal (Mola Ativism e My Brand) criou-se uma parceria perfeita, mesmo com a diferença horária entre os países, para levar a bom porto o lançamento da nova imagem. Hoje, dia 1 de julho, ela aí está. Obrigado a todos os que estiveram envolvidos nesta viagem!

02

Jonathan Notaro e Stefan Sagmeister O diretor da Brand New School acerta pormenores sobre a animação, com o responsável pela logomarca


— 49 —

Paulo Campos Costa, Marta Marques e Jessica Walsh Reunião em Nova Iorque para definir os últimos pormenores

05

03

Equipa de Comunicação As aplicações da nova marca foram sendo definidas em várias reuniões entre as equipas de

Stefan Sagmeister e Jessica Walsh

Comunicação da EDP e da Mola

O diretor de Arte da Sagmeister Inc,

Ativism

acompanhado pela designer que trabalhou a fundo na conceção da nova marca EDP

04


— 50 —

06

Paulo Campos Costa O diretor de Marca e Comunicação da holding acompanhou todas as fases do processo

07

Robin Greenwood O responsável pelas animações da marca, a partir das formas chave


— 51 —

Apresentação da Marca 09

O documento que foi apresentado à equipa de Comunicação da EDP

Equipa responsável pela Marca A mudança exigiu um enorme esforço, mas nunca faltou a motivação

08

António Mexia Apresentando a nova marca no Encontro que reuniu toda a Comunicação do Grupo

10


— 52 —

Sentir a nova marca EDP

Rui Cabrita, Diretor-adjunto de Comunicação "Participar num projecto de rebranding foi - ou melhor está a ser entusiasmante pela experiência, pois não é todos os dias que uma marca como a EDP faz um processo destes, pela capacidade de execução e pelo profissionalismo de toda a equipa envolvida. Acredito que a inovação desta nova imagem, pela fusão da modernidade com alguma aparente ingenuidade, será do agrado de todos."


— 53 —

Abdul Karim,

Marta Marques,

Filipa Roquette,

Direção de Marca e Comunicação

Direção de Marca e Comunicação

Direção de Marca e Comunicação

"Um desafio fantástico para uma

"Acho que é um privilégio poder

“A primeira palavra que me ocorre é

marca fantástica – é a melhor

participar tão ativa e profundamente

"desafio". É uma oportunidade que

forma de descrever todo o processo de

num processo de rebranding. É uma

devemos agarrar de imediato pois

rebranding EDP. Saliento o esforço de

experiência profissional e pessoal única,

nunca se sabe se vamos participar,

duas pessoas fantásticas com quem

pelos inúmeros desafios que nos são

algum dia, num projeto idêntico. O

trabalho diretamente e que se dedi-

postos diariamente. O que mais destaco

trabalhar mais horas do que o habitual,

caram de alma a este projeto: Filipa

é o trabalho em equipa de todas as

o trabalho de equipa, o stress frenético

Roquette e Marta Marques."

áreas da empresa, a começar pela DMC,

que é gerado pelos prazos que são

pelo seu empenho e dedicação, por

sempre curtos, as soluções que têm

fazerem tudo acontecer. Por sentirmos

que ser encontradas à última da hora,

que trabalhamos numa empresa com

tudo isto fez com que crescêssemos

as melhores competências e com

tanto profissionalmente como em

os melhores colaboradores. Sem o

termos humanos. A equipa envolvida

envolvimento de todos, o rebranding

excedeu qualquer tipo de expetativas:

não era possível. Para mim, é um orgulho

incansável, motivada, orgulhosa e

poder participar na construção da nova

alegre. O resultado não poderia ter sido

marca EDP e fazer parte desta equipa".

mais positivo.”


— 54 —

Teresa Loreto, Direção de Marca e Comunicação "Do ponto de vista da área de patrocínios e eventos, ativar uma nova marca tão dinâmica, forte e diferenciadora é e vai ser muito bom, pois vai permitir ir mais longe, 'brincar' com as formas, construir e marcar pela diferença".

José Syder, Direção de Comunicação da EDP Gás "A nova marca EDP significa dinamismo, multinacionalidade, uma marca única. Foi um desafio excecional participar neste rebranding. Não é todos os dias que uma companhia como a EDP faz uma mudança profunda da marca. A nova marca vai, efetivamente, consolidar a multinacional que a EDP já é".


— 55 —

Fernanda Bonifácio, EDP Valor - Gestão da Frota "Cerca de 2.600 viaturas para redecorar, ao longo de todo o país? Dúvida? Surpresa? Pânico? Desconforto? Estas foram as primeiras reações à mudança de imagem. Depois foram sendo substituídas com: Entusiasmo, Dinamismo e Vontade de fazer acontecer. Oops! Mas estes também são alguns dos conceitos inerentes à nova marca! Concluí, que já estou completamente imbuída no espírito. É muito desafiante cooperar, pela experiência e pelas pessoas com que se trabalha, num projeto desta dimensão".

Paula Pinto, Direção de Marca e Comunicação "O processo de criação de uma nova marca é sempre um desafio e apesar de não ter estado tão envolvida neste processo como estive no rebranding de 2004, não deixou de ser uma experiência enriquecedora. Uma nova identidade implica a sua adaptação aos diversos suportes de comunicação e é esse exercício que torna a nossa área de atuação muito estimulante".


— 56 —

Raquel Mendes, EDP Renováveis "A nova marca de todo o Grupo EDP inspirar-nos-á para sermos mais fortes, onde quer que estejamos. Para a EDP Renováveis, será um desafio implementá-la em mercados como os Estados Unidos, onde temos uma boa fatia do nosso negócio e onde, paralelamente, a realidade cultural e empresarial são tão diferentes da do universo ibérico e europeu. No entanto, sabemos que será uma prova superada e que o reconhecimento da EDP Renováveis e do Grupo EDP sairão definitivamente reforçados do outro lado do mundo".

Flávia Ramos, Carmen Fernández González,

EDP Brasil "A nova marca reflete a

EDP HC Energía

constante mudança que

"Este é um grande desafio profissional. A mudança

o mundo vive hoje e que

da marca em Espanha será feita de forma faseada,

a EDP quer acompanhar

marcando uma diferença entre a comunicação interna

e também estar à frente"

e a externa. O novo universo iconográfico EDP abre infinitas possibilidades de comunicação do Grupo com os diversos parceiros. Em Espanha, vão coexistir as marcas HC Energía e Naturgas Energía. Estamos todos a trabalhar de forma coordenada - pessoas do marketing, serviços gerais, património, sistemas de informação e comunicação – para chegarmos a bom porto. A viagem já começou".


— 57 —

Teresa Cristina Quintella, Direção de Marketing "A nova identidade visual da EDP não é uma, são muitas e constituem, no seu todo, uma marca ainda mais rica, dinâmica e inovadora. Assim como está sendo rica, dinâmica e inovadora a experiência de fazer parte deste projeto de rebranding, no qual estão envolvidas várias equipas, internas e externas, nacionais e internacionais, implementando, juntas, esta nova marca global".

Inês Lima, Direção de Marketing “A nova marca EDP tem uma vida própria, apropria-se dos momentos para revelar uma das suas inúmeras facetas. Esta grande alteração constitui uma enorme inspiração e um imenso desafio para todos os que com ela trabalham, na medida em que teremos que ter a coragem e a capacidade de nos reinventarmos diariamente, de forma a concretizar toda a inovação, grandiosidade e dinamismo que a nova marca EDP transmite”.

Margarida Glória, Direção de Marca e Comunicação "Forte, Divertida, Irreverente, Multiforme. Gosto da nova marca e gosto que afirme claramente o nome da minha empresa: EDP. Gosto da multiplicidade de formas e gosto do universo pictográfico que ilustram a diversidade que nos enriquece e nos une - diferentes línguas, continentes, países, a mesma visão partilhada. Gosto da ideia de inovação e mudança que transmite. É assim que gosto de pensar a minha empresa".


www.edp.pt


Especial Nova Marca Final_PT